21 de outubro de 2020

Microsoft Edge para Linux Preview já está disponível para download

E finalmente, o aguardado Microsoft Edge para Linux Preview já está disponível para download. Confira os detalhes e veja como instalar.

Inicialmente projetado apenas como um substituto para o navegador Microsoft Edge existente que acompanha o sistema operacional Windows 10 mais recente, o novo build baseado no Chromium pretende ser multiplataforma, permitindo que os usuários o usem em seus computadores com Windows, Macs, dispositivos móveis, bem como em PC’s com Linux.

Agora, a Microsoft acaba de anunciar que o Microsoft Edge do Linux está disponível para download no canal Dev, permitindo assim que os usuários da plataforma experimentem o navegador da gigante do software baseado em Chromium.

Microsoft Edge para Linux Preview já está disponível para download

Microsoft Edge para Linux Preview já está disponível para downloadMicrosoft Edge para Linux Preview já está disponível para download
Com o lançamento de uma versão para Linux, o Microsoft Edge agora está disponível em todos os principais sistemas operacionais. Graças à migração para o Chromium, o Edge pode ser instalado no Windows 7, Windows 8, Windows 8.1, Windows 10, macOS e Linux.

A Microsoft explica que:

“Com este lançamento, o Microsoft Edge agora está disponível para todas as principais plataformas de desktop e móveis. Estamos particularmente entusiasmados em oferecer aos desenvolvedores da web a mesma plataforma consistente e poderosa da web e ferramentas de desenvolvedor do macOS ou do Windows, para que você possa construir e testar em seu ambiente preferido e ter confiança na experiência que seus clientes terão em outros dispositivos. Para pesquisadores de segurança, agora também estamos aceitando inscrições para o Programa Microsoft Edge Bounty no Linux.”

As primeiras versões de visualização do Microsoft Edge para Linux podem ser instaladas no Ubuntu, Debian, Fedora e OpenSuSE.

A Microsoft diz que suas compilações para o Linux seriam atualizadas de acordo com o calendário típico da empresa, o que significa que novas versões serão lançadas todas as semanas.

Como parte da estratégia de lançamento da Microsoft, a filial Canary é atualizada todos os dias, enquanto o canal Dev recebe atualizações semanalmente. As compilações beta e estáveis ​​são atualizadas a cada seis semanas.

Como instalar o Microsoft Edge para Linux Preview

Sobre a instalação, a Microsoft diz que:

“Existem duas maneiras de começar a usar o Microsoft Edge no Linux. A abordagem mais simples é baixar e instalar um pacote .deb ou .rpm diretamente do site Microsoft Edge Insider – isso configurará seu sistema para receber atualizações automáticas futuras. Se preferir, você também pode instalar o Microsoft Edge a partir do Repositório de software Linux da Microsoft usando as ferramentas de gerenciamento de pacote padrão da sua distribuição.”

Então, acesse o Microsoft Edge Insider, baixe o pacote da sua distribuição e instale o navegador para testar.

Microsoft Edge para Linux Preview já está disponível para downloadBaixando o Microsoft Edge para Linux Preview

Let's block ads! (Why?)

Como deixar o VLC com o visual do Windows Media Player

Se você quer repaginar a aparência do VLC para deixá-lo parecido com o reprodutor da Microsoft, veja como deixar o VLC com o visual do Windows Media Player.

VLC media player é um reprodutor multimídia, framework, streamer e encoder. Ele pode reproduzir arquivos, streams de rede, DVDs, CDs de áudio, Blu-Rays, dispositivos de captura, e telas.

Como deixar o VLC com o visual do Windows Media PlayerComo deixar o VLC com o visual do Windows Media Player

Resumindo, o O VLC Media Player é um cliente de mídia de plataforma aberta, compatível com a grande maioria dos formatos de mídia.

Apesar disso tudo, ele tem um visual que nem sempre agrada a todos. Felizmente, um dos seus grandes recursos é que ele suporta skins (peles) que funcionam em diferentes plataformas.

Para mostrar como usar essa funcionalidade, esse tutorial irá mostrar como deixar o VLC com o visual do Windows Media Player, o que deve agradar aos usuários que gostam da aparência do player da Microsoft, e nem tanto aos que o odeiam (por favor, não joguem pedras).

Como deixar o VLC com o visual do Windows Media Player

Para deixar o VLC com a aparência do Windows Media Player, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Baixe o Skin chamada MediaPlayer na página de skins e salve-o na pasta de downloads do seu sistema. Ou abra um terminal e use o comando abaixo;

wget http://www.videolan.org/vlc/skins2/windows_media_player_12.vlt -O mediaplayer.vlt

Passo 2. Quando terminar o download, execute o VLC;
Passo 3. Na tela do programa, clique no menu ‘Ferramentas’ e depois na opção ‘Preferências’;

clique no menu Ferramentas

clique no menu Ferramentas

Passo 4. Em ‘Preferências’, clique na guia ‘Interface’. Marque a opção ‘Usar capa personalizada’ e depois clique no botão ‘Procurar…’;

clique na guia Interface

clique na guia Interface

Passo 5. Na janela ‘Selecione arquivo’, clique no arquivo baixado e depois no botão ‘Open’ (Abrir);

Como deixar o VLC com o visual do Windows Media Player

Como deixar o VLC com o visual do Windows Media Player

Passo 7. De volta à janela ‘Preferências’, clique no botão ‘Salvar’;

clique no botão Salvar

clique no botão Salvar

Pronto! Se necessário, feche o VLC e execute-o novamente.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o incrível VideoBox no Linux via Snap

Se você que ver como assistir vídeos populares e educacionais e até baixá-los, conheça e veja como instalar o incrível VideoBox no Linux via Snap.

O Videobox permite que você navegue, reproduza e baixe facilmente vídeos populares e educacionais, com poucos cliques, o aplicativo está sendo desenvolvido e novos recursos serão adicionados a ele no futuro.

Como instalar o incrível VideoBox no Linux via SnapComo instalar o incrível VideoBox no Linux via Snap

Como instalar o VideoBox no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o VideoBox via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o VideoBox via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install videobox

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh videobox

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite videobox ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o VideoBox no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o VideoBox via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove videobox

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivados

Se você está a procura de um reprodutor moderno e leve para o seu sistema, conheça e veja como instalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivados.

Parole Media Player é um reprodutor de mídia simples e moderno baseado no framework GStreamer e escrito para se encaixar bem na área de trabalho Xfce.

Como instalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivadosComo instalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivados

Ele é projetado com simplicidade, velocidade e uso de recursos em mente. E apesar ter sido projetado para o desktop Xfce, ele pode ser executado praticamente em qualquer ambiente.

Parole possui reprodução de arquivos de mídia locais, incluindo vídeo com suporte de legendas, CDs de áudio, DVDs e transmissões ao vivo. Assim como muitos players modernos, Parole também é extensível através de plugins.

Como instalar o Parole Media Player no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Parole Media Player no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install parole

Como instalar o Parole Media Player manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite parole em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

Se não conseguir localizar o comando de execução, execute o comando abaixo:

which parole

Desinstalando o Parole Media Player no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps -r -y
sudo apt-get remove parole --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o utilitário de backup Déjà Dup no Linux via Flatpak

Se você quer fazer cópias de segurança sem complicações, conheça e veja como instalar a ferramenta de Backup Déjà Dup no Linux via Snap.

A ferramenta Déjà Dup é um sistema de backup pessoal fácil de usar para a sua área de trabalho GNOME. Déjà Dup esconde a complexidade de fazer o backup e usa duplicity como backend.

Como instalar o utilitário de backup Déjà Dup no Linux via FlatpakComo instalar o utilitário de backup Déjà Dup no Linux via Flatpak

Esse programa possui suporte para locais de backup locais, remotos ou na nuvem, como o Google Drive, criptografa e compacta com segurança seus dados, faz o backup incremental, permitindo que você restaure de um backup específico, tem agendamentos de backups regulares e integra-se bem ao seu ambiente de trabalho GNOME.

Como instalar o utilitário de backup Déjà Dup no Linux via Flatpak

Para instalar o utilitário de backup Déjà Dup via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o utilitário de backup Déjà Dup via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.DejaDup.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.DejaDup

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.DejaDup em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite dejadup ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o utilitário de backup Déjà Dup no Linux via Flatpak

Para desinstalar o utilitário de backup Déjà Dup via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.DejaDup

Ou

flatpak uninstall org.gnome.DejaDup

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar a ferramenta de Backup Déjà Dup no Linux via Snap

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerenciador de tarefas Taskline no Linux via Snap

Se você quer administrar suas tarefas no terminal, conheça e veja como instalar o gerenciador de tarefas Taskline no Linux via Snap.

Utilizando uma sintaxe de uso simples e mínima, que requer uma curva de aprendizado simples, Taskline permite gerenciar com eficiência suas tarefas e anotações em várias boards de dentro do seu terminal.

Como instalar o gerenciador de tarefas Taskline no Linux via SnapComo instalar o gerenciador de tarefas Taskline no Linux via Snap

Todos os dados são gravados atomicamente no armazenamento para evitar corrupções. No momento, existem dois módulos de armazenamento:

Armazenamento local onde sua tarefa e nunca é compartilhada com alguém ou algo, ou o módulo firestore, onde suas tarefas são salvas no banco de dados do firestore e podem ser compartilhadas em todos os seus dispositivos.

Os itens excluídos são arquivados automaticamente e podem ser inspecionados ou restaurados a qualquer momento.

Como instalar o gerenciador de tarefas Taskline no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o gerenciador de tarefas Taskline via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de tarefas Taskline via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install taskline

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install taskline --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh taskline

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite taskline ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gerenciador de tarefas Taskline no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o gerenciador de tarefas Taskline via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove taskline

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o ambiente BlackBox no Ubuntu e derivados

Se você quer um ambiente leve e personalizável para o seu sistema, conheça e veja como instalar o ambiente BlackBox no Ubuntu e derivados.

O BlackBox é um gerenciador de janelas de código aberto. Ele se destaca por sua leveza, sendo ideal para quem usa computadores com poucos recursos e não quer abrir mão de uma interface gráfica.

Não quero usar Unity, prefiro o BlackBox no UbuntuNão quero usar Unity, prefiro o BlackBox no Ubuntu

Há relatos de que o Blackbox roda satisfatoriamente em um 486DX4 (66 MHz) com 16MB de memória RAM.

Apesar disso, ele também pode ser usado em computadores potentes, tendo um desempenho melhor que a maioria dos outros ambientes gráficos.

Esse ambiente é muito minimalista em sua abordagem como um gerenciador de janelas, tanto é que ele não traz ícones e atalhos de teclado, manuseio, menus chamativos, ferramentas e gadgets.

Todos estes estão disponíveis através de ferramentas ferramentas de terceiros e add-ons, que você pode adicionar ao seu ambiente como quiser.

Ele não tem barra de tarefas, assim, se você minimizar uma janela, ela fica completamente escondida fora do ambiente de trabalho e você pode recuperá-lo a partir de um menu de contexto do desktop.

Entretanto, barras de tarefas também podem ser adicionadas, por meio de ferramentas de terceiros.

Não quero usar Unity, prefiro o BlackBox no Ubuntu

Não quero usar Unity, prefiro o BlackBox no Ubuntu

O BlackBox fez tanto sucesso gerou alguns projetos derivados que se propuseram a continuar sua linha inicial de desenvolvimento.

Alguns desses projetos são o FluxBox e o OpenBox, ambientes que serão vistos mais adiante.

Instalando o BlackBox no Ubuntu e derivados

Ainda que você não tenha um computador antigo ele também serve para seu PC moderno. Por isso, se quiser instalar o BlackBox no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Feche todos os seus aplicativos em execução;
Passo 2. Abra um terminal (pressionando as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o ambiente com o comando:

sudo apt-get install blackbox

Saia da sessão atual e quando aparecer a tela de login, escolha o BackBox. Entre com seu usuário e senha e depois comece a experimentar o ambiente.

Let's block ads! (Why?)

20 de outubro de 2020

Como instalar o cliente Twitter Cawbird no Ubuntu e derivados

Se você gostava do Corebird e ficou triste com o fim dele, então conheça e veja Como instalar o cliente Twitter Cawbird no Ubuntu e derivados.

O cliente Corebird do Twitter para Linux era um dos meus aplicativos de desktop favoritos, então as alterações na API do Twitter efetivamente colocaram o aplicativo fora de ação no ano passado.

Como instalar o cliente Twitter Cawbird no Ubuntu e derivadosComo instalar o cliente Twitter Cawbird no Ubuntu e derivados

E eis que a alma do Corebird (seu código) vive na forma regenerada do Cawbird, um fork do Corebird com grandes ambições para o futuro.

“Caw” é o som que um corvo emite (mantendo o tema do ‘tweet’ do pássaro), mas a palavra também soa exatamente como “Core” quando você diz em voz alta. Então Corebird = Cawbird.

Não há “streaming em tempo real” no Cawbird. Os tweets não aparecem como publicados, ao vivo, automaticamente. Em vez disso, o Cawbird precisa verificar novos tweets a cada dois minutos.

O aplicativo também é limitado na frequência com que pode atualizar ou buscar outras estatísticas, como seguir/deixar de seguir, exclusão direta de mensagens e tweet não favorável, na inicialização. Portanto, se você costuma manter o aplicativo aberto enquanto trabalha, adquira o hábito de sair e reabri-lo periodicamente.

E embora a guia “notificações” do Twitter nos aplicativos oficiais informe você sobre novos seguidores, as pessoas gostando do seu tweet e assim por diante o Cawbird não pode: o fluxo de notificações é estritamente apenas para menções.

Como instalar o cliente Twitter Cawbird no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o cliente Twitter Cawbird no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se você estiver no Ubuntu 18.04, precisará executar os seguintes comandos em uma nova janela do Terminal para adicionar o repositório Cawbird OBS e sua chave de assinatura ao seu sistema;

sudo sh -c "echo 'deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/IBBoard:/cawbird/xUbuntu_18.04/ /' > /etc/apt/sources.list.d/home:IBBoard:cawbird.list
wget -nv https://download.opensuse.org/repositories/home:IBBoard:cawbird/xUbuntu_18.04/Release.key -O Release.key
sudo apt-key add - < Release.key

Passo 3. Se você estiver no Ubuntu 19.10, precisará executar os seguintes comandos em uma nova janela do Terminal para adicionar o repositório Cawbird OBS e sua chave de assinatura ao seu sistema;

sudo sh -c "echo 'deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/IBBoard:/cawbird/xUbuntu_19.10/ /' > /etc/apt/sources.list.d/home:IBBoard:cawbird.list
wget -nv https://download.opensuse.org/repositories/home:IBBoard:cawbird/xUbuntu_19.10/Release.key -O Release.key
sudo apt-key add - < Release.key

Passo 4. Se você estiver no Ubuntu 20.04, precisará executar os seguintes comandos em uma nova janela do Terminal para adicionar o repositório Cawbird OBS e sua chave de assinatura ao seu sistema;

sudo sh -c "echo 'deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/IBBoard:/cawbird/xUbuntu_20.04/ /' > /etc/apt/sources.list.d/home:IBBoard:cawbird.list
wget -nv https://download.opensuse.org/repositories/home:IBBoard:cawbird/xUbuntu_20.04/Release.key -O Release.key
sudo apt-key add - < Release.key

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install cawbird

Como instalar o cliente Twitter Cawbird manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa acessando a página de download do software e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite cawbird ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o cliente Twitter Cawbird no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o cliente Twitter Cawbird no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove cawbird --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o cliente Twitter Cawbird no Linux via Flatpak

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Python 3.8 no Linux compilando o código fonte

Se você quer usar a última versão do Python para desenvolver seus programa, veja como instalar o Python 3.8 no Linux compilando o código fonte.

Python é uma linguagem de programação interpretada de alto nível, lançada em 1991, e que possui um modelo de desenvolvimento comunitário, aberto e gerenciado pela organização sem fins lucrativos Python Software Foundation.

Como instalar o Python 3.8 no Linux compilando o código fonteComo instalar o Python 3.8 no Linux compilando o código fonte

A equipe do Python lançou sua versão mais recente do Python 3.8 para uso geral. Ou seja, você já pode baixar a versão estável mais recente da série Python 3.8 e instalá-la em seu sistema.

Então, este tutorial ajudará você a instalar o Python 3.8.0 no sistema operacional Ubuntu, Debian e LinuxMint. Você pode visitar aqui para ler mais sobre as versões do Python.

Como instalar o Python 3.8 no Linux compilando o código fonte

Para instalar o Python 3.8 no Linux compilando o código fonte, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale os pacotes de compilação e bibliotecas de desenvolvimento da sua distribuição usando a central de programa da mesma (procure pelos nomes ou equivalentes listados nos comandos abaixo) . No caso do Ubuntu, Debian e derivado isso pode ser feito com o seguinte comando;

sudo apt-get install build-essential checkinstall
sudo apt-get install libreadline-gplv2-dev libncursesw5-dev libssl-dev libsqlite3-dev tk-dev libgdbm-dev libc6-dev libbz2-dev libffi-dev zlib1g-dev

Passo 3. Acesse a pasta opt;

cd /opt

Passo 4. Baixe o código fonte com o comando abaixo;

sudo wget https://www.python.org/ftp/python/3.8.6/Python-3.8.6.tgz

Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar xzf Python-3.8.6.tgz

Passo 6. Agora, acesse a pasta criada durante a descompactação;

cd Python-3.8.6

Passo 7. Use o comando abaixo para preparar os arquivos para a compilação;

sudo ./configure --enable-optimizations

Passo 8. Em seguida, compile o programa com esse comando (O make altinstall é usado para impedir a substituição do arquivo binário python padrão /usr/bin/python);

sudo make altinstall

Passo 9. Verifique a versão instalada do python usando o seguinte comando;

python3.8 -V

Passo 10. Após a instalação bem-sucedida, remova o arquivo baixado para economizar espaço em disco;

sudo rm -f Python-3.8.*.tgz

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o SpiderOak One no Ubuntu e derivados

Se você está a procura de um serviço de armazenamento seguro e com boa capacidade, conheça e veja como instalar o SpiderOak One no Ubuntu e derivados.

SpiderOak One (anteriormente SpiderOak) é um software de backup e sincronização de nuvem que existe desde 2007. Ele é mais conhecido por sua política de privacidade de conhecimento, e recomendado por Edward Snowden como uma solução de backup segura.

Como instalar o SpiderOak One no Ubuntu e derivadosComo instalar o SpiderOak One no Ubuntu e derivados

Se você está procurando uma alternativa Dropbox, ou acha que configurar e gerenciar um servidor de armazenamento em nuvem auto-hospedado como o Nextcloud tomará muito do seu tempo, SpiderOak é uma boa escolha.

Conheça os recursos do SpiderOak ONE:

  • Oferece 21 dias de avaliação de 250 GB de armazenamento;
  • SpiderOak não conhece nada sobre os dados armazenados em seus servidores;
  • Fornece backup, sincronização e compartilhamento on-line em um único software;
  • Conecte dispositivos ilimitados ao SpiderOak One;
  • Sincronize qualquer pasta. Você pode selecionar várias pastas em seu sistema operacional em vez de uma única pasta;
  • Você pode excluir arquivos e pastas usando caracteres curinga;
  • A sincronização de LAN permite que você sincronize seus dados diretamente entre seus dispositivos quando eles estão na mesma LAN;
  • Disponível para Linux, Mac, Windows, Android, iOS.

Como instalar o SpiderOak One no Ubuntu e derivados

Para instalar o SpiderOak One no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo sh -c "echo 'deb http://APT.spideroak.com/ubuntu-spideroak-hardy/ release restricted' >> /etc/apt/sources.list.d/spideroakone.list" 

Passo 3. Baixe a chave do repositório do programa com o comando:

sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 573E3D1C51AE1B3D

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install spideroakone

Como instalar o SpiderOak One manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian/Red Hat/Fedora, você pode pegar o arquivo DEB/RPM do programa nessa página e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite spideroakone ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Após a primeira execução, você precisará criar uma conta. Ou se você já possui uma conta, clique em "sign in".

Desinstalando o SpiderOak One no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o SpiderOak One no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove spideroakone --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a ferramenta B1 Free Archiver no Linux via Snap

Se você precisa colocar segurança nos seus arquivos pessoais, conheça e veja como instalar a ferramenta B1 Free Archiver no Linux via Snap.

O B1 Free Archiver é uma ferramenta multiplataforma livre, multi-linguagem e simples de usar, um compactador de arquivos e software de criptografia gratuito.

Como instalar a ferramenta B1 Free Archiver no Linux via SnapComo instalar a ferramenta B1 Free Archiver no Linux via Snap

Ele funciona com quase 40 formatos: b1, zip, rar, rar5, 7z, jar, xpi e outros formatos de arquivo. Ele suporta proteção de dados com algoritmo de criptografia AES de 256 bits.

Segundo a fabricante, o B1 Free Archiver está absolutamente livre de qualquer malware ou adware. Eles afirma que aplicam os mais altos padrões de seguranç, e o B1 Archiver nunca reúne qualquer tipo de informação pessoal e não instala nenhum software malicioso.

Como instalar a ferramenta B1 Free Archiver no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o a ferramenta B1 Free Archiver no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar a ferramenta B1 Free Archiver via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install b1freearchiver

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install b1freearchiver --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install b1freearchiver --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install b1freearchiver --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh b1freearchiver

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite b1freearchiver ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o a ferramenta B1 Free Archiver no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o a ferramenta B1 Free Archiver via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove b1freearchiver

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Se você quer matar a saudade e jogar games clássicos de arcade, conheça e veja como instalar o emulador MAME no Linux via Snap.

MAME (Multiple Arcade Machine Emulator ) é um emulador de hardware que reproduz fielmente o comportamento de muitas máquinas de arcade (não é uma simulação).

Como instalar o emulador MAME no Linux via SnapComo instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Este programa não é um jogo, mas pode diretamente, através de imagens de ROM, executar o sistema completo dessas antigas máquinas de arcade.

Essas ROMs estão sujeitas a direitos autorais e, na maioria dos casos, é ilegal usá-las, se você não possui a máquina arcade.

Este pacote fornece o binário MAME e arquivos de configuração e bibliotecas de suporte.

Coloque as ROMs em ‘~/snap/mame/common/roms’ ou edite o arquivo ini localizado em ‘~/snap/mame/common/mame.ini’ para apontar para onde estão suas ROMs e outros arquivos.

Como instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Como instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Como instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Como instalar o emulador MAME no Linux via Snap

Como instalar a versão mais recente do emulador MAME no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o emulador MAME no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o emulador MAME no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install mame

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install mame --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install mame --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install mame --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh mame

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove mame

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mame ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Configurando o MAME

Se ainda não estiver sendo executado, abra um terminal e inicie o programa, digitando mame, para que ele crie a pasta do programa.

Em seguida, feche o emulador e depois execute o comando abaixo, para criar o arquivo de configuração para o MAME;

cd ~/.mame && mame -cc

O arquivo “mame.ini” será criado na pasta ~/.mame.

Agora, edite este arquivo com o comando baixo (se você estiver no Linux Mint, substitua o gedit por pluma);

gedit ~/.mame/mame.ini

Em “rompath”, você pode definir o seu próprio caminho de diretório ROM ou deixar os caminhos padrão. Depois de alterar, salve e feche o arquivo;

Como instalar o MAME para jogar jogos clássicos de arcade

Como instalar o MAME para jogar jogos clássicos de arcade

Em seguida, crie os diretório nvram, sta, roms, memcard, inp, comments, snap e diff na pasta ~/.mame, usando este comando;

mkdir  ~/.mame/nvram memcard roms inp comments sta snap diff

Finalmente, você pode acessar a pasta rom com o comando abaixo, para colocar suas roms baixadas nela e depois executar o emulador para jogar. Para baixar ROMs, acesse esse a página do MAME dedicada ao assunto;

sudo nautilus /usr/local/share/games/mame/roms

Quanto aos controles do player, você pode facilmente configurá-los a partir da interface principal do MAME, usando a opção “Configure General Inputs”. Depois disso, sempre que quiser você pode jogar seus jogos clássicos de arcade.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o MAME para jogar jogos clássicos de arcade

Let's block ads! (Why?)

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Quer passar o dia relaxando? Então que tal um bom e nostálgico jogo? Melhor que tal jogar 2048 no terminal do Linux? Ficou curioso? Veja a seguir, como fazer isso.

2048 é um jogo nostálgico. Mesmo que na era dos smartphones, os jogos de terminais tenham perdido sua glória (se é que já tiveram isso), ainda existem muitas pessoas que gostam desse tipo de jogo.

Como jogar 2048 no terminal do LinuxComo jogar 2048 no terminal do Linux

Ok! Eu sei que é um tipo de jogo que está meio fora de moda, mas claro, isso não é desculpa para não tentar jogar.

Além disso, esta versão do 2048 para o terminal do Linux é tão boa, que você certamente ficará disposto a lhe dar uma chance, mesmo que você ache que terminal é sinônimo de trabalho sem diversão.

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Caso você não goste tanto de jogos, mas curta programação, dê uma olhada no script, pois ele é um bom exemplo dessa arte.

Conheça melhor o jogo 2048

2048 é um jogo de raciocínio criado em março de 2014 pelo desenvolvedor italiano Gabriele Cirulli. Nele, o objetivo é deslizar peças numeradas em uma grade, combiná-las e criar um azulejo com o número 2048.

Ou seja, a ideia do jogo 2048 é muito simples: juntar os blocos para formar um no valor de 2048. Entretanto, não é tão fácil fazer isso.

É necessário usar o raciocínio para movimentar os blocos da melhor maneira possível e atingir o objetivo antes que você fique sem movimentos. Use as setas do teclado para movimentar os blocos.

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Para instalar e jogar 2048 no terminal do Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Baixe o programa com o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o no seu PC:

wget https://raw.githubusercontent.com/mydzor/bash2048/master/bash2048.sh

Passo 3. Depois de baixar, torne o script executável com o comando abaixo;

chmod +x bash2048.sh 

Passo 4. Agora, execute o jogo com, chamando o script;

./bash2048.sh

Pronto! Divirta-se e relaxe com esse simples jogo, mas cuidado para não ficar viciado. 🙂

Let's block ads! (Why?)

Instalar a versão mais recente do KDE Plasma 5.x no Ubuntu e derivados

O projeto KDE lançou recentemente uma nova atualização de seu ambiente. Agora ela já está disponível e você já pode instalar a versão mais recente do KDE Plasma 5.x no Ubuntu e derivados.

KDE Plasma Desktop é um ambiente que oferece uma área de trabalho de aparência bonita que tira total vantagem da tecnologia de computação moderna.

Instalar a versão mais recente do KDE Plasma 5.x no Ubuntu 18.04Instalar a versão mais recente do KDE Plasma 5.x no Ubuntu 18.04

A equipe por trás projeto afirma que se você está procurando um ambiente de trabalho familiar, Plasma Desktop oferece todas as ferramentas necessárias para uma experiência de computação de desktop moderna para que você possa ser produtivo desde o início.

Através do uso de efeitos visuais e gráficos escaláveis, a experiência de desktop não é apenas suave, mas também agradável aos olhos.

Os looks do Plasma Desktop não só fornecem beleza, mas também são usados para suportar e melhorar suas atividades de computador de forma eficaz, sem distrair.

Como instalar o KDE Plasma 5.x no Ubuntu 16.04, 16.10

Como instalar o KDE Plasma 5.x no Ubuntu 16.04, 16.10

Kubuntu, o Ubuntu com KDE

Uma opção interessante para quem quer apenas instalar o KDE, é baixar o Kubuntu. Essa é uma variante do Ubuntu oficial, que vem com o KDE instalado e ajustado para o padrão da Canonical.

Como instalar o KDE Plasma 5.x no Ubuntu e derivados

Se seu Ubuntu não tem o ambiente do Kubuntu, primeiro você deve instalar o pacote Kubuntu desktop, usando a Central de Software do Ubuntu ou usando o comando sudo apt-get install kubuntu-desktop.

Depois, para instalar o KDE Plasma 5.x no Ubuntu e drivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:kubuntu-ppa/backports

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para usuários que estão usando o Kubuntu, use o comando abaixo para instalar a versão mais recente do ambiente KDE Plasma;

sudo apt-get full-upgrade

Passo 5. Para usuários que não estão usando o Kubuntu, execute o comando abaixo para instalar a área de trabalho do Plasma:

sudo apt install plasma-desktop

Passo 6. Ou instale o ambiente de desktop completo do KDE através do comando;

sudo apt install kubuntu-desktop

Pronto! Depois que o processo de atualização for concluído, e assumindo que tudo correu bem, reinicialize o computador.

Desinstalando o KDE Plasma 5.x no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o KDE Plasma 5.x no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt install ppa-purge && sudo ppa-purge ppa:kubuntu-ppa/backports

Let's block ads! (Why?)

Como extrair os arquivos tar.xz no Linux sem complicações

Se você trabalha com arquivos compactados no formato tar XZ, veja como extrair os arquivos tar.xz no Linux sem complicações.

O xz é um formato de compactação de arquivo único baseado no algoritmo LZMA2. A compactação xz é muito mais lenta, mas sua descompressão é bastante rápida.

Ele oferece compressão sem perda, implicando que mantém os dados originais sem comprometer sua qualidade. Isso o torna ideal para o envio de aplicativos de software e arquivos de imagem.

Este pequeno artigo ilustra como você pode proceder para compactar e descompactar arquivos xz no Linux usando a linha de comando.

Como extrair os arquivos tar.xz no Linux sem complicações

Como extrair os arquivos tar.xz no Linux sem complicaçõesComo extrair os arquivos tar.xz no Linux sem complicações
Neste breve guia, você verá pode compactar e extrair arquivos/diretórios tar xz com uma extensão de arquivo .tar.xz no Linux.

Antes de começarmos a compactar ou descompactar arquivos, primeiro certifique-se de que as ferramentas xz estejam instaladas.

As novas distribuições Linux vêm com ferramentas xz já instaladas. No entanto, se ferramentas xz estiverem faltando, instale usando os seguintes comandos, de acordo com o sistema:

No Debian/Ubuntu e derivados

Para instalar ferramentas xz nas distribuições Ubuntu e Debian, abra um terminal execute o comando abaixo:

sudo apt instala xz-utils

No CentOS/RHEL e derivados

Para as distribuições CentOS/RedHat e derivados, abra um terminal execute o comando abaixo:

yum install xz

No Fedora e derivados

Para sistemas Fedora rodam,abra um terminal execute o comando abaixo:

dnf install xz

Como criar um arquivo compactado xz

Neste exemplo, vamos compactar um diretório contendo alguns arquivos:

tar -cjcf data.tar.xz data/

Você pode confirmar a criação de um arquivo .tar.xz usando o comando ls.

Como extrair os arquivos tar.xz

Para descompactar o tarz xz que acabamos de criar, execute o comando abaixo:

tar -xvf data.tar.xz

Pronto! Agora você já pode criar e extrair arquivos tar.xz quando precisar.

Let's block ads! (Why?)

Youtube-dl no Ubuntu: baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido

Precisando baixar vídeos na Internet? Instale Youtube-dl no Ubuntu e baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido.

Youtube-dl é uma ferramenta de linha de comando que permite baixar vídeos do YouTube e outros sites semelhantes de um jeito bem simples e rápido.

Youtube-dl no Ubuntu: baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápidoYoutube-dl no Ubuntu: baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido

O aplicativo vem com muitos recursos úteis, ele traz opções para especificar a qualidade/formato de vídeo, adicionar o título original para o nome do arquivo de vídeo baixado, suportar proxy, extrair automaticamente áudio de vídeos baixados e muito mais.

Youtube-dl suporta: YouTube (onde além de vídeos individuais, também suporta listas de reprodução, pesquisas e vídeos do usuário), metacafe.com, vídeo do Google (incluindo pesquisas), hotnewhiphop.com, auengine.com, gamespot.com, RingTV, wat.tv, traileraddict.com, tu.tv, instagram.com, Statigr.am, break.com, tudou.com, Jukebox, Wimp.com, CSpan, 3sat, brightcove.com, Pinsthotobucket, Dailymotion, DepositFiles, blip.tv, Vimeo, myvideo.de, The Daily Show/Colbert Nation, The Escapist, CollegeHumor, arte.tv, Soundcloud, xvideos, infoq, mixcloud, Stanford Open Content, Youku, MTV, Xnxx, Google Plus, archive.org e há também um downloader genérico que funciona com alguns outros sites.

baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido com o Youtube-dl no Ubuntu

A seguir, você verá como instalar e usar o Youtube-dl no Ubuntu para baixa vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido. Confira!

Como instalar o Youtube-dl no Ubuntu

Para instalar o Youtube-dl no Ubuntu (e derivados) e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install youtube-dl

Como instalar o Youtube-dl manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Como usar o Youtube-dl

Depois de instalado, para baixar um vídeo, basta use o seguinte comando em um terminal:

youtube-dl http://VIDEO_URL

onde “VIDEO_URL” é o endereço do vídeo que você deseja baixar.

Para ver todas as opções disponíveis, digite os seguintes comandos em um terminal:

man youtube-dl

ou

youtube-dl -h

Se você quiser mais detalhes sobre a utilização desse software, assista o vídeo abaixo:

[embedded content]

Quer um Youtube-dl com interface gráfica?

E se você quiser usar uma interface gráfica para o programa, veja esse tutorial:
Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl

Desinstalando o Youtube-dl no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Youtube-dl no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove youtube-dl --auto-remove
sudo apt-get autoremove

Let's block ads! (Why?)

Trisquel GNU/Linux 9 lançado com pacotes e patches de segurança atualizados

Depois de um longo ciclo de desenvolvimento, o projeto Trisquel finalmente lançou o Trisquel GNU/Linux 9. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.

O Trisquel GNU/Linux é uma distribuição de desktop baseada no Ubuntu que possui exclusivamente software livre e de código aberto. O projeto é gerenciado por desenvolvedores independentes e é parcialmente financiado por doações.

Trisquel é um projeto que procura combinar as qualidades do Ubuntu dentro de um sistema operacional que inclui apenas software livre.

Observe que a distribuição não é baseada nos repositórios oficiais do Ubuntu (no entanto, ela segue os ciclos de lançamento das versões LTS), eles analisam todos os pacotes e incluem somente software de código fonte aberto.

Ela também tem uma integração no kernel do Linux, que remove firmwares proprietários, além de incluir algumas otimizações.

Resumindo, Trisquel GNU/Linux é uma distribuição Linux 100% livre e baseada em Ubuntu. Seu principal objetivo é fornecer um sistema operacional para públicos variados, incluindo usuários domésticos e de empresas, instituições de ensino, estações de trabalho multimídia, etc.

Além da edição principal, há o Trisquel-mini (a edição leve baseada no LXDE) que usa o navegador web Midori, cliente de e-mail Sylpheed, editor de texto Abiword e GNOME-Mplayer media player como seus principais componentes pré-instalados.

Também há o Trisquel TOAST edition, baseada no ambiente de aprendizagem Sugar v112.

Agora, o projeto, após um longo ciclo de desenvolvimento, lançou a versão 9.0 com suporte de longo prazo (LTS).

Novidades do Trisquel Trisquel GNU/Linux 9

Trisquel GNU/Linux 9 lançado com pacotes e patches de segurança atualizadosTrisquel GNU/Linux 9 lançado com pacotes e patches de segurança atualizados
Os responsáveis pelo sistema dizem que coisas boas vêm para quem espera, e por esse lançamento houve muita espera, mas também muitas coisas boas.

“Trisquel 9.0, codinome “Etiona” é nosso lançamento mais polido até agora, graças à contribuição de uma equipe de voluntários muito comprometida.”

Esta versão vem em vários sabores:

  • MATE desktop, o padrão. Com base no popular fork do GNOME 2.x, esta edição oferece um ambiente de área de trabalho clássico que combina com a experiência do usuário de versões anteriores do Trisquel.
  • Trisquel Mini, uma versão leve para máquinas e netbooks mais antigos. Baseado no ambiente de desktop LXDE e uma seleção de aplicativos que economizam recursos para dar nova vida ao seu hardware.
  • Triskel, executando o ambiente KDE. Excelente para personalizar o design e olhar em detalhes.
  • Trisquel netinstall image. Para implantar com uma interface de instalação de linha de comando, ideal para servidores e usuários avançados.
  • Trisquel TOAST, baseado na plataforma de aprendizagem Sugar. Vem com dezenas de atividades educacionais para crianças.

Apesar do tempo de lançamento mais longo do que o normal, todos os pacotes estão totalmente atualizados com atualizações de suporte de longo prazo e patches de segurança.

O navegador padrão “Abrowser”, nossa liberdade e privacidade respeitando o navegador da Mozilla, fornece as atualizações mais recentes do upstream para uma ótima experiência de navegação.

Os backports fornecem suporte estendido de hardware e outros recursos, como um LibreOffice mais recente e muitos outros utilitários.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o Trisquel GNU/Linux 9

A imagem ISO do Trisquel GNU/Linux 9 já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.
Ou se preferir, acesse os links abaixo diretamente:

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o mensageiro Spectral no Linux via Flatpak

Se você precisa de um cliente para o protocolo Matrix, conheça e veja como instalar o mensageiro Spectral no Linux via Flatpak.

Spectral é um cliente multi-plataforma para Matrix, o protocolo de comunicação descentralizada para mensagens instantâneas.

Como instalar o mensageiro Spectral no Linux via FlatpakComo instalar o mensageiro Spectral no Linux via Flatpak

Se você ainda não conhece, o Matrix é um protocolo aberto para comunicação em tempo real.

Ele foi projetado para permitir que usuários com contas em um provedor de serviços de comunicação se comuniquem com usuários de um provedor de serviços diferente por meio de bate-papo on-line, Voz sobre IP e Videotelefonia.

Assim como o protocolo, Spectral é um software livre coberto pela Licença Pública Geral GNU, Versão 3.

Como instalar o mensageiro Spectral no Linux via Flatpak

Para instalar o mensageiro Spectral no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o mensageiro Spectral no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.eu.encom.spectral.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.eu.encom.spectral

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.eu.encom.spectral

Ou

flatpak uninstall org.eu.encom.spectral

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.eu.encom.spectral em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite spectral ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o app de calendário MineTime no Linux via AppImage

Se você precisa organizar sua agenda usando o PC, conheça e veja como instalar o app de calendário MineTime no Linux via AppImage.

O MineTime é um aplicativo de calendário da área de trabalho com IA que funciona com vários serviços do Calendário.

Como instalar o app de calendário MineTime no Linux via AppImageComo instalar o app de calendário MineTime no Linux via AppImage

Mais que isso, o MineTime é um aplicativo de calendário inteligente para desktops Windows, macOS e Linux que pode servir como um front-end único para vários serviços de calendário, como Google Calendar, Outlook.com, Microsoft Exchange, iCloud e qualquer serviço que suporte CalDAV.

Ele foi criado como parte de um projeto de pesquisa da ETH Zurich, na Suíça, para criar um aplicativo de calendário moderno, multiplataforma e alimentado por IA.

É importante observar desde o início que o MineTime, que usa o Electron, não é um software livre e de código aberto (por enquanto, embora possa se tornar no futuro), embora seja gratuito para uso não comercial.

Além disso, a ferramenta coleta algumas informações (“para elaborar um perfil e estatísticas”), mas isso pode ser desativado nas configurações do aplicativo, desativando os Recursos avançados.

Como instalar o app de calendário no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o app de calendário via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome minetime.appimage:

wget https://github.com/marcoancona/MineTime/releases/download/v1.8.6/MineTime-1.8.6.AppImage -O minetime.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x minetime.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./minetime.appimage --install

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite minetime ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Let's block ads! (Why?)

Como reproduzir legendas SRT no topo de qualquer vídeo

Se você não gosta do modo como a legendas são exibidas nos seus vídeos ou sites de streaming, veja como instalar o Penguin Subtitle Player e reproduzir legendas SRT no topo de qualquer Vídeo.

De código aberto e baseado em QT5, o Penguin Subtitle Player é um reprodutor de legenda simples que pode ser usado para exibir as legendas SRT, SSA/ASS no topo de websites de streaming de vídeo online que não suportam as legendas ou que não permitam utilizar as legendas personalizados.

Como reproduzir legendas SRT no topo de qualquer VídeoComo reproduzir legendas SRT no topo de qualquer vídeo

Disponível para Linux, Windows e Mac OS X, nele você também pode exibir legendas em posições personalizadas (nos lados ou com um fundo e outros detalhes), ou para exibir várias legendas no mesmo tempo (uma vez que o aplicativo pode ser iniciado várias vezes), em reprodutores de vídeo ou sites de streaming de vídeo que não suportam isso por padrão.

O aplicativo exibe uma janela translúcida que fica sempre no topo para que as legendas sempre sejam exibidas acima do vídeo, não importa qual seja o reprodutor ou site de streaming que você usa (isso inclui vídeos em flash ou HTML5).

Entre as características do Penguin Subtitle Player estão o suporte para mais de 700 codificações com detecção automática de codificação, suporte a arrastar e soltar, layout altamente personalizável (você pode alterar o tamanho do quadro, cor de fundo, a opacidade, o estilo da fonte), bem como o tempo de ajuste fino (avanço/recuo rápido com intervalo de tempo customizável).

Na imagem abaixo você pode ver os controles do Penguin Subtitle Player, mas não se preocupe, estes só são exibidos quando você passa o mouse sobre o app ou algo parecido.

Como reproduzir legendas SRT no topo de qualquer Vídeo

Como reproduzir legendas SRT no topo de qualquer Vídeo

Para completar, o fundo da legenda pode ficar completamente transparente.

Como reproduzir

Como reproduzir

Claro, existem algumas coisas que ainda precisam ser implementadas, como exibir contorno na legenda e suporte a hotkeys. Mas de acordo com alguns relatórios de erros, estes recursos foram planejados e devem estar disponível em breve.

Como instalar o Penguin Subtitle Player no Ubuntu e seus derivados e exibir legendas SRT no topo

Para instalar o Penguin Subtitle Player no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial.

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install penguin-subtitle-player

Como instalar o Penguin Subtitle Player manualmente ou em outras distros pra ter legendas SRT no topo

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite penguin ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois de executar o programa, clique no ícone da pasta e informe onde está a legenda SRT e clique no botão de reprodução.

Como reproduzir

Como reproduzir

Desinstalando o Penguin Subtitle Player no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Penguin Subtitle Player no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove penguin-subtitle-player --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente de bate papo CoyIM no Linux

Se você está procurando por um cliente XMPP Jabber com foco em segurança e proteção, conheça e veja como instalar o cliente de bate papo CoyIM no Linux.

CoyIM é um novo cliente de chat que é seguro e protegido por padrão: nenhuma configuração para alterar, nenhum plug-in para instalar, nenhuma configuração de computador para alterar.

Como instalar o cliente de bate papo CoyIM no LinuxComo instalar o cliente de bate papo CoyIM no Linux

CoyIM é um cliente GTK+ de código aberto gratuito que se concentra em proteção e segurança. Ele é escrito na linguagem de programação Go com o framework GTK+. Esse cliente funciona em Linux, Windows e Mac OS, e possui suporte integrado para Tor, OTR e TLS.

O suporte Tor permite que os usuários se tornem anônimos durante o bate-papo, o OTR torna possível a criptografia de ponta a ponta da comunicação e o TLS adiciona outra camada de criptografia para a comunicação com os servidores de bate-papo.

Confira abaixo os recursos do CoyIM:

  • Suporte do OTR mais recente.
  • Detecção de Tor (se instalado) e conexão através dele.
  • Uso do Tor Onion Service para um servidor conhecido.
  • Use circuitos Tor separados para cada conta.
  • Insira atrasos aleatórios antes de conectar cada conta.
  • Pesquisa SRV para o servidor no Tor, se disponível.
  • Importe do Pidgin, Adium, Gajim ou cliente xmpp.
  • Salve todas as suas configurações em um arquivo criptografado.

Como instalar o cliente de bate papo CoyIM no Linux

Para Ubuntu 18.04 e Ubuntu 20.04, você pode simplesmente instalar o aplicativo de bate-papo dos repositórios do universe executando o comando no terminal:

sudo apt install coyim

Para a versão mais recente, bem como os pacotes do Windows/Mac OS, vá para a página oficial de download e baixo o arquivo de instalação:

O pacote Linux é um único arquivo executável. Basta adicionar a permissão executável por meio da caixa de diálogo Propriedades > Permissões do arquivo e executá-lo para iniciar o software.

Let's block ads! (Why?)

Firefox 82 lançado com aumentos de velocidade, bloqueio de download malicioso e mais

E foi lançado o Firefox 82 com aumentos de velocidade, bloqueio de download malicioso e mais. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

O Mozilla Firefox é o navegador padrão do Ubuntu e de outros sistemas Linux, e geralmente, a última versão do Firefox fica disponível como uma atualização de segurança em todas as versões suportadas das principais distribuições Linux, pouco depois de algumas horas do anúncio da Mozilla, para alegria de seus usuários.

Agora, Uma nova versão do navegador Firefox está disponível para download para sistemas Windows, macOS e Linux no servidor de lançamentos Mozilla, o Firefox 82.

Novidades do Firefox 82

Firefox 82 lançado com aumentos de velocidade, bloqueio de download malicioso e maisFirefox 82 lançado com aumentos de velocidade, bloqueio de download malicioso e mais
O Firefox 82 não é um lançamento com muitos recursos.

Na verdade, o desenvolvimento de recursos para o Firefox parece estar desacelerando em geral – a Mozilla recentemente demitiu uma parte considerável da equipe de desenvolvimento do navegador – mas uma rodada bem-vinda de melhorias e mudanças estão disponíveis por meio deste aumento.

Primeiro, o Firefox 82 agora bloqueia downloads maliciosos automaticamente.

Você sabe o tipo de download que quero dizer: aqueles que você não pediu. Você visita uma página da Web aleatória e, sem qualquer solicitação sua, uma falsa “atualização do Flash” ou “patch de segurança” começa a navegar em sua largura de banda.

Embora o Firefox esteja bastante atrasado em adotar esse comportamento – o Chrome o tem há anos – é melhor tarde do que nunca. O navegador também o notifica quando bloqueia um download, ele é considerado inseguro ou indesejado (e você pode ignorá-lo).

A Mozilla também afirma que o navegador é mais rápido nesta versão:

  • Layouts da web baseados em Flexbox carregam 20% mais rápido;
  • Restaurar uma sessão é 17% mais rápido.

Se você não desabilitou as recomendações do Pocket, você pode “curtir” 7 linhas de histórias recomendadas na página Nova guia do Firefox 82. Usuários na Alemanha e no Reino Unido também podem ver ‘conteúdo patrocinado’ apresentado nessas recomendações.

Ambas as mudanças podem, como você esperaria do Mozilla, ser desativadas.

A IU ‘Salvar no Pocket’ tem uma nova aparência. Salvar histórias da web no serviço de leitura posterior é mais rápido e intuitivo. E, quando aplicável, o pop-over de economia de bolso recomendará histórias relacionadas que outros usuários do serviço esconderam para leitura em um dia chuvoso.

Se você usa uma conta do Firefox para sincronizar favoritos, senhas e configurações do navegador entre dispositivos, você terá interesse em saber que mais configurações estão sincronizadas.

No Firefox 82, a opção “preferências de sincronização” também sincroniza suas configurações de rolagem, ‘avisar ao sair’, preferências de imagem em imagem e configuração de teclado na tela.

Estas e outras mudanças no Firefox 82 em um relance:

Para saber mais sobre essa versão do Firefox, acesse a nota de lançamento.

Com instalar o Firefox

Como de costume, você pode fazer o download da versão mais recente do Firefox no site oficial, mas, como sempre, recomendo que você atualize suas instalações dos repositórios de software estáveis ​​da sua distribuição favorita do Linux quando os pacotes do Firefox 82 aparecerem.

Para instalar a versão estável do Firefox Flatpak, use esse tutorial:
Quer experimentar a versão Flatpak do Firefox? Veja como!

Já os usuários do Linux de distros que não suportam flatpak terão que esperar o Firefox 82 chegar aos repositórios de software estáveis ​​de suas distribuições favoritas do Linux.

A nova versão estará no repositório oficial do Ubuntu e outras distros em breve. Até lá, quem quiser se adiantar (ou não), deve usar uma das opções abaixo.

Para instalar a versão mais recente do Firefox em qualquer distribuição Linux, use esse tutorial:
Firefox no Linux: veja como instalar manualmente

Se você precisa de um Firefox estável e que suporta plugins abandonados pela versão principal do navegador, veja como instalar o Firefox ESR no Linux manualmente.
Firefox ESR no Linux – veja como instalar manualmente

Já se você usa o Ubuntu ou um derivado dele e atualizou o sistema, e a nova versão não apareceu, siga os passos deste tutorial e resolva seu problema.
Firefox no Ubuntu: veja como manter o navegador atualizado

E se você quiser experimentar as últimas versões do Firefox no Ubuntu, dê uma olhada nesse tutorial:
Como experimentar as últimas versões do Firefox no Ubuntu

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o navegador Firefox no Linux via Snap

Let's block ads! (Why?)

qBittorrent 4.3.0 lançado com melhor HiDPI e suporte de tema aprimorado

E foi lançado o qBittorrent 4.3.0 com melhor HiDPI e suporte de tema aprimorado, novos recursos e correções. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

O qBittorrent é um incrível cliente BitTorrent multiplataforma e de código aberto, escrito em C++/Qt, usando a biblioteca LibTorrent-rasterbar, e que foi criado para ser uma alternativa ao popular cliente μtorrent.

Esse aplicativo é rápido, estável, leve, suporta unicode e fornece um bom motor de busca integrado. Ele também vem com o encaminhamento de porta UPnP/NAT-PMP, criptografia (compatível com Vuze), FAST extension (mainline) e suporta PeX (compatível com utorrent).

qBittorrent vem com um motor de busca integrado, possui interface web, suporte para download sequencial, scheduler banda larga, suporte a RSS avançado com filtros de download, ferramenta de criação de torrent, filtragem IP e outras características úteis.

Agora, o cliente BitTorrent qBittorrent 4.3.0 foi lançado como uma nova versão principal com novos recursos e várias correções de bugs.

Novidades do qBittorrent 4.3.0

qBittorrent 4.3.0 lançado com melhor HiDPI e suporte de tema aprimoradoqBittorrent 4.3.0 lançado com melhor HiDPI e suporte de tema aprimorado
A nova versão usa Qt 5.15.1, que oferece um suporte HiDPI muito melhor. O suporte a temas foi aprimorado, no entanto, os pacotes de temas anteriores não funcionarão corretamente antes de serem atualizados pelo provedor.

Além disso tudo, essas são as outras novidades do qBittorrent 4.3.0:

  • Muitas cores de elementos da IU agora podem ser temáticas;
  • Agora é possível fazer a mudança de ícones GUI de pacotes de tema;
  • Agora o progra emite uma notificação para o usuário quando a transferência do torrent terminar;
  • O atalho CTRL + I abre a janela de estatísticas;
  • Adicionadas funcionalidade RSS na IU da web;
  • Eliminado o recurso “.unwanted folder”;
  • Exposta as configurações libtorrent peer_turnover, max_concurrent_http_announces, no_connect_privileged_ports;
  • E várias correções de bugs.

Para saber mais sobre essa versão do qBittorrent, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o qBittorrent 4.3.0

Para instalar a versão mais recente do qBittorrent nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar a última versão do qBittorrent no Linux via Flatpak
https://www.edivaldobrito.com.br/instale-o-qbittorrent-3-1-0-no-ubuntu-e-derivados/

Let's block ads! (Why?)

CopyQ 3.13.0 lançado com nova função de script e opções de linha de comando

Foi lançado o CopyQ 3.13.0 com nova função de script e opções de linha de comando. Confira as novidades e veja como instalar ou atualizar no Linux.

CopyQ é um avançado gerenciador de área de transferência com recursos de edição e script, além de histórico pesquisável e editável, e com suporte para texto, HTML, imagens e qualquer outro formato personalizado.

Para ser um gerenciador avançado da área de transferência com recurso de edição e script, ele monitora a área de transferência do sistema e salva seu conteúdo em guias customizadas.

Depois, o conteúdo da área de transferência salva pode ser posteriormente copiada e colada diretamente em qualquer aplicativo.

Com esse programa você pode personalizar o menu da bandeja, salvar itens em abas ou árvore, navegar rapidamente através de itens, classificar itens, criar novo, editar, remover, copiar/colar para uma aba diferente, colar imediatamente para a janela focada a partir da bandeja ou da janela principal e ignorar o conteúdo copiado de algumas janelas ou contendo algum texto.

Ele possui uma aparência totalmente personalizável (cores, fontes, transparência), interface avançada de linha de comando e scripting e uma variedade de atalhos de todo o sistema.

Agora, o projeto CopyQ lançou a versão 3.13.0 com nova função de script e opções de linha de comando.

Novidades do CopyQ 3.13.0

CopyQ 3.13.0 lançado com nova função de script e opções de linha de comandoCopyQ 3.13.0 lançado com nova função de script e opções de linha de comando
Dentre as novidades presentes no CopyQ 3.13.0, destacam-se os seguintes itens:
  • Nova função de script focusPrevious() para ativar a janela em foco antes da janela principal.
  • Exportar agora grava dados em um arquivo temporário antes de salvar.
  • O comando de exibição agora também é aplicado na visualização do item
  • Nova opção de linha de comando “tray_menu_open_on_left_click” para verificar o mouse padrão comportamento do botão para o ícone da bandeja.
  • Nova opção de linha de comando “activate_item_with_single_click” para ativar itens com um único clique.
  • Novas opções de linha de comando “filter_regular_expression” e “filter_case_insensitive” para alterar o comportamento de pesquisa do item.
  • Nova opção de linha de comando “native_menu_bar” para desabilitar a barra de menu nativa/global.
  • Ícones atualizados e várias correções de bugs.

Para saber mais sobre essa versão do CopyQ, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o CopyQ

Para instalar a versão mais recente do CopyQ nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar o gerenciador de área de transferência CopyQ no Linux
Como instalar o CopyQ no Ubuntu e sistemas derivados

Let's block ads! (Why?)

MuseScore 3.5.2 lançado com algumas correções de bugs

E foi lançado o MuseScore 3.5.2 com algumas correções de bugs e melhorias. Confira as novidades dessa versão e veja com instalar no Linux.

MuseScore é um software gratuito de edição de partituras. Ele permite criar, reproduzir e imprimir suas partituras, diretamente no PC.

O programa é distribuído sob a licença GNU/GPL e possui versões para Windows, Mac OS X e Linux, além de tradução para 43 idiomas, incluindo o português.

Musescore é bastante intuitivo e ótimo para aqueles que estão iniciando no universo das partituras, pois todos os seus recursos são de fácil acesso e assimilação.

Trata-se de um editor WYSIWYG completo com suporte a reprodução de partitura e importação/exportação de arquivos MusicXML e MIDI. E como já foi citado, notação para percussão e tablatura para instrumentos de cordas são suportadas, assim como impressão direta.

MuseScore suporta um número ilimitado de pautas, até quatro vozes por pauta, importa e exporta arquivos em MusicXML e MIDI e possui o sintetizador FluidSynth e sequenciador integrados.

Agora, o software de notação musical MuseScore 3.5.2 foi lançado com correções de bugs.

Novidades do MuseScore 3.5.2

MuseScore 3.5.2 lançado com algumas correções de bugsMuseScore 3.5.2 lançado com algumas correções de bugs
MuseScore 3.5 é uma pequena atualização da série 3.5, e chegou apenas para entregar correções de bugs.

Dentre as correções do MuseScore 3.5.2, destacam-se:

  • Corrigido o alongamento inesperado da página na caixa de diálogo “Editar estilo”;
  • Corrigido um problema de preferências de reprodução de harmonia;
  • Corrigida a exportação de áudio (FLAC, OGG, WAV) no Windows;
  • Corrigida uma possível falha que poderia ocorrer ao redimensionar o Piano Roll;
  • As edições no texto do sistema/marcação de andamento após salvar e recarregar a partitura não se propagaram para todas as partes.

Para saber mais sobre essa versão do MuseScore, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o MuseScore

Para instalar a versão mais recente do MuseScore nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar o editor de partituras MuseScore no Linux
Como instalar o editor de partituras MuseScore no Linux via Flatpak
Como instalar o editor de partituras MuseScore no Linux via Snap

Let's block ads! (Why?)

Kernel 5.9-ck1 lançado com Multiple Queue Skiplist Scheduler atualizado

Depois de um tempo sem updates, Con Kolivas anunciou o lançamento do Kernel 5.9-ck1 com Multiple Queue Skiplist Scheduler atualizado.

Con Kolivas é um anestesista australiano. Ele trabalhou como programador de computador no kernel Linux e no desenvolvimento do software de mineração de moeda criptográfica CGMiner.

Agora, esse desenvolvedor independente do kernel Linux (e anestesista aposentado) está de volta aos trilhos com uma nova atualização para seu conjunto de patches “CK” e o agendador MuQSS (Multiple Queue Skiplist Scheduler).

Kernel 5.9-ck1 lançado com Multiple Queue Skiplist Scheduler atualizado

Kernel 5.9-ck1 lançado com Multiple Queue Skiplist Scheduler atualizadoKernel 5.9-ck1 lançado com Multiple Queue Skiplist Scheduler atualizado
O médico aposentado havia tirado uma folga de seu hobby de desenvolvimento de kernel no início deste ano para ajudar a projetar equipamentos para a batalha COVID-19.

Ele conseguiu lançar seus patches atualizados para o kernel 5.7, mas tem se preocupado cada vez mais com o tamanho do kernel do Linux e sua capacidade no futuro de continuar mantendo esses patches independentes como resultado.

Para piorar as coisas, seu pai faleceu (não, não foi de COVID) e isso complicou ainda mais seu trabalho de desenvolvimento, conforme ele mesmo descreveu:

“Infelizmente, esses últimos meses foram marcados por problemas de bloqueio e família, culminando na morte definitiva de meu pai há pouco mais de um mês (não relacionado a covid19, mas tornou-se muito pior por causa de seus efeitos em tudo em nossa cidade), então o kernel do Linux foi a coisa mais distante da minha mente e uma ressincronização 5.8 nunca aconteceu. Ele fará muita falta, e se isso fosse algo mais substancial eu o dedicaria a ele, mas não faz justiça a ele.”

Entretanto, Con Kolivas está com o kernel 5.9-ck1 apresentando seus patches de kernel mais recentes para esta nova série estável mais MuQSS 0,204.

O kernel 5.9-ck1 e o MuQSS 0.204 continuam focados em fornecer a melhor capacidade de resposta do sistema, especialmente para cargas de trabalho de desktop. Isso exigiu muitas mudanças no código, considerando que nunca houve uma reformulação do kernel 5.8 anterior e, portanto, muitas mudanças no fluxo.

“Anunciando um novo lançamento -ck, 5.9-ck1 com a versão mais recente do Multiple Queue Skiplist Scheduler, versão 0.204 Esses são patches projetados para melhorar a capacidade de resposta e interatividade do sistema com ênfase específica no desktop, mas configuráveis ​​para qualquer carga de trabalho.”

Mas para aqueles que gostam do patch set “ck” e/ou MuQSS, existe o novo código disponível para uso com Linux 5.9.

Kolivas adverte, porém, que o novo código ainda deve passar por testes mais rigorosos, dadas todas as alterações de 5.7 para 5.9.

Para saber mais sobre o Kernel 5.9-ck1, acesse a nota de lançamento.

Os patchs podem ser baixado na página GitHub do software.

Let's block ads! (Why?)

Git 2.29 lançado com suporte experimental para usar SHA-256 mais seguro

E foi lançado o Git 2.29 com suporte experimental para usar SHA-256 mais seguro. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

Um sistema de controle de versão permite organizar o ciclo de desenvolvimento de um aplicativo em geral. De todos eles, o Git é um dos mais populares e tem o melhor suporte dos desenvolvedores.

O Git é um dos sistemas de controle de versão mais populares, confiáveis ​​e de alto desempenho, além de fornecer ferramentas de desenvolvimento não-linear baseadas em mesclagem e versões flexíveis.

Para garantir a integridade do histórico e a resistência a alterações retrospectivas, o hash implícito de todo o histórico anterior é usado em cada confirmação, e as assinaturas digitais de desenvolvedores e confirmações individuais de tags também podem ser verificadas.

Agora, foi lançada mais uma importante atualização desse poderoso software, o Git 2.29.

Novidades do Git 2.29

Git 2.29 lançado com suporte experimental para usar SHA-256 mais seguroGit 2.29 lançado com suporte experimental para usar SHA-256 mais seguro
O Git 2.29 agora está disponível com suporte experimental para o uso de SHA-256 para aumentar a segurança dos repositórios de código em relação à possibilidade de colisões SHA-1 intencionais com os índices atuais.

Nos últimos lançamentos, houve um trabalho em andamento para eventualmente migrar de hashes SHA1 para SHA256. A intenção é aumentar a segurança dos repositórios Git e, finalmente, com o Git 2.29, ele agora está em boa forma para servir em uma capacidade experimental.

O comando git init pode ser alimentado com a opção --object-format=sha256 para criar um repositório Git usando SHA-256, mas no momento não há meios de atualizar um repositório Git de SHA-1 para SHA-256.

Ao usar o formato de objeto SHA-256, somas de verificação de pacote, somas de verificação de índice e IDs de objeto são todas geradas usando SHA-256 com este novo formato em vez de SHA-1 que era o formato padrão do SHA-1.

O Git 2.29 com suporte para SHA-256, embora experimental, é o mais empolgante, mas também há uma série de outras melhorias para este lançamento, incluindo o padrão (novamente) do Protocolo de Transporte Git v2.

Para saber mais sobre essa versão do Git, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Git

Se você deseja atualizar ou instalar esta ferramenta, precisamos apenas abrir um terminal em nosso sistema e digitar um dos seguintes comandos.
Debian/Ubuntu
sudo apt-get install git

Fedora
sudo dnf install git

Gentoo
emerge --ask --verbose dev-vcs/git

Arch Linux
sudo pacman -S git

openSUSE
sudo zypper install git

Mageia
sudo urpmi git

Alpine
sudo apk add git

Ou

Para instalar a versão mais recente do Git nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar a última versão do Git no Debian ou Ubuntu
Como instalar a versão mais recente do GIT no CentOS, RHEL e derivados

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Stremio no Ubuntu, Debian e derivados

Se você quer assistir seus canais vídeos, filmes, séries de TV favoritos, conheça e veja como instalar o Stremio no Ubuntu, Debian e derivados.

Stremio é um aplicativo que ajuda a organizar e instantaneamente assistir seus canais vídeos, filmes, séries de TV favoritos.

Como instalar o Stremio no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o Stremio no Ubuntu, Debian e derivados

Este aplicativo é possivelmente uma das melhores alternativas ao Kodi. Com ele, podemos assistir a todos os tipos de conteúdo de streaming sem consumir muitos recursos do nosso computador.

Tal como acontece com o Kodi, esta aplicação faz uso de addons que nos darão acesso a todo o tipo de conteúdos audiovisuais.

O Stremio permite que você comece a usá-lo assim que o instalar. Teremos apenas que ir às configurações dos addons, de onde podemos baixar o addon que nos interessa.

É um aplicativo que permite aos usuários desfrutar de streaming de conteúdo localmente e pela Internet. Podemos dizer que é uma espécie de Plex, que também funciona muito bem.

Para usar o Kodi e todos os seus recursos, você precisa de um período de adaptação. Porém, para usar o Stremio, basta iniciar o aplicativo, instalar os add-ons desejados … e começar a desfrutar.

Não poderemos personalizar este aplicativo com »programas» e extensões de todos os tipos, algo que podemos fazer no Kodi. Isso porque estamos diante de uma plataforma de streaming, na qual podemos ver tanto conteúdo gratuito, conteúdo pago ou combinar todas as nossas assinaturas em um só lugar.

Como instalar o Stremio no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o Stremio no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome stremio.deb:

wget https://dl.strem.io/shell-linux/v4.4.116/stremio_4.4.116-1_amd64.deb -O stremio.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i stremio.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./stremio.deb

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite stremio em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

Se após a instalação, quando iniciar o Stremio pelo terminal, aparecer um erro relacionado à biblioteca libx264.so.152 com a mensagem “erro da biblioteca libx264”, corrija isso baixando a biblioteca usando wget da seguinte maneira:

wget http://archive.ubuntu.com/ubuntu/pool/universe/x/x264/libx264-152_0.152.2854+gite9a5903-2_amd64.deb
sudo dpkg -i libx264-152_0.152.2854+gite9a5903-2_amd64.deb

Como desinstalar o Stremio no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Depois, se for necessário, para desinstalar o Stremio no Linux Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove stremio*

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Harmony Music Player no Linux

Se você procura um reprodutor de áudio parecido com o iTunes da Apple, veja como instalar o Harmony Music Player no Linux Ubuntu, Debian, Mint, Fedora e Arch Linux.

Harmony é um leitor de música open-source com uma interface elegante, disponível para Linux, Mac e Windows.

Como instalar o Harmony Music Player no Ubuntu, Mint e Arch LinuxComo instalar o Harmony Music Player no Linux

Ele imita a aparência do iTunes e é construído usando o framework de desenvolvimento Elétron, então ele pode consumir muita RAM.

Além de música local, o leitor de música Harmony suporta os serviços de streaming de música online SoundCloud, Spotify, Google Play Music, Last.fm scrobbling, Deezer e Hype Machine.

Como? Harmony é baseado em plugins. Os plug-ins estão disponíveis para Spotify, SoundCloud, Google Play Music, Hype Machine, YouTube, Reddit, Deezer e arquivos locais.

Como instalar o Harmony Music Player no Linux

Para instalar o Harmony Music Player no Linux, você pode usar um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o Harmony Music Player no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Harmony Music Player no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome harmony.appimage:

wget https://github.com/vincelwt/harmony/releases/download/v0.9.1/harmony-0.9.1-x32.AppImage -O harmony.appimage

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome harmony.appimage:

wget https://github.com/vincelwt/harmony/releases/download/v0.9.1/harmony-0.9.1-x64.AppImage -O harmony.appimage

Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x harmony.appimage

Passo 6. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./harmony.appimage

Passo 7. Na janela que será exibida, clique no botão “Yes” e aguarde o final da instalação;

Como instalar o Harmony Music Player no Ubuntu, Linux Mint, Debian e seus derivados

Quem quiser instalar o Harmony Music Player no Ubuntu, Linux Mint, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome harmony.deb:

wget https://github.com/vincelwt/harmony/releases/download/v0.9.1/harmony-0.9.1-x32.deb -O harmony.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome harmony.deb:

wget https://github.com/vincelwt/harmony/releases/download/v0.9.1/harmony-0.9.1-x64.deb -O harmony.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt install libappindicator1 libindicator7
sudo dpkg -i harmony.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove harmony*

Como instalar o Harmony Music Player no Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Quem quiser instalar o Harmony Music Player no Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome harmony.rpm:

wget https://github.com/vincelwt/harmony/releases/download/v0.9.1/harmony-0.9.1-x32.rpm -O harmony.rpm

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome harmony.rpm:

wget https://github.com/vincelwt/harmony/releases/download/v0.9.1/harmony-0.9.1-x64.rpm -O harmony.rpm

Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install harmony.rpm

Passo 7. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall harmony.rpm

ou

sudo dnf install harmony.rpm

Passo 8. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

sudo rpm -i harmony.rpm

Passo 9. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e harmony*

Como instalar o Harmony Music Player no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados

Para instalar o Harmony Music Player no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados, você precisa ter o Yaourt instalado. Se não tiver, use esse tutorial:

Como instalar e usar o Yaourt no Arch Linux e derivados

Depois, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Agora instale o programa com o comando:

yaourt harmony-player

Passo 3. Se depois você precisar desinstalar o programa, use este comando:

sudo pacman -Rsn harmony-player

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite /opt/Harmony/harmony em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Tartube no Linux – Um front-end para o Youtube-DL Video Downloader

Se você quer baixar vídeos do YouYube sem complicações, instale o Tartube no Linux, Um front-end GTK+ 3 para o Youtube-DL Video Downloader.

Procurando uma interface gráfica para o utilitário de linha de comando Youtube-DL Video Downloader? Tartube é um front-end GTK+ 3 escrito em Python 3.

Tartube no Linux - Um front-end para o Youtube-DL Video DownloaderTartube no Linux – Um front-end para o Youtube-DL Video Downloader

Tartube é parcialmente baseado em youtube-dl-gui e roda em Windows, Linux, Mac OS e BSD. É um software livre e de código aberto que pode baixar vídeos individuais, e até canais inteiros e listas de reprodução, do YouTube e de todos os sites com suporte do youtube-dl.

Além de baixar vídeos, o Tartube também pode organizar seus vídeos em pastas convenientes, alertá-lo quando as transmissões ao vivo estiverem iniciando e muito mais.

Observe que é ilegal baixar qualquer conteúdo do YouTube ou de qualquer outro site, a menos que você veja uma opção de download ou obtenha permissão do editor. Por isso, use esse software por sua própria conta e risco!

Ciente de tudo isso, veja abaixo como instalar esse aplicativo no Linux.

Como instalar o Tartube no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o Tartube no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome tartube.deb:

wget https://github.com/axcore/tartube/releases/download/v2.2.007/python3-tartube_2.2.7.deb -O tartube.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i tartube.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./tartube.deb

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove programa*

Como instalar o Tartube no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Quem quiser instalar o Tartube no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome tartube.rpm:

wget https://github.com/axcore/tartube/releases/download/v2.2.007/tartube-2.2.7.rpm -O tartube.rpm

Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install tartube.rpm

Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall tartube.rpm

ou

sudo dnf install tartube.rpm

Passo 6. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

sudo rpm -i tartube.rpm

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e tartube*

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite tartube em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o leitor de audiobooks Audible no Linux via Snap

Se você quer literalmente ouvir seus livros eletrônicos, conheça e veja como instalar o leitor de audiobooks Audible no Linux via Snap.

Audible é um leitor de audiobooks que permite ouvir as melhores histórias do mundo. Desfrute de audiolivros, podcasts originais e muito mais no aplicativo gratuito.

Como instalar o leitor de audiobooks Audible no Linux via SnapComo instalar o leitor de audiobooks Audible no Linux via Snap

Aumente seus momentos do dia a dia. Esteja você fazendo tarefas domésticas, se exercitando ou apenas relaxando, transforme os momentos em que suas mãos estão ocupadas, mas sua mente está livre.

Ouça seus gêneros favoritos. Faça sua escolha na maior seleção de audiolivros do mundo, incluindo best-sellers, lançamentos mais recentes, ficção científica, fantasia e muito mais.

Como instalar o leitor de audiobooks Audible no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o leitor de audiobooks Audible via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o leitor de audiobooks Audible via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install audible-for-linux

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install audible-for-linux --candidate

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh audible-for-linux

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite audible ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o leitor de audiobooks Audible no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o leitor de audiobooks Audible no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove audible-for-linux

Let's block ads! (Why?)

Vídeos do YouTube: como instalar o Minitube no Linux

Se você quiser assistir vídeos do YouTube, veja abaixo como instalar o Minitube no Linux Ubuntu, OpenSUSE, Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados.

Minitube é um cliente YouTube leve, que permite que os usuários assistam vídeos no YouTube de uma nova maneira: você digita uma palavra-chave em uma caixa de pesquisa e o MiniTube imediatamente carrega os resultados.

Vídeos do YouTube: como instalar o Minitube no LinuxVídeos do YouTube: como instalar o Minitube no Linux

O programa é um cliente nativo do YouTube que tenta proporcionar uma experiência semelhante a uma TV para o usuário, em vez de clonar a interface original web YouTube.

O melhor de tudo é que ele não requer o Flash Player para poder funcionar, ou seja, ele consome menos CPU e preserva a bateria do seu laptop.

Vídeos do YouTube: como instalar o Minitube no Linux

Vídeos do YouTube: como instalar o Minitube no Linux

Instalando o Minitube para assistir Vídeos do YouTube no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o Minitube para assistir Vídeos do YouTube no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash/Atividades ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome minitube.deb:

wget http://flavio.tordini.org/files/minitube/minitube.deb -O minitube.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome minitube.deb:

wget http://flavio.tordini.org/files/minitube/minitube64.deb -O minitube.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i minitube.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Se depois você precisar desinstalar o programa, use este comando:

sudo apt-get remove minitube

Como instalar o Minitube para assistir vídeos do YouTube no OpenSUSE e seus derivados

Atenção! Essa versão já não está disponível para o OpenSUSE 13.1, por isso, mantive o link da última versão disponibilizada.

Para instalar o Mitube para assistir vídeos do YouTube no OpenSUSE, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se você estiver usando o openSUSE Factory PowerPC, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/multimedia:/apps/openSUSE_Factory_PowerPC/multimedia:apps.repo -O /etc/zypp/repos.d/multimedia:apps.repo

Passo 3. Se você estiver usando o openSUSE Leap 15.1, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/multimedia:/apps/openSUSE_Leap_15.1/multimedia:apps.repo -O /etc/zypp/repos.d/multimedia:apps.repo

Passo 4. Se você estiver usando o openSUSE Leap 15.2, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/multimedia:/apps/openSUSE_Leap_15.2/multimedia:apps.repo -O /etc/zypp/repos.d/multimedia:apps.repo

Passo 5. Se você estiver usando o openSUSE Tumbleweed, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/multimedia:/apps/openSUSE_Tumbleweed/multimedia:apps.repo -O /etc/zypp/repos.d/multimedia:apps.repo

Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo zypper update

Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

sudo zypper install minitube

Passo 8. Se depois você precisar desinstalar o programa, use este comando:

sudo zypper remove minitube

Como instalar o Minitube para assistir vídeos do YouTube no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados

Para instalar o Minitube para assistir vídeos do YouTube no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados, você precisa ter o Yaourt instalado. Se tiver, use este tutorial para instaalr:

Como instalar e usar o Yaourt no Arch Linux e derivados

Depois, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Agora instale o programa com o comando:

sudo yaourt minitube

Passo 3. Se depois você precisar desinstalar o programa, use este comando:

sudo pacman -Rsn minitube

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite minitube em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o redimensionador OpenResizer no Linux via Snap

Se você precisa mudar o tamanho de mais de uma imagem ao mesmo tempo, conheça e veja como instalar o redimensionador OpenResizer no Linux via Snap.

OpenResizer é um software de redimensionamento de imagens em lote de código aberto com uma GUI. Ele é projetado para ser rápido e fácil de usar.

Como instalar o redimensionador OpenResizer no Linux via SnapComo instalar o redimensionador OpenResizer no Linux via Snap

Com o OpenResizer você faz redimensionamento de uma ou várias imagens, visualizar o antes e o depois.

Ele suporta imagens nos formatos PNG, JPG e BMP, tem compressão JPG ajustável, suporte para transparência PNG e suporte para CPU de múltiplos núcleos.
Como instalar o redimensionador OpenResizer no Linux via Snap

Como instalar o redimensionador OpenResizer no Linux via Snap

Como instalar o redimensionador OpenResizer no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o redimensionador OpenResizer no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o redimensionador OpenResizer via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install openresizer

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh openresizer

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite openresizer ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o redimensionador OpenResizer no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o redimensionador OpenResizer via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove openresizer

Let's block ads! (Why?)

Como experimentar as últimas versões do Firefox no Ubuntu

Você quer manter o navegador padrão do Ubuntu sempre atualizado e experimentar as últimas versões do Firefox junto com suas novidades, antes de saírem oficialmente? Então veja aqui como fazer isso.

O Mozilla Firefox é o navegador padrão do Ubuntu, e normalmente, a última versão do Firefox fica disponível como uma atualização de segurança em todas as versões suportadas do Ubuntu, depois de algumas horas do anúncio da Mozilla.

Como experimentar as últimas versões do Firefox no UbuntuComo experimentar as últimas versões do Firefox no Ubuntu

Mesmo com a versão principal do Firefox estando em um ritmo acelerado de atualizações, muitas pessoas querem experimentar as últimas novidades do navegador.

Felizmente, isso é fácil de fazer no Ubuntu e derivados, usando um repositório de versões de desenvolvimento do Firefox.

Como experimentar as últimas versões do Firefox no Ubuntu e derivados

Atenção! Por se tratar de versões instáveis, esse repositório traz versões alpha, beta e RC do navegador que podem ter bugs e travamentos, por isso, use por sua própria conta e risco.

Ciente do risco, se você quiser manter seu Ubuntu sempre com a última versão instável do Firefox, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:mozillateam/firefox-next

Passo 3. Agora atualize o APT com esse comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, coloque o sistema para buscar as atualizações com o comando abaixo:

sudo apt-get upgrade

Como instalar as últimas versões do Firefox manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois disso, para ter sempre as últimas versões do Firefox no Ubuntu, basta chamar o atualizador do sistema para baixar a atualização do Firefox, junto com os outros updates do programa.

No atualizador, se quiser atualizar apenas o Firefox, desmarque as outras opções e comece o processo.

Desinstalando o repositório das últimas versões do Firefox no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o repositório das últimas versões do Firefox no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o repositório das últimas versões do Firefox, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:mozillateam/firefox-next -r -y
sudo apt-get update
sudo apt-get autoremove

Mas se você quer apenas instalar o Firefox normal, ESR ou quer apenas mantê-lo atualizado, veja esses outros tutoriais:

Let's block ads! (Why?)

19 de outubro de 2020

Como instalar a ferramenta de captura de tela Ksnip no Linux via AppImage

Se você quer fazer capturas e anotações nelas, conheça e veja como instalar a ferramenta de captura de tela Ksnip no Linux via AppImage.

O Ksnip é uma ferramenta de captura de tela do Linux baseada em Qt que fornece muitos recursos de anotação para suas capturas de tela.

Como instalar a ferramenta de captura de tela Ksnip no Linux via AppImageComo instalar a ferramenta de captura de tela Ksnip no Linux via AppImage

Por oferecer basicamente os mesmos recursos (e algo mais), o KSnip pode ser considerado uma ótima alternativa ao poderoso Shutter, outra importante ferramenta de captura de tela.

Como instalar a ferramenta de captura de tela Ksnip no Linux via arquivo AppImage

Para instalar a ferramenta de captura de tela Ksnip no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome ksnip.appimage:

wget https://github.com/ksnip/ksnip/releases/download/v1.7.3/ksnip-1.7.3-x86_64.AppImage -O ksnip.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x ksnip.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./ksnip.appimage

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite ksnip ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Let's block ads! (Why?)

Configure mouse Razer no Linux com o Razercfg

Se possui um mouse da Razer, conheça o Razercfg configure mouse Razer no Linux sem complicações, e todos os recursos que o hardware suporta.

Razer Synapse, o utilitário de configuração oficial da marca Razer, não funciona no Linux. No entanto, há uma ferramenta chamada Razercfg que permite configurar algumas das definições de mouse Razer no Linux.

Configure mouse Razer no Linux com o RazercfgConfigure mouse Razer no Linux com o Razercfg

A aplicação só suporta opções que são suportadas pelo hardware do mouse, como mudar o DPI, a frequência de varredura (taxa de sondagem) e cores de LED.

Assim, por exemplo, se o hardware não suporta o remapeamento de botão, o Razercfg não oferecem essa opção.

Isso também significa que Razercfg não suporta macros. Razercfg também permite salvar e facilmente alternar entre perfis (Desktop, FPS gaming, RPG gaming, etc.).

Razercfg suporta os seguintes dispositivos:

  • Razer DeathAdder Classic;
  • Razer DeathAdder 3500 DPI;
  • Razer DeathAdder Black Edition;
  • Razer DeathAdder 2013;
  • Razer DeathAdder Chroma;
  • Razer Krait;
  • Razer Lachesis Classic;
  • Razer Naga Classic mouse;
  • Razer Naga 2012 mouse;
  • Razer Naga 2014 mouse;
  • Razer Naga Hex mouse;
  • Razer Taipan mouse.

E os dispositivos abaixo são listados como tendo características estáveis:

  • Razer Boomslang CE;
  • Razer Copperhead;
  • Razer Lachesis Classic.

Para obter uma lista completa de recursos de hardware para cada mouse, acesse essa página no site do Razercfg.

Como instalar o Razercfg no Ubuntu e configurar mouse Razer no Linux

Para instalar o Razercfg no Ubuntu para configurar mouse Razer no Linux, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install razercfg qrazercfg-applet

Como instalar o Razercfg manualmente ou em outras distros para configurar mouse Razer no Linux

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite razercfg no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Se o aplicativo não detectar o mouse (e o dispositivo está listado como suportado), tente reiniciar o sistema e também ver a primeira nota abaixo.

Desinstalando o Razercfg no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Razercfg no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8 -r -y
sudo apt-get remove razercfg qrazercfg-applet --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a Codelobster IDE no Ubuntu, Debian e derivados

Se você estava a procura de um boa ferramenta para programar em PHP, conheça e veja como instalar a Codelobster IDE no Ubuntu, Debian e derivados

Codelobster IDE é uma IDE (Integrated Development Environment) completa para PHP que roda em Linux, Mac e Windows.

Como instalar a Codelobster IDE no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar a Codelobster IDE no Ubuntu, Debian e derivados

Primeiro de tudo, com Codelobster IDE você pode editar arquivos PHP, HTML, CSS e JavaScript, pois ele destaca a sintaxe e fornece dicas para tags, funções e seus parâmetros.

Este editor lida facilmente com os arquivos que contêm um conteúdo misto. E se você inserir o código PHP em seu modelo HTML, o editor destacará corretamente as tags HTML e as funções do PHP.

E para completar, o mesmo se aplica ao código CSS e JavaScript, que está contido em arquivos HTML.

Ademais, programa também inclui a função de conclusão automática, o que acelera bastante o trabalho do programador e elimina a possibilidade de erros.

Além disso, o Codelobster IDE fornece ajuda contextual em todas as linguagens de programação suportadas. E para usar a documentação mais atualizada, ele as baixa de sites oficiais.

Com isso, é possível obter rapidamente uma descrição de qualquer tag HTML, atributo CSS, PHP ou JavaScript, apenas pressionando a tecla F1.

Acima de tudo, o depurador PHP integrado permite que você execute scripts PHP passo a passo, movendo-se sequencialmente através das linhas de código.

Finalmente, você pode atribuir pontos de verificação, visualizar o processo do trabalho de loops e monitorar os valores de todas as variáveis ​​durante a execução do script.

Como instalar a Codelobster IDE no Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar a Codelobster IDE Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome codelobsteride.deb:

wget http://codelobsteride.com/download/codelobsteride-1.10.2_debian_amd64.deb -O codelobsteride.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i codelobsteride.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./codelobsteride.deb

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove codelobsteride*

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite codelobster ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o seletor de cores Color Picker no Linux via Flatpak

Se você precisa descobri as cores que estão na tela do PC, conheça e veja como instalar o seletor de cores Color Picker no Linux via Flatpak.

Sempre quis saber o valor dessa cor em sua tela? O Seletor de cores Color Picker permite que você escolha a cor de qualquer pixel da tela. Também oferece uma paleta, para que você possa misturar e combinar facilmente algumas cores.

Como instalar o seletor de cores Color Picker no Linux via FlatpakComo instalar o seletor de cores Color Picker no Linux via Flatpak

Quando você encontrar a combinação perfeita de cores, naturalmente deseja salvá-las. O Color Picker permite que você salve e recupere cores de maneira conveniente.

Color Picker é uma caixa de diálogo de seleção de cores escrita em GTK 3. É muito parecida com Gcolor2, mas usa a versão GTK mais recente e outras modernizações para se integrar melhor ao seu desktop moderno.

Como instalar o seletor de cores Color Picker no Linux via Flatpak

Para instalar o seletor de cores Color Picker via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o seletor de cores Color Picker via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/nl.hjdskes.gcolor3.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update nl.hjdskes.gcolor3

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run nl.hjdskes.gcolor3 em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite gcolor ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o seletor de cores Color Picker no Linux via Flatpak

Para desinstalar o seletor de cores Color Picker no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall nl.hjdskes.gcolor3

Ou

flatpak uninstall nl.hjdskes.gcolor3

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o conversor qTsConverter no Linux via Flatpak

Se você trabalha com tradução e quer agilizar suas tarefas, conheça e veja como instalar o conversor qTsConverter no Linux via Flatpak.

qTsConverter é uma ferramenta simples para converter arquivos de tradução qt (ts) para outro formato (xlsx/csv) e vice-versa.

Como instalar o conversor qTsConverter no Linux via FlatpakComo instalar o conversor qTsConverter no Linux via Flatpak

Esta ferramenta nasceu para converter o arquivo .ts da tradução do Qt em outro formato mais editável usando um pacote de escritório como o LibreOffice ou qualuqer outro uqe possua um editor de planilhas com suporte aos formatos XLSX/CSV.

Como instalar o conversor qTsConverter no Linux via Flatpak

Para instalar o conversor qTsConverter via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o conversor qTsConverter via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.guerinoni.qTsConverter.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.guerinoni.qTsConverter

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.guerinoni.qTsConverter em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite qtsconverter ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o conversor qTsConverter no Linux via Flatpak

Para desinstalar o conversor qTsConverter via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.guerinoni.qTsConverter

Ou

flatpak uninstall org.guerinoni.qTsConverter

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Waiter Restaurant POS no Linux via Snap

Se você tem um comércio de venda de comida, conheça e veja como instalar o Waiter Restaurant POS no Linux via Snap para usar nele.

O Waiterio é um ponto de venda (POS) acessível e fácil de usar, que é perfeito para qualquer restaurante, bar, cafeteria, pub, pizzaria, delicatessen, bistrô e outros negócios da indústria de alimentos.

Como instalar o Waiter Restaurant POS no Linux via SnapComo instalar o Waiter Restaurant POS no Linux via Snap

O Waiterio Restaurant POS é a maneira mais rápida de lidar com pedidos de restaurantes, pois facilita a vida dos garçons e cozinheiros. Pedidos de clientes podem ser feitos em segundos. A cozinha recebe os pedidos assim que os garçons os levam.

O aplicativo é recomendado para qualquer garçom e cozinheiro que não queira mexer com caneta e papel.

O aplicativo não requer nenhuma configuração longa inicial. Gaste menos tempo configurando o POS e mais tempo, tornando seu restaurante e menu charmosos.

O Waiterio pode imprimir pedidos na cozinha e faturas para os clientes.

Com ele, você pode deixar um tablet na mesa de um cliente. Os clientes poderão ler o menu e pedir sua comida diretamente no tablet.

Você também pode verificar as receitas do dia/semana/mês e descobrir quais pratos estão indo muito bem e quais devem ser removidos do menu.

[embedded content]

Como instalar o Waiter Restaurant POS no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Waiter Restaurant POS via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Waiter Restaurant POS via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install waiterio-restaurant-pos

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh waiterio-restaurant-pos

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite waiterio ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o Waiter Restaurant POS no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o Waiter Restaurant POS via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove waiterio-restaurant-pos

Let's block ads! (Why?)

Como ativar a atualização automática no Ubuntu (Unity/Gnome)

Cansou daquela tela do Ubuntu avisando que existem novas atualizações? Então veja como ativar a atualização automática do sistema no Ubuntu.

O Ubuntu constantemente verifica a existência de uma atualização do sistema e avisa quando há uma versão mais recente de uma atualização de software ou sistema disponível.

Como ativar a atualização automática no UbuntuComo ativar a atualização automática no Ubuntu

Mas se você não quer de ficar vendo os avisos e gostaria de automatizar todo o processo de atualização, para que o sistema possa instalar a atualização automaticamente em segundo plano, veja abaixo como você pode fazer isso.

Como ativar a atualização automática do sistema no Ubuntu

Para habilitar a atualização automática do sistema no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Se você estiver usando o Ubuntu com Unity (17.04 ou inferior), clique no Dash e digite “Programas e atualizações”. Depois, clique no ícone do programa para executá-lo;

Como ativar a atualização automática no Ubuntu

Como ativar a atualização automática no Ubuntu

Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu com Gnome (17.10 ou superior), clique em “Atividades” e digite “Programas e atualizações”. Depois, clique no ícone do programa para executá-lo;

Como ativar a atualização automática no Ubuntu

Como ativar a atualização automática no Ubuntu

Passo 3. Em “Programas e atualizações”, clique na aba “Atualizações”;

Como ativar

Como ativar

Passo 4. Dentro da aba, clique na seta ao lado do campo “Quando houver atualizações de segurança”, selecione no menu suspenso a opção “Baixar e instalar automaticamente”;

Como ativar

Como ativar

Passo 5. Será exibida uma tela de autenticação. Forneça a senha de administrador e clique em “Autenticar;

Como ativar

Como ativar

Passo 6. Marque as caixas ao lado de “Atualizações de segurança importantes”, “Atualizações recomendadas” e “Atualizações não suportadas.” Isso irá automatizar a atualização de arquivos do sistema, bem como todo o software instalado (a partir do repositório ou via PPA). Finalmente, clique no botão “Fechar”. Se aparecer uma tela pedindo para atualizar as informações dore aplicativos, clique no botão “Recarregar”;

Como ativar

Como ativar

Como ativar atualização automática no servidor Ubuntu

Se você estiver executando um servidor Ubuntu e gostaria de automatizar a atualização de segurança, faça o seguinte;

Passo 1. Abra um sessão de terminal ou conecte-se remotamente ao servidor;
Passo 2. Para ativar, digite o seguinte comando;

sudo dpkg-reconfigure -plow unattended-upgrades

Passo 3. Será exibida uma janela perguntando se você deseja que o sistema para baixe e instale atualizações estáveis automaticamente. Selecione “Yes” ou “Sim”.

Como ativar a atualização automática no Ubuntu

Como ativar a atualização automática no Ubuntu

Pronto! Agora você não precisa mais se preocupar em ficar atualizando seu sistema, ele mesmo fará isso automaticamente.

Só não esqueça de deixá-lo ligado e conectado à Internet para que ele possa executar a tarefa.

Let's block ads! (Why?)

Visualização e edição de dados EXIF: Instale e experimente o pyExifToolGUI

Quem trabalha com imagens, principalmente fotos de câmeras, sempre precisa fazer visualização e edição de dados EXIF. Se este é o seu caso, instale e experimente o pyExifToolGUI.

pyExifToolGUI é uma ferramenta de visualização e edição de dados EXIF, aquelas informações presente em nossas imagens digitais.

Visualização e edição de dados EXIF: Instale e experimente o pyExifToolGUIVisualização e edição de dados EXIF: Instale e experimente o pyExifToolGUI

Com esse software você pode visualizar e editar os dados EXIF e ainda usar uma série de características extras, como a ferramenta para renomear várias imagens de uma vez.

Escrito em Python com Qt, pyExifToolGUI é uma interface gráfica para para o utilitário ExifTool e inclui também alguns recursos úteis, como ferramentas para renomear rapidamente imagens.

O programa suporta todos os formatos (incluindo imagens RAW também) e é capaz de salvar as várias tags de EXIF e XMP, também permite que você processe os dados de uma ou mais imagens, incluindo também dados de GPS e suporte para geotagging.

pyExifToolGUI tem suporte para o Google Photosphere (gpano) e inclui ferramentas para alterar as datas das imagens com base na tag de data e hora.

Um ponto forte deste software é a capacidade de gravar os dados, copiados ou não de uma imagem de origem (imagem de referência), para várias imagens de uma só vez.

Como instalar a ferramenta de visualização e edição de dados EXIF pyExifToolGUI no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o pyExifToolGUI no Ubuntu, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Para descobrir a versão de sua distro, use o seguinte comando;

lsb_release -rs

Passo 3. Se seu sistema é um Ubuntu 12.04 ou compatível com ele, use o comando abaixo para baixar o pacote DEB:

wget http://ppa.launchpad.net/ferramroberto/lffl/ubuntu/pool/main/p/pyexiftoolgui/pyexiftoolgui_0.6-1~lffl~precise_all.deb -O pyexiftoolgui.deb

Passo 4. Se seu sistema é um Ubuntu 14.04 ou superior e compatível com a versão, use o comando abaixo para baixar o pacote DEB:

wget http://ppa.launchpad.net/ferramroberto/lffl/ubuntu/pool/main/p/pyexiftoolgui/pyexiftoolgui_0.6-1~lffl~trusty_all.deb -O pyexiftoolgui.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i pyexiftoolgui.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo7. Para evitar um erro na inicialização, crie a pasta do programa com o comando.

cd && mkdir .pyexiftoolgui

Você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite pyexiftool ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a IDE Python Wing no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados

Se você programa em Python e procura uma boa ferramenta para isso, conheça e veja como instalar a IDE Python Wing no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados.

Wing é um IDE Python altamente personalizável e flexível, profissional, com um poderoso depurador e editor inteligente.

Como instalar a IDE Python Wing no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivadosComo instalar a IDE Python Wing no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados

Ela permite o desenvolvimento interativo do Python de maneira rápida, precisa e divertida. E se você adora usar o Vim, o Wing se liga incrivelmente a esse editor.

Alguns de seus recursos mais conhecidos incluem funcionalidades de depuração extremamente poderosas, navegação de código, teste de unidade integrada, desenvolvimento remoto e muito mais. Wing tem integração rica com App Engine, Django, PyQt, Flask, Vagrant e mais.

Essa IDE suporta gerenciamento de projetos e controle de versão com Git, Mercurial, Bazaar, Subversion e muitos outros.

Como instalar a IDE Python Wing no Linux

Para instalar a IDE Python Wing no Linux Ubuntu, Debian e derivados, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar a IDE Python Wing no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar a IDE Python Wing no Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wingide.deb:

wget https://wingware.com/pub/wing-personal/7.2.6.0/wing-personal7_7.2.6-0_amd64.deb -O wingide.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i wingide.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./wingide.deb

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove wingide*

Como instalar a IDE Python Wing no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Quem quiser instalar a IDE Python Wing no Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wingide.rpm:

wget https://wingware.com/pub/wing-personal/7.2.6.0/wing-personal7-7.2.6-0.x86_64.rpm -O wingide.rpm

Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install wingide.rpm

Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall wingide.rpm

ou

sudo dnf install wingide.rpm

Passo 6. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

sudo rpm -i wingide.rpm

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e wingide*

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite wing ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o IDE Python Wing no Linux via Snap

Let's block ads! (Why?)

Linux Kodachi 7.3 lançado com kernel 5.8 e baseado no Xubuntu 18.04.5

Warith Al Maawali anunciou o lançamento do Linux Kodachi 7.3 com kernel 5.8 e baseado no Xubuntu 18.04.5. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.

O Linux Kodachi é uma distribuição que pode ser executada a partir de um pen drive de DVD ou USB. Ela é focada na privacidade do projeto (com VPN, Tor e DNSCrypt) baseada no Xubuntu e apresentando um desktop Xfce altamente personalizado.

Essa distribuição filtra todo o tráfego da rede por meio de uma VPN e da rede Tor, obscurecendo a localização da rede do usuário. Além disso, a distribuição tenta limpar a si mesma, removendo vestígios de seu uso do computador.

Agora, Warith Al Maawali anunciou o lançamento do Linux Kodachi 7.3.

Novidades do Linux Kodachi 7.3

Linux Kodachi 7.3 lançado com kernel 5.8 e baseado no Xubuntu 18.04.5Linux Kodachi 7.3 lançado com kernel 5.8 e baseado no Xubuntu 18.04.5
Além de corrigir alguns bugs relatados, esta versão também atualiza o kernel do Linux para a versão 5.8, atualiza o sistema subjacente para o Xubuntu 18.04.5 e atualiza o Tor e o LibreOffice (versão 7.0.2rc2).

Nessa atualização foi adicionado o Demonsaw (uma plataforma de comunicação criptografada para bate-papo, mensagens e transferência de arquivos sem medo de coleta de dados ou vigilância).

No Linux Kodachi 7.3 foi corrigido o problema do navegador Tor, o problema na geração de chave SSH, e os arquivos de configuração VPN foram atualizados;

Também foi corrigido o bug do menu, o desempenho de Conky e foi removido o instalador online, pois causava problemas quando a imagem ao vivo era muito antiga.

Além disso, Linux Kodachi 7.3 substituiu o Nano pelo Ublock Origin nos navegadores, a atualização completa do sistema foi concluída com o MyMonero, Electron, Wire, Xnview, Veracrypt, e Session messenger.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o Linux Kodachi 7.3

A imagem ISO do Linux Kodachi 7.3 já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu

HandBrake é um dos mais poderosos conversores de vídeo. Se você quiser experimentar ou atualizar o programa, veja como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu.

Bastante popular, o HandBrake é um decodificador de vídeo de código aberto para Linux, Windows e Mac OS X. O programa é também uma ferramenta para ripar DVDs.

Como instalar a versão mais recente do HandBrake no UbuntuComo instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu

Ele converte os filmes em MPEG-4 e, além de oferecer diversas opções de configuração, insere a legenda desejada diretamente no resultado final.

Além de tudo isso, o aplicativo vem com presets embutidos (perfis) e, além de formatos multimídia comuns, ele suporta DVD ou Bluray desprotegidos, legendas e muito mais.

Como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu

Como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu

Para ver as novidades da última versão desse aplicativo, acesse a página de notícias do projeto.

Como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu e derivados

HandBrake está disponível nos repositórios oficiais de algumas versões do Ubuntu, no entanto, não é a versão mais recente.

Por isso, para ter a última versão desse programa no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:stebbins/handbrake-releases

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar a versão GTK do HandBrake;

sudo apt-get install handbrake-gtk

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar a versão de linha de comando do HandBrake;

sudo apt-get install handbrake-cli

Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o instalador diretamente nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite handbrake no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Usando o HandBrake

Antes de começar a converter os vídeos, lembre-se que mesmo sendo um programa fácil de utilizar, é sempre bom dar uma olhada no manual dele.
Por isso, visite o HandBrake Documentation, se quiser aprender um pouco mais sobre como usá-lo.

Desinstalando o HandBrake no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o HandBrake no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:stebbins/handbrake-releases -r -y
sudo apt-get remove handbrake-gtk handbrake-cli --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o conversor multimídia HandBrake no Linux
Como instalar o conversor multimídia HandBrake no Linux via Flatpak

Let's block ads! (Why?)

Como atualizar para o Ubuntu 20.10 via terminal (server e desktop)

Agora que o Ubuntu 20.10 beta já está por aí, já é possível experimentá-lo, e se você ainda não sabe como fazer isso, acompanhe e aprenda neste simples tutorial, como atualizar para o Ubuntu 20.10 via terminal (server e desktop).

Antes de se aventurar, saiba que o Ubuntu 20.10 não é uma versão LTS (Long Term Support ou Longo Tempo de Suporte). Isso significa que esse lançamento será suportado será suportado apenas por nove meses.

Serão nove meses de correções de segurança em andamento, correções de estabilidade e atualizações de aplicativos selecionados. Depois desse prazo, você precisará atualizar para a próxima versão.

Abaixo, você verá como atualizar para o Ubuntu 20.10 usando o terminal, o que pode ser feito em servidores e desktops.

Atenção!

Vale lembrar que esse procedimento também pode ser usado em versões desktop e servidor do Ubuntu. Também é muito importante saber que para atualizar, seu sistema atual precisa ser o Ubuntu 20.04 LTS. E embora este seja um procedimento considerado seguro, faça a atualização por sua própria conta e risco.

Como atualizar para o Ubuntu 20.10 via terminal (server e desktop)

Como atualizar para o Ubuntu 20.10 via terminal (server e desktop)Como atualizar para o Ubuntu 20.10 via terminal (server e desktop)
Para atualizar para o Ubuntu 20.10 via terminal, primeiramente, faça uma cópia de segurança de seus arquivos.

Depois, atualize os pacotes do sistema, executando o comando abaixo em um terminal:

sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade
sudo reboot

Depois de atualizar os pacotes e reiniciar o sistema, para começar a atualizar para o Ubuntu 20.10, faça o seguinte:

Passo 1. Faça login com sua conta em um terminal;
Passo 2. Caso ainda não tenha no sistema, instale o update-manager-core, executando o comando abaixo:

sudo apt-get install update-manager-core

Passo 3. Faça uma copia de segurança do arquivo /etc/update-manager/release-upgrades, antes de editá-lo;

sudo cp /etc/update-manager/release-upgrades /etc/update-manager/release-upgrades.original

Passo 4. Visualize o arquivo /etc/update-manager/release-upgrades, antes de editá-lo;

cat /etc/update-manager/release-upgrades

Passo 5. De acordo com o conteúdo do arquivo /etc/update-manager/release-upgrades, use um dos comandos abaixo para ajustá-lo.
Por exemplo, se o parâmetro ‘Prompt’ estiver como ‘lts’ ou ‘never’, precisa defini-lo como ‘normal’, usando uma das opções abaixo.

sudo sed -i 's/Prompt=lts/Prompt=normal/g' /etc/update-manager/release-upgrades

Ou

sudo sed -i 's/Prompt=lts/Prompt=never/g' /etc/update-manager/release-upgrades

Passo 6. Inicie o processo de atualização com o comando:

sudo do-release-upgrade -d

Passo 7. Em seguida, siga as instruções na tela para atualizar para o Ubuntu 20.10. Quando a atualização estiver concluída;

Como atualizar para o Ubuntu 20.10 via terminal (server e desktop)

Como atualizar para o Ubuntu 20.10 via terminal (server e desktop)

Quando terminar o processo de atualizar para o Ubuntu 20.10 via terminal, reinicie o seu desktop ou servidor Ubuntu. Se necessário, use o comando;

sudo reboot

Depois de reiniciar, para verificar sua versão do Ubuntu, execute:

lsb_release -a

E você terá uma saída mais ou menos assim:

No LSB modules are available.
Distributor ID:	Ubuntu
Description:	Ubuntu 20.10
Release:	20.10
Codename:	focal

Pronto! Seu sistema está atualizado. Use-o, e como sempre, deixe suas impressões nos comentários!

Mais sobre o Ubuntu 20.10

Let's block ads! (Why?)

Instalando a versão mais recente do Sweet Home 3D no Linux

Se você quer planejar mudanças na sua casa, sem mexer em nada nela, veja aqui como instalar a versão mais recente do Sweet Home 3D no Linux.

Sweet Home 3D é uma aplicação de design interior que ajuda você colocar suas mobílias em sua casa em um plano 2D, com uma visualização em 3D.

Instalando a versão mais recente do Sweet Home 3D no LinuxInstalando a versão mais recente do Sweet Home 3D no Linux

O programa é escrito em Java e está disponível em Português, Inglês, Francês, Italiano e Alemão, e pode ser executado em Windows, OS X, Linux e Solaris.

Instalando o Sweet Home 3D no Linux

Sweet Home 3D está disponível nos repositórios padrão de boa parte das atuais distribuições Linux e pode ser instalada simplesmente usando o gerenciador de pacotes delas.

Entretanto, essa versão nem sempre é a mais recente. Por isso, para instalar a versão mais recente do Sweet Home 3D, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/sweethome3d/
sudo rm -Rf /usr/share/applications/sweethome3d.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa e seu ícone. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome sweethome3d.jar;

wget "https://sourceforge.net/projects/sweethome3d/files/SweetHome3D/SweetHome3D-6.4.2/SweetHome3D-6.4.2-linux-x86.tgz/download" -O sweethome3d.jar
wget http://www.sweethome3d.com/blog/images/5.2/SweetHome3DIcon512x512.png -O sweethome3d.png

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa e seu ícone. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome sweethome3d.jar;

wget "https://sourceforge.net/projects/sweethome3d/files/SweetHome3D/SweetHome3D-6.4.2/SweetHome3D-6.4.2-linux-x64.tgz/download" -O sweethome3d.jar
wget http://www.sweethome3d.com/blog/images/5.2/SweetHome3DIcon512x512.png -O sweethome3d.png

Passo 6. Depois de baixar, execute o comando abaixo para criar a pasta do programa dentro de /opt/;

sudo mkdir /opt/sweethome3d

Passo 7. Copie os arquivos baixados para a pasta criada, usando este comando;

sudo mv sweethome3d.* /opt/sweethome3d/

Passo 8. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=sweethome3d\n Exec=java -jar /opt/sweethome3d/sweethome3d.jar\n Icon=/opt/sweethome3d/sweethome3d.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/sweethome3d.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite java -jar /opt/sweethome3d/sweethome3d.jar em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/sweethome3d.desktop
cp /usr/share/applications/sweethome3d.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/sweethome3d.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como remover o Sweet Home 3D no Linux

Para remover o Sweet Home 3D no Linux, faça um backup dos seus arquivo e depois apague a pasta, o link e o atalho anterior com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/sweethome3d/
sudo rm -Rf /usr/share/applications/sweethome3d.desktop

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o app de design interior Sweet Home 3D no Linux via Snap

Let's block ads! (Why?)

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Se você ativou um driver proprietário no Ubuntu e não que mais usá-lo, veja como desativar driver proprietário no Ubuntu e resolva seu problema.

Por padrão, o Ubuntu utiliza um driver de código aberto para cada um dos hardwares localizados durante a instalação. Contudo, nem sempre o driver aberto é a melhor opção, e infelizmente, as vezes é necessário usar um driver proprietário.

Como desativar driver proprietário no UbuntuComo desativar driver proprietário no Ubuntu

Obviamente que isso não é uma unanimidade, pois alguns drivers de código aberto são muito bons.

Um bom exemplo dessa situação é o caso das placas de vídeo, que em determinadas utilidades, só oferecem um bom desempenho quando é usado o driver proprietário.

Mas se depois disso você precisar desativar qualquer driver proprietário no Ubuntu, tudo que você precisa fazer é seguir os passos desse tutorial.

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Para desativar driver proprietário no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Se você estiver usando o Ubuntu com Unity (17.04 ou inferior), clique no Dash e digite “Programas e atualizações”. Depois, clique no ícone do programa para executá-lo;

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu com Gnome (17.10 ou superior), clique em “Atividades” e digite “Programas e atualizações”. Depois, clique no ícone do programa para executá-lo;

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Passo 3. Dentro de “Programas e atualizações”, clique na aba “Drivers adicionais”;

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Passo 4. Em “Drivers adicionais”, procure o driver que você quer desativar. Clique na opção “Não usar este dispositivo” que fica abaixo da identificação do driver. Depois, confirme clicando no botão “Aplicar alterações”;

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Passo 5. Ao fazer isso, será exibida uma pequena janela pedindo para você autorizar a mudança. Para fazer isso, digite sua senha e clique no botão “Autenticar”;

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Pronto! A partir de agora o driver proprietário não será mais utilizado pelo sistema.

Se o driver proprietário que você está usando não está listagem, isso significa que ele foi instalado usando um aplicativo da fabricante do hardware.

Neste caso, você precisará ver no manual do programa como fazer a desinstalação e executar o procedimento estabelecido pela produtora.

Veja também

Se você quiser ativar um driver proprietário no Ubuntu, siga este outro tutorial:
Como ativar um driver proprietário no Ubuntu

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a IDE PhpStorm no Linux manualmente

Se você está procurando uma ferramenta para trabalhar com PHP, conheça e veja como instalar a IDE PhpStorm no Linux manualmente.

PhpStorm é uma IDE comercial para PHP construído sobre a plataforma JetBrains’ IntelliJ IDEA. PhpStorm fornece um editor para PHP, HTML e JavaScript com análise de código on-the-fly, prevenção de erros e automatizados refatorações para código PHP e JavaScript.

Como instalar a IDE PhpStorm no Linux manualmenteComo instalar a IDE PhpStorm no Linux manualmente

PhpStorm é uma IDE perfeita para trabalhar com Symfony, Drupal, WordPress, Zend Framework, Laravel, Magento, Joomla!, CakePHP, Yii e outros frameworks.

Como instalar a IDE PhpStorm no Linux manualmente

Como instalar a IDE PhpStorm no Linux manualmente

Como instalar a IDE PhpStorm no Linux

Para instalar a IDE PhpStorm no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/phpstorm*
sudo rm -Rf /usr/bin/phpstorm
sudo rm -Rf /usr/share/applications/phpstorm.desktop

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome phpstorm.tar.gz:

wget https://download.jetbrains.com/webide/PhpStorm-2020.2.3.tar.gz -O phpstorm.tar.gz

Passo 4. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar vzxf phpstorm.tar.gz -C /opt/

Passo 5. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/PhpStorm*/ /opt/phpstorm

Passo 6. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/phpstorm/bin/phpstorm.sh /usr/bin/phpstorm

Passo 7. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=phpstorm\n Exec=/opt/phpstorm/bin/phpstorm.sh\n Icon=/opt/phpstorm/bin/phpstorm.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/phpstorm.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite phpstorm em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/phpstorm.desktop
cp /usr/share/applications/phpstorm.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/phpstorm.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Lembre-se que para ter o PHP, Mysql e tudo mais, você tem de usar esse tutorial:
Instale LAMP no Linux e tenha um servidor web no PC

Como remover a IDE PhpStorm no Linux

Para remover a IDE PhpStorm no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/phpstorm*
sudo rm -Rf /usr/bin/phpstorm
sudo rm -Rf /usr/share/applications/phpstorm.desktop

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar a incrível IDE PhpStorm no Linux via Snap

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente Git Sublime Merge no Linux via Flatpak

Se você procura um boa ferramenta para lidar com o Git, conheça e veja como instalar o cliente Git Sublime Merge no Linux via Flatpak.

Sublime Merge é um cliente Git, dos criadores do Sublime Text.

Como instalar o cliente Git Sublime Merge no Linux via FlatpakComo instalar o cliente Git Sublime Merge no Linux via Flatpak

O Sublime Merge possui um kit de ferramentas GUI multiplataforma, um mecanismo de realce de sintaxe incomparável e uma biblioteca de leitura Git de alto desempenho personalizada.

Com o poder do destaque da sintaxe Sublime Text, você pode entender exatamente o que foi alterado em uma confirmação. Ele possui mais de 40 idiomas suportados prontos para o uso e carregamento automático de sintaxes de terceiros instaladas.

Como instalar o cliente Git Sublime Merge no Linux via Flatpak

Para instalar o cliente Git Sublime Merge via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o cliente Git Sublime Merge via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.sublimemerge.App.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.sublimemerge.App

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.sublimemerge.App em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite sublimemerge ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o cliente Git Sublime Merge no Linux via Flatpak

Para desinstalar o cliente Git Sublime Merge via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.sublimemerge.App

Ou

flatpak uninstall com.sublimemerge.App

Let's block ads! (Why?)

Kernel 5.10 adiará o bug do ano de 2038 até o ano de 2486

Primeiro veio o bug do ano 2000, e agora, o Kernel 5.10 adiará o bug do ano de 2038 até o ano de 2486. Entenda como isso foi feito.

O problema, ou bug do ano 2000 foi um dos problemas mais graves em programas de sistemas computadorizados que causou estragos em computadores e afetou sistemas em todo o mundo.

Algumas informações sobre por que esse problema surgiu – Já percebeu que quando um computador ou um site pede para você inserir os dois últimos dígitos do ano?

Acontece que antigamente os computadores eram programados para armazenar apenas os dois últimos dígitos dos anos, pois isso economizaria espaço de armazenamento (quatro dígitos contra dois dígitos), pois naquela época era muito alto o custo disso.

O problema é que o tempo passo e o ano 2000 estava chegando. Então, digamos que falte apenas um dia no ano de 1999 (99); um dia depois, os sistemas não conseguiriam entender se é o ano 2000 (00) ou 1900 (00).

Kernel 5.10 adiará o bug do ano de 2038 até o ano de 2486

Kernel 5.10 adiará o bug do ano de 2038 até o ano de 2486Kernel 5.10 adiará o bug do ano de 2038 até o ano de 2486
Um problema semelhante ao Y2k deveria ter chegado no ano de 2038, mas graças ao sistema de arquivos XFS no kernel 5.10, ele foi estendido para o ano de 2486. As alterações feitas para corrigir esse problema foram.

Registrar o tamanho dos inode btrees no grupo de alocação aumenta as verificações de redundância e permite tempos de montagem mais rápidos.

2.147.483.647 é o valor máximo de um interger de 32 bits. Na terça-feira, 19 de janeiro de 2038, exatamente às 3:14:07, o valor do tempo armazenado desde 1º de janeiro de 1970 será igual ao valor de um número inteiro de 32 bits, ou seja, 2.147.483.647, causando o problema.

Aqui está uma curta animação que ilustra o que teria acontecido:
Kernel 5.10 adiará o bug do ano de 2038 até o ano de 2486

Kernel 5.10 adiará o bug do ano de 2038 até o ano de 2486

Kernel 5.10 adiará o bug do ano de 2038 até o ano de 2486

Kernel 5.10 adiará o bug do ano de 2038 até o ano de 2486

“Uma função” Large Timestamps “agora corrigiu isso, refatorando seu carimbo de data/hora e recurso de codificação de inode. Devido a isso, os carimbos de data/hora agora serão tratados como um contador de nanossegundos de 64 bits e deslocamento de bits para estender a medição eficiente”, disse o pessoal da Phoronix neste artigo.

Adicionando a isso, eles disseram:

“O XFS agora pode cuidar do problema do ano anterior de 2038 (o local que armazena o tempo desde 1970 em segundos agora não se encaixará em um inteiro assinado de 32 bits e, portanto, será encerrado) até o ano 2486. Isso foi possível criando um novo sistema de arquivos XFS com bigtime habilitado, que agora permite o registro de data e hora de dezembro de 1901 a julho de 2486. Para preservar a compatibilidade com versões anteriores, a função de carimbos de data/hora grandes não está habilitada por padrão no momento.”

Let's block ads! (Why?)

PinePhone terá carregamento sem fio, NFC e teclado, em breve

Em brave o PinePhone terá carregamento sem fio, NFC e teclado. Confira o que tem sido feito pela PINE64 para alcançar esses objetivos.

O PinePhone é um smartphone de código aberto Quad-Core ARM Cortex A53 de 64 bits, alimentado por SOC, capaz de executar qualquer sistema operacional Linux e BSD Mobile – especialmente o Linux.

O PinePhone foi criado para não apenas fornecer aos usuários finais um telefone Linux com excelente funcionamento, mas também criar um mercado para dispositivos Linux, além de complementar o suporte existente para projetos Linux-on-Phone em todo o mundo.

PinePhone suporta todos os principais projetos centrados no telefone Linux, juntamente com outros sistemas operacionais gratuitos e de código aberto, para aumentar a colaboração entre os desenvolvedores.

Agora, a PINE64 publicou sua atualização da comunidade de outubro com muitas notícias interessantes.

Mas neste artigo, falarei especificamente sobre um teclado físico para o telefone e o trabalho nas capas traseiras do PinePhone que agora começou a adicionar funcionalidades.

PinePhone terá carregamento sem fio, NFC e teclado, em breve

PinePhone terá carregamento sem fio, NFC e teclado, em brevePinePhone terá carregamento sem fio, NFC e teclado, em breve
O projeto da PinePhone já declarou seu plano de adicionar funcionalidade ao telefone por meio de capas traseiras personalizadas que se comunicarão com o telefone por meio de pinos do pogo.

Cumprindo sua declaração, a equipe está pronta para trazer as duas primeiras capas que apresentarão o carregamento sem fio e NFC (Near-Field-Communication) para o PinePhone.

O carregamento sem fio, que usará o padrão de interface aberta Qi, já está funcionando, mas ainda precisa de algum trabalho na bobina e nos componentes eletrônicos para se encaixar no design da tampa atual. Enquanto a implementação de NFC requer habilitação de software.

Como é apenas o começo, mais informações sobre o lançamento dos novos complementos com certeza chegarão nos próximos meses.

Teclado Físico Para PinePhone

No final de julho deste ano, falei sobre a conversa PINE64 com fornecedores de hardware para trazer um teclado Nokia N900 com design deslizante para o PinePhone.

Portanto, a última atualização do teclado é que a equipe finalmente aprovou o fornecedor para começar a preparar um protótipo do teclado para o PinePhone.

Em vez de um design deslizante, o próximo teclado para PinePhone terá um design em concha com uma grande bateria de 5000mAh, que, no entanto, você poderá dobrar praticamente plana e usar sem colocar o dispositivo na superfície como um mini- computador portátil.

Conforme informou o fornecedor, o protótipo provavelmente estará pronto no final deste ano. Até então, você pode ler mais sobre as edições da comunidade PinePhone lançadas recentemente com Ubuntu Touch, postmarketOS e Manjaro Linux ARM.

Let's block ads! (Why?)

Conheça BleedingTooth, uma nova falha no kernel que usa Bluetooth

Conheça BleedingTooth, uma vulnerabilidade no kernel do Linux que permite que o código seja executado por Bluetooth, que felizmente, não é muito perigosa.

É um fato que não existe um sistema operacional ou software perfeito. Os usuários do Linux tendem a ficar calmos porque pensamos que estamos trabalhando em um sistema operacional difícil de violar, mas de vez em quando saem notícias como a de hoje.

Especificamente, esou falando sobre uma vulnerabilidade no kernel do Linux que eles apelidaram de BleedingTooth, um nome que modifica o Bluetooth (dente azul) do protocolo para torná-lo um “dente sangrento”.

Conheça BleedingTooth, uma nova falha no kernel que usa Bluetooth

Conheça BleedingTooth, uma nova falha no kernel que usa BluetoothConheça BleedingTooth, uma nova falha no kernel que usa Bluetooth
Os gigantes da tecnologia Google e Intel descobriram uma falha grave de Bluetooth na nova versão do kernel do Linux.

Foi Andy Nguyen, um engenheiro do Google, quem deu o alarme. Nguyen encontrou uma nova vulnerabilidade no kernel do Linux rodando no BlueZ, um software relacionado ao Bluetooth Stack.

Segundo o engenheiro, um usuário próximo poderia executar o código no nível do superusuário (root), como podemos ver no vídeo que você tem abaixo dessas linhas.

O que Nguyen descobriu é que a vulnerabilidade permite que qualquer hacker que esteja próximo ao alcance operacional do Bluetooth, que é de cerca de 10m, obtenha acesso root a computadores ou dispositivos que usam BlueZ.

O pesquisador escreveu:

“BleedingTooth é um conjunto de vulnerabilidades de clique zero no subsistema Linux Bluetooth que pode permitir que um atacante remoto não autenticado em uma curta distância execute código arbitrário com privilégios de kernel em dispositivos vulneráveis.”

Ele disse que sua descoberta foi inspirada na pesquisa que levou ao BlueBorne – um exploit semelhante, de prova de conceito, que permitia que os invasores enviassem comandos sem que os usuários clicassem em nenhum link ou fizessem qualquer contato físico com o dispositivo.

Mais detalhes sobre o BlueBorne você pode ler nesse endereço.

De acordo com as empresas, essa falha reside na pilha de software BlueZ, que implementa todos os protocolos principais de Bluetooth no Linux. BlueZ é usado em laptops Linux e em vários dispositivos IoT que possuem as versões 2.4.6 e superiores do Linux.

Muitos dispositivos da Internet das Coisas (IoT) usam o BlueZ para nos permitir a comunicação com nossos dispositivos.

A Intel, um dos principais participantes do grupo por trás do BlueZ, anunciou que é importante mencionar que a vulnerabilidade é uma falha que fornece escalonamento de privilégios ou divulgação de informações.

Devido à recente descoberta, pouco mais se sabe sobre o BleedingTooth no momento, mas a equipe do BlueZ já lançou um patch para resolver o problema e está disponível para os desenvolvedores implementarem em seu software.

Por outro lado, a Intel divulgou um comunicado em seu site alertando sobre a existência do problema, rotulando a gravidade da ameaça como alta, pois atribuiu uma pontuação de gravidade de 8,3 em 10 para esse problema.

O comunicado afirma:

“As vulnerabilidades de segurança potenciais no BlueZ podem permitir o escalonamento de privilégios ou divulgação de informações. BlueZ está lançando correções do kernel do Linux para lidar com essas vulnerabilidades em potencial.”

Ainda assim, não há muito com que se preocupar. O hacker deve estar a menos de 10m do nosso computador e conhecê-lo para poder se conectar a ele e explorar a vulnerabilidade. Não só isso, mas também requer alto conhecimento e não funciona em todos os dispositivos Bluetooth do mundo.

Além disso, para uma falha do Linux, é uma questão de dias até que o patch chegue à maioria das distribuições principais.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a última versão do Blender no Ubuntu e derivados

Trabalha com 3d, ou quer apenas experimentar o programa? Então veja aqui como instalar a última versão do Blender no Ubuntu.

Para aqueles que ainda não conhecem, o Blender, ou blender3d, é um programa de código aberto para modelagem, animação, texturização, composição, renderização, edição de vídeo e criação de aplicações interativas em 3D, tais como jogos, apresentações e outros, através de seu motor de jogo integrado, o Blender Game Engine.

Como instalar a última versão do Blender no Ubuntu

Como instalar a última versão do Blender no Ubuntu

Desenvolvido pela Blender Foundation, o programa está disponível sob uma licença dupla: Blender License (BL)/GNU General Public License (GPL). O Blender possui ainda partes licenciadas sob a Python Software Foundation License.

O programa é usado para a criação de filmes de animação, efeitos visuais, arte, modelos 3D impressos, aplicações interativas em 3D e jogos de vídeo.

O Blender fornece um amplo espectro de modelagem, texturização, iluminação, animação e funcionalidades de pós-processamento de vídeo em um único pacote.

Através de sua arquitetura aberta, o Blender oferece interoperabilidade, extensibilidade, plataforma incrivelmente pequena e um fluxo de trabalho bem integrado.

Blender é uma das aplicações de gráficos 3D Open Source mais populares do mundo. Ele suporta a totalidade do modelamento de pipeline 3D, manipulação, animação, simulação, renderização, composição e rastreamento de movimento, até edição de vídeo e criação de jogos.

Existe a API do Blender disponível para usuários avançados que conhecem o script Python para personalizar o aplicativo e escrever ferramentas especializadas para o Blender; mais frequentemente, essas ferramentas contribuídas estão incluídas nas próximas versões do Blender.

Como instalar a última versão do Blender no Ubuntu e seus derivados

Abaixo, você verá como instalar a última versão do Blender no Ubuntu e derivados, via Snap, repositório, e manualmente. Confira!

Como instalar a versão mais recente do Blender Ubuntu e outras distros que suportam Snap

Para instalar a versão mais recente do Blender no Ubuntu e outras distros que suportam Snap, você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Blender no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale o programa, usando esse comando:

sudo snap install blender --classic

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap do Blender, use:

sudo snap refresh blender

Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove blender

Como instalar a última versão do Blender no Ubuntu 14.10 ou superior, Linux Mint 17.x ou superior e seus derivados

Blender está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install blender.

No entanto, não é a versão mais recente. Por isso, para ter a última versão do Blender no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:thomas-schiex/blender

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install blender

Como instalar a última versão do Blender no Ubuntu 12.04, Linux Mint 13 e seus derivados

Para instalar a última versão do Blender no Ubuntu 12.04, Linux Mint 13 e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:irie/blender

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install blender

Como instalar o Blender sem repositório ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Como instalar a última versão do Blender em outras distribuições

Se você precisa instalar a última versão do Blender em outra distribuição Linux, veja esse tutorial:
Como instalar a última versão do Blender no Linux

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite blender no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Blender no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Blender no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove blender --auto-remove
>

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Green Recorder no Ubuntu e derivados

Ainda procurando por um gravador de tela do jeito que você quer? Conheça e veja como instalar o Green Recorder no Ubuntu e derivados.

Green Recorder é um gravador de desktop simples, mas funcional, escrito com Python e GTK+ 3. Desde a versão 2.0, ele suporta Wayland na sessão do GNOME.

Como instalar o Green Recorder no Ubuntu 16.04 ou superior

Como instalar o Green Recorder no Ubuntu 16.04 ou superior

Green Recorder usa bibliotecas do ffmpeg e até agora suporta MKV, AVI, MP4, WMV e nut (E só WebM para a sessão GNOME de Wayland). Com ele, você pode gravar uma janela em execução ou selecionar uma área para gravar.

Descobriu que os aplicativos de gravação de sua tela de mesa não são iniciados na sessão padrão Wayland do Ubuntu 17.10? Green Recorder é o primeira app dessa categoria a suportar o servidor de exibição Wayland na sessão GNOME.

Procurando por outras opções de gravação de tela para Linux? Veja nossa lista:
Conheça alguns programas de gravação de tela para Linux

Como instalar o Green Recorder no Ubuntu no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Green Recorder no Ubuntu no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:mhsabbagh/greenproject

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install green-recorder

Como instalar o Green Recorder no Ubuntu manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite green-recorder no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Green Recorder no Ubuntu no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Green Recorder no Ubuntu no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:mhsabbagh/greenproject -r -y
sudo apt-get remove green-recorder --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente Microsoft Teams no Linux via Snap

Se você precisa usar o serviço Teams no sistema do pinguim, conheça e veja como instalar o cliente Microsoft Teams no Linux.

Teams for Linux é um cliente não oficial do Microsoft Teams para Linux usando o Electron. Ele usa o Web App e o envolve como um aplicativo independente usando o Electron.

Como instalar o cliente Microsoft Teams no Linux via SnapComo instalar o cliente Microsoft Teams no Linux via Snap

O Snap usa o confinamento para fornecer mais segurança. Isso restringe o acesso a hardware ou dados no dispositivo para evitar problemas de segurança.

Como instalar o cliente Microsoft Teams no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o cliente Microsoft Teams via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o cliente Microsoft Teams via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install teams-for-linux

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install teams-for-linux --edge

Passo 4. Você precisa permitir que o programa tenha acesso à câmera no Teams For Linux, par que ele seja capaz de fazer videochamadas, para isso você pode usar esse comando;

snap connect instagraph:camera :camera

Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh teams-for-linux

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite teams ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o cliente Microsoft Teams via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o cliente Microsoft Teams via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove teams-for-linux

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o cliente Microsoft Teams no Linux via Flatpak
Como instalar o Microsoft Teams no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o mostrador de letras de músicas Lyrics no Linux via Flatpak

Se você quer ver as letras das músicas enquanto elas são reproduzidas, conheça e veja como instalar o mostrador de letras de músicas Lyrics no Linux via Flatpak.

Lyrics é um aplicativo flutuante leve de código aberto gratuito que exibe letras de qualquer player de mídia que suporte MPRIS-2.

Como instalar o mostrador de letras de músicas Lyrics no Linux via FlatpakComo instalar o mostrador de letras de músicas Lyrics no Linux via Flatpak

É possível exibir as letras de todas as músicas que você está ouvindo consultando os detalhes da faixa usando o protocolo MPRIS, pesquisando e baixando o arquivo de letras após o qual exibe as letras em um modo de rolagem automática sincronizado.

Lyrics apresenta uma interface de usuário simples com as opções para usar o modo noturno e definir o seu tema e você pode usá-lo com o YouTube em qualquer navegador baseado no Chromium que tenha a extensão browser-playerctl instalada.

Como instalar o mostrador de letras de músicas Lyrics no Linux via Flatpak

Para instalar o mostrador de letras de músicas Lyrics no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o mostrador de letras de músicas Lyrics no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.naaando.lyrics.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.naaando.lyrics

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.naaando.lyrics em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite lyrics ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o mostrador de letras de músicas Lyrics no Linux via Flatpak

Para desinstalar o mostrador de letras de músicas Lyrics no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.naaando.lyrics

Ou

flatpak uninstall com.github.naaando.lyrics

Veja também

Como exibir letras de músicas no desktop do Ubuntu

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente Instagram Instagraph no Linux via Snap

Se você quer usar o Instagram no sistema do pinguim, conheça e veja como instalar o cliente Instagram Instagraph no Linux via Snap.

Instagraph é um cliente Instagram não oficial que permite usar essa famosa rede de imagens no Linux.

Como instalar o cliente Instagram Instagraph no Linux via SnapComo instalar o cliente Instagram Instagraph no Linux via Snap

Por não ser uma versão oficial, algumas funcionalidades podem não estar presentes, entretanto, esse app fornece as principais funções da rede.

No tutorial abaixo, você verá como instalar esse aplicativo em sistemas com suporte a pacotes Snap. Mas antes, um alerta:

A instalação desse programa pode ser bastante demorada, portanto, execute o comando de instalação e aguarde até ele terminar. Esteja avisado, porque aqui demorou mais de duas horas :).

Como instalar a versão mais recente do cliente Instagram Instagraph no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o cliente Instagram Instagraph via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o cliente Instagram Instagraph via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install instagraph
snap connect instagraph:camera :camera
snap connect instagraph:alsa :alsa
snap connect instagraph:pulseaudio :pulseaudio
snap connect instagraph:opengl :opengl

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install instagraph --candidate
snap connect instagraph:camera :camera
snap connect instagraph:alsa :alsa
snap connect instagraph:pulseaudio :pulseaudio
snap connect instagraph:opengl :opengl</pre
Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:
sudo snap install instagraph --beta
snap connect instagraph:camera :camera
snap connect instagraph:alsa :alsa
snap connect instagraph:pulseaudio :pulseaudio
snap connect instagraph:opengl :opengl</pre
Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:
sudo snap install instagraph --edge
snap connect instagraph:camera :camera
snap connect instagraph:alsa :alsa
snap connect instagraph:pulseaudio :pulseaudio
snap connect instagraph:opengl :opengl</pre
Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:
sudo snap refresh instagraph

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove instagraph

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite instagraph ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerenciador de arquivos qFSView no Linux via Snap

Se você quer ver como o espaço do seu PC está sendo usado, conheça e veja como instalar o gerenciador de arquivos qFSView no Linux via Snap.

O qFSView é um gerenciador de arquivos que mostra a utilização do armazenamento como um mapa de árvore.

Como instalar o gerenciador de arquivos qFSView no Linux via SnapComo instalar o gerenciador de arquivos qFSView no Linux via Snap

Isso facilita a visualização de quais arquivos e pastas estão ocupando mais espaço, pois exibe arquivos e pastas como um retângulo com uma área proporcional ao armazenamento e a soma de armazenamento de qualquer um dos filhos.

Navegue clicando em um retângulo. Use o menu do botão direito para subir e acessar as seguintes opções:

  • profundidades para níveis de área e nome
  • modos de cores com base em permissões, propriedade, grupo, profundidade e tipo de mímica
  • modificações de visualização para sombreamento, contornos, borda, aninhamento e muito mais
  • anotações para nomes, tipos, tamanhos e mais
  • O qFSView é um fork do FSView, um plugin do KDE Konqueror. As dependências do KDE foram removidas.

Como instalar o gerenciador de arquivos qFSView no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o gerenciador de arquivos qFSView via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de arquivos qFSView via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install qfsview

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install qfsview --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install qfsview --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install qfsview --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh qfsview

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite qfsview ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gerenciador de arquivos qFSView no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o gerenciador de arquivos qFSView via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove qfsview

Let's block ads! (Why?)

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Quer ser avisado quando a próxima versão do sistema da Canonical estiver disponível? Então veja como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão e fique tranquilo.

Mesmo que esteja perto do lançamento de uma nova versão do Ubuntu, você não precisa ficar todo dia verificando se ela já saiu.

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versãoComo configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Felizmente, o próprio sistema pode fazer isso para você e ainda avisá-lo quando o novo sistema chegar.

Essa funcionalidade do Ubuntu não é nenhuma novidade, mas muitos não sabem que ela existe, ou não sabem onde encontrá-la.

Por conta disso, esse tutorial mostra um passo a passo de como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão.

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Para configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Se você estiver usando o Ubuntu com Unity (17.04 ou inferior), clique no Dash e digite “Programas e atualizações”. Depois, clique no ícone do programa para executá-lo;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu com Gnome (17.10 ou superior), clique em “Atividades” e digite “Programas e atualizações”. Depois, clique no ícone do programa para executá-lo;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 3. Na janela de “Programas e atualizações”, clique na aba “Atualizações”;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 4. Em “Atualizações”, clique na seta ao lado do campo “Notificar-me de uma nova versão do Ubuntu:”. No menu que aparece, clique na opção “Para qualquer nova versão”. Se você quiser atualizar apenas para versões LTS, clique na opção “Para versão de suporte longo”;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 5. Se você estiver atualizando para uma versão beta, acesse a aba “Opções para Desenvolvedores” e marque o campo “Atualizações de pré-lançamento”;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Passo 6. Para finalizar a configuração, clique no botão “Fechar”. Ao fazer isso, será necessário autorizar a mudança. Para isso, digite sua senha e clique no botão “Autenticar”;

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Pronto! Agora, assim que uma nova versão ficar disponível, você será avisado e poderá iniciar a atualização do sistema (ou não).

Let's block ads! (Why?)

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
21 de outubro de 2020, 13:06
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.