26 de outubro de 2021

Como instalar o Disk Usage Analyzer no Linux via Flatpak

Se você quer ficar de olho no espaço em disco do seu computador, conheça e veja como instalar o Disk Usage Analyzer no Linux via Flatpak.

Disk Usage Analyzer é um aplicativo simples para manter o uso do disco e o espaço disponível sob controle, para isso, ele permite que você verifique os tamanhos das pastas e espaço em disco disponível.

Como instalar o Disk Usage Analyzer no Linux via FlatpakComo instalar o Disk Usage Analyzer no Linux via Flatpak

O Disk Usage Analyzer pode verificar pastas específicas, dispositivos de armazenamento e contas online. Ele fornece uma árvore e uma representação gráfica mostrando o tamanho de cada pasta, tornando mais fácil identificar onde o espaço em disco é desperdiçado.

Como instalar o Disk Usage Analyzer no Linux via Flatpak

Para instalar o Disk Usage Analyzer via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o Disk Usage Analyzer via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.baobab.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.baobab

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.baobab em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro.

Depois, caso seja necessário, desinste o Disk Usage Analyzer no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.baobab

Ou

flatpak uninstall org.gnome.baobab

Adblock test (Why?)

Como instalar a linguagem de rastreamento BPFtrace no Linux via Snap

Se você quer lidar com scripts para bytecode BPF, conheça e veja como instalar a linguagem de rastreamento BPFtrace no Linux via Snap.

BPFtrace é uma linguagem de rastreamento de alto nível para o Filtro de Pacotes Berkeley aprimorado para Linux, disponível em kernels Linux recentes.

Como instalar a linguagem de rastreamento BPFtrace no Linux via Snap

BPFtrace usa LLVM como backend para compilar scripts para bytecode BPF e faz uso de BCC para interagir com o sistema Linux BPF, bem como recursos de rastreamento Linux existentes: rastreamento dinâmico de kernel, rastreamento dinâmico de nível de usuário e pontos de rastreamento.

Como instalar a linguagem de rastreamento BPFtrace no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar a linguagem de rastreamento BPFtrace no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar a linguagem de rastreamento BPFtrace no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install bpftrace

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install bpftrace --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install bpftrace --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install bpftrace --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh bpftrace

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite bpftrace ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar a linguagem de rastreamento BPFtrace via Snap, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove bpftrace

Adblock test (Why?)

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Se você precisa instalar programas em diferentes sistemas, veja como instalar o suporte a Flatpak no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e seus derivados.

O Flatpak é a tecnologia de próxima geração para a construção e instalação de aplicativos de desktop, que promete revolucionar a forma de instalar programas no Linux.

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSEComo instalar o suporte a Flatpak no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

Concorrente direto do formato Snap, Flatpak é um tipo de sistema de gerenciamento de aplicativos multissistema, pois funciona no Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE, Red Hat, Mint, Endless, Arch, Gentoo, Solus, Alpine, Mageia, Pop!_OS, elementary OS e nos derivados destes.

Essa tecnologia inclui um ambiente de sandbox (caixa de areia), chamada Bubblewrap. Com isso, é possível executar aplicações isoladas do resto do sistema, o que resulta em mais segurança.

Para ver uma lista de aplicativos suportados por essa tecnologia, acesse esse a página de programas do projeto.

Para ver uma lista de distribuições que suportam essa tecnologiapágina Quick Setup do projeto.

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Para instalar o suporte a Flatpak no Linux, você deve usar um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o suporte a Flatpak no Alpine Linux e derivados

Para instalar o suporte a Flatpak no Alpine Linux e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Instale com o seguinte comando;

apk add flatpak

Ou

sudo apk add flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no Arch Linux e derivados

Para instalar o suporte a Flatpak no Arch Linux e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Instale com o seguinte comando;

pacman -S flatpak

Ou

sudo pacman -S flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no Ubuntu, Mint e derivados

Flatpak está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu (a partir do Ubuntu 16.10) e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt install flatpak.

Mas se você está usando o Ubuntu 16.04, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:alexlarsson/flatpak

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install --install-recommends flatpak

Ou

sudo apt install flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no Debian e derivados

Flatpak já vem instalado no sistema partir do Debian 9 Stretch. Nas versões anteriores, a instalação do Flatpak pode ser feita da seguinte forma:

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

apt-get update

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o suporte a Flatpak;

sudo apt install --install-recommends flatpak

Ou

sudo apt install flatpak

Passo 4. Se você estiver executando o GNOME, também é uma boa idéia instalar o plugin Flatpak para o GNOME Software. Para fazer isso, execute este comando;

apt install gnome-software-plugin-flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no Fedora, Mageia e derivados

A partir da versão 23 do Fedora, é possível baixar e instalar o Flatpak dos repositórios, com o dnf. Para isso, basta fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Instale com o seguinte comando;

dnf install flatpak

Passo 3. Caso você prefira utilizar o urpmi como gerenciador de pacotes, use:

urpmi flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no openSUSE e derivados

Para instalar o suporte a Flatpak no openSUSE e derivados, faça o seguinte;

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Instale com o seguinte comando;

zypper install flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no NixOS e derivados

Para instalar o suporte a Flatpak no NixOS e derivados, faça o seguinte;

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Instale com o seguinte comando;

sudo nix-env -iA nixos.flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux Solus e derivados

Para instalar o suporte a Flatpak no Linux Solus e derivados, faça o seguinte;

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Instale com o seguinte comando;

sudo eopkg install flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no Red Hat Enterprise Linux e derivados

Para instalar o suporte a Flatpak no Red Hat Enterprise Linux e derivados, faça o seguinte;

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Instale com o seguinte comando;

sudo yum install flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no Void Linux e derivados

Para instalar o suporte a Flatpak no Void Linux e derivados, faça o seguinte;

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. Instale com o seguinte comando;

sudo xbps-install -S flatpak

Como instalar o suporte a Flatpak no Clear Linux e derivados

Para instalar o suporte a Flatpak no Clear Linux e derivados, faça o seguinte;

Passo 1. Abra um terminal, de preferência como administrador (root);
Passo 2. O Flatpak é instalado e o repositório do Flathub é pré-configurado por padrão no Clear Linux ao instalar o pacote de desktop. Instale com o seguinte comando;

sudo swupd bundle-add desktop

Como usar Flatpak no Linux

Já com o suporte a Flatpak instalado em sua distribuição, atualize os repositórios de seu gerenciamento, para isso, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak remote-add gnome https://sdk.gnome.org/gnome.flatpakrepo

Depois disso, basta instalar a aplicação. Para isso, existem vários comandos, mas a forma mais simples de instalar seja indicando a url do arquivo de referência, fornecido pela aplicação desejada, com o seguinte comando:

flatpak install –from https://git.gnome.org/browse/gnome-apps-nightly/plain/gnome-games.flatpakref?h=stable

No exemplo acima, foi instalando o Gnome Games. No link abaixo, você encontrará diversos aplicativos que podem ser instalados no Linux via Flatpak. Confira!

Como instalar aplicativos no Linux via Flatpak

Adblock test (Why?)

Como instalar o jogo de simulação OpenRCT2 no Linux via Flatpak

Se você quer testar suas habilidades de administrador, conheça e veja como instalar o jogo de simulação OpenRCT2 no Linux via Flatpak.

OpenRCT2 é um videogame de simulação de construção e gerenciamento que simula o gerenciamento de um parque de diversões. OpenRCT2 é uma reimplementação de código aberto do RollerCoaster Tycoon 2 (RCT2).

A jogabilidade gira em torno da construção e manutenção de um parque de diversões contendo atrações, lojas e instalações.

O jogador deve tentar obter lucro e manter uma boa reputação no parque, enquanto mantém os visitantes felizes.

OpenRCT2 permite o jogo de cenário e sandbox. Os cenários exigem que o jogador complete um certo objetivo em um determinado limite de tempo, enquanto o sandbox permite ao jogador construir um parque mais flexível, opcionalmente sem restrições ou finanças.

Como instalar o jogo de simulação OpenRCT2 no Linux via Flatpak

Como instalar o jogo de simulação OpenRCT2 no Linux via FlatpakComo instalar o jogo de simulação OpenRCT2 no Linux via Flatpak
Para instalar o jogo de simulação OpenRCT2 via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo de simulação OpenRCT2 via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/io.openrct2.OpenRCT2.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update io.openrct2.OpenRCT2

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run io.openrct2.OpenRCT2 em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite openrct2 ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, se for necesário, desinstale o jogo de simulação OpenRCT2 no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall io.openrct2.OpenRCT2

Ou

flatpak uninstall io.openrct2.OpenRCT2

Adblock test (Why?)

25 de outubro de 2021

Como instalar o jogo The COVID-19 Game no Linux via Snap

Se você quer entender como o corpo humano combate uma doença, conheça e veja como instalar o jogo The COVID-19 Game no Linux via Snap.

The COVID-19 Game é um jogo (baseado em fatos reais) em que a humanidade está enfrentando uma ameaça sem precedentes. O mundo é atormentado por inimigos invisíveis, a saber, a trindade profana de SARS, MERS & COVID-19.

Como instalar o jogo The COVID-19 Game no Linux via SnapComo instalar o jogo The COVID-19 Game no Linux via Snap

As pessoas do mundo estão se unindo como nunca antes para combater as forças do mal dos vírus, e você é o líder dos glóbulos vermelhos e brancos no corpo.

Você deve comandar bem as células sanguíneas para derrotar os vírus da SARS, MERS & COVID-19, pois a sua vida depende disso!

Você terá algum tempo para se preparar antes que os vírus invadam o corpo. Uma vez que eles começam a invadir o corpo, destrua todos os vírus para ganhar.

Ao usar e continuar a usar este aplicativo, você garante inequivocamente que concorda com todos os termos em:
https://customautosys.com/licence.html

Como instalar o jogo The COVID-19 Game no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o jogo The COVID-19 Game Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo The COVID-19 Game via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install covidgame

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh covidgame

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite covidgame ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar o jogo The COVID-19 Game via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove covidgame

Adblock test (Why?)

Como instalar o incrível jogo SuperTux no Linux via Flatpak

Se você quer jogar Super Mario Bros no Linux, mas com outro personagem, conheça e veja como instalar o jogo SuperTux no Linux via Flatpak.

SuperTux é um jogo 2D semelhante ao jogo original Super Mario diversos aspectos.

Como instalar o incrível jogo SuperTux no Linux via FlatpakComo instalar o incrível jogo SuperTux no Linux via Flatpak

Esse game se baseia nos primeiros jogos da série Mario, da Nintendo, e traz o Tux, mascote do Linux, como atração principal.

Corra e salte através de múltiplos mundos, enfrente os inimigos saltando sobre eles, batendo-os por baixo ou jogando objetos neles, pegando power-ups e outras coisas pelo caminho.

Além do Modo História, há uma grande quantidade de níveis contribuídos pela comunidade disponíveis como complementos ou nos fóruns. Todos podem contribuir com esse conteúdo usando o editor de níveis integrado.

O jogo foi lançado originalmente para Linux, Windows, ReactOS, Mac OS X. Versões para outros computadores incluem FreeBSD, BeOS, entre outros.

Como instalar o incrível jogo SuperTux no Linux via Flatpak

Como instalar o jogo SuperTux no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo SuperTux no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo SuperTux no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.supertuxproject.SuperTux.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.supertuxproject.SuperTux

Passo 4. E se precisar desinstalar o jogo SuperTux no Linux via Flatpak, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.supertuxproject.SuperTux

Ou

flatpak uninstall org.supertuxproject.SuperTux

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.supertuxproject.SuperTux em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite supertux ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Jogue Super Mario Bros no Ubuntu com o SuperTux

Adblock test (Why?)

Como instalar facilmente o Android Studio no Linux via Snap

Se você está a procura uma forma de começar a criar programas para a plataforma Android, veja como instalar o Android Studio no Linux via Snap, e comece a produzir.

O Android Studio é o ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) do Google utilizado por quem quer construir aplicações para o Android.

Como instalar facilmente o Android Studio no Linux via SnapComo instalar facilmente o Android Studio no Linux via Snap

O Android Studio é o Ambiente de desenvolvimento integrado (IDE, na sigla em inglês) oficial para o desenvolvimento de apps Android e é baseado no IntelliJ IDEA.

Além do editor de código e das ferramentas de desenvolvedor avançadas do IntelliJ, o Android Studio oferece ainda mais recursos para aumentar sua produtividade na compilação de apps Android.

Ou seja, o Android Studio oferece uma ferramenta completa para o desenvolvimento e a depuração de aplicações para o sistema operacional do Google para dispositivos móveis.

São recursos como edição de código de nível global, depuração, ferramentas de desempenho, sistema flexível de compilação e criação e implantação instantâneas, ele permite que você se concentre na criação de aplicativos.

Como instalar o ADB e Fastboot no Ubuntu, Debian e derivados

Como instalar a versão mais recente do Android Studio no Linux via Snap em distros que suportam essa tecnologia

É recomendável usar o Android Studio com a versão mais recente do Oracle Java, por isso, antes de iniciar o processo, use esse tutorial:
Como instalar o Oracle Java

Para instalar o Android Studio no Linux via Snap você também precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Android Studio via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale o programa, usando esse comando:

sudo snap install android-studio --classic

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh android-studio --classic

Passo 4. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove android-studio --classic

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite android no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o Android Studio no Linux via flatpak
Como instalar o Android Studio no Ubuntu

Adblock test (Why?)

Como instalar o clone do jogo Cave Story NXEngine Evo no Linux

Se você curte jogos de aventura e quer se divertir, conheça e veja como instalar o clone do jogo Cave Story NXEngine Evo no Linux via Snap.

NXEngine Evo é um clone/reescrita de código aberto completo da obra-prima de plataforma jump-and-run Doukutsu Monogatari (também conhecido como Cave Story) criado pelo Studio Pixel (https://studiopixel.jp/).

Como instalar o clone do jogo Cave Story NXEngine Evo no LinuxComo instalar o clone do jogo Cave Story NXEngine Evo no Linux

Em resumo, o NXEngine Evo é uma versão atualizada/refatorada do NXEngine por Caitlin Shaw (http://nxengine.sourceforge.net).

Como instalar o clone do jogo Cave Story NXEngine Evo no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o clone do jogo Cave Story NXEngine Evo no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o clone do jogo Cave Story NXEngine Evo no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install nxengine-evo

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install nxengine-evo --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh nxengine-evo

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite nxengine-evo ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Controles padrão

  • Teclas de seta para mover
  • Z Jump
  • X Fire
  • A Selecione a arma anterior
  • S Selecione a próxima arma
  • Q Inventory
  • W Map (disponível apenas após você obter o item no jogo)
  • Pausar Escape

Os controles padrão podem ser facilmente alterados em Opções: Controles. Joysticks também são suportados (você só deve precisar alterar os controles no menu de opções).

Como desinstalar

Para desinstalar o clone do jogo Cave Story NXEngine Evo no Linux via Snap, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove nxengine-evo

Adblock test (Why?)

Como instalar o jogo de quebra-cabeça AAAAXY no Linux via AppImage

Se você curte um bom desafio e geometria não euclidiana, conheça e veja como instalar o jogo de quebra-cabeça AAAAXY no Linux via AppImage.

AAAAXY é um quebra-cabeça de plataforma não linear que ocorre em geometria não euclidiana. Embora seu objetivo geral seja chegar ao final surpreendente do jogo, você é incentivado a definir seus próprios objetivos enquanto joga.

Como instalar o jogo de quebra-cabeça AAAAXY no Linux via AppImageComo instalar o jogo de quebra-cabeça AAAAXY no Linux via AppImage

Ou seja, a exploração será recompensada e os segredos esperam por você!

Então pule e corra, e divirta-se perdendo seu senso de orientação neste Mundo da Esquisitice Perversa. Descubra o que Van Vlijmen o obrigará a fazer. Escolha um caminho, entre em uma Garrafa de Klein, reconheça alguns memes e, por favor: não olhe para cima.

E, abaixo, você vera como instalar o jogo de quebra-cabeça AAAAXY no Linux via AppImage.

Como instalar o jogo de quebra-cabeça AAAAXY no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o jogo de quebra-cabeça AAAAXY no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome aaaaxy.appimage:

wget https://github.com/divVerent/aaaaxy/releases/download/v1.0.0-rc.11/AAAAXY-x86_64.AppImage -O aaaaxy.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x aaaaxy.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./aaaaxy.appimage --install

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, após instalar o jogo de quebra-cabeça AAAAXY no Linux via AppImage, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite aaaaxy ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Adblock test (Why?)

Como encurtar a Ubuntu Dock e mover o ‘Mostrar aplicativos’ para o topo

Descubra como encurtar a Ubuntu Dock e mover o ‘Mostrar aplicativos’ para o topo, usando o gsettings e Dconf Editor, e deixe do seu jeito.

Depois de instalar o novo Ubuntu 21.10, uma das principais coisas a fazer é ajustar o painel esquerdo do dock. Confira mais abaixo como fazer isso.

Como encurtar a Ubuntu Dock e mover o ‘Mostrar aplicativos’ para o topo

Em "Configurações do sistema -> Aparência“, você pode alterar a posição do painel para a parte inferior, ajustar o tamanho do ícone e ativar a ocultação automática.

No entanto, o ícone de 9 pontos ‘Mostrar aplicativos’ adere à parte inferior, que não é móvel.

Mova o botão ‘Mostrar aplicativos’ para o topo

Embora você não possa arrastar movendo o ícone, o Ubuntu escondeu a opção de mudar a posição. E você pode executar um único comando no terminal para fazer o truque.

Pressione Ctrl + Alt + T no teclado para abrir o terminal. Quando ele abrir, cole o comando abaixo e pressione Enter:

gsettings set org.gnome.shell.extensions.dash-to-dock show-apps-at-top true

O ícone vai para o topo (ou para a esquerda se você moveu o dock para baixo) imediatamente após a execução do comando. Portanto, será semelhante a:

Como encurtar a Ubuntu Dock e mover o 'Mostrar aplicativos' para o topoComo encurtar a Ubuntu Dock e mover o ‘Mostrar aplicativos’ para o topo
Encurte o painel da Dock

O iniciador do dock é fácil de mover para a parte inferior, mas a configuração de Aparência não tem a opção de torná-lo compacto, para ter um painel inferior curto no estilo Mac OS.

Para encurtar o Ubuntu Dock, pressione Ctrl + Alt + T para abrir o terminal e executar o comando:

gsettings set org.gnome.shell.extensions.dash-to-dock extend-height false

Depois disso, ficará assim:

Como encurtar a Ubuntu Dock e mover o 'Mostrar aplicativos' para o topoComo encurtar a Ubuntu Dock e mover o ‘Mostrar aplicativos’ para o topo
Configure o Ubuntu Dock por meio do Dconf Editor

Para aqueles que odeiam comandos do Linux, existe uma ferramenta de configuração avançada ‘Dconf Editor’ disponível para fazer o truque.

Procure e instale a ferramenta do software Ubuntu, se você não a tiver, ou use esse tutorial.
Como instalar o utilitário Dconf Editor no Linux via Flatpak

Em seguida, abra o Editor Dconf pesquisando na tela de visão geral das atividades. Em seguida, navegue até “org/gnome/shell/extensions/dash-to-dock”.

Lá você verá uma lista de opções para configurar o painel da Dock, incluindo mover ‘Show Applications’, ‘extend-height’, ‘click to minimize’ (‘Mostrar aplicativos’, ‘estender altura’, ‘clicar para minimizar’) e muito mais.

Como encurtar a Ubuntu Dock e mover o 'Mostrar aplicativos' para o topoComo encurtar a Ubuntu Dock e mover o ‘Mostrar aplicativos’ para o topo
E pronto!

Adblock test (Why?)

Como desativar o touchpad ao digitar no Ubuntu

Se o touchpad atrapalha a sua digitação, veja como desativar o touchpad ao digitar no Ubuntu, quando a opção integrada não funciona.

Enquanto digitava em meu laptop Ubuntu, muitas vezes cometia erros ao tocar no touchpad acidentalmente. O cursor de texto (também conhecido como circunflexo) saltou para outro lugar e/ou a janela do aplicativo perdeu o foco.

Isso pode deixar qualquer um louco, já que a opção embutida ‘desabilitar o touchpad ao digitar’ nem sempre funciona em alguns laptops. Felizmente, existe uma forma de resolver isso (ou mais).

Como desativar o touchpad ao digitar no Ubuntu

Como desativar o touchpad ao digitar no UbuntuComo desativar o touchpad ao digitar no Ubuntu
O GNOME tem a opção de desabilitar o touchpad durante a digitação, que é habilitado imediatamente nas versões atuais do Ubuntu. Os usuários podem acessar as configurações através de ‘/org/gnome/desktop/peripherals/touchpad/’ no Dconf Editor ou usando a ferramenta Gnome Tweaks.
Como desativar o touchpad ao digitar no UbuntuComo desativar o touchpad ao digitar no Ubuntu
Para touchpad Synaptics rodando em Xorg, como eu, esta opção pode não funcionar. E há duas outras opções que vou mostrar a você neste tutorial.

Desative o touchpad ao digitar através do Indicador Touchpad

Um aplicativo de dez anos, Touchpad-Indicator, tem a capacidade de alternar essa função para todos os usuários do Ubuntu.

É um projeto gratuito e de código aberto desenvolvido e mantido pela equipe atareao da Espanha. Tem a opção de desativar o touchpad durante a digitação e definir milissegundos para aguardar após a última tecla pressionada antes de ativar o touchpad.

Também permite desativar o touchpad enquanto o mouse está conectado, alternar as opções de rolagem e remapear ações de toque com um, dois e três dedos.

Como instalar o indicador Touchpad no Ubuntu

Para instalar o indicador Touchpad no Ubuntu, use o seguinte tutorial
Como desativar automaticamente o touchpad quando o mouse estiver conectado

Comando único para desativar o touchpad ao digitar

O indicador do touchpad é ótimo, no entanto, é um pouco pesado apenas para uma única função. Sem instalar nenhum aplicativo de terceiros, um único comando também pode resolver o problema!

O driver do touchpad synaptics para o servidor Xorg oferece uma ferramenta de linha de comando “syndaemon” que monitora a atividade do teclado e desativa o touchpad quando o teclado está sendo usado.

Os usuários podem simplesmente abrir o terminal e executar o comando abaixo para testá-lo:
syndaemon -i 0.8 -K -t -d

O comando executará o serviço silenciosamente em segundo plano. E os parâmetros são:
-i 0,8 informa para esperar 0,8 segundo após a última pressão de tecla antes de reativar o touchpad.
-K faz com que ele ignore os combos Modificador + Teclas, como Ctrl, Alt e / ou Shift + combinações de teclas.
-t informa para desabilitar apenas tocar / rolar. O movimento do mouse ainda é possível durante a digitação.
-d executa o comando como daemon, em segundo plano.

Syndaemon funciona até a reinicialização. Se você gosta desse método, pode fazê-lo funcionar automaticamente na inicialização por meio das seguintes etapas:
Em primeiro lugar, procure e abra o utilitário ‘Startup Applications’ (Aplicativos de inicialização) na tela de visão geral.
Quando abrir, clique no botão ‘Add’ (Adicionar) e digite:

Name (Nome): Desative o TouchPad ao digitar
Command (Comando): syndaemon -i 0.8 -K -t -d
Comment (Comentário): opcional
E, por fim, clicar no botão ‘Add’ (Adicionar) fará com que seja iniciado automaticamente no login.

Como desativar o touchpad ao digitar no UbuntuComo desativar o touchpad ao digitar no Ubuntu
NOTA: Tem desvantagem no meu caso no Ubuntu 20.04 LTS. Ao tentar parar o syndaemon através do “Monitor do Sistema” ou usando o comando sudo kill -i Process-ID, isso faz com que o toque do touchpad não funcione até a reinicialização!

Adblock test (Why?)

Laptop Linux StarLite Mk IV da Star Labs já está disponível para pedido

Se você está na expectativa de um notebook com o sistema do pinguim, o Laptop Linux StarLite Mk IV da Star Labs já está disponível para pedido.

A Star Labs, fornecedora de hardware com sede no Reino Unido, lançou o laptop StarLite Mk IV Linux com firmware de código aberto Coreboot, bem como vários outros novos recursos.

Laptop Linux StarLite Mk IV da Star Labs já está disponível para pedido

Laptop Linux StarLite Mk IV da Star Labs já está disponível para pedidoLaptop Linux StarLite Mk IV da Star Labs já está disponível para pedido
Sim. O Laptop Linux StarLite Mk IV da Star Labs já está disponível para pedido. E a quarta geração da série de laptops StarLite Linux da Star Labs está aqui, trazendo uma tela ARC fosca real de 11 polegadas com revestimento anti-reflexo e resolução Full HD (1920 × 1080), chassi de alumínio anodizado Tipo II com design fanless, um trackpad de vidro redesenhado, uma placa de aquecimento com contornos e uma webcam de 2 MP.

Em termos de conectividade, o laptop com Linux inclui uma porta USB-C reversível que suporta carregamento simultâneo, transferência de dados e saída de vídeo, uma porta USB 3.0 Tipo-A, uma porta USB 2.0 Tipo-A, uma porta micro HDMI, uma porta 3.5 conector de fone de ouvido de mm e um leitor de cartão MicroSD.

Sá sob o capô, o laptop StarLite Mk IV apresenta um processador Intel Pentium Silver N5030 com gráficos Intel HD e velocidades de clock de até 3,1 GHz, 8 GB de RAM de 2400 MHz, bem como até 1 TB de armazenamento SSD com velocidade de leitura sequencial de até 560 MB/s e Velocidade de gravação sequencial de 540 MB/s.

O laptop StarLite Mk IV também possui recurso de bloqueio de função StarLite para as teclas F para que você não precise manter a tecla Fn pressionada ao ajustar o brilho da tela ou o volume da mídia, um teclado retroiluminado, som estéreo para áudio nítido, uma bateria poderosa que promete até 8 horas de vida útil da bateria e um adaptador de energia de 60W.

O melhor de tudo é que o laptop Linux oferece suporte ao firmware de código-fonte aberto Coreboot, que pode ser ajustado usando o utilitário Coreboot Configurator desenvolvido pela Star Labs. Obviamente, os usuários poderão alternar facilmente entre o firmware Coreboot e AMI a qualquer momento.

Laptop Linux StarLite Mk IV da Star Labs já está disponível para pedidoLaptop Linux StarLite Mk IV da Star Labs já está disponível para pedido
Segundo o Star Labs:

“Ao usar o firmware do coreboot, você pode configurar o StarLite de acordo com suas preferências exatas. Se você deseja alterar o TDP (Thermal Design Power) ou desativar o Clock Gating para usar o sistema operacional Qubes, você pode fazer tudo em um programa.”

Não é um laptop Linux se não vier com uma distribuição Linux, e os usuários poderão comprar o notebook StarLite Mk IV com Ubuntu, Kubuntu, Xubuntu ou Ubuntu MATE 20.04.3 LTS, elementary OS 6, Linux Mint 20.2 com Xfce, MATE ou Cinnamon, MX Linux 21 com Xfce, Manjaro 21.0 com Xfce, GNOME ou KDE Plasma, bem como Zorin OS 16 Core, Lite ou Pro.
Laptop Linux StarLite Mk IV da Star Labs já está disponível para pedido
O preço começa em £ 400,00 (~ 474 EUR ou US$ 550 USD) e você pode comprá-lo agora mesmo na Star Labs. Você poderá pagar em 3 pagamentos de £ 133,33/mês com o PayPal e poderá obter um desconto de 5% se fizer o pedido hoje. Os pedidos serão enviados no final de janeiro de 2022.

Adblock test (Why?)

KDE Plasma 5.24 suportará leitores de impressão digital

Nate Graham, desenvolvedor do KDE, informou que o KDE Plasma 5.24 suportará leitores de impressão digital. Confira os detalhes dessa novidade.

O renomado desenvolvedor do KDE, Nate Graham, compartilhou a grande notícia de que um recurso de autenticação de impressão digital, que está em desenvolvimento há um bom tempo, foi finalmente fundido e estará pronto para implantação como parte da próxima série de ambientes de desktop KDE Plasma 5.24, prevista para lançar no próximo ano.

KDE Plasma 5.24 suportará leitores de impressão digital

KDE Plasma 5.24 suportará leitores de impressão digitalKDE Plasma 5.24 suportará leitores de impressão digital
Sim. O próximo ambiente de desktop KDE Plasma 5.24 suportará leitores de impressão digital para permitir que os usuários se autentiquem em suas sessões de Plasma de forma mais rápida, fácil e segura.

O KDE Plasma 5.24 suportará leitores de impressão digital e esse suporte à autenticação por impressão digital foi implementado no painel Usuários em Configurações do sistema.

Lá, os usuários que possuem um leitor de impressão digital, embutido em seu laptop ou como um dispositivo externo, poderão registrar, bem como cancelar o registro de impressões digitais.

Depois que o recurso de autenticação de impressão digital estiver configurado, você poderá não apenas fazer o login usando o dedo, mas também autenticar em aplicativos que exigem uma senha ou privilégios administrativos. Aqui está ele em ação!
KDE Plasma 5.24 suportará leitores de impressão digital
KDE Plasma 5.24 suportará leitores de impressão digital
Sobre o recurso, Nate Graham disse que:

“Até agora, permitimos que você registre e desinscreva os dedos, e qualquer um desses dedos pode ser usado para desbloquear a tela, fornecer autenticação quando um aplicativo pede sua senha e também autenticar o sudo na linha de comando! É muito legal.”

O ambiente de desktop KDE Plasma 5.24 está programado para lançamento em 8 de fevereiro de 2022.

Além do suporte para leitores de impressão digital, ele promete vários outros novos recursos e melhorias, incluindo a capacidade de ativar, desativar e remover repos Flatpak no Plasma Discover, mais melhorias do Plasma Wayland, uma tela de bloqueio ligeiramente renovada, suporte para temas claros e escuros em todos aplicativos, navegação de teclado para miniaplicativos de rede e área de transferência e muito mais.

Até então, o KDE Plasma 5.23 está aqui e pronto para conquistar sua área de trabalho Linux.

O segundo lançamento, KDE Plasma 5.23.2, estará disponível na próxima semana com suporte preliminar para o back-end de GBM do driver NVIDIA, um recurso que promete melhorar drasticamente a experiência de desktop Plasma para usuários de GPU NVIDIA.

Adblock test (Why?)

TouchPad Emulator, um app que permite usar o telefone como trackpad

Conheça o TouchPad Emulator, um app que permite usar o telefone como trackpad ao executar aplicativos de desktop em um telefone Linux.

Os telefones Linux são basicamente computadores Linux pequenos e de baixo consumo com telas sensíveis ao toque e modems.

Embora a maioria das distribuições móveis do Linux projetadas para telefones apresentem interfaces de usuário e aplicativos amigáveis ​​ao toque, você também pode executar aplicativos de desktop em um telefone Linux.

Mas você pode ter problemas para usar um software que obviamente não foi projetado para telas pequenas, porque pode ser difícil navegar em aplicativos projetados para entrada de teclado e mouse quando você está usando a ponta do dedo.

Para ajudar nisso, o desenvolvedor CalcProgrammer1 construiu o TouchPad Emulator, um app que permite usar toda a superfície do telefone como um trackpad, controlando um cursor na tela.

TouchPad Emulator, um app que permite usar o telefone como trackpad

TouchPad Emulator, um app que permite usar o telefone como trackpadTouchPad Emulator, um app que permite usar o telefone como trackpad
Esta é a ideia: instale o aplicativo de código aberto TouchPad Emulator (disponível no GitLab ou no repositório do usuário do Arch) e, ao iniciá-lo, sua tela funcionará como um touchpad virtual.

Arraste o dedo pela tela e um cursor na tela se moverá, permitindo que você acerte ícones minúsculos, menus ou outros alvos que podem ser difíceis de tocar de outra forma.

O aplicativo também torna possível interagir com menus suspensos e outros itens que respondem a um cursor pairando, muitos dos quais podem ser difíceis de navegar usando um dispositivo apenas de toque.

Para realizar outras ações, você pode usar:

  • Toque para clicar
  • Toque com dois dedos para clicar com o botão direito
  • Deslize com 2 dedos para rolar
  • Toque e segure para arrastar uma janela ou outros itens
  • Toque duas vezes para clicar e arrastar para selecionar texto ou outros itens

Você também pode alternar para o modo Touchpad pressionando a tecla aumentar volume, voltar ao modo touchscreen pressionando diminuir volume e alternar o teclado na tela pressionando diminuir volume novamente.

CalcProgrammer1 lançou uma versão inicial do emulador de touchpad em abril de 2021, mas uma atualização lançada em outubro é mais fácil de construir e instalar, adiciona suporte para rotação automática da tela e permite que você use a tela do seu telefone como um mouse/touchpad quando conectado a um display externo.

[embedded content]
Lançado inicialmente como um utilitário exclusivo para PinePhone, as compilações mais recentes do Emulador de TouchPad também funcionam em dispositivos adicionais, incluindo o Google Nexus 5 e o Samsung Galaxy S5 executando o PostmarketOS.

Adblock test (Why?)

Canonical quer a sua opinião sobre o novo instalador do Ubuntu desktop

Disponível para teste público desde o início de agosto de 2021, agora, a Canonical quer a sua opinião sobre o novo instalador do Ubuntu desktop.

A Canonical ainda está desenvolvendo um novo instalador de desktop para versões futuras do Ubuntu, escrito no Flutter SDK do Google, e eles querem seus comentários sobre o trabalho mais recente.

Canonical quer a sua opinião sobre o novo instalador do Ubuntu desktop

Canonical quer a sua opinião sobre o novo instalador do Ubuntu desktopCanonical quer a sua opinião sobre o novo instalador do Ubuntu desktop
No início deste ano, a Canonical anunciou que vai começar a trabalhar em um novo Ubuntu Desktop Installer que irá substituir o atual Ubiquity installer no futuro lançamento da popular distribuição GNU / Linux.

O instalador é escrito no Flutter SDK (desenvolvido pelo Google) e apresenta um design novo e moderno com algumas novas opções que estão faltando no instalador atual do Ubuntu.

Por exemplo, o novo Ubuntu Desktop Installer apresenta uma opção de recuperação que permite que você recupere sua instalação quebrada do Ubuntu usando uma imagem ISO ao vivo do Ubuntu.

Além disso, ele tem suporte para temas claros e escuros para se integrar perfeitamente com o estilo de desktop do Ubuntu usando o famoso tema Yaru.

O novo instalador do Ubuntu está disponível para teste público desde o início de agosto de 2021. Dê uma olhada no novo Ubuntu Desktop Installer se quiser vê-lo em ação.

Agora, a Canonical está pedindo à comunidade para testar o novo Desktop Installer do Ubuntu em seus computadores pessoais e enviar feedback nesse endereço, sobre sua experiência com ele. Eles estão mais interessados ​​no provisionamento automatizado de desktops.

Oliver Smith, gerente de produto do Ubuntu Desktop e Raspberry Pi, disse que:

“O novo instalador foi desenvolvido em Flutter e se baseia no trabalho árduo da equipe Yaru para garantir que se integre perfeitamente ao estilo de desktop Ubuntu. Gostaríamos muito de ouvir seus comentários sobre o novo fluxo do instalador e, como sempre, nos beneficiaríamos com o máximo de testes possível.”

Para testar o novo instalador, você terá que baixar as imagens de compilação diária do Canary do Ubuntu 21.10 (Impish Indri) nesse endereço.

Ao testá-lo, lembre-se de que pode haver alguns bugs predefinidos e que alguns recursos ainda não foram concluídos, portanto, algumas coisas podem não funcionar como pretendido.

Adblock test (Why?)

WINE 6.20 lançado com 398 mudanças e abre caminho para os RC do 7.0

O projeto Wine lançou o Wine 6.20 com 398 mudanças, e abre caminho para os RC da versão 7. Confira as novidades e veja como instalar ou atualizar.

O Wine (Wine Is Not an Emulator, ou Wine não é um emulador) é um software livre e de código aberto, que tem como objetivo permitir que os aplicativos desenvolvidos para Microsoft Windows possam ser executados no Linux, Mac, FreeBSD e Solaris.

Sendo um pouco mais técnico, o Wine é uma camada de compatibilidade que traduz as chamadas do sistema Windows para o Linux e usa algumas bibliotecas do Windows, na forma de arquivos .dll.

Por conta disso, esse programa é muito importante para ex-usuários do sistema operacional Windows ou para qualquer pessoa que ainda precisa usar os aplicativos desse sistema no Linux.

As principais atualizações do WINE são lançadas cerca de uma vez por ano.

Enquanto isso, o projeto lança atualizações com muitas melhorias, mas há tantas mudanças que ele introduz que a estabilidade pode ser diminuída.

Agora, foi lançado o WINE 6.20, que será uma das últimas (senão a última) versão em desenvolvimento antes de lançar o Release Candidates.

Esta é uma nova versão de Staging, ou seja, a melhor para quem quer testar se incluiu um retoque que resolveu um bug que estavam experimentando em um programa do Windows, mas não é estável.

Novidades do Wine 6.20

WINE 6.20 lançado com 398 mudanças e abre caminho para os RC do 7.0WINE 6.20 lançado com 398 mudanças e abre caminho para os RC do 7.0
O trabalho para suportar o joystick HID começou no 6.18, que continuou no 6.19, e no WINE 6.20 será o único backend do joystick suportado pelo WINE no caminho do código DirectInput.

Esta semana, a equipe de desenvolvedores do WineHQ corrigiu 20 bugs e fez um total de 398 alterações. São um pouco menos do que nas duas semanas anteriores, quando se aproximaram ou excederam 500, mas um pouco mais do que em outras ocasiões, quando ultrapassaram por pouco 200.

Dito isso, estes são os destaques do WINE 6,20:

  • MSXml, XAudio, DInput e alguns outros módulos convertidos para PE.
  • Algumas bibliotecas do sistema foram incluídas com o código-fonte para oferecer suporte a compilações PE.
  • O joystick HID é agora o único backend de joystick compatível com DirectInput.
  • Melhor suporte para compilações MSVCRT no Winelib.
  • Várias correções de bugs.

Para saber mais sobre essa versão do WINE, acesse a nota de lançamento.

Conforme mencionado, já alcançamos o ponto em que os Release Candidates começarão a ser lançados em breve, então a próxima semana pode ser a primeira semana em que um RC será lançado.

Se isso acontecer, os lançamentos serão semanais e as mudanças se concentrarão em fazer tudo funcionar da melhor maneira possível para a versão estável do WINE 7.0 que ocorrerá no início do próximo ano.

Como instalar ou atualizar

Os usuários interessados ​​já podem instalar o WINE a partir do código-fonte, disponível neste e neste outro endereço, ou nos binários que podem ser baixados aqui.

No link onde podemos baixar os binários, também há informações para adicionar o repositório oficial do projeto para receber esta e outras atualizações futuras assim que estiverem prontas para sistemas como Ubuntu/Debian ou Fedora, mas também para Android e macOS.

Para instalar a versão de desenvolvimento do Wine (instável), use esse tutorial:
Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging no Ubuntu, Debian, Mint e Fedora

Para instalar o Wine estável, use esse tutorial:
Como instalar a versão mais recente do Wine

Para instalar a versão mais recente do Wine nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar a versão mais recente do Wine no Linux
Como instalar o Wine no Fedora, CentOS, RHEL e derivadosComo instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu, Debian e derivados
Veja como instalar o Wine no Ubuntu 18.04 LTS ou superior e derivados

Adblock test (Why?)

Como instalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu

Se você possui uma webcam e precisa de um programa para capturar ou simplesmente visualizar a imagem dela, experimente instalar o visualizador de webcam Guvcview para usar nessa tarefa.

Guvcview é uma ferramenta de captura de vídeo para câmeras suportados pelo UVC Linux Driver, embora também pode ser que funcione com qualquer dispositivo compatível com v4l2.

Como instalar o visualizador de webcam Guvcview no UbuntuComo instalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu

O programa fornece imagens nos formatos jpg, png, bmp; vídeos nos formato MJPEG, FLV1, WMV1, mpg2, mpg4, VP8, Ogg Theora e sons nos formatos mp3, acc, avi e matroska.

Você também pode usar Guvcview como apenas uma janela de controle (no terminal, use: guvcview --control_only), o que permite o controle da imagem em outros aplicativos, como o Ekiga, Cheese, mplayer, Skype, etc.

Como instalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu

Como instalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu e seus derivados via repositório

Para instalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:pj-assis/testing

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install guvcview

Instalando o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o Guvcview no Ubuntu, Debian e derivados, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressione as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe as últimas versões do guvcview e libguvcview, e salve-os com o nome guvcview.deb e libguvcview.deb:

wget "https://sourceforge.net/projects/guvcview/files/debian-bin/I386/guvcview_2.0.6%2Bubuntu2~ppa1%2B1429-0ubuntu1~201810062214~ubuntu18.04.1_i386.deb/download" -O guvcview.deb
wget "https://sourceforge.net/projects/guvcview/files/debian-bin/I386/libguvcview-2.0-0_2.0.6%2Bubuntu2~ppa1%2B1429-0ubuntu1~201810062214~ubuntu18.04.1_i386.deb/download" -O libguvcview.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe as últimas versões do guvcview e libguvcview, e salve-os com o nome guvcview.deb e libguvcview.deb:

wget "https://sourceforge.net/projects/guvcview/files/debian-bin/AMD64/guvcview_2.0.6%2Bubuntu2~ppa1%2B1429-0ubuntu1~201810062214~ubuntu18.04.1_amd64.deb/download" -O guvcview.deb
wget "https://sourceforge.net/projects/guvcview/files/debian-bin/AMD64/libguvcview-2.0-0_2.0.6%2Bubuntu2~ppa1%2B1429-0ubuntu1~201810062214~ubuntu18.04.1_amd64.deb/download" -O libguvcview.deb

Passo 5. Agora instale o programa libguvcview com o comando:

sudo dpkg -i libguvcview.deb

Passo 6. Instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Agora instale o programa Guvcview com o comando:

sudo dpkg -i guvcview.deb

Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite guvcview no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove guvcview libguvcview --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o visualizador de webcam Guvcview no Linux

Adblock test (Why?)

Como instalar o Speedy Duplicate Finder no Linux via Snap

Se você precisa liberar mais espaço no disco do PC, conheça e veja como instalar o Speedy Duplicate Finder no Linux via Snap.

Speedy Duplicate Finder é um localizador de duplicatas extremamente rápido para Windows, Mac e Linux. Esta é uma versão gratuita com funcionalidade limitada.

Como instalar o Speedy Duplicate Finder no Linux via SnapComo instalar o Speedy Duplicate Finder no Linux via Snap

Se você tiver problemas para conectar armazenamentos externos ou mídia removível, reinstale o aplicativo no devmode. Isso tornará o sistema operacional menos rígido e permitirá que o aplicativo reconheça unidades externas de maneira adequada.

Para isso, digite os seguintes comandos no Terminal:
snap remove speedy-duplicate-finder
snap install speedy-duplicate-finder --devmode

Como instalar o Speedy Duplicate Finder no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Speedy Duplicate Finder via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Speedy Duplicate Finder via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install speedy-duplicate-finder

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install speedy-duplicate-finder --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install speedy-duplicate-finder --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install speedy-duplicate-finder --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh speedy-duplicate-finder

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite speedy ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, se for necessário, para desinstalar o Speedy Duplicate Finder no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove speedy-duplicate-finder

Adblock test (Why?)

Como instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via Flatpak

Se você precisa usar diferentes bancos em aplicações, conheça e veja como instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via Flatpak.

O DataGrip é o ambiente de banco de dados que suporta vários mecanismos. Se um DBMS tiver um driver JDBC, você poderá se conectar a ele por meio do DataGrip.

Como instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via FlatpakComo instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via Flatpak

Esse aplicativo suporta MySQL, PostgreSQL, Microsoft SQL Server, Microsoft Azure, Oracle, Amazon Redshift, Sybase, DB2, SQLite, HyperSQL, Apache Derby e H2.

Para qualquer um dos mecanismos suportados, o DataGrip fornece introspecção de banco de dados e vários instrumentos para criar e modificar objetos.

O console de consultas dele fornece uma visão ampliada de como as suas consultas funcionam e do comportamento do mecanismo de banco de dados para que você possa tornar suas consultas mais eficientes.

O DataGrip fornece um preenchimento de código sensível ao contexto, ajudando você a escrever código SQL mais rápido.

A conclusão está ciente da estrutura de tabelas, chaves estrangeiras e até mesmo objetos de banco de dados criados no código que você está editando.

Além disso, o DataGrip detecta erros prováveis em seu código e sugere as melhores opções para corrigi-los rapidamente.

Ele informará imediatamente sobre objetos não resolvidos, usando palavras-chave como identificadores e sempre oferecerá a maneira de corrigir problemas.

Como instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via FlatpakComo instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via Flatpak

Atenção! DataGrip não é um software livre ou de código aberto. Ele é um produto pago, mas você recebe um teste de 30 dias. E esse não é um post patrocinado. O programa está aqui porque pode ser útil para usuários que querem usá-lo no Linux.

Como instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via Flatpak

Para instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.jetbrains.DataGrip.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.jetbrains.DataGrip

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.jetbrains.DataGrip em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite datagrip ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.jetbrains.DataGrip

Ou

flatpak uninstall com.jetbrains.DataGrip

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar a IDE para bancos de dados DataGrip no Linux via Snap

Adblock test (Why?)

Como instalar o poderoso Apache Ant no Linux via Snap

Se você produz aplicativos Java e quer ser produtivo, conheça e veja como instalar o poderoso Apache Ant no Linux via Snap.

Apache Ant é uma biblioteca Java e ferramenta de linha de comando cuja missão é conduzir processos descritos em arquivos de construção como destinos e pontos de extensão dependentes uns dos outros.

Como instalar o poderoso Apache Ant no Linux via SnapComo instalar o poderoso Apache Ant no Linux via Snap

O principal uso conhecido do Ant é a construção de aplicativos Java. Ant fornece várias tarefas integradas que permitem compilar, montar, testar e executar aplicativos Java.

O Ant também pode ser usado efetivamente para construir aplicativos não Java, por exemplo, aplicativos C ou C++.

De forma mais geral, o Ant pode ser usado para pilotar qualquer tipo de processo que pode ser descrito em termos de metas e tarefas.

O Ant é escrito em Java e, portanto, requer que o Java 8 ou um ambiente de tempo de execução posterior seja instalado.

Se você deseja construir um projeto Java, você precisará de um Java Development Kit em vez de apenas um Java Runtime Environment.

Como instalar o Apache Ant no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Apache Ant no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Apache Ant no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install Apache Ant

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install Apache Ant --candidate

Passo 4. Instale a versão estável 1.9 do programa, usando esse comando:

sudo snap install ant --channel=1.9/stable --classic

Passo 5. Instale a versão estável 1.10 do programa, usando esse comando:

sudo snap install ant --channel=1.10/stable --classic

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh ant

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite ant ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar o Apache Ant no Linux no Liux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove ant

Adblock test (Why?)

24 de outubro de 2021

Franz – WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Que tal ter WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app? Pois é isso já é possível graças ao Franz. Conheça melhor e veja com instalar esse incrível aplicativo.

Franz é um aplicativo de mensagens que combina serviços de chat e mensagens em uma única aplicação. Ele atualmente suporta Slack, WhatsApp, WeChat, HipChat, Facebook Messenger, Telegram, o Google Hangouts, GroupMe, Skype e muito mais.

Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo appFranz – WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Resumindo, com Franz você pode ter vários mensageiros no mesmo app e fugir da dor de cabeça que é utilizar muitos aplicativos de bate papo.

O programa é multiplataforma e possui versões para Mac, Windows e Linux. Nesse tutorial, você verá como instalar ele no Linux de uma forma que funciona em praticamente qualquer distribuição.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Como instalar o Franz no Linux

Para instalar o Franz no Linux e ter vários mensageiros no mesmo app, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o Franz no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Franz no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.appimage:

wget https://github.com/meetfranz/franz/releases/download/v5.7.0/Franz-5.7.0.AppImage -O franz.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x franz.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./franz.appimage

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Como instalar o Franz no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o Franz no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.appimage:

wget https://github.com/meetfranz/franz/releases/download/v5.7.0/franz_5.7.0_amd64.deb -O franz.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i franz.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./franz.deb

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove franz*

Como instalar o Franz no Linux e ter vários mensageiros no mesmo app

Para instalar o Franz no Linux e ter vários mensageiros no mesmo app, você só precisa fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/franz*
sudo rm -Rf /usr/bin/franz
sudo rm -Rf /usr/share/applications/franz.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.tgz:

wget https://github.com/meetfranz/franz-app/releases/download/4.0.4/Franz-linux-ia32-4.0.4.tgz -O franz.tgz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.tgz:

wget https://github.com/meetfranz/franz-app/releases/download/4.0.4/Franz-linux-x64-4.0.4.tgz -O franz.tgz

Passo 6. Crie uma pasta para o programa com este comando;

sudo mkdir /opt/franz

Passo 7. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -vzxf franz.tgz -C /opt/franz/

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/franz/Franz /usr/bin/franz

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=franz\n Exec=/opt/franz/Franz\n Icon=/opt/franz/resources/app.asar.unpacked/assets/franz.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/franz.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite franz em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou os comandos abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/franz.desktop
cp /usr/share/applications/franz.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/franz.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como usar o Franz

Depois de instalado e executado, para usar o Franz, faça o seguinte:

Passo 1. Na tela inicial do programa, clique no serviço que você quer usar;

Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Passo 2. Na janela que será exibida, marque as opções que quer usar e clique no botão de adicionar (no exemplo, "Add Messenger");

Franz

Passo 3. Depois disso, o serviço será exibido na listagem "Enabled services" e a tela terá uma nova aba com o nome do serviço adicionado. Para configurar o serviço, clique na aba dele;

Franz

Passo 4. Imediatamente será exibida a tela de configuração do serviços. Entre com as informações necessárias e confirme, clicando em "Continuar". Siga as instruções do programa e em pouco tempo você já poderá usar o serviço.

Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

Adblock test (Why?)

Como alterar a interface de rede padrão no Linux? Confira!

Se você ainda não sabe como alterar a interface de rede padrão no Linux, confira neste tutorial, dois métodos para fazer isso usando a linha de comando.

Quase tudo produtivo que podemos fazer no Linux requer que tenhamos uma conexão de rede. Quer estejamos desenvolvendo aplicativos, instalando software, criando scripts, compartilhando arquivos ou até mesmo assistindo a filmes, precisamos de uma conexão de rede funcional.

Portanto, a declaração “Eu preciso de uma conexão de rede” é simplesmente um eufemismo. A única maneira de habilitar a conexão de rede em uma máquina é por meio de uma interface de rede.

Uma interface de rede é um dispositivo ou ponto de conexão entre um dispositivo e uma rede privada ou pública. Na maioria dos casos, uma interface de rede é uma placa física, como um adaptador sem fio, uma placa de rede e outros.

No entanto, isso não significa necessariamente que uma interface de rede deva ser um dispositivo físico. Por exemplo, um adaptador de loopback que não é fisicamente visível é implementado pelo software e está disponível em todos os dispositivos.

E este tutorial rápido mostrará como alterar a interface de rede padrão no Linux.

Como alterar a interface de rede padrão no Linux?

Como alterar a interface de rede padrão no Linux? Confira!Como alterar a interface de rede padrão no Linux? Confira!
Para alterar a interface de rede padrão no Linux, use um dos métodos abaixo

Método 1 – Desligue os adaptadores

A maneira mais simples de definir sua interface de rede padrão é desabilitando todas as outras interfaces. Por exemplo, no Linux, você pode usar o gerenciador de rede gráfico ou usar o terminal.

Suponha que você tenha um adaptador sem fio e deseja usar o adaptador Ethernet; nesse caso, você pode desativar o adaptador wi-fi usando o comando como (Os comandos abaixo requer privilégios de sudo ou root com o pacote net-tools instalado):
sudo ifconfig wlan0 down
sudo ifconfig eth0 up

Os comandos acima desligarão o adaptador wireless e ativarão o adaptador ethernet. Isso forçará o sistema a mudar para a rede disponível.

Método 2 – Use ROTAS IP

Um método não convencional é editar suas rotas e especificar quais dispositivos usar como padrão.

Comece usando o comando:
sudo ip route list

Este comando mostrará o gateway padrão e a interface padrão. Por exemplo, abaixo:
default via 192.168.0.1 dev wlan0 proto dhcp metric 100
169.254.0.0/16 dev wlan0 scope link metric 1000
192.168.0.0/24 dev wlan0 proto kernel scope link src 192.168.0.10 metric 100

No exemplo acima, o valor padrão é wlan0. Para mudar isso, começamos removendo todas as rotas como
sudo ip route list

Isso remove a interface padrão. Aqui está uma saída:
169.254.0.0/16 dev wlan0 scope link metric 1000
192.168.0.0/24 dev wlan0 proto kernel scope link src 192.168.0.10 metric 100

Para definir a interface padrão, adicione a rota usando o comando:
sudo ip route add default via 192.168.0.1 dev eth0

Depois de executado com sucesso, você pode listar a interface padrão como:
sudo ip route list

default via 192.168.0.1 dev eth0

169.254.0.0/16 dev eth0 scope link metric 1000
192.168.0.0/24 dev eth0 proto kernel scope link src 192.168.0.10 metric 100

Pronto! Agora você já sabe como alterar a interface de rede padrão no Linux.

Adblock test (Why?)

Como instalar o configurador de mouse Piper no Linux via Flatpak

Se você quer deixar o mouse de acordo com suas necessidades, conheça e veja como instalar o configurador de mouse Piper no Linux via Flatpak.

O Piper é uma incrível interface gráfica para configurar mouses para jogos.

Como instalar o configurador de mouse Piper no Linux via FlatpakComo instalar o configurador de mouse Piper no Linux via Flatpak

As opções de configuração incluem alterar a resolução (DPI) do mouse, adicionar e remover perfis, definir cores de LEDs e alterar os comportamentos dos botões.

Piper requer o ratbagd da libratbag, o daemon para se comunicar com o mouse. Piper é meramente um front end para ratbagd, ratbagd deve ser instalado e rodando quando o Piper for lançado.

Veja os arquivos do dispositivo libratbag para obter uma lista de todos os dispositivos conhecidos.

Os protocolos específicos do dispositivo geralmente precisam ser submetidos a engenharia reversa e os recursos disponíveis podem variar de acordo com os recursos anunciados pelo fabricante.

Como instalar o configurador de mouse Piper no Linux via Flatpak

Para instalar o configurador de mouse Piper via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o configurador de mouse Piper via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.freedesktop.Piper.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.freedesktop.Piper

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.freedesktop.Piper em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite piper ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar o configurador de mouse Piper via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.freedesktop.Piper

Ou

flatpak uninstall org.freedesktop.Piper

Adblock test (Why?)

Como instalar o jogo AstroMenace no Linux via Flatpak

Se você gosta de jogos de batalha espacial e de incríveis gráficos 3D, conheça e veja como instalar o jogo AstroMenace no Linux via Flatpak.

AstroMenace é um surpreendente game de rolagem 3d que permite sentir a adrenalina de uma batalha espacial feroz contra enxames implacáveis ​​de invasores alienígenas, onde você pode aprimorar suas habilidades de combate.

Como instalar o jogo AstroMenace no Linux via FlatpakComo instalar o jogo AstroMenace no Linux via Flatpak

Mergulhe em uma batalha decisiva contra toneladas de inimigos astutos, enfrente os chefes aterrorizantes e proteja sua pátria ao longo de 15 níveis diversos do jogo.

A jogabilidade incondicional do AstroMenace, repleta de pura ação sem parar, se tornará uma prova de escala completa para seu instinto básico de sobrevivência.

AstroMenace possui 22 naves jogáveis com características únicas, 19 armas únicas com o modo fácil de montar arma e arrastar, 15 missões com mais de 100 inimigos únicos e mais 40 objetos espaciais, um modo de controle de nave de simulação e arcade e finalmente, um controle de dificuldade flexível.

Como instalar o jogo AstroMenace no Linux via Flatpak

Durante a batalha você pode acumular dinheiro e usá-lo para transformar sua nave espacial em uma arma máxima de destruição em massa, e levar o inferno para os enxames de adversários.

Para completar, aproveite os gráficos 3D maravilhosamente criados e os efeitos especiais de alta qualidade, juntamente com um ajuste de dificuldade detalhado e uma interface útil do AstroMenace.

Como instalar o jogo AstroMenace no Linux via Flatpak

Como instalar o jogo AstroMenace no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo AstroMenace no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema.

Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo AstroMenace no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/com.viewizard.AstroMenace.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.viewizard.AstroMenace

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.viewizard.AstroMenace

Ou

flatpak uninstall com.viewizard.AstroMenace

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.viewizard.AstroMenace em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite astromenace ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Gostou do jogo? Deixe sua opinião nos comentários!

Adblock test (Why?)

11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

Se você trabalha com arquivos multimídia e quer gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux, conheça 11 comandos do Avconv para fazer isso.

Gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux pode não ser uma tarefa muito trivial, mas o Avconv ajuda muito nisso.

11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

A ferramenta Avconv faz parte do pacote libav-tools e existem muitas formas de usá-la para lidar com stream de multimídia e arquivos.

Se você quiser experimentar outras opções de edição de vídeos, consulte esses tutoriais:

11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

.

Nesse tutorial, você conhecerá algumas dessas opções para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux, usando o Avconv.

Só para ter certeza, para usar os comandos a seguir você precisa ter a função “avconv” instalado para usar. Se você usar Ubuntu, Debian ou qualquer distro derivada deles, faça o procedimento abaixo.

Como instalar o pacote libav-tools no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o libav-tools no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install libav-tools

Como instalar o pacote libav-tools em outras distribuições Linux

Abra o gerenciador de pacotes de sua distribuição e procure pelo pacote libav-tools, depois instale-o.

Usando os comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

.

Agora que você tem o pacote instalado, conheça agora os comandos.

1. Obtendo informações sobre um arquivo multimídia

Se você quiser obter alguma informação sobre qualquer arquivo multimídia, execute o seguinte comando usando a opção ‘- i’ (informação) com o comando avcon e seu arquivo de áudio ou vídeo.

avconv -i arquivo.mp4 

2. Extraindo o áudio de um arquivo multimídia

Para extrair o somente áudio a partir de qualquer arquivo multimídia para outro arquivo, você pode executar o comando a seguir:

avconv -i arquivo.mp4 -vn -f wav arquivo-som.wav

Observações sobre o comando acima:

  • Não se esqueça de substituir o nome do arquivo de entrada (arquivo.mp4) pelo nome do arquivo de vídeo;
  • -vn é uma opção que usada para remover o vídeo do arquivo multimídia;
  • -f wav é o que define o formato que o arquivo de saída usará. Se quiser, você pode mudar para “mp3” ou “webm”;
  • arquivo-som.wav é o nome do arquivo de saída.

3. Extraindo o vídeo a partir de arquivo e um arquivo multimídia

Você também pode extrair só o vídeo a partir de um arquivo multimídia que contém vídeo e áudio, usando o seguinte comando:

avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 -an -f mp4 arquivo-video.mp4

Observações sobre o comando acima:

  • Não se esqueça de substituir o nome do arquivo de entrada (arquivo.avi) pelo nome do arquivo de vídeo;
  • -an é uma opção para deixar o áudio do arquivo;
  • -f mp4 é o formato que será usado para o novo arquivo, você pode mudar para “mkv”, “ogg” .. etc. Mas lembre-se, ao fazer isso, você terá que mudar o “video.mp4” para “vídeo.mkv” também.;

4. Convertendo do formato .avi para .mkv

Para converter um arquivo .avi para o formato .mkv, use o seguinte comando:

avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 arquivo.mkv

Observações sobre o comando acima:

  • -i arquivo.avi é o arquivo que deseja converter (-i = -input).;
  • -vcodec é uma opção usada para escolher um codec de vídeo para usar durante o processamento da conversão, no caso do exemplo, é “libx264”, esta opção é importante para manter a qualidade do vídeo como ele é.
  • arquivo.mkv é o nome do arquivo de saída;

5. Convertendo do formato .mp4 para .avi

Para converter um arquivo .mp4 para o formato .avi, execute o seguinte comando.

avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 arquivo.avi

6. Convertendo do formato .mp3 para .wav

Nada de novo aqui, você entra com um arquivo em um formato e gera um novo em outro formato.

Entretanto, nesse caso é necessário usar a opção -vcodec libx264, porque se trata da conversão de um arquivo de áudio para outro arquivo de áudio, ou seja, não há nenhum vídeo aqui.

Assim, para converter um arquivo .mp3 para formato o formato .wav, execute o seguinte comando.

avconv -i arquivo.mp3 arquivo.wav

7. Convertendo do formato .yuv para .avi

Para converter um arquivo .yuv para o formato .avi, execute o seguinte comando.

avconv -i arquivo.yuv arquivo.avi

8. Mesclar vídeo e áudio juntos

Para mesclar um arquivo de vídeo com um arquivo de áudio em conjunto, execute o seguinte comando.

avconv -i arquivo.wav -i arquivo.avi arquivo.mkv

Você pode substituir “arquivo.mkv” com “arquivo.avi” ou qualquer outro formato suportado pelo Libav (não se preocupe com isso, experimente e veja como fica).

9. Convertendo vídeo em imagens

Para converter um arquivo de vídeo em várias imagens diferentes, você pode executar o comando a seguir:

avconv -i arquivo.mp4 -r 1 -s 1366x768 -f image2 image-%03d.png

Observações sobre o comando acima:

  • -r 1: é o número de quadros que será usado por imagem, quanto maior, mais imagens serão criadas;
  • 1366×768: é a largura e altura que será usada na geração das imagens, você pode substituí-la por qualquer outro tamanho que você quiser;
  • image-%03d.png: é o formato de nome de imagem, se você tentou o comando, ele vai criar muitas imagens como “image-001.png” , “image-002.png”.. etc. Se quiser, você pode substituir a extensão “png” por “jpg” ou “jpeg”;

10. Mais opções para usar com Libav

A Libav possui uma coisa incrível chamada “filtros”. Usando filtros, você pode fazer muitas coisas boas com os seus arquivos multimídia. Por exemplo, ter o seguinte comando.

avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 -vf "drawbox=x=50:y=50:width=400:height=300:[email protected]" novo-arquivo.avi

Observações sobre o comando acima:

  • -vf: é uma opção para aplicar um filtro de vídeo (se você quiser usar um filtro de áudio, substitua-o por -af);
  • drawbox=x=50:y=50:width=400:height=300:[email protected]: Aqui foi aplicado um filtro chamado “drawbox” que desenha uma caixa vermelha com 400 de largura e 300 de altura em x = 50 e y = 50;

E aqui está o resultado do comando acima.

11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

Agora experimente o comando abaixo, que usa o filtro transpose=cclock para girar o vídeo em 90 graus no sentido horário.

avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 -vf "transpose=cclock" novo-arquivo.avi

E aqui está o resultado do uso do comando acima.

11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

11. Registro tty como um Vídeo

Este comando deve ser utilizado pelo usuário root, ele não vai funcionar sem sudo, porque requer o acesso ao dispositivo framebuffer (fbdev). Fbdev é o dispositivo de entrada framebuffer Linux, este dispositivo é o responsável por mostrar os gráficos do console.

sudo avconv -f fbdev -r 30 -i /dev/fb0 arquivo.avi

Observações sobre o comando acima:

  • * -r 30: é o número de quadros por segundo.;
  • * -i /dev/fb0: é o que está nó executando o arquivo de dispositivo, usando essa opção, você será capazes de capturar o vídeo da tty;

Incrível não é mesmo? Existem muitos outros bons filtros para serem usados com os seus arquivos multimídia, ao lado de muitos outros modos de uso para avconv, você pode vê-los todos a partir da documentação oficial.

Se você já experimentou o Libav antes e sabe de outros comandos importantes para avconv, escreva nos comentários e compartilhe eles com pessoal que lê o blog. vamos lá, participe!

Adblock test (Why?)

Como instalar o equalizador PulseEffects no Linux

Se você está procurando por um equalizador de áudio avançado para seu sistema, conheça e veja como instalar o equalizador PulseEffects no Linux.

PulseEffects é um equalizador, limitador, reverb e compressor para PulseAudio. Ele é um aplicativo usado para gerenciar e controlar efeitos de áudio do PulseAudio em Linux e outros sistemas Unix.

Como instalar o equalizador PulseEffects no LinuxComo instalar o equalizador PulseEffects no Linux

Se você ainda não conhece, o PulseAudio é um programa de servidor de som distribuído através do projeto freedesktop.org. Ele é executado principalmente nas várias distribuições Linux e BSD. Em resumo, quando você ouve qualquer áudio sair do seu laptop/Desktop, o PulseAudio é responsável por esse processo.

Desde a versão 2.0.0 do PulseEffects, é possível aplicar efeitos à saída do microfone ao mesmo tempo em que os aplica para a saída das aplicações.

Como instalar o equalizador PulseEffects no Linux

Para instalar o equalizador PulseEffects no Linux, você deve usar um dos métodos abaixo. Escolha o que for mais conveniente para você e use-o.

Como instalar o equalizador PulseEffects no Linux via Flatpak

Para instalar o equalizador PulseEffects no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o PulseEffects no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.wwmm.pulseeffects.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.wwmm.pulseeffects

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.wwmm.pulseeffects

Ou

flatpak uninstall com.github.wwmm.pulseeffects

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.wwmm.pulseeffects em um terminal.

Como instalar o equalizador PulseEffects no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o equalizador PulseEffects no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira a vrsão do seu sistema, para isso, use o seguinte comando no terminal:

lsb_release -rs

Passo 3. Se seu sistema é Ubuntu 16.04, use o comando abaixo para baixar o programa;

wget https://launchpad.net/~yunnxx/+archive/ubuntu/gnome3/+files/pulseeffects_1.313entornosgnulinuxenial-1ubuntu1_amd64.deb -O pulseeffects.deb

Passo 4. Se seu sistema é Ubuntu 17.04, use o comando abaixo para baixar o programa;

wget  https://launchpad.net/~yunnxx/+archive/ubuntu/gnome3/+files/pulseeffects_1.312entornosgnulinuzesty-1ubuntu1_amd64.deb -O pulseeffects.deb

Passo 5. Se seu sistema é Ubuntu 18.04, use o comando abaixo para baixar o programa;

wget https://launchpad.net/~mikhailnov/+archive/ubuntu/pulseeffects/+files/pulseeffects_4.1.2-2~bionic1_amd64.deb -O pulseeffects.deb

Passo 6. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i pulseeffects.deb
sudo apt-get install -f

Passo 7. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./pulseeffects.deb

Passo 8. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove pulseeffects*

Como instalar o PulseEffects no Ubuntu 17.10 via repositório

Para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

echo "deb http://repo.dumalogiya.ru/aptly/public artful main" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/dumalogiya-artful.list

Passo 3. Instale a chave do repositório com esse comando;

wget -q -O- http://repo.dumalogiya.ru/keys/mikhailnov_pub.gpg | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install pulseeffects

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pulseeffects em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

Adblock test (Why?)

Como instalar Microsoft Azure Storage Explorer no Linux via Snap

Se você utiliza o Azure e quer gerenciá-lo com facilidade, conheça e veja como instalar Microsoft Azure Storage Explorer no Linux via Snap.

O Microsoft Azure Storage Explorer é um aplicativo que permite que você carregue, baixe e gerencie blobs, arquivos, filas e tabelas do Azure, bem como entidades do Azure Cosmos DB e do Azure Data Lake Storage.

Como instalar Microsoft Azure Storage Explorer no Linux via SnapComo instalar Microsoft Azure Storage Explorer no Linux via Snap
Acesse facilmente os discos da máquina virtual e trabalhe com o Azure Resource Manager ou contas de armazenamento clássicas. Gerencie e configure regras de compartilhamento de recursos cross-origin.
  • Gerenciamento de todas as suas contas de armazenamento e várias assinaturas no Azure, Azure Stack e nuvem governamental;
  • Interface gráfica do usuário (GUI) acessível, intuitiva e rica em recursos para gerenciamento completo de recursos de armazenamento em nuvem;
  • Recursos de segurança robustos, como compartilhamento de recursos de origem cruzada e assinatura de acesso compartilhado para ajudar a proteger o acesso aos dados onde quer que você esteja;

Como instalar o Microsoft Azure Storage Explorer no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Microsoft Azure Storage Explorer no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Microsoft Azure Storage Explorer no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install storage-explorer

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install storage-explorer --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install storage-explorer --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install storage-explorer --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh storage-explorer

O Storage Explorer requer o uso de um gerenciador de senhas, que pode precisar ser conectado manualmente para que o Storage Explorer funcione corretamente. Você pode conectar o Storage Explorer ao gerenciador de senhas do sistema com o seguinte comando:

 snap connect storage-explorer:password-manager-service :password-manager-service

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite storage-explorer ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar o Microsoft Azure Storage Explorer no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove storage-explorer

Adblock test (Why?)

23 de outubro de 2021

Como instalar o reprodutor Clementine no Linux via Flatpak

Se você está a procura de um super reprodutor de mídia, conheça e veja como instalar o reprodutor Clementine no Linux via Flatpak.

Clementine é um reprodutor de música multiplataforma. Ele é inspirado no Amarok 1.4, focando em uma interface rápida e fácil de usar para pesquisar e reproduzir sua música.

Como instalar o reprodutor Clementine no Linux via FlatpakComo instalar o reprodutor Clementine no Linux via Flatpak

Ficou curioso? Então conheça algumas características do Clementine Player:

  • Ele é capaz de procurar e reproduzir a sua biblioteca de música local;
  • Permite rádio de internet do Spotify, Grooveshark, Last.fm, SomaFM, Magnatune, Jamendo, SKY.fm e Digitally Imported, e Icecast;
  • Cria listas de reprodução inteligentes e listas de reprodução dinâmicas;
  • Listas de reprodução com guias, importação e exportação, M3U, XSPF, PLS e ASX;
  • Suporta CUE;
  • Reproduz CDs de áudio;
  • Visualizações de projectM;
  • Letras e biografias e fotos;
  • Transcode música em MP3, Ogg Vorbis, AAC, Ogg Speex e FLAC;
  • Edita tags de arquivos MP3 e OGG, organiza a sua músicas;
  • Buscar tags faltando no MusicBrainz;
  • Download arte de capa do álbum faltando do Last.fm e Amazon;
  • Notificações desktop nativas no Linux (libnotify) e Mac OS X (rosnar);
  • Controle remoto usando um Wii Remote, MPRIS ou linha de comando;
  • Copie música para o iPod, iPhone, leitor de USB de armazenamento em massa ou MTP;
  • Gerenciador de filas.

E se você quiser controlar remotamente o Player, baixe Clementine Remoto para Android.

Como instalar o reprodutor Clementine no Linux via Flatpak

Como instalar o reprodutor Clementine no Linux via Flatpak

Para instalar o reprodutor Clementine via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o reprodutor Clementine no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.clementine_player.Clementine.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.clementine_player.Clementine

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.clementine_player.Clementine em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite clementine ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar o reprodutor Clementine via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.clementine_player.Clementine

Ou

flatpak uninstall org.clementine_player.Clementine

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o reprodutor Clementine Player no Linux via Snap
Instale o Clementine Player no Ubuntu e derivados

Adblock test (Why?)

Como instalar o jogo de quebra-cabeça Fish Fillets no Linux via Flatpak

Se você gosta de desafios, aventura e de peixes (?), conheça e veja como instalar o jogo de quebra-cabeças Fish Fillet no Linux via Flatpak.

Fish Fillets (filés de peixe) é um jogo de quebra-cabeça e um software livre coberto pela licença GPL. O objetivo em cada nível é encontrar uma saída segura para os dois peixes.

Como instalar o jogo de quebra-cabeça Fish Fillets no Linux via FlatpakComo instalar o jogo de quebra-cabeça Fish Fillets no Linux via Flatpak

Ele é um jogo de quebra-cabeça onde o jogador tem que guiar um peixe através de uma série de obstáculos para escapar do labirinto. Fish Fillets apresenta mais de 70 níveis de quebra-cabeças e uma trilha sonora reconfortante.

Esse jogo é comparável a outros jogos de quebra-cabeças deslizantes, como sokoban e klotski, mas em Fish Fillets, tudo é mais complicado por causa de alguns elementos e regras adicionais.

O jogo tem música de fundo e, em muitos níveis, alguns efeitos animados, embora normalmente não tenha efeitos no jogo.

Esse é um dos mais hardcore jogo de quebra-cabeça que você pode jogar. Ele possui 80 níveis exclusivos polidos desenhados por pixels, centenas de criaturas animadas bonitas e milhares de objetos únicos e engraçados.

Ele também possui dois agentes de peixe com diferentes capacidades, centenas dos diferentes sons, vários ramos e vários mistérios para um progresso mais suave, gráficos incrivelmente detalhados e coloridos, e muitos pequenos companheiros fofos.

Como instalar o jogo de quebra-cabeça Fish Fillets no Linux via Flatpak

Esse jogo também possui uma versão para Android, que pode ser baixada na loja Google Play.

Como instalar o jogo de quebra-cabeça Fish Fillets no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo de quebra-cabeça Fish Fillets no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo de quebra-cabeça Fish Fillets no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/net.sourceforge.Fillets.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update net.sourceforge.Fillets

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall net.sourceforge.Fillets

Ou

flatpak uninstall net.sourceforge.Fillets

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run net.sourceforge.Fillets em um terminal.

Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite fillets ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Adblock test (Why?)

Como instalar o utilitário PDF Slicer no Linux via Flatpak

Se você precisa retirar ou ajustar páginas de arquivos PDF, conheça e veja como instalar o utilitário PDF Slicer no Linux via Flatpak.

O PDF Slicer é um aplicativo simples para extrair e girar páginas de um documento PDF.

Como instalar o utilitário PDF Slicer no Linux via FlatpakComo instalar o utilitário PDF Slicer no Linux via Flatpak

As operações podem ser executadas em páginas únicas ou em seleções/intervalos de páginas, e tem suporte completo de desfazer/refazer.

Como instalar o utilitário PDF Slicer no Linux via Flatpak

Como instalar o utilitário PDF Slicer no Linux via Flatpak

Para instalar o utilitário PDF Slicer via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o utilitário PDF Slicer no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.junrrein.PDFSlicer.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.junrrein.PDFSlicer

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.junrrein.PDFSlicer em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite pdfslicer ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar o utilitário PDF Slicer no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.junrrein.PDFSlicer

Ou

flatpak uninstall com.github.junrrein.PDFSlicer

Adblock test (Why?)

Como instalar o módulo de segurança da Caixa no Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

Quer acessar o Internet Banking da Caixa Econômica Federal? Então veja neste tutorial como instalar o módulo de segurança da Caixa no Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE e derivados.

Para dar mais segurança ao acesso de seus clientes, a Caixa Econômica Federal utiliza uma solução de segurança desenvolvida pela empresa GAS Software, o Warsaw. Com isso, quem usa o Internet Banking da Caixa precisa instalar esse programa.

Como instalar o módulo de segurança da Caixa no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o módulo de segurança da Caixa no Ubuntu, Debian e derivados

A boa noticia é que esse módulo de segurança da Caixa possui uma versão para Linux. E mais abaixo, você verá como fazer para instalar ele no sistema do pinguim.

Como instalar o módulo de segurança da caixa no Linux

Para instalar o módulo de segurança da caixa no Linux, siga um dos procedimento abaixo. Mas antes, feche todos os navegadores.

Como instalar o módulo de segurança da caixa no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o módulo de segurança da caixa no Ubuntu, Debian e derivados, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Atualize o repositório de pacotes com o comando;

sudo apt-get update

Passo 3. Instale os pacotes libnss3-tools e libcurl3;

sudo apt-get install libnss3-tools libcurl3

Passo 4. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 5. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gbpcef.deb:

wget https://imagem.caixa.gov.br/banner/fgr/GBPCEFwr32.deb -O gbpcef.deb

Passo 6. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gbpcef.deb:

wget https://imagem.caixa.gov.br/banner/fgr/GBPCEFwr64.deb -O gbpcef.deb

Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i gbpcef.deb

Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando;

sudo apt-get install -f

Passo 9. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove warsaw

Como instalar o módulo de segurança da caixa no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Quem quiser instalar o módulo de segurança no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gbpcef.rpm:

wget https://cloud.gastecnologia.com.br/cef/warsaw/install/GBPCEFwr32.rpm -O gbpcef.rpm

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gbpcef.rpm:

wget https://cloud.gastecnologia.com.br/cef/warsaw/install/GBPCEFwr64.rpm -O gbpcef.rpm

Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

dnf install warsaw*.rpm -y

Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install warsaw*.rpm

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e warsaw*

Verificando e usando

Confirme se o módulo de segurança da Caixa está funcional, com o comando abaixo;

ps -ef | grep warsaw

Como instalar o módulo de segurança da Caixa no Ubuntu, Debian e derivados

Abra seu navegador favorito (preferencialmente, o Firefox) e acesse o Internet Banking da CAIXA. Que dessa vez você conseguirá usar o Internet Banking da Caixa Econômica Federal normalmente.

Esse software é proprietário e possui um suporte muito ruim. Se o procedimento acima não funcionou para você, veja nos comentários a experiência dos outros usuários, que possivelmente você encontrará a solução para o seu problema. Aproveite e deixe também a sua experiência.

Veja também

Como se trata do mesmo software, se esse procedimento não servir para você, teste os tutoriais abaixo que pode ser que funcione:
Como instalar o módulo de segurança do Banco Itaú no Linux
Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

Adblock test (Why?)

Como instalar o Bucklespring e deixar sua digitação barulhenta ou vintage

Se você quer deixar a sua digitação barulhenta ou vintage, conheça e veja como instalar o Bucklespring no Linux via Snap.

Quem conheceu computadores mais antigos, deve lembrar bem do estranho clack, clack, clack que os teclados faziam ao digitar. O IBM Model-M, aliás, é um bom exemplo disso, um teclado com digitação barulhenta ou vintage (para alguns).

Como instalar o Bucklespring e deixar sua digitação barulhenta ou vintageComo instalar o Bucklespring e deixar sua digitação barulhenta ou vintage

Os teclados Buckling spring (algo como mola de fivela) são chamados assim, porque cada tecla contém uma mola que se encaixa quando pressionada, conforme mostra a figura abaixo:

Como instalar o Bucklespring e deixar sua digitação barulhenta ou vintage

E o aplicativo Buckling faz exatamente isso: executa o som das desse tipo de teclado, cada vez que uma tecla é pressionada.

Ele é executado como um processo em segundo plano para reproduzir o som de cada tecla que você pressiona (e solta) no seu teclado.

Não importa onde você digite, você ouvirá o clique, clack, clump, como se estivesse digitando em um verdadeiro teclado físico IBM Model-M.

Você não obterá a gratificação física que vem do lançamento de uma chave de mola de encurvamento, mas você obtém o incômodo som.

A página Github do aplicativo informa que: “O som de cada tecla foi cuidadosamente amostrado, e é reproduzido ao mesmo tempo que simula a distância e a direção adequadas para uma paleta de som 3D realista, de puro bem-estar nostálgico”.

Como instalar a versão mais recente do Bucklespring para deixar sua digitação barulhenta ou vintage

Para deixar sua digitação barulhenta ou vintage, veja abaixo como instalar a versão mais recente do Bucklespring no Ubuntu e seus derivados via Snap:

E para instalar o Bucklespring no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Bucklespring no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install bucklespring

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install bucklespring --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install bucklespring --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install bucklespring --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh bucklespring

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove bucklespring

Pronto! Após instalar o Bucklespring no Linux, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite bucklespring ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Se você quiser que o aplicativo seja iniciado automaticamente junto com o sistema, use esse tutorial:
Como gerenciar a inicialização de aplicativos no Ubuntu

Não existe um modo fácil de parar o clacking de teclas depois que o programa foi executado. No entanto, você pode silenciar o aplicativo temporariamente, tocando duas vezes a tecla ScollLock.

Agora você escolhe, quer usar o programa por nostalgia ou apenas para irritar as pessoas ao seu redor? Deixe sua resposta nos comentários.

Adblock test (Why?)

22 de outubro de 2021

Como instalar a carteira Atomic no Linux via AppImage

Se você quer trabalhar com vários ativos direto no seu PC, conheça e veja como instalar a carteira Atomic no Linux via AppImage.

A carteira Atomic é uma carteira de criptomoeda universal com vários ativos e que pode ser executado no Linux, macOS, Windows, Android e iOS.

Como instalar a carteira Atomic no Linux via AppImageComo instalar a carteira Atomic no Linux via AppImage

Recursos da Carteira Atomic

  • Suporta mais de 500 moedas e tokens (Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash, Litecoin, etc). Você precisa de apenas uma senha para governar todas elas.
  • Permite adicionar tokens ERC-20 à sua carteira.
  • Você pode comprar criptomoedas na carteira com cartão de crédito (é necessária a verificação de identidade).
  • Suas chaves privadas são criptografadas no seu dispositivo por padrão com uma senha.
  • Não há necessidade de baixar e sincronizar blockchain no seu computador.
  • Ele suporta troca atômica, que permite troca instantânea de criptografia ponto a ponto sem pagar taxas e abrir mão do controle da chave privada para uma troca centralizada.
  • Você pode receber tokens gratuitos participando da campanha AirDrop.
  • Você pode apostar moedas e fichas POS dentro da carteira para obter recompensas.

Neste tutorial, mostrarei como instalar e usar o Atomic Wallet no Linux, incluindo Ubuntu, Linux Mint, OS básico, Fedora, CentOS/RHEL, OpenSUSE e Arch Linux.

Como instalar a carteira Atomic no Linux via arquivo AppImage

Para instalar a carteira Atomic no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome atomic.appimage:

wget https://atomicwallet.io/download/atomicwallet.AppImage -O atomic.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x atomic.appimage

Passo 4. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./atomic.appimage --install

Passo 5. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite atomic ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Quando estiver em execução, clique no botão “NEW WALLET”, para criar uma nova carteira.

Você precisará definir uma senha para criptografar as chaves privadas. Depois de definir uma senha, ele carregará as carteiras (o carregamento da carteira Ethereum pode demorar um pouco.) E criará uma frase inicial de backup.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Adblock test (Why?)

Chrome 96 Beta lançado com a introdução das dicas de prioridade

E foi lançado o Chrome 96 Beta com a introdução das dicas de prioridade, e muito mais. Confira as novidades desse update e veja como instalar no Linux.

O fato de que o Google Chrome ainda é o navegador mais usado no planeta o torna uma das mais importantes ferramentas de controle da web para o Google.

Mas independente disso, o Chrome é o navegador do Google e também o navegador número um no mercado, com uma participação de mais de 65%, de acordo com dados de terceiros da NetMarketShare.

Agora, o Google promoveu o Chrome 96 ao status beta hoje com algumas mudanças interessantes.

Novidades do Chrome 96 Beta

Chrome 96 Beta lançado com a introdução das dicas de prioridadeChrome 96 Beta lançado com a introdução das dicas de prioridade
Após o lançamento do Chrome 95 desta semana, o Google agora promoveu o Chrome 96 ao status beta.

No próximo ano, o Chrome verá a versão 100 e para garantir uma transição tranquila, o Chrome 96 Beta está adicionando uma nova flag para forçar a versão principal a já ser anunciada como a versão 100.

A nova opção voltada para o desenvolvedor definirá a string do agente do usuário HTTP do Chrome para Chrome 100, para ajudar os desenvolvedores a testar seus sites/aplicativos da web contra aquele número de versão de três dígitos.

Como alguns scripts particularmente mais antigos podem estar apenas verificando os dois dígitos principais, os desenvolvedores do Google adicionaram esta opção antecipadamente para ajudar a identificar as áreas que podem não estar lidando corretamente com um número de versão principal de três dígitos.

Uma mudança interessante com o Chrome 96 Beta é a introdução de dicas de prioridade por meio de um atributo “importância” com a permissão de valores auto/baixo/alto. As dicas de prioridade são usadas para ajudar a definir a importância dos recursos que estão sendo carregados.

O Chrome 96 Beta também traz o cache de retorno para a área de trabalho, a pseudo classe “: autofill” para CSS, a propriedade CSS de síntese de fonte agora está implementada, uma nova consulta de mídia de “prefere-contraste” e várias melhorias WebAssembly.
Mais detalhes sobre o Chrome 96 beta recém-lançado via Chromium.org.

Como instalar ou atualizar o Chrome

Os usuários de Android e iOS podem atualizar o Chrome em suas respectivas lojas de aplicativos.

Já os usuários de desktop Windows, Mac e Linux podem atualizar para o Chrome mais recente acessando Configurações -> Ajuda -> Sobre o Google Chrome e o navegador verificará automaticamente a nova atualização e a instalará se e quando disponível.

Ou para instalar a versão mais recente do Chrome nas principais distribuições Linux, use um desses tutoriais:
Google Chrome no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, Arch e derivados – veja como instalar
Como instalar o Google Chrome no Fedora e derivados
Como instalar o Google Chrome no Ubuntu e derivados

Adblock test (Why?)

Mini-PC Ryzen V2000 da SimplyNUC vem com o Ubuntu pré-instalado

Cypress é um Mini-PC Ryzen V2000 da SimplyNUC vem com o Ubuntu pré-instalado. Confira os detalhes e especificações desse dispositivo.

A Simply NUC lançou um mini-PC Cypress de US$ 639 ou mais com Ryzen V2000 da AMD mais 2,5 GbE, 2x HDMI, 2x DP-ready Type-C, 3x USB 3.2 Gen2 e um SSD de 128 GB para um dos 2x M .2 slots.

Mini-PC Ryzen V2000 da SimplyNUC vem com o Ubuntu pré-instalado

Mini-PC Ryzen V2000 da SimplyNUC vem com o Ubuntu pré-instaladoMini-PC Ryzen V2000 da SimplyNUC vem com o Ubuntu pré-instalado
Simply NUC (ou SimplyNUC) lançou um mini-PC Cypress Long Life, nomeado para sua garantia de fornecimento de 7 anos. O sistema oferece Ubuntu ou Win 10 pré-instalado em execução no Ryzen Embedded V2000 de 7nm, octa e hexa-core da AMD.

O preço começa em US $ 639 para um Cypress LLM2v5Cy SKU com o hexa-core, 2.1 GHz/3,95 GHz V2516, US$ 689 para o LLM2v6CY com o hexa-core, 3.0 GHz/3,95 GHz V2546 e US$ 829 para o LLM2v8CY com o the-line, octa-core 2,9 GHz/4,25 GHz V2748.

Todos esses preços incluem 4 GB de RAM, um SSD de 128 GB, suporte de 1 ano e nenhum sistema operacional ou Ubuntu pré-instalado.

O Cypress segue o mini-PC Sequoia do Simply NUC baseado no Ryzen Embedded V1000 anterior, bem como seu Red Oak LLM e mini-PCs Post Oak LLM mais ricos em recursos, ambos com suporte para V1000 ou R1000.

O único outro mini-PC baseado em V2000 que vimos é o iBOX-V2000 da ASRock, que não possui Linux pré-instalado. Como o Cypress, o sistema ainda não apareceu na página do mini-PC Ryzen Embedded da AMD.

O V2000 apresenta núcleos de CPU Zen 2 fabricados em 7 nm e duplica o desempenho por watt multithread em comparação com o V1000. Ele também oferece desempenho de CPU de thread único até 30% melhor, afirma a AMD.

Com seus gráficos Radeon com unidades de computação 6x ou 7x, o desempenho gráfico é considerado 40% maior.

O mini-PC 118 x 113 x 53 mm é voltado para monitores de sinalização digital, quiosques e máquinas de venda automática. A Simply NUC planeja adicionar opções de SKU “para usos profundamente integrados que requerem outros fatores de forma” no início de 2022.

O Cypress está disponível com até 64 GB DDR4-3200 por meio de slots duplos. O ECC está disponível opcionalmente com capacidade de 16 GB a 64 GB.

Mini-PC Ryzen V2000 da SimplyNUC vem com o Ubuntu pré-instaladoMini-PC Ryzen V2000 da SimplyNUC vem com o Ubuntu pré-instalado
Existem dois slots M.2 2280 com suporte de armazenamento. Um tem suporte para SATA e PCIe Gen4 ou Gen3, dependendo de citações conflitantes.

O padrão do slot é o SSD SATA de 128 GB e pode ser expandido para NVMe de 8 TB. O segundo slot vazio oferece opções de armazenamento SATA de até 2 TB.

O anúncio diz que você pode instalar um módulo opcional Intel AX200 com 802.11ax (Wi-Fi 6) e Bluetooth 5.0 no primeiro slot. Presumivelmente, então, você poderia mudar seu SSD padrão de 128 GB para o segundo slot. Não há opção AX200, no entanto, nos menus de construção personalizados.

Mini-PC Ryzen V2000 da SimplyNUC vem com o Ubuntu pré-instaladoMini-PC Ryzen V2000 da SimplyNUC vem com o Ubuntu pré-instalado
O Cypress “tem largura de banda suficiente para operar quatro monitores 4K a 60 Hz”, diz Simply NUC. Existem 2 portas HDMI 2.1 com áudio surround de até 7.1 que suportam 4K a até 120 Hz mais 2 portas USB tipo C multimodo com DP 1.4 com 4K a até 60 Hz.

O mini-PC está equipado com uma porta 2,5 GbE e 3 portas USB 3.2 Gen2. Uma das portas USB 3.2 pode ser equipada com um adaptador de $ 99 que adiciona uma porta de 1 GbE e uma escolha de portas HDMI, DDI ou VGA.

Há também uma porta USB 2.0 padrão com uma opção de US $ 49 para as mesmas interfaces de exibição, além de conectores internos para 2x USB 2.0 e USB 3.2 Gen2 único e interfaces seriais. O TPM 2.0 também está a bordo.

O Cypress possui uma entrada de 12-24 VCC e um adaptador de 19 VCC e 90 W com cabo destacável. O sistema de 0,7 kg é fornecido com montagem VESA e tem uma faixa de operação de 0 a 60 ° C.

As opções incluem planos de serviço estendidos, pacotes de mouse/teclado, uma chave de restauração do sistema operacional USB e cabos USB.

O Simply NUC Cypress Long Life Mini está disponível a partir de US$ 639 (Cypress LLM2v5Cy com V2516) ou $ 829 (LLM2v8CY com V2748). O LLM2v6CY de gama média com V2546 começará a ser comercializado em novembro e está disponível para pré-encomenda por US$ 689.

Mais informações podem ser encontradas no anuncio da Cision e na página do produto, que contém links para páginas de compras.

Adblock test (Why?)

Como instalar o gerador de imagens 3D Popout3D no Linux via Flatpak

Se você quer transformar fotos em imagens tridimensionais, conheça e veja como instalar o gerador de imagens 3D Popout3D no Linux via Flatpak.

Popout3D é um aplicativo que cria imagens 3D a partir de fotografias tiradas com uma câmera comum.

Como instalar o gerador de imagens 3D Popout3D no Linux via FlatpakComo instalar o gerador de imagens 3D Popout3D no Linux via Flatpak

Cria imagens 3D a partir de fotografias tiradas com uma câmera comum. Tire um conjunto de fotos de um objeto e o software criará uma imagem 3D de cada par de fotos do conjunto, para que você possa escolher a melhor.

Os formatos que podem ser criados são anáglifo (vermelho/ciano), lado a lado e cruzado. Vários conjuntos de fotos podem ser processados de uma vez, eles podem ser visualizados e os ruins podem ser excluídos.

O alinhamento vertical e rotacional das imagens esquerda e direita é essencial para um efeito 3D convincente, mas difícil de conseguir com uma câmera comum. Esta nova versão do software corrige isso.

Como instalar o gerador de imagens 3D Popout3D no Linux via Flatpak

Para instalar o gerador de imagens 3D Popout3D no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gerador de imagens 3D Popout3D no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.PopoutApps.popout3d.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.PopoutApps.popout3d

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.PopoutApps.popout3d em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite popout3d ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Depois, se for necessário, para desinstalar o gerador de imagens 3D Popout3D via Flatpak, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.PopoutApps.popout3d

Ou

flatpak uninstall com.github.PopoutApps.popout3d

Adblock test (Why?)

Como criar um link simbólico para um diretório no Linux

Se você ainda fica perdido na hora de criar um apontamento para uma pasta do seu PC, veja como criar um link simbólico para um diretório no Linux.

Symlink, também conhecido como link simbólico no Linux, cria um link para um arquivo ou diretório para facilitar o acesso. Em outras palavras, os links simbólicos são links que apontam para outro arquivo ou pasta em seu sistema, bastante semelhantes aos atalhos do Windows.

Os links simbólicos são uma maneira mais fácil de acessar os arquivos do seu sistema de vários locais. Este artigo é um guia completo sobre como criar links simbólicos para um arquivo ou diretório e removê-los. Remova os links simbólicos se o arquivo original não existir mais.

Como criar um link simbólico para um diretório no Linux

Como criar um link simbólico para um diretório no LinuxComo criar um link simbólico para um diretório no Linux
Alguns usuários se referem aos links simbólicos como links virtuais. Antes de seguirmos em frente, vamos elaborar links físicos e links físicos.

Links físicos: links físicos são os links que espelham ou copiam o arquivo original. Os links físicos têm os mesmos números de inode.

Soft-links: Soft-links são links simples que apontam para o arquivo original. Você pode acessar o arquivo original por meio de links virtuais. Os links virtuais podem apontar para um arquivo ou pasta em qualquer partição e ter diferentes números de inode.

Aprender sobre a criação de links simbólicos no Linux é uma ótima maneira de melhorar seu controle do terminal Linux. Então, vamos aprender as etapas envolvidas na criação de soft-links no Linux.

Como criar um link simbólico (soft-link) no Linux

Para fazer link simbólico ou soft link, usamos o comando “ln”. A sintaxe a seguir para criar um link simbólico é mencionada abaixo:
ln -s [caminho do arquivo/diretório de destino] [nome simbólico]

No primeiro argumento após a opção “-s”, você fornecerá o caminho do arquivo de uma pasta da qual deseja criar o link simbólico. Enquanto estiver no segundo argumento, passe o nome que deseja dar a esse link simbólico.

Para verificar os links criados, use o seguinte comando:
ls -l

Para verificar os números de inode, use o comando mencionado abaixo:
ls -i

Como criar um link simbólico (soft link) para um arquivo

Criar um link simbólico para um arquivo é simples; use a sintaxe mencionada abaixo:
ln -s [caminho do arquivo de destino] [nome simbólico]

Importante observar que se você não especificar o “[nome simbólico]”, o comando criará um link simbólico com o nome do arquivo original. Vamos entender isso por meio de um exemplo.

Eu criei um diretório “minha_pasta” que contém um arquivo de texto “meu_doc.txt”. Agora, para criar um link simbólico para o arquivo “my_doc.txt”, irei usar:
ln -s minha_pasta/meu_doc.txt meu_documento

Para verificar isso, use:
ls -l

Como pode ser visto na saída acima, “meu_documento” está apontando para o arquivo “minha_pasta/meu_doc.txt”. Tanto o link simbólico quanto o arquivo original teriam números de inode diferentes.

Para verificar os números de inode usados:
ls -i

Os links físicos sempre terão os mesmos números de inode. Para verificar, criei um link físico do arquivo “meu_doc.txt” e denominei-o “meu_documento_2”:

Pode ser visto na saída que o arquivo original e o link físico têm os mesmos números de inode.

Como Criar um Symlink (Soft Link) da Pasta/Diretório

Criar um link simbólico ou link simbólico para um diretório é bastante semelhante a criar um link simbólico para um arquivo. Por exemplo, estou criando o link simbólico do diretório “minha_pasta” usando:
ln -s minha_pasta minha_pasta_doc

O comando acima criará uma pasta com link simbólico no diretório atual. Para verificar isso, use:
ls -l

Agora, verifique os números do inode:
ls -i

Como sobrescrever o Symlink (Soft Link) no Linux

Se você tentar atualizar um link simbólico com o mesmo nome que já existe, receberá um erro:
ln -s minha_pasta_2/meu_documento_2.txt meu_documento

Teremos que usar o sinalizador de força “-f” para sobrescrever o novo caminho para o link simbólico existente.
ln -sf minha_pasta_2/meu_documento_2.txt meu_documento

Como remover Symlink (Soft Link) no Linux

Em muitas situações, você precisa remover os links simbólicos desnecessários de seu sistema. Para excluir o link simbólico, usamos o comando “unlink”, e a sintaxe é fornecida a seguir:
unlink [nome do link simbólico]

Vamos remover os links simbólicos que criamos nos exemplos acima. Para desvincular um link simbólico de um arquivo, use:
unlink meu_documento

E para desvincular o link simbólico de um diretório:
unlink minha_pasta_doc

Também podemos usar o comando “rm” para remover links simbólicos.
rm my_document minha_pasta_doc

A vantagem de “rm” sobre “minha_pasta_doc” é que você pode remover vários links simbólicos com o comando “rm”, o que não é possível com o comando “desvincular”.

Observe que se você usar o comando “unlink” ou “rm”, não use a barra final “/”, mesmo se for um diretório.

Por fim, compreender e dominar o terminal Linux é muito importante para qualquer iniciante. Espero que este post tenha beneficiado você ao aprender um novo utilitário e aprimorar suas habilidades.

Adblock test (Why?)

Como instalar programas no Linux manualmente ou via Snap/Flatpak/AppImage

Depois de publicar alguns tutoriais sobre como instalar programas no Linux manualmente ou via Snap/Flatpak/AppImage, é hora de colocar todos no mesmo local e facilitar o acesso dos leitores a eles.

Apesar das principais distribuições Linux disponibilizarem um gerenciador de pacotes que faz todo o trabalho pesado de organizar, exibir, baixar e instalar os arquivos necessários a uma instalação, as vezes é necessário sair um pouco dessa zona de conforto e instalar programas no Linux manualmente.

Como instalar programas no Linux manualmente

O fato de algumas distribuições só fornecerem atualizações de segurança de alguns aplicativos também é um bom motivo para instalar um programa manualmente (mesmo com a chagada dos padrões Snap e Flatpack).

Por causa disso, comecei a fazer alguns tutoriais em que mostro como fazer esse procedimento em softwares que permitem a façanha, pois fornecem arquivos compactados dos binários e tem pouca, ou quase nenhuma dependência.

Agora, todos esses tutoriais estarão juntos nessa artigo e colocarei um link na área “Conheça essas séries”, que fica no lado esquerdo do site. Desse modo, ficará bem mais fácil para qualquer um achá-lo no site e usar suas instruções.

Os tutoriais a seguir foram feitos com muito cuidado e testados para que funcionassem na maioria das distribuições Linux, entretanto, nada impede que alguns não funcionem. Se você tiver alguma dificuldade ou facilidade, use os comentários.

Como instalar programas no Linux manualmente

Mais artigos sobre a instalação manual de programas

instalar programas no linux via Snap

O programa que você precisa está disponível no formato Snap? Veja com instalar programas via Snap:

Mais artigos sobre a instalação manual de programas via Snap

Instalar programas no linux via Flatpak

O programa que você precisa está disponível no formato Flatpak? Veja com instalar programas via Flatpak:

Mais artigos sobre a instalação manual de programas via Flatpak

Removendo Flatpak e Snap

Se depois quiser desinstalar ou remover resíduos, veja esse tutorial:
Como remover todos os vestígios de Flatpak e Snap do seu sistema

Instalar programas no linux via AppImage

O programa que você precisa está disponível no formato AppImage? Veja com instalar programas via AppImage:

Mais artigos sobre a instalação manual de programas via AppImage

E então? Gostou da lista? Se quiser sugerir um programa, escreva nos comentários.

Adblock test (Why?)

Como instalar o gestor de pacotes Pip no Ubuntu, Debian e derivados

Se você precisa usar módulos Python que não são disponibilizados pela sua distribuição, conheça e veja como instalar o gerenciamento de pacotes Pip no Ubuntu, Debian e derivados.

O Pip é um sistema de gestão de pacotes que simplifica a instalação e o gerenciamento de pacotes de software escritos em Python, como os encontrados no Python Package Index (PyPI).

Como instalar o gestor de pacotes Pip no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o gestor de pacotes Pip no Ubuntu, Debian e derivados

Infelizmente, O Pip não é instalado por padrão no Debian, Ubuntu e derivados, mas a sua instalação é bem simples.

E neste tutorial, será mostrado como instalar o Pythonpip no Ubuntu, Debian e derivados, usando o gerenciador de pacotes desses sistema e mostrar as noções básicas sobre como instalar e gerenciar pacotes Python com o pip.

Antes de instalar e usar o Pip, esteja ciente de que ao instalar globalmente módulos python, você deve preferir instalar módulos Python fornecidos pela distribuição usando o apt, porque eles foram testados para funcionar corretamente no Ubuntu, Debian e derivados.

Então, use o pip para instalar módulos python globalmente somente se não houver nenhum pacote rpm para o módulo python.

Na maioria dos casos, você deve usar o pip apenas dentro de um ambiente virtual. O Python Virtual Environments permite que você instale módulos do Python em um local isolado para um projeto específico, em vez de ser instalado globalmente.

Dessa forma, você não precisa se preocupar em afetar outros projetos do Python.

Como instalar o gerenciamento de pacotes Pip no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o gerenciamento de pacotes Pip no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install python-pip

Passo 4. Para verificar se o pip está instalado corretamente, execute o seguinte comando;

pip --version

O número da versão pode variar, mas será algo como isto:

pip 8.1.2 from /usr/lib/python2.7/site-packages (python 2.7)

Usando o Pip

Com o pip, vocẽ pode instalar pacotes do PyPI, controle de versão, projetos locais e de arquivos de distribuição. Normalmente você instalará pacotes do PyPI.

Por exemplo, se você quiser instalar um pacote chamado twisted (O twisted é um framework de rede assíncrona escrito em Python), basta usar o seguinte comando:

pip --versionpip install twisted

Para desinstalar um pacote, use esse comando:

pip uninstall twisted

Para pesquisar, use:

pip search "twisted"

Para listar pacotes instalados:

pip list

Para listar pacotes desatualizados:

pip list --outdated

Gostou? Com o Pip no Ubuntu, agora você já pode explorar esse importante recurso do Python e instalar e desinstalar facilmente os módulos do Python.

Para mais informações sobre o pip, consulte o guia do usuário do pip. Se você tiver alguma dúvida ou opinião, fique à vontade para escrever nos comentarios.

Adblock test (Why?)

21 de outubro de 2021

Como instalar a suíte de engenharia reversa de software Ghidra no Linux

Se você precisa analisar código compilado, conheça e veja como instalar a suíte de engenharia reversa de software Ghidra no Linux via Flatpak.

Ghidra é um framework de engenharia reversa de software (SRE). Esta suíte inclui um conjunto de ferramentas de análise de software de ponta e com recursos completos que permitem aos usuários analisar o código compilado.

Como instalar a suíte de engenharia reversa de software Ghidra no LinuxComo instalar a suíte de engenharia reversa de software Ghidra no Linux

Os recursos incluem desmontagem, montagem, descompilação, gráficos e scripts, junto com centenas de outros recursos.

Ghidra oferece suporte a uma ampla variedade de conjuntos de instruções de processador e formatos executáveis e pode ser executado nos modos interativo com o usuário e automatizado.

Além disso, os usuários também podem desenvolver seus próprios componentes de plug-in Ghidra e/ou scripts usando Java ou Python.

NOTA: Este invólucro não é verificado, afiliado ou apoiado pela National Security Agency Research Directorate.

Como instalar a suíte de engenharia reversa de software Ghidra no Linux via Flatpak

Para instalar a suíte de engenharia reversa de software Ghidra no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar a suíte de engenharia reversa de software Ghidra no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.ghidra_sre.Ghidra.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.ghidra_sre.Ghidra

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.ghidra_sre.Ghidra em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite ghidra ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, se for necessário, para desinstalar a suíte de engenharia reversa de software Ghidra via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.ghidra_sre.Ghidra

Ou

flatpak uninstall org.ghidra_sre.Ghidra

Adblock test (Why?)

Kalk, um novo aplicativo de calculadora CLI poderoso e de código aberto

Conheça o Kalk, um novo aplicativo de calculadora CLI poderoso e de código aberto para desenvolvedores ou entusiastas da linha de comando.

Se você é um entusiasta do terminal que sempre procura aplicativos de linha de comando em vez de aplicativos gráficos, este novo utilitário de linha de comando Kalk pode interessar a você para realizar todos os seus cálculos matemáticos.

Kalk, um novo aplicativo de calculadora CLI poderoso e de código aberto

Kalk, um novo aplicativo de calculadora CLI poderoso e de código abertoKalk, um novo aplicativo de calculadora CLI poderoso e de código aberto
Kalk é o aplicativo de calculadora de linha de comando mais recente desenvolvido por Alexandre Mutel, também conhecido como xoofx, especialmente para desenvolvedores.

Falando de seus recursos, ele oferece mais de milhares de funções integradas com uma linguagem poderosa para automatizar cálculos.

E se você quiser saber informações sobre todas as funções disponíveis no Kalk sem precisar pesquisar na web, ele também vem com documentação integrada.

A única coisa que você precisa fazer é digitar help no aplicativo e ele fornecerá os detalhes dessa função com exemplos.

A calculadora de linha de comando Kalk também oferece os seguintes recursos exclusivos:

  • Modo de desenvolvedor
  • Realce de sintaxe
  • Cursor em erro
  • Chaves combinando
  • Atalhos de teclado, incluindo padrões e definidos pelo usuário para expressões ou ações
  • Intrínsecos de hardware Intel x86 de SSE para AVX2

Além disso, para estender a experiência básica da calculadora, Kalk tem suporte para vários módulos que permitem manipular strings, realizar consultas na web, operações de arquivo, carregar/analisar CSV, moedas e conversões de unidades padrão.

Se você quiser saber como usar esses módulos, vá para a documentação oficial.

Como instalar o Kalk

Atualmente, o Kalk oferece suporte a plataformas de sistema operacional Windows de 64 bits, macOS (High Sierra e superior) e Linux de 64 bits (distribuições que suportam pacotes DPKG e RPM).

Se você estiver usando o Windows, pode baixá-lo na Windows Store.

Para macOS, o kalk requer um macOS com High Sierra ou superior. Tendo ele, você pode instalar o kalk com homebrew
brew tap xoofx/kalk
brew install kalk

Para Linux, você deve seguir as instruções abaixo.

No Ubuntu, Debian e derivados, use os comandos abaixo em um terminal:
wget https://github.com/xoofx/kalk/releases/download/0.4.0/kalk.0.4.0.linux-x64.deb
sudo apt install ./kalk.0.4.0.linux-x64.deb

No CentOS, RHEL & Fedora (RPM), e derivados use os comandos abaixo em um terminal:
wget https://github.com/xoofx/kalk/releases/download/0.4.0/kalk.0.4.0.linux-x64.rpm
sudo rpm –i ./kalk.0.4.0.linux-x64.rpm

Adblock test (Why?)

Como instalar o jogo Doom Zandronum no Linux via Flatpak

Se você quer disputar Doom com outros jogadores, conheça e veja como instalar o jogo Doom Zandronum no Linux via Flatpak.

Zandronum é uma port de Doom orientado para vários jogadores, baseada em Skulltag, para Doom e Doom II pela id Software.

Como instalar o jogo Doom Zandronum no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Doom Zandronum no Linux via Flatpak

O Zandronum traz o Doom clássico para o século 21, mantendo a essência do que tornou o Doom ótimo por tantos anos e, ao mesmo tempo, adicionando novos recursos para modernizá-lo, criando uma nova e divertida nova experiência.

Aqui está o porquê você deve gastar seu tempo com Zandronum, versus vanilla Doom:

  • Arquitetura cliente/servidor: jogue e alterne entre jogos com facilidade;
  • Suporta até 64 jogadores;
  • Ampla variedade de modos de jogo;
  • Competitivo: Team DM, Duel, CTF, Posse, LMS, Terminator, Skulltag;
  • Cooperativa: Sobrevivência, Invasão (ou ambas!);
  • Modificadores, como Instagib e Buckshot, podem ser usados ​​para apimentar qualquer jogo;
  • Moderno e bonito;
  • Suporte para grande número de mods ZDoom e GZDoom;
  • Escolha entre o renderizador OpenGL do GZDoom ou o renderizador Software do Doom;
  • Recursos úteis, como console, teclas de atalho no estilo Quake, freelooking e jump;
  • Suporte para muitos jogos baseados no mecanismo Doom, incluindo Heretic, Hexen e Strife;
  • Suporta versões modernas do Windows, Mac OS X e Linux.

Em alguns cenários, são necessários arquivos de dados comerciais para executar os jogos suportados.

Em outros casos, é possível usar o Freedoom automaticamente como um substituto.

Este pacote vem com o Doomseeker para facilitar a instalação e a navegação no servidor.

Como instalar o jogo Doom Zandronum no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo Doom Zandronum no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Doom Zandronum no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.zandronum.Zandronum.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.zandronum.Zandronum

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.zandronum.Zandronum em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite zandronum ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar o jogo Doom Zandronum via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.zandronum.Zandronum

Ou

flatpak uninstall com.zandronum.Zandronum

Adblock test (Why?)

Rastreamento GPS no Linux? Conheça o ZombieTrackerGPS!

Se você procura um aplicativo de gerenciamento de rastreamento GPS para usar no Linux, conheça e veja como instalar o ZombieTrackerGPS.

Atualmente, o uso de dados de posicionamento e sincronização no espaço é bastante comum, pois com a chegada de dispositivos inteligentes isso se tornou bastante comum.

Rastreamento GPS no Linux? Conheça o ZombieTrackerGPS!Rastreamento GPS no Linux? Conheça o ZombieTrackerGPS!

Redes celulares e de dados, transporte marítimo e aéreo, sistemas financeiros, ferrovias, agricultura e serviços de emergência fazem uso frequente de GPS.

O GPS também é popular entre outras pessoas em movimento, como ciclistas de mountain bike, motos de neve, caminhantes, esquiadores etc.

Existem muitos usos diversos para o GPS, desde rastrear membros vulneráveis ​​da sociedade, encontrar animais de estimação que tenham coleiras com GPS embutido ou equipamentos de rastreamento durante a viagem.

No Linux, existem poucos programas focados no gerenciamento do rastreamento por GPS, mas dentre os poucos, eles são muito bons.

Dentre esses, um excelente aplicativo destinado a esse fim é o ZombieTrackerGPS, um programa estinado a turistas, entusiastas do ciclismo e atletas.

Ele oferece recursos avançados, como classificação e processamento de trilhas GPS, suporte para mapas OpenStreetMap e Open Bike & Hike, importação e exportação de arquivos GPS nos formatos GPX, TCX e FIT, linguagem de consulta flexível (por exemplo, você pode exibir todas as trilhas com um) etiqueta e movimento específicos a menos de 10 km.), gráficos com visualização de alterações de altitude e velocidade, marcação, previsão de consumo de energia e contabilização de calorias.

O ZombieTrackerGPS permite visualizar mapas e imagens de satélite, avaliar sua posição com base no GPS, traçar rotas de viagem e acompanhar seu movimento no mapa.

O programa está posicionado como um analógico Garmin BaseCamp gratuito, capaz de trabalhar no Linux.

A interface é escrita em Qt e suporta a integração com os desktops KDE e LXQt. O código é escrito em C++ e é distribuído sob a licença GPLv3.

Entre suas principais características que podem ser destacadas, podemos encontrar o seguinte:

  • Importe e exporte arquivos GPS nos formatos GPX, TCX e FIT. Há algum suporte limitado a KML em andamento.
  • Facilidades de consulta sofisticadas.
  • Fácil recuperação de consultas personalizadas.
  • Gráficos e tabelas para visualizar visualmente os perfis de elevação, velocidade, etc.
  • Uma interface de usuário altamente personalizável com sessão de salvar e restaurar.
  • Estimativa de energia e calorias gastas com base em outros dados (inclinações, velocidades, etc.).
  • Suporte para uma ampla variedade de unidades físicas.
  • Pesquisas por área para velocidade ou elevação máxima ou mínima, potência, etc.
  • Algumas edições (atualmente limitadas) de faixas.
  • Colorização personalizada de dados.
  • Ícones de etiquetas personalizadas para muitas atividades ao ar livre comuns.
  • Grande conjunto de ícones de bandeira para indicadores geográficos.
  • Rastreamento de redução de redundância, no caso de importação de dados redundantes.
  • Documentação no aplicativo.

E para aqueles interessados ​​em poder instalar este aplicativo de gerenciamento GPS, eles devem seguir as instruções abaixo.

Rastreamento GPS no Linux? Conheça o ZombieTrackerGPS!

Quem quiser instalar o ZombieTrackerGPS no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome zombietrackergps.deb:

wget https://gitlab.com/ldutils-projects/zombietrackergps/-/wikis/uploads/a32343604d3e378c03eafb8226679028/zombietrackergps-0.96_i386.deb -O zombietrackergps.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome zombietrackergps.deb:

wget https://gitlab.com/ldutils-projects/zombietrackergps/-/wikis/uploads/6e804db83b94093ea18a10e76545d809/zombietrackergps-0.96_amd64.deb -O zombietrackergps.deb

Passo 5. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i zombietrackergps.deb
sudo apt-get install -f

Passo 6. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./zombietrackergps.deb

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove zombietrac*

Adblock test (Why?)

Como instalar o conversor de mídia MystiQ no Linux via AppImage

Se você quer transformar diferentes formatos de mídia de um jeito fácil, conheça e veja como instalar o conversor de mídia MystiQ no Linux via AppImage.

MystiQ é uma interface gráfica para o FFmpeg, um poderoso conversor de mídia.

Como instalar o conversor de mídia MystiQ no Linux via AppImageComo instalar o conversor de mídia MystiQ no Linux via AppImage

O FFmpeg pode ler arquivos de áudio e vídeo em vários formatos e convertê-los em outros formatos, mas pode ser um pouco completo para a maioria das pessoas. E o MystiQ é uma interface que para o FFmpeg que simplifica seu uso.

O MystiQ possui uma interface gráfica intuitiva e um rico conjunto de predefinições para ajudá-lo a converter arquivos de mídia em apenas alguns cliques.

Mas apesar desse foco na simplicidade, os usuários avançados também podem ajustar os parâmetros de conversão em detalhes.

Como instalar o conversor de mídia MystiQ no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o conversor de mídia MystiQ no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mystiq.appimage:

wget https://github.com/swl-x/MystiQ/releases/download/continuous/MystiQ-master--603-x86_64.AppImage -O mystiq.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x mystiq.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./mystiq.appimage --install

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mystiq ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Adblock test (Why?)

Conheça algumas maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Se você gosta de baixar vídeos de sites de stream para guardar em seu PC, conheça algumas maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux.

As pessoas gostam de baixar vídeos do YouTube e outros serviços de stream, principalmente para manter uma cópia local deles, não importando o quanto isso possa ser difícil as vezes.

Conheça algumas maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube (e outros) no LinuxConheça algumas maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Felizmente, no Linux existem muitas ferramentas para fazer isso sem complicações e irei mostrar sete delas.

A boa noticia é que quase todas as ferramentas citadas, além do YouTube, oferecem suporte a outros sites populares como o Dailymotion, Vimeo, Metacafe, Liveleak, Blip.tv, Break.com e vários outros.

Conheça algumas maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Confira abaixo os programa que oferece algumas maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube no Linux.

FreeTube

YouTube com privacidade? Instale e experimente o FreeTube

FreeTube permite que você assista, procure e baixe vídeos do Youtube e inscreva seus canais favoritos sem uma conta, o que impede o Google de ter acesso as suas informações.

FreeTube também oferece uma experiência completa sem anúncios e permite que você assista vídeos em seu player HTML5 de sua preferência, como VLC ou MPlayer.

Como instalar o FreeTube para Baixar vídeos do YouTube

Para instalar o FreeTube, acesse esse tutorial:
YouTube com privacidade? Instale e experimente o FreeTube.

Mais sobre o FreeTube

Uget

Gerenciador de download: Instale o uGet no Ubuntu

Uget é um aplicativo gerenciador de download para Linux desenvolvido com GTK+. Ele usa poucos recursos e, ao mesmo tempo embala um conjunto inigualável e poderoso de recursos. Recentemente, o aplicativo recebeu a capacidade de fazer download de vídeos do Youtube. Segundo o anuncio, o método utilizado é totalmente legal e alinhado com as políticas do serviço de vídeos.

Como instalar o Uget Baixar vídeos do YouTube

Para instalar o Uget, acesse esse tutorial:
Gerenciador de download: Instale o uGet no Ubuntu.

Mais sobre o Uget

Gydl

Como instalar a interface para youtube-dl Gydl no linux via Flatpak

Assim como o Youtube-DLG, o gydl (Graphical Youtube-dl) é uma interface gráfica para youtube-dl.

O Gydl é uma interface gráfica para o youtube-dl. O programa é desenvolvido com uma experiência orientada para o diálogo em mente. Isso fornece downloads rápidos e fáceis de áudio ou vídeo, sem distúrbios.

Como instalar o Gydl

Para instalar o Gydl, acesse esse tutorial:
Como instalar a interface para youtube-dl Gydl no linux via Flatpak.

Mais sobre o Gydl

Totem

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Totem, o player de vídeo que é enviado por padrão em todas as versões do Ubuntu tem suporte embutido para pesquisar e transmitir vídeos do YouTube, sem precisar de plugins extras, sem necessidade de downloads adicionais.

Para “encontrar” o recurso de transmissão do YouTube no player de vídeo Totem, você precisa seguir as instruções desse tutorial:
Como assistir e baixar vídeos do YouTube com o Totem

StreamStudio

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no LinuxStreamStudio

StreamStudio é um aplicativo de streaming de vídeo multiplataforma baseado no webkit e desenvolvido usando tecnologias web como o HTML5, JavaScipt e CSS. Com ele, você pode acessar e baixar vídeos da internet de boa parte dos mais famosos sites de vídeo como YouTube e DailyMotion, tudo isso a partir do seu desktop.

Como instalar o StreamStudio

Para instalar o StreamStudio, acesse esse tutorial:
Baixar vídeos da internet – instale e experimente StreamStudio.

Mais sobre o StreamStudio

Youtube-dl

Youtube-dl no Ubuntu: baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido

Ferramentas de linha de comando são consideradas por muitos usuários improdutivas e nada práticas, mas o Youtube-dl está aí para provar o contrário. O aplicativo é a maneira mais fácil e prática de baixar vídeos do YouTube no Ubuntu. É rápido e ágil, obviamente.

E não se engane, ele tem uma gama bastante ampla de funcionalidades. Mas se tudo que você precisa é baixar a versão de melhor qualidade de um determinado vídeo, abra o Terminal e digite:  “youtube-dl linkdovideo”.

O aplicativo vem com muitos recursos úteis, ele traz opções para especificar a qualidade/formato de vídeo, adicionar o título original para o nome do arquivo de vídeo baixado, suportar proxy, extrair automaticamente áudio de vídeos baixados e muito mais.

Além disso, ele suporta YouTube (além de vídeos individuais também suporta listas de reprodução, pesquisas e vídeos do usuário), metacafe.com, vídeo do Google (incluindo pesquisas), Pinsthotobucket, Dailymotion, DepositFiles, blip.tv, Vimeo, myvideo.de, The Daily Show / Colbert Nation, The Escapist, CollegeHumor, arte.tv, Soundcloud, xvideos, infoq, mixcloud, Stanford Open Content, Youku, MTV, Xnxx, Google Plus, hotnewhiphop.com, auengine.com, gamespot.com, RingTV, wat.tv, traileraddict.com, tu.tv, instagram.com, Statigr.am, break.com, tudou.com, Jukebox, Wimp.com, CSpan, 3sat, brightcove.com e archive.org e há também um downloader genérico que funciona com alguns outros sites.

Como instalar o Youtube-dl

Para instalar o Youtube-dl, acesse esse tutorial:
Instale Youtube-dl no Ubuntu e baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido.

Mais sobre o Youtube-dl

Youtube-DLG

Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl

Youtube-DLG é uma interface gráfica multiplataforma para o youtube-dl. Essa interface permite baixar vários vídeos de uma só vez, converter automaticamente os vídeos baixados para áudio, também permite que você selecione a qualidade de vídeo e muito mais.

Infelizmente, o Youtube-DLG (ou youtube-dl-gui) não oferece acesso a todos os recursos do youtube-dl (há tantos, que é quase impossível encaixá-los todos em uma única interface de usuário). Mas o programa dá acesso à maioria dos recursos básicos que devem ser suficientes para a maioria dos usuários.

Como instalar o Youtube-DLG para Baixar vídeos do YouTube

Para instalar o Youtube-DLG, acesse esse tutorial:
Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl.

Mais sobre o Youtube-DLG

YouTube-Indicator

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no LinuxYoutube Indicator

YouTube-Indicator é um aplicativo que permite baixar vídeos do YouTube através de um applet indicador no painel do ambiente Unity no Ubuntu. Ele fornece uma nova maneira de baixar vídeos do YouTube: monitorando a área de transferência.

Quando ele detecta que você copiou um link no padrão do YouTube (por exemplo, https://www.youtube.com/watch?v=FoyWw0gICQ0), aparece uma caixa de diálogo pedindo para o usuário selecionar o formato ou formatos em que ele deseja fazer o download do vídeo. Depois de clicar em OK, o programa baixa o vídeo ou vídeos silenciosamente (usando o youtube-dl, sem feedback visual) na pasta padrão de salvamento ou na pasta pessoal do usuário.

Como instalar o YouTube-Indicator para Baixar vídeos do YouTube

Para instalar o YouTube-Indicator, acesse esse tutorial:
Baixe vídeos do YouTube e de outros serviços com o YouTube-Indicator.

Mais sobre o YouTube-Indicator

ClipGrab

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no LinuxClipgrab

ClipGrab é uma ferramenta gráfica simples que permite que você faça busca e download de vídeos do YouTube, Vimeo, Metacafe, e outros sites de vídeo. Ele permite salvar formato de vídeo original ou converter para MPEG4, MP3, WMV, OGG. Ele também suporta vídeos HD 1080p, claro, se o ffmpeg ou avconv estiver instalado.

Como instalar o ClipGrab

Para instalar o ClipGrab, acesse esse tutorial:
Como instalar o ClipGrab Youtube Downloader para baixar vídeos.

Mais sobre o ClipGrab

4K Video Downloader

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux4K Video Downloader

4K Video Downloader é um aplicativo que permite baixar conteúdo do YouTube e outras plataformas de vídeo, fazer backup de fotos Instagram, converter vídeo para mp3, e para criar e compartilhar apresentações. A ferramenta pode pegar vídeos do YouTube, Vimeo, Facebook e Dailymotion, além de possuir versões para Windows, Mac e Linux.

Como instalar o 4K Video Downloader para Baixar vídeos do YouTube

Para instalar o 4K Video Downloader no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o 4K Video Downloader no Linux

Mais sobre o 4K Video Downloader

No Post found.

YouTube Viewer

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no LinuxYoutube Viewer

YouTube Viewer é um aplicativo escrito em Perl que podem ser usados para pesquisar, reproduzir e baixar vídeos do YouTube. O programa possui uma interface gráfica, baseada em GTK2 e outra de linha de comando e oferece uma ampla gama de recursos, como uma pesquisa avançada, navegação de categorias do YouTube, visualização de suas assinaturas, vídeos favoritos ou recomendados, visualização completa das informações de vídeo, download de vídeo (com opções de qualidade) e muito mais.

Como instalar o YouTube Viewer para Baixar vídeos do YouTube

Para instalar o YouTube Viewer, acesse esse tutorial:
YouTube Viewer: um completo cliente YouTube para Linux.

Mais sobre o YouTube Viewer

Como baixar vídeos do youtube e outros serviços no navegador

Mas se você quiser baixar diretamente no seu navegador, utilize serviços online como o ClipConverter.cc, SaveFrom.net e diversas outras opções que existem na web.

Entretanto, na maioria dos casos, esses serviços utilizam plugins como o Flash Player, Java e outros recursos, que você pode instalar usando os tutoriais abaixo:

Instalando o Flash player no Linux
Oracle Java no Ubuntu: Como instalar as versões 6, 7 ou 8
Instalar Java no Linux: veja como fazer isso manualmente
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões

Se você tiver algum problema por falta do ffmpeg, dê uma olhada nesses tutoriais:

Finalmente, caso você conheça alguma outra opção que permita baixar vídeos do YouTube, coloque nos comentários que ela poderá ser colocada em uma nova atualização desse texto. Participe!

Adblock test (Why?)

Como instalar o jogo Sonic 3: Angel Island Revisited no Linux via Flatpak

Se você quer se divertir com o Sonic, conheça e veja como instalar o jogo Sonic 3: Angel Island Revisited no Linux via Flatpak.

Sonic 3: Angel Island Revisited é uma remasterização widescreen feita por um fã de Sonic 3 e Knuckles.

Como instalar o jogo Sonic 3: Angel Island Revisited no Linux via Flatpak

O Death Egg do Dr. Eggman (também conhecido como Dr. Robotnik) foi mais uma vez atingido por Sonic, caindo no pico de um vulcão na Ilha Flutuante.

Dr. Eggman ainda está foragido e Sonic não pode permitir que ele coloque as mãos na Master Emerald e conserte o Death Egg. Sonic também deve manter Knuckles longe de suas costas, mas Knuckles também tem problemas.

Como guardião da Ilha Flutuante e de todas as Esmeraldas, Knuckles deve fazer sua parte para manter a ilha segura. Enquanto eles estão andando juntos, quem vai parar o Dr. Eggman?

Para jogar Sonic 3: Angel Island Revisited, você precisa de Sonic 3 & amp; Knuckles do SEGA Mega Drive & amp; Coleção Genesis Classics instalada no Steam.

Como instalar o jogo Sonic 3: Angel Island Revisited no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo Sonic 3: Angel Island Revisited no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Sonic 3: Angel Island Revisited no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.sonic3air.Sonic3AIR.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.sonic3air.Sonic3AIR

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.sonic3air.Sonic3AIR em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite sonic3 ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Depois, se for necessário, para desinstalar o jogo Sonic 3: Angel Island Revisited via Flatpak, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.sonic3air.Sonic3AIR

Ou

flatpak uninstall org.sonic3air.Sonic3AIR

Adblock test (Why?)

Interface gráfica para o ffmpeg? Conheça e instale traGtor

Procurando uma interface gráfica para o ffmpeg no Linux? Então experimente instalar o traGtor no Debian, Ubuntu e derivados.

Embora seja muito poderoso, o ffmpeg tem muitas opções e parâmetros. Tanto é, que boa parte das ferramentas gráficas de conversão de arquivos multimídia existentes, usam ele na hora de trabalhar.

Interface gráfica para o ffmpeg? Conheça e instale traGtorInterface gráfica para o ffmpeg? Conheça e instale traGtor

O problema é que a maioria dessas ferramentas são para Windows. Por isso, se você procura uma ferramenta semelhante para Linux, talvez o traGtor seja a solução.

traGtor é uma interface gráfica para o ffmpeg escrita em Python e que usa o GTK-Engine (padrão em desktops GNOME) para exibir sua interface.

O objetivo do traGtor não é trazer todos os recursos oferecidos pelo ffmpeg, mas ser uma ferramenta rápida e a melhor escolha quando o usuários precisar de um aplicativo amigável, para converter um único arquivo de mídia em qualquer outro formato.

O traGtor foi escrito para não lidar muito com linhas de comando, opções e parâmetros e assim por diante. Mas aqueles que querem poder controlar cada detalhe, o programa permite editar a linha de comando que será enviada ao ffmpeg e assim atender todas as suas necessidades.

Contudo, para esses casos, ferramentas orientadas a linha de comando poderiam ser uma escolha melhor.

Mas se você precisa de uma ferramenta que basta clicar para extrair um mp3 de um filme youtube, fazer redimensionamento e recodificar um clipe para a tela do seu celular ou apenas mudar o formato de um arquivo de filme para ser capaz de reproduzi-lo em um flash media player, traGor é a ferramenta certa para você.

Como instalar a interface gráfica para o ffmpeg traGtor no Ubuntu, Debian e seus derivados

Para instalar a interface gráfica para o ffmpeg traGtor no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

wget -q -O - http://repository.mein-neues-blog.de:9000/PublicKey | sudo apt-key add -

Passo 3. Adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

echo "deb http://repository.mein-neues-blog.de:9000/ /" | sudo tee -a /etc/apt/sources.list

Passo 4. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

 sudo apt-get install tragtor

Como instalar a interface gráfica para o ffmpeg traGtor manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do aplicativo e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Ou, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa.

wget http://repository.mein-neues-blog.de:9000/latest/tragtor.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i tragtor.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./tragtor.deb

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove tragtor*

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite tragtor no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Traduzindo a interface do traGtor para a nossa língua

Se o programa ficar com a interface em Inglês, clique na aba “Configurações” e no campo “Escolha sua linguagem”, selecione “Brasil”.

Instale traGtor: uma interface gráfica para o ffmpeg

Desinstalando a interface gráfica para o ffmpeg traGtor no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a interface gráfica para o ffmpeg traGtor no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove tragtor --auto-remove

Adblock test (Why?)

Como instalar o cliente de desktop Nextcloud no Linux via AppImage

Se você quer usar os recursos do Nextcloud no sistema do pinguim, conheça e veja como instalar o cliente de desktop Nextcloud no Linux via AppImage.

Onde ficami suas fotos e documentos? Com o Nextcloud, você seleciona um servidor de sua escolha, em casa, em um data center ou em um provedor. E é aí que seus arquivos estarão.

Como instalar o cliente de desktop Nextcloud no Linux via AppImageComo instalar o cliente de desktop Nextcloud no Linux via AppImage
O Nextcloud é executado nesse servidor, protegendo seus dados e fornecendo acesso a partir de sua área de trabalho ou dispositivos móveis.

O cliente Nextcloud permite que você mantenha sincronizados com o servidor uma ou mais pastas cheias de fotos, vídeos e documentos.

Assim, qualquer arquivo que você adicionar, modificar ou excluir nas pastas sincronizadas em sua área de trabalho ou laptop será exibido, alterado ou desaparecerá no servidor e em todos os outros dispositivos conectados.

Enfim, graças ao cliente, você pode trabalhar com seus arquivos mesmo quando não estiver online!

Através da Nextcloud você também acessa, sincroniza e compartilha seus dados existentes na unidade FTP na escola, um Dropbox ou um NAS que você tem em casa.

Como instalar o cliente de desktop Nextcloud no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o cliente de desktop Nextcloud no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3.Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome nextcloud.appimage:

wget https://download.nextcloud.com/desktop/releases/Linux/latest -O nextcloud.appimage

Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x nextcloud.appimage

Passo 6. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./nextcloud.appimage --install

Passo 7. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite nextcloud ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

cliente de desktop Nextcloud no Linux via arquivo AppImage – Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o cliente Nextcloud no Linux via Snap
Como instalar o cliente de desktop Nextcloud no Linux via Flatpak

Adblock test (Why?)

20 de outubro de 2021

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Linux via Appimage

Se você usa o terminal com frequência e curte um visual mais antigo, conheça e veja como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Linux via Appimage.

Cool-Retro-Term é um emulador de terminal que literalmente imita a aparência das antigas telas de tubos catódicos e que foi projetado para ser atraente, personalizável e razoavelmente leve.

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Linux via AppimageComo instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Linux via Appimage

Sim. Existem emuladores de terminais de todos os tamanhos e formas para o Linux, mas nada como este. Cool-Retro-Term é um belissimo emulador de terminal com visual retrô, vintage (ou como você quiser chamar), que imita o visual e a sensação das antigas telas de tubo catódico.

Esse programa irá agradar os saudosistas e os usuários que não vivenciaram a época dos monitores monocromáticos.

Se este é o seu caso, e você está cansado de seu terminal atual, o programa é uma boa opção por ser um emulador de terminal personalizável e leve.

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Linux via Appimage

Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome cool.appimage:

wget https://github.com/Swordfish90/cool-retro-term/releases/download/continuous/Cool_Retro_Term-dac2b4f-x86_64.AppImage -O cool.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x cool.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./cool.appimage

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite cool ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os emulador de terminal Cool-Retro-Term no Linux

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Veja também

Se você usa o Ubuntu (ou um derivado dele), também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Linux via Snap
Como instalar o emulador de terminal Cool-Retro-Term no Ubuntu

Adblock test (Why?)

Como instalar a estação de áudio Bitwig Studio no Ubuntu e derivados

Se você quer criar músicas usando seu PC om Linux, Conheça e veja como instalar a estação de áudio Bitwig Studio no Ubuntu, Debian e derivados.

Bitwig Studio é uma estação de trabalho de áudio digital comercial e multiplataforma (Windows, macOS e Linux), que pode ser usada para criar músicas.

Como instalar a estação de áudio Bitwig Studio no Ubuntu e derivadosComo instalar a estação de áudio Bitwig Studio no Ubuntu e derivados

Esse software foi projetado para ser um instrumento para apresentações ao vivo, bem como uma ferramenta para compor, gravar, organizar, mixar e masterizar.

Além disso, oferece um conjunto de controles para beatmatching, crossfading e outros efeitos usados ​​pelos toca-discos.

Para completar, o Bitwig Studio suporta o fornecimento de música linear tradicional e produção não linear (baseada em clipes) e também possui suporte para vários monitores e tela sensível ao toque.

O Bitwig Studio vem com mais de 150 módulos de música e vem com recursos, dos quais também oferece funções de DJ, o que é útil, especialmente para quem executa sua música ao vivo.

Além das funções padrão de edição de notas e expressões de notas, como Velocity, Gain, Pan, Timbre e Pressure, o Bitwig Studio possui ferramentas exclusivas como micro pitch e edição em camadas sofisticada e é um corredor de ponta no suporte MPE .

Com o Bitwig Studio, você pode criar crossfades para clipes de áudio diretamente na linha do tempo do organizador ou no editor de áudio. Além disso, você pode criar atenuações para eventos de áudio em clipes, para uma edição realmente rápida, mas flexível.

Ele também oferece a capacidade de editar facilmente o desbotamento, colocando o cursor do mouse sobre os limites do clipe ou evento e arrastando o controle de desbotamento quando ele aparecer. Os crossfades são criados automaticamente quando você move os clipes para que eles se sobreponham.

Como instalar a estação de áudio Bitwig Studio no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar a estação de áudio Bitwig Studio no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome bitwig.deb:

wget https://downloads-na.bitwig.com/stable/4.0.1/bitwig-studio-4.0.1.deb -O bitwig.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i bitwig.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./bitwig.deb

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite bitwig ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando

Para desinstalar a estação de áudio Bitwig Studio no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove bitwig* --auto-remove

Adblock test (Why?)

Raspberry Pi 4 recebeu aumento de preço e agora custa US$ 45

A Raspberry Pi Foundation até tentou, mas por causa da escassez global de chips, o Raspberry Pi 4 recebeu aumento de preço e agora custa US$ 45.

Desde que o primeiro computador Raspberry Pi começou a ser vendido em 2012, a Raspberry Pi Foundation manteve o mesmo preço baixo para seus produtos principais.

O Raspberry Pi Model B original foi vendido por US$ 35 no lançamento, e isso é verdade para todos os modelos lançados desde 2012.

Mas a escassez global de chips e da cadeia de suprimentos está afetando o processo e, pela primeira vez, o Raspberry Pi está aumentando o preço de um de seus produtos. Mas se você ainda está procurando por um computador de US$ 35, a organização tem tudo para você.

Raspberry Pi 4 recebeu aumento de preço e agora custa US$ 45

Raspberry Pi 4 recebeu aumento de preço e agora custa US$ 45Raspberry Pi 4 recebeu aumento de preço e agora custa US$ 45
Aqui está o negócio: no ano passado, a Raspberry Pi retirou o Raspberry Pi 4 Modelo B de entrada com 1 GB de RAM de sua linha e baixou o preço de um modelo de 2 GB para US$ 35.

Agora, ambos os movimentos estão sendo revertidos, pelo menos temporariamente.

Isso significa que o Raspberry Pi 4 de 1 GB está de volta e custa US$ 35. E também significa que o modelo de 2 GB está tendo um aumento de preço para US$ 45 (que é o que custava quando o Raspberry Pi 4 foi lançado pela primeira vez em 2019).

Raspberry Pi observa que os produtos baseados em seus chips de 40 nm mais antigos também estão sentindo o aperto da escassez da cadeia de suprimentos, portanto, embora não haja planos de descontinuar os dispositivos da série Raspberry Pi 3, haverá algumas mudanças nas prioridades, o que pode afetar a disponibilidade no momento ser:

  • O Raspberry Pi Compute Module 3, Compute Module 3+ e Raspberry Pi 3B foram priorizados.
  • O Raspberry Pi 3B+ tem prioridade mais baixa.

Essa decisão foi tomada porque o Raspberry Pi 3B+ tem o mesmo chipset sem fio do Raspberry Pi 4, o que poderia tornar mais barato e mais fácil para as organizações que atualmente dependem da versão mais antiga para migrar para o Raspberry Pi 4 com seu processador de 28 nm, se necessário compre mais hardware em 2022 do que seria para migrar de outros dispositivos da série Raspberry Pi 3.

Você pode encontrar mais detalhes em uma postagem sobre as mudanças no blog do Raspberry Pi.

Adblock test (Why?)

Ubuntu 21.04 e 20.04 LTS receberam nova atualização de segurança do kernel

E o Ubuntu 21.04 e 20.04 LTS receberam nova atualização de segurança do kernel. Confira os detalhes desse importante update e veja como atualizar.

A Canonical é a empresa por trás do sistema operacional Ubuntu e ela leva muito a sério a questão da segurança de dele. Pra isso, ela está sempre lançando novas atualizações de segurança.

Agora, a Canonical publicou uma nova atualização de segurança do kernel Linux para os sistemas Ubuntu 21.04 e Ubuntu 20.04 LTS executando o kernel Linux 5.11 para resolver um total de oito vulnerabilidades de segurança.

Ubuntu 21.04 e 20.04 LTS receberam nova atualização de segurança do kernel

Ubuntu 21.04 e 20.04 LTS receberam nova atualização de segurança do kernelUbuntu 21.04 e 20.04 LTS receberam nova atualização de segurança do kernel
Vindo apenas três semanas após a atualização de segurança do kernel anterior, o novo está atualmente disponível apenas para os sistemas Ubuntu 21.04 (Hirsute Hippo) e Ubuntu 20.04.3 LTS (Focal Fossa) executando a série de kernel Linux 5.11 e está disponível para todas as arquiteturas suportadas e sabores de kernel que o Ubuntu suporta.

Neste novo patch de segurança do kernel do Ubuntu, há uma correção para CVE-2021-3732, uma falha descoberta por Alois Wohlschlager no sistema de arquivos de sobreposição que pode permitir que um invasor exponha informações confidenciais, CVE-2021-3739, um problema de segurança descoberto em o sistema de arquivos Btrfs, que poderia permitir que um invasor com CAP_SYS_ADMIN causasse uma negação de serviço, e CVE-2021-40490, uma condição de corrida descoberta no sistema de arquivos EXT4 que poderia permitir que um invasor local causasse uma negação de serviço ou ganhasse administrativo privilégios.

Além disso, a nova atualização de segurança do kernel do Ubuntu corrige CVE-2021-3753, uma condição de corrida descoberta na implementação do dispositivo de terminal virtual (VT) que leva a uma vulnerabilidade de leitura fora dos limites, permitindo que um invasor local exponha dados confidenciais informações e CVE-2021-3743, uma falha de segurança descoberta na implementação do protocolo Qualcomm IPC Router, que pode permitir que um invasor local cause uma negação de serviço (falha do sistema) ou exponha informações confidenciais.

Também foi corrigido o CVE-2021-42008, uma vulnerabilidade de segurança descoberta no driver de protocolo de rede 6pack do kernel do Linux, que pode permitir que um invasor com privilégios bloqueie o sistema causando uma negação de serviço ou execute código arbitrário, bem como CVE-2020-3702, uma condição de corrida descoberta no driver Atheros Ath9k Wi-Fi, que pode permitir que um invasor exponha informações confidenciais do tráfego da rede Wi-Fi.

Por último, a nova atualização de segurança do kernel aborda CVE-2021-38166, um estouro de número inteiro descoberto no subsistema BPF, que pode permitir que um invasor local cause uma negação de serviço (falha do sistema) ou possivelmente execute código arbitrário.

Todos os usuários do Ubuntu 21.04 e Ubuntu 20.04 LTS usando o kernel Linux 5.11 dos arquivos dos sistemas de 64 bits, Raspberry Pi, AWS, GCP, Azure ou KVM devem atualizar seus sistemas para as novas versões do kernel (linux-image 5.11 .0.38.39 para 64 bits) o mais rápido possível.

Todos os usuários do Ubuntu devem atualizar

A Canonical recomenda que todos os usuários atualizem suas instalações o mais rápido possível para as novas versões de kernel.

Para atualizar suas instalações para as novas versões do kernel, execute os comandos sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade em um emulador de terminal.

Certifique-se de reiniciar o sistema após a instalação da nova versão do kernel e também reinstale os módulos de kernel de terceiros que você instalou.

Mais detalhes sobre o processo de atualização podem ser encontrados em https://wiki.ubuntu.com/Security/Upgrades.

Adblock test (Why?)

Como instalar o visualizador de metadados CoreInfo no Linux via Flatpak

Se você precisa saber informações sobre suas mídias, conheça e veja como instalar o visualizador de metadados CoreInfo no Linux via Flatpak.

Às vezes, tudo que você quer é saber mais informações sobre a mídia (imagem, vídeo) que está ocupando espaço no disco do seu PC. E é nesse cenário que o CoreInfo pode ser útil.

CoreInfo é um visualizador de metadados de mídia simples. Ele é um visualizador de metadados de mídia construído sobre a poderosa biblioteca mediainfo, mostramos todas as informações disponíveis sobre um arquivo de mídia suportado por mediainfo.

Como instalar o visualizador de metadados CoreInfo no Linux via Flatpak

Como instalar o visualizador de metadados CoreInfo no Linux via FlatpakComo instalar o visualizador de metadados CoreInfo no Linux via Flatpak
Para instalar o visualizador de metadados CoreInfo no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o visualizador de metadados CoreInfo no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.cubocore.CoreInfo.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.cubocore.CoreInfo

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.cubocore.CoreInfo em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite coreinfo ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Depois, se for necessário, para desinstalar o visualizador de metadados CoreInfo via Flatpak, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.cubocore.CoreInfo

Ou

flatpak uninstall org.cubocore.CoreInfo

Adblock test (Why?)

Media center – Como instalar o MythTV no Ubuntu e derivados

Se você precisa de um media center para usar em seu sistema. Conheça mais esse aplicativo, e veja como instalar o MythTV no Ubuntu

MythTV é um Digital Video Recorder poderoso e hub home media center para todos. Pense nele como uma alternativa livre e de código aberto para Windows Media Center ou Tivo.

Media center - Como instalar o MythTV no UbuntuMedia center – Como instalar o MythTV no Ubuntu

O programa foi transformado a partir de uma mera aplicação de visualização de TV, em um conjunto completo de home media center.

Ele é capaz de gerenciar suas fotos pessoais, vídeo e coleções de música, bem como mantê-lo atualizado com o tempo, um sistema de segurança doméstica ZoneMinder e muito mais.

E se você não quiser fazer o procedimento abaixo, existe uma distribuição que já traz tudo pronto:
Conhecendo distribuições interessantes que podem ser úteis – Mythbuntu

Como instalar o MythTV no Ubuntu e seus derivados

MythTV está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install mythtv.

Mas se a sua versão não disponibiliza ele ou você quer a versão mais recente, para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:mythbuntu/0.29

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install mythtv

Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa acessando a página do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite mythtv no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o MythTV no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o MythTV no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:mythbuntu/0.29 -r -y
sudo apt-get remove mythtv --auto-remove

Adblock test (Why?)

Tor no Linux: veja como instalar manualmente

Se você precisa de um navegador seguro e com suporte a navegação realmente anônima, veja aqui como instalar manualmente o navegador Tor no Linux.

Tor Browser é um pacote que traz um navegador baseado no Firefox ESR (Firefox com suporte estendido), configurado para proteger a privacidade e anonimato dos usuários usando Tor (que vem junto com ele).

Tor no Linux: veja como instalar manualmenteTor no Linux: veja como instalar manualmente

Tor, The Onion Router, é uma rede de túneis virtuais que permite que os usuários se comuniquem de forma segura, bem como anonimamente através da Internet.

O recurso permite que organizações e indivíduos partilhem informação através de redes públicas sem comprometer a sua privacidade.

É possível usar o Tor para evitar que sites nos rastreiem e também nossos familiares, ou para se conectar a sites de notícias, serviços de mensagens instantâneas, ou a sites que são bloqueados pelos provedores de Internet e administradores de rede.

Resumindo: Usar o Tor no Linux é um ótima estratégia para ter mais privacidade, principalmente em tempos de governos monitorando a vida até de presidentes e cidadãos.

Usar Tor no Linux é muito simples, mas ainda que os repositórios das principais distribuições forneçam uma versão do navegador Tor, ela as vezes pode vir desatualizada.

Nesse caso, se você quiser a versão mais recente (estável e experimental), basta seguir este tutorial para instalar o navegador Tor no Linux, independente de qual seja a sua distribuição favorita.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Antes de fazer o procedimento, desinstale qualquer versão do navegador Tor que já esteja em seu sistema.

Como instalar a última versão estável do navegador Tor no Linux

Para instalar a última versão estável do Navegador Tor no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/tor-browser*
sudo rm -Rf /usr/bin/tor-browser
sudo rm -Rf /usr/share/applications/torbrowser.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema for de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página (clique na pasta mais recente que não contém o nome alpha ou beta), baixe a última versão e salve-o com o nome tor-browser.tar.xz:

wget https://www.torproject.org/dist/torbrowser/10.0.18/tor-browser-linux32-10.0.18_pt-BR.tar.xz -O tor-browser.tar.xz

Passo 5. Se seu sistema for de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página (clique na pasta mais recente que não contém o nome alpha ou beta), baixe a última versão e salve-o com o nome tor-browser.tar.xz:

wget https://www.torproject.org/dist/torbrowser/10.5.5/tor-browser-linux64-10.5.5_pt-BR.tar.xz -O tor-browser.tar.xz

Passo 6. Execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar -xvJf tor-browser.tar.xz -C /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/tor-browser*/ /opt/tor-browser

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/tor-browser/Browser/start-tor-browser /usr/bin/torbrowser

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=torbrowser\n Exec=/opt/tor-browser/Browser/start-tor-browser\n Icon=/opt/tor-browser/Browser/icons/updater.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/torbrowser.desktop

Como instalar a última versão experimental do navegador Tor no Linux (Experimental)

A versão experimental do navegador Tor é aquela que ainda está em desenvolvimento e portanto, traz as últimas novidade do programa, assim como seus bugs.

Por causa disso, você deve instalar essa versão por sua própria conta e risco e claro, esteja pronto para alguns incidentes comuns em softwares que estão nesse estágio.

Para instalar a última versão experimental do Navegador Tor no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/tor-browser*
sudo rm -Rf /usr/bin/tor-browser
sudo rm -Rf /usr/share/applications/torbrowser.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema for de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página (clique na pasta que contém o nome alpha ou beta), baixe a última versão e salve-o com o nome tor-browser.tar.xz:

wget https://dist.torproject.org/torbrowser/10.5a16/tor-browser-linux32-10.5a16_pt-BR.tar.xz -O tor-browser.tar.xz

Passo 5. Se seu sistema for de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página (clique na pasta que contém o nome alpha ou beta), baixe a última versão e salve-o com o nome tor-browser.tar.xz:

wget https://dist.torproject.org/torbrowser/11.0a5/tor-browser-linux64-11.0a5_pt-BR.tar.xz -O tor-browser.tar.xz

Passo 6. Execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar -xvJf tor-browser.tar.xz -C /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/tor-browser*/ /opt/tor-browser

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/tor-browser/Browser/start-tor-browser /usr/bin/torbrowser

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=torbrowser\n Exec=/opt/tor-browser/Browser/start-tor-browser\n Icon=/opt/tor-browser/Browser/icons/updater.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/torbrowser.desktop

Como instalar a última versão estável do navegador Tor no Ubuntu e derivados

Se o que você procura é uma forma de instalar ele no Ubuntu, dê uma olhada nesse outro tutorial:
Tor no Ubuntu e derivados – veja como instalar a última versão

Executando e configurando o Tor

Para iniciar o programa, digite tor em um terminal, seguido da tecla TAB.
Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/torbrowser.desktop
cp /usr/share/applications/torbrowser.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/torbrowser.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Ao executar o Tor no Linux pela primeira vez, clique no botão “Conectar” para que ele prepare tudo e inicie o navegador.

Tor no Linux: veja como instalar manualmente

Tor no Linux: veja como instalar manualmente

Adblock test (Why?)

KDE Gear 21.08.1 lançado com correções de bugs para Dolphin, Elisa e Spectacle

E foi lançado oficialmente o KDE Gear 21.08.1 com correções de bugs para Dolphin, Elisa e Spectacle. Confira todas as novidades dessa atualização.

O KDE Applications é uma iniciativa que instala vários aplicativos que permitem desfrutar plenamente do ambiente KDE Plasma. E, recentemente, ele foi renomeado para KDE Gear.

Em resumo, o KDE Gear é um conjunto de software de código aberto projetado como parte do ecossistema KDE, mas também pode ser usado independentemente de ambiente, em qualquer sistema operacional baseado em Linux.

Agora, o Projeto KDE lançou o KDE Gear 21.08.1 como o primeiro lançamento pontual do mais recente pacote de software de código aberto KDE Gear 21.08.

Novidades do KDE Gear 21.08.1

KDE Gear 21.08.1 lançado com correções de bugs para Dolphin, Elisa e SpectacleKDE Gear 21.08.1 lançado com correções de bugs para Dolphin, Elisa e Spectacle
O KDE Gear 21.08.1 está aqui apenas três semanas após o lançamento do pacote de software KDE Gear 21.08 para corrigir vários bugs e incômodos no Dolphin, Elisa, Spectacle, Konsole, Skanlite, KAlarm, Kate, Kdenlive, KMail, KolourPaint, KOrganizer, e aplicativos Okular, bem como vários componentes principais.

Para o reprodutor de música Elisa, este primeiro lançamento pontual do KDE Gear 21.08 melhora a visualização dos Arquivos para funcionar corretamente novamente, melhora os atalhos do aplicativo “próxima faixa” e “faixa anterior” (Ctrl + seta para direita/esquerda) para serem listados corretamente em a janela de configurações e corrige um problema que fazia Elisa exibir um botão “Mostrar na pasta” para streams de rádio na página Reproduzindo Agora.

Para o gerenciador de arquivos Dolphin, a atualização do KDE Gear 21.08.1 corrige um bug que ocorria ao sair do aplicativo e o painel do terminal embutido era aberto, melhora a ação “Redefinir nível de zoom” para funcionar quando as visualizações de arquivo são desabilitadas, adiciona a capacidade de renomear itens do menu de contexto do painel Pastas e corrige um problema que fazia o Dolphin abrir uma nova janela após compactar ou extrair arquivos no Ark por meio da ação do menu de contexto.

O utilitário de captura de tela do Spectacle também foi atualizado para não exibir mais uma mensagem de erro na sessão do Plasma Wayland ao cancelar o processo de captura de tela no meio, melhorar seu recurso “Copiar automaticamente para a área de transferência após tirar a captura de tela” para funcionar corretamente no Plasma Sessão do Wayland e adicionar suporte para tirar screenshots com a resolução certa na sessão do Plasma Wayland ao usar escala fracionária.

O problema de “flashing” da janela do Konsole que ocorria ao fechar a última sessão também foi corrigido, junto com uma correção para uma corrupção do efeito de brilho no editor de vídeo Kdenlive, codificação adequada de anexos de e-mail recebidos via intents de compartilhamento FairEmail, suporte básico para MAV (húngaro ferrovia estadual) extrator de bilhetes domésticos, extrator de correio de confirmação Airdo, extrator pkpass Regionado e suporte para extração de cartões de embarque em PDF da Ryanair e e-mails de confirmação SNCF Ouigo no aplicativo de assistente de viagem digital KDE Itinerary e sua biblioteca KItinerary.

Entre outras mudanças, o aplicativo de digitalização de imagens Skanlite foi atualizado para salvar corretamente as imagens digitalizadas quando a visualização não é exibida, o aplicativo de alarme pessoal KAlarm obteve uma correção para um travamento que ocorreu ao iniciar o enquanto ele já estava em execução, semântica do editor de texto Kate o marcador agora usa um cronômetro para reduzir a quantidade de solicitações enviadas e o emulador de terminal Konsole não trava mais ao definir o efeito de desfoque.

Para mais detalhes, você pode verificar o changelog completo.

Como atualizar ou instalar

Os aplicativos do KDE Gear 21.08.1 já foram lançados, mas, até o momento, apenas na forma de código. Nas próximas horas, eles começarão a aparecer como uma atualização no neon do KDE e, posteriormente, eles aparecerão em outros sistemas operacionais que usam o modelo de desenvolvimento Rolling Release.

Os pacotes do KDE Gear 21.08.1 devem chegar em breve nos repositórios de software estáveis ​​da sua distribuição Linux favorita, portanto, a atualização é altamente recomendada para todos os usuários.

Adblock test (Why?)

19 de outubro de 2021

Como instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux

Se você quer compartilhar arquivos (e muito mais) anonimamente, conheça e veja como instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux.

OnionShare é uma ferramenta de código aberto que permite compartilhar arquivos, hospedar sites e conversar com amigos de forma segura e anônima.

Como instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no LinuxComo instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux
Com OnionShare você pode compartilhar arquivos, hospedar sites e conversar com amigos de forma segura e anônima.

Funciona assim: OnionShare inicia um servidor web diretamente no seu computador e então o torna acessível a outras pessoas como um serviço Tor onion, protegido por uma senha aleatória. Um endereço típico do OnionShare se parece com este:
http://onionshare:[email protected]r3dqzyjad.onion

Você é responsável por compartilhar com segurança esse URL usando um canal de comunicação de sua escolha, como em uma mensagem de bate-papo criptografada, ou usando algo menos seguro como e-mail não criptografado, dependendo do seu modelo de ameaça.

As pessoas para as quais você envia a URL, copiam e colam em seu navegador Tor para acessar o serviço OnionShare.

Se você executar o OnionShare em seu laptop para enviar arquivos a alguém e, em seguida, suspendê-lo antes que os arquivos sejam enviados, o serviço não estará disponível até que seu laptop seja reativado e esteja na Internet novamente.

OnionShare funciona melhor quando se trabalha com pessoas em tempo real.

Como o seu próprio computador é o servidor web, nenhum terceiro pode acessar nada do que acontece no OnionShare, nem mesmo os desenvolvedores do OnionShare. É totalmente privado. E como o OnionShare também é baseado nos serviços Tor onion, ele também protege o seu anonimato.

Como instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux

Para instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install onionshare

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh onionshare

Passo 4. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove onionshare

Como instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux via Flatpak

Para instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o compartilhador de arquivos OnionShare no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.onionshare.OnionShare.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.onionshare.OnionShare

Passo 4. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

flatpak --user uninstall org.onionshare.OnionShare

Ou

flatpak uninstall org.onionshare.OnionShare

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite onionshare ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como compartilhar seus arquivos de maneira segura e anônima com OnionShare

Adblock test (Why?)

Spotify no Linux via Terminal: instale e experimente Sconsify

Procurando uma forma bem simples e prática de usar o Spotify no sistema do pinguim? Então instale e experimente Sconsify e tenha o Spotify no Linux via Terminal.

Sconsify é um novo cliente Spotify não oficial, que pode ser executado no terminal do Mac ou Linux.

Spotify no Linux via Terminal: instale e experimente SconsifySpotify no Linux via Terminal: instale e experimente Sconsify

Ele oferece dois tipos de interface, uma mais completa que apresenta uma interface de usuário de texto com listas de reprodução e faixas, e outra mais simples, que exibe apenas as faixas.

Infelizmente, de acordo com o arquivo readme do aplicativo e o relato de usuários, o programa só funciona em conjunto com uma conta Spotify Premium, possivelmente porque usa algum recurso desse tipo de conta para funcionar.

Como instalar o Sconsify no Ubuntu para poder usar o Spotify no Linux via Terminal

Para instalar o Sconsify no Ubuntu e usar o Spotify no Linux via Terminal, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Baixe a chave do repositório com este comando:

wget -q -O - https://apt.mopidy.com/mopidy.gpg | sudo apt-key add -

Passo 4. Adicione o repositório com o comando:

sudo wget -q -O /etc/apt/sources.list.d/mopidy.list https://apt.mopidy.com/mopidy.list

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar as dependências do programa;

sudo apt-get install -y libportaudio2 libspotify12 --no-install-recommends

Passo 7. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome sconsify.zip:

wget https://github.com/fabiofalci/sconsify/releases/download/next-20180428/linux-x86_64-sconsify-0.6.0-next.zip -O sconsify.zip

Passo 8. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado e instalar o programa:

sudo unzip sconsify.zip -d /usr/local/bin/

Pronto! Agora você já pode usar o Spotify no Terminal, para isso, digite sconsify em um terminal, seguido da tecla TAB.

A primeira coisa fazer ao iniciar o programa é digitar o nome e o usuário da sua conta Spotify, quando isso for solicitado.

Depois de logar, você pode controlar a interface do usuário usando as teclas de atalho abaixo:

Spotify no Linux via Terminal: instale e experimente Sconsify

Use as setas de direção do teclado para fazer a navegação.
espaço ou enter: reproduz a faixa selecionada.
>: reproduz a próxima faixa.
p: pausa.
/: abrir um campo de pesquisa.
s: shuffle faixas da lista de reprodução atual. Pressione novamente para voltar ao modo normal.
S: shuffle faixas de todas as listas de reprodução. Pressione novamente para voltar ao modo normal.
u: faixa selecionada fila para reproduz na próxima.
d: excluir faixa selecionada da fila ou excluir pesquisa selecionada.
D: exclua todas as faixas da fila, se o foco está na fila.
PageUp PageDown: Ir para o final.
Control C ou q: sair.

Abaixo você verá alguns exemplos de uso do programa:

uso do Sconsify

uso do Sconsify

uso do Sconsify

uso do Sconsify

Mais detalhes sobre como usar o programa estão nessa página.

Adblock test (Why?)

Como instalar a ferramenta de captura Shutter no Ubuntu

Precisando de um bom aplicativo para capturar telas e gerenciar todas as capturas? Então você precisa conhecer e instalar a ferramenta de captura Shutter no Ubuntu.

Shutter é uma ferramenta gratuita de captura de tela, com diversos recursos de edição. O programa é um um software livre licenciado sob a GPL v3.

como instalar a ferramenta de captura shutter no ubuntucomo instalar a ferramenta de captura shutter no ubuntu

Ele permite capturar quase qualquer coisa em sua tela, sem perder o controle sobre seus screenshots, pois ele utiliza uma interface com abas.

Para completar, Shutter possui uma grande variedade de plugins que permitem adicionar efeitos impressionantes para seus screenshots.

Com Shutter, você pode tirar um screenshot de uma área específica, da janela, da tela inteira, ou até mesmo de um site.

Depois é possível aplicar efeitos diferentes, destacar pontos, e em seguida, fazer o upload para um site de hospedagem de imagens, tudo dentro de uma janela.

como instalar a ferramenta de captura shutter no ubuntu

Como instalar a ferramenta de captura Shutter no Ubuntu e seus derivados

Shutter está disponível para qualquer grande distribuição Linux e pode ser instalado usando o gerenciador de pacotes delas.

Ele está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install shutter.

Mas se você deseja atualizar para a versão mais recente da ferramenta de captura Shutter no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo apt-add-repository ppa:shutter/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install shutter

Como instalar a ferramenta de captura Shutter manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite shutter no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando a ferramenta de captura Shutter no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a ferramenta de captura Shutter no Ubuntu, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-add-repository ppa:shutter/ppa --remove
sudo apt-get remove shutter --auto-remove

Adblock test (Why?)

Como instalar o utilitário DropPoint no Linux via AppImage

Se você quer simplificar o uso do arrastar e soltar no seu PC, conheça e veja como instalar o utilitário DropPoint no Linux via AppImage.

DropPoint facilita o recurso de arrastar e soltar, pois você pode arrastar o conteúdo sem ter que abrir janelas lado a lado

Como instalar o utilitário DropPoint no Linux via AppImageComo instalar o utilitário DropPoint no Linux via AppImage

Arraste e solte qualquer arquivo (s) ou pasta do sistema no DropPoint, vá para o local desejado e arraste-o para fora.

O aplicativo é minimizado para a bandeja por padrão quando você fecha a instância. Para abrir a instância, clique na bandeja do sistema. Para sair, clique com o botão direito no ícone da bandeja> Sair.

Enquanto o DropPoint está na bandeja do sistema, pressionar Shift + Caps Lock em qualquer lugar do PC alternará uma instância do DropPoint.

E, abaixo, você verá como instalar o utilitário DropPoint no Linux via AppImage.

Como instalar o utilitário DropPoint no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o utilitário DropPoint no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome droppoint.appimage:

wget https://github.com/GameGodS3/DropPoint/releases/download/v1.1.0/DropPoint-1.1.0.AppImage -O droppoint.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x droppoint.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./droppoint.appimage --install

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite droppoint ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Adblock test (Why?)

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
26 de outubro de 2021, 08:06
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.