21 de setembro de 2017

Kali Linux 2017.2 lançado – Confira as novidades e baixe

Kali Linux 2017.2 já está disponível para download! Baixe agora!

O projeto Kali lançou uma nova versão de sua distribuição, Kali Linux 2017.2. Confira as novidades desse update e descubra onde baixar a distro.


Anteriormente conhecido como BackTrack, Kali Linux é uma distribuição baseada em Debian com uma coleção de ferramentas voltadas para área de segurança e análise forense.

Kali Linux 2017.2 já está disponível para download! Baixe agora!Kali Linux 2017.2 já está disponível para download! Baixe agora!

Por conta disso, essa distro possui atualizações de segurança atualizadas, suporte para a arquitetura ARM, uma escolha de quatro ambientes de desktop populares e atualizações contínuas para versões mais recentes.

Novidades do Kali Linux 2017.2

Kali Linux 2017.2 apresenta uma série de novas ferramentas de segurança e teste de penetração, bem como atualizações de pacotes do ramo Testing do Debian.

Além de todas as atualizações padrão de segurança e pacote que vem do Debian Testing, também foi adicionado mais de uma dúzia de novas ferramentas aos repositórios, algumas das quais estão listadas abaixo:

hurl – um pequeno e útil hexadecimal e encoder/decodificador de URL;
phishery – phishery permite injetar URLs de phishing de autenticação básica habilitados para SSL em um documento do Word .docx;
ssh-audit – um auditor do servidor SSH que verifica os tipos de criptografia, banners, compressão e mais;
apt2 – um Toolkit de Testes de Penetração Automática, que executa suas próprias varreduras ou importa resultados de vários scanners, e toma um ação sobre eles …

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Conheça melhor a distribuição Kali Linux

Para saber mais sobre a distribuição Kali Linux, clique nesse link.

Baixe e experimente a distro Kali Linux 2017.2

A imagem ISO do Kali Linux 2017.2 já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Desligar e reiniciar no Dash: veja como adicionar essas e outras opções na busca padrão do Unity

Desligar e reiniciar no Dash: veja como adicionar essas e outras opções na busca padrão do Unity

Quer acessar mais rapidamente as principais opções de gerenciamento de sessão e desligamento no Ubuntu? Então veja aqui como adicionar opções de desligar e reiniciar no Dash.


Se você é um usuário do Ubuntu, provavelmente você está usando o ambiente gráfico Unity. Uma das características mais notáveis de Unity é o Dash, uma ferramenta de busca que se abre quando você clica no logotipo do Ubuntu presente no topo do lançador Unity, permitindo que você acesse aplicativos cujos ícones não estão presentes no lançador.

Desligar e reiniciar no Dash: veja como adicionar essas e outras opções na busca padrão do UnityDesligar e reiniciar no Dash: veja como adicionar essas e outras opções na busca padrão do Unity

Ainda que você possa acessar qualquer aplicativo (localmente ou até remotamente) através do Dash, infelizmente, ele não permite que você acesse as opções de gerenciamento de sessão, como logout, desligar, reiniciar e muito mais.

No entanto, se você quiser adicionar essas opções de gerenciamento de sessão no Dash, você pode fazê-lo através da instalação do Power-commands, um aplicativo criado pela equipe Atareao para adicionar as opções desligar, reiniciar, suspender, hibernar, logout e bloqueio de tela.

Adicionando opções de gerenciamento de sessão no Dash poderia parecer inútil no início, mas essas opções vêm a calhar em cenários onde, por exemplo, o painel superior não carrega corretamente e você tem que, digamos, reiniciar o sistema.

Neste cenário específico, você terá que usar o comando no terminal para reiniciar o sistema, algo que não é trivial para alguns usuários, especialmente se você é novo no uso da linha de comando. Além disso, ter essas opções no Dash também torna mais fácil acessá-los através do teclado.

Se a opção de hibernar não funcionar, experimente fazer o procedimento desse tutorial:
Como ativar a hibernação no Ubuntu 14.04

Em versões mais recentes do Ubuntu, algumas das opções fornecidas pelo Power-commands, possuem equivalentes nativos (como a opção Shutdown, por exemplo). Apesar disso, os itens nativos não cobrem todas opções do pacote.

Conheça melhor o Power-commands

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como adicionar opções de desligar e reiniciar no Dash

Para adicionar opções de desligar e reiniciar no Dash, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial.

sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install power-commands

Como adicionar opções de desligar e reiniciar no Dash

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Uma vez instalado, você não tem que fazer qualquer outra coisa, pois o pacote adiciona automaticamente essas opções no resultado do Dash, ou seja, você só precisa digitar o comando, como no exemplo abaixo:

Desligar e reiniciar no Dash: veja como adicionar essas e outras opções na busca padrão do Unity

Como remover as opções de desligar e reiniciar no Dash

Caso você queira remover as opções de desligar e reiniciar no Dash, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Use o comando abaixo para remover as opções;

sudo apt-get remove power-commands

Passo 3. Instale o PPA Purge com o comando:

sudo apt-get install ppa-purge

Passo 4. Remova o repositório do programa com este comando:

sudo ppa-purge ppa:atareao/atareao

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux manualmente

Como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux manualmente

Quer usar o WPS Office, mas não usa Ubuntu, Debian, Fedora e derivados? Então veja neste tutorial como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux manualmente, ou seja, em praticamente qualquer distribuição.


O Kingsoft WPS Office é uma suíte de escritório proprietária voltada principalmente para os usuários orientais, que está tendo um sucesso notável.

Como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux manualmenteComo instalar o Kingsoft WPS Office no Linux manualmente

A ideia do projeto WPS Office é fornecer aos usuários uma alternativa ao Microsoft Office, incluindo um excelente suporte para formatos proprietários e uma interface gráfica moderna e intuitiva.

O pacote é composto basicamente por três aplicativos: um editor de texto (WPS Writer), um editor de planilhas (WPS Spreadsheets) e um editor de apresentações (WPS Presentation).

Apesar de ainda ser um Alpha, o continuo desenvolvimento do Kingsoft WPS Office lhe dá cada dia mais funcionalidades e estabilidade, tornado-a uma suíte de escritório multiplataforma com características muito interessantes.

Novidades da versão mais recente do Kingsoft WPS Office

WPS Office for Linux Alpha21 [2017-06-15] traz as seguintes mudanças:

  • Reconstrução da reprodução de áudio e áudio do WPS, que agora suporta mais formatos de vídeo e reprodução mais suave;
  • Adicionada função de pesquisa e caminho de acesso;
  • Adicionada a abertura do recurso de compartilhamento de arquivo remoto no Linux;
  • Operações de I/O otimizadas: eficiência aprimorada na abertura de arquivos em 3 módulos;
  • Corrigidas as diferenças nos efeitos de exibição de alguns controles no Linux versus Windows;
  • Corrigidos os efeitos de exibição de fontes especiais no módulo de apresentação;
  • Corrigidos alguns efeitos de preenchimento de textura incorretos na exportação de WPS para PDF;
  • Corrigidos hiperlinks quebrados na exportação WPS para PDF;
  • Corrigidos efeitos de pré-visualização de miniaturas na apresentação;
  • Agora as caixas de diálogo abertas do WPS nem sempre persistirão ao abrir documentos, mas fecharão após a confirmação, o que melhorará a experiência do usuário.
  • Para saber mais detalhes sobre a última versão desse programa, acesse link.

    A seguir, você verá como instalar esse programa em qualquer distribuição Linux, utilizando os binários fornecidos pela produtora do mesmo.

    Conheça melhor o Kingsoft WPS Office

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux

    Para instalar o Kingsoft WPS Office no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esses comandos;

    sudo rm -Rf /opt/wpsoffice*
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/wpswriter.desktop
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/wpspresentation.desktop
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/wpsspreadsheets.desktop

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wpsoffice.tar.xz:

    wget http://kdl1.cache.wps.com/ksodl/download/linux/a21//wps-office_10.1.0.5707~a21_x86.tar.xz -O wpsoffice.tar.xz

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wpsoffice.tar.xz:

    wget http://kdl1.cache.wps.com/ksodl/download/linux/a21//wps-office_10.1.0.5707~a21_x86_64.tar.xz -O wpsoffice.tar.xz

    Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo tar Jxf wpsoffice.tar.xz -C /opt/

    Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

    sudo mv /opt/wps*/ /opt/wpsoffice

    Passo 8. Crie um lançador para o WPS Writer, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=wpswriter\n Exec=/opt/wpsoffice/wps\n Icon=/opt/wpsoffice/resource/icons/hicolor/256x256/apps/wps-office-wpsmain.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/wpswriter.desktop

    Passo 9. Crie um lançador para o WPS Presentation, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=wpspresentation\n Exec=/opt/wpsoffice/wpp\n Icon=/opt/wpsoffice/resource/icons/hicolor/256x256/apps/wps-office-wppmain.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/wpspresentation.desktop

    Passo 10. Crie um lançador para o WPS Spreadsheets, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=wpsspreadsheets\n Exec=/opt/wpsoffice/et\n Icon=/opt/wpsoffice/resource/icons/hicolor/256x256/apps/wps-office-etmain.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/wpsspreadsheets.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wps em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/wps*.desktop

    Passo 10. Agora coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo;

    cp /usr/share/applications/wps*.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/wps*.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como remover o Kingsoft WPS Office no Linux

    Para remover o Kingsoft WPS Office no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esses comandos;

    sudo rm -Rf /opt/wpsoffice*
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/wpswriter.desktop
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/wpspresentation.desktop
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/wpsspreadsheets.desktop

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM

    Como desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM

    Se você quiser desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM, veja aqui como fazer isso.


    Nem sempre a configuração padrão do gerenciador de login LightDM é a ideal para todo mundo. Dependendo da situação, você pode querer usar o LightDM sem a lista de usuários e a sessão de convidado.

    Como desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDMComo desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM

    Você pode ocultar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM por questões de segurança, porque há muitos usuários ou qualquer outra razão, entretanto, no primeiro caso, que você terá que inserir manualmente o seu nome de usuário e depois a senha.

    Ciente disso, basta seguir as instruções abaixo para deixar a tela de login do LightDM como você realmente quer.

    Como desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM

    Para desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Caso ainda não exista, crie a pasta /etc/lightdm/lightdm.conf.d, usando o seguinte comando:

    sudo mkdir -p /etc/lightdm/lightdm.conf.d

    Passo 3. Caso a pasta e o arquivo de configuração já exista, crie uma cópia do arquivo /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf, usando o seguinte comando:

    sudo cp /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf.bak

    Passo 4. Crie um arquivo chamado 50-my-custom-config.conf dentro da pasta criada anteriormente, usando o comando abaixo:

    sudo gedit /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf

    Passo 5. Se quiser “apenas” ocultar a lista de usuário da tela de login LightDM, cole o comando abaixo no arquivo criado:

    [SeatDefaults]
    greeter-hide-users=true
    greeter-show-manual-login=true

    Passo 6. Se quiser “apenas” desativar a sessão de convidado no LightDM, cole o seguinte comando no arquivo criado:

    [SeatDefaults]
    allow-guest=false

    Passo 6. Se você quiser esconder a lista de usuário da tela de login LightDM e também desativar a sessão de convidado, então cole o comando a seguir no arquivo criado:

    [SeatDefaults]
    greeter-hide-users=true
    greeter-show-manual-login=true
    allow-guest=false

    Passo 7. Em seguida, salve e feche o arquivo;
    Passo 8. Por fim, reinicie o sistema.

    Como reverter as alterações feitas

    Caso seja necessário, para reverter as alterações feitas seguindo as instruções acima, tudo que você precisa fazer é apagar o arquivo de configuração criado, usando o comando a seguir em um terminal e novamente, reinicie o sistema:

    sudo rm /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf

    Se precisar, volte o arquivo original com o comando:

    sudo /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf.bak  /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o app de transferência de arquivos NitroShare no Ubuntu, Fedora, Arch Linux e derivados

    Como instalar o app de transferência de arquivos NitroShare

    Quem precisa trocar arquivos entre computadores de uma rede local irá gostar muito do NitroShare. Se este é o seu caso, veja como instalar esse incrível programa de transferência de arquivos.


    Nitroshare é uma ferramenta que pode ser usada para fazer transferências de arquivos entre computadores em uma rede local, mesmo em diferentes sistemas operacionais.

    Como instalar o app de transferência de arquivos NitroShare no Ubuntu, Fedora, Arch Linux e derivadosComo instalar o app de transferência de arquivos NitroShare no Ubuntu, Fedora, Arch Linux e derivados

    Essa aplicação foi concebida com simplicidade em mente, por causa disso ele pode ser utilizado sem qualquer tipo de configuração. Isso porque ele usa a descoberta via broadcast para encontrar outros dispositivos na rede local com NitroShare instalado.

    Características mais importantes do NitroShare:

    • Não há necessidade de configuração: cada dispositivo executando NitroShare transmite a sua presença para outros dispositivos na rede;
    • Suporta a transferência de arquivos, bem como diretórios;
    • Exibe notificações no computador para transferências concluídas ou quando alguém nos da rede local inicia ou encerra seu NitroShare;
    • Possui uma interface de usuário simples e fácil de usar.

    NitroShare é muito fácil de usar: basta clicar em “Send Files…” (enviar arquivos) ou “Send Directory…” (enviar Diretório) no menu do Indicador do programa no painel.

    Depois, selecione os arquivos e você terá uma lista de dispositivos que executam NitroShare em sua rede local:

    Como instalar o app de transferência de arquivos NitroShare

    Depois de selecionar os arquivos e o dispositivo que você deseja compartilhar, clique em “Ok” e a transferência do arquivo deverá começar.

    Como instalar o app de transferência de arquivos NitroShare

    A partir das configurações do NitroShare, você pode definir o nome do dispositivo, o diretório de downloads padrão, bem como algumas configurações avançadas que você não deve mudar, a menos que você realmente precise fazer isso.

    As configurações incluem a definição da porta de transferência e buffer, bem como a porta de transmissão, tempo de espera e intervalo.

    NitroShare pode até mesmo adicionar uma exceção para o Firewall do Windows ou UFW, se isso for necessário. E, finalmente, Ele não tem limitações de tamanho de arquivo, ou seja, você pode transferir arquivos de qualquer tamanho.

    Conheça melhor o app de transferência de arquivos NitroShare

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o app de transferência de arquivos NitroShare no Ubuntu, Debian, Fedora, Arch Linux e derivados

    Para instalar o app de transferência de arquivos NitroShare no Debian, Fedora, Arch Linux e derivados, faça o seguinte;
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se você estiver usando o Debian Sid e Ubuntu 16.04 (ou superior), use o comando abaixo para instalar o programa nele;

    sudo apt-get install nitroshare

    Passo 3. Se você estiver usando o Fedora 23 (ou superior), use o comando abaixo para instalar o programa nele;

    sudo dnf install nitroshare

    Passo 4. Se você estiver usando o Arch Linux, use os comandos abaixo para instalar o programa nele;

    wget https://aur.archlinux.org/cgit/aur.git/snapshot/nitroshare.tar.gz
    tar xf nitroshare.tar.gz
    cd nitroshare
    makepkg -sri

    Como instalar o app de transferência de arquivos NitroShare no Ubuntu e seus derivados

    NitroShare está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu 16.04 (ou superior) / Linux Mint 18, e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install nitroshare.

    No entanto, em versões mais antigas, para instalar o app de transferência de arquivos NitroShare no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:george-edison55/nitroshare

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install nitroshare

    Passo 5. Você também pode instalar a extensão NitroShare para Nautilus, usando os comandos abaixo;

    sudo apt install nistroshare-nautilus
    nautilus -q

    Passo 6. Já se vocẽ usa o Nemo, é possível instalar a extensão NitroShare para Nemo, usando os comandos abaixo;

    sudo apt install nitroshare-nemo
    nemo -q

    Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove nitroshare
    sudo apt-get autoremove

    Como instalar o app de transferência de arquivos NitroShare manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite nitroshare no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Fonte 1
    Fonte 2

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu

    Instalando os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu

    Em um esforço para tornar mais fácil a instalação dos mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu, foi lançado um novo PPA oficial chamado Graphics Drivers Team. Saiba mais um pouco sobre ele e como ficará com a chegada dele.


    Nos últimos anos temos visto uma melhoria significativa no suporte a hardware no Linux, em parte, principalmente graças à chegada da plataforma Steam ao sistema.

    Instalando os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu

    Por conta disso, drivers proprietários para placas gráficas NVIDIA e AMD têm feito grandes progressos nos últimos anos, proporcionando uma performance gráfica em Linux muito semelhante (se não superior) ao que ocorre no Microsoft Windows.

    No Ubuntu você pode facilmente instalar drivers proprietários para placas gráficos da Nvidia e AMD diretamente a partir das configurações do sistema ou seguindo os tutoriais postados aqui do Blog:

    Como instalar um driver Nvidia e outros assuntos relacionados

    Agora, para os usuários que gostam de ter os últimos drivers drivers de GPU proprietárias, foi lançado um PPA oficial chamado Graphics Drivers Team, que pretende tornar mais fácil a instalação dos mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu.

    O novo PPA permite ter os drivers proprietários sempre atualizados, simplesmente atualizando a distribuição. Atualmente, o PPA ainda está em testes e fornece apenas drivers da Nvidia e ainda não está claro se ele irá incluir outros pacotes como drivers de AMD e etc, apesar desse ser o próximo passo lógico.

    Até a publicação desse artigo, o PPA fornece a versão mais recente do driver estável da Nvidia, bem como o mais recente beta, juntamente com libvdpau e vdpauinfo, para o Ubuntu 14.04, 15.04, 15.10,16.04 e 16.10, com mais alguns pacotes antigos (Nvidia 346.87) para o Ubuntu 12.04.

    Conheça melhor o PPA Graphics Drivers Team

    Para saber mais sobre esse repositório, clique nesse link.

    Como adicionar e usar o novo PPA com os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu e seus derivados

    Para adicionar e usar o novo PPA com os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu e seus derivados, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial.

    sudo add-apt-repository ppa:graphics-drivers/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get upgrade

    Pronto! Depois de adicionar este repositório, se quiser ver os novos drivers, eles estarão disponíveis no programa de instalação de drivers adicionais do sistema.

    Como selecionar o mais recente driver gráfico proprietário no Ubuntu

    Para selecionar o mais recente driver gráfico proprietário no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra a “Configurações do sistema”, clicando no ícone dele no lançado do Unity ou a partir do menu do painel;

    Instalando os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu

    Passo 2. Em “Configurações do sistema”, clique no item “Programas e atualizações”;

    Instalando os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu

    Passo 3. Dentro de “Programas e atualizações”, clique na aba “Drivers adicionais”. Escolha o driver que for mais adequado, confirme e siga as instruções do sistema;

    Instalando os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu

    Desinstalando o PPA Graphics Drivers no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o PPA Graphics Drivers no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o PPA Graphics Drivers, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:graphics-drivers/ppa -r
    sudo apt-get update
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o DroidCam no Linux manualmente

    Como instalar o DroidCam no Linux manualmente

    Que tal usar seu dispositivo com Android como webcam do PC? Para fazer isso, primeiro veja como instalar o DroidCam no Linux manualmente.


    DroidCam é uma ferramenta que permite usar um dispositivo Android como uma webcam sem fio, que pode ser usado a partir de seu desktop (Linux ou Windows) para conversar no Skype, Google+ e assim por diante, usando o “DroidCam Webcam” no seu computador, com som e imagem.

    Como instalar o DroidCam no Linux manualmenteComo instalar o DroidCam no Linux manualmente

    Ele pode se conectar pela Wifi, Bluetooth ou cabo USB. Além disso, ele é simples e eficiente, pois foi projetado para economizar bateria e espaço, tanto quanto possível.

    Conheça melhor o DroidCam

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o DroidCam no Linux manualmente

    Para instalar o DroidCam no Linux manualmente faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/droidcam*
    sudo rm -Rf /usr/bin/droidcam
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/droidcam.desktop

    Passo 3. Abra o gerenciador de pacotes de sua distribuição e instale o pacote linux-headers do kernel que o linux estiver usando.
    Em sistemas baseados no Debiam, o comando de instalação é o seguinte:

    sudo apt-get install linux-headers-`uname -r`

    Em sistemas baseados no Fedora, o comando de instalação é o seguinte:

    sudo dnf install linux-headers-`uname -r`

    Em sistemas baseados no openSUSE, o comando de instalação é o seguinte:

    sudo zypper install linux-headers-`uname -r`

    Passo 4. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 5. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa e salvá-lo com o nome droidcam.tar.bz2:

    wget https://www.dev47apps.com/files/600/droidcam-32bit.tar.bz2 -O droidcam.tar.bz2

    Passo 6. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa e salvá-lo com o nome droidcam.tar.bz2:

    wget https://www.dev47apps.com/files/600/droidcam-64bit.tar.bz2 -O droidcam.tar.bz2

    Passo 7. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo tar -xjvf droidcam.tar.bz2

    Passo 8. Acesse a pasta criada

    cd droidcam*/

    Passo 9. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ./install

    Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=DroidCam\n Exec=droidcam\n Icon=droidcam\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/droidcam.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite droidcam em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/programa.desktop
    cp /usr/share/applications/programa.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/programa.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Para saber como usar o Droicam, consulte esse outro tutorial:
    Instale DroidCam e use um dispositivo Android como webcam

    Como remover o DroidCam no Linux

    Para remover o DroidCam no Linux, execute o script de desinstalação através do comando:

    sudo /opt/droidcam-uninstall

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale o simulador de voo FlightGear no Ubuntu

    Instale o simulador de voo FlightGear no Ubuntu

    Que tal ter um verdadeiro simulador de voo (que também é um jogo) no seu sistema? Parece impossível mas não é, basta instalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e sistemas derivados.


    FlightGear é um simulador de vôo de código-fonte aberto. Ele suporta uma variedade de plataformas populares (Windows, Mac, Linux, etc.) e é desenvolvido por voluntários qualificados de todo o mundo. O código fonte de todo o projeto está disponível e licenciado sob a GNU General Public License.

    Instale o simulador de voo FlightGear no UbuntuInstale o simulador de voo FlightGear no Ubuntu

    O objetivo do projeto FlightGear é criar um sofisticado e aberto simulador de voo para uso em ambientes de pesquisa ou acadêmico, formação de pilotos, como uma ferramenta de engenharia da indústria, e por último, mas certamente não menos importante, como um divertido, realista e desafiador simulador de voo para desktop.

    É um jogo realista, sendo jogado por usuários normais e futuros pilotos de avião, por causa de seus detalhes precisos. Ele permite que o usuário possa voar em aeronaves, helicópteros, aviões comuns ou modernos aviões de combate em muitas faixas.

    Existe um site que possui diversas informações sobre esse simulador. O Flightgearlinux é um blog voltado para aficionados em simuladores de voo e sistema operacional Linux, que traz muita informação sobre o FlightGear. Lá você verá como instalar ou atualizar o programa, fazer download de cenários, resolver problemas e muito mais.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça as novidades da versão mais recente do FlightGear

    O simulador de vôo FlightGear atingiu a versão 2017.3 e vem com uma enorme lista de mudanças:

    • Aeronave: Detalhado Carrier USS Harry Truman e grupo de escolta, com muitos elementos animados, usando movimento de onda experimental;
    • Várias linhas de vôo foram corrigidas e agora é possível controlar de Nasal;
    • Começando em operadoras fixas;
    • A ativação de listas de exibição para vegetação aleatória fornece um aumento de desempenho maciço para a vegetação aleatória;
    • Agora são permitidos mais de 1000 screenshots;
    • Foi adicionado suporte para a turbulência de wake de AI;
    • Novas texturas de árvores do Mediterrâneo, novas texturas de arbustos do deserto.

    Para mais detalhes sobre essa versão, acesse o clique nesse changelog.

    Conheça melhor o simulador de voo FlightGear

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e derivados

    Para instalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:saiarcot895/flightgear

    Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install flightgear

    Como instalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu 16.04/16.10 e seus derivados

    Caso você não consiga instalar em versões mais recentes do Ubuntu usando o procedimento anterior, para instalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu 16.04/16.10, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo sh -c 'echo "deb http://archive.getdeb.net/ubuntu $(lsb_release -rs)-getdeb games" >> /etc/apt/sources.list.d/getdeb.list'

    Passo 3. Baixe e adiciona a chave do repositório com esse comando;

    wget -q -O - http://archive.getdeb.net/getdeb-archive.key | sudo apt-key add -

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install flightgear

    Como instalar o simulador de voo FlightGear manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Além disso, na página de download do programa, existem pacotes ou instruções para Gentoo, openSuse e Fedora/Redhat.

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flightgear no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:saiarcot895/flightgear --remove
    sudo apt-get remove flightgear
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale e use WildGuppy para ajustar o brilho da tela automaticamente

    Instale e use WildGuppy para ajustar o brilho da tela automaticamente

    Se você quer obter o melhor ajuste para o brilho da tela de seu laptop, automaticamente, basta instala e usar o WildGuppy no Ubuntu.


    WildGuppy é uma aplicação simples que ajusta automaticamente o brilho da tela do laptop no Ubuntu, baseando-se na luz ambiente.

    Instale e use WildGuppy para ajustar o brilho da tela automaticamente

    O aplicativo muda o brilho da tela do seu laptop usando amostras tomadas de câmera em um intervalo definido pelo usuário.

    Além disso, você sempre pode ajustar o brilho manualmente a partir do menu na opção “Brightness Levels” (níveis de brilho). Claro, ao escolher esta opção, o processo de amostragem na webcam deixará de ser usado.

    Instale e use WildGuppy para ajustar o brilho da tela automaticamente

    Conheça melhor o WildGuppy

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instale e use WildGuppy para ajustar o brilho da tela automaticamente – Ubuntu 14.04 (ou inferior)

    Para instalar o WildGuppy no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository ppa:fantasyleague0629/wildguppy

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install wildguppy

    Como instalar o WildGuppy no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o WildGuppy no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome programa.deb:

    wget https://launchpad.net/~fantasyleague0629/+archive/ubuntu/wildguppy/+files/wildguppy_1.0.3-1_all.deb -O wildguppy.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i wildguppy.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Como colocar o WildGuppy para ser executado automaticamente

    Para fazer com que o WildGuppy seja executado automaticamente, abra um terminal e execute o comando abaixo:

    cp /usr/share/applications/wildguppy.desktop ~/.config/autostart/

    Depois disso, feche a sessão atual e faça login novamente, para que o programa seja executado automaticamente.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu

    Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu

    Se você procura variedade e modernidade para mudar o visual do seu desktop, veja como instalar o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu.


    Vivacious Colors é uma suíte de ícones moderna, que apresenta um novo conjunto de ícones de aplicativos baseados nos temas de ícones Plasma-Next, Flattr e Emerald (incluindo incríveis ícones de pasta e indicador). Todos os ícones desse conjunto são modernos e limpos, mas fazem uso de gradientes e sombreamento para obter mais detalhes e sofisticação.

    Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no UbuntuInstalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu

    O conjunto de ícones Vivacious Colors é baseado no conjunto de ícones Vibrancy Colors (pastas, indicadores, ações etc).

    No entanto, os ícones arredondados de ícones foram substituídos completamente por um recém reprojetado (com algumas peças construídas a partir do zero) jogo de ícones de aplicativos vivos e bonitos, que vêm em várias formas e são totalmente SVG.

    Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu

    Esse conjunto dispõe de quatro cores de pastas selecionáveis ​​por padrão: Stock Manila Folders, Blue, Purple, Mint Teal. Além disso, esta suíte tem mais dez cores para pastas, disponíveis através de pacote “Vivacious-Folder-Colors”: Aqua, Grafite, Blue Vivid (Dark), Brown, Green, Purple Vivid (Dark),Red, Pink, Orange, Teal, Yellow.

    Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu

    Para completar, esse pacote é compatível com a maioria dos ambientes de desktop Linux, como Unity, Gnome, Cinnamon, Mate, Lxde e outros.

    O tema foi atualizado recentemente. Por isso, esse tutorial está sendo republicado.

    Conheça melhor o conjunto de ícones Vivacious Colors

    Para saber mais sobre o conjunto de ícones Vivacious Colors, clique nesse link.

    Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ravefinity-project/ppa

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Vivacious Colors usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install vivacious-colors
    sudo apt-get install vivacious-folder-colors-addon
    sudo apt-get install vivacious-colors-gtk-dark
    sudo apt-get install vivacious-colors-gtk-light

    Como instalar o conjunto de ícones Vivacious Colors manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, e baixe a última versão:

    wget https://launchpad.net/~ravefinity-project/+archive/ubuntu/ppa/+files/vivacious-colors_1.4~xenial~NoobsLab.com_all.deb
    wget https://launchpad.net/~ravefinity-project/+archive/ubuntu/ppa/+files/vivacious-colors-gtk-dark_16.04.4~xenial~NoobsLab.com_all.deb
    wget https://launchpad.net/~ravefinity-project/+archive/ubuntu/ppa/+files/vivacious-folder-colors-addon_1.1-c~xenial~NoobsLab.com_all.deb
    wget https://launchpad.net/~ravefinity-project/+archive/ubuntu/ppa/+files/vivacious-unity-gtk-dark_16.04.4-a~xenial~NoobsLab.com_all.deb

    Passo 5. Agora instale o conjunto de ícones com o comando:

    sudo dpkg -i vivacious*.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do conjunto de ícones com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Vivacious Colors, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove vivacious-colors
    sudo apt-get remove vivacious-folder-colors-addon
    sudo apt-get remove vivacious-colors-gtk-dark
    sudo apt-get remove vivacious-colors-gtk-light

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a ferramenta de configuração Ubuntu Tweak

    Como instalar a ferramenta de configuração Ubuntu Tweak

    Quer fazer alguns ajustes no Ubuntu mas não quer se arriscar em mexer no que não conhece? Veja como instalar a ferramenta de configuração Ubuntu Tweak e resolva o seu problema.


    Ubuntu Tweak é uma popular ferramenta de configuração do Ubuntu que permite ajustar diversos aspectos operacionais e visuais do sistema, boa parte dessas opções, não existem no ambiente padrão ou são de difícil acesso.

    Como instalar a ferramenta de configuração Ubuntu Tweak

    Resumindo: o programa é uma excelente opção para quem não quer se arriscar mexendo no editor de configurações do Ubuntu e outros locais de configuração.

    Como instalar a ferramenta de configuração Ubuntu Tweak

    Como instalar a ferramenta de configuração Ubuntu Tweak

    Como instalar a ferramenta de configuração Ubuntu Tweak

    Como instalar a ferramenta de configuração Ubuntu Tweak

    Conheça melhor o Ubuntu Tweak

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Ubuntu Tweak no Ubuntu 16.10, 16.04, 17.04 e seus derivados via repositório

    Para instalar o Ubuntu Tweak no Ubuntu 16.10, 16.04, 17.04 e seus derivados via repositório, para poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:trebelnik-stefina/ubuntu-tweak

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install ubuntu-tweak

    Como instalar o Ubuntu Tweak no Ubuntu 16.10, 16.04, 17.04 e seus derivados baixando o pacote

    Atenção! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Quem quiser instalar o Ubuntu Tweak no Ubuntu 16.10, 16.04 e seus derivados baixando o pacote de instalação, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se você usa o Ubuntu 16.04, use o comando abaixo para baixar o programa;

    wget https://launchpad.net/~trebelnik-stefina/+archive/ubuntu/ubuntu-tweak/+files/ubuntu-tweak_0.8.8-5~xenial_all.deb -O ubuntu-tweak.deb

    Passo 3. Se você usa o Ubuntu 16.10, use o comando abaixo para baixar o programa;

    wget https://launchpad.net/~trebelnik-stefina/+archive/ubuntu/ubuntu-tweak/+files/ubuntu-tweak_0.8.8-5~yakkety_all.deb -O ubuntu-tweak.deb

    Passo 4. Se você usa o Ubuntu 17.04, use o comando abaixo para baixar o programa;

    wget https://launchpad.net/~trebelnik-stefina/+archive/ubuntu/ubuntu-tweak/+files/ubuntu-tweak_0.8.8-5~zesty_all.deb -O ubuntu-tweak.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando. Se aparecer um erro (e nesse caso, aparecerá), vá para o próximo passo:

    sudo dpkg -i ubuntu-tweak.deb

    Passo 6. Instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Como instalar o Ubuntu Tweak no Ubuntu 15.10 ou versões anteriores e seus derivados

    Para instalar o Ubuntu Tweak no Ubuntu 15.10 ou versões anteriores e seus derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:tualatrix/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install ubuntu-tweak

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite ubuntu-tweak no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Ubuntu Tweak no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Ubuntu Tweak no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:tualatrix/ppa --remove
    sudo add-apt-repository ppa:trebelnik-stefina/ubuntu-tweak --remove
    sudo apt-get remove ubuntu-tweak
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar versão mais recente do DVDStyler no Ubuntu

    Como instalar versão mais recente do DVDStyler no Ubuntu

    Quer criar DVD no Linux ou manipular arquivos desse formato? Então veja como instalar o DVDStyler no Ubuntu e sistemas derivados.


    O DVDStyler é um software de código aberto e totalmente gratuito. Ele é uma ferramenta multiplataforma voltada para quem quer criar DVDs com aparência profissional.

    Como instalar versão mais recente do DVDStyler no UbuntuComo instalar versão mais recente do DVDStyler no Ubuntu

    O programa permite não só a queima de arquivos de vídeo em DVD, que podem ser reproduzidos em praticamente qualquer aparelho de DVD independente, mas também a criação de menus de DVD concebidos individualmente.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Além disso, o DVDStyler também suporta taxa de bits variável de codificação (VBR) por padrão.

    Como instalar versão mais recente do DVDStyler no Ubuntu

    Conheça melhor o DVDStyler

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o DVDStyler no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o DVDStyler no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/dvdstyler

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install dvdstyler

    Como instalar o DVDStyler manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite dvdstyler no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o DVDStyler no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o DVDStyler no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o DVDStyler, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/dvdstyler --remove
    sudo apt-get remove dvdstyler
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o app de acesso remoto Remmina no Linux

    Como instalar o app de acesso remoto Remmina no Linux

    Se você precisa de uma ferramenta para uso do PC a distância, conheça e veja como instalar o app de acesso remoto Remmina no Linux.


    Remmina é uma aplicação de desktop remoto, um software e livre coberta pela licença GNU GPL, escrito em C e GTK+, e disponível apenas para sistemas baseados em Unix/Linux.

    Como instalar o app de acesso remoto Remmina no LinuxComo instalar o app de acesso remoto Remmina no Linux

    Basicamente, ele pode ser muito útil para administradores de sistemas e para aqueles que precisam acessar computadores remotos.

    Ele suporta vários protocolos de rede em uma interface integrada e consistente, no momento em que os protocolos RDP, VNC, NX, SPICE, XDMCP e SSH são suportados. Adicionalmente, você pode instalar os plugins Remmina: RDP, VNC, NX, XDMCP, SSH e Telepathy.

    Principais características do Remmina:

    • Permite manter uma lista de perfis de conexão, organizados por grupos;
    • Permite fazer conexões rápidas colocando diretamente o endereço do servidor;
    • Os desktops remotos com resoluções mais elevadas são roláveis​/escaláveis ​​na janela e no modo de tela cheia;
    • Modo de tela cheia View-port: a área de trabalho remota rola automaticamente quando o mouse se move sobre a borda da tela;
    • Barra de ferramentas flutuante no modo de tela cheia, permite alternar entre os modos, ativar o teclado, minimizar, etc;
    • Interface com guias, opcionalmente gerenciada por grupos;
    • Ícone da bandeja, permite acessar rapidamente perfis de conexão configurados.

    Conheça melhor o app de acesso remoto Remmina

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o app de acesso remoto Remmina no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o app de acesso remoto Remmina no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:remmina-ppa-team/remmina-next

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install remmina remmina-plugin-rdp libfreerdp-plugins-standard

    Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove remmina

    Como instalar a versão mais recente do app de acesso remoto Remmina no Linux em distros que suportam Snap

    Para instalar a versão mais recente do app de acesso remoto Remmina no Linux via Snap, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se essa for a primeira vez que instala um aplicativo usando o pacote SNAP, antes você pode precisa instalar o snapd com esse comando (caso ainda não esteja instalado). Em versões recentes do Ubuntu (como 16.04 e 16.10 ou 17.04), este ele já deve estar instalado por padrão. Para o Ubuntu 14.04, você precisa instalar o snapd com esse comando;

    sudo apt-get install snapd snapd-xdg-open

    Passo 3. Instale a versão mais recente do Remmina via SNAP, usando esse comando:

    sudo snap install remmina

    Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap, use:

    sudo snap refresh remmina

    Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove remmina

    Como instalar o app de acesso remoto Remmina no Fedora e seus derivados

    Para instalar o app de acesso remoto Remmina no Fedora e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Adicione o repositório do programa com este comando;

    dnf copr enable hubbitus/remmina-next

    Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    dnf upgrade --refresh 'remmina*' 'freerdp*'

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite remmina no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar Nudoku para jogar Sudoku no terminal

    Como instalar nudoku para jogar sudoku no terminal

    Se você gosta de jogos de lógica e da linha de comando, tem de conhecer e instalar Nudoku para jogar Sudoku no terminal e se divertir.


    Nudoku é um jogo Soduku baseado em terminal para Linux. Nele, um jogador precisa preencher uma grade 9×9 com números 1 a 9, usando apenas a lógica. E assim como qualquer outro jogo, tem diferentes níveis de dificuldade, do simples ao avançado.

    Como instalar nudoku para jogar sudoku no terminalComo instalar nudoku para jogar sudoku no terminal

    Conheça melhor o Nudoku

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar Nudoku para jogar Sudoku no terminal

    Para instalar Nudoku para jogar Sudoku no terminal, faça o seguinte;
    Passo 1. Abra umm terminal;
    Passo 2. Para instalar o jogo nudoku no Fedora, RHEL, CentOS e derivados, use esse comando;

    sudo yum install nudoku

    ou

    sudo dnf install nudoku

    Passo 3. Para instalar o jogo nudoku no OpenSuse e derivados, use esse comando;

    zypper ar http://download.opensuse.org/repositories/games/openSUSE_13.2/ games
    zypper in nudoku

    Passo 4. Para instalar o jogo nudoku no Funtoo, Gentoo e derivados, use esses comandos;

    emerge --sync
    emerge nudoku -a

    Passo 5. Para instalar o jogo nudoku em qualquer distro que possua o Git instalado, use esses comandos;

    git clone https://github.com/jubalh/nudoku
    cd nudoku
    autoreconf -i
    ./configure
    make
    ./src/nudoku

    Usando o Nudoku

    Agora que o jogo já está instalado, quando quiser iniciá-lo, digite nudoku em um terminal, e tecle enter.

    Para jogar, use as seguintes teclas:

    Q – Sair
    r – Redraw
    h – Mover para a esquerda
    l – Mover para a direita
    j – Mover para baixo
    k – subir
    x – Apagar o número
    c – Verificar solução
    N – Novo quebra-cabeça
    S- Resolve puzzle
    H – Pegar uma dica

    Gostou? Não esqueça de falar suas impressões nos comentários…

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como verificar a previsão do tempo usando apenas um terminal e o cURL

    Como verificar a previsão do tempo usando apenas um terminal e o cURL

    Quer ficar de olho no clima da sua região mas não quer instalar nenhum programa? Então veja como verificar a previsão do tempo usando apenas um terminal e o cURL, usando o serviço wttr.in.


    wttr.in é um frontent web para Wego, um aplicativo de tempo para o terminal. Com o serviço, você consegue verificar a previsão do tempo usando apenas um terminal e o cURL, ou seja, sem ter que instalar qualquer coisa (exceto o cURL, que em algumas distros vem instalado por padrão).

    Como verificar a previsão do tempo usando apenas um terminal e o cURL

    Por padrão, o serviço tenta determinar sua localização automaticamente, mas se isso falhar, ele permite que você especifique o local de várias maneiras, através do nome da cidade, de três letras do código do aeroporto, CEP ou a localização de um nome de domínio ou endereço IP.

    Outras características incluem uma previsão do tempo de três dias, exibição das fases da lua e suporte para dois sistemas métricos (SI; usado por padrão em todos os lugares, exceto os EUA) e USCS (usado por padrão nos EUA).

    Sob o capô, o wttr.in usa WorldWeatherOnline para obter as informações meteorológicas, embora isso possa mudar no futuro, já que o Wego, a ferramenta que wttr.in usa como backend, recentemente passou a usar por padrão forecast.io.

    Se você quiser ter a previsão do tempo na área de trabalho do seu PC, veja este tutorial:
    Previsão do tempo: Como instalar o My Weather Indicator no Ubuntu

    Conheça melhor os aplicativos e serviços

    Para saber mais sobre o wttr.in, clique nesse link.
    Para saber mais sobre o Wego, clique nesse link.
    Para saber mais sobre o cURL, clique nesse link.

    O que é preciso para pode verificar a previsão do tempo usando apenas um terminal e o cURL

    O único requisito para usar wttr.in é o “cURL”, disponível por padrão na maioria das distribuições.
    Se não tiver o programa, basta procurar e instalar ele usando o gerenciador de pacotes de sua distro ou usando comandos como:
    Debian, Ubuntu e derivados:

    sudo apt-get install curl

    OpenSUSE:

    sudo zypper install curl

    CentOS, Fedora e derivados:

    sudo yum install curl
    sudo dnf install curl

    Como verificar a previsão do tempo usando apenas um terminal e o cURL

    Depois de instalar o cURL, para verificar a previsão do tempo, abra um terminal e execute o comando a seguir:

    curl wttr.in

    Como dito antes, se o wttr.in não consegue detectar a sua localização atual, ou se você deseja obter informações sobre o tempo para um local diferente, você pode especificar de três letras de códigos de aeroporto, nomes da cidade, nomes de domínio ou endereços IP. Aqui estão alguns exemplos:

    Para verificar a previsão do tempo de New York (paar usar nomes de cidade contendo espaços, você pode inserir o nome entre aspas ou utilize um sublinhado, como por exemplo, “New York” e trabalhar New_York):

    curl wttr.in/"new york"

    Para verificar a previsão do tempo de Paris, use esse comando:

    curl wttr.in/paris

    Para verificar a previsão do tempo de Londres usando um código do aeroporto de 3 letras (aquelas que aparecem no bilhete de passagem). A seguir, veja o exemplo usando o código do aeroporto de Heathrow abaixo:

    curl wttr.in/lhr

    Para verificar a previsão do tempo usando um CEP (note que wttr.in chama isso de “area code” ou código de área, mas os códigos de área são realmente uma coisa diferente), use esse comando:

    curl wttr.in/60602

    Para verificar a previsão do tempo usando as unidades métricas ou USCS, basta acrescentar “?M” ou “?U” para o comando (sem as aspas). Por exemplo, para forçar as unidades métricas (SI) para obter informações sobre o tempo para Chicago, você usaria:

    curl wttr.in/chicago?m

    Para ver todas as opções disponíveis, use o seguinte comando:

    curl wttr.in/:help

    Gostou? Pois é, agora você já pode verificar a previsão do tempo a hora que quiser.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a última versão do Whisker Menu no Linux

    Como instalar a última versão do Whisker Menu no Linux

    Se seu ambiente padrão é XFCE, que tal deixar ele ainda mais fácil de usar? Para conseguir isso, instale a última versão do Whisker Menu.


    Whisker Menu é um lançador de aplicativos alternativo para Xfce e uma alternativa inovadora para o menu padrão do ambiente XFCE.

    Como instalar a última versão do Whisker Menu no Linux

    O recurso inclui uma moderna barra de pesquisa e permite que os usuários possam acessar facilmente todos os aplicativos instalados a partir do sistema, ou acessar aplicações por categorias. Ele também se lembra dos últimos 10 aplicativos que foram usados recentemente.

    Conheça melhor o Whisker Menu

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    A seguir você verá como como instalar o Whisker Menu no Ubuntu, Linux Mint, Debian, Fedora, OpenSUSE e sistemas derivados destes. Claro, todos usando o XFCE como o ambiente desktop.

    Como instalar o Whisker Menu no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Whisker Menu no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository ppa:gottcode/gcppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install xfce4-whiskermenu-plugin

    Passo 5. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

    sudo apt-get remove xfce4-whiskermenu-plugin

    Como instalar o Whisker Menu no Debian e sistemas derivados

    Para instalar o o Whisker Menu no Debian e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo sh -c 'echo "deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/Debian_8.0/ /" >> /etc/apt/sources.list.d/xfce4-whiskermenu-plugin.list'

    Passo 3. Baixe e importe a chave do repositório com estes comandos:

    wget http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/Debian_8.0/Release.key
    sudo apt-key add - < Release.key

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install xfce4-whiskermenu-plugin

    Passo 6. Se por algum motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

    sudo apt-get remove xfce4-whiskermenu-plugin

    Como instalar o Whisker Menu no Fedora e sistemas derivados

    Para instalar o Whisker Menu no Fedora e sistemas derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se seu sistema for um Fedora 24 (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:gottcode/Fedora_24/home:gottcode.repo -O /etc/yum.repos.d/home:gottcode.repo

    Passo 3. Se seu sistema for um Fedora 25 (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/Fedora_25/home:gottcode.repo -O /etc/yum.repos.d/home:gottcode.repo

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo yum update

    Passo 5. Para instalar o programa cliente com suporte a vídeo, em ambientes desktop baseados na biblioteca GTK;

    sudo yum install xfce4-whiskermenu-plugin

    Passo 6. Se por algum motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

    sudo yum remove xfce4-whiskermenu-plugin

    Como instalar o Whisker Menu no OpenSUSE e sistemas derivados

    Para instalar o Whisker Menu no OpenSUSE e sistemas derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se seu sistema for um openSUSE Factory (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/openSUSE_Factory/home:gottcode.repo

    Passo 3. Se seu sistema for um openSUSE Leap 42.1 (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/openSUSE_Leap_42.1/home:gottcode.repo

    Passo 4. Se seu sistema for um openSUSE Leap 42.2 (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/openSUSE_Leap_42.2/home:gottcode.repo

    Passo 5. Se seu sistema for um openSUSE Tumbleweed (ou baseado nele), adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/gottcode/openSUSE_Tumbleweed/home:gottcode.repo

    Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo zypper refresh

    Passo 7. Para instalar o programa cliente com suporte a vídeo, em ambientes desktop baseados na biblioteca GTK;

    sudo zypper install xfce4-whiskermenu-plugin

    Passo 8. Se por algum motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

    sudo zypper remove xfce4-whiskermenu-plugin

    Uma vez instalado, adicione o Whisker Menu no painel, clicando com o botão direito do mouse no painel e selecionando “Panel” > “Add New Items…” (“Painel” > “Adicionar novos itens…”), em seguida, selecione “Whisker Menu” e clique em “Add” (Adicionar) e depois mova ele para a esquerda.

    whisker menu

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o Music Player Lollypop no Ubuntu e derivados

    Como instalar o Music Player Lollypop no Ubuntu e derivados

    Procurando uma nova opção para ouvir suas músicas? Conheça e veja como instalar o Music Player Lollypop no Ubuntu e derivados.


    Lollypop é um moderno reprodutor de música GTK+3, escrito em Python. Se você está precisando de um novo aplicativo de player de música para usar em seu desktop Linux, Lollypop pode ser uma boa escolha para começar.

    Como instalar o Music Player Lollypop no Ubuntu e derivados

    O playr suporta Mp3/4, ogg e flac, tem navegação da capa/gênero/artista, pesquisa, lista de reprodução principal (chamada fila em outros aplicativos), modo de festa, replay, Cover art downloader, visualização do artista de contexto, sincronização MTP, visualização em tela cheia, suporte a rádios, suporte ao Last.fm, codecs de instalação automática, suporte HiDPI e suporte de Tunein.

    Conheça melhor o Music Player Lollypop

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Music Player Lollypop no Ubuntu

    Para instalar o Music Player Lollypop no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:gnumdk/lollypop

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install lollypop

    Como instalar o Music Player Lollypop manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite lollypop no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o programa no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:gnumdk/lollypop --remove
    sudo apt-get remove lollypop
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    20 de setembro de 2017

    Endian Firewall Community 3.2.4 lançado – Confira as novidades e baixe

    Endian Firewall Community 3.2.4 lançado - Confira as novidades e baixe

    O projeto Endian anuncio o lançamento de uma atualização de seu sistema, o Endian Firewall Community 3.2.4. Confira as novidades e descubra onde baixar.


    O Endian Firewall é uma distribuição voltada para a função de firewall que serve para proteger e melhorar a conectividade de redes.

    Endian Firewall Community 3.2.4 lançado - Confira as novidades e baixeEndian Firewall Community 3.2.4 lançado – Confira as novidades e baixe

    Baseado no Red Hat Enterprise Linux, essa distribuição é 100% de código aberto e inclui uma grande variedade de recursos, como firewall de inspeção com estado, antivírus HTTP/FTP, filtro de conteúdo, anti-vírus POP3/SMTP, anti-phishing and anti-spam tools, SSL/TLS VPN, IDS real e outros recursos.

    Novidades do Endian Firewall Community 3.2.4

    Essa atualização traz pequenas atualizações (dnsmasq, squid openvpn e etc) e melhorias menores.

    Se você já possui uma versão da distro instalada com pelo menos uma versão 3.2.0beta1, você pode simplesmente registrar e executar as atualizações.

    Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

    Conheça melhor a distribuição Endian Firewall Community

    Para saber mais sobre a distribuição Endian Firewall Community, clique nesse link.

    Baixe e experimente o Endian Firewall Community 3.2.4

    A imagem ISO do Endian Firewall Community 3.2.4 já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

    Verifique se a imagem ISO está corrompida

    Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
    Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

    Como gravar uma imagem ISO no Linux

    Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
    Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
    Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
    Como criar um pendrive de instalação
    Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
    Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o planetário Stellarium no Ubuntu

    Como instalar o planetário Stellarium no Ubuntu

    Se procura uma ferramenta que forneça um imagem realista e precisa do céu, como se você estivesse olhando através de um telescópio, veja aqui como instalar o planetário Stellarium no Ubuntu e derivados.


    Stellarium é um software planetário livre e de código aberto disponível para Linux, Windows e Mac OS X. Ele usa OpenGL para renderizar uma projeção realista do céu noturno em tempo real, assim como o que você vê a olho nu, com binóculos ou telescópio.

    Como instalar o planetário Stellarium no UbuntuComo instalar o planetário Stellarium no Ubuntu

    O programa também pode ser usado em projetores de planetários. Basta definir suas coordenadas e ir embora.

    Stellarium possui um catálogo padrão de mais de 600.000 estrelas e um catálogo extra com mais de 210 milhões de estrelas, asterismos e ilustrações das constelações, constelações de 19 culturas diferentes, imagens de nebulosas (catálogo completo Messier), uma visão realista da Via Láctea, atmosfera muito realista, nascer e pôr do sol, os planetas e seus satélites.

    A interface do programa é multilíngue e permite fazer um zoom poderoso, fazer projeção fisheye para cúpulas de planetários, projeção espelho esférico para a sua própria cúpula de baixo custo, ter amplo controle de teclado, controle do telescópio e controle de tempo.

    Conheça melhor o programa planetário Stellarium

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o programa planetário Stellarium no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o programa planetário Stellarium no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:stellarium/stellarium-releases

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install stellarium

    Como instalar o programa planetário Stellarium manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite stellarium no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o planetário Stellarium no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o planetário Stellarium no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:stellarium/stellarium-releases --remove
    sudo apt-get remove stellarium
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Visualizador de imagens Nomacs – Instale no Ubuntu

    Visualizador de imagens Nomacs - Instale no Ubuntu

    Se você procurava um bom visualizador de imagens para seu sistema, conheça e experimente instalar o aplicativo Nomacs.


    Nomacs é um visualizador de imagens livre sob a licença GPLv3, multiplataforma (tem versões para Linux, Windows e Mac) e com uma grande quantidade de recursos.

    Visualizador de imagens Nomacs - Instale no UbuntuVisualizador de imagens Nomacs – Instale no Ubuntu

    O programa é leve, prático, rápido e tem habilidade para lidar com a maioria dos formatos comuns, inclusive imagens RAW. Ele oferece sincronização com vários usuários no mesmo computador ou em diferentes computadores através de LAN, o que o torna um aplicativo único.

    Os formatos suportados são: PNG, JPG, JPEG, TIF, BMP, PPM, ARW, PSD, DNG, TGA, ICO, CRW, MPO, GIF, XPM, XBM, PBM, PGM, NEF, CRW, ARW, CR2 e nomacs Também pode exibir as informações EXIF para cada imagem, onde existe a metadados.

    Conheça melhor o visualizador de imagens Nomacs

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

    Instalando o visualizador de imagens Nomacs no Ubuntu e derivados

    Para instalar o visualizador de imagens Nomacs no Ubuntu e derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:nomacs/stable

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install nomacs

    Como instalar o visualizador de imagens Nomacs manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite nomacs no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o visualizador de imagens Nomacs no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o visualizador de imagens Nomacs no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:nomacs/stable --remove
    sudo apt-get remove nomacs
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando a versão mais recente do Midori Web Browser

    Instalando a versão mais recente do Midori Web Browser

    Saiu mais uma versão do Midori Web Browser, um navegador leve e rápido. Se você quer experimentar essa versão, veja aqui como instalar ela no Ubuntu e seus derivados.


    Midori é um navegador leve, com HTML5 completa e suporte CSS3, usado por padrão no ambiente de trabalho XFCE4 e em sistemas Elementary OS. Ele é um navegador pouco conhecido, porém é uma ótima opção para quem deseja um navegador leve e eficiente.

    Instalando a versão mais recente do Midori Web BrowserInstalando a versão mais recente do Midori Web Browser

    Esse navegador usa o motor de renderização WebKit (o mesmo utilizado pelos Google Chrome e o Safari) e a interface baseada em GTK+2 ou GTK+3.

    Conheça melhor o Midori Web Browser

    Para saber mais sobre esse navegador, clique nesse link.

    Instalando a versão mais recente do Midori Web Browser

    Para instalar a versão mais recente do Midori Web Browser no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:midori/midori-dev

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o Midori Web Browser com o comando:

    sudo apt-get install midori

    Como instalar o Midori Web Browser manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite midori no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Midori Web Browser no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Midori Web Browser no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove midori

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Outra alternativa ao Office: instale o Calligra Suíte no Ubuntu

    Outra alternativa ao Office: instale o Calligra Suíte no Ubuntu

    Se você procura uma outra alternativa ao Office da MS, além do OpenOffice, LibreOffice e WPS Office, experimente instalar o Calligra Suíte no Ubuntu.


    Calligra Suite é uma pacote de aplicativos de escritório semelhante ao LibreOffice ou OpenOffice, que normalmente está disponível no Kubuntu e outros sistemas Linux baseados no KDE.

    Outra alternativa ao Office: instale o Calligra Suíte no UbuntuOutra alternativa ao Office: instale o Calligra Suíte no Ubuntu

    Calligra contém os seguintes aplicativos: Words, Stage, Sheets, Flow e Kexi (aplicativos de escritório), Krita e Karbon (manipulação de gráficos) e o Plan (gerenciamento de projetos).

    É aconselhável instalar o Calligra Office Suíte em sistemas que utilizam KDE (como o Kubuntu), porque depende de muitas bibliotecas do KDE que serão instaladas em seu sistema, se estas já não estiverem. Por isso, se você estiver usando Gnome, Unity, Cinnamon e etc, prepare-se para ver um monte de pacotes sendo instalados.

    Conheça melhor o Calligra Suíte

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Calligra Suíte no Ubuntu e ter uma outra alternativa ao Office

    Calligra Suíte está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou através do comando sudo apt-get install calligra calligra-l10n-ptbr. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o Calligra Suíte no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository ppa:kubuntu-ppa/backports

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install calligra calligra-l10n-ptbr

    Passo 5. Se você for usar usar o programa em um ambiente diferente do KDE, instale essa dependência com o comando a seguir;

    sudo apt-get install kdelibs*-dev

    Passo 6. Na sequencia, execute esse comando, para preparar o sistema para executar o Calligre Suíte fora do KDE;

    kbuildsycoca4

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite calligra no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB) e escolha um dos programas para usar.

    Outra alternativa ao Office: instale o Calligra Suíte no Ubuntu

    Desinstalando o Calligra Suíte no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Calligra Suíte no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:kubuntu-ppa/backports --remove
    sudo apt-get remove calligra calligra-l10n-ptbr
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging no Ubuntu, Debian, Mint e Fedora

    Laçado Wine 2.11 com correções e suporte OpenGL no driver do Android

    Se você usa o aplicativos Windows no Linux e quer experimentar os novos recursos do Wine bem antes da versão padrão, veja como fazer isso usando o Wine Staging.


    Wine Staging é uma versão do Wine, que fornece correções de bugs e recursos que ainda não estão disponíveis em versões regulares de Wine. Com ele, você tem acesso aos novos recursos do Wine bem antes da maioria dos usuários.

    Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging

    O Wine Staging anteriormente era conhecido como Wine Compholio. Ele foi inicialmente criado para o Pipelight, um projeto que traz Silverlight e outros plugins feitos apenas para o Windows, para navegadores web do Linux.

    O projeto evoluiu e algumas distribuições Linux, como Fedora, já o fornecem nos repositórios oficiais, em vez da versão regular do Wine.

    Algumas das características são opcionais e podem ser ativadas ou desativadas via Wine Configuration (winecfg), na guia “Staging”:

    Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o Wine Staging

    Para saber mais sobre o Wine Staging, clique nesse link.

    Para obter uma lista completa dos novos recursos do Wine e correções de bugs, consulte a página do Wine Staging no GitHub.

    Como instalar o Wine Staging no Fedora para poder usar os novos recursos do Wine

    Para instalar o Wine Staging no Fedora para poder usar os novos recursos do Wine, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se você estiver usando o Fedora 24, adicione o repositório do programa com este comando;

    dnf config-manager --add-repo https://repos.wine-staging.com/wine/fedora/24/winehq.repo

    Passo 4. Se você estiver usando o Fedora 25, adicione o repositório do programa com este comando;

    dnf config-manager --add-repo https://repos.wine-staging.com/wine/fedora/25/winehq.repo

    Passo 5. Se você estiver usando o Fedora 26, adicione o repositório do programa com este comando;

    dnf config-manager --add-repo https://repos.wine-staging.com/wine/fedora/26/winehq.repo

    Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    dnf install winehq-staging

    Passo 7. Se você estiver usando um sistema de 64 bit e quer usar a versão de 64 bits do Wine, instale também o ‘wine-staging-amd64’;

    dnf install winehq-staging64

    Passo 8. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    dnf remove winehq-staging*

    Como instalar o Wine Staging no Ubuntu para poder usar os novos recursos do Wine

    Para instalar o Wine Staging no Ubuntu para poder usar os novos recursos do Wine, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo apt-add-repository 'https://dl.winehq.org/wine-builds/ubuntu/'

    Passo 5. Baixe e instale a chave do repositório com este comando:

    wget -q -O- https://repos.wine-staging.com/wine/Release.key | sudo apt-key add -

    Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 7. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install --install-recommends winehq-staging

    Passo 8. Se você estiver usando um sistema de 64 bit e quer usar a versão de 64 bits do Wine, instale também o ‘wine-staging-amd64’;

    sudo apt-get install wine-staging-amd64

    Passo 9. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove wine-staging*
    sudo apt-get autoremove

    Como instalar o Wine Staging no Linux Mint

    Para instalar o Wine Staging no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se você estiver usando o Mint 17.x (Qiana, Rebecca, Rafaela, Rosa), adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo apt-add-repository 'deb https://dl.winehq.org/wine-builds/ubuntu/ trusty main'

    Passo 4. Se você estiver usando o Mint 18.x (Sarah, Serena), adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo apt-add-repository 'deb https://dl.winehq.org/wine-builds/ubuntu/ xenial main'

    Passo 5. Baixe e instale a chave do repositório com este comando:

    wget -q -O- https://repos.wine-staging.com/wine/Release.key | sudo apt-key add -

    Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 7. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install --install-recommends winehq-staging

    Passo 8. Se você estiver usando um sistema de 64 bit e quer usar a versão de 64 bits do Wine, instale também o ‘wine-staging-amd64’;

    sudo apt-get install wine-staging-amd64

    Passo 9. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove wine-staging*
    sudo apt-get autoremove

    Como instalar o Wine Staging no Debian

    Para instalar o Wine Staging no Debian, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se você estiver usando o Debian Wheezy, adicione o repositório do programa com este comando;

    sudo sh -c "echo 'deb https://dl.winehq.org/wine-builds/debian/ wheezy main' >> /etc/apt/sources.list"

    Passo 4. Se você estiver usando o Debian Jessie, adicione o repositório do programa com este comando;

    sudo sh -c "echo 'deb https://dl.winehq.org/wine-builds/debian/ jessie main' >> /etc/apt/sources.list"

    Passo 5. Se você estiver usando o Debian Stretch, adicione o repositório do programa com este comando;

    sudo sh -c "echo 'deb https://dl.winehq.org/wine-builds/debian/ stretch main' >> /etc/apt/sources.list"

    Passo 6. Se você estiver usando o Debian Sid, adicione o repositório do programa com este comando;

    sudo sh -c "echo 'deb https://dl.winehq.org/wine-builds/debian/ sid main' >> /etc/apt/sources.list"

    Passo 7. Baixe e instale a chave do repositório com este comando:

    wget -q -O- https://repos.wine-staging.com/wine/Release.key | sudo apt-key add -

    Passo 8. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 9. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install --install-recommends winehq-staging

    Passo 10. Se você estiver usando um sistema de 64 bit e quer usar a versão de 64 bits do Wine, instale também o ‘wine-staging-amd64’;

    sudo apt-get install wine-staging-amd64

    Passo 11. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove wine-staging*
    sudo apt-get autoremove

    Como instalar o Wine Staging em outras distribuições

    Os desenvolvedores do Wine Staging fornecem binários para o Arch Linux, Debian, Gentoo, Mageia e OpenSUSE. Para obter instruções de instalação, consulte essa página.

    Para outras dúvidas relacionadas a execução de programas Windows no Linux, bem como assuntos relacionados, consulte esse artigo:

    Usando o Wine Staging

    Nos executáveis ​​do Wine Staging não ficam instalados em /usr/bin (e portanto, não estão disponíveis em seu PATH, por padrão), mas em /opt/wine-staging/bin/.

    Graças a isso, você pode continuar usando a versão regular do Wine bem como a do Staging Wine. Para iniciar qualquer executável Staging Wine, basta adicionar “/opt/wine-staging/bin/” antes do nome do executável, como nos exemplos a seguir:

    /opt/wine-staging/bin/wine
    /opt/wine-staging/bin/winecfg

    No entanto, se você não deseja digitar o caminho completo cada vez que quiser usar Staging Wine, você pode instalar um pacote que fornece links simbólicos de compatibilidade.

    Infelizmente, você não poderá usar a versão regular do Wine mais, o que pode valer a pena, dependendo dos novos recursos do Wine que o programa oferecer:

    sudo apt-get install wine-staging-compat

    Para obter mais informações, consulte a página de uso do Wine Staging.

    Instalando e manipulando aplicativos Windows no Linux e outros assuntos relacionados

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar um Facebook Messenger no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados

    Como instalar um Facebook Messenger no Ubuntu com o Messenger for Desktop

    Que usar o Facebook Messenger no Ubuntu, mas achou essa instalação complicada? Então veja como instalar o aplicativo Messenger for Desktop, para ter o Messenger do Facebook no seu Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados, sem complicações.


    O Facebook oferece o portal do Messenger, um site que fornece aos usuários um serviço de mensagens instantâneas como uma alternativa para o atual bate-papo integrado, dentro da famosa rede social.

    Como instalar um Facebook Messenger no Ubuntu com o Messenger for DesktopComo instalar um Facebook Messenger no Ubuntu com o Messenger for Desktop

    Messenger fornece recursos e uma interface gráfica muito semelhante ao aplicativo móvel, com suporte para chamadas de voz, envio de fotos, adesivos (etiquetas), mensagens de voz e etc.

    Coincidindo com o lançamento do novo portal, surgiu também um novo cliente de código aberto dedicado chamado Messenger for Desktop, com versões para Linux, Microsoft Windows e Apple Mac.

    Messenger for Desktop é um projeto multiplataforma que visa levar as mensagens instantâneas do Facebook para nossa área de trabalho. Nas palavras do próprio site do aplicativo:

    Um aplicativo simples e bonito para Facebook Messenger.
    Bate-papo sem distrações em qualquer sistema operacional.

    O projeto (ainda em desenvolvimento) baseia-se no novo Messenger, incluindo suporte para notificações de área de trabalho e, no futuro, uma melhor integração com os diversos sistemas operacionais e ambientes de desktop Linux (por exemplo, integrando com o MeMenu Ubuntu etc).

    Conheça melhor o Messenger for Desktop

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar um Facebook Messenger no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados

    No procedimento a seguir você verá como instalar o Messenger for Desktop, para ter um Facebook Messenger no Ubuntu. Mas se você quiser instalar em outra distribuição, basta seguir esse outro tutorial.
    Como instalar um Facebook Messenger no Linux com o Messenger for Desktop

    Como instalar um Facebook Messenger no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar um Facebook Messenger no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome facebook-messenger.deb:

    wget "https://updates.messengerfordesktop.com/download/linux/latest/beta?arch=i386&pkg=deb" -O facebook-messenger.deb

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome facebook-messenger.deb:

    wget "https://updates.messengerfordesktop.com/download/linux/latest/beta?arch=amd64&pkg=deb" -O facebook-messenger.deb

    Passo 6. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i facebook-messenger.deb

    Passo 7. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 8. Depois, se precisar, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove messengerfordesktop

    Como instalar um Facebook Messenger no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

    Quem quiser instalar um Facebook Messenger no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome facebook-messenger.rpm:

    wget "https://updates.messengerfordesktop.com/download/linux/latest/beta?arch=i386&pkg=rpm" -O facebook-messenger.rpm

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome facebook-messenger.rpm:

    wget "https://updates.messengerfordesktop.com/download/linux/latest/beta?arch=x86_64&pkg=rpm" -O facebook-messenger.rpm

    Passo 5. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install facebook-messenger.rpm

    Passo 6. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall facebook-messenger.rpm

    ou

    sudo dnf install facebook-messenger.rpm

    Passo 7. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

    sudo rpm -i facebook-messenger.rpm

    Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e facebook-messenger*

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa e usar o Facebook Messenger no UBuntu, digite messenger no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando a versão mais recente do digiKam no Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

    Instalando a versão mais recente do digiKam no Ubuntu

    Quem precisa de uma ótima ferramenta para administrar e editar suas fotos pode usar o digiKam. E para ter sempre a versão mais recente do digiKam no Ubuntu, basta seguir este tutorial.


    digiKam é um software de código aberto para gerenciamento avançado de fotos digitais para Linux, Windows e Mac OS X.

    Instalando a versão mais recente do digiKam no Ubuntu

    Ele possui diversas funcionalidades que permitem importar, exportar, visualizar, gerenciar, editar, melhorar, organizar, rotular, e compartilhar fotos em sistemas Linux.

    Neste tutorial será mostrado como instalar o DigiKam no Kubuntu, Linux Mint KDE e outros sistemas derivados do Ubuntu que usam o KDE como ambiente desktop padrão.

    O programa também pode ser instalado em sistema baseados no Ubuntu que não usam o KDE, através do repositório philip5/extra, mas isso irá instalar um monte de bibliotecas do KDE.

    Conheça melhor o DigiKam

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o DigiKam para criar animações no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

    Para instalar o DigiKam e usá-lo para criar animações no Linux, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome digikam.appimage:

    wget https://download.kde.org/stable/digikam/digikam-5.7.0-01-i386.appimage -O digikam.appimage

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome digikam.appimage:

    wget https://download.kde.org/stable/digikam/digikam-5.7.0-01-x86-64.appimage -O digikam.appimage

    Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

    chmod +x digikam.appimageb

    Passo 6. Agora instale o programa com o comando;

    ./digikam.appimage

    Passo 7. Na janela que será exibida, clique no botão “Yes” e aguarde o final da instalação;

    Instalando a versão mais recente do digiKam no Ubuntu

    Para instalar a versão mais recente do digiKam no Ubuntuo, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Para instalar o DigiKam no Ubuntu com KDE ou com outros ambientes gráficos, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository ppa:philip5/extra

    Passo 3. Para instalar o DigiKam no Ubuntu com KDE (Kubuntu), adicione o repositório do programa com este comando;

    sudo add-apt-repository ppa:philip5/kubuntu-backports

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install digikam

    Como instalar o DigiKam manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link ou nesse link, e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite digikam no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

    Como remover o DigiKam no Ubuntu e seus derivados

    Para remover o DigiKam no Ubuntu, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 4. Para desinstalar o programa, use o comando abaixo;

    sudo apt-get remove digikam
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar player de áudio Sayonara no Ubuntu

    Como instalar player de áudio Sayonara no Ubuntu

    Procurando um player de áudio pequeno e rápido? Pois então instale o Sayonara e tenha vários recursos, com pouco consumo de CPU e memória.


    Sayonara é um player de áudio pequeno, limpo e rápido para Linux. Ele usa Gstreamer como backend de áudio e é considerado como um reprodutor leve, que tem um monte de recursos para organizar coleções grandes da música mesmo.

    Como instalar player de áudio Sayonara no UbuntuComo instalar player de áudio Sayonara no Ubuntu

    O foco principal do desenvolvimento desse programa (em contraste com muitos outros reprodutores) tem sido o desempenho, a baixa utilização da CPU e o baixo consumo de memória.

    Um dos objetivos do Sayonara são usabilidade intuitiva e fácil, para nunca dar ao usuário a impressão que ele está usando um programa desnecessário e inchado.

    Principais características

    • Muitos formatos de  música e playlist suportados
    • Biblioteca de mídia com a função de pesquisa
    • Listas de reprodução (playlists dinâmicos)
    • Equalizador
    • Editor de metadados
    • Last.FM rádio e scrobbling
    • Streams de Internet
    • Gravador de stream
    • Podcasts
    • Letras de músicas
    • 2 skins (peles)

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o Sayonara

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Sayonara no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Sayonara no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo apt-add-repository ppa:lucioc/sayonara

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install sayonara

    Como instalar o Sayonara manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite sayonara no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Sayonara no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Sayonara no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove sayonara
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Ubuntu Dock agora tem transparência dinâmica ativada po padrão

    Outra boa novidade nas prévias da próxima versão do Ubuntu, a transparência dinâmica agora está habilitada por padrão na Ubuntu Dock do Ubuntu 17.10.


    Parece que os desenvolvedores do Ubuntu ouviram as críticas sobre o enorme contraste da barra superior transparente do GNOME 3.26 frente a Dock Ubuntu menos transparente.

    Ubuntu Dock agora tem transparência dinâmica ativada por padrãoUbuntu Dock agora tem transparência dinâmica ativada por padrão

    Isso porque uma atualização para a dock do Ubuntu durante a noite, praticamente “corrige” a falha. Isso pode ser observado ao olhar para a Dock e para o painel da barra superior, quando nenhuma janela é colocada perto ou qualquer elemento está com o foco.

    Transparência dinâmica na Ubuntu Dock fica sempre ativa?

    Naturalmente, quando uma janela de aplicação é colocada ao lado da dock ou da barra superior, a “transparência dinâmica” ainda irá atuar. A barra superior fica marrom sólida e a dock do Ubuntu reverte para o seu estado semi-transparente mais escuro.

    Ubuntu Dock agora tem transparência dinâmica ativada pode padrão

    Vale lembrar que o efeito “transparência dinâmica” ainda não pode ser desligado nas configurações da Dock.

    Essa é uma pequena mudança, mas que ajuda a dar ao desktop Ubuntu 17.10, um pouco mais de polimento e consistência.

    E que você acho? Gostou dessa mudança ou pretende desinstalar o Ubuntu Dock depois de atualizar? Deixe sua opinião nos comentários.

    Quer ver outras novidades? Fique de olho nessa postagem:
    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Procurando um navegador multiplataforma e com boa parte dos recursos do Chromium e um belo visual? Então veja como instalar o navegador Vivaldi no Linux e experimente essa alternativa.


    Vivaldi é um navegador de internet de código aberto baseado no Chromium, e criado pelo fundador do Opera. O programa possui suporte para extensões do Chrome, o que o torna uma opção a ser considerada na hora de escolher um navegador web.

    Como instalar o navegador Vivaldi no LinuxComo instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Recursos do Vivaldi

    Conheça alguns dos recursos do Vivaldi oferece:

    Histórico inteligente

    O novo recurso Histórico é poderoso e permite aos usuários explorar os seus padrões de navegação, estatísticas e obter pistas visuais para ajudá-los a encontrar sites antigos.

    Em vez de ter que percorrer centenas de linhas, Vivaldi oferece uma visão abrangente do histórico, apresentados de uma forma visual. Isso permite que nossos usuários analisar a sua atividade on-line e ajuda-los a encontrar o que estão procurando. ”

    Além da lista de URLs oferecidos pela maioria dos navegadores, Vivaldi mostra a história em uma exibição de calendário com estatísticas detalhadas sobre sites visitados anteriormente. Gráficos e um mapa de calor com sobreposição com código de cores para acrescentar uma outra dimensão, que mostra picos de atividade on-line e as principais tendências de navegação.

    Todos esses dados ajuda a encontrar páginas da web visitadas anteriormente, mesmo quando os usuários não podem lembrar o termo de pesquisa direita.

    Notificações na guia

    Vivaldi oferece funcionalidades de notificações de abas, que exibe ícones de sobreposição em fichas fixas e regulares que o notificam de novos e-mails ou mensagens provenientes de Web sites de redes sociais.

    Renomear pilhas de guia

    recurso Histórico poderosa que permite aos usuários explorar os seus padrões de navegação, estatísticas e obter pistas visuais para ajudá-los a encontrar sites antigos.

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Vivaldi permite renomear suas pilhas de guia. Isto pode ser útil especialmente quando você está consultando sites com conteúdo semelhante, seja viagens, mídia comercial ou social.

    Silent Tabs For Users

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Notificações na guia

    Depois de habilitar “Permitir a renomeação de Tab Stack” nas configurações, o Vivaldi também permite que você renomeie a pilha de tabulações clicando com o botão direito em uma guia e escolha a opção “Renomear Tabulação”.

    Netflix no Vivaldi

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Notificações HTML5

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Captura de tela

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Vivaldi torna mais fácil para capturar o que está na tela. O novo recurso de captura de tela permite aos usuários salvar e compartilhar páginas inteiras, mesmo fora da área visível no momento, enquanto eles navegam. Ele também permite tirar uma screenshot de uma seleção, incluindo a interface do usuário do próprio navegador.

    Outra adição à funcionalidade screenshots é no painel Notes. Notas, localizado no painel lateral, permitem que os usuários anotar páginas e salvar capturas de tela para seus registros. Agora também é possível capturar áreas selecionadas de sites e adicioná-los para o Notes.

    Além de ser capaz de salvar a imagem em JPEG ou PNG formatos de arquivo, Vivaldi permite copiar a imagem capturada na área de transferência e depois levar para outros programas.

    Atalhos de teclado

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Vivaldi inclui uma opção para mapear atalhos de teclado ou usar comandos rápidos. Os atalhos podem agora ser mapeada nas configurações do teclado, onde os usuários podem atribuir combinações de teclas de sua escolha.

    Melhorias no controle de som das guias

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Vivaldi agora torna possível para silenciar todas as guias de uma vez – e sem a necessidade de olhar para o guia que está causando o ruído. Isso pode ser particularmente útil para pessoas que gostam de navegar com muitas abas abertas.

    Mais recursos

    Vivaldi vem com o Theme Scheduling, um novo recurso que permite configurar o navegador para alterar automaticamente o tema com base no horário do dia. Isso é útil se você quiser usar um tema escuro à noite, alterar o tema com base em sua programação, e assim por diante.

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Nele você pode ter diferentes larguras para painéis web, e escolher para mostrar todos os botões de navegação na sua barra de ferramentas (isso também pode ser completamente escondido).

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Painéis web permitem adicionar sites individuais na barra lateral do Vivladi, útil se você quer ter algo como o Twitter, ou alguns sites de notícias e assim por diante, sempre visível enquanto navega em outros sites.

    Também é possível restaurar a última guia fechada clicando com o botão do meio no ícone da lixeira.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o navegador Vivaldi

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Para instalar o programa, o site do Vivaldi oferece pacotes RPM e DEB das últimas versões, e por isso, a instalação do navegador não deve ser difícil.

    Resumidamente, basta fazer o download do pacote rpm ou deb da arquitetura do seu sistema (i386/i686, para sistemas de 32 bits, e AMD64/x86_64, para sistemas de 64 bits) e instalar o pacote através do gerenciador de pacotes padrão (dpkg ou rpm).

    Você pode baixar diretamente e instalar manualmente, ou seguir os procedimentos abaixo.

    Instalando o navegador Vivaldi no Arch Linux

    Para instalar o navegador Vivaldi no Arch Linux, você pode usar o repositório AUR;

    Instalando o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas derivados via repositório

    Para instalar o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas derivados via repositório, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo sh -c 'echo "deb http://repo.vivaldi.com/stable/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list'

    Passo 3. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

    wget -q -O - http://repo.vivaldi.com/stable/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add -

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install vivaldi-stable

    Passo 6. Você também pode instalar Vivaldi beta, Vivaldi preview ou Vivaldi snapshot, usando um dos seguintes comandos:

    sudo apt install vivaldi-beta
    sudo apt install vivaldi-preview
    sudo apt install vivaldi-snapshot

    Instalando o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas com suporte a pacotes DEB

    Para instalar o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas com suporte a pacotes DEB, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.deb:

    wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable_1.12.955.36-1_i386.deb -O vivaldi.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.deb:

    wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable_1.12.955.36-1_amd64.deb -O vivaldi.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i vivaldi.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove vivaldi*

    Instalando o navegador Vivaldi no Linux Fedora e sistemas com suporte a pacotes RPM

    Para instalar o navegador Vivaldi no Linux Fedora e sistemas com suporte a pacotes RPM, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.rpm;

    wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable-1.12.955.36-1.i386.rpm -O vivaldi.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.rpm;

    wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable-1.12.955.36-1.x86_64.rpm -O vivaldi.rpm

    Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall vivaldi.rpm

    ou

    sudo dnf install vivaldi.rpm

    Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install vivaldi.rpm

    Passo 7. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo urpmi vivaldi.rpm

    Passo 8. Para instalar o programa em qualquer distro que suporte RPM, use o comando:

    sudo rpm -i vivaldi.rpm

    Passo 9. Se depois você precisar desinstalar o programa em uma distro que suporte RPM, use o comando a seguir;

    sudo rpm -e vivaldi*

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vivaldi no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu

    Como instalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu

    Procurando uma forma de gerenciar suas senhas e mantê-las seguras? Experimente instalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu e sistemas derivados.


    KeePassX é um aplicativo de código aberto usado para o gerenciamento de senhas, que permite criar, armazenar, gerar e editar senhas.

    Como instalar o gerenciador de senhas KeePassXC no LinuxComo instalar o gerenciador de senhas KeePassXC no Linux

    Originalmente, o KeePassX foi chamado de KeePass/L for Linux desde que era um porte do gerenciador de senhas do Windows Keepass Password Safe.

    Depois que se tornou um aplicativo multiplataforma, o nome não era mais adequado, e portanto, em 22 de Março de 2006, foi alterado para KeePassX.

    Na prática, KeePassX é uma aplicação para pessoas com exigências de uma gestão segura de dados pessoais extremamente elevadas. Ele tem uma interface clara, é multiplataforma e publicado sob os termos da GPL (GNU General Public License).

    O programa salva muitas informações diferentes, por exemplo, nomes de usuários, senhas, urls, anexos e comentários em um único banco de dados.

    Para uma melhorar o gerenciamento, títulos e ícones definidos pelo usuário podem ser especificados para cada entrada única.

    Além disso, as entradas são classificadas em grupos, que são customizáveis também. A função de pesquisa integrada permite pesquisar em um único grupo ou na base de dados completa.

    O banco de dados completo é sempre criptografado com AES ou (também conhecido por Rijndael) ou algoritmo de criptografia Twofish usando uma chave de 256 bits. Portanto, a informação guardada pode ser considerado como bastante segura.

    O KeePassX usa um formato de banco de dados que é compatível com o KeePass Password Safe. Isso faz com que o uso dessa aplicação seja ainda mais favorável.

    Para completar, KeePassX oferece um pequeno utilitário para geração de senha segura. O gerador de senha é muito personalizável, rápido e fácil de usar. Usuários que geram senhas com frequência irão apreciar este recurso.

    Conheça melhor o gerenciador de senhas KeePassX

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial.

    sudo add-apt-repository ppa:jtaylor/keepass

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install keepassx

    Como instalar o gerenciador de senhas KeePassX manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite keepassx no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o gerenciador de senhas KeePassX no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove keepassx
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar codecs, Java e suporte a reprodução de DVD encriptado

    Como instalar codecs, Java e suporte a reprodução de DVD encriptado

    Depois de instalar o Ubuntu, sempre fica faltando aqueles “pequenos” ajustes no sistema, e para ajudar nisso, veja como instalar codecs, Java e suporte a reprodução de DVD encriptado.


    Nessa primeira dica, será mostrado como instalar codecs, Java e o suporte a reprodução de DVD encriptado. São três coisas bem básicas, mas que por questões legais, não veem prontas no Ubuntu.

    Como instalar codecs, Java e suporte a reprodução de DVD encriptadoComo instalar codecs, Java e suporte a reprodução de DVD encriptado

    Como instalar codecs, Java e suporte a reprodução de DVD encriptado

    A seguir, você verá como instalar codecs, Java e suporte a reprodução de DVD encriptado, para deixar seu sistema pronto para usar essas tecnologia. Confira!

    Instalando codecs no Ubuntu

    Para ser capaz de reproduzir a maioria dos formatos de áudio e vídeo, instale o pacote Ubuntu Restricted Extras, Para isso, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Instale o suporte a codecs usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install ubuntu-restricted-extras -y

    Sugiro instalar também as versões irrestritas de libavformat e libavcodec, assim você não encontrará problemas com codecs em falta ao tentar usar alguns editores de vídeo ou transcodificadores (transcoders).
    Você pode instalá-los, abrindo um terminal e usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install libavcodec-extra libav-tools -y

    Instalando Java no Ubuntu

    Você também pode precisar de Java, mas antes, tem que descobrir o que você precisa.

    A maioria dos usuários só precisam do OpenJRE e o plugin Java para o navegador que você pode instalar abrindo um terminal e usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install icedtea-8-plugin openjdk-8-jre

    Para o desenvolvimento, você também vai querer instalar o OpenJDK que você pode instalar abrindo um terminal e usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install openjdk-8-jdk

    Se, por várias razões, for necessário o Java da Oracle (o pacote inclui JDK, JRE e o plugin para o navegador), você pode instalar o Oracle Java 8, fazendo o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se você já tiver instalado o OpenJDK, remova ele executando o seguinte comando:

    sudo apt-get purge openjdk*

    Passo 3. Se ainda não tiver, adicione esse repositório com o seguinte comando:

    sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/java

    Passo 4. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install oracle-java8-installer

    Passo 6. Depois de executar o instalador, concordar com os termos de uso e finalmente baixar e instalar o Java, se for necessário configurar automaticamente as variáveis ​​de ambiente Java, você pode instalar o seguinte pacote:

    sudo apt-get install oracle-java8-set-default

    Instalando o suporte a reprodução de DVD encriptado

    Para ativar o suporte a reprodução de DVD encriptado é necessário instalar a biblioteca livdvdcss, para isso, abra um terminal e faça o seguinte:
    Passo 1. Instale a biblioteca libdvdread com o seguinte comando:

    sudo apt-get install libdvdread4 -y

    Passo 2. Execute o script de instalaçao da livdvdcss com o seguinte comando:

    sudo apt-get install libdvdcss2 -y

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    De vez em quando é sempre bom dar uma mudada no visual dos ícones do ambiente gráfico, até para sair da rotina mesmo. Pensando nisso, que tal experimentar o conjunto de ícones FFW-Fast-Forward?


    O pacote de ícones FFW-Fast-Forward é baseado no Hydroxygen. O criador deste conjunto trabalhou em cada ícone, por isso que cada um deles é tão bem desenhado e eles ficam elegantes com todo o tipo de tema, seja ele claro ou escuro.

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no UbuntuInstale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Veja algumas imagens dos ícones

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Instale o pacote de ícones FFW-Fast-Forward no Ubuntu

    Conheça melhor o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward

    Para saber mais sobre o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward, clique nesse link.

    Instalando o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons2

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o pacote com o comando abaixo:

    sudo apt-get install ffw-icons

    Como instalar o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome ffw-icons.deb:

    wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/icons2/+files/ffw-icons_2.0.1~xenial~NoobsLab.com_all.deb -O ffw-icons.deb

    Passo 3. Agora instale o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward com o comando:

    sudo dpkg -i ffw-icons.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do pacote com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Ffw-Fast-Forward, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove ffw-icons

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    Quer registrar o áudio do seu PC? Então veja aqui como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio-Recorder.


    Audio Recorder é uma ferramenta útil que permite gravar sua música e outros tipos de áudio para arquivos.

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio RecorderComo gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    O programa tem suporte para gravação usando dispositivos como microfone, webcam, placa de áudio, reprodutores de música/filmes, chamadas do Skype, navegadores e etc. E com os plugins GStreamer, o programa passa a suportar os formatos de saída OGG, FLAC, MP3, AAC e WAV.

    Conheça melhor o Audio Recorder

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz usando o Audio Recorder

    Para gravar chamadas do Skype, músicas e voz usando o Audio Recorder, primeiramente você deve instalar o programa. Para isso, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu 14.10, 14.04 ou inferior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:osmoma/audio-recorder

    Passo 3. Se você estiver usando o Ubuntu 15.04, 15.10, 16.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:audio-recorder/ppa

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install audio-recorder

    Passo 6. Para suporte a mais formatos de áudio, instale os plugins GStreamer (Ubuntu 14.04 e superior);

    sudo apt-get install gstreamer1.0-plugins-base gstreamer1.0-plugins-good gstreamer1.0-plugins-ugly gstreamer1.0-plugins-bad gstreamer*-fluendo-mp3

    Como instalar o Audio Recorder manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link ou nesse outro linke instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite audio no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz

    Para gravar chamadas do Skype, basta abrir o Skype execute o Audio Recorder digitando audio no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Depois, abra o Skype e faça sua chamada (ou qualquer outro programa que você queira gravar o áudio) e clique em “Start recording” no Audio Recorder. Se quiser, ajuste o temo de inicio ou fim da gravação em “Timer” ou configure a entrada e o formato de saída em “Additional settings”.

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    Você também pode gravar músicas, para isso, use seu reprodutor favorito. Para gravar sua voz, basta ter um microfone ativo.

    Pronto! Sempre que precisar, basta repetir o processo de gravação e guardar seus áudios para ouvir depois.

    Desinstalando o Audio Recorder no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Audio Recorder no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:osmoma/audio-recorder --remove
    sudo add-apt-repository ppa:audio-recorder/ppa --remove
    sudo apt-get remove audio-recorder
    sudo apt-get autoremove

    Fonte;

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a versão mais recente do conversor de imagens Converseen

    Como instalar a versão mais recente do conversor de imagens Converseen

    Precisando converter e redimensionador várias imagens ao mesmo tempo? Então instale a versão mais recente do conversor de imagens Converseen e resolva seu problema com esse aplicativo.


    Converseen é um conversor e redimensionador de imagens em lote de código aberto, escrito em C++ com as bibliotecas Qt4 (e que agora foi portado para Qt5) e Magick++.

    Como instalar a versão mais recente do conversor de imagens ConverseenComo instalar a versão mais recente do conversor de imagens Converseen

    Se você trabalha com muitas imagens e precisa convertê-las rapidamente, esse aplicativo é a ferramenta certa. Com ele é possível redimensionar um monte de fotos com tamanhos diferentes, mantendo a proporção. Ele permite converter, redimensionar, girar e inverter automaticamente um número ilimitado de imagens.

    Ao usar o Converseen você pode economizar muito seu tempo, pois ele pode processar mais de uma imagem com um único clique do mouse. Além disso, graças ao uso das bibliotecas Magick++, ele suporta mais de 100 formatos de imagem como DPX, EXR, GIF, JPEG, JPEG-2000, PhotoCD, PNG, Postscript, SVG, TIFF e muitos outros.

    Com o conversor de imagens em lote Converseen, você pode:

    • Realizar uma única ou uma conversão múltipla;
    • Redimensionar uma ou várias imagens;
    • Comprimir imagens para suas páginas web;
    • Girar e inverter imagens;
    • Renomeiar um monte de imagens usando um número progressivo ou um prefixo/sufixo;
    • Selecionar um filtro de reamostragem para redimensionar imagens.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    O programa, chegou à versão o 0.9.5 há poucos dias. Este é o primeiro lançamento depois queo programa foi portado para Qt5. Ele funciona em Windows, Linux e FreeBSD. Ele vem bibliotecas de imagem Magick++, que suporta mais de 100 formatos de imagem.

    Conheça melhor o conversor de imagens Converseen

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link
    Para mais detalhes sobre a ultima versão do programa, leia o Changelog do programa acessando esse link.

    Instalando o conversor de imagens Converseen no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conversor de imagens Converseen no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install converseen

    Como instalar o conversor de imagens Converseen manualmente

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Como instalar o conversor de imagens Converseen em outras distros

    Para instalar o conversor de imagens Converseen em outras distribuições Linux, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Para instalar o programa no Linux Fedora e derivados, use o comando:

    yum install converseen

    Passo 3. Para instalar o programa no Linux Opensuse e derivados, use o comando:

    zypper install converseen

    Passo 4. Para instalar o programa no Arch Linux, Chakra e derivados, use o comando:

    pacman -Sy converseen

    Passo 5. Para instalar o programa no Linux Mageia e derivados, use o comando:

    urpmi converseen

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite converseen no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o conversor de imagens em lote Converseen no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conversor de imagens em lote Converseen no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove converseen

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    19 de setembro de 2017

    Como instalar o Kingsoft WPS Office no Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

    Kingsoft diz que o WPS Office para Linux continuará a ser atualizado

    Procurando uma suíte de escritório compatível com o MS office e multiplataforma? Conheça o Kingsoft WPS Office. Se você quiser atualizar ou experimentar essa versão, veja aqui como fazer isso.


    O Kingsoft WPS Office é uma suíte de escritório proprietária que está tendo um sucesso notável, especialmente entre os usuários orientais.

    Como instalar o Kingsoft WPS Office no Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivadosComo instalar o Kingsoft WPS Office no Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

    A ideia do projeto WPS Office é fornecer aos usuários uma alternativa gratuita ao Microsoft Office, incluindo um excelente suporte para formatos proprietários e uma interface gráfica moderna e intuitiva.

    Graças à colaboração entre o Kingsoft Office International Community e a Canonical, a suíte de escritório tornou-se parte dos repositórios oficiais da distro Ubuntu Kylin, uma especificação oficial derivada do Ubuntu, voltada para os usuários chineses.

    Apesar de ainda ser um Alpha, o continuo desenvolvimento do Kingsoft WPS Office lhe dá cada dia mais funcionalidades e estabilidade, tornado-a uma suíte de escritório multiplataforma com características muito interessantes.

    Novidades da versão mais recente do Kingsoft WPS Office

    WPS Office for Linux Alpha21 [2017-06-15] traz as seguintes mudanças:

  • Reconstrução da reprodução de áudio e áudio do WPS, que agora suporta mais formatos de vídeo e reprodução mais suave;
  • Adicionada função de pesquisa e caminho de acesso;
  • Adicionada a abertura do recurso de compartilhamento de arquivo remoto no Linux;
  • Operações de I/O otimizadas: eficiência aprimorada na abertura de arquivos em 3 módulos;
  • Corrigidas as diferenças nos efeitos de exibição de alguns controles no Linux versus Windows;
  • Corrigidos os efeitos de exibição de fontes especiais no módulo de apresentação;
  • Corrigidos alguns efeitos de preenchimento de textura incorretos na exportação de WPS para PDF;
  • Corrigidos hiperlinks quebrados na exportação WPS para PDF;
  • Corrigidos efeitos de pré-visualização de miniaturas na apresentação;
  • Agora as caixas de diálogo abertas do WPS nem sempre persistirão ao abrir documentos, mas fecharão após a confirmação, o que melhorará a experiência do usuário.
  • Para saber mais detalhes sobre a última versão desse programa, acesse link.

    Conheça melhor o Kingsoft WPS Office

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e sistemas derivados

    A seguir, você verá como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux, mais especificamente em distribuições baseadas em pacotes RPM (como Fedora, CentOS, OpenSUSE, Mageia, OpenMandriva e seus derivados) e DEB (como Debian, Ubuntu e sistemas derivados destes).

    Instalando o Kingsoft WPS Office para Linux no Ubuntu e derivados

    Para instalar o Kingsoft WPS Office para Linux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits e você quer usar versão mais recente do WPS Office, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.deb:

    wget http://kdl1.cache.wps.com/ksodl/download/linux/a21//wps-office_10.1.0.5707~a21_i386.deb -O wps-office.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits e você quer usar versão mais recente do WPS Office, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.deb:

    wget http://kdl1.cache.wps.com/ksodl/download/linux/a21//wps-office_10.1.0.5707~a21_amd64.deb -O wps-office.deb

    Passo 5. Baixe o pacote de fontes da suíte:

    wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/fonts/wps-office-fonts_1.0_all.deb -O web-office-fonts.deb

    <!–
    Passo 6. (Opcional) Se seu sistema é de 32 bits e você quer usar versão a20 do WPS Office, acesse essa página e baixe os seguintes arquivos: wps-office_10.1.0.5503-a20p2_i386, wps-office-language-all_0.1_all.deb e wps-office-mui-pt-br_1.1.0-0kaiana1_all.deb;
    Passo 7. (Opcional) Se seu sistema é de 64 bits e você quer usar versão a20 do WPS Office, acesse essa página e baixe os seguintes arquivos: wps-office_10.1.0.5503~a20p2_amd64.deb, wps-office-language-all_0.1_all.deb e wps-office-mui-pt-br_1.1.0-0kaiana1_all.deb;
    Como instalar o Kingsoft WPS Office no Ubuntu
    –>
    Passo 6. Agora, instale os pacotes baixados clicando neles ou usando o comando abaixo (claro, dentro da pasta onde foram baixados os arquivos):

    sudo dpkg -i wps-office*.deb

    Passo 7. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 8. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove wps-office

    Como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

    Quem quiser instalar o Kingsoft WPS Office no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.rpm:

    wget http://kdl1.cache.wps.com/ksodl/download/linux/a21//wps-office-10.1.0.5707-1.a21.i686.rpm -O wps-office.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.rpm:

    wget http://kdl1.cache.wps.com/ksodl/download/linux/a21//wps-office-10.1.0.5707-1.a21.x86_64.rpm -O wps-office.rpm

    Passo 5. Baixe o pacote de fontes da suíte:

    wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/fonts/wps-office-fonts-1.0-1.noarch.rpm -O web-office-fonts.rpm

    Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install wps-office*.rpm

    Passo 7. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall wps-office*.rpm

    ou

    sudo dnf install wps-office*.rpm

    Passo 8. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

    sudo rpm -i wps-office*.rpm

    Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e wps-office

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wps no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB) e escolha uma das opções.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic

    Como fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic

    Se por algum motivo você precisar usar uma versão antiga de um aplicativo, veja como fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic.


    Nem sempre ter a versão mais recente de um aplicativo é a melhor opção. As vezes, você pode precisar de uma versão menos atualizada por causa de questões de compatibilidade com algum recurso, por exemplo.

    Como fazer downgrade de um pacote instalado usando o SynapticComo fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic

    Geralmente, você pode facilmente restaurar um pacote para sua versão inicial, que fica disponível no repositório universe do Ubuntu. Ou, você pode restaurar para uma versão de software específica, se você adicionou um repositório de terceiros que contenha a versão desse pacote.

    Uma outra alternativa seria usar o Synaptic para fazer downgrade de um pacote instalado. Quer tentar? Confira o procedimento a seguir. Antes dele, verifique se o Synaptic está instalado, e se não estiver, consulte esse tutorial:

    Como instalar a versão mais recente do Synaptic no Ubuntu

    Conheça melhor o Synaptic

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic

    Para fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Inicie o programa, clicando no atalho dele ou digitando synaptic em um terminal, seguido da tecla TAB. Quando pedido, forneça a senha para autorizar a execução do Synaptic;

    Passo 2. Na janela do Synaptic, clique no botão “Pesquisa”. Quando a janela “Lozalizar” aaprecer, digite o nome do pacote e clique no botão “Pesquisar”;

    Como fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic

    Passo 3. Clique no pacote. Em seguida, clique no menu “Pacote” e depois na opção “Forçar versão…”;

    Como fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic

    Passo 4. Na janela que será exibida, clique na seta ao lado do campo “Forçar versão” e selecione a versão que será forçada. Para confirmar, clique no botão “Forçar versão” e confirme clicando em Marcar na próxima caixa de diálogo;

    Como fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic

    Passo 5. De volta à janela principal do Synaptic, clique no botão “Aplicar”.

    Como fazer downgrade de um pacote instalado usando o Synaptic

    Pronto! Depois que o Synaptic executar as mudanças, você estará usando a versão que escolheu.

    Dica: depois de fazer o downgrade do software, você também pode querer bloquear a versão do software destacando-a no Synaptic, depois vá para o menu Pacote -> Versão de bloqueio .

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    MEGAsync para Linux: Veja como instalar o cliente

    MEGAsync para Linux: Veja como instalar o cliente

    Se você usa o serviço MEGAsync e quer utilizar ele no sistema do pinguim, veja nesse tutorial como instalar o cliente MEGAsync para Linux


    Para quem não conhece, MEGA é um serviço de armazenamento em nuvem e hospedagem de arquivos, originalmente fundado por Kim Dotcom (que também estava por trás do antigo Megaupload). O serviço oferece 50 GB de armazenamento gratuito (Sujeito à participação em um programa de conquistas), juntamente com vários planos pagos.

    MEGAsync para Linux: Veja como instalar o clienteMEGAsync para Linux: Veja como instalar o cliente

    Ao contrário do Google Drive, MEGA não só oferece um generoso espaço de 50 GB de armazenamento gratuito, como também um cliente de desktop nativo para Linux.

    O cliente MEGAsync para Linux foi escrito em Qt e está disponível para o Ubuntu, Debian, o Fedora e openSUSE e sistemas derivados. Ele é constituído por um appindicator e uma extensão para Nautilus, que é opcional.

    O cliente MEGAsync para Linux vem com a maioria dos recursos disponíveis para outras ferramentas semelhantes (como o Dropbox): o ícone de bandeja exibe o status de sincronização (e se você usar a extensão Nautilus, os arquivos têm emblemas que mostram o seu estado de sincronização), suporta sincronização seletiva, você pode usar proxies, você pode copiar um link público para um arquivo através do menu de contexto do Nautilus e assim por diante.

    Há também alguns recursos extras: você pode enviar um link para o MEGA diretamente a partir da bandeja/app appindicator e importação links para sua conta do MEGA:

    MEGAsync para Linux: Veja como instalar o cliente

    Entretanto, existem duas características muito importantes que não são suportadas pelo MEGA/MEGAsync: ele não faz controle de conflitos de arquivo e controle de versão do arquivo, no entanto, você pode acessar arquivos sobrescritos/alterados na pasta SyncDebris (na Lixeira ou Rubbish Bin).

    Conheça melhor o cliente MEGAsync

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instalando o cliente MEGAsync para Linux nas principais distribuições Linux

    Passo 1. Acesse esse link com seu navegador;
    Passo 2. Desça até a metade da página;
    Passo 3. Clique no campo “Por favor selecione o seu Linux”, para escolher a distribuição que você está usando. Depois de escolher, clique na arquitetura correspondente ao seu sistema (32 ou 64 bits) e em seguida, no botão “Baixar”. Se quiser baixar também a extensão para Nautilus, clique no link dela, que fica logo abaixo da arquitetura;

    Passo 4. Após o download, basta abrir os arquivos com o gerenciador de pacotes do seu sistema e instalar através dele, fornecendo a senha de administrador.

    Para usuários do Ubuntu e sistemas derivados que preferem fazer isso via terminal, basta seguir o procedimento abaixo.

    Instalando o cliente MEGAsync para Linux no Ubuntu e derivados

    Se você já instalou a extensão MEGA nos navegadores Chrome/Firefox, desative-a antes de tentar acessar os links de download do MEGAsync para Linux, ou então você não será capaz de acessar eles. Depois disso, para instalar o cliente MEGAsync para Linux no Ubuntu 12.04/12.10/13.10/14.04/14.10/16.04 e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é um Ubuntu de 32 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

    wget https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_$(lsb_release -rs)/i386/megasync-xUbuntu_$(lsb_release -rs)_i386.deb -O megasync.deb
    wget https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_$(lsb_release -rs)/i386/nautilus-megasync-xUbuntu_$(lsb_release -rs)_i386.deb -O nautilus-megasync.deb

    Passo 4. Se seu sistema é um Ubuntu de 64 bits, use os comandos abaixo para baixar os pacotes:

    wget https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_$(lsb_release -rs)/amd64/megasync-xUbuntu_$(lsb_release -rs)_amd64.deb -O megasync.deb
    wget https://mega.nz/linux/MEGAsync/xUbuntu_$(lsb_release -rs)/amd64/nautilus-megasync-xUbuntu_$(lsb_release -rs)_amd64.deb -O nautilus-megasync.deb

    Passo 5. Independente da versão ou arquitetura do seu sistema, instale o programa com os comandos:

    sudo dpkg -i megasync.deb
    sudo dpkg -i nautilus-megasync.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Vale observar que, pelo menos no Ubuntu, depois de instalar o MEGAsync, o repositório MEGA é adicionado automaticamente (por isso você deve receber atualizações automáticas do MEGAsync).

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite megasync em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10 [atualizado]

    Ubuntu 17.10 beta 1 já está disponível para download! Baixe agora e experimente!

    Se você quer ficar por dentro de tudo que virá com a próxima versão do sistema da Canonical, confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10.


    O Ubuntu 17.10 está perto de ser lançado e muita coisa ainda pode mudar nele. Mesmo não sendo uma versão LTS, essa versão será um marco na história do sistema por causa da quebra do padrão usado atualmente e das diversas melhorias que ele traz.

    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    Enquanto isso, esse artigo irá acompanhar tudo que será colocado no sistema, para que você conheça os detalhes antes de instalar o sistema.

    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    O Ubuntu 17.10 chegará ao público cheio de novidades em 19 de outubro de 2017, e a seguir, você confere as principais novidades desse lançamento.

    Uma tela de login melhor

    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    O Ubuntu não adotou apenas o Gnome Display Manager, eles também o personalizaram e lhe forneceram o toque Canonical completo com o tema ambiance e botões de ação alaranjados. Ou seja, além de um novo ambiente, teremos uma nova tela de login.

    Contudo, embora você possa alterar facilmente a imagem de fundo da tela de bloqueio, não dá para dizer o mesmo para a nova tela de login.

    Suporte para Captive portal

    De acordo com a Wikipédia, um Captive portal é “… uma página web que o usuário de uma rede de acesso público é obrigado a visualizar e interagir antes do acesso ser concedido”.

    “Ao digitar o endereço de qualquer site no navegador o usuário é interceptado pelo sistema do captive portal e redirecionado para uma interface que solicita a autenticação.”

    Os portais cativos são mais comumente encontrados em hotspots públicos Wi-Fi, como os oferecidos em cafés, aeroportos, lobbies de hotéis e assim por diante.

    O plano do Ubuntu é adicionar uma opção de ligar/desligar para verificação de conectividade no Centro de Controle do GNOME, para verificar a conexão (e isto envolve o envio de um URL).

    GNOME será o ambiente Padrão

    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    O principal destaque do Ubuntu 17.10 será a mudança do ambiente padrão do sistema: sai o Unity, entra o Gnome Shell. Para facilitar a adaptação dos usuários do Unity, a Canonical tem trabalhado para minimizar as diferenças entres os dois ambientes. E tudo indica que até o lançamento da versão final do sistema, mais alguns ajustes nesse sentido irão aparecer.

    O Unity tem sido o desktop padrão do Ubuntu desde 2011. Mas recentemente a Canonical optou mudar para o GNOME Shell. Agora, essa mudança já está começando a ser implementada e pode ser vista nas imagens ISO diárias, fornecidas pelo projeto.

    Wayland será o servidor de exibição padrão

    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    É isso mesmo: o Wayland será o servidor de exibição padrão no Ubuntu 17.10. Na verdade, este era o plano desde o início, mas os desenvolvedores da Canonical ainda tinham dúvidas em adotar o Wayland como o padrão no lugar do Xorg. Will Cooke, líder da equipe do Ubuntu Desktop, chegou até mesmo a afirmar que o “Wayland ainda não estava pronto”. Mas agora, isso mudou e ele será o padrão na próxima versão do Ubuntu.

    Essa mudança também beneficiará a próxima série com suporte de longo prazo do Ubuntu, a 18.04 LTS. Como essa implementação será testada mais amplamente pela comunidade em diversos cenários, isso deixrá tudo ainda mais estável, além de, claro, ajudar a acelerar a adoção do Wayland, como o padrão por outras distribuições Linux.

    Botões de controle de janela voltarão para a direita

    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    No ano de 2010, a Canonical moveu os botões de controle de janela do Ubuntu (minimizar, maximizar e fechar) do lado direito, para o lado esquerdo das barras de título da janela. Segundo a empresa, isso deveria promover uma “inovação” que nunca aconteceu. Agora, que a Canonical desistiu do Unity, os botões da janela do Ubuntu estão voltando para o lado direito.

    Tradicionalmente, boa parte dos desktops Linux usavam botões de barra de título de janela no lado direito da janela, como no Windows. Em 2010, o fundador da Ubuntu Mark Shuttleworth, decidiu que isso deveria mudar e os botões passariam a ficar no lado esquerdo da barra de título da janela, como no sistema dos Macs.

    Na verdade, os desenvolvedores do Ubuntu querem minimizar as mudanças que eles têm para fazer para o GNOME, e por uma boa razão. Quaisquer grandes mudanças significam um trabalho mais contínuo para esses desenvolvedores, pois eles terão que corrigir suas alterações sempre que tiver atualizações do GNOME.

    Seria loucura fazer isso por conta própria por muito tempo e sempre fez mais sentido para o Ubuntu acompanhar o fluxo e ficar com o que o GNOME e o resto do mundo de desktop Linux está fazendo. E quando Canonical decidiu abandonar o Unity e mudar para o GNOME, essa decisão se tornou inevitável.

    Ubuntu Dock

    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    Sim, a Canonical está criando um fork da Dash to Dock, a popular extensão GNOME, para uso no desktop Ubuntu 17.10. O projeto ainda está começando e é chamado de Ubuntu Dock. Sem surpresa alguma, existem algumas diferenças importantes da versão padrão da Dash to Dock.

    O novo projeto será uma personalização dessa extensão, para atender aos usuários do Unity e ajudará na migração destes, para o novo ambiente do sistema, o Gnome Shell.

    Melhor suporte para alto falantes Bluetooth

    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    Outra boa novidade, é que a versão 17.10 tornará mais fácil usar alto-falantes Bluetooth no Ubuntu, pois quando o usuário conectar um dispositivo desses, o sistema alternará automaticamente a saída de som para esse dispositivo. Sim, o Ubuntu 17.10 tornará muito mais fácil usar alto-falantes Bluetooth. Será uma pequena mudança, mas uma grande melhoria para a usabilidade geral do Ubuntu.

    Enquanto a maioria dos alto-falantes Bluetooth, fones de ouvido e dispositivos de áudio USB já funcionem bem no Ubuntu, normalmente, você precisa mergulhar nas configurações de som do sistema e selecionar manualmente o dispositivo para a saída de áudio.

    Com essa melhoria, o Ubuntu alternará automaticamente a saída de som para Bluetooth, quando você conectar um alto-falante Bluetooth, soundbar ou fone de ouvido. Ao conectar de um dispositivo de áudio USB compatível, o sistema também alternará automaticamente a saída de som para esse dispositivo.

    E as outras do futuro Ubuntu 17.10?

    Gostou das novidades? Ainda tem mais. Esse artigo continuará sendo atualizado e republicado, para deixar você por dentro de tudo que virá no Ubuntu 17.10, que será lançado em outubro. Confira abaixo o cronograma do lançamento, e fique de olho nas novidades, e no site.

    Cronograma de lançamento do Ubuntu 17.10 Artful Aardvark

    Ubuntu 17.10 Alpha 1 – 29 de junho de 2017
    Ubuntu 17.10 Alpha 2 – 27 de julho de 2017
    Ubuntu 17.10 Beta 1 – 31 de agosto de 2017
    Ubuntu 17.10 Beta 2 (final) – 28 de setembro de 2017
    Ubuntu 17.10 Release Candidate – 12 de outubro de 2017
    Ubuntu 17.10 versão final – 19 de outubro de 2017

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Drivers da HP: Instale ou atualize o HPLIP no Linux

    Drivers da HP: Instale ou atualize o HPLIP no Linux

    Se você tem alguma impressora, fax e scanner da HP e precisa de suporte para isso no seu sistema Linux, veja como instalar ou atualizar o HPLIP para versão mais recente e obter os drivers da HP no Linux.


    HPLIP ou Hewlett-Packard Linux Imaging and Printing, é um software que vem com drivers de impressão, fax e digitalização para mais de 2.295 impressoras HP sob sistemas baseados em Linux. Ele é um software livre, de código aberto distribuído sob a MIT, BSD e licença GPL.

    Drivers da HP: Instale ou atualize o HPLIP no LinuxDrivers da HP: Instale ou atualize o HPLIP no Linux

    Normalmente, a cada nova versão é adicionado o suporte para novos dispositivos de impressão, fax e digitalização da HP, novas distribuições, bem como várias correções.

    Drivers da HP: Instale ou atualize o HPLIP

    Para verificar todas as novidades e os problemas que foram corrigidos na última versão desse software, clique nesse link.

    O aplicativo foi atualizado recentemente, e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Novidades da versão mais recente do HPLIP

    O HPLIP 3.17.9 adiciona suporte para o openSuse 42.3 (64-bit), LinuxMint-18.2 (32 bits e 64 bits), Fedora-26 (32 bits e 64 bits) e RHEL -7.3 (64 bits) e para as seguintes impressoras:

    • HP OfficeJet Pro 7720 Wide Format All-in-One;
    • HP DeskJet AMP All-in-One Printer;
    • HP OfficeJet 5220, 5230, 5232 All-in-One Printer;
    • HP ENVY Photo 6220, 6230, 6232, 6234, 7120, 7130, 7134, 7155, 7164, 7800, 7820,7855 All-in-One Printer;
    • HP ENVY 5020, 5032 All-in-One Printer;
    • HP DeskJet Ink Advantage 3735 All-in-One;
    • HP AMP 130 All-in-One Printer;
    • HP OfficeJet Pro 7730 Wide Format All-in-One;
    • HP DeskJet Ink Advantage 5075 All-in-One Printer;
    • HP PageWide Enterprise Color 765dn;
    • HP PageWide Managed Color E75160dn;
    • HP PageWide Enterprise Color MFP 780dn;
    • HP PageWide Enterprise Color Flow MFP 785f, 785zs, 785z+;
    • HP PageWide Managed Color MFP E77650dn, E77650dns, E77660dn;
    • HP PageWide Managed Color Flow MFP E77650z, E77650zs, E77650z+, E77660z, E77660zs, E77660z+;
    • HP ENVY Photo 5030 All-in-One Printer.

    Para mais detalhes sobre essa versão, acesse a nota de lançamento

    Conheça melhor o HPLIP

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

    Atenção: A HP não fornece suporte formal ou comercial ao consumidor para este software. O suporte é fornecido informalmente através de uma série de recursos no site Launchpad.net, e no site oficial do link acima.

    Instalando o HPLIP para obter os drivers da HP no Linux

    Para instalar o HPLIP e obter os drivers da HP no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o instalador do HPLIP. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome hplip.run:
    com o comando:

    wget https://ufpr.dl.sourceforge.net/project/hplip/hplip/3.17.9/hplip-3.17.9.run -O hplip.run

    Passo 3. Torne o instalador um executável usando esse comando:

    chmod +x hplip.run

    Passo 4. Agora inicie a instalação com o comando:

    ./hplip.run

    Em seguida, siga as instruções de configuração e no final do assistente, tudo estará instalado.

    Drivers da HP: Instale ou atualize o HPLIP

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Alternativa a Central de programas do Ubuntu – Instale App Grid

    Alternativa a Central de programas do Ubuntu - Instale App Grid

    Se você está a procura de uma alternativa a Central de programas do Ubuntu, experimente instalar o App Grid e gerencie aplicativos de uma forma mais simples.


    App Grid é um gerenciador de aplicativos leve que serve como uma alternativa a Central de programa do Ubuntu. Apesar disso, ele funciona um pouco diferente e tenta fazer com que a descoberta de aplicações seja mais fácil usando uma exibição de grade que inclui screenshots de aplicativos e classificações, bem parecido com as atuais lojas de outros sistemas operacionais.

    Alternativa a Central de programas do Ubuntu - Instale App GridAlternativa a Central de programas do Ubuntu – Instale App Grid

    A página do aplicativo oferece um botão que permite instalar, executar ou remover, de acordo com o status do programa.

    Ela também exibe screenshots, uma breve descrição, juntamente com comentários do usuário. Clicando sobre os comentários, o programa amplia a seção e você pode filtrá-los por classificação, idioma, versão do Ubuntu ou escrever um comentário.

    Alternativa a Central de programas do Ubuntu - Instale App Grid

    Características do App Grid

    • Permite descobrir novas aplicações cada vez que você abrir o aplicativo de grade;
    • Possibilita pesquisar, filtrar e classificar para encontrar exatamente o que você está procurando;
    • Ajuda você a tomar decisões com base nas diversas informações sobre os apps.

    Conheça melhor o App Grid

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o App Grid e ter uma alternativa a Central de programas do Ubuntu

    Para instalar o App Grid para ter uma alternativa a Central de programas do Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:appgrid/stable

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install appgrid

    Como instalar o App Grid manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite appgrid no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o App Grid no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o App Grid no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:appgrid/stable --remove
    sudo apt-get remove appgrid
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    Se seu sistema ficou totalmente sem áudio porque a saída HDMI está configurada como padrão, veja aqui como resolver isso.


    A solução proposta aqui foi testada pelo pessoal do site “It’s F.O.S.S.” e somente deve ser usada se seu sistema estiver com a saída HDMI configurada como padrão.

    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrãoComo resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    A dica pode inclusive funcionar em outras distribuições Linux como o Linux Mint, Elementary OS, Fedora, Arch Linux e etc. Mas como foi dito anteriormente, essa solução só funciona em sistemas em que a saída HDMI está definido como padrão.

    Como resolver o problema da falta de áudio depois de uma atualização do Ubuntu

    Para resolver o problema da falta de áudio depois de uma atualização do Ubuntu, será preciso forçar o Ubuntu usar a saída analógica em vez da HDMI por padrão. Para isso, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Verifique se seu sistema está com a saída HDMI configurada como padrão, usando o comando:

    alsamixer

    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    Passo 3. Descubra os dados do dispositivo de saída analógica com o comando a seguir:

    aplay -l

    Passo 4. Isso irá listar os dispositivos. Anote o número do cartão (card) e do dispositivo (device). A informação será mais ou menos assim:

    Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

    Passo 5. Com a informação, faça um novo arquivo de configuração digitando o seguinte comando:

    sudo gedit /etc/asound.conf

    Passo 6. Com o arquivo aberto, adicione as seguintes linhas nele, substituindo com a informação da saída analógica e o número do dispositivo, descobertos no quarto passo:

    defaults.pcm.card 1
    defaults.pcm.device 0

    Passo 7. Salve o arquivo e reinicie o computador.

    Se mesmo depois de tudo isso, seu PC ainda continua sem som, experimente mudar a saída de som atual usando um dos programas citados nesses tutoriais:

  • Use o PyAudioSelector para alternar entre dispositivos de áudio
  • Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados
  • Instale um, teste mudar a saída de som, teste o som, e se não funcionar, desinstale e passe pro outro.

    Lembre-se também de verificar o volume do som de todas as opções.

    Pronto! Depois disso, seu sistema já estará com o som funcionando novamente.

    Como não pude testar essa solução, fique a vontade para usar os comentários para informar se funcionou ou não, ou se você tem algum truque melhor para lidar com isso.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o Curlew Multi-Converter no Ubuntu e derivados

    Como instalar o Curlew Multi-Converter no Ubuntu e derivados

    Precisando converter diferentes tipos de vídeos sem complicações? Então veja como instalar o Curlew Multi-Converter no Ubuntu e sistemas derivados.


    Curlew Multi-Converter é um conversor multimídia de código aberto para Linux. Ele é fácil de usar, gratuito e pode converter mais de 117 formatos diferentes.

    Como instalar o Curlew Multi-Converter no Ubuntu e derivadosComo instalar o Curlew Multi-Converter no Ubuntu e derivados

    O programa é escrito em python e GTK3. Na verdade ele é apenas uma interface que depende do ffmpeg/avconv/mencoder para realizar a sua funcionalidade, que é tornar “muito” fácil a tarefa de converter diferentes tipos de arquivo multimídia.

    Principais características do Curlew Multi-Converter:

    • Fácil de usar com interface de usuário simples;
    • Esconde as opções avançadas, mas pode mostrá-las se for necessário;
    • Converte para mais de 100 formatos diferentes;
    • Mostrar informações de arquivo (duração, tempo restante, o tamanho estimado, o valor de andamento);
    • Permitir a ignorar ou remover arquivos durante o processo de conversão;
    • permite visualizar o resultado, antes da conversão;
    • Permite converter uma parte do arquivo especificado;
    • Permite combinar legendas com arquivos de vídeo;
    • Exibe os detalhes de um erro, se existir.

    A última atualização estável do programa havia sido lançada em meados de 2014. Ocorre que este programa depende diretamente das ferramentas ffmpeg e libav, e por isso, assim que estas foram removidas dos repositórios padrão do Ubuntu, o desenvolvedor do Curlew Multi-Converter parou o desenvolvimento.

    Agora, estas ferramentas já estão disponíveis novamente nos repositórios padrão do Ubuntu. Por conta disso, o desenvolvedor começou a trabalhar novamente e lançou uma nova atualização que funciona nas versões mais recentes do Ubuntu. A interface do programa foi redesenhada e agora tem características melhores do que a versão antiga.

    Como instalar o conversor Curlew Multi-Converter no Ubuntu

    Mais sobre o ffmpeg

    Conheça melhor o conversor Curlew Multi-Converter

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o conversor Curlew Multi-Converter no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o conversor Curlew Multi-Converter no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Verfique qua a versão do seu sistema com o comando;

    lsb_release -cs
    lsb_release -rs

    Passo 3. Adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps

    Passo 4. Se você estiver usando o Ubuntu 14.04, Linux Mint 17.x ou qualquer derivado destes, adicione também o repositório Ubuntu Multimedia for Trusty com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:mc3man/trusty-media

    Passo 5. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 6. Para instalar a atualização, use este comando:

    sudo apt-get install curlew

    Como instalar o conversor Curlew Multi-Converter no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome curlew.deb:

    wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/apps/+files/curlew_2.4-2~xenial~NoobsLab.com_all.deb -O curlew.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i curlew.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 5. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove curlew*

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite curlew no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o conversor Curlew Multi-Converter no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conversor Curlew Multi-Converter no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:mc3man/trusty-media --remove
    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps --remove
    sudo apt-get remove curlew
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o Playonlinux no Ubuntu e derivados

    Como instalar o Playonlinux no Ubuntu e derivados

    Está precisando rodar alguma aplicação ou jogo no Linux e não quer complicação? Para ajudá-lo nessa tarefa, que tal instalar o Playonlinux no Ubuntu?


    Embora alguns aplicativos e jogos do Windows já sejam compatíveis com o Linux, ainda existem muitos que só funcionam no Windows. O PlayOnLinux traz uma solução gratuita, acessível e eficiente para este problema, pois ele permite que você instale e use facilmente inúmeros aplicativos e jogos projetados para funcionar com o Microsoft Windows.

    Como instalar o Playonlinux no Ubuntu e derivados

    O programa é uma interface simplificada para o Wine, e por isso, você precisa ter ele instalado. A boa notícia é que para usá-lo, você não precisa possuir uma licença do Windows.

    Claro, nem todos os aplicativos e jogos são suportados, entretanto, você pode usar o módulo de instalação manual para tentar resolver isso.

    Para conhecer os aplicativos e jogos projetados para funcionar com o Microsoft Windows que funcionam no PlayOnLinux, consulte essa lista.

    Veja algumas imagens do Playonlinux

    Como instalar o Playonlinux no Ubuntu e derivados

    Como instalar o Playonlinux no Ubuntu e derivados

    Como instalar o Playonlinux no Ubuntu e derivados

    Conheça melhor o PlayOnLinux

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o PlayOnLinux no Ubuntu e derivados

    Em algumas versões, PlayOnLinux já está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu e pode ser instalado pela Central de programas ou via comando: sudo apt-get install playonlinux
    Mas se você estiver usando uma versão anterior, para instalar PlayOnLinux no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

     sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4.Agora instale o programa com o comando abaixo:

    sudo apt-get install playonlinux

    Como instalar o PlayOnLinux manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite playonlinux no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Veja nesse outro tutorial, como instalar um programa usando o PlayOnLinux:
    Como instalar o jogo League Of Legends usando o PlayOnLinux

    Desinstalando o PlayOnLinux no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o PlayOnLinux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove playonlinux
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Se você vive alternando constantemente entre alto-falantes, fones de ouvido e som HDMI, experimente instalar o Sound Switcher Indicator no Ubuntu para simplificar sua vida.


    Sound Switcher Indicator é um AppIndicator seletor de entrada/saída de som do Ubuntu. Ele permite mudar a entrada de som atual e de saída, bem como a porta de saída específica com apenas dois cliques.

    Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivadosInstale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Com ele, você pode, por exemplo, alternar entre fones de ouvido, alto-falantes e saída de som HDMI, com apenas dois cliques. Ou simplesmente alternar entre vários dispositivos de som, sem ter que ir nas opções de som das “Configurações do Sistema”.

    Os recursos fornecidos pelo Sound Switcher Indicator não são algo que esteja faltando no Ubuntu, mas esta ferramenta torna muito mais fácil para aqueles que mudam constantemente entre alto-falantes, fones de ouvido e som HDMI por exemplo, e por conta disso, deve ser muito útil para alguns usuários do Ubuntu.

    Conheça melhor o Sound Switcher Indicator

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

    Instalando o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Para instalar o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo apt-add-repository ppa:yktooo/ppa

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install indicator-sound-switcher

    Passo 5. Saia da sessão atual e quando fizer login, o indicador já estará no painel.

    Como instalar o Sound Switcher Indicator manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Iniciando o Sound Switcher Indicator

    Normalmente você só precisa encerrar a sessão atual e fazer login novamente, para que o programa seja iniciado. Caso o Sound Switcher Indicator não inicie automaticamente quando você fizer login, siga os passos desse tutorial e em “Nome”, digite “Sound Switcher Indicator” e em “Commando”, use: “indicator-sound-switcher”.

    Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Desinstalando o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-add-repository ppa:yktooo/ppa -r
    sudo apt-get remove indicator-sound-switcher
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Cliente Campfire no Linux – instale Snakefire no Ubuntu e derivados

    Cliente Linux Campfire: instale Snakefire no Ubuntu e derivados

    Se você precisa de um aplicativo Linux para utilizar a ferramenta Campfire, experimente instalar o Snakefire no Ubuntu ou em um de seus derivados.


    Snakefire é um cliente Qt Linux para Campfire, uma ferramenta de colaboração de equipe com bate-papo em tempo real, bastante popular entre os desenvolvedores.

    Cliente Linux Campfire: instale Snakefire no Ubuntu e derivadosCliente Linux Campfire: instale Snakefire no Ubuntu e derivados

    Linux Campfire: instale Snakefire no Ubuntu e derivados” width=”620″ height=”443″ />
    Voltado para grupos, com ele você pode compartilhar textos, arquivos e código em tempo real e ainda salvar transcrições para que você não se esqueça.

    Snakefire apresenta alertas de bate-papo e relatórios do que foi discutido, enquanto você estava fora, bem como um ícone na bandeja/Ubuntu appindicator (através do sni-qt) para que o aplicativo não fique em seu caminho.

    Você pode também rapidamente e facilmente carregar qualquer coisa para o Snakefire, via arrastar e soltar.

    Conheça melhor o cliente Linux Campfire

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

    Instalando o cliente Linux Campfire no Ubuntu e derivados

    Para instalar o cliente Linux Campfire no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo apt-add-repository ppa:rael-gc/snakefire

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo:

    sudo apt-get install snakefire

    Passo 5. Se você estiver usando o KDE, também instale o snakefire-kde:

    sudo apt-get install snakefire-kde

    Como instalar o cliente Linux Campfire manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite snakefire no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o cliente Linux Campfire no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o cliente Linux Campfire no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove snakefire*
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o MKVToolNix no Linux via Snap

    Como instalar o MKVToolNix no Linux via Snap

    Se você quer manipular ou reproduzir arquivos no formato Matroska (.mkv), veja como instalar a última versão do MKVToolNix no Linux via Snap.


    Embora muitos pensem que se trata de um único aplicativo, MKVToolnix é na verdade um conjunto de ferramentas que permite criar, alterar e reproduzir arquivos Matroska no Linux, Unix e Windows.

    Como instalar o MKVToolNix no Linux via SnapComo instalar o MKVToolNix no Linux via Snap

    Com ele é possível obter informações sobre arquivos Matroska (mkvinfo), extrair faixas/dados de arquivos de Matroska (mkvextract) e criar (mkvmerge) arquivos Matroska, a partir de outros arquivos de mídia.

    Se você quiser trabalhar com ferramentas gráficas, você deve usar o MKVToolnix-gui, que é uma interface simples e fácil de usar. Com ela você pode adicionar o arquivo MKV (s) usando o navegador de arquivos ou simplesmente arrastando e soltando os arquivos na MKVToolnix.

    MKVToolnix também permite que você edite as tags e nomes das faixas, também é usado para alterar a relação de aspecto de arquivos de vídeo, exibir a largura e altura e etc.

    Quer instalar usando pacotes? Use esse outro tutorial:
    Instale a última versão do MKVToolNix no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

    Conheça melhor o MKVToolNix

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a versão mais recente do MKVToolNix nas distros que suportam Snap

    Para instalar a versão mais recente do MKVToolNix nas derivados via Snap, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se essa for a primeira vez que instala um aplicativo usando o pacote SNAP, antes você pode precisa instalar o snapd com esse comando (caso ainda não esteja instalado). Em versões recentes do Ubuntu (como 16.04 e 16.10 ou 17.04), este ele já deve estar instalado por padrão. Para o Ubuntu 14.04, você precisa instalar o snapd com esse comando;

    sudo apt-get install snapd snapd-xdg-open

    Passo 3. Instale a versão mais recente do MKVToolNix via SNAP, usando esse comando:

    sudo snap install mkvtoolnix-jz

    Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap, use:

    sudo snap refresh mkvtoolnix-jz

    Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove mkvtoolnix-jz

    O aplicativo snap pode coexistir com os pacotes tradicionais. Se você instalou a versão do MKVToolNix e não conseguiu descobrir qual é o aplicativo deve usar no seu lançador de aplicativos, inicie as ferramentas por meio do comando no terminal:

    /snap/bin/mkvtoolnix-jz.gui

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Comparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu

    Comparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu

    Precisando de uma ferramenta para comparar e sincronizar pastas? Então veja aqui como instalar o FreeFileSync no Ubuntu.


    FreeFileSync é uma ferramenta de código aberto multiplataforma para comparar e sincronizar pastas no Linux, Windows e Mac OS X. Com o programa, você pode detectar arquivos e pastas movidos e renomeados, manter versões de arquivos apagados/atualizados, incluindo cópia de arquivos bloqueados (Volume Shadow Copy Service).

    Comparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no UbuntuComparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu

    Entre outros recursos, ele tem suporte para a realização de comparação de arquivo binário, identificador de links simbólicos, copiar atributos estendidos de NTFS e permissões de segurança, cópia de arquivo à prova de falhas, inclui/excluir arquivos via filtro, tem desempenho em tempo de execução otimizada, relatório de erros detalhado e pode automatizar trabalho em lotes.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o FreeFileSync

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu comparar e sincronizar pastas

    Para instalar o FreeFileSync no Ubuntu comparar e sincronizar pastas, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:eugenesan/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install freefilesync

    Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite freefilesync no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o FreeFileSync no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o FreeFileSync no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:eugenesan/ppa --remove
    sudo apt-get remove freefilesync
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a ferramenta de corte de PDF Krop no Linux via Snap

    Como instalar a ferramenta de corte de PDF Krop no Linux via Snap

    Se você procura um recurso para manipular arquivos PDF, conheça e veja como instalar a ferramenta de corte de PDF Krop no Linux via Snap.


    Krop é uma ferramenta gráfica simples para recortar as páginas para arquivos PDF. O programa é escrito em Python e depende de PyQT, python-poppler-qt4 e pyPDF.

    Como instalar a ferramenta de corte de PDF Krop no Linux via SnapComo instalar a ferramenta de corte de PDF Krop no Linux via Snap

    Uma característica única do krop é a sua capacidade de dividir páginas automaticamente em subpáginas, para se adequar ao tamanho de tela limitado de dispositivos, como eReaders. Isso é particularmente útil, se seu eReader não suportar a rolagem conveniente.

    O Krop está disponível como aplicativo Snap para as arquiteturas amd64 e armhf, para que você possa instalá-lo facilmente.

    Conheça melhor a ferramenta de corte de PDF Krop

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a versão mais recente da ferramenta de corte de PDF Krop Ubuntu e outras distros que suportam Snap

    Para instalar a versão mais recente da ferramenta de corte de PDF Krop no Ubuntu e seus derivados via Snap, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se essa for a primeira vez que instala um aplicativo usando o pacote SNAP, antes você pode precisa instalar o snapd com esse comando (caso ainda não esteja instalado). Em versões recentes do Ubuntu (como 16.04 e 16.10 ou 17.04), este ele já deve estar instalado por padrão. Para o Ubuntu 14.04, você precisa instalar o snapd com esse comando;

    sudo apt-get install snapd snapd-xdg-open

    Passo 3. Instale a versão mais recente da ferramenta de corte de PDF Krop via SNAP, usando esse comando:

    sudo snap install krop

    Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap, use:

    sudo snap refresh krop

    Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove krop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite krop no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

    Gosta do visual do Lubuntu? Então, que tal usar o ícones dele no seu sistema? Para isso, veja como instalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e seus derivados.


    Lubuntu-Box icon set é um elegante e bem desenhado conjunto de ícones criado pela equipe do Lubuntu para seu sistema operacional.

    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no UbuntuInstalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

    Para alcançar esse objetivo, eles fazem um trabalho árduo em cada pixel dos ícones. Nesse trabalho extremamente difícil, cada ícone está sendo retocada pixel por pixel, para obter uma interface agradável e o usuário possa se sentir confortável com o seu desktop.

    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

    Conheça melhor o conjunto de ícones Lubuntu-Box

    Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

    Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Lubuntu-Box usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install lubuntubox

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Como instalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, basta fazer o download do instalador .deb diretamente nesse link, e depois clicar nele para instalar manualmente. Ou faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o conjunto de ícones Lubuntu-Box. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome lubuntubox.deb:

    wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/icons/+files/lubuntubox_0.5.6~xenial~NoobsLab.com_all.deb -O lubuntubox.deb

    Passo 3. Agora instale o conjunto de ícones Lubuntu-Box com o comando:

    sudo dpkg -i lubuntubox.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do tema.

    Desinstalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Lubuntu-Box, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove lubuntubox

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    18 de setembro de 2017

    ArchLabs 2017.09 lançado – Confira as novidades e baixe

    ArchLabs 2017.09 lançado - Confira as novidades e baixe

    A equipe ArchLabs anunciou o lançamento da atualização de seu sistema, o ArchLabs 2017.09. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.


    ArchLabs é uma distribuição Linux baseada em Arch com o gerenciador de janelas do Openbox como a principal interface da área de trabalho.

    ArchLabs 2017.09 lançado - Confira as novidades e baixeArchLabs 2017.09 lançado – Confira as novidades e baixe

    O ArchLabs é uma distribuição rolling release (atualização continua) de 64 bits que fornece um live DVD. Essa distribuição, pode ser instalada usando o instalador do sistema gráfico Calamares.

    Novidades do ArchLabs 2017.09

    O último snapshot do projeto, o ArchLabs 2017.09, apresenta várias novas mudanças, incluindo um script de boas vindas que é executado quando o usuário primeiro efetua login.

    Conhecido como AL-Hello, este script ajudará (para aqueles de vocês que estão com pressa, ou simplesmente não pode ser incomodado instalando um por um) a adição de software extra que não incluímos por padrão.

    Com ele, o usuário pode instalar até 60 aplicativos e utilitários diferentes, incluindo aplicativos de imagem e vídeo, navegadores da web, aplicativos de escritório e muito mais.

    Além de instalar aplicativos com o novo script AL-Hello, você pode escolher seu painel padrão, seja Tint2 ou Polybar, e até instalar drivers NVIDIA ou Bumblebee também, tudo de um jeito super fácil.

    Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

    Conheça melhor a distribuição ArchLabs

    Para saber mais sobre a distribuição ArchLabs, clique nesse link.

    Baixe e experimente o ArchLabs 2017.09

    A imagem ISO do ArchLabs 2017.09 já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

    Verifique se a imagem ISO está corrompida

    Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
    Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

    Como gravar uma imagem ISO no Linux

    Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
    Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
    Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
    Como criar um pendrive de instalação
    Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
    Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como resolver o problema da falta do indicador de som no painel do Ubuntu

    Como resolver o problema da falta do indicador de som no painel do Ubuntu

    Se o indicador de som não está aparecendo no painel do Ubuntu, veja aqui com resolver esse problema.


    Ao tentar corrigir a falta de som no Ubuntu 14.04 (ou outra versão), você pode reinstalar o PulseAudio e finalmente acabar sem o indicador de som no painel do Unity.

    Como resolver o problema da falta do indicador de som no painel do UbuntuComo resolver o problema da falta do indicador de som no painel do Ubuntu

    A primeira vista você pode pensar que pode ser apenas um problema de exibição, pois há configurações que permitem ou bloqueiam a exibição do applet indicador de som. Mas ao abrir o Unity Tweak Tool, aparece o seguinte erro:

    Como resolver o problema da falta do indicador de som no painel do Ubuntu

    A mensagem de erro é lida da seguinte forma:

    O esquema a seguir está faltando

    com.canonical.indicator.sound

    Para funcionar corretamente, Unity Tweak Tool recomenda que você instale os pacotes necessários

    Como fica evidente na mensagem de erro, o indicador de som não está presente no sistema. Então, o que pode ser feito para corrigir o problema? Simples, instale o indicador de som novamente. Veja abaixo com fazer isso.

    Como resolver o problema da falta do indicador de som no painel do Ubuntu

    Para resolver o problema da falta do indicador de som no painel do Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo apt-get install indicator-sound

    Passo 3. Depois disso, você pode reiniciar o sistema e estará resolvido o problema. Mas se você não quiser reiniciar o sistema e quer que o indicador de som para apareça imediatamente, use o comando a seguir, no ambiente Unity;

    killall unity-panel-service

    Passo 4. Se você estiver usando o Gnome, você pode usar este comando:

    killall gnome-panel

    Isso deve trazer o indicador de som de volta no painel superior. Espero que isso resolve o problema para você. Caso não resolva o problema, fique a vontade para deixar um comentário, para fazer uma pergunta, ou apenas para agradecer 🙂

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    As atualizações automáticas do sistema da Canonical não servem para você? Então veja como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu.


    Para alguns, pode ser irritante todos os dias ficar vendo notificações do sistema informando que existem atualizações automáticas. Felizmente, é possível desativar as atualizações automáticas no Ubuntu. E este tutorial irá lhe mostrar como fazer isso.

    Como desativar as atualizações automáticas no UbuntuComo desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Mas antes de tomar uma atitude tão radical, saiba que não é recomendável desativar as atualizações automáticas no Ubuntu, pois se trata de algo muito importante para o bom funcionamento do sistema.

    Entretanto, podem haver diversas razões pelas quais você queira ou precise controlar o processo manualmente: Você pode estar intencionalmente evitando uma nova versão de um pacote ou aplicativo de missão crítica; você pode estar ignorando a mais recente versão do kernel ou uma atualização de driver.

    Você também pode estar tentando poupar largura de banda, já que utiliza uma conexão de internet móvel ou limitada. Nesse caso, por exemplo, só a verificação de atualização pode baixar algo em torno de 300MB ao longo de um único mês (dependendo de quais fontes, arquivos e PPA´s você tiver habilitado).

    Seja qual for a sua razão, você não tem que ser incomodado se não quiser. Por isso, veja a seguir como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu e deixe o sistema como você quer.

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Para configurar o Ubuntu para desativar as atualizações automáticas, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Programas e atualizações”;

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Passo 2. Dentro de “Programas e atualizações”, clique na aba “Atualizações”;

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Passo 3. Nessa aba, clique na seta ao lado do campo “Procurar por atualizações automaticamente” e selecione a opção “Nunca”. Finalmente, clique no botão “Fechar” e estará pronto;

    Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

    Agora que a busca automática por atualizações está desativada, lembre-se: você deve fazer essa verificação manualmente para não correr o risco de perder algo importante para o seu sistema.

    Ou seja, esta configuração não desativa a capacidade de atualizar o sistema. Você pode continuar a verificar e instalar atualizações manualmente, através da linha de comando, ou utilizando o aplicativo Atualizador de programas.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

    Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

    Algumas pessoas não gostam das mudanças que tem sido feitas no Nautilus, para essas, uma boa alternativa é instalar o Nemo e seus plugins.


    Nemo é um fork completo do Nautilus e seu objetivo é ampliar a experiência do usuário do ambiente Cinnamon para o gerenciamento de desktop e arquivos.

    Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no UbuntuInstale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

    O gerenciador de arquivos Nemo tem características que não estão disponíveis em versões mais recentes do Nautilus, como visualização compacta vista, todos os ícones do desktop, “Abrir no terminal”, “Abra como root”, barra de status própria, melhor pesquisa, melhores Widgets e muitos mais.

    Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

    Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

    Instale o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu

    Atenção! Não faça esse procedimento se você estiver usando o Linux Mint ou algum derivado dele.

    Conheça melhor o gerenciador de arquivos Nemo

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Nemo como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

    Se você quer substituir o Nautilus pelo Nemo, veja no tutorial abaixo como colocar ele como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu:
    Como colocar o Nemo como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

    Instalando o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados no Ubuntu

    Para instalar o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/nemo

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install nemo

    Passo 5. Para instalar os plugins extras, execute o comando:

    sudo apt-get install nemo-compare nemo-audio-tab nemo-emblems nemo-filename-repairer nemo-fileroller nemo-gtkhash nemo-image-converter nemo-media-columns nemo-pastebin python-nemo nemo-rabbitvcs nemo-seahorse nemo-share nemo-terminal

    Se você for instalar o ambiente Cinnamon, primeiro remova esse repositório para não haver conflitos de pacotes por causa do Nemo. Para isso, execute os comandos em “Desinstalando o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados”.

    Como instalar o gerenciador de arquivos Nemo com extensões manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Desinstalando o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o gerenciador de arquivos Nemo com extensões no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/nemo --remove
    sudo apt-get remove nemo
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Dash to Dock no GNOME Shell – Conheça uma dock avançada para esse ambiente

    Dash to Dock no GNOME Shell - Conheça uma dock avançada para esse ambiente

    Se você está procurando uma boa alternativa ao Dash de atividades do Gnome, conheça e veja como instalar o Dash to Dock no GNOME Shell.


    Alguns usuários do GNOME Shell que se incomodam com o fato de ter que entrar no modo de visão geral (Dash) para fazer qualquer coisa, certamente vão gostar do Dash to Dock. Essa extensão transforma o Dash de atividades em uma Dock altamente configurável, que você pode colocar em qualquer lugar na sua área de trabalho.

    Dash to Dock no GNOME Shell - Conheça uma dock avançada para esse ambienteDash to Dock no GNOME Shell – Conheça uma dock avançada para esse ambiente

    Ela permite que os usuários iniciem e alternem entre janelas de aplicativos e desktops de um jeito muito mais rápido. Esta extensão é particularmente útil para usuários de Linux que gostam de personalizar praticamente todos os aspectos da área de trabalho.

    Com ela você pode decidir mostrar os badges do aplicativo, a transição através de janelas de aplicativos abertas usando a barra de rolagem do mouse, espiar visualizações de janelas usando atalhos de teclado personalizados, esconder os favoritos do painel e mostrar o menu do dock em tantos monitores conectados, entre outras opções de personalização.

    Recursos da extensão Dash to Dock

    • Usabilidade – Simples para começar a funcionar;
    • Integração – Totalmente integrada com o shell GNOME e, portanto, suporta notificações de desktop, temporizadores, etc;
    • Suporte a múltiplos monitores – Desligar a exibição em todas as telas disponíveis (pode ser desativado);
    • Previews de janelas – Espere o conteúdo das janelas do aplicativo aberto pairando sobre o ícone da dock;
    • Personalização – Faça uso de todos os temas, fontes e sons suportados pelo GNOME shell.

    Novidades da versão mais recente da Dash to Dock

    Dash to Dock v61 adiciona suporte oficial para o recém lançado GNOME 3.26. Aliás, uma adição que será particularmente importante para aqueles que estão executando o Ubuntu 17.10.

    Uma nova configuração, e totalmente opcional, também foi introduzida nesta atualização. Dash to Dock agora permite que você habilite telas de fundo em lançadores de aplicativos que aparecem quando um aplicativo está sendo executado.

    A cor destes é baseada na cor dominante no ícone do aplicativo que eles retornaram. A nova opção agradará aos usuários do Unity e aqueles que apreciam a adição de um pouco de cor à sua área de trabalho.

    A única outra alteração significativa nesta atualização é uma alteração no comportamento de atalhos para o atalho Super + num utilizado para iniciar aplicativos (estilo Unity). Esse atalho agora só se associa às teclas do número da linha superior do teclado e não (quando disponível) os de um teclado numérico. Essa alteração evita conflitos com outros atalhos de teclado.

    Para saber mais sobre essa versão dessa extensão, acesse a nota de lançamento.

    Conheça melhor o Dash to Dock

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Quer conhecer outras extensões para Gnome Shell? Confira o vídeo abaixo:

    Requisitos de instalação e execução

    Para executar a extensão Dash to Dock, você precisa estar executando pelo menos o GNOME 3.2 . No entanto, para desfrutar de todas as suas últimas atualizações, correções e recursos, certifique-se de que está executando a versão mais recente do ambiente GNOME shell.

    Como instalar o Dash to Dock no Ubuntu e seus derivados

    Você pode instalar o Dash to Dock diretamente a partir do site GNOME Extensions, clicando no link abaixo (basta estar usando o GNOME Shell):

    Dash to Dock no GNOME Extensions

    Para instalar o Dash to Dock no Gnome Shell, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o código fonte da extensão (se você não tiver o git instalado, instale-o usando o gerenciador de pacotes de sua distro);

    git clone https://github.com/micheleg/dash-to-dock.git

    Passo 3. Em seguida, acesse a pasta criada;

    cd dash-to-dock/

    Passo 4. Compile o programa com o comando abaixo;

    make

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    make install

    Pronto! Feche a sessão atual e inicie novamente ou reinicie!

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como baixar e instalar as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu

    Como baixar e instalar as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu

    Se por qualquer motivo você precisar usar fontes do Windows 8.1 no Ubuntu, e não tem uma partição do Windows para copiar as fontes, veja aqui como fazer o download e instalar.


    Instalando as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu você terá todas as novas fontes que a Microsoft incluiu na última visualização do Windows (como Segoe UI Black, Segoe UI Emoji e algumas outras), bem como a versão mais recente de fontes populares como Arial, Tahoma, Calibri, Segoe UI, Verdana, Times New Roman e assim por diante.

    Como baixar e instalar as fontes do Windows 8.1 no UbuntuComo baixar e instalar as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu

    Como baixar e instalar as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu

    Normalmente, para ter algumas fontes do Windows no Ubuntu, basta instalar o pacote Msttcorefontes, que entrega um conjunto de fontes Microsoft. Para instalar, basta abrir um terminal e digitar o seguinte comando:

    sudo apt-get install msttcorefonts

    Mas se isso não é o suficiente, abaixo você encontrará instruções para fazer o download da imagem ISO do Windows 8.1 Preview da Microsoft, extraindo as fontes da ISO ( porque as fontes não podem ser redistribuídas ) usando 7zip e Wimlib e instalar as fontes no Ubuntu.

    1. Baixando a imagem ISO do Microsoft Windows 8.1 Preview

    Uma vez que as fontes não podem ser redistribuídas, você deve extraí-las a partir de uma imagem ISO do Windows 8.1. Você pode baixar o Microsoft Windows 8.1 Preview e salvar o arquivo ISO em sua pasta pessoal. Eu recomendo baixar o ISO de 32 bits, já que é 1 GB menor do que a ISO de 64 bits.

    Opcionalmente, você também pode fazer o download do Microsoft Windows 8 Enterprise Evaluation ISO a partir desse link. Tanto o Microsoft Windows 8.1 Preview e Windows 8 Enterprise Evaluation estão disponíveis para download gratuito.

    2. Instalando as ferramentas necessárias para extrair as fontes do ISO do Windows 8.1.

    Será preciso instalar o p7zip-full e a Wimlib no Ubuntu, para isso, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);

    Passo 2. Adicione o repositório dos aplicativos com o seguinte comando:

    sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

    Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale os programas com o comando:

    sudo apt-get install wimtools p7zip-full

    3. Extraindo as fontes do Windows 8.1 a partir da imagem ISO

    Para extrair as fontes do Microsoft Windows 8.1 a partir do arquivo ISO, use os seguintes comandos em um terminal (os comandos abaixo supõe que você tenha baixado a imagem ISO na sua pasta pessoal):

    Passo 1. Vá para a sua pasta pessoal;

    cd

    Passo 2. Extraia instal.win da imagem ISO na pasta sources:

    7z x WindowsBlue-ClientwithApps-32bit-English-X1899604.iso sources/install.wim

    Passo 3. Vá para a pasta sources:

    cd sources/

    Passo 4. Crie a pasta temporária:

    mkdir tmp fonts

    Passo 5. Monte a imagem install.win:

    imagex mount install.wim 1 tmp

    Passo 6. Copie as fontes:

    cp tmp/Windows/Fonts/{*.ttf,cambria.ttc} fonts

    Passo 7. Desmonte a imagem

    imagex unmount tmp

    O nome do arquivo ISO no primeiro comando acima pode mudar ou você pode ter baixado um ISO diferente, então certifique-se de verificar o nome de seus ISO baixado e usar isso em vez de ” WindowsBlue-ClientwithApps-32bit-Inglês-X1899604.iso”. Se não fizer isso, o comando não funcionará.

    4. Opcional: convertendo a fonte Cambria de TTC para TTF

    Se você precisa da fonte Cambria (regular), você precisa convertê-lo para TTF porque a fonte só está disponível como uma coleção TrueType (TTC) e se você não convertê-la, não será capaz de usá-la no LibreOffice, por exemplo. Para converter a fonte para TTF, você precisa instalar FontForge. Para isso, digite seguinte comando abaixo em um terminal:

    sudo apt-get install fontforge

    E, em seguida, execute o seguinte comando (os comandos abaixo supõem que você seguiu nossas instruções exatas e extraiu as fontes em ~/sources/fonts ):

    cd ~/sources/fonts/
    fontforge -lang=ff -c 'Open("cambria.ttc(Cambria)"); Generate("cambria.ttf"); Close(); Open("cambria.ttc(Cambria Math)"); Generate("cambria-math.ttf"); Close();'

    5. Instalando as fontes do Windows 8.1 no Ubuntu

    Antes de prosseguir, apague todas as fontes que você não precisa da pasta sources/fonts.

    Para instalar as fontes do Microsoft Windows 8.1 para todo o sistema, use o seguinte comando:

    sudo mkdir -p /usr/share/fonts/truetype/win8.1
    sudo cp ~/sources/fonts/*.ttf /usr/share/fonts/truetype/win8.1/
    sudo fc-cache -f -v

    Ou, para instalar as fontes do Windows 8.1 somente para o seu usuário, use os seguintes comandos:

    mkdir -p ~/.fonts/win8.1
    cp ~/sources/fonts/*.ttf ~/.fonts/win8.1/
    sudo fc-cache -f -v

    Pronto! Agora você pode excluir a pasta “sources” do seu diretório home, bem como o arquivo ISO baixado o Windows 8.1.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando alguns indicadores úteis no Ubuntu

    Instalando alguns indicadores úteis no Ubuntu

    Por padrão, o Ubuntu vem com apenas alguns indicadores. Para melhorar isso, que tal instalar alguns indicadores úteis no Ubuntu que podem ser usados no seu dia a dia?


    Indicadores ajudam a acessar as informações ou configurações mais rápido, por isso, hoje mostrarei alguns que podem ser instalados no Ubuntu. Conheça cinco indicadores e veja quais podem ser úteis para você. Só não exagere na quantidade, para não deixar o painel lotado e consumir muitos recursos do seu sistema.

    Instalando alguns indicadores úteis no Ubuntu

    Mais sobre indicadores úteis


    Instalando alguns indicadores úteis no Ubuntu

    Na lista abaixo, você verá uma série de indicadores úteis no Ubuntu. Alguns deles podem não servir para o que você quer, mas a maioria vale a pena ser conhecido. Acompanhe!


    Disk Manager Indicator

    Gerenciamento de discos no painel com o Disk Manager Indicator

    Disk Manager Indicator é um applet de indicador de bandeja de sistema simples para gerenciar dispositivos no Ubuntu. O software é desenvolvido por Tony George, o homem por trás do Timeshift (aplicativo de restauração do sistema).

    Como instalar o Disk Manager Indicator

    Para instalar o Disk Manager Indicator no Linux, acesse esse tutorial:
    Gerenciamento de discos no painel com o Disk Manager Indicator


    YouTube-Indicator

    Baixe vídeos do YouTube e de outros serviços com o YouTube-Indicator

    YouTube-indicador é um novo aplicativo que permite baixar vídeos do YouTube através de um applet indicador no painel do ambiente Unity no Ubuntu.

    O indicador funciona monitorando a área de transferência e quando ele detecta que você copiou um link no padrão do YouTube (por exemplo, https://www.youtube.com/watch?v=FoyWw0gICQ0), aparece uma caixa de diálogo pedindo para o usuário selecionar o formato ou formatos em que ele deseja fazer o download do vídeo.

    Instalando o YouTube-Indicator no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o YouTube-Indicator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install youtube-indicator

    Calendar Indicator

    Instalando alguns indicadores úteis no Ubuntu

    Esse é um dos melhores indicadores para Ubuntu. Ele exibe seus 10 eventos no menu indicador, onde você também pode adicionar novos eventos (o que, naturalmente, são sincronizados com o serviço do Google) e tem uma visualização de calendário completa, onde você pode ver todos os seus eventos do Google Agenda, editar ou adicionar novos eventos e etc.

    Para saber mais sobre esse indicador, acesse esse link.

    Instalando o Calendar Indicator no Ubuntu

    Para instalar o Calendar Indicator no Ubuntu, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Em seguida, instale o programa usando o comando:

    sudo apt-get install calendar-indicator

    Pindgin Indicator

    Instalando alguns indicadores úteis no Ubuntu

    O Pidgin pode não ser o cliente de mensagens instantâneas padrão para algumas versões do Ubuntu, mas ainda é uma aplicação muito popular. Pidgin usa um ícone de bandeja por padrão, mas agora você pode usar um AppIndicator que é especialmente útil uma vez que o antigo systray whitelist Unity não está mais disponível.

    Esse Indicador não é uma parte do Pidgin por padrão (portanto, você precisa instalar o Pidgin antes), mas ele funciona muito bem e você pode instalá-lo no Ubuntu usando um repositório.

    Instalando o Pindgin Indicator no Ubuntu

    Para instalar o Pindgin Indicator no Ubuntu, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Em seguida, instale o programa usando o comando:

    sudo apt-get install pidgin-indicator

    Uma vez instalado, abra o Pidgin e no seu menu, selecione a opção “Ferramentas” e depois “Plugins”. Em seguida, role para baixo até ver um plugin chamado “Ubuntu Indicator” e autorize este plugin.


    My Weather Indicator

    Instalando alguns indicadores úteis no Ubuntu

    Uma vez que o Ubuntu não vem com um indicador de tempo, o My Weather Indicator é a melhor opção para essa função. Ele exibe o tempo atual no painel superior do Unity. A ferramenta também pode exibir uma previsão de 5 dias (isso dependerá de qual o serviço de tempo você usa). Ele também vem com alguns bons widgets de desktop (opcional) e outras opções.

    Instalando o My Weather Indicator no Ubuntu

    Para instalar o My Weather Indicator no Ubuntu, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Em seguida, instale o programa usando o comando:

    sudo apt-get install my-weather-indicator

    Variety Indicator

    Instalando alguns indicadores úteis no Ubuntu

    Esse é mais que um AppIndicator, é um aplicativo completo com um Indicador para você usar sempre que quiser. Variety Wallpaper Changer é um trocador de wallpaper que baixa e muda o seu papel de parede em um dado intervalo automaticamente.

    Com o Variety Wallpaper Changer, você sempre terá novos papéis de parede. E a partir do menu AppIndicator, você poderá alternar rapidamente para o próximo papel de parede (aleatório) ou copiar o papel de parede para sua lista de favoritos, para uso posterior.

    Instalando o Variety Indicator no Ubuntu

    Para instalar o Variety Indicator no Ubuntu, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:peterlevi/ppa

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Em seguida, instale o programa usando o comando:

    sudo apt-get install variety

    CPUFreq Indicador

    Instalando alguns indicadores úteis no Ubuntu

    CPUFreq Indicador é o equivalente do velho applet GNOME CPU frequency scaling, que pode ser usado para alterar a freqüência da CPU on-the-fly.

    Instalando o CPUFreq Indicador no Ubuntu

    Para instalar o CPUFreq Indicador no Ubuntu, abra a Central de programa, pesquise e instale o aplicativo, ou faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 3. Em seguida, instale o programa usando o comando:

    sudo apt-get install indicator-cpufreq

    Vale lembrar que o CPUFreq Indicator não funciona com Intel P-State (ver 8.2).


    Rocket Menu indicator

    Acesse arquivos e pastas remotamente com Rocket Menu AppIndicator

    Rocket Menu é um AppIndicator para abrir arquivos, diretórios e fazer conexões com servidores remotos via Nautilus.

    Instalando o Rocket Menu Indicador no Ubuntu

    Para instalar o Rocket Menu Indicador no Ubuntu, veja esse tutorial:
    Acesse arquivos e pastas remotos com Rocket Menu AppIndicator


    SpaceView indicator

    Use o SpaceView indicator para ver espaço em disco no linux

    SpaceView indicator é um indicador Ubuntu que exibe o uso do sistema de arquivos, mais especificamente o espaço em disco no linux.

    Instalando o SpaceView indicator no Ubuntu

    Para instalar o SpaceView indicator no Ubuntu, veja esse tutorial:
    Use o SpaceView indicator para ver espaço em disco no linux

    Gostou da lista? Faça uma busca no site que você irá encontrar muitos outros indicadores!

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Darkroom digital: Como instalar o LightZone no Ubuntu e derivados

    Darkroom digital: Como instalar o LightZone no Ubuntu e derivados

    Precisando de um darkroom digital? Experimente instalar o LightZone no Ubuntu e derivados. Com ele e seu talento, suas imagens ficarão ainda melhores.


    LightZone é uma aplicação que faz a função de darkroom digital ou laboratório digital de manipulação de imagem. Ele está disponível para a plataforma Linux, Windows e Mac e inclui o processamento e edição RAW.

    Darkroom digital: Como instalar o LightZone no Ubuntu e derivadosDarkroom digital: Como instalar o LightZone no Ubuntu e derivados

    Ele é diferente de outros aplicativos de fotografia e é um editor completamente não destrutivo. O programa permite ao usuário construir um stack de ferramentas que podem ser rearranjadas, reajustadas, desligadas, ligadas e removidas.

    Darkroom digital: Como instalar o LightZone no Ubuntu e derivados

    Conheça melhor o LightZone, o darkroom digital de código aberto

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

    Instalando o darkroom digital LightZone

    Para instalar o LightZone no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:otto-kesselgulasch/lightzone

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora, para instalar o aplicativo, use o comando:

    sudo apt-get install lightzone

    Como instalar o o LightZone, manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome lightzone.deb:

    wget https://launchpad.net/~otto-kesselgulasch/+archive/ubuntu/lightzone/+files/lightzone_4.1.5.90-0x0~ppa_i386.deb -O lightzone.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome lightzone.deb:

    wget https://launchpad.net/~otto-kesselgulasch/+archive/ubuntu/lightzone/+files/lightzone_4.1.5.90-0x0~ppa_amd64.deb -O lightzone.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i lightzone.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite lightzone no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando LightZone no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o LightZone no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:otto-kesselgulasch/lightzone --remove
    sudo apt-get remove lightzone
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Tenha um editor de imagens simples e completo com o app Pinta

    Tenha um editor de imagens simples e completo com o app Pinta

    O GIMP é complicado demais para você e está precisando de um editor de imagens simples e ao mesmo tempo completo? Então experimente instalar o Pinta.


    Pinta é um programa gratuito, ele é um editor de imagem simplificado baseado em Paint.NET (e, portanto, ele usa Mono), concebido para servir como uma alternativa ao GIMP para usuários casuais.

    Tenha um editor de imagens simples e completo com o app PintaTenha um editor de imagens simples e completo com o app Pinta

    O objetivo do Pinta é fornecer aos usuários uma maneira simples e poderosa para desenhar e manipular imagens no Linux, Mac e Windows. Além disso, o programa pode trabalhar com janelas encaixadas ou não.

    Pinta oferece ferramentas de desenho fácil para desenhar à mão livre, linhas, retângulos, elipses e muito mais, mais de 35 ajustes e efeitos para ajustar suas imagens,camadas para ajudar a separar e agrupar elementos de sua imagem para facilitar a edição.

    Conheça melhor o editor de imagens Pinta

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

    Como instalar a versão estável do editor de imagens simples Pinta no Ubuntu e derivados

    O editor de imagens Pinta está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install pinta.

    No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:pinta-maintainers/pinta-stable

    Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Para instalar o programa, use este comando:

    sudo apt-get install pinta

    Como instalar o editor de imagens Pinta manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB da versão estável do programa nesse link e a versão de testes, nesse link. Depois, instale ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pinta no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o editor de imagens Pinta no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o editor de imagens Pinta no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove pinta
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar fontes no Ubuntu manualmente

    Como instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmente

    Está precisando ter uma determinada fonte em seu sistema? Então veja como instalar fontes no Ubuntu manualmente, e resolva seu problema.


    Fontes são um recurso que podem fazer toda diferença em um texto. E para muitos usuários, quanto mais fontes, melhor. Para esses, o Ubuntu já traz boas fontes e ainda permite instalar outras.

    Como instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmenteComo instalar fontes no Ubuntu manualmente

    Independente se você quer instalar fontes da Microsoft ou Google web fonts para uso off-line, ou você apenas encontrou uma fonte favorita na web e deseja instalar ela no Ubuntu, neste tutorial, você verá como instalar os arquivos de fonte (.ttf, .ttc) baixados da web, da página de fontes do Google, ou copiados de um PC com o sistema operacional Windows.

    Como instalar fontes no Ubuntu manualmente

    Para instalar fontes no Ubuntu manualmente, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Se ainda não tiver feito isso, baixe as fontes salve-as na pasta Downloads;
    Passo 2. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 3. Em seguida, use o comando abaixo para criar uma sub pasta ms_fonts no diretório fonts;

    sudo mkdir /usr/local/share/fonts/ms_fonts

    Passo 3. Mova todos os arquivos de fonte do seu diretório de downloads para a nova pasta criada:

    sudo mv ~/Downloads/*.ttc ~/Downloads/*.ttf /usr/local/share/fonts/ms_fonts/

    Passo 4. Defina as permissões para esses arquivos executando os comandos abaixo, um por um:

    sudo chown root:staff /usr/local/share/fonts/ms_fonts -R
    sudo chmod 644 /usr/local/share/fonts/ms_fonts/* -R
    sudo chmod 755 /usr/local/share/fonts/ms_fonts

    Passo 5. Finalmente compile os caches de informações de fonte para aplicativos que usam fontconfig para o seu tratamento de fontes:

    sudo fc-cache -fv

    Pronto! Agora você pode aplicar novas fontes instaladas usando a ferramenta Unity Tweak Tool:

    Como instalar fontes no Ubuntu 16.04 manualmente

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o conjunto de ícones Suru no Linux

    Como instalar o conjunto de ícones Suru no Ubuntu

    Se você gostou da aparência da área de trabalho Unity 8, conheça e veja como instalar o conjunto de ícones Suru no Linux.


    Suru é um conjunto de ícones que pretende reviver os ícones do Ubuntu Mobile, agora extinto, trazendo o design Suru para um conjunto de ícones de desktop.

    Como instalar o conjunto de ícones Suru no UbuntuComo instalar o conjunto de ícones Suru no Ubuntu

    As cores ousadas, as dobras de papel e a moldura redonda de “esquilo” ajudam a marcar a identidade visual da plataforma no sistema.

    Como instalar o conjunto de ícones Suru no UbuntuComo instalar o conjunto de ícones Suru no Ubuntu

    O conjunto de ícones Suru tem pouquíssimo tempo de vida e ainda está em desenvolvimento, como tal, há muitos ícones que estão “faltando” ou incompletos.

    Vale lembrar que o desenvolvedor não tem planos de incluir ícones para aplicativos de terceiros ou software de marca (por exemplo, Google Chrome, VLC, GIMP e muitos outros aplicativos que todos usamos, etc.).

    Conheça melhor o conjunto de ícones Suru

    Para saber mais sobre o conjunto de ícones Suru, clique nesse link.

    Instalando o conjunto de ícones Suru no Linux

    Para instalar o conjunto de ícones Suru no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Baixe o tema com o seguinte comando:

    wget https://github.com/snwh/suru-icon-theme/archive/master.zip

    Passo 3. Descompacte o arquivo baixado usando os comandos abaixos:

    unzip master.zip

    Passo 4. Acesse a pasta criada;

    cd suru-icon-theme-master/

    Passo 5. Use o comando abaixo para copiar a pasta criada, para a pasta de temas do sistema:

    make install

    Passo 6. Para mudar o tema, use o comando abaixo;

    gsettings set org.gnome.desktop.interface icon-theme Suru

    Você também pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o conjunto de ícones Suru no linux

    Para desinstalar o conjunto de ícones Suru no Linux faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Acesse a pasta criada;

    cd ~/suru-icon-theme-master/

    Passo 3. Desinstale o conjunto de ícones Suru, usando o comando abaixo;

    make uninstall

    Passo 4. Para mudar o tema, use o comando abaixo;

    gsettings set org.gnome.desktop.interface icon-theme ""

    Para voltar ao estado anterior, você também pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Planeta Ubuntu Brasil

    O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


    Última atualização:
    22 de setembro de 2017, 04:04
    Horário UTC

    Planet ATOM
    RSS10 RSS20
    OPML FOAF

    Blogs inscritos


    © 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
    Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.