25 de janeiro de 2020

Como instalar o gerenciador financeiro HomeBank no Linux

Se você está precisando ficar de olho nas e gastos, conheça e veja como o gerenciador financeiro no Linux.

O gerenciador financeiro HomeBank é um software de conta simples, rápido e fácil de usar para quem precisa administrar suas contas .

Como instalar o gerenciador financeiro HomeBank no LinuxComo instalar o gerenciador financeiro HomeBank no Linux

HomeBank possui diversos recursos, como a análise fácil com gráficos (estatísticas, orçamento, descoberto, custo carro), suporte a múltiplas contas, gestão de orçamento, lembrete, orçamento anual simples, transferências entre contas podem ser automatizadas, importação de arquivos nos formatos OFX/QFX-CSV e status visual das operações.

Ele foi projetado para ser fácil de usar e ser capaz de analisar suas finanças pessoais em detalhes, usando poderosas ferramentas de filtragem e gráficos.

HomeBank está disponível nos repositórios oficiais de algumas distribuições Linux, no entanto, não é a versão mais recente.

E no procedimento abaixo, você verá como instalar esse programa nas distribuições Linux que suportam o formato de pacotes Flatpak. Confira!

Como instalar o gerenciador financeiro HomeBank no Linux via Flatpak

Para instalar o gerenciador financeiro HomeBank no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador financeiro HomeBank no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/fr.free.Homebank.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update fr.free.Homebank

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall fr.free.Homebank

Ou

flatpak uninstall fr.free.Homebank

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run fr.free.Homebank em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite homebank ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

E se você gostou do aplicativo, deixe suas impressões nos comentários!

Veja também

Se você usa o Ubuntu (ou um derivado dele), também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Gerenciamento financeiro: gerencie suas contas pessoais com o HomeBank

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o utilitário Jumble Password no Linux

Se você tem dificuldade para criar , conheça e veja como instalar o utilitário Jumble no Linux, e resolva seu problema.

Baseado em Electron, Jumble Password é basicamente um aplicativo utilitário para criar senhas únicas e diferentes para você, coberto pela licença MIT.

Como instalar o utilitário Jumble Password no LinuxComo instalar o utilitário Jumble Password no Linux

Este aplicativo funciona usando um algoritmo de número aleatório ou de permutação que é denominado como o Algoritmo de Shuffle de Fisher-Yates e isso ajuda a embaralhar as sequencias.

Um exemplo pode ser tal que você queira criar uma senha para o seu site ou projeto onde você está trabalhando e agora você terá a oportunidade de selecionar qualquer nome aleatório ou qualquer data para obter sugestões únicas toda vez que clicar no botão ‘SUBMIT’ (ENVIAR).

Você receberá uma nova senha toda vez que enviar a data e o nome, e todas as senhas serão únicas e novas. Você pode selecionar qualquer um deles para o seu uso e se você não gostar, você pode clicar novamente em ‘SUBMIT’.

Você deve sempre ter em mente que o Jumble Password é apenas um de senha para algumas senhas exclusivas e não fornecerá os atributos de um de senhas como o Buttercup.

Como instalar o utilitário Jumble Password no Linux

Jumble Password precisa do Nodejs para ser instalado em seu sistema. Se você não tem esse recurso em seu sistema, use um dos tutoriais abaixo:

Descubra como instalar o Node.js no Linux
Veja como instalar o interpretador Node.js no Linux via Snap

Depois, para instalar o Jumble Password no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o código fonte do programa (se o Git não estiver instalado no seu sistema, instale através do gerenciador de pacotes dele);

git clone https://github.com/theIYD/jumble-password.git

Passo 3. Agora, acessa a pasta criada;

cd jumble-password

Passo 4. Em seguida, uses os comandos abaixo para instalar o programa em seu sistema;

 install
npm start

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite jumble ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Se você já está usando o Ubuntu 14.04 ou posterior (com unity) e ainda não sabe colocar o menu dos programas na barra de titulo, veja nesse tutorial como fazer isso.

O Ubuntu com Unity utiliza a mesma abordagem do sistema operacional OS X: onde o menu da aplicação que está sendo usada aparece no painel superior.

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no UnityComo colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Se por um lado isso ajuda a padronizar e simplificar o sistema, por outro pode atrapalhar a vida dos usuários que estão acostumados com o formato padrão em que cada possui a sua barra de menu.

Mesmo incomodando alguns usuários, por um bom tempo a Canonical insistiu nisso e manteve esse padrão.

A boa notícia é que a empresa finalmente cedeu e permitiu que o usuário escolha onde quer ver os menus das aplicações, criando de uma configuração para esse comportamento.

Entretanto, por padrão, os menus ainda são exibidos no painel do sistema, e para isso, é preciso fazer um pequeno ajuste. Não é algo complicado, é apenas mais uma do ambiente Unity.

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Para colocar o menu dos programas da barra de menus global na barra de titulo no Ubuntu 14.04 e versões posteriores, faça o seguinte:
Passo 1. Abra as 220;Configurações do sistema221;;

barra de titulo no Unity

Passo 2. Clique no item “Aparência”;

barra de titulo no Unity

Passo 3. Clique na aba “Comportamento”;

barra de titulo no Unity

Passo 4. Em “Mostrar os menus nas janelas”, Marque a opção “Na barra de da janela”;

barra de titulo no Unity

Pronto! Com essa pequena modificação, o menu ficará exatamente conde você quer.

Claro, a qualquer momento você pode desfazer o procedimento e voltar a ter o menu dos programa sendo exibido no painel superior do Unity.

Fique a vontade para escolher a opção que for mais conveniente.

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

24 de janeiro de 2020

Processamento de fotos em formato RAW: Instale Darktable no Ubuntu

Foi lançada recentemente mais uma versão do , um programa de de em formato RAW. Veja como instalar ele no Ubuntu.

Se você trabalha com imagens (principalmente no formato RAW), irá gostar do Darktable. De código aberto, ele está disponível gratuitamente em versões para as principais distribuições Linux, Mac OS X e Solaris sob a GPL versão 3 ou superior.

Processamento de fotos em formato RAW: Instale Darktable no UbuntuProcessamento de fotos em formato RAW: Instale Darktable no Ubuntu

Em vez de ser um de gráficos raster como o Adobe Photoshop ou o GIMP, Darktable trabalha com um conjunto de ferramentas voltados especificamente para processamento de fotos em formato RAW.

Utilizando não destrutiva, ele é focado principalmente na melhoria do processo de trabalho do fotógrafo facilitando o gerenciamento de grandes quantidades de imagens.

Abaixo, veja algumas características do programa:

  • Edição totalmente ;
  • Todas as funções do núcleo do Darktable operam em buffers de ponto flutuante de pixel de 4 x 32 bits, permitindo instruções SSE para aumentos de velocidade. Oferece aceleração de GPU via OpenCL (deteção de tempo de execução e habilitação) e tem suporte de perfil ICC embutido: sRGB, Adobe RGB, XYZ e RGB linear;
  • Um plugin coletor permite executar consultas de banco de dados flexíveis, procurar suas imagens por tags, classificação de imagens (estrelas), etiquetas de cores e muito mais. Filtrando e classificando suas coleções dentro da consulta base ou simples de marcação por tags relacionadas. Essas ão ferramentas úteis no seu fluxo de trabalho fotográfico diário.
  • Importa uma variedade de formatos de imagem;
  • Darktable atualmente vem com 15 traduções: Albanês, catalão, checo, holandês, finlandês, francês, gaélico, alemão, italiano, japonês, polonês, russo, espanhol, Sueco e tailandês;
  • Suporta webalbum do picasa, flickr upload, armazenamento em disco, 1:1 cópia de exportação, anexos de email e pode gerar uma galeria de web baseadas em html simples;
  • Permite que você exporte imagens para low dynamic range (jpg, png, tiff), 16-bit (ppm, tiff), ou linear high dynamic range (pfm, exr);
  • Ele usa dois arquivos XMP secundários, bem como o seu banco de dados rápido para salvar configurações de metadados e processamento. Todos os dados Exif é lido e escrito usando libexiv2.

Instalando o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu

Para instalar o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:pmjdebruijn/darktable-release

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar a atualização, use este comando:

sudo apt-get install darktable

Como instalar o Darktable manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Instalando o aplicativo de processamento de fotos Darktable em outras distribuições

Quem estiver usando outra distribuição, pode dar uma olhada no site do desenvolvedor do aplicativo acessando esse link.

Lá tem as instruções, e se for o caso, o pacote para instalar ele em outras distribuições Linux. Apesar de estar em inglês, as instruções são bem simples.

Se quiser pode tentar uma versão traduzida pelo Google Translator clicando aqui. Caso existam comando a serem executados nas instruções, lembre-se que eles não devem ser traduzidos.

Se você quiser instalar em outra distribuição que suporte o formato de arquivos , use esse tutorial:
Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Snap

Se você quiser instalar em outra distribuição que suporte o formato de arquivos , use esse tutorial:
Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Flatpak

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite darktable no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove darktable --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Snap
Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Flatpak

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via Flatpak

Se você quer programa em (e outras linguagens), conheça e veja como instalar a IDE Eclipse for Developers no Linux via .

Eclipse é um projeto de código aberto, voltado para a comunidade, que visa fornecer uma plataforma de universal.

Como instalar a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via FlatpakComo instalar a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via Flatpak

Sua característica mais marcante é o uso da SWT e não do Swing como biblioteca gráfica, uma forte orientação ao desenvolvimento baseado em plug-ins e um amplo suporte ao desenvolvedor com centenas de plug-ins que procuram atender as mais diferentes necessidades de diferentes de programadores.

O Eclipse IDE fornece o que você precisa para inovar rapidamente pois oferece, suporte de primeira classe para Java, JavaScript/TypeScript, , , e outros, modelos de código aprimorados e várias correções rápidas adicionadas e uma enorme variedade de plug-ins de plataforma

Como instalar o a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via Flatpak

Para instalar o a IDE Eclipse for Java Developers via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o a IDE Eclipse for Java Developers via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.eclipse.Java.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.eclipse.Java

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.eclipse.Java em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu /Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de da sua distro, ou digite eclipse ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via Flatpak

Para desinstalar o a IDE Eclipse for Java Developers via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.eclipse.Java

Ou

flatpak uninstall org.eclipse.Java

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Veja como instalar a IDE Eclipse no Linux via Snap
Como Instalar a última versão do Eclipse no Linux manualmente
Como instalar o IDE Eclipse no Arch Linux e derivados

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o framework multimídia FFmpeg no Linux via Snap

Se você está precisando usar o ffmpeg em seu sistema e precisa dele bem atualizado, veja como instalar a versão mais recente do FFmpeg no Linux via Snap.

FFmpeg é um projeto de software livre que produz várias bibliotecas e programas que são utilizados para a manipulação de dados multimídia.

Como instalar o framework multimídia FFmpeg no Linux via SnapComo instalar o framework multimídia FFmpeg no Linux via Snap

O software é um framework multimídia popular, que permite aos usuários para decodificar, , transcodificar, mux, , , e reproduzir praticamente qualquer coisa que os seres humanos e máquinas criaram.

Também vale a pena mencionar que o pacote contém libavcodec, , libavformat, libavfilter, libavdevice, libswscale e libswresample que podem ser usados por aplicativos.

Assim como ffmpeg, ffserver, ffplay e ffprobe, que pode ser usado por usuários finais para transcodificação, streaming e reprodução.

Como instalar a versão mais recente do framework multimídia FFmpeg no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o framework multimídia FFmpeg via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o framework multimídia FFmpeg via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install ffmpeg

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install ffmpeg --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install ffmpeg --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install ffmpeg --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh ffmpeg

Pronto! Agora, você pode testar o ffmpeg digitando em um terminalffmpeg -h, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o FFmpeg no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o FFmpeg via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove ffmpeg

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

23 de janeiro de 2020

LibreOffice 7 entrou na fase de desenvolvimento e versão 6.5 morreu antes de nascer

O LibreOffice na fase de desenvolvimento, e por conta disso, a versão 6.5 morreu antes de nascer. Confira os detalhes e entenda.

A The Document Foundation (TDF) oferece várias versões de sua suíte de escritório. Atualmente, a versão mais atualizada é a 6.3.4, mas eles continuam a recomendar a 6.2.8 para equipamentos de produção.

LibreOffice 7 entrou na fase de desenvolvimento e versão 6.5 morreu antes de nascerLibreOffice 7 entrou na fase de desenvolvimento e versão 6.5 morreu antes de nascer

A TDF também oferecem uma versão beta, mas o que nos interessa no momento e a notícia que motiva este artigo é que a empresa já está desenvolvendo o LibreOffice 7.0, uma atualização muito importante que virá à tona após a versão 6.4, que chegará nos próximos dias.

LibreOffice 7 entrou na fase de desenvolvimento e versão 6.5 morreu antes de nascer

Conforme pode ser lido em sua Wiki, o LibreOffice 6.4 chegará com novidades, como melhorias na interface do usuário, melhor desempenho no Calc, um gerador de QR, suporte para compilação mais rápida, remoção do plug-in GTK2 VCL e melhorias no filtro de importação/exportação, entre outras.

Inicialmente, a próxima versão deveria ter sido o LibreOffice 6.5, mas agora sabe-se que eles decidiram dar o salto para o LibreOffice 7, algo que não está claro no momento se é porque é melhor (marketing) ou porque acredita que inclui bastante alterações importantes para alterar a numeração.

O LibreOffice 7.0 chegará em 2020

Sabe-se que a próxima versão do LibreOffice chegará com o novo código Skia substituindo o Cairo. Essa é uma mudança interna importante e provavelmente responsável pela quebra de versão. Além disso, o suporte ao Vulkan será incluído.

Adicionando essas duas novidades e outras visíveis e invisíveis, a The Document Foundation decidiu que o LibreOffice 6.5 não seria iniciado no prazo agendado. De fato, ele nunca será lançado.

A data exata do lançamento do LibreOffice 7.0 não foi publicada, mas, considerando a frequência das atualizações, sabe-se que chegará em 2020.

Quando disponível e como de costume, a Document Foundation não recomendará a nova versão em equipamentos de produção até receber pelo menos 4 ou 5 atualizações de manutenção, que coincidirão com a versão 7.0.4-5 da suíte de escritório.

E você? O que você acha disso? Deixe sua opinião nos comentários!

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos

Se você gosta de , usa Linux e tem um PC com GPU NVIDIA, veja como instalar o no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos.

Moonlight (anteriormente conhecido como Limelight) é uma implementação de código aberto do protocolo GameStream da NVIDIA.

Como instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivosComo instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos

A tecnologia GameStream utiliza o codificador de hardware NVENC presente nas GPUs NVIDIA para streaming de baixa latência a até 4K 60 FPS.

Esse aplicativo permite enviar jogos do PC para outros dispositivos. Também é possível transmitir outros de um PC para outros aparelhos.

Sim, o Moonlight permite transmitir sua coleção de jogos do seu PC compatível com o GameStream para qualquer dispositivo suportado e reproduzi-los remotamente.

Ele é perfeito para jogabilidade em movimento sem sacrificar a qualidade gráfica do seu computador de jogo.

O Moonlight pode utilizar a aceleração de hardware VAAPI para decodificação de vídeo H.264 e HEVC de alto desempenho com baixo uso de CPU.

Além da rede, o único requisito é que o PC tenha uma GPU NVIDIA GeForce GTX série 600 ou superior e GeForce Experience instalado.

Como instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos

Como instalar Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos

Para instalar o Moonlight no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o Moonlight no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.moonlight_.Moonlight.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.moonlight_stream.Moonlight

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.moonlight_stream.Moonlight em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite moonlight ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o Moonlight no Linux via Flatpak

Para desinstalar o Moonlight no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.moonlight_stream.Moonlight

Ou

flatpak uninstall com.moonlight_stream.Moonlight

Veja também

Como instalar a última versão do driver Nvidia no Linux
Instalando os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

MultiCD permite criar uma imagem ISO com suas distribuições favoritas

Se você vive testando sistemas Linux, conheça o , que permite uma imagem ISO com suas distribuições favoritas.

O MultiCD é uma ferramenta que é um script de shell com o qual você pode criar facilmente uma imagem de inicialização múltipla.

MultiCD permite criar uma imagem ISO com suas distribuições favoritasMultiCD permite criar uma imagem ISO com suas distribuições favoritas

Isso significa que poderemos ter sistemas operacionais diferentes disponíveis em uma única imagem ISO. A imagem gerada será capaz de escrever mais tarde em um DVD ou pen drive.

Para qualquer usuário, ter disponível um DVD ou USB com vários sistemas operacionais para instalar, pode ser muito útil.

Seja para testar, depurar algo ou apenas reinstalar o sistema operacional de um computador. Esta disponibilidade de sistemas favoritos pode poupar muito tempo ao usuário.

Se você já quis criar o drive de DVD/USB multi-boot, MultiCD é a escolha perfeita para experimentar.

Distribuições compatíveis com MultiCD

O MultiCD é compatível com quase todas as distribuições populares, como o Debian, Ubuntu, Arch Linux
Fedora, Linux Mint, openSUSE, CentOS, Scientific Linux, Kali Linux, PCLinuxOS, Pinguy OS, Zorin OS
Slax, GParted Live e vários outros.

Estes são apenas alguns sistemas disponíveis. Para consultar a lista completa de distribuições disponíveis, basta acessar a página no site do projeto.

MultiCD permite criar uma imagem ISO com suas distribuições favoritas

Baixando o Script MultiCD

O MultiCD está hospedado no GitHub. Para obter a versão mais recente, podemos usar o comando Git e clonar o repositório MultiCD.

Para fazer isso, abra um terminal e execute o seguinte comando:

git clone git://github.com/IsaacSchemm/MultiCD.git

Criando várias imagens de inicialização

Se quisermos criar nossa imagem de início múltiplo, teremos que ter as imagens das distribuições que gostaríamos de usar. Essas imagens podem ser baixadas nesse endereço.

Depois de baixar os arquivos ISO que nos interessam, teremos que movê-los para o mesmo diretório em que temos o script MultiCD (geralmente ~/MultiCD).

Neste ponto, é importante levar em conta, como eles advertem em seu site, que as imagens baixadas devem ser renomeadas como indicado na lista de distribuições compatíveis.

Para este exemplo, o arquivo .iso do Ubuntu pode ser deixado com o mesmo nome. Mas no caso de Arch, o nome deve ser alterado para arch.iso.

mv archlinux-2019.02.01-x86_64.iso arch.iso

Quando todas as imagens tiverem os nomes indicados, podemos começar a criar a imagem de inicialização múltipla.

Para começar, acesse a pasta do aplicativo e execute o script no terminal dentro da pasta MultiCD:

cd ~/MultiCD
sudo ./multicd.sh

O script procurará os arquivos .iso e tentará criar o novo arquivo. É importante lembrar que as imagens ISO devem estar no mesmo diretório que o arquivo .sh liberado.

Quando o processo estiver concluído, obteremos um novo arquivo chamado multicd.iso, dentro da pasta chamada build. Isso vai ser criado dentro da pasta MultiCD.

Neste ponto, você agora pode gravar o novo arquivo de imagem em um DVD ou USB.

Testando a imagem .ISO criada com MultiCD

Dessa maneira simples, qualquer um pode criar um único meio de inicialização com várias distribuições Linux.

É importante enfatizar a importância de sempre verificar o nome correto das imagens .iso que estamos interessados ​​em usar. Se o nome não estiver correto, o arquivo pode não ser detectado pelo multicd.sh.

Neste ponto, você já pode testar a imagem .ISO criada. A tela inicial que você deve ver seria algo como o seguinte:

MultiCD permite criar uma imagem ISO com suas distribuições favoritas

Aqui podemos escolher o sistema operacional para instalar. Isso dará lugar às opções do sistema selecionado.

Da mesma forma, você pode criar quantas imagens de inicialização múltipla desejar e depois gravá-las em um único DVD ou drive USB.

Quando uma nova versão de um ISO é publicada, basta baixá-lo, colocá-lo na pasta MultiCD e executar o script novamente para criar uma nova imagem de inicialização múltipla.

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Se você quer matar a saudade e jogar clássicos de , conheça e veja como instalar o no Linux via Snap.

MAME (Multiple Arcade Machine Emulator ) é um emulador de hardware que reproduz fielmente o comportamento de muitas máquinas de arcade (não é uma simulação).

Como instalar o emulador MAME no Linux via SnapComo instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Este programa não é um , mas pode diretamente, através de imagens de , executar o sistema completo dessas antigas máquinas de arcade.

Essas ROMs estão sujeitas a direitos autorais e, na maioria dos casos, é ilegal usá-las, se você não possui a máquina arcade.

Este pacote fornece o binário MAME e arquivos de configuração e bibliotecas de suporte.

Coloque as ROMs em ‘~/snap/mame/common/roms’ ou edite o arquivo ini localizado em ‘~/snap/mame/common/mame.ini’ para apontar para onde estão suas ROMs e outros arquivos.

Como instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Como instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Como instalar a versão mais recente do emulador MAME no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o emulador MAME no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o emulador MAME no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install mame

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install mame --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install mame --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install mame --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh mame

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove mame

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mame ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Configurando o MAME

Se ainda não estiver sendo executado, abra um terminal e inicie o programa, digitando mame, para que ele crie a pasta do programa.

Em seguida, feche o emulador e depois execute o comando abaixo, para criar o arquivo de configuração para o MAME;

cd ~/.mame && mame -cc

O arquivo “mame.ini” será criado na pasta ~/.mame.

Agora, edite este arquivo com o comando baixo (se você estiver no Linux Mint, substitua o gedit por pluma);

gedit ~/.mame/mame.ini

Em “rompath”, você pode definir o seu próprio caminho de diretório ROM ou deixar os caminhos padrão. Depois de alterar, salve e feche o arquivo;

Como instalar o MAME para jogar jogos clássicos de arcade

Em seguida, crie os diretório nvram, sta, roms, memcard, inp, comments, snap e diff na pasta ~/.mame, usando este comando;

mkdir  ~/.mame/nvram memcard roms inp comments sta snap diff

Finalmente, você pode acessar a pasta rom com o comando abaixo, para colocar suas roms baixadas nela e depois executar o emulador para jogar. Para baixar ROMs, acesse esse a página do MAME dedicada ao assunto;

sudo nautilus /usr/local/share/games/mame/roms

Quanto aos controles do player, você pode facilmente configurá-los a partir da interface principal do MAME, usando a opção “Configure General Inputs”. Depois disso, sempre que quiser você pode jogar seus jogos clássicos de arcade.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o MAME para jogar jogos clássicos de arcade

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o app de previsão de tempo Wethr no Linux

Se você quer ver como ficará o clima sem sair do terminal, conheça e veja como instalar o app de previsão de tempo no Linux.

Wethr é um tradicional aplicativo de previsão de tempo com um diferencial: ele funciona no terminal.

Como instalar o app de previsão de tempo Wethr no LinuxComo instalar o app de previsão de tempo Wethr no Linux

Diferente de outras aplicações do gênero, ele não polui a interface da sua área de trabalho com widgets e informações desnecessárias.

Você executa ele e recebe a informação que precisa. simples e direto, como deveria ser. E o melhor, sem sair do terminal, o que pode ser útil quando você está usando a linha de comando.

Como instalar o app de previsão de tempo Wethr no Linux via em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o app de previsão de tempo Wethr via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o app de previsão de tempo Wethr via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install wethr

Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install wethr --beta

Passo 4. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install wethr --edge

Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh wethr

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu /Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de da sua distro, ou digite wethr ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Exemplos de uso do app:

Obter clima atual

wethr

Obter clima atual em unidades métricas

wethr --metric

Obter clima atual em unidades imperiais

wethr --imperial

Como instalar o app de previsão de tempo Wethr no Linux

Como desinstalar o app de previsão de tempo Wethr no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o app de previsão de tempo Wethr via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove wethr

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o incrível editor e IDE Leo no Linux via Snap

Se você está a procura de uma ferramenta de linha de comando para programar, conheça e veja como instalar o incrível editor e IDE no Linux via .

Leo (Leonine Editor with Outlines) é um editor e um IDE completo, com muitos recursos inspirados no Emacs.

Como instalar o incrível editor e IDE Leo no Linux via SnapComo instalar o incrível editor e IDE Leo no Linux via Snap

Um outliner. Tudo em Leo é um esboço. Um gerenciador de dados e gerenciador de informações pessoais.

Enfim, ele um ambiente de script poderoso e uma ferramenta para organizar e estudar o código do computador.

Extensível através de uma arquitetura simples de plugins, essa é uma ferramenta que funciona bem com IPython, Vim e Emacs. Escrito em Python 100% puro

Leo pode manipular texto ou código em qualquer linguagem de humana ou de computador (por exemplo, Python, C, C++, Java), pois Leo é um LPE independente da linguagem ou “adaptável” (ambiente de alfabetizado).

O realce da sintaxe é fornecido para muitas linguagens de programação diferentes. [2] Leo é escrito em Python e pode ser estendido com plugins escritos em Python. A GUI usa o kit de ferramentas Qt; o editor com reconhecimento de sintaxe é baseado no Scintilla. Os contornos de Leo são armazenados como arquivos XML.

Como instalar o editor e IDE Leo no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o editor e IDE Leo via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o editor e IDE Leo via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install leo-editor

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh leo-editor

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu /Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de da sua distro, ou digite leo ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o editor e IDE Leo no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o editor e IDE Leo via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove leo-editor

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

22 de janeiro de 2020

Como instalar a linguagem de programação Racket no Linux

Se você quer usar uma plataforma para a criação de , design e implementação, conheça e veja como instalar a de Racket no Linux.

Racket é uma linguagem de programação de propósito geral e multi-paradigma, baseada em Lisp, é de código aberto, multiplataforma, e roda em Linux, Mac OS e Windows.

Como instalar a linguagem de programação Racket no LinuxComo instalar a linguagem de programação Racket no Linux

A linguagem Racket é especificamente baseado no Scheme, uma linguagem da família Lisp, que faz do Racket um dialeto do Scheme. Ela também é conhecida como linguagem de programação para criar novas linguagens de programação.

Racket fornece um IDE gráfico chamado DrRacket para o de programas usando as linguagens de programação do Racket.

E neste tutorial, veremos como instalar a linguagem de programação Racket no Linux.

Como instalar a linguagem de programação Racket no Linux

Para instalar a linguagem de programação Racket no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar a linguagem de programação Racket no Linux usando um instalador

Para instalar a linguagem de programação Racket no Linux ao menos nas principais distribuições), faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Em seguida, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome racket.sh;

wget https://mirror.racket-lang.org/installers/7.5/racket-7.5-x86_64-linux.sh -O racket.sh

Passo 3. Vá para o local em que você baixou o script do instalador e torne-o executável. No caso deste tutorial, o script do instalador é salvo no diretório atual. Para tornar o script do instalador do Racket executável, basta executar:

chmod +x racket.sh

Passo 4. Por fim, execute o instalador do Racket, como mostrado abaixo.

sudo ./racket.sh

Passo 5. Você será solicitado a responder algumas perguntas. Por favor, leia-os atentamente e responda em conformidade. A primeira pergunta é – Você quer uma distribuição no estilo Unix? Você pode escolher SIM ou NÃO. Se você digitar YES, todos os arquivos entrarão em diretórios diferentes, de acordo com as convenções do Unix. Se você escolher NÃO, todos os arquivos serão mantidos em um único diretório, o que é muito fácil de apagar ou mover no futuro. O valor padrão é não. Eu recomendo que você escolha NÃO também. Eu vou com o valor padrão, ou seja, não.
Passo 6. A segunda pergunta é – Onde você deseja instalar o Racket? Você terá cinco opções, conforme listado abaixo. Tudo que você precisa fazer é digitar o número e pressionar ENTER para continuar. Geralmente é bom instalar todo o sistema para permitir que todos os usuários executem o programa Racket. Eu vou com a opção padrão, ou seja, /usr/racket.

  • /usr/racket – Este é o local padrão. Instalação em todo o sistema. Isso é bom se você deseja permitir que todos os usuários do sistema usem o Racket.
  • /usr/local/racket – O mesmo que acima (instalação em todo o sistema).
  • ~/racket (/home/user/racket) – instalação por usuário. Se você não for um administrador, poderá escolher esta opção para instalar o Racket no próprio diretório $HOME.
  • ./racket (aqui no próprio diretório atual).
  • Qualquer local personalizado de sua escolha.

Passo 7. A terceira e última opção é – Onde você deseja colocar os links do sistema, como racket, drracket, raco etc. Escolha um diretório comum (geralmente seu $PATH, por exemplo /usr/local/), para não precisa digitar o caminho completo do executável.

Como instalar a linguagem de programação Racket no Linux Ubuntu e seus derivados

Para instalar a linguagem de programação Racket e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:plt/racket

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install racket

Verificar instalação da Racket

Se você instalou o Racket usando PPA, digite o seguinte comando para entrar no console do Racket:

racket

Se você usou o script do instalador do Racket e alterou o local de instalação diferente, digite qualquer um dos seguintes comandos, dependendo de onde o instalou, respondendo às 2ª e 3ª perguntas durante o processo de instalação.

/usr/racket/bin/racket

ou

/usr/local/racket/bin/racket

Ou

~/racket/bin/racket

Para ler a documentação do Racket, digite help no console do Racket e pressione ENTER. Isso abrirá a página de documentação do Racket no seu navegador da web padrão.

Para sair do console, pressione Ctrl + D.

Se você não gosta da linha de comando ou é iniciante, use o IDE gráfico do DrRacket.

Inicie o DrRacket no Menu ou Dash. Você também pode iniciar o DrRacket no Terminal usando o comando:

drracket

A interface padrão do DrRacket será semelhante a de um editor de textos. Digite seu programa na interface DrRacket e pressione o botão “Executar” no canto superior direito.

Aqui está um programa simples para exibir o texto fornecido:

#lang racket
(displayln "Olá Mundo!")

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Conheça alguns softwares de e-commerce gratuitos para Linux

Se você usa Linux e quer criar sua loja virtual sem gastar, conheça alguns softwares de e-commerce gratuitos para Linux.

Compras on-line são as atividades em que os consumidores participam quando compram produtos ou serviços pela Internet. Essa atividade tem muitas vantagens distintas sobre as “compras tradicionais” para consumidores e empresas.

Conheça alguns softwares de e-commerce gratuitos para LinuxConheça alguns softwares de e-commerce gratuitos para Linux

O comércio eletrônico permite que as empresas permaneçam abertas o tempo todo, expandam o alcance geográfico e de clientes, forneçam o potencial para reduzir custos e permitam a segmentação por nicho.

O consumidor também se beneficia de muitas maneiras, incluindo a conveniência de poder fazer compras a qualquer hora do dia (ou da noite), evitando filas, despesas de viagem, mais transparência sobre os preços, e etc.

Esse recurso se concentra no de carrinho de compras, que é um usado no comércio eletrônico para permitir que os consumidores comprem produtos e serviços on-line.

Qualquer pessoa que deseje administrar um site de e-commerce tem uma ampla gama de plataformas e softwares para escolher, sendo que muitos deles são proprietários.

No entanto, se você quiser operar um site de comércio eletrônico, o Linux faz uma plataforma forte, com uma ampla seleção de softwares Open Source de e-commerce disponíveis.

Conheça alguns softwares de e-commerce gratuitos para Linux

Para fornecer uma visão sobre a qualidade do software que está disponível, montei uma lista com alguns softwares de e-commerce gratuitos para Linux de alta qualidade.

Espero que haja algo de interessante aqui para quem quer montar sua própria loja .

Agora, vamos explorar esses aplicativos de comércio eletrônico disponíveis.

Para cada título, compilamos sua própria página de portal, uma descrição completa com uma análise aprofundada de seus recursos, juntamente com links para recursos e revisões relevantes.

Softwares de e-commerce gratuitos para Linux
Zen Cart Fornece uma loja online fácil de configurar e executar
Magento Marketing, otimização de mecanismos de busca e ferramentas de gerenciamento de catálogos
osCommerce e-Commerce e solução de gerenciamento de loja online
VirtueMart Usado com o Joomla! ou Mambo Web Content Management Systems
PrestaShop Aplicativo de carrinho de compras de e-commerce multiplataforma completo para a Web 2.0
osCMax Baseado no osCommerce com funcionalidade adicional

Instale, experimente, analise e veja qual dessar opções serve para você e comece a ganhar dinheiro com e-commerce!

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o conversor multimídia HandBrake no Linux

Se você quer um de vídeo poderoso para tratar seus arquivos, veja como instalar a versão mais recente do multimídia no Linux via .

HandBrake é um decodificador de vídeo de código aberto para Linux, Windows e Mac OS X.

Como instalar o conversor multimídia HandBrake no LinuxComo instalar o conversor multimídia HandBrake no Linux

O programa é também uma ferramenta para ripar DVDs, converte em e muito mais. Além de oferecer diversas opções de configuração, ele permite inserir a legenda desejada diretamente no resultado final.

Para completar tudo isso, o aplicativo vem com presets embutidos (perfis) e, além de formatos multimídia comuns, ele suporta ou Bluray desprotegidos, legendas e muito mais.

Como instalar o conversor multimídia HandBrake no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o conversor multimídia HandBrake via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o conversor multimídia HandBrake via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install handbrake-jz

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install handbrake-jz --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install handbrake-jz --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install handbrake-jz --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh handbrake-jz

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove handbrake-jz

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite handbrake ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o conversor multimídia HandBrake no Linux vi Flatpak
Como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e derivados

Se você ou sua empresa trabalham com de dados e várias de , conheça e veja como instalar o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e derivados.

Grafana é um software de análise e monitoramento que pode ser executado no Linux, Windows e MacOS. É aberto, rico em recursos, poderoso, elegante e altamente extensível.

Como instalar o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e derivadosComo instalar o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e derivados

Ele é um software para análise de dados, que é usado em alguns sites conhecidos como o Stack Overflow, PayPal e Uber.

Grafana suporta mais de 30 fontes de código aberto, bem como fontes de dados comerciais/bancos de dados que incluem MySQL, PostgreSQL, Graphite, Elasticsearch, OpenTSDB, Prometheus e InfluxDB.

Com isso, é possível um aprofundamento em grandes volumes de dados operacionais em tempo real. Poderemos visualizar, consultar, estabelecer alertas e obter informações sobre suas métricas.

É importante notar que o Grafana permite a criação de múltiplas organizações independentes. Cada uma com seu próprio ambiente de uso (administradores, fontes de dados, painéis e usuários).

Características gerais do Grafana

  • Teremos gráficos elegantes para visualização de dados. Os gráficos são rápidos e flexíveis, com inúmeras opções.
  • Coloca à nossa disposição painéis dinâmicos e reutilizáveis.
  • É altamente extensível, podemos usar muitos painéis e acessórios disponíveis na biblioteca oficial.
  • Nos disponibilizará a autenticação através do LDAP, Google Auth, Grafana.com e Github.
  • Ele suporta fortemente a colaboração, permitindo a troca de dados e painéis entre equipes.

Existe uma demonstração on-line que está disponível para você experimentar o Grafana, antes de instalá-lo em seu computador.

Como instalar o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e derivados

Se depois de testar, você quiser usá-lo, use o procedimento abaixo.

Como instalar o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

echo "deb https://packagecloud.io/grafana/stable/debian/ stretch main" | sudo tee -a /etc/apt/sources.list

Passo 3. Baixe a chave do repositório do programa com o comando:

curl https://packagecloud.io/gpg.key | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install grafana

Pronto! Uma vez que o servidor for inicializado, abra seu navegador favorito e digite o endereço http://ipservidor:3000 (substitua ipservidor por numero de IP do servidor ou nome de dominio dele), para acessar a interface web.

Este endereço nos levará à página de login. Aqui podemos usar as credenciais do usuário como nome de usuário: admin e senha: admin.

Como instalar o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e derivados

Após o login, acesse o painel inicial e comece a usar o Grafana.

Desinstalando o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o app de análise de dados Grafana no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove grafana --auto-remove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Instale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux

Se você busca uma forma de automatizar e agendar tarefas com opções além do fornecido nativamente pelo sistema, o ComplexShutdown agendar tarefas e desligamento no Linux.

ComplexShutdown é uma pequena interface para o PC com muitas opções. Ele na verdade é um script mais ou menos simples, escrito em FPC, e em seguida, reescrito em python.

Instale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no LinuxInstale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux

O objetivo principal deste programa é ser um recurso para desligar o computador depois de um tempo específico, mas ele é mais complexo e vai além disso: Você pode especificar quando fazer e o que fazer, com um monte de opções extras. Tudo, claro, embalado em uma interface gráfica simples e intuitiva.

Instale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux

Às vezes, você se esqueceu de desligar o computador porque estava com sono ou com pressa, ComplexShutdown pode desligar o computador automaticamente quando você programá-lo.

Não apenas o desligamento, mas ele pode executar toneladas de outras ações como , reiniciar, hibernar, colocar em ou você pode agendar um personalizado com ele.

Uma vez que uma tarefa está agendada, uma contagem regressiva informa sobre o tempo restante antes que a tarefa comece.

Usando este programa você poderá escolher e específicos para desligar sua máquina ou agendar um comando/script personalizado.

Vale lembrar que o ComplexShutdown agenda apenas uma tarefa de cada vez, ou seja, você não pode agendar muitos casos com ações diferentes. Infelizmente, esse é o ponto fraco do programa.

Como instalar o ComplexShutdown e usá-lo para agendar tarefas

Para instalar o ComplexShutdown no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o pacote de instalação do programa:

wget https://launchpad.net/complexshutdown/trunk/0.5/+download/complexshutdown_0.5_all.deb -O complexshutdown.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i complexshutdown.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:complex ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o ComplexShutdown no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o ComplexShutdown no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove complexshutdown* --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerenciador de senhas Seahorse no Linux via Flatpak

Se você quer simplificar o uso de e chaves criptográficas no seu PC, conheça e veja como instalar o de Seahorse no Linux via Flatpak.

Seahorse é um gerenciador de senhas e chaves de criptografia

O Seahorse é um aplicativo do GNOME para gerenciar chaves de criptografia. Também se integra com nautilus, gedit e outros locais para operações de criptografia.

Com o cavalo-marinho, você pode criar e gerenciar chaves PGP, criar e gerenciar chaves SSH, publicar e recuperar chaves de servidores-, armazenar sua senha em cache para que você não precise mais digitá-la e fazer o backup das chaves e do chaveiro.

Como instalar o gerenciador de senhas Seahorse no Linux via FlatpakComo instalar o gerenciador de senhas Seahorse no Linux via Flatpak

Como instalar o gerenciador de senhas Seahorse no Linux via Flatpak

Para instalar o gerenciador de senhas Seahorse via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de senhas Seahorse via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.seahorse.Application.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.seahorse.Application

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.seahorse.Application em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite seahorse ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gerenciador de senhas Seahorse no Linux via Flatpak

Para desinstalar o gerenciador de senhas Seahorse via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.seahorse.Application

Ou

flatpak uninstall org.gnome.seahorse.Application

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

21 de janeiro de 2020

Como instalar o navegador Firefox ESR no Linux via Snap

Se você precisa de um estável e bem testado por seus usuários, conheça e veja como instalar o no Linux via Snap.

O Firefox ESR é uma edição do da Fundação Mozilla que é direcionada para educação, empresas e outros locais onde o é implantado e mantido em larga escala, em vários dispositivos.

Como instalar o navegador Firefox ESR no Linux via SnapComo instalar o navegador Firefox ESR no Linux via Snap

O ramo ESR do navegador não adiciona novos recursos ou mudanças no atacado, mas recebe correções de segurança de alto risco e correções críticas de estabilidade a cada 6 semanas ou mais.

A versão ESR do Firefox é destinada a corporações que querem ter mais controle sobre a versão do Firefox que seus funcionários instalaram.

Ainda que seja direcionado às organizações, a versão de suporte estendida também é interessante para os usuários comuns.

Acontece que qualquer pessoa que confie em serviços da Web ou complemento do Firefox que funcione apenas em uma versão mais antiga do Firefox pode querer manter essa versão mais antiga, estável e suportada do navegador.

Como instalar a versão mais do navegador Firefox ESR no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o navegador Firefox ESR no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o navegador Firefox ESR no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install firefox --channel=esr/stable

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh firefox

Passo 4. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove firefox

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite firefox ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Firefox ESR no Linux – veja como instalar esse navegador manualmente

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente Spotify no Linux via Snap

Se você está procurando uma forma de instalar o cliente no Linux, veja nesse tutorial como fazer isso via .

Spotify é uma das melhores opções para por meio de streaming em computadores com diferentes sistemas operacionais, seja um Microsoft Windows, Mac OS X e Linux ou Symbian, iPhone, iPad, Android e BlackBerry em dispositivos móveis.

Como instalar o cliente Spotify no Linux via SnapComo instalar o cliente Spotify no Linux via Snap

Com esse aplicativo você pode transmitir tudo, atualizar e sincronizar faixas e listas offline ou comprar faixas individuais, para guardar para sempre.

A boa noticia é que é possível instalar o Spotify no Linux, nas distros que suportam Snap.

Um snap é uma aplicação Linux universal com todas as suas dependências empacotadas. Ele é executado em sandbox e é isolado de outro software do sistema.

Como instalar a versão mais recente do cliente Spotify no Linux via snap distros que suportam a tecnologia

Para instalar o cliente Spotify no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o cliente Spotify no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install spotify

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install spotify --candidate

Passo 4. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install spotify --edge

Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh spotify

Passo 6. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove spotify

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite /snap/bin/spotify no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite spotify ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Se você quiser instalar o cliente Spotify no Linux em distros que suportam Flatpak, use esse tutorial:
Como instalar o Spotify no Linux via Flatpak

Se você estiver usando o Fedora, CentOS ou um derivado deles, use esse outro tutorial para instalar o Spotify no Linux:
Como instalar o Spotify no Fedora Linux e derivados

E se você estiver usando o Ubuntu, Debian ou um derivado deles, use esse outro tutorial para instalar o Spotify no Linux:
Spotify no Ubuntu Linux, Debian e derivados – veja como instalar

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivados

Se você é um desenvolvedor e quer testar uma nova opção para editar seus códigos, conheça e veja como instalar o editor Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivados.

Sublime Text Editor é uma aplicação proprietária que existe desde 2008. Esse editor é escrito usando a de C++ e , e é multiplataforma, sendo disponibilizado para Linux, Windows e Mac.

Como instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivadosComo instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivados

Sublime é um editor de código-fonte com uma interface de programação de aplicativo Python (API). Ele suporta nativamente muitas linguagens de programação e linguagens de marcação (como o HTML), e as funções podem ser adicionadas pelos usuários através de plugins, tipicamente construídos em comunidade e mantidos sob licenças de software livre.

Principais recursos do editor Sublime Text:
Goto Anything: Use Goto Anything para abrir arquivos com apenas algumas teclas, e instantaneamente salte para símbolos, linhas ou palavras.
Seleções múltiplas: faça dez mudanças ao mesmo tempo, nenhuma alteração dez vezes.
Paleta de comando: a paleta de comando possui funcionalidades raramente usadas, como classificação, alteração da sintaxe e alteração das configurações de indentação.
Modo livre de distração: quando você precisa se concentrar, o Modo Livre de Distração está lá para ajudá-lo. dividida: aproveite ao máximo seu monitor de tela larga com suporte de dividido
Interruptor de projeto instantâneo: projetos no texto Sublime capturam o conteúdo completo do espaço de trabalho, incluindo arquivos modificados e não guardados.
Plugin API: Sublime Text possui uma poderosa API de plug-in baseada em Python. Junto com a API, vem com um console incorporado em Python para experimentar de forma interativa em tempo real.
Personalize Qualquer coisa: Ligações de teclas, Menus, Snippets, Macros, Complementos e mais – quase tudo em Sublime Text é personalizável com arquivos JSON simples. Este sistema oferece flexibilidade, pois as configurações podem ser especificadas por tipo de arquivo por projeto e por projeto

Como instalar a versão mais recente do editor Sublime Text Ubuntu e derivados

Para instalar a versão mais recente do editor Sublime Text Ubuntu e derivados, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar a versão mais recente do editor Sublime Text no Linux em distros que suportam Snap

Para instalar o editor Sublime Text no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o editor Sublime Text no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale o programa, usando esse comando:

sudo snap install sublime-text-3 --classic --candidate

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap do programa, use o comando abaixo:

sudo snap refresh sublime-text-3

Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove sublime-text-3

Como instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Debian, Mint e derivados

Para instalar o editor Sublime Text no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Para instalar a versão estável do editor Sublime Text, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

echo "deb https://download.sublimetext.com/ apt/stable/" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/sublime-text.list

Passo 2. Para instalar a versão de desenvolvimento do editor Sublime Text, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

echo "deb https://download.sublimetext.com/ apt/dev/" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/sublime-text.list

Passo 3. Baixe a chave do repositório do programa com o comando:

wget -qO - https://download.sublimetext.com/sublimehq-pub.gpg | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install sublime-text

Como instalar o editor Sublime Text ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite sublime no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o editor Sublime Text no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o editor Sublime Text no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove sublime-text --auto-remove

Veja também

Como instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Flatpak
Como instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Snap
Conheça algumas boas opções de editores de código para Linux

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////" rel="noopener noreferrer" target="_blank">Veja mais artigos publicados neste dia...

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o editor de imagens Drawing no Linux via Snap

Se você está a procura de um aplicativo poderoso para criar modificar suas imagens, veja como instalar o editor de imagens no Linux via Snap.

O Drawing é um editor de imagens simples, mas completo. Ele é melhor descrito como uma mistura do Microsoft Paint e ferramentas de anotação de captura de tela como o Flameshot.

Como instalar o editor de imagens Drawing no Linux via SnapComo instalar o editor de imagens Drawing no Linux via Snap

O aplicativo permite adicionar rapidamente texto, frases de destaque e outras formas às imagens, cortar, ou girar imagens, e imagens para uma variedade de formatos populares.

Na prática, Drawing é um editor de imagens básico e que suporta vários formatos de imagem populares, incluindo arquivos PNG, JPEG e BMP.

Procurando por um programa como o Microsoft Paint, mas para o desktop Linux? Conheça o apropriadamente chamado “Drawing”, um novo aplicativo GTK que habilmente preenche essa lacuna.

Este editor de imagens simples para desktops Linux é feito no molde do Microsoft Paint. Isso significa que ele não está tentando superar o GIMP, lançar-se como uma alternativa ao Photoshop ou continuar de onde a Pinta parou.

E o que o Drawing não pode fazer é quase tão importante quanto o que ele pode fazer; Quer dizer, é um aplicativo projetado simplesmente projetado para casos de uso simples.

Pense na criação de memes, anotações de capturas de tela, bigodes trêmulos em selfies e esse tipo de coisa. Ele permite que você desenhe a mão livre em uma tela em branco ou em uma imagem aberta ou colada, em uma cor de sua escolha, com um par de estilos de pincel para escolher.

Quer desenhar linhas? Isso pode fazer isso. Quer desenhar formas? Pode fazer isso também. Drawing também permite desfazer alterações usando ctrl + z, um botão da barra de ferramentas ou, de forma mais dramática, usando uma borracha à mão livre.

Como instalar o editor de imagens Drawing no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o editor de imagens Drawing via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o editor de imagens Drawing via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install drawing

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install drawing --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh drawing

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite drawing ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o editor de imagens Drawing no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o editor de imagens Drawing via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove drawing

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o editor de imagens Drawing no Linux via Flatpak

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a ferramenta PDF Mix Tool no Linux via Flatpak

Se você precisa fazer ajustes com vários PDF’s, conheça e veja como instalar a ferramenta PDF Tool no Linux via Flatpak.

PDF Mix Tool é um aplicativo simples e leve que permite dividir, , girar e arquivos PDF.

Como instalar a ferramenta PDF Mix Tool no Linux via FlatpakComo instalar a ferramenta PDF Mix Tool no Linux via Flatpak

Esse incrível utilitário também permite combinar mais de um em um.

PDF Mix Tool é um software gratuito distribuído sob os termos da licença GNU GPLv3, escrito em C++ e que depende apenas do Qt 5 e do PoDoFo

Como instalar a ferramenta PDF Mix Tool no Linux via Flatpak

Para instalar a ferramenta PDF Mix Tool via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar a ferramenta PDF Mix Tool via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/eu.scarpetta.PDFMixTool.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update eu.scarpetta.PDFMixTool

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run eu.scarpetta.PDFMixTool em um terminal.

Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite pdfmixtool ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar a ferramenta PDF Mix Tool via Flatpak

Para desinstalar o a ferramenta PDF Mix Tool via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall eu.scarpetta.PDFMixTool

Ou

flatpak uninstall eu.scarpetta.PDFMixTool

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Facebook Messenger Caprine no Linux via Snap

Se você está a procura de um Messenger para o seu sistema, mesmo que não seja oficial, veja como instalar o Messenger no Linux via Snap.

Sem sombra de dúvidas, o Facebook é uma das plataformas de redes sociais mais populares e dinâmicas na era moderna da Internet.

Como instalar o Facebook Messenger Caprine no Linux via SnapComo instalar o Facebook Messenger Caprine via Snap

Com o Facebook, podemos nos conectar, nos comunicar, compartilhar instantaneamente nossas memórias, fotos, arquivos e até mesmo dinheiro para qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo.

que o Facebook tenha seu próprio mensageiro oficial, alguns entusiastas e desenvolvedores de tecnologia estão desenvolvendo aplicativos alternativos e ricos em recursos para se comunicar com seus amigos.

Um bom exemplo disso é o Caprine, um aplicativo de desktop gratuito, elegante, open source e não oficial do Facebook messenger, construído com base no framework Electron.

Como instalar o Facebook Messenger Caprine no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Facebook Messenger Caprine via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Facebook Messenger Caprine via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install caprine

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh caprine

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite caprine ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o Facebook Messenger Caprine no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o Facebook Messenger Caprine via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove caprine

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o Facebook Messenger Caprine no Linux

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

20 de janeiro de 2020

Bate papo no terminal – instale o WeeChat no Ubuntu

Procurando um de leve e que suporte plugins? Então instale o WeeChat no Ubuntu e tenha bate papo no terminal com esse incrível programa.

WeeChat é um cliente de chat de código aberto (GPL v3), multiplataforma, rápido, leve e extensível, e que possui interface de usuário apenas em modo texto.

Bate papo no terminal - instale o WeeChat no UbuntuBate papo no terminal – instale o WeeChat no Ubuntu

Apesar disso, ele tem suporte para scripts e plugins que podem ser carregados na inicialização ou dinamicamente, além de suporte para .

O WeeChat também permite várias conexões de vários servidores, tem suporte para UTF-8 e pode usar múltiplos conjuntos de caracteres de codificação e decodificação de mensagens.

Ele foi projetado para ser leve e extensível, possuindo um núcleo leve com plugins opcionais. Nele, plugins e scripts podem ser carregados e descarregados dinamicamente a qualquer momento.

Como o WeeChat no Ubuntu e seus derivados

WeeChat está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install weechat.

Mas se a sua versão não disponibiliza ele ou você quer a versão mais recente, para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. No Ubuntu 15.10 ou versões anteriores, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nesthib/weechat-stable

Passo 3. Se você usa o Ubuntu 16.04, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:vincent-c/ppa

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install weechat

Como instalar o WeeChat manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse endereço (Ubuntu 15.10 ou inferior) ou nesse outro endereço (Ubuntu 16.04 ou superio) e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite weechat no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Para ajuda dentro do programa, digite “/help” (sem as aspas) e tecle enter.

Desinstalando o WeeChat no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o WeeChat no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:nesthib/weechat-stable --remove
sudo add-apt-repository ppa:vincent-c/ppa -r -y
sudo apt-get remove weechat --auto-remove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Kubuntu ou KDE Neon? Qual a melhor opção para usar? Confira!

Se você está na dúvida entre o ou , e não sabe qual a melhor opção para usar, confira um ‘pequeno’ apanhado das , e diferenças dessas duas distros.

Kubuntu e o KDE Neon são duas das distros mais recomendados para quem quer desfrutar da experiência do ambiente desktop KDE em toda a sua plenitude.

Kubuntu ou KDE Neon? Qual a melhor opção para usar? Confira!Kubuntu ou KDE Neon? Qual a melhor opção para usar? Confira!

E quando digo os mais recomendados, quero dizer exatamente isso: eles estão no topo, junto com outras, claro.

No entanto, ambos são tão semelhantes entre si que podem gerar dúvidas para quem não os conhece bem. É o mesmo para usar um ou outro? Como eles são semelhantes e como eles são diferentes?

Kubuntu ou KDE Neon? Qual a melhor opção para usar?

Confira abaixo os aspectos, semelhanças e diferenças dessas duas importantes distribuições.

Kubuntu vs KDE Neon: semelhanças

Kubuntu e KDE Neon se assemelham por uma razão fundamental, a sua origem é a mesma: Ubuntu, KDE e Jonathan Riddell, que por muitos anos foi o líder do Kubuntu … até que ele parou.

Então ele criou o Neon, um projeto que um tempo antes tinha sido usado para testar o software no desenvolvimento do KDE.

De qualquer forma, desde o início era óbvio que Neon era uma espécie de continuação do Kubuntu, com uma grande diferença: agora Riddell tinha uma mão livre para fazer o que quisesse, como quisesse.

Considerando suas características básicas, o Kubuntu e o KDE Neon são os mesmos: distribuições baseadas no Ubuntu com o ambiente de desktop KDE Plasma.

Ambos desfrutam das vantagens de sua base, ambos oferecem um KDE Plasma de ‘fábrica’, e como dito antes: ambos são altamente recomendados.

Kubuntu vs KDE Neon: diferenças

Mas também há muitas diferenças entre os dois, começando com as edições e os ciclos de lançamentos.

O Kubuntu tem uma única edição e lança uma nova versão a cada seis meses, incluindo as versões LTS de suporte estendido, que saem a cada dois anos e renovam suas imagens de instalação e componentes básicos (kernel, pilha gráfica) cinco vezes ao longo dos dois anos seguintes ao seu .

O KDE Neon tem três edições, embora apenas uma seja destinada a usuários de desktop que estejam procurando por um sistema estável: o User Edition.

E essa única versão, está sendo renovada cada vez que uma nova versão do Plasma é lançada e que mantém seu suporte até alguns meses após o lançamento de sua próxima versão principal.

Se você não estiver familiarizado com os ciclos de upgrades ambas as distros, que podem ser confusos, então vamos reduzir o problema da equação a versão “regular” do Kubuntu, que oferece apenas nove meses de suporte e normalmente não é recomendada pelo mesmo motivo (nem o Kubuntu, nem o Ubuntu nem qualquer outro da tribo que não seja o LTS).

De fato, vamos direto ao ponto com dados concretos comparando as versões atuais do Kubuntu LTS e do KDE Neon User Edition, porque se envolver com os detalhes é muito fácil.

Suporte

As duas distribuições baseiam-se no Ubuntu 18.04 LTS, então o seu suporte é a priori o mesmo: a 2023. No entanto, em ambos os casos, o “suporte até 2023” refere-se apenas à base de Ubuntu e manutenção da Canónical para patches de segurança, não o desktop em si.

O Kubuntu 18.04 LTS terá suporte total (base e desktop) por três anos, até 2021.

O KDE Neon não deixa muito claro o tempo de suporte que oferece, mas está implícito que uma vez liberada a próxima versão principal, a antiga permanece no modo de manutenção por vários meses.

Por exemplo: Aqueles que ainda estão usando o KDE Neon 16.04 LTS, verão como eles continuam recebendo atualizações da área de trabalho, mas chegará o momento em que eles deverão parar e atualizar o sistema para a nova versão.

Aqueles que instalaram o KDE Neon 18.04 LTS não precisarão atualizar ou reinstalar até que o KDE Neon 20.04 LTS apareça no meio ou no final de 2020.

Qual é o melhor? Bem, isso depende. Que o desktop pára de receber atualizações também não é um drama, enquanto patches de segurança e atualizações de aplicativos críticos não estão faltando, navegadores Web…

Mas se você não atualizar o seu ambiente de trabalho, o KDE Neon perde o seu significado.

Atualizações de base

Apesar de não deixarmos o Ubuntu LTS, ele recebe ao longo de sua vida até quatro atualizações que incluem novas versões do kernel e da pilha gráfica, conhecida como LTS Enablement Stack.

Sim. Usuários do Kubuntu 18.04 ou 18.04.1 tem a oportunidade de atualizar o LTS Enablement Stack manualmente, enquanto que aqueles que instalarem o Kubuntu 18.04.2 ou superior (ou permitiram LTS Enablement Stack) receberão essas atualizações diretamente.

Os usuários do KDE Neon 18.04 receberão as atualizações da LTS Enablement Stack diretamente.

Qual é o melhor? Bem, isso também depende. Haverão aqueles que preferem manter um kernel mais antigo, mas com suporte para uma maior estabilidade, e que preferem atualizar de tempos em tempos para melhor suporte. Se quando você instalou tudo estava indo bem, não há drama.

Atualizações desktop

É aqui que as diferenças mais importantes começam…

O Kubuntu 18.04 LTS chegou com o KDE Plasma 5.12 LTS, e com essa versão ele permanecerá até o final do ciclo.

A possibilidade de atualizar para novas versões da área de trabalho não é considerada, para algo eles usam uma versão LTS da área de trabalho que receberá manutenção, mas não novas funções.

Neon KDE 18.04 LTS veio com o KDE Plasma 5,13 e bibliotecas atualizam constantemente o ambiente de trabalho (KDE Frameworks), o ambiente de desktop (KDE Plasma) e aplicações (KDE Applications) para sua última versão estável até o final do ciclo.

Qual é o melhor? Continua dependendo do critério: haverá aqueles que têm o prazer de sempre ter o último Plasma e aqueles preferem o que já têm.

Outras diferenças

O Kubuntu e o KDE Neon têm muitas outras diferenças entre si, mas tendem a ser detalhes sem a maior importância. Com uma exceção:

Cada atualização de desktop no Kubuntu, seja manutenção e até mesmo da versão principal (por exemplo, através de backports, os repositórios adicionais do projeto onde pendurar o mais recente, mas não no caso do 18.04) são compilados sempre tendo em conta Todos os softwares dos repositórios do Ubuntu, que garantem compatibilidade e não quebram aplicativos Qt (não KDE).

No KDE Neon, no entanto, o que prevalece é software KDE, por isso, se uma atualização de QT, frameworks KDE ou o que quebra alguma compatibilidade com aplicação Qt (não KDE) dos repositórios do Ubuntu, é o que há. Embora seja importante dizer que isso não acontece com frequência.

Qual é o melhor? Dependerá, mais uma vez, dos requisitos do usuário.

Mas se você perguntar é qual é o melhor … Repito: Kubuntu e o KDE Neon são duas das distribuições mais recomendáveis para desfrutar da experiência do plasma desktop em toda a sua plenitude.

E o que você acha? Escreva nos comentários e deixe sua opinião.

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o emulador de terminal Terminal++ no Linux via Snap

Se você precisar ter um único no Windows e no Linux, conheça e veja como o de terminal Terminal++ no Linux via Snap.

Terminal++ é um emulador de terminal minimalista, mas poderoso, que oferece os mesmos recursos e experiência de usuário no Windows e Linux.

Como instalar o emulador de terminal Terminal++ no Linux via SnapComo instalar o emulador de terminal Terminal++ no Linux via Snap

Ele oferece um pseudoconsole especial para Windows ao usar o WSL, que ignora o ConPTY padrão do SO. Permite que o tpp suporte todos os recursos do terminal (mouse, sequencias de escape especiais, etc.) e aumenta muito sua velocidade.

Terminal++ também oferece suporte para todas as cores possíveis (16M) e fallback de fonte nativa para caracteres extras. CJK, largura dupla e caracteres de tamanho duplo suportam.

O programa possui área de transferência bidirecional. Buffers primários e de área de transferência no Linux, área de transferência e buffer primário emulado no Windows.

Semelhante a navegadores da web e outros gráficos, ele permite mudar o zoom usando atalhos de teclado com CTRL.

Terminal++ permite abrir arquivos de servidores remotos aos quais o terminal está conectado no computador local através do comando ropen. Suporta passagem tmux.

Como instalar o emulador de terminal Terminal++ no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o emulador de terminal Terminal++ via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o emulador de terminal Terminal++ via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install terminalpp --edge --classic

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh terminalpp

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite terminalpp ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o emulador de terminal Terminal++ no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o emulador de terminal Terminal++ via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove terminalpp

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a ferramenta para DJ Mixxx no Linux via Flatpak

Se você trabalha como DJ e quer trabalhar no seu PC com Linux, conheça e veja como a para DJ Mixxx no Linux via Flatpak.

Mixxx é um software de DJ gratuito que oferece tudo o que você precisa para fazer mixagens de DJ ao vivo. Misture com a correspondência automática de BPM e remixe on-the-fly com looping e hot cues.

Como instalar a ferramenta para DJ Mixxx no Linux via FlatpakComo instalar a ferramenta para DJ Mixxx no Linux via Flatpak

Seja você um DJ profissional ou apenas começando, o Mixxx tem tudo a ver com a sua atividade.

Mixxx trabalha com ALSA, JACK, OSS e suporta muitos controladores populares de DJ. Os principais recursos incluem:

  • Telas de formas de onda rastreáveis ​​paralelas ou divididas;
  • Reprodução de MP3, OGG, WAVE, FLAC e AAC opcional (M4A);
  • WAVE, OGG e gravação de MP3 opcional;
  • Biblioteca rápida e baseada em banco de dados;
  • Caixas e listas de reprodução para organizar sua música;
  • Lê as bibliotecas do iTunes, Traktor e Rhythmbox;
  • Multiplataforma – funciona em Windows, Mac OS X e Linux;
  • Transmissão Shoutcast e Icecast;
  • Suporte para muitos controladores DJ MIDI e HID prontos para uso;
  • Mecanismo avançado de script MIDI para flexibilidade máxima;
  • Emulação de vinil com suporte ao código de tempo Serato, Traktor e Mixvibes;
  • Detecção de batidas e teclas;
  • Normalização do volume ReplayGain;
  • Crossfading automático com Auto DJ;
  • Interface skinnable com várias skins agrupadas;

Mixxx é a mais legal de todas as ferramentas para DJ de código aberto criados por profissionais da área. Sua filosofia de design e funcionalidade em muito se assemelha a abordagem do popular software Traktor, que infelizmente, não está disponível para a plataforma Linux.

Como instalar a ferramenta para DJ Mixxx no Linux via Flatpak

Para instalar a ferramenta para DJ Mixxx via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar a ferramenta para DJ Mixxx via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.mixxx.Mixxx.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.mixxx.Mixxx

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.mixxx.Mixxx em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mixxx ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar a ferramenta para DJ Mixxx no Linux via Flatpak

Para desinstalar a ferramenta para DJ Mixxx via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.mixxx.Mixxx

Ou

flatpak uninstall org.mixxx.Mixxx

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar a ferramenta para DJ Mixxx no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo de melhoria da memória Blinken no Linux via Snap

Se você quer exercitar a sua memória e se divertir, conheça e veja como instalar o de melhoria da memória Blinken no Linux via .

O Blinken é um jogo de melhoria da memória baseado em um jogo eletrônico lançado em 1978, que desafia os jogadores a lembrar sequências de duração crescente.

Como instalar o jogo de melhoria da memória Blinken no Linux via SnapComo instalar o jogo de melhoria da memória Blinken no Linux via Snap

Na face do dispositivo, existem 4 botões coloridos diferentes, cada um com seu próprio som característico.

Estes botões acendem aleatoriamente, criando a sequência que o jogador deve então recordar.

Se o jogador obtiver sucesso em lembrar a sequência de luzes na ordem correta, ele avançará para o próximo estágio, onde uma sequência idêntica com um passo extra será apresentada.

Se eles estiverem incorretos, o jogo será perdido e o jogador deve começar novamente desde o início.

O objetivo é obter uma pontuação alta – cada etapa na sequência vale um ponto, portanto, a entrada correta de uma sequência de 8 luzes vale 8 pontos na tabela de recordes.

Como instalar o jogo de melhoria da memória Blinken no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o jogo de melhoria da memória Blinken no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo de melhoria da memória Blinken via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install blinken

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install blinken --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install blinken --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install blinken --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh blinken

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite blinken ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo de melhoria da memória Blinken no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o jogo de melhoria da memória Blinken via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove blinken

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o PopCorn Time no Linux manualmente

Procurando um aplicativo semelhante ao que traz diversos novos e sem custos? Então experimente instalar o Time no Linux e comece a preparar a pipoca para a próxima sessão.

PopCorn Time é um aplicação open source de streaming usando o protocolo torrent, com uma interface estilo Netflix.

O programa usa torrente para fazer streaming de filmes e possui funcionalidades, tais como: configurações avançadas que permitem alterar várias opções de conexão, opções de pasta de DHT e tmp, etc, bem como a capacidade de posicionar as legendas em qualquer lugar na tela através de arrastar e soltar.

Como instalar o PopCorn Time no LinuxComo instalar o PopCorn Time no Linux

Aviso importante: Popcorn Time faz de filmes de torrents. Por isso, antes de instalar, esteja ciente de que o aplicativo permite transmitir filmes (com legendas) e séries de , sem nenhum custo, o que pode ser ilegal em seu país, por isso, certifique-se de ler o aviso antes de usar o Popcorn Time, e use-o por sua conta e risco!

Por causa de um problema ainda não resolvido, o programa não está exibindo as capas dos filmes, e em alguns casos, as legendas. De resto ele ainda está funcionando normalmente. Caso apareça uma atualização ou uma solução para esses problemas, este tutorial será atualizado. Fiquem de olho no Blog!

Como instalar o PopCorn Time no Linux

Para instalar o PopCorn Time no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/
sudo rm -Rf /usr/bin/Popcorn-Time
sudo rm -Rf /usr/share/applications/popcorntime.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome popcorntime.tar.xz

wget https://get.popcorntime.sh/build/Popcorn-Time-0.3.10-Linux-32.tar.xz -O popcorntime.tar.xz

Ou

wget https://ci.popcorntime.sh/view/All/job/Popcorn-Time-Desktop/lastSuccessfulBuild/artifact/build/Popcorn-Time-0.3.10_linux32.tar.xz -O popcorntime.tar.xz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome popcorntime.tar.xz

wget https://get.popcorntime.sh/build/Popcorn-Time-0.3.10-Linux-64.tar.xz -O popcorntime.tar.xz

Ou

wget https://ci.popcorntime.sh/view/All/job/Popcorn-Time-Desktop/lastSuccessfulBuild/artifact/build/Popcorn-Time-0.3.10_linux64.tar.xz -O popcorntime.tar.xz

Passo 6. Crie a pasta do programa com este comando:

sudo mkdir /opt/popcorntime

Passo 7. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar Jxf popcorntime.tar.xz -C /opt/popcorntime/

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/popcorntime/Popcorn-Time /usr/bin/Popcorn-Time

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=popcorntime\n Exec=/opt/popcorntime/Popcorn-Time\n Icon=/opt/popcorntime/src/app/images/icon.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/popcorntime.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite /opt/popcorntime/Popcorn-Time em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/popcorntime.desktop
cp /usr/share/applications/popcorntime.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/popcorntime.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:

Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como instalar o PopCorn Time no Linux

Na primeira execução, leia atentamente os termos de serviço, para poder começar a usar o programa.

Como instalar o PopCorn Time no Linux

Se você tiver problemas na execução do programa, procure pelo pacote libgconf-2-4 no gerenciador de pacotes do seus sistema, e instale-o.

Quer internet sem bloqueio e ligações ilimitadas para qualquer operadora por um preço baratinho? Acesse os Planos Pós Pago Nextel e confira as ofertas imperdíveis para você!

Como remover o PopCorn Time no Linux

Para remover o PopCorn Time no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando:

sudo rm -Rf /opt/popcorntime
sudo rm -Rf /usr/bin/Popcorn-Time
sudo rm -Rf /usr/share/applications/popcorntime.desktop

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o Popcorn Time no Ubuntu, Debian e derivados

E se você tiver problemas com esses procedimentos de instalação e quiser apenas experimentar uma alternativa ao Popcorn Time, veja esse outro tutorial:
Como instalar o Stremio no Linux manualmente

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

19 de janeiro de 2020

Instale o Clementine Player no Ubuntu e derivados

Se você está procurando um super reprodutor, conheça e veja como instalar o Clementine no Ubuntu e derivados, e curta suas mídias .

Clementine é um player de música moderno e organizador de biblioteca. Ele é um reprodutor de áudio multiplataforma disponível para Linux, Windows e Mac. Sua interface é inspirada no Amarok 1.4, com foco em uma interface rápida e fácil de usar para pesquisar e tocar sua música.

Instale o Clementine Player no Ubuntu e derivadosInstale o Clementine Player no Ubuntu e derivados

Ficou curioso? Então conheça algumas características do Clementine Player:

  • Ele é capaz de procurar e reproduzir a sua biblioteca de música local;
  • Permite rádio de internet do Spotify, Grooveshark, Last.fm, SomaFM, Magnatune, Jamendo, SKY.fm e Digitally Imported, e Icecast;
  • Cria listas de reprodução inteligentes e listas de reprodução dinâmicas;
  • Listas de reprodução com guias, importação e exportação, M3U, XSPF, PLS e ASX;
  • Suporta CUE;
  • Reproduz CDs de áudio;
  • Visualizações de projectM;
  • Letras e biografias e fotos;
  • Transcode música em MP3, , AAC, Ogg Speex e FLAC;
  • Edita tags de arquivos MP3 e OGG, organiza a sua músicas;
  • Buscar tags faltando no MusicBrainz;
  • Download arte de capa do álbum faltando do Last.fm e Amazon;
  • Notificações desktop nativas no Linux (libnotify) e Mac OS X (rosnar);
  • Controle remoto usando um Wii Remote, MPRIS ou linha de comando;
  • Copie música para o iPod, iPhone, leitor de USB de armazenamento em massa ou MTP;
  • Gerenciador de filas.

E se você quiser controlar remotamente o Player, baixe Clementine Remoto para Android.

Instale o Clementine Player no Ubuntu e derivados

Instalando o Clementine Player no Ubuntu

Clementine Player está disponível nos repositórios oficiais de algumas versões do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install clementine.

No entanto, nem sempre é a versão mais recente. Por isso, para ter a última versão desse programa no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:me-davidsansome/clementine

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o programa, use este comando:

sudo apt-get install clementine

Como instalar o Clementine Player manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite clementine ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o Clementine Player no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Clementine Player no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:me-davidsansome/clementine -r -y
sudo apt-get remove clementine --auto-remove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a versão mais recente do Redshift no Linux

Você está passando muitas horas na frente do PC a noite? Pois para ajudá-lo a dormir melhor depois disso, veja como instalar a versão mais recente do no Linux.

Redshift é um aplicativo que ajusta a temperatura da cor da tela de acordo com o horário do seu ambiente local.

Como instalar a versão mais recente do Redshift no LinuxComo instalar a versão mais recente do Redshift no Linux

Essa funcionalidade pode ajudar a evitar que os seus olhos fiquem mais desgastados, se você estiver trabalhando em frente a tela do PC durante a noite.

De acordo com a página do autor, este programa é inspirado por f.lux, aliás, esse programa já foi apresentado no seguinte artigo:

Como instalar f.lux no Ubuntu 15.10 ou superior, e derivados

Assim como o f.lux, Redshift é um aplicativo que a temperatura da cor de seu de computador de acordo com a localização e hora do dia, para reduzir a tensão ocular durante o uso noturno e evitar que a exposição a luz da tela atrapalhe o seu sono.

Redshift ajusta a temperatura de cor de acordo com a posição do sol. Uma temperatura de cor diferente é definida durante a noite e durante o dia.

Durante o crepúsculo e início da manhã, a temperatura de cor transita suavemente da noite para a temperatura diurna, para permitir que seus olhos se adaptem lentamente.

À noite a temperatura de cor deve ser ajustada para combinar as lâmpadas em seu quarto. Esta é normalmente uma baixa temperatura em torno de 3000K-4000K (opadrão é 3700K).

Durante o dia, a temperatura de cor deve coincidir com a luz do exterior, normalmente em torno de 5500K-6500K (padrão é 5500K). Em um dia nublado, a luz terá uma temperatura mais alta .

Como instalar o Redshift no Linux

O Redshift está nos repositório padrão das principais distribuições. Por isso, para instalar o programa basta usar o gerenciador de pacotes do sistema, procurar por ele e instalar.

Como instalar a versão mais recente do Redshift no Linux

Agora, se você quiser instalar a versão mais recente do Redshift no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale as dependências do programa usando o gerenciador de pacotes do seu sistema (autotools, gettext, libdrm, libxcb, libxcb-randr, libX11, libXxf86vm e geoclue 2). No Ubuntu, por exemplo, o comando é o seguinte;

sudo apt-get install intltool autotools-dev libxcb1-dev libxcb-randr0-dev gettext autoconf autopoint geoclue-2.0

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome redshift.tar.xz;

wget https://github.com/jonls/redshift/releases/download/v1.12/redshift-1.12.tar.xz -O redshift.tar.xz

Passo 4. Depois de baixar, descompacte o arquivo baixado usando o seguinte comando;

tar Jxf redshift.tar.xz

Passo 5. Acesse a pasta criada;

cd redshift*

Passo 6. Use o comando abaixo para preparar a compilação do programa;

./configure --enable-ubuntu --enable-gui --enable-randr

Passo 7. Agora compile o programa com o comando:

make

Passo 8. Em seguida, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo make install

Como instalar a versão mais recente do Redshift no Linux Ubuntu e derivados

Para instalar a versão mais recente do Redshift no Linux Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:dobey/redshift-daily

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install redshift-gtk

Executando o Redshift no Linux

Reinicie o PC ou encerre a sessão atual, e veja se o programa foi executado na inicialização. Se isso não acontecer, verifique a opção de inclusão de aplicativos na inicialização, caso o programa não inicie automaticamente após reiniciar.

Quando quiser iniciar o programa manualmente, digite redshift-gtk em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, trabalhe normalmente e deixe que o programa cuide um pouco do seus olhos!

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como gravar a sessão de terminal no Linux com o TermRecord

Se por algum motivo você precisa registrar tudo que faz no , veja como gravar a de terminal no Linux com o TermRecord.

O terminal é uma das ferramentas mais úteis de todo o Linux. É a principal ferramenta dos administradores e de muitos programadores. No entanto, às vezes é conveniente ter um registro de nossas atividades no terminal.

Para fazer isso, temos uma ferramenta criada no Python que pode gravar nossa sessão de terminal. Neste post, vou falar sobre TermRecord e mostrar como instalá-lo.

Como gravar a sessão de terminal no Linux com o TermRecordComo gravar a sessão de terminal no Linux com o TermRecord

TermRecord é um aplicativo escrito em Python que registra nossa sessão de terminal. Um que termina a gravação exporta para uma saída HTML independente que é fácil de compartilhar.

Por outro lado, o TermRecord pode ser instalado em várias distribuições Linux e MacOS. É open source liberado sob a licença do MIT e isso nos fornece a segurança de auditar o código fonte.

Além disso, o aplicativo possui alguns controles que permitem aproveitar melhor o conteúdo gravado.

O aplicativo é especialmente útil se precisarmos compartilhar nossa sessão de terminal. Vamos pensar que em um departamento de tecnologia você precisa contrastar algumas informações geradas no terminal.

Além disso, ele é ideal para aprender tutoriais no campo da educação ou formação.

Como gravar a sessão de terminal no Linux com o TermRecord

Como dito acima, para gravar a sessão de terminal com o TermRecord você precisa ter o TermRecord instalado no sistema, portanto, a primeira tarefa será instalar o programa.

Instalando o TermRecord no Linux

!

O aplicativo depende do Python, portanto, se você usa o Linux, é muito difícil não instalá-lo. Então podemos instalar o para nos ajudar com a instalação.

Se você usa Debian, Ubuntu, Linux Mint ou derivados, basta escrever o seguinte em um terminal:

sudo apt install python-pip

Entretanto, se você usa o CentOS ou o RHLE, você pode instalá-lo com este comando:

sudo yum install python-pip

Caso você use o OpenSUSE, execute este comando:

sudo zypper in python-pip

Depois de instalar o PIP no seu sistema, instale o TermRecord usando o PIP.

sudo pip install TermRecord

Como gravar a sessão de terminal com o TermRecord

E para começar a gravar sua sessão de terminal, use o seguinte comando:

TermRecord -o session.html

Quando você quiser terminar a gravação, digite exit e pressione enter.

Em seguida, abra o arquivo usando seu navegador.

TermRecord é uma maravilha porque detecta o tamanho da nossa janela de terminal. Além disso, ele possui botões interativos na reprodução, como pausa, reprodução e capacidade de acelerar e desacelerar a reprodução.

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo Lights Off no Linux via Flatpak

Se você gosta de de quebra-cabeças e quer se divertir, conheça e veja como instalar o no Linux via .

Lights Off é uma coleção de quebra-cabeças de interruptores de luz. Clicar em uma luz ativa ou desativa, mas também alterna todas as luzes ao redor. Seu objetivo é simples: desligue todas as luzes!

Como instalar o jogo Lights Off no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Lights Off no Linux via Flatpak

Os jogadores que se divertirem em desligar as luzes irão desfrutar do enorme número de níveis.

Lights Off pode ser jogado usando o teclado ou o mouse.

No teclado, você seleciona um bloco, usando as teclas de direção para mover o destaque para esse bloco e pressione a tecla Enter. Quando um bloco é selecionado, ele alterna o estado do bloco selecionado e seus vizinhos não diagonais.

No mouse, para selecionar um bloco, mova o ponteiro do mouse sobre o bloco e clique nele. Quando um bloco é selecionado, ele alterna o estado do bloco selecionado e seus vizinhos não diagonais.

Como instalar o jogo Lights Off no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo Lights Off no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Lights Off via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.LightsOff.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.LightsOff

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.LightsOff em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite lightsoff ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo Lights Off no Linux via Flatpak

Para desinstalar o jogo Lights Off via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.LightsOff

Ou

flatpak uninstall org.gnome.LightsOff

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o utilitário Unity Hub no Linux via AppImage

Se você trabalha com para criar e quer simplificar sua rotina, conheça e veja como instalar o utilitário no Linux via AppImage.

O Unity Hub é um aplicativo independente que simplifica a maneira como você encontra, faz o download e gerencia seus projetos e instalações do Unity.

Como instalar o utilitário Unity Hub no Linux via AppImageComo instalar o utilitário Unity Hub no Linux via AppImage

Além disso, você pode adicionar manualmente versões do Editor que já instalou em sua máquina no seu Hub.

Você pode o Hub para:

  • Gerenciar sua conta do Unity e as licenças do Editor;
  • Criar seu projeto, associe uma versão padrão do Unity Editor ao projeto e gerencie a instalação de várias versões do editor;
  • Definir a sua versão preferida do Unity, mas também inicie facilmente outras versões a partir da sua visualização do Project;
  • Gerenciar e selecionar destinos de construção do projeto sem iniciar o Editor;
  • Executar duas versões do Unity ao mesmo tempo. Observe que, para evitar conflitos locais e outros cenários ímpares, você só deve abrir um Projeto em uma instância do Editor de cada vez;
  • Adicionar componentes a instalações existentes do Editor. Quando você faz o download de uma versão do Editor por meio do Unity Hub, é possível encontrar e adicionar componentes adicionais (como suporte de plataforma específico, Visual Studio, documentos off-line e ativos padrão) durante a instalação inicial ou em uma data posterior;
  • Use os modelos de projeto para iniciar o processo de criação de tipos comuns de projetos. Os modelos de projeto da Unity fornecem valores padrão para configurações comuns quando você cria um novo projeto. Modelos de projetos predefinem lotes de configurações para um tipo de jogo de destino ou nível de fidelidade visual. Para mais informações, consulte Modelos de Projeto.

Como instalar o Unity Hub no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Unity Hub no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome unityhub.appimage:

wget https://public-cdn.cloud.unity3d.com/hub/prod/UnityHubSetup.AppImage -O unityhub.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x unityhub.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./unityhub.appimage

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em 220;Yes221; (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em 220;No221; (), se quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher 220;No221;, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite unity ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Unity Hub no Linux – Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Veja também

Veja como instalar o editor Unity 3d no Linux e crie seus jogos

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

Acha complicado , e usar programas do Windows no Linux? Então você precisar conhecer o , a maneira fácil de configurar no Ubuntu (e outras distros).

Vineyard é um pequeno utilitário que fornece aos usuários do Ubuntu (e outras distros), uma maneira fácil de configurar aplicativos baseados no Wine, antes e depois da instalação.

Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no UbuntuVineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

De acordo com a descrição oficial do projeto Vineyard, o software é…

“… uma coleção de ferramentas e bibliotecas concebidas para tornar o gerenciamento de programas do no Linux mais fácil”. “Mais especificamente, ele procura melhorar a integração do Wine e do desktop, para tornar mais fácil para criar programas e ferramentas que se integram com o Wine.”

Vineyard 0

Pense no Vineyard como um PlayOnLinux, só que voltado para muito mais do que apenas jogos e algumas aplicações especificas.

A aplicação simplifica o processo de personalização, e otimização de software Wine no Ubuntu (por exemplo, a adição de prefixos de inicialização, estabelecendo o modo de compatibilidade, aplicando um tema do Windows e etc).

Vineyard 1

Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

Vineyard 2

O Vineyard possui um Indicador que apresenta os programas Windows atualmente em execução:

Vineyard 3

Como instalar o Vineyard para configurar Wine no Ubuntu

Antes de instalar o Vineyard, instale o Wine em seu sistema. Isso pode ser feito usando o gerenciador de pacotes ou seguindo esse tutorial:

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

Depois, para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:cybolic/vineyard-testing

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install vineyard

Como instalar o Vineyard manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite vineyard ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o Vineyard no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:cybolic/vineyard-testing -r -y
sudo apt-get remove vineyard
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

18 de janeiro de 2020

Instale e experimente a ferramenta de desligamento avançado Qshutdown

Se você precisar programar o do seu PC, instale a de desligamento avançado Qshutdown.

Qshutdown é um programa baseado em Qt que permite fazer o desligamento, reinicialização, suspensão ou hibernação do computador em um determinado momento ou após um determinado número de minutos.

Instale e experimente a ferramenta de desligamento avançado QshutdownInstale e experimente a ferramenta de desligamento avançado Qshutdown

Por conta de suas funcionalidades, o Qshutdown pode ser muito útil pessoas que querem trabalhar com o computador apenas durante um certo tempo.

Ele mostra o tempo até o desligamento e então envia o pedido de desligamento para o Gnome, KDE-session-manager, HAL ou DeviceKit e se nenhum destes funcionar, o comando sudo shutdown -P now é usado.

Quando estiver faltando menos de 70 segundos para o prazo de desligamento, o programa irá mostrar automaticamente um aviso três vezes.

Vale observar que quando o programa usa o comando shutdown, a sessão nunca será salva e o programa só será capaz de fazer o desligamento e reinicialização.

Então se nada acontece quando o tempo de desligamento ou reinicialização é alcançado, isso significa que o usuário que executou o programa não possui os direitos necessários para o comando de desligamento.

Como instalar a ferramenta de desligamento avançado Qshutdown no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Qshutdown no Ubuntu, use a Central de programas ou faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install qshutdown

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite qshutdown no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Desinstalando a ferramenta de desligamento avançado Qshutdown no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a ferramenta de desligamento avançado Qshutdown no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove qshutdown
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Chromium no Ubuntu pelo canal Beta ou Dev

Se você é um usuário do do Google e gosta de emoções fortes, experimente o no Ubuntu a partir dos canais Beta ou .

Para quem não sabe, Saikrishna Arcot mantém dois PPA do Chromium: um para o canal Beta e outro para o canal Dev do Chromium, e ambos são atualizados regularmente para todas as versões do Ubuntu que são suportadas pelo projeto.

Como instalar o Chromium no Ubuntu pelo canal Beta ou DevComo instalar o Chromium no Ubuntu pelo canal Beta ou Dev

No entanto, há uma desvantagem de usar essas PPA´s: as versões do Chromium disponibilizadas neles não incluem as APIs do Google, o que significa que algumas características como a sincronização do navegador (Sync), não funcionarão por padrão.

Para obter esses recursos de volta, você precisa obter uma chave de API do Google e as instruções para fazer isso estão incluídas na descrição do PPA. Você pode até usar essas versões do Chromium fornecidas pelos repositórios sem a API do Google, mas lembre-se que o Sync, entre outros, não irão funcionar.

Outra coisa que você deve notar é que ao usar esses PPA´s, a instalação atual do Chromium será substituída por uma do PPA, ou seja, você não pode instalar o Chromium , Beta ou Dev ao mesmo tempo.

Se o que você quer é apenas instalar o navegador do Google, siga o tutorial abaixo e instale o :

Como instalar o Google Chrome no Linux

Ou se você quer apenas instalar o Chromium padrão, use o seguinte comando no Terminal:

sudo apt install chromium-browser -y

Do contrário, se você quer se aventurar nas novidades desse navegador, siga um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o Chromium no Ubuntu a partir do canal Beta

Para instalar o Chromium no Ubuntu a partir do canal Beta, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash/Atividades ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:saiarcot895/chromium-beta

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando a seguir:

sudo apt-get install chromium-browser

Como instalar o Chromium no Ubuntu a partir do canal Dev

Para instalar o Chromium no Ubuntu a partir do canal Dev, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash/Atividades ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:saiarcot895/chromium-dev

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando a seguir:

sudo apt-get install chromium-browser

Uma vez instalado, para abrir o programa clique no Dash e digite: chromium

Como reverter as alterações e retornar ao Chromium estável

Se você se arrepender, pode usar o PPA Purge para limpar os dois PPAs acima e voltar para a versão estável do Chromium disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu.

Para isso, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash/Atividades ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, instale o ppa-purge::

sudo apt-get install ppa-purge

Passo 3. Se você adicionou o repositório PPA do Chromium Canal Beta, remova e limpe ele com o seguinte comando:

sudo ppa-purge ppa:saiarcot895/chromium-beta

Passo 4. Mas, se você adicionou o repositório PPA do Chromium Canal Dev, remova e limpe ele com o comando:

sudo ppa-purge ppa:saiarcot895/chromium-dev

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o navegador Chromium no Linux via snap

Fonte

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Spotlight do macOS no Linux – Conheça e instale o Cerebro

Se você gosta do recurso de busca do , veja como instalar o Cerebro no Ubuntu e tenha um do no Linux.

Cerebro é um utilitário de código aberto que coloca um Spotlight do macOS no Linux. Multiplataforma, ele foi concebido para funcionar em sistemas Windows, Linux e até macOS.

Spotlight do macOS no Linux - Conheça e instale o CerebroSpotlight do macOS no Linux – Conheça e instale o Cerebro

Com esta ferramenta é possível procurar por tudo, seja no nosso PC ou na Internet. Dá para localizar , músicas, imagens, contatos e muito mais.

Além da pesquisa, esta ferramenta também permite exibir o conteúdo de arquivos, visualizar imagens, etc.

Para completar, existe a possibilidade de adicionar plugins ao programa, o que acrescenta ainda mais funcionalidades a essa ferramenta.

Spotlight do macOS no Linux - Conheça e instale o Cerebro

Os plugins internos já permitem pesquisar na web com sugestões do Google, fazer pesquisa e lançamento de aplicativos, navegar no sistema de arquivos com visualizações de arquivos, fazer cálculos e até conversões de diferentes tipos (como moeda, por exemplo).

Spotlight do macOS no Linux - Conheça e instale o Cerebro

Como instalar o Cerebro no Linux

Para instalar instalar o Cerebro no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se o seu sistema for de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o instalador do programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome cerebro.AppImage:

wget https://github.com/KELiON/cerebro/releases/download/v0.3.2/cerebro-0.3.2-x86_64.AppImage -O cerebro.AppImage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x cerebro.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

./cerebro.appimage

Passo 6. Siga (ou responda) as instruções e aguarde o final da instalação.

Como instalar o Cerebro no Linux Ubuntu, Debian e derivados, e tenha o Spotlight do macOS no Linux

Quem quiser instalar o Cerebro no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome cerebro.deb:

wget https://github.com/KELiON/cerebro/releases/download/v0.3.2/cerebro_0.3.2_amd64.deb -O cerebro.deb

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i cerebro.deb

Passo 5. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Executando e configurando o Cerebro

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite cerebro no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Assim como o Spotlight do macOS, para ativar o Cerebro, basta pressionar as tecls CTRL + ESPAÇO. Se quiser, você pode personalizar este atalho clicando no ícone na barra de menus, acessando a item “Preferences…”.

Se você quiser colocar o programa para iniciar junto com o sistema, consulte esse tutorial:

Como gerenciar a inicialização de aplicativos no Ubuntu

Desinstalando o Cerebro no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Cerebro no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove cerebro --auto-remove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Regolith Linux é o Ubuntu com o ambiente i3 e algo mais

Se você gosta do do Ubuntu e das facilidades do i3, conheça a Regolith Linux e veja o que ela pode te oferecer.

O Regolith Linux é uma distro para pessoas que preferem uma interface espartana com gerenciamento de sistema polido e consistente.

Esse sistema reúne um trecho da onipresença do Ubuntu, a interface eficiente e produtiva do de janelas/ambiente i3 e os recursos de configuração do sistema do Gnome.

Se você ainda não conhece, o i3 é um gerenciador de janelas lado a lado criado para o X11 (o gerenciador de exibição que a maioria das distribuições de Linux usa, incluindo o Ubuntu).

O i3 suporta ladrilhos verticais horizontais verticais tradicionais – pense em encaixar janelas, mas arranje e redimensione automaticamente – bem como empilhar e tabular.

Como a maioria, você provavelmente está acostumado a gerenciar janelas de aplicativos com um mouse, mas o gerenciador de janelas do i3 é em grande parte orientado pelo teclado.

A ideia é que você use atalhos de teclado para mover, gerenciar e organizar aplicativos e janelas abertas (embora você também possa usar um mouse) e seja mais produtivo e ágil.

Regolith Linux é o Ubuntu com o ambiente i3 e algo maisRegolith Linux é o Ubuntu com o ambiente i3 e algo mais

Como o Regolith utiliza o i3 para gerenciamento de janelas, você obtém mais de cada pixel na sua tela. Use mais para o que você gosta, ao invés de compartilhá-lo com anúncios ou recursos raramente usados.

Conheça o Regolith Linux

Regolith Linux é o Ubuntu com o ambiente i3 e algo mais

O Regolith é visualmente espartano por design. E isso é proposital, para ficar fora do seu caminho para evitar distrações.

Não há ícones, docks, painéis, menus, widgets ou anúncios que ocupem espaço na tela.

Uma pequena barra na parte inferior da tela mostra informações persistentes valiosas, como áreas de trabalho e status volátil do sistema.

Apesar de seu design visual mínimo, o Regolith Linux fornece recursos modernos de gerenciamento de sistemas e arquivos, como gerenciamento externo de monitor e armazenamento, configuração Wi-Fi e Bluetooth, além de configurações de idioma e privacidade.

Navegue, pesquise e inicie aplicativos rapidamente pelo iniciador de aplicativos. Este menu modal também pode ser usado para encontrar e selecionar janelas em todos os seus espaços de trabalho.

Como mencionado, o Regolith Linux está disponível como uma distro independente baseada em Ubuntu, mantida e desenvolvida por Ken Gilmer.

Ele vem com o “Regolith Desktop” como o ambiente de desktop padrão.

A área de trabalho do Regolith torna o i3 utilizável sem que o usuário precise fazer nada, pois tem padrões sadios e vem com tudo pré-configurado

Basicamente o desktop do Regolith é composto de um meta-pacote composto de uma série de componentes, incluindo: i3-gap (uma versão aprimorada do i3-wm), i3blocks, i3bar, conky, um GTK e um de ícones, rofi window switcher e app launcher, o compositor compton; e mais.

É importante notar que todos estes são pré-configurados com padrões normais.

Por exemplo, não é solicitado que você defina uma tecla modificadora (muito usada em i3-wm) quando fizer login pela primeira vez, já que ela é pré-definida para Super (também conhecida como tecla do ).

O Regolith Linux também usa o aplicativo Centro de Controle/Configurações do GNOME (e o Flashback do GNOME) para lidar com o material pesado da configuração do sistema.

Alguns verão essa inclusão como uma desvantagem, mas é uma vitória: basta fazer o login e começar; você não tem que lidar com arquivos de texto apenas para se conectar a uma rede wifi ou mudar seu papel de parede ou fazer qualquer outra coisa.

Em resumo, o Regolith Linux oferece uma experiência de área de trabalho i3 utilizável e pronta para uso que é super acessível a novos usuários.

Baixe e experimente o Regolith Linux

A imagem ISO do Regolith Linux já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

17 de janeiro de 2020

Publique os tweets a partir da bandeja do sistema com o Tweet Tray

Se você quer tuitar sem precisar abrir um app, publique os tweets a partir da bandeja do com o Tweet Tray. Conheça e veja como instalar.

O é a rede social a partir da qual podemos compartilhar nossos pensamentos usando suas mensagens características.

Publique os tweets a partir da bandeja do sistema com o Tweet TrayPublique os tweets a partir da bandeja do sistema com o Tweet Tray

Esta rede social é caracterizada principalmente por ser muito mais simples de usar do que outras, como o Facebook. Além de ser muito mais rápido ao ler e postar mensagens.

No entanto, sempre há espaço para melhorias. E nesse ponto que o Tweet Tray entra para ajudar. Com esta aplicação, é possível publicar mensagens muito mais rapidamente.

Tweet Tray é um aplicativo gratuito projetado para nos permitir enviar tweets sem a necessidade de um navegador web ou qualquer coisa semelhante.

O programa foi criado usando tecnologias multiplataformas como Electron, React e Redux. Ele também tem um mecanismo de JavaScript ES6.

Esta ferramenta funciona como uma aplicação normal, por isso permite um ícone na bandeja do sistema. De lá, poderemos enviar mensagens diretamente para o Twitter.

Como instalar o Tweet Tray no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Tweet Tray no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome tweet-tray.appimage:

wget https://github.com/jonathontoon/tweet-tray/releases/download/v1.1.5/tweet-tray-1.1.5.AppImage -O tweet-tray.appimage

Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x tweet-tray.appimage

Passo 6. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./tweet-tray.appimage

Passo 7. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Como instalar o Tweet Tray no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o Tweet Tray no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome tweet-tray.deb:

wget https://github.com/jonathontoon/tweet-tray/releases/download/v1.1.5/tweet-tray-1.1.5.deb -O tweet-tray.deb

Passo 3. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i tweet-tray.deb
sudo apt-get install -f

Passo 4. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./tweet-tray.deb

Passo 5. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove tweet-tray*

Executando e autorizando Tweet Tray no Linux

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite tweet ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Clique no ícone de pena na bandeja do sistema do ambiente de área de trabalho para fazer login e autorizar a Bandeja de Tweet com sua conta do Twitter (tudo através da plataforma de autenticação segura do Twitter).

Publique os tweets a partir da bandeja do sistema com o Tweet Tray

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o s-tui para monitorar a CPU no terminal

Se você quer ficar de olho na do seu PC em qualquer situação, conexão ou ambiente, veja como instalar o s-tui para a CPU no .

Stress-Terminal UI ou “s-tui” é uma ferramenta de terminal projetada para tornar possível fazer testes de estresse e monitorar seu PC com Linux.

Como instalar o s-tui para monitorar a CPU no terminalComo instalar o s-tui para monitorar a CPU no terminal

Esse app mostra a temperatura da CPU, a frequência de e o de de forma gráfica, no terminal.

Executar um teste de estresse no seu computador pode ser útil se você quiser testar sua solução de resfriamento ou se certificar de que você tenha uma overclock estável.

Detectar um superaquecimento com s-tui é fácil, quando você vê uma queda de freqüência. E a indicação de desempenho perdido também é mostrada.

Uma vez que a ferramenta é executada no terminal, é possível usá-lo via SSH . Isso é útil para servidores, pequenos computadores de placa única, como Raspberry-pi, ou simplesmente se você prefere usar o terminal.

O último recurso no s-tui é um gráfico de energia. Ter uma leitura de energia pode ajudar a avaliar o consumo de energia do seu laptop do servidor. Atualmente, isso só está disponível somente nas CPUs da Intel.

Por padrão, s-tui tentará mostrar todos os sensores que pode detectar no sistema, que são seguintes:

  • Frequência;
  • Temperatura;
  • Utilização;
  • Energia.

Se algum sensor não estiver disponível, o gráfico desse sensor não aparecerá. Existem opções adicionais disponíveis no interior do programa. Você pode configurar a carga para executar com estresse, selecionando as “stress options” (opções de estresse).

Você pode optar por estressar sua memória/disco ou executar um número diferente de trabalhos na CPU. O padrão é o número máximo de núcleos disponíveis para carga máxima.

A ferramenta foi testada para rodar na aruitetura X86 (Intel/AMD), bem como nos sistemas ARM. Por exemplo, o s-tui pode ser executado em Raspberry-pi e outros PCs de placa única.

O suporte para mais sistemas está crescendo e pode ser solicitado na página do projeto, que está lincada mais abaixo.

Como instalar o s-tui para monitorar a CPU no terminal

A maneira mais simples de obter a versão mais atualizada do s-tui é através do gerenciador de pacotes ‘pip’ para python.

Se você tiver pip instalado, simplesmente execute

sudo pip install s-tui

em um terminal.

Agora, para instalar o s-tui no Ubuntu e derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:amanusk/python-s-tui

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install python-s-tui

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite python-s-tui em um terminal, seguido da tecla TAB.

Se você quiser salvar os dados coletados, você pode iniciar o s-tui com o parametro --csv. Isso criará um arquivo CSV com todos os dados coletados enquanto a ferramenta estava em execução.

Para outras opções de CLI, execute s-tui --help ajuda para obter a ajuda.

Desinstalando o s-tui no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o s-tui no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:amanusk/python-s-tui -r -y
sudo apt-get remove python-s-tui --auto-remove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Morreu Mark Greaves, o líder do projeto Peppermint OS

De acordo com os fóruns oficiais do projeto Peppermint (e outras fontes) morreu , o líder do projeto Peppermint OS, depois de mais de uma semana hospitalizado.

Cada pessoa que produz e fomenta o software livre/código aberto é uma força única que impulsiona esse fenômeno social e tecnológico. E infelizmente, no dia 15 de janeiro de 2020, perdemos uma dessas pessoas: Mark Greaves, líder do Peppermint OS.

Morreu Mark Greaves, o líder do projeto Peppermint OSMorreu Mark Greaves, o líder do projeto Peppermint OS

Morreu Mark Greaves, o líder do projeto Peppermint OS

Segundo os fóruns oficiais, o co-fundador oficial do projeto, Greaves morreu ontem depois de mais de uma semana hospitalizado. Não há mais dados sobre a causa, mas a verdade é que eles não são necessários, porque não há

Conhecido nos círculos Linux com o apelido de PCNetSpec, Mark Greaves tinha 58 anos e estava envolvido no Peppermint OS desde seu início há mais de uma década, embora, como observado por seus colegas mais próximos, suas contribuições ao software livre e ao desktop Linux foram além desse projeto.

A perda é lamentada entre os desenvolvedores e usuários mais envolvidos do Peppermint OS, mas não parece que isso represente um perigo para a continuidade do projeto, que apesar de não ter uma grande comunidade em termos de número de colaboradores, é bastante coeso.

Falando no Peppermint OS, é uma distribuição do tipo leve que se destaca pela integração de aplicativos web, muito bem gerada graças às suas ferramentas próprias. A última vez que falei dela foi no lançamento de sua versão mais recente no ano passado.

Mas não falamos sobre software agora, mas sobre pessoas. Todos os nossos respeitos pelo trabalho da comunidade Peppermint OS e de Mark Greaves. Descanse em paz.

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Abstract Games Suite no Linux via Snap

Se você quer se divertir com simples e clássicos, cnheça e veja como instalar o Abstract Games Suite no Linux via Snap.

Abstract Games Suite é uma coleção de jogos simples, leves, interessantes e modernos escritos inteiramente em QML e Javascript. Atualmente, eles têm dois jogos de tabuleiro e dois de estratégia.

Como instalar o Abstract Games Suite no Linux via SnapComo instalar o Abstract Games Suite no Linux via Snap

Atualmente, o Abstract Games Suite traz os seguintes jogos: Chess (), TicTacToe (o jogo padrão do Tic Tac Toe), Mines (semelhante ao caça- e com base em kmines) e SameGame (o mesmo jogo clássico, semelhante ao ksame)

Você pode jogar contra um programa de computador chamado Spectrum e usar gestos do touchpad para pausar e continuar os jogos. Eles usam inteiramente um tema material que terá a mesma aparência em qualquer distribuição Linux.

Como instalar o Abstract Games Suite no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Abstract Games Suite via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu . Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Abstract Games Suite via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install abstractgames

Passo 3. Depois de instalar os jogos, digite o seguinte comando no terminal após o prompt do terminal (isso é muito importante, porque de outra forma os jogos não funcionarão corretamente);

snap connect abstractgames:kde-frameworks-5-plug kde-frameworks-5-core18:kde-frameworks-5-core18-slot

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh abstractgames

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro.

Como desinstalar o Abstract Games Suite no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o Abstract Games Suite no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove abstractgames

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Zorin Grid facilitará a implantação de computadores com Linux

A equipe do Zorin OS informou que seu mais novo recurso, o , facilitará a implantação de computadores com Linux. Conheça essa nova ferramenta!

O Zorin OS é uma Linux baseada no Ubuntu, projetada especialmente para iniciantes no Linux, e que possui uma interface gráfica com o usuário do Windows e muitos programas semelhantes aos encontrados no Windows.

Zorin Grid facilitará a implantação de computadores com Linux Zorin Grid facilitará a implantação de computadores com Linux

O Zorin OS também vem com um aplicativo que permite aos usuários executar muitos programas do Windows. O objetivo final da distribuição é fornecer uma alternativa do Linux ao Windows e permitir que os usuários do Windows desfrutem de todos os recursos do Linux sem complicações.

Agora, a equipe de desenvolvimento do Zorin OS anunciou uma nova ferramenta para tornar mais fácil para as organizações implantar uma frota de computadores com Linux e administrá-los a partir de um local centralizado.

Zorin Grid facilitará a implantação de computadores com Linux

Conheça o Zorin Grid, uma ferramenta interna que tem como objetivo simplificar a configuração, o gerenciamento e a segurança de administradores de TI em uma frota de computadores com Linux em qualquer tipo de organização, incluindo ou empresas de pequeno e médio porte e universidades.

A ferramenta também fornece um local centralizado para administrar todos esses computadores.

Sobre essa solução, o anúncio diz o seguinte:

“Trabalhamos em um grande produto novo nos últimos 2 anos e estamos entusiasmados em finalmente apresentá-lo a você hoje. Estamos passando para a próxima parte do plano mestre do Zorin OS: trazer o Linux para o mundo do trabalho; em empresas, escolas e organizações. Estamos tornando isso possível com a ajuda do nosso novo produto chamado Zorin Grid.”

Entre as tarefas que o Zorin Grid permite que os administradores de TI executem remotamente, podemos mencionar a instalação, atualização e desinstalação de aplicativos, configuração e aplicação de políticas de segurança, monitoramento do status de todos os computadores em uma rede, rastreamento de inventário de software e hardware, além de definir várias configurações da área de trabalho.

Para esclarecer melhor, a equipe do Zorin OS diz que:

“Nosso objetivo é oferecer às empresas, escolas e organizações em todo o mundo uma alternativa melhor ao Windows e macOS. Com o Zorin OS + Zorin Grid, queremos permitir que as organizações trabalhem com mais eficiência com sua tecnologia, fiquem mais protegidas contra ameaças de segurança cibernética, reduzam custos e TI livre de manutenção repetitiva, para que eles possam se concentrar no que importa.”


O Zorin Grid será baseado em nuvem para facilitar aos administradores de TI o controle de sua frota de computadores equipados com Linux de qualquer lugar, a qualquer hora.

O primeiro lançamento do Zorin Grid estará disponível ainda no verão americano (junho) e só suportará computadores com Zorin OS no lançamento, pois o suporte para outro operacional baseado em Linux está planejado para um futuro lançamento.

E você? O que acha de uma ferramenta dessa? Deixe sua opinião nos comentários!

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a versão mais recente do GIT no CentOS, RHEL e derivados

Se programa e quer usar os últimas novidades do , veja como instalar a versão mais do GIT no CentOS, RHEL e derivados.

Muitos fatores humanos e tecnológicos estão envolvidos no de um aplicativo. Isso ocorre porque existem muitas ferramentas que ajudam a tornar o processo de codificação e manutenção o mais simples e organizado possível.

Como instalar a versão mais recente do GIT no CentOS, RHEL e derivadosComo instalar a versão mais recente do GIT no CentOS, RHEL e derivados

Nesse sentido, é necessário um sistema de controle de versão para organizar o ciclo de desenvolvimento de um aplicativo em geral.

De todos eles, o Git é um dos mais populares e tem o melhor suporte dos desenvolvedores.

O GIT está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes das principais distribuições Linux e pode ser instalado usando a Central de programas delas.

Mas, com o passar do tempo, as versões dos programas que vêm nos repositórios das distribuições Linux se tornam antigas.

Da mesma forma, os desenvolvedores de programas geralmente lançam novas versões com novos recursos ou correções de bugs e sentimos sua falta.

O Git é um programa com desenvolvimento bastante ativo e que precisa estar sempre atualizado para ter novidades e correções de segurança.

Então é melhor fazer isso. E a melhor maneira de fazer isso é compilar o código fonte do aplicativo, como você verá a seguir.

Como instalar a versão mais recente do GIT no CentOS, RHEL e derivados

Para instalar a versão mais recente do GIT no CentOS, RHEL e derivados, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal e efetue login como usuário root, caso você não possua o sudo;

su

Passo 2. Em seguida, instale todas as ferramentas para compilar e construir a partir do código fonte;

dnf groupinstall "Development Tools"

Passo 3. Em seguida, é necessário instalar alguns pacotes que nos ajudarão no processo;

dnf install wget unzip curl

Passo 4. Agora é necessário instalar algumas bibliotecas necessárias para a compilação do Git;

:~# dnf install curl-devel expat-devel gettext-devel openssl-devel zlib-devel perl-CPAN perl-devel

Passo 5. Agora, podemos começar a baixar o Git usando o wget;

wget https://github.com/git/git/archive/v2.24.0.zip -O latestgit.zip

Passo 6. Em seguida, descompacte-o. E acesse a pasta;

unzip latestgit.zip
cd git-2.23.0/

Passo 7. Depois disso, configure o código fonte antes de iniciar a compilação;

make configure
./configure --prefix=/usr/local

Passo 8. Em seguida, execute o comando make;

make all

Passo 9. Agora, inicie a instalação;

make install

Passo 10. E é isso! O Git já está instalado. Se você deseja verificar, pode usar o comando Git para exibir a versão atual;

git --version

Pronto! Você já pode começar a usar a mais recente versão do Git no seu processo de desenvolvimento de .

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Feed no terminal? Veja como instalar o Newsboat no Linux via Snap

Todo mundo gosta de saber das últimas notícias, e se você é fã da linha de comando e quer ler no terminal, conheça e veja como instalar o no Linux via Snap.

Newsboat é um de feeds RSS/Atom gratuito e de código aberto (MIT) que permite ler feed no terminal.

Feed no terminal? Veja como instalar o Newsboat via SnapFeed no terminal? Veja como instalar o Newsboat via Snap

É isso mesmo, o Newsboat foi criado para ser usado a partir dos terminais dos sistemas Linux, FreeBSD ou macOS.

Para quem ainda não sabe, RSS/Atom são formatos usados ​​para comunicar, publicar e distribuir artigos. O exemplo típico disso seriam as notícias ou artigos aqui do blog.

Newsboat foi originalmente criado a partir de Newsbeuter, um leitor de feed RSS/Atom baseado em texto, no entanto, o Newsbeuter não é mantido ativamente. Esta é a razão pela qual esta é uma boa alternativa a considerar.

O programa é um leitor de feeds RSS/Atom simples e intuitivo, um app de linha de comando para ler suas notícias ou artigos favoritos rapidamente para todos os amantes do terminal.

E no procedimento abaixo, você verá como instalar e usar o Newsboat.

Como instalar a versão mais recente do Newsboat no Linux e ver Feed no terminal

Para instalar o Newsboat no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Newsboat no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install newsboat

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install newsboat --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install newsboat --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install newsboat --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh newsboat

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove newsboat

Como usar o Newsboat para ler feed no terminal

Para ler feeds RSS de um site, por exemplo, edivaldobrito.com.br, primeiramente, precisaremos obter o link rss-feed do site e copiá-lo.

Nesse caso, a URL do feed é https://edivaldobrito.com.br/feed e para adicioná-la a um arquivo para uso posterior do Newsboat, use o seguinte comando

echo "https://edivaldobrito.com.br/feed" >> rss_links.txt

Agora podemos ler o feed RSS de edivaldobrito.com.br, usando o seguinte comando:

newsboat -ru rss_links.txt

Explicando: o parâmetro -u especifica o arquivo que contém as URLs do feed RSS, e -r atualiza os feeds na inicialização do app.

Para selecionar um item de notícias, você usa as setas para cima e para baixo para navegar. Em seguida, pressione Enter no item que lhe interessa.

Para abrir uma notícia no navegador, basta pressionar ‘o’ e, para sair do programa, basta pressionar ‘q’.

Também é possível ver todas as opções e utilizações possíveis, executando o seguinte comando no terminal:

newsboat -h

Pronto! Repita o comando de inserção do link para todos os sites que você acompanha e abra o Newsboat para começar a ler seus feeds no terminal.

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

16 de janeiro de 2020

Como instalar e usar o escaner de servidores SSH ScanSSH no Linux

Se você precisa checar a versão dos servidores de sua , veja como instalar e usar o de servidores SSH no Linux.

ScanSSH é um utilitário que verifica a lista de endereços ou redes para localizar proxies abertos, servidores de protocolo SSH, servidores Web e SMTP.

Como instalar e usar o escaner de servidores SSH ScanSSH no LinuxComo instalar e usar o escaner de servidores SSH ScanSSH no Linux

Mas não se trata apenas de escanear, ele também exibe a versão dos serviços em execução. Você pode usá-lo para coletar estatísticas sobre a implantação de servidores de protocolo SSH em sua empresa ou na Internet.

Além disso, você pode usá-lo para garantir que todas as suas máquinas estejam executando as versões mais recentes do protocolo SSH.

Outro caso de uso comum deste utilitário poderia ser a coleta de informações para os profissionais de e .

Como instalar o ScanSSH no Linux

Para instalar o ScanSSH no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. No Arch Linux e derivados, você pode instalar o ScanSSH a partir do AUR, usando qualquer um dos comandos abaixo, usando o pacaur ou o yaourt;

pacaur -S scanssh
yaourt -S scanssh

Passo 3. No Fedora e derivados, você pode usar o comando abaixo para instalar o ScanSSH;

sudo dnf install scanssh

Passo 4. No openSUSE e derivados, você pode instalar o ScanSSH, com esse comando

sudo zypper install scanssh

Passo 5. No Debian, Ubuntu, Linux Mint e derivados, você pode instalar o ScanSSH;

sudo apt-get install scanssh

Em outras distribuições, você pode baixar o código fonte do ScanSSHna página GitHub do projeto, para compilar e instalar manualmente, usando os comandos abaixo:

./configure
make
make install

Como usar o ScanSSH no Linux

A sintaxe típica do ScanSSH é essa:

scanssh [-VIERph] [-s scanners,...] [-n ports,...] [-u socks hosts,...] [-e excludefile] addresses...

No exemplo abaixo, o programa pesquisará por servidores ssh:

sudo scanssh -s ssh 192.168.43.0/24

Se você quiser procurar por servidores SSH apenas na porta 22, use da seguinte forma:

sudo scanssh -n 22 -s ssh 192.168.43.0/24

Além disso, você pode especificar apenas um endereço IP para verificar como abaixo:

sudo scanssh -s ssh 192.168.43.192

E, este comando irá escanear a rede em busca de proxies abertos.

sudo scanssh -p 192.168.43.0/24

Aqui, o parâmetro -p é usado para escanear proxies abertos. Não apenas SSH e proxies abertos, o ScanSSH irá procurar os seguintes módulos:

socks5 – detecta SOCKS v5
socks4 – detecta proxy SOCKS v4
http-proxy – detecta HTTP obter proxy
http-connect – detecta HTTP connect proxy
telnet-proxy – detecta o proxy telnet

Para mais detalhes, verifique o manual do programa com esse comando:

man scanssh

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
25 de janeiro de 2020, 08:06
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.