17 de agosto de 2018

Alternativa ao Evernote? Veja como instalar o Joplin no Linux

Se você está procurando uma alternativa ao Evernote, conheça e veja como instalar o Joplin no Linux, e resolva seu problema.


Joplin é um aplicativo gratuito e de código aberto de tomada de notas e de tarefas para clientes de desktop para Linux, Windows, MacOS e para dispositivos móveis com Android e iOS.Alternativa ao Evernote? Veja como instalar o Joplin no LinuxAlternativa ao Evernote? Veja como instalar o Joplin no Linux

Enquanto o Evernote é gratuito para usar com um plano básico, que só custa o tempo necessário para fazer um cadastro, mas que tem algumas limitações: você só pode sincronizar suas anotações entre dois dispositivos.

Assim, se você quiser adicionar um laptop de trabalho na mistura ou colocar o dual-boot para usar, você deve se inscrever em um plano pago (U$$ 3,99 por mês).

Joplin, no entanto, não tem tais limites. Então, em vez de ficar tentando usar o Evernote no Linux, pode valer a pena dar uma olhada nele.

Ele possui aplicativos gratuitos para desktop e celular. Isso significa que você não precisa estar usando apenas Linux para anotar alguns pensamentos, compilar algumas pesquisas ou trabalhar.

Embora o serviço não seja tão polido ou caracterizado como o Evernote é (o que é compreensível, dado que é feito por uma equipe de um) ainda é uma ótima alternativa ao Evernote.

Graças ao seu rico suporte para a Markdown (incluindo um painel de visualização opcional em seus aplicativos de desktop), Joplin também funciona como uma alternativa a editores desse formato.

Como o Evernote Joplin é construído em torno do conceito de cadernos. Você pode adicionar novas notas e tarefas a um caderno rapidamente e marcar, pesquisar e editar facilmente.

Uma grande diferença (ou ponto de venda, dependendo dos seus gostos) entre a Evernote e a Joplin é que o último usa o formato Markdown em vez da formatação tradicional de rich text.

Você pode até importar notas do Evernote para Joplin. O aplicativo converte automaticamente o conteúdo do arquivo .enex para Markdown enquanto persevera imagens, outros anexos e metadados (por exemplo, data criada, modificada, etc.).

Joplin é capaz de sincronizar suas notas entre dispositivos usando o Microsoft OneDrive ou um dispositivo de rede. O suporte para o Dropbox está planejado, e não há nenhuma razão real porque o NextCloud ou outros serviços também não possam ser suportados.

É importante enfatizar que, quando o aplicativo sincroniza, ele guarda anotações em arquivos de texto simples. Isso é útil, por um lado, como você pode facilmente extrair o conteúdo com um editor de texto normal, por outro lado existem algumas preocupações teóricas de privacidade, já que qualquer um pode ler texto simples.

O suporte para criptografia de ponta a ponta em uma compilação futura está planejado para uma compilação futura.

Resumindo, possui as seguintes características:

  • Crie anotações, itens a receber e cadernos;
  • Funciona offline;
  • Sincronizar notas via OneDrive;
  • Suporte de tags;
  • Suporte de anexo de arquivo;
  • Funcionalidade de pesquisa;
  • Importar ficheiros .enex da Evernote.

Como instalar o Joplin no Linux

Para instalar o Joplin no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o Joplin no Linux usando NPM

O Joplin no Linux pode ser instalado via NPM no Linux. Para isso, você precisa ter o NPM instalado em seu sistema. Se ainda não tiver, use esse tutorial:

Descubra como instalar o Node.js no Linux

Depois, use o seguinte comando no terminal, para instalar o Joplin:

npm install -g joplin

Se preferir, você pode usar este outro procedimento:

Como instalar o Joplin no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Joplin no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal ;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome joplin.appimage:

wget https://github.com/laurent22/joplin/releases/download/v1.0.104/Joplin-1.0.104-x86_64.AppImage -O joplin.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x joplin.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./joplin.appimage

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em 220;Yes221; (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em 220;No221; (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher 220;No221;, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o SparkleShare no Linux via Flatpak

Se você precisa de uma ferramenta para códigos de seus projetos, conheça e veja como instalar o SparkleShare no Linux via Flatpak.


SparkleShare é um sincronizador de arquivos de código aberto e ferramenta de colaboração semelhante ao Dropbox.Como instalar o SparkleShare no Linux via FlatpakComo instalar o SparkleShare no Linux via Flatpak

O programa está disponível para Linux, e Mac OSX e usa de versão GIT sob o capô. Além de usá-lo em seu próprio servidor, SparkleShare suporta alguns serviços de hospedagem de código out of the box, como o GitHub, Bitbucket ou Gitorious.

SparkleShare cria uma pasta especial no seu computador. Você pode adicionar pastas hospedados remotamente (ou “projetos”) para esta pasta.

Estes projetos serão automaticamente mantidos em sincronia com o host e todos os seus colegas quando alguém adiciona, remove ou edita um arquivo.

O vem com uma janela de mudanças recentes que mostra o que mudou, juntamente com opções para restaurar os arquivos para suas versões anteriores ou restaurar arquivos apagados, suporta criptografia do lado do cliente, manipulação de conflito, as notificações e ele vem com um Ubuntu AppIndicator.

Como instalar o SparkleShare no Linux via Flatpak

Para instalar o SparkleShare no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o SparkleShare no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.sparkleshare.SparkleShare.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.sparkleshare.SparkleShare

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.sparkleshare.SparkleShare

Ou

flatpak uninstall org.sparkleshare.SparkleShare

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.sparkleshare.SparkleShare em um terminal.

Ou apenas digite sparkleshare no Dash/atividade ou qualquer outro lançador de aplicativos.

E se você gostou do aplicativo, deixe suas impressões nos comentários!

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu

Se você gosta de quadrados e quer dar aquele “up” no seu sistema, conheça e veja como instalar o conjunto de Numix Square no Ubuntu.


O conjunto de ícones do Numix Square pode dar um makeover completamente moderno à sua área de trabalho. O tema evita linhas rígidas, bordas pesadas e sombras severas, para dar uma aparência mais suave, colorida e mais brincalhão à sua área de trabalho.Como instalar o conjunto de ícones Numix Square no UbuntuComo instalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu

Em forma quadrada, ele reproduz a tela para logotipos e emblemas de aplicativos, que vão desde ícones simbólicos , até desenhos mais intrincados e em camadas.

A cobertura de ícones é exaustiva também. Ele cobre praticamente todos os aplicativos. As pastas das aplicações e os ícones do painel herdam o tema do ícone da base do Numix (se instalado) ou os ícones do GNOME/Adwaita (se não estiverem instalados).

Os ícones do Numix Square eram um dos vários pacotes anteriormente disponíveis como um produto pago no Linux.

Foi vendido por uma pequena taxa para ajudar a financiar o desenvolvimento do outro (código aberto) conjuntos de ícones Numix.

Mas não mais: Os designers do conjunto de ícones Numix Square anunciaram que agora ELE é de código aberto e de download gratuito.

Instalando o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal ( o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:numix/ppa

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Numix Square usando o seguinte comando:

sudo apt-get install numix-icon-theme-square

Como instalar o conjunto de ícones Numix Square manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Desinstalando o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Numix Square, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove numix-icon-theme-square

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Fonte

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Conheça batocera.linux e divirta-se com jogos antigos

Se você curte games retrô, conheça a distribuição batocera.linux, descubra onde baixá-la e divirta-se com jogos antigos, e ainda assista filmes e séries.


batocera.linux é um sistema operacional especializado em retrogaming e que está disponível para PC (32 e 64 bits) e diferentes computadores pequenos como o Raspberry e os Odroid.Conheça batocera.linux e divirta-se com jogos antigosConheça batocera.linux e divirta-se com jogos antigos

batocera.linux é plug and play. Comece, conecte seus Pads, jogue. Ele pode ser instalado em uma pendrive padrão, para que você possa jogar em qualquer computador sem alterá-lo.

Em Raspberry e Odroid, você deve usar um sdcard padrão para instalá-lo. Note que você deve ser o proprietário dos jogos que você joga para respeitar os direitos autorais deles.

batocera.linux inclui compilações exclusivas para dispositivos Odroid C2 e Odroid XU4.

Além dos jogos, o famoso e adorável Kodi Media Center também faz parte do batocera.linux. Então, quando você estiver entediado com os jogos, é hora de assistir suas séries e filmes favoritos usando o Kodi.

Conheça batocera.linux e divirta-se com jogos antigos

Baixe e experimente o batocera.linux

A imagem ISO do batocera.linux já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Para instalar, confira esse procedimento.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu

Se você tem um gamepad do Xbox e quer usá-lo de forma completa no PC, veja aqui como o driver para do Xbox no Ubuntu.


Já existem muitos jogos portados e muitos outros vindo para a plataforma Linux, e claro, você também já deve ter ouvido falar do Steam da Valve.Como instalar o driver para o controle do Xbox no UbuntuComo instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu

Para ficar melhor ainda, embora a maioria das pessoas usem o teclado para jogar, se você possui um Xbox, nada mais impede você de pegar o controle dele e usá-lo no Ubuntu para jogar seus games favoritos no PC.

Usando o software que será mostrado nesse tutorial você poderá usar o controle do Xbox no Ubuntu, com configurações adicionais.

Ele é um controlador de gamepad do Xbox/Xbox 360 para Linux que funciona em espaço de usuário e é uma alternativa para o xpad, o driver padrão do kernel.

Ele possui suporte para os controles do Xbox One e Xbox 360, tanto USB como sem fio, original ou de terceiros. A guitarra para Xbox 360 e alguns dancemats para Xbox One pode funcionar também.

O volante para Xbox 360 não é suportado, mas não deve ser difícil de adicionar se alguém estiver interessado.

Além de suportar quase tudo que está relacionado com o Xbox, o driver também tem suporte nativo para o gamepad Thrustmaster Dual Power 3, incluindo vibração e pode ser usado sobre o driver regular de joystick do Linux.

Ao contrário de do suporte do driver do kernel xpad, xboxdrv fornece uma ampla variedade de opções de configuração: permite simular eventos de teclado e mouse, remapear os botões e eixos, aplicar autofire, eixo invertido, ajustar eixo de sensibilidade, emular controles de aceleração e leme e enviar macros.

Como instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:rael-gc/ubuntu-xboxdrv

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o driver;

sudo apt-get install ubuntu-xboxdrv

Passo 5. Inicie o serviço do driver com o comando a seguir:

sudo service xboxdrv restart

Como instalar o driver para o controle do Xbox manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalado, ligue o controle do Xbox, vá nas configurações do sistema e entre na opção “Joysticks”:

Como instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu

Desinstalando o driver para o controle do Xbox no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get purge ubuntu-xboxdrv --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o afinador de instrumentos músicais FMIT no Linux

Se você trabalha com música e que deixar tudo perfeito a hora da execução, conheça e veja como instalar o afinador de instrumentos músicais FMIT no Linux.


FMIT é um utilitário gráfico para afinar instrumentos musicais com recursos em tempo real, histórico de erros e volumes e recursos avançados.Como instalar o afinador de instrumentos músicais FMIT no LinuxComo instalar o afinador de instrumentos músicais FMIT no Linux

Os recursos incluem traços de frequência e volume, estatísticas, várias escalas disponíveis (ajuste de arquivo microtonal (com suporte ao arquivo Scala), amplitude dos harmônicos, período da forma de onda, Transformação Discreta de Fourier (DFT).

Apesar de todas essas opções, os recursos também são opcionais e podem ser ocultados para obter uma visão muito simples

Como instalar o afinador de instrumentos músicais FMIT no LinuxComo instalar o afinador de instrumentos músicais FMIT no Linux

Como instalar o afinador de instrumentos músicais FMIT no Linux via Flatpak

Para instalar o afinador de instrumentos músicais FMIT no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o afinador de instrumentos músicais FMIT no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/io.github.gillesdegottex.FMIT.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update io.github.gillesdegottex.FMIT

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall io.github.gillesdegottex.FMIT

Ou

flatpak uninstall io.github.gillesdegottex.FMIT

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run io.github.gillesdegottex.FMIT em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite fmit ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

E se você gostou do , deixe suas impressões nos comentários!

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o terminal drop-down AltYo no Ubuntu e derivados

Se você gostou de ver uma terminal suspenso em outras distros, veja como instalar o terminal drop-down AltYo no Ubuntu e derivados.


O uso do terminal no sistema é, sem dúvida, quase essencial, assim, ter acesso direto a ele é uma das coisas que costumamos fazer. No Ubuntu e seus derivados você pode executar o terminal a partir da combinação de teclas Ctrl + Alt + T.Como instalar o terminal drop-down AltYo no Ubuntu e derivadosComo instalar o terminal drop-down AltYo no Ubuntu e derivados

Por outro lado, em algumas distribuições do Linux geralmente incluem terminais suspensos (drop-down), que podem ser abertos e fechados a partir do topo da tela, pressionando apenas uma tecla ou o ícone dela.

Quem vê este tipo de terminal certamente fica com vontade de ter ele em seu sistema. A solução isso? AltYo.

AltYo é um emulador de terminal suspenso escrito em Vala e suportado no GTK 3, ele é baseado no emulador de terminal do TEV (Virtual Terminal Emulator).

Este emulador de terminal possui muitas configurações e um conjunto padrão de recursos típicos para a maioria dos emuladores de terminal.

AltYo pode funcionar como modo de queda (drop down) e modo normal (janela), usando teclas de atalho. Ele permite que você abra um número ilimitado de abas (mesmo com nomes longos), quando a falta de abas de espaço pode ser colocada em várias linhas.

Além disso, as guias que são abertas com esse emulador de terminal são totalmente compatíveis com a opção de arrastar e soltar.

Como instalar o terminal drop-down AltYo no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o terminal drop-down AltYo no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:linvinus/altyo

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install altyo

Como instalar o terminal drop-down AltYo manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome altyo-dbg.deb e altyo.deb:

wget https://launchpad.net/~linvinus/+archive/ubuntu/altyo/+build/13820275/+files/altyo-dbg_0.4~rc24-linvinus1~artful_i386.deb -O altyo-dbg.deb
wget https://launchpad.net/~linvinus/+archive/ubuntu/altyo/+build/13820275/+files/altyo_0.4~rc24-linvinus1~artful_i386.deb -O altyo.deb

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome altyo-dbg.deb e altyo.deb:

wget https://launchpad.net/~linvinus/+archive/ubuntu/altyo/+build/13820273/+files/altyo-dbg_0.4~rc24-linvinus1~artful_amd64.deb -O altyo-dbg.deb
wget https://launchpad.net/~linvinus/+archive/ubuntu/altyo/+build/13820273/+files/altyo_0.4~rc24-linvinus1~artful_amd64.deb -O altyo.deb

Passo 7. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i altyo*.deb
sudo apt-get install -f

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite programa em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de do sistema.

Desinstalando o terminal drop-down AltYo no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o terminal drop-down AltYo no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:linvinus/altyo -r -y
sudo apt-get remove altyo --auto-remove

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Ferramenta para backups simples e fácil: instale Duplicati no Linux

Muitas pessoas deixam de fazer backups regulares, porque várias ferramentas para essa tarefa são complicadas ou porque elas simplesmente não têm tempo suficiente. Se esse é o seu caso, o que você precisa é de uma ferramenta para backups simples e fácil como o aplicativo Duplicati.


Duplicati é uma ferramenta muito simples e ao mesmo tempo avançada, que pode resolver seus problemas de backup.Ferramenta para backups simples e fácil: instale Duplicati no LinuxFerramenta para backups simples e fácil: instale Duplicati no Linux

Ele é um software livre (LGPL), escrito em C# e que está disponível para Windows, Linux e Mac OS X, com traduções para o inglês, espanhol, francês, alemão, dinamarquês, português, italiano e chinês.

Inicialmente, o projeto Duplicati foi inspirado no “duplicity for Windows”, mas depois de um tempo, ganhou seu próprio rumo.

Hoje ele é basicamente um cliente de backup gratuito que armazena de forma segura usando criptografia, backups incrementais, compactados em serviços de armazenamento em nuvem e de arquivos remotos.

Ele funciona com o Amazon S3, Windows Live SkyDrive (OneDrive), Drive ( Docs), Rackspace Cloud File ou WebDAV, SSH, FTP (e muitos mais). Duplicati tem um sistema de agendamento interno, de modo que é fácil ter um backup regular up-to-date.

Além disso, o programa usa compressão de arquivos e é capaz de armazenar backups incrementais para economizar espaço de armazenamento e largura de banda.

Duplicati foi construído com criptografia AES-256 e backups podem ser assinados usando o GNU Privacy Guard.

Por último, mas não menos importante, Duplicati oferece várias opções e ajustes, como filtros, regras de exclusão, transferência e opções de largura de banda para executar backups para fins específicos.

Instalando a ferramenta para backups Duplicati no Linux

Para instalar a ferramenta para backups Duplicati no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Instalando a ferramenta para backups Duplicati no Linux Debian, Ubuntu, LinuxMint e derivados

Para instalar a ferramenta para backups Duplicati no Linux no Linux Debian, Ubuntu, LinuxMint e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um ;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome duplicati.deb:

wget https://github.com/duplicati/duplicati/releases/download/v2.0.3.9-2.0.3.9_canary_2018-06-30/duplicati_2.0.3.9-1_all.deb -O duplicati.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i duplicati.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 5. Se depois precisar, desinstale o programa com o comando abaixo:

sudo apt-get install duplicati*

Instalando a ferramenta para backups Duplicati no Linux Fedora, RedHat, e derivados

Para instalar a ferramenta para backups Duplicati no Linux Fedora, RedHat, CentOS ou qualquer outra distro derivada desses, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome duplicati.rpm:

wget https://github.com/duplicati/duplicati/releases/download/v2.0.3.9-2.0.3.9_canary_2018-06-30/duplicati-2.0.3.9-2.0.3.9_canary_20180630.noarch.rpm -O duplicati.rpm

Passo 3. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall duplicati.rpm

Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install duplicati.rpm

Passo 5. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi duplicati.rpm

Passo 5. Se depois precisar, desinstale o programa com o comando abaixo:

sudo rpm -e duplicati.rpm

Pronto! Agora, quando quiser você pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite duplicati ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o app de digitação Klavaro no Linux

Se você ainda precisa melhorar a sua forma de usar o teclado, conheça e veja como instalar o aplicativo de digitação no Linux.


Klavaro é um aplicativo que oferece um tutorial de digitação gratuito para quem precisa melhorar a produtividade ao teclar, ou simplesmente aprender a digitar corretamente. Klavaro tem a intenção de ser independente de teclados e idiomas, economizando memória e tempo (e dinheiro).Como instalar o app de digitação Klavaro no LinuxComo instalar o app de digitação Klavaro no Linux

Klavaro usa uma interface gráfica limpa, e para ajudá-lo a melhorar a sua digitação, ele oferece um básico, exercícios de adaptação, exercícios de velocidade, exercícios de fluidez, gráficos de progresso, inclusão de outros textos e disputa na Internet.

Além disso, o programa possui um editor de arranjo (leiaute) de teclado, que permite dispor as teclas à vontade e salvar o resultado em um arquivo texto simples.

Como instalar o app de digitação Klavaro no Linux

Como instalar o app de digitação Klavaro no Linux via Flatpak

Para instalar o app de digitação Klavaro no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o aplicativo de digitação Klavaro no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/net.sourceforge.Klavaro.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update net.sourceforge.Klavaro

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall net.sourceforge.Klavaro

Ou

flatpak uninstall net.sourceforge.Klavaro

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run net.sourceforge.Klavaro em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite klavaro ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Se não conseguir localizar o comando de execução, execute o comando abaixo:

which klavaro

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Opera 55 oferece melhor controle de páginas da web e marcadores mais acessíveis

A Opera Software lançou o Opera 55 com melhor controle de páginas da web e marcadores mais acessíveis. Confira as novidades e veja como instalar ou atualizar o Opera no Linux.


O Opera é um popular navegador web, disponível para Linux, Mac OS X e Windows. No passado, ele adotou um fork do WebKit engine do Google, e depois disso, suas novas versões estão sendo baseadas no Chromium.Opera 55 oferece melhor controle de páginas da web e marcadores mais acessíveisOpera 55 oferece melhor controle de páginas da web e marcadores mais acessíveis

Atualmente, a versão para Linux vem com todos os mesmos recursos do Opera para Windows e Mac, incluindo Speed Dial, o recurso Discover, Opera Turbo, bookmarks (favoritos) e compartilhamento de favoritos, temas, extensões e muito mais.

Esse Navegador também oferece o modo de economia de energia, que oferece duração da bateria até 50% maior e evita o superaquecimento.

Novidades do Opera 55

Opera 55 inclui um layout mais inteligente para a página de configurações, um emblema de segurança expandido e pop-up de informações de página para melhor controle de página, fácil instalação da extensão do Chrome Web Store e marcadores mais acessíveis.

Em resumo, os estaques do lançamento do Opera 55 são os seguintes:

  • Novo layout de opções de página de configurações para a página inicial, a interface do usuário, suporte a temas escuros, idiomas, downloads, sistema, atalhos e para configurações de redefinição;
  • Melhor controle das páginas visitadas com um menu pop-up de emblema expandido
  • Adicionado o botão de instalação ao visitar a loja on-line de extensões do Chrome.
  • A barra de favoritos agora está ativada por . Clique no ícone de coração no lado direito para adicionar novos marcadores.

Para mais detalhes sobre essa versão, leia o anúncio de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Opera

Para instalar ou atualizar o Opera no Linux, use o tutorial abaixo:
Como instalar a versão mais recente do Opera no Linux

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a versão mais recente do PostgreSQL no Linux Ubuntu, CentOS e derivados

Quer atualizar ou instalar a versão mais recente do PostgreSQL no Linux Ubuntu, CentOS e derivados? Então veja nesse tutorial como fazer isso.


PostgreSQL é um poderoso sistema de banco de dados de código aberto. Ele tem mais de 15 anos de desenvolvimento ativo e uma arquitetura comprovada que lhe deu uma forte reputação de confiabilidade, integridade de dados e correção.Como instalar a versão mais recendo do PostgreSQL no Linux Ubuntu, CentOS e derivadosComo instalar a versão mais recendo do PostgreSQL no Linux Ubuntu, CentOS e derivados

Por ser multiplataforma, ele funciona em todos os principais sistemas operacionais, incluindo Linux, UNIX (AIX, BSD, HP-UX, SGI IRIX, Mac OS X, Solaris, Tru64), e Windows.

É totalmente compatível com ACID, tem suporte total as chaves estrangeiras, joins, views, triggers e procedimentos armazenados (em vários idiomas).

Para completar o PostgreSQL inclui tipos de dados, incluindo INTEGER, NUMERIC, BOOLEAN, CHAR, VARCHAR, DATE, INTERVAL, e TIMESTAMP.

Ele também suporta o armazenamento de grandes objetos binários, incluindo imagens, sons ou vídeo. Possui interfaces nativas de programação para C/C++, Java,.Net, Perl, Python, Ruby, Tcl, ODBC, entre outros.

Como instalar a versão mais recente do PostgreSQL no Linux Ubuntu, CentOS e derivados

PostgreSQL está disponível nos repositórios das principais distribuições Linux e pode ser instalado facilmente usando o gerenciador de programas delas.

Mas se você quiser instalar a versão mais recendo do PostgreSQL no Ubuntu, CentOS e derivados, siga os procedimentos abaixo.

Como instalar a versão mais recente do PostgreSQL no Linux Ubuntu 12.04, 14.04, 16.04, 17.04 e derivados

Para instalar o programa no Linux Ubuntu 12.04, 14.04, 16.04 e derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. No Ubuntu 12.04, crie o arquivo pgdg.list e adicione um repositório nele com o seguinte comando:

sudo sh -c "echo  'deb http://apt.postgresql.org/pub/repos/apt/ precise-pgdg main' >> /etc/apt/sources.list.d/pgdg.list"

Passo 3. No Ubuntu 14.04, crie o arquivo pgdg.list e adicione um repositório nele com o seguinte comando:

sudo sh -c "echo  'deb http://apt.postgresql.org/pub/repos/apt/ trusty-pgdg main' >> /etc/apt/sources.list.d/pgdg.list"

Passo 4. No Ubuntu 16.04, crie o arquivo pgdg.list e adicione um repositório nele com o seguinte comando:

sudo sh -c "echo  'deb http://apt.postgresql.org/pub/repos/apt/ xenial-pgdg main' >> /etc/apt/sources.list.d/pgdg.list"

Passo 5. No Ubuntu 17.04, crie o arquivo pgdg.list e adicione um repositório nele com o seguinte comando:

sudo sh -c "echo  'deb http://apt.postgresql.org/pub/repos/apt/ zesty-pgdg main' >> /etc/apt/sources.list.d/pgdg.list"

Passo 6. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

wget --q -O - https://www.postgresql.org/media/keys/ACCC4CF8.asc | sudo apt-key add -

Passo 7. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 8. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install postgresql

Como instalar a versão mais recente do PostgreSQL no Linux CentOS e derivados

Para instalar a versão mais recente do PostgreSQL no Linux CentOS 6.x e 7.x, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é um CentOS 6.x de 32 bits, use o comando abaixo para adicionar o repositório do PostgreSQL:

rpm -Uvh https://download.postgresql.org/pub/repos/yum/9.5/redhat/rhel-6-i386/pgdg-centos95-9.5-3.noarch.rpm

Passo 4. Se seu sistema é um CentOS 6.x de 64 bits, use o comando abaixo para adicionar o repositório do PostgreSQL:

rpm -Uvh https://download.postgresql.org/pub/repos/yum/10/redhat/rhel-6-x86_64/pgdg-centos10-10-1.noarch.rpm

Passo 5. Se seu sistema é um CentOS 7.x de 64 bits, use o comando abaixo para adicionar o repositório do PostgreSQL:

rpm -Uvh https://download.postgresql.org/pub/repos/yum/10/redhat/rhel-7-x86_64/pgdg-centos10-10-1.noarch.rpm

Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

yum update

Passo 7. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

yum install postgresql- postgresql-contrib

Pronto! Agora, se o banco não for inicializado na instalação, reinicie o sistema e quando quiser, verifique a versão do PostgreSQL usando o seguinte comando em um terminal:

psql --version

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Instalando o pacote de temas Redmond no Linux

Se você quer deixar usuários das antigas versões do Windows a vontade no Linux,veja como instalar o pacote de temas Redmond no Linux, e dê um visual familiar para eles.


O suporte do Windows XP foi encerrado. Uma opção para usuários desses sistemas é migrar para o Linux. E para os que ficam intimidados com o visual do sistema do piguim, basta instalar o pacote de temas Redmond, para se sentir em casa.Instalando o pacote de temas Redmond no LinuxInstalando o pacote de temas Redmond no Linux

O pacote de temas Redmond oferece variantes:XP embedded, XP homestead, XP Luna, XP Royale, XP Royale Dark, XP Zune e um outro tipo de tema semelhante ao Windows 2000, chamado Windows Whistle.

Instalando o pacote de temas Redmond no Linux

Existem ícones do Windows XP, entretanto, eles não estão disponíveis no repositório por razões de direitos autorais. Para corrigir isso, você pode usar os ícones Victory junto com este tema.

Como o pacote de temas Redmond foi projetado por indivíduos sob licença GPL-v2, ele não tem problemas de direitos autorais.

Instalando o pacote de temas Redmond no Linux

Este pacote é compatível com os seguintes ambientes de desktop: Cinnamon, Unity, XFCE 4, OpenBox 3, Gnome Shell, Lxde, Mate e GTK.

Instalando o pacote de temas Redmond no Linux

Para instalar o pacote de temas Redmond no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Baixe o tema com o seguinte comando:

wget https://github.com/B00merang-Project/WinXP-themes/archive/master.zip -O redmond.zip

Passo 3. Descompacte o arquivo baixado usando os comandos abaixo:

unzip redmond.zip

Passo 4. Use o comando abaixo para copiar a pasta criada, para a pasta de temas do sistema:

sudo cp -a WinXP-themes-master/* /usr/share/themes/

Passo 5. Use a a ferramenta de definição de tema de sua distribuição para selecionar o tema do sistema.
Passo 6. Se depois você quiser excluir os temas, use o comando abaixo;

sudo rm -Rf /usr/share/themes/Windows*

Instalando o pacote de temas Redmond no Linux Mint, Ubuntu e derivados

Para instalar o pacote de temas Redmond no Linux Mint, Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, o pacote de temas Redmond usando o seguinte comando:

sudo apt-get install win-redmond-themes

Como instalar o pacote de temas Redmond manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Desinstalando o pacote de temas Redmond no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Para desinstalar o pacote de temas Redmond no Ubuntu, Linux Mint e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema pacote de temas Redmond, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove win-redmond-themes

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o uTorrent no Linux manualmente

Se você não quer usar os clientes de do Linux, então veja nesse tutorial como instalar o uTorrent no Linux manualmente, e faça downloads com o programa que você já está acostumado a usar.


Um dos gerenciadores de downloads mais famosos e usados por usuários do mundo inteiro, o uTorrent é um programa que utiliza o protocolo BitTorrent.Como instalar o uTorrent no Linux manualmenteComo instalar o uTorrent no Linux manualmente

Ele é leve e oferece ótimos recursos, como leitor de RSS e a possibilidade de instalar outros aplicativos no próprio software (algo semelhante às extensões), além de garantir velocidade na transferência de seus arquivos.

O uTorrent nativo para Linux é um aplicativo baseado na . E nesse tutorial, você verá como instalar o uTorrent no Linux manualmente, o que pode ser feito na maioria das distribuições. Confira!

Como instalar o uTorrent no Linux

Para instalar o uTorrent no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/utorrent*
sudo rm -Rf /usr/bin/utserver
sudo rm -Rf /usr/share/applications/utorrent.desktop

Passo 3. Abra o gerenciador de pacotes de sua distribuição (Central de programas, no caso do Ubuntu), procure e instale os pacotes “libssl0” para que o servidor do uTorrent funcione corretamente;

sudo apt-get install libssl0*

Passo 4. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 5. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. No exemplo, está sendo baixada a versão para o Ubuntu. Se o link estiver desatualizado ou você estiver usando outra distro, acesse essa página, baixe a última versão para a sua distribuição e salve-o com o nome utorrent.tar.gz:

wget http://download.ap.bittorrent.com/track/beta/endpoint/utserver/os/linux-i386-ubuntu-13-04 -O utserver.tar.gz

Passo 6. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. No exemplo, está sendo baixada a versão para o Ubuntu. Se o link estiver desatualizado ou você estiver usando outra distro, acesse essa página, baixe a última versão para a sua distribuição e salve-o com o nome utorrent.tar.gz:

wget http://download.ap.bittorrent.com/track/beta/endpoint/utserver/os/linux-x64-ubuntu-13-04 -O utserver.tar.gz

Passo . Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar xvf utserver.tar.gz -C /opt/

Passo 8. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/utorrent*/ /opt/utorrent

Passo 9. Baixe e salve o ícone do programa com esse comando;

sudo wget http://findicons.com/files/icons/2804/plex/256/utorrent.png -O /opt/utorrent/utorrent.png

Passo 10. Descompacte a interface web do programa com esse comando;

cd /opt/utorrent* && sudo unzip ./webui.zip

Passo 11. Em seguida, use o comando abaixo para ajustar as propriedades dos arquivos;

sudo chown -R root:root /opt/utorrent*

Passo 12. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=utorrent\n Exec=sudo /opt/utorrent/./utserver\n Icon=/opt/utorrent/utorrent.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/utorrent.desktop

Executando o uTorrent

Para iniciar o programa, digite sudo /opt/utorrent/./utserver & em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/utorrent.desktop
cp /usr/share/applications/utorrent.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/utorrent.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Acessando o uTorrent

Agora que o servidor do uTorrent já está ativo, abra um navegador e acesse o endereço “localhost:8080/gui”.

Para fazer login pela primeira vez, use o usuário admin, deixe a senha em branco e clique no botão “OK”. Ao entrar lembre-se de criar colocar uma senha.

Como instalar o uTorrent no Linux manualmente

Como remover o programa no Linux

Para remover o programa no Linux, basta fazer o seguinte:

sudo rm -Rf /opt/utorrent*
sudo rm -Rf /usr/bin/utserver
sudo rm -Rf /usr/share/applications/utorrent.desktop

Fonte

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo MMORPG Eternal Lands no Linux via Flatpak

Se você curte games RPG Multi-Player Massivo Online, conheça e veja como o jogo MMORPG no Linux via Flatpak.


Eternal Lands é um incrível MMORPG gráfico gratuito jogar em massa (multiplayer online role-playing game).Como instalar o jogo MMORPG Eternal Lands no Linux via FlatpakComo instalar o jogo MMORPG Eternal Lands no Linux via Flatpak

Esse jogo foi inventado por Radu Privantu e pode ser jogado em sistemas Windows, Android, Linux e Mac OS.

Diferente de outros RPGs, não há classes fixas, então você pode melhorar qualquer uma das muitas habilidades. Há uma escolha de várias corridas de personagem, mas todas são iguais.

O jogador é capaz de conversar em canais globais ou privados, pode guildas, explorar lugares e conversar com todos os outros jogadores via chat.

Dentre as criaturas do jogo estão animais, goblins, orcs, cyclopes, ogros, trolls, gárgulas, mortos-vivos e lobos.

Nele você pode lutar contra monstros e outros players, caçar animais e se juntar a grupo de amigos para permanecerem lutando juntos.

Invoque animais ou monstros para lutar por você ou se transforme num mago que utiliza magias mortais para combater seus oponentes ou salvar seus amigos.

Você também pode minerar e consiguir lingotes de ferro, aço e titânio para construir suas armaduras e armas. Plante flores e ervas para misturá-las e criar poções ou essências mágicas.

Como instalar o jogo MMORPG Eternal Lands no Linux via Flatpak

Como instalar o jogo MMORPG Eternal Lands no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo MMORPG Eternal Lands no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo MMORPG Eternal Lands no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.pjbroad.EternallandsClient.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.pjbroad.EternallandsClient

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.pjbroad.EternallandsClient

Ou

flatpak uninstall org.pjbroad.EternallandsClient

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.pjbroad.EternallandsClient em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite eternallandsclient ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

KDE Applications 18.08 lançado – Confira as atualizações e novidades

O projeto KDE anunciou o lançamento do KDE Applications 18.08 para o ambiente KDE Plasma, bem como para distribuições Linux que desejam usar os aplicativos do KDE.


Para desfrutar plenamente do ambiente KDE Plasma, os usuários precisam instalar vários aplicativos distribuídos como parte da iniciativa KDE Applications.KDE Applications 18.08 lançado - Confira as atualizações e novidadesKDE Applications 18.08 lançado – Confira as atualizações e novidades

Enfim, o KDE Applications é um conjunto de software de código aberto projetado como parte do ecossistema KDE, mas também pode ser usado independentemente em qualquer sistema operacional baseado em Linux.

Confira as novidades KDE Applications 18.08

Estando em desenvolvimento nos últimos meses, o KDE Applications 18.08 finalmente foi lançado e chegará aos repositórios de software de várias distribuições Linux populares durante os próximos dias.

Esta é uma versão principal e traz inúmeros novos recursos e melhorias em vários aplicativos, incluindo Dolphin, Konsole, Gwenview, KMail, Akonadi, Cantor, Spectacle e outros.

Sobre esse lançamento, o anúncio diz o seguinte:

“Trabalhamos continuamente para melhorar o software incluído em nossa série de aplicativos do KDE, e esperamos que você encontre todos os novos aprimoramentos e correções de erros úteis. Mais de 120 bugs foram resolvidos em aplicativos, incluindo o Kontact Suite, Ark, Cantor, Dolphin, Gwenview, Kate, Konsole, Okular, Spectacle, Umbrello e mais!”

Gwenview

A estrela deste lançamento é o Gwenview, visualizador de imagens e organizador do KDE, que recebeu dezenas de novos recursos e aprimoramentos.

Dentre esse recursos, vale citar o suporte para classificar imagens por avaliação (rating) e em ordem decrescente, melhor suporte a arrastar e soltar, um diálogo de redimensionamento de imagem revisado que agora permite aos usuários redimensionar imagens com base em porcentagem.

KDE Applications 18.08 lançado - Confira as atualizações e novidades

KDE Applications 18.08 lançado - Confira as atualizações e novidades

O Gwenview também recebeu melhorias para o controle deslizante de tamanho e o cursor em cruz da Red Eye Reduction, o suporte a SVG e uma nova opção “Nenhum” foram adicionados à seleção de fundo transparente.

Agora é possível ativar o zoom via rolagem, clique ou panning do mouse novamente, é possível alternar entre Ajustar zoom e zoom de 100% com o clique do meio do mouse.

KDE Applications 18.08 lançado - Confira as atualizações e novidades

Além disso, os usuários agora podem alternar o zoom de preenchimento com os atalhos de teclado Shift e clique botão do meio do mouse e Shift + F, bem como para ampliar mais rapidamente com o atalho Ctrl e clique.

Também foram melhoradas as transições de fade entre imagens, o suporte a SVG e outros componentes para tornar seu fluxo de trabalho ainda mais agradável.

Dolphin

O KDE Applications 18.08 também moderniza a caixa de diálogo Configurações do gerenciador de arquivos Dolphin, que agora é mais intuitivo e segue as diretrizes de design do desktop KDE Plasma, junto com melhor suporte para telas HiDPI, a capacidade de classificar e alterar o modo de visualização diretamente.

KDE Applications 18.08 lançado - Confira as atualizações e novidades

O Dolphin agora é 12 vezes mais rápido ao classificar os arquivos por data e hora modificadas, e permite que os usuários iniciem o gerenciador de arquivos quando estiverem logados como usuário root. Além disso, os itens de menu “Criar novo” foram removidos ao visualizar a lixeira e vários vazamentos de memória foram corrigidos.

Konsole

O aplicativo emulador de terminal Konsole recebeu suporte para seqüências de escape extras, incluindo DECSCUSR e XTerm Alternate Scroll Mode, a capacidade de atribuir qualquer caractere como uma tecla para um atalho, e o widget “Localizar” agora será exibido na parte superior da janela do terminal para não perturbar mais o seu fluxo de trabalho.

KDE Applications 18.08 lançado - Confira as atualizações e novidades

Kmail

O cliente de e-mail KMail agora possui um mecanismo aprimorado de extração de dados de viagens, suporte para códigos de barras UIC 918.3 e SNCF, suporte para procurar locais de estações de trem com tecnologia Wikidata, suporte a itinerários de múltiplos viajantes e integração com o KDE Itinerary.

KDE Applications 18.08 lançado - Confira as atualizações e novidades

Outra atualizações menores

A estrutura de gerenciamento de informações pessoais do Akonadi recebeu algumas melhorias de velocidade devido a cargas de notificação, bem como suporte XOAUTH para contas SMTP.

O frontend do Cantor para software matemático agora é capaz de salvar separadamente o status de painéis para cada sessão e cria sessões Julia muito mais rapidamente do que antes.

A ferramenta de captura de tela do Spectacle agora apresenta um modo aprimorado de Região retangular com um ampliador para que você possa desenhar com mais precisão um retângulo de seleção perfeito, a capacidade de mover e redimensionar o retângulo de seleção apenas o teclado e uma interface do usuário atualizada que segue a cor padrão esquema do sistema.

KDE Applications 18.08 lançado - Confira as atualizações e novidades

O Spectacle também facilita o compartilhamento de capturas de tela, copiando automaticamente links para imagens compartilhadas na área de transferência e agora salva automaticamente capturas de tela em subdiretórios especificados pelo usuário.

Além disso, o KDE Applications 18.08 melhorou a calculadora gráfica KAlgebra para dispositivos de toque e traz suporte para versões mais novas do GStreamer para o gravador de webcam Kamoso.

Tempo de vida do KDE Applications 18.08

A série KDE Applications 18.08 será suportada por cerca de três ou quatro meses, até o lançamento do pacote de aplicativos do KDE Applications 18.12 no final deste ano.

Ela receberá três atualizações de manutenção, iniciando com o KDE Applications 18.08.1 em 6 de setembro e continuando com o KDE Applications 18.08.2 em 11 de outubro e o KDE Applications 18.08.3 em 8 de novembro de 2018.

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Lançado oficialmente o Kernel GNU Linux-Libre 4.18, o kernel 100% livre

Alexandre Oliva anunciou o lançamento do kernel GNU Linux-libre para usuários de Linux que buscam 100% de liberdade para seus computadores pessoais.


Para quem ainda não conhece, o GNU Linux-libre é um kernel (núcleo) de sistema operacional e um pacote do Projeto GNU que é mantido a partir de versões modificadas do kernel Linux.Lançado oficialmente o Kernel GNU Linux-Libre 4.18, o kernel 100% livreLançado oficialmente o Kernel GNU Linux-Libre 4.18, o kernel 100% livre

O principal objetivo do projeto é remover do núcleo do Linux qualquer tipo de programa que não inclui seu código-fonte correspondente, tem seu código-fonte ofuscado ou que foi publicado sob uma licença privativa.

Essas partes que não apresentam código-fonte são denominadas “blobs binários” e são principalmente compostos de firmware privativo, que, ainda que em geral sejam redistribuíveis, não oferecem ao usuário a liberdade para modificar ou estudar seus componentes.

Lançado oficialmente o Kernel GNU Linux-Libre 4.18

Seguindo os passos da recém lançada série Linux 4.18, o kernel GNU Linux-libre 4.18 agora está disponível para aqueles que não querem executar nenhum firmware proprietário em seu sistema operacional baseado em Linux ou no sistema operacional GNU.

Incluindo praticamente os mesmos novos recursos e aprimoramentos do kernel 4.18 do Linux, o kernel GNU Linux-libre 4.18 limpa os novos drivers touchscreen psp-dev crypto e icn8505, remove o driver atom do isp e ajusta vários outros.

Além disso, os desenvolvedores também ajustaram o script de verificação deblob-check para pesquisar se algum componente, como algumas novas interfaces de carregamento de firmware, como firmware_request e firwmare_request_nowarn, estão procurando e solicitando software proprietário.

Sobre isso, Alexandre Oliva disse o seguinte:

“firwmare_request_nowarn é uma das novas interfaces, e quase parece que poderíamos usá-lo, já que ele não registra nenhum erro se o firmware não estiver lá, mas ele ainda procura e pede Software não-Livre, então eu decidi desativá-lo apenas como request_firmware.”

Um kernel para um sistema operacional 100% livre

Se você é uma daquelas pessoas que querem executar um sistema operacional 100% livre sob o capô de seus computadores pessoais, você pode fazer o download do kernel GNU Linux-libre 4.18 (links no anúncio) e compilá-lo para sua arquitetura de hardware e distribuição Linux favorita.

Mas você é livre para escolher o que usar

Mas se você não se importa se está executando código proprietário sob o capô do seu PC ou se você não tem escolha a não ser usar drivers não livres para o seu hardware, recomendamos baixar e instalar o kernel Linux 4.18.1 mais recente do kernel, usando o tutorial abaixo:

Lançado o kernel 4.18.1, a primeira atualização da série 4.18! Confira!

Independente do que você for usar, lembre-se de deixar a sua experiência nos comentários.

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Valve está trabalhando para executar jogos do Windows no Linux

Parece que a Valve está trabalhando executar jogos do no Linux. Confira os detalhes dessa incrível possibilidade.


O cliente Steam é o software da Valve que permite acessar e jogar no PC. Ele também fornece serviços como atualização automática de jogos aos usuários.Valve está trabalhando para executar jogos do Windows no LinuxValve está trabalhando para executar jogos do Windows no Linux

Apesar de tudo que ele oferece, infelizmente, ele ainda não permite executar todos os jogos Steam no Linux. É. Mas eu disse “ainda”.

Valve está trabalhando para executar jogos do Windows no Linux

Aparentemente a Valve está trabalhando nos bastidores para permitir que as ferramentas de compatibilidade de jogos Linux funcionem no Steam.

Essas ferramentas de compatibilidade permitem que os jogos desenvolvidos para o Windows funcionem no Linux, semelhante ao que a popular vem fazendo há anos no Linux e em outros sistemas operacionais baseados em Unix.

No início desta semana, cadeias de código foram descobertas pelo SteamDB no banco de dados do Steam.

O código parece estar referenciando um modo de compatibilidade ainda a ser revelado, completo com vários elementos da interface do usuário, um menu de configurações e o que parece ser a capacidade de forçá-lo.

O serviço é chamado Steam Play (via GamingOnLinux), com uma descrição que diz:

“O Steam Play instalará automaticamente ferramentas de compatibilidade que permitem que você jogue jogos de sua biblioteca que foram criados para outros sistemas operacionais.”

Curiosamente, a descrição de outra ferramenta explica que os usuários poderão selecionar uma ferramenta de compatibilidade para uso com jogos que não foram especificamente testados em sua plataforma específica, o que geralmente se refere a jogos do Windows que não incluem especificamente o suporte ao Linux.

Vale a pena notar que esses pacotes não fazem referência específica a nenhuma das outras ferramentas de compatibilidade conhecidas, como o Wine ou o DOSBox.

A Valve pode muito bem estar trabalhando em uma solução proprietária própria, o que faria sentido dado o nome.

O trabalho certamente está sendo feito em segundo plano, como você pode ver pelo número de atualizações dos Valve Compatibility Manifests for Beta Testing, mas a atualização mais recente ocorreu há quase dois meses, portanto talvez você não queira prender a respiração por um anúncio oficial.

Como o site observa, o cliente Linux da Steam atualmente não permite que os usuários lancem a ferramenta de compatibilidade do Linux Wine a partir do próprio cliente, então a próxima ferramenta pode ser uma forma de oferecer isso nativamente.

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como descobrir seu ip externo no Linux usando o terminal

Se por algum motivo você precisa saber a identificação do seu computador quando está conectado na Internet, veja como fazer descobrir seu ip no Linux usando o terminal.


No mundo das redes, há uma série de termos básicos que devemos conhecer. O conceito mais básico, mas ao mesmo tempo um dos mais importantes, é o endereço IP.Como descobrir seu ip externo no Linux usando o terminalComo descobrir seu ip externo no Linux usando o terminal

IP é o acrônimo do Internet Protocol, que foi desenvolvido como um ID único e numérico, e que é atribuído a um dispositivo conectado à rede, de forma estática e dinâmica.

Os dispositivos conectados à internet possuem 2 tipos de endereços IP:

  • IP privado: É um endereço usado na rede local ou rede privada com a qual podemos conectar computadores ou dispositivos dentro da mesma rede. Este endereço não é o que você vê na Internet.
  • IP público É o endereço que recebemos quando estamos online, que possui um servidor ou um serviço oferecido na .
  • Atualmente, todos os nossos dispositivos conectados à Internet possuem um IP, que é seu identificador dentro da grande rede.

    Embora possamos “esconder” nossa trilha através de um proxy ou uma conexão VPN, é através deste IP, que os serviços registram os movimentos que fazemos na web.

    Por conta disso e de outras necessidades especificas, as vezes, precisamos conhecer o endereço IP da nossa máquina ou do nosso roteador.

    Por esse motivo, neste tutorial você verá como descobrir seu ip externo no Linux usando o terminal.

    Como descobrir seu ip externo no Linux usando o terminal

    Antes de começar, saiba que é possível conhecer nosso endereço público na web consultando alguns serviços online como IPlocation, See my IP, Geoipview, Cual es mi IP, Cual es mi IP e vários outros.

    Mas se você quer simplificar isso usando a linha de comando, para descobrir seu ip externo no Linux usando o terminal, você pode usar uma das opções abaixo.

    Opção 1:

    Você pode obter a informação do ip externo no terminal usando o comando wget, que é um poderoso gerenciador de linha de comando que oferece suporte a vários protocolos como HTTP, HTTPS, FTP e alguns mais. Ele pode ser usado com de terceiros para ver o endereço IP público, executando qualquer um dos seguintes comandos:

    wget -qO- ifconfig.co/ip
    wget -qO- http://ipecho.net/plain

    Opção 2:

    Dig (informações de domínio groper) é uma criada para testar servidores de nomes DNS. Se você quiser verificar o endereço IP público, podemos usar a resolução do opendns.com executando o seguinte comando:

    dig +short myip.opendns.com @resolver1.opendns.com

    Também é possível usar o comando dig através do DNS, o seguinte comando no terminal:

    dig TXT +short o-o.myaddr.l.google.com @ns1.google.com

    Ambos os comandos dão o mesmo resultado, mas alguns usuários comentam que o DNS do Google é mais rápido, enquanto outros dizem que são mais lentos. Ao ter ambas as possibilidades, todos podem tomar sua própria decisão sobre o servidor DNS a ser usado.

    Opção 3: Host

    O comando host é um utilitário de linha de comando fácil de usar para realizar pesquisas de DNS. Com o seguinte comando, podemos ver o endereço público do sistema operacional:

    host myip.opendns.com resolver1.opendns.com | grep "myip.opendns.com has" | awk '{print $4}'

    Opção 4: Nslookup

    Nslookup é um programa usado para saber se o DNS está resolvendo nomes e IPs corretamente. Como quando usamos o comando dig, este comando pode ser usado combinado com o serviço opendns desse modo:

    nslookup myip.opendns.com resolver1.opendns.com

    E também podemos usar o DNS do Google, digitando:

    nslookup -querytype=TXT o-o.myaddr.l.google.com ns1.google.com

    Conhece alguma outra opção? Compartilhe nos comentários!

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux

    Se você curte o Tux, kart e quer se divertir no sistema do pinguim, conheça e veja como instalar o jogo de corrida no Linux.


    O SuperTuxKart é um jogo de corrida de kart open source inspirado no clássico da Nintendo, Mario Kart, com o Tux (o mascote do Linux) e amigos. É um jogo de pilotagem divertido, com foco na diversão e facilidade de jogar.Como instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no LinuxComo instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux

    Originalmente, ele foi lançado como uma versão aprimorada de TuxKart, mas com a entrada de novos personagens, acabou evoluindo um novo jogo.

    Para rodar o jogo, os desenvolvedores do SuperTuxKart recomendam que os usuários tenham pelo menos uma das placas gráficas abaixo, para poder rodar bem o jogo:

    • AMD Radeon HD 3650;
    • Intel HD Graphics 3000;
    • NVIDIA GeForce 8600.

    Como instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux

    Para instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux, você pode usar um dos procedimento abaixo. O primeiro é voltado apenas para o Ubuntu e derivados, e o segundo, permite instalar em qualquer distribuição.

    Preparando o sistema para instalar o jogo

    Antes de iniciar o procedimento de instalação do jogo, instale a biblioteca libopenal1, o aplicativo gerenciador de pacotes de seus sistema.

    Depois, use um dos procedimentos abaixo, conforme for a sua distribuição. O primeiro procedimento é especifico para o Ubuntu e derivados e o segundo, para a maioria das distros.

    Como instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux via Flatpak

    Para instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/net.supertuxkart.SuperTuxKart.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update net.supertuxkart.SuperTuxKart

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall net.supertuxkart.SuperTuxKart

    Ou

    flatpak uninstall net.supertuxkart.SuperTuxKart

    Como instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux Ubuntu e derivados

    Para instalar o programa no Ubuntu e derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:stk/dev

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install supertuxkart

    Passo 5. Para remover o jogo, use o gerenciador de pacotes do sistema ou execute o comando:

    sudo apt-get remove --autoremove supertuxkart

    Como instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux

    Para instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/supertuxkart*
    sudo rm -Rf /usr/bin/supertuxkart
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/supertuxkart.desktop

    Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome supertuxkart.tar.xz:

     https://ufpr.dl.sourceforge.net/project/supertuxkart/SuperTuxKart/0.9.3/supertuxkart-0.9.3-linux.tar.xz -O supertuxkart.tar.xz

    Passo 4. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo tar -xJvf supertuxkart.tar.xz -C /opt/

    Passo 5. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

    sudo mv /opt/supertuxkart*/ /opt/supertuxkart

    Passo 6. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -sf /opt/supertuxkart/run_game.sh /usr/bin/supertuxkart

    Passo 7. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=supertuxkart\n Exec=/opt/supertuxkart/run_game.sh\n Icon=/opt/supertuxkart/data/supertuxkart_128.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/supertuxkart.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite supertuxkart em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/supertuxkart.desktop
    cp /usr/share/applications/supertuxkart.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/supertuxkart.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:

    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como remover o programa no Linux

    Para remover o programa no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/supertuxkart*
    sudo rm -Rf /usr/bin/supertuxkart
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/supertuxkart.desktop

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux via Snap

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o Google Web Designer no Linux

    Se você desenvolve sites, instale e experimente o Web Designer, uma poderosa gratuita para criar páginas usando o padrão HTML5.


    Google Web Designer é um programa para a de sites e anúncios HTML5 para qualquer dispositivo.Como instalar o Google Web Designer no LinuxComo o Google Web Designer no Linux

    Usando ele, você pode criar conteúdo usando as ferramentas de desenho, texto, objetos 3D, adicionar animações e Google Fontes diretamente na interface Web Designer Google e muito mais.

    Como o próprio nome diz, o programa é desenvolvido pela Google. Ele está atualmente em beta e possui uma versão para Linux.

    De acordo com o site do aplicativo, as seguintes distribuições Linux são suportadas atualmente: Ubuntu, Debian, OpenSUSE e Fedora.

    Dentro da interface do programa você tem acesso a ferramentas de design como ferramenta de texto, ferramentas de caneta, e formas, bem como a integração de Web Fonts do Google.

    Com ele você pode adicionar funcionalidades ao projeto usando Web Components pré-programados. Os Componentes padrão incluem iFrame, mapas, área de tap, galeria de imagens, e YouTube.

    Além disso, cada componente informa automaticamente as métricas, sem a necessidade de codificação.

    Instalando o Google Web Designer no Linux

    Para instalar o Google Web Designer no Linux, basta acessar essa página e baixar o pacote de instalação para posteriormente executá-lo.

    ou siga um dos procedimentos abaixo.

    Como instalar o programa no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o programa no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome google-webdesigner.deb:

    wget https://dl.google.com/linux/direct/google-webdesigner_current_i386.deb -O google-webdesigner.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome google-webdesigner.deb:

    wget https://dl.google.com/linux/direct/google-webdesigner_current_amd64.deb -O google-webdesigner.deb

    Passo 5. Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i google-webdesigner.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove programa*

    Como instalar o programa no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

    Quem quiser instalar o programa no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome google-webdesigner.rpm:

    wget https://dl.google.com/linux/direct/google-webdesigner_current_i386.rpm -O google-webdesigner.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome google-webdesigner.rpm:

    wget https://dl.google.com/linux/direct/google-webdesigner_current_x86_64.rpm -O google-webdesigner.rpm

    Passo 5. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install google-webdesigner.rpm

    Passo 6. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall google-webdesigner.rpm

    ou

    sudo dnf install google-webdesigner.rpm

    Passo 7. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

    sudo rpm -i google-webdesigner.rpm

    Passo 8. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e google-webdesigner*

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o atalho dele ou digite google em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    16 de agosto de 2018

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Precisando gravar uma seleção de sua tela para uma imagem GIF animada? Então conheça e instale o Peek GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados.


    Peek é uma ferramenta de código aberto para Linux que oferece uma janela simples, que pode ser redimensionada para selecionar uma área de tela, e gravar imagens GIF animadas curtas.Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivadosComo instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Atualmente, apenas sistemas Linux com X11 é suportado. O programa também deve funcionar em outros sistemas baseados no Unix que usam X11. Como está no planejamento o suporte a Wayland, talvez ele funcione também em outros sistemas operacionais no futuro.

    Como instalar a versão estável do Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e seus derivados

    Para instalar a versão estável do Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:peek-developers/stable

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install peek

    Como instalar a versão de desenvolvimento do Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e seus derivados

    Para instalar a versão de desenvolvimento do Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:peek-developers/daily

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install peek

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e seus derivados

    Para instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e seus derivados, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome peek.deb:

    wget https://github.com/phw/peek/releases/download/v0.8.0/peek-0.8.0-Linux.deb -O peek.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i peek.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com os comandos:

    sudo apt install libsdl1.2debian ffmpeg libavdevice-ffmpeg56
    sudo apt-get install -f

    Usando o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e derivados

    Agora, quando quiser iniciar o programa, digite peek no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Depois de executá-lo, redimensione a janela do Peek para cobrir a área de tela a ser gravada, e clique no botão “Record” (gravar), para iniciar a gravação. Quando quiser finalizar, clique no botão correspondente (Stop).

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Uma vez que você parar a gravação, uma caixa de diálogo aparece e solicita que você dê um nome e selecione onde salvar a imagem GIF.

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Depois de salvar a imagem GIF, uma caixa de diálogo pop-up permite que você abra a pasta de arquivos rapidamente com a imagem GIF, clicando no botão “Show in file manager”.

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Desinstalando o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove peek*
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    Para instalar o Peek Animated GIF recorder em outras distribuições Linux, use esse outro tutorial:
    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Linux

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Previsão do tempo: Como instalar o My Weather Indicator no Ubuntu

    Ter a previsão do tempo sempre a vista é importante, por isso, para que você tenha ela no seu desktop, veja aqui como instalar o Weather Indicator no Ubuntu.


    My Weather Indicator é um applet Unity indicator desenvolvido pela equipe atareao. Ele exibe informações do tempo, previsão, evolução e previsão dos locais selecionados no painel do Ubuntu.Previsão do tempo: Como instalar o My Weather Indicator no UbuntuPrevisão do tempo: Como instalar o My Weather Indicator no Ubuntu

    Ele é um aplicativo e também um applet (ou widget) que permite acompanhar a previsão do tempo diretamente na área de trabalho da sua distribuição Linux, com suporte a serviços meteorológicos online como Yahoo, Open Weather Map, wunderground.com, World Weather.

    Se você quiser ter a previsão do tempo sem precisar instalar nada, veja este tutorial:
    Como verificar a previsão do tempo usando apenas um terminal e o cURL

    Como instalar o aplicativo de previsão do tempo My Weather Indicator no Ubuntu

    Para instalar o My Weather Indicator no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao 

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get 

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install my-weather-indicator

    Como instalar o My Weather Indicator manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Executando e configurando o My Weather Indicator

    Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:my, ou em terminal, seguido da tecla TAB.

    Na primeira vez que você executar o indicador, a janela de Preferências será aberta. Nela você poderá definir a sua localização, um segundo local, se o programa deverá exibir ou não o widget, a pele (skin) do widget, os serviços meteorológicos, as unidades de medida, a auto inicialização, a frequência de atualização, e muito mais.

    Previsão do tempo: Como instalar o My Weather Indicator no Ubuntu

    Finalmente, clique no botão “OK” e aproveite!

    Previsão do tempo: Como instalar o My Weather Indicator no Ubuntu

    Desinstalando o My Weather Indicator no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o My Weather Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao -r -y
    sudo apt-get remove my-weather-indicator --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o jogo de batalha de tanques BZFlag no Linux via Flatpak

    Se você curte games de guerra e disputa entre equipes, conheça e veja como instalar o jogo de de tanques BZFlag no Linux via Flatpak.


    BZFlag é um jogo de batalha de tanques multi-plataforma multi-jogador em rede 3D. Esse jogo pode ser executado no Windows, macOS, Linux, BSD e outras plataformas.Como instalar o jogo de batalha de tanques BZFlag no Linux via FlatpakComo instalar o jogo de batalha de tanques BZFlag no Linux via Flatpak

    Em um jogo de BZFlag, os jogadores dirigem tanques, vistos de uma visão em primeira pessoa, em um mundo definido pelo servidor (também conhecido como “mapa”), que pode ser modificado.

    Tanques têm a capacidade de conduzir através de outros tanques, mas não podem viajar através de edifícios ou outros objetos do mundo.

    O objetivo básico é destruir os tanques dos oponentes, que são tanques da cor de outra equipe.

    Como todos os jogadores podem ver a posição de todos os tanques em seus radares, é um jogo de manobra em vez de se esgueirar.

    Como instalar o jogo de batalha de tanques BZFlag no Linux via Flatpak

    BZFlag já foi um dos mais populares de todas as máquinas da Silicon Graphics e continua sendo desenvolvido e aprimorado até hoje.

    O BZFlag foi originalmente escrito em C por Chris Schoeneman (criador do Synergy) em 1992, baseado no jogo arcade de sucesso Battlezone.

    Inicialmente, o BZFlag era chamado de “bz” e apesar de sua semelhança com o jogo SGI do mesmo título de Chris Fouts, ambos os jogos eram completamente independentes um do outro.

    Originalmente, o BZFlag era simplesmente um jogo de tiro sem outros modos. No entanto, depois que Schoeneman e seu amigo Rick Pasetto (que ajudaram Schoeneman a desenvolver o BZFlag desde o início) ficaram entediados com o conceito, eles inventaram o modo de captura da bandeira.

    Esse novo modo acrescentou um requisito de estratégia, trabalho em equipe e habilidade, que foi suficiente manter o interesse.

    Como instalar o jogo de batalha de tanques BZFlag no Linux via Flatpak

    Para instalar o jogo de batalha de tanques BZFlag no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o jogo de batalha de tanques BZFlag no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um ;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.bzflag.BZFlag.flatpakref

    Passo 3. Para o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update org.bzflag.BZFlag

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall org.bzflag.BZFlag

    Ou

    flatpak uninstall org.bzflag.BZFlag

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.bzflag.BZFlag em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite bzflag ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o Batch Image Resizer e redimensionar várias imagens ao mesmo tempo

    Se você está precisando várias imagens ao mesmo e não quer perder , veja o Batch Image Resizer no Ubuntu e sistemas derivados.


    Quem lida com imagens em algum momento já passou por isso: um monte de imagens que precisam ficar do mesmo tamanho, mas você não quer (ou não é viável) ficar abrindo elas em um programa de edição apenas para redimensionar uma por uma.Como instalar o Batch Image Resizer e redimensionar várias imagens ao mesmo tempoComo instalar o Batch Image Resizer e redimensionar várias imagens ao mesmo tempo

    Felizmente, para esse problema já existe uma solução: Batch Image Resizer.

    Como o nome sugere, o BIR (Batch Image Resizer) é um aplicativo de código aberto e multiplataforma, que faz exatamente o que diz: redimensiona imagens em lote. Simples e fácil de usar, BIR é a ferramenta perfeita para redimensionar múltiplas imagens.

    Como instalar o Batch Image Resizer no Ubuntu

    Para instalar o Batch Image Resizer no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:dhor/myway

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install bir

    Como instalar o Batch Image Resizer manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome bir.deb:

    wget https://launchpad.net/~dhor/+archive/ubuntu/myway/+files/bir_2.0-2dhor~wily_i386.deb -O bir.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome bir.deb:

    wget https://launchpad.net/~dhor/+archive/ubuntu/myway/+files/bir_2.0-2dhor~wily_amd64.deb -O bir.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i bir.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite bir no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Como usar o Batch Image Resizer no Ubuntu e redimensionar várias imagens ao mesmo tempo

    Com o programa aberto, informe o pasta onde estão as imagens (1) e onde elas devem ser salvas (2), clicando no botão “Browse” de cada opção. Depois, confira a lista de arquivos (3) e escolha as configurações (4) de imagem (Image Settings) e arquivo (File Settings) e então clique no botão “Start”(5).

    Como instalar o Batch Image Resizer e redimensionar várias imagens ao mesmo tempo

    Desinstalando o Batch Image Resizer no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Batch Image Resizer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove bir --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Instale LAMP no Linux e tenha um servidor web no PC

    Se você está precisando testar sites em seu PC, uma boa opção para isso é o LAMP, melhor ainda, se você precisa instalar o LAMP no , veja como é fácil fazer isso.


    Abreviação de Linux, Apache, MySQL e , esse conjunto de programas colocam em seu PC com (L)inux um servidor web (A)pache, a linguagem de programação voltada para web (P)HP e o poderoso banco de dados (M)ySQL.Instale LAMP no Linux e tenha um servidor web no PCInstale LAMP no Linux e tenha um servidor web no PC

    Para que a instalação possa funcionar tanto no Ubuntu como nos outros derivados do Debian, o passo a passo será feito todo no terminal, acompanhe.

    Como instalar o LAMP no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Para instalar o LAMP no Linux Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Dentro do terminal do Ubuntu, digite o comando abaixo (Observe que o símbolo ^ não é um erro, o comando é assim mesmo). Depois de digitar o comando, pressione a tecla “enter”, e quando for solicitado, digite a senha e a tecla “enter” novamente. Após a listagem dos pacotes necessários, será perguntado se deseja realmente continuar a instalação. Para confirmar, digite “S” e tecle “enter”;

    sudo apt-get install lamp-server^

    Passo 3. Se você estiver usando Debian, use o comando abaixo;

    sudo apt-get install apache2 mysql-server php php-mysql libapache2-mod-php

    Passo 4. Na hora de instalar o MySQL será pedido para criar uma senha para o administrador do banco, digite-a tecle “enter”;

    Instale LAMP no Linux e tenha um servidor web no PC

    Passo 5. Na próxima será pedido para digitar novamente a senha, repita-a e tecle “enter”. Depois basta aguardar a finalização da instalação;

    Instale LAMP no Linux e tenha um servidor web no PC

    Passo 6. Se quiser instalar uma ótima ferramenta de administração para o MySQL, use o comando abaixo;

    sudo apt-get install phpmyadmin

    Passo 6. Se quiser instalar o WordPress, use o comando abaixo para adicionar os recursos que ele precisa;

    sudo apt-get install php-curl php-gd php-mbstring php-mcrypt php-xml php-xmlrpc

    Passo 7. Para saber como ficou a instalação é preciso criar uma página em PHP, para isso, no terminal digite o comando abaixo e e em seguida, tecle “enter”;

    echo "<?php phpinfo(); ?>" | sudo tee /var/www/test.php

    Em versões do ubuntu acima de 16.04 o padrão da página de teste muda para /var/www/html, ao invés de só /var/www/. portanto, ficando assim:

    echo "<?php phpinfo(); ?>" | sudo tee /var/www/html/test.php

    Passo 8. Reinicie o servidor apache digitando o comando abaixo e depois tecle “enter”;

    sudo /etc/init.d/apache2 restart

    Passo 9. Abra seu navegador favorito e na barra de endereço dele digite “http://localhost/test.php” (sem as aspas) e depois tecle “enter”. Serão mostradas todas as informações sobre a versão do PHP, MySQL e Apache que foram instalados.

    Instale LAMP no Linux e tenha um servidor web no PC

    Pronto! Com essa instalação, sempre que precisar, você já pode usar seu servidor web no PC.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

    Se você precisa um pen drive no Ubuntu com segurança (excluindo de um modo que os arquivos não possam mais ser recuperados), veja aqui como fazer isso no Ubuntu.


    No Ubuntu é possível formatar uma mídia de forma segura, impedindo que ninguém mais consiga recuperar os arquivos presentes nela.Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma seguraComo formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

    Mas antes de começar a fazer a formatação, tenha certeza que não precisará mais dos arquivos que estão nele, pois como já foi falado acima, a formatação será definitiva e depois de finalizar o processo, não terá mais como recuperá-los.

    Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

    Para formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura, faça o seguinte:

    Passo 1. Clique no Dash/Atividades e digite a palavra discos. Quando aparecer o item “Discos”, clique nele para executá-lo;

    Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

    Passo 2. Na tela do utilitário “Discos”, clique no ícone do pen drive que será formatado;

    Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

    Passo 3. Clique no ícone das engrenagens que fica no lado direito da janela do programa e no menu que aparece, clique na opção “Formatar”;

    Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

    Passo 4. Na janela de formatação, informe as opções a serem usadas no processo. Para formatar de forma segura (apagando definitivamente o conteúdo), selecione a opção “Sobrescrever dados existentes com zeros (Lento)” no campo “Apagar”. Em “Tipo”, selecione “Compatível com todos os sistemas e dispositivos (FAT)”, para evitar problemas ao usar o pen drive em diferentes equipamentos. Coloque um nome para o pen drive no campo “Nome” e em seguida, clique no botão “Formatar”;

    Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

    Passo 5. Será exibida uma tela de confirmação. Clique no botão “Formatar” para iniciar o processo;

    Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

    Passo 6. Aguarde até o processo finalizar.

    Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

    Agora seu pen drive está formatado e os antigos arquivos que estavam nele foram definitivamente apagados.

    Se tiver alguma dificuldade e quiser remover essa formatação posteriormente, utilize esse outro tutorial:
    Como reparar um pendrive corrompido ou defeituoso no Linux

    Aproveite, e comente como foi sua experiência. Todos podem aprender com ela.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Se você passa horas na frente do PC, precisa de algo para relaxar, e para ajudá-lo nisso, confira uma lista de para ouvir no Linux. Depois é só curtir.


    Existem milhares de rádios online. E o problema está exatamente em encontrar uma nesse grande variedade. Felizmente, existem que ajudam nisso e deixam muito mais fácil escolher e ouvir essas rádios, diretamente no PC.Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no LinuxConheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Mas ao contrário do que muitos vendem por por aí, o Linux possui boas opções de programas para ouvir rádios online. Por isso, criei essa lista para os usuários interessado em ouvir rádios online no Linux.

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    A lista abaixo inclui leitores de rádio de Internet leves, uma aplicação de desktopcompleto, um navegador de rádio de linha de comando e um player, bem como uma extensão para Shell com essa função. Confira os detalhes de cada programa e escolha aquele que serve para você.

    PyRadio

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    PyRadio é um reprodutor de rádio baseadas na internet que é executado no terminal. O software é implementado com Python e usa mplayer ou VLC, para reprodução de mídia.

    Então, se você quer curtir músicas e ainda aproveitar melhor os recursos do seu PC, você poder usar o PyRadio para ouvir rádios online no terminal.

    Como instalar o PyRadio

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Como ouvir rádios online no terminal com PyRadio


    Goodvibes

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Goodvibes é um leitor de rádios online (via Internet) para Linux, que oferece uma maneira simples de acessar e ouvir suas estações de rádio favoritas. Por baixo do capô, Goodvibes conta com bibliotecas abertas comprovadas e aprovadas: GLib no núcleo, GStreamer para lidar com o áudio e GTK+ para a interface gráfica do usuário.

    O player fornece tudo o que você pode esperar de um player de mídia moderno: suporte a teclas multimídia, a mpris2, notificações e inibição de ociosidade do PC. Ele pode ser iniciado com ou sem interface gráfica, pois vem com um cliente de linha de comando.

    Por baixo do capô, Goodvibes conta com bibliotecas abertas comprovadas e aprovadas: GLib no núcleo, GStreamer para lidar com o áudio, e GTK+ para a interface gráfica do usuário.

    Como instalar o Goodvibes

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Como instalar o app de rádios Goodvibes no Ubuntu, Mint, Debian e derivados


    Gradio

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Gradio não é “apenas mais um app de rádios”, é algo novo. O programa permite que os usuários possam encontrar estações de rádio, apenas digitando em sua caixa de pesquisa. Em seguida, já é possível ouvir uma rádio de internet, apenas clicando sobre ela.

    O Gradio permite que você encontre e reproduza estações de rádio online de um jeito simples, pois você não precisa lutar com arquivos .pls ou .m3u, você não precisa configurar o equipamento de varredura ou anexar uma antena DAB e, ao contrário de alguns aplicativos similares, você não precisará copiar e colar uma URL em uma caixa.

    Como instalar o Gradio

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Quer ouvir rádios online no Linux? Use o Gradio


    Radio Tray

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Radio Tray é um player de rádio de Internet minimalista, que fica na bandeja do (suporta o AppIndicator do Ubuntu). O aplicativo não é novo, mas é leve e um também excelente player de rádio .

    Ele vem com uma lista de estações de rádio incorporadas e permite que você adicione novas de um jeito fácil. Uma particularidade dele é que não há uma interface para o player atual: o aplicativo é controlado a partir da bandeja/AppIndicator ou usando as teclas de mídia do sistema.

    Como instalar o Radio Tray

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Ouça rádios online no Linux com Radio Tray e Radio Tray Lite


    Curseradio

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Curseradio é diferente de todas as outras opções desta lista: ele é um navegador de rádios online e reprodutor de linha de comando, que usa uma interface curses, e mpv para reprodução de áudio. A ferramenta faz uso do diretório TuneIn para obter sua lista de emissoras de rádio.

    Infelizmente, o Curseradio não suporta a adição de suas próprias estações de rádio. No entanto, a lista embutida é bastante extensa e fornece estações de rádio para qualquer gosto. Além disso, o diretório TuneIn que ele usa tem uma seção de rádio local, que tenta listar as estações de rádio com base em sua localização.

    Como instalar o Curseradio

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Como instalar o Curseradio no Ubuntu e derivados


    Radio Tray Lite

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Radio Tray Lite é um app que vem com uma lista de rádios e para adicionar novas estações de rádio, você deve editar um arquivo. Assim como a Rádio Tray, esta aplicação usa o GStreamer, por isso deve desempenhar a maioria dos formatos de mídia, no entanto, ele não possui alguns recursos disponíveis no Rádio Tray, como o suporte a plugins (portanto, nenhum suporte de mídia, etc.) ou uma interface para para adicionar novas estações de rádio.

    Como instalar o Radio Tray Lite

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Ouça rádios online no Linux com Radio Tray e Radio Tray Lite


    GNOME Shell Internet Radio

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    O GNOME Shell Internet Radio (ou GNOME Shell Extension Radio) é uma extensão simples para ouvir transmissões de rádio da Internet, que suporta o GNOME Shell 3.18, 3.20 e 3.22. Ele não é um aplicativo autônomo de rádios, mas sim uma extensão, que basicamente fornece para o GNOME Shell o equivalente a essa função.

    A extensão é fornecida apenas com 4 estações de rádio da Internet por padrão, mas fornece uma pesquisa embutida para o diretório de rádio “radio-browser.info”, para que você possa facilmente adicionar novas estações de rádio a partir da interface de usuário da extensão. Você também pode adicionar suas próprias estações de rádio:

    Como instalar o GNOME Shell Internet Radio

    Para instalar esse aplicativo no Linux, basta estar no Gnome Shell e acessar a página da extensão a partir do diretório Extensões do GNOME.


    Não encontrou seu aplicativo para ouvir rádios online no Linux na lista? Coloque o nome dele nos comentários e ele aparecerá. Essa lista será atualizada e republicada, sempre que houver uma novidade. Fique de olho!

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Lançado GNOME 3.30 Beta 2 – Confira as novidades e ajude a testar

    O Projeto GNOME anunciou o lançamento do GNOME 3.30 beta 2, preparando para a versão final que está com lançamento previsto para o começo do mês de setembro.


    No dia 15 de agosto de 2018, o Projeto GNOME comemorou o 21º aniversário desde que Miguel de Icaza e Federico Mena Quintero fundaram a organização sem fins lucrativos.Lançado GNOME 3.30 Beta 2 – Confira as novidades e ajude a testarLançado GNOME 3.30 Beta 2 – Confira as novidades e ajude a testar

    A ideia inical do projeto era uma tentativa de criar um ambiente de desktop alternativo para o KDE e outros projetos similares de software livre para sistemas operacionais baseados em Linux.

    Lançado GNOME 3.30 Beta 2 – Confira as novidades e ajude a testar

    Agora, apenas duas semanas depois do lançamento do primeiro beta, o altamente antecipado ambiente de desktop GNOME 3.30 recebeu uma segunda versão beta.

    Esta versão beta 2 é o GNOME 3.29.91 e marca o estágio Software String Freeze no ciclo de desenvolvimento.

    Mas não parece que foi um lançamento fácil para o GNOME Release Team, já que Michael Catanzaro relata falhas de compilação para vários componentes, incluindo o GNOME Boxes, que não foi feito para este segundo lançamento beta.

    Como consequência, vários componentes não foram atualizados nesta versão beta 2.

    Falando em nome da equipe de lançamento do GNOME, Michael Catanzaro disse o seguinte:

    “Algumas notas informais. Primeiro, isso foi muito difícil. Muitas falhas de compilação. Eu acabei rebaixando vários módulos, acabei de remover as caixas-gnome em vez de lutar para fazê-lo construir. Em segundo lugar, esta versão marca o início do congelamento da string de software.”

    Para evitar que o processo de lançamento do ambiente de desktop GNOME 3.30 seja mais difícil, os desenvolvedores são encorajados a enviar novos tarballs dos componentes que eles mantêm, se uma correção estiver disponível no Git para resolver qualquer falha de compilação.

    Para ver quais componentes conseguiram passar por essa segunda versão beta, confira o arquivo das novidades do GNOME 3.29.91.

    Cronograma do GNOME 3.30

    O ciclo de desenvolvimento do ambiente de desktop GNOME 3.30 continuará com o marco Release Candidate (RC), GNOME 3.29.92, que deve chegar no final deste mês, no dia 29 de agosto.

    Depois disso, a versão final da área de trabalho GNOME 3.30 ambiente será lançado oficialmente em 5 de setembro de 2018.

    Até lá, se você quiser testar o GNOME 3.30 beta 2 na sua distribuição Linux favorita, pode usar o snapshot oficial do projeto BuildStream, compilar o código fonte ou usar a versão pré-compilada como através deste repositório.

    No entanto, tenha em mente que este é um software beta, portanto, não o instale em um ambiente de produção.

    Para finalizar: Feliz aniversário de 21 anos a todos do projeto GNOME!

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Lançadas correções para falhas Foreshadow para Ubuntu, Debian, RHEL e CentOS

    Foram lançadas para falhas Foreshadow para Ubuntu, Debian, RHEL e CentOS. Confira os detalhes e prepare-se para atualizar seus sistemas.


    As ameaças digitais nunca acabam. Todo dia surge uma nova e é preciso ficar de olho nelas para não correr o risco de deixar o seu PC vulnerável.Lançadas correções para falhas Foreshadow para Ubuntu, Debian, RHEL e CentOSLançadas correções para falhas Foreshadow para Ubuntu, Debian, RHEL e CentOS

    Recentemente, foram descobertas novas falhas semelhantes a Specter que afetam novamente os processadores Intel . Elas são chamadas de L1 Fault (L1TF) ou Foreshadow.

    Lançadas correções para falhas Foreshadow para Ubuntu, Debian, RHEL e CentOS

    Felizmente, os patches para essas falhas estão disponíveis para os mais populares sistemas operacionais baseados em Linux.

    Tanto a Canonical quanto a Red Hat enviaram um e-mail com relação à vulnerabilidade de segurança L1 Terminal Fault, documentada como CVE-2018-3620 para sistemas operacionais e SMM (System Management Mode), CVE-2018-3646 para impactos na virtualização, bem como CVE-2018-3615 para Intel Software Guard Extensions (Intel SGX).

    Essas afetam todos os sistemas operacionais e máquinas baseados em Linux com processadores Intel.

    O aviso de segurança do Ubuntu diz o seguinte:

    “Descobriu-se que a memória presente no cache de dados L1 de um núcleo de CPU Intel pode ser exposta a um processo malicioso que está sendo executado no núcleo da CPU. Essa vulnerabilidade também é conhecida como L1TF (L1 Terminal Fault). A máquina virtual convidada pode usar isso para expor informações confidenciais (memória de outros convidados ou do sistema operacional host).”

    Além da falha L1 Terminal Fault, as novas atualizações de kernel também corrigem uma vulnerabilidade de segurança (CVE-2018-5391) descoberta por Juha-Matti Tilli na implementação IP do kernel do Linux, que realizou operações dispendiosas em situações durante o tratamento de fragmentos de pacotes de entrada, permitindo assim que atacantes remotos causem uma negação de serviço.

    Sobre isso, o aviso de segurança do Debian diz o seguinte:

    “Isso é corrigido pela redução dos limites padrão de uso de memória para pacotes fragmentados incompletos. A mesma atenuação pode ser obtida sem a necessidade de reinicialização, definindo-se os sysctls: net.ipv4.ipfrag_high_thresh = 262144 / net.ipv6.ip6frag_high_thresh = 262144 / net.ipv4.ipfrag_low_thresh = 196608 / net.ipv6.ip6frag_low_thresh = 196608.”

    Como proteger o seu computador contra a vulnerabilidade do Foreshadow

    Proteger seu computador contra a vulnerabilidade Foreshadow (L1 Terminal Fault) é importante, e os kernels corrigidos agora estão disponíveis para o Ubuntu (18.04, 16.04, 14.04 e 12.04 ESM), Debian 9 Stretch do Debian, Red Hat Enterprise Linux 6, Red Hat Enterprise Linux 7, CentOS Linux 6 e CentOS Linux 7.

    Todos os usuários desses sistemas operacionais ou outras distribuições Linux baseadas neles são encorajados a atualizar suas instalações o mais rápido possível.

    Certifique-se de a versão mais recente do kernel para o seu sistema operacional Linux e depois reinicie o computador para que o patch seja ativado.

    Além disso, verifique se você está executando a atualização de firmware de microcódigo mais recente para o seu processador Intel.

    Resumindo, basta atualizar seus sistemas e ele estará protegido das falhas Foreshadow.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como gerenciar senhas no terminal Linux com o Pass

    Se você procura por uma ferramenta simples para armazenar senha, conheça e veja como gerenciar senhas no terminal Linux com o Pass.


    O Pass é um aplicativo de gerenciamento de senha baseado em linha de comando, ou seja, usando apenas o terminal.Como gerenciar senhas no terminal Linux com o PassComo gerenciar senhas no terminal Linux com o Pass

    O Pass implementa a filosofia do Unix salvando senhas em arquivos de GPG criptografados, que podem ser organizados em várias hierarquias de pastas, transferidos entre computadores e manipulados usando utilitários de gerenciamento de arquivos de linha de comando padrão.

    Ele segue a premissa de que o gerenciamento de senhas deveria ser algo simples. Com Pass, cada senha vive dentro de um arquivo criptografado gpg cujo nome de arquivo é o título do site ou recurso que requer a senha.

    Esses arquivos criptografados podem ser organizados em hierarquias de pastas significativas, copiadas de computador para computador e, em geral, manipuladas usando utilitários de gerenciamento de arquivos de linha de comando padrão.

    Pass, sendo, em última instância, um script bash, faz uso de alguns Python e Ruby para, por exemplo, realizar tarefas como as importações de senha de outros gerenciadores de senha. Ele salva suas senhas em uma pasta .password-store, escondida em seu diretório pessoal.

    Principais características do Pass:

    • Autocompletar do Bash;
    • Possui clientes impressionantes, incluindo interfaces gráficas multi-plataforma para outras plataformas, clientes para Windows, Android, iOS, uma extensão do Firefox, uma UI de interface interativa e etc.;
    • Integração Git;
    • Suporte para extensões;
    • Permite importar senhas de outros gerenciadores de senhas incluindo LastPass, KeepassX, Keepass2 CSV e XML, CVS, 1Password e KWallet;
    • Geração de senha;
    • Uma documentação abrangente em sua página de manual.

    Como gerenciar senhas no terminal Linux com o Pass

    Para gerenciar senhas no terminal Linux com o Pass, primeiramente você precisa instalar ele, o que é simples. Veja abaixo como fazer isso, e depois, como usá-lo.

    o Pass

    Para instalar o Pass no Linux, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Para instalar o Pass no Debian, Ubuntu e derivados, use esse comando;

    sudo apt-get install pass

    Passo 3. Para instalar o Pass no Fedora, RHEL, CentOS e derivados, use esse comando;

    sudo yum install pass

    ou

    sudo dnf install pass

    Passo 4. Para instalar o Pass no OpenSuse e derivados, use esse comando;

    sudo zypper install pass

    Passo 5. Em seguida, inicialize o armazenamento de senhas com este comando;

    pass init GPG_ID_OU_EMAIL

    Nesse último comando, GPG_ID_OU_EMAIL é o ID da sua chave GPG de código hexadecimal de oito dígitos ou o endereço de e-mail que você usou para criar a chave GPG.
    Se necessário, você sempre pode rever as duas chaves usando o comando: “gpg -list-secret-keys”.

    Usando o Pass

    Agora que o programa já está instalado, é hora de começar a usá-lo:

    Passo 1. Use o comando abaixo para adicionar uma nova senha, por exemplo, para edivaldobrito.com na pasta “iniciante”:

    pass insert iniciante/edivaldobrito.com

    Passo 2. Para listar todas as suas senhas em uma exibição em árvore, use o comando a seguir;

    pass

    Passo 3. Você pode mostrar a senha usando o seguinte comando;

    pass iniciante/edivaldobrito.com

    Passo 4. Você pode copiar a senha para a área de transferência com o comando:

    pass -c iniciante/edivaldobrito.com

    Passo 5. Para editar uma senha existente, use o comando abaixo:

    pass edit iniciante/edivaldobrito.com

    Você será solicitado a inserir sua senha GPG e, depois disso, você pode editar a senha armazenada ou outras informações para o arquivo.

    Gostou do aplicativo? Então compartilhe a sua experiência nos comentários!

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o jogo TuxPuck no Linux via Flatpak

    Jogos antigos são uma febre, e se você gosta de jogos no estilo Shufflepuck de 1988, conheça e veja como instalar o jogo TuxPuck no Linux via .


    TuxPuck é um jogo de hóquei e clone do jogo Shufflepuck Café do Amiga/Atari ST. Segundo a descrição do projeto, o jogo é escrito em C, usando SDL.Como instalar o jogo TuxPuck no Linux via FlatpakComo instalar o jogo TuxPuck no Linux via Flatpak

    O TuxPuck foi desenvolvido por Jacob “noork” Kroon entre 2000 e 2002. Atualmente, ele é mantido pelo Debian Games Team.

    Existem dois modos de jogo: O jogador pode competir contra o Tux o o personagem Arcana. O jogo é controlado através do mouse do computador.

    O bastão no campo de jogo salta um disco de hóquei entre o jogador e o oponente. Quando um dos jogadores consegue bater ou rebater o disco após a defesa do oponente e este errar, o jogador marca. Depois que qualquer das partes atingir os 15 pontos, a partida finaliza.

    Como instalar o jogo TuxPuck no Linux via Flatpak

    Para instalar o jogo TuxPuck no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu . Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o jogo TuxPuck no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.debian.TuxPuck.flatpakref

    Passo 3. Para o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update org.debian.TuxPuck

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall org.debian.TuxPuck

    Ou

    flatpak uninstall org.debian.TuxPuck

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.debian.TuxPuck em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite tuxpuck ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    De olho no tempo – instale o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados

    Quer ficar de olho no tempo a partir do seu desktop? Então veja o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e sistemas derivados.


    Stormcloud, era um elegante aplicativo de tempo para desktop que foi abandonado por seu criador, e que felizmente, agora está sendo ressuscitado. Seu novo nome é Cumulus.De olho no tempo - instale o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivadosDe olho no tempo – instale o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados

    Na prática, Cumulus é um fork do Typhoon que é uma versão comunitária bifurcada (fork) do Stormcloud 1.1. Como o Typhoon não está em desenvolvimento ativo, Daryl Bennett ressuscitou o aplicativo de tempo com a ajuda do desenvolvedor do Typhoon em seu tempo livre, e o chamou de Cumulus.

    Cumulus já está disponível para download e, sem choque, ele funciona exatamente como os seus antecessores. É uma aplicação do tempo simples, com uma estética limpa. Previsões são alimentadas pela mais recente API Yahoo! Weather.

    E se você nunca experimentou o Stormcloud ou Typhoon, você terá uma surpresa. Cumulus é tão fácil de usar quanto seus antecessores.

    Ele tem um design arrojado, limpo, faz uso pesado de ícones simbólicos de tempo, exibe velocidade do vento e umidade, e coloca uma previsão de 5 dias com temperaturas máximas e mínimas.

    Para configurar o aplicativo, basta executá-lo e abrir seu painel de configuração, e configurá-lo ao seu gosto. Lá você pode:

    • Definir um local;
    • Escolher a temperatura (Celsius, Fahrenheit, ou kelvin);
    • Escolher a unidade de velocidade do vento (milhas por hora, quilômetros por hora ou metros por segundo);Escolher o emblema de alternância do Lançador do Unity;
    • Definir uma cor de fundo personalizada;
    • Ajustar a opacidade.

      De olho no tempo - instale o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados

    Como instalar o Cumulus Weather no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o Cumulus Weather no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome cumulus.deb:

    wget https://github.com/kd8bny/cumulus/releases/download/v1.0.0/cumulus_1.0.0_amd64.deb -O cumulus.deb

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i cumulus.deb

    Passo 5. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 6. Se você tiver problemas ao executivo o aplicativo, use o comando a seguir para instalar o gir1.2-webkit-3.0:

    sudo apt install gir1.2-webkit-3.0

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite cumulus no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados

    Para desinstalar o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove cumulus* --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o conjunto de ferramentas MKVToolNix no Linux via Flatpak

    Se você precisa manipular ou arquivos no formato Matroska (.mkv), veja como a última versão do MKVToolNix no Linux via .


    MKVToolnix é um conjunto de ferramentas que permite criar, alterar e reproduzir arquivos Matroska no Linux, Unix e .Como instalar o conjunto de ferramentas MKVToolNix no Linux via FlatpakComo instalar o conjunto de ferramentas MKVToolNix no Linux via Flatpak

    Com esse aplicativo é possível obter informações sobre arquivos Matroska (mkvinfo), extrair faixas/dados de arquivos de Matroska (mkvextract) e criar (mkvmerge) arquivos Matroska, a partir de outros arquivos de mídia.

    O MKVToolnix também permite que você edite as tags e nomes das faixas, também é usado alterar a relação de aspecto de arquivos de vídeo, exibir a largura e altura e etc.

    Como instalar o MKVToolNix no Linux via Flatpak

    Para instalar o MKVToolNix no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o MKVToolNix no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.bunkus.mkvtoolnix-gui.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update org.bunkus.mkvtoolnix-gui

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall org.bunkus.mkvtoolnix-gui

    Ou

    flatpak uninstall org.bunkus.mkvtoolnix-gui

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.bunkus.mkvtoolnix-gui em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mkvtoolnix ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o MKVToolNix no Linux via Snap
    Instale a última versão do MKVToolNix no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o gerador de apresentações AnimationMaker no Linux via Snap

    Se você precisa criar apresentações animadas, conheça e veja como instalar o de apresentações AnimationMaker no Linux via Snap.


    AnimationMaker é um software projetado para ajudá-lo a construir rapidamente de apresentação que você pode enviar para o youtube ou vimeo.Como instalar o gerador de apresentações AnimationMaker no Linux via SnapComo instalar o gerador de apresentações AnimationMaker no Linux via Snap

    Esses vídeos de apresentação podem ser usados como vídeos de pitch para campanhas de crowdfunding, por exemplo.

    Além disso, você pode criar vídeos de apresentação simples e atraentes e usá-los para criar campanhas de crowdfunding para seu produto ou projeto. Também é possível criar gifs animados.

    De acordo com o desenvolvedor, a ideia para o AnimationMaker vem do Adobe Edge, que não está mais disponível.

    Para aqueles que já experimentaram outros vários softwares de apresentação de vídeo animados, essa é uma ferramenta mais promissora devido à sua simplicidade para ajudá-lo a fazer uma rápida apresentação animada.

    [embedded content]

    Como instalar a versão mais recente do gerador de apresentações AnimationMaker no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para instalar o gerador de apresentações AnimationMaker no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu . Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o gerador de apresentações AnimationMaker no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

    sudo snap install animationmaker

    Passo 5. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

    sudo snap install animationmaker --candidate

    Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

    sudo snap refresh animationmaker

    Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove animationmaker

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite animationmaker ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como mudar o terminal padrão do Ubuntu 18.04 e derivados

    Se você não gosta do terminal que é usado pelo sistema da Canonical, veja como o terminal do Ubuntu 18.04 e derivados.


    O terminal é um dos poucos que sempre encontramos em uma distribuição Linux. Ou seja, não importa qual a sua distro favorita, sempre haverá um terminal para você usar.Como mudar o terminal padrão do Ubuntu 18.04 e derivadosComo mudar o terminal padrão do Ubuntu 18.04 e derivados

    Mas apesar disso, ele nem sempre é o mesmo. Acontece que, embora ele seja o coração da distribuição, o terminal pode ser personalizado, e você pode até escolher entre diferentes tipos de terminais.

    O Ubuntu, por exemplo, não tem um terminal específico por padrão. As vezes ele tem o Gnome Terminal, outras vezes ele tem o xterm e até mesmo em alguns sabores é usado o Konsole ou o Lxterm.

    Atualmente, o Ubuntu usa o Gnome Terminal como ele vem com o Gnome, mas isso não significa que não possamos mudá-lo.

    A seguir, você verá como alterar o terminal padrão do Ubuntu 18.04.

    Como mudar o terminal padrão do Ubuntu 18.04 e derivados

    Se quisermos escolher um terminal diferente, devemos primeiro instalar esse terminal.

    Você pode encontrar alguns terminais, como o Terminus e Termius, mas há muitos mais.

    Depois de instalar o novo terminal, é hora de marcá-lo como o terminal padrão para o Ubuntu usar sempre que abrirmos um terminal ou executar algo via terminal.

    Para fazer isso, você precisa apenas abrir o terminal e executar o seguinte comando:

    sudo -alternatives --config x-terminal-emulator

    O comando acima mostrará uma lista dos aplicativos de terminal que existem em nosso sistema. O terminal que estamos usando no momento será marcado com um asterisco.

    Agora, para alterar o terminal, precisamos inserir o número do terminal e pressionar a tecla enter.

    Como mudar o terminal padrão do Ubuntu 18.04 e derivados

    Uma vez que tenhamos feito isso, o terminal nos mostrará uma mensagem dizendo que as mudanças foram feitas corretamente.

    O processo é simples, embora possa falhar ou as alterações podem não ser salvas. Por esse motivo, devemos sempre ter certeza de que o asterisco foi corretamente marcado, nesse caso, basta reexecutar o código anterior e verificar o terminal por padrão.

    Agora, basta fechar a sessão, fazer login novamente e você verá que o Ubuntu começou a usar o terminal que foi marcado como padrão.

    Vale lembrar que o procedimento acima também funciona no Debian e em qualquer distribuição derivada dele.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Lançado o kernel 4.18.1, a primeira atualização da série 4.18! Confira!

    Mal terminei de publicar um tutorial sobre como o kernel 4.18 e já saiu uma atualização, o kernel . Confira as novidades e veja como atualizar.


    O kernel, é basicamente, o coração de um sistema Linux, ou o núcleo do sistema e que o torna o que ele é.Lançado o kernel 4.18.1, a primeira atualização da série 4.18! Confira! Lançado o kernel 4.18.1, a primeira atualização da série 4.18! Confira!

    Por ser um pouco mais técnico, pode-se dizer que o Kernel é o principal responsável por oferecer os diferentes programas com acesso seguro ao hardware do computador ou, de forma básica, é responsável pelo gerenciamento dos recursos, através dos serviços de chamadas do sistema.

    Entre as funções básicas e gerais de um kernel, temos:

    • A comunicação entre os programas que solicitam recursos e o hardware.
    • Gestão dos diferentes programas de computador (tarefas) de uma máquina.
    • Gerenciamento de hardware (memória, processador, periférico, armazenamento, etc.)

    No Linux, o kernel é chamado Linux e seu desenvolvimento é mantido pela grande comunidade de desenvolvedores de todo o mundo, que fornecem valiosas linhas de código a partir de seu tempo livre ou para o trabalho.

    Lançado o kernel 4.18.1, a primeira atualização da série 4.18

    Apenas alguns dias após o lançamento da série de kernel 4.18 do Linux, o desenvolvedor e mantenedor do kernel Linux, Greg Kroah-Hartman, anunciou a disponibilidade da primeira versão pontual, o kernel Linux 4.18.1.

    O kernel Linux 4.18 foi lançado no domingo, 12 de agosto de 2018, por Linus Torvalds, e atualmente é a série de kernel mais avançada disponível para sistemas operacionais baseados em Linux.

    O primeiro “point release”, o Linux 4.18.1, está agora disponível, o que marca a série de kernel do Linux 4.18 como estável e pronta para implementações em massa.

    Todos os fornecedores de SO Linux agora são encorajados a adotar a mais recente série de kernel do Linux 4.18 para seus sistemas operacionais em arquiteturas suportadas, pois ele traz vários novos recursos, melhorias e drivers para melhor suporte de hardware.

    anúncio na lista de discussão, Greg Kroah-Hartman disse o seguinte:

    “Estou anunciando o lançamento do kernel 4.18.1. Todos os usuários da série 4.18 do kernel devem atualizar. A árvore atualizada do 4.18.y git pode ser visualizada em um navegador web normal no kernel.org: http://git.kernel.org/?p=linux/kernel/git/stable/linux-stable.git;a=summary”

    Como mencionado anteriormente, a série de kernel do Linux 4.18 vem com vários novos recursos e melhorias, dentre os quais podemos mencionar correções para Spectre Variant 1 e 2 para a arquitetura ARM de 32 bits, bem como mitigações do Specter Variant 4 para o ARM64 (AArch64 ) e arquiteturas ARMv8.

    Ele também possui um compilador just-in-time para programas eBPF na arquitetura de 32 bits (), suporte a descarte aprimorado para o sistema de arquivos F2FS (Flash-Friendly File System), suporte oficial para o processador móvel Qualcomm Snapdragon 845 ARM, e melhor suporte para conexões USB Type-C e USB 3.2.

    O suporte inicial para as próximas unidades de processamento gráfico Radeon Vega 20 também está disponível no kernel do Linux 4.18, junto com inúmeros drivers novos e atualizados, rede atualizada e pilhas de som, e muito mais.

    O kernel Linux 4.18.1 sozinho altera um total de 74 arquivos, com 2211 inserções e 299 exclusões, portanto, atualize o mais rápido possível.

    Para ver todas as mudanças presentes nesse kernel, acesse a nota de lançamento.

    Como atualizar o núcleo do Linux para o kernel 4.18.1

    O Linux 4.18.1 chegará em breve aos repositórios estáveis ​​da sua distro favorita. Aqueles que estiverem ansiosos para instalar o kernel 4.18.1 em seu sistema, podem usar as instruções abaixo para atualizar antecipadamente.

    Como atualizar o núcleo do Linux para o kernel 4.18.1 no Ubuntu e derivados usando um aplicativo

    Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.18.1

    Se preferir, é possível fazer a atualização para esse kernel usando a ferramenta Ubuntu Kernel Utilit, que automatiza todo o processo, conforme mostrado nesse tutorial:

    Como atualizar o kernel do Ubuntu com o Kernel Update Utility

    Como atualizar o núcleo do Linux para o kernel 4.18.1 em outras distribuições

    Se você usa um sistema baseado no RedHat ou derivados, veja como atualizar para esse kernel usando esse tutorial:

    Como instalar o Kernel 4.x nos sistemas baseados em RPM

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o Playonlinux no Linux manualmente

    Se você está precisando executar alguma aplicação ou jogo do Windows no Linux e não quer complicação, veja como fazer para instalar o Playonlinux no Linux manualmente.


    Ainda que alguns e jogos do Windows já sejam compatíveis com o Linux, existem muitos deles que só funcionam no Windows. Para esses, o Wine é a solução.Como instalar o Playonlinux no Linux manualmenteComo instalar o Playonlinux no Linux manualmente

    O Wine é um software livre que tem como objetivo permitir que os aplicativos desenvolvidos para o Windows possam ser executados no Linux, Mac, FreeBSD e Solaris.

    Já o PlayOnLinux é uma interface simplificada para o Wine que traz uma solução gratuita, acessível e eficiente para este problema, pois ele permite que você e use facilmente inúmeros aplicativos e jogos projetados para funcionar apenas no Microsoft Windows.

    A boa notícia é que para usá-lo, você não precisa possuir uma licença do Windows.

    Obviamente, nem todos os aplicativos e jogos são suportados, entretanto, você pode usar o módulo de instalação manual para tentar resolver isso.

    Para conhecer os aplicativos e jogos projetados para funcionar com o Microsoft Windows que funcionam no PlayOnLinux, consulte essa lista.

    Como instalar o Playonlinux no Linux manualmente

    Para instalar o Playonlinux no Linux manualmente, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/playonlinux*
    sudo rm -Rf /usr/bin/playonlinux
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/playonlinux.desktop

    Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome programa.tar.bz2:

    wget https://www.playonlinux.com/script_files/PlayOnLinux/4.2.12/PlayOnLinux_4.2.12.tar.gz -O playonlinux.tar.gz

    Passo 4. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    tar xvzf playonlinux.tar.gz -C /opt/

    Passo 5. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -sf /opt/playonlinux/playonlinux /usr/bin/playonlinux

    Passo 6. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=playonlinux\n Exec=/opt/playonlinux/playonlinux\n Icon=/opt/playonlinux/resources/images/configure/winecfg.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/playonlinux.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite playonlinux em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/playonlinux.desktop
    cp /usr/share/applications/playonlinux.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/playonlinux.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como remover o programa no Linux

    Para remover o programa no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando:

    sudo rm -Rf /opt/playonlinux*
    sudo rm -Rf /usr/bin/playonlinux
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/playonlinux.desktop

    Veja também

    Se você usa o Ubuntu (ou um derivado dele), também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o Playonlinux no Ubuntu e derivados

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como gravar vídeos com uma antiga DSLR Canon no Ubuntu

    Se você quer fazer vídeos usando aquela sua câmera meio ultrapassada, veja como gravar vídeos com uma no Ubuntu, usando o software EOS-MovRec.


    Se a sua antiga Canon DSLR não tem recurso de gravação de vídeo, mas você ainda quer fazer um (até para dar uma sobrevida a ela), você pode usar o EOS-MovRec (EOS Camera Movie Record), um software livre e multiplataforma, que grava filmes curtos a partir de uma Canon DSLR, diretamente para o computador.Como gravar vídeos com uma antiga DSLR Canon no UbuntuComo gravar vídeos com uma antiga DSLR Canon no Ubuntu

    Na janela principal do programa você pode instantaneamente inicializar e parar o processo de gravação, ajustar o foco e zoom, escolher o balanço de brancos desejado e exibir a imagem capturada. Ele também tem pré-visualização, Av, Tv e controle WB.

    Para funcionar, a câmera deve ter recurso LiveView. Aqui está uma lista de algumas das câmeras compatíveis conhecidas:

    • Canon EOS 4;
    • Canon ;
    • Canon ;
    • Canon 50D;
    • Canon 5D Mark II;
    • Canon 1Ds Mark III.

    Como instalar o EOS-MovRec para gravar vídeos com uma antiga DSLR Canon (Ubuntu 14.04, 15.10 e 16.10)

    Para instalar o EOS-MovRec e gravar vídeos com uma antiga DSLR Canon no Ubuntu 14.04, 15.10 e 16.10, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:dhor/myway

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install eos-movrec

    Como instalar o EOS-MovRec manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório, não achou uma versão para seu sistema (caso do Ubuntu 16.04) ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome eos.deb:

    wget https://launchpad.net/~dhor/+archive/ubuntu/myway/+files/eos-movrec_0.3.3-1dhor~trusty_i386.deb -O eos.deb

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome eos.deb:

    wget https://launchpad.net/~dhor/+archive/ubuntu/myway/+files/eos-movrec_0.3.3-1dhor~trusty_amd64.deb -O eos.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i eos.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite eos no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o EOS-MovRec no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o EOS-MovRec no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove eos-movrec --auto-remove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Snap

    Se você é um desenvolvedor e quer testar uma nova opção para editar seus códigos, conheça e veja como instalar o editor de código Text no Linux via Snap.


    Sublime é um editor de código-fonte com uma interface de programação de aplicativo Python (API).Como instalar o editor de código Sublime Text no Linux via SnapComo instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Snap

    Esse editor é escrito usando a linguagem de programação ++ e Python, e é multiplataforma, sendo disponibilizado para Linux, e Mac.

    Sublime Text suporta nativamente muitas linguagens de programação e linguagens de marcação (como o HTML), e as funções podem ser adicionadas pelos usuários através de plugins, tipicamente construídos em comunidade e mantidos sob licenças de software livre.

    Principais recursos do editor Sublime Text:
    Goto Anything: Use Goto Anything para abrir arquivos com apenas algumas teclas, e instantaneamente salte para símbolos, linhas ou palavras.
    Seleções múltiplas: faça dez mudanças ao mesmo tempo, nenhuma alteração dez vezes.
    Paleta de comando: a paleta de comando possui funcionalidades raramente usadas, como classificação, alteração da sintaxe e alteração das configurações de indentação.
    Modo livre de distração: quando você precisa se concentrar, o Modo Livre de Distração está lá para ajudá-lo. Edição dividida: aproveite ao máximo seu monitor de tela larga com suporte de edição dividido
    Interruptor de projeto instantâneo: projetos no texto Sublime capturam o conteúdo completo do espaço de trabalho, incluindo arquivos modificados e não guardados.
    Plugin API: Sublime Text possui uma poderosa API de plug-in baseada em Python. Junto com a API, vem com um console incorporado em Python para experimentar de forma interativa em tempo real.
    Personalize Qualquer coisa: Ligações de teclas, Menus, Snippets, Macros, Complementos e mais – quase tudo em Sublime Text é personalizável com arquivos JSON simples. Este sistema oferece flexibilidade, pois as configurações podem ser especificadas por tipo de arquivo por projeto e por projeto

    Como instalar a versão mais recente do editor de código Sublime Text no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale o programa, usando esse comando:

    sudo snap install sublime-text 

    Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

    sudo snap install sublime-text --candidate

    Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

    sudo snap install sublime-text --beta

    Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

    sudo snap install sublime-text --edge

    Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

    sudo snap refresh sublime-text

    Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove sublime-text

    Pronto! Agora, você pode iniciar o editor de código Sublime Text no menu /Lançador da sua distro, ou digite sublime ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Veja também

    Se você usa o Ubuntu (ou um derivado dele), também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivados

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    15 de agosto de 2018

    Como instalar o jogo nInvaders e se divertir no terminal

    Se você gosta de jogos antigos e simples, tem de conhecer e descobrir como instalar o jogo , e se divertir no terminal.


    nInvaders é uma versão terminal do popular e divertido jogo Space invaders.Como instalar o jogo nInvaders e se divertir no terminalComo instalar o jogo nInvaders e se divertir no terminal

    Nele, os jogadores têm que defender a Terra dos invasores espaciais, controlando navios de guerra na parte inferior da tela (Terra). O objetivo principal do jogo é destruir ondas de naves com uma espaçonave humana para ganhar o maior número de pontos possível.

    Para quem não conhece, Space Invaders é um jogo de videogame de arcade desenhado por Tomohiro Nishikado e que foi lançado em 1978. Ele foi um dos primeiros jogos de tiro com gráfico bidimensional.

    Essa game foi originalmente construído pela Taito Corporation e um tempo depois foi licenciado para produção nos Estados Unidos pela Midway Games. Para construir o jogo, Nishikado se inspirou na mídia popular, como Guerra dos Mundos e Star Wars.

    Como instalar o jogo nInvaders e se divertir no terminal

    Para instalar o jogo nInvaders no Linux, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Para instalar o jogo nInvaders no Debian, Ubuntu e derivados, use esse comando;

    sudo apt-get install ninvaders

    Passo 3. Para instalar o jogo nInvaders no Fedora, RHEL, CentOS e derivados, use esse comando;

    sudo yum install ninvaders

    ou

    sudo dnf install ninvaders

    Passo 4. Para instalar o jogo nInvaders no OpenSuse e derivados, use esse comando;

    sudo zypper install ninvaders

    Usando o nInvaders

    Agora que o jogo já está instalado, quando quiser iniciá-lo, digite ninvaders em um terminal, e tecle enter.

    Use a tecla de espaço para iniciar o jogo e atirar, e as setas direita e esquerda para se movimentar para escapar dos inimigos e acertá-los.

    Assim como no Space Invaders, em nInvaders, o jogador controla os movimentos da arma “Laser Base”, um canhão laser que se movimento na parte inferior da tela. Da parte superior marcham em direção ao canhão aliens organizados em linhas.

    O objetivo do jogador é evitar que os aliens atinjam a parte inferior da tela, para essa tarefa o canhão possui munição infinita para atirar. Ao acertar e destruir um número grande aliens os restantes começam a marchar mais rapidamente em direção ao jogador.

    Quando o jogador elimina todos os aliens uma nova formação é montada agora iniciando uma linha abaixo da formação anterior. Ocasionalmente uma nave surge voando na parte superior da tela e dá ao jogador pontos extras quando atingida.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o tema Violet Comeback no Ubuntu e derivados

    Se você está a procura de um tema que reproduza o esquema de cores KDE Violet, veja como instalar o tema Violet Comeback no Ubuntu e derivados.


    O tema Violet-backback é a contrapartida GTK2/GTK3 o esquema de cores Qt5/KDE “Violet Comeback”.Como instalar o tema Violet Comeback no Ubuntu e derivadosComo instalar o tema Violet Comeback no Ubuntu e derivados

    Ou seja, com o tema Violet Comeback você leva esse esquema de cores para os ambientes baseados na GTK. Ele destina-se principalmente a ser usado para integrar qualquer aplicativo GTK em execução no KDE Plasma 5.

    Ele foi projetado principalmente para fazer com que as aplicações GTK combinassem com o esquema de cores KDE Violet, mas também são compatíveis com Gnome, Unity, Xfce, Cinnamon, Mate e assim por diante.

    Como o criador mencionou este tema é baseado em Numix e gerado com oomox. Uma vez que este tema está em desenvolvimento ativo, existem alguns problemas na versão GTK3: não há limites em algumas janelas e também não há sombra, o que torna o seu aspecto um pouco achatado.

    Instalando o tema Violet Comeback no Ubuntu e derivados

    Para instalar o tema Violet Comeback no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o tema Violet Comeback usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install violet-comeback-theme

    Como instalar o tema Violet Comeback manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o tema Violet Comeback no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o tema Violet Comeback no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o tema Violet Comeback, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove violet-comeback-theme

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como atualizar o Ubuntu do Windows 10 para a versão 18.04

    Se você já usa o Ubuntu no sistema da Microsoft e não quer uma nova instalação, descubra como para atualizar o Ubuntu do Windows 10 para a versão 18.04.


    Com a chegada do Linux à Windows Store, agora é possível as principais distribuições nesse sistema, com apenas uns pouco cliques. E isso pode ser útil para quem precisa trabalhar com Windows, mas não abre mão das diversas ferramentas que somente o Linux pode oferecer.Como atualizar o Ubuntu do Windows 10 para a versão 18.04Como atualizar o Ubuntu do Windows 10 para a versão 18.04

    Mais ainda, já dá até para usar a versão mais recente de um sistema do pinguim. Por exemplo, o Ubuntu 18.04 já está na loja e pode ser instalado por quem quiser.

    Entretanto, O Ubuntu 18.04 disponibilizado não é uma , mas sim uma nova distribuição.

    Assim, como muitos podem não querer ter as duas versões instaladas em paralelo, e ocupando o dobro do espaço em disco, o mais simples a fazer é simplesmente atualizar a versão anterior.

    Se este é o seu caso, dê uma olhada no procedimento abaixo.

    Como atualizar o Ubuntu do Windows 10 para a versão 18.04

    Para atualizar o Ubuntu do Windows 10 para a versão 18.04, primeiramente, faça uma cópia de segurança de seus arquivos.

    Depois, acesse o sistema e atualize-o, executando os comandos abaixo:

    sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade
    sudo reboot

    Caso ainda não tenha no sistema, instale o update-manager-core, executando o comando abaixo:

    sudo apt-get install update-manager-core

    Inicie o processo de atualização com o comando:

    sudo do-release-upgrade -d

    Em seguida, siga as instruções na tela para atualizar para o Ubuntu 18.04. Quando a atualização estiver concluída;

    Como atualizar o Ubuntu do Windows 10 para a versão 18.04

    Quando terminar o processo, reinicie o seu desktop ou Ubuntu. Se necessário, use o comando;

    sudo reboot

    Depois de reiniciar, para verificar sua versão do Ubuntu, execute:

    lsb_release -a

    Pronto! O Ubuntu está atualizado!
    Comece a usar e deixe sua opinião nos comentários.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o jogo de tiro Quetoo no Linux via Flatpak

    Se você gosta de jogar online e de remakes clássicos do Quake II, conheça e veja como o jogo de tiro Quetoo no Linux via Flatpak.


    Quetoo é um shooter em primeira pessoa Mac, PC e Linux. O objetivo dos seus produtores é levar a diversão do deathmatch oldschool uma plataforma mais contemporânea, e talvez uma nova geração de jogadores.Como instalar o jogo de tiro Quetoo no Linux via FaltpakComo instalar o jogo de tiro Quetoo no Linux via Faltpak

    Quetoo é apenas para múltiplos jogadores. Não existe um modo de jogabilidade único ou offline. Se você não tem Internet e nenhum amigo, o Quetoo talvez não seja para você.

    Quetoo possui os modos de jogo Deathmatch, , Instagib, Duel e Rocket Arena, suporte Teams Play e Match Mode, reformas de alta qualidade dos legítimos níveis de deathmatch Quake II do id Software, bem como originais, além de música e sons originais de Roland Shaw e Anthony Webb.

    Como instalar o jogo de tiro Quetoo no Linux via Flatpak

    Para instalar o jogo de tiro Quetoo no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o jogo de tiro Quetoo no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
    Passo 1. Abra um ;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.quetoo.Quetoo.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update org.quetoo.Quetoo

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall org.quetoo.Quetoo

    Ou

    flatpak uninstall org.quetoo.Quetoo

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.quetoo.Quetoo em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite quetoo ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    E se você gostou do aplicativo, deixe suas impressões nos comentários!

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o MySQL Workbench no Ubuntu e derivados

    Se você trabalha com o MySQL e quer usar uma poderosa ferramenta para administrá-lo, veja como o instalar o MySQL Workbench no Ubuntu e derivados.


    MySQL Workbench é uma ferramenta gráfica que permite aos usuários facilmente e trabalhar com servidores e bancos de MySQL.Como instalar o MySQL Workbench no Ubuntu e derivadosComo instalar o MySQL Workbench no Ubuntu e derivados

    Com o programa, DBAs e desenvolvedores tem um ambiente de ferramentas integradas para modelagem e design de banco de dados, desenvolvimento SQL, administração e migração de banco de dados.

    Instalando o MySQL Workbench no Ubuntu e derivados

    Para instalar o MySQL Workbench no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 3. Confira a versão do seu sistema, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    lsb_release -rs

    Passo 4. Se estiver usando Ubuntu 14.04 ou compatível, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mysql-workbench-community.deb;

    wget https://cdn.mysql.com//Downloads/MySQLGUITools/mysql-workbench-community-6.2.5-1ubu1404-amd64.deb -O mysql-workbench-community.deb

    Passo 5. Se estiver usando Ubuntu 15.10 ou compatível, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mysql-workbench-community.deb;

    wget https://dev.mysql.com/get/Downloads/MySQLGUITools/mysql-workbench-community-6.2.5-1ubu1410-amd64.deb -O mysql-workbench-community.deb

    Passo 6. Se estiver usando Ubuntu 16.04 ou compatível, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mysql-workbench-community.deb;

    wget http://cdn.mysql.com/Downloads/MySQLGUITools/mysql-workbench-community-6.3.10-1ubuntu16.04-amd64.deb -O mysql-workbench-community.deb

    Passo 7. Se estiver usando Ubuntu 16.10 ou compatível, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mysql-workbench-community.deb;

    wget http://cdn.mysql.com/Downloads/MySQLGUITools/mysql-workbench-community-6.3.9-1ubuntu16.10-amd64.deb -O mysql-workbench-community.deb

    Passo 8. Se estiver usando Ubuntu 17.10 ou compatível, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mysql-workbench-community.deb;

    wget http://cdn.mysql.com/Downloads/MySQLGUITools/mysql-workbench-community-6.3.10-1ubuntu17.10-amd64.deb -O mysql-workbench-community.deb

    Passo 9. Se estiver usando Ubuntu 18.04 ou compatível, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mysql-workbench-community.deb;

    wget http://cdn.mysql.com/Downloads/MySQLGUITools/mysql-workbench-community_8.0.12-1ubuntu18.04_amd64.deb -O mysql-workbench-community.deb

    Passo 10. o pacote baixado com o comando a seguir (mesmo que apareça um erro, vá para o próximo passo que ele corrigirá tudo);

    sudo dpkg -i mysql-workbench-community.deb

    Passo 11. Para instalar as dependências e finalizar a , use o comando:

    sudo apt-get -f install

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite mysql no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o MySQL Workbench no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o MySQL Workbench no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove mysql-workbench-community --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o XAMPP no Linux sem complicações

    Ter um servidor web completo localmente pode ser complicado, mas existe um pacote que torna esse processo fácil: . Para ter esse recurso no seu sistema, veja a seguir como instalar o no Linux.


    XAMPP é um servidor independente de plataforma, que consiste principalmente na base de dados , o servidor web e os interpretadores para linguagens de script: e . O nome provem da abreviação de X (para qualquer dos diferentes sistemas operacionais), Apache, , PHP, Perl.Como instalar o XAMPP no Linux sem complicaçõesComo instalar o XAMPP no Linux sem complicações

    O programa é um software livre regido pela licença GNU. Ele atua como um servidor web livre, fácil de usar e capaz de interpretar páginas dinâmicas. Atualmente XAMPP está disponível para Microsoft Windows, GNU/Linux, Solaris, e MacOS X.

    Para mais detalhes sobre como configurar e proteger XAMPP, por favor, visite esta página.

    Instalando o XAMPP no Linux

    Para instalar o XAMPP no Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se você estiver usando um sistema de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome xampp-installer.run:

    wget https://ufpr.dl.sourceforge.net/project/xampp/XAMPP%20Linux/7.0.8/xampp-linux-7.0.8-0-installer.run -O xampp-installer.run

    Passo 4. Se você estiver usando um sistema de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome xampp-installer.run:

    wget https://ufpr.dl.sourceforge.net/project/xampp/XAMPP%20Linux/7.2.8/xampp-linux-x64-7.2.8-0-installer.run -O xampp-installer.run

    Passo 5. Torne o arquivo executável com o comando abaixo;

    chmod +x xampp-installer.run

    Passo 6. Inicie a instalação do XAMPP, com o seguinte comando;

    sudo ./xampp-installer.run

    Passo 7. Quando aparecer, siga os passos do assistente de instalação e configuração:
    Como instalar o XAMPP no Linux sem complicações
    Passo 8. Se seu ambiente gráfico atual suportar e for de 32 bits, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=xampp\n Exec=gksudo /opt/lampp/manager-linux.run\n Icon=/opt/lampp/icons/world1.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/xampp.desktop

    Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar e for de 64 bits, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=xampp\n Exec=gksudo /opt/lampp/manager-linux-x64.run\n Icon=/opt/lampp/icons/world1.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/xampp.desktop

    Passo 10. Para que o atalho funcione corretamente, o GKSU com o comando abaixo. Se sua não é derivada do Debian, procure o programa no gerenciador de dela e -o;

    sudo apt-get install gksu

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite sudo /opt/lampp/manager-linux.run (32 bits) ou sudo /opt/lampp/manager-linux-x64.run (64 bits) ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/xampp.desktop
    cp /usr/share/applications/xampp.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/xampp.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Administrando, verificando e desinstalando o XAMPP no Linux

    Para Administrar, verificar e desinstalar o XAMPP no Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se você quiser iniciar o XAMPP através do terminal, use este comando:

    sudo /opt/lampp/lampp start

    Passo 3. Ou simplesmente use a interface gráfica do programa para iniciar ou parar o servidor web. Para executá-la, use os atalhos criados, ou simplesmente digite o comando sudo /opt/lampp/manager-linux.run em sistemas de 32 bits ou sudo /opt/lampp/manager-linux-x64.run, em sistemas de 64 bits;

    Como instalar o XAMPP no Linux sem complicações

    Passo 4. Para verificar se o servidor web está sendo executado, digite o seguinte endereço em um navegador:

    ://localhost

    Passo 5. Se a instalação funcionou, irá aparecer essa página:

    Como instalar o XAMPP no Linux sem complicações

    Pronto! Agora você já tem um servidor web no seu sistema. Mas se você prefere o LAMP, dê uma olhada nesse tutorial:

    Instale LAMP no Linux e tenha um servidor web em seu PC

    Gerenciando o XAMPP no Linux via terminal

    Para gerenciar todos os serviços do XAMPP no Linux via terminal, faça o seguinte:

    Iniciando

    Para iniciar todos os serviços do xampp, use o seguinte comando no terminal.

    sudo /opt/lampp/xampp start

    Para iniciar apenas o Apache, use:

    sudo /opt/lampp/xampp startapache

    Para iniciar apenas o servidor FTP Proftpd, use:

    sudo /opt/lampp/xampp startftp

    Para iniciar apenas o servidor de banco de dados MySQL:

    sudo /opt/lampp/xampp startmysql

    Parando

    Para parar todos os serviços do xampp, use o seguinte comando no terminal.

    sudo /opt/lampp/xampp stop

    Para parar apenas o Apache, use:

    sudo /opt/lampp/xampp stopapache

    Para parar apenas o servidor FTP Proftpd, use:

    sudo /opt/lampp/xampp stopftp

    Para parar apenas o servidor de banco de dados MySQL:

    sudo /opt/lampp/xampp stopmysql

    Reiniciando

    Para reiniciar todos os serviços do xampp, use o seguinte comando no terminal.

    sudo /opt/lampp/xampp restart

    E para outros comandos, é possível verificar a seção de ajuda do xampp executando o seguinte.

    sudo /opt/lampp/xampp --help

    Como remover o XAMPP no Linux

    Se for necessário desinstalar o XAMPP do seu sistema, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa executando os seguintes comandos;

    sudo /opt/lampp/lampp stop
    sudo /opt/lampp/uninstall
    sudo rm -rf /opt/lampp

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

    Você costuma baixar arquivo torrents e usa ou quer experimentar o qBittorrent no Ubuntu? Então veja aqui como instalar a última versão do dele.


    O qBittorrent é um BitTorrent multiplataforma e de código aberto.Como instalar a última versão do qBittorrent no UbuntuComo instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

    Esse aplicativo é escrito em C++/Qt, usando a biblioteca LibTorrent-rasterbar, e foi criado para ser uma alternativa ao popular cliente μtorrent.

    QBittorrent é rápido, estável, leve, suporta unicode e fornece um bom motor de busca integrado. Ele também vem com o encaminhamento de porta UPnP/NAT-PMP, criptografia (compatível com Vuze), FAST extension (mainline) e suporta PeX (compatível com utorrent).

    A aplicação vem com um motor de busca integrado, possui interface web, suporte para download sequencial, scheduler banda larga, suporte a RSS avançado com filtros de download, ferramenta de criação de torrent, filtragem IP e outras características úteis.

    Novidades da mais recente versão do qBittorrent

    Destaques do qBittorrent 4.1.2:

    • Novas opções para evitar que o PC entre em hibernação;
    • Adicionada opção para regexps no menu de contexto do filtro de pesquisa da lista de transferência;
    • Adicionada a opção de threads assíncronos do io ao AdvancedSettings;
    • Adicionada permissão para que o intervalo de continuação de salvamento seja desativado;
    • Adicionada caixa de seleção para o diálogo de download recursivo;
    • Adicionado link changelog no atualizador de programa;
    • Implementado o recurso “Download sequencial”;
    • Várias correções de bugs, melhorias na WebUI e muito mais.

    Para mais detalhes sobre essa versão do programa, leia a nota de lançamento.

    Instalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

    Enquanto os repositórios oficiais do Ubuntu fornecem uma versão antiga, com esse tutorial você aprenderá a instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve o seguinte:

    Passo 1. Abra um (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install qbittorrent

    Como instalar o qBittorrent manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite qbittorrent no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB)

    Instalando o qBittorrent no Ubuntu server

    Você pode instalar o daemon qBittorrent Ubuntu server e gerenciá-lo através da interface Web do qBittorrent. Para isso, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando;

    sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install qbittorrent-nox

    Passo 5. Uma vez instalado, crie um usuário para o qBittorrent;

    sudo adduser qbtuser

    Passo 6. Você será solicitado para definir a senha para este usuário. Em seguida, adicione este usuário ao grupo sudo.

    sudo gpasswd -a qbtuser sudo

    Passo 7. Em seguida, crie um arquivo de serviço systemd qbittorrent-nox, usando este comando;

    echo -e '[Unit]\n Description=qBittorrent Daemon Service\n After=network.target\n \n [Service]\n Type=forking\n User=qbtuser\n ExecStart=/usr/bin/qbittorrent-nox -d\n \n [Install]\n WantedBy=multi-user.target'| sudo tee /etc/systemd/system/qbittorrent-nox.service

    Passo 8. Agora, inicie o qBittorrent-nox:

    sudo systemctl start qbittorrent-nox

    Passo 9. Você também pode querer ativar a inicialização automática do serviço quando o Ubuntu iniciar;

    sudo systemctl enable qbittorrent-nox

    Passo 10. Se quiser verificar o status do serviço, use este comando:

    systemctl status qbittorrent-nox

    Passo 11. Com o serviço ativo, você já pode acessar a interface Web, digitando na barra de endereços do , o endereço ip do servidor seguido de :8080, como no exemplo abaixo;

    ip-do-servidor:8080

    Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

    Desinstalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o qBittorrent no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os abaixo;

    sudo apt-get remove qbittorrent --auto-remove

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar a última versão do qBittorrent no Linux via Flatpak

    Fonte

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o visualizador de imagens FIPS no Linux via Flatpak

    Se você precis ver imagens no formato FITS no PC, conheça e veja como instalar o visualizador de imagens FIPS no Linux via .


    FITS ou Flexible Image Transport System é um formato de arquivo utilizado armazenar, transmitir e manipular imagens científicas e outros.Como instalar o visualizador de imagens FIPS no Linux via FlatpakComo instalar o visualizador de imagens FIPS no Linux via Flatpak

    FITS é o formato de arquivo digital mais utilizado em astronomia. Ao contrário de muitos formatos de imagem, FITS é projetado especificamente para dados científicos e, portanto, inclui muitas informação interna para descrever os parâmetros de calibração fotométrica e espaciais, juntamente com os dados brutos origem da imagem.

    Uma característica importante do formato FITS é que os dados em bruto da imagem são armazenado num cabeçalho ASCII legível, de modo que um usuário possa examinar toda a informação contida na captura incluindo o autor, a data, o instrumento utilizado e até as coordenadas da imagem (entre outras coisas).

    Já o FIPS é um visualizador de FITS multiplataforma com interface de usuário responsiva.

    Ao contrário de outros visualizadores do FITS, o FIPS usa hardware de GPU via OpenGL para fornecer funcionalidade usual, como zoom, pan e ajustes de nível. OpenGL 2.1 e posterior é suportado.

    Como instalar o visualizador de imagens FIPS no Linux via Flatpak

    Para instalar o visualizador de imagens FIPS no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o visualizador de imagens FIPS no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/space.fips.Fips.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update space.fips.Fips

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall space.fips.Fips

    Ou

    flatpak uninstall space.fips.Fips

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run space.fips.Fips em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite fips ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como usar o comando dpkg no Debian e seus derivados

    Se você usa Debian ou uma distribuição baseada nele e não quer depender de programas gráficos para gerenciar pacotes, veja como usar o comando dpkg no Debian e seus derivados.


    Toda distribuição Linux vem com um gerenciador de pacotes específico. Para a distribuição Debian ou seus derivados, o gerenciador de pacotes padrão é “apt” ou “apt-get” ou o Graphical Software Center/Synaptic.Como usar o comando dpkg no Debian e seus derivadosComo usar o comando dpkg no Debian e seus derivados

    Esses gerenciadores de pacotes, por sua vez, contam com a ferramenta de baixo nível dpkg para gerenciar pacotes de software.

    Neste artigo, será mostrado o básico do gerenciamento de pacotes Debian e como gerenciar pacotes de software usando o dpkg, para que você não dependa apenas das ferramentas gráficas.

    Como usar o comando dpkg no Debian e seus derivados

    Para usar o comando dpkg no Debian e seus derivados, primeiramente, abra um terminal e consulte as opções abaixo.

    Como um programa/pacote

    Você pode fazer uso do dpkg para instalar programas usando o seguinte comando.

    dpkg -i nomepacote.deb

    Este comando também pode atualizar um pacote, se ele já estiver instalado.

    Listar pacotes atualmente instalados

    Para listar ou exibir pacotes atualmente instalados em uma distro baseada no Debian, você pode usar os comandos abaixo:

    dpkg -l search_pattern

    Se você quiser listar todos os pacotes instalados, basta omitir [search_pattern].

    dpkg -l

    Remover pacotes instalados

    Se você já tiver instalado um pacote, e não quer usá-lo mais, poderá usar o seguinte comando para desinstalá-lo.

    dpkg -r nomepacote.deb

    Este comando remove o pacote inteiro, exceto os arquivos de configuração.

    Listar conteúdo de um pacote

    Você pode usar os comandos abaixo para listar o conteúdo de um pacote no seu computador Linux:

    dpkg --contents nomepacote.deb

    Você também pode usar -c no lugar de –contents.

    dpkg -c nomepacote.deb

    Verifique se um pacote está instalado ou não

    Supondo que você queira verificar se você instalou um pacote específico em seu computador, use o seguinte comando para isso.

    dpkg -s nomepacote.deb

    Descobrindo o local do pacote instalado

    Se você quiser apenas descobrir o local onde o pacote será instalado, use o sinalizador -L.

    dpkg -L nomepacote.deb

    Exibir informações detalhadas sobre um pacote

    Este comando exibe ou mostra informações detalhadas sobre um pacote.

    dpkg -p nomepacote.deb

    Instalar vários pacotes simultaneamente

    Se você tiver vários arquivos deb que deseja instalar, execute o seguinte comando para instalá-los todos de uma só vez. Note que para isso funcionar, você tem que colocar todos os arquivos .deb na mesma pasta.

    dpkg -R --install /localizacao-dos-arquivos-deb/

    Descompacte um pacote deb

    Às vezes você pode querer descompactar um pacote deb para poder fazer alterações em seus arquivos. Use este comando para descompactar um arquivo deb.

    dpkg --unpack nomepacote.deb

    Reconfigurar um pacote deb descompactado

    Depois de fazer alterações nos arquivos, use este comando para configurá-lo e reempacotá-lo em um arquivo deb para .

    dpkg --configure nomepacote.deb

    Precisa de informações extras sobre os comandos do dpkg?

    Se você quiser saber mais sobre os comandos do dpkg, você pode usar o comando abaixo. Ele exibe informações detalhadas sobre comandos e opções do dpkg.

    dpkg --help

    Vpocê também pode consultar o Manual do Administrador Debian para mais detalhes sobre o dpkg.

    Conclusão

    A maioria dos gerenciadores de pacotes baseados no Debian depende exclusivamente do dpkg para fazer as coisas. E com os comandos acima, você pode ir ao básico quando todos os outros métodos de instalação falharem.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivados

    Se a navegação na Internet se tornou uma tarefa lenta e enfadonha, é hora de tentar novas opções, então conheça e veja como instalar o no Ubuntu, Debian e derivados.


    O Min é um navegador minimalista escrito inteiramente com CSS e JavaScript usando a tecnologia Electron. Min é leve e foi projetado ser rápido e usar menos energia da bateria,.Como instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivados

    Esse navegador possui recursos importantes como informações da busca DuckDuckGo na barra de pesquisa, bloqueio de anúncios e rastreadores incorporados, pesquisa difusa, pesquisa de texto completo para páginas visitadas, lista de leitura, guias melhoradas(abas abertas para a direita e desvanecimento quando inativas) e um tema escuro.

    Por causa desses recursos, a barra de busca responde suas perguntas imediatamente, com informações de DuckDuckGo incluindo entradas da Wikipedia, uma calculadora e muito mais.

    Min também permite que você pesquise o conteúdo de cada página que você visita e ir para qualquer site rapidamente com a pesquisa difusa, e obter sugestões antes mesmo de começar a digitar.

    Como instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome min.deb:

    wget https://github.com/minbrowser/min/releases/download/v1.7.1/min_1.7.1_i386.deb -O min.deb

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome min.deb:

    wget https://github.com/minbrowser/min/releases/download/v1.7.1/min_1.7.1_amd64.deb -O min.deb

    Passo 7. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

    sudo dpkg -i min.deb
    sudo apt-get install -f

    Passo 8. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install ./min.deb

    Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove min*

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite min ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    SmillaEnlarger – uma ferramenta gráfica para redimensionar imagens

    Se você precisa redimensionar imagens e quer uma ferramenta fácil de usar, então você precisa experimentar SmillaEnlarger.


    SmillaEnlarger é uma ferramenta gráfica (baseada em Qt) redimensionar imagens, especialmente ampliar bitmaps em alta qualidade.SmillaEnlarger - uma ferramenta gráfica para redimensionar imagensSmillaEnlarger – uma ferramenta gráfica para redimensionar imagens

    O programa faz um trabalho equivalente ao de um ampliador analógico, para a fotografia digital: Você escolhe um arquivo de imagem, em seguida escolhe um retângulo e decide quão grande deverá ser o resultado (pelo fator de escala ou dando largura ou altura do resultado).

    Então você pressiona “Enlarge & Save” e obtém uma imagem ampliada com curvas suaves em vez de blocos.

    Vale lembrar que quem precisa de uma simples ampliação (ou redução) com pouca perda de qualidade, pode usar esse tutorial:

    Como ampliar uma imagem sem perder qualidade usando o GIMP

    Instalando a ferramenta para redimensionar imagens SmillaEnlarger no Ubuntu e derivados

    Para Instalar a ferramenta para redimensionar imagens SmillaEnlarger no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:anton+/photo-video-apps

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora o programa com o comando abaixo:

    sudo apt-get install smillaenlarger

    Como instalar a ferramenta para redimensionar imagens SmillaEnlarger manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Ou faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome smillaenlarger.deb:

    wget https://launchpad.net/~anton+/+archive/ubuntu/photo-video-apps/+files/smillaenlarger_0.9-1pmo1~trusty_i386.deb -O smillaenlarger.deb

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome smillaenlarger.deb:

    wget https://launchpad.net/~anton+/+archive/ubuntu/photo-video-apps/+files/smillaenlarger_0.9-1pmo1~trusty_amd64.deb -O smillaenlarger.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i smillaenlarger.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite smillaenlarger no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando a ferramenta para redimensionar imagens SmillaEnlarger no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar a ferramenta para redimensionar imagens SmillaEnlarger no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:anton+/photo-video-apps --remove
    sudo apt-get remove smillaenlarger --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Ferramenta de recuperação de dados: Instale DDRescue-GUI no Ubuntu e derivados

    Se você já usa a de recuperação de dados DDRescue, experimente instalar o para tornar o uso dela mais fácil.


    DDRescue é uma ferramenta de recuperação de dados, que copia os dados de um arquivo ou bloco dispositivo (disco rígido, cdrom, etc) para outro, se esforçando para salvar dados em caso de erros de leitura, para que os usuários possam recuperar dados de discos rígidos danificados e memórias flash.

    Ferramenta de recuperação de dados: Instale DDRescue-GUI no Ubuntu e derivados

    Apesar de ser um poderosa ferramenta de recuperação de dados, DDRescue não é tão simples de usar, um problema que pode facilmente ser resolvido com a utilização do aplicativo DDRescue-GUI.

    DDRescue-GUI é um script Python que torna muito mais fácil usar o DDRescue, ao fornecer uma interface gráfica simples e prática para usar o programa, pois foi desenvolvido para ser tão amigável quanto possível, a fim de facilitar a vida dos usuários.

    Veja como instalar a ferramenta de recuperação de dados DDRescue-GUI no Ubuntu e derivados

    Para instalar a ferramenta de recuperação de dados DDRescue-GUI no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:hamishmb/myppa

    Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Para instalar o programa, use este comando:

    sudo apt-get install ddrescue-gui

    Como instalar o DDRescue-GUI manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, basta fazer o download do instalador .deb diretamente nesse link, e depois clicar nele para instalar manualmente.

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite ddrescue no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o DDRescue-GUI no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o DDRescue-GUI no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove ddrescue-gui --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o divertido jogo Taisei no Linux via Flatpak

    Se você gosta do gênero bullet hell e quer se divertir no seu PC conheça e veja como o jogo no Linux via .


    Taisei é um jogo de shoot’em up do tipo Bullet hell ambientado em uma terra de fantasia. Ele é um jogo livre não oficial por fãs baseado no original , escrito em C usando SDL2 e OpenGL.Como instalar o divertido jogo Taisei no Linux via FlatpakComo instalar o divertido jogo Taisei no Linux via Flatpak

    Basicamente, é um jogo de tiro com muitas balas (o gênero é literalmente chamado de bullet hell). Ele não tem como objetivo reconstruir uma parte específica dos jogos do Tōhō, mas sim um jogo original ambientado no mundo de Tōhō.

    Divirta-se esquivando-se através de 6 etapas cheias de novos padrões de marcadores em quatro níveis de dificuldade!

    O jogo possui uma trilha sonora completa e original, gráficos, efeitos sonoros, melhorias na jogabilidade e muito mais.

    [embedded content]

    Como instalar o jogo Taisei no Linux via Flatpak

    Para instalar o jogo Taisei no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o jogo Taisei no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um ;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.taisei_project.Taisei.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update org.taisei_project.Taisei

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall org.taisei_project.Taisei

    Ou

    flatpak uninstall org.taisei_project.Taisei

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.taisei_project.Taisei em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite taisei ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o gravador de áudio Audio Recorder no Linux via Snap

    Se você precisa gravar áudio no seu PC a partir de qualquer fonte dele, veja como instalar o gravador de áudio Audio Recorder no Linux via Snap.


    Audio Recorder é um incrível programa que permite que você grave sua música ou áudio favorito em um arquivo.Como instalar o gravador de áudio Audio Recorder no Linux via SnapComo instalar o gravador de áudio Audio Recorder no Linux via Snap

    Você pode gravar áudio da placa de som, microfones, navegadores, webcams e outras fontes de áudio do seu sistema.

    Além disso, ele pode salvar a gravação em vários formatos de áudio (saída): Ogg, MP3, Flac, Wav (22kHz), Wav (44kHz) e SPX.

    Para completar, o programa possui um temporizador avançado que pode:

    • Iniciar, parar ou pausar a gravação em um determinado horário do relógio;
    • Inicie, pare ou faça uma pausa após um período de tempo;
    • Pare quando o tamanho do arquivo gravado exceder um limite;
    • Comece a gravar em voz ou som (o usuário pode definir o limite de áudio e atraso);
    • Parar ou pausar a gravação em “silêncio” (o usuário pode definir o limite de áudio e o atraso).

    Para deixar ainda mais completo, a gravação pode ser controlada de forma atômica pelo leitor de áudio RhytmBox, Banshee de áudio, Amarok, VLC, Audacious e outros players compatíveis com MPRIS2.

    E no Skype ele pode gravar automaticamente todas as suas chamadas do Skype sem qualquer interação do usuário.

    Como instalar a versão mais recente do gravador de áudio Audio Recorder no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para instalar o gravador de áudio Audio Recorder no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o gravador de áudio Audio Recorder no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

    sudo snap install audio-recorder

    Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

    sudo snap install audio-recorder --beta

    Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

    sudo snap install audio-recorder --edge

    Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

    sudo snap refresh audio-recorder

    Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove audio-recorder

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu /Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de da sua distro, ou digite audio-recorder ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Gravador de áudio para pc: Instale o Audio Recorder e grave áudio de sistema, microfone ou aplicações

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o gerenciador de tarefas Taskbook no Linux

    Se você quiser ser ainda mais produtivo na linha de comando, conheça e veja como instalar o gerenciador de Taskbook no Linux.


    Taskbook é um aplicativo terrivelmente bem feito e que permite criar de tarefas, fazer anotações e organizar suas tarefas usando boards (quadros) e cards (cartões).Como instalar o gerenciador de tarefas Taskbook no LinuxComo instalar o gerenciador de tarefas Taskbook no Linux

    O Hacker News descreveu esse aplicativo como “o Trello, mas para o Terminal“, uma descrição que não é totalmente precisa.

    O Taskbook é mais parecido com uma ferramenta de lista de tarefas simples do que com um análogo do Trello para o terminal.

    Por exemplo, falta o fluxo espacial do Trello, ou seja, poder ver todas as suas colunas lado a lado e não há recursos de colaboração de equipe, marcação ou outros recursos avançados.

    Mas isso não significa que não seja útil. Pelo contrário!

    Usando o Taskbook, você pode criar, editar, pesquisar e gerenciar suas tarefas diárias, anotações e boards usando multiplas boards.

    O aplicativo também é incrivelmente fácil de usar, graças ao memorável conjunto de comandos (-t para nova tarefa, -c para verificar um item, -l para lista, etc).

    Por padrão, o Taskbook mostra tarefas e anotações em uma exibição de board.

    A visualização alternativa de “timeline” (linha do tempo) alterna para um agrupamento baseado em data, listando suas tarefas com base em quando você as adicionou/criou.

    Você pode rapidamente listar itens com base em seu status, prioridade ou outros atributos, por exemplo, tb -l incomplete mostra todos os itens incompletos/pendentes/desmarcados de todas as suas pastas, enquanto tb -l my board com certeza listará apenas os itens com estrela da board ‘my board’.

    Há pouco mais a dizer: Taskbook funciona exatamente como projetado e extremamente bem.
    Se você está regularmente na linha de comando, algo como o Taskbook é uma obrigação (embora existam muitos aplicativos de terminal de lista de tarefas por aí).

    Com o Taskbook você pode:

    • Adicionar rapidamente tarefas e notas a quadros;
    • Mover tarefas entre placas;
    • Escolher entre a visualização de board e de linha do tempo;
    • Definir prioridade de tarefa/estrela;
    • Pesquisar e filtrar tarefas, notas e quadros;
    • Arquivar, excluir e restaurar tarefas, anotações e placas;
    • Sintaxe fácil de aprender.

    O aplicativo é configurável através do arquivo ~/.taskbook.json em sua pasta local, com dados armazenados em um arquivo JSON em ~/.taskbook/storage (embora você possa escolher seu próprio local de armazenamento).

    Como instalar o gerenciador de tarefas Taskbook no Linux

    Taskbook precisa do Nodejs/NPM para ser instalado no Linux. Se você não tem esse recurso em seu sistema, use um dos tutoriais abaixo:

    Descubra como instalar o Node.js no Linux
    Veja como instalar o interpretador Node.js no Linux via Snap

    Para instalar o gerenciador de tarefas Taskbook no Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Execute o seguinte comando para instalar o gerenciador de tarefas Taskbook;

    sudo npm install --global taskbook

    Em seguida, para executar o aplicativo com o arquivo de ajuda mostrado, use o comando:

    tb --help

    Confira o manual do voo

    Esse aplicativo também tem um excelente “manual de voo” que percorre cada um dos comandos, desde como criar uma board e mover itens entre elas, até como colocar estrelas nos itens, selecioná-los ou restaurar aqueles que você excluiu.

    Ler o guia pode lhe poupar muitos testes, por isso recomendo que você dê uma olhada.

    P.S: Se você procura algo semelhante, mas com uma GUI, é altamente recomendável verificar o Notion. Ele não tem um Linux, mas ele tem uma interface web e clientes para Windows e MacOS.

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Cliente Dropbox no Linux só funcionará com sistema de arquivos Ext4

    Alerta! Daqui a poucos meses, o no Linux só funcionará com sistema de arquivos . Confira os detalhes dessa mudança e prepare-se.


    Dropbox é um serviço de armazenamento e que permite aos usuários guardar e sincronizar arquivos on-line e entre computadores.Cliente Dropbox no Linux só funcionará com sistema de arquivos Ext4Cliente Dropbox no Linux só funcionará com sistema de arquivos Ext4

    O serviço disponibiliza um cliente multi-plataforma (Windows, Mac, Linux e até mesmo Android) que permite aos usuários soltar qualquer arquivo em uma pasta Dropbox, que é então sincronizado com a web e outros computadores dos usuários.

    Dropbox no Linux só funcionará com sistema de arquivos Ext4

    Os usuários do Dropbox no Linux devem se preparar para uma mudança drástica no cliente de desktop desse serviço: a partir de novembro, ele só funcionará com o sistema de arquivos Ext4.

    A mudança foi anunciada por um usuário Dropbox que recebeu um alerta na aplicação. Em seguida, ele consultou o fórum oficial.

    Como resultado, mais usuários de juntaram ao questionamento que ele criou, todos afirmando ter recebido o mesmo aviso. Depois disso, um moderador anunciou a má notícia:

    “Em 7 de novembro de 2018, removeremos o suporte à sincronização do Dropbox em discos com determinados sistemas de arquivos incomuns. Os sistemas de arquivos suportados são NTFS para Windows, HFS+ ou APFS para Mac e Ext4 para Linux.”

    De acordo com nota, o motivo para tal decisão está na necessidade de “um sistema de arquivos suportado, pois o Dropbox depende de atributos estendidos (X-attrs) para identificar os arquivos na pasta e mantê-los em sincronia.”

    Cliente Dropbox no Linux só funcionará com sistema de arquivos Ext4

    Ou seja, eles precisam de funcionalidades que outros sistemas de arquivos não possuem, presumivelmente, devido a algumas mudanças que serão introduzidas posteriormente. Porque agora o Dropbox funciona em outros sistemas de arquivos.

    Para discutir se a desculpa é verdadeira ou não, foi montado um bom debate no Reddit.

    Mas não parece haver muito a ser feito, já que os requisitos do Dropbox foram atualizados com as informações indicadas.

    No entanto, alguns usuários estão reclamando que receberam o aviso, e no entanto, ele nunca usaram qualquer outra coisa além de ext4.

    Sobre isso o moderador disse o seguinte:

    “Se você recebeu uma notificação, mas você está executando um dos sistemas de arquivos suportados, você pode ter tido recentemente um computador vinculado executando um sistema de arquivos não-compatível, mas que foi atualizado ou não é mais usado.”

    Porque enquanto o ext4 ainda é o padrão de fato no Linux e, em geral, o mais recomendado para o usuário de PC.

    Uma possível alternativa…

    O que fazer, no caso de usar o Dropbox em sistemas com btrfs, xfs, etc?

    Existem duas opções (alguns mencionam que você pode enganar o cliente do Dropbox, mas não parece sensato arriscar um bug e perder dados): alterar o sistema de arquivos ou substituir o Dropbox com uma solução semelhante como Mega ou Google Drive com InSync.

    Veja também

    Como instalar o cliente Dropbox no Linux manualmente

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Mapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicro

    Se você está precisando mapear o teclado e as teclas do para os botões do , conheça e use o .


    AntiMicro é um aplicativo que pode ser usado para mapear o teclado e as teclas do mouse para os botões do gamepad, útil para jogar jogos sem suporte a gamepad.Mapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicroMapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicro

    O aplicativo, escrito em C++ usando Qt para a estrutura gráfica, foi criado como um substituto para o QJoyPad que, infelizmente, não está mais sendo mantido.

    Em comparação com QJoyPad, o aplicativo vem com alguns recursos extras como a atribuição de múltiplas teclas para um controlador (por exemplo Shift + Tab para abrir a interface de sobreposição do Steam em um jogo) e macros para pressionar o botão que permite que você adicione ações condicionais.

    Ele possui botão para alterar configurações em tempo real e há também um ícone de bandeja que funciona sob a Unity. Além disso, o AntiMicro tem melhor suporte do movimento do mouse.

    O aplicativo apresenta suporte a controller stick, controles de 8 vias, suporta virtual Dpad, perfis que podem ser carregados via linha de comando e muito mais.

    Além disso, o programa possui uma extensa série de novas funcionalidades e melhorias, como o spring mouse mode, suporte a hotplugging, Enhanced Precision mouse curve, várias otimizações para Steam OS.

    Como instalar o mapeador de botões do teclado e mouse para botões gamepad AntiMicro no Ubuntu e seus derivados

    AntiMicro está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install antimicro.

    No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se estiver usando o Ubuntu 15.10, 15.04, 14.10 ou 14,04, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ryochan7/antimicro

    Passo 2. Se estiver usando o Ubuntu 16.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:mdeguzis/libregeek

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install antimicro

    Como instalar o mapeador de botões do teclado e mouse para botões gamepad AntiMicro manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite antimicro no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Usando o AntiMicro

    Para atribuir uma tecla do teclado ou do mouse para botões gamepad, pressione um botão no seu gamepad e o botão correspondente na interface do usuário do AntiMicro ficará em destaque;

    Mapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicro

    Em seguida, clique no botão de destaque na interface do usuário do AntiMicro e atribua uma tecla do teclado ou mouse:

    Mapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicro

    Mapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicro

    Você também pode clicar no botão “Quick set” na parte inferior da janela do AntiMicro, em seguida, pressione um botão ou mova um eixo no joystick e irá aparecer uma janela permitindo que você atribua a ele uma tecla.

    Ao atribuir uma tecla, você pode optar por usar os modos turbo ou alternância:

    • turbo: quando o botão é pressionado sobre o joystick, a tecla correspondente age como se o botão foi pressionado várias vezes. O atraso / taxa pode ser definido em “Advanced” (Avançado);
    • alternância: um simples toque no botão Joystick deixa praticamente pressionado. Pressionando novamente interrompe.

    Desinstalando o mapeador de botões do teclado e mouse para botões gamepad AntiMicro no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o AntiMicro no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:ryochan7/antimicro -r -y
    sudo add-apt-repository ppa:mdeguzis/libregeek -r -y
    sudo apt-get remove antimicro --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Ultimate Edition Gamers – Uma distro para os fãs de jogos

    Se você é fã de , então a distribuição Ultimate Edition Gamers é a escolha certa. Conheça mais um pouco sobre ela e descubra onde baixar a distro.


    Jogar no Linux tem se tornado algo cada vez mais comum e popular nos últimos anos. Para deixar isso ainda mais fácil, agora os gamers de Linux podem usar a distribuição Ultimate Edition Gamers.Ultimate Edition Gamers - Uma distro para os fãs de jogosUltimate Edition Gamers – Uma distro para os fãs de jogos

    Ultimate Edition Gamers é uma variante da distro Ultimate Edition, que é um fork do Ubuntu e do Linux Mint. O objetivo do projeto é criar um sistema operacional completo, integrado, visualmente estimulante e fácil de .

    Ultimate Edition Gamers é voltada para os amantes de jogos que vem recheada de games e oferece muitos jogos para Linux e pode até mesmo rodar jogos do Windows via Wine e PlayOnLinux. Claro, isso tem um preço: um arquivo ISO de mais de 4 GB.

    Como é baseado na versão LTS do sistema operacional Ubuntu, Ultimate Edition Gamers vem com uma das maiores coleções de jogos de Linux. Além disso, a distro inclui uma versão pré-configurada do popular software XBMC Media Center, que oferece aos usuários acesso instantâneo a diversos canais de TV.

    A distribuição está atualmente disponível em uma edição MATE de 64 bits, e vem com a última versão do Wine e PlayOnLinux, o que permite aos usuários executar os jogos do Windows em seu sistema operacional baseado em kernel Linux.

    Ela também traz o Compiz para poder oferecer incríveis efeitos de desktop. Para completar, a suíte de escritório LibreOffice também está incluída, juntamente com o Steam para Linux.

    Assim, não importa se você é um gamer hardcore ou você quer apenas relaxar e assistir a um filme ou programa de TV, ou ouvir seus artistas favoritos, Ultimate Edition Gamers tem tudo isso. E quem sabe, ela se torne o seu sistema de entretenimento definitivo?

    Baixe e experimente o Ultimate Edition Gamers

    A imagem ISO do Ultimate Edition Gamers pode ser baixada acessando a página de download da distribuição (baixe o mais recente ultimate-edition-x.x-x64-gamers.iso).

    Verifique se a imagem ISO está corrompida

    Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
    Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

    Como gravar uma imagem ISO no Linux

    Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
    Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
    Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
    Como criar um pendrive de instalação
    Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
    Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar versão mais recente do Audacious no Ubuntu

    Se você procura um player de áudio leve, com alta qualidade de áudio e suporte para uma ampla gama de formatos de áudio, veja como instalar versão mais recente do no Ubuntu.


    Audacious é um player de áudio de código aberto, um descendente do XMMS com foco no baixo consumo de recursos, na alta qualidade de áudio e no suporte para uma ampla gama de formatos de áudio.Como instalar versão mais recente do Audacious no UbuntuComo instalar versão mais recente do Audacious no Ubuntu

    O aplicativo é desenvolvido com baixo uso de recursos e alta qualidade de áudio em mente. Ele vem com plugins como hotkeys globais, letras, MPRIS v2, Scrobbler, Spectrum Analyzer, efeitos como Crystalizer, Voice Removal, Crossfade, Extra Stereo e muito mais.

    A interface -like suporta as capas de Winshamp 2.x wsz. E ele contém reprodução contínua embutida e suporta plugins e do Winamp 2.

    Com o programa você pode arrastar e soltar pastas e arquivos de músicas individuais, procurar e em toda a sua de músicas, criar e editar suas próprias listas de reprodução personalizadas, ouvir um CD ou fazer de música a partir da Internet, ajustar o som com o equalizador gráfico ou experimentar os efeitos LADSPA.

    Aproveite a interface GTK com temática moderna ou mude as coisas com peles do Winamp clássico. Para torná-lo mais completo, você pode usar os plugins incluídos no Audacious para buscar letras de suas músicas, para definir um alarme na parte da manhã, e muito mais.

    Como instalar o Audacious no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Audacious no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository -y ppa:nilarimogard/webupd8

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install audacious audacious-plugins

    Como instalar o Audacious manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link, e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digitando audacious no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Audacious no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Audacious no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove audacious audacious-plugins
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    14 de agosto de 2018

    Como instalar o emulador de Commodore VICE no Linux

    Se você é das antigas e saudosista, ou apenas um usuário curioso que quer testar softwares de uma época não tão recente, conheça e veja como o emulador de VICE no Linux.


    VICE é um aplicativo de emulação que roda em uma máquina Unix, MS-DOS, Win32, OS/2, BeOS, QNX 4.x, QNX 6.x, Amiga, Syllable ou Mac OS X e executa programas voltados para os antigos computadores Commodore de 8-bits.Como instalar o emulador de Commodore VICE no LinuxComo instalar o emulador de Commodore VICE no Linux

    A versão atual emula o C64, o C64DTV, o C128, o VIC20, praticamente todos os modelos PET, o PLUS4 e o CBM-II (também conhecido como C610/C510).

    Além de tudo isso, um emulador extra é fornecido para o C64 expandido com o CMD SuperCPU.

    Como instalar o emulador de Commodore VICE no Linux via Flatpak

    Para instalar o emulador de Commodore VICE no Linux via Flatpak você precisa ter o a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o emulador de Commodore VICE no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Mas tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/net.sf.VICE.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update net.sf.VICE

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall net.sf.VICE

    Ou

    flatpak uninstall net.sf.VICE

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run net.sf.VICE em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite vice ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    E se você gostou do aplicativo, deixe suas impressões nos comentários!

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o Spotify no Linux via Flatpak

    Se o sistema tradicional de pacotes não serviu para você ter o popular serviço de de músicas, veja como instalar o Spotify no Linux via Flatpak.


    O serviço Spotify é uma das melhores opções para quem quer ouvir música por meio de streaming em computadores com sistemas operacionais Microsoft Windows, Mac OS X e Linux e em dispositivos móveis como Symbian, iPhone, iPad, Android e BlackBerry.Como instalar o Spotify no Linux via FlatpakComo instalar o Spotify no Linux via Flatpak

    Usando o Spotify você pode tudo, atualizar e sincronizar faixas e listas offline ou comprar faixas individuais para guardar para sempre.

    Já mostrei aqui no Blog como instalar o programa no Fedora, CentOS ou um derivado deles, através desse tutorial:
    Como instalar o Spotify no Fedora Linux e derivados

    E também como instalar no Ubuntu, Debian ou um derivado deles, nesse outro tutorial:
    Como instalar o Spotify no Ubuntu Linux, Debian e derivados

    Mas nem tudo se resumo a apenas os tradicionais sistemas de pacotes. Existe por exemplo, o Flatpak, que é a tecnologia de próxima geração para a construção e instalação de de desktop, que promete revolucionar a forma de instalar programas no Linux.

    Então para lhe dar mais uma opção, você verá como instalar via Flatpak. Confira a seguir.

    Como instalar o Spotify no Linux via Flatpak

    Para instalar o Spotify no Linux via Flatpak, obviamente, vocẽ precisa ter essa tecnologia no seu sistema.

    Se ainda não tiver, use uma das opções do tutorial abaixo para fazer isso:
    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

    Depois para instalar o Spotify no Linux via Flatpak, você só precisa fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Adicione o repositório Gnome Stable Runtimes com o comando abaixo;

    flatpak remote-add gnome https://sdk.gnome.org/gnome.flatpakrepo

    Passo 3. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.spotify.Client.flatpakref

    Passo 4. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update com.spotify.Client

    Passo 5. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall com.spotify.Client

    Ou

    flatpak uninstall com.spotify.Client
    Como instalar o Spotify no Linux via FlatpakComo instalar o Spotify no Linux via Flatpak

    O aplicativo pode coexistir com o pacote tradicional. Então, se você tiver ambas as versões instaladas, você deve iniciar o aplicativo através do comando a seguir, uma vez que o iniciador de aplicativos abre o app tradicional:

    flatpak run com.spotify.Client

    O que está sendo falado no blog

    Let's block ads! (Why?)

    Planeta Ubuntu Brasil

    O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


    Última atualização:
    18 de agosto de 2018, 03:04
    Horário UTC

    Planet ATOM
    RSS10 RSS20
    OPML FOAF

    Blogs inscritos


    © 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
    Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.