19 de março de 2019

Stadia é o serviço de jogos na nuvem do Google usando Linux

Surpreendendo a todos, o Google anunciou que o Stadia é o serviço de jogos na do Google usando Linux, Vulkan e uma GPU AMD personalizada. Confira os detalhes do serviço.


O Google investe alto em novas tecnologias e mercados, isso é um fato. Por isso não foi nenhuma surpresa quando a empresa anunciou seu novo serviço de jogos na nuvem, o Stadia.Stadia é o serviço de jogos na nuvem do Google usando LinuxStadia é o serviço de jogos na nuvem do Google usando Linux

Stadia é o serviço de jogos na nuvem do Google usando Linux

O Google usou a Conferência anual de desenvolvedores de jogos (GDC 2019) para revelar oficialmente “Stadia” como seu serviço de streaming de jogos baseado em nuvem, conhecido anteriormente como Project Stream.

Na apresentação, uma informação muito interessante foi mostrada: o Stadia tem um poder gráfico que supera os dois principais consoles do mercado, PlayStation Pro e Xbox One X.

Stadia tem 10.7 Teraflops na GPU, enquanto o Xbox One X fica com 6.0 Teraflops e o PlayStation 4 Pro com 4.2 Teraflops.

No momento do lançamento, o Stadia poderá rodar games em qualidade 4K e 60 fps com HDR e Surround. Segundo o Google, futuramente, o Stadia chegará aos 8K com 120 fps para games.

Para surpresa geral, o serviço de streaming do Google Stadia é construído em servidores Linux. Também para mais surpresa ainda, a Vulkan é a sua API gráfica de escolha para streaming agora até 4K a 60FPS, enquanto eles planejam expandir para 8K a 120FPS no futuro.

O Google desenvolveu seu próprio controle otimizado para jogos com o Stadia, que inclui extras como o acesso de um botão ao streaming do YouTube.

O Google também revelou que fez uma parceria com a AMD para desenvolver uma GPU personalizada para seus data centers.

Isso é uma boa notícia e deve fortalecer ainda mais a pilha de drivers AMD Linux de código aberto. Stadia hardware é suportado por processadores personalizados de 2.7 GHz e 16 GB de RAM por instância.

A meta de lançamento do Google para acesso público ao serviço de streaming de jogos Stadia é simplesmente “2019”, mas esperamos que não demore muito tempo antes de descobrir mais detalhes técnicos sobre sua incursão no espaço cada vez mais lotado de streaming de jogos.

[embedded content]

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

XubEcol uma distro Xubuntu voltada para uso em escolas

Se você quer levar o Linux para o meio escolar, conheça XubEcol uma distro Xubuntu voltada para uso em escolas. Conheça mais um pouco sobre ela e descubra onde baixar a distro.


Distribuições do Linux existem muitas, cada uma destinada a um uso particular ou simplesmente para uso geral, como é o caso do mais conhecido dos quais os outros são derivados e cada um é criado para diferentes usos.XubEcol uma distro Xubuntu voltada para uso em escolasXubEcol uma distro Xubuntu voltada para uso em escolas

Embora para o campo educacional haja realmente poucas distribuições que tenham esse enfoque, levando em conta o grande número de distros que existem, as que são voltadas para fins educacionais realmente representam muito pouco.

É por isso que esse artigo irá falar sobre uma excelente distribuição do Linux que toma o Xubuntu como base e é de onde os desenvolvedores partem, para oferecer um sistema para as escolas.

A distro chama-se XubEcol. Ela é mais do que um sistema, mas uma solução que pode ser instalada nas escolas rurais, segundo os diretores, para estender a vida útil de computadores cujos sistemas proprietários originais se tornaram obsoletos.

Configuração com impressoras, projetor de vídeo é garantida, assim como treinamento e manutenção do usuário.

Sobre o XubEcol

Como todos sabem, as escolas não têm o mesmo equipamento que as grandes multinacionais, e é por isso que em muitas instituições os equipamentos que eles contam são classificados como obsoletos,

E o problema piorou desde que a Microsoft abandonou o Windows XP em abril de 2014. É financeira e tecnicamente inconcebível atualizar tudo para uma versão mais recente do Windows.

É nesse ponto que o XubEcol entra como uma opção concebida para essa área e para equipamentos datados.

Atualmente a distro XubEcol está em sua versão B1809 que é baseada no Xubuntu 18.04.1 LTS Bionic Beaver, com as atualizações de setembro de 2018. O link é esse.

A imagem ISO que é oferecida para download é gerada com a ferramenta Pinguim Builder.

Um acesso direto ao instalador pode ser encontrado no diretório XubEcol da pasta pessoal (sessão do aluno). Um script permite a construção desta adaptação do Xubuntu.

Além disso, os desenvolvedores desta distribuição Linux oferecem em seu site alguns scripts de nos quais os usuários podem usá-los para personalizar a distribuição de acordo com as necessidades que eles têm com o sistema.

Por que o Xubuntu e por que personalizá-lo?

O Xubuntu é uma pequena distribuição Linux que não precisa de apresentação. Foi demonstrado que agora é possível ter um sistema com poucos recursos, confiável e seguro.

Ele é muito eficiente em termos de recursos e, portanto, permite reviver computadores antigos, e como muitas das distribuições do Linux, o Xubuntu é totalmente personalizável.

Características

Nessa distribuição, os seguintes aplicativos foram eliminados: Abiword, Gnumeric, Pidgim, Gmusicbrowser, Transmission, Xchat, Word, Thunderstorm

E em seu lugar foram adicionados os seguintes: Vlc, Pinta, Chromium, LibreOffice, Gcompris, Tuxpaint, Tuxtype, Audacity.

Como forma de garantir tanto quanto possível a navegação dos alunos, eles decidiram configurar o navegador Firefox com as seguintes opções na sessão do aluno:

  • Qwant Junior é o mecanismo de pesquisa padrão (o Google foi removido);
  • O AdBlok Plus está configurado. Ele será substituído na próxima versão pelo uBlock Origin, que parece ser muito menos intensivo em recursos;
  • Para as escolas da Academia de Montpellier, a procuração do reitor é estabelecida, mas não é ativada, porque é necessário ter os identificadores da escola.

Baixe e experimente o XubEcol

A imagem ISO do XubEcol já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO do XubEcol está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o informativo Dino no Linux via Snap

Se você gosta de dinossauros e quer saber mas sobre eles, conheça e veja como instalar o informativo Dino no Linux via Snap.


Os dinossauros fascinam muitas pessoas, e para esses, saber mais sobre eles é muito importante.Como instalar o informativo Dino no Linux via SnapComo instalar o informativo Dino no Linux via Snap

Dino é uma coleção simples de dinossauros. A maioria das informações foi coletada do wiki da comunidade FANDOM, que está sob licença CC-BY-SA. O ícone principal é baseado em um clipart vetorial livre de domínio público de CLKER.COM

Como instalar o informativo Dino no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o informativo Dino no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o informativo Dino no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install dino

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh dino

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite dino ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o informativo Dino no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o informativo Dino no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove dino

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Orbital Um emulador de PlayStation 4 que emula a GPU AMD do PS4 usando o Vulkan

Se você é fã do console de jogos da Sony, conheça o Orbital, um emulador de PlayStation 4 que emula a AMD do PS4 usando o Vulkan.


Emuladores de consoles existem aos montes e prometem entregar a mesma experiência da plataforma que simulam, só que no PC. Nesse cenário, destacam-se aqueles que entregam o máximo de compatibilidade com os jogos.Orbital - Um emulador de PlayStation 4 que emula a GPU AMD do PS4 usando o VulkanOrbital – Um emulador de PlayStation 4 que emula a GPU AMD do PS4 usando o Vulkan

Orbital – Um emulador de PlayStation 4 que emula a GPU AMD do PS4 usando o Vulkan

O Orbital é um projeto de código aberto que fornece um emulador de PlayStation 4 baseado em virtualização que ainda está em seus estágios iniciais, mas o que o torna interessante são seus detalhes técnicos, incluindo o uso do Vulkan/SPIR-V.

O Orbital utiliza o QEMU e outros componentes de código aberto. Neste estágio, ele não roda nenhum jogo PS4, mas é capaz de inicializar em modo seguro nos kernels PS4 5.xx.

O suporte gráfico é obtido através da emulação total do processador gráfico AMD Sea Islands do PS4 usando o Vulkan e então recompilando dinamicamente o bytecode GCN no SPIR-V para que o IR comum possa então ser enviado para o driver Vulkan do sistema host.

Com essa configuração, eles podem ver as saídas de gráficos, incluindo as mensagens de erro do PS4:

Orbital está sendo trabalhado atualmente no Windows, e Linux. Os requisitos do sistema serão substanciais, já exigindo CPUs compatíveis com AVX2 e 12 GB de RAM.

Claro, o Orbital não tem a bênção da Sony, mas se você estiver interessado em mergulhar no código – não é algo útil para os jogadores ainda nem provável por algum tempo – e aprender mais sobre a emulação de GPUs Radeon usando Vulkan/SPIR-V, o projeto está hospedado no GitHub, onde eles também têm um roadmap (roteiro).

[embedded content]

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente do jogo RuneScape no Linux via Flatpak

Se você gosta de jogos online sem história pré definida, conheça e veja como instalar o cliente do jogo RuneScape no Linux via Flatpak.


RuneScape é um jogo no estilo MMORPG criado oficialmente em 1998, por Andrew Gower (com o nome DeviousMUD), e atualmente produzido pela empresa britânica Jagex.Como instalar o cliente do jogo RuneScape no Linux via FlatpakComo instalar o cliente do jogo RuneScape no Linux via Flatpak

Diferentemente de outros MMORPGs, RuneScape não tem uma história a ser seguida obrigatoriamente, apesar de haver toda uma história sobre o tempo anterior ao qual o jogador se situa.

RuneScape se passa no universo fictício de Guilenor, que é dividido em vários reinos, regiões, cidades e vilas. Os jogadores podem se deslocar por Guilenor a pé, utilizando feitiços de teletransporte, balões, navios e outros.

Os jogadores são representados por avatares customizáveis, cujas metas e objetivos são definidos pelos próprios jogadores.

Estes podem lutar contra monstros ou até outros jogadores, adentrar em aventuras ou aumentar a experiência em quaisquer das habilidades disponíveis, também conhecidas como skills.

Cada região oferece diferentes tipos de monstros, recursos e aventuras (missões), que desafiam o jogador.

Os jogadores podem interagir entre si através de conversa, trocas de itens, ou participando de minijogos cooperativos ou competitivos.

Como instalar o cliente do jogo RuneScape no Linux via Flatpak

Para instalar o cliente do jogo RuneScape no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o cliente do jogo RuneScape no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from ://flathub.org/repo/appstream/com.jagex.RuneScape.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.jagex.RuneScape

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.jagex.RuneScape

Ou

flatpak uninstall com.jagex.RuneScape

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.jagex.RuneScape em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite runescape ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

E se você gostou do aplicativo, deixe suas impressões nos comentários!

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

NixOS – uma distribuição independente (e diferente) com KDE

O projeto NixOS entrega ao usuário uma distribuição (e ) com KDE. Conheça mais um pouco sobre ela e descubra onde baixar a distro.


NixOS é uma distribuição GNU/Linux desenvolvida de forma independente e que usa o gerenciador de pacotes Nix para lidar com pacotes e configurações do sistema.NixOS - uma distribuição independente (e diferente) com KDENixOS R; uma distribuição independente (e diferente) com KDE

Esta distro é diferente. E é um bom tipo de diferente. É liso, compartimentado, e muito perdoando (ao contrário de algumas distros).

É leve por padrão, e dá ao usuário a habilidade de configurar tudo e qualquer coisa apenas a maneira que você quer.

Nix armazena todos os pacotes de forma isolada um do outro; como resultado não há /bin, /sbin, /lib ou /usr e todos os pacotes são mantidos em /nix/store.

Outras características inovadoras de NixOS incluem atualizações de confiança, reversões, configurações de sistema reprodutíveis, modelo baseado na fonte com os binários e gerenciamento de pacotes multiusuário.

NixOS oferece muitos recursos avançados de gerenciamento de pacotes, incluindo roll backs e operações de pacotes atômicos.

Embora NixOS tenha começado como um projeto de pesquisa, agora ele é um sistema operacional funcional e utilizável que inclui a detecção de hardware, o KDE como o desktop padrão, e sistemas de gestão de serviços do sistema.

NixOS automaticamente inicia o ambiente KDE Plasma 5. É um ambiente muito agradável, limpo, e não existem erros.

Apresentado no ambiente live na área de trabalho estão GParted e o manual NixOS, pré-baixado para você. O manual fornece instruções sobre como a distro. É muito fácil de seguir.

A parte mais fascinante do NixOS é o arquivo de configuração para esta instalação, conhecido como configuration.nix. O usuário coloca todas as configurações e necessidades específicas de seu sistema neste arquivo.

Você pode pré-escolher os pacotes, os drivers que deseja usar, o ambiente de desktop, o gerenciador de exibição, as opções de gerenciamento de rede, o gerenciador de inicialização, o fuso horário, o servidor de exibição, os usuários, as opções do touchpad, etc.

O site da NixOS diz: “O Nix constrói pacotes isolados um do outro, o que garante que eles sejam reprodutíveis e não tenham dependências não declaradas, portanto, se um pacote funciona em uma máquina, também funcionará em outra”.

A maioria das coisas que você for tentar no NixOS funcionam sem problemas. Netflix, Amazon Video, seus jogos favoritos no Steam, LibreOffice, etc.

Pode até acontecer alguns problemas com a instalação de extensões do GNOME, mas o trabalho para resolver isso consiste em encontrar o arquivo zip da extensão e instalá-lo com a ferramenta GNOME Tweak.

O ambiente de área de trabalho padrão é Plasma e o SDDM é o gerenciador de exibição padrão, mas isso não precisa ser o caso, porque é fácil mudar o software no arquivo configuration.nix . Assim, a sua primeira compilação pode ter o que quiser.

Resumindo tudo: NixOS é uma distribuição diária viável para usuários comuns que estão dispostos a colocar uma pequena quantidade de trabalho nele.

Uma vez que é um pouco estranho, o conhecimento sobre NixOS pode não traduzir bem para outras distros. Por fim, NixOS é muito leve e utilizável.

Baixe e experimente o NixOS

A imagem ISO do NixOS pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Firefox 66 lançado com compatibilidade para o GNOME Desktop

A Fundação Mozilla anunciou que lançou o Firefox 66 compatibilidade para o Desktop e melhor desempenho. Confira as novidades e veja como instalar ou atualizar.


O Firefox é o navegador padrão do Ubuntu e de outros sistemas Linux, e normalmente, a última versão do Firefox fica disponível como uma atualização de segurança em todas as versões suportadas das principais distribuições Linux, pouco depois de algumas horas do anúncio da Mozilla.Firefox 66 lançado com compatibilidade para o GNOME DesktopFirefox 66 lançado com compatibilidade para o GNOME Desktop

Agora, a Mozilla lançou o navegador Firefox 66 para todas as plataformas suportadas, incluindo Linux, macOS e Microsoft Windows, com novos recursos e várias melhorias de desempenho.

Novidades do Firefox 66

O Firefox 66 é a primeira versão do navegador a esconder a barra de título do sistema por padrão quando executada na parte superior do ambiente de área de trabalho do GNOME.

Se você olhar a captura de tela mais acima, verá que o Firefox agora respeita as diretrizes do GNOME e parece muito melhor.

Também para usuários do Linux, a versão do Firefox 66 resolve um problema que impedia o navegador de baixar arquivos sem congelar.

Além disso, a Mozilla melhorou o desempenho geral de seu navegador da Web de código aberto e reduziu as taxas de falhas para dobrar os processos de carregamento de conteúdo web de 4 para 8.

Quanto aos novos recursos, o Firefox 66 implementa um mecanismo que bloqueia sites de reproduzir automaticamente conteúdo de áudio e vídeo, o que pode ser muito irritante em algumas situações.

A Mozilla deu aos usuários a capacidade de escolher quais sites poderão reproduzir conteúdo multimídia adicionando-os a uma lista de permissões.

Com o Firefox 66, o Mozilla melhorou a experiência de pesquisa, permitindo que os usuários encontrassem uma página específica muito mais rapidamente quando tinham várias abas abertas no menu de abas, além de facilitar a busca por uma nova aba redesenhada no modo Janela Privada.

Também foi melhorada a experiência de rolagem, que agora é mais suave.

Outras mudanças notáveis ​​adicionadas ao lançamento do Firefox 66 incluem uma experiência de usuário muito melhorada para extensões, que agora armazenam suas configurações em um banco de dados em vez de arquivos JSON individuais para uma navegação mais rápida, e uma seção de atalhos de teclado renovada na página ‘about:addons’, para uma configuração de atalhos mais fácil.

A Mozilla também está experimentando uma experiência aprimorada de Pocket na página New Tab, permitindo mais conteúdo tópico e diferentes layouts no navegador Firefox 66.

Para saber mais sobre essa versão do Firefox, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Firefox

A nova versão estará no repositório oficial do Ubuntu e outras distros em breve. Até lá, quem quiser se adiantar (ou não), deve usar uma das opções abaixo.

Para instalar a versão mais recente do Firefox em qualquer distribuição Linux, use esse tutorial:
Firefox no Linux: veja como instalar manualmente

Se você precisa de um Firefox estável e que suporta plugins abandonados pela versão principal do navegador, veja como instalar o Firefox ESR no Linux manualmente.
Firefox ESR no Linux – veja como instalar manualmente

Já se você usa o Ubuntu ou um derivado dele e atualizou o sistema, e a nova versão não apareceu, siga os passos deste tutorial e resolva seu problema.
Firefox no Ubuntu: veja como manter o navegador atualizado

E se você quiser experimentar as últimas versões do Firefox no Ubuntu, dê uma olhada nesse tutorial:
Como experimentar as últimas versões do Firefox no Ubuntu

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o navegador Firefox no Linux via Snap

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

BricsCAD no Linux – Conheça e instale essa alternativa ao AutoCAD

Se você usa o sistema do pinguim e procura um aplicativo de CAD que seja uma alternativa ao AutoCAD, conheça e experimente o BricsCAD no Linux.


BricsCAD é um software comercial de CAD (computer aided design) com versões para Windows e Linux.BricsCAD no Linux - Conheça e instale essa alternativa ao AutoCADBricsCAD no Linux – Conheça e instale essa alternativa ao AutoCAD

O programa é uma solução profissional que se destaca como uma alternativa ao AutoCAD, pois possui alta compatibilidade e comandos semelhantes aos do aplicativo da Autodesk. Para completar, com o programa você pode usar AutoLISP, ADS e VB.

O formato padrão dos arquivos de desenho do BricsCAD é o DWG (o mesmo do AutoCAD), isso permite que desenhos do AutoCAD sejam visualizados e editados sem necessidade de conversão.

BricsCAD Grátis para estudantes e escolas

Para a maioria das pessoas, o BricsCAD pode ser usado gratuitamente por 30 dias, ao optar pela opção “Trial”, na primeira inicialização.

Mas para estudantes, professores e laboratórios das instituições educacionais regulares ele pode ser gratuito por 12 meses. Para conseguir isso, basta acessar a página CAD para estudantes.

Como o BricsCAD no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Para instalar o BricsCAD no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados, basta baixar o pacote RPM ou DEB, disponível nessa página, e dar um duplo clique sobre ele.

Depois, confirme a instalação e aguarde até terminar o processo. Para mais detalhes, veja abaixo:

Passo 1. Acesse o site do BricsCAD;
Passo 2. Na página, digite seu e-mail e depois clique no link “Outro Sist. Operacional?”. Em seguida, escolha o sistema (e no caso do Linux, a distribuição), o idioma, a arquitetura (32 ou 64 bits) e então clique no botão “Confirmar”. Finalmente, clique em “Download do BricsCAD”;

BricsCAD no Linux - Conheça e instale essa alternativa ao AutoCAD

Passo 3. Terminado o download, basta clicar duas vezes no arquivo baixado, que o gerenciador de pacotes de sua distribuição será aberto para instalar o programa. Confirme e autorize a instalação, e em pouco tempo estará pronto.

BricsCAD no Linux - Conheça e instale essa alternativa ao AutoCAD

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o atalho dele ou digite bricscad em um terminal, seguido da tecla TAB.

BricsCAD no Linux - Conheça e instale essa alternativa ao AutoCAD

BricsCAD no Linux - Conheça e instale essa alternativa ao AutoCAD

Veja também

Se você procura outras opções de aplicativos para 3D/CAD no Linux, Veja esse artigo:
3D/CAD no Linux – conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a incrível calculadora qalculate no Linux via Snap

Se você precisa de uma ferramenta completa para fazer seus diferentes cálculos do dia a dia, conheça e veja como instalar a incrível calculadora qalculate no Linux via .


Qalculate é um software livre (licença GPL v2) e uma calculadora para PC multiplataforma e multi uso.Como instalar a incrível calculadora qalculate no Linux via SnapComo instalar a incrível calculadora qalculate no Linux via Snap

Pequena e simples de usar, essa calculadora fornece poder e versatilidade normalmente reservados para pacotes matemáticos complicados, bem como ferramentas úteis para as necessidades diárias (como conversão de moeda e cálculo de porcentagem).

Os recursos incluem uma grande biblioteca de funções personalizáveis, cálculos de unidade e conversão, cálculos simbólicos (incluindo integrais e equações), precisão arbitrária, aritmética de intervalo, plotagem e uma interface amigável (GTK+ e CLI).

Como instalar a incrível calculadora qalculate no Linux via Snap

Como instalar a versão mais recente do incrível calculadora qalculate no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o incrível calculadora qalculate no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o incrível calculadora qalculate no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install qalculate

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install qalculate --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install qalculate --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install qalculate --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh qalculate

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove qalculate

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite qalculate ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via AppImage

Se você quer editar seus vídeso com facilidade e diversos recursos, conheça e veja como instalar o editor de vídeos no Linux via AppImage.


Shotcut é um excelente editor de vídeos multiplataforma e de código aberto, que tem uma abundância de recursos, incluindo suporte a 4K Ultra HD TV.Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via AppImageComo instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via AppImage

O mais incrível é que o programa é fácil de usar e oferece toneladas de funções e recursos para editar/gerenciar os seus vídeos com apenas alguns cliques do mouse.

Com ele, você pode facilmente analisar o vídeo quadro a quadro, ajustar todos os aspectos do vídeo e muitas outras tarefas de edição complexas.

Além de tudo isso, o programa pode trabalhar com uma grande quantidade de formatos de e vídeo e codecs como AVI, M4A, MXF, VOB, FLV, MP4, M2T, MPG, MOV, OGG, WEBM, e outros. Além disso, ele também suporta muitos formatos de imagem como BMP, GIF, JPEG, PNG, SVG, TGA, TIFF, bem como sequências de .

Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via AppImage

Para instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome shotcut.appimage:

wget ://github.com/mltframework/shotcut/releases/download/v19.02.28/Shotcut-190228.glibc2.14-x86_64.AppImage -O shotcut.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x shotcut.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./shotcut.appimage

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite shotcut ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Veja também

Se você usa o Ubuntu (ou um derivado dele), também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via Flatpak
Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente
Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a última versão do Whisker Menu no Linux

Se seu ambiente padrão é , que tal deixar ele ainda mais fácil de usar? Para conseguir isso, a última versão do Whisker Menu.


Whisker Menu é um lançador de aplicativos alternativo para Xfce e uma alternativa inovadora para o menu padrão do ambiente XFCE.

Como instalar a última versão do Whisker Menu no Linux

O recurso inclui uma moderna barra de pesquisa e permite que os usuários possam acessar facilmente todos os aplicativos instalados a partir do sistema, ou acessar aplicações por categorias. Ele também se lembra dos últimos 10 aplicativos que foram usados recentemente.

A seguir você verá como como instalar o Whisker Menu no Ubuntu, Linux Mint, Debian, Fedora, OpenSUSE e sistemas derivados destes. Claro, todos usando o XFCE como o ambiente desktop.

Como instalar o Whisker Menu no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Whisker Menu no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:gottcode/gcppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install xfce4-whiskermenu-plugin

Passo 5. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove xfce4-whiskermenu-plugin

Como instalar o Whisker Menu no Debian e sistemas derivados

Para instalar o o Whisker Menu no Debian e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se você estiver usando um Debian 8, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/Debian_8.0/ /" >> /etc/apt/sources.list.d/xfce4-whiskermenu-plugin.list'

Passo 2. Se você estiver usando um Debian 9, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/Debian_8.9/ /" >> /etc/apt/sources.list.d/xfce4-whiskermenu-plugin.list'

Passo 3. Baixe e importe a chave do repositório com estes comandos:

wget http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/Debian_8.0/Release.key
sudo apt-key add - < Release.key

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install xfce4-whiskermenu-plugin

Passo 6. Se por algum motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

sudo apt-get remove xfce4-whiskermenu-plugin

Como instalar o Whisker Menu no Fedora e sistemas derivados

Para instalar o Whisker Menu no Fedora e sistemas derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se seu sistema for um Fedora 28 (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/Fedora_28/home:gottcode.repo -O /etc/yum.repos.d/home:gottcode.repo

Passo 3. Se seu sistema for um Fedora 29 (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:gottcode/Fedora_29/home:gottcode.repo -O /etc/yum.repos.d/home:gottcode.repo

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo yum update

Passo 5. Para instalar o programa cliente com suporte a vídeo, em ambientes desktop baseados na biblioteca GTK;

sudo yum install xfce4-whiskermenu-plugin

Passo 6. Se por algum motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

sudo yum remove xfce4-whiskermenu-plugin

Como instalar o Whisker Menu no OpenSUSE e sistemas derivados

Para instalar o Whisker Menu no OpenSUSE e sistemas derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se seu sistema for um openSUSE Factory (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/openSUSE_Factory/home:gottcode.repo

Passo 3. Se seu sistema for um openSUSE Tumbleweed (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/openSUSE_Tumbleweed/home:gottcode.repo

Passo 4. Se seu sistema for um openSUSE Leap 42.3 (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/openSUSE_Leap_42.3/home:gottcode.repo

Passo 5. Se seu sistema for um openSUSE Leap 15.0 (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/openSUSE_Leap_15.0/home:gottcode.repo

Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo zypper refresh

Passo 7. Para instalar o programa cliente com suporte a vídeo, em ambientes desktop baseados na biblioteca GTK;

sudo zypper install xfce4-whiskermenu-plugin

Passo 8. Se por algum motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

sudo zypper remove xfce4-whiskermenu-plugin

Uma vez instalado, adicione o Whisker Menu no painel, clicando com o botão direito do mouse no painel e selecionando “Panel” > “Add New Items…” (“Painel” > “Adicionar novos itens…”), em seguida, selecione “Whisker Menu” e clique em “Add” (Adicionar) e depois mova ele para a esquerda.

whisker menu

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Kodi Foundation agora faz parte da Linux Foundation

Em um anuncio entusiasmado, a criadora do media center informou que a Foundation agora faz parte da Linux Foundation. Confira os detalhes dessa importante adesão.


Como um consórcio sem fins lucrativos, a Linux Foundation dedica seus recursos para ajudar os ecossistemas Linux e Open Source a crescer e evoluir, fornecendo-lhes suporte financeiro e intelectual, infraestrutura e serviços de TI, além de treinamento e certificação.Kodi Foundation agora faz parte da Linux FoundationKodi Foundation agora faz parte da Linux Foundation

Já a Kodi Foundation é um consórcio de tecnologia sem fins lucrativos que desenvolve o aplicativo de mídia de código aberto Kodi.

Kodi Foundation agora faz parte da Linux Foundation

Agora, a Kodi Foundation teve o orgulho de anunciar que finalmente decidiu se unir à The Linux Foundation, em sua tentativa de enriquecer o ecossistema de software livre e de código aberto.

A partir de hoje, a The Kodi Foundation, fabricante do software de media center gratuito, de código aberto e multiplataforma conhecido como Kodi (anteriormente XBMC), é agora um membro associado da The Linux Foundation na tentativa de contribuir com seu código para o Comunidade de software Open Source e ajudar projetos similares a evoluir.

Em seu comunicado de imprensa, a Fundação Kodi disse o seguinte:

“Pareceu-nos natural aderirmos, dado o facto de sermos fortes defensores dos benefícios do software de código aberto. Acreditamos firmemente que o código aberto é a melhor maneira de alcançar coisas fantásticas. Foi isso e ainda é o que move a Kodi. para a frente.”

Ao se unir à Linux Foundation, a The Kodi Foundation acredita firmemente que seu trabalho e o trabalho de outros projetos de código aberto levarão a inovações reais, o que não seria possível se o código fosse fechado ou se fosse sufocado pelas visões de empresas e recursos alocados.

Sobre isso, a Kodi Foundation comentou:

“Esta é uma história que acontece todos os dias. Um indivíduo compartilha algum código pensando, dois dias depois, alguém em todo o mundo envia um patch para consertar um bug ou sugerir uma melhoria. Agora há dois indivíduos que trabalham em um problema comum. Quando as pessoas cooperam e compartilham, o projeto em mãos e a comunidade sempre se beneficiarão.”

O resumo de tudo é que com essa adesão, cada vez mais a comunidade de software livre e de código aberto ganha força e espaço no cenário mundial. Parabéns a todos por mais essa conquista. Que o futuro seja livre!

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

MATE 1.22 lançado com correções de bugs críticos e melhorias

E foi lançado o MATE 1.22 com correções de bugs críticos e melhorias. Confira todas as novidades e veja como atualizar no Linux.


O MATE Desktop Environment é a continuação do GNOME 2 e que fornece um ambiente de trabalho intuitivo e atraente usando metáforas tradicionais para outros sistemas operacionais Unix-like e Linux.MATE 1.22 lançado com correções de bugs críticos e melhoriasMATE 1.22 lançado com correções de bugs críticos e melhorias

Esse ambiente de desktop está em desenvolvimento ativo para adicionar suporte para novas tecnologias, sempre preservando uma experiência tradicional de desktop.

O MATE 1.22 agora está disponível como a de recurso mais recente para este fork dos componentes da área de trabalho do GNOME 2.

Novidades do MATE 1.22

O MATE 1.22 apresenta muitas atualizações sobre a adaptação do MATE-Panel para trabalhar com Wayland, uma revisão completa do widget de exibição MATE, atualização do tratamento de temas de metacity, o gerenciador de sessão encerra corretamente todos os processos no systemd, mais programas foram portados para o Python 3 e uma variedade de outras melhorias.

Algumas das pequenas mudanças incluem mais atalhos de teclado, mais formatos de compressão sendo suportados pela Engrampa, o gerenciador de arquivos Caja pode exibir notificações na área de trabalho em operações de arquivos de longa duração e várias correções de bugs, bem como atualizações de tradução.

Todos os itens acima são um breve resumo. Esta versão contém muitas correções de bugs críticos e melhorias sob o capô.

Alguns dos grandes destaques incluem:

  • O painel MATE obteve uma quantidade louca de retrabalho para que funcione com o backend de exibição do Wayland;
  • O applet de exibição recebeu uma renovação completa, permitindo melhor controle do monitor diretamente do painel;
  • O applet do timer agora tem uma interação muito melhor com o mouse;
  • Wanda the Fish agora funciona corretamente nas telas HiDPI (a imagem do peixe ainda está pixelada, mantendo seu design original);
  • Suporte para temas de metacity foi finalmente atualizado para a versão 3 no gerenciador de janelas marco;
  • Também foram modernizados os alternadores de janelas e desktops para torná-los visualmente mais atraentes;
  • O gerenciador de sessões agora encerra corretamente todos os processos no systemd. Além disso, os aplicativos podem ser iniciados automaticamente após um atraso selecionado pelo usuário;
  • Foram integrados vários programas ao Python 3, incluindo o olho das bibliotecas de plugins MATE e python-caja, bem como a biblioteca de menus de mate;
  • Agora, o gerenciador de arquivos do caja pode exibir notificações da área de trabalho para operações de arquivos de longa duração;
  • Eye of MATE tem uma barra lateral retrabalhada e melhor suporte de metadados de imagem;
  • Guias em pluma agora têm a capacidade de ser alternado com atalhos de teclado e rolagem do mouse;
  • A calculadora agora pode suportar até 15 caracteres de precisão. O suporte a copiar/colar também melhorou um pouco;
  • A Engrampa teve suporte adicionado para vários novos formatos de compactação, bem como uma nova funcionalidade de pausa/reinicialização;
  • Alguns novos atalhos de teclas foram adicionados, incluindo suporte a diferentes tipos de chaves de mídia, como Bluetooth, WiFi, touchpads e interruptores globais;

Além disso tudo, um monte de tarefas internas de limpeza foram atendidas:

  • A maioria dos projetos do MATE já migraram do dbus-glib para o GDBus;
  • Foi melhorada a estabilidade em muitos dos nossos projetos, fechando vazamentos de memória e criando avisos;
  • Foi removido o código antigo obsoleto para acompanhar as versões mais recentes do GTK;
  • Muita documentação nova e atualizada foi adicionada/corrigida;
  • Todos os projetos agora usam o Travis CI para garantir uma construção limpa em algumas das nossas principais distros;

Para saber mais sobre essa versão do MATE, acesse o anúncio de lançamento.

Como instalar ou atualizar o MATE

O MATE 1.22 estará disponível em breve nas atualizações do seu sistema ou através de uma atualização de versão. Assim que ele aparecer, basta atualizar e pronto!

Mas se você estiver com pressa e quiser compilar os softwares que compõem esse ambiente, basta acessar a página de download dele, baixar os pacotes e compilar.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Mesa 18.3.5 lançado com correções de driver Intel/Radeon Vulkan

Foi lançado o 18.3.5 com correções de Intel/Radeon Vulkan, além de outras novidades. Confira mais detalhes desse lançamento.


Drivers MESA são os drivers de software Linux de código aberto disponíveis para hardware AMD, NVIDIA e Intel.Mesa 18.3.5 lançado com correções de driver Intel/Radeon VulkanMesa 18.3.5 lançado com correções de driver Intel/Radeon Vulkan

Esse conjunto serve como uma alternativa de fonte aberta para drivers proprietários de código fechado fornecidos por fornecedores de GPU.

Novidades do Mesa 18.3.5

A série 18.3 do Mesa será encerrada em breve com o lançamento do Mesa 19.0, agora estável desde a semana passada, mas nesse momento é a versão 18.3.5 que é a última atualização.

O Mesa 18.3.5 é composto de mais de duas dúzias de alterações que correspondem principalmente a várias correções de driver Intel ANV e Radeon RADV Vulkan.

Entre as mudanças estão o RADV atualizando a lista de hardware com capacidade de compactação de texturas ETC2, interpolando menos agressivamente com o driver Radeon Vulkan, uma correção EGL para compilações sem librm, ANV agora anunciando oito bits de precisão de subpixel, adicionando a opção NIR DriConf ativada por RadeonSI (assim como habilitá-lo por padrão para o VI Civilization), e uma série de outras correções principalmente ANV/RADV.

Para saber mais sobre essa versão do Mesa, acesse a nota de lançamento.

Como ou atualizar o Mesa 18.3.5

Se você deseja aproveitar a melhor experiência de jogo possível em seu computador com Linux, é altamente recomendável atualizar para o Mesa 18.1 o mais rápido possível.

Provavelmente, você poderá instalar o Mesa 18.1 a partir dos repositórios principais do seu sistema operacional favorito nas próximas semanas, mas se você usa o Ubuntu ou um derivado dele, confira esse tutorial:

Como instalar a versão mais recente do driver Mesa no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Cloudflare lançou duas novas ferramentas de interceptação HTTPS

A Cloudflare lançou duas novas ferramentas de interceptação HTTPS. Conheça cada uma delas e o que fazem e entenda como elas podem ajudar a melhorar a do serviço.


As razões por trás da interceptação de HTTPS podem ser benignas e mal-intencionadas, e acontece quando as conexões da Internet passam por um proxy ou uma middlebox, em vez de conectar o cliente diretamente ao servidor, levando a situações apelidadas de ‘monster-in-the-middle’ pela Cloudfare.Cloudflare lançou duas novas ferramentas de interceptação HTTPSCloudflare lançou duas novas ferramentas de interceptação HTTPS

Um artigo de pesquisa sobre o impacto de segurança da interceptação HTTPS de 2017 descobriu que a interceptação de conexão HTTPS é surpreendentemente generalizada, com “62% do tráfego que atravessa uma middlebox de rede reduzindo a segurança e que 58% das conexões de middlebox têm vulnerabilidades severas.”

Além disso, depois de analisar o comportamento de antivírus e proxies corporativos populares, os pesquisadores descobriram que “quase todos reduzem a segurança de conexão e muitos introduzem vulnerabilidades (por exemplo, quando não validam certificados)”.

A Cloudflare lançou duas novas ferramentas de interceptação HTTPS

Agora, a Cloudfare anunciou o lançamento de duas novas ferramentas projetadas para simplificar a verificação de conexões TLS a um site, para detectar clientes vulneráveis ​​e notificá-los quando a segurança estiver comprometida ou degradada.

a Cloudfare anunciou a introdução de duas novas ferramentas: uma biblioteca de código aberto para detecção de interceptação HTTPS, chamada MITMEngine, e um painel que exibe métricas estatísticas sobre conexões TLS sendo interceptadas conforme observado pelo Cloudflare em sua rede, chamada MALCOLM.

Segundo a empresa, a interceptação HTTPS pode ocorrer quando os dispositivos vêm com um certificado raiz instalado que pode permitir que um terceiro descriptografe e inspecione o tráfego da Internet ou quando um servidor de origem fornece sua chave privada TLS a um terceiro (como um proxy reverso) que faz a terminação TLS.

A interceptação HTTPS pode acontecer devido a:

  • Antivírus e proxies corporativos projetados para detectar conteúdo impróprio, malware e violações de ;
  • Proxies de malware que podem roubar informações confidenciais e injetar conteúdo no tráfego da Web;
  • Proxies com fuga à frente com TLS podem vazar informações privadas ou permitir spoofing de resposta;
  • Proxies reversos usados ​​pelos servidores de origem para melhorar a segurança das conexões HTTPS do cliente.

A biblioteca Golang de detecção de interceptação HTTPS MITMEngine da Cloudfare foi projetada especificamente para ajudar a identificar a probabilidade de conexão HTTPS ser interceptada por conexão com a Internet, ingerindo User Agents and TLS Client Hello fingerprints.

Ao procurar diferenças em todas as informações coletadas, o MITMEngine fornece “detecção precisa de interceptação HTTPS e impressão digital robusta de TLS”, sendo capaz de identificar quando as conexões HTTPS são interceptadas, bem como qual software os invasores em potencial podem ter usado.

A empresa também introduziu o painel MALCOLM, uma ferramenta de acesso público projetada para exibir “estatísticas de interceptação de HTTPS coletadas pelo mecanismo MITMengine (Monster-In-The-Middle), o detector de interceptação HTTPS da Cloudflare.”

No gráfico abaixo, o Cloudfare rastreou a porcentagem de conexões HTTPS interceptadas em sua rede nos últimos 30 dias.

Cloudflare lançou duas novas ferramentas de interceptação HTTPS

Conforme detalhado em seu post no blog, o status desconhecido é gerado quando não há “impressão digital de referência para um determinado navegador ou bot; como resultado, não é possível avaliar se a interceptação HTTPS ocorreu”.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o FreeOffice 2018 no Linux manualmente

Se você está procurando uma alternativa ao Microsoft para usar no sistema do pinguim, conheça e veja como o 2018 no Linux manualmente.


O SoftMaker FreeOffice 2018 é uma verdadeira suíte office gratuita para utilização residencial ou comercial, e também, uma ótima alternativa ao Microsoft Office.Como instalar  o FreeOffice 2018 no Linux manualmenteComo instalar o FreeOffice 2018 no Linux manualmente

Esse fornece uma suíte Office completa com um processador de texto (textMaker), um aplicativo de planilha (PlanMaker) e um programa de apresentações (Presentations), todos compatíveis com o Microsoft Office.

Usando o FreeOffice 2018 você pode não só abrir, mas também salvar documentos nos formatos de arquivo da Microsoft: DOCX, XLSX e PPTX.

Além disso, ele permite que você compartilhe arquivos diretamente com usuários do Microsoft Office, sem precisar exportá-los primeiro.

Nota: Antes de usar o procedimento de instalação abaixo, você precisa fazer um pequeno registro do SoftMaker FreeOffice 2018. Para isso, acesse a página de cadastro do software.

Como instalar o FreeOffice 2018 programa no Linux

Para instalar o FreeOffice 2018 programa no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome freeoffice.tgz:

wget https://www.softmaker.net/down/softmaker-freeoffice-944-i386.tgz -O freeoffice.tgz

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome freeoffice.tgz:

wget https://www.softmaker.net/down/softmaker-freeoffice-944-amd64.tgz -O freeoffice.tgz

Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar xvzf freeoffice.tgz

Passo 6. Use o comando abaixo para iniciar a instalação do programa no sistema. Responda as perguntas do instalador e em poucos minutos estará pronto;

sudo ./installfreeoffice
Como instalar  o FreeOffice 2018 no Linux manualmenteComo instalar o FreeOffice 2018 no Linux manualmenteComo instalar  o FreeOffice 2018 no Linux manualmenteComo instalar o FreeOffice 2018 no Linux manualmente

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite freeoffice ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como remover o FreeOffice 2018 no Linux

Para remover o FreeOffice 2018 no Linux, basta fazer abrir um terminal e executar o seguinte comando:

/usr/bin/uninstall_smfreeoffice2018

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o FreeOffice 2018 no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o bonito tema macOS Sierra no Linux

Se você gosta do do macOS e quer experimentá-lo no sistema do pinguim, veja como instalar o bonito tema macOS Sierra no Linux.


O macOS Sierra (versão 10.12) é a décima terceira versão principal do macOS (anteriormente OS X), o sistema operacional de desktop e servidor da Apple Inc. para computadores Macintosh.Como instalar o bonito tema macOS Sierra no LinuxComo instalar o bonito tema macOS Sierra no Linux

O sucessor do OS X El Capitan, foi a primeira versão do sistema operacional lançada sob o rebranding de junho de 2016, que mudou o nome do sistema de OS X para macOS.

Curiosidade: Sierra é o nome da cadeia montanhosa da Sierra Nevada na Califórnia.

Com o tema macOS Sierra você poderá deixar seu sistema com o mesma aparência do macOS 12.12, e experimentar um pouco a experiência visual dessa versão do sistema operacional do Mac, sem sair do Linux.

Este tema é compatível com os ambientes Unity, GNOME, Cinnamon, Pantheon e Xfce, ficando muito bonito neste último.

Instalando o tema macOS Sierra no Linux

Para instalar o tema macOS Sierra no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Baixe o tema com o seguinte comando:

wget https://github.com/B00merang-Project/macOS-Sierra/archive/master.zip

Passo 3. Se você quiser instalar o tema apenas para o seu usuário, use o comando abaixo para descompactar o arquivo baixado na sua pasta de temas:

unzip master.zip -d .themes/

Passo 4. Se você quiser instalar o tema para todos os usuários, use o comando abaixo para descompactar o arquivo baixado na pasta de temas do sistema:

sudo unzip master.zip -d /usr/share/themes/

Depois de instalar, você pode usar o comando gsettings set org.gnome.desktop.interface gtk-theme "macOS-Sierra-master" no Unity, gsettings set org.gnome.desktop.interface gtk-theme "macOS-Sierra-master" e gsettings set org.gnome.desktop.wm.preferences theme "macOS-Sierra-master" no Gnome, xfconf-query -c xsettings -p /Net/ThemeName -s "macOS-Sierra-master" no XFCE, ou use os utilitários Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Ou, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Para deixar o visual mais completo e próximo do sistema da Apple, instale a Plank dock, usando o tutorial abaixo:
Plank no Ubuntu – instale uma Dock leve no Ubuntu e derivados

Desinstalando o tema macOS Sierra no Linux

Para desinstalar o tema macOS Sierra no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 3. Se você instalou o tema apenas para o seu usuário, use o comando abaixo para apagar a pasta dele dentro da sua pasta de temas:

rm -Rf .themes/macOS-Sierra-master/

Passo 3. Se você instalou o tema para todos os usuários, use o comando abaixo para apagar a pasta dele dentro da pasta de temas do sistema:

sudo rm -Rf /usr/share/themes/macOS-Sierra-master

Para voltar ao estado anterior, você pode usar o comando gsettings set org.gnome.desktop.interface gtk-theme "Radiance" ou os utilitários Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Ou, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu

Veja também

Se você não quer mexer com temas, mas procura por uma distro com visual parecido com o do macOS, leia esse artigo:
Conheça algumas distribuições Linux inspiradas no macOS

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Instalando a versão mais recente do digiKam no Linux

Quem precisa de uma ótima ferramenta para administrar e suas fotos pode usar o . E para ter sempre a versão mais recente do no Linux, basta seguir este tutorial.


digiKam é um software de código aberto para gerenciamento de fotos digitais para Linux, e Mac OS X.Instalando a versão mais recente do digiKam no LinuxInstalando a versão mais recente do digiKam no Linux

Ele possui diversas funcionalidades que permitem importar, exportar, visualizar, gerenciar, editar, melhorar, organizar, rotular, e compartilhar fotos em sistemas Linux.

Neste tutorial será mostrado como instalar o DigiKam no Kubuntu, Linux Mint KDE e outros sistemas derivados do Ubuntu que usam o KDE como ambiente desktop padrão.

O programa também pode ser instalado em sistema baseados no Ubuntu que não usam o KDE, através do repositório philip5/extra, mas isso irá instalar um monte de do KDE.

DigiKam permite aos usuários exportar suas coleções de imagens para dispositivos compatíveis com UPnP/DLNA. Esse recurso pode ser acessado em todas as visualizações do digiKam através do menu Ferramentas.

Como instalar a versão mais recente do digiKam no Linux

Para instalar a versão mais recente do digiKam no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar a versão mais recente do digiKam no Linux usando arquivo AppImage

Para instalar o a versão mais recente do digiKam no Linux usando um usando arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome digikam.appimage:

wget https://download.kde.org/stable/digikam/digikam-5.9.0-01-i386.appimage -O digikam.appimage

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome digikam.appimage:

wget https://download.kde.org/stable/digikam/digikam-5.9.0-01-x86-64.appimage -O digikam.appimage

Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x digikam.appimage

Passo 6. Agora instale o programa com o comando;

./digikam.appimage

Passo 7. Na janela que será exibida, responda os questionamentos até chegar no final da instalação;

Instalando a versão mais recente do digiKam no Ubuntu e derivados

Para instalar a versão mais recente do digiKam no Ubuntu e derivados, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Para instalar o DigiKam no Ubuntu com KDE ou com outros ambientes gráficos, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:philip5/extra

Passo 3. Para instalar o DigiKam no Ubuntu com KDE (Kubuntu), adicione o repositório do programa com este comando;

sudo add-apt-repository ppa:philip5/kubuntu-backports

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install digikam

Como instalar o DigiKam manualmente no Linux Ubuntu, Debian ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse endereço ou nesse endereço, e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite digikam no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Como remover o DigiKam no Ubuntu e seus derivados

Para remover o DigiKam no Ubuntu, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 4. Para desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove digikam --auto-remove

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o organizador de fotos Shotwell no Linux via Flatpak

Se você quer colocar ordem nas suas sem complicações, veja como o organizador de no Linux via .


O Shotwell é um organizador de fotos rápido e fácil de usar, projetado para a área de trabalho do GNOME e que suporta JPEG, PNG, TIFF e uma variedade de formatos de arquivo RAW.

Como instalar o organizador de fotos Shotwell no Linux via Flatpak

Ele permite que você importe fotos de sua câmera ou disco, organize-as por data e assunto, até mesmo classificações.

Ele também oferece edição básica de fotos, como corte, correção de olhos vermelhos, ajustes de cor e correção.

Por ser um de fotos não destrutivo, o Shotwell não altera suas fotos mestras, facilitando a experimentação e a correção de erros.

Quando estiver pronto, a Shotwell pode enviar suas fotos para vários sites, como Facebook, Flickr, Picasa (Google Plus) e muito mais.

Como instalar o organizador de fotos Shotwell no Linux via Flatpak

Para instalar o organizador de fotos Shotwell no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o organizador de fotos Shotwell no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.Shotwell.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.Shotwell
Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:
flatpak --user uninstall org.gnome.Shotwell

Ou

flatpak uninstall org.gnome.Shotwell

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.Shotwell em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite shotwell ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o organizador de fotos Shotwell no Ubuntu e derivados

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como configurar o acesso via proxy no Ubuntu com Unity

Está com dificuldade para acessar a Internet através de uma rede, mesmo depois de conectado? Então veja como configurar o via proxy no Ubuntu, que talvez isso resolva o seu problema.


Usar uma conexão de Internet nem sempre se resume a simplesmente conectar a uma rede que tem acesso a ela. Em alguns casos, é necessário fornecer uma informação a mais: os dados do proxy da rede.Como configurar o acesso via proxy no Ubuntu com UnityComo configurar o acesso via proxy no Ubuntu com Unity

Resumidamente, um proxy funciona como um canal que permite controlar e acelerar o acesso a Internet. Por conta dessas características, ele é usado por muitas empresas que oferecem acesso a Internet a seus funcionários ou clientes.

No procedimento a seguir, você verá como configurar o acesso via proxy no Ubuntu. Para saber quais opções e informações usar durante o processo, consulte o administrador da rede que você está usando.

Como configurar o acesso via proxy no Ubuntu

Em sistemas Linux, normalmente você pode configurar o proxy manualmente usando o seguinte comando no terminal (substituindo as devidas informações).
export http_proxy=http://nome:[email protected]:porta
export ftp_proxy=http://nome:[email protected]:porta

Mas para configurar o acesso via proxy no Ubuntu com Unity, você também pode fazer o seguinte:

Passo 1. Na barra lateral do Unity, clique no item “Configurações do Sistema”;

Como configurar o acesso via proxy no Ubuntu

Passo 2. Em “Configurações do Sistema”, clique no item “Rede”;

Como configurar o acesso via proxy no Ubuntu

Passo 3. Na janela “Rede”, clique em “Proxy da rede”. A seguir, clique na seta ao lado da opção “Método” e escolha a opção de proxy de sua rede:  “Manual” ou “Automática”;

Como configurar o acesso via proxy no Ubuntu

Passo 4. Se optar pela opção manual, informe o endereço ip e a porta do proxy da rede;

Como configurar o acesso via proxy no Ubuntu

Passo 5. Já se você escolher a opção “Automática”, informe a URL de configuração;

Como configurar o acesso via proxy no Ubuntu

Passo 6. Em ambos os casos, se quiser que a configuração usada funcione em tudo, clique no botão “Aplicar a todo o sistema”;

Pronto! O acesso a Internet via proxy já está configurado em seu PC.

Configurando o navegador

A configuração de proxy afeta o acesso a Internet de todo tipo de aplicativo instalado no computador. Mas se o que você quer é apenas navegar, basta colocar as informações do proxy nas preferências do navegador.

Como configurar o acesso via proxy no Ubuntu

Como configurar o acesso via proxy

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

18 de março de 2019

Como instalar o reprodutor Play it Slowly no Linux via Flatpak

Se por algum motivo você precisa ouvir um áudio ou assistir vídeos em uma velocidade diferente do padrão, conheça e veja como instalar o reprodutor no Linux via Flatpak.


Play it Slowly é um software para arquivos de áudio em uma velocidade ou pitch diferente. Ele também permite fazer loop em uma certa parte de um arquivo.Como instalar o reprodutor Play it Slowly no Linux via FlatpakComo instalar o reprodutor Play it Slowly no Linux via Flatpak

Ele pode ser útil para ajudá-lo a aprender ou transcrever músicas. Para completar, ele também pode reproduzir vídeos e outros formatos graças ao gstreamer (mp3, ogg vorbis, midi, até flv!).

Com ele você pode usar alsa e jack, alterar velocidade e altura, fazer loop sobre certas partes e
exportar para wav.

Como instalar o reprodutor Play it Slowly no Linux via Flatpak

Para instalar o reprodutor Play it Slowly no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o reprodutor Play it Slowly no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/ch.x29a.playitslowly.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user  ch.x29a.playitslowly

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall ch.x29a.playitslowly

Ou

flatpak uninstall ch.x29a.playitslowly

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run ch.x29a.playitslowly em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite playitslowly ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Mesmo sendo gráfico, o programa suporta os seguintes atalhos de teclado:

Alt + P ou SPACE: Reproduzir/Pausar
Alt + e: retroceder
CTRL + 1-9: Retrocesso (x segundos)

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

Se você quer fazer sua declaração do imposto de renda pessoa física no Linux, veja como o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN.


E novamente, chegou a hora de acertar as contas com o leão. Para fazer sua declaração no Linux é preciso instalar o programa gerador da declaração (IRRF), que está disponível na página da Receita Federal em versões para vários sistemas.Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BINComo instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

O programa IRPF 2019 permite gerar uma declaração de imposto de renda pessoa física referente ao exercício de 2019, ano-calendário de 2018.

Estão obrigados a prestar contas à Receita todos que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70 ou, no caso de atividade rural, quem teve uma receita bruta superior a R$ 142.798,50.

Além disso, o prazo de entrega da declaração iniciará no dia 1º de março de 2019 e se prolongará até às 23h59 do dia 30 de abril.

Como instalar a versão multiplataforma do IRPF 2019 no Linux manualmente

Conheça melhor o IRPF 2019

Para saber mais sobre o IRPF 2019 e as informações necessárias ao preenchimento de usa declaração, acesse a página da receita federal.

Preparando o sistema para instalar o programa IRPF 2019 no Linux

Um dos pré requisitos para instalar o programa IRPF no Linux é a instalação do Java mais recente, para isso, veja os tutoriais abaixo (de acordo com o feedback dos leitores, é recomendável usar a versão 8 do Java da Oracle):

Como instalar Java no Linux manualmente
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar o Oracle Java no Ubuntu 18.04 LTS
Como instalar a versão mais recente do Oracle Java no Arch Linux
Como instalar o Java no Fedora, Red Hat, CentOS, openSUSE e derivados
Como instalar o Oracle Java 11 no Ubuntu e derivados
Como instalar o Java 11 no Fedora, CentOS e derivados
Como instalar o Java 10/11 no Debian 8 e 9 via repositório

Instalando o programa IRPF 2019 no Linux

Para instalar o programa IRPF 2019 no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar baixar o instalador do programa do IRPF 2019. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome irpf2019.bin:

wget http://downloadirpf.receita.fazenda.gov.br/irpf/2019/irpf//IRPF2019Linux-x86v1.1.bin -O irpf2019.bin

Ou caso tenha um erro relacionado a certificados (ERRO: não foi possível verificar o certificado de downloadirpf.receita.fazenda.g…, emitido por “/C=BR/O=ICP-Brasil/OU=Secretaria da Receita Federal do Brasil – RFB/CN=Autoridade Certificadora SERPRORFBv4”:);

wget --no-check-certificate https://downloadirpf.receita.fazenda.gov.br/irpf/2019/irpf/arquivos/IRPF2019Linux-x86v1.1.bin -O irpf2019.bin

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar baixar o instalador do programa do IRPF 2019. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome irpf2019.bin:

wget http://downloadirpf.receita.fazenda.gov.br/irpf/2019/irpf/arquivos/IRPF2019Linux-x86_64v1.1.bin -O irpf2019.bin

Ou caso tenha um erro relacionado a certificados (ERRO: não foi possível verificar o certificado de downloadirpf.receita.fazenda.g…, emitido por “/C=BR/O=ICP-Brasil/OU=Secretaria da Receita Federal do Brasil – RFB/CN=Autoridade Certificadora SERPRORFBv4”:);

wget --no-check-certificate https://downloadirpf.receita.fazenda.gov.br/irpf/2019/irpf/arquivos/IRPF2019Linux-x86_64v1.1.bin -O irpf2019.bin

Passo 5. Depois de baixado, dê permissão de execução ao programa, com o comando abaixo;

chmod a+x irpf2019.bin

Passo 6. Execute o instalador do IRPF dando um duplo clique nele ou usando o comando abaixo;

./irpf2019.bin

Passo 7. Na primeira tela, clique no botão “Sim”;

Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

Passo 8. Na próxima telas, clique no botão “Avançar”;

Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

Passo 9. Agora, clique no botão “Procurar…” para selecionar a pasta onde deseja instalar o programa e depois clique no botão “Avançar”, ou apenas clique no botão “Avançar” (que é o mais recomendado);

Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

Passo 10. Confirme a instalação, clicando no botão “Avançar”;

Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

Passo 11. Na última tela, clique no botão “Concluir”;

Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

Depois de instalado, você já pode executá-lo, usando o atalho criado:

Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

Ou usando o comando abaixo (lembre-se de ajustar o caminho e o nome do aplicativo de acordo com a sua instalação):

java -Xms128M -Xmx512M -jar /home/usuario/ProgramasRFB/IRPF2019/irpf.jar

Pronto! Agora, comece a fazer a sua declaração.

Desinstalando o programa IRPF 2019 no Linux

Para desinstalar o programa IRPF 2019 no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra o gerenciador de arquivos e vá para a pasta onde o programa foi instalado. Lá, clique duas vezes no ícone do programa “uninstall” . Na pequena janela que aparece, confirme a desinstalação clicando no botão “Sim”.

Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo

Criar vídeos em câmera lenta é o que você gosta de fazer? Pois então veja como o de vídeos slow-motion SlowmoVideo no Ubuntu e derivados.


SlowmoVideo é um software de código aberto que permite criar vídeos em câmera lenta. Você pode facilmente desacelerar e acelerar a sua filmagem, opcionalmente com borrão de movimento.Como instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideoComo instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo

Para conseguir isso, o programa usa ffmpeg para ler e escrever arquivos de vídeo e GPU-KLT+ stream e OpenCV para o cálculo do fluxo óptico.

Ou seja, ele realmente cria vídeos em câmera lenta e não apenas reproduz seus vídeos em uma velocidade reduzida.

Então como a câmera lenta funciona? SlowmoVideo tenta tenta descobrir para onde mover os pixels
no vídeo (esta informação é chamado de fluxo óptico), e então usa esta informação para calcular os quadros adicionais entre os que foram registrados por sua câmera.

Mas isso não faz com que seus vídeos sejam reproduzidos em velocidade de 0,01x. Você pode diminuir e acelerar suavemente suas imagens, opcionalmente com borrão de movimento.

Conheça melhor o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo no Ubuntu e seus derivados

SlowmoVideo está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install slowmovideo.

No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/slowmovideo

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install slowmovideo

Como instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra baseada em Debian, você pode pegar o arquivo de instalação do programa na página de download do repositório
e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite slowmovideo ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/slowmovideo -r -y
sudo apt-get remove slowmovideo --auto-remove

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a versão multiplataforma do IRPF 2019 no Linux manualmente

Se você teve dificuldade instalar o IRPF usando arquivos .bin, veja como o 2019 no Linux manualmente, usando a versão multiplataforma.


Novamente, chegou a hora de acertar as contas com a . E para começar a fazer sua declaração no Linux é preciso apenas instalar o programa gerador da declaração (IRRF), que está disponível na página da Federal em versões para vários sistemas.Como instalar a versão multiplataforma do IRPF 2019 no Linux manualmenteComo instalar a versão multiplataforma do IRPF 2019 no Linux manualmente

Nesse tutorial, você verá como fazer isso usando a versão multiplataforma (que é um arquivo .Jar), que permite instalar o IRPF em praticamente qualquer distribuição Linux.

Antes, vale lembrar que o programa IRPF 2019 permite gerar uma declaração de importo de renda pessoa física referente ao exercício de 2019, ano-calendário de 2018.

Estão obrigados a prestar contas à Receita todos que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$28.559,70 ou, no caso de atividade rural, quem teve uma receita bruta superior a R$142.798,50.

Além disso, o prazo de entrega da declaração iniciará no dia 1º de março de 2019 e se prolongará até às 23h59 do dia 30 de .

Como instalar o programa IRPF 2019 no Linux via arquivo BIN

Conheça melhor o IRPF 2019

Para saber sobre o IRPF 2019 e as informações necessárias ao preenchimento de usa declaração, acesse a página da receita federal.

Preparando o sistema para instalar o programa IRPF 2019 no Linux

Um dos pré requisitos para instalar o programa IRPF no Linux é a do Java mais recente, para isso, veja os tutoriais abaixo (de acordo com o feedback dos leitores, é recomendável usar a versão 8 do Java da Oracle):

Como instalar Java no Linux manualmente
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar o Oracle Java no Ubuntu 18.04 LTS
Como instalar a versão mais recente do Oracle Java no Arch Linux
Como instalar o Java no Fedora, Red Hat, CentOS, openSUSE e derivados
Como instalar o Oracle Java 11 no Ubuntu e derivados
Como instalar o Java 11 no Fedora, CentOS e derivados
Como instalar o Java 10/11 no Debian 8 e 9 via repositório

Como instalar a versão multiplataforma do IRPF 2019 no Linux manualmente

Para instalar a versão multiplataforma do IRPF 2019 no Linux manualmente, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se for necessário, caso já tenha feito alguma instalação manual e ainda não tenha cadastrado nada no programa, apague a pasta e o atalho anterior com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/irpf*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/irpf.desktop

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão (selecionando a opção multiplataforma) e salve-o com o nome irpf.zip:

wget http://downloadirpf.receita.fazenda.gov.br/irpf/2019/irpf/arquivos/IRPF2019-1.1.zip -O irpf2019.zip

Passo 4 (Opcional) Caso tenha um erro relacionado a certificados (ERRO: não foi possível verificar o certificado de downloadirpf.receita.fazenda.g…, emitido por “/C=BR/O=ICP-Brasil/OU=Secretaria da Receita Federal do Brasil – RFB/CN=Autoridade Certificadora SERPRORFBv4”:);

wget --no-check-certificate https://downloadirpf.receita.fazenda.gov.br/irpf/2019/irpf/arquivos/IRPF2019-1.1.zip -O irpf2019.zip

Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo unzip irpf2019.zip -d /opt/

Passo 6. Renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/IRPF*/ /opt/irpf2019

Passo 7. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=irpf2019\n Exec=java -Xms128M -Xmx512M -jar /opt/irpf2019/irpf.jar\n Icon=/\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/irpf2019.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite java -Xms128M -Xmx512M -jar /opt/irpf2019/irpf.jar em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/irpf2019.desktop
cp /usr/share/applications/irpf2019.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/irpf2019.desktop ~/Desktop

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como remover o IRPF no Linux

Para remover o IRPF no Linux, basta fazer o seguinte.:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Apague a pasta e o atalho do programa com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/irpf*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/irpf2019.desktop

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o editor de vídeos Kdenlive Beta no linux

Uma nova versão beta pública da próxima geração do Kdenlive está disponível para testes, e se você quiser experimentá-la, veja como o editor de vídeos Kdenlive Beta no linux via arquivo appimage.


A compilação do Kdenlive beta vem com uma base de código mais leve e estável, que estabelece uma base sobre quais recursos mais novos e avançados podem ser criados.Como instalar o editor de vídeos Kdenlive Beta no linuxComo instalar o editor de vídeos Kdenlive Beta no linux

Mas, embora tenha muita coisa para se entusiasmar com a nova compilação, você não deve esperar a perfeição ainda, já que o desenvolvedor do Kdenlive mostrou-se cauteloso em uma postagem no blog, onde ele afirmou:

“Há alguns limites difíceis, não está pronto para a produção ainda, já que a compatibilidade com arquivos de projetos mais antigos não foi finalizada e ainda é necessário muito trabalho para corrigir as muitas restrições restantes, mas estamos em bons caminhos para lhe proporcionar um ambiente moderno e estável e um editor de fonte aberta agradável.”

Mas se você está interessado em experimentar, use o procedimento abaixo. Antes, lembre-se de que esta é uma versão beta por um bom motivo: Pode ter erros, características faltantes e outros tipos de problemas.

E como dito na citação acima, o beta também não é totalmente compatível com os antigos arquivos de projeto do Kdenlive.

Conheça melhor o editor de vídeos Kdenlive Beta

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o editor de vídeos Kdenlive Beta no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o editor de vídeos Kdenlive no Linux Beta via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome kdenlive.appimage:

wget https://files.kde.org/kdenlive/unstable/kdenlive-19.04-beta6-x86_64.appimage -O kdenlive.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x kdenlive.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./kdenlive.appimage

Passo 7. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite kdenlive ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Se você está interessado em aprender a aproveitar plenamente os muitos recursos do Kdenlive, verifique a seção ‘toolbox’ do site Kdenlive. Ela está cheia de informações práticas e dicas de edição.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Veja também

Se você usa o Ubuntu (ou um derivado dele), também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o editor de vídeos Kdenlive no Linux via appimage
Como instalar o editor de vídeos Kdenlive no Linux via Flatpak
Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Wine 4.4 lançado com nova ferramenta MSIDB e mais APIs Media Foundation

O projeto Wine anunciou o do Wine com nova ferramenta MSIDB e APIs Media Foundation. Confira as novidades e veja como instalar ou atualizar.


O Wine (Wine Is Not an Emulator, ou Wine não é um emulador) é um software livre e de código aberto, que tem como objetivo permitir que os aplicativos desenvolvidos para Microsoft Windows possam ser executados no Linux, Mac, FreeBSD e Solaris.Wine 4.4 lançado com nova ferramenta MSIDB e mais APIs Media FoundationWine 4.4 lançado com nova ferramenta MSIDB e mais APIs Media Foundation

Sendo um pouco mais técnico, o Wine é uma camada de compatibilidade que traduz as chamadas do sistema Windows para o Linux e usa algumas bibliotecas do Windows, na forma de arquivos .dll.

Por conta disso, esse programa é muito importante para ex-usuários do sistema operacional Windows ou para qualquer pessoa que ainda precisa usar os aplicativos desse sistema no Linux.

Novidades do Wine 4.4

O Wine 4.4 é a nova versão de desenvolvimento da camada de compatibilidade de código-fonte aberto para executar aplicativos do Windows no Linux.

O Wine 4.4 não é particularmente empolgante na frente de jogos, mas agora possui uma nova ferramenta MSIDB para manipular bancos de dados MSI, a capacidade de suportar botões de desenho personalizados em controles comuns, mais APIs do Windows Media Foundation foram implementadas e as usuais correções de bugs.

Além disso, o Wine 4.4 tem 50 correções de bugs conhecidas que afetam StarForce v3, Skype 4, R.U.S.E., Rhapsody 4.0, o downloader do GOG.com, Epic Games Launcher 7.x, Skyrim, Fallout 3, FEAR 2 e outras correções de jogos e aplicativos.

Para saber mais sobre essa versão do Wine, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Wine

Para instalar a versão mais recente do Wine nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar a versão mais recente do Wine no Linux
Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu, Debian e derivados
Veja como instalar o Wine no Ubuntu 18.04 LTS ou superior e derivados

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

Se você possui um scanner ou uma multifuncional com essa funcionalidade, veja aqui como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu.


Apesar desse tutorial ser focado na impressora multifuncional HP Deskjet F2050, ele pode funcionar com boa parte dos scanners e multifuncionais que existem atualmente. Isso porque a maioria deles podem ser acessados usando o programa XSane.Como usar scanner de multifuncional HP no UbuntuComo usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

No Ubuntu, por padrão você pode usar o aplicativo Digitalizador Simples para escanear documentos. O aplicativo é prático, intuitivo e muito fácil de usar. Contudo, ele pode ser um pouco limitado nas opções de digitalização e outros recursos.

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

Por baixo do capô do Digitalizador Simples está o Sane, Xsane e diversas outras ferramentas que tornam possível digitalizar documentos no Linux sem complicações.

XSane é uma aplicação que serve para controlar um scanner e adquirir imagens através dele. Com ele você pode facilmente escanear e copiar documentos e de pois salvá-los, enviar por fax ou e-mail.

Ele também pode salvar seus scans como documentos de múltiplas páginas, em vez de documentos de páginas únicas. O XSane também pode ser usado diretamente no GIMP e outros programas que suportam o recurso.

Para saber se seu scanner é compatível com o programa, acesse esse link:

Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 18.04 LTS
Confira as principais novidades do futuro Ubuntu MATE 18.04 LTS
Como instalar a versão multiplataforma do IRPF 2018 no Linux manualmente
Como instalar o programa IRPF 2018 no Linux via arquivo BIN

Atualizando o HPlip

Para usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu e seus derivados, primeiramente você deve atualizar o software HPlip, responsável pelo suporte a equipamento da HP no Linux. Para isso, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Atualize o APT para receber as informações sobre os últimos pacotes, usando esse comando (opcional, mas importante):

sudo apt-get update

Passo 3. Agora baixe as últimas atualizações com esse comando (opcional, mas importante):

sudo apt-get upgrade -y

Passo 4. Para um suporte completo, instale os pacotes HPlib, usando este comando (opcional):

sudo apt-get install hplib* -y

Passo 5. Ou use esse outro tutorial, para instalar a versão mais recente do HPlip;
Drivers da HP: Instale ou atualize o HPLIP no Linux
Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install xsane -y

Se você quiser usar a versão mais recente do HPlip, consulte esse tutorial:
Drivers da HP: Instale ou atualize o HPLIP no Linux

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

Para usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu e seus derivados, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Inicie o programa digitando xsane no Dash ou em um terminal (seguido da tecla tab);
Passo 2. Na tela do Xsane, escolha os parâmetros que influenciam a captura (modo de digitalização, cor, resolução e outros) e no final, clique no botão “Digitalizar”;

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

Passo 8. Aguarde mas um pouco e a imagem será exibida em uma nova janela. Nessa janela, você pode usar os botões para mudar a posição, inverter e fazer várias outras tarefas na imagem. Cada botão é bem claro sobre sua função, o que torna muito fácil usar a janela. Quando terminar, clique no ícone do disquete para salvar a imagem.

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o nostálgico jogo Cave Story no Linux via Snap

Se você curte jogos de aventura e quer se divertir no seu PC cm Linux, conheça e veja como instalar o nostálgico jogo Cave Story no Linux via Snap.


O Cave Story NX é um jogo de aventura de ação lateral pular e atirar, usando o motor NXEngine-evo modificado.Como instalar o nostálgico jogo Cave Story no Linux via SnapComo instalar o nostálgico jogo Cave Story no Linux via Snap

O NXEngine-evo é uma versão um pouco atualizada/refatorada do NXEngine. Cave Story foi originalmente criado por Daisuke “Pixel” Amaya.

O Cave Story é um jogo japonês de plataforma de side-scrolling gratuito que pode ser jogado com o teclado ou um gamepad.

Os jogadores vão resolver quebra-cabeças e lutar contra inimigos em cada mapa enquanto tenta coletar armas e itens para ajudá-lo ao longo do caminho.

A história gira em torno de um personagem que misteriosamente desperta dentro uma caverna sem memória ou lembrança de como ele chegou lá.

O detalhe é que a caverna é na verdade o interior de uma grande ilha flutuante que é preenchido por criaturas semelhantes a coelhos.
Essa caverna também esconde um artefato muito poderoso e mágico conhecido como a Coroa do Demônio que está sendo procurada por um exército de robôs.

Cabe aos jogadores guiar o protagonista através dos vários níveis de a caverna lutando contra os robôs, a fim de obter o artefato.

Como instalar o jogo Cave Story no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o jogo Cave Story no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Cave Story no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install cavestory

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install cavestory --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install cavestory --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install cavestory --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh cavestory

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite cavestory ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Controles Padrão do jogo:

Teclas de seta para mover
Z Pular
X Fogo
A Selecionar arma anterior
S Selecione a próxima arma
Q Inventário
Mapa W (disponível somente após você ter obtido o item no jogo)
esc para pausar

Como desinstalar o jogo Cave Story no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o jogo Cave Story no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove cavestory

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o nostálgico jogo Cave Story NX no Linux via Flatpak

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Extended Security Maintenance do Ubuntu 14.04 começa em Abril de 2019

A Canonical, produtora do Ubuntu, anunciou que o Extended Security Maintenance do Ubuntu 14.04 começa em Abril de 2019. Confira o detalhes.


Lançada há cinco anos, mais exatamente no dia 17 de abril de 2014, a série do sistema operacional Ubuntu 14.04 LTS (Trusty Tahr) chegará ao final de sua vida (suporte) no próximo mês em 30 de abril.Extended Security Maintenance do Ubuntu 14.04 começa em Abril de 2019Extended Security Maintenance do Ubuntu 14.04 começa em Abril de 2019

Seguindo o sucesso da série de sistemas operacionais Ubuntu 12.04 LTS (Precise Pangolin), a Canonical anunciou há algum tempo que ofereceria também seu pacote comercial Extended Security Maintenance (ESM) para usuários do Ubuntu 14.04 LTS.

Extended Security Maintenance do Ubuntu 14.04 começa em Abril

Agora, a Canonical anunciou que o suporte Extended Security Maintenance do Ubuntu 14.04 começa em Abril de 2019.

A Canonical disse que revelaria mais detalhes sobre quando a oferta ESM (Extended Security Maintenance) estaria disponível para o Ubuntu 14.04 LTS (Trusty Tahr), então, a empresa anunciou que os usuários que desejam continuar usando o sistema operacional e receber atualizações de segurança após o 30 de abril no final da vida, podem comprar o pacote ESM a partir de 25 de abril de 2019.

Apesar disso, a Canonical encoraja todos os usuários do Ubuntu 14.04 LTS (Trusty Tahr) a considerar a atualização para uma versão Ubuntu suportada pelo LTS (Long Term Support), como o Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver) ou o Ubuntu 16.04 LTS (Xenial Xerus).

É importante notar que o caminho de atualização suportado pelo Ubuntu 14.04 LTS (Trusty Tahr) passa primeiro pelo Ubuntu 16.04 LTS (Xenial Xerus), e só depois pelo Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver).

Sobre isso, Adam Conrad, engenheiro de software da Canonical, disse o seguinte:

“O período de suporte padrão está chegando ao fim e o Ubuntu 14.04 fará a transição para o Extended Security Maintenance (ESM) na quinta-feira, 25 de abril de 2019. Os usuários são encorajados a avaliar e atualizar para o nosso mais recente lançamento 18.04 LTS via 16.04. O caminho de atualização suportado do Ubuntu 14.04 é via Ubuntu 16.04.”

No entanto, se você decidiu ficar com a série de sistemas operacionais Ubuntu 14.04 LTS (Trusty Tahr) para sua infra-estrutura, considere adquirir a oferta Extended Security Maintenance (ESM) do site Ubuntu Advantage da Canonical, a partir de 25 de abril de 2019.

Mais uma vez, Lembre-se de que, após 30 de abril de 2019, você não receberá mais atualizações de segurança e de software para as instalações do Ubuntu 14.04 LTS.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como ativar o recurso de minimizar janela de aplicativo ao clicar no Lançador Unity

Ainda usa o Unity e quer deixar seu ambiente mais prático? Veja como ativar o recurso de minimizar janela de aplicativo ao clicar no Lançador Unity.


Como seria bom simplesmente clicar no ícone do aplicativo e minimizá-lo, não é mesmo? A boa noticia é que tem como deixar o Ubuntu com esse comportamento, ao menos no Lançador Unity.Como ativar o recurso de minimizar janela de aplicativo ao clicar no Lançador UnityComo ativar o recurso de minimizar janela de aplicativo ao clicar no Lançador Unity

Depois de ter aparecido no Ubuntu 12.04 e sumido nas versões posteriores, o recurso que permite clicar em um ícone no Lançador Unity para minimizar uma janela de aplicativo aberta, está de volta a partir do Ubuntu 14.04.

Claro, só é preciso ativar, o que você verá como fazer nesse tutorial.

Como ativar o recurso de minimizar janela de aplicativo ao clicar no Lançador Unity

Para ativar o recurso de minimizar janela de aplicativo ao clicar no Lançador Unity no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Procure e instale o compizconfig settings manager na Central de programas (ou Ubuntu Software Center). Ou abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install compizconfig-settings-manager

Passo 4. Uma vez instalado, execute o programa clicando no Dash e digitando;

ccsm

Passo 5. Com o programa aberto Clique em “Ubuntu Unity Plugin”, clique na guia “Launcher”;
Passo 6. Ative a opção “Minimize Single Window Applications (Unsupported)”, marcando a caixa que fica depois da linha;

Como ativar o recurso de minimizar janela de aplicativo ao clicar no Lançador Unity

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo
alt

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Let's block ads! (Why?)

Como baixar e instalar as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu

Se por qualquer motivo você precisar usar fontes do Windows 8.1 no Ubuntu, e não tem uma partição do Windows copiar as fontes, veja aqui como fazer o download e instalar.


Instalando as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu você terá todas as novas fontes que a Microsoft incluiu na última visualização do Windows (como Segoe UI Black, Segoe UI Emoji e algumas outras), bem como a versão mais recente de fontes populares como Arial, Tahoma, Calibri, Segoe UI, Verdana, Times New Roman e assim por diante.Como baixar e instalar as fontes do Windows 8.1 no UbuntuComo baixar e instalar as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu

Como baixar e instalar as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu

Normalmente, para ter algumas fontes do Windows no Ubuntu, basta instalar o pacote Msttcorefontes, que entrega um conjunto de fontes Microsoft. Para instalar, basta abrir um terminal e digitar o seguinte comando:

sudo apt-get install msttcorefonts

Mas se isso não é o suficiente, abaixo você encontrará instruções para fazer o download da imagem ISO do Windows 8.1 Preview da Microsoft, extraindo as fontes da ISO ( porque as fontes não podem ser redistribuídas ) usando 7zip e Wimlib e instalar as fontes no Ubuntu.

1. Baixando a imagem ISO do Microsoft Windows 8.1 Preview

Uma vez que as fontes não podem ser redistribuídas, você deve extraí-las a partir de uma imagem ISO do Windows 8.1. Você pode baixar o Microsoft Windows 8.1 Preview e salvar o arquivo ISO em sua pasta pessoal. Eu recomendo baixar o ISO de 32 bits, já que é 1 GB menor do que a ISO de 64 bits.

Opcionalmente, você também pode fazer o download do Microsoft Windows 8 Enterprise Evaluation ISO a partir desse link. Tanto o Microsoft Windows 8.1 Preview e Windows 8 Enterprise Evaluation estão disponíveis para download gratuito.

2. Instalando as ferramentas necessárias para extrair as fontes do ISO do Windows 8.1.

Será preciso instalar o p7zip-full e a Wimlib no Ubuntu, para isso, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);

Passo 2. Adicione o repositório dos aplicativos com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get 

Passo 4. Agora instale os programas com o comando:

sudo apt-get install wimtools p7zip-full

3. Extraindo as fontes do Windows 8.1 a partir da imagem ISO

Para extrair as fontes do Microsoft Windows 8.1 a partir do arquivo ISO, use os seguintes comandos em um terminal (os comandos abaixo supõe que você tenha baixado a imagem ISO na sua pasta pessoal):

Passo 1. Vá para a sua pasta pessoal;

cd

Passo 2. Extraia instal.win da imagem ISO na pasta sources:

7z x WindowsBlue-ClientwithApps-32bit-English-X1899604.iso sources/install.wim

Passo 3. Vá para a pasta sources:

cd sources/

Passo 4. Crie a pasta temporária:

mkdir tmp fonts

Passo 5. Monte a imagem install.win:

imagex mount install.wim 1 tmp

Passo 6. Copie as fontes:

cp tmp/Windows/Fonts/{*.ttf,cambria.ttc} fonts

Passo 7. Desmonte a imagem

imagex unmount tmp

O nome do arquivo ISO no primeiro comando acima pode mudar ou você pode ter baixado um ISO diferente, então certifique-se de verificar o nome de seus ISO baixado e usar isso em vez de ” WindowsBlue-ClientwithApps-32bit-Inglês-X1899604.iso”. Se não fizer isso, o comando não funcionará.

4. Opcional: convertendo a fonte Cambria de TTC para TTF

Se você precisa da fonte Cambria (regular), você precisa convertê-lo para TTF porque a fonte só está disponível como uma coleção TrueType (TTC) e se você não convertê-la, não será capaz de usá-la no LibreOffice, por exemplo. Para converter a fonte para TTF, você precisa instalar FontForge. Para isso, digite seguinte comando abaixo em um terminal:

sudo apt-get install fontforge

E, em seguida, execute o seguinte comando (os comandos abaixo supõem que você seguiu nossas instruções exatas e extraiu as fontes em ~/sources/fonts ):

cd ~/sources/fonts/
fontforge -lang=ff -c 'Open("cambria.ttc(Cambria)"); Generate("cambria.ttf"); Close(); Open("cambria.ttc(Cambria Math)"); Generate("cambria-math.ttf"); Close();'

5. Instalando as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu

Antes de prosseguir, apague todas as fontes que você não precisa da pasta sources/fonts.

Para instalar as fontes do Microsoft Windows 8.1 para todo o sistema, use o seguinte comando:

sudo mkdir -p /usr/share/fonts/truetype/win8.1
sudo cp ~/sources/fonts/*.ttf /usr/share/fonts/truetype/win8.1/
sudo fc-cache -f -v

Ou, para instalar as fontes do Windows 8.1 somente para o seu usuário, use os seguintes comandos:

mkdir -p ~/.fonts/win8.1
cp ~/sources/fonts/*.ttf ~/.fonts/win8.1/
sudo fc-cache -f -v

Pronto! Agora você pode excluir a pasta “sources” do seu diretório home, bem como o arquivo ISO baixado o Windows 8.1.

Veja também

Como instalar fontes no Ubuntu manualmente
Como instalar fontes da Web do Google no Ubuntu com TypeCatcher
Como instalar o editor de fontes BirdFont no Ubuntu e derivados

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o conjunto de ícones Octagon no Ubuntu e Debian

Na busca pelo visual ideal o seu desktop, os ícones são muito importantes. Por isso, experimente instalar o conjunto de ícones e veja como ele pode deixar seu ainda mais bonito.


O conjunto de ícones Malys-ex foi projetado por Malys do deviantart, ele também fez alguns outros ícones e temas populares (UniBlue & UniBlack).Como instalar o conjunto de ícones Octagon no Ubuntu e DebianComo instalar o conjunto de ícones Octagon no Ubuntu e Debian

Agora alguém do gnome-look modificou o conjunto Malys-ex, deixou os ícones com um formato hexagonal e deu ao pacote o nome de Octagon, o que parece bastante singular.

Este conjunto de ícones contém mais de 3000 ícones e pode ser usado com qualquer tipo de tema claro ou escuro, além de ser compatível com a maioria dos ambientes de desktop Linux, como o Unity, Gnome, Cinnamon, Mate e outros.

Como instalar o conjunto de ícones Octagon no Ubuntu e Debian

Instalando o conjunto de ícones Octagon no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Octagon no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do tema com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Octagon usando o seguinte comando:

sudo apt-get install octagon-icons

Como instalar o conjunto de ícones Octagon manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o pacote do tema. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome octagon-icons.deb:

wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/icons/+files/octagon-icons_1.0~xenial~Noobslab.com_all.deb -O octagon-icons.deb

Passo 3. Agora instale o pacote com o comando:

sudo dpkg -i octagon-icons.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do pacote com o comando:

sudo apt-get install -f

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Desinstalando o conjunto de ícones Octagon no Ubuntu, Debian e derivados

Para desinstalar o conjunto de ícones Octagon no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Octagon, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove octagon-icons

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Fonte

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Se você precisa criar um compartilhamento simples de uma pasta do seu PC para ser acessado na rede local, veja com fazer isso de um jeito rápido.


Em outro tutorial foi mostrado como criar compartilhamentos seguros para máquinas Windows, um procedimento que cria um acesso mais rígido.Como criar um compartilhamento simples no UbuntuComo criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Mas as vezes, você só quer compartilhar rapidamente uma pasta na sua rede local. Se é disso que você precisa, o tutorial a seguir pode resolver seu problema.

Para criar um compartilhamento simples no Ubuntu, será usado o Samba, um software livre que provê acesso seguro, estável e rápido a arquivo e serviços de impressão para todos os clientes que utilizam o protocolo SMB/CIFS, como todas as versões do DOS e Windows, OS/2, Linux e muitos outros.

O samba é um componente importante para integrar servidores e desktops Linux/Unix em ambientes mistos e criar compartilhamentos.

Como criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Para compartilhar uma pasta no Ubuntu, faça o seguinte:

Passo 1. Abra o Nautilus;
Passo 2. Clique com o botão direito sobre a pasta a ser compartilhada. No menu que aparece, clique na opção “Compartilhamento de rede local”;

Como criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Passo 3. Na tela “Compartilhamento de pastas”, marque a opção “Compartilhar esta pasta”. Se ainda não estiver instalado, ao marcar a opção, aparecerá uma mensagem informando que é necessário instalar o “serviço de compartilhamento”. Para fazer isso, clique no botão “Instalar serviço”;

Como criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Passo 4. Na pequena janela que aparece, clique no botão “Instalar”;

Como criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Passo 5. A seguir, forneça a senha de administrador e confirme clicando no botão “Autenticar”;

Como criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Passo 6. Depois de instalar tudo, será pedido para sair da sessão atual e entrar novamente. Para isso, clique no botão “Reiniciar sessão”. Se não reiniciar a sessão automaticamente, saia e entre ;

Como criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Passo 7. De volta a sessão, repita o passo 2, para abrir a janela “Compartilhamento de pastas”. Dependendo da sua necessidade, habilite a permissão de escrita e/ou acesso anônimo, marcando essas opções;

Como criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Passo 8. Quando aparecer uma janela pedindo para alterar permissões, clique no botão “Adicionar as permissões automaticamente”;

Como criar um compartilhamento simples no Ubuntu

Pronto! Seu compartilhamento já pode ser acessado na rede. Só não esqueça de desativá-lo quando ele não for mais necessário ou, caso queira deixá-lo mais seguro, use esse outro tutorial.

Fonte

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente – Confira as novidades e baixe

Josh Strobl anunciou o lançamento de mais uma versão de sua , a Solus 4 Fortitude. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.


Solus é uma distribuição Linux construída a partir do zero. Ele usa uma versão bifurcada do gerenciador de pacotes PiSi, mantida como “eopkg” dentro do Solus, e um ambiente de desktop personalizado chamado “Budgie”, desenvolvido internamente.Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixeSolus 4 Fortitude lançado oficialmente – Confira as novidades e baixe

A área de trabalho do Budgie, que pode ser configurada para emular a aparência da área de trabalho do GNOME 2, é totalmente integrada à pilha do GNOME.

Novidades do Solus 4 Fortitude

O Solus Project anunciou hoje a disponibilidade geral e imediata para o download do tão esperado sistema operacional baseado em Linux Solus 4, codinome Fortitude.

Os destaques da versão Solus 4 incluem o mais recente e melhor ambiente de desktop Budgie 10.5 com refinamentos para o Centro de Software, Menu Budgie e Calendário, um novo applet do Modo de Cafeína, uma grande atualização para o applet IconTasklist, melhorias no centro de notificação Raven, bem como melhor gerenciamento de notificações.

O ambiente de desktop Budgie 10.5 também vem com widgets Sound completamente reescritos e reprojetados, uma ampla variedade de opções de personalização, uma nova seção de Configurações do Budgie Desktop para personalizar o Raven, além de novas opções para a seção Windows e um estilo GTK muito aprimorado.

Sobre esse release, Joshua Strobl disse o seguinte:

“Acreditamos firmemente que a Budgie deve fornecer uma experiência de desktop equilibrada e personalizada para nossos usuários, permitindo um razoável de personalização imediata e capacitar nossos usuários (e downstreams como o Ubuntu Budgie) a abrir um mundo de possibilidades com applets Budgie.”

Os sabores GNOME e MATE agora vêm com o tema Plata (Noir) GTK por padrão, o tema Oblivion agora está habilitado por padrão para o editor de texto Gedit no sabor GNOME, e o sabor MATE foi atualizado para o mais recente ambiente de desktop MATE 1.20 lançamento.

Por outro lado, a edição do KDE Plasma ainda é experimental e acompanha o ambiente de desktop KDE Plasma 5.15.

Sob o capô, o Solus 4 é alimentado pelo kernel Linux 4.20.16 e pela pilha de gráficos Mesa 19.0, que fornece suporte imediato para APUs AMD Picasso e AMD Raven2, GPUs AMD Radeon Vega20, bem como suporte aprimorado para GPUs AMD Radeon Vega10 e CPUs Intel Coffee Lake e Ice Lake.

Os componentes principais atualizados no Solus 4 incluem a pilha multimídia FFMpeg 4.1.1, navegador web Mozilla Firefox 65.0.1, e-mail e cliente de notícias Mozilla Thunderbird 60.5.2, suíte de escritório LibreOffice 6.2.1.2, reprodutor de mídia VLC 3.0.6, reprodutor de música Rhythmbox 3.4. 3 (somente edição GNOME) e reprodutor de mídia GNOME MPV 0.16 (somente edição MATE).

O Solus 4 é suportado apenas em computadores de 64 bits até que o Solus 5 seja lançado.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Para complementar, confira baixo as imagens do sistema:

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Solus 4 Fortitude lançado oficialmente - Confira as novidades e baixe

Baixe e experimente o Solus 4 Fortitude

Como esperado, o Solus 4 está disponível em quatro versões com os ambientes de desktop Budgie, GNOME, KDE Plasma e MATE.

Os usuários do Solus não precisam baixar o Solus 4 para atualizar suas instalações, mas apenas garantir que eles tenham todas as atualizações e correções de segurança mais recentes instaladas em seus computadores. Se você tem uma instalação atualizada do Solus, você já está executando o Solus 4.

Mas se você quer fazer uma nova instalação, a imagem ISO do Solus 4 Fortitude já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

GameMode 1.3 lançado com suporte para overclocking de GPUs NVIDIA e mais

E foi lançado o GameMode 1.3 com suporte para overclocking de GPUs NVIDIA e várias outros recursos. Confira todas as novidades e veja onde baixar para instalar.


Se você é um ávido gamer do Linux, provavelmente já tem um monte de otimizações na sua plataforma de jogos para obter o melhor desempenho de jogo possível, mas os novatos podem usar a ferramenta GameMode da Feral Interactive para instruir a CPU de seus computadores para trabalharem no modo ‘Performance’ ao rogar jogos.GameMode 1.3 lançado com suporte para overclocking de GPUs NVIDIA e maisGameMode 1.3 lançado com suporte para overclocking de GPUs NVIDIA e mais

A ferramenta GameMode consiste em uma combinação de daemon e biblioteca que permite definir várias otimizações de desempenho para serem temporariamente aplicadas ao seu computador com Linux, antes de tentar rodar um jogo.

Em resumo, o GameMode é um pequeno combo de daemon/lib para Linux que permite que os jogos solicitem temporariamente que o regulador de escala de frequência do seu processador esteja configurado para um modo ‘performance’.

Agora, a Feral Interactive liberou o GameMode 1.3 como o mais novo lançamento de recursos deste daemon de sistema Linux de código aberto que serve para otimizar dinamicamente o estado do sistema, da CPU e GPU ao executar jogos Linux e retornar o sistema ao seu estado normal, quando o usuário termina de jogar.

O GameMode continua a ser trabalhado predominantemente por desenvolvedores da Feral Interactive que iniciaram o projeto no ano passado, juntamente com Marc Di Luzio, que não está mais na Feral, mas está trabalhando nas melhorias do GameMode sob contrato com a Valve.

Novidades do GameMode 1.3

Com o GameMode 1.3 vem vários novos recursos como a desativação automática do protetor de tela quando os jogos estão rodando, um script auxiliar gamemoderun para lançar jogos e ajudar em jogos que não têm integração GameMode, suporte para overclocking de GPUs NVIDIA, suporte para o nível de desempenho de GPUs Radeon no driver AMDGPU, aumentando a prioridade de E/S para processos de jogos e outras correções e melhorias.

Aqueles que querem experimentar o GameMode como a maneira mais fácil de otimizar seu sistema para jogos no Linux podem encontrar a versão 1.3 através do GitHub.

Para fazer isso, até que os pacotes nativos do Linux estejam disponíveis nos repositórios de software, você primeiro terá que instalar o GameMode em sua Linux favorita seguindo as instruções de instalação fornecidas pela Feral Interactive no GitHub,

Para mais detalhes leia esse outro artigo:
Feral Interactive lançou uma ferramenta para otimizar jogos no Linux

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gravador de som Sound Recorder no Linux via Flatpak

Se você quer gravar usando seu PC com Linux, sem complicações, veja como instalar o gravador de som Sound Recorder no Linux via Flatpak.


O Sound Recorder é um app que fornece uma interface simples e uma maneira direta de gravar e reproduzir áudio. Ele permite que você faça edições básicas e crie memorandos de voz.Como instalar o gravador de som Sound Recorder no Linux via FlatpakComo instalar o gravador de som Sound Recorder no Linux via Flatpak

Esse gravador de som lida com o processo de salvamento, para que você não precise se preocupar em descartar acidentalmente a gravação anterior.

Entre os formatos de áudio suportados pelo Sound Recorder estão o Ogg Vorbis, Opus, FLAC, MP3 e MOV.

Como instalar o gravador de som Sound Recorder no Linux via Flatpak

Para instalar o gravador de som Sound Recorder no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gravador de som Sound Recorder no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.SoundRecorder.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.SoundRecorder

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.SoundRecorder em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite sound ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gravador de som Sound Recorder no Linux via Flatpak

Para desinstalar o gravador de som Sound Recorder no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.SoundRecorder

Ou

flatpak uninstall org.gnome.SoundRecorder

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Quer ser avisado quando a próxima versão do sistema da Canonical estiver disponível? Então veja como o Ubuntu para que existe uma nova versão e fique tranquilo.


Mesmo que esteja perto do lançamento de uma nova versão do Ubuntu, você não precisa ficar todo dia verificando se ela já saiu.Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versãoComo configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Felizmente, o próprio sistema pode fazer isso para você e ainda avisá-lo quando o novo sistema chegar.

Essa funcionalidade do Ubuntu não é nenhuma novidade, mas muitos não sabem que ela existe, ou não sabem onde encontrá-la.

Por conta disso, esse tutorial mostra um passo a passo de como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão.

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Para configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Se você estiver usando o Ubuntu com Unity (17.04 ou inferior), clique no Dash e digite “Programas e atualizações”. Depois, clique no ícone do para executá-lo;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu com Gnome (17.10 ou superior), clique em “Atividades” e digite “Programas e atualizações”. Depois, clique no ícone do programa para executá-lo;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 3. Na janela de “Programas e atualizações”, clique na aba “Atualizações”;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 4. Em “Atualizações”, clique na seta ao lado do campo “Notificar-me de uma nova versão do Ubuntu:”. No menu que aparece, clique na opção “Para qualquer nova versão”. Se você quiser atualizar apenas para versões LTS, clique na opção “Para versão de suporte longo”;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 5. Se você estiver atualizando para uma versão beta, acesse a aba “Opções para Desenvolvedores” e marque o campo “Atualizações de pré-lançamento”;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 6. Para finalizar a configuração, clique no botão “Fechar”. Ao fazer isso, será necessário autorizar a mudança. Para isso, digite sua senha e clique no botão “Autenticar”;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Pronto! Agora, assim que uma nova versão ficar disponível, você será avisado e poderá iniciar a atualização do sistema (ou não).

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Pdfsam no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados

Se você quer fazer todo tipo de tarefa com arquivos PDF, conheça e veja como instalar o Pdfsam no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados.


PDFsam (PDF Split And Merge) é um aplicativo gratuito, de código aberto e de plataforma cruzada (disponível para Linux, Mac e Windows) que é usado para dividir, , extrair páginas, documentos PDF.Como instalar o Pdfsam no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivadosComo instalar o Pdfsam no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados

Com o PDFsam Basic, você pode misturar, combinar ou extrair, dividir e girar páginas, especificando os números das páginas.

No entanto, o PDFsam também permite reorganizar as páginas PDF em uma exibição de miniaturas.

Nesse modo, você pode facilmente trabalhar com miniaturas de PDF para mesclar, excluir, girar, reorganizar e salvar os resultados como outro arquivo PDF.

A página do software informa que o PDFsam Versão 3 é open source sob a Licença Pública Geral GNU Affero v3, versões anteriores são liberadas sob a GPLv2.

Como requisito mínimo, é preciso ter instalado a versão 8 do Java JDK no sistema.

Java no Linux: veja como Instalar manualmente

Como instalar o Pdfsam no Linux

Para instalar o Pdfsam no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o Pdfsam no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o Pdfsam no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o . Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome pdfsam.deb:

wget https://github.com/torakiki/pdfsam/releases/download/v4.0.1/pdfsam_4.0.1-1_all.deb -O pdfsam.deb

Passo 3. Agora o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i pdfsam.deb
sudo apt-get install -f

Passo 4. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./pdfsam.deb

Passo 5. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove pdfsam*

Como instalar o Pdfsam no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Quem quiser instalar o Pdfsam no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome pdfsam.rpm:

wget http://download.opensuse.org/repositories/graphics/openSUSE_Factory/noarch/pdfsam-2.2.4-1.2.noarch.rpm -O pdfsam.rpm

Passo 3. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install pdfsam.rpm

Passo 4. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall pdfsam.rpm

ou

sudo dnf install pdfsam.rpm

Passo 5. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

sudo rpm -i pdfsam.rpm

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e pdfsam*

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pdfsam no Dash/Atividades ou em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

Algumas pessoas não gostam das mudanças que tem sido feitas no Nautilus, para essas, uma boa alternativa é instalar o Nemo com extensões no Ubuntu.


Nemo é um fork completo do Nautilus e seu objetivo é ampliar a experiência do usuário do ambiente Cinnamon para o gerenciamento de desktop e arquivos.Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no UbuntuInstale o de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

O gerenciador de arquivos Nemo tem características que não estão disponíveis em versões mais recentes do Nautilus, visualização compacta vista, todos os ícones do desktop, “Abrir no terminal”, “Abra root”, barra de status própria, melhor pesquisa, melhores Widgets e muitos mais.

Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

Atenção! Não faça esse procedimento se você estiver usando o Linux Mint ou algum derivado dele.

Nemo como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

Se você quer substituir o Nautilus pelo Nemo, veja no tutorial abaixo como colocar ele como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu:
Como colocar o Nemo como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

Instalando o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados no Ubuntu

Para instalar o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/nemo

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install nemo

Passo 5. Para instalar os plugins extras, execute o comando:

sudo apt-get install nemo-compare nemo-audio-tab nemo-emblems nemo-filename-repairer nemo-fileroller nemo-gtkhash nemo-image-converter nemo-media-columns nemo-pastebin python-nemo nemo-rabbitvcs nemo-seahorse nemo-share nemo-terminal

Se você for instalar o ambiente Cinnamon, primeiro remova esse repositório para não haver conflitos de pacotes por causa do Nemo.

Para isso, execute os comandos em “Desinstalando o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados”.

Como instalar o gerenciador de arquivos Nemo com extensões manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de , você não receberá nenhuma atualização do programa.

Desinstalando o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/nemo -r -y
sudo apt-get remove nemo --auto-remove

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o quadro branco OpenBoard no Linux via Flatpak

Se você precisa de uma ferramenta para escrever ao dar aulas ou palestras, conheça e veja como instalar o quadro OpenBoard no Linux via Flatpak.


O OpenBoard é um aplicativo interativo de quadro branco interativo de plataforma aberta projetado principalmente para uso em escolas.Como instalar o quadro branco OpenBoard no Linux via FlatpakComo instalar o quadro branco OpenBoard no Linux via Flatpak

Esse aplicativo, foi originalmente bifurcada da Open-Sankoré, que era baseada em Uniboard.

Este fork foi criado para reorientar o software nas suas funcionalidades e valores centrais originais, que é o trabalho de um professor numa sala de aula, privilegiando a facilidade de utilização

Como instalar o quadro branco OpenBoard no Linux via Flatpak

Para instalar o quadro branco OpenBoard no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu . Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o quadro branco OpenBoard no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/ch.openboard.OpenBoard.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update ch.openboard.OpenBoard

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run ch.openboard.OpenBoard em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite openboard ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o quadro branco OpenBoard no Linux via Flatpak

Para desinstalar o quadro branco OpenBoard no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall ch.openboard.OpenBoard

Ou

flatpak uninstall ch.openboard.OpenBoard

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o programa de pintura digital MyPaint no Ubuntu

Se você procura uma ferramenta para criar e editar pinturas no seu PC, veja como instalar o de pintura no Ubuntu Linux e derivados.


O programa de pintura digital MyPaint é uma ferramenta ágil e fácil para os pintores digitais. Ele permite que você se concentre na arte, em vez do programa.Como instalar o programa de pintura digital MyPaint no UbuntuComo instalar o programa de pintura digital MyPaint no Ubuntu

Você trabalha em sua tela com um mínimo de distrações, trazendo a interface somente quando você realmente precisa dela.

O programa possui um suporte básico de camadas, uma interface de usuário simples e minimalista, além ter sido projetado para o uso em sensíveis à , como as feitas pela e muitos dispositivos semelhantes.

Como instalar o programa de pintura digital MyPaint no Ubuntu

Ele vem com uma grande coleção de pincéis, incluindo carvão e tinta para emular um pincel real, mas o engine de pincéis é versátil e altamente configurável, e fornece ferramentas produtivas úteis. Isso permite experimentar seus próprios pincéis e muito mais.

Como instalar o programa de pintura digital MyPaint no Ubuntu

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Como instalar o programa de pintura digital MyPaint no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o programa de pintura digital MyPaint no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:achadwick/mypaint-testing

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install mypaint mypaint-data-extras

Como instalar o programa de pintura digital MyPaint manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de , você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mypaint ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o programa de pintura digital MyPaint no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o programa de pintura digital MyPaint no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:achadwick/mypaint-testing -r -y
sudo apt-get remove mypaint mypaint-data-extras --auto-remove

Fonte

Veja também

Se você não usa o Ubuntu e quiser instalar o programa em outra distribuição, use esse tutorial:
Como instalar o programa de pintura digital MyPaint no Linux via Flatpak

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

17 de março de 2019

Resumo semanal de 11/03/2019 a 17/03/2019! Atualize-se!

Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Além do resumo semanal de 11/03/2019 a 17/03/2019, confira esses outros artigos:

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o visualizador KStars no Ubuntu e derivados

Se você quer ficar de olho no espaço e exercitar seu lado astrônomo, veja como instalar o visualizador KStars no Ubuntu e derivados.


O KStars é um visualizador espacial, de código aberto, multiplataforma, e claro, um software de astronomia.Como instalar o visualizador KStars no Ubuntu e derivadosComo instalar o visualizador KStars no Ubuntu e derivados

Ele fornece uma simulação gráfica precisa do céu noturno, a partir de qualquer local na Terra, em qualquer data e hora.

A tela inclui até 100 milhões de estrelas, 13.000 objetos do céu profundo, todos os 8 planetas, o Sol e a Lua, e milhares de cometas, asteroides, supernovas e satélites.

Para alunos e professores, ele suporta velocidades de simulação ajustáveis ​​para visualizar fenômenos que acontecem em escalas de longas, o Astrocalculador do KStars para prever conjunções e muitos cálculos astronômicos comuns.

Para o astrônomo amador, ele fornece um planejador de observação, uma ferramenta de calendário celeste e um FOV para calcular o campo de visão do equipamento e exibi-lo.

Descubra objetos interessantes na ferramenta “What’s up Tonight”, plote gráficos de altitude x tempo para qualquer objeto, imprima gráficos celestes de alta qualidade e tenha acesso a muitas informações e recursos para ajudá-lo a explorar o universo!

Incluído no KStars está o conjunto de astrofotografia Ekos, uma solução completa de astrofotografia que pode controlar todos os dispositivos INDI, incluindo numerosos telescópios, CCDs, DSLRs, focalizadores, filtros e muito mais.

O Ekos suporta rastreamento altamente preciso usando solucionador de astrometria on-line e off-line, recursos de autofoco e auto-guiagem e captura de imagens únicas ou múltiplas usando o poderoso de sequências integrado.

Como instalar o visualizador KStars no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o visualizador KStars no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:mutlaqja/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install indi-full kstars-bleeding

Como instalar o visualizador KStars manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite kstars ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o visualizador KStars no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o visualizador KStars no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:mutlaqja/ppa -r -y
sudo apt-get remove indi-full kstars-bleeding --auto-remove

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o app de envio de arquivos Teleport no Linux via Flatpak

Se você precisa levar um arquivo de um computador para outro em uma rede local, Conheça e veja como o app de envio de arquivos Teleport no Linux via Flatpak, e esqueça pendrives e e-mails.


Você já se perguntou por que a maneira mais fácil de mover um arquivo entre dois computadores na mesma sala envolve enviá-lo para um servidor em outro país? A solução para esse problema chama-se Teleport.Como instalar o app de envio de arquivos Teleport no Linux via FlatpakComo instalar o app de envio de arquivos Teleport no Linux via Flatpak

Teleport é um aplicativo GTK3 nativo para compartilhar arquivos sem esforço na rede local.

Ele foi projetado para ser um substituto para pendrives ou envio de e-mails, para que você apenas o arquivo que quiser para outro computador, quando quiser, e sem precisar passar pela Internet.

Instale o programa nos computadores da rede e use-o para enviar arquivos quando quiser. Ao enviar, o destinatário receberá uma noticiação, onde le poderá aceitar ou não o recebimento.

Como instalar o app de envio de arquivos Teleport no Linux via FlatpakRecebendo a notificação de envio de arquivos do Teleport

Como instalar o app de envio de arquivos Teleport no Linux via Flatpak

Para instalar o app de envio de arquivos Teleport no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o app de envio de arquivos Teleport no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/com.frac_tion.teleport.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.frac_tion.teleport

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.frac_tion.teleport

Ou

flatpak uninstall com.frac_tion.teleport

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.frac_tion.teleport em um terminal.

Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite teleport ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o conversor de áudio fre:ac no Linux via Flatpak

Se precisa de um bom conversor de áudio para seu sistema, veja como instalar o fre:ac no Linux via Flatpak, e resolva seu problema.


fre:ac é um conversor de áudio livre e de código aberto. Com fre:ac você pode converter entre muitos formatos de som como MP3, MP4, M4A, WMA, Ogg Vorbis, FLAC e .Como instalar o conversor de áudio fre:ac no Linux via FlatpakComo instalar o conversor de áudio fre:ac no Linux via Flatpak

Ele vem com um editor de tags integrado e converte entre vários formatos, suporte para consultas e envios do freedb/CDDB, suporte para usar codecs de linha de comando, interface de linha de comando opcional e está disponível em mais de 40 idiomas.

Ele possui suporte para listas de reprodução, folhas de sugestões e capítulos, mecanismo de conversão rápido e multithread e a capacidade de converter para vários formatos de uma só vez.

Como instalar o conversor de áudio fre:ac no Linux via Flatpak

Para instalar o conversor de áudio fre:ac no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o conversor de áudio fre:ac no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.freac.freac.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.freac.freac

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.freac.freac em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite freac ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o conversor de áudio fre:ac no Linux via Flatpak

Para desinstalar o conversor de áudio fre:ac no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.freac.freac

Ou

flatpak uninstall org.freac.freac

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Conversor de áudio: veja como instalar o fre:ac no Linux

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o app de notícias e tempo Coffee no Ubuntu

Se você não quer ter que ficar abrindo novas abas apenas pra ver as novidades e a previsão do , então conheça e veja como instalar o app de notícias e Coffee no Ubuntu e derivados.


O Coffee é um novo aplicativo Linux que ajuda você a manter-se atualizado com notícias e clima atuais, sem precisar tocar no botão de nova aba no seu navegador.Como instalar o app de notícias e tempo Coffee no UbuntuComo instalar o app de notícias e tempo Coffee no Ubuntu

Todos nós gostamos de manter um olhar constante sobre o mundo que nos rodeia, seja para ver qual foi o último político preso, o resultado do último jogo da nossa equipe de esportes preferida, e assim por diante.

O Coffee mostra as manchetes de notícias atuais das principais publicações como o The Next Web , BBC Sport, The Guardian, Engadget e outros, bem como as meteorológicas da localização do usuário.

Mostrando notícias

Inspirado no Google Now no Android, o Coffee exibe uma seleção de manchetes de notícias atuais das principais publicações de notícias, bem como informações meteorológicas da localização do usuário (ou qualquer local escolhido manualmente).

Os desenvolvedores do Coffee dizem que o aplicativo “beneficiará as pessoas que querem apenas obter uma rápida visão geral dos principais artigos de notícias e informações meteorológicas entre as pausas para o café” sem precisar carregar um aplicativo de notícias, navegador web ou leitor de RSS.

Mostrando a previsão do tempo

O Coffee detecta sua localização atual automaticamente (usando o GeoClue), mas se preferir, você pode inserir uma localização manualmente através da seção de configurações.

Como instalar o app de notícias e tempo Coffee no Ubuntu

Quando um local válido estiver configurado, você verá uma visão geral proeminente das condições climáticas atuais mais um breve resumo de texto sobre o que esperar mais tarde no dia. Há também uma breve previsão de 5 dias.

Nem tudo são flores no app de notícias e tempo Coffee

O Coffee é exibido como uma janela alta e vertical que fica fixada no lado direito da tela. Você não pode redimensionar esta janela ou movê-la facilmente.

Além disso, a janela do aplicativo também está configurada para ser exibida no modo ‘Always on Top’ (sempre no topo), portanto, você não pode escondê-lo ou ocultá-lo usando outras janelas.

Como instalar o app de notícias e tempo Coffee no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o app de notícias e tempo Coffee no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:coffee-team/coffee

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install com.github.nick92.coffee

Como instalar o app de notícias e tempo Coffee manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite coffee no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o app de notícias e tempo Coffee no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o app de notícias e tempo Coffee no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:coffee-team/coffee -r -y
sudo apt-get remove com.github.nick92.coffee --auto-remove

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo The Battle for Wesnoth no Ubuntu

Foi lançada mais uma atualização do de estratégia The Battle for Wesnoth. Se você se interessa por esse tipo de disputa, veja aqui com instalar ele no Ubuntu.


The Battle for Wesnoth (A batalha por Wesnoth), também chamado simplesmente de Wesnoth, é um game de estratégia baseado em turnos em um mapa hexagonal e que pode ser jogado em modo singleplayer e combate multiplayer on-line/hotseat. O jogo é programado em C++ e é um software livre, licenciado pela GPL.Como instalar o jogo The Battle for Wesnoth no Ubuntu instalar o jogo The Battle for Wesnoth no Ubuntu

O jogo Battle for Wesnoth foi desenvolvido originalmente por David White em junho de 2003. Atualmente ele atua como o coordenador do projeto.

David se baseou nos jogos do Sega Genesis Master of Monsters e Warsong. Ele tentou criar um jogo de estratégia de código-aberto que tivesse regras muito simples, mas com uma poderosa inteligência artificial, e ele obteve sucesso e diversão.

Em Wesnoth, o jogador treina soldados, para criar um exército invencível, controla aldeias e derrota inimigos. O jogo é vagamente baseado nos jogos para Sega Genesis, Master of Monsters e Warsong.

Ele é muito competitivo, o usuário pode escolher entre centenas de tipos diferentes de soldados, como infantaria, cavalaria, arqueiros, magos, e etc e lutar com os amigos ou estranhos, no modo multiplayer.

Como instalar o jogo The Battle for Wesnoth no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o jogo Battle for Wesnoth no Ubuntu, procure por “wesnoth” na Central de programas do sistema.

Se quiser a versão mais recente do jogo e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:vincent-c/wesnoth

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install wesnoth-1.12

Como instalar o The Battle for Wesnoth manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wesnoth no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Desinstalando o jogo The Battle for Wesnoth no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o jogo The Battle for Wesnoth no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:vincent-c/wesnoth --remove
sudo apt-get remove wesnoth-1.12 --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o jogo usando esse outro tutorial:
Como instalar o jogo The Battle for Wesnoth no Linux via Flatpak

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o editor de vídeo Pitivi no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

Se você trabalha vídeos, conheça e veja como instalar o editor de vídeo Pitivi no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE, usando a tecnologia Flatpak.


Pitivi é um editor de vídeo não-linear o sistema Linux que é distribuído sob a licença LGPL. O programa já está com quase treze anos de desenvolvimento.Como instalar o editor de vídeo Pitivi no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSEComo instalar o editor de vídeo Pitivi no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

De acordo com o próprio site:

“PiTiVi respeita a sua liberdade e continua melhorando a cada nova versão. Nunca irá exigir taxas de licenciamento ou usar DRM para impedi-lo de usá-lo quando, onde e como quiser. Desenvolvido em colaboração por pessoas de todo o mundo, seu único propósito é ser um editor de vídeo fantástico para capacitar as pessoas a expressar-se através do vídeo.”

Como instalar o editor de vídeo Pitivi no Linux via Flatpak

Para instalar o editor de vídeo Pitivi no Ubuntu via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

Depois, você pode instalar o editor de vídeo Pitivi no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user http://flatpak.pitivi.org/pitivi.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.pitivi.Pitivi

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.pitivi.Pitivi stable

Ou

flatpak uninstall org.pitivi.Pitivi stable

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.pitivi.Pitivi em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite pitivi ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Fonte

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Gerenciar fotos no Linux – instale o Picty no Ubuntu e derivados

Procurando uma aplicação para ? A busca acabou, veja como instalar o Picty no Ubuntu e sistemas derivados, e organize suas .


Existe uma abundância de outros gerenciadores de grandes de fotos, e o Picty é um deles. O programa é um gerenciador de coleção de fotos gratuito, poderoso e simples que ajuda o usuário a gerenciar fotos, sem qualquer aborrecimento.Gerenciar fotos no Linux - instale o Picty no Ubuntu e derivadosGerenciar fotos no Linux – instale o Picty no Ubuntu e derivados

Ele usa uma abordagem de menor perda para lidar com imagens e também gerenciar metadados. Em sistemas de arquivos locais, metadados (informações descritivas) e edições de imagem (cortar, girar, melhorar) são armazenadas nas imagens.

Na medida do possível, os bancos de dados/índices são arquivos temporários que podem ser excluídos sem perder dados úteis.

Picty pode lidar com mais de 20.000 coleção de fotos, permite que você crie coleção de imagens na unidade local, câmeras, dispositivos móveis, outros dispositivos de mídia e serviços de fotografia baseados na web (atualmente suporta: Flickr).

A boa notícia é que você pode abrir quantas coleções quiser e transferi-los em qualquer lugar você quiser.

Ele escreve e lê metadados em formatos padrão: IPTC, Xmp e Exif. Outras características importantes desta aplicação incluem a edição básica de imagens, suporte a múltiplos monitores, tagging de imagens, exibição de pasta e assim por diante.

O programa também tem poderosos recursos de pesquisa e suporta plugins (recursos de interface do usuário como marcação e mapeamento de geolocalização, são fornecidos por plugins).

Gerenciar fotos no Linux - instale o Picty no Ubuntu e derivados

Gerenciar fotos no Linux - instale o Picty no Ubuntu e derivados

Como instalar o Picty no Ubuntu e gerenciar fotos

Para instalar o Picty no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:damien-moore/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install picty

Passo 5. Para obter outras funcionalidades como Flickr, suporte GeoTagging, Processing, e miniaturas de vídeo, execute o comando abaixo:

sudo apt-get install dcraw totem python-gdata python-flickrapi python-osmgpsmap

Como instalar o Picty manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite picty no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Picty no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Picty no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:damien-moore/ppa -r -y
sudo apt-get remove picty --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu

Procurando uma forma de gerenciar suas senhas e mantê-las seguras? Experimente instalar o gerenciador de senhas no Ubuntu e sistemas derivados.


KeePassX é um aplicativo de código aberto usado para o gerenciamento de senhas, que permite criar, armazenar, gerar e editar senhas.Como instalar o gerenciador de senhas KeePassXC no LinuxComo instalar o gerenciador de senhas KeePassXC no Linux

Originalmente, o KeePassX foi chamado de KeePass/L for Linux desde que era um porte do gerenciador de senhas do Windows Keepass Password Safe.

Depois que se tornou um aplicativo multiplataforma, o nome não era adequado, e portanto, em 22 de Março de 2006, foi alterado para KeePassX.

Na prática, KeePassX é uma aplicação para pessoas com exigências de uma gestão segura de dados pessoais extremamente elevadas. Ele tem uma interface clara, é multiplataforma e publicado sob os termos da GPL (GNU General Public License).

O programa salva muitas informações diferentes, por exemplo, nomes de usuários, senhas, urls, anexos e comentários em um único banco de dados.

Para uma melhorar o gerenciamento, títulos e ícones definidos pelo usuário podem ser especificados para cada entrada única.

Além disso, as entradas são classificadas em grupos, que são customizáveis também. A função de pesquisa integrada permite pesquisar em um único grupo ou na base de dados completa.

O banco de dados completo é sempre criptografado com ou (também conhecido por Rijndael) ou algoritmo de criptografia Twofish usando uma chave de 256 bits. Portanto, a informação guardada pode ser considerado como bastante segura.

O KeePassX usa um de banco de dados que é compatível com o KeePass Password Safe. Isso faz com que o uso dessa aplicação seja ainda mais favorável.

Para completar, KeePassX oferece um pequeno utilitário para geração de senha segura. O gerador de senha é muito personalizável, rápido e fácil de usar. Usuários que geram senhas com frequência irão apreciar este recurso.

Como instalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial.

sudo add-apt-repository ppa:jtaylor/keepass

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install keepassx

Como instalar o gerenciador de senhas KeePassX manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite keepassx no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove keepassx --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Animações no Linux – conheça e instale o Synfig Studio

Quer criar animações no Linux? Então conheça e veja como instalar o Synfig Studio e comece a criar animação vetorial 2D.


Para aqueles que não conhecem Synfig Studio é um software de animação 2D livre e de código aberto, projetado como uma poderosa solução para criar animação de qualidade cinematográfica, usando trabalho artístico em vetor e mapa de bits.Animações no Linux - conheça e instale o Synfig StudioAnimações no Linux – conheça e instale o Synfig Studio

Ele elimina a necessidade de criar animação quadro a quadro, permitindo produzir animação 2D de alta qualidade poucas pessoas e recursos.

Synfig Studio é um aplicativo multiplataforma, e por isso, está disponível para Windows, Linux e OS X.

Entre as principais características do Synfig Studio estão a capacidade de criar vários conjuntos de quadros para criar um movimento simulado (característica chamada técnica de interpolação), além de ferramentas úteis para inserir recursos tais como sombras, lidar com a opacidade, adicionar efeitos em tempo real e etc.

Animações no Linux - conheça e instale o Synfig Studio

O programa permite aplicar deformações complexas para gráficos de bitmap usando o nível de distorção do esqueleto.

Novas ferramentas não destrutivas de recorte, efeitos de fricção, suporte inicial para full frame-by-frame animação bitmap e a adição de uma camada de para sincronizar a linha do tempo da animação com uma trilha sonora, poderão ajudar a desbloquear a criatividade dos animadores de código aberto.

Com certeza o programa é uma ótima ferramenta para criar animações no Linux. Contudo, embora as melhorias presentes nesta última versão possa ajudar a convencer alguns animadores a experimentarem o software, o Synfig Studio não é uma ferramenta adequada para todos. Mas vale a pena dar uma olhada.

Como instalar o Synfig Studio para criar animações no Linux

Para instalar o Synfig Studio para criar animações no Linux, use um dos procedimentos abaixo. O primeiro permite instalar a versão estável e o segundo, a versão de desenvolvimento. Use o que for conveniente para você e comece a utilizar o programa.

Como instalar a versão estável do Synfig Studio para criar animações no Linux

Para instalar a versão estável do Synfig Studio e usá-lo para criar animações no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome synfigstudio.appimage:

wget https://www.fosshub.com/Synfig.html/SynfigStudio-1.2.2-18.09.14-linux32-286f1.appimage -O synfigstudio.appimage

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome synfigstudio.appimage:

wget https://www.fosshub.com/Synfig.html/SynfigStudio-1.2.2-18.09.14-linux64-286f1.appimage -O synfigstudio.appimage

Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x synfigstudio.appimage

Passo 6. Agora instale o programa com o comando;

./synfigstudio.appimage

Passo 7. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Animações no Linux - conheça e instale o Synfig Studio

Como instalar o Synfig Studio para criar animações no Linux (versão de desenvolvimento)

Para instalar o Synfig Studio e usá-lo para criar animações no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome synfigstudio.appimage:

wget "https://sourceforge.net/projects/synfig/files/snapshots/1.3.10/SynfigStudio-1.3.10-testing-18.07.21-linux32-bfd1c.appimage/download" -O synfigstudio.appimage

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome synfigstudio.appimage:

wget "https://sourceforge.net/projects/synfig/files/snapshots/1.3.10/SynfigStudio-1.3.10-testing-18.07.21-linux64-bfd1c.appimage/download" -O synfigstudio.appimage

Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x synfigstudio.appimage

Passo 6. Agora instale o programa com o comando;

./synfigstudio.appimage

Passo 7. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite synfigstudio no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB) e comece a criar suas animações no Linux!

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Exportar para PDF – como instalar o GScan2PDF no Ubuntu

Está precisando digitalizar documentos e quer exportar PDF? Use um scanner e o gscan2pdf e transforme todos eles em arquivos nesse formato, de um jeito simples e rápido.


GScan2PDF é uma interface gráfica para facilitar o processo de produção de PDFs ou DjVus a partir de documentos digitalizados.Exportar para PDF - como instalar o GScan2PDF no UbuntuExportar para PDF – como instalar o GScan2PDF no Ubuntu

o programa você pode digitalizar páginas e exportar para PDFs. O usuário pode exportar scans um por um, em arquivos PDF separados, ou cria um PDF das páginas selecionadas.

São necessários cinco cliques para verificar várias páginas e, em seguida, salvar tudo ou uma seleção como um arquivo PDF ou DjVu, incluindo metadados, se necessário.

Gscan2pdf pode controlar scanners regulares ou alimentados por folhas (ADF) com SANE via libimage-sane-perl, scanimage ou scanadf e podem digitalizar várias páginas de uma vez.

Ele apresenta uma visão em miniatura das páginas digitalizadas e permite operações simples, como cortar, girar e excluir páginas.

exportar para pdf GSCAN2PDF

OCR pode ser usado para reconhecer texto nas varreduras e a saída embutida no PDF ou DjVu. A conversão de PDF é feita por PDF :: API2.

O documento resultante pode ser salvo como PDF, DjVu, arquivo TIFF de várias páginas ou arquivo de imagem de página única.

gscan2pdf cria um arquivo de recurso de texto em ~/.config/gscan2pdfrc. O diretório pode ser alterado configurando a variável $XDG_CONFIG_HOME.

No entanto, as preferências devem ser alteradas através do menu Editar/Preferências, ou são capturadas automaticamente durante o uso normal do programa.

Suporte a scanner no Linux

Muitos scanners já são suportados pelo Linux, mas se você precisar de tutoriais sobre o suporte a esse tipo de dispositivo no sistema, consulte a lista abaixo:

Instalando o GScan2PDF no Ubuntu e derivados para digitalizar documentos e exportar para PDF

Para instalar o GScan2PDF no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:jeffreyratcliffe/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo:

sudo apt-get install gscan2pdf

Como instalar o GScan2PDF manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite gscan2pdf no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Depois, você já pode começar a digitalizar documentos e exportar para PDF, sempre que precisar.

Desinstalando o GScan2PDF no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o GScan2PDF no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:jeffreyratcliffe/ppa -r -y
sudo apt-get remove gscan2pdf --auto-remove

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Informações de hardware: Instale i-Nex no Ubuntu e derivados

Se você precisa de mais informações de hardware do seu computador, experimente instalar o i-Nex no Ubuntu e seus derivados.


i-Nex é uma ferramenta de informações do sistema que é usada para coletar dados sobre os principais componentes do sistema (), como CPU, placa mãe, memória, memória de vídeo, som, e assim por diante.Informações de hardware: Instale i-Nex no Ubuntu e derivadosInformações de hardware: Instale i-Nex no Ubuntu e derivados

Através de uma interface baseada em abas, o aplicativo exibe informações sobre o hardware do sistema com uma quantidade significativa de detalhes.

Essas informações podem ser úteis para identificar partes do hardware, seja para matar a curiosidade, conferir itens ou para descobrir o driver correto de um componente a partir de seu nome.

Se quiser experimentar outra ferramenta, dê uma olhada nesse tutorial:

CPU-Z para Linux – instale CPU-G no Ubuntu e saiba mais sobre seu PC

Instalando o aplicativo de informações de hardware i-Nex no Ubuntu e derivados

Para instalar i-Nex no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver o repositório dos programas, adicione com os comandos abaixo:

sudo add-apt-repository ppa:nemh/gambas3
sudo add-apt-repository ppa:i-nex-development-team/daily 
sudo add-apt-repository ppa:i-nex-development-team/libcpuid11

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo:

sudo apt-get install i-nex

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite i-nex -a no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o aplicativo de informações de hardware i-Nex no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o aplicativo de informações de hardware i-Nex no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:nemh/gambas3 -r
sudo add-apt-repository ppa:i-nex-development-team/daily -r
sudo add-apt-repository ppa:i-nex-development-team/libcpuid11 -r
sudo apt-get remove i-nex --auto-remove

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o incrível Remote Touchpad no Linux via Flatpak

Se você precisa de uma boa alternativa substituir o mouse e teclado sem gastar nada, conheça e veja como instalar o Remote Touchpad no Linux via .


Remote Touchpad é um aplicativo quer permite controlar o mouse e o teclado de um PC através do navegador de um smartphone (ou de qualquer outro dispositivo com tela sensível ao toque).Como instalar o Remote Touchpad no Linux via FlatpakComo instalar o Remote Touchpad no Linux via Flatpak

O programa é simples de usar e o único pré requisito para que tudo funcione, é que o PC e o smartphone precisam estar na mesma.

Ele pode ser muito útil para quando você quer trabalhar de um certa distancia do PC, ou quando o mouse ou teclado não estão funcionando conrretamente!

Como instalar o Remote Touchpad no Linux via Flatpak

Para instalar o Remote Touchpad no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o Remote Touchpad no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.unrud.RemoteTouchpad.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.unrud.RemoteTouchpad

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.unrud.RemoteTouchpad

Ou

flatpak uninstall com.github.unrud.RemoteTouchpad

Como usar o Remote Touchpad

Quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.unrud.RemoteTouchpad em um terminal.

Para assumir o controle, digite e abra a URL exibida em um navegador do seu smartphone ou simplesmente escaneie o código QR.

Como instalar o Remote Touchpad no Linux via Flatpak

Será exibida uma área escura que servirá como touchpad remoto e em um dos cantos, um ícone que ativa o teclado remoto na tela.

Como instalar o Remote Touchpad no Linux via Flatpak

Como instalar o Remote Touchpad no Linux via Flatpak

E então? Gostou do programa? Deixe sua opinião nos comentários!

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como carregar iPhone ou iPad rapidamente via USB no Ubuntu com o iPad Charge

Se você vive deixando o seu iPad plugado na USB do PC e ele não carrega a bateria ou carrega lentamente, experimente instalar o iPad Charge para carregar iPhone ou iPad rapidamente.


iPad Charge é uma alternativa Linux para o utilitário do Windows ASUS Ai Charger, que permite carregar o seu iPad a partir de portas USB que normalmente não oferecem energia suficiente para carregar corretamente o tablet. A ferramenta também pode acelerar o carregamento via portas USB padrão do iPhone e iPod.Como carregar iPhone ou iPad rapidamente via USB no Ubuntu com o iPad ChargeComo carregar iPhone ou iPad rapidamente via USB no Ubuntu com o iPad Charge

Isto é bastante útil para carregar rapidamente o seu iPad em portas USB que não fornecem energia suficiente e ainda fazem o aparelho exibir a “Not Charging” (Não está carregando) ao lado do ícone da bateria.

Quando esta mensagem é exibida, o dispositivo na verdade está carregando, mas muito lentamente. No entanto, usando o iPad Charge, o dispositivo deverá carregar muito mais rápido e, como resultado, a mensagem não será exibida.

No momento, ele é considerado compatível com os seguintes dispositivos: iPad, iPad2, iPad3, , iPad Mini, , iPod Touch 3G, iPod Touch 4G, iPhone 3GS, iPhone 4, iPhone 4S e iPhone 5.

Mas de acordo com um leitor do blog (veja nos comentários), funciona muito bem com o iPhone 6 Plus e um iPad Air (e possivelmente funciona em todos os iPhone/iPad/iPod).

Para completar, o programa ajuda a resolver o erro que acontece quando o Linux tentar monta a partição do iPhone automaticamente.

Instalando o iPad Charge para carregar iPhone ou iPad ou iPod rapidamente via USB no Ubuntu

Para instalar o iPad Charge para carregar iPhone ou iPad rapidamente no Ubuntu, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar a atualização, use este comando:

sudo apt-get install ipad-charge

Como instalar o iPad Charge manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Usando o iPad Charge para carregar iPhone ou iPad rapidamente via USB no Ubuntu

O iPad Charge é usado automaticamente quando você conectar um iPhone, iPad ou iPod via USB para que você não precise fazer mais nada.

Mas se o programa não funcionar de imediato, pode ser necessário reiniciar os sistema depois de instalá-lo.

Para evitar a reinicialização, você pode simplesmente executar o comando abaixo para permitir que o seu gadget seja carregado via USB:

ipad_charge

Você pode desativar o carregamento do iPhone ou iPad via USB usando o seguinte comando:

ipad_charge --off

Para mais informações a utilização do programa, execute esse comando:

ipad_charge --help

Desinstalando o iPad Charge no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o iPad Charge no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove ipad-charge --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Avidemux no Linux via arquivo AppImage

Se você quer usar um bom editor de vídeo em seu sistema, veja como instalar o Avidemux no Linux via arquivo AppImage, e comece a mexe nos seus vídeos.


O Avidemux é um editor de vídeo gratuito projetado para cortes simples, filtragem e codificação de tarefas.Como instalar o Avidemux no Linux via arquivo AppImageComo instalar o Avidemux no Linux via arquivo AppImage

O programa é um software livre coberto pela licença GNU GPL e está disponível para Linux, BSD, Mac OS X e Microsoft Windows.

Apesar do nome dele começar com “Avi”, o aplicativo suporta muitos tipos de arquivos (incluindo AVI), arquivos MPEG compatível com DVD, MP4 e ASF, usando uma variedade de codecs.

Como o Avidemux as tarefas podem ser automatizadas usando projetos, fila de tarefas e recursos de script poderosos. Isso tudo torna determinadas atividades muito mais produtivas.

Se você quiser instalar o programa no Ubuntu, veja esse outro tutorial:
Como instalar a versão mais recente do Avidemux no Ubuntu

Como instalar o Avidemux no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Avidemux no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome avidemux.appimage:

wget http://www.fosshub.com/Avidemux.html/avidemux_2.7.2.appImage -O avidemux.appimage

Passo 3. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x avidemux.appimage

Passo 4. Agora o programa com os comandos;

sudo mkdir /opt/avidemux/
sudo cp avidemux.appimage /opt/avidemux/

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite /opt/avidemux/avidemux.appimage no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Quer testar o programa? Leia esse tutorial:
Como converter vídeos com Avidemux sem complicações

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Configure o Ubuntu para alertar sobre atualizações com mais frequência

Se você gosta de manter seu sistema atualizado, seja atualizações de segurança, atualizações do sistema ou atualizações de aplicativos e não gosta de esperar uma semana pelas atualizações, aprenda como configurar o Ubuntu para alertar sobre atualizações com mais frequência.


A menos que apareça uma atualização de segurança, por padrão, o Atualizador de programas do Ubuntu só irá aparecer por conta própria, uma vez por semana.Configure o Ubuntu para alertar sobre atualizações com mais frequênciaConfigure o Ubuntu para alertar sobre atualizações com mais frequência

O problema é que, dependendo do uso do seu sistema, uma semana pode ser muito tempo para atualizar o sistema, aumentando as chances de ter problemas, principalmente de segurança, por conta das correções de bugs.

Felizmente, existe como configurar essa frequência e fazer com que o sistema informe da atualização assim que ela estiver disponível.

Mas atenção! O procedimento abaixo só deve ser realizado se você realmente tiver necessidade de receber os alertas com mais frequência, do contrario, o ideal é deixar o padrão usado pelo sistema.

Agora se você quiser que o sistema seja atualizado automaticamente, acesse esse outro tutorial:
Como ativar a atualização automática no Ubuntu

Finalmente, para ser notificado sobre as atualizações e manter seu sistema atualizado com mais frequência, você pode alterar as configurações para notificá-lo de qualquer atualização imediatamente, como será mostrado a seguir:

Como configurar o Ubuntu para alertar sobre atualizações com mais frequência

Para configurar o Ubuntu para alertar sobre atualizações com mais frequência, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Clique no Dash ou Atividades e digite “Programas e atualizações”. Quando aparecer a opção, clique nela;

Configure o Ubuntu para alertar sobre atualizações com mais frequência

Passo 2. Dentro de “Programas e atualizações”, clique na aba “Atualizações”;

Configure o Ubuntu para alertar sobre atualizações com mais frequência

Passo 3. Nessa aba, clique na seta ao lado do campo “Quando houver outras atualizações” e selecione a opção “Exibir imediatamente”. Finalmente, clique no botão “Fechar” e  estará pronto;

Configure o Ubuntu para alertar sobre atualizações com mais frequência

Depois de configurado, seu sistema ficará sempre atualizado, assim que sair um update.

Fonte

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o editor de nível para Quake TrenchBroom no Linux

Se você quer editar níveis no jogo Quake, conheça e veja como o editor de nível Quake TrenchBroom no Linux via Snap.


TrenchBroom é um editor de nível de multiplataforma para jogos baseados no mecanismo do jogo Quake, ou Quake Engine.Como instalar o editor de nível para Quake TrenchBroom no LinuxComo instalar o editor de nível para Quake TrenchBroom no Linux

Suporta Quake, Quake 2 e Hexen 2 e roda no Windows (XP e recente), Mac OS X (10.6 e recente) e Linux.

O TrenchBroom é fácil de usar e oferece muitas ferramentas simples e avançadas para criar níveis complexos e interessantes com facilidade.

Como instalar a versão mais recente do editor de nível para Quake TrenchBroom no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o editor de nível para Quake TrenchBroom no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o editor de nível para Quake TrenchBroom no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install trenchbroom

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install trenchbroom --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install trenchbroom --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install trenchbroom --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh trenchbroom

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove trenchbroom

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite trenchbroom ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente VoIP Linphone no Ubuntu

Procurando uma opção para poder se comunicar via Internet utilizando serviços de voz IP? Então veja como o Linphone no Ubuntu e comece a usá-lo.


Linphone é um cliente VoIP de código aberto que permite aos usuários realizar chamadas de voz, vídeo e mensagens instantâneas de texto com amigos e outros usuários.Como instalar o cliente VoIP Linphone no UbuntuComo instalar o cliente VoIP Linphone no Ubuntu

O melhor é que você pode usar o Linphone com qualquer operador VoIP SIP.

Linphone foi lançado em 2001. Ele foi o primeiro aplicativo de código aberto usando o software SIP no Linux. Por mais de 10 anos, muitas melhorias foram feitas e o Linphone foi portado para as principais plataformas de desktop, mobile e :

Como instalar o cliente VoIP Linphone no Ubuntu

Com Linphone você pode se comunicar livremente com pessoas através da internet, utilizando o Protocolo de Iniciação de Sessão (Session Initiation Protocol – SIP).

Para quem não conhece, esse é um padrão aberto para telefonia via Internet que utiliza o modelo “requisição-resposta”, similar ao HTTP, para iniciar sessões de comunicação interativa entre usuários. O protocolo é um padrão da Internet Engineering Task Force (IETF), estabelecido na RFC 2543.

Como instalar o cliente VoIP Linphone no Ubuntu

Como instalar o cliente VoIP Linphone no Ubuntu e seus derivados

Linphone está disponível nos repositórios oficiais de algumas versões do Ubuntu, no entanto, nem sempre é a versão mais recente.

Por isso, para ter a última versão desse programa no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:linphone/release

Passo 3. Atualize o de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install linphone

Como instalar o cliente VoIP Linphone manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite linphone no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o cliente VoIP Linphone no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o cliente VoIP Linphone no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:linphone/release --remove
sudo apt-get remove linphone
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o app Repomaker no Linux via Flatpak

Se você quer criar seus próprios repositórios para F-Droid, conheça e veja como instalar o Repomaker no Linux via Flatpak.


O F-Droid é um catálogo instalável de aplicativos FOSS (Free and Open Source Software ou Software Livre e de Código Aberto) para a plataforma Android. O cliente facilita a navegação, instalação e acompanhamento de no seu dispositivo.Como instalar o app Repomaker no Linux via FlatpakComo instalar o app Repomaker no Linux via Flatpak

O F-Droid.org é apenas um repositório de centenas de repositórios criados por pessoas de todo o mundo. Com as ferramentas do F-Droid, todos podem criar seu próprio repositório.

Então, se você é um músico que quer publicar sua música ou um desenvolvedor que quer servir versões noturnas do seu aplicativo, você é livre para criar seu próprio repositório e compartilhá-lo com outras pessoas, independentemente do F-Droid.org.

No passado, criar um repositório era difícil porque você precisava ter conhecimento na linha de comando, precisava editar arquivos de texto para editar os detalhes da loja de seus pacotes e tinha que colar screenshots em um sistema especial de diretórios para que eles fossem bem servidos o aplicativo F-Droid.

Tudo ficou mais fácil agora: com o Repomaker, você pode criar seu próprio repositório e não precisa ter nenhum conhecimento especial para fazer isso.

Como instalar o Repomaker no Linux via Flatpak

Para instalar o Repomaker no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o Repomaker no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.fdroid.Repomaker.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.fdroid.Repomaker

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.fdroid.Repomaker em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite repomaker ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o Repomaker no Linux via Flatpak

Para desinstalar o Repomaker no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.fdroid.Repomaker

Ou

flatpak uninstall org.fdroid.Repomaker

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
19 de março de 2019, 21:04
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.