17 de fevereiro de 2018

Firefox no Ubuntu: veja como manter o navegador atualizado

Firefox no Ubuntu: veja como manter o navegador atualizado

A Mozilla lança frequentemente atualizações do seu navegador. Se você quer estar sempre com a última versão do Firefox no Ubuntu, veja como manter o navegador atualizado nesse sistema.


A cada nova versão do Firefox, mais e mais funcionalidades são adicionadas e diversas melhorias são feitas, além de inúmeras correções de segurança e muitos outros ajustes. Por isso, é sempre bom estar com a versão mais recente desse navegador.

Firefox no Ubuntu: veja como manter o navegador atualizadoFirefox no Ubuntu: veja como manter o navegador atualizado

Conheça melhor o Firefox

Para saber mais sobre o Firefox, clique nesse link.

Normalmente a última versão do Firefox fica disponível como uma atualização de segurança em todas as versões suportadas do Ubuntu, depois de algumas horas do anúncio da Mozilla. Mas se você atualizou o sistema e a nova versão não apareceu, siga os passos a seguir e resolva seu problema.

Como atualizar o Firefox no Ubuntu e derivados

Para atualizar o Firefox no Ubuntu e instalar a versão mais recente do navegador, faça o seguinte:

Passo 1. Certifique-se de que o repositório de atualizações recomendadas está habilitado. Para fazer isso, abra as “Configurações do sistema” e depois clique no item a opção “Programas e atualizações”. Quando aparecer a tela, vá para a aba “Atualizações” e veja se o item repositório de atualizações recomendadas está habilitado. Se não estiver, marque o item;

Firefox no Ubuntu:  veja como manter o navegador atualizado

Passo 2. Para executar o atualizador do sistema, digite update no Dash ou em um terminal, seguido da tecla TAB;

Firefox no Ubuntu:  veja como manter o navegador atualizado

Passo 3. Clique no ícone do atualizador e espere ele receber as informações de atualização;

Firefox no Ubuntu:  veja como manter o navegador atualizado

Passo 4. Na tela do programa, clique em “Detalhes das atualizações” para ver se o Firefox está no meio das atualizações. Se estiver, confirme a atualização clicando em “Instalar agora” e espere até finalizar.

Firefox no Ubuntu:  veja como manter o navegador atualizado

Se tudo correu bem, no final do processo, seu Firefox estará com a última versão instalada.

Se mesmo com esse procedimento, o Firefox não ficou na versão mais recente, experimente usar esse outro tutorial, que mostra como instalar ele em qualquer distribuição Linux:
Firefox no Linux: veja como instalar manualmente

Mais sobre o Firefox

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Lançado Wine 3.2 com suporte para gamepads HID

Lançado Wine 3.2 com suporte para gamepads HID

Wine 3.2 instável foi lançado trazendo suporte para gamepads HID, várias correções, além de outros recursos. Confira as novidades e veja como instalar ou atualizar.


O Wine é um software livre e de código aberto, que permite executar no Linux, Mac, FreeBSD e Solaris, os aplicativos desenvolvidos para sistema Microsoft Windows.

Lançado Wine 3.2 com suporte para gamepads HIDLançado Wine 3.2 com suporte para gamepads HID

Para quem ainda não conhece o projeto, o Wine (originalmente um acrônimo para “Wine Is Not an Emulator” ou “Wine não é um emulador”) é uma camada de compatibilidade capaz de executar aplicativos Windows, em vários sistemas operacionais compatíveis com POSIX, como Linux, Mac OSX, e BSD.

Wine é um recurso muito importante para ex-usuários do sistema operacional Windows ou para qualquer pessoa que ainda precisa usar os aplicativos desse sistema no Linux.

Além da versão estável, esse aplicativo possui uma versão de desenvolvimento que fornece correções de bugs e recursos que ainda não estão disponíveis em versões regulares de Wine. Com ela, você tem acesso aos novos recursos do Wine bem antes da maioria dos usuários.

Destaques do lançamento da versão mais recente do Wine instável – Wine 3.2

Dentre as mudança feitas no Wine 3.2, destacam-se os seguinte itens:

  • Implementação separada dos controles USER para ComCtl32 v6.;
  • Suporte de textura multisample em Direct3D;
  • Suporte para gamepads HID;
  • Mais suporte de eventos no MSHTML;
  • Código de DOS obsoleto removido.

Um total de 34 correções de erros para notepad++, Visual C ++ 2010, MS Office 2010 e muito mais.

Para mais detalhes sobre essa versão, acesse a nota de lançamento.

Para instalar a versão de desenvolvimento do Wine (instável), use esse tutorial:
Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging no Ubuntu, Debian, Mint e Fedora

Para instalar o Wine estável, use esse tutorial:
Como instalar a versão mais recente do Wine

Conheça melhor o Wine

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o jogo MegaGlest no linux via Flatpak

Como instalar o jogo MegaGlest no linux via Flatpak

Se você gosta de games de estratégia no estilo Age of Empires, conheça e descubra como instalar o jogo MegaGlest no linux via Flatpak.


O MegaGlest é um divertido jogo de estratégia em tempo real de plataforma em 3D (RTS). O MegaGlest é fortemente baseado no amplamente conhecido Glest, que foi iniciado no ano de 2010. No início de 2012, o MegaGlest começou a substituir o Glest nas principais distribuições Linux.

Como instalar o jogo MegaGlest no linux via FlatpakComo instalar o jogo MegaGlest no linux via Flatpak

No MegaGlest você controla os exércitos de uma das sete facções diferentes: Tech, Magic, Egito, Indians, Norsemen, Persa ou romanos. Depois, basta procurar por mantimentos e formar o seu exército para dominar mais e mais território (alguém aí lembrou o A.D.).

Um jogo do MegaGlest ocorre em um mapa de tamanho variado, como grandes planícies e campos, com recursos do terreno como rios, montanhas, mares ou penhascos.

Os jogadores devem estabelecer assentamentos para ganhar recursos, se defender contra outros jogadores e treinar unidades para explorar o mapa e atacar inimigos. Diferentes recursos devem ser reunidos por cada facção. Isso pode ser energia, comida, ouro, habitação, pedra e madeira.

Escolha uma facção e crie suas diferentes unidades e edifícios enquanto desenvolve suas habilidades únicas ao longo do jogo.

Mas cuidado: o gerenciamento de micro e a estratégia são importantes, então escolha com sabedoria ao decidir quais unidades usar quando e onde se quiser uma chance de vencer o inimigo.

Como instalar o jogo MegaGlest no linux via Flatpak

Conheça melhor o jogo MegaGlest

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o jogo MegaGlest no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo MegaGlest no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo MegaGlest no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.megaglest.MegaGlest.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.megaglest.MegaGlest

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.megaglest.MegaGlest

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.megaglest.MegaGlest em um terminal.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu com Unity

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Se seu acesso a Internet é cabeado e você não tem um roteador Wi-Fi para distribuir o acesso da conexão, saiba que é possível usar um computador ou notebook para fazer isso. E se você usa Ubuntu, fica mais fácil ainda.


Nem todo mundo dispõe de um roteador para compartilhar uma conexão de Internet. Se esse é o seu caso, tudo que você precisa é de um PC rodando o Ubuntu e que tenha uma placa de rede Ethernet e outra Wi-Fi.

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no UbuntuComo compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

O procedimento a seguir serve para transformar um computador conectado a internet pela rede cabeada, em um roteador Wi-fi. Com isso, é possível compartilhar a conexão, sem precisar instalar um roteador dedicado, usando o PC para essa função.

Claro, essa opção não serve para todos, apenas para quem tem um necessidade especifica que se enquadre nesse cenário.

Para começar, conecte o cabo da conexão de Internet na entrada Ethernet do computador e depois, siga os passos deste tutorial para compartilhar a conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu.

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu 17.04 ou inferior

Passo 1. Abra as “Configurações do sistema”, clicando em seu ícone na barra lateral do Ubuntu;

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Passo 2. Em “Configurações do sistema”, clique na opção “Rede”;

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Passo 3. Na próxima tela, clique na opção “Sem fio” e depois no botão “Usar como ponto de acesso…”;

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Passo 4. Na tela que aparece, clique no botão “Ativar”;

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Passo 5. Serão exibidas as informações da nova rede. Use elas para se conectar na rede sem fio em outros computadores ou dispositivos móveis.

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Pronto. Qualquer outro aparelho já pode se conectar na sua rede sem fio e acessar a Internet.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o Open Sonic para jogar Sonic no Linux

Como instalar o Open Sonic para jogar Sonic no Linux

Se você quer jogar Sonic no Linux, veja como instalar o Open Sonic nesse sistema. Mais exatamente, na maioria das distribuições.


Open Sonic é um jogo de código aberto baseado no universo “Sonic the Hedgehog”, com os gráficos originais, personagens, efeitos sonoros, músicas, gráficos, níveis, etc.

Como instalar o Open Sonic para jogar Sonic no LinuxComo instalar o Open Sonic para jogar Sonic no Linux

O jogo apresenta um estilo diferente de jogabilidade chamado jogo cooperativo, no qual é possível controlar três personagens simultaneamente.

Como instalar o Open Sonic para jogar Sonic no Linux

Ao contrário da maioria dos jogos semelhantes, o Open Sonic oferece um maior nível de interação entre o jogador e os níveis. É mais do que apenas um jump’n’run; O usuário deve apresentar uma estratégia para superar os níveis.

Antes de instalar e testar, fica a dica: não use a tecla enter do teclado numérico. E dê uma boa olhada em “Options”, pois lá você poderá colocar o jogo em Português e até melhorar o visual dele.

Infelizmente, o áudio do jogo não funciona, sendo necessário fazer uns procedimentos mirabolantes que estão na FAQ do site.

Conheça melhor o Open Sonic

Para saber mais sobre esse jogo, clique nesse link.

Como instalar o Open Sonic para jogar Sonic no Linux

Para instalar o Open Sonic para jogar Sonic no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/opensonic*
sudo rm -Rf /usr/bin/opensonic
sudo rm -Rf /usr/share/applications/opensonic.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema for de 64 bits, instale as versões de 32 bits dos pacotes libpng12, libsm6, libx11, libxext6, libxcursor1, libxpm4 e libxxf86vm1, que são dependências necessárias para a execução do OpenSonic. Para isso, use o gerenciador de pacotes de sua distribuição. No caso do Ubuntu e derivados, isso pode ser feito usando o seguinte comando;

sudo apt-get install libpng12-0:i386 libsm6:i386 libx11-6:i386 libxext6:i386 libxcursor1:i386 libxpm4:i386 libxxf86vm1:i386

Passo 5. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome sonic.tar.gz:

wget https://sourceforge.net/projects/opensnc/files/Open%20Sonic/0.1.4/opensnc-linux-0.1.4.tar.gz/download -O sonic.tar.gz

Passo 6. Se quiser testar a versão instável, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome sonic.tar.gz:

wget https://www.ime.usp.br/~alemart/opensurge_nightly/opensurge-linux-build760.tar.gz -O sonic.tar.gz

Passo 7. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -vzxf sonic.tar.gz -C /opt/

Passo 8. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/opensnc*/ /opt/opensonic

Passo 9. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/opensonic/opensonic /usr/bin/opensonic

Passo 10. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=opensonic\n Exec=/opt/opensonic/opensonic\n Icon=/opt/opensonic/icon.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/opensonic.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite opensonic em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/opensonic.desktop
cp /usr/share/applications/opensonic.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/opensonic.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:

Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como remover o Open Sonic no Linux

Para remover o Open Sonic no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/opensonic*
sudo rm -Rf /usr/bin/opensonic
sudo rm -Rf /usr/share/applications/opensonic.desktop

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar a IDE MonoDevelop no Linux via Flatpak

instalar a IDE MonoDevelop no Linux via Flatpak

Se você quer programar em .Net no Linux de forma rápida e produtiva, conheça e veja como instalar a IDE MonoDevelop no Linux via Flatpak


A IDE MonoDevelop é um ambiente de desenvolvimento integrado desenvolvida em 2003 por membros do projeto Mono, com o objetivo de portar SharpDevelop para Mono e GTK.

Como instalar a IDE MonoDevelop no Linux via FlatpakComo instalar a IDE MonoDevelop no Linux via Flatpak

O MonoDevelop permite aos desenvolvedores escrever rapidamente aplicativos de desktop e web em Linux, Windows e Mac OS X. Também facilita aos desenvolvedores o port de aplicativos .NET criados com o Visual Studio para Linux e Mac OS X, mantendo uma única base de código para todas as plataformas.

Atualmente MonoDevelop suporta as linguagem de programação C#, C/C++, JavaScript, Objective C, Visual Basic .NET e MSIL, entre outros.

Como instalar a IDE MonoDevelop no Linux via Flatpak

Para completar, MonoDevelop é um projeto independente de SharpDevelop sendo integrado no ambiente gráfico desktop GNOME da plataforma Unix. A IDE é um software livre distribuído sob a licença GNU General Public License.

Conheça melhor a IDE MonoDevelop

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

A instalação do MonoDevelop como um pacote FlatPak não exige que o Mono seja instalado. Mas se por algum motivo você precisar desse runtime, use esse tutorial:

Como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados

Como instalar a IDE MonoDevelop no Linux via Flatpak

Para instalar a IDE MonoDevelop no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar a IDE MonoDevelop no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user --from https://download.mono-project.com/repo/monodevelop.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.xamarin.MonoDevelop

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.xamarin.MonoDevelop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.xamarin.MonoDevelop em um terminal.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Gosta de ouvir uma boa música e não está contente com o som do Ubuntu? Então veja como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer.


Áudio em Linux é algo bastante complexo que pode melhorar. Tudo interage com o servidor de som Pulse Audio. Muitos dispositivos de áudio diferentes e todos os programas comunicam com o sistema de alto-falantes do PC, a partir desse servidor. Por conta disso, tudo funciona e geralmente soa bem, pelo menos para a maioria das pessoas.

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio EqualizerComo melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Contudo, se você além de um usuário Linux for também um amante de música, terá um grande problema com o Pulse. Você poderá ficar desapontado ao descobrir que não pode ajustar toda a configuração de som do seu Linux (pelo menos facilmente) usando um equalizador.

Chato, não é mesmo? Felizmente, alguém criou um software que torna bastante fácil de ter um equalizador de todo o sistema instalado e funcionando. O programa chama-se Pulse Audio Equalizer e certamente pode ajudar a melhorar o áudio do PC.

Nota: O Pulse Audio Equalizer é um projeto que está sem atualizações há um bom tempo. Por isso, se você encontrar quaisquer erros ou problemas, infelizmente, você está sem sorte.

Conheça melhor o Pulse Audio Equalizer

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Pulse Audio Equalizer e melhorar o áudio do PC

Para instalar o Pulse Audio Equalizer no Ubuntu para melhorar o áudio do pc e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Verifique qual a versão do seu sistema usando este comando:

lsb_release -rcs

Passo 3. Se você estiver usando Ubuntu 14.04, 14.10, 15.04, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:alex-wv/pulseaudio-equalizer-ppa

Passo 4. Se você estiver usando Ubuntu 12.04, 14.04, 15.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install pulseaudio-equalizer

Como instalar o Pulse Audio Equalizer manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link, e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Usando o Pulse Audio Equalizer para melhorar o áudio do pc

Este equalizador é simples e fácil de usar. Uma vez instalado, tudo que você precisa fazer é executá-lo (digitando equalizer no Dash ou em um terminal, seguido da tecla TAB), para abrir a janela de configuração principal.

A partir daqui, clique na seta abaixo de “Preset”. Percorra a lista e selecione a configuração que você acha que ficará melhor com o sistema de som do seu computador.

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Depois disso, apenas marque a caixa “EQ Enabled” (EQ habilitado), a caixa “Keep Settings” (Manter configurações) e clique no botão “Apply” (Aplicar).

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Isto se aplicará as configurações do equalizador diretamente para o sistema de som do Pulse (que também vai assumir como o principal saída de áudio no Pulse).

Suas configurações recém aplicadas devem entrar em vigor quase que imediatamente.

Desinstalando o Pulse Audio Equalizer no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Pulse Audio Equalizer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove pulseaudio-equalizer --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar os jogos de cartas Aisleriot Solitaire no Linux

Como instalar os jogos de cartas Aisleriot Solitaire no Linux

Se você gosta de alguns jogos de cartas (ou vários) e não quer ficar procurando por eles, veja como instalar os jogos de cartas Aisleriot Solitaire no Linux via flatpak.


Aisleriot (também conhecido como Solitaire ou sol) é uma coleção de jogos de cartas
que são fáceis de jogar com o auxílio de um mouse. O software oferece mais de 80 jogos de cartas.

Como instalar os jogos de cartas Aisleriot Solitaire no LinuxComo instalar os jogos de cartas Aisleriot Solitaire no Linux

Esse “pacote” de jogos de cartas é perfeito para os fãs desse tipo de jogo, que querem se distrair usando o PC, sem se preocupar com qual estilo jogar, pois ele entrega ao usuários diferentes tipos de jogos de cartas.

Conheça melhor os jogos de cartas Aisleriot Solitaire

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar os jogos de cartas Aisleriot Solitaire no Linux via Flatpak

Para instalar os jogos de cartas Aisleriot Solitaire no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar os jogos de cartas Aisleriot Solitaire no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.Aisleriot.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.Aisleriot

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.Aisleriot

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.Aisleriot em um terminal.

Escolha seus jogos preferidos e divirta-se!!!

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados

Como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados

Quer programar em .Net no Linux e ainda não sabe por onde começar? Então veja como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados, e comece a produzir.


Embora seja alardeada como uma plataforma de software projetada para permitir que os desenvolvedores criem facilmente aplicações multiplataforma, oficialmente o Framework .Net da Microsoft suporta apenas o sistema operacional Windows.

Como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados

Infelizmente, para que possamos portar aplicativos escritos em .Net Framework para outras plataformas além do Windows, como Linux, Mac OS X, iPhone OS, Oracle Solaris, FreeBSD e outros, precisamos utilizar a plataforma chamada Mono.

Resumindo, Mono é uma implementação de código aberto do .NET Framework da Microsoft com base nos padrões ECMA para C# e Common Language Runtime.

A seguir você verá como instalar essa tecnologia no Ubuntu, Debian e derivados destes.

Conheça melhor o Mono

Para saber mais sobre essa tecnologia, clique nesse link.

Como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados

Mono está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu, Debian e derivados, e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install mono-devel.

No entanto, em versões mais antigas, para instalar o Mono no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

echo "deb http://download.mono-project.com/repo/debian wheezy main" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/mono-xamarin.list

Passo 3. Baixe e instale a chave do repositáorio com este comando;

sudo apt-key adv --keyserver hkp://keyserver.ubuntu.com:80 --recv-keys 3FA7E0328081BFF6A14DA29AA6A19B38D3D831EF

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Para instalar apenas o necessário para compilar o código, use o comando abaixo;

sudo apt-get install mono-devel

Passo 6. Para instalar tudo do Mono, use o comando abaixo;

sudo apt-get install mono-complete

Passo 7. Para instalar o suporte de compilação PCL, use o comando abaixo;

sudo apt-get install eferenceassemblies-pcl

Passo 8. Para obter certificados SSL para conexões HTTPS no Mono, use o comando abaixo;

sudo apt-get install ca-certificates-mono

Como instalar o Mono manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite mono no terminal e veja as opções do comando.

Desinstalando o Mono no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Mono no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove mono-* --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Franz – WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Que tal ter WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app? Pois é isso já é possível graças ao Franz. Conheça melhor e veja com instalar esse incrível aplicativo.


Franz é um aplicativo de mensagens que combina serviços de chat e mensagens em uma única aplicação. Ele atualmente suporta Slack, WhatsApp, WeChat, HipChat, Facebook Messenger, Telegram, o Google Hangouts, GroupMe, Skype e muito mais.

Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo appFranz – WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Resumindo, com Franz você pode ter vários mensageiros no mesmo app e fugir da dor de cabeça que é utilizar muitos aplicativos de bate papo.

O programa é multiplataforma e possui versões para Mac, Windows e Linux. Nesse tutorial, você verá como instalar ele no Linux de uma forma que funciona em praticamente qualquer distribuição.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o Franz

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Franz no Linux

Para instalar o Franz no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o Franz no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Franz no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.appimage:

wget https://github.com/meetfranz/franz/releases/download/v5.0.0-beta.15/franz-5.0.0-beta.15-x86_64.AppImage -O franz.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x franz.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./franz.appimage

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Como instalar o Franz no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o Franz no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.appimage:

wget https://github.com/meetfranz/franz/releases/download/v5.0.0-beta.15/franz_5.0.0-beta.15_amd64.deb -O franz.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i franz.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./franz.deb

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove franz*

Como instalar o Franz no Linux e ter vários mensageiros no mesmo app

Para instalar o Franz no Linux e ter vários mensageiros no mesmo app, você só precisa fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/franz*
sudo rm -Rf /usr/bin/franz
sudo rm -Rf /usr/share/applications/franz.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.tgz:

wget https://github.com/meetfranz/franz-app/releases/download/4.0.4/Franz-linux-ia32-4.0.4.tgz -O franz.tgz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.tgz:

wget https://github.com/meetfranz/franz-app/releases/download/4.0.4/Franz-linux-x64-4.0.4.tgz -O franz.tgz

Passo 6. Crie uma pasta para o programa com este comando;

sudo mkdir /opt/franz

Passo 7. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -vzxf franz.tgz -C /opt/franz/

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/franz/Franz /usr/bin/franz

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=franz\n Exec=/opt/franz/Franz\n Icon=/opt/franz/resources/app.asar.unpacked/assets/franz.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/franz.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite franz em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou os comandos abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/franz.desktop

cp /usr/share/applications/franz.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/franz.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como usar o Franz

Depois de instalado e executado, para usar o Franz, faça o seguinte:
Passo 1. Na tela inicial do programa, clique no serviço que você quer usar;

Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Passo 2. Na janela que será exibida, marque as opções que quer usar e clique no botão de adicionar (no exemplo, "Add Messenger");

Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Passo 3. Depois disso, o serviço será exibido na listagem "Enabled services" e a tela terá uma nova aba com o nome do serviço adicionado. Para configurar o serviço, clique na aba dele;

Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Passo 4. Imediatamente será exibida a tela de configuração do serviços. Entre com as informações necessárias e confirme, clicando em "Continuar". Siga as instruções do programa e em pouco tempo você já poderá usar o serviço.

Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Como remover o programa no Linux

Para remover o programa no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/franz*
sudo rm -Rf /usr/bin/franz
sudo rm -Rf /usr/share/applications/franz.desktop

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu

Como instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu

Se você estava a procura de um editor de tags para por ordem em seus áudios, veja como instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu e resolva seu problema.


EasyTag é uma ferramenta para visualização e edição de tags para os seguintes formatos: MP3, MP2, MP4/AAC, FLAC, Ogg Opus, Ogg Speex, Ogg Vorbis, MusePack, Monkey’s Audio e arquivos WavPack. Ele funciona tanto em Linux e Windows, e tem uma interface simples e intuitiva, escrita em GTK2.

Como instalar o editor de tags EasyTAG no UbuntuComo instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu

O programa suporta CDDB usando Freedb.org e servidores Gnudb.org (busca manual e automática).

Nele você pode editar os campos tag de título, artista, álbum, número do disco, ano, número da faixa, comentário, compositor, artista original, copyright, a URL, nome do encoder e imagem anexada.

Conheça melhor o editor de tags EasyTAG

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu e seus derivados

EasyTAG está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install easytag.

No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:amigadave/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install easytag

Como instalar o editor de tags EasyTAG manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite easytag no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o editor de tags EasyTAG no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:amigadave/ppa -r -y
sudo apt-get remove easytag --auto-remove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


16 de fevereiro de 2018

Como atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Como atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

O Ubuntu 17.10 foi lançado há um bom tempo, e já é possível mudar seu sistema para essa versão. Se você ainda não sabe como fazer isso, veja como atualizar para o Ubuntu 17.10, na versão desktop.


Antes de atualizar, você deve estar ciente que o Ubuntu 17.10 não é uma versão LTS (Long Term Support ou Longo Tempo de Suporte). Portanto, essa versão juntamente com todas as suas variantes (ou sabores) reconhecidas pela Canonical, terá um suporte de apenas 9 meses.

Como atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktopComo atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Mais sobre o Ubuntu 17.10

Como atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Atenção!

Antes de fazer qualquer coisa, esteja ciente de que versões não-LTS não são adequadas para quem necessita de um sistema estável ou não se sente confortável com os ocasionais, e até mesmo frequentes, bugs e quebras de sistema. E embora este seja um procedimento considerado seguro, faça a atualização por sua própria conta e risco. Também é muito importante saber que para atualizar, seu sistema atual precisa ser o Ubuntu 17.04.

Ciente disso, siga os procedimentos abaixo, para atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop.

Preparando o sistema para atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Antes de começar qualquer processo de atualização, faça um backup de todos os arquivos importantes, documentos, favoritos e outros dados.

Se você instalou drivers proprietários manualmente e diretamente do site do fabricante, então você precisa remover esses drivers e reverter para os drivers de código aberto, antes de atualizar. Para isso, use o tutorial abaixo.
Como desativar driver proprietário no Ubuntu

Para evitar uma grande quantidade de erros e até a paralisação da instalação, desative todos os repositórios de terceiros, para isso, dê uma olhada no seguinte tutorial:
Como remover repositórios no Ubuntu sem complicação

Por fim, configure o sistema para verificar e avisar se existe uma nova versão (neste caso, use a opção “Para qualquer nova versão”), seguindo os passo desse tutorial:
Como configurar o Ubuntu para avisar que existe uma nova versão

Atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Depois de tomadas as devidas precauções, para atualizar o Ubuntu desktop para a versão 17.10, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Atualize o APT com os comandos abaixo (será necessário digitar a senha de administrador);

sudo apt-get update
sudo apt-get upgrade
sudo apt-get dist-upgrade

Passo 3. Depois disso, reinicie o sistema. Para isso, use a opção do painel do Unity ou o comando abaixo:

sudo reboot

Passo 4. Depois que o sistema reiniciar, quando você fizer login será informado que uma nova versão do Ubuntu está disponível. Clique no botão “Sim, Atualize agora” e depois forneça a senha para autorizar a atualização. Se a mensagem não aparecer, execute o comando sudo update-manager -d no Dash ou em um terminal, para iniciar a atualização. Quando a janela do atualizador aparecer informando que existe uma nova versão, clique no botão “Atualizar…”;

Como atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktopComo atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Passo 5. Na próxima tela, confirme novamente, clicando no botão “Atualizar”;

Como atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Passo 6. Depois disso, o atualizador irá buscar os arquivos a serem instalado e perguntará se você quer realmente iniciar a atualização. Confirme, clicando no botão “Iniciar atualização”;

Como atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktopComo atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Passo 7. Se houver pacotes que ficaram obsoletos com a atualização, você será informado e poderá optar entre “Manter” e “Remover”, sendo essa última opção a mais recomendável;

Como atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktopComo atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Passo 8. Finalmente, você será solicitado a reiniciar o computador para concluir a atualização. Confirme e estará pronto.

Como atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktopComo atualizar para o Ubuntu 17.10 na versão desktop

Pronto! Seu sistema está atualizado. Agora, você já pode usá-lo e até deixá-lo como quer, seguindo as dicas dos tutoriais abaixo:

Veja também

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Combinando o tema e os ícones Arc no Ubuntu

Combinando o tema e os ícones Arc no Ubuntu

Quando o tema Arc apareceu aqui no blog, ele fez muito sucesso. Agora, ele virou uma suíte de temas e já tem um pacotes de ícones. O resultado disso? Descubra combinando o tema e os ícones Arc no Ubuntu.


A suíte de tema Arc oferece oferece temas planos com elementos transparentes para Gtk 3/2 e Gnome.

Combinando o tema e os ícones Arc no UbuntuCombinando o tema e os ícones Arc no Ubuntu

Ele é compatível com Gnome 3.18/3.16 e GTK 3.18/3.16, funciona com a maioria dos ambientes de desktop que utilizam motores GTK para renderizar o tema, como Unity, Gnome, Cinnamon, Mate, e assim por diante. Infelizmente este tema não é compatível com o Linux Mint, porque a última versão do Linux Mint 17 é baseada no Ubuntu 14.04 Trusty, que usa versão antiga do GTK, que não é compatível.

Este pacote oferece três versões do mesmo tema; Arc, que é uma combinação de muita luz e cores menos escuras. O Arc Dark, que oferece cor escura completa. Por fim, tem Arc Dark, que também possui uma combinação de tema claro e escuro. Com essas opções, você pode escolher o tema que atender melhor às suas necessidades.

Combinando o tema e os ícones Arc no Ubuntu

Combinando o tema e os ícones Arc no Ubuntu

Para completar o quadro, tem os ícones Arc, que combinado com o ótimo tema Arc, dão um novo visual ao seu desktop. Faça o procedimento de instalação abaixo e veja como fica.

Conheça melhor o tema e os ícones Arc

Para saber mais sobre o tema Arc, clique nesse link.
Para saber mais sobre os ícones Arc, clique nesse link.

Instalando o tema e os ícones Arc no Ubuntu e derivados

Para instalar o tema e os ícones Arc no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes
sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema e os ícones Arc usando o seguinte comando:

sudo apt-get install arc-theme arc-icons

Como instalar o tema e os ícones Arc manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link (tema Arc) e nesse link (ícones Arc) instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar os pacotes. Se o link estiver desatualizado, acesse esse link (tema Arc) e nesse link (ícones Arc), baixe a última versão e salve-o com o nome arc-icon.deb e arc-theme.deb:

wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/icons/+files/arc-icons_1.0~xenial~NoobsLab.com_all.deb -O arc-icon.deb
wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/themes/+files/arc-theme_16.04~xenial~NoobsLab.com_all.deb -O arc-theme.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i arc*.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Desinstalando o tema e os ícones Arc no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema e os ícones Arc no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema e os ícones Arc, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove arc-theme arc-icons

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

Já falei do emulador de terminal Cool-Retro-Term aqui no Blog, mas dessa vez, mostrarei como instalar ele usando um repositório.


Existem emuladores de terminais de todos os tamanhos e formas para o Linux, mas nada como este. Cool-Retro-Term é um lindo emulador de terminal com visual retrô, vintage (ou como você quiser chamar), que imita o visual e a sensação das antigas telas de tubo catódico.

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no UbuntuComo instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

Certamente ele irá agradar os saudosistas e os usuários que não vivenciaram a época dos monitores monocromáticos. Se este é o seu caso, e você está cansado de seu terminal atual, o programa é uma boa opção por ser um emulador de terminal personalizável e razoavelmente leve.

Desenvolvido pelo Swordfish’s Labs, o programa foi projetado para ser agradável, divertido, customizável e razoavelmente leve. Ele tenta imitar o visual e a sensação das antigas telas de tubo catódico, usando o poderoso e maduro engine Konsole. Ele requer apenas a Qt 5.2 ou superior para funcionar.

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

Resumindo tudo: Se você usa o terminal com frequência (ou é fã dele), com esse aplicativo, você irá deixá-lo com um visual mais retrô.

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

O programa vem com modelos pré-configurados para que você possa usá-los com apenas um clique, os perfis incluem: Âmbar, Verde, Scanlines, Pixelado, Apple ][, Vintage, IBM Dos, IBM 3287, e Verde Transparente. Além desses, você pode criar seu próprio perfil e usá-lo, definindo a fonte, o dimensionamento e a largura da fonte.

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

As preferências do Cool-Retro-Term oferecem uma grande quantidade de personalização: você pode ajustar o brilho, contraste e opacidade.

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

Aplicar efeitos interessantes para terminais.
Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

Você também pode controlar o FPS, a qualidade de textura, a qualidade das scanlines e qualidade do bloom.

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

Conheça melhor o emulador de terminal Cool-Retro-Term

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Ou assista o vídeo abaixo:
.smarty-2515743_1511810836387 { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; height: auto; } .smarty-2515743_1511810836387 iframe, .smarty-2515743_1511810836387 object, .smarty-2515743_1511810836387 embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term via repositório no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term via repositório no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:bugs-launchpad-net-falkensweb/cool-retro-term

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install cool-retro-term

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digitando col no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Desinstalando o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:bugs-launchpad-net-falkensweb/cool-retro-term -r -y
sudo apt-get remove cool-retro-term --auto-remove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Se você já está usando o Ubuntu 14.04 ou posterior (com unity) e ainda não sabe colocar o menu dos programas na barra de titulo, veja nesse tutorial como fazer isso.


O Ubuntu com Unity utiliza a mesma abordagem do sistema operacional OS X: onde o menu da aplicação que está sendo usada aparece no painel superior.

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no UnityComo colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Se por um lado isso ajuda a padronizar e simplificar o sistema, por outro pode atrapalhar a vida dos usuários que estão acostumados com o formato padrão em que cada janela possui a sua barra de menu.

Mesmo incomodando alguns usuários, por um bom tempo a Canonical insistiu nisso e manteve esse padrão. A boa notícia é que a empresa finalmente cedeu e permitiu que o usuário escolha onde quer ver os menus das aplicações, criando de uma configuração para esse comportamento.

Entretanto, por padrão, os menus ainda são exibidos no painel do sistema, e para mudar isso, é preciso fazer um pequeno ajuste. Não é algo complicado, é apenas mais uma personalização do ambiente Unity.

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Para colocar o menu dos programas da barra de menus global na barra de titulo no Ubuntu 14.04 e versões posteriores, faça o seguinte:
Passo 1. Abra as “Configurações do sistema”;

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Passo 2. Clique no item “Aparência”;

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Passo 3. Clique na aba “Comportamento”;

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Passo 4. Em “Mostrar os menus nas janelas”, Marque a opção “Na barra de título da janela”;

Como colocar o menu dos programas na barra de titulo no Unity

Pronto! Com essa pequena modificação, o menu ficará exatamente conde você quer.

Claro, a qualquer momento você pode desfazer o procedimento e voltar a ter o menu dos programa sendo exibido no painel superior do Unity.

Fique a vontade para escolher a opção que for mais conveniente.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivados

Como instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivados

Se a navegação na Internet se tornou uma tarefa lenta e enfadonha, é hora de tentar novas opções, então conheça e veja como instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivados.


O Min é um navegador minimalista escrito inteiramente com CSS e JavaScript usando a tecnologia Electron. Min é leve e foi projetado para ser rápido e usar menos energia da bateria,.

Como instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivados

Esse navegador possui recursos importantes como informações da busca DuckDuckGo na barra de pesquisa, bloqueio de anúncios e rastreadores incorporados, pesquisa difusa, pesquisa de texto completo para páginas visitadas, lista de leitura, guias melhoradas(abas abertas para a direita e desvanecimento quando inativas) e um tema escuro.

Por causa desses recursos, a barra de busca responde suas perguntas imediatamente, com informações de DuckDuckGo incluindo entradas da Wikipedia, uma calculadora e muito mais.

Min também permite que você pesquise o conteúdo de cada página que você visita e ir para qualquer site rapidamente com a pesquisa difusa, e obter sugestões antes mesmo de começar a digitar.

Conheça melhor o navegador Min

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o navegador Min no Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome min.deb:

wget https://github.com/minbrowser/min/releases/download/v1.7.0/min_1.7.0_i386.deb -O min.deb

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome min.deb:

wget https://github.com/minbrowser/min/releases/download/v1.7.0/min_1.7.0_amd64.deb -O min.deb

Passo 7. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i min.deb
sudo apt-get install -f

Passo 8. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./min.deb

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove min*

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o atalho dele ou digite min em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o cliente do jogo Albion Online no Linux via Flatpak

Como instalar o cliente do jogo Albion Online no Linux via Flatpak

Se você gosta de jogos MMORPG medievais com um mundo gigantesco, conheça e veja como instalar o cliente do jogo Albion Online no Linux via Flatpak.


Albion Online é um MMORPG de mundo aberto, com um cenário de fantasia medieval verdadeiramente multiplataforma, pois está disponível para usuários de Windows, Mac, Linux e Android. Tem uma economia totalmente dirigida pelos jogadores: todos os equipamentos são feitos por usuários.

Como instalar o cliente do jogo Albion Online no Linux via FlatpakComo instalar o cliente do jogo Albion Online no Linux via Flatpak

Nele você poder explorar o mundo e aproveitar-se de um desafiador conteúdo PvP. Embarque em outras aventuras em PvP de pequena ou larga escala e conquiste territórios. Colete. Fabrique. Troque. Conquiste. Deixe sua marca no mundo.

Desafie-se com lutas JxJ emocionantes e intensas com os maiores guerreiros no mundo aberto de Albion. Equipe-se e use o trabalho em equipe para fazer o inimigo fugir do campo de batalha.

Conheça melhor o cliente do jogo Albion Online

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o cliente do jogo Albion Online no Linux via Flatpak

Para instalar o cliente do jogo Albion Online no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o cliente do jogo Albion Online no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/com.albiononline.AlbionOnline.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.albiononline.AlbionOnline

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.albiononline.AlbionOnline

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.albiononline.AlbionOnline em um terminal.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como adicionar uma quicklist de arquivos recentes no Lançador do Unity

Como adicionar uma quicklist de arquivos recentes no Lançador do Unity

Esqueceu o nome do último arquivo que abriu no LibreOffice? Então instale o RecentQuicklists para adicionar uma quicklist de arquivos recentes no Lançador do Unity.


O Ubuntu RecentQuicklists é um script escrito em Python que adiciona uma quicklist (lista rápida) que mostra os arquivos acessados ​​recentemente por aplicativos fixados no lançador do Unity. Para acessar a lista, basta dar um clique do botão direito do mouse no ícone do aplicativo.

Como adicionar uma quicklist de arquivos recentes no Lançador do UnityComo adicionar uma quicklist de arquivos recentes no Lançador do Unity

O script deve funcionar com qualquer aplicativo que manipule arquivos, desde que tenha um arquivo de área de trabalho em /usr/share/applications/. Entre as aplicações confirmadas que funcionam com o Ubuntu RecentQuicklists estão LibreOffice (Writer, Calc, Impress), Gedit, Firefox, Google Chrome, VLC, Clementine, Evince, Atom e outros.

Para obter mais informações sobre a compatibilidade, você pode querer verificar o Ubuntu RecentQuicklists wiki e a FAQ.

A ferramenta permite alguma personalização através de seu arquivo de configuração (chamado “urq.conf” – ele deve estar disponível na pasta de script depois de executá-lo pela primeira vez!). As opções são as seguintes:

  • maxage – mostra somente arquivos que foram acessados ​​nos últimos dias;
  • showfullpath – quando definido como “True”, exibe o caminho e o nome do arquivo, e quando definido como “False”, ele só exibe o nome do arquivo;
  • maxentriesperlist – o número máximo de arquivos recentes a serem exibidos em uma única lista rápida;
  • startupsplash – mostra ou oculta uma notificação quando o Ubuntu RecentQuicklist é iniciado;
  • Mais…

Como adicionar uma quicklist de arquivos recentes no Lançador do Unity

É importante mencionar que os arquivos usados ​​recentemente aparecem como listas rápidas apenas para os aplicativos que foram fixados no lançado do Unity, antes de executar o Ubuntu RecentQuicklists.

Além disso, o script não detecta arquivos movidos, excluídos ou renomeados e, em tais casos, o arquivo é removido da lista rápida somente após o usuário clicar nele. Quando isso ocorre, uma notificação é exibida.

Conheça melhor o RecentQuicklists

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o RecentQuicklists no Ubuntu para ter uma quicklist de arquivos recentes no Lançador do Unity

Para instalar o programa no Ubuntu com Unity, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome quicklist.zip;

wget https://github.com/thirschbuechler/ubuntu-recentquicklists/archive/V1.2.2.zip -O quicklist.zip

Passo 3. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo unzip quicklist.zip -d /opt/

Passo 4. Renomeie a pasta criada usando o comando abaixo. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/ubuntu-recentquicklists*/ /opt/ubuntu-recentquicklists

Passo 5. Torne o arquivo do programa executáve com o comando abaixo;

sudo chmod +x /opt/ubuntu-recentquicklists/ubuntu-recentquicklists.py

Feito isso, execute o ubuntu-recentquicklists.py a partir do seu gerenciador de arquivos (se você usar o Nautilus, precisará alterar algumas configurações para poder fazer duplo clique em executáveis ​​para executá-los) ou a partir da linha de comando:

sudo /opt/ubuntu-recentquicklists/ubuntu-recentquicklists.py

Para iniciar automaticamente o Ubuntu RecentQuicklists ao iniciar uma sessão, abra o “Aplicativos de sessão” no Dash. Em seguida, clique em “Adicionar”, use o nome que quiser para o campo nome, e para “Comamnd”, clique em “Procurar” e selecione o arquivo ubuntu-recentquicklists.py.

Para mais detalhes sobre esse procedimento, acesse o tutorial abaixo:

Como gerenciar a inicialização de aplicativos no Ubuntu

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Lançado o Unity 7.4.5 para Ubuntu 16.04 LTS! Atualize seu sistema!

Lançado o Unity 7.4.5 para Ubuntu 16.04 LTS! Atualize seu sistema!

Foi lançado o Unity 7.4.5 para Ubuntu 16.04 LTS com correções de bugs e melhorias gerais. Confira os detalhes desse update e descubra como atualizar.


O lançamento do Unity 7.4.5 é a grande atualização que a Canonical prometeu no final do ano passado. E para alegria de muitos fãs desse ambiente, esse update acabou de aterrissar na fila de atualização para Ubuntu 16.04 LTS.

Como acelerar a resposta do Unity Dash no UbuntuComo acelerar a resposta do Unity Dash no Ubuntu

Apesar de ser chamada de grande atualização, o Unity 7.4.5 não é grande em novos recursos, mas é grande em correções de bugs e melhorias gerais, que podem ser resumidas por esses itens:

  • Correções gerais de erros e desempenho;
  • Correções para HIDPI;
  • Uma correção de segurança para a tela de bloqueio;
  • Modo Low Graphics melhorado.

Um novo modo Low Graphics no Unity

O Unity ganhou uma opção de modo Low Graphics há alguns anos atrás. Quando ativado, esse recurso desativa as animações avançadas da janela, os efeitos de borrão do Dash e assim por diante.

Além de desativar alguns efeitos extras, a maneira como você habilita o modo Low Graphics no Ubuntu muda com esta atualização do Unity.

Agora, em vez de usar o aplicativo CompizConfig Settings Manager (CCSM) como antes, agora você precisa ajustar um valor via gsettings.

Para habilitar o modo Low Graphics em Unity 7.4.5, execute o seguinte comando do Terminal:

gsettings set com.canonical.Unity lowgfx true

Para desfazer/desativar o modo Low Graphics no Unity 7.4.5, execute este comando:

gsettings set com.canonical.Unity lowgfx false

A Canonical adicionou uma opção de modo Low Graphics no aplicativo Configurações do sistema em versões posteriores do Unity, no entanto, o recurso não faz parte desta atualização.

Unity 7.4.5 para Ubuntu 16.04 LTS! Atualize seu sistema!

A atualização Unity 7.4.5 está disponível para instalar no Ubuntu 16.04 LTS (somente). Embora essa atualização já apreça nos canais de software normais, mas pode não estar disponível para todos de imediato.

Para ver se a atualização está disponível para você, basta executar o aplicativo “Atualizador de programas” e clicar em “Verificar atualizações” e em “Instalar atualizações disponíveis”.

Como a área de trabalho Unity é um plug-in do Compiz, você também encontrará atualizações de outros componentes do desktop Unity na listagem, incluindo Compiz e Nux.

Se você estiver executando uma versão posterior do Ubuntu com a área de trabalho da Unity, você já possui a maior parte das mudanças nesta atualização, pois elas são escolhidas destaques em versões posteriores ou são correções específicas para Xenial Xerus.

Confira os detalhes do anúncio

Para saber mais sobre essa atualização, acesse o anúncio.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Usando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do Ubuntu

Usando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do Ubuntu

Se você procura manter o núcleo do Ubuntu sempre atualizado, conheça e experimente Ubuntu Kernel Update Utility e faça isso de um jeito simples e fácil.


Ubuntu Kernel Update Utility é uma ferramenta que permite instalar o mais novo kernel Linux mainline (o mesmo utilizado na série “Atualizando o Kernel do Ubuntu“) em distribuições baseadas no Ubuntu.

Usando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do UbuntuUsando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do Ubuntu

O programa possui a mesma facilidade do Kernel Update, porém, é graficamente mais bonito e simples. Ele obtém uma lista dos kernels a partir do site kernel.ubuntu.com, exibe notificações quando uma nova atualização do kernel está disponível, e caso você permita, baixa e instala automaticamente os pacotes.

Mexendo um pouco nas configurações do programa, é possível configurá-lo para avisar sobre novas versões via notificações de sistema (opção “Show notification bubble on desktop” e “Show notification dialog”) e até ignorar versões RC (Release Candidate) (marcando a opção “Hide unstable and RC releses”), caso você não queira ver prévias da versão final.

Usando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do Ubuntu

Conheça melhor o Ubuntu Kernel Update Utility

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Ubuntu Kernel Update Utility no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Ubuntu Kernel Update Utility no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo apt-add-repository ppa:teejee2008/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install ukuu

Como instalar o Ubuntu Kernel Update Utility manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Como usar o Ubuntu Kernel Update Utility

Para iniciar o programa, digite ukuu no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Com o programa na tela, clique no Kernel que você quer instalar e depois no botão “Install”.

Usando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do Ubuntu

Desinstalando o Ubuntu Kernel Update Utility no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Ubuntu Kernel Update Utility no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-add-repository ppa:teejee2008/ppa -r -y
sudo apt-get remove ukuu --auto-remove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl

Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl

Se você gostou do youtube-dl, mas não quer trabalhar com a linha de comando, experimente instalar o Youtube-DLG e use essa ferramenta em uma interface gráfica multiplataforma.


Para que não conhece, o youtube-dl é um utilitário para download de vídeo que funciona na linha de comando e que, apesar do que o nome sugere, suporta download de vídeos a partir de centenas de sites além do YouTube. Ele pode extrair o áudio automaticamente, suporta download de playlists, fazer o download e incorporação de legendas em vídeos e muito mais.

Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dlInstale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl

Já o Youtube-DLG é uma interface gráfica multiplataforma para o youtube-dl. Essa interface permite baixar vários vídeos de uma só vez, converter automaticamente os vídeos baixados para áudio, também permite que você selecione a qualidade de vídeo e muito mais.

Infelizmente, o Youtube-DLG (ou youtube-dl-gui) não oferece acesso a todos os recursos do youtube-dl (há tantos, que é quase impossível encaixá-los todos em uma única interface de usuário). Mas o programa dá acesso à maioria dos recursos básicos que devem ser suficientes para a maioria dos usuários.

Conheça melhor o Youtube-DLG

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja como instalar a interface gráfica Youtube-DLG para a ferramenta youtube-dl no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Youtube-DLG no Ubuntu e seus derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install youtube-dlg

Como instalar o Youtube-DLG manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite youtube no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Youtube-DLG no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Youtube-DLG no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove youtube-dlg --auto-remove

Gostou do programa? Então veja também esses outros tutoriais:
Instale Youtube-dl no Ubuntu e baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido
Conheça várias maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube no Ubuntu e derivados

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o Spotify no Linux via Flatpak

Como instalar o Spotify no Linux via Flatpak

Se o sistema tradicional de pacotes não serviu para você ter o popular serviço de stream de músicas, veja como instalar o Spotify no Linux via Flatpak


O serviço Spotify é uma das melhores opções para quem quer ouvir música por meio de streaming em computadores com sistemas operacionais Microsoft Windows, Mac OS X e Linux e em dispositivos móveis como Symbian, iPhone, iPad, Android e BlackBerry.

Como instalar o Spotify no Linux via FlatpakComo instalar o Spotify no Linux via Flatpak

Usando o Spotify você pode transmitir tudo, atualizar e sincronizar faixas e listas offline ou comprar faixas individuais para guardar para sempre.

Já mostrei aqui no Blog como instalar o programa no Fedora, CentOS ou um derivado deles, através desse tutorial:
Como instalar o Spotify no Fedora Linux e derivados

E também como instalar no Ubuntu, Debian ou um derivado deles, nesse outro tutorial:
Como instalar o Spotify no Ubuntu Linux, Debian e derivados

Mas nem tudo se resumo a apenas os tradicionais sistemas de pacotes. Exeite por exemplo, o Flatpak, que é a tecnologia de próxima geração para a construção e instalação de aplicativos de desktop, que promete revolucionar a forma de instalar programas no Linux.

Então para lhe dar mais uma opção, você verá como instalar via Flatpak. Confira a seguir.

Conheça melhor o Spotify

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Spotify no Linux via Flatpak

Para instalar o Spotify no Linux via Flatpak, obviamente, vocẽ precisa ter essa tecnologia no seu sistema. Se ainda não tiver, use uma das opções do tutorial abaixo para fazer isso:
Como instalar o suporte a Flatpak no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

Depois para instalar o Spotify no Linux via Flatpak, você só precisa fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Adicione o repositório Gnome Stable Runtimes com o comando abaixo;

flatpak remote-add gnome https://sdk.gnome.org/gnome.flatpakrepo

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

flatpak install --from https://s3.amazonaws.com/alexlarsson/spotify-repo/spotify.flatpakref
Como instalar o Spotify no Linux via FlatpakComo instalar o Spotify no Linux via Flatpak

O aplicativo pode coexistir com o pacote tradicional. Então, se você tiver ambas as versões instaladas, você deve iniciar o aplicativo através do comando a seguir, uma vez que o iniciador de aplicativos abre o app tradicional:

flatpak run com.spotify.Client

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Alternativa ao Evernote? Veja como instalar o Joplin no Linux

Alternativa ao Evernote? Veja como instalar o Joplin no Linux

Se você está procurando uma alternativa ao Evernote, conheça e veja como instalar o Joplin no Linux, e resolva seu problema.


Joplin é um aplicativo gratuito e de código aberto de tomada de notas e de tarefas para clientes de desktop para Linux, Windows, MacOS e para dispositivos móveis com Android e iOS.

Alternativa ao Evernote? Veja como instalar o Joplin no LinuxAlternativa ao Evernote? Veja como instalar o Joplin no Linux

Enquanto o Evernote é gratuito para usar com um plano básico, que só custa o tempo necessário para fazer um cadastro, mas que tem algumas limitações: você só pode sincronizar suas anotações entre dois dispositivos.

Assim, se você quiser adicionar um laptop de trabalho na mistura ou colocar o Windows dual-boot para usar, você deve se inscrever em um plano pago (U$$ 3,99 por mês).

Joplin, no entanto, não tem tais limites. Então, em vez de ficar tentando usar o Evernote no Linux, pode valer a pena dar uma olhada nele.

Ele possui aplicativos gratuitos para desktop e celular. Isso significa que você não precisa estar usando apenas Linux para anotar alguns pensamentos, compilar algumas pesquisas ou trabalhar.

Embora o serviço não seja tão polido ou caracterizado como o Evernote é (o que é compreensível, dado que é feito por uma equipe de um) ainda é uma ótima alternativa ao Evernote.

Graças ao seu rico suporte para a Markdown (incluindo um painel de visualização opcional em seus aplicativos de desktop), Joplin também funciona como uma alternativa a editores desse formato.

Como o Evernote Joplin é construído em torno do conceito de cadernos. Você pode adicionar novas notas e tarefas a um caderno rapidamente e marcar, pesquisar e editar facilmente.

Uma grande diferença (ou ponto de venda, dependendo dos seus gostos) entre a Evernote e a Joplin é que o último usa o formato Markdown em vez da formatação tradicional de rich text.

Você pode até importar notas do Evernote para Joplin. O aplicativo converte automaticamente o conteúdo do arquivo .enex para Markdown enquanto persevera imagens, outros anexos e metadados (por exemplo, data criada, modificada, etc.).

Joplin é capaz de sincronizar suas notas entre dispositivos usando o Microsoft OneDrive ou um dispositivo de rede. O suporte para o Dropbox está planejado, e não há nenhuma razão real porque o NextCloud ou outros serviços também não possam ser suportados.

É importante enfatizar que, quando o aplicativo sincroniza, ele guarda anotações em arquivos de texto simples. Isso é útil, por um lado, como você pode facilmente extrair o conteúdo com um editor de texto normal, por outro lado existem algumas preocupações teóricas de privacidade, já que qualquer um pode ler texto simples.

O suporte para criptografia de ponta a ponta em uma compilação futura está planejado para uma compilação futura.

Resumindo, possui as seguintes características:

  • Crie anotações, itens a receber e cadernos;
  • Funciona offline;
  • Sincronizar notas via OneDrive;
  • Suporte de tags;
  • Suporte de anexo de arquivo;
  • Funcionalidade de pesquisa;
  • Importar ficheiros .enex da Evernote.

Conheça melhor o Joplin

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Joplin no Linux

Para instalar o Joplin no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o Joplin no Linux usando NPM

O Joplin no Linux pode ser instalado via NPM no Linux. Para isso, você precisa ter o NPM instalado em seu sistema. Se ainda nõ tiver, use esse tutorial:

Descubra como instalar o Node.js no Linux

Depois, use o seguinte comando no terminal, para instalar o Joplin:

npm install -g joplin

Se preferir, você pode usar este outro procedimento:

Como instalar o Joplin no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Joplin no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal ;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome joplin.appimage:

wget https://github.com/laurent22/joplin/releases/download/v1.0.64/Joplin-1.0.64-x86_64.AppImage -O joplin.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x joplin.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./joplin.appimage

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Canonical quer coletar dados para melhorar novos lançamentos

Canonical quer coletar dados para melhorar novos lançamentos

Com o objetivo de aperfeiçoar o Ubuntu, a Canonical quer coletar dados para melhorar novos lançamentos. Confira os detalhes desse promissor (e polêmico) recurso.


Will Cooke, diretor de Ubuntu Desktop da Canonical, anunciou que a empresa quer implementar um mecanismo de coleta de dados em versões futuras do Ubuntu Linux, segundo ele, para melhorar novos lançamentos para os usuários.

Canonical quer coletar dados para melhorar novos lançamentosCanonical quer coletar dados para melhorar novos lançamentos

Will alega que os engenheiros do Ubuntu Desktop da Canonical precisam melhorar certos aspectos do sistema operacional baseado em Linux sobre as configurações dos usuários, e para isso, precisam obter informações sobre o software instalado, a variante e a versão do Ubuntu, a conectividade de rede, a família da CPU, a RAM, o tamanho do disco, a resolução da tela, o fornecedor de GPU e o modelo, bem como o fabricante OEM.

Além disso, a empresa diz que precisa conhecer sua localização, mas promete que não irá armazenar endereços IP de usuários. Outras informações que seriam coletadas incluem o tempo total de instalação, as informações de login automático, o layout do disco selecionado, a ativação do LivePatch e se você optar por instalar atualizações ou software de terceiros durante a instalação.

Sobre o tema, Will Cooke afirmou:

“Queremos poder concentrar nossos esforços de engenharia nas coisas mais importantes para nossos usuários e, para fazer isso, precisamos obter mais alguns dados sobre o tipo de configurações que nossos usuários possuem e qual software eles estão executando”

Canonical quer coletar dados para melhorar novos lançamentos

A Canonical diz que planeja implementar a nova opção de coleta de dados no instalador através de uma caixa de seleção chamada “Enviar informações de diagnóstico para ajudar a melhorar o Ubuntu”, que estará ativado por padrão. Claro, os usuários poderão desmarcar esta caixa durante a instalação, se não quiserem que a Canonical colete seus dados.

No entanto, é importante lembrar que isso ajudará a equipe de desenvolvimento do Ubuntu Desktop a concentrar seus esforços nas coisas que mais lhe importam em futuras versões do Ubuntu. Além disso, a Canonical disse que todos os dados coletados da instalação seriam enviados de forma segura para um serviço executado pela equipe IS da Canonical, via HTTPS.

Os dados são salvos localmente, no seu computador e serão enviados para a Canonical na primeira inicialização, se uma conexão de rede ativa for detectada. Os usuários poderão acessar o respectivo arquivo que contém os dados coletados e inspecioná-lo cuidadosamente. A Canonical disse que os resultados dessa coleta de dados seriam divulgados publicamente.

A Canonical também atualizará sua política de privacidade do Ubuntu, para refletir essa mudança, começando com o próximo sistema operacional Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver), que deverá chegar no dia 26 de abril de 2018.

Esse tipo de coleta já é praticado por outros sistemas como Windows, maOS, Android e iOS. Apesar de ser aparentemente invasivo, esse recurso está condicionado à adesão voluntária do usuário e às políticas de privacidade da fabricante.

Para melhorar o próprio recurso, feedback e comentários sobre este assunto serão bem-vindos e avaliados por Equipe Ubuntu Desktop da Canonical.

Confira os detalhes do anúncio

Para saber mais sobre essa mudança, acesse o anúncio.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o incrível jogo Minetest no linux via Flatpak

Como instalar jogo Minetest no linux via Flatpak

Se você gosta do game Minecraft e está a procura de uma versão livre, conheça e veja como instalar jogo Minetest no linux via Flatpak.


Disponível nativamente para Windows, Linux e Mac OS X, Minetest é um jogo para PC inspirado no Minecraft, Infiniminer e outros. Ele é um software livre licenciado sob a GNU Lesser General Public License, versão 2.1 ou posterior, com obras de arte geralmente cobertas pela Creative Commons Attribution ShareAlike 3.0.

Como instalar jogo Minetest no linux via FlatpakComo instalar jogo Minetest no linux via Flatpak

Minetest software é composto de duas partes importantes, sendo a primeira um motor de núcleo (escrito em C++), e a segunda, uma API modding que expõe funções úteis para um ambiente da linguagem de programação Lua.

Como instalar jogo Minetest no linux via Flatpak

Mas resumindo tudo, Minetest é um clone do Minecraft, ou melhor, um Minecraft alternativo livre e multiplataforma.

Conheça melhor o jogo Minetest

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Para dar uma olhada no visual do jogo, acesse a página de screenshots dele.

O programa é atualizado constantemente e para obter uma lista completa das mudanças, consulte o Changelog.

Como instalar o jogo Minetest no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo Minetest no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Minetest no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/net.minetest.Minetest.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update net.minetest.Minetest

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall net.minetest.Minetest

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run net.minetest.Minetest em um terminal.

Se você quiser instalar apenas no Ubuntu ou um derivado, use este tutorial:
Minecraft alternativo: instale o Minetest no Ubuntu

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

Se você quer gerenciar arquivos usando uma interface simples e com painel duplo, veja como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux.


JumpFM é descrito como um “gerenciador de arquivos de painel duplo minimalista para Linux”. O desenvolvedor do aplicativo cita como principais influências o fman (um gerenciador de arquivos Qt multiplataforma) e Exa (uma ferramenta de terminal que permite adicionar bling ao comando ls).

Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no LinuxComo instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

Altamente configurável e extensível, o JumpFM possui uma série de características e integrações básicas, a maioria das quais você pode ativar/desativar e configurar, para atender às suas próprias necessidades.

Conheça melhor o gerenciador de arquivos JumpFM

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome jumpfm.appimage:

wget https://github.com/JumpFm/jumpfm/releases/download/v1.0.5/jumpfm-1.0.5-x86_64.AppImage -O jumpfm.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x jumpfm.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./jumpfm.appimage

Passo 6. Na janela que será exibida, clique no botão “Yes” e aguarde o final da instalação;

Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

Como usar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

Quando quiser iniciar o programa, digite jumpfm em um terminal, seguido da tecla TAB ou use um menu/atalho do seu sistema.

O JumpFM é um aplicativo orientado por teclado . Para obter a melhor experiência, é recomendável para familiarizar-se com seus atalhos de teclado agradável e cedo. A maioria é óbvia: você pode ativar/desativar arquivos ocultos pressionando ‘h’, alternar entre os painéis usando ‘tab’ e navegar dentro e fora das pastas usando as teclas de seta do teclado, backspace e ‘enter’ .

Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

Além disso:

Jumping (‘j’) permite-lhe rapidamente “pular” para as suas pastas favoritas sem precisar clicar na pasta na qual você está. Os diretórios não precisam ser marcados como favoritos, pois o aplicativo ‘aprende’ qual pasta você freqüentemente visita.

Filtragem (‘f’) é um recurso de pesquisa simples que ajuda a encontrar os arquivos que você procura digitando parte do seu nome de arquivo.

O modo plano (‘r’) alterna a visualização baseada em diretório hierárquico padrão e um plano, nenhuma exibição de pasta que lista todos os arquivos dentro do diretório e seus subdiretórios.

Instant Gist ( ctrl + g ) permite que você crie rapidamente uma nova essência de um arquivo selecionado no gerenciador de arquivos.

O gerenciador de arquivos pode ser estendido ao instalar plugins extras. Esses plugins variam de mostrar o tempo e as condições climáticas atuais na barra de status do JumpFM, para adicionar recursos de gerenciador de arquivos integrados, como o descompactação de arquivo.

Por padrão, o JumpFM apenas listará os primeiros 100 arquivos e/ou pastas em um diretório. Isso não seria muito difícil se houvesse uma maneira de “fazer uma página” para o resto dos resultados. Mas não existe. Isso pode ser muito frustrante quando lidar com pastas com muitos arquivos, especialmente aqueles que você deseja filtrar.

Você pode aumentar o limite de arquivos no arquivo de configurações, embora, como isso poderia afetar o desempenho, eu aconselharia não configurá-lo em um número ridiculamente alto.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente

Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente

Foi lançada recentemente mais uma versão de um dos melhores editores de vídeo para Linux. Se você quiser experimentar, veja a seguir como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente.


Shotcut é um editor de vídeos multiplataforma e de código aberto. Ele suporta uma grande quantidade de formatos de áudio e vídeo e codecs, além de suportar muitos formatos de imagem como BMP, GIF, JPEG, PNG, SVG, TGA, TIFF, bem como sequências de imagens.

Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmenteComo instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente

Atenção! As versões mais recentes já não possuem uma edição para sistemas de 32 bits, por isso, mantive o link da última versão disponibilizada.

Conheça melhor o editor de vídeo Shotcut

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Se você usa o Ubuntu e não quiser usar o procedimento abaixo, veja este tutorial (via repositório e Snap):
Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Ubuntu

A seguir, você verá com instalar esse editor de vídeo no Linux, de um modo que funciona na maioria das distribuições atuais.

Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux

Para instalar o cliente programa no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/shotcut*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/shotcut.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome shotcut.tar.bz2:

wget https://github.com/mltframework/shotcut/releases/download/v15.08/shotcut-debian7-x86-150810.tar.bz2 -O shotcut.tar.bz2

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome shotcut.tar.bz2:

wget https://github.com/mltframework/shotcut/releases/download/v18.01/shotcut-linux-x86_64-180102.tar.bz2 -O shotcut.tar.bz2

Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -xjvf shotcut.tar.bz2 -C /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada (se ocorrer um erro na execução do comando abaixo, pule este passo);

sudo mv /opt/Shotcut*/ /opt/shotcut

Passo 8. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=shotcut\n Exec=/opt/shotcut/Shotcut.app/./shotcut\n Icon=applications-multimedia\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/shotcut.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite /opt/shotcut/Shotcut.app/./shotcut em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/shotcut.desktop
cp /usr/share/applications/shotcut.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/shotcut.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Problemas ao executar o editor de vídeo Shotcut no Linux?

Se na hora de executar o programa ele pedir a instalação da biblioteca libSDL, abra um terminal e execute o comando de instalação dela.
Em derivados do Debian e Ubuntu, o comando é:

sudo apt-get install libsdl1.2-dev

Já em derivados do Red Hat, Fedora e Centos, é esse:

yum install SDL-devel

Como remover o editor de vídeo Shotcut no Linux

Para remover o editor de vídeo Shotcut no Linux, basta apagar a pasta e o atalho anterior com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/shotcut*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/shotcut.desktop

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Instale o Gifcurry para poder transformar vídeo em GIF

Instale o Gifcurry para poder transformar vídeo em GIF

Se você tem um acervo de gravações e quer poder transformar vídeo em GIF, conheça, veja como instalar e usar o Gifcurry no Linux.


Os GIF animados estão em todos os lugares: em blogs, mídias sociais, Signal, Skype, WhatsApp, Telegram e fóruns. Eles servem regularmente como a melhor forma de responder algo, porque se as imagens valem mais que mil palavras, um gif de gatinho pode valer um milhão. 🙂

Instale o Gifcurry para poder transformar vídeo em GIFInstale o Gifcurry para poder transformar vídeo em GIF

Mas eles não servem apenas para o humor. Os GIF animados são uma ótima alternativa para clipes de vídeo curtos e screencasts. Muitos sites de aplicativos agora os usam como recursos de demonstração ou opções de destaque, e os blogs os usam regularmente para ilustrar postagens.

Todo navegador web moderno pode reproduzir GIF animados e, como você pode hospedá-los em seu próprio servidor ou em um site de compartilhamento de imagens gratuito, como o Imgur, eles fornecem uma experiência mais rápida do que fazer o upload para o YouTube ou se mexerem com um vídeo HTML5 embutido.

Mas como você faz um GIF animado a partir de um vídeo no Linux? Para essa tarefa, a melhor escolha certamente é o Gifcurry.

Gifcurry é um aplicativo que permite transformar vídeo em GIF através de uma interface de usuário simples e algumas características úteis. Ele usa ffmpeg e imagemagic para processar vídeo e converter para GIF, e tem uma interface de linha de comando (CLI) e uma interface gráfica de usuário (GUI).

Além de permitir que você possa transformar vídeo em GIF, o programa também tem a opção de adicionar texto ao seu gif usando qualquer fonte que você tenha instalada no seu sistema – perfeito se você gosta de fazer memes ou quer subtitular um clipe.

Você também pode definir a largura da imagem em pixels, a duração exata em segundos e selecionar um tamanho de qualidade.

O aplicativo mostra uma prévia dos primeiros e últimos quadros. Isso permite que você verifique se você está convertendo a parte direita do vídeo e permite que você corte o(s) quadro(s) exato(s) que deseja.

Naturalmente, o GIF animado que você faz não será tão fluido como o vídeo fonte que você colocou, mas, dependendo das configurações que você escolher, ele pode parecer bem decente.

Principais características da Gifcurry:

  • Permite converter vídeo para GIF;
  • Permite adicionar texto ao GIF;
  • Permite escolher a hora de início do GIF;
  • Permite definir a duração;
  • Permite definir a largura do GIF;
  • Permite ajustar a qualidade;
  • Permite o upload para os serviços Imgur ou Giphy;

Não há opções avançadas para controlar a taxa de quadros, o comportamento de loop, o dithering ou a paleta de cores – todas as opções que os aplicativos semelhantes para o MacOS têm.

Sem essa variável, você precisará ser brutal ao ajustar as configurações de qualidade. Quanto maior a qualidade, maior o tamanho do GIF.

Conheça melhor o Gifcurry

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Gifcurry no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Gifcurry no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gifcurry.appimage:

wget https://github.com/lettier/gifcurry/releases/download/2.3.0.0/gifcurry-2.3.0.0-x86_64.AppImage -O gifcurry.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado e salve-o na pasta /usr/local/bin/;

chmod +x gifcurry.appimage
cp gifcurry.appimage /usr/local/bin/

Passo 5. Agora execute o programa com o comando. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage;

/usr/local/bin/gifcurry.appimage

Como instalar o Gifcurry no Linux

Para instalar o Gifcurry no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/gifcurry*
sudo rm -Rf /usr/bin/gifcurry
sudo rm -Rf /usr/share/applications/gifcurry.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando a seguir para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gifcurry.tar.gz:

wget https://github.com/lettier/gifcurry/releases/download/2.3.0.0/gifcurry-linux-2.3.0.0.tar.gz -O gifcurry.tar.gz

Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar vzxf gifcurry.tar.gz -C /opt/

Passo 6. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/gifcurry*/ /opt/gifcurry

Passo 7. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/gifcurry/bin/gifcurry_gui /usr/bin/gifcurry

Passo 8. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=gifcurry\n Exec=/opt/gifcurry/bin/gifcurry_gui\n Icon=totem\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/gifcurry.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite gifcurry em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/gifcurry.desktop
cp /usr/share/applications/gifcurry.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/gifcurry.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como usar o Gifcurry para transformar vídeo em GIF

Usar o Gifcurry é fácil: basta executar o aplicativo, escolher um vídeo para converter em um GIF, definir a hora de início e a duração desejada e, em seguida, aperte o botão “Create”. Uma imagem animada aparece no outro lado, no local escolhido, com o nome do arquivo escolhido.

Instale o Gifcurry para poder transformar vídeo em GIF

Como remover o Gifcurry no Linux

Para remover o Gifcurry no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/gifcurry*
sudo rm -Rf /usr/bin/gifcurry
sudo rm -Rf /usr/share/applications/gifcurry.desktop

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


15 de fevereiro de 2018

Como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados

Como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados

Se vocẽ quer visualizar e até gerenciar seus livros eletrônicos, veja como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados.


O Bookworm é um simples leitor de livros eletrônicos criado com ênfase em um modo livre de distração. Foi desenvolvido por Siddhartha Das para poder abrir uma variedade de formatos de arquivo, incluindo epub, pdf, Mobi e CBR, entre outros.

Como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivadosComo instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados

O programa também funciona como um gerenciador de livros eletrônicos, pois permite organizar, classificar e editar suas coleções .epub, PDF, .cbr/CBS e .mobi, tudo dentro do mesmo aplicativo.

Esta versão suporta os formatos EPUB, PDF e Comics (CBR e CBZ) com suporte para mais formatos a serem suportados em breve.

Principais características do leitor de ebook Bookworm:

  • Exibe sua biblioteca com uma exibição de grade ou uma exibição de lista;
  • Editar metadados do livro é possível tanto na visualização de grade, quanto na exibição de lista;
  • Classifique metadados de e-book enquanto usa a visualização de lista;
  • Pesquise e filtre resultados usando a barra de pesquisa na visualização da biblioteca;
  • Suporte à tradução do Weblate;
  • Personalize família de fontes, tema de cores (modo escuro);
  • Use uma lista de linhas clicáveis ​​contendo frases de pesquisa, como elas são encontradas nos livros;
  • Suporte para favoritos e preferências de favoritos;
  • Índice de conteúdo que permite ignorar os capítulos;
  • Suporte para atalhos de teclado.

O Bookworm é atualmente construído para o sistema operacional Elementary OS, mas há planos para torná-lo distro agnóstico com a ajuda de Snaps ou Flatpacks no futuro. Se você já estiver usando o sistema operacional Elementary OS, o Bookworm está disponível para instalar no Appcenter.

Nesse tutorial, será mostrado como fazer para instalar ele no Ubuntu e derivados, usando o repositório do programa e do Elementary OS.

Conheça melhor o leitor de ebook Bookworm

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione os repositórios do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:bookworm-team/bookworm -y
sudo add-apt-repository ppa:elementary-os/stable -y

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install libgranite3 bookworm

Como instalar o leitor de ebook Bookworm manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite bookworm no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:bookworm-team/bookworm -r -y
sudo add-apt-repository ppa:elementary-os/stable -r -y
sudo apt-get remove bookworm --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

Você costuma baixar arquivo torrents e usa ou quer experimentar o qBittorrent no Ubuntu? Então veja aqui como instalar a última versão do dele.


O qBittorrent é um cliente BitTorrent multiplataforma e de código aberto. Ele foi escrito em C++/Qt4, usando a biblioteca LibTorrent-rasterbar, e foi criado para ser uma alternativa ao popular cliente μtorrent.

Como instalar a última versão do qBittorrent no UbuntuComo instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

QBittorrent é rápido, estável, leve, suporta unicode e fornece um bom motor de busca integrado. Ele também vem com o encaminhamento de porta UPnP/NAT-PMP, criptografia (compatível com Vuze), FAST extension (mainline) e suporta PeX (compatível com utorrent).

A aplicação vem com um motor de busca integrado, possui interface web, suporte para download sequencial, scheduler banda larga, suporte a RSS avançado com filtros de download, ferramenta de criação de torrent, filtragem IP e outras características úteis.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o qBittorrent

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

Enquanto os repositórios oficiais do Ubuntu fornecem uma versão antiga, com esse tutorial você aprenderá a instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install qbittorrent

Como instalar o qBittorrent manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite qbittorrent no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB)

Instalando o qBittorrent no Ubuntu server

Você pode instalar o daemon qBittorrent Ubuntu server e gerenciá-lo através da interface Web do qBittorrent. Para isso, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando;

sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install qbittorrent-nox

Passo 5. Uma vez instalado, crie um usuário para o qBittorrent;

sudo adduser qbtuser

Passo 6. Você será solicitado para definir a senha para este usuário. Em seguida, adicione este usuário ao grupo sudo.

sudo gpasswd -a qbtuser sudo

Passo 7. Em seguida, crie um arquivo de serviço systemd qbittorrent-nox, usando este comando;

echo -e '[Unit]\n Description=qBittorrent Daemon Service\n After=network.target\n \n [Service]\n Type=forking\n User=qbtuser\n ExecStart=/usr/bin/qbittorrent-nox -d\n \n [Install]\n WantedBy=multi-user.target'| sudo tee /etc/systemd/system/qbittorrent-nox.service

Passo 8. Agora, inicie o qBittorrent-nox:

sudo systemctl start qbittorrent-nox

Passo 9. Você também pode querer ativar a inicialização automática do serviço quando o Ubuntu iniciar;

sudo systemctl enable qbittorrent-nox

Passo 10. Se quiser verificar o status do serviço, use este comando:

systemctl status qbittorrent-nox

Passo 11. Com o serviço ativo, você já pode acessar a interface Web, digitando na barra de endereços do navegador, o endereço ip do servidor seguido de :8080, como no exemplo abaixo;

ip-do-servidor:8080

Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

Desinstalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o qBittorrent no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove qbittorrent --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

Quer acessar o Internet Banking do Banco do Brasil no sistema do pinguim? Então veja neste tutorial como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux.


Assim como a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil utiliza uma solução de segurança desenvolvida pela GAS Software, o Warsaw.

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no LinuxComo instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

O software é usado para dar mais segurança ao acesso dos clientes, mas as vezes, também pode dar muita dor de cabeça para aqueles que usam Linux. A boa noticia é que esse módulo de segurança do BB possui uma versão para Linux.

Conheça melhor o módulo de segurança do Banco do Brasil (Warsaw)

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

É possível instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux de duas formas: executando um instalador (serve para a maioria das distribuições) ou utilizando pacotes DEB/RPM (somente para distribuições que suportam esses formatos). Escolha o método mais conveniente para você e siga um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux usando um instalador

Para instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux usando um instalador, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa:

wget https://www14.bancobrasil.com.br/downloads/ws/linux/diagbb-1.0.32.run -O diagbb.run

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa:

wget https://www14.bancobrasil.com.br/downloads/ws/linux/diagbb-1.0.64.run -O diagbb.run

Passo 6. Torne o arquivo executável com o comando abaixo;

chmod +x diagbb.run

Passo 7. Inicie a instalação do programa, com o seguinte comando;

sudo ./diagbb.run

Passo 8. Será exibida a tela de boas vindas de instalação do Módulo de Segurança Banco do Brasil. Para continuar, use as setas do teclado para ir até a opção “Sim” e tecle enter;

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

Passo 9. Na próxima tela, selecione a opção “Instalar” para prosseguir com a instalação;

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

Passo 10. Aguarde até que o Módulo de Segurança seja instalado;

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

Passo 11. Depois que o Módulo de Segurança for instalado, será iniciada a geração e instalação do certificado, além de configurações em seus navegadores. Ao final do processo, você receberá a mensagem indicando o fim da instalação, e finalmente, o serviço do Módulo de Segurança será iniciado em seu computador.

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

Passo 12. Reinicie seu computador e acesse o Autoatendimento BB na Internet.

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o módulo de segurança Banco do Brasil no Ubuntu, Debian, e outros sistemas que suportam arquivos .deb, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Atualize o repositório de pacotes com o comando;

sudo apt-get update

Passo 3. Instale os pacotes libnss3-tools e libcurl3;

sudo apt-get install libnss3-tools libcurl3

Passo 4. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 5. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

wget https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup.deb -O warsaw.deb

ou

wget --no-check-certificate https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup.deb -O warsaw.deb

Passo 6. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

wget https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup64.deb -O warsaw.deb

ou

wget --no-check-certificate https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup.deb -O warsaw.deb

Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i warsaw.deb

Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando;

sudo apt-get install -f

Passo 9. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove warsaw*

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux Fedora, OpenSUSE, CentOS e derivados

Quem quiser instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux Fedora, OpenSUSE, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

wget https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup.rpm -O warsaw.rpm

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

wget https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup64.rpm -O warsaw.rpm

Passo 5. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install warsaw.rpm

Passo 6. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall warsaw.rpm

ou

sudo dnf install warsaw.rpm

Passo 7. Para instalar o programa na maioria das distros com suporte a arquivos RPM, use o comando:

sudo rpm -i warsaw.rpm

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e warsaw*

Depois de instalar, reinicie seu computador, e em seguida, acesse o Internet Banking do Banco na Internet.

Nos meus testes, o acesso funcionou tranquilamente no Firefox. No Google Chrome, o site continuou insistindo na instalação do Guardião, mesmo depois de dele já estar instalado.

Se você teve alguma dificuldade ou descobriu algo útil ao processo, por favor, compartilhe suas informações nos comentários.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

Se você procura um app cliente Google Hangouts Google Hangouts no Linux, para bater papo com seus contatos sem usar o navegador, veja como instalar o yakyak, e resolva seu problema.


Já mostrei como instalar um Facebook Messenger Ubuntu, em várias distribuições Linux e um cliente de desktop WhatsApp no Linux. Ambos eram aplicativos não oficiais. Agora, conheçam mais um app não oficial:yakyak um cliente Google Hangouts.

Como instalar um cliente Google Hangouts no LinuxComo instalar um cliente Google Hangouts no Linux

Claro, você poderia usar o Google Hangouts no navegador web, mas pode ser bem mais divertido usar o cliente desktop, do que o do navegador.

Ficou curioso? Então veja como instalar o yakyak para ter um cliente Google Hangouts no Linux e como usá-lo.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o yakyak

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o yakyak no Linux

Para instalar o yakyak no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o yakyak no Linux via Flatpak

Para instalar o yakyak no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o yakyak no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

wget https://github.com/yakyak/yakyak/releases/download/v1.5.0/com.github.yakyak.YakYak_master_ia32.flatpak
flatpak install --user com.github.yakyak.YakYak_master_ia32.flatpak

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

wget https://github.com/yakyak/yakyak/releases/download/v1.5.0/com.github.yakyak.YakYak_master_x64.flatpak
flatpak install --user com.github.yakyak.YakYak_master_x64.flatpak

Passo 5. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.yakyak

Passo 6. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.yakyak

Como instalar a versão mais recente do yakyak Ubuntu e outras distros que suportam Snap

Para instalar a versão mais recente do yakyak no Ubuntu e seus derivados via Snap, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se essa for a primeira vez que instala um aplicativo usando o pacote SNAP, antes você pode precisa instalar o snapd com esse comando (caso ainda não esteja instalado). Em versões recentes do Ubuntu (como 16.04 e 16.10 ou 17.04), este ele já deve estar instalado por padrão. Para o Ubuntu 14.04, você precisa instalar o snapd com esse comando;

sudo apt-get install snapd snapd-xdg-open

Passo 3. Instale a versão mais recente do yakyak via SNAP, usando esse comando:

sudo snap install yakyak

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap do yakyak, use:

sudo snap refresh yakyak

Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove yakyak

Como instalar o yakyak e ter um cliente Google Hangouts no Linux

Para instalar o yakyak e ter um cliente Google Hangouts no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/yakyak*
sudo rm -Rf /usr/bin/yakyak
sudo rm -Rf /usr/share/applications/yakyak.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome yakyak.tar.gz:

wget https://github.com/yakyak/yakyak/releases/download/v1.5.0/yakyak-1.5.0-linux-ia32.tar.gz -O yakyak.tar.gz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome yakyak.tar.gz:

wget https://github.com/yakyak/yakyak/releases/download/v1.5.0/yakyak-1.5.0-linux-x64.tar.gz -O yakyak.tar.gz

Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -vzxf yakyak.tar.gz -C /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/yakyak*/ /opt/yakyak

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/yakyak/yakyak /usr/bin/yakyak

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=yakyak\n Exec=/opt/yakyak/yakyak\n Icon=/\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/yakyak.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite yakyak em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/yakyak.desktop
cp /usr/share/applications/yakyak.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/yakyak.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Configurando o yakyak

Depois de executar, você terá que inserir as credenciais de sua conta Google, é claro.

Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

Após a autenticação, você verá uma tela como a mostrada abaixo, onde você pode conversar com seus contatos do Google.

Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

Se você quiser mostrar as imagens de perfil dos contatos, basta clicar no menu “View” (Ver) e depois em “Show conversation thumbnails” (Mostrar miniaturas de conversação).

Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

Você também terá notificação de desktop para novas mensagens.

Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

Como remover o yakyak no Linux

Para remover o yakyak no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/yakyak*
sudo rm -Rf /usr/bin/yakyak
sudo rm -Rf /usr/share/applications/yakyak.desktop

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Opção ‘Instalação mínima’ foi adicionada ao instalador do Ubuntu 18.04

Opção 'Instalação mínima' foi adicionada ao instalador do Ubuntu 18.04

Se você sempre quis instalar um sistema enxuto, a boa notícia é que uma opção ‘Instalação mínima’ foi adicionada ao instalador do Ubuntu 18.04.


Se você planeja instalar o Ubuntu 18.04 em abril, fique atento a uma nova opção durante a instalação, pois uma opção ‘Instalação mínima’ foi adicionada ao instalador do Ubuntu.

Opção 'Instalação mínima' foi adicionada ao instalador do Ubuntu 18.04Opção ‘Instalação mínima’ foi adicionada ao instalador do Ubuntu 18.04

É isso mesmo! Uma caixa de seleção de “instalação mínima” está sendo adicionada ao Ubiquity, o instalador do Ubuntu. Se você está lendo esta publicação no Ubuntu, então é provável que você já tenha usado o Ubiquity antes.

Essa adição significa que, durante a configuração do Ubuntu 18.04, você poderá escolher se quer uma instalação completa do Ubuntu ou uma versão mais básica, porém, funcional.

Instalação mínima do Ubuntu – O que ela faz?

A instalação mínima do Ubuntu traz a mesma experiência central do Ubuntu, apenas com menos aplicativos como estes. Ela é chamada de “mínima” porque (sem surpresas) tem menos pacotes Ubuntu pré-instalados por padrão.

“Você obtém uma área de trabalho mínima do Ubuntu com um navegador Web, ferramentas básicas do sistema e nada mais!”

Esse perfil de instalação remove cerca de 80 pacotes da instalação padrão, incluindo:

  • Thunderbird;
  • Transmission;
  • Rhythmbox;
  • LibreOffice (incluindo pacote de idiomas);
  • Cheese;
  • Shotwell;
  • ‘Conteúdo de exemplo’.

Se uma das primeiras coisas que você faz depois de cada instalação gratuita do Ubuntu é desinstalar uma pilha de software pré-instalado, a nova opção será útil, pois ela tira efetivamente os softwares ‘recomendados’ de uma instalação Ubuntu padrão, como por exemplo, jogos, aplicativos de escritório, gerenciadores de fotos, players de mídia, e etc.

Alternativamente, você também pode optar pela instalação mínima, se desejar salvar algum espaço no disco. Apesar disso, não espere grandes ganhos.

Uma instalação padrão do Ubuntu com todos os sons, ícones e aplicativos incluídos, pesa pouco mais de 4GB. A opção mínima é um pouco mais leve, mesmo assim, consome 3,5 GB.

A nova opção “instalação mínima” aparece na seção do instalador que pergunta se você deseja instalar codecs restritos para habilitar a reprodução multimídia, ao lado da área de trabalho principal.

Marque a caixa da opção “Instalação mínima” para obter exatamente isso: uma instalação mínima do Ubuntu que contém um ambiente de desktop, um navegador da Web, algumas ferramentas básicas do sistema e um pouco mais.

Naturalmente, a maioria das pessoas que instalam o Ubuntu não vão quer usar isso. Deixe a opção desmarcada para obter o pacote completo: um sistema Ubuntu 18.04 completo com o LibreOffice, Shotwell, Transmission, Thunderbird e assim por diante.

A nova opção é inteiramente opcional, então, se você quer aproveitar a experiência de um desktop completo com software de produtividade, players de mídia e outros aplicativos, você não tem nada a temer com essa novidade.

Embora seja um “novo” recurso no instalador, os desenvolvedores da Canonical dizem que é simples uma “solução temporária”, unicamente para LTS de 18,04. O objetivo a longo prazo é passar da Ubiquidade para a subutilidade e usar montagens livefs, para fornecer funcionalidades semelhantes.

Vale lembrar que esta opção parece ser completamente separada e oferecida além da ISO Ubuntu Mini, que (presumivelmente) ainda estará disponível para download. A ISO Ubuntu Mini é uma imagem super-capada que só tem um punhado de pacotes principais por padrão, onde você adiciona outros softwares através da linha de comando.

Conheça melhor o Ubiquity

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o cliente FileZilla no Linux via Flatpak

Como instalar o cliente FileZilla no Linux via Flatpak

Se você precisa de acessar sistemas remotos sem usar comandos, conheça e veja como instalar o cliente FileZilla no Linux via Flatpak.


FileZilla é um cliente FTP, um software livre e multi plataforma (disponível para Windows, Linux e Mac OS X), com muitas funcionalidades úteis e uma interface gráfica de usuário intuitiva.

Como instalar o cliente FileZilla no Linux via FlatpakComo instalar o cliente FileZilla no Linux via Flatpak

Ele suporta FTP, SFTP e FTPS (FTP sobre SSL/TLS). Com este tutorial você poderá instalar o cliente FileZilla em todas as versões do Ubuntu suportados atualmente.

A seguir, você verá como instalar o FileZilla no Linux. Mas atenção! O tutorial mostrará a instalação da versão cliente do FileZilla, usando um procedimento genérico (usando o formato Flatpak), que poderá funcionar em qualquer distribuição Linux.

Conheça melhor o cliente FileZilla

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o cliente FileZilla no Linux via Flatpak

Para instalar o cliente FileZilla no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o cliente FileZilla no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.filezillaproject.Filezilla.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.filezillaproject.Filezilla

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.filezillaproject.Filezilla

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.filezillaproject.Filezilla em um terminal.

Veja também

Como instalar a versão mais recente do cliente FTP FileZilla no Ubuntu
Como instalar o FileZilla no Linux manualmente

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como adicionar a opção “Abrir como administrador” no menu de contexto do Nautilus

Vez ou outra você precisa executar algum programa como administrador, para ajudá-lo a simplificar essa tarefa, veja como adicionar a opção “Abrir como administrador” no menu de contexto do Ubuntu.


Com este simples tutorial você aprenderá a adicionar a opção “Abrir como Root” ou “Abrir como Administrador” no menu de contexto, de modo que você possa facilmente editar/pastas de arquivos abertos com privilégio de super usuário no navegador de arquivos Nautilus. Acompanhe.

Como adicionar a opção Como adicionar a opção “Abrir como administrador” no menu de contexto do Nautilus no Ubuntu

Como adicionar a opção “Abrir como administrador” no menu de contexto do Nautilus no Ubuntu

Basicamente, existem duas formas de adicionar a opção “Abrir como administrador” no menu de contexto do Nautilus no Ubuntu: instalando um pacote ou manualmente. Escolha a que for mais conveniente para você e use-a.

Como adicionar a opção “Abrir como administrador” no menu de contexto do Nautilus no Ubuntu

Para adicionar a opção “Abrir como administrador” no menu de contexto do Nautilus no Ubuntu 14.04 ou superior, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Em seguida, execute o comando para instalar o recurso;

sudo apt-get install nautilus-admin

Passo 3. Depois, reinicie o Nautilus através do comando:

nautilus -q

Como adicionar a opção “Abrir como administrador” no menu de contexto do Nautilus no Ubuntu manualmente

Para adicionar a opção “Abrir como administrador” no menu de contexto do Nautilus no Ubuntu manualmente, faça o seguinte:

Passo 1. Abra a Central de programas (ou Ubuntu Software Center). Procure e certifique-se que o pacote gksu está instalado. Ele permite que programas gráficos possam pedir a senha do usuário para executar o programa como root/administrador, e por isso, é essencial para este procedimento. Se preferir, use o comando sudo apt-get install gksu;
Passo 2. Abra o navegador de arquivos Nautilus e pressione as teclas Ctrl + H, para visualizar arquivos e pastas ocultas;
Passo 3. Navegue até a pasta HOME do usuário, depois vá para as pastas “.local”, “share”, “nautilus”, e por último entre na pasta “scripts”;
Passo 4. Crie um documento vazio neste diretório, clicando com o botão direito do mouse em um área vazia e escolhendo a opção “Novo documento” e depois “Documento vazio”;

Passo 5. Clique no arquivo criado e pressione a tecla F2. Renomeie ele para “abrir-como-administrator” ou “abrir-como-root”;

Passo 6. Dê um clique duplo no arquivo para abri-lo e colar as seguintes linhas dentro dele:

#!/bin/bash
#
# this code will determine exactly the path and the type of object,
# then it will decide use gedit or nautilus to open it by ROOT permission
#
# Determine the path
if [ -e -n $1 ]; then
obj="$NAUTILUS_SCRIPT_SELECTED_FILE_PATHS"
else
base="`echo $NAUTILUS_SCRIPT_CURRENT_URI | cut -d'/' -f3- | sed 's/%20/ /g'`"
obj="$base/${1##*/}"
fi
# Determine the type and run as ROOT
if [ -f "$obj" ]; then
gksu gedit "$obj"
elif [ -d "$obj" ]; then
gksu nautilus "$obj"
fi

exit 0

Passo 7. Salve e feche o arquivo;
Passo 8. Pressione as teclas Ctrl + Alt + T, para abrir um terminal;
Passo 9. Execute o comando abaixo para tornar o arquivo executável (substitua o último parâmetro pelo nome que você deu ao arquivo no quinto passo):

cd .local/share/nautilus/scripts/ && chmod 0755 open-as-administrator

Passo 10. Finalmente reinicie o Nautilus com o comando abaixo, ou apenas saia da sessão atual e faça login novamente;

nautilus -q

Pronto! Agora você já pode executar qualquer aplicativo, clicando com o botão direito nele e escolhendo a opção “Abrir como administrador” no menu do Nautilus.

Se quiser tentar outra fonte para esse recurso, use o tutorial abaixo:
Como adicionar uma opção “Abrir como Administrador/Root” no Nautilus

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

Instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

Quer uma dock simples e com temas variados? Então instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu e sistemas derivados.


Plank pretende ser a dock mais simples do planeta. O objetivo dela é fornecer exatamente o que o usuário precisa de uma dock e absolutamente nada mais.

Instale a dock Plank e o Plank-Themer no UbuntuInstale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

Instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

Já o Plank-Themer é um pequeno programa que permite que você altere temas da dock Plank sem qualquer consumo adicional de recursos. Ele permite que você escolha os temas de forma rápida e fácil.

Para ficar ainda mais simples, este pequeno programa escrito em bash script, agora está disponível via repositório PPA, para que o usuário faça uma instalação fácil e depois ainda possa receber as atualizações posteriores.

Instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

Conheça melhor a dock e o tema Plank

Para saber mais sobre o Plank-Themer, clique nesse link e sobre a dock, clique nesse outro link.

Instalando a dock Plank no Ubuntu e derivados

Para instalar a dock Plank no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:docky-core/stable

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale a dock usando o seguinte comando:

sudo apt-get install plank

Como instalar a dock Plank manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Instalando o Plank-Themer no Ubuntu e derivados

Para instalar o Plank-Themer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema usando os seguintes comandos:

sudo apt-get install plank-themer
cd /tmp/ && ./Replace.sh;cd

Como instalar o Plank-Themer manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar a dock, digite plank no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB). Ou simplesmente feche a sessão atual e entre novamente.

Desinstalando a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove plank plank-themer --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Plasma 5.12.1 lançado com inúmeras correções de erros

Plasma 5.12.1 lançado com inúmeras correções de erros

O projeto KDE lançou recentemente uma nova atualização de seu ambiente, KDE Plasma 5.12.1. Confira as novidades dessa atualização e descubra como instalar ou atualizar.


O KDE Plasma Desktop é um ambiente que oferece uma área de trabalho bonita que tira total vantagem da tecnologia de computação moderna.

Plasma 5.12.1 lançado com inúmeras correções de errosPlasma 5.12.1 lançado com inúmeras correções de erros

Através do uso de efeitos visuais e gráficos escaláveis, a experiência de desktop não é apenas suave, mas também agradável aos olhos. Os looks do Plasma Desktop não só fornecem beleza, mas também são usados para suportar e melhorar suas atividades de computador de forma eficaz, sem distrair.

Novidades do KDE Plasma 5.12.1

O KDE Plasma 5.12 foi lançado em fevereiro com muitos afinamentos de funcionalidades e módulos novos para completar a experiência do ambiente de trabalho.

Plasma 5.12 LTS é o segundo lançamento de suporte a longo prazo da equipe Plasma 5 e tem foco na velocidade e estabilidade. O tempo de inicialização para a área de trabalho foi melhorado, revisando o código para qualquer coisa que bloqueie a execução.

O novo LTS Plasma usa menos CPU e menos memória que as versões anteriores. Ou seja, o processo de iniciar o desktop Plasma agora é significativamente mais rápido.

A equipe tem tentado e corrigindo erros em todos os aspectos da base de código, arrumando obras de arte, removendo casos de canto e garantindo a integração entre computadores.

Já o KDE Plasma 5.12.1, é a primeira atualização da série 5.12 e adiciona uma semana de novas traduções e correções dos contribuidores do KDE. As correções de erros geralmente são pequenas, mas importantes e incluem:

  • Configurações do sistema: Corrigir falhas ao pesquisar;
  • Corrigiu o módulo de configurações do mouse que trava no Wayland;
  • Mostre um bonito ícone desabilitado para atualizações.

KDE Plasma 5.12.1 já está disponível e você pode instalar a versão mais recente do KDE Plasma 5.x no Ubuntu 16.04 ou superior, usando este tutorial:
Instalar a versão mais recente do KDE Plasma 5.x no Ubuntu

Para saber mais sobre essa versão do KDE Plasma, acesse a nota de lançamento.

Ou assista o vídeo abaixo:

.smarty-2628597_1518030088254 { position: relative; padding-bottom: 56.25%!important; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%!important; } .smarty-2628597_1518030088254 iframe, .smarty-2628597_1518030088254 object, .smarty-2628597_1518030088254 embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Conheça melhor o KDE Plasma

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o Zbackup no Ubuntu e Arch Linux

Como instalar o Zbackup no Ubuntu e Arch Linux

Procurando uma ferramenta versátil para fazer backups? Experimente instalar o Zbackup no Ubuntu e Arch Linux.


Zbackup é uma ferramenta global de desduplicação que usa rsync e algumas boas ideias vindas desse software.

Como instalar o Zbackup no Ubuntu e Arch LinuxComo instalar o Zbackup no Ubuntu e Arch Linux

Quando você acrescenta um grande arquivo .tar para ele, o software irá armazenar as regiões duplicadas nele apenas uma vez e reutilizá-lo, quando necessário. Acrescente outro arquivo .tar, e o programa também irá reutilizar quaisquer dados encontrados em quaisquer cópias de segurança anteriores.

Desta forma, apenas as novas alterações são armazenadas, e desde que os arquivos não sejam muito diferentes, a quantidade de armazenamento necessária é muito baixa.

Por mais incrível que possa parecer, qualquer um dos arquivos de backup armazenados previamente podem ser lidos de volta na íntegra a qualquer momento.

O programa suporta qualquer formato, então você pode acrescentar praticamente todos os tipos arquivos nele, inclusive formatos proprietários, e até mesmo imagens de disco raw. Ainda assim, é bom dar uma checada nas advertências, antes de acrescentar algum tipo de arquivo incomum.

Infelizmente, o programa não possui nenhuma interface gráfica (ou pelo menos, eu não encontrei). Por isso, para ver exemplos de uso do programa, acesse o link abaixo.

Conheça melhor o Zbackup

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Zbackup no Ubuntu e seus derivados

Zbackup está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install zbackup.

Mas se a sua versão não disponibiliza ele ou você quer a versão mais recente, para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:eugenesan/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install zbackup

Como instalar o Zbackup manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Ou faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome zbackup.deb:

wget https://launchpad.net/~eugenesan/+archive/ubuntu/ppa/+files/zbackup_1.5alpha-0+20150923~eugenesan~xenial2_i386.deb -O zbackup.deb

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome zbackup.deb:

wget https://launchpad.net/~eugenesan/+archive/ubuntu/ppa/+files/zbackup_1.5alpha-0+20150923~eugenesan~xenial2_amd64.deb -O zbackup.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i zbackup.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Desinstalando o programa no Ubuntu e derivados

Caso seja necessário, para desinstalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove zbackup
sudo apt-get autoremove

Como instalar o Zbackup no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados

Para instalar o Zbackup no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados você precisa ter o Yaourt instalado. Se ainda não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar e usar o Yaourt no Arch Linux e derivados

Depois, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo yaourt zbackup

Passo 4. Caso seja necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo yaourt -Rsn zbackup

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite zbackup em um terminal, e veja as opções de comandos disponíveis.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Se seu sistema pode ser afetados pelas vulnerabilidades que afetaram processadores Intel, AMD e ARM, veja como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux.


No início desta semana, uma equipe de pesquisadores do Project Zero da Google descobriu sobre as vulnerabilidades Meltdown e Specter, que afetaram muitos processadores modernos, incluindo certos processadores da Intel, AMD e ARM.

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no LinuxComo verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Embora a AMD tenha afirmado que não há chance de seus processadores serem afetados por essas falhas, os pesquisadores indicaram que a vulnerabilidade Meltdown é exclusiva dos processadores Intel, enquanto a vulnerabilidade Specter pode afetar alguns processadores Intel, AMD e ARM.

De acordo com a Wired:

“Os fabricantes da Intel, da AMD e da ARM estão trabalhando de perto e colaborando com empresas de hardware que enviam seus processadores e empresas de software como Apple, Google, Microsoft e Linux Foundation para liberar patches específicos para essas falhas de segurança. Não podemos garantir que os patches resolverão completamente esses problemas. Mas, pelo menos, ficará melhor do que estava”.

Greg Kroah-Hartman já anunciou o lançamento dos releases estáveis do kernel 4.14.12, 4.9.75 e 4.4.110, que vem com correções para as falhas Meltdown e Specter.

Então, se você está usando o processador Intel ou AMD ou ARM, recomenda-se verificar se o seu sistema Linux é afetado por essas falhas. Se o seu sistema for afetado, você deve corrigir isso, atualizando o kernel Linux imediatamente para a versão mais recente.

Se você Linux distro ainda não possui as atualizações mais recentes do kernel Linux, é altamente recomendável mudar para uma distribuição Linux que disponibiliza a correção para as falhas.

Definição das vulnerabilidades Meltdown e Specter

As vulnerabilidades Meltdown e Specter possuem três números CVE (um padrão que é quase governamental para analisar vulnerabilidades e exposições de segurança de computadores) atribuídos a elas:

Número CVE Descrição
CVE-2017-5715 Branch Target Injection, exploited by Spectre
CVE-2017-5753 Bounds Check Bypass, exploited by Spectre
CVE-2017-5754 Rogue Data Cache Load, exploited by Meltdown

Durante vários anos, as fabricantes de processadores corrigiram falhas na arquitetura do processador através de atualizações de microcódigo, que gravam uma atualização no próprio processador para corrigir um erro.

No entanto, por alguma razão ou razões desconhecidas, as vulnerabilidade Meltdown e Specter não podem ser corrigidas desta forma nos processadores da Intel. Por esse motivo, os fabricantes de sistemas operacionais colaboraram com a Intel para lançarem correções para as vulnerabilidades.

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Para verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux, use um dos procedimentos abaixo, conforme for o seu sistema.

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux Arch

No Arch Linux e derivados, você pode descobrir se seu sistema está afetado por vulnerabilidades de Meltdown/Spectre, abrindo um terminal usando os dois comandos a seguir.

zgrep CONFIG_PAGE_TABLE_ISOLATION /proc/config.gz
dmesg |  grep iso

Se os comandos acima retornarem NOTHING, seu sistema ainda não foi corrigido. Então, você precisa atualizar seu sistema baseado no Arch usando o comando:

sudo pacman -Syu

Depois de atualizar completamente seu sistema Arch, reinicie e execute os comandos acima novamente. Se o seu sistema estiver com a correção para as falhas, você deve ver a seguinte saída para o primeiro comando (zgrep CONFIG_PAGE_TABLE_ISOLATION /proc/config.gz):

CONFIG_PAGE_TABLE_ISOLATION=y

E você obterá esta saída para o segundo comando (dmesg | grep iso):

[ 0.000000] Kernel/User page tables isolation: enabled

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux Ubuntu

O procedimento acima pode não funcionar no Ubuntu. Felizmente, alguns bons samaritanos no fórum Askubuntu publicaram uma solução alternativa para verificar se seus sistemas Ubuntu estão com a correção, usando qualquer um dos seguintes comandos.

grep CONFIG_PAGE_TABLE_ISOLATION=y /boot/config-`uname -r` && echo "patched :)" || echo "unpatched :("
grep cpu_insecure /proc/cpuinfo && echo "patched :)" || echo "unpatched :("
dmesg | grep "Kernel/User page tables isolation: enabled" && echo "patched :)" || echo "unpatched :("

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Se o sistema ainda não estiver com a correção, atualize o kernel imediatamente para aplicar os patches. Para isso, use imediatamente os comandos:

sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade

Depois de atualizar seu kernel, execute esses três primeiros comandos novamente, e você verá o seu sistema Ubuntu ser corrigido!

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Ou, dê uma olhada nesse outro tutorial:
Patch de processador Intel para Meltdown e Specter – Veja como instalar

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Para outras distribuições do Linux, existe um script chamado “Specter & Meltdown Checker” para verificar as vulnerabilidades Meltdown/Specter. Este script ajudará a descobrir se sua instalação do Linux é vulnerável contra os 3 CVEs de “execução especulativa”.

Para usar esse script, faça o seguinte:
Passo 1. Copie o código do scritp com o comando abaixo;

git clone https://github.com/speed47/spectre-meltdown-checker.git

Passo 2. Isso irá clonar todos os conteúdos em um diretório chamado “specter-meltdown-checker” em seu diretório de trabalho atual. Vá para esse diretório, usando o seguinte comando:

cd spectre-meltdown-checker/

Passo 3. Torne o script executável com esse comando;

chmod +x spectre-meltdown-checker.sh

Passo 4. Finalmente, execute o script para checar as vulnerabilidades;

sudo ./spectre-meltdown-checker.sh

Aqui está o resultado da amostra de um sistema Ubuntu com patches:

Como verificar e corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Mantendo sistemas Linux atualizados para corrigir as falhas Meltdown e Spectre no Linux

Novamente, lembre-se de que esses problemas ainda não foram completamente resolvidos. Você precisa manter seus sistemas Linux atualizados nas próximas semanas, até que tudo seja consertado.

Então, manter o kernel de seu sistema e todo o software atualizado é altamente recomendado, pois isso também trará muitas outras correções de segurança.

Para atualizar o seu Arch Linux ou um derivado dele, execute esse comando:

sudo pacman -Syu

Para atualizar um Debian, Ubuntu ou derivado:

sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade

Para atualizar um sistema Fedora ou derivado dele:

sudo dnf update

Para atualizar um sistema RHEL/CentOS ou derivado dele:

sudo yum update

Para atualizar outras distribuições, consulte o site da produtora dela.

Depois de atualizar seu sistema Linux, não se esqueça de reiniciá-lo. Mantenha essa rotina de atualização e dificilmente sua distro será afetada pelas falhas Meltdown e Spectre.

Veja também

Patch de processador Intel para Meltdown e Specter – Veja como instalar

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Ubuntu 16.04.4 LTS será lançado no inicio de março

Ubuntu 16.04.4 LTS será lançado no inicio de março

Depois de informar o adiamento do lançamento em janeiro, a Canonical anunciou que o Ubuntu 16.04.4 LTS será lançado no inicio de março. Confira os detalhes dessa futura atualização.


Lukasz Zemczak, da Canonical, anunciou que a empresa planeja lançar a quarta atualização de manutenção do sistema operacional Ubuntu 16.04 LTS (Xenial Xerus) no início do mês de março.

Ubuntu 16.04.4 LTS será lançado no inicio de marçoUbuntu 16.04.4 LTS será lançado no inicio de março

Originalmente, essa atualização de manutenção do Ubuntu estava programada para ser lançada no dia 15 de fevereiro de 2018. Entretanto, ainda em janeiro, a Canonical decidiu adiar esse update por causa da divulgação pública das vulnerabilidades de segurança Meltdown e Specter, que afetava bilhões de dispositivos e que ainda não tinha uma correção definitiva. Pouco tempo depois, foram lançadas correções mais completas para o problema.

Ubuntu 16.04.4 LTS será lançado no inicio de março

Apesar do adiamento, a Canonical ainda não tinha anunciado uma nova data de lançamento. Agora, a empresa disse que irá liberar o Ubuntu 16.04.4 LTS no próximo mês, em 1º de março de 2018. Até então, a empresa espera ter todas as atualizações prontas, para poder disponibilizá-la de uma única vez, para que os usuários do sistema possam atualizar suas instalações.

No anúncio, Lukasz Zemczak comentou:

“Vendo que as coisas já estão se estabilizando, nós definimos o primeiro de março como a nova data de lançamento da data planejada. Esperamos ter todas as peças necessárias disponíveis no arquivo naquele momento, e forneceremos imagens com todas as correções de segurança necessárias de uma única vez”.

Ubuntu 16.04.4 LTS chegará com as pilhas de kernel e gráficos do Ubuntu 17.10

O Ubuntu 16.04.4 LTS será a quarta de cinco atualizações de manutenção agendadas para a série de sistemas operacionais Ubuntu 16.04 LTS (Xenial Xerus) suportada a longo prazo. Esse update virá com pilhas de kernel e gráficos atualizados, e baseadas no Ubuntu 17.10 (Artful Aardvark).

A Canonical prometeu oferecer cinco anos de suporte para o Ubuntu 16.04 LTS, até abril de 2021. O sistema operacional foi lançado há dois anos, em 21 de abril de 2016, e recebeu três dessas atualizações de manutenção até agora. Mais uma atualização de manutenção está planejada para a série Xenial Xerus, o Ubuntu 16.04.5, que pode chegar no final do ano de 2018.

Até então, os usuários do Ubuntu 16.04 LTS que usam o Ubuntu 16.04.3 (lançado em 2017) poderão atualizar suas instalações para o Ubuntu 16.04.4 no primeiro dia de março de 2018, sem a necessidade de baixar as novas imagens ISO, que são projetadas apenas para instalações novas.

Em 26 de abril de 2018, a Canonical planeja lançar uma nova série Ubuntu com suporte de longo prazo, o Bionic Beaver, também conhecido como Ubuntu 18.04 LTS, que será suportado com atualizações de manutenção similares contendo as mais recentes atualizações de segurança e software até abril de 2023. Todos os Ubuntu 16.04 Os usuários LTS poderão atualizar para Ubuntu 18.04 LTS

Confira o anúncio

Para saber mais sobre anúncio do futuro lançamento do Ubuntu 16.04.4 LTS, clique nesse link.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o jogo Endless Sky no Linux via Flatpak

Como instalar o jogo Endless Sky no Linux via Flatpak

Se você gosta de jogos de batalha espacial, precisa conhecer e descobrir como instalar o jogo Endless Sky no Linux via Flatpak.


O Endless Sky é um jogo de 2D de comércio espacial e de combate semelhante à clássica série Escape Velocity, e que está disponível para Linux, Mac e Windows.

Como instalar o jogo Endless Sky no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Endless Sky no Linux via Flatpak

Com ele você pode explodir piratas, participar de uma guerra civil. Ou deixe o espaço humano para trás para encontrar alienígenas amigáveis, cuja cultura é mais civilizada do que a sua.

O jogo permite que você explore outros sistemas estelares, ganhe dinheiro ao negociar, transportar passageiros ou completar missões. Use seus ganhos para comprar uma nave melhor ou para atualizar as armas e os motores da nave atual.

Conheça melhor o jogo Endless Sky

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

.smarty-2544619_1512749399587 { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; height: auto; } .smarty-2544619_1512749399587 iframe, .smarty-2544619_1512749399587 object, .smarty-2544619_1512749399587 embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

Como instalar o jogo Endless Sky no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo Endless Sky no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Endless Sky no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/io.github.EndlessSky.endless-sky.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update io.github.EndlessSky.endless-sky

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall io.github.EndlessSky.endless-sky

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run io.github.EndlessSky.endless-sky em um terminal.

Para instalar o jogo Endless Sky no Linux usando pacote DEB ou RPM, use esse outro tutorial:
Como instalar o jogo Endless Sky no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e derivados

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Se você gosta de ficar mudando os ícones de seus sistema, conheça a lista dos melhores pacotes de ícones para o desktop Linux.


Para quem gosta de variar o visual do seu sistema, ícones nunca são demais. Para sorte dos usuários de Linux, existem muitas opções desse tipo de recurso. Tanto, que quase que diariamente publico algo sobre isso.

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop LinuxConheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Para esse usuários, mostrarei alguns dos melhores pacotes de ícones para você usar no seu desktop. Esses pacotes vão desde conjuntos de ícones modernos e planos, até um pacote de ícones circular com um toque colorido.

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Confira abaixo a lista dos melhores pacote de ícones para o desktop Linux e depois escolha aquele que é o melhor para você. E no final, veja mais opções de ícones…

Ubo

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Ícones Ubo é um grande conjunto de ícones que foi desenhado com uma caneta esferográfica, e depois digitalizado e colorido no GIMP.

Apesar desses ícones não são glamorosos, e nem tem um acabamento brilhante, mas certamente darão uma aparência única à sua área de trabalho.

Como instalar o Ubo

Para instalar esse conjunto de ícones, acesse esse tutorial:
Como instalar o conjunto de ícones Ubo no Ubuntu e derivados


Vibrancy Colors

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Vibrancy Color é um corajoso, moderno, bonito e “vibrante” pacote de ícones. Vibrancy é uma mistura de muitos projetos incríveis de temas de ícones livres, resultando em um novo e belo tema de ícones.

Esse conjunto de cores é descrito como “moderno e limpo”. Faz uso de gradientes e sombreamento para mais detalhes e sofisticação e ícones de aplicativos arredondados para milhares de aplicativos

Como instalar o Vibrancy Colors

Para instalar esse conjunto de ícones, acesse esse tutorial:
Instalando o pacote de ícones Vibrancy Colors no Debian, Ubuntu e derivados


Moka

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Moka é um conjunto de ícones estilizado para o desktop Linux. Eles foram projetados para serem um claros, simples e consistentes. Apesar de ser um tema moderno, Moka não usa ícones vetorizados. Em vez disso, cada ícone foi perfeitamente concebido em sete tamanhos para o melhor resultado em toda a sua área de trabalho.

Os ícones Moka usam uma forma de azulejo arredondado para todos os seus ícones de aplicativos. Não é um tema plano por si só, com uma mistura de ícones simples e claros e desenhos mais intrincados.

Como instalar o Moka

Para instalar esse conjunto de ícones, acesse esse tutorial:
Como instalar o conjunto de ícones Moka no Ubuntu e derivados


Obsidian

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

O conjunto de ícones Obisidian baseia-se no tema de ícone Faenza. Ele oferece ícones para painéis, barras de ferramentas e botões e ícones quadrados coloridos para dispositivos, aplicativos, pastas, arquivos e itens de menu, e há duas versões incluídas para atender temas claros ou escuros.

Obsidian possui uma pilha de ícones voltados para aplicativos clássicos, como o Firefox, o GIMP e o LibreOffice, e oferece suporte amplo para aplicativos mais novos, como Vivaldi, Wire e Signal.

Como instalar o Obsidian

Para instalar esse conjunto de ícones, acesse esse tutorial:
Instalando o conjunto de ícones Obisidian no Ubuntu e derivados


Papirus

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Papirus é um conjunto de ícones para o KDE desktop, que agora também está disponível para outros ambientes de trabalho, como Unity, Gnome, Mate, Cinnamon e outros.

Ele é o pacote de ícones perfeito para a moderna área de trabalho do Linux. Além de ser colorido, inventivo e bem ajustado, o conjunto ainda consegue manter uma coesão. Existem duas variantes deste pacote de ícones com ícones do painel de claros e escuros, e ele tem mais de 1000 ícones para diferentes aplicações.

Como instalar o Papirus

Para instalar esse conjunto de ícones, acesse esse tutorial:
Instalando o conjunto de ícones Papirus no Ubuntu


Shadow

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Shadow é um conjunto de ícones recém-chegado ao desktop Linux. Seu maior diferencial, é que ele fica muito bonito com todo o tipo de tema. Usando glifos 2D simplistas e uma longa sombra que cai para a esquerda, o tema do ícone Sombra segue a tendência “Material Design” que atualmente é bastante popular.

Além disso, os ícones das aplicações são predominantemente redondos e duotônicos, embora as pastas sejam quadradas e azuis e há uma variedade de tipos de mime de arquivos.

Como instalar o Shadow

Para instalar esse conjunto de ícones, acesse esse tutorial:
Instalando o conjunto de Ícones Shadow no Ubuntu


Uniform

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Existem muitos temas de ícones disponíveis para Linux, e normalmente, todos os ícones de um pacote têm o mesmo padrão. Mas este não é o caso do conjunto de ícones Uniform. É, eles são assim mesmo, totalmente sem uma forma padrão. Isso os torna únicos e ao mesmo tempo interessantes.

Qual seria então a vantagem desses ícones? Esse “diferencial” na forma deles, ajuda a dar à sua área de trabalho uma sensação informal e despojada.

Como instalar o Uniform

Para instalar esse conjunto de ícones, acesse esse tutorial:
Instalando o conjunto de ícones Uniform no Ubuntu


Numix

Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux

Projeto Numix é conhecido por criar temas e ícones de alta qualidade para desktop Linux GTK. E o pacote Numix Icon Packs é um conjunto dos principais pacotes de ícones desse projeto.

Este pacote contem duas variantes de ícone temáticos: Numix Main e Numix circle. Cada variante contém mais de 700 ícones, todos eles estão em desenvolvimento e os criadores liberam uma versão de atualização semanal, com novos ícones, o que significa que você pode sugerir ícones para os criadores.

Como instalar o Numix

Para instalar esse conjunto de ícones, acesse esse tutorial:
Mude o visual: Instale Numix Icon Packs no Ubuntu e derivados


Esses são os melhores?

Não. Esses na verdade não são os melhores conjuntos de ícones para o desktop Linux. Até porque, o conceito de “melhor” depende do gosto de cada.

Por isso, abaixo você verá uma lista de artigos sobre conjuntos de ícones, para escolher qual deles é o melhor, para você (e seu desktop):

  • Mais artigos sobre ícones…
  • Faltou algum pacote de ícones? Coloque nos comentários que publicarei. Obrigado!!

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

    Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

    Saiu mais uma atualização do OpenShot, e dessa vez, você pode baixar e experimentar. Para isso, veja como instalar OpenShot no Ubuntu e sistemas derivados.


    OpenShot é um editor de vídeo gratuito, um software livre para Linux licenciado sob a GPL versão 3.0. Com ele você pode adicionar facilmente sub-títulos, transições e efeitos, e em seguida, exportar o seu filme para DVD, YouTube, Vimeo, Xbox 360, e muitos outros formatos comuns.

    Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

    OpenShot 2.x tem uma nova versão disponível. Isso porque os apoiadores da campanha do OpenShot no crowdfunding têm conseguido usar versões beta do programa desde janeiro. Instaladores Windows e Mac OS X também estão disponíveis para download.

    Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

    Como instalar o OpenShot no Ubuntu e derivados

    Novidades da versão mais recente do OpenShot

    OpenShot 2.4.1 vem com melhorias de estabilidade, e apresenta suas principais alterações são as seguintes:

    • Seções mais críticas tentando evitar condições de corrida em sistemas principais de núcleo de CPU;
    • Seções críticas adicionais sobre a adição de imagens de quadros;
    • Codec pesquisa por nome em FFmpegWriter, que deve resolver alguns problemas (como o suporte xvid);
    • Corrigida a regressão com origem rotativa. As coisas sempre devem girar em torno do centro de um objeto;
    • Definida a base de tempo no fluxo de vídeo no FFmpegWriter (um pouco experimental);
    • Melhorada a suavidade da reprodução em vídeos de alta resolução, especialmente quando os quadros de vídeo precisam avançar para manter o áudio;
    • Removidas as instruções de lançamento de arquivos de cabeçalho;
    • Reduzido o número de operações de escala para 1 por camada na linha do tempo;
    • Corrigido o limite de 16 threads no FFmpegReader;
    • Reparado um elenco de long para int64_t;
    • Atualizado todos os tipos de números de quadros “long int” para int64_t, então todos os 3 sistemas operacionais produzirão a mesma profundidade e precisão em números de quadros;
    • Removido o suporte de taxa de bits variável (por enquanto), pois causava mais problemas do que resolvia.

    Para saber mais sobre essa versão do programa, acesse a nota de lançamento.

    Conheça melhor o OpenShot

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Ou assista o vídeo abaixo:
    .smarty-2502437_1511529467855 { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; height: auto; } .smarty-2502437_1511529467855 iframe, .smarty-2502437_1511529467855 object, .smarty-2502437_1511529467855 embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

    Como instalar o OpenShot no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o OpenShot no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install openshot-qt

    Como instalar o OpenShot manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Como instalar a compilação diária do OpenShot no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar a compilação diária do OpenShot no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/libopenshot-daily

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install openshot-qt

    Como instalar a compilação diária do OpenShot 2.x Beta manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite openshot no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o OpenShot no Ubuntu no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o OpenShot no Ubuntu no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/ppa -r -y
    sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/libopenshot-daily -r -y
    sudo apt-get remove openshot-qt --auto-remove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Criando musica no computador: Instale o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados

    Criando musica no computador: Instale o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados

    Quer criar música no computador? Veja aqui como instalar o fantástico Linux MultiMedia Studio no Ubuntu e comece a produzir.


    LMMS, ou Linux Multimedia Studio é um software livre multiplataforma que lhe permite produzir música com o seu computador. Isto abrange desde a tarefa de criar melodias e batidas, até sintetizar e misturar sons e organizar amostras.

    Criando musica no computador: Instale o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivadosCriando musica no computador: Instale o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados

    Ele permite que você possa compor, editar ou misturar áudio com o computador. LMMS inclui todas as ferramentas que você precisa para criar música a partir do zero (ambas as melodias, sintetizando, misturando sons, organizando amostras e batidas de fundo), misturar e arranjar amostras e sons pré-fabricados e, finalmente, produzir e exportar os resultados.

    Você pode se divertir com o seu teclado MIDI e muito mais – tudo em uma interface amigável e moderna. Além disso LMMS vem com muitos plugins, presets e amostras de instrumentos e efeitos prontos para uso.

    Principais funcionalidades do LMMS

    • Editor de sons
    • Editor Beat+Bassline
    • Disponibilização de muitos efeitos e sons de instrumentos
    • FX Mixer
    • Piano-Roll para edição de padrões e melodias
    • Possibilidade de importar arquivos no formato MIDI e FLP
    • Compatível com muitos padrões: SoundFont2, VST(i), LADSPA, GUS Patches, e MIDI

    Conheça melhor o Linux Multimedia Studio

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

    Instale o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados e faça música no computador

    Em versões mais recentes do Ubuntu, o programa está disponível nos repositórios padrão. Por isso basta procurar por ele no gerenciador de pacotes do Ubuntu ou usar o comando sudo apt-get install lmms em um terminal.

    Já em versões mais antigas, para instalar o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:irie/lmms

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Para instalar o programa, use o comando abaixo:

    sudo apt-get install lmms

    Como instalar o Linux Multimedia Studio manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome lmms.deb:

    wget https://launchpad.net/~irie/+archive/ubuntu/lmms/+files/lmms_1.0.3-5irie1~utopic1_i386.deb -O lmms.deb

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome lmms.deb:

    wget https://launchpad.net/~irie/+archive/ubuntu/lmms/+files/lmms_1.0.3-5irie1~utopic1_amd64.deb -O lmms.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i lmms.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite lmms no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Criando musica no computador: Instale o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados

    Desinstalando o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove lmms --auto-remove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    14 de fevereiro de 2018

    Como instalar o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivados

    Como instalar o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivados

    Se você usa um desktop baseado em GTK e quer deixá-lo ainda mais bonito, veja como instalar o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivados.


    Victory Gtk é um tema minimalista e principalmente brilhante, feito principalmente para desktops Gtk 2 e com algum suporte a Gtk 3.

    Como instalar o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivadosComo instalar o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivados

    O tema Victory Gtk não é novo e a versão inicial foi lançada em abril de 2010. O desenvolvimento foi interrompido, e agora o criador começou a trabalhar novamente neste tema há algum tempo. O tema inteiro foi recriado como uma abordagem vibrante, elegante, brilhante e plana usando minimalista.

    Como instalar o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivadosComo instalar o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivados

    Desde o primeiro dia, esse tema está direcionando para os desktops Xfce e Lxde, mas agora funciona nos desktops Gnome e Cinnamon, sem qualquer problema, e a área de trabalho Openbox também é suportada por este tema.

    Victory Gtk está disponível para o Gtk 3.18/3.22/2.24, o que significa que você pode instalá-lo no Ubuntu 17.10/17.04/16.04 e no Linux Mint 18, bem como em outros derivados do Ubuntu.

    Há também um pacote de ícones Victory disponível. Você pode ver como instalar esse pacote, usando o tutorial abaixo:

    Como instalar o conjunto de ícones Victory

    Conheça melhor o tema Victory Gtk

    Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

    Instalando o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivados

    Para instalar o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o tema xxx usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install victory-gtk-theme

    Como instalar o tema Victory Gtk manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o tema Victory Gtk no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o tema Victory Gtk, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove victory-gtk-theme

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o VariCAD no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

    Como instalar o VariCAD no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

    Já conhece a nossa lista de aplicativos CAD/3D? Essa lista só aumenta, e nesse tutorial, você conhecerá e verá como instalar o VariCAD no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados.


    VariCAD é um software comercial de CAD 3D/2D, para engenharia mecânica que permite criar, avaliar e modificar arquivos com muita rapidez. Ele trabalha com os formatos de arquivo 2D DWG, DXF, 3D STEP e 2D/3D VariCAD.

    Como instalar o VariCAD no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivadosComo instalar o VariCAD no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

    O programa é multiplataforma (tem versões para Windows e Linux) compacto, rápido, muito fácil de utilizar e fornece tudo o que é necessário para lidar com projetos.

    Mesmo sendo um programa pago, o VariCAD possui uma versão gratuita completamente funcional que pode ser usada para avaliar o software durante 30 dias.

    Para completar, ele também possui um visualizador gratuito. Esse visualizador permite converter DWG para DXF e vice-versa, converter STEP para 3D IGES ou STL, imprimir 2D DWG, DXF ou os formatos VariCAD e usar a impressão batch ou conversões.

    O visualizador VariCAD, oferece as definições dos métodos de visualização 3D (como fontes de luz ou perspectiva). Além disso, a visualização 3D também pode ser exportada para um arquivo bitmap de alta resolução.

    Conheça melhor o VariCAD

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o VariCAD no Linux

    Para instalar o VariCAD no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados, basta se cadastrar no site, fazer login e baixar o pacote RPM ou DEB, disponível nessa página, e dar um duplo clique sobre ele. Depois, confirme a instalação e aguarde até terminar o processo.

    Se preferir usar o terminal, veja abaixo como fazer isso:

    Como instalar o VariCAD no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o VariCAD no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits e você quer baixar o VariCAD para Linux, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome varicad.deb:

    wget https://www.varicad.pt/userdata/files/release/pt/varicad2018-pt_1.03_i386.deb -O varicad.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits e você quer baixar o VariCAD VIEWER/CONVERTOR para Linux, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome varicad.deb:

    wget https://www.varicad.pt/userdata/files/release/pt/varicad2018-view-pt_1.03_i386.deb -O varicad.deb

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits e você quer baixar o VariCAD para Linux, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome varicad.deb:

    wget https://www.varicad.pt/userdata/files/release/pt/varicad2018-pt_1.03_amd64.deb -O varicad.deb

    Passo 6. Se seu sistema é de 64 bits e você quer baixar o VariCAD VIEWER/CONVERTOR para Linux, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome varicad.deb:

    wget https://www.varicad.pt/userdata/files/release/pt/varicad2018-view-pt_1.03_amd64.deb -O varicad.deb

    Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i varicad.deb

    Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove varicad*

    Como instalar o VariCAD no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

    Quem quiser instalar o VariCAD no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits e você quer baixar o VariCAD para Linux, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome varicad.rpm:

    wget https://www.varicad.pt/userdata/files/release/pt/VariCAD_2018-pt-1.03-1.i586.rpm -O varicad.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits e você quer baixar o VariCAD VIEWER/CONVERTOR para Linux, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome varicad.rpm:

    wget https://www.varicad.pt/userdata/files/release/pt/VariCAD_View_2018-pt-1.03-1.i586.rpm -O varicad.rpm

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits e você quer baixar o VariCAD para Linux, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome varicad.rpm:

    wget https://www.varicad.pt/userdata/files/release/pt/VariCAD_2018-pt-1.03-1.x86_64.rpm -O varicad.rpm

    Passo 6. Se seu sistema é de 64 bits e você quer baixar o VariCAD VIEWER/CONVERTOR para Linux, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome varicad.rpm:

    wget https://www.varicad.pt/userdata/files/release/pt/VariCAD_View_2018-pt-1.03-1.x86_64.rpm -O varicad.rpm

    Passo 7. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install varicad.rpm

    Passo 8. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall varicad.rpm

    ou

    sudo dnf install varicad.rpm

    Passo 9. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

    sudo rpm -i varicad.rpm

    Passo 10. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e varicad*

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o atalho dele ou digite varicad em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como esconder o menu de inicialização do Grub

    Como esconder o menu de inicialização do Grub

    O Grub está atrapalhando na inicialização? Se você precisa esconder o menu de inicialização do Grub, veja aqui como fazer isso.


    Normalmente, se você só tem apenas o Ubuntu instalado no seu computador, o menu do Grub fica oculto por padrão e para visualizar ele você precisa pressionar e segurar a tecla Shift para mostrar o menu durante a inicialização.

    Como esconder o menu de inicialização do GrubComo esconder o menu de inicialização do Grub

    Mas se você tiver mais que um kernel em seu sistema, o menu do Grub ficará aparecendo na inicialização, o que pode incomodar depois de um tempo, por isso, siga os passos abaixo para escondê-lo de novo.

    Como esconder o menu de inicialização do Grub editando o arquivo de configuração

    Para esconder o menu de inicialização do Grub editando o arquivo de configuração, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Abra o arquivo de configuração do grub, com o seguinte comando:

    sudo gedit /etc/default/grub

    Passo 3. Com o arquivo aberto, remova o simbolo “#” antes da linha que contém o valor “GRUB_HIDDEN_TIMEOUT = 0” e defina “GRUB_HIDDEN_TIMEOUT_QUIET = true”. na linha GRUB_TIMEOUT=10 mude o valor para 0. Depois, adicione a linha “GRUB_DISABLE_OS_PROBER=true”, caso ela ainda não exista.Dessa forma que o arquivo ficará parecido com a listagem abaixo:

    GRUB_DEFAULT=0
    GRUB_HIDDEN_TIMEOUT=0
    GRUB_HIDDEN_TIMEOUT_QUIET=true
    GRUB_TIMEOUT=0
    GRUB_DISABLE_OS_PROBER=true

    GRUB_DISTRIBUTOR=”`lsb_release -i -s 2> /dev/null || echo Debian`”
    GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT=”quiet splash”
    GRUB_CMDLINE_LINUX=””

    Passo 4. Salve e feche o arquivo;
    Passo 5. Aplique as alterações executando o comando abaixo:

    sudo update-grub

    Como esconder o menu de inicialização do Grub usando a ferramenta gráfica Grub Customizer

    Nesse outro método para esconder o menu de inicialização do Grub será preciso usar a ferramenta Grub Customizer, que é uma interface gráfica para configurar as definições e entradas de menu do GRUB2/BURG. Para isso, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:danielrichter2007/grub-customizer 

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install grub-customizer

    Passo 5. Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:grub

    Como esconder o menu de inicialização do Grub

    Passo 6. Na tela do programa, clique na aba “Configurações gerais”. Depois desmarque as caixas das opções “mostrar menu” e “procurar por outros sistemas operacionais”. Em seguida clique no botão de atualização e por fim, clique no botão “Salvar”.

    Como esconder o menu de inicialização do Grub

    Pronto. Agora o menu do Grub ficará sempre oculto e só aparecerá quando você pedir.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados

    Como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados

    Se você não quer perder nenhuma de suas ideias ou insights, conheça e veja como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados.


    Wanna é uma aplicação de lista de tarefas (To-Do list) multiplataforma, open-source e baseada no framework Electron, com foco no gerenciamento de tempo.

    Como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados

    Wanna é uma implementação de um aplicativo de lista de tarefas do século XXI. Ele introduz um novo fluxo de trabalho e tem sua própria filosofia, o que o torna diferente de outros aplicativos de listas de tarefas.

    O programa possui uma interface de usuário que adere às diretrizes de Material Design do Google para oferecer uma janela de aplicativos colorida e intuitiva.

    Wanna é um aplicativo de lista de tarefas bem recente, mas já conquistou os corações de muitos usuários de teste. E se você quiser experimentá-lo, siga o procedimento abaixo.

    Conheça melhor o app de lista de tarefas Wanna

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o app de lista de tarefas Wanna no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wanna.deb:

    wget https://github.com/mkermani144/wanna/releases/download/Flex-alpha/Wanna-setup-x64.deb -O wanna.deb

    Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

    sudo dpkg -i wanna.deb
    sudo apt-get install -f

    Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install ./wanna.deb

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wanna em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

    Desinstalando o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados

    Para desinstalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove wanna
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    KDE Plasma Mobile em smartphones Android? Já é possível!

    KDE Plasma Mobile em smartphones Android? Já é possível!

    O projeto KDE anunciou que já é possível instalar o celular KDE Plasma Mobile em smartphones Android. Confira os detalhes dessa novidade.


    Depois de anunciar algumas semanas atrás, a disponibilidade de uma imagem dedicada para instalar e executar o KDE Plasma Mobile em PCs e máquinas virtuais, o KDE publicou informações sobre como instalar o sistema em alguns smartphones.

    KDE Plasma Mobile em smartphones Android? Já é possível!KDE Plasma Mobile em smartphones Android? Já é possível!

    Então, se você quiser tentar algo novo no seu smartphone Android, o Projeto KDE fornece à comunidade não um, mas dois métodos para instalar o seu Plasma Mobile, um sistema de software completo para dispositivos móveis.

    Instalando o KDE Plasma Mobile em smartphones Android via PostmarketOS

    O primeiro método oferecido pelo projeto usa PostmarketOS, uma distribuição Alpine Linux pré-configurada e otimizada para telas sensíveis ao toque, e projetada para oferecer o Plasma Mobile do KDE como uma escolha de ambiente de trabalho/interface de usuário em cima do servidor de exibição Wayland.

    A vantagem do método postmarketOS é que ele oferece celulares Plasma Mobile para Android que executam o kernel mainline, incluindo o LG Nexus 5, o tablet Xperia Z2 da Sony e o tablet Google Nexus 7 (2013). À desvantagem, ainda está em estágios iniciais de desenvolvimento e não recomendado aos usuários finais.

    Instalando o KDE Plasma Mobile em smartphones Android com o Halium e os rootfs baseados em Neon do KDE

    O segundo método, recomendado para a maioria dos usuários finais, envolve a instalação do Halium (HAL para sistemas operacionais móveis Linux), que fornece uma camada mínima do Android para permitir que o Plasma Mobile se comunique com o kernel do Android subjacente, para acessar o hardware do dispositivo.

    Além disso, a equipe do Plasma Mobile recomenda o uso de um rootfs com base na distribuição de Neon do KDE. Você pode encontrar imagens binárias de Plasma Mobile baseadas em Halium para smartphones LG Nexus 5 e Nexus 5X no servidor de download do Projeto KDE.

    Para obter mais informações sobre como instalar o Plasma Mobile em seu dispositivo móvel baseado em Android, confira este artigo, que inclui toda a documentação e links para arquivos que você precisa baixar.

    Para completar, o vídeo abaixo mostra o KDE Plasma Mobile rodando no tablet Sony Xperia Z2.

    .smarty-2635544_1518622305577 { position: relative; padding-bottom: 56.25%!important; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%!important; } .smarty-2635544_1518622305577 iframe, .smarty-2635544_1518622305577 object, .smarty-2635544_1518622305577 embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

    Conheça melhor o KDE Plasma Mobile

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

    Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

    Se você procura um suíte office que funcione via navegador e integre diferentes usuários, experimente Instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu.


    ONLYOFFICE é um projeto que tem como objetivo fornecer aos usuários e empresas uma suíte de escritório e outras várias ferramentas integradas dentro de um servidor Linux.

    Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivadosComo instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

    ONLYOFFICE também inclui suporte para mais formatos como PDF, TXT, DOCX, DOC, ODT, RTF, HTML, EPUB, XLS, XLSX, ODS, CSV, HTML e PPTX, também tem um CRM capaz de gerir melhor nossos clientes/contatos, um sistema de faturamento e de gerenciamento de projeto.

    Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

    A ferramenta também permite interagir com serviços populares de armazenamento em nuvem, como o Google Drive, OneDrive, Dropbox, Box, OneDrive e SharePoint com a possibilidade de editar ou comentar os vários documentos entre vários usuários.

    Com ONLYOFFICE é possível acessar e operar documentos, planilhas, apresentações e etc remotamente, diretamente de nosso pc ou navegador móvel. Você pode gerenciar projetos, faturamento e outros itens, tudo através de uma simples e intuitiva interface gráfica HTML5.

    Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

    Já a versão desktop dos editores on-line ONLYOFFICE não exigem conexão constante com a Internet e pode trabalhar com arquivos off-line em seu computador. No procedimento abaixo você verá como instalar essa suíte, para usá-los e atualizar depois, como qualquer outro aplicativo Linux.

    Conheça melhor suíte office ONLYOFFICE

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo sh -c "echo  'deb http://download.onlyoffice.com/repo/debian squeeze main' >> /etc/apt/sources.list"

    Passo 3. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

    sudo apt-key adv --keyserver hkp://keyserver.ubuntu.com:80 --recv-keys CB2DE8E5

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa. atente para o fato de que durante a instalação, você será solicitado a digitar a senha para o banco de dados MySQL;

    sudo apt-get install onlyoffice-desktopeditors

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite desktopeditors no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

    Desinstalando a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

    sudo apt-get remove onlyoffice-desktopeditors --auto-remove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Game Rise of the Tomb Raider está chegando ao Linux

    Game Rise of the Tomb Raider está chegando ao Linux

    É isso mesmo, o Game Rise of the Tomb Raider está chegando ao Linux (e ao MacOS). O lançamento do jogo Linux foi foi praticamente (e oficialmente) confirmado. Confira os detalhes.


    A Feral Interactive anunciou através de um tweet, que está por trás dos ports do título de ação e aventura Rise of the Tomb Raider, tanto para o MacOS, quanto para o Linux.

    Game Rise of the Tomb Raider está chegando ao LinuxGame Rise of the Tomb Raider está chegando ao Linux

    Traduzindo o anúncio:

    Nesta primavera, embarque em uma ação-aventura dramática em Rise of the @TombRaider para MacOS e Linux. Se você não pode esperar para satisfazer sua ansiedade por aventura, assista o #TuesdayTrailer para esta sequela de tirar o fôlego:

    Game Rise of the Tomb Raider está chegando ao Linux

    Game Rise of the Tomb Raider está chegando ao Linux

    Segundo lançamento da franquia Tomb Raider depois do reboot, Rise of the Tomb Raider acompanha os eventos de Tomb Raider (2013), que foi lançado no MacOS e Linux em 2016.

    Aclamado após o lançamento (de acordo com o site de pontuações agregadas Metecritic ele tem uma pontuação média de 86/100), Rise of the Tomb Raider vendeu quase 7 milhões de cópias – um faturamento que certamente poderá aumentar um pouco mais, quando estiver disponível no MacOS e Linux.

    Rise of the Tomb Raider foi lançado pela primeira vez para Xbox One e Xbox 360 em 2015, antes de chegar no Windows em 2016, via Steam. Então, ele não é um novo jogo. No entanto, sua chegada tardia no Linux e o macOS tem um benefício: ele virá com todo o conteúdo do Tomb Raider DLC incluído.

    A Feral Interactive estará liderando o Rise of the Tomb Raider: 20 Year Celebration, que contém toda a coleção de DLCs, incluindo Baba Yaga: The Temple of the Witch, Blood Ties, Lara’s Nightmare, bem como as configurações de dificuldade Extreme Survivor e Endurance Mode.

    O mini-site da Feral para o jogo menciona que o jogo faz uso da tecnologia Metal 2 API no MacOS e Vulkan no Linux, para oferecer gráficos “espetaculares”.

    Apesar do anúncio, a Feral Interactive ainda não anunciou os requisitos do sistema para jogadores de Linux e Mac, bem como a data de lançamento oficial. Até lá, fique de olho no site, que qualquer novidade sobre o assunto será publicada.

    Conheça melhor o Rise of the Tomb Raider

    Se você quiser saber mais sobre o jogo, seus recursos, e assim por diante, você pode acessar a página do jogo no Steam.

    .smarty-2635419_1518615909011 { position: relative; padding-bottom: 56.25%!important; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%!important; } .smarty-2635419_1518615909011 iframe, .smarty-2635419_1518615909011 object, .smarty-2635419_1518615909011 embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Se você passa horas na frente do PC, precisa de algo para relaxar, e para ajudá-lo nisso, confira uma lista de aplicativos para ouvir rádios online no Linux. Depois é só curtir.


    Existem milhares de rádios online. E o problema está exatamente em encontrar uma nesse grande variedade. Felizmente, existem programas que ajudam nisso e deixam muito mais fácil escolher e ouvir essas rádios, diretamente no PC.

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no LinuxConheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Mas ao contrário do que muitos vendem por por aí, o Linux possui boas opções de programas para ouvir rádios online. Por isso, criei essa lista para os usuários interessado em ouvir rádios online no Linux.

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    A lista abaixo inclui leitores de rádio de Internet leves, uma aplicação de desktopcompleto, um navegador de rádio de linha de comando e um player, bem como uma extensão para GNOME Shell com essa função. Confira os detalhes de cada programa e escolha aquele que serve para você.

    PyRadio

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    PyRadio é um reprodutor de rádio baseadas na internet que é executado no terminal. O software é implementado com Python e usa mplayer ou VLC, para reprodução de mídia.

    Então, se você quer curtir músicas e ainda aproveitar melhor os recursos do seu PC, você poder usar o PyRadio para ouvir rádios online no terminal.

    Como instalar o PyRadio

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Como ouvir rádios online no terminal com PyRadio


    Goodvibes

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Goodvibes é um leitor de rádios online (via Internet) para Linux, que oferece uma maneira simples de acessar e ouvir suas estações de rádio favoritas. Por baixo do capô, Goodvibes conta com bibliotecas abertas comprovadas e aprovadas: GLib no núcleo, GStreamer para lidar com o áudio e GTK+ para a interface gráfica do usuário.

    O player fornece tudo o que você pode esperar de um player de mídia moderno: suporte a teclas multimídia, a mpris2, notificações e inibição de ociosidade do PC. Ele pode ser iniciado com ou sem interface gráfica, pois vem com um cliente de linha de comando.

    Por baixo do capô, Goodvibes conta com bibliotecas abertas comprovadas e aprovadas: GLib no núcleo, GStreamer para lidar com o áudio, e GTK+ para a interface gráfica do usuário.

    Como instalar o Goodvibes

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Como instalar o app de rádios Goodvibes no Ubuntu, Mint, Debian e derivados


    Gradio

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Gradio não é “apenas mais um app de rádios”, é algo novo. O programa permite que os usuários possam encontrar estações de rádio, apenas digitando em sua caixa de pesquisa. Em seguida, já é possível ouvir uma rádio de internet, apenas clicando sobre ela.

    O Gradio permite que você encontre e reproduza estações de rádio online de um jeito simples, pois você não precisa lutar com arquivos .pls ou .m3u, você não precisa configurar o equipamento de varredura ou anexar uma antena DAB e, ao contrário de alguns aplicativos similares, você não precisará copiar e colar uma URL em uma caixa.

    Como instalar o Gradio

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Quer ouvir rádios online no Linux? Use o Gradio


    Radio Tray

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Radio Tray é um player de rádio de Internet minimalista, que fica na bandeja do sistema (suporta o AppIndicator do Ubuntu). O aplicativo não é novo, mas é leve e um também excelente player de rádio .

    Ele vem com uma lista de estações de rádio incorporadas e permite que você adicione novas de um jeito fácil. Uma particularidade dele é que não há uma interface para o player atual: o aplicativo é controlado a partir da bandeja/AppIndicator ou usando as teclas de mídia do sistema.

    Como instalar o Radio Tray

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Ouça rádios online no Linux com Radio Tray e Radio Tray Lite


    Curseradio

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Curseradio é diferente de todas as outras opções desta lista: ele é um navegador de rádios online e reprodutor de linha de comando, que usa uma interface curses, e mpv para reprodução de áudio. A ferramenta faz uso do diretório TuneIn para obter sua lista de emissoras de rádio.

    Infelizmente, o Curseradio não suporta a adição de suas próprias estações de rádio. No entanto, a lista embutida é bastante extensa e fornece estações de rádio para qualquer gosto. Além disso, o diretório TuneIn que ele usa tem uma seção de rádio local, que tenta listar as estações de rádio com base em sua localização.

    Como instalar o Curseradio

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Como instalar o Curseradio no Ubuntu e derivados


    Radio Tray Lite

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    Radio Tray Lite é um app que vem com uma lista de rádios e para adicionar novas estações de rádio, você deve editar um arquivo. Assim como a Rádio Tray, esta aplicação usa o GStreamer, por isso deve desempenhar a maioria dos formatos de mídia, no entanto, ele não possui alguns recursos disponíveis no Rádio Tray, como o suporte a plugins (portanto, nenhum suporte de mídia, etc.) ou uma interface para para adicionar novas estações de rádio.

    Como instalar o Radio Tray Lite

    Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
    Ouça rádios online no Linux com Radio Tray e Radio Tray Lite


    GNOME Shell Internet Radio

    Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

    O GNOME Shell Internet Radio (ou GNOME Shell Extension Radio) é uma extensão simples para ouvir transmissões de rádio da Internet, que suporta o GNOME Shell 3.18, 3.20 e 3.22. Ele não é um aplicativo autônomo de rádios, mas sim uma extensão, que basicamente fornece para o GNOME Shell o equivalente a essa função.

    A extensão é fornecida apenas com 4 estações de rádio da Internet por padrão, mas fornece uma pesquisa embutida para o diretório de rádio “radio-browser.info”, para que você possa facilmente adicionar novas estações de rádio a partir da interface de usuário da extensão. Você também pode adicionar suas próprias estações de rádio:

    Como instalar o GNOME Shell Internet Radio

    Para instalar esse aplicativo no Linux, basta estar no Gnome Shell e acessar a página da extensão a partir do diretório Extensões do GNOME.


    Não encontrou seu aplicativo para ouvir rádios online no Linux na lista? Coloque o nome dele nos comentários e ele aparecerá. Essa lista será atualizada e republicada, sempre que houver uma novidade. Fique de olho!

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    [unable to retrieve full-text content]

    Como atualizar para o Ubuntu 17.10 via terminal (server e desktop)

    Como atualizar para o Ubuntu 17.10 via terminal (server e desktop)

    O Ubuntu 17.10 foi lançado há um bom tempo, e já é possível mudar seu sistema para essa versão. Se você ainda não sabe como fazer isso, acompanhe e aprenda neste simples tutorial, como atualizar para o Ubuntu 17.10 via terminal (server e desktop).


    Ubuntu 17.10 marcará o inicio da próxima geração do sistema da Canonical, principalmente porque agora, ele usa o GNOME Shell como o ambiente de trabalho padrão, no lugar do Unity.

    Como atualizar para o Ubuntu 17.10 via terminal (server e desktop)Como atualizar para o Ubuntu 17.10 via terminal (server e desktop)

    Antes de atualizar, você deve estar ciente que o Ubuntu 17.10 não é uma versão LTS (Long Term Support ou Longo Tempo de Suporte). Portanto, essa versão juntamente com todas as suas variantes (ou sabores) reconhecidas pela Canonical, terá um suporte de apenas 9 meses, até julho de 2018.

    Se você precisar de suporte de longo prazo, recomenda-se que use o Ubuntu 16.04 LTS e aguarde a próxima versão LTS.

    E se você quer ficar por dentro de tudo que virá com a próxima versão do sistema da Canonical, confira esse artigo:

    Confira as principais novidades do futuro Ubuntu 17.10

    Atenção!

    Esteja ciente de que versões não-LTS, não são adequadas para quem necessita de um sistema estável ou não se sente confortável com os ocasionais, e até mesmo frequentes, bugs e quebras de sistema. E embora este seja um procedimento considerado seguro, faça a atualização por sua própria conta e risco.

    Importante: Antes de começar o processo de atualização, você precisa fazer um backup dos arquivos importantes e de seus arquivos de configuração, se você estiver executando qualquer serviço no servidor Ubuntu.

    E vale lembrar que esse procedimento também pode ser usado em versões desktop e servidor do Ubuntu. Também é muito importante saber que para atualizar, seu sistema atual precisa ser o Ubuntu 17.04.

    Mais sobre o Ubuntu 17.10

    Conheça melhor a distribuição Ubuntu

    Para saber mais sobre a distribuição Ubuntu, clique nesse link.

    Como atualizar para o Ubuntu 17.10 via terminal (server e desktop)

    Depois de tomadas as devidas precauções, atualizar para o Ubuntu 17.10 via terminal (server e desktop), faça o seguinte:
    Passo 1. Faça login com sua conta em um terminal do Ubuntu server;
    Passo 2. Instale o update-manager-core primeiro, executando o comando abaixo:

    sudo apt-get install update-manager-core

    Passo 3. Faça uma copia de segurança do arquivo /etc/update-manager/release-upgrades, antes de editá-lo;

    sudo cp /etc/update-manager/release-upgrades /etc/update-manager/release-upgrades.original

    Passo 4. Visualize o arquivo /etc/update-manager/release-upgrades, antes de editá-lo;

    cat /etc/update-manager/release-upgrades

    Passo 5. De acordo com o conteúdo do arquivo /etc/update-manager/release-upgrades, use um dos comandos abaixo para ajustá-lo;

    sudo sed -i 's/Prompt=lts/Prompt=normal/g' /etc/update-manager/release-upgrades
    sudo sed -i 's/Prompt=never/Prompt=normal/g' /etc/update-manager/release-upgrades

    Passo 6. Inicie o processo de atualização com o comando:

    sudo do-release-upgrade -d

    Passo 7. Agora siga as instruções na tela e logo estará pronto.

    Como atualizar para o Ubuntu 17.10 via terminal (server e desktop)

    Pronto! Seu sistema está atualizado.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o editor de partituras TuxGuitar no Linux

    Como instalar o editor de partituras TuxGuitar no Linux

    Se você trabalha com música e procura por uma ferramenta para criar partituras, veja como instalar o editor de partituras TuxGuitar no Linux.


    TuxGuitar é um editor e player de partituras para guitarras, escrito em Java-SWT. Mesmo sendo focado em guitarras, você também pode usar o TuxGuitar para criar partituras para outros instrumentos de cordas e até mesmo bateria.

    Como instalar o editor de partituras TuxGuitar no LinuxComo instalar o editor de partituras TuxGuitar no Linux

    Além de poder criar e editar partituras musicais, com o TuxGuitar você também pode exportar arquivos para os programas GuitarPRO, PowerTab e TablEdit, que são bem conhecidos por usuários desse tipo de aplicativo.

    Conheça melhor o editor de partituras TuxGuitar no Linux

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a versão mais recente do editor de partituras TuxGuitar no Linux

    TuxGuitar está disponível nos repositórios oficiais das principais distribuições Linux, e pode ser instalado usando o gerenciados de programas delas.

    No entanto, o software disponibilizado nem sempre é a versão mais recente. Por isso, para instalar a versão mais recente do editor de partituras TuxGuitar no Linux, você pode usar um dos procedimentos abaixo.

    Preparando o sistema para instalar o TuxGuitar no Linux

    Um dos pré requisitos para instalar o TuxGuitar no Linux é a instalação do Java mais recente, para isso, veja os tutoriais abaixo (de acordo com o feedback dos leitores, é recomendável usar a versão 8 do Java da Oracle):

    Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
    Como instalar Java no Linux manualmente
    Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
    Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8

    Como instalar a versão mais recente do editor de partituras TuxGuitar no Linux em distros que suportam Snap

    Para instalar a versão mais recente do editor de partituras TuxGuitar no Linux via Snap, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se essa for a primeira vez que instala um aplicativo usando o pacote SNAP, antes você pode precisa instalar o snapd com esse comando (caso ainda não esteja instalado). Em versões recentes do Ubuntu (como 16.04 e 16.10 ou 17.04), este ele já deve estar instalado por padrão. Para o Ubuntu 14.04, você precisa instalar o snapd com esse comando;

    sudo apt-get install snapd snapd-xdg-open

    Passo 3. Instale a versão mais recente do TuxGuitar via SNAP, usando esse comando:

    sudo snap install tuxguitar-vs

    Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap do TuxGuitar, use:

    sudo snap refresh tuxguitar-vs

    Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove tuxguitar-vs

    Como instalar o editor de partituras TuxGuitar no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o editor de partituras TuxGuitar no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome tuxguitar.deb:

    wget https://ufpr.dl.sourceforge.net/project/tuxguitar/TuxGuitar/TuxGuitar-1.5/tuxguitar-1.5-linux-x86.deb -O tuxguitar.deb

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome tuxguitar.deb:

    wget https://ufpr.dl.sourceforge.net/project/tuxguitar/TuxGuitar/TuxGuitar-1.5/tuxguitar-1.5-linux-x86_64.deb -O tuxguitar.deb

    Passo 7. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

    sudo dpkg -i tuxguitar.deb
    sudo apt-get install -f

    Passo 8. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install ./tuxguitar.deb

    Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove tuxguitar --auto-remove

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite tuxguitar em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

    Se não conseguir localizar o comando de execução, execute o comando abaixo:

    which tuxguitar

    Se uiser experimentar outra opção, dê uma olhada nesse tutorial;

    Como instalar o editor de partituras MuseScore no Linux

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o conversor multimídia Ciano no Linux via Flatpak

    x

    Se você possui muitos arquivos de áudio, vídeo e imagens, e quer otimizá-los, conheça e veja como instalar o conversor multimídia Ciano no Linux via Flatpak.


    Ciano é um simples conversor de arquivos multimídia, que foi criado inicialmente para o sistema operacional elementary OS. Com ele você pode fazer a conversão de vídeos, música e imagens sem complicações, pois além de simples, ele usa as maiores ferramentas de conversão: FFmpeg e ImageMagick.

    Como instalar o conversor multimídia Ciano no Linux via FlatpakComo instalar o conversor multimídia Ciano no Linux via Flatpak

    Focada na simplicidade, Ciano traz uma nova abordagem para usar o FFmpeg e o ImageMagick, sem a necessidade de escrever um único código de linha de comando. Ele também tem suporte para muitos codecs e recipientes como MPEG4, MPEG, FLV, AVI, OGG, GIF, VOB, MP3, WMA e muito mais.

    Por causa dessa sua simplicidade e praticidade, o programa pode ser considerado a maneira mais fácil de converter seus arquivos multimídia para os formatos mais populares.

    Conheça melhor o conversor multimídia Ciano

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o conversor multimídia Ciano no Linux via Flatpak

    Para instalar o conversor multimídia Ciano no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o conversor multimídia Ciano no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/com.github.robertsanseries.ciano.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update com.github.robertsanseries.ciano

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall com.github.robertsanseries.ciano

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.robertsanseries.ciano em um terminal.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a última versão do driver Nvidia no Linux

    Como instalar a última versão do driver Nvidia no Linux

    Foi lançada mais uma atualização do Nvidia Driver para Linux. Se você utiliza um hardware suportado por esse pacote, veja aqui como instalar a última versão do driver Nvidia no Linux, ou melhor, em qualquer distribuição Linux suportada por ele.


    NVIDIA é uma multinacional americana com sede em Santa Clara, no estado da Califórnia, que fabrica peças de computador, e é mais popularmente conhecida por sua série de placas de vídeo GeForce.

    Como instalar a última versão do driver Nvidia no LinuxComo instalar a última versão do driver Nvidia no Linux

    A empresa também é uma das poucas que produz drivers para Linux, mas apesar de todo o esforço dela, nem sempre é fácil instalar o driver de suas placas no sistema. Para ajudar os usuários desse sistema, esse tutorial mostrará como fazer para instalar a última versão do driver Nvidia no Linux.

    Conheça melhor o driver NVIDIA

    Para saber mais sobre o Driver Nvidia, clique nesse link

    Antes de iniciar começar a instalar o driver NVIDIA no Linux, saiba que este é um procedimento que apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

    Como instalar a última versão do driver Nvidia no Linux

    Para instalar a última versão do driver Nvidia no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema, usando o comando abaixo:

    uname -m

    Passo 3. Se você estiver usando um sistema de 32 bits e quiser usar a versão Long Lived Branch (ramo de longa duração) do driver Nvidia, baixe o instalador com o comando:

    wget http://us.download.nvidia.com/XFree86/Linux-x86/390.25/NVIDIA-Linux-x86-390.25.run -O nvidia-linux.run

    Passo 4. Se você estiver usando um sistema de 32 bits e quiser usar a versão Short Lived Branch (ramo de curta duração) do driver Nvidia, baixe o instalador com o comando:

    wget http://us.download.nvidia.com/XFree86/Linux-x86/387.34/NVIDIA-Linux-x86-387.34.run -O nvidia-linux.run

    Passo 5. Se você estiver usando um sistema de 64 bits e quiser usar a versão Long Lived Branch (ramo de longa duração) do driver Nvidia, baixe o instalador com o comando:

    wget http://us.download.nvidia.com/XFree86/Linux-x86_64/390.25/NVIDIA-Linux-x86_64-390.25.run -O nvidia-linux.run

    Passo 6. Se você estiver usando um sistema de 64 bits e quiser usar a versão Short Lived Branch (ramo de curta duração) do driver Nvidia, baixe o instalador com o comando:

    wget http://us.download.nvidia.com/XFree86/Linux-x86_64/387.34/NVIDIA-Linux-x86_64-387.34.run -O nvidia-linux.run

    Passo 7. Se houver um driver proprietário já instalado, remova ele com usando o gerenciador de pacotes de sua distro e se necessário, reinicie o computador:
    Passo 8. Pressione as teclas Ctrl + Alt + F1 (ou F2,F3,F4,F5,F6) para mudar para o console de comando;
    Passo 9. Em seguida, entre com seu nome de usuário e senha;
    Passo 10. Pare a sessão gráfica atual com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando. Se sua distribuição não suportar algum dos comandos, por favor, consulte a documentação dela:
    LightDM

    sudo service lightdm stop

    ou

    sudo /etc/init.d/lightdm stop

    GDM

    sudo service gdm stop

    ou

    sudo /etc/init.d/gdm stop

    MDM

    sudo service mdm stop

    ou

    sudo /etc/init.d/kdm stop

    KDM

    sudo service kdm stop

    ou

    sudo /etc/init.d/mdm stop

    Passo 11. Torne o instalador executável com o comando:

    sudo chmod +x nvidia-linux.run

    Passo 12. Finalmente, inicie o instalador e siga as instruções dele:

    sudo sh nvidia-linux.run

    Passo 13. Depois de instalar, inicie a sessão gráfica com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando ou simplesmente reinicie o computador. Se sua distribuição não suportar algum dos comandos, por favor, consulte a documentação dela;
    LightDM

    sudo service lightdm start

    ou

    sudo /etc/init.d/lightdm start

    GDM

    sudo service gdm start

    ou

    sudo /etc/init.d/gdm start

    MDM

    sudo service mdm start

    ou

    sudo /etc/init.d/kdm start

    KDM

    sudo service kdm start

    ou

    sudo /etc/init.d/mdm start

    Como desinstalar o driver NVIDIA no Linux

    Você deve guardar o arquivo do instalador, pois se por algum motivo esse driver não funcionar corretamente, desinstale-o fazendo o seguinte:
    Passo 1. Pressione as teclas Ctrl + Alt + F1 (ou F2,F3,F4,F5,F6) para mudar para o console de comando;
    Passo 2. Em seguida, entre com seu nome de usuário e senha;
    Passo 3. Pare a sessão gráfica atual com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando. Se sua distribuição não suportar algum dos comandos, por favor, consulte a documentação dela:
    LightDM

    sudo service lightdm stop

    ou

    sudo /etc/init.d/lightdm stop

    GDM

    sudo service gdm stop

    ou

    sudo /etc/init.d/gdm stop

    MDM

    sudo service mdm stop

    ou

    sudo /etc/init.d/kdm stop

    KDM

    sudo service kdm stop

    ou

    sudo /etc/init.d/mdm stop

    Passo 4. Finalmente, inicie o instalador e desinstale o driver com o comando abaixo:

    sudo sh nvidia-linux.run  --uninstall

    Passo 5. Depois de desinstalar, inicie a sessão gráfica com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando ou simplesmente reinicie o computador. Se sua distribuição não suportar algum dos comandos, por favor, consulte a documentação dela;
    LightDM

    sudo service lightdm start

    ou

    sudo /etc/init.d/lightdm start

    GDM

    sudo service gdm start

    ou

    sudo /etc/init.d/gdm start

    MDM

    sudo service mdm start

    ou

    sudo /etc/init.d/kdm start

    KDM

    sudo service kdm start

    ou

    sudo /etc/init.d/mdm start

    Se você estiver usando o Ubuntu ou um derivado dele e não quiser usar o procedimento acima, use este tutorial:
    Instalando os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o ClipGrab no Linux manualmente

    Como instalar o ClipGrab no Linux manualmente

    Se você precisa de um programa para procurar e baixar vídeos em sites desse tipo de mídia, veja como instalar o ClipGrab no Linux manualmente.


    ClipGrab é uma ferramenta gráfica simples que permite que você faça busca e download de vídeos do YouTube, Vimeo, Metacafe, e outros sites de vídeo, para salvar no formato original do vídeo ou converter para MPEG4, MP3, WMV, OGG.

    Como instalar o ClipGrab no Linux manualmenteComo instalar o ClipGrab no Linux manualmente

    Você pode conferir aqui quais sites são suportados por este software. Mas a ferramenta não se limita aos sites listados, porque muitos mais locais são suportados “extra oficialmente” através do site de reconhecimento automático do ClipGrab.

    O programa permite salvar o vídeo no formato original ou converter para WMV, MPEG4, OGG Theora, MP3 (apenas áudio), OGG Vorbis (apenas áudio).

    Se o FFmpeg (veja como instalar ele no Ubuntu) ou Avconv (veja como usar) estiver instalado, ClipGrab também pode baixar vídeos em HD a partir de sites que tenham suporte para alta definição.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Se você usa Ubuntu e derivados…

    Se o que você quer é instalar o ClipGrab no Ubuntu e derivados, veja esse outro tutorial:
    Baixar vídeos do YouTube: veja como instalar o ClipGrab via repositório

    Pré requisitos para instalar o ClipGrab

    ClipGrab também suporta vídeos HD 1080p, claro, se o ffmpeg ou avconv estiver instalado. Se seu sistema não tiver nenhum dos dois, instale seguindo esses tutoriais:
    Como codificar vídeo H.265 usando FFmpeg no Linux (4K e 8K)
    11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux
    Como instalar a versão mais recente do FFmpeg no Debian, Ubuntu e Fedora
    FFmpeg no Ubuntu: veja como instalar esse pacote no 14.04/14.10 via repositório

    Indo além dos vídeos do YouTube com o ClipGrab

    Você pode conferir aqui quais sites são suportados por este software. Mas a ferramenta não se limita aos sites listados, porque muitos mais locais são suportados “extra oficialmente” através do site de reconhecimento automático do ClipGrab.

    Em sistemas baseados no Debian, execute o comando abaixo para que o aplicativo possa suportar vídeos HD 1080p (se sua distro não é, procure os pacotes no gerenciador de pacotes dela).

    sudo apt-get install libc6 libgcc1 libqt4-network libqt4-xml libqtcore4 libqtgui4 libqtwebkit4 libstdc++6 libvorbis0a libogg0 libavcodec-extra-54 libav-tools

    Conheça melhor o ClipGrab

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o ClipGrab no Linux manualmente

    Para instalar o ClipGrab no Linux manualmente a partir de um pacote, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/clipgrab*
    sudo rm -Rf /usr/bin/clipgrab
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/clipgrab.desktop

    Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se o seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e clique no link “Show all download options”. Depois, baixe a última versão e salve o arquivo com o nome clipgrab.tar.bz2:

    wget https://download.clipgrab.org/clipgrab-3.6.6.tar.bz2 -O clipgrab.tar.bz2

    Passo 5. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

    sudo tar -xjvf clipgrab.tar.bz2 -C /opt/

    Passo 6. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

    sudo mv /opt/clipgrab*/ /opt/clipgrab

    Passo 7. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -sf /opt/clipgrab/clipgrab /usr/bin/clipgrab

    Passo 8. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=clipgrab\n Exec=/opt/clipgrab/clipgrab\n Icon=Totem\n Type=Application\n Categories=Application;Network' | sudo tee /usr/share/applications/clipgrab.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite clipgrab no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/clipgrab.desktop
    cp /usr/share/applications/clipgrab.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/clipgrab.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como remover o programa no Linux

    Para remover o programa no Linux, apague a pasta, o link e o atalho do programa com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/clipgrab*
    sudo rm -Rf /usr/bin/clipgrab
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/clipgrab.desktop

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados

    Instale o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados

    Se você procura uma forma de personalizar Quicklist no Unity, experimente instalar o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados.


    QLE Unity Quicklist Editor é um aplicativo para edição de quicklists, composto de uma interface gráfica, para adicionar ou remover entradas, divisórias, grupos de ações, url e etc.

    Instale o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivadosInstale o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados

    Para quem ainda não conhece o recurso, no lançador do Unity alguns aplicativos usam “quicklists”, na verdade, não é apenas o Unity, porque DockBarX, Plank e Cairo Dock também suportam Unity quicklists. O recurso permite a você acessar tarefas comuns para esses aplicativos.

    Aqui tem dois bons exemplos de uso de quicklists:
    Como acessar seus sites favoritos a partir de uma Quicklist no Unity

    Como criar uma Unity Quicklist para controlar o Spotify no Linux

    Mas nem todos os aplicativos têm quicklists e se você quiser adicionar o seu próprio ou criar alguns lançadores personalizados com quicklists, isso é possível com o QLE Unity Quicklist Editor, melhor ainda, de um jeito muito fácil.

    Conheça melhor o QLE Unity Quicklist Editor

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

    Instalando o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados

    Para instalar o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:vlijm/qle

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install qle

    Como instalar o QLE Unity Quicklist Editor manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite qle no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove qle --auto-remove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    13 de fevereiro de 2018

    Como instalar o jogo nInvaders e se divertir no terminal

    Como instalar o jogo nInvaders e se divertir no terminal

    Se você gosta de jogos antigos e simples, tem de conhecer e descobrir como instalar o jogo nInvaders, e se divertir no terminal.


    nInvaders é uma versão terminal do popular jogo Space invaders. Nele, os jogadores têm que defender a Terra dos invasores espaciais, controlando navios de guerra na parte inferior da tela (Terra). O objetivo principal do jogo é destruir ondas de naves com uma espaçonave humana para ganhar o maior número de pontos possível.

    Como instalar o jogo nInvaders e se divertir no terminalComo instalar o jogo nInvaders e se divertir no terminal

    Para quem não conhece, Space Invaders é um jogo de videogame de arcade desenhado por Tomohiro Nishikado e que foi lançado em 1978. Ele foi um dos primeiros jogos de tiro com gráfico bidimensional.

    Essa game foi originalmente construído pela Taito Corporation e um tempo depois foi licenciado para produção nos Estados Unidos pela Midway Games. Para construir o jogo, Nishikado se inspirou na mídia popular, como Guerra dos Mundos e Star Wars.

    Conheça melhor o jogo nInvaders

    Para saber mais sobre esse jogo, clique nesse link.

    Como instalar o jogo nInvaders e se divertir no terminal

    Para instalar o jogo nInvaders no Linux, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Para instalar o jogo nInvaders no Debian, Ubuntu e derivados, use esse comando;

    sudo apt-get install ninvaders

    Passo 3. Para instalar o jogo nInvaders no Fedora, RHEL, CentOS e derivados, use esse comando;

    sudo yum install ninvaders

    ou

    sudo dnf install ninvaders

    Passo 4. Para instalar o jogo nInvaders no OpenSuse e derivados, use esse comando;

    sudo zypper install ninvaders

    Usando o nInvaders

    Agora que o jogo já está instalado, quando quiser iniciá-lo, digite ninvaders em um terminal, e tecle enter.

    Use a tecla de espaço para iniciar o jogo e atirar, e as setas direita e esquerda para se movimentar para escapar dos inimigos e acertá-los.

    Assim como no Space Invaders, em nInvaders, o jogador controla os movimentos da arma “Laser Base”, um canhão laser que se movimento na parte inferior da tela. Da parte superior marcham em direção ao canhão aliens organizados em linhas.

    O objetivo do jogador é evitar que os aliens atinjam a parte inferior da tela, para essa tarefa o canhão possui munição infinita para atirar. Ao acertar e destruir um número grande aliens os restantes começam a marchar mais rapidamente em direção ao jogador.

    Quando o jogador elimina todos os aliens uma nova formação é montada agora iniciando uma linha abaixo da formação anterior. Ocasionalmente uma nave surge voando na parte superior da tela e dá ao jogador pontos extras quando atingida.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Planeta Ubuntu Brasil

    O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


    Última atualização:
    17 de fevereiro de 2018, 19:03
    Horário UTC

    Planet ATOM
    RSS10 RSS20
    OPML FOAF

    Blogs inscritos


    © 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
    Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.