27 de março de 2017

Como instalar a IDE PyCharm no Ubuntu e derivados

Como instalar a IDE PyCharm no Ubuntu e derivados

Se você programa em Python e está a procura de um bom ambiente de desenvolvimento, conheça e veja como instalar a IDE PyCharm no Ubuntu e derivados.


PyCharm é um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) usado na programação com a linguagem Python. O aplicativo é desenvolvido pela companhia checa JetBrains. PyCharm é multiplataforma, ou seja, funciona no Windows, macOS e Linux.

Como instalar a IDE PyCharm no Ubuntu e derivados

Como instalar a IDE PyCharm no Ubuntu e derivados

Essa IDE fornece análise de código, um depurador gráfico, um testador de unidade integrado, integração com sistemas de controle de versão (VCSes), e suporta desenvolvimento de web com Django.

PyCharm possui duas edições: Community e Professional. A edição Community é liberada sob a licença de Apache, e a edição profissional liberada sob uma licença proprietária, com alumas características extra.

Conheça melhor a IDE PyCharm

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a IDE PyCharm no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a IDE PyCharm e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://archive.getdeb.net/ubuntu $(lsb_release -sc)-getdeb apps" >> /etc/apt/sources.list.d/getdeb.list'

Passo 3. Baixe e adicione a chave do repositório GetDeb com o comando:

wget -q -O - http://archive.getdeb.net/getdeb-archive.key | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o Apt com o comando abaixo:

sudo apt-get update

Passo 5. Para instalar o programa, use este comando:

sudo apt-get install pycharm

Como instalar a IDE PyCharm manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link, e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pycharm no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando a IDE PyCharm no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a IDE PyCharm no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove pycharm
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Convertendo uma instalação do Ubuntu server para desktop

Aprenda como gerenciar um Servidor Ubuntu Linux

Primeiro convertemos uma instalação desktop do Ubuntu em server, agora é hora de fazer o caminho inverso, do Ubuntu server para desktop. A boa noticia é que o processo é bem mais simples, porém, mais demorado.


Com já foi dito antes, embora falar de Ubuntu “desktop” e “server”, possa fazer parecer que existem duas versões do Ubuntu, isso não é verdade. Basicamente só existe um sistema, só que cada instalação traz aplicativos padrão voltados para o uso em PC´s desktop ou servidor.

Convertendo uma instalação do Ubuntu server para desktop

Por conta disso, converter uma instalação do Ubuntu server para desktop é perfeitamente possível. Antes de iniciar a conversão, é importante saber que este não é o procedimento recomendado para instalar um desktop Ubuntu, pois está sujeito a falhas, dependendo do seu hardware.

Mas se você já tem o Ubuntu server e não irá usá-lo, dá para facilmente transformá-lo em um desktop, seguindo os passos do tutorial abaixo.

Conheça melhor as versões desktop e server do Ubuntu

Para saber mais sobre o Ubuntu desktop, clique nesse link.
Para saber mais sobre o Ubuntu server, clique nesse link.

Convertendo uma instalação do Ubuntu server para desktop

Para fazer a conversão, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Atualize o Apt com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Inicie a instalação do desktop usando o comando abaixo. Essa etapa pode demorar alguns minutos;

sudo apt-get install ubuntu-desktop

Passo 4. Quando terminar o processo, você deverá reiniciar o Ubuntu, usando o comando;

sudo reboot

Se você tiver algum problema e o sistema insistir em iniciar em modo texto, dê uma olhada no tutorial abaixo, e desfaça as configurações modificadas nele:

Como configurar o Ubuntu para inicializar diretamente em modo texto

Pronto. Agora é só começar a usar.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

Saiu mais uma atualização do OpenShot, e dessa vez, você pode baixar e experimentar. Para isso, veja como instalar OpenShot no Ubuntu e sistemas derivados.


OpenShot é um editor de vídeo gratuito, open-source para Linux licenciado sob a GPL versão 3.0. Com ele você pode adicionar facilmente sub-títulos, transições e efeitos, e em seguida, exportar o seu filme para DVD, YouTube, Vimeo, Xbox 360, e muitos outros formatos comuns.

OpenShot 2.x tem uma nova versão disponível. Isso porque os apoiadores da campanha do OpenShot no crowdfunding têm conseguido usar versões beta do programa desde janeiro. Instaladores Windows e Mac OS X também estão disponíveis para download.

Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Novidades do OpenShot 2.2

Essa versão traz muitas correções de bugs críticas, novos perfis de 2.5k e 4k, novos modelos de título, melhorias de Keyframe, edição de vídeos HD (5K, 4K, 2.5K e 1080p) otimizada, um novo mecanismo de cache suporta memória e back-ends de disco, gerenciamento de erros aprimorado e relatórios de erros em tempo real.

Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

Além disso, essa versão abre grandes projetos até 10x mais rápido do que nas versões anteriores.

Para saber mais sobre o OpenShot 2.2, acesse a nota de lançamento (versão traduzida) e assista o vídeo abaixo:

Conheça melhor o OpenShot

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o OpenShot no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o OpenShot no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install openshot-qt

Como instalar o OpenShot manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Como instalar a compilação diária do OpenShot no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a compilação diária do OpenShot no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/libopenshot-daily

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install openshot-qt

Como instalar a compilação diária do OpenShot 2.x Beta manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite openshot no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o OpenShot no Ubuntu no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o OpenShot no Ubuntu no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/ppa --remove
sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/libopenshot-daily --remove
sudo apt-get remove openshot-qt
sudo apt-get autoremove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o Gnome Classic no Ubuntu

Como instalar o Gnome Classic no Ubuntu

Se você já está no Ubuntu com o ambiente Unity, mas não gostou, instale o Gnome Classic no Ubuntu e experimente esse tradicional ambiente.


Gnome Classic ou Flashback é uma sessão para o Gnome 3, que foi inicialmente chamado de “Gnome Fallback” (Gnome de contingência), e é instalado como uma sessão autônoma no Debian e Ubuntu. Ele fornece uma experiência de usuário similar às sessões da séries 2.x do GNOME.

Como instalar o Gnome Classic no Ubuntu

Gnome Classic usa Gtk+ 3 e tenta acompanhar o desenvolvimento do Gnome atual, integrando as alterações recentes das bibliotecas Gnome. O desenvolvimento fica atualmente um pouco atrás, mas muito progresso tem sido feito e o mais importante, muitos bugs abertos foram corrigidos.

O Gnome Classic é caracterizado por ter um visual simples e leve, que chega a lembrar muito o Ubuntu antigo com acesso rápido às aplicações.

Na prática, ele é o ambiente ideal para quem quer experimentar um desktop tradicional. Se este é o seu caso, veja abaixo como instalar esse ambiente.

Como instalar o Gnome Classic no Ubuntu

Conheça melhor o Gnome Classic

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o Gnome Classic no Ubuntu e derivados

Para instalar o Gnome Classic no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora instale o ambiente com o comando abaixo (se não funcionar, use o próximo):

sudo apt-get install gnome-session-fallback

Passo 4. Em sistemas mais recentes, instale o ambiente com o comando:

sudo apt-get install gnome-session-flashback

Passo 5. Uma vez instalado, encerre a sessão atual;
Passo 6. Quando você estiver na tela de login, clique no ícone do logotipo e no menu que aparece, selecione a opção Gnome Flashback (Compiz) ou Gnome Flashback (Metacity);

Como instalar o Gnome Classic no Ubuntu

Passo 7. Selecione seu usuário e faça login.

Desinstalando o Gnome Classic no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Gnome Classic no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o Gnome Classic, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove gnome-session-fallback
sudo apt-get remove gnome-session-flashback
sudo apt-get autoremove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Editor de menu para Unity – Como instalar o Ezame no Ubuntu

Editor de menu para Unity - Como instalar o Ezame no Ubuntu

Procurando uma ferramenta para editar o menu do ambiente Unity para deixá-lo como você quer? Então veja nesse tutorial como instalar o Ezame no Ubuntu.


Ezame é um editor de menu especialmente criado para Unity, apesar disso, ele deve funcionar com outros ambientes de trabalho também.

Editor de menu para Unity - Como instalar o Ezame no Ubuntu

O aplicativo permite editar ou criar novos itens de menu (lançadores de aplicação), com todas as opções disponíveis em um arquivo .desktop padrão: definir o ícone, categoria e assim por diante.

Ele também possui algumas opções avançadas como a definição de opções de “OnlyShowIn” ou “NotShowIn”, que podem ser usadas para controlar se determinada aplicação deve ou não deve aparecer em alguns ambientes de trabalho.

Editor de menu para Unity - Como instalar o Ezame no Ubuntu

Se você não estiver usando Unity, No Ezame selecione o menu “Edit” > “Preferences” e em seguida, defina a área de trabalho para “Classic” em vez de “Ubuntu”. Com isso, o aplicativo deverá exibir um menu freedesktop.

Conheça melhor o Ezame

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Ezame no Ubuntu e seus derivados

Ezame está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install ezame. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:caldas-lopes/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install ezame

Como instalar o Ezame manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite ezame no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Ezame no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Ezame no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:caldas-lopes/ppa --remove
sudo apt-get remove ezame
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o tema Aurora no Ubuntu

Como instalar o tema Aurora no Ubuntu

Que tal dar uma melhorada no visual do ambiente Gnome Shell ou Cinnamon (e Unity)? Para conseguir isso, uma boa pedida é usar o tema Aurora. Conheça um pouco mais sobre ele e veja com instalar.


Como você já deve ter notado, atualmente não há muitos temas para o Gnome Shell. Isso acontece por causa do desenvolvimento do ambiente, que é muito rápido. Felizmente, ainda tem algumas pessoas que estão trabalhando nos bastidores para trazer temas para tornar a experiência do usuário muito melhor com o Gnome Shell.

Como instalar o tema Aurora no Ubuntu

Um bom exemplo disso é o tema Aurora, que é um tema de cor acinzentada. Existem três versões do tema de Aurora para para suportar Gtk e as versões 3.12/3.14/3.16 (ou superior) do Gnome Shell. Este pacote funciona perfeitamente sob Gnome Shell e Cinnamon. Mas a boa noticia é que agora ele também é compatível com o ambiente Unity.

Como instalar o tema Aurora no Ubuntu

Como instalar o tema Aurora no Ubuntu

Como instalar o tema Aurora no Ubuntu

Como instalar o tema Aurora no Ubuntu

Conheça melhor o tema Aurora

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o tema Aurora no Ubuntu e derivados

Para instalar o tema Aurora no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema Aurora usando o seguinte comando:

sudo apt-get install next-aurora-gtk

Como instalar o tema Aurora manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome aurora.deb:

wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/themes/+files/next-aurora-gtk_15.10-2~xenial~NoobsLab.com_all.deb -O aurora.deb

Passo 3. Agora instale o tema com o comando:

sudo dpkg -i aurora.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Desinstalando o tema Aurora no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema Aurora no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema Aurora, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove next-aurora-gtk

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


26 de março de 2017

Resumo semanal de 20/03/2017 a 26/03/2017! Atualize-se!

Resumo semanal de 20/03/2017 a 26/03/2017! Atualize-se!

Você já conhece algumas distribuições Linux inspiradas no macOS? Ou já sabe que finalmente o Netflix adicionou suporte para o Firefox no Linux? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essas postagens. Mas não se preocupe, leia o resumo semanal de 20/03/2017 a 26/03/2017 e se atualize.


Mas você já deve saber conhecer o Black Lab Linux, uma distro focada na estabilidade e facilidade?

Ou já sabe como instalar e usar o tema GNOME-OSX II no Linux? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal de 20/03/2017 a 26/03/2017

Resumo semanal de 20/03/2017 a 26/03/2017

20/03/2017

21/03/2017

22/03/2017

23/03/2017

24/03/2017

25/03/2017

Conheça melhor e experimente o Apricity OS

Já conhece o Apricity OS? Não? Veja mais detalhes sobre essa distribuição no artigo abaixo:
Conheça Apricity OS – um Arch Linux com Gnome Classic/Cinnamon

E para completar, assista esse review do sistema:

Ubuntu 16.10

Quem quiser experimentar o Ubuntu 16.10 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como atualizar para o Ubuntu 16.04

Quem precisar atualizar para o Ubuntu 16.04, basta seguir esses tutoriais:

  • Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.10
  • Como atualizar para o Ubuntu 16.10 na versão desktop
  • Como atualizar para o Ubuntu 16.10 via terminal
  • Como atualizar para o Ubuntu 16.10 usando o disco de instalação
  • Ubuntu 16.04

    Quem quiser experimentar o Ubuntu 16.04 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

    Como atualizar para o Ubuntu 16.04

    Quem precisar atualizar para o Ubuntu 16.04, basta seguir esses tutoriais:
    Como atualizar para o Ubuntu 16.04 na versão desktop
    Como atualizar para o Ubuntu 16.04 via terminal (server e desktop)
    Como atualizar para o Ubuntu 16.04 usando o disco de instalação

    Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

    Quem acabou de mudar para o Ubuntu 16.04, pode dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
    Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

    Veja também

  • Como Instalar o Adobe Flash Player no Ubuntu
  • Google Chrome no Ubuntu, Fedora e derivados – veja como instalar
  • Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu
  • Como instalar as últimas versões do Oracle Java no Ubuntu
  • Usando WhatsApp no Linux com Whatsie
  • Recuperando o boot do Linux (Grub), depois de instalar o Windows
  • Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04
  • Como criar um pendrive bootável do Windows no Linux
  • 25 de março de 2017

    Como se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu

    Como se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu

    Se você está com dificuldade para acessar uma VPN Cisco, veja aqui como se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu.


    Muitas empresas e universidades usam Cisco AnyConnect como sua solução de VPN. Embora exista um cliente Linux nativo oferecido pela Cisco, ele não é muito bem suportado, e, em alguns casos, o usuário não tem acesso ao cliente. Felizmente, há uma solução simples para esse problema chamada OpenConnect.

    Como se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu

    OpenConnect é um cliente para Cisco AnyConnect SSL VPN, que é suportado pela série de ASA5500, pelo sistema operacional IOS 12.4(9)T ou posterior no Cisco SR500, 870, 880, 1800, 2800, 3800, 7200 Series e Cisco 7301 roteadores e provavelmente outros.

    O programa é um software livre e é distribuído sob a GNU LGPL v2.1. Com ele e o módulo do kernel TUN/TAP, você facilmente consegue se conectar a um AnyConnect VPN.

    Entretanto, como cliente, OpenConnect não é oficialmente suportado, ou de alguma forma associada, pela Cisco Systems.

    Conheça melhor o OpenConnect

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o OpenConnect e se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu

    Para instalar o OpenConnect e se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Instale o OpenConnect com o comando abaixo;

    sudo apt-get install openconnect

    Passo 3. Ative o módulo TUN com o comando:

    sudo /sbin/modprobe tun

    Passo 4. Conecte-se a VPN, executando o comando a seguir, substituindo “suavpn.exemplo.com” pelo endereço de sua VPN:

    sudo openconnect suavpn.exemplo.com

    Ele lhe pedirá para digitar o nome de usuário e senha. Uma vez que você faça a autenticação, a conexão VPN será estabelecida.

    Agora, os recursos de rede, tais como pastas compartilhadas, unidades NAS, servidores e estações de trabalho devem estar disponíveis.

    Mantenha a janela aberta do terminal enquanto a sessão VPN estiver ativa. Para fechar a sessão VPN, pressione Ctrl+Z na janela do terminal.

    Lembre-se! Matar a janela do terminal sem fechar corretamente fora da sessão VPN pode levar a problemas ao tentar se reconectar no futuro. Felizmente, esses problemas geralmente podem ser resolvidos reiniciando a máquina.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    Quer registrar o áudio do seu PC? Então veja aqui como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio-Recorder.


    Audio Recorder é uma ferramenta útil que permite gravar sua música e outros tipos de áudio para arquivos.

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    O programa tem suporte para gravação usando dispositivos como microfone, webcam, placa de áudio, reprodutores de música/filmes, chamadas do Skype, navegadores e etc. E com os plugins GStreamer, o programa passa a suportar os formatos de saída OGG, FLAC, MP3, AAC e WAV.

    Conheça melhor o Audio Recorder

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz usando o Audio Recorder

    Para gravar chamadas do Skype, músicas e voz usando o Audio Recorder, primeiramente você deve instalar o programa. Para isso, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu 14.10, 14.04 ou inferior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:osmoma/audio-recorder

    Passo 3. Se você estiver usando o Ubuntu 15.04, 15.10, 16.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:audio-recorder/ppa

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install audio-recorder

    Passo 6. Para suporte a mais formatos de áudio, instale os plugins GStreamer (Ubuntu 14.04 e superior);

    sudo apt-get install gstreamer1.0-plugins-base gstreamer1.0-plugins-good gstreamer1.0-plugins-ugly gstreamer1.0-plugins-bad gstreamer0.10-fluendo-mp3

    Como instalar o o Audio Recorder manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link ou nesse outro linke instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite audio no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz

    Para gravar chamadas do Skype, basta abrir o Skype execute o Audio Recorder digitando audio no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Depois, abra o Skype e faça sua chamada e clique em “Start recording” no Audio Recorder. Se quiser, ajuste o temo de inicio ou fim da gravação em “Timer” ou configure a entrada e o formato de saída em “Additional settings”.

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    Você também pode gravar músicas, para isso, use seu reprodutor favorito. Para gravar sua voz, basta ter um microfone ativo.

    Pronto! Sempre que precisar, basta repetir o processo de gravação e guardar seus áudios para ouvir depois.

    Desinstalando o Audio Recorder no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Audio Recorder no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:osmoma/audio-recorder --remove
    sudo add-apt-repository ppa:audio-recorder/ppa --remove
    sudo apt-get remove audio-recorder
    sudo apt-get autoremove

    Fonte;

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Precisando gravar uma seleção de sua tela para uma imagem GIF animada? Então conheça e instale o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados.


    Peek é uma ferramenta de código aberto para Linux que oferece uma janela simples, que pode ser redimensionada para selecionar uma área de tela, e gravar imagens GIF animadas curtas.

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Atualmente, apenas sistemas Linux com X11 é suportado. O programa também deve funcionar em outros sistemas baseados no Unix que usam X11. Como está no planejamento o suporte a Wayland, talvez ele funcione também em outros sistemas operacionais no futuro.

    Conheça melhor o Peek Animated GIF recorder

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a versão estável do Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e seus derivados

    Para instalar a versão estável do Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:peek-developers/stable

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install peek

    Como instalar a versão de desenvolvimento do Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e seus derivados

    Para instalar a versão de desenvolvimento do Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:peek-developers/daily

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install peek

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e seus derivados

    Para instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome peek.deb:

    wget https://github.com/phw/peek/releases/download/v0.8.0/peek-0.8.0-Linux.deb -O peek.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i peek.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com os comandos:

    sudo apt install libsdl1.2debian ffmpeg libavdevice-ffmpeg56
    sudo apt-get install -f

    Usando o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e derivados

    Agora, quando quiser iniciar o programa, digite peek no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Depois de executá-lo, redimensione a janela do Peek para cobrir a área de tela a ser gravada, e clique no botão “Record” (gravar), para iniciar a gravação. Quando quiser finalizar, clique no botão correspondente (Stop).

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Uma vez que você parar a gravação, uma caixa de diálogo aparece e solicita que você dê um nome e selecione onde salvar a imagem GIF.

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Depois de salvar a imagem GIF, uma caixa de diálogo pop-up permite que você abra a pasta de arquivos rapidamente com a imagem GIF, clicando no botão “Show in file manager”.

    Como instalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Desinstalando o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Peek Animated GIF recorder no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove peek*
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Quer manipular imagens sem precisar ficar abrindo programas? Instale a extensão Image Tools no Nautilus ou Nemo e pronto.


    Image Tools é uma extensão útil para Nautilus ou Nemo que permite manipular imagens a partir do menu de contexto desses gerenciadores de arquivos.

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Com a extensão você pode redimensionar, girar ou inverter imagens, converter imagens de um formato para outro entre bmp, gif, jpg, png e outros formatos possíveis, melhorar as imagens: alterar o brilho, cor, contraste e nitidez, aplicar efeitos, tais como: preto e branco, borrão, fronteira, contorno, escala de cinza, negativo, sombra, vintage ou marca d’água.

    Para usar a extensão, tudo que você tem a fazer é selecionar uma imagem ou várias imagens no Nautilus ou Nemo, clicar com o botão direito do mouse e no menu que aparece, selecione a opção “Image Tools”. Quando aparecer o submenu, selecione a ação desejada.

    Veja algumas imagens da extensão sendo usada

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Conheça melhor a extensão Image Tools

    Para saber mais sobre a extensão Image Tools, clique nesse link.

    Instalando a extensão Image Tools para manipular imagens no Nautilus

    Para instalar a extensão Image Tools para manipular imagens, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:atareao/nautilus-extensions

    Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install nautilus-image-tools

    Passo 5. Em seguida, reinicie o Nautilus com o comando:

    nautilus -q

    Como instalar extensão Nautilus Image Tools manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Instalando a extensão Image Tools para Nemo para manipular imagens

    Se você usa o Nemo, para instalar a extensão Image Tools manipular imagens nele, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:atareao/nemo-extensions

    Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install nemo-image-tools

    Passo 5. Em seguida, reinicie o Nemo com o comando:

    nemo -q

    Como instalar extensão Nemo Image Tools manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! agora, sempre que você clicar com o botão direito do mouse em uma imagem no Nautilus ou Nemo, aparecerá uma opção no menu de contexto chamada “Image tools”, com diversas opções que você pode usar para manipular suas imagens.

    Como manipular imagens no Nautilus ou Nemo com a extensão Image Tools

    Desinstalando a extensão Image Tools no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar essa extensão no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale essa extensão, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove nautilus-image-tools
    sudo apt-get remove nemo-image-tools
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Lembretes: Instale Reminder Indicator no Ubuntu e derivados

    Lembretes: Instale Reminder Indicator no Ubuntu e derivados

    Se você procura uma maneira fácil de lembrar das coisas que precisa fazer, o Indicador Remindor pode ajudá-lo. Por isso, veja aqui como instalar esse importante indicador de lembretes no Ubuntu e derivados


    Indicador Remindor é um aplicativo indicador que permite agendar lembretes. Um lembrete pode ser configurado para mostrar uma notificação, reproduzir um som, e/ou executar um comando.

    Lembretes: Instale Reminder Indicator no Ubuntu e derivados

    O programa tem um recurso de programação poderoso que permite agendar lembretes para repetir todos os dias, todas as segundas, a cada 30 dias, etc. Eles também pode ser configurado para repetir de minuto em minuto ou de hora em hora.

    Conheça melhor o indicador de lembretes Indicador Remindor

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

    Instalando o indicador de lembretes Indicador Remindor no Ubuntu e derivados

    Indicador Remindor está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu (a partir do Ubuntu 16.04) e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install indicator-remindor. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:bhdouglass/indicator-remindor

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install indicator-remindor

    Como instalar o Reminder Indicator manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite remindor no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o indicador de lembretes Reminder Indicator no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o indicador de lembretes Reminder Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:bhdouglass/indicator-remindor --remove
    sudo apt-get remove indicator-remindor
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a versão mais recente do conversor de imagens Converseen

    Como instalar a versão mais recente do conversor de imagens Converseen

    Precisando converter e redimensionador várias imagens ao mesmo tempo? Então instale a versão mais recente do conversor de imagens Converseen e resolva seu problema com esse aplicativo.


    Converseen é um conversor e redimensionador de imagens em lote de código aberto, escrito em C++ com as bibliotecas Qt4 (e que agora foi portado para Qt5) e Magick++.

    Como instalar a versão mais recente do conversor de imagens Converseen

    Se você trabalha com muitas imagens e precisa convertê-las rapidamente, esse aplicativo é a ferramenta certa. Com ele é possível redimensionar um monte de fotos com tamanhos diferentes, mantendo a proporção. Ele permite converter, redimensionar, girar e inverter automaticamente um número ilimitado de imagens.

    Ao usar o Converseen você pode economizar muito seu tempo, pois ele pode processar mais de uma imagem com um único clique do mouse. Além disso, graças ao uso das bibliotecas Magick++, ele suporta mais de 100 formatos de imagem como DPX, EXR, GIF, JPEG, JPEG-2000, PhotoCD, PNG, Postscript, SVG, TIFF e muitos outros.

    Com o conversor de imagens em lote Converseen, você pode:

    • Realizar uma única ou uma conversão múltipla;
    • Redimensionar uma ou várias imagens;
    • Comprimir imagens para suas páginas web;
    • Girar e inverter imagens;
    • Renomeiar um monte de imagens usando um número progressivo ou um prefixo/sufixo;
    • Selecionar um filtro de reamostragem para redimensionar imagens.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    O programa, chegou à versão o 0.9.5 há poucos dias. Este é o primeiro lançamento depois queo programa foi portado para Qt5. Ele funciona em Windows, Linux e FreeBSD. Ele vem bibliotecas de imagem Magick++, que suporta mais de 100 formatos de imagem.

    Conheça melhor o conversor de imagens Converseen

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link
    Para mais detalhes sobre a ultima versão do programa, leia o Changelog do programa acessando esse link.

    Instalando o conversor de imagens Converseen no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conversor de imagens Converseen no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install converseen

    Como instalar o conversor de imagens Converseen manualmente

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Como instalar o conversor de imagens Converseen em outras distros

    Para instalar o conversor de imagens Converseen em outras distribuições Linux, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Para instalar o programa no Linux Fedora e derivados, use o comando:

    yum install converseen

    Passo 3. Para instalar o programa no Linux Opensuse e derivados, use o comando:

    zypper install converseen

    Passo 4. Para instalar o programa no Arch Linux, Chakra e derivados, use o comando:

    pacman -Sy converseen

    Passo 5. Para instalar o programa no Linux Mageia e derivados, use o comando:

    urpmi converseen

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite converseen no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o conversor de imagens em lote Converseen no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conversor de imagens em lote Converseen no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove converseen

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

    Já falei do emulador de terminal Cool-Retro-Term aqui no Blog, mas dessa vez, mostrarei como instalar ele usando um repositório.


    Existem emuladores de terminais de todos os tamanhos e formas para o Linux, mas nada como este. Cool-Retro-Term é um lindo emulador de terminal com visual retrô, vintage (ou como você quiser chamar), que imita o visual e a sensação das antigas telas de tubo catódico.

    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

    Certamente ele irá agradar os saudosistas e os usuários que não vivenciaram a época dos monitores monocromáticos. Se este é o seu caso, e você está cansado de seu terminal atual, o programa é uma boa opção por ser um emulador de terminal personalizável e razoavelmente leve.

    Desenvolvido pelo Swordfish’s Labs, o programa foi projetado para ser agradável, divertido, customizável e razoavelmente leve. Ele tenta imitar o visual e a sensação das antigas telas de tubo catódico, usando o poderoso e maduro engine Konsole. Ele requer apenas a Qt 5.2 ou superior para funcionar.

    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

    Resumindo tudo: Se você usa o terminal com frequência (ou é fã dele), com esse aplicativo, você irá deixá-lo com um visual mais retrô.

    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

    O programa vem com modelos pré-configurados para que você possa usá-los com apenas um clique, os perfis incluem: Âmbar, Verde, Scanlines, Pixelado, Apple ][, Vintage, IBM Dos, IBM 3287, e Verde Transparente. Além desses, você pode criar seu próprio perfil e usá-lo, definindo a fonte, o dimensionamento e a largura da fonte.

    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

    As preferências do Cool-Retro-Term oferecem uma grande quantidade de personalização: você pode ajustar o brilho, contraste e opacidade.

    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

    Aplicar efeitos interessantes para terminais.
    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

    Você também pode controlar o FPS, a qualidade de textura, a qualidade das scanlines e qualidade do bloom.

    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

    Conheça melhor o emulador de terminal Cool-Retro-Term

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term via repositório no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term via repositório no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository ppa:bugs-launchpad-net-falkensweb/cool-retro-term

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install cool-retro-term

    Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digitando col no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

    Desinstalando o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:bugs-launchpad-net-falkensweb/cool-retro-term --remove
    sudo apt-get remove cool-retro-term
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu

    Instalando o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu

    Se você gosta de ícones circulares e quer dar uma repaginada no visual do seu desktop, experimente instalar o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu.


    O conjunto de ícones Dalisha é uma bela peça de arte criada por Eep Setiawan e que oferece ícones circulares para serem usados em desktops Linux. O melhor de tudo é que ele contém ícones para todos os ambientes de desktop Linux como Unity, Gnome, Cinnamon, KDE, Mate e outros.

    Instalando o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu

    Este conjunto de ícones oferece mais de 30.000 ícones que estão disponíveis como a maioria dos tamanhos, incluindo uma versão escalável. Ele também traz ícones simbólicos utilizados a partir de ícones moka, a fim de melhorar e completar o conjunto.

    Instalando o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu

    Conheça melhor o conjunto de ícones Dalisha

    Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

    Instalando o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Dalisha usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install dalisha-icons

    Como instalar o conjunto de ícones Dalisha manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o conjunto de ícones Dalisha. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome dalisha.deb:

    wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/icons/+files/dalisha-icons_3.0~xenial~Noobslab.com_all.deb -O dalisha.deb

    Passo 4. Agora instale o conjunto de ícones Dalisha com o comando:

    sudo dpkg -i dalisha.deb

    Passo 5. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Dalisha, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove dalisha-icons

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    24 de março de 2017

    Ubuntu 17.04 Beta 2 já está disponível para download! Baixe agora!

    Ubuntu 17.04 Beta 2 já está disponível para download! Baixe agora!

    Saiu o Ubuntu 17.04 beta 2, o beta final do Zasty Zapus, que será a próxima versão do sistema da Canonical. Conheça mais um pouco sobre ele e descubra onde baixar.


    Quem gosta de experimentar novas versões do Ubuntu já pode baixar as imagens do Ubuntu 17.04 beta 2. A seguir veja o que há de novo no Ubuntu 17.04 beta 2.

    Ubuntu 17.04 Beta 2 já está disponível para download! Baixe agora!

    Ubuntu 17.04 Beta 2 já está disponível para download! Baixe agora!

    Novidades do Ubuntu 17.04 beta 2

    Nesse lançamento estão disponíveis imagens do Ubuntu 17.04 Desktop, Server, Cloud e opt-in, incluindo Kubuntu, Lubuntu, Ubuntu Budgie, Ubuntu Gnome, UbuntuKylin, Ubuntu MATE, Ubuntu Studio e Xubuntu, todas incluem o kernel v4.10 e Mesa 17.

    Destaques do Kubuntu 17.04 beta 2

  • Plasma 5.9, KDE Applications 16.12.3, KDE Frameworks 5.31;
  • Calligra Office Suite atualizado para Qt/KF5 versão 3.0.0.1;
  • Versão mais recente do Krita com bugfix – depois que este popular e avançado aplicativo de pintura digital foi retirado do Calligra;
  • O K3B foi atualizado para um instantâneo Qt5/KF5 da versão a ser incluída na próxima versão do KDE;
  • Okular PDF e leitor de documentos agora é Qt/ KF5em Applications 16.12;
  • O Kdevelop é agora a versão mais recente do bugfix da series 5.0.x;
  • Numerosas atualizações de aplicações e traduções do KDE.
  • Destaques do Ubuntu Budgie 17.04 beta 2

  • budgie-desktop estável v10.2.9;
  • Aplicações GNOME 3.24 juntamente com GTK+ 3.24 Mutter window manager;
  • O aplicativo budgie-welcome mais recente com tela de cédula do navegador e renovações de tema Material;
  • O suporte a AppIndicator agora é padrão;
  • Terminix é o terminal padrão;
  • Muitos novos aplicativos baseados no GNOME estão incluídos por padrão;
  • Papéis de Parede vencedores do 17.04 Community Contest;
  • Gtk Theme QT apps out of the box.
  • Destaques do Ubuntu Gnome 17.04 beta 2

  • Gnome 3.24;
  • Função de luz noturna que reduz automaticamente a luz azul emitida pela tela do computador ao pôr do sol;
  • O aplicativo Calendário agora tem uma exibição de semana;
  • Flatpak 0.8 agora está instalado por padrão;
  • LibreOffice 5.3.
  • Destaques do Ubuntu Kylin 17.04 beta 2

  • Aplicativos do Gnome atualizados para 3.24, excluindo o gerenciador de arquivos Nautilus, Terminal, Evolution e Software;
  • Lançado foxitreader 1.0.1, disponível no Kylin Software Center.
  • Destaques do Ubuntu MATE 17.04 beta 2

  • MATE Desktop 1.18.0;
  • Todo o conjunto de aplicativos e componentes do MATE Desktop agora são apenas GTK3+;
  • Adicionado suporte completo para libinput;
  • Versão atualizada de aplicativos principais;
  • Abandonado completamente o suporte a PowerPC de 32 bits.
  • Destaques do Xubuntu 17.04 beta 2

  • Correções de falhas Thunar ao renomear, copiar bugs;
  • Xfce4-taskmanager agora permite clicar na janela para selecionar o processo;
  • Xfce4-notifyd inclui suporte de persistência.;
  • Xubuntu-default-settings incluem novos modelos de arquivos incluídos – OpenDocument Writer, OpenDocument Spreadsheet.
  • Mais sobre o Ubuntu 17.04 beta 2

    Para mais detalhes, acesse a nota de lançamento.

    Conheça melhor a distribuição Ubuntu

    Para saber mais sobre a distribuição Ubuntu, clique nesse link.

    Cronograma de lançamento do Ubuntu 17.04 Zasty Zapus

    De acordo com o cronograma de lançamento do Ubuntu Ubuntu 17.04 Zasty Zapus, a versão estável estará disponível em uma quinta-feira, no dia 13 de abril de 2017, e será suportado por apenas 9 meses, até julho de 2017.

    Como em versões anteriores, nos dois primeiros Alpha e o beta 2 foram lançadas imagens ISO apenas dos derivados oficiais do Ubuntu e somente agora, no Beta Final e a partir do Release Candidate, uma imagem ISO com o Unity também estará disponível para download.

    O cronograma de lançamento do Ubuntu 17.04 Zasty Zapus ficou assim:

    Ubuntu 17.04 Alpha 1 – 29 de dezembro de 2016
    Ubuntu 17.04 Alpha 2 – 26 de janeiro de 2017
    Ubuntu 17.04 beta 1 – 23 de fevereiro de 2017
    Ubuntu 17.04 Beta 2 (final) – 23 de março de 2017
    Ubuntu 17.04 Release Candidate – 13 de abril de 2017
    Ubuntu 17.04 versão final – 21 de abril de 2017

    Baixe e experimente o Ubuntu 17.04 Zasty Zapus beta 2

    Antes de fazer qualquer coisa, esteja ciente de que versões beta não são adequadas para quem necessita de um sistema estável ou não se sente confortável com os ocasionais, e até mesmo frequentes, bugs e quebras de sistema.

    Se você quiser usar uma versão do Ubuntu que é suportada por mais tempo, use uma versão LTS (16,04 LTS)!

    Ciente de tudo isso, se quiser experimentar o Ubuntu 17.04 Zasty Zapus beta 2, as imagens ISO já podem ser baixadas acessando os links abaixo:

    Kubuntu
    Lubuntu
    Ubuntu Budgie
    Ubuntu GNOME
    Ubuntu Kylin
    Ubuntu MATE
    Ubuntu Studio
    Xubuntu

    Verifique se a imagem ISO está corrompida

    Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
    Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

    Como gravar uma imagem ISO no Linux

    Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
    Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
    Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
    Como criar um pendrive de instalação
    Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o gerenciador financeiro KMyMoney no Ubuntu

    Se você procura um gerenciador financeiro para administrar suas contas, experimente instalar o KMyMoney no Ubuntu e seus derivados.


    KMyMoney é um gerenciador de finanças pessoais de código aberto, que tem suporte para diferentes tipos de conta, categorização de despesas e rendimentos e reconciliação de contas.

    Como instalar o gerenciador financeiro KMyMoney no Ubuntu

    O programa tem suporte para importação e exportação QIF e oferece serviços bancários on-line para os protocolos OFX e HBCI.

    Conheça melhor o gerenciador financeiro KMyMoney

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o gerenciador financeiro KMyMoney no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o gerenciador financeiro KMyMoney no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:claydoh/kmymoney2-kde4

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install kmymoney

    Como instalar o gerenciador financeiro KMyMoney manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digitando kmymoney no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o gerenciador financeiro KMyMoney no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o gerenciador financeiro KMyMoney no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:claydoh/kmymoney2-kde4 --remove
    sudo apt-get remove kmymoney
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente

    Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente

    Já conhece o Pale Moon, um navegador que é o Firefox mais rápido que o Firefox? Pois se você quiser experimentar esse programa, veja a seguir como instalar o Pale Moon no Linux manualmente.


    Pale Moon é um navegador multiplataforma e open source, baseado no Mozilla Firefox, sendo que ele é até 25% mais rápido do que o original.

    Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente

    Também vale a pena mencionar, que devido ao fato do Pale Moon não ser afiliado a Mozilla, ele não adotou a interface Australis e manteve uma aparência inspirada na interface do Firefox clássico.

    Além disso, o suporte para DRM não foi adicionado por padrão, mas os usuários têm a possibilidade de fazer isso, através de plugins de terceiros.

    Caso não aconteça problemas com dependências, com o procedimento abaixo você poderá instalar o Pale Moon em praticamente qualquer distribuição Linux.

    Se você quiser instalar o Pale Moon usando o instalador oficial do projeto, veja esse outro tutorial:
    Firefox otimizado: Instale o navegador Pale Moon no Linux

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o Pale Moon

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
    Para saber mais sobre essa versão, acesse a nota de lançamento.

    Como instalar o Pale Moon no Linux manualmente

    Para instalar o Pale Moon no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual (e queira uma instalação limpa), apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/palemoon*
    sudo rm -Rf /usr/bin/palemoon
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/palemoon.desktop

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome palemoon.tar.bz2:

    wget http://linux.palemoon.org/files/27.2.1/palemoon-27.2.1.en-US.linux-i686.tar.bz2 -O palemoon.tar.bz2

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome palemoon.tar.bz2:

    wget http://linux.palemoon.org/files/27.2.1/palemoon-27.2.1.en-US.linux-x86_64.tar.bz2 -O palemoon.tar.bz2

    Passo 6. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

    sudo tar -xjvf palemoon.tar.bz2 -C /opt/

    Passo 7. Renomeie a pasta criada (se ocorrer um erro na execução do comando abaixo, pule este passo);

    sudo mv /opt/palemoon*/ /opt/palemoon

    Passo 8. Para ficar mais fácil de executar o programa, crie um link para ele como o comando abaixo:

    sudo ln -sf /opt/palemoon/palemoon /usr/bin/palemoon

    Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=palemoon\n Exec=/opt/palemoon/palemoon\n Icon=/opt/palemoon/browser/icons/mozicon128.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/palemoon.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pale em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/palemoon.desktop
    cp /usr/share/applications/palemoon.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/palemoon.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como deixar o Pale Moon em português do Brasil

    Por padrão, esse navegador vem com a interface toda em inglês do Estados Unidos, por isso, para deixar o Pale Moon em português do Brasil, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Execute o Pale Moon e acesse esse link. Quando aparecer uma tela solicitando a instalação do pacote de linguagem, clique no botão “Install Now” e aguarde finalizar a instalação;

    Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente

    Passo 2. Depois que terminar a instalação, clique dentro da caixa de endereço do Pale Moon, digite o comando “about:config” (sem as aspas) e pressione a tecla enter;

    Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente

    Passo 3. Na tela que será exibida, clique dentro da caixa do campo “Search” e digite “general.useragent.locale” (também sem as aspas);

    Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente

    Passo 4. A seguir, dê um clique duplo sobre o valor “en-US”. Na tela janela que aparece, substitua “en-US” por “pt-BR” (sem as aspas) e clique no botão “OK”;

    Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente

    Passo 5. Feche o navegador e quando você iniciar ele novamente, sua interface já estará em português do Brasil.

    Como remover o programa no Linux

    Para remover o programa no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento de instalação.

    Se você teve alguma dificuldade ou sabe de alguma dica relacionada ao assunto acima, escreva um comentário e ajude a melhorar esse texto. E não esqueça de compartilhar também, ok?

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Ubuntu via PPA ou SNAP

    Saiu mais uma atualização do LibreOffice. Se você está querendo experimentar essa versão do LibreOffice no Linux antes de todos, veja como instalar.


    O LibreOffice é uma suíte de escritório livre compatível com os principais pacotes de escritório do mercado.

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux

    O pacote oferece todas as funções esperadas de uma suíte profissional: editor de textos, planilha, apresentação, editor de desenhos e banco de dados.

    Desenvolvido pela The Document Foundation, ele é bem mais que isso, o LibreOffice é uma das mais populares suíte de escritório multiplataforma e de código aberto.

    Entre os recursos encontrados nessa versão, estão o suporte a Emoji e substituição em palavras, melhores recursos de recorte de imagem, realce de texto compatível com o word, melhorias para o formato DOC e melhorias no gerenciamento de tabelas.

    Para completar, também há várias melhorias no formato OOXML, suporte a arrastar e soltar de imagens, previews de estilo na barra lateral, a falta estilo de parágrafo em notas de rodapé para documentos DOCX foi corrigido e também foram implementados algumas correções de OpenGL.

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o pacote office LibreOffice

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

    Para ver o que há de novo no LibreOffice, acesse a nota de lançamento ou nas versão em português das link.

    Para saber mais sobre a instalação do LibreOffice no Linux, clique nesse outro Notas da versão.
    Ou assista o vídeo abaixo:

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux

    Descubra como usar o LibreOffice

    Para aprender a usar o LibreOffice, baixe a Apostila Modular de LibreOffice (obrigado Morvan), clicando nesse link.

    Este documento é utilizado na Escola de Gestão Pública do Ceará e já traz as mudanças de Interface do Usuário e os novos recursos introduzidos a partir da versão 5.1.x.

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux

    A seguir, você verá como instalar a versão a próxima versão do LibreOffice no Linux, mais especificamente em distribuições baseadas em pacotes RPM (como Fedora, CentOS, OpenSUSE, Mageia, OpenMandriva e seus derivados) e DEB (como Debian, Ubuntu e sistemas derivados destes).

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux Fedora, CentOS, OpenSUSE, Mageia, OpenMandriva e seus derivados

    Para instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux Fedora, CentOS, OpenSUSE, Mageia, OpenMandriva e sistemas derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se o programa já estiver instalado no seu sistema, remova-o usando o gerenciador de pacotes da sua disto;
    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome libreOffice.tar.gz e libreOffice-pt-br.tar.gz:

    wget http://tdf.c3sl.ufpr.br/libreoffice/stable/5.3.1/rpm/x86/LibreOffice_5.3.1_Linux_x86_rpm.tar.gz -O libeoffice.tar.gz
    wget http://tdf.c3sl.ufpr.br/libreoffice/stable/5.3.1/rpm/x86/LibreOffice_5.3.1_Linux_x86_rpm_langpack_pt-BR.tar.gz -O libreOffice-pt-br.tar.gz

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome libreOffice.tar.gz e libreOffice-pt-br.tar.gz:

    wget http://tdf.c3sl.ufpr.br/libreoffice/stable/5.3.1/rpm/x86_64/LibreOffice_5.3.1_Linux_x86-64_rpm.tar.gz -O libreOffice.tar.gz
    wget http://tdf.c3sl.ufpr.br/libreoffice/stable/5.3.1/rpm/x86_64/LibreOffice_5.3.1_Linux_x86-64_rpm_langpack_pt-BR.tar.gz -O libreOffice-pt-br.tar.gz

    Passo 6. Descompacte os arquivos baixados com o comando:

    tar -vzxf libreOffice.tar.gz
    tar -vzxf libreOffice-pt-br.tar.gz

    Passo 7. Vá para a pasta criada e depois para a pasta onde fica o arquivo de instalação, com os comandos abaixo:

    cd LibreOffice_*
    cd RPMS

    Passo 8. Agora instale o programa, usando esse comando:

    sudo rpm -i *.rpm

    Passo 9. Vá para a pasta criada pelo pacote de linguagem e depois para a pasta onde fica o arquivo de instalação, com os comandos abaixo:

    cd 
    cd LibreOffice*langpack_pt-BR/
    cd RPMS

    Passo 10. Agora instale os pacotes de linguagem, usando esse comando:

    sudo rpm -i *.rpm

    Passo 11. Se depois você precisar desinstalar o programa no Fedora ou CentOS ou outro derivado deles, use o comando abaixo;

    sudo yum remove libreoffice*

    Passo 12. Se depois você precisar desinstalar o programa no OpenSUSE ou um derivado dele, use o comando abaixo;

    sudo zypper remove libreoffice*

    Passo 13. Se depois você precisar desinstalar o programa no Mageia ou OpenMandriva ou qualquer derivado deles, use o comando a seguir;

    sudo urpme libreoffice*

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux Debian, Ubuntu e seus derivados

    Para instalar ou atualizar a versão mais recente do LibreOffice no Linux Debian, Ubuntu e seus derivados, usando os DEBs oficiais, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se o programa já estiver instalado no seu sistema, execute o comando a seguir para remover a instalação anterior:

    sudo apt-get remove --purge libreoffice*

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome libreOffice.tar.gz e libreOffice-pt-br.tar.gz:

    wget http://tdf.c3sl.ufpr.br/libreoffice/stable/5.3.1/deb/x86/LibreOffice_5.3.1_Linux_x86_deb.tar.gz -O libreOffice.tar.gz
    wget http://tdf.c3sl.ufpr.br/libreoffice/stable/5.3.1/deb/x86/LibreOffice_5.3.1_Linux_x86_deb_langpack_pt-BR.tar.gz -O libreOffice-pt-br.tar.gz

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome libreOffice.tar.gz e libreOffice-pt-br.tar.gz:

    wget http://tdf.c3sl.ufpr.br/libreoffice/stable/5.3.1/deb/x86_64/LibreOffice_5.3.1_Linux_x86-64_deb.tar.gz -O libreOffice.tar.gz
    wget http://tdf.c3sl.ufpr.br/libreoffice/stable/5.3.1/deb/x86_64/LibreOffice_5.3.1_Linux_x86-64_deb_langpack_pt-BR.tar.gz -O libreOffice-pt-br.tar.gz

    Passo 6. Descompacte os arquivos baixados com o comando:

    tar -vzxf libreOffice.tar.gz
    tar -vzxf libreOffice-pt-br.tar.gz

    Passo 7. Vá para a pasta criada e depois para a pasta onde fica o arquivo de instalação, com os comandos abaixo:

    cd LibreOffice_*
    cd DEBS

    Passo 8. Agora instale o programa, usando esse comando:

    sudo dpkg -i *.deb

    Passo 9. Vá para a pasta criada pelo pacote de linguagem e depois para a pasta onde fica o arquivo de instalação, com os comandos abaixo:

    cd 
    cd LibreOffice*langpack_pt-BR/
    cd DEBS

    Passo 10. Agora instale os pacotes de linguagem, usando esse comando:

    sudo dpkg -i *.deb

    Passo 11. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

    sudo apt-get remove libreoffice*

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux Ubuntu e seus derivados

    Agora se você estiver usando o Ubuntu ou um de seus derivados, existe um repositório que permite obter a versão mais recente do LibreOffice nesse sistema de um jeito bem fácil e rápido, como será mostrado a seguir.
    Para instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository -y ppa:libreoffice/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install libreoffice libreoffice-style-breeze

    Passo 5. Caso seja necessário, desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove libreoffice
    sudo apt-get autoremove

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o LibreOffice no Linux, digite libreoffice em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Mais sobre suítes office no Linux

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o jogo FreeCiv no Ubuntu e derivados

    Como instalar o jogo FreeCiv no OpenSUSE

    Já pensou em dar uma relaxada jogando e ainda conquistar o mundo? Calma, a segunda parte é apenas no jogo FreeCiv. Para descobrir, veja como instalar o jogo FreeCiv no Ubuntu e derivados.


    FreeCiv é uma versão de código aberto do jogo Civilization. Ele é um jogo que simula um combate entre as grandes civilizações da história, por poder e territórios.

    Como instalar o jogo FreeCiv no Ubuntu e derivados

    Trata-se de um jogo de estratégia por turnos que pode ser jogado no modo single ou multiplayer. Ele começa a partir de 4000 A.C. e passa pelos tempos modernos, permitindo que os usuários a construir cidades e implantar novas unidades.

    No game, o jogador assume o comando de uma civilização, dentre as dezenas de opções, relativas a povos ou culturas de todos os continentes e todos os momentos da história. Ao longo das rodadas, ele precisa construir cidades, campos de plantio, minas, estradas e etc.

    Ao assumir a posição de chefe da civilização escolhida, o jogador pode inclusive enfrentar revoltas e insatisfação popular. Além das construções, o jogador também precisa organizar a distribuição de fundos, orientar a pesquisa científica e escolher o regime político da civilização adequado de acordo com o momento histórico.

    Em paralelo à construção, o jogo também envolve destruição e o jogador deve criar exércitos para atacar e dominar civilizações rivais, pois vence aquele que conseguir dominar o planeta ou que tiver a maior extensão territorial ao fim dos tempos (determinado antes de se iniciar).

    Conheça melhor o FreeCiv

    Para saber mais sobre o FreeCiv, clique nesse link.

    Para conhecer o jogo, assista o vídeo abaixo:

    Como instalar o jogo FreeCiv no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o jogo FreeCiv no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo sh -c 'echo "deb http://archive.getdeb.net/ubuntu $(lsb_release -cs)-getdeb games" >> /etc/apt/sources.list.d/getdeb.list'

    Passo 3. Baixe e instale a chave do repositório com o comando:

    wget -q -O - http://archive.getdeb.net/getdeb-archive.key | sudo apt-key add -

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install freeciv-client-gtk freeciv-client-sdl

    Nota: Embora não tenha testado, pode de ser que o procedimento funcione no Debian e derivados também.

    Como instalar o jogo FreeCiv manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite freeciv no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o jogo FreeCiv no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o jogo FreeCiv no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove freeciv-client-gtk freeciv-client-sdl
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    As atualizações automáticas do sistema da Canonical não servem para você? Então veja como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu.


    Para alguns, pode ser irritante todos os dias ficar vendo notificações do sistema informando que existem atualizações automáticas. Felizmente, é possível desativar as atualizações automáticas no Ubuntu. E este tutorial irá lhe mostrar como fazer isso.

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Mas antes de tomar uma atitude tão radical, saiba que não é recomendável desativar as atualizações automáticas no Ubuntu, pois se trata de algo muito importante para o bom funcionamento do sistema.

    Entretanto, podem haver diversas razões pelas quais você queira ou precise controlar o processo manualmente: Você pode estar intencionalmente evitando uma nova versão de um pacote ou aplicativo de missão crítica; você pode estar ignorando a mais recente versão do kernel ou uma atualização de driver.

    Você também pode estar tentando poupar largura de banda, já que utiliza uma conexão de internet móvel ou limitada. Nesse caso, por exemplo, só a verificação de atualização pode baixar algo em torno de 300MB ao longo de um único mês (dependendo de quais fontes, arquivos e PPA´s você tiver habilitado).

    Seja qual for a sua razão, você não tem que ser incomodado se não quiser. Por isso, veja a seguir como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu e deixe o sistema como você quer.

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Para configurar o Ubuntu para desativar as atualizações automáticas, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Programas e atualizações”;

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Passo 2. Dentro de “Programas e atualizações”, clique na aba “Atualizações”;

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Passo 3. Nessa aba, clique na seta ao lado do campo “Procurar por atualizações automaticamente” e selecione a opção “Nunca”. Finalmente, clique no botão “Fechar” e estará pronto;

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Agora que a busca automática por atualizações está desativada, lembre-se: você deve fazer essa verificação manualmente para não correr o risco de perder algo importante para o seu sistema.

    Ou seja, esta configuração não desativa a capacidade de atualizar o sistema. Você pode continuar a verificar e instalar atualizações manualmente, através da linha de comando, ou utilizando o aplicativo Atualizador de programas.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a ferramenta de configuração Unsettings no Ubuntu

    Como instalar a ferramenta de configuração Unsettings no Ubuntu

    Se você quer fazer alguns ajustes no seu sistema e deixá-lo realmente quer, veja como instalar a ferramenta de configuração Unsettings no Ubuntu.


    Unsettings é uma ferramenta de configuração que permite que os usuários alterem as configurações do ambiente Unity, como temas GTK, gerenciador de janelas, ícones, cursores e até desativem o menu global e as sobreposição das barras de rolagem para o usuário atual.

    Como instalar a ferramenta de configuração Unsettings no Ubuntu

    Além disso, mais que aplicar as configurações, Unsettings permite que você exporte suas configurações para um arquivo de texto (formato JSON), assim você pode facilmente fazer backup você configurações ou copiá-los para e usá-las em uma conta diferente, uma instalação futura, ou em um novo sistema.

    Conheça melhor a ferramenta de configuração Unsettings

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a ferramenta de configuração Unsettings no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar a ferramenta de configuração Unsettings no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:diesch/testing

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install unsettings

    Instalando a ferramenta de configuração Unsettings sem usar um repositório

    Para instalar a ferramenta de configuração Unsettings sem usar um repositório, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome unsettings.deb:

    wget http://www.florian-diesch.de/software/unsettings/dist/unsettings_0.11_all.deb -O unsettings.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i unsettings.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite unsettings no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando a ferramenta de configuração Unsettings no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar a ferramenta de configuração Unsettings no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove unsettings
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Ballistic Overkill no Linux via Steam – Jogo será lançado dia 28 de março

    Ballistic Overkill no Linux via Steam - Jogo será lançado dia 28 de Março

    Ballistic Overkill está chegando ao Linux via Steam. O jogo será lançado no dia 28 de março. Conheça o jogo e confira algumas imagens dele.


    O Aquiris Game Studio tem trabalhado por 2 anos no Ballistic Overkill. Em nota, o estúdio brasileiro anunciou que o jogo está pronto para o lançamento que acontecerá no dia 28 de Março para PC, Mac e Linux, no Steam e Humble Store.

    Ballistic Overkill no Linux via Steam - Jogo será lançado dia 28 de Março

    Ballistic Overkill no Linux via Steam – Jogo será lançado dia 28 de Março

    A produtora agradeceu a comunidade pelo apoio e contribuições durante todos esses meses de trabalho, com feedback muito valioso, e afirmou que o jogo continuará melhorando e recebendo novos conteúdos após o lançamento.

    O game entrou na última semana do Acesso Antecipado, o que significa que a temporada 0 está chegando ao fim. O Aquiris Game Studio avisou que não será mais possível dropar skins da temporada “acesso antecipado” a partir do dia 28, sendo somente possível obtê-las através do Mercado do Steam, trocando ou comprando de outros jogadores

    Conheça e experimente o Ballistic Overkill no Linux via Steam

    Ballistic Overkill é um jogo de tiro de ritmo intenso. Ele é um jogo fácil de pegar e jogar, pois não tem muitas complicações ou regras: é matar ou morrer. O game vem mais de 80 armas (pistolas, lança granadas, SMGs, snipers, katanas e etc), 7 Classes (Cada uma com suas forças e fraquezas particulares), 10 Mapas, 4 Modos de Jogo e integração com o Mercado do Steam.

    Historia do jogo Ballistic Overkill

    No Ballistic Overkill você seleciona uma de 7 classes únicas, cada uma com suas próprias habilidades e armas. Nele é possível fazer múltiplos “loadouts”, criando estratégias diferentes com o mesmo personagem. O jogo não possui classes de suporte, na prática, todos são assassinos por natureza.

    As classes sãos as seguintes:
    Furioso – especialista em curtas distâncias
    Vanguarda– mestre de assalto
    Espectro – infiltrator e assassino de longa distância
    Sombra – mestre de velocidade e assassinatos furtivos
    Granadeiro – terror dos campers e maníaco por explosões
    Tanque – especialista de sobrevivência
    Atirador – especialista em inteligência, perceptivo e adaptável

    Ballistic Overkill cobre uma grande variedade de localizações em seus 10 mapas. Ele oferece um museu, um parque corporativo, um shopping e até um hospital abandonado. São diversos tamanhos, cada um com a sua própria atmosfera, personalidade de design que os torna únicos.

    Com mais de 80 armas no jogo, sempre há uma nova maneira de eliminar os seus inimigos no Ballistic Overkill. Melhor ainda, todas as armas possuem skins, ou aparências, que dropam de caixas e podem ser trocadas, compradas ou vendidas através do sistema de Mercado do Steam. De tempo em tempo a temporada de drops de skins muda, permitindo que os jogadores colecionem novas skins e acessórios.

    As armas e habilidades são desbloqueadas com a experiência que você adquire a cada partida, dando ao jogador novas possibilidades e maneiras de se jogar. Ballistic oferece ótimos momentos de diversão e as recompensas, como novas armas e skins, conquistadas a cada batalha.

    Para completar, os jogadores podem criar seus próprios, escolher um mapa e modo de jogo e convidar seus amigos para jogar.

    O jogo custa R$ 19.99, um preço muito justo pelo conteúdo que oferece. Ele é otimizado para rodar em máquinas mais antigas, não exigindo um PC muito atual para jogar.

    Imagens do jogo Ballistic Overkill

    Ballistic Overkill no Linux via Steam - Jogo será lançado dia 28 de Março

    Ballistic Overkill no Linux via Steam - Jogo será lançado dia 28 de Março

    Ballistic Overkill no Linux via Steam - Jogo será lançado dia 28 de Março

    Ballistic Overkill no Linux via Steam - Jogo será lançado dia 28 de Março

    Ballistic Overkill no Linux via Steam - Jogo será lançado dia 28 de Março

    Conheça melhor o jogo Ballistic Overkill

    Para saber mais sobre esse jogo, acesse a página do jogo no Steam.
    E assista esse vídeo:

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar uma ferramenta de otimização de imagens no Ubuntu e derivados

    Como instalar uma ferramenta de otimização de imagens no Ubuntu e derivados

    Está precisando diminuir o tamanho de algumas imagens? Experimente instalar o Trimage, uma ferramenta de otimização de imagens bastante poderosa.


    Trimage é um programa que possui uma interface gráfica multiplataforma e uma interface de linha de comando para otimizar os arquivos de imagem para sites, usando optipng, pngcrush, advpng e jpegoptim. Atualmente, ele suporta os arquivos PNG e JPG.

    Como instalar uma ferramenta de otimização de imagens no Ubuntu e derivados

    O programa foi inspirado no ImageOptim e todos os arquivos de imagem são losslessy comprimido nos mais altos níveis de compressão disponíveis, e com o EXIF ​​e outros metadados removidos.

    Trimage também lhe dá várias funções de entrada para você usá-lo de acordo com seu próprio fluxo de trabalho: Você pode usar uma caixa diálogo de arquivo regular, arrastar e soltar, e várias opções de linha de comando.

    Conheça melhor o Trimage

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instalando uma ferramenta de otimização de imagens no Ubuntu e derivados

    Trimage está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install trimage. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Para instalar o Trimage no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se vocês estiver usando uma versão mais recente do Ubuntu, instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install trimage

    Passo 3. Se você ainda estiver as versões 9.10, 10.04 ou 10.10 do Ubuntu, comece a instalar adicionando um repositório com o seguinte comando:

    sudo add-apt-repository ppa:kilian/trimage

    Passo 4. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install trimage

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite trimage no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Depois de executar, clique no botão “Add and compress” e informe onde estão os arquivos ou simplesmente arraste as imagens para a tela do programa. Automaticamente ele começará a processá-las e em pouco tempo estará pronto (dependendo da quantidade e tipos de imagens usadas).

    Como instalar uma ferramenta de otimização de imagens no Ubuntu e derivados

    Desinstalando o Trimage no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Trimage no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove trimage
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.10.5

    Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.10.5

    Greg Kroah-Hartman anunciou o lançamento e disponibilidade da mais recente atualização da série 4.10, o kernel 4.10.5. Se você quiser atualizar seu sistema para essa nova versão, veja abaixo como fazer isso.


    O kernel Linux 4.10.5 é uma atualização mediana que altera um total de 69 arquivos, com 587 inserções e 268 exclusões. A maioria dessas alterações são melhorias de rede, tanto para a pilha de drivers e rede do kernel. Há também melhorias no suporte para chipsets Intel e algumas arquiteturas de hardware também foram melhoradas.

    Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.10.5

    Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.10.5

    kernel Linux 4.10.5 traz uma pilha de rede atualizada com várias melhorias para Bridge, DCCP (Protocolo de Controle de Congestionamento de Datagramas), IPv4, IPv6, L2TP (Protocolo de Túnel de Camada 2), MPLS (Multiprotocolo Label Switching), vSwitch aberto, agendador de pacotes, SCTP (Stream Control Transmission Protocol) e STRParser.

    Além disso, essa versão também entrega drivers Ethernet atualizados para AMD 10GbE (amd-xgbe), Mellanox, bem como o uso de ETH_MAX_MTU como max mtu para colagem. O driver Intel i915 também recebeu atenção e o kernel 4.10.5 do Linux adiciona melhor suporte às arquiteturas de hardware x86, ARM64 (AArch64) e PowerPC (PPC).

    Para ver todas as mudanças presentes nesse kernel, acesse o ChangeLog.

    Atualizar ou não atualizar! Eis a questão

    Essa série é voltada principalmente para os usuários que querem ter no seu sistema, a última versão do kernel Linux. Ela também serve para as pessoas que estão tendo problemas em algum hardware ou no reconhecimento deste e estão na expectativa de alguma correção.

    Independente disso, o procedimento a seguir é muito simples e pode ser desfeito com poucos comandos, conforme mostrado no final. Na verdade, se o usuário quiser continuar dando boot pelo kernel anterior, basta apenas escolher a opção no menu do Grub e o novo kernel nem afetará seu sistema.

    É 100% seguro? Nada é, mas é exatamente por isso que você deve escolher se irá ou não atualizar (e por isso coloco sempre a mensagem de alerta no texto), pois assim como no uso do software livre/open source, a liberdade de escolha é sua.

    Antes de iniciar começar a atualizar o kernel do Ubuntu, saiba que este é um procedimento, que apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

    Como atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.10.5 usando uma aplicativo

    Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.10.5

    Se preferir, é possível fazer a atualização para esse kernel usando a ferramenta Ubuntu Kernel Update Utilit, que automatiza todo o processo, conforme mostrado nesse tutorial:

    Como atualizar o kernel do Ubuntu com o Kernel Update Utilit

    Como atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.10.5

    Para atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.10.5, faça o seguinte
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema acessando as Configurações do Sistema e a opção “Detalhes” ou usando o comando abaixo:

    uname -m

    Passo 3. Se estiver usando um sistema de 32 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-headers-4.10.5-041005_4.10.5-041005.201703220931_all.deb
    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-headers-4.10.5-041005-generic_4.10.5-041005.201703220931_i386.deb
    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-image-4.10.5-041005-generic_4.10.5-041005.201703220931_i386.deb

    Passo 4. Se estiver usando um sistema de 32 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-headers-4.10.5-041005_4.10.5-041005.201703220931_all.deb
    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-headers-4.10.5-041005-lowlatency_4.10.5-041005.201703220931_i386.deb
    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-image-4.10.5-041005-lowlatency_4.10.5-041005.201703220931_i386.deb

    Passo 5. Se estiver usando um sistema de 64 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-headers-4.10.5-041005_4.10.5-041005.201703220931_all.deb
    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-headers-4.10.5-041005-generic_4.10.5-041005.201703220931_amd64.deb
    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-image-4.10.5-041005-generic_4.10.5-041005.201703220931_amd64.deb

    Passo 6. Se estiver usando um sistema de 64 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-headers-4.10.5-041005_4.10.5-041005.201703220931_all.deb
    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-headers-4.10.5-041005-lowlatency_4.10.5-041005.201703220931_amd64.deb
    wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.10.5/linux-image-4.10.5-041005-lowlatency_4.10.5-041005.201703220931_amd64.deb

    Passo 7. Instale o kernel com o comando:

    sudo dpkg -i linux-headers-4.10.5*.deb linux-image-4.10.5*.deb

    Passo 8. Reinicie o sistema com o comando abaixo:

    sudo reboot

    Atenção: Todos os drivers que não fazem parte da principal árvore do kernel (o que obviamente inclui drivers proprietários) devem ser recompilados para novas versões do kernel.

    Como remover kernels antigos com segurança

    Depois de atualizar, é importante guardar uma versão anterior do krnel Linux por precaução. Mas quando você não estiver mais precisado dos kernels antigos, use esse tutorial para removê-los:
    Como remover kernels antigos no Ubuntu ou Linux Mint com segurança

    Como desinstalar o kernel 4.10.5

    Se você tiver algum problema e quiser desinstalar o kernel 4.10.5, reinicie o computador com um kernel anterior (usando Grub -> Advanced -> select previous kernel, ou Grub -> Avançado -> selecionar o kernel anterior) e quando iniciar o sistema, faça login, abra um terminal e execute o comando abaixo para remover o Linux Kernel 4.10.5:

    sudo apt-get remove linux-headers-4.10.5 linux-image-4.10.5

    Em seguida, atualize o menu do GRUB, com o comando:

    sudo update-grub

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o planetário Stellarium no Ubuntu

    Se procura uma ferramenta que forneça um imagem realista e precisa do céu, como se você estivesse olhando através de um telescópio, veja aqui como instalar o planetário Stellarium no Ubuntu e derivados.


    Stellarium é um software planetário livre e de código aberto disponível para Linux, Windows e Mac OS X. Ele usa OpenGL para renderizar uma projeção realista do céu noturno em tempo real, assim como o que você vê a olho nu, com binóculos ou telescópio.

    Como instalar o planetário Stellarium no Ubuntu

    O programa também pode ser usado em projetores de planetários. Basta definir suas coordenadas e ir embora.

    Stellarium possui um catálogo padrão de mais de 600.000 estrelas e um catálogo extra com mais de 210 milhões de estrelas, asterismos e ilustrações das constelações, constelações de 19 culturas diferentes, imagens de nebulosas (catálogo completo Messier), uma visão realista da Via Láctea, atmosfera muito realista, nascer e pôr do sol, os planetas e seus satélites.

    A interface do programa é multilíngue e permite fazer um zoom poderoso, fazer projeção fisheye para cúpulas de planetários, projeção espelho esférico para a sua própria cúpula de baixo custo, ter amplo controle de teclado, controle do telescópio e controle de tempo.

    Novidades da última versão do Stellarium

    Stellarium 0.15.2 traz as seguintes novidades:

  • Um algoritmo para DeltaT;
  • Dados de visualização de órbita para asteróides;
  • Nova opção para o grupo InfoString;
  • Suporte para cálculo de magnitudes extintas de satélites;
  • Novo tipo de objetos sistema solar: sednoids.
  • Para mais detalhes, leia o anúncio.

    Conheça melhor o programa planetário Stellarium

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o programa planetário Stellarium no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o programa planetário Stellarium no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:stellarium/stellarium-releases

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install stellarium

    Como instalar o programa planetário Stellarium manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite stellarium no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o planetário Stellarium no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o planetário Stellarium no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:stellarium/stellarium-releases --remove
    sudo apt-get remove stellarium
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Gravação de mídias: como instalar o CDRTools no Ubuntu

    Gravação de mídias: como instalar o CDRTools no Ubuntu

    Quer fazer gravação de mídias de qualquer tipo, inclusive Blu-Ray? então veja como instalar o CDRTools no Ubuntu, para habilitar essa funcionalidade.


    O Ubuntu não tem suporte oficial para a gravação de discos Blu-Ray. Pior ainda, o cdrkit, o Brasero do GNOME e o K3b do KDE não suportam este recurso.

    Gravação de mídias: como instalar o CDRTools no Ubuntu

    Embora isso normalmente não seja um problema, pode ser que um dia você precise queimar um disco Blu-ray. Se isso acontecer, você precisa instalar CDRTools, um pacote que adiciona o suporte a essa funcionalidade e está disponível via repositório.

    Para quem não conhece, CDRTool é um conjunto de ferramentas de linha de comando para gravação de CDs, DVDs e Blu-Rays, contendo as seguintes ferramentas:

    • cdrecord – um programa de gravação de CD/DVD/BD;
    • readcd – Um programa para ler mídias CD/DVD/BD com características CD-clone;
    • cdda2wav – O programa de extração de áudio de CD mais evoluído com o suporte a paranoia;
    • mkisofs – Um programa para criar sistemas de arquivos híbridos ISO9660/JOLIET/HFS com atributos Rock Ridge opcionais;
    • isodebug – Um programa para imprimir informações de depuração mkisofs da mídia;
    • isodump – Um programa para despejar media ISO-9660;
    • isoinfo – Um programa para analisar/verificar sistemas de arquivos ISO/9660/Joliet/Rock-Ridge;
    • isovfy – Um programa para verificar as estruturas ISO-9660;
    • rscsi – A daemon que habilita SCSI remoto.

    Conheça melhor o CDRTools

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o CDRTools no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o CDRTools no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:brandonsnider/cdrtools

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install cdrtools

    Como instalar o CDRTools manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, basta fazer o download do instalador .deb diretamente nesse link, e depois clicar nele para instalar manualmente.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite cdrtools no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o CDRTools no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o CDRTools no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:brandonsnider/cdrtools --remove
    sudo apt-get remove cdrtools
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    23 de março de 2017

    Editor de código para web: instale o Brackets no Ubuntu

    Editor de código para web: instale o Brackets no Ubuntu

    Se você trabalha com criação de código para web, experimente instalar e usar o editor de código para web Brackets em seu Ubuntu.


    Brackets é editor de código da Adobe. Ele é mais um editor de código, em vez de um editor de texto e é focado em web designers e desenvolvedores front-end.

    Editor de código para web: instale o Brackets no Ubuntu

    Esse aplicativo é construído de e para HTML, CSS e Java Script. Com ferramentas visuais especializadas e suporte a preprocessadores, o Brackets é um editor de textos moderno que facilita a criação de designs no navegador.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o editor de código para web Brackets

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o editor de código para web Brackets no Ubuntu e seus derivados

    Brackets está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install brackets. Por isso, para ter a última versão desse programa no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/brackets

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install brackets

    Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Se você tiver algum problema de instalação ou execução no Ubuntu, dê uma olhada nesse outro tutorial:
    Problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04/15.10/16.04? Veja como resolver

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite brackets no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Brackets no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Brackets no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/brackets --remove
    sudo apt-get remove Brackets
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    Se seu sistema ficou totalmente sem áudio porque a saída HDMI está configurada como padrão, veja aqui como resolver isso.


    A solução proposta aqui foi testada pelo pessoal do site “It’s F.O.S.S.” e somente deve ser usada se seu sistema estiver com a saída HDMI configurada como padrão.

    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    A dica pode inclusive funcionar em outras distribuições Linux como o Linux Mint, Elementary OS, Fedora, Arch Linux e etc. Mas como foi dito anteriormente, essa solução só funciona em sistemas em que a saída HDMI está definido como padrão.

    Como resolver o problema da falta de áudio depois de uma atualização do Ubuntu

    Para resolver o problema da falta de áudio depois de uma atualização do Ubuntu, será preciso forçar o Ubuntu usar a saída analógica em vez da HDMI por padrão. Para isso, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Verifique se seu sistema está com a saída HDMI configurada como padrão, usando o comando:

    alsamixer

    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    Passo 3. Descubra os dados do dispositivo de saída analógica com o comando a seguir:

    aplay -l

    Passo 4. Isso irá listar os dispositivos. Anote o número do cartão (card) e do dispositivo (device). A informação será mais ou menos assim:

    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    Passo 5. Com a informação, faça um novo arquivo de configuração digitando o seguinte comando:

    sudo gedit /etc/asound.conf

    Passo 6. Com o arquivo aberto, adicione as seguintes linhas nele, substituindo com a informação da saída analógica e o número do dispositivo, descobertos no quarto passo:

    defaults.pcm.card 1
    defaults.pcm.device 0

    Passo 7. Salve o arquivo e reinicie o computador.

    Se mesmo depois de tudo isso, seu PC ainda continua sem som, experimente mudar a saída de som atual usando um dos programas citados nesses tutoriais:

    Use o PyAudioSelector para alternar entre dispositivos de áudio
    Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados
    Instale um, teste mudar a saída de som, teste o som, e se não funcionar, desinstale e passe pro outro.

    Lembre-se também de verificar o volume do som de todas as opções.

    Pronto! Depois disso, seu sistema já estará com o som funcionando novamente.
    Como não pude testar essa solução, fique a vontade para usar os comentários para informar se funcionou ou não, ou se você tem algum truque melhor para lidar com isso.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Se você vive alternando constantemente entre alto-falantes, fones de ouvido e som HDMI, experimente instalar o Sound Switcher Indicator no Ubuntu para simplificar sua vida.


    Sound Switcher Indicator é um AppIndicator seletor de entrada/saída de som do Ubuntu. Ele permite mudar a entrada de som atual e de saída, bem como a porta de saída específica com apenas dois cliques.

    Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Com ele, você pode, por exemplo, alternar entre fones de ouvido, alto-falantes e saída de som HDMI, com apenas dois cliques. Ou simplesmente alternar entre vários dispositivos de som, sem ter que ir nas opções de som das “Configurações do Sistema”.

    Os recursos fornecidos pelo Sound Switcher Indicator não são algo que esteja faltando no Ubuntu, mas esta ferramenta torna muito mais fácil para aqueles que mudam constantemente entre alto-falantes, fones de ouvido e som HDMI por exemplo, e por conta disso, deve ser muito útil para alguns usuários do Ubuntu.

    Conheça melhor o Sound Switcher Indicator

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

    Instalando o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Para instalar o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo apt-add-repository ppa:yktooo/ppa

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install indicator-sound-switcher

    Passo 5. Saia da sessão atual e quando fizer login, o indicador já estará no painel.

    Como instalar o Sound Switcher Indicator manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Iniciando o Sound Switcher Indicator

    Normalmente você só precisa encerrar a sessão atual e fazer login novamente, para que o programa seja iniciado. Caso o Sound Switcher Indicator não inicie automaticamente quando você fizer login, siga os passos desse tutorial e em “Nome”, digite “Sound Switcher Indicator” e em “Commando”, use: “indicator-sound-switcher”.

    Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Desinstalando o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-add-repository ppa:yktooo/ppa -r
    sudo apt-get remove indicator-sound-switcher
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging

    Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging

    Se você usa o aplicativos Windows no Linux e quer experimentar os novos recursos do Wine bem antes da versão padrão, veja como fazer isso usando o Wine Staging.


    Wine Staging é uma versão do Wine, que fornece correções de bugs e recursos que ainda não estão disponíveis em versões regulares de Wine. Com ele, você tem acesso aos novos recursos do Wine bem antes da maioria dos usuários.

    Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging

    O Wine Staging anteriormente era conhecido como Wine Compholio. Ele foi inicialmente criado para o Pipelight, um projeto que traz Silverlight e outros plugins feitos apenas para o Windows, para navegadores web do Linux.

    O projeto evoluiu e algumas distribuições Linux, como Fedora, já o fornecem nos repositórios oficiais, em vez da versão regular do Wine.

    Algumas das características são opcionais e podem ser ativadas ou desativadas via Wine Configuration (winecfg), na guia “Staging”:

    Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o Wine Staging

    Para saber mais sobre o Wine Staging, clique nesse link.

    Para obter uma lista completa dos novos recursos do Wine e correções de bugs, consulte a página do Wine Staging no GitHub.

    Como instalar o Wine Staging e usar os novos recursos do Wine

    Para instalar o Wine Staging no Ubuntu para poder usar os novos recursos do Wine, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository ppa:pipelight/stable

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install --install-recommends wine-staging
    sudo apt-get install winehq-staging

    Passo 6. Se você estiver usando um sistema de 64 bit e quer usar a versão de 64 bits do Wine, instale também o ‘wine-staging-amd64’;

    sudo apt-get install wine-staging-amd64

    Os executáveis ​​do Wine Staging não ficam instalados em /usr/bin (e portanto, não estão disponíveis em seu PATH, por padrão), mas em /opt/wine-staging/bin/.

    Graças a isso, você pode continuar usando a versão regular do Wine bem como a do Staging Wine. Para iniciar qualquer executável Staging Wine, basta adicionar “/opt/wine-staging/bin/” antes do nome do executável, como nos exemplos a seguir:

    /opt/wine-staging/bin/wine
    /opt/wine-staging/bin/winecfg

    No entanto, se você não deseja digitar o caminho completo cada vez que quiser usar Staging Wine, você pode instalar um pacote que fornece links simbólicos de compatibilidade.

    Infelizmente, você não poderá usar a versão regular do Wine mais, o que pode valer a pena, dependendo dos novos recursos do Wine que o programa oferecer:

    sudo apt-get install wine-staging-compat

    Para obter mais informações, consulte a página de uso do Wine Staging.

    Desinstalando o Wine Staging no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Wine Staging no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove wine-staging*
    sudo apt-get autoremove

    Como instalar o Wine Staging em outras distribuições

    Os desenvolvedores do Wine Staging fornecem binários para o Arch Linux, Debian, Gentoo, Mageia e OpenSUSE. Para obter instruções de instalação, consulte essa página.

    Para outras dúvidas relacionadas a execução de programas Windows no Linux, bem como assuntos relacionados, consulte esse artigo:

    Instalando e manipulando aplicativos Windows no Linux e outros assuntos relacionados

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

    Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

    Se você procura um modo de impedir bloqueio da tela, sem desativar o recurso, veja aqui como instalar o Caffeine no Ubuntu.


    Caffeine é um applet simples, no formato de um indicador no painel Ubuntu, que permite impedir o bloqueio da tela temporariamente, a ativação do protetor de tela, o modo de economia de energia e outras funções que desativam a tela.

    Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

    O programa é particularmente útil quando se deseja impedir que o computador entre nesse modo e atrapalhe as atividades atuais, como por exemplo, quando estamos assistindo a filmes. Ele funciona em Ubuntu Unity, Ubuntu Gnome, Kubuntu, Xubuntu e Lubuntu.

    Conheça melhor o Caffeine

    Para saber mais sobre as características do programa e o que ele pode fazer, clique nesse link.

    Instalando o Caffeine no Ubuntu para impedir o bloqueio da tela

    Caffeine está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu, mas pode estar um pouco obsoleto. Por isso, para instalar a versão mais recente do Caffeine no Ubuntu e impedir o bloqueio da tela, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:caffeine-developers/ppa

    Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install caffeine

    Como instalar o Caffeine manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome caffeine.deb:

    wget http://ppa.launchpad.net/caffeine-developers/ppa/ubuntu/pool/main/c/caffeine/caffeine_2.9.4_all.deb -O caffeine.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i caffeine.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite caffeine no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Para usá-lo, basta clicar na opção que ativa ou desativa ele no desktop.

    Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

    Desinstalando o Caffeine no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Caffeine no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:caffeine-developers/ppa --remove
    sudo apt-get remove caffeine
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Ripar áudio – Como instalar o RipperX no Ubuntu, Debian e seus derivados

    Precisando ripar áudio de alguns discos? Isso já não é mais coisa de outro mundo, instale o RipperX e faça do jeito mais fácil e rápido.


    RipperX é um aplicativo de código aberto que serve para ripar faixas de áudio de CD e codificá-las para o formato Ogg, FLAC, ou MP2/3.

    Como instalar o RipperX no Ubuntu para ripar áudio

    O programa é fácil de usar e é necessário apenas alguns cliques do mouse, para converter um álbum inteiro. Ele suporta buscas CDDB para informações de álbum e faixa.

    Conheça melhor o RipperX

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o RipperX no Ubuntu, Debian e seus derivados para ripar áudio

    Para instalar o RipperX no Ubuntu, Debian e seus derivados para ripar áudio, você pode usar o gerenciador de pacotes do sistema, ou fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install ripperx

    Instalando o RipperX no Ubuntu, Debian e seus derivados manualmente

    Para instalar o RipperX no Ubuntu, Debian e seus derivados manualmente, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome rippex.deb:

    wget http://launchpadlibrarian.net/175981640/ripperx_2.8.0-1_i386.deb -O ripperx.deb

    ou

    wget https://launchpad.net/ubuntu/+archive/primary/+files/ripperx_2.8.0-1build1_i386.deb -O ripperx.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome rippex.deb:

    wget http://launchpadlibrarian.net/175981650/ripperx_2.8.0-1_amd64.deb -O ripperx.deb

    ou

    wget https://launchpad.net/ubuntu/+archive/primary/+files/ripperx_2.8.0-1build1_amd64.deb -O ripperx.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i ripperx.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite rippex no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Extraindo áudio manualmente

    Se você quiser fazer uma extração de áudio manualmente, veja esse tutorial:
    11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

    Desinstalando o RipperX no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o RipperX no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove rippex
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Jogue Super Mario Bros no Ubuntu com o SuperTux

    Jogue Super Mario Bros no Ubuntu com o SuperTux

    Quer jogar Super Mario Bros no Ubuntu? Bom, não tem o mesmo personagem, mas experimente instalar o SuperTux e veja se gosta.


    SuperTux é um jogo 2D semelhante ao jogo original Super Mario. Ele se baseia nos primeiros jogos da série Mario, da Nintendo, e traz o Tux, mascote do Linux, como atração principal.

    Jogue Super Mario Bros no Ubuntu com o SuperTux

    Conheça melhor o SuperTux

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Super Mario Bros no Ubuntu – veja como instalar o SuperTux

    Para instalar o SuperTux pata ter um tipo de Super Mario Bros no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install supertux supertux-data

    Como instalar o SuperTux manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite supertux no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o SuperTux no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o SuperTux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove supertux supertux-data
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Comparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu

    Comparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu

    Precisando de uma ferramenta para comparar e sincronizar pastas? Então veja aqui como instalar o FreeFileSync no Ubuntu.


    FreeFileSync é uma ferramenta de código aberto multiplataforma para comparar e sincronizar pastas no Linux, Windows e Mac OS X. Com o programa, você pode detectar arquivos e pastas movidos e renomeados, manter versões de arquivos apagados/atualizados, incluindo cópia de arquivos bloqueados (Volume Shadow Copy Service).

    Comparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu

    Entre outros recursos, ele tem suporte para a realização de comparação de arquivo binário, identificador de links simbólicos, copiar atributos estendidos de NTFS e permissões de segurança, cópia de arquivo à prova de falhas, inclui/excluir arquivos via filtro, tem desempenho em tempo de execução otimizada, relatório de erros detalhado e pode automatizar trabalho em lotes.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o FreeFileSync

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu comparar e sincronizar pastas

    Para instalar o FreeFileSync no Ubuntu comparar e sincronizar pastas, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:eugenesan/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install freefilesync

    Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite freefilesync no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o FreeFileSync no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o FreeFileSync no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:eugenesan/ppa --remove
    sudo apt-get remove freefilesync
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como baixar legendas automaticamente no Nautilus ou Nemo com Subliminal

    Depois de mostrar como o baixar legendas automaticamente no Nautilus ou Nemo com Periscope, é hora vermos com fazer isso usando o Subliminal em conjunto com o gerenciador de arquivos Nautilus ou Nemo, apenas clicando com o botão direito do mouse sobre um vídeo.


    Subliminal é uma biblioteca python para busca e download de legendas, que vem com uma interface de linha de comando. Ele suporta sites de legendas como Addic7ed, OpenSubtitles, Podnapisi, TheSubDB e TvSubtitles.

    Como baixar legendas automaticamente no Nautilus ou Nemo com Subliminal

    Abaixo você encontrará instruções sobre como instalar Subliminal no Ubuntu ou derivados e como adicionar um script no Nautilus ou Nemo, para que você possa facilmente baixar legendas usando Subliminal, a partir do menu de contexto de qualquer um desses dois gerenciadores de arquivos.

    Conheça melhor o Subliminal

    Para saber mais sobre o Subliminal, clique nesse link.

    Como baixar legendas automaticamente no Nautilus/Nemo com Subliminal

    Para poder baixar legendas automaticamente no Nautilus/Nemo com Subliminal, você precisa instalar o programa e um script para o Nautilus ou Nemo (o script é necessário para que a opção seja exibida no menu de contexto desses gerenciadores de arquivos). Para isso, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Primeiro instale o python-pip com este comando:

    sudo apt-get install python-pip

    Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo pip install subliminal

    Passo 4. Usar Subliminal na linha de comando é muito fácil: você só precisa especificar o idioma da legenda usando o parâmetro “l” e o arquivo (s) de vídeo para o qual ele deve baixar o subtítulo. Aqui está um exemplo de como o download de legendas para um episódio de The Big Bang Theory (exemplo tirado da página do Subliminal no GitHub):

    subliminal -l en -- The.Big.Bang.Theory.S05E18.HDTV.x264-LOL.mp4

    O resultado será o seguinte:

    Collecting videos  [####################################]  100%
    1 video collected / 0 video ignored / 0 error
    Downloading subtitles  [####################################]  100%
    Downloaded 1 subtitle
    

    Passo 5. Se você usa o Nautilus, para ser capaz de baixar as legendas usando Subliminal no menu de contexto desse gerenciador de arquivos no Ubuntu 14.04 ou mais recente, use os comandos abaixo. Os comandos a seguir irão instalar uma dependência, criar a pasta scripts, baixar um script Nautilus nessa pasta, tornar o script executável e finalmente, reiniciar o Nautilus;

    sudo apt-get install wget libnotify-bin
    mkdir -p ~/.local/share/nautilus/scripts
    wget https://raw.githubusercontent.com/hotice/webupd8/master/download-subtitle -O ~/.local/share/nautilus/scripts/download-subtitle
    chmod +x ~/.local/share/nautilus/scripts/download-subtitle
    nautilus -q

    Passo 6. Se você usa o Nautilus, para ser capaz de baixar as legendas usando Subliminal no menu de contexto desse gerenciador de arquivos no Ubuntu 12.10, use os comandos abaixo. Os comandos a seguir irão instalar uma dependência, criar a pasta scripts, baixar um script Nautilus nessa pasta, tornar o script executável e finalmente, reiniciar o Nautilus;

    sudo apt-get install wget libnotify-bin
    mkdir -p ~/.gnome2/nautilus-scripts
    wget https://raw.githubusercontent.com/hotice/webupd8/master/download-subtitle -O ~/.gnome2/nautilus-scripts/download-subtitle
    chmod +x ~/.gnome2/nautilus-scripts/download-subtitle
    nautilus -q

    Passo 7. Se você usa o Nautilus, para ser capaz de baixar as legendas usando Subliminal no menu de contexto desse gerenciador de arquivos no Ubuntu 12.04, use os comandos abaixo. Os comandos a seguir irão instalar uma dependência, criar a pasta scripts, baixar um script Nautilus nessa pasta, tornar o script executável e finalmente, reiniciar o Nautilus;

    sudo apt-get install wget libnotify-bin
    mkdir -p ~/.gnome2/nemo-scripts
    wget https://raw.githubusercontent.com/hotice/webupd8/master/download-subtitle -O ~/.gnome2/nemo-scripts/download-subtitle
    chmod +x ~/.gnome2/nemo-scripts/download-subtitle
    nemo -q

    Passo 8. Para definir o idioma da legenda usado pelo script no Nautilus em um Ubuntu 14.04 ou mais recente, abra o arquivo com um editor de texto usando o comando abaixo e altere o parâmetro do idioma de “en” para aquele que você deseja usar, em seguida, salve e feche o arquivo :

    gedit ~/.local/share/nautilus/scripts/download-subtitle

    .
    Passo 9. Para definir o idioma da legenda usado pelo script no Nautilus em um Ubuntu 12.04, abra o arquivo com um editor de texto usando o comando abaixo e altere o parâmetro do idioma de “en” para aquele que você deseja usar, em seguida, salve e feche o arquivo :

    gedit ~/.gnome2/nemo-scripts/download-subtitle

    .
    Passo 10. Para definir o idioma da legenda usado pelo script no Nemo em um Ubuntu 12.04, abra o arquivo com um editor de texto usando o comando abaixo e altere o parâmetro do idioma de “en” para aquele que você deseja usar, em seguida, salve e feche o arquivo :

    gedit ~/.gnome2/nemo-scripts/download-subtitle

    Então, para usar baixar legendas automaticamente no Nautilus ou Nemo com Subliminal, clique com o botão direito do mouse em um arquivo de vídeo (ou vários arquivos de vídeo) e selecione Scripts> e download-subtitle, como você pode ver nas imagens acima.

    Como baixar legendas automaticamente no Nautilus ou Nemo com Subliminal

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Alternativa ao Microsoft Exchange: conheça Citadel

    Alternativa ao Microsoft Exchange: conheça Citadel

    Se você está procurando uma alternativa ao Microsoft Exchange, conheça e instale o Citadel, uma solução de código aberto e uma ótima opção para resolver seu problema.


    O Microsoft Exchange é atualmente uma das soluções comerciais mais conhecidas e utilizadas para colaboração on-line entre vários usuários. Felizmente, os usuários de Linux tem várias alternativas ao Microsoft Exchange, como o Citadel, um projeto open source que está incluído nos repositórios oficiais das principais distribuições Linux.

    Alternativa ao Microsoft Exchange: conheça Citadel

    Citadel fornece uma plataforma completa que permite compartilhar e-mail, calendário, notas, catálogo de endereços etc. Nele os usuários têm acesso a ferramentas de mensagens instantâneas, servidor de lista de discussão e muitas outras funcionalidades como o suporte para múltiplos domínios.

    Alternativa ao Microsoft Exchange: conheça Citadel

    Alternativa ao Microsoft Exchange: conheça Citadel

    Simples e funcional Citadel tem uma interface web que permite o acesso de qualquer dispositivo em rede em uma rede local ou remotamente (também pode ser acessados remotamente), observe também que é possível operar a plataforma mesmo de linha de comando (uma excelente solução para servidor ou para o acesso via SSH).

    Conheça melhor o Citadel

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Alternativa ao Microsoft Exchange: Como instalar o Citadel no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Citadel no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Execute a Central de programas, procure pelo Citadel e instale-o;
    Passo 2. Se preferir, abra um terminal e use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install citadel-suite

    Passo 3. Durante a instalação, você será solicitado para definir algumas configurações da plataforma. Responda as perguntas e em pouco tempo o programa está funcionando no seu sistema.

    Alternativa ao Microsoft Exchange: conheça Citadel

    Pronto! Agora, quando quiser configurar o serviço, abra um navegador e digite o endereço http://127.0.0.1:2000/ e tecle enter.

    Quando for perguntado, conecte-se com o usuário que você especificou como usuário administrador durante a instalação.

    Desinstalando o Citadel no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Citadel no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove citadel-suite
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

    Gosta do visual do Lubuntu? Então, que tal usar o ícones dele no seu sistema? Para isso, veja como instalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e seus derivados.


    Lubuntu-Box icon set é um elegante e bem desenhado conjunto de ícones criado pela equipe do Lubuntu para seu sistema operacional.

    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

    Para alcançar esse objetivo, eles fazem um trabalho árduo em cada pixel dos ícones. Nesse trabalho extremamente difícil, cada ícone está sendo retocada pixel por pixel, para obter uma interface agradável e o usuário possa se sentir confortável com o seu desktop.

    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

    Conheça melhor o conjunto de ícones Lubuntu-Box

    Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Lubuntu-Box usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install lubuntubox

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Como instalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, basta fazer o download do instalador .deb diretamente nesse link, e depois clicar nele para instalar manualmente. Ou faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o conjunto de ícones Lubuntu-Box. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome lubuntubox.deb:

    wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/icons/+files/lubuntubox_0.5.6~xenial~NoobsLab.com_all.deb -O lubuntubox.deb

    Passo 3. Agora instale o conjunto de ícones Lubuntu-Box com o comando:

    sudo dpkg -i lubuntubox.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do tema.

    Desinstalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Lubuntu-Box, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove lubuntubox

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    22 de março de 2017

    Como instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu

    Como instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu

    Precisa editar livros eletrônicos no formato EPUB? Então veja como instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu.


    Sigil é um editor de EPUB de código aberto para, que permite criar e modificar livros eletrônicos nesse formato.

    Como instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu

    Ele funciona em Windows, Mac OS X e Linux, além de suportar edição baseada em código tanto modo visual (WYSIWYG) e de arquivos EPUB, bem como a importação de HTML e arquivos de texto simples.

    Como instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu

    Principais características do editor de EPUB Sigil

    • Suporte completo a especificação UTF-16 e EPUB 2;
    • Multiplas visualizações: livro (book), código (code) e pré-visualização (preview view);
    • Edição WYSIWYG na visualização livro (book);
    • Gerador de índice com suporte a cabeçalho/título multinível;
    • Editor de metadados com suporte completo para todas as entradas de metadados;
    • A verificação ortográfica com padrão e usuário dicionários configuráveis;
    • Expressão regular (PCRE): Suporte completo para localizar e substituir;
    • Suporta importação de arquivos EPUB e HTML, imagens e folhas de estilo;
    • API Integrada de editores HTML e gráficos externos.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Novidades da versão mais recente do editor de EPUB Sigil

    Destaques do release do Sigil 0.9.8:

  • Suporte PyQt5 para plugins;
  • Novo menu de preferências para ajustar o tamanho dos ícones principais do Sigil ao seu gosto;
  • Uma correção importante para problemas relacionados a temp_folder no Windows;
  • Adicionada propriedades de manifesto às dicas de ferramentas do Book Browser;
  • Disponibilizada as configurações de idioma da UI e do verificador ortográfico do Sigil para os plugins;
  • Várias correções de erros.
  • Para ver mais detalhes, leia o anúncio.

    Conheça melhor o editor de EPUB Sigil

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu e em sistemas derivados

    Para instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Para instalar em versões anteriores ao Ubuntu 15.10, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:i2p.packages/i2p

    Passo 3. Se quiser instalar no Ubuntu 15.10 ou 16.04, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/sigil

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install sigil

    Como instalar o editor de EPUB Sigil manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link ou nesse linke instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite sigil no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

    Desinstalando o editor de EPUB Sigil no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o editor de EPUB Sigil no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:i2p.packages/i2p --remove
    sudo apt-get remove sigil
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu

    Como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu

    Foi lançada mais uma versão do editor de vídeo LiVEs. Se você quiser experimentar essa versão, veja aqui como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu.


    O editor de vídeo LiVEs é um software livre e também uma ferramenta para VJ escrita em C, Perl e Python. LiVES é projetado para ser simples de usar, mas poderoso, pois ele é pequeno no tamanho, mas tem muitas características avançadas.

    Como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu

    Ele permite ao usuário manipular vídeo em tempo real ou não. O programa também tem características que vão além de aplicativos de edição de vídeo tradicionais, por exemplo, ele pode ser controlado e monitorado remotamente através de uma rede, e tem facilidades para streaming de e para uma outra cópia do LiVEs.

    O programa utiliza um sistema de plugins para reprodução de vídeo, efeitos, codificadores e decodificadores. As APIs para estes agora estão bem definidas e por causa disso, o aplicativo pode ser facilmente estendido.

    Conheça melhor o editor de vídeo LiVEs

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu e seus derivados

    LiVEs está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install lives. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install lives

    Como instalar o editor de vídeo LiVEs manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, basta fazer o download do instalador .deb diretamente nesse link, e depois clicar nele para instalar manualmente.

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite lives no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Como desinstalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu e seus derivados

    Caso não tenha gostado ou não precise mais do programa, para desinstalar o editor de vídeo LiVEs, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Use o comando abaixo para desinstalar o programa;

    sudo apt-get remove lives
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a versão mais recente do ambiente Cinnamon no Ubuntu

    Como instalar ambiente Cinnamon 3.0 no Ubuntu 16.04/15.10

    Um dos principais ambientes gráficos padrão do Linux Mint foi atualizado recentemente. Conheça as novidades e veja como instalar a versão mais recente do ambiente Cinnamon no Ubuntu.


    Cinnamon é um dos ambientes gráficos padrão do Linux Mint. Bastante parecido com o Gnome (até porque se baseia muito nesse ambiente), ele tem um visual fácil de usar e um leiaute familiar.

    Como instalar a versão mais recente do ambiente Cinnamon no Ubuntu

    Além disso, no Cinnamon você pode mudar a forma como o ambiente de trabalho funciona, o visual e o comportamento dele.

    Principais características do Cinnamon

    • Um painel inferior único que você pode configurar para ficar oculto automaticamente;
    • Lista de janelas, botão para “mostrar área de trabalho”, ícones systray e outros recursos comuns em ambientes graficos mais populares;
    • Um menu com o mesmo leiaute do Menu do LinuxMint, com opções para adicionar aplicações aos favoritos, para o desktop ou para o painel;
    • Personalização de lançadores de painel;
    • Um applet de som que lhe permite executar e controlar a sua música, e mudar o som dos alto-falantes para os fones e vice-versa.

    Últimas novidades do ambiente Cinnamon

    Cinnamon 3.2 vem com centenas de alterações, traz suporte para painéis verticais, a capacidade de reproduzir efeitos sonoros ao exibir notificações, applet Teclado renovado, uma configuração para as novas animações de menu, e para completar:

  • Novo recurso “Peek at desktop”;
  • Melhorias do alternador de espaço de trabalho;
  • gerenciador de plano de fundo simplificado;
  • Navegação por teclado para menus de contexto;
  • Appindicators atualizados e configurações;
  • Suporte para exibir porcentagem ao lado do controle deslizante de volume
  • Funcionalidade Hover delay para hot corners (cantos quentes).
  • Para mais detalhes, consulte o changelog

    Conheça melhor o ambiente Cinnamon

    Para saber mais sobre esse ambiente, clique nesse link.

    Como instalar a versão mais recente do ambiente Cinnamon no Ubuntu

    Para instalar a versão mais recente do ambiente Cinnamon no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu 15.10/16.04/16.10, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:embrosyn/cinnamon

    Passo 3. Se você estiver usando o Ubuntu 14.04, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository -y ppa:gwendal-lebihan-dev/cinnamon-nightly

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install cinnamon

    Saia da sessão atual e quando aparecer a tela de login, escolha o Cinnamon. Entre com seu usuário e senha, e depois comece a experimentar o ambiente.

    Como instalar a versão mais recente do ambiente Cinnamon no Ubuntu

    Resolvendo problemas do ambiente Cinnamon 3.x no Ubuntu 16.10/16.04/15.10

    No Ubuntu 16.04, os temas Ambiance e Radiance têm alguns problemas no Cinnamon, para resolver isso, instale o tema Numix GTK Tema usando o seguinte comando:

    sudo apt install numix-gtk-theme

    No Ubuntu 15.10 pode acontecer da opção “Sair” no menu do Cinnamon (que permite desligar o computador) não funcionar corretamente. Para resolver isso, use os seguintes comandos…:

    gsettings set org.cinnamon.desktop.session settings-daemon-uses-logind true
    gsettings set org.cinnamon.desktop.session session-manager-uses-logind true
    gsettings set org.cinnamon.desktop.session screensaver-uses-logind false

    … E depois reinicie a sessão (faça o logout ou reinicie o sistema).

    Existe um problema com o menu de diálogo de desligamento, e você pode corrigir isso usando esses comandos:

    gsettings set org.cinnamon.desktop.session settings-daemon-uses-logind true
    gsettings set org.cinnamon.desktop.session session-manager-uses-logind true
    gsettings set org.cinnamon.desktop.session screensaver-uses-logind false

    Pronto! Agora que você instalou a versão mais recente do ambiente Cinnamon no Ubuntu, aproveite o ambiente.

    Desinstalando o ambiente Cinnamon no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o ambiente Cinnamon no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o ambiente, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get purge --auto-remove cinnamon
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como converter uma instalação do Ubuntu desktop para server

    Como converter uma instalação do Ubuntu desktop para server

    Apesar de não ser o procedimento recomendado, se você tem uma instalação desktop do Ubuntu, veja como converter o Ubuntu desktop para server.


    Embora falar de Ubuntu “desktop” e “server”, possa fazer parecer que existem duas versões do Ubuntu, isso não é verdade. Basicamente só existe um sistema, só que cada instalação traz aplicativos padrão voltados para o uso em PC´s desktop ou servidor.

    Como converter uma instalação do Ubuntu desktop para server

    Melhor ainda, para ter um servidor Ubuntu você não precisa começar do zero, formatando e instalando. Isso porque é possível transformar uma instalação do Ubuntu desktop em servidor de um jeito bem prático.

    Para conseguir isso, siga as instruções a seguir e tenha um servidor Ubuntu em poucos passos.

    Conheça melhor as versões desktop e server do Ubuntu

    Para saber mais sobre o Ubuntu desktop, clique nesse link.
    Para saber mais sobre o Ubuntu server, clique nesse link.

    Convertendo uma instalação do Ubuntu desktop para server

    Para fazer a conversão, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+F1);
    Passo 2. Instale o Aptitude e as ferramentas necessárias para o processo com o comando:

    sudo apt-get install tasksel

    Passo 3. Inicie a remoção do desktop usando o comando abaixo. Essa etapa pode demorar alguns minutos;

    sudo tasksel remove ubuntu-desktop

    Passo 4. Inicie a instalação dos pacotes do server

    sudo tasksel install server

    Passo 5. Instale o kernel do server e outros pacotes necessários;

    sudo apt-get install linux-server linux-image-server

    Passo 6. Remova o gerenciador de login gráfico do Ubuntu;

    sudo apt-get --purge remove lightdm

    Passo 7. Se tudo correu bem, use seu editor de texto preferido para modificar o arquivo de configuração /etc/default/grub, para atualizar as seguintes definições. Você também pode conferir esse outro tutorial sobre essa configuração):

    • Comente a linha GRUB_HIDDEN_TIMEOUT;
    • Mude a linha GRUB_TIMEOUT para GRUB_TIMEOUT=5
    • Mude a linha GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT para GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT=””
    • Mude a linha GRUB_TERMINAL para GRUB_TERMINAL=console

    Como converter uma instalação do Ubuntu desktop para server

    Passo 7. Se quiser, use o seguinte comando:

    sudo vi /etc/default/grub

    Passo 8. Depois de alterar no Vi, digite “:wq” (sem as aspas), para salvar e sair.
    Passo 9. Atualize o Grub com o comando abaixo para usar o Vi;

    sudo update-grub

    Passo 10. Quando a atualização do Grub terminar, você pode reiniciar Ubuntu para começar a utilizar, usando o comando;

    sudo reboot

    Passo 11. Por fim, caso queira usar IP estático no servidor, remova o network-manager executando o comando abaixo e em seguida, edite o arquivo /etc/network/interfaces para configurar a placa de rede;

    sudo apt-get --purge remove network-manager

    Pronto! Seu novo servidor está pronto e já pode ser usado normalmente. Se depois você se arrepender e precisar voltar para o desktop, acesse esse tutorial:

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Finalmente o Netflix adicionou suporte para o Firefox no Linux

    Finalmente o Netflix adicionou suporte para o Firefox no Linux

    Parece noticia repetida, mas não é: Finalmente o Netflix adicionou suporte para o Firefox no Linux. Agora não é preciso fazer mais nada para assistir filmes do Netflix no Linux usando esse navegador.


    Já tem tempo que o Firefox adicionou o suporte aos módulos DRM necessários para reproduzir o Netflix (e outros conteúdos premium) usando HTML5. Mas ainda faltava algo para que funcionasse sem modificações no navegador.

    Finalmente o Netflix adicionou suporte para o Firefox no Linux

    Finalmente o Netflix adicionou suporte para o Firefox no Linux

    Até hoje, os usuários do Linux que desejam assistir Netflix no Firefox usando o HTML5 tinham que enganar o serviço de streaming para fazer o serviço pensar que ele estava sendo acessado pelo Chrome. Essa tarefa exigia a alteração da seqüência de user-agent do navegador, como foi mostrado aqui no blog.

    Este anúncio do Netflix significa que os usuários do Linux não precisam fazer nada de especial para desfrutar do Netflix no Firefox – sem plugins, sem truques, sem barulho.

    Em seu blog, o Netflix disse o seguinte:

    “Há cerca de quatro anos, compartilhamos nossos planos para reproduzir vídeos premium em HTML5, substituindo Silverlight e eliminando a etapa extra de instalar e atualizar plug-ins de navegador”.

    “A partir de hoje, os usuários do Firefox também podem desfrutar do Netflix no Linux.”

    “Desde então, lançamos o vídeo HTML5 no Chrome OS, Chrome, Internet Explorer, Safari, Opera, Firefox e Edge, em todos os sistemas operacionais suportados. E embora nós não suportemos oficialmente o Linux, a reprodução do Chrome funcionou nessa plataforma desde o final de 2014. A partir de hoje, os usuários do Firefox também podem desfrutar do Netflix no Linux. Isso marca um grande marco para nós e nossos parceiros, incluindo o Google, Microsoft, Apple e Mozilla, que ajudaram a torná-lo possível”.

    O Netflix demorou muito tempo para liberar a reprodução correta do vídeo HTML5 com cobertura DRM no Firefox no Linux, mas acho que é melhor tarde do que nunca, certo?

    Como assistir filmes e séries do Netflix no Firefox

    Para poder assistir filmes e séries do Netflix no Firefox primeiramente você precisa ativar o suporte a reprodução de conteúdo com DRM. Isso é necessário porque infelizmente nem sempre a opção vem ativada por padrão.

    Passo 1. Abra o Firefox e clique dentro da caixa de endereço do navegador. Digite “about:preferences” (sem as aspas) e tecle enter. Em seguida, clique na guia “Conteúdo” e marque a opção “Reproduzir com DRM”;

    Como assistir filmes e séries do Netflix no Firefox no Linux

    Para começar a assistir, acesse o site oficial do Netflix, faça login e comece a usar. Simples assim. 🙂

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Que tal experimentar um jogo online e disputar com milhares de jogadores em um mundo virtual dinâmico? Então conheça e veja como instalar o jogo PlaneShift no Linux.


    PlaneShift é um MMORPG de código aberto para Linux, com um mundo de fantasia virtual em 3D e que não têm qualquer conteúdo premium para limitar ou desequilibrar a experiência de jogo.

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Tanto o cliente e servidor são de código aberto e desenvolvido por voluntários.

    A última versão disponível do cliente é PlaneShift 0.6.3, que foi lançada há um tempo atrás. E nesse tutorial, você verá como instalar ele nas principais distribuições Linux.

    A boa notícia é que os requisitos mínimos do jogo são bem baixos:

  • Kernel 2.6 ou superior;
  • Glibc 2.3 ou superior;
  • 512 MB de RAM (1024MB ou superior recomendado):
  • Placa de vídeo com 64 MB de memória dedicada (128 MB ou superior recomendado):
  • Conexão 56kbps internet (128kbps ou superior recomendado).
  • Conheça melhor o jogo PlaneShift

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
    Para saber mais detalhes sobre essa versão, acesse a nota de lançamento.

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Para instalar o jogo PlaneShift no Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use um dos comandos abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome PlaneShift.run:

    wget -O PlaneShift.run http://mirror.osmmo.org/planeshift/PlaneShift-v0.6.3-x86.run
    wget -O PlaneShift.run http://noether.1tau.de/planeshift/PlaneShift-v0.6.3-x86.run
    wget -O PlaneShift.run http://mirroring.psde.de/PlaneShift-v0.6.3-x86.run
    wget -O PlaneShift.run http://mirrors.redlem.com/PlaneShift/PlaneShift-v0.6.3-x86.run

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use um dos comandos abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome PlaneShift.run:

    wget -O PlaneShift.run http://mirror.osmmo.org/planeshift/PlaneShift-v0.6.3-x64.run
    wget -O PlaneShift.run http://noether.1tau.de/planeshift/PlaneShift-v0.6.3-x64.run
    wget -O PlaneShift.run http://mirroring.psde.de/PlaneShift-v0.6.3-x64.run
    wget -O PlaneShift.run http://mirrors.redlem.com/PlaneShift/PlaneShift-v0.6.3-x64.run

    Passo 5. Torne o arquivo executável com o comando:

    sudo chmod +x PlaneShift.run

    Passo 6. Agora use o comando abaixo para executar o instalador com privilégios de administrador. Se quiser instalar em um pasta comum, use apenas a segunda parte do comando;

    sudo ./PlaneShift.run

    Passo 7. Na primeira tela, selecione a linguagem (no caso do Brasil: 21) e depois tecle enter;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Passo 8. A seguir, tecle Enter novamente para ver os termos do acordo de licença de uso;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Passo 9. Vá teclando Enter até aparecer a pergunta “Você aceita esta licença?”. Digite y e novamente, tecle Enter;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Passo 10. Depois, será perguntado onde você instalar o jogo. Se quiser mudar o padrão (por exemplo, para instalar em uma pasta comum e não precisar usar privilégios de administrador), digite a pasta e tecle Enter.  Caso contrário, apenas tecle Enter;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Passo 11. Serão exibidos os requisitos mínimos. Verifique se seu PC é adequado e tecle Enter, para continuar;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Passo 12. Na próxima pergunta, digite 2 e tecle Enter;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Passo 13. A seguir, digite a opção correspondente ao ambiente gráfico que você está usando e depois tecle Enter;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Passo 14. Na próxima pergunta, digite a primeira opção e tecle Enter;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Passo 15. Responda as próximas perguntas com a opção correspondente ao “Yes” e depois aguarde o jogo ser instalado;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    Passo 16. Inicie o o jogo, digitando /opt/PlaneShift/./psclient em um terminal. Na tela que aparece, digite seus dados e clique no botão “Login”;

    Como instalar o jogo PlaneShift no Linux

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar versão mais recente do DVDStyler no Ubuntu

    Como instalar versão mais recente do DVDStyler no Ubuntu

    Quer criar DVD no Linux ou manipular arquivos desse formato? Então veja como instalar o DVDStyler no Ubuntu e sistemas derivados.


    O DVDStyler é um software de código aberto e totalmente gratuito. Ele é uma ferramenta multiplataforma voltada para quem quer criar DVDs com aparência profissional.

    Como instalar versão mais recente do DVDStyler no Ubuntu

    O programa permite não só a queima de arquivos de vídeo em DVD, que podem ser reproduzidos em praticamente qualquer aparelho de DVD independente, mas também a criação de menus de DVD concebidos individualmente.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Além disso, o DVDStyler também suporta taxa de bits variável de codificação (VBR) por padrão.

    Como instalar versão mais recente do DVDStyler no Ubuntu

    Conheça melhor o DVDStyler

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o DVDStyler no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o DVDStyler no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/dvdstyler

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install dvdstyler

    Como instalar o DVDStyler manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite dvdstyler no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o DVDStyler no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o DVDStyler no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o DVDStyler, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/dvdstyler --remove
    sudo apt-get remove dvdstyler
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o Google Earth no Ubuntu usando um script

    Como instalar o Google Earth no Ubuntu usando um script

    Já mostrei a instalação do Google Earth baixando os pacotes diretamente, mas se você não quer fazer nada disso, veja como instalar o Google Earth no Ubuntu usando um script que automatiza tudo.


    Google Earth é um globo virtual, mapa e um programa de informação geográfica. Ele é um aplicativo gratuito que permite aos usuários voar a partir do espaço para o seu bairro, procurar escolas, restaurantes, parques e hotéis, obter instruções de direção, e muito mais.

    Como instalar o Google Earth no Ubuntu usando um script

    O programa entrega imagens da terra e outras informações geográficas a direita em seu desktop. Com ele, você pesquisa e descobre o planeta, pois ele permite que você faça uma viagem virtual para qualquer lugar do mundo.

    Veja imagens de satélite, edifícios em 3D, árvores em 3D, terreno, Street View, planetas e satélites (Marte e Lua). Explore construções em 3D, imagens e terrenos, encontre cidades, lugares e empresas locais e muito mais.

    Conheça melhor o Google Earth

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Google Earth no Ubuntu usando um script

    Para instalar o Google Earth no Ubuntu usando um script, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Baixe o script com o comando abaixo;

    wget http://drive.noobslab.com/data/apps/google-earth/google-earth.sh -O google-earth.sh

    Passo 3. Em seguida, use o comando abaixo para dar permissão de execução para o script;

    chmod +x google-earth.sh

    Passo 4. Execute o script;

    sudo ./google-earth.sh

    Passo 4. Se você visualizar fontes feias no Google Earth, instale o pacote msttcorefonts com o seguinte comando;

    sudo apt-get install msttcorefonts

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite google no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Como instalar o Google Earth no Ubuntu usando um script

    Desinstalando o Google Earth no Ubuntu, Debian e derivados

    Para desinstalar o Google Earth no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove google-earth-stable
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmente

    Como instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmente

    Está precisando ter uma determinada fonte em seu sistema? Então veja como instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmente, e resolva seu problema.


    Fontes são um recurso que podem fazer toda diferença em um texto. E para muitos usuários, quanto mais fontes, melhor. Para esses, o Ubuntu já traz boas fontes e ainda permite instalar outras.

    Como instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmente

    Independente se você quer instalar fontes da Microsoft ou Google web fonts para uso off-line, ou você apenas encontrou uma fonte favorita na web e deseja instalar ela no Ubuntu, neste tutorial, você verá como instalar os arquivos de fonte (.ttf, .ttc) baixados da web, da página de fontes do Google, ou copiados de um PC com o sistema operacional Windows.

    Como instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmente

    Para instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmente, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Se ainda não tiver feito isso, baixe as fontes salve-as na pasta Downloads;
    Passo 2. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 3. Em seguida, use o comando abaixo para criar uma sub pasta ms_fonts no diretório fonts;

    sudo mkdir /usr/local/share/fonts/ms_fonts

    Passo 3. Mova todos os arquivos de fonte do seu diretório de downloads para a nova pasta criada:

    sudo mv ~/Downloads/*.ttc ~/Downloads/*.ttf /usr/local/share/fonts/ms_fonts/

    Passo 4. Defina as permissões para esses arquivos executando os comandos abaixo, um por um:

    sudo chown root:staff /usr/local/share/fonts/ms_fonts -R
    sudo chmod 644 /usr/local/share/fonts/ms_fonts/* -R
    sudo chmod 755 /usr/local/share/fonts/ms_fonts

    Passo 5. Finalmente compile os caches de informações de fonte para aplicativos que usam fontconfig para o seu tratamento de fontes:

    sudo fc-cache -fv

    Pronto! Agora você pode aplicar novas fontes instaladas usando a ferramenta Unity Tweak Tool:

    Como instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmente

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

    Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

    Baixou uma imagem ISO do Ubuntu e quer colocar o conteúdo dela em um pendrive? Então veja aqui como criar um pendrive de instalação.


    Ter uma distribuição Linux num pendrive é um recurso interessante para quem vive mexendo em outros computadores. Além da grande portabilidade proporcionada e da praticidade da mídia, está cada vez mais fácil usar pendrive para iniciar um sistema.

    Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

    Por isso, nada melhor do que criar um disco de instalação do Ubuntu e depois usá-lo para instalar, consertar sistemas danificados ou infectados, ou simplesmente testar o sistema e suas futuras versões.

    Para fazer essa tarefa, será usado o Criador de discos de inicialização ou USB Creator, um aplicativo que é muito fácil de usar, porque funciona como um assistente. Melhor ainda, desde a versão 8.10 do Ubuntu, esse programa já vem pré-instalado no Ubuntu.

    Conheça melhor o USB Creator

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Verifique se a imagem ISO está corrompida

    Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
    Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

    Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

    Para criar um pendrive de instalação do Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Clique no Dash e digite criador. Quando aparecer o ícone do “Criador de discos de inicialização”, clique nele para executá-lo:

    Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

    Passo 2. Dentro do programa, clique no botão “Outro…”. Na tela que aparece, vá para a pasta onde está a imagem ISO e clique nela. Depois, clique no botão “Abrir”;

    Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

    Passo 3. Se o pendrive ainda não estiver formatado ou quiser “limpar” ele, clique no botão “Apagar disco”. Quando solicitado, confirme e informe a autorização necessária para fazer a formatação;

    Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

    Passo 4. Para iniciar a criação do disco, clique no botão “Criar disco de inicialização”;

    Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

    Passo 5. Aguarde. Quando finalizar, você já pode ejetar o pendrive e então usá-lo a vontade.

    Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

    Como gravar uma imagem ISO no Linux

    Essa ferramenta também pode ser usada para criar mídias inicializáveis de outras distribuições. E se ele não servir para a que você precisa, experimente esse outros tutoriais:

    Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
    Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
    Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o Sysmonitor Indicator

    Como instalar o Sysmonitor Indicator

    Está precisando ficar de olho nos recursos do seu PC? Então veja como instalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e sistemas derivados, para não ultrapassar os limites do seu computador.


    Sysmonitor Indicator é um utilitário que permite ficar de olho na carga da CPU, uso de memória RAM e capacidade da bateria, sem precisar abrir nenhum programa.

    Como instalar o Sysmonitor Indicator

    Embora seja semelhante ao indicador Multiload (que também é uma excelente ferramenta), Sysmonitor evita recursos gráficos mais sofisticados, como gráficos de uso e opções de tema.

    Em vez disso, o aplicativo oferece uma abordagem mais extensível, permitindo que os usuários adicionem e personalizem os comandos de sensores de exibição.

    Conheça melhor o Sysmonitor Indicator

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:fossfreedom/indicator-sysmonitor

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install indicator-sysmonitor

    Como instalar o Sysmonitor Indicator manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite indicator-sysmonitor no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Ao executar o programa, aparecerá um applet indicador no canto superior direito (1). Use-o para acessar as preferências do programa (2). Marque a opção “Run on Startup” (3) para o aplicativo iniciar automaticamente junto com o sistema. Finalmente, clique no botão “Salvar”(4).

    Como instalar o Sysmonitor Indicator

    Quando quiser, volte nas preferencias do app e entre na aba “Advanced”. Nela você pode escolher as informações do sensor que o applet deverá exibir, como ele exibirá e quantas vezes ele deverá atualizar.

    Como instalar o Sysmonitor Indicator

    Desinstalando o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:fossfreedom/indicator-sysmonitor --remove
    sudo apt-get remove indicator-sysmonitor
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    De vez em quando é sempre bom dar uma mudada no visual dos ícones do ambiente gráfico, até para sair da rotina mesmo. Pensando nisso, que tal experimentar o conjunto de ícones FFW-Fast-Forward?


    O pacote de ícones FFW-Fast-Forward é baseado no Hydroxygen. O criador deste conjunto trabalhou em cada ícone, por isso que cada um deles é tão bem desenhado e eles ficam elegantes com todo o tipo de tema, seja ele claro ou escuro.

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Veja algumas imagens dos ícones

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Conheça melhor o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward

    Para saber mais sobre o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward, clique nesse link.

    Instalando o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons2

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o pacote com o comando abaixo:

    sudo apt-get install ffw-icons

    Como instalar o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome ffw-icons.deb:

    wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/icons2/+files/ffw-icons_2.0.1~xenial~NoobsLab.com_all.deb -O ffw-icons.deb

    Passo 3. Agora instale o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward com o comando:

    sudo dpkg -i ffw-icons.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do pacote com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove ffw-icons

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    21 de março de 2017

    Como instalar o tema Yosembiance no Ubuntu

    Como instalar o tema Yosembiance no Ubuntu

    Se você gosta do tema Ambiance mas também de temas planos, conheça e veja como instalar o tema Yosembiance no Ubuntu.


    Modificado por Brain Sundman, Yosembiance é uma versão suavizada e ligeiramente plana do tema padrão do Ubuntu, o Ambiance. Ele está disponível nas versões laranja e azul.

    Como instalar o tema Yosembiance no Ubuntu

    Como instalar o tema Yosembiance no Ubuntu

    O tema foi atualizado recentemente e já é compatível com o Ubuntu 16.04. Por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o tema Yosembiance

    Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

    Instalando o tema Yosembiance no Ubuntu e derivados

    Para instalar o tema Yosembiance no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o tema Yosembiance usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install yosembiance-gtk-theme

    Como instalar o tema Yosembiance manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome yosembiance.deb:

    wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/themes/+files/yosembiance-gtk-theme_2.5~xenial~NoobsLab.com_all.deb -O yosembiance.deb

    Passo 3. Agora instale o tema com o comando:

    sudo dpkg -i yosembiance.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o tema Yosembiance no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o tema Yosembiance no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o tema Yosembiance, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove yosembiance-theme

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

    Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

    Quer instalar a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no seu sistema? Então veja como fazer para ter o Kdenlive no Ubuntu e derivados.


    Kdenlive é um editor de vídeo gratuito aberto para GNU/Linux e FreeBSD, que suporta AVCHD, DV e HDV. O programa depende de vários outros projetos open source, como o FFmpeg, o MLT video framework e Frei0r effects.

    Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

    Como cineastas modernos precisam misturar diferentes tipos de mídia, incluindo vídeo, áudio e imagens, Kdenlive é construído em cima do MLT video framework e ffmpeg, que proporcionam recursos exclusivos para misturar praticamente qualquer tipo de mídia.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o editor de vídeos Kdenlive

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Conheça melhor o editor de vídeos Kdenlive, assistindo esse vídeo:

    Já sabe usar o Kdenlive? Veja como colocar uma explosão em um vídeo:

    Como instalar a mais recente versão estável do editor de vídeos Kdenlive

    Para instalar a mais recente versão estável do editor de vídeos Kdenlive e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository sudo add-apt-repository ppa:kdenlive/kdenlive-stable

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install kdenlive

    Como instalar a mais recente versão estável do editor de vídeos Kdenlive manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Como instalar a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive

    Para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:sunab/kdenlive-release

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install kdenlive

    Como instalar o editor de vídeos Kdenlive manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite kdenlive no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:sunab/kdenlive-release --remove

    ou

    sudo add-apt-repository ppa:kdenlive/kdenlive-stable --remove
    sudo apt-get remove kdenlive
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o cliente Infinit no Linux

    Como instalar o cliente Infinit no Linux

    Quer transferir arquivos sem complicações ou limitações de tamanho? Experimente Infinit. Para isso, veja como instalar o cliente Infinit no Linux.


    Existem muitos serviços web dedicados ao compartilhamento ou sincronização de arquivos e que também fornecem um cliente para Linux. Entre os mais conhecidos e utilizados estão, por exemplo, o Dropbox, o MEGA, o Google Drive (embora este último não tenha um cliente oficial para Linux), OneDrive e muitos mais.

    Como instalar o cliente Infinit no Linux

    Como alternativa, também podemos usar o Infinit, um serviço que procura facilitar ao máximo o compartilhamento de arquivos entre vários dispositivos, proporcionando excelente estabilidade e velocidade de uploads e downloads.

    Infinit permite transferir arquivos de mídia entre vários PC’s, sem qualquer limite de tamanho. Ele também torna possível transferir arquivos para outras pessoas através do envio de um link, que eles podem usar quando quiser, para baixar arquivos (neste caso, pode enviar arquivos de até 1 GB).

    Como instalar o cliente Infinit no Linux

    Até então disponível apenas para dispositivos móveis (Android e iOS) e PCs com Microsoft Windows ou Apple Mac OS X, o programa agora também possui uma versão para Linux de seu cliente oficial.

    Esse cliente Infinit para Linux ainda está em desenvolvimento, e atualmente está disponível apenas como um pacote para Debian de 64 bits. Futuramente ele suportará outras distribuições. Até lá, siga o procedimento abaixo para instalar o cliente Infinit no Linux.

    Conheça melhor o cliente Infinit

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
    Para ver o cliente Infinit em ação, assista o vídeo abaixo:

    Como instalar o cliente Infinit no Linux

    Para instalar o cliente Infinit no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/infinit*
    sudo rm -Rf /usr/bin/infinit
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/infinit.desktop

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome infinit.deb;

    wget https://infinit.io/downloads/infinit_0.9.39_amd64.deb -O infinit.deb

    Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    ar vx infinit.deb
    sudo tar -xzvf data.tar.gz -C /

    Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

    sudo mv /opt/infinit*/ /opt/infinit

    Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -sf /opt/infinit/bin/Infinit /usr/bin/infinit

    Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=infinit\n Exec=/opt/infinit/bin/Infinit\n Icon=/ \n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/infinit.desktop

    Se depois você precisar desinstalar o programa, basta fazer o segundo passo do procedimento acima.

    Instalando o cliente Infinit no Debian e seus derivados

    Como o pacote disponibilizado é voltado para o Debian e seus derivados, veja abaixo como instalar ele nesses sistemas:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome infinit.deb;

    wget https://infinit.io/downloads/infinit_0.9.39_amd64.deb -O infinit.deb

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i infinit.deb

    Passo 5. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 6. Se mais tarde você precisar desinstalar, use o comando abaixo;

    sudo apt-get remove infinit

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite infinit em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/infinit.desktop
    cp /usr/share/applications/infinit.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/infinit.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como remover o Unity do Ubuntu definitivamente

    Como remover o Unity do Ubuntu definitivamente

    Você até tentou se adaptar ao Unity, mas não deu. Já até instalou outro ambiente gráfico no Ubuntu (talvez seguindo umas dicas aqui do Blog). Agora, é chegado momento de se livrar de vez do antigo ambiente. Para ajudá-lo nessa tarefa, mostrarei como remover o Unity definitivamente.


    O Unity é o ambiente padrão do Ubuntu, mas infelizmente, ele nunca foi unanimidade entre os usuários. Tanto é, que apareceram muitas distribuições baseadas no sistema da Canonical, só que usando outros ambientes, além de usuários perguntando sobre como fazer para remover o Unity.

    Como remover o Unity do Ubuntu definitivamente

    Mas graças ao gerenciamento de pacotes do Ubuntu (herdado do Debian, claro), não é preciso ser tão radical apenas para mudar de ambiente, como você verá a seguir.

    Antes de começar a remover o Unity, quero informar aos usuários que gostam do Unity, que não tenho contra esse ambiente (até uso na maior parte do tempo), estou apenas levando opções para aqueles que não gostam dele.


    Atenção! Como o Unity é um item essencial do Ubuntu, as vezes sua remoção pode levar também outros aplicativos importantes do sistema. Por isso, faça a remoção por sua própria conta e risco. E se algo der errado, use o procedimento “Como instalar o Unity novamente”, que está nesse mesmo tutorial.

    Conheça melhor o Unity

    Para saber mais sobre esse ambiente (antes de removê-lo), clique nesse link.

    Como remover o Unity definitivamente

    Para remover o Unity no Ubuntu definitivamente, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Se estiver no Unity, feche a sessão e abra uma nova em outro ambiente (só por segurança);
    Passo 2. Dentro do outro ambiente, abra um terminal;
    Passo 3. Para remover o Unity do Ubuntu todos os seus componentes, execute o seguinte comando no terminal:

    sudo apt-get remove unity unity-asset-pool unity-control-center unity-control-center-signon unity-gtk-module-common unity-lens* unity-services unity-settings-daemon unity-webapps* unity-voice-service

    Passo 4. Para remover definitivamente os pacotes relacionados ao Unity, execute o seguinte comando a seguir.

    sudo apt-get autoremove

    Agora que você removeu o Unity, pode ficar usando o ambiente atual ou experimentar outros, para isso, dê uma olhada nesse série:
    Não quero usar Unity, prefiro outro ambiente

    Como instalar o Unity novamente

    Se depois você se arrepender e quiser reinstalar o ambiente Unity novamente, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale o unity com esse comando;

    sudo apt-get install ubuntu-desktop 

    Passo 3. Uma vez instalado, saia da sessão atual. Quando aparecer a tela de login, clique no circulo ao lado do nome de usuário. Na lista que será exibida, escolha a opção “Ubuntu”. Depois, entre com seu usuário e senha, para iniciar uma sessão no Unity.

    Se mesmo com as instruções acima, seu sistema insistir em não instalar e iniciar o Unity, experimente usar as instruções desse outro tutorial:
    Como consertar o erro ‘Failed To Start Session’ no Login no Ubuntu

    Pronto! Agora que você já sabe como remover o Unity e até reinstalar, dá para fazer isso quando bem entender.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como carregar iPhone ou iPad rapidamente via USB no Ubuntu com o iPad Charge

    Como carregar iPhone ou iPad rapidamente via USB no Ubuntu com o iPad Charge

    Se você vive deixando o seu iPad plugado na USB do PC e ele não carrega a bateria ou carrega lentamente, experimente instalar o iPad Charge para carregar iPhone ou iPad rapidamente.


    iPad Charge é uma alternativa Linux para o utilitário do Windows ASUS Ai Charger, que permite carregar o seu iPad a partir de portas USB que normalmente não oferecem energia suficiente para carregar corretamente o tablet. A ferramenta também pode acelerar o carregamento via portas USB padrão do iPhone e iPod.

    Como carregar iPhone ou iPad rapidamente via USB no Ubuntu com o iPad Charge

    Isto é bastante útil para carregar rapidamente o seu iPad em portas USB que não fornecem energia suficiente e ainda fazem o aparelho exibir a “Not Charging” (Não está carregando) ao lado do ícone da bateria.

    Quando esta mensagem é exibida, o dispositivo na verdade está carregando, mas muito lentamente. No entanto, usando o iPad Charge, o dispositivo deverá carregar muito mais rápido e, como resultado, a mensagem não será exibida.

    No momento, ele é considerado compatível com os seguintes dispositivos: iPad, iPad2, iPad3, iPad4, iPad Mini, iPod Touch 2G, iPod Touch 3G, iPod Touch 4G, iPhone 3GS, iPhone 4, iPhone 4S e iPhone 5. Mas de acordo com um leitor do blog (veja nos comentários), funciona muito bem com o iPhone 6 Plus e um iPad Air (e possivelmente funciona em todos os iPhone/iPad/iPod).

    Para completar, o programa ajuda a resolver o erro que acontece quando o linux tentar monta a partição do iPhone automaticamente

    Conheça Melhor o iPad Charge

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

    Instalando o iPad Charge para carregar iPhone ou iPad ou iPod rapidamente via USB no Ubuntu

    Para instalar o iPad Charge para carregar iPhone ou iPad rapidamente no Ubuntu, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

    sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

    Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Para instalar a atualização, use este comando:

    sudo apt-get install ipad-charge

    Como instalar o iPad Charge manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Usando o iPad Charge para carregar iPhone ou iPad rapidamente via USB no Ubuntu

    O iPad Charge é usado automaticamente quando você conectar um iPhone, iPad ou iPod via USB para que você não precise fazer mais nada.

    Mas se o programa não funcionar de imediato, pode ser necessário reiniciar os sistema depois de instalá-lo. Para evitar a reinicialização, você pode simplesmente execute o comando abaixo para permitir que o seu gadget seja carregado via USB:

    ipad_charge

    Você pode desativar o carregamento do iPhone ou iPad via USB usando o seguinte comando:

    ipad_charge --off

    Para mais informações sobre a utilização do programa, execute esse comando:

    ipad_charge --help

    Desinstalando o iPad Charge no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o iPad Charge no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove ipad-charge

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a versão mais recente do Media Center Kodi no Ubuntu

    Como instalar o Media Center Kodi no Ubuntu

    Já conhece o Kodi? Um multimídia player e central de mídia que anteriormente era conhecido como o XBMC. Se você quiser experimentar a versão, veja aqui como instalar a versão mais recente do Kodi Media Center no Ubuntu.


    Kodi é um novo nome para o projeto XBMC. Atualmente Kodi pode ser usado para reproduzir quase todos os formatos populares de áudio e vídeo.

    Como instalar o Media Center Kodi no Ubuntu

    Ele foi projetado para a reprodução de rede, para que você possa transmitir o seu conteúdo multimídia a partir de qualquer lugar da casa ou diretamente da internet, usando praticamente qualquer protocolo disponível.

    Com o Media Center Kodi você Utiliza a mídia como ela está, pois ele pode reproduzir CDs e DVDs diretamente do arquivo de disco ou de uma imagem, e suporta quase todos os formatos populares de arquivo do seu disco rígido, ele pode até mesmo reproduzir arquivos dentro de arquivos ZIP e RAR.

    O programa pode digitalizar todas as suas mídias e criar automaticamente uma biblioteca personalizada completa com tampas de caixas (box covers), descrições e fanart.

    Há funções de lista de reprodução e apresentação de slides, um recurso de previsão de tempo e muitas visualizações de áudio. Uma vez instalado, o computador se tornará um jukebox multimídia totalmente funcional.

    Sua interface gráfica com o usuário (GUI) permite que o usuário navegue facilmente e veja vídeos, fotos, podcasts e música de um disco rígido, disco óptico, rede local e internet usando apenas alguns botões.

    Kodi também está disponível para Android.

    Como instalar o Media Center Kodi no Ubuntu

    Como instalar o Media Center Kodi no Ubuntu

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Novidades do Media Center ​​Kodi 17.1

  • Atualizada a interface web do Chorus;
  • Várias correções para PVR;
  • Adicionado um limitador em músicas aleatórias que devem impedir o uso excessivo de memória em grandes bibliotecas;
  • Melhorado o mapeamento de teclado durante o mapeamento de botão;
  • Melhorado o tratamento analógico;
  • Melhorado o desempenho do plugin quando ele constrói uma lista de conteúdo;
  • Muitas outras correções de bugs e melhorias
  • Para ver todas as novidades, consulte a nota de lançamento.

    Conheça melhor o Media Center Kodi

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Media Center Kodi no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Media Center Kodi no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:team-xbmc/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install kodi 

    Passo 5. Se quiser, você também pode instalar o encoder e addons através do comando;

    sudo apt-get install --install-suggests kodi

    Para instalar complementos (tais como PVR) disponíveis para Kodi, use o comando de instalação sudo apt-get, seguido do nome do pacote (que estão listados abaixo):

    Nome do Pacote PVR Descrição
    Kodi-pvr-dev Kodi Media Center (pacote de desenvolvedores adicionais PVR)
    Kodi-pvr-argustv Kodi PVR Addon Argustv
    Kodi-pvr-demo Kodi PVR Demo Addon
    Kodi-pvr-dvbviewer Kodi PVR Addon Dvbviewer
    Kodi-pvr-iptvsimple Kodi PVR Iptv Addon
    Kodi-pvr-mediaportal-tvserver Kodi PVR Addon Mediaportal Tvserver
    Kodi-pvr-mythtv Kodi PVR Adicionar MythTv – Cmyth
    Kodi-pvr-nextpvr Kodi PVR Addon NextPvr
    Kodi-pvr-njoy Kodi PVR Addon Njoy
    Kodi-pvr-tvheadend-hts Kodi PVR Addon TvHeadend Hts
    Kodi-pvr-vdr-vnsi Kodi PVR Addon VDR Vnsi
    Kodi-pvr-vuplus Kodi PVR Addon Vuplus
    Kodi-pvr-dvblink DVBLink PVR
    Kodi-pvr-filmon FilmOn PVR
    Kodi-pvr-hts TVHeadEnd PVR
    Kodi-pvr-pctv PCTV PVR
    Kodi-pvr-stalker Stalker PVR
    Kodi-pvr-vbox VBox Home TV Gateway PVR cliente
    Kodi-pvr-wmc WMC PVR
    Shairplay Implementação gratuita do servidor portátil AirPlay

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o Kodi no Ubuntu, digite kodi no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Media Center Kodi no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Media Center Kodi no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o Kodi no Ubuntu, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove kodi
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o Remember The Milk no Linux

    Como instalar o Remember The Milk no Linux

    Saiu a versão para Linux de um dos mais populares apps de produtividade. Conheça e veja como instalar o Remember The Milk no Linux.


    Remember the Milk (RTM) é um sistema de gerenciamento gestão de tempo e tarefas baseado na Web. Ele permite aos usuários gerenciar tarefas de um computador ou smartphone, tanto online como offline.

    Como instalar o Remember The Milk no Linux

    A versão para Linux traz todas as funcionalidades disponíveis em seu navegador em uma versão independente. Remember The Milk tem duas versões, gratuitas e Pro. A versão Pro tem recursos adicionais. Este aplicativo de desktop para Linux está disponível para ambas as versões.

    O programa permite:

    • Organizar tarefas em listas de texto simples;
    • Dividir grandes tarefas em subtarefas;
    • Suporte a clicar e arrastar;
    • Adicionar tags, datas de vencimento, tempo estimado, links e notas para tarefas;
    • Tags de localização no Google Maps podem ser usadas para organizar tarefas;
    • Compartilhar tarefas individuais ou listas com contatos;
    • Programação semanal de tarefas;
    • Integração com vários serviços, como Gmail, Evernote e etc.;
    • Notificações da área de trabalho.

    Conheça melhor o Remember The Milk

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instalando o Remember The Milk no Linux Debian, Ubuntu, LinuxMint e derivados

    Remember The Milk para Linux está disponível em dois formatos: pacotes DEB e RPM, que podem ser instalados em distribuições baseados no Debian e Red Hat, respectivamente.

    Abaixo, você verá os dois procedimento de instalação nesse dois grupos de distros Linux:

    Instalando o Remember The Milk no Linux Debian, Ubuntu, LinuxMint e derivados

    Para instalar o Remember The Milk no Linux no Linux Debian, Ubuntu, LinuxMint e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome rememberthemilk.deb:

    wget https://www.rememberthemilk.com/download/linux/debian/pool/main/r/rememberthemilk/rememberthemilk-1.1.3-ia32.deb -O rememberthemilk.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome rememberthemilk.deb:

    wget https://www.rememberthemilk.com/download/linux/debian/pool/main/r/rememberthemilk/rememberthemilk-1.1.3-amd64.deb -O rememberthemilk.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i rememberthemilk.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 7. Se depois precisar, desinstale o programa com o comando abaixo:

    sudo apt-get install rememberthemilk*

    Instalando o Remember The Milk no Linux Fedora, RedHat, CentOS e derivados

    Para instalar o Remember The Milk no Linux Fedora, RedHat, CentOS ou qualquer outra distro derivada desses, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome rememberthemilk.rpm:

    wget https://www.rememberthemilk.com/download/linux/fedora/21/i386/rememberthemilk-1.1.3-1.i386.rpm -O rememberthemilk.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome rememberthemilk.rpm:

    wget https://www.rememberthemilk.com/download/linux/fedora/21/x86_64/rememberthemilk-1.1.3-1.x86_64.rpm -O rememberthemilk.rpm

    Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall rememberthemilk.rpm

    ou

    sudo dnf install rememberthemilk.rpm

    Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install rememberthemilk.rpm

    Passo 7. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo urpmi rememberthemilk.rpm

    Passo 8. Se depois precisar, desinstale o programa com o comando abaixo:

    sudo rpm -e rememberthemilk.rpm

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite remember em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o VokoScreen Caster no Ubuntu

    Melvin Potter

    Se você está precisando gravar vídeos de seu ambiente de trabalho ou a partir da webcam, veja como instalar o VokoScreen Caster no Ubuntu.


    Vokoscreen é um criador de screencast fácil de usar que pode ser usado para gravar vídeos educativos, fazer gravações ao vivo do navegador, instalações, vídeo conferências e muitas outras possibilidades.

    Como instalar o VokoScreen Caster no Ubuntu

    Por debaixo do capô, o Vokoscreen é um simples gravador de tela que se baseia no ffmpeg. Com ele você pode gravar vídeos com duração ilimitada e até escolher a taxa de quadros do vídeo.

    O programa também funciona perfeitamente para gravar jogos enquanto você está jogando. Vokoscreen funciona com todos os desktops Linux como: Unity, Gnome Shell, Cinnamon, Mate e outros.

    Algumas características de VokoScreen:

    • Pode gravar a tela inteira, a janelas selecionada ou uma área especifica;
    • Possui opção de ampliação;
    • Pode gravar vídeo diretamente da webcam;
    • Registro de configurações de vídeo no formato AVI e formato mkv;
    • Registro configurações de áudio em formato mp3;
    • Possui opção para exibir / ocultar o cursor do mouse durante a gravação.

    Veja algumas imagens do aplicativo

    Como instalar o VokoScreen Caster no Ubuntu
    Como instalar o VokoScreen Caster no Ubuntu

    Conheça melhor o VokoScreen Caster

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instalando o VokoScreen Caster no Ubuntu e derivados

    VokoScreen Caster está disponível nos repositórios oficiais das versões do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install vokoscreen. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o VokoScreen Caster no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa usando o comando abaixo:

    sudo add-apt-repository ppa:vokoscreen-dev/vokoscreen

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo:

    sudo apt-get install vokoscreen

    Como instalar o VokoScreen Caster manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vokoscreen no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o VokoScreen Caster no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o VokoScreen Caster no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove vokoscreen
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Planeta Ubuntu Brasil

    O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


    Última atualização:
    27 de março de 2017, 16:02
    Horário UTC

    Planet ATOM
    RSS10 RSS20
    OPML FOAF

    Blogs inscritos


    © 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
    Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.