21 de janeiro de 2021

Como instalar o software KVM Barrier no Linux via Snap

Se você precisa compartilhar teclado e mouse entre vários computadores, conheça e veja como instalar o software KVM Barrier no Linux via Snap.

Barrier é um software KVM derivado da base de código synergy 1.9 da Symless que permite compartilhar teclado e mouse entre vários computadores. Synergy foi uma reimplementação comercializada do CosmoSynergy original, escrito por Chris Schoeneman.

Como instalar o software KVM Barrier no Linux via SnapComo instalar o software KVM Barrier no Linux via SnapComo instalar o software KVM Barrier no Linux via Snap

Enquanto o Synergy ultrapassou seus objetivos desde a era 1.x, o Barrier visa manter essa simplicidade. Barrier permite que você use o teclado e o mouse da máquina A para controlar a máquina B (ou mais). É simples assim.

Como instalar o software KVM Barrier no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o software KVM Barrier via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o software KVM Barrier via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install barrier

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install barrier --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh barrier

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite barrier ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Baixe e instale uma versão do Barrier nos outros computadores e cofigure para poder compartilhar o teclado e mouse.

Como desinstalar o software KVM Barrier no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o software KVM Barrier via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove barrier

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerenciador de senhas Revelation no Linux via Flatpak

Se você precisa guardar e recuperar diversas senhas, conheça e veja como instalar o gerenciador de senhas Revelation no Linux via Flatpak.

Revelation é um gerenciador de senhas para a área de trabalho GNOME, lançado sob a licença GNU GPL. Ele armazena todas as suas contas e senhas em um único lugar seguro e dá acesso a ele por meio de uma interface gráfica amigável.

Como instalar o gerenciador de senhas Revelation no Linux via FlatpakComo instalar o gerenciador de senhas Revelation no Linux via FlatpakComo instalar o gerenciador de senhas Revelation no Linux via Flatpak

Entre outros recursos, o Revelation é capaz de armazenar senhas criptografadas, armazenar senhas organizadas, autolock quando ocioso ou quando a área de trabalho é bloqueada e importar e exportar para diferentes formatos de arquivo

Como instalar o gerenciador de senhas Revelation no Linux via Flatpak

Para instalar o gerenciador de senhas Revelation via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de senhas Revelation via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/info.olasagasti.revelation.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update info.olasagasti.revelation

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run info.olasagasti.revelation em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite revelation ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gerenciador de senhas Revelation no Linux via Flatpak

Para desinstalar o gerenciador de senhas Revelation no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall info.olasagasti.revelation

Ou

flatpak uninstall info.olasagasti.revelation

Let's block ads! (Why?)

Como instalar gerador de códigos de autenticação Authenticator no Linux

Se você está procurando por um gerador de código de autenticação de dois fatores para o Linux, conheça e veja como instalar gerador de códigos de autenticação Authenticator no Linux.

O Authenticator é um aplicativo de autenticação de dois fatores, apropriadamente nomeado, nativo e fácil de usar, para o desktop Linux.

Como instalar gerador de códigos de autenticação Authenticator no LinuxComo instalar gerador de códigos de autenticação Authenticator no LinuxComo instalar gerador de códigos de autenticação Authenticator no Linux

Ele foi projetado para ambientes baseados no GNOME, como o GNOME Shell, o Budgie e o MATE, mas deve funcionar praticamente em qualquer outro lugar que você precise também.

O utilitário é o trabalho do desenvolvedor belga Bilal Elmoussaoui, criador do Nautilus Folder Icons, do Audio Cutter e de vários outros aplicativos de desktop para Linux.

O que é autenticação de dois fatores?

Geralmente, autenticação de dois fatores é considerada a melhor maneira de proteger suas contas on-line.

Como o nome implica, autenticação de dois fatores, você precisa ‘autenticar’ duas vezes ao fazer login em um serviço, aplicativo ou site: uma vez com sua senha de usuário comum, e digitando um código de seis dígitos expirado automaticamente gerado por um aplicativo de autenticação (normalmente instalado no seu telefone) ou enviado para você via SMS.

É como precisar de duas chaves para o seu apartamento: uma para entrar e outra para provar que é você quem quer entrar.

A idéia por trás do 2FA (como dizem alguns) é que, se alguém rouba ou cracka sua senha, não pode usá-la isoladamente; o requisito de um código secundário, que, em alguns casos, precisa ser gerado para cada novo navegador ou dispositivo em que você faz login, cria um obstáculo adicional para que um possível invasor falhe.

Um obstáculo que eles provavelmente não conseguirão resolver sem enviar um aviso para você, o proprietário da conta.

Tecnicamente, você não precisa de um aplicativo de desktop para usar a autenticação de dois fatores com seus serviços favoritos. Pense nisso como uma conveniência e não como uma necessidade.

Eu uso a autenticação de dois fatores em todos os lugares que posso e atualmente recebo meu segundo código de autenticação de um aplicativo instalado no meu smartphone.

Como afirmado, isso geralmente é bom: se alguém roubar seu computador, mas não tiver seu telefone, ele não poderá entrar em suas contas.

Não é tão bom se você esquece regularmente o seu telefone, está propenso a quebrá-lo ou perdê-lo, ou simplesmente acha que é uma farsa e meia absoluta para alcançá-lo, toda vez que precisar enviar um e-mail ou conferir um nome de outros.

Portanto, em vez de usar o smartphone sempre que você precisar inserir um código de autenticação de dois fatores, você poderá abrir esse aplicativo na área de trabalho do Linux e copiar/colar seu código.

Ser capaz de obter o segundo fator a partir do seu desktop e laptop contribui para uma experiência de usuário mais perfeita.

Em vez de digitar um código, basta copiá-lo e colá-lo no aplicativo da área de trabalho

Autenticador traz autenticação de 2 fatores para o Linux Desktop, pois ele é um aplicativo simples que gera código de autenticação de dois fatores.

Ele tem uma interface de usuário muito simples que facilita a adição de um serviço e até mesmo um scanner de código QR, se necessário.

O Autenticador suporta mais de 290 sites e aplicativos, incluindo um grande número de serviços conhecidos, incluindo:

  • Amazon;
  • Evernote;
  • Dropbox;
  • ProtonMail;
  • Facebook;
  • Google;
  • Twitter;
  • Apple;
  • LastPass;
  • OneDrive;
  • Reddit;
  • Gmail;
  • YouTube;
  • Twitch.

Como instalar o gerador de códigos de autenticação Authenticator no Linux via Flatpak

Para instalar o gerador de códigos de autenticação Authenticator no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema.

Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gerador de códigos de autenticação Authenticator no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.bilelmoussaoui.Authenticator.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.bilelmoussaoui.Authenticator

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.bilelmoussaoui.Authenticator

Ou

flatpak uninstall com.github.bilelmoussaoui.Authenticator

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.bilelmoussaoui.Authenticator em um terminal.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite authenticator ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Como ativar o recurso Night Light no Ubuntu com Gnome Shell

Se você trabalha muitas horas no PC e quer melhorar a qualidade do seu sono, veja como ativar o recurso Night Light no Ubuntu com Gnome Shell (17.10, 18.04 ou superior).

Se você utiliza o sistema do iPhone, iPad ou Mac (iOS e macOS), sabe que é possível usar o recurso de luz azul incorporado chamado ‘Night Shift’.

Como ativar o recurso Night Light no Ubuntu 17.10Como ativar o recurso Night Light no Ubuntu 17.10Como ativar o recurso Night Light no Ubuntu 17.10

O recurso Night Light (ou Luz noturna) que você encontrará no Ubuntu 17.10 ou superior, é a versão do Night Shift para o Ubuntu.

Essa funcionalidade, torna a tela mais quente à noite, para reduzir a quantidade de luz azul emitida.

O Night Light faz isso ajustando a quantidade de luz azul que sua exibição de monitor ou laptop emite com base na hora do dia.

Vários estudos científicos mostram que a exposição à luz azul à noite torna mais difícil adormecer porque (como toda a luz artificial) afeta os ritmos circadianos que gerenciam o relógio do nosso corpo.

Para ajudá-lo nessa questão, Night Light aquece automaticamente a temperatura da sua tela após o pôr-do-sol.

Isto faz com que a tela do laptop ou o monitor do PC seja mais agradável para os seus olhos e reduz a interrupção do seu ritmo circadiano. Na parte da manhã, o seu display retornará às suas configurações regulares.

Estas características ajudam a reduzir a tensão ocular durante a noite e também ajudam a promover padrões de sono naturais.

Se você usa um ambiente gráfico diferente e que não possui essa funcionalidade, é possível usar aplicativos de terceiros para obter o mesmo efeito. Para isso, confira o seguinte artigo:
Conheça alguns aplicativos que cuidam da saúde dos seus olhos

Como ativar o recurso Night Light no Ubuntu com Gnome Shell (17.10, 18.04 ou superior)

Para ativar o recurso Night Light no Ubuntu com Gnome Shell (17.10, 18.04 ou superior), faça o seguinte:

Passo 1. Acesse as configurações do Ubuntu, para isso, clique no menu do sistema e depois no ícone das chaves;

Como ativar o recurso Night Light no Ubuntu 17.10

Como ativar o recurso Night Light no Ubuntu 17.10

Passo 2. Nas configurações, clique em “Dispositivos”;

 Gnome Shell

 Gnome Shell

Passo 3. Em seguida, clique em “Telas”;

 Gnome Shell

 Gnome Shell
Passo 4. Dentro de “Telas”, clique na opção “Desativado” que fica depois de “Luz noturna”;

 Gnome Shell

 Gnome Shell

Passo 5. Clique no controle deslizante e pronto, o recurso Night Light já estará ativo. Se quiser personalizar, mexa nas opções.

 Gnome Shell

 Gnome Shell

Pronto! E isso é tudo o que você tem que fazer. O recurso inicia automaticamente ao pôr do sol, gradualmente aquecendo sua exibição durante a noite.

Este modo noturno também não está limitado à sua exibição principal. O recurso de temperatura de cor do GNOME também se aplicará a qualquer monitor externo que você tenha conectado também.

Quando o recurso estiver ativo, você verá um ícone da lua no Menu de Status. Você pode desativar temporariamente o recurso ou desligá-lo completamente, usando as opções de menu apresentadas no Menu de Status.

Como ativar o recurso Night Light no Ubuntu 17.10

Como ativar o recurso Night Light no Ubuntu 17.10

Let's block ads! (Why?)

20 de janeiro de 2021

Como instalar o VMware Player no Linux

Se você está precisando usar o virtualizador da VMware em seu sistema, veja nesse tutorial Como instalar a versão mais recente do VMware Player no Linux.

VMware Player é um software de virtualização como o VirtualBox, e como este, é oferecido gratuitamente para uso pessoal pela VMware Corporation.

Como instalar o VMware Player no LinuxComo instalar o VMware Player no LinuxComo instalar o VMware Player no Linux

O programa pode executar aplicativos virtuais existentes e criar suas próprias máquinas virtuais (que requerem um sistema operacional a ser instalado para ser funcional) e pode ser muito útil para criar ambientes prontos para, por exemplo, criar demonstrações, fazer testes e até mesmo colocar serviços em VM´s.

VMware Player usa o mesmo núcleo de virtualização do VMware Workstation, um programa semelhante com mais recursos, mas que não é gratuito.

A VMware afirma que o Player oferece melhores gráficos, desempenho mais rápido e maior integração do que qualquer outra solução para virtualização, isso entretanto, precisa ser testado. 🙂

VMware Player oferece suporte para impressão virtual durante a instalação automática. Esta propriedade permite o suporte para impressão virtual ThinPrint no host do Windows após a instalação. Como essa propriedade pode estar desativado por padrão, para ativar a impressão virtual, você precisa configura-la como:

ENABLE_VIRTUAL_PRINTING = 1

Como instalar o VMware Player no Linux

Para instalar o VMware Player no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Em sistemas baseados no Debian, instale algumas dependências do programa usando este comando;

sudo apt-get install build-essential linux-headers-`uname -r`

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, baixe o pacote de instalação do programa com o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome VMware-Player.tar (acessando a pasta yy.y.y/yyyyyyy/linux/core/);

wget -c https://softwareupdate.vmware.com/cds/vmw-desktop/player/16.1.0/17198959/linux/core/VMware-Player-16.1.0-17198959.x86_64.bundle.tar -O VMware-Player.tar

Passo 5. Descompacte o arquivo baixado com este comando;

tar -xvf VMware-Player.tar

Passo 6. Use o comando abaixo para iniciar a instalação do programa e siga as instruções do instalador;

sudo sh VMware-Player*

Como instalar o VMware Player no Linux

Como instalar o VMware Player no Linux

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vmware no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o VMware Player no Linux

Para desinstalar o o VMware Player no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo sh VMware-Player* --uninstall-product vmware-player

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o AdGuard Home no Linux via Snap

Se você quer livrar a sua rede de anúncios e rastreamento, conheça e veja como instalar o AdGuard Home no Linux via Snap.

O AdGuard Home é um software que trabalha em toda a rede para bloquear anúncios e rastreamento.

Como instalar o AdGuard Home no Linux via SnapComo instalar o AdGuard Home no Linux via SnapComo instalar o AdGuard Home no Linux via Snap

Depois de configurado, ele abrangerá TODOS os seus dispositivos domésticos e você não precisará de nenhum software do lado do cliente para isso.

Ele funciona como um servidor DNS que redireciona os domínios de rastreamento para um “buraco negro”, impedindo que seus dispositivos se conectem a esses servidores.

Ele é baseado no software que é usado para servidores DNS AdGuard públicos – ambos compartilham muito código comum.

Como instalar o AdGuard Home no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o AdGuard Home via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o AdGuard Home via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install adguard-home

Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install adguard-home --beta

Passo 4. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install adguard-home --edge

Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh adguard-home

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite adguard ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o AdGuard Home no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o AdGuard Home via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove adguard-home

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o bonito tema Mac OS X Cheetah no Linux

Se você gostava do visual do Mac OS X 10.0 e quer experimentá-lo no sistema do pinguim, veja como instalar o bonito tema Mac OS X Cheetah no Linux.

O Mac OS X versão 10.0 Cheetah, foi a primeira versão do sistema operacional Mac OS X, para desktop e servidor da Apple Inc. Ele foi lançado no dia 24 de março de 2001.

Como instalar o bonito tema Mac OS X Cheetah no LinuxComo instalar o bonito tema Mac OS X Cheetah no LinuxComo instalar o bonito tema Mac OS X Cheetah no Linux

Um dos principais destaques dessa versão foi o visual do sistema, que trazia componentes visuais arredondados, com tons de azul e branco.

Com o tema Mac OS X Cheetah você poderá deixar seu sistema com o mesma aparência do Mac OS X 10.0, e experimentar um pouco a experiência visual dessa versão do Mac.

Este tema é compatível com os ambientes Unity, GNOME, Cinnamon, Pantheon e Xfce, ficando muito bonito neste último.

Instalando o tema Mac OS X Cheetah no Linux

Para instalar o tema Mac OS X Cheetah no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Baixe o tema com o seguinte comando:

wget https://github.com/B00merang-Project/Mac-OS-X-Cheetah/archive/master.zip

Passo 3. Se você quiser instalar o tema apenas para o seu usuário, use o comando abaixo para descompactar o arquivo baixado na sua pasta de temas:

unzip master.zip -d .themes/

Passo 3. Se você quiser instalar o tema para todos os usuários, use o comando abaixo para descompactar o arquivo baixado na pasta de temas do sistema:

sudo unzip master.zip -d /usr/share/themes/

Depois de instalar, você pode usar o comando gsettings set org.gnome.desktop.interface gtk-theme "Mac-OS-X-Cheetah-master" no Unity, gsettings set org.gnome.desktop.interface gtk-theme "Mac-OS-X-Cheetah-master" e gsettings set org.gnome.desktop.wm.preferences theme "Mac-OS-X-Cheetah-master" no Gnome, xfconf-query -c xsettings -p /Net/ThemeName -s "Mac-OS-X-Cheetah-master" no XFCE, ou use os utilitários Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Ou, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Desinstalando o tema Mac OS X Cheetah no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema Mac OS X Cheetah no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 3. Se você instalou o tema apenas para o seu usuário, use o comando abaixo para apagar a pasta dele dentro da sua pasta de temas:

rm -Rf .themes/Mac-OS-X-Cheetah-master/

Passo 3. Se você instalou o tema para todos os usuários, use o comando abaixo para apagar a pasta dele dentro da pasta de temas do sistema:

sudo rm -Rf /usr/share/themes/Mac-OS-X-Cheetah-master/

Para voltar ao estado anterior, você pode usar o comando gsettings set org.gnome.desktop.interface gtk-theme "Radiance" ou os utilitários Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Ou, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Veja também

Se você não quer mexer com temas, mas procura por uma distro com visual parecido com o do macOS, leia esse artigo:
Conheça algumas distribuições Linux inspiradas no macOS

Let's block ads! (Why?)

Mapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicro

Se você está precisando mapear o teclado e as teclas do mouse para os botões do gamepad, conheça instale e use o AntiMicro.

AntiMicro é um aplicativo que pode ser usado para mapear o teclado e as teclas do mouse para os botões do gamepad, útil para jogar jogos sem suporte a gamepad.

Mapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicroMapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicroMapear teclado e mouse para jogos? Use o AntiMicro

O aplicativo, escrito em C++ usando Qt para a estrutura gráfica, foi criado como um substituto para o QJoyPad que, infelizmente, não está mais sendo mantido.

Em comparação com QJoyPad, o aplicativo vem com alguns recursos extras como a atribuição de múltiplas teclas para um controlador (por exemplo Shift + Tab para abrir a interface de sobreposição do Steam em um jogo) e macros para pressionar o botão que permite que você adicione ações condicionais.

Ele possui botão para alterar configurações em tempo real e há também um ícone de bandeja que funciona sob a Unity. Além disso, o AntiMicro tem melhor suporte do movimento do mouse.

O aplicativo apresenta suporte a controller stick, controles de 8 vias, suporta virtual Dpad, perfis que podem ser carregados via linha de comando e muito mais.

Além disso, o programa possui uma extensa série de novas funcionalidades e melhorias, como o spring mouse mode, suporte a joystick hotplugging, Enhanced Precision mouse curve, várias otimizações para Steam OS.

Como instalar o mapeador de botões do teclado e mouse para botões gamepad AntiMicro no Ubuntu e seus derivados

AntiMicro está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install antimicro.

No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se estiver usando o Ubuntu 15.10, 15.04, 14.10 ou 14,04, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ryochan7/antimicro

Passo 3. Se estiver usando o Ubuntu 16.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:mdeguzis/libregeek

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install antimicro

Como instalar o mapeador de botões do teclado e mouse para botões gamepad AntiMicro manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite antimicro no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Usando o AntiMicro

Para atribuir uma tecla do teclado ou do mouse para botões gamepad, pressione um botão no seu gamepad e o botão correspondente na interface do usuário do AntiMicro ficará em destaque;

Mapear teclado e mouse para jogos

Mapear teclado e mouse para jogos

Em seguida, clique no botão de destaque na interface do usuário do AntiMicro e atribua uma tecla do teclado ou mouse:

Mapear teclado e mouse para jogos

Mapear teclado e mouse para jogos

Mapear teclado e mouse para jogos

Mapear teclado e mouse para jogos

Você também pode clicar no botão “Quick set” na parte inferior da janela do AntiMicro, em seguida, pressione um botão ou mova um eixo no joystick e irá aparecer uma janela permitindo que você atribua a ele uma tecla.

Ao atribuir uma tecla, você pode optar por usar os modos turbo ou alternância:

  • turbo: quando o botão é pressionado sobre o joystick, a tecla correspondente age como se o botão foi pressionado várias vezes. O atraso / taxa pode ser definido em “Advanced” (Avançado);
  • alternância: um simples toque no botão Joystick deixa praticamente pressionado. Pressionando novamente interrompe.

Desinstalando o mapeador de botões do teclado e mouse para botões gamepad AntiMicro no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o AntiMicro no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:ryochan7/antimicro -r -y
sudo add-apt-repository ppa:mdeguzis/libregeek -r -y
sudo apt-get remove antimicro --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o navegador Xombrero no Ubuntu e Arch Linux

Procurando um navegador leve, minimalista e com recursos sofisticados? Então veja como instalar o navegador Xombrero no Ubuntu, Arch Linux e derivados.

Xombrero é um navegador web de código aberto, leve, minimalista, desenvolvido em GTK+3 e baseado no motor Webkit.

Como instalar o navegador Xombrero no Ubuntu e Arch LinuxComo instalar o navegador Xombrero no Ubuntu e Arch LinuxComo instalar o navegador Xombrero no Ubuntu e Arch Linux

Ele foi projetado para os usuários que preferem uma interface de linha de comando através da interface gráfica e tem um modo de comando semelhante ao que temos no vim, que serve alternar entre guias, entrar com URLs, seguir links e navegar através do histórico do navegador.

O programa também oferece controles de sessão para os scripts e cookies, o que torna fácil frustrar rastreamento e ataques de scripting.

Como instalar o navegador Xombrero no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o navegador Xombrero no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:unit193/xombrero

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install xombrero

Passo 5. Depois, se precisar desinstalar, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove xombrero

Como instalar o navegador Xombrero manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Como instalar o navegador Xombrero no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados

Para instalar o navegador Xombrero no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados, você precisa ter o Yaourt instalado. Se não tiver, use esse tutorial para instalar.

Como instalar e usar o Yaourt no Arch Linux e derivados

Depois, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo yaourt xombrero

Passo 3. Depois, caso seja necessário desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo yaourt -Rsn xombrero

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite xombrero ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

DevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retro

Conheça o DevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retro, e leve o terminal para onde você for, literalmente.

Já imaginou poder levar o terminal para onde quiser e não ficar dependendo de computadores dos outros? Pois é, em breve isso será possível com o DevTerm.

DevTerm é um terminal portátil de código aberto com design modular (e retro), ou um novo computador portátil com uma estética muito antiga.

DevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retro

DevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retroDevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retroDevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retro
Projetado para se parecer com um terminal portátil old school (da velha escola), este computador modular de código aberto possui uma tela IPS de 1280 x 480 pixels de 6,8 polegadas, um teclado e módulo de bateria, além de uma impressora térmica embutida.

Sob o capô está uma placa-mãe ClockworkPi v3.14 com um slot para um computador em um módulo.

Até agora, o sistema foi projetado para suportar cinco módulos diferentes, com especificações variando de 1 GB de RAM e um processador ARM Cortex-A53 quad-core a 4 GB de RAM e um chip hexa-core com núcleos Cortex-A72 e Cortex-A53. Mas mais pode ser adicionado no futuro.

O DevTerm está disponível para pré-encomenda por US$ 219 ou mais, com o modelo mais acessível movido por um Módulo de Computador Raspberry Pi 3, enquanto outras versões apresentam módulos personalizados da ClockWork.

A empresa espera começar a enviar o DevTerm aos clientes em abril de 2021.

Se ClockWork soa familiar, é porque esta é a mesma empresa que faz o console de jogos portátil GameShell de alguns anos atrás.

Enquanto aquele sistema foi projetado para jogos e este novo dispositivo é mais uma máquina de produtividade/programação, a ideia básica é semelhante: hardware aberto com um design modular.

A empresa planeja publicar esquemas e materiais de design na página GitHub para o projeto sob uma licença GPL v3.

Além do módulo de computação, a placa-mãe possui USB-A, USB-C, micro HDMI e portas de áudio de 3,5 mm, pinos GPIO e conectores para tela, teclado e bateria, bem como um conector “Ext. Módulo” placa que possui alto-falantes, uma interface de ventilador, interface de câmera e portas adicionais.
DevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retro

DevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retro
Teoricamente, uma placa DIY ou de terceiros também pode adicionar recursos como modems celulares ou sensores.

E a ClockworkPi diz que também está avaliando arquiteturas de CPU adicionais, então é possível que você possa, eventualmente, ser capaz de usar módulos de computação com RISC-V, x86 ou arquitetura FPGA + ARM com o DevTerm.
DevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retro

DevTerm, um terminal portátil de código aberto com design modular e retro
O teclado do DevTerm possui 67 teclas com um mini trackball (em vez de um touchpad) na linha superior e três botões de clique do mouse abaixo da barra de espaço. Com os botões X, Y, B e A no lado direito e setas de direção à esquerda, o DevTerm também pode ser usado para alguns jogos retro.
jogosjogos
Você pode encontrar mais detalhes na página da web do ClockworkPi DevTerm ou pré-encomendar na ClockworkPi Shop.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o GeForce NOW Browser App no Linux via Snap

Se você queria acessar o serviço de stream de jogos da Nvidia, conheça e veja como instalar o GeForce NOW Browser App no Linux via Snap.

Sempre quis jogar Fortnite e outros jogos que não estão disponíveis no Linux? Agora você pode! Com GeForce NOW Browser App libere facilmente sua experiência de jogo Linux na nuvem usando este aplicativo da web.

Como instalar o GeForce NOW Browser App no Linux via SnapComo instalar o GeForce NOW Browser App no Linux via SnapComo instalar o GeForce NOW Browser App no Linux via Snap

Basta instalá-lo e pronto. Não são necessários mais hacks. Este aplicativo pode ser executado em segundo plano, fornecendo uma bandeja e permite que você alterne entre tela inteira e janela a qualquer momento pressionando F11.

GeForce NOW Browser App permite acessar o serviço GeForce NOW com zero hacks e ele pode ser colocado em segundo plano usando uma bandeja, além de permitir alternar para tela inteira pressionando F11 e possuir suporte para gamepad.

Em nota, o autor deste pacote informa que:

“Este é um cliente não oficial. GeForce NOW é uma marca comercial da nvidia com a qual não estou relacionado de forma alguma. Estou fazendo isso porque quero usar.”

alt
[embedded content]

Como instalar o GeForce NOW Browser App no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o GeForce NOW Browser App via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o GeForce NOW Browser App via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install geforce-now-desktop

Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install geforce-now-desktop --beta

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh geforce-now-desktop

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite geforce ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o GeForce NOW Browser App via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o GeForce NOW Browser App no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove geforce-now-desktop

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o cliente GeForce Now no Linux via Snap

Let's block ads! (Why?)

Como verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadas

Confira nesse pequeno artigo como verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadas e evite comprometer suas conversas.

O Signal Private Messenger está testemunhando um número significativo de downloads depois que o WhatsApp anunciou recentemente que iria começar a compartilhar os dados dos usuários com o Facebook como parte de sua política atualizada.

No entanto, as pessoas agora estão extremamente desconfiadas de como a Signal usará suas informações pessoais.

Em nossa comparação dos aplicativos de mensagens Signal e Telegram, descobrimos que o Signal pede apenas seu número de telefone e não faz nenhuma tentativa de rastreá-lo.

Ainda assim, há certas coisas sobre o Signal que você pode não saber. Por exemplo, você sabia que pode usar o Signal sem revelar seus contatos?

Outro fato oculto sobre o Signal é que, se quiser, você pode enviar mensagens inseguras por meio do aplicativo de mensagens.

Como verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadas

Como verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadasComo verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadasComo verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadas
Todas as mensagens de sinal são criptografadas de ponta a ponta e não podem ser acessadas por serviços de terceiros. No entanto, isso pode ou não ser verdade se você definiu Signal como o aplicativo SMS padrão no Android.

Se o Signal for seu aplicativo de texto padrão, veja como descobrir se suas mensagens do Signal são inseguras:

  • O botão enviar ficará cinza e terá um pequeno ícone de cadeado aberto.
  • As mensagens enviadas ou recebidas também terão um ícone de cadeado aberto.

Como verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadas

Como verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadas

Como identificar uma mensagem do sinal segura no Android?

Como verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadas

Como verificar se suas mensagens do Signal são seguras e privadas
O recurso Signal Secure Message só funciona quando você conversa com alguém que também usa o aplicativo. Você verá o campo de entrada de texto dizendo “Mensagem de sinal” antes de digitar qualquer coisa.

Além disso, o botão enviar ficará azul com um cadeado fechado. Esses indicadores também significam que você está tendo uma comunicação privada com um usuário do Signal.

Se desejar enviar uma mensagem de sinal insegura no Android, ou seja, um SMS normal, você pode fazer isso tocando e mantendo pressionado o botão enviar e mudando para “mensagens inseguras”.

via GIPHY

As mensagens de sinal enviadas do iPhone são seguras?

Como não há opção para definir o Signal como o aplicativo de SMS padrão no iOS, você não pode usá-lo para mensagens de texto normais. Portanto, todas as mensagens de sinal enviadas e recebidas em seu iPhone são privadas.

O mesmo é o caso com o aplicativo de desktop fornecido pela Signal, pois a funcionalidade SMS não está presente.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o G Desktop Suite no Linux e ter Google Drive

Se você precisar usar o Google Drive no sistema do pinguim sem ficar preso a um navegador, conheça e veja como instalar o G Desktop Suite no Linux.

O Google ainda não lançou nenhum cliente oficial do Google Drive para Linux. Mesmo que os usuários do Linux tenham solicitado tantas vezes por um longo tempo, o Google simplesmente não demonstrou interesse.

No momento, não há ofertas planejadas do Google para um cliente Linux. A partir de agora, você só pode usar a unidade baseada em navegador no Linux.

Felizmente, existem alguns clientes não oficiais do Google Drive para Linux que foram desenvolvidos. Mas eles não pareciam fornecer nenhuma ajuda consistente por um longo tempo.

Durante o período de tempo, alguns deles foram descontinuados ou o desenvolvimento foi interrompido. E parece que apenas alguns aplicativos clientes não oficiais estão funcionando agora.

Felizmente, me deparei com outro aplicativo de desktop do Google chamado G Desktop Suite.

Como instalar o G Desktop Suite no Linux e ter Google DriveComo instalar o G Desktop Suite no Linux e ter Google DriveComo instalar o G Desktop Suite no Linux e ter Google Drive
O G Desktop Suite é um invólucro para o Google Drive feito com o ElectronJS, e uma aplicação multiplataforma que suporta Linux, macOS e Windows.

Ou seja, você não precisa mais acessar https://drive.google.com no seu navegador.

Basta fazer login no Google drive no aplicativo G Desktop Suite e começar a acessar o conteúdo armazenado na unidade como um aplicativo independente.

Com ele você pode visualizar, editar, fazer upload, baixar e excluir arquivos e pastas salvos em sua unidade.

Você também pode acessar todos os aplicativos do Google Suite, como documentos do Google, folhas, slides, formulários, desenhos, meus mapas, sites do Google e muito mais.

O app também possui modo escuro. Você pode alternar entre os modos escuro e normal com um único clique do mouse, e o aplicativo se ajustará automaticamente às configurações do modo escuro do seu sistema operacional

alt
[embedded content]

Como instalar o G Desktop Suite no Linux

Para instalar o G Desktop Suite no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o G Desktop Suite no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o G Desktop Suite no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gdesktopsuite.appimage:

wget https://github.com/alexkim205/G-Desktop-Suite/releases/download/v0.3.1/G-Desktop-Suite-0.3.1.AppImage -O gdesktopsuite.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod a+x gdesktopsuite.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./gdesktopsuite.appimage --install

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Como instalar o G Desktop Suite no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o G Desktop Suite no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gdesktopsuite.deb:

wget https://github.com/alexkim205/G-Desktop-Suite/releases/download/v0.3.1/G-Desktop-Suite-0.3.1.deb -O gdesktopsuite.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i gdesktopsuite.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./gdesktopsuite.deb

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove gdesktopsuite*

Como instalar o G Desktop Suite no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Quem quiser instalar o G Desktop Suite no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gdesktopsuite.rpm:

wget https://github.com/alexkim205/G-Desktop-Suite/releases/download/v0.3.1/G-Desktop-Suite-0.3.1.rpm -O gdesktopsuite.rpm

Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install gdesktopsuite.rpm

Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall gdesktopsuite.rpm

ou

sudo dnf install gdesktopsuite.rpm

Passo 6. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

sudo rpm -i gdesktopsuite.rpm

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e gdesktopsuite*

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite gdesktop ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o navegador Microsoft Edge no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Se você já quer usar o browser da MS no Linux, então veja como instalar o navegador Microsoft Edge no Ubuntu, Linux Mint e derivados.

O Microsoft Edge é baseado no Chromium, o mecanismo de navegador de código aberto desenvolvido (embora não exclusivamente) pelo Google.

Qualquer site, aplicativo da web ou serviço da web que funcione em qualquer navegador baseado em Chromium, como o Google Chrome, também funcionará no Edge.

Ainda melhor: você pode instalar extensões do Chrome no Edge também (embora a Microsoft mantenha seu próprio hub de extensão para complementos do navegador).

Enfim, o Microsoft Edge para Linux está melhorando rapidamente, portanto, neste post, mostramos como instalar o navegador no Ubuntu, Linux Mint e distribuições Linux relacionadas.

Mas, antes de instalar, lembre-se de que o Microsoft Edge para Linux está na visualização do desenvolvedor. Não é “estável”. Não é nem mesmo um beta. Alguns recursos (como a sincronização do navegador) atualmente não são suportados no Linux. Existem bugs? Sim. Vai falhar? Bem possível!

Como instalar o navegador Microsoft Edge no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Como instalar o navegador Microsoft Edge no Ubuntu, Linux Mint e derivadosComo instalar o navegador Microsoft Edge no Ubuntu, Linux Mint e derivadosComo instalar o navegador Microsoft Edge no Ubuntu, Linux Mint e derivados
Para instalar o navegador Microsoft Edge no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com estes comandos ou use esse tutorial;

curl https://packages.microsoft.com/keys/microsoft.asc | gpg --dearmor > microsoft.gpg
sudo install -o root -g root -m 644 microsoft.gpg /etc/apt/trusted.gpg.d/
sudo sh -c 'echo "deb [arch=amd64] https://packages.microsoft.com/repos/edge stable main" > /etc/apt/sources.list.d/microsoft-edge-dev.list'
sudo rm microsoft.gpg

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install microsoft-edge-dev

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite microsoft ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o navegador Microsoft Edge no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Para desinstalar o navegador Microsoft Edge, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt remove microsoft-edge-* --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistemas com dual boot

Se você usa Ubuntu (ou qualquer outro Linux) e Windows em um mesmo computador e isso está gerando confusão no relógio do PC, veja como corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistema com dual boot.

Nem todo mundo sabe, mas usar sistemas em dual boot pode gerar conflitos de tempo entre o Windows e o Ubuntu, por exemplo.

Como corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistemas com dual bootComo corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistemas com dual bootComo corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistemas com dual boot

Isso ocorre porque o Ubuntu pode estar armazenando a hora no relógio de hardware como UTC por padrão (Tempo Universal Coordenado, ou Universal Time Coordinated), enquanto o Microsoft Windows armazena o tempo como hora local, causando tais conflitos.

Felizmente, a correção é muito fácil e pode ser feita a partir do Ubuntu ou do Windows.

Como corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistema com dual boot a partir do Ubuntu

O procedimento a seguir, com poucos ajustes, pode ser usado em qualquer sistema Linux.

Para corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistema com dual boot a partir do Ubuntu, é preciso fazer o Ubuntu usar o tempo local.

Como corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows (Ubuntu com Upstart)

Para fazer o Ubuntu usar o tempo local em versões anteriores do Ubuntu que ainda não usam o serviço de inicialização systemd (qualquer versão anterior ao 15.04), faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Abra o arquivo /etc/default/rcS com o comando a seguir:

sudo gedit /etc/default/rcS

Passo 3. Com o arquivo aberto, substituia “UTC = yes”, por “UTC = no” (ambos sem as aspas). Em seguida, salve e feche o arquivo;
Passo 4. Ou se preferir, faça isso automaticamente, digitando o seguinte:

sudo sed -i 's/UTC=yes/UTC=no/' /etc/default/rcS

Passo 5. Independente do método usado, reinicie o sistema com pelo ambiente gráfico ou digitando o comando:

sudo reboot

Como corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows (Ubuntu com systemd)

Para fazer o Ubuntu usar o tempo local em versões mais recentes do Ubuntu que já usam o serviço de inicialização systemd, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Use o comando abaixo para desativar o UTC e usar Hora Local no Ubuntu

timedatectl set-local-rtc 1 --adjust-system-clock

Passo 3. Para verificar se o seu sistema usa hora local, basta executar este comando:

timedatectl

Como corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistemas com dual boot

Como corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistemas com dual boot

Finalmente reinicie o PC e acesse o Windows. Em seguida, ajuste a hora do relógio do sistema (se for necessário) e estará pronto.

Como corrigir diferenças de tempo entre o Ubuntu e o Windows em sistema com dual boot a partir do Windows

Outra maneira de corrigir esse problema é fazer as seguintes alterações no Windows:

Passo 1. Primeiro, se você mudou para a hora local no Ubuntu, execute comando no terminal Ubuntu para voltar a usar o UTC:

timedatectl set-local-rtc 0

Passo 2. Reinicie o PC e selecione a inicialização pelo Windows;

Passo 3. Quando já estiver na área de trabalho do Windows, pressione as teclas “Windows + X”. No menu que será exibido, clique em “Prompt de comando (Admin)”, para acessar o prompt como administrador;

prompt-1

prompt-1

Passo 4. Se o sistema for um Windows de 32 bits, execute o comando abaixo para criar um valor DWORD no registro do Windows;

Reg add HKLM\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\TimeZoneInformation /v RealTimeIsUniversal /t REG_DWORD /d 1

Passo 5. Se o sistema for um Windows de 64 bits, execute o comando abaixo para criar um valor DWORD no registro do Windows;

Reg add HKLM\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\TimeZoneInformation /v RealTimeIsUniversal /t REG_QWORD /d 1

Fonte

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via Flatpak

Se você quer programa em Java (e outras linguagens), conheça e veja como instalar a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via Flatpak.

Eclipse é um projeto de código aberto, voltado para a comunidade, que visa fornecer uma plataforma de desenvolvimento universal.

Como instalar a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via FlatpakComo instalar a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via FlatpakComo instalar a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via Flatpak

Sua característica mais marcante é o uso da SWT e não do Swing como biblioteca gráfica, uma forte orientação ao desenvolvimento baseado em plug-ins e um amplo suporte ao desenvolvedor com centenas de plug-ins que procuram atender as mais diferentes necessidades de diferentes de programadores.

O Eclipse IDE fornece o que você precisa para inovar rapidamente pois oferece, suporte de primeira classe para Java, JavaScript/TypeScript, C/C++, PHP, Rust e outros, modelos de código aprimorados e várias correções rápidas adicionadas e uma enorme variedade de plug-ins de plataforma

Como instalar o a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via Flatpak

Para instalar o a IDE Eclipse for Java Developers via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o a IDE Eclipse for Java Developers via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.eclipse.Java.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.eclipse.Java

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.eclipse.Java em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite eclipse ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o a IDE Eclipse for Java Developers no Linux via Flatpak

Para desinstalar o a IDE Eclipse for Java Developers via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.eclipse.Java

Ou

flatpak uninstall org.eclipse.Java

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Veja como instalar a IDE Eclipse no Linux via Snap
Como Instalar a última versão do Eclipse no Linux manualmente
Como instalar o IDE Eclipse no Arch Linux e derivados

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o engine OGRE Sample Browser no Linux via Snap

Se você quer produzir games em 3D com facilidade e flexibilidade, conheça e veja como instalar o engine OGRE Sample Browser no Linux via Snap.

OGRE Sample Browser é um mecanismo de renderização de gráficos orientados a objetos. Ele é um mecanismo 3D flexível e orientado a cenas escrito em C++, projetado para tornar mais fácil e intuitivo para os desenvolvedores a produção de jogos e demos utilizando hardware 3D.

Como instalar o engine OGRE Sample Browser no Linux via SnapComo instalar o engine OGRE Sample Browser no Linux via SnapComo instalar o engine OGRE Sample Browser no Linux via Snap

A biblioteca de classes abstrai todos os detalhes do uso das bibliotecas de sistema subjacentes, como Direct3D e OpenGL, e fornece uma interface baseada em objetos mundiais e outras classes intuitivas.

Desde 2001, OGRE cresceu e se tornou um dos mais populares motores de renderização de gráficos de código aberto, e tem sido usado em um grande número de projetos de produção, em áreas diversas como jogos, simuladores, software educacional, arte interativa, visualização científica, e outros.

Como instalar o engine OGRE Sample Browser no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o engine OGRE Sample Browser no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o engine OGRE Sample Browser no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install ogre

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh ogre

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite ogre ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o engine OGRE Sample Browser via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o engine OGRE Sample Browser via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove ogre

Let's block ads! (Why?)

Bugs no Signal, Facebook e chat do Google permitiam espionagem

Conheça os bugs no Signal, Facebook e chat do Google e entenda porque eles permitiam espionagem dos usuários desses serviços.

Vulnerabilidades encontradas em vários aplicativos móveis de videoconferência permitiam que os invasores ouvissem os arredores dos usuários sem permissão antes que a pessoa do outro lado atendesse as chamadas.

Bugs no Signal, Facebook e chat do Google permitiam espionagem

Bugs no Signal, Facebook e chat do Google permitiam espionagemBugs no Signal, Facebook e chat do Google permitiam espionagemBugs no Signal, Facebook e chat do Google permitiam espionagem
Os bugs lógicos foram encontrados pela pesquisadora de segurança do Google Project Zero Natalie Silvanovich nos aplicativos de mensagens Signal, Google Duo, Facebook Messenger, JioChat e Mocha e agora estão todos corrigidos.

No entanto, antes de serem corrigidos, eles tornaram possível forçar os dispositivos alvo a transmitir áudio aos dispositivos dos invasores sem a necessidade de obter a execução do código.

Silvanovich explicou que:

“Eu investiguei as máquinas de estado de sinalização de sete aplicativos de videoconferência e encontrei cinco vulnerabilidades que podem permitir que um dispositivo chamador force um dispositivo chamado a transmitir dados de áudio ou vídeo.

Teoricamente, garantir o consentimento do receptor antes da transmissão de áudio ou vídeo deve ser uma questão bastante simples de esperar até que o usuário aceite a chamada antes de adicionar qualquer faixa à conexão do par.

No entanto, quando eu olhei para aplicativos reais, eles permitiram a transmissão de muitas maneiras diferentes. A maioria delas levou a vulnerabilidades que permitiam que as chamadas fossem conectadas sem interação do receptor.”


Como Silvanovich revelou, um bug do Signal corrigido em setembro de 2019 tornou possível conectar a chamada de áudio enviando a mensagem de conexão dos dispositivos do chamador para o receptor, em vez do contrário, sem interação do usuário.

O bug do Google Duo, uma condição de corrida que permitia que as chamadas vazassem pacotes de vídeo de chamadas não atendidas para o chamador, foi corrigido em dezembro de 2020, enquanto a falha do Facebook Messenger, que permitia que as chamadas de áudio se conectassem antes de a chamada ser respondida foi abordada em novembro de 2020.

Duas vulnerabilidades semelhantes foram descobertas nos mensageiros JioChat e Mocha em julho de 2020, bugs que permitiam o envio de áudio JioChat (corrigido em julho de 2020) e o envio de áudio e vídeo Mocha (corrigido em agosto de 2020) após a exploração, sem o consentimento do usuário.

Silvanovich também procurou por bugs semelhantes em outros aplicativos de videoconferência, incluindo Telegram e Viber, mas não encontrou nenhum desses problemas.

“A maioria das máquinas de estado de chamada que investiguei tinha vulnerabilidades lógicas que permitiam que o conteúdo de áudio ou vídeo fosse transmitido do receptor para o chamador sem o consentimento do chamador”, acrescentou Silvanovich.

“Também é preocupante notar que não observei nenhum recurso de chamada em grupo desses aplicativos, e todas as vulnerabilidades relatadas foram encontradas em chamadas ponto a ponto. Esta é uma área para trabalho futuro que pode revelar problemas adicionais.”

Silvanovich também encontrou uma vulnerabilidade crítica no aplicativo de mensagens móveis WhatsApp que poderia ter sido ativada simplesmente por um usuário atender a uma chamada para travar ou comprometer totalmente o aplicativo.

Let's block ads! (Why?)

Google quer que os usuários do Chromium mudem para o Chrome

Cortando o acesso ao Sync e “outras APIs exclusivas do Google” de todas as compilações, exceto o Google Chrome, o Google quer que os usuários do Chromium mudem para o Chrome.

O navegador mais usado no mundo é o Chrome, desenvolvido pelo Google. Se falarmos de seu motor, as coisas melhoram ainda mais, pois o Chromium é aquele que impulsiona outros como Opera, Vivaldi ou Brave.

Dito isso, então a parte corporativa da Alphabet deve estar satisfeita, certo?

Mas não está, pelo menos assim podemos pensar após o último movimento feito pela empresa do famoso mecanismo de busca e ecoado por um desenvolvedor que colabora com o Fedora, Tom Callaway.

Google quer que os usuários do Chromium mudem para o Chrome

Google quer que os usuários do Chromium mudem para o ChromeGoogle quer que os usuários do Chromium mudem para o ChromeGoogle quer que os usuários do Chromium mudem para o Chrome
Como podemos ler neste tópico do Twitter, o Google anunciou que deixará de suportar a sincronização e outras APIs “exclusivas do Google”.


Isso fará com que outros navegadores, como o Chromium que algumas distribuições como o Fedora incluem, se tornem menos funcionais no que, pessoalmente, não parece ser um dos melhores movimentos que o Google poderia fazer e acho que tem sido feito de má fé.

“O Google anunciou que está cortando o acesso ao Sync e “outras APIs exclusivas do Google” de todas as compilações, exceto o Google Chrome.

Isso tornará a compilação do Chromium do Fedora significativamente menos funcional (junto com todas as outras distribuições do Chromium empacotadas).

Notavelmente, o Google _ concedeu_ aos criadores dos pacotes de distribuição do Chromium esses direitos de acesso em 2013 por meio de chaves de API, especificamente para que pudéssemos ter compilações de código aberto do Chromium com (quase) paridade de recursos com o Chrome.

O raciocínio dado para essa mudança? O Google não deseja que os usuários possam “acessar seus dados pessoais de sincronização do Chrome (como favoritos) … com um navegador que não seja do Google, baseado no Chromium”.

Eles não estão fechando uma brecha de segurança, eles apenas exigem que todos usem o Chrome.

Callaway diz isso no final da citação. Não é que eles estejam fazendo algo pela nossa segurança, mas a intenção do Google é que todos usem o navegador que controlam 100%.

Não se sabe o que acontecerá no futuro, mas Callaway duvida que seja uma boa opção oferecer o Chromium no Fedora se ele for cortado, e diz à empresa que Sundar Pichai dirige que ainda há tempo para retificar esse movimento tirânico.

Alguns navegadores baseados em Chromium usam seu próprio sistema de sincronização, portanto, não ser capaz de sincronizar senhas e favoritos não seria um grande problema, mas não é o caso do Chromium.

Também será necessário ver se é possível recuperar a sincronização com alguma extensão futura ou se obrigam a sincronizar tudo manualmente, além disso resta ver com que outros cortes nos surpreendem.

Mas até lá, espero que a empresa desista dessa ideia.

E você? O que acha dessa inciativa do Google? Deixe sua opinião nos comentários!

Let's block ads! (Why?)

GraalVM 21.0 lançado com JVM experimental no Truffle e mais

E foi lançado o GraalVM 21.0 com JVM experimental no Truffle, além de outros recursos e correções. Confira as novidades dessa atualização.

GraalVM é um Java VM e JDK baseado em HotSpot/OpenJDK, implementado em Java. Ele oferece suporte a linguagens de programação e modos de execução adicionais, como compilação antecipada de aplicativos Java para inicialização rápida e baixo consumo de memória.

GraalVM tem suas raízes no projeto Maxine Virtual Machine no Sun Microsystems Laboratories (agora Oracle Labs).

O objetivo era escrever uma máquina virtual Java no próprio Java, na esperança de liberar o desenvolvimento dos problemas de desenvolvimento em C++, particularmente gerenciamento de memória manual, e se beneficiar de otimizações metacirculares.

Ao perceber que escrever tudo em Java era muito ambicioso como um primeiro passo, a decisão foi focar apenas no compilador e conectá-lo ao Hotspot, para reutilizar o máximo possível o tempo de execução do Hotspot.

O compilador GraalVM foi iniciado convertendo manualmente o código do compilador do cliente Hotspot (denominado “C1”) em Java, substituindo o compilador Maxine anterior.

A Oracle lançou na terça-feira o GraalVM 21.0 como a versão mais recente de seu Java VM/JDK que também oferece suporte a outras linguagens e modos de execução.

Novidades do GraalVM 21.0

GraalVM 21.0 lançado com JVM experimental no Truffle e maisGraalVM 21.0 lançado com JVM experimental no Truffle e maisGraalVM 21.0 lançado com JVM experimental no Truffle e mais
Uma das adições notáveis ​​com GraalVM 21.0 é o suporte a Java on Truffle, como um exemplo de implementação JVM usando o interpretador Truffle.

O framework Truffle do GraalVM é uma biblioteca de código aberto para escrever interpretadores de linguagem de programação. Com o Java no Truffle, é da mesma natureza que JavaScript, Ruby, Python e R no ecossistema GraalVM.

Java on Truffle permite isolamento aprimorado da JVM host, executa bytecode Java em um contexto separado da JVM, executando no contexto de uma imagem nativa, mas com bytecode carregado dinamicamente permitido e outros recursos da estrutura Truffle.

Mais detalhes sobre a implementação do Java on Truffle através do manual GraalVM.

Além de GraalVM 21.0 adicionar Java experimental no Truffle, agora há suporte de serialização para Native Image, suporte AWT e Swing no Linux com Native Image, desempenho aprimorado de coleta de lixo NI, melhorias de compatibilidade com Python, suporte macOS Big Sur e desempenho sem fim otimizações.

Como instalar ou atualizar o GraalVM

A edição comunitária do GraalVM 21.0 da Oracle está disponível no GitHub, bem como as instruções de instalação.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o utilitário PeaZip no Linux via Flatpak

Se você está procurando uma boa ferramenta para lidar com arquivos compactados, como instalar o utilitário PeaZip no Linux via Flatpak.

PeaZip é um utilitário gratuito de arquivamento de arquivos, baseado em tecnologias Open Source de projetos 7-Zip, p7zip, Brotli, FreeArc, PAQ, Zstandard e PEA.

Como instalar o utilitário PeaZip no Linux via FlatpakComo instalar o utilitário PeaZip no Linux via FlatpakComo instalar o utilitário PeaZip no Linux via Flatpak

Ele é um gerenciador, compactador e extrator de arquivos fácil de usar e que suporta uma grande diversidade de formatos de compactação.

Multiplataforma, com recursos completos, mas alternativa amigável para WinRar, WinZip e aplicativos gerenciadores de arquivo de propósito geral semelhantes, abra e extraia mais de 200 formatos de arquivo.

Ele suporta divisão em volumes, compactação, autenticação criptografada e trabalha com os formatos 7Z, 7-Zip sfx, ACE, ARJ, BZ2, CAB, CHM, CPIO, DEB, GZ, ISO, JAR, LHA/LZH, NSIS, OOo, PAQ/LPAQ, PEA, QUAD, RAR, RPM, split, TAR, Z, ZIP, ZIPX.

Como instalar o utilitário PeaZip no Linux via Flatpak

Para instalar o utilitário PeaZip no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o utilitário PeaZip no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/io.github.peazip.PeaZip.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update io.github.peazip.PeaZip

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run io.github.peazip.PeaZip em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite peazip ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o utilitário PeaZip via Flatpak

Para desinstalar o utilitário PeaZip via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall io.github.peazip.PeaZip

Ou

flatpak uninstall io.github.peazip.PeaZip

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar a última versão do PeaZip no Ubuntu e derivados

Let's block ads! (Why?)

Krita 4.4.2 lançado com gradientes e transformações de malha, e mais de 300 alterações

A Krita Foundation lançou o Krita 4.4.2 com gradientes e transformações de malha, e mais de 300 alterações. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

O Krita é um famoso aplicativo da comunidade KDE projetado por cartunistas para desenhistas, onde é possível criar incríveis ilustrações e muito mais.

Ele é um software software livre (GNU Public License, versão 2 ou posterior) de manipulação de imagens e também é uma ótima solução para a criação de arquivos de pintura digital a partir do zero ou edição de imagens existentes.

Agora, a Krita Foundation anunciou a disponibilidade geral do Krita 4.4.2.

Novidades do Krita 4.4.2

Krita 4.4.2 lançado com gradientes e transformações de malha, e mais de 300 alteraçõesKrita 4.4.2 lançado com gradientes e transformações de malha, e mais de 300 alteraçõesKrita 4.4.2 lançado com gradientes e transformações de malha, e mais de 300 alterações
Com de mais de 300 alterações que incluem várias correções de bugs e melhorias, o Krita 4.4.2 chegou para tornar sua experiência de pintura digital mais agradável, também introduzindo alguns novos recursos importantes, como suporte para gradientes de malha baseados em SVG que também é compatível com o popular editor SVG Inkscape.

Além dos gradientes de malha, que podem ser usados ​​em objetos vetoriais, o Krita 4.4.2 também introduz o suporte para transformações de malha, que suportam transformações complexas para aumentar a velocidade do seu conceito.

O recurso de transformação de malha também pode ser usado para criar transformações precisas e parece ser muito útil para objetos arredondados.

O Krita 4.4.2 também adiciona um novo tipo de camada de preenchimento gradiente para tornar mais fácil criar vários gradientes não destrutivos, suporte para tipo de segmento ou gradientes de tipo de parada, bem como um novo filtro de meio-tom que é mais rápido que o antigo e permite que você use como uma máscara de filtro.

Além disso, um novo editor de gradiente também está disponível nesta versão.

Entre outras mudanças dignas de nota, esta versão pontual apresenta uma nova ação ‘Colar Estilo da Forma’ no menu Editar para ajudá-lo a colar apenas o estilo de uma forma vetorial copiada em outras formas vetoriais, um novo botão da barra de ferramentas para o modo Wraparound e seis novos pincéis que suporta o novo recurso de ponta de pincel RGBA.

Como mencionado antes, há mais de 300 alterações incluídas nesta versão de manutenção, melhorando muitos aspectos importantes dos aplicativos, incluindo animação, filtros, manipulação de arquivos, suporte HiDPI, panting, bem como usabilidade geral, estabilidade e desempenho.

Para saber mais sobre essa versão do Krita, acesse a nota de lançamento.

Como instalar o Krita no Linux

Para instalar o Krita no Linux, use um dos procedimentos abaixo:
Como instalar o app de desenho e pintura Krita no Linux
Como instalar o incrível Krita no Linux no Linux via Snap

Claro, você também deve ser capaz de instalar o Krita a partir dos repositórios de software estáveis ​​da sua distribuição nos próximos dias.

Let's block ads! (Why?)

Chrome 88 lançado com correções de segurança e Adobe Flash removido

E foi lançado o Chrome 88 com correções de segurança e Adobe Flash removido e mais. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

O Chrome é o navegador de internet do Google. Inicialmente o software foi desenvolvido com visual minimalista e compilado com base em componentes de código aberto, como o motor de renderização o WebKit, da Apple Inc.

A partir da versão 28, o Chrome parou de usar o WebKit como motor de renderização de layout, e passou a usar o Blink, desenvolvido pelo Google.

Agora, o Google lançou o Chrome 88 como a versão estável mais recente de seu navegador multi plataforma. Com o Chrome 87 agora promovido para o canal Stable, o Chrome 89 é a nova versão Beta e o Chrome 90 será a versão Canary.

Novidades do Chrome 88

Chrome 88 lançado com correções de segurança e Adobe Flash removidoChrome 88 lançado com correções de segurança e Adobe Flash removidoChrome 88 lançado com correções de segurança e Adobe Flash removido

Com o Chrome 88, o Google Chrome não oferece mais suporte a URLs de FTP – em outras palavras, endereços ftp://.

O suporte a FTP é um recurso legado que não tem suporte para conexões criptografadas (sem FTPS). Um invasor pode modificar os arquivos que você está baixando em trânsito, ao contrário do HTTPS ou FTPS criptografado, onde isso não é possível.

Como o Chrome e outros navegadores estão mudando para uma web sempre criptografada, abandonar protocolos antigos como esse faz sentido.

O Google vem trabalhando na remoção do FTP do Chrome há algum tempo, mas ele ainda estava disponível para algumas pessoas – e um sinalizador poderia habilitá-lo. Os dados de uso do Google mostraram que muito poucas pessoas usavam FTP.

Agora, todo o suporte a FTP está desabilitado. Se quiser usar o FTP, você precisará de um aplicativo de FTP separado.

O Google está oficialmente encerrando o suporte para Mac OS X 10.10 Yosemite no Chrome 88. Os usuários de Mac precisarão do OS X 10.11 El Capitan ou mais recente para usar o Chrome 88. Isso não deve ser um choque, já que a Apple não oferece suporte ao Yosemite desde 2017.

Com o Chrome 85, o Google removeu seu complemento Legacy Browser Support à medida que a funcionalidade era incorporada ao Chrome. O Chrome 88 dá um passo adiante e desabilita todas as instâncias instaladas do complemento.

O LBS foi projetado para administradores de TI para chamar o Microsoft Internet Explorer no Chrome para aplicativos mais antigos escritos para esse navegador, bem como sites de intranet. Como agora está integrado ao Chrome, o complemento é desnecessário.

O Chrome 88 está experimentando uma forma menor e menos intrusiva de solicitar permissões. Em vez do pop-up que cobre o conteúdo do site, um novo “chip” aparece à esquerda do URL.

O chip aparece primeiro com o texto completo, como “Use sua localização?” Após alguns segundos, ele é minimizado para simplesmente um pequeno ícone. Clicar no chip, que aparece como um oval azul, abre o prompt de permissão que você está acostumado a ver.

Você pode experimentar os novos “chips” de permissão agora, ativando o sinalizador em chrome://flags/#permission-chip

O Google está testando temas claros e escuros mais definidos para Chromebooks. O tema pode ser alternado no menu Configurações rápidas. Os temas afetam a estante, o Iniciador de aplicativos e o painel Configurações rápidas. Nem tudo está funcionando 100% agora.

Se quiser experimentar em um sistema Chrome OS, a sinalização pode ser ativada em chrome://flags/#dark-light-mode. Depois de reiniciar, o botão de alternância do tema aparecerá nas Configurações rápidas.

O Chrome 87 trouxe um útil recurso Tab Search para Chromebooks, mas não estava disponível no Windows, Mac ou Linux. O Chrome 88 traz isso para essas plataformas por meio de uma bandeira do Chrome.

Quando está ativado, você obtém uma seta suspensa na barra superior da guia que mostra todas as suas guias abertas quando selecionadas. Você pode usar a barra de pesquisa integrada para encontrar a guia que está procurando.

Para obter esse recurso no Chrome 88, ative o sinalizador Tab Search em chrome://flags/#enable-tab-search.

Além de tudo isso, alguns dos principais destaques do Chrome 88 são:

  • 36 correções de segurança, incluindo um problema crítico sobre a aplicação insuficiente de políticas no Cryptohome. Também foram resolvidos muitos problemas de segurança que foram considerados de alta prioridade.
  • O suporte do Adobe Flash Player foi completamente eliminado agora que o Adobe Flash é o upstream em fim de vida.
  • O comportamento target=”_blank” agora implica rel=”noopener” por padrão para fins de segurança.
  • Suporte de propriedade de proporção de aspecto CSS, bem como suporte para modo “hífens:auto”.
  • Várias melhorias WebXR como estimativa de iluminação e dimensionamento dinâmico da janela de visualização.
  • O suporte para FTP foi completamente removido do Google Chrome após sua suspensão anterior.

Veja mais informações no blog de lançamentos do Chrome.

alt
[embedded content]

Como instalar ou atualizar o Chrome

Os usuários de Android e iOS podem atualizar o Chrome em suas respectivas lojas de aplicativos.

Já os usuários de desktop Windows, Mac e Linux podem atualizar para o Chrome mais recente acessando Configurações -> Ajuda -> Sobre o Google Chrome e o navegador verificará automaticamente a nova atualização e a instalará se e quando disponível.

Ou para instalar a versão mais recente do Chrome nas principais distribuições Linux, use um desses tutoriais:
Google Chrome no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, Arch e derivados – veja como instalar
Como instalar o Google Chrome no Fedora e derivados
Como instalar o Google Chrome no Ubuntu e derivados

Let's block ads! (Why?)

Como extrair o áudio de vídeos no formato original ou converter para MP3 ou Ogg Vorbis

Se tudo que você quer de um vídeo é o áudio, veja como extrair o áudio de vídeos no formato original ou converter para MP3 ou Ogg Vorbis.

Este artigo explica como usar o FFmpeg para extrair o fluxo de áudio de um vídeo, sem recodificar (mantendo o formato original) ou converter o arquivo de áudio resultante em MP3 ou Ogg Vorbis em CBR (taxa de bits constante) ou VBR (taxa de bits variável) .

Como extrair o áudio de vídeos no formato original ou converter para MP3 ou Ogg VorbisComo extrair o áudio de vídeos no formato original ou converter para MP3 ou Ogg VorbisComo extrair o áudio de vídeos no formato original ou converter para MP3 ou Ogg Vorbis

Extrair o áudio de vídeos pode ser útil quando você quer apenas o áudio de um vídeo e quer economizar espaço em disco.

Para usar os exemplos/comandos do FFmpeg abaixo, você precisará ter o FFmpeg instalado no seu sistema. Opcionalmente, também instale libmp3lame para converter para mp3 e libvorbis para converter o áudio extraído em Ogg Vorbis.

Novamente, usaremos o programa ffmpeg, pois é um excelente programa para esse tipo de operação.

E se você ainda não tem o ffmpeg instalado, para instalar a versão mais recente do FFmpeg nas principais distribuições Linux, use um desses tutoriais:
Como instalar o framework multimídia FFmpeg no Linux via Snap
Como instalar a versão mais recente do FFmpeg no Linux Debian, Ubuntu e Fedora
Como codificar vídeo H.265 usando FFmpeg no Linux (4K e 8K)

Como extrair o áudio de vídeos no formato original ou converter para MP3 ou Ogg Vorbis

Para extrair o áudio de vídeos no formato original ou converter para MP3 ou Ogg Vorbis usando o ffmpeg, primeira mente, abra um terminal.

Depois, use os procedimentos abaixo.

Descobrindo o formato de áudio original do vídeo

Para extrair o áudio de um vídeo e manter o formato de áudio original, a primeira coisa que você deve fazer é verificar qual é o formato de áudio original para saber qual extensão de arquivo usar usando ffprobe (parte do pacote FFmpeg). Substitua exemplo.mp4 pelo nome do arquivo do vídeo (e o caminho se o vídeo não estiver na pasta atual).:

ffprobe exemplo.mp4

Perto do final da saída deste comando, você deve ver o fluxo de áudio, por exemplo:

...............
Duration: 00:04:19.47, start: 0.000000, bitrate: 1261 kb/s
Stream #0:0: Video: h264 (Main), yuv420p(tv, bt709, progressive), 1280x720 [SAR 1:1 DAR 16:9], 25 fps, 25 tbr, 1k tbn, 50 tbc (default)
Metadata:
HANDLER_NAME : VideoHandler
DURATION : 00:04:19.440000000
Stream #0:1(eng): Audio: vorbis, 44100 Hz, stereo, fltp (default)
Metadata:
DURATION : 00:04:19.467000000

Como extrair o áudio de vídeos no formato original

Agora que você conhece o formato de áudio original, extraia o áudio do vídeo sem recodificá-lo usando o comando abaixo. Substitua exemplo.mp4 pelo nome do arquivo/caminho do vídeo e audio.ogg pelo nome que você deseja usar para o nome do arquivo de saída de áudio e a extensão:

ffmpeg -i exemplo.mp4 -vn -acodec copy audio.ogg

Nesse comando, -i é usado para especificar o caminho e o nome do arquivo do vídeo de entrada, -vn ignora a inclusão do fluxo de vídeo, enquanto -acodec copy é para copiar o áudio original (sem recodificação).

E para extrair apenas uma parte do áudio de um vídeo, usando o mesmo formato de áudio usado pela fonte original, use esse comando:

ffmpeg -i exemplo.mp4 -ss 00:00:00 -t 00:00:00.0 -vn -acodec copy audio.ogg

-ss é o início do registro de data e hora do áudio extraído e -t é a duração do áudio.

Por exemplo, para extrair 30 segundos de áudio iniciando 2 minutos no vídeo e usando o mesmo codec de áudio da fonte original:

ffmpeg -i exemplo.mp4 -ss 00:02:00 -t 00:00:30.0 -vn -acodec copy audio.ogg

Como extrair o áudio de vídeos e converter para MP3

Como o mp3 não pode conter um fluxo de vídeo, para extrair o áudio do vídeo e convertê-lo em mp3, basta usá-lo (pule a adição de -vn):

ffmpeg -i exemplo.mp4 audio.mp3

O FFmpeg normalmente detecta automaticamente o formato de saída da extensão inserida nos arquivos de saída, portanto, na maioria dos casos, não é necessário especificar o formato/codec. Mas se você quiser especificar o codec, adicione -codec:a libmp3lame para converter para mp3:

ffmpeg -i exemplo.mp4 -codec:a libmp3lame audio.mp3

Agora, para extrair o áudio do vídeo, convertendo o áudio extraído para mp3 e especificando uma qualidade constante de taxa de bits de áudio (CBR), use o comando a seguir. Substitua BITRATE pelas opções CBR disponíveis: 8k, 16k, 24k, 32k, 40k, 48k, 64k, 80k, 96k, 112k, 128k, 160k, 192k, 224k, 256k ou 320k.:

ffmpeg -i exemplo.mp4 -b:a BITRATE audio.mp3

E para extrair o áudio do vídeo, convertendo o áudio para mp3 com codificação de taxa de bits variável, use esse outro comando. Especifique QUALIDADE no intervalo de 0 a 9, em que 0 é o melhor, 9 é o pior e 4 é o valor padrão. Uma tabela apresentando cada opção FFmpeg VBR está disponível nesse endereço.

ffmpeg -i exemplo.mp4 -codec:a libmp3lame -q:a QUALIDADE audio.mp3

Como extrair o áudio de vídeos e converter para Ogg Vorbis

Já para extrair o áudio de um vídeo, usando Ogg como o contêiner resultante (ele deve detectar automaticamente o Vorbis como o formato de áudio), com taxa de bits variável (VBR), use esse comando. O intervalo de QUALIDADE é de -1,0 a 10,0, com 10,0 sendo a mais alta qualidade e 3 sendo o padrão (com uma meta de 112 kbps). Consulte esta página para obter detalhes sobre a configuração da qualidade Ogg Vorbis VBR:

ffmpeg -i exemplo.mp4 -vn -q:a QUALIDADE audio.ogg

No raro caso em que o FFmpeg falha na detecção automática do codec, especifique libvorbis usando -codec:a, assim:

ffmpeg -i exemplo.mp4 -vn -codec:a libvorbis -q:a QUALIDADE audio.ogg

Em alguns casos, convém converter em lote vários vídeos em áudio.

Confira este exemplo de processamento em lote (adapte isso às suas necessidades exatas), no qual todos os vídeos mp4 da pasta atual são convertidos para mp3 com um valor de perfil de taxa de bits variável 3, com o nome do arquivo igual ao vídeo original, mas com mp3 como a extensão do arquivo:

for i in *.mp4; do ffmpeg -i "$i" -codec:a libmp3lame -q:a 3 "${i%.*}.mp3"; done

Enfim, para mais detalhes sobre esses e outros comando do ffmpeg, consulte a documentação do FFmpeg.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Android Studio no Linux via flatpak

Se você procura uma forma de começar a criar programas para a plataforma Android, veja como instalar o Android Studio no Linux via flatpak.

Android Studio é o ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) do Google utilizado por quem quer construir aplicações para o Android.

Como instalar o Android Studio no Linux via flatpakComo instalar o Android Studio no Linux via flatpakComo instalar o Android Studio no Linux via flatpak

Esse aplicativo oferece uma ferramenta completa para o desenvolvimento e a depuração de aplicações para o sistema operacional do Google para dispositivos móveis.

Como recursos como edição de código de nível global, depuração, ferramentas de desempenho, sistema flexível de compilação e criação e implantação instantâneas, ele permite que você se concentre na criação de aplicativos.

É recomendável usar o Android Studio com a versão mais recente do Oracle Java, por isso, antes de iniciar o processo, use esse tutorial:
Java no Linux: veja como Instalar manualmente
Como instalar o Oracle Java

E depois faça a instalação do programa, usando o procedimento abaixo.

Como instalar o Android Studio no Linux via Flatpak

Para instalar o Android Studio no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

Depois, você pode instalar o Android Studio no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/com.google.AndroidStudio.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.google.AndroidStudio

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.google.AndroidStudio

Ou

flatpak uninstall com.google.AndroidStudio

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.google.AndroidStudio em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite androidstudio ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Se preferir, também é possível instalar o programa através desses outros tutoriais:

Como instalar facilmente o Android Studio no Linux via Snap
Como instalar o Android Studio no Ubuntu

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o patch PhotoGIMP no Linux via Snap

Se você quer deixar o GIMP com um visual próximo ao do Photoshop, conheça e veja como instalar o patch PhotoGIMP no Linux via Snap.

PhotoGIMP é um patch que facilita a vida de quem está migrando do ecossistema da Adobe, com o Photoshop, para o GIMP e para quem gosta de um software de edição de imagens simplificado.

Como instalar o patch PhotoGIMP no Linux via SnapComo instalar o patch PhotoGIMP no Linux via SnapComo instalar o patch PhotoGIMP no Linux via Snap

Criado originalmente por Diolinux, empacotado por Pedro Marinho, o PhotoGIMP deixa o GIMP com um visual próximo ao do Photoshop, para facilitar a vida de quem está acostumado ao software da Adobe e quer usar o GIMP.

Como instalar o patch PhotoGIMP no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o patch PhotoGIMP via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o patch PhotoGIMP via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install photogimp

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install photogimp --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh photogimp

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite photogimp ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o patch PhotoGIMP no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o patch PhotoGIMP via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove photogimp

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo Alien Rampage no Linux via Snap

Se você quiser se divertir com um game clássico com aliens e explosões, conheça e veja como instalar o jogo Alien Rampage no Linux via Snap.

Sua nave está em ruínas, sua carga está perdida, e você é um alienígena preso em um planeta invadido por mutantes sanguinários com a ajuda de um punhado de nativos escravizados e poder de fogo suficiente para nivelar uma cidade.

Como instalar o jogo Alien Rampage no Linux via SnapComo instalar o jogo Alien Rampage no Linux via SnapComo instalar o jogo Alien Rampage no Linux via Snap

Nada pode impedir você de erradicar os não-tártaros de baixa vida que destruíram seu navio. Exploda tudo à vista e você pode sobreviver. Assim é o jogo Alien Rampage.

E esse pacot nap do Alien Rampage é a versão Shareware do clássico run-and-gunner do DOS, emulado no dosbox-staging para sua diversão nos jogos!

Como instalar o jogo Alien Rampage no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o jogo Alien Rampage via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Alien Rampage via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install alien-rampage

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install alien-rampage --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh alien-rampage

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite alien ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo Alien Rampage no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o jogo Alien Rampage via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove alien-rampage

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Mockuuups Studio no Linux via Snap

Se você quer criar Mockups com simplicidade e variedade, conheça e veja como instalar o Mockuuups Studio no Linux via Snap.

Mockups são usados por designers principalmente para adquirirem um feedback dos usuários. E o Mockuuups Studio permite que você trabalhe com modelos, não importa se você é um designer ou não.

Como instalar o Mockuuups Studio no Linux via SnapComo instalar o Mockuuups Studio no Linux via SnapComo instalar o Mockuuups Studio no Linux via Snap

Esse aplicativo contém tudo o que você precisa para criar modelos de produtos, materiais de marketing excelentes e até mesmo conteúdo visual para mídias sociais ou postagens de blog.

Basta arrastar e soltar as capturas de tela do seu produto e o Mockuuups Studio cuida do resto. O Mockuuups Studio insere e dimensiona automaticamente suas capturas de tela nas centenas de cenas.

Ele contém mais de 500 cenas de alta qualidade com vários ângulos, diferentes planos de fundo e tipos de dispositivos estão acessíveis em um só lugar – não é necessário “pesquisar no Google” e baixar maquetes.

Filtre maquetes facilmente com base em seus critérios. Você está procurando a cena com fundo transparente e a versão mais recente do iPhone? Sem problemas!

Como instalar o Mockuuups Studio no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Mockuuups Studio via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Mockuuups Studio via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install mockuuups

Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install mockuuups --beta

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh mockuuups

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mockuuups ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o Mockuuups Studio no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o Mockuuups Studio via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove mockuuups

Let's block ads! (Why?)

19 de janeiro de 2021

Como instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos

Se você gosta de jogos, usa Linux e tem um PC com GPU NVIDIA, veja como instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos.

Moonlight (anteriormente conhecido como Limelight) é uma implementação de código aberto do protocolo GameStream da NVIDIA.

Como instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivosComo instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivosComo instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos

A tecnologia GameStream utiliza o codificador de hardware NVENC presente nas GPUs NVIDIA para streaming de baixa latência a até 4K 60 FPS.

Esse aplicativo permite enviar jogos do PC para outros dispositivos. Também é possível transmitir outros aplicativos de um PC para outros aparelhos.

Sim, o Moonlight permite transmitir sua coleção de jogos do seu PC compatível com o GameStream para qualquer dispositivo suportado e reproduzi-los remotamente.

Ele é perfeito para jogabilidade em movimento sem sacrificar a qualidade gráfica do seu computador de jogo.

O Moonlight pode utilizar a aceleração de hardware VAAPI para decodificação de vídeo H.264 e HEVC de alto desempenho com baixo uso de CPU.

Além da rede, o único requisito é que o PC tenha uma GPU NVIDIA GeForce GTX série 600 ou superior e GeForce Experience instalado.

Como instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos

Como instalar o Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos

Como instalar Moonlight no Linux e enviar jogos do PC para outros dispositivos

Para instalar o Moonlight no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o Moonlight no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.moonlight_stream.Moonlight.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.moonlight_stream.Moonlight

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.moonlight_stream.Moonlight em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite moonlight ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o Moonlight no Linux via Flatpak

Para desinstalar o Moonlight no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.moonlight_stream.Moonlight

Ou

flatpak uninstall com.moonlight_stream.Moonlight

Veja também

Como instalar a última versão do driver Nvidia no Linux
Instalando os mais recentes drivers gráficos proprietários no Ubuntu

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o ProtonVPN no Linux Ubuntu, Debian, Mint e derivados

Se você quer conectar computadores com segurança, veja como instalar o ProtonVPN no Linux Ubuntu, Debian, Mint e derivados.

Uma VPN (rede virtual privada) é uma tecnologia que permite que vários computadores se comuniquem em uma rede interna usando a Internet. Ou seja, eles permitem a comunicação como se fosse uma rede local, mas sem estar fisicamente próximo. Tudo graças à Internet.

Como instalar o ProtonVPN no Linux Ubuntu, Debian, Mint e derivadosComo instalar o ProtonVPN no Linux Ubuntu, Debian, Mint e derivadosComo instalar o ProtonVPN no Linux Ubuntu, Debian, Mint e derivados

Esse conceito permite que grandes empresas compartilhem informações, arquivos e recursos de forma privada para gerenciar seus sistemas e equipamentos. É algo bastante útil de usar.

Por outro lado, o uso da VPN é generalizado na Internet para ignorar as restrições dos países ou adicionar um pouco mais de segurança à conexão. Isso ocorre porque você precisa de um servidor VPN que normalmente esteja em outros países.
 
Usar uma VPN é uma boa maneira de manter nossa segurança online. Obviamente, confiar no provedor dessa VPN é a chave para saber se devemos ou não usá-la.

Bem, com o objetivo de oferecer anonimato e privacidade às conexões à Internet do nosso computador, nasceu o ProtonVPN e comemoramos a chegada do cliente Linux escrito em Python.

Portanto, neste post, você aprenderá como instalar o ProtonVPN no Debian 10.

Como instalar o ProtonVPN no Linux Ubuntu, Debian, Mint e derivados

Para instalar o ProtonVPN no Linux Ubuntu, Debian, Mint e derivados, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Primeiro, você precisa instalar algumas dependências necessárias. Para fazer isso, abra um terminal e execute o seguinte comando;

sudo apt install openvpn dialog python3-pip python3-setuptools

Passo 3. Em seguida, usando a ferramenta chamada PIP, poderemos instalá-la sem problemas;

sudo pip3 install protonvpn-cli

Passo 4. Para usar esse cliente, você deve primeiro possuir uma conta ProtonVPN e escolher um plano. Você pode fazer isso através deste link. Em seguida, você deve inicializar o cliente com o comando abaixo. Com esse comando, você pode configurar suas credenciais do ProtonVPN e selecionar o plano e o protocolo preferido;

sudo protonvpn init

Passo 5. Então é hora de se conectar a um servidor. Para isso, use o comando abaixo. Ele mostrará uma tela no terminal onde podemos conectar ao servidor interativamente. Depois de se conectar, você estará pronto e usando a VPN do Proton.;

sudo protonvpn c

Como instalar o ProtonVPN no Linux Ubuntu, Debian, Mint e derivados

Como instalar o ProtonVPN no Linux Ubuntu, Debian, Mint e derivados

Finalmente, se você deseja desconectar, basta usar este comando;

sudo protonvpn d

Como dica final, deixo esse endereço com todos os comandos que você pode usar com o cliente VPN.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Procurando uma editor para usar em diferentes necessidades? Então conheça e veja como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados.

Atom é um editor de texto multiplataforma, e portanto, disponível para Linux, Windows e OS X. Ele é moderno, acessível e hackeavel.

Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivadosComo instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivadosComo instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Desenvolvido, em sua maioria, pela comunidade no GitHub sob a licença do MIT. A ferramenta foi criada em Electron utilizando tecnologias web como HTML, JavaScript e CSS.

Ela dispõe de suporte para plug-ins escritos em Node.js e comandos gerenciados por GitControl.

Esse editor é uma ferramenta que você pode personalizar para fazer qualquer coisa, mas também usar produtivamente sem nunca tocar um arquivo de configuração.

O programa apresenta um gerenciador de pacote integrado que permite procurar e instalar pacotes novos (e temas) a partir de dentro Atom, o preenchimento automático inteligente, o navegador do sistema de arquivos, vários painéis, e muito mais.

Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Para instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/atom

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install atom

Como instalar o editor Atom manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite atom no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Para desinstalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/atom --remove
sudo apt-get remove atom --auto-remove

Veja também

Como instalar o editor Atom no Linux via Flatpak
Como instalar o editor de código Atom no Linux via snap
Conheça algumas boas opções de editores de código para Linux

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME no Linux via Flatpak

Se você quer divertir com jogos do DS no PC, conheça e veja como instalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME no Linux via Flatpak.

Produzido pela Nintendo e lançado em 2004, o Nintendo DS é um console de videogame portátil desenvolvido. Ele é visualmente distinto por seu design abre e fecha, e a presença de duas telas, sendo a inferior sensível ao toque.

Esse console também possui um microfone embutido, e tem suporte a conexão sem-fio via Wireless Local, permitindo uma interação entre os jogadores dentro de uma pequena área (9-30 metros, dependendo das condições), ou pelo Nintendo Wi-Fi Connection, que permite multiplayer online com jogadores de todo o mundo.

As letras DS no nome foram criadas para significar tanto a expressão Dual Screen (tela dupla) e Developers System (sistema de desenvolvedores), que se refere as características inovadoras do gameplay entre os desenvolvedores de jogos.

Já o DeSmuME é um emulador de Nintendo DS, escrito em C++ para os principais sistemas operacionais e pode executar razoavelmente vários jogos comerciais.

Como instalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME no Linux via FlatpakComo instalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME no Linux via FlatpakComo instalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME no Linux via Flatpak

Como instalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME no Linux via Flatpak

Para instalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.desmume.DeSmuME.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.desmume.DeSmuME

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.desmume.DeSmuME em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite desmume ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME via Flatpak

Para desinstalar o emulador de Nintendo DS DeSmuME via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.desmume.DeSmuME

Ou

flatpak uninstall org.desmume.DeSmuME

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo Sonic Robo Blast 2 no Linux via Flatpak

Se você curte o Sonic e os games clássicos dele, conheça e veja como instalar o jogo Sonic Robo Blast 2 no Linux via Flatpak.

Sonic Robo Blast 2 é um jogo de fãs 3D gratuito Sonic the Hedgehog, construído usando uma versão modificada da porta de origem Doom Legacy do Doom. O SRB2 é inspirado nos jogos Sonic originais da Sega Genesis, e tenta recriar seu design em 3D.

Como instalar o jogo Sonic Robo Blast 2 no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Sonic Robo Blast 2 no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Sonic Robo Blast 2 no Linux via Flatpak

Os recursos do SRB2 incluem, mas não estão limitados a:

  • Belo ambiente 3D, com livre circulação em todas as direções.
  • Plataformas da velha escola, completas com anéis, molas, perigos, gravidade reversível e outros obstáculos.
  • Três personagens jogáveis: Sonic, Tails, Knuckles – cada um com suas próprias habilidades.
  • Mais de 20 níveis para jogar, com uma variedade de locais, de prados verdes a ruínas subaquáticas profundas, minas, montanhas e estações espaciais…
  • Diversão multiplayer em ritmo acelerado com tela dividida para 2 jogadores ou até 32 jogadores on-line em nove modos de jogo diferentes.
  • Gráficos configuráveis ​​e opções de controle – jogue com uma moderna configuração de controle do WSAD + Mouse FPS, uma configuração descontraída do gamepad ou qualquer outra coisa!
  • Trilha sonora original produzida por alguns dos melhores artistas de música sonora da Internet.
  • Personalização: SRB2 inclui a capacidade de criar seus próprios níveis, personagens, modos de jogo e com conhecimento de programação, até mesmo um jogo totalmente novo.

São necessários ativos comerciais para executar o jogo. Consulte o site do projeto para obter instruções.

Como instalar o jogo Sonic Robo Blast 2 no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo Sonic Robo Blast 2 via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Sonic Robo Blast 2 via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.srb2.SRB2.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.srb2.SRB2

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.srb2.SRB2 em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite srb2 ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo Sonic Robo Blast 2 no Linux via Flatpak

Para desinstalar o jogo Sonic Robo Blast 2 via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.srb2.SRB2

Ou

flatpak uninstall org.srb2.SRB2

Let's block ads! (Why?)

Bate papo no terminal – instale o WeeChat no Ubuntu

Procurando um cliente de chat leve e que suporte plugins? Então instale o WeeChat no Ubuntu e tenha bate papo no terminal com esse incrível programa.

WeeChat é um cliente de chat de código aberto (GPL v3), multiplataforma, rápido, leve e extensível, e que possui interface de usuário apenas em modo texto.

Bate papo no terminal - instale o WeeChat no UbuntuBate papo no terminal - instale o WeeChat no UbuntuBate papo no terminal – instale o WeeChat no Ubuntu

Apesar disso, ele tem suporte para scripts e plugins que podem ser carregados na inicialização ou dinamicamente, além de suporte para IRC.

O WeeChat também permite várias conexões de vários servidores, tem suporte para UTF-8 e pode usar múltiplos conjuntos de caracteres de codificação e decodificação de mensagens.

Ele foi projetado para ser leve e extensível, possuindo um núcleo leve com plugins opcionais. Nele, plugins e scripts podem ser carregados e descarregados dinamicamente a qualquer momento.

Como instalar o WeeChat no Ubuntu e seus derivados

WeeChat está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install weechat.

Mas se a sua versão não disponibiliza ele ou você quer a versão mais recente, para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. No Ubuntu 15.10 ou versões anteriores, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nesthib/weechat-stable

Passo 3. Se você usa o Ubuntu 16.04, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:vincent-c/ppa

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install weechat

Como instalar o WeeChat manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse endereço (Ubuntu 15.10 ou inferior) ou nesse outro endereço (Ubuntu 16.04 ou superio) e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite weechat no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Para ajuda dentro do programa, digite “/help” (sem as aspas) e tecle enter.

Desinstalando o WeeChat no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o WeeChat no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:nesthib/weechat-stable --remove
sudo add-apt-repository ppa:vincent-c/ppa -r -y
sudo apt-get remove weechat --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o compressor de imagem Curtail no Linux via Flatpak

Se você está precisando diminuir o tamanho de algumas imagens, conheça e veja como instalar o compressor de imagem Curtail no Linux via Flatpak.

Curtail é um compressor de imagem simples e útil, compatível com os formatos de arquivo PNG e JPEG. Ele suporta os modos de compactação sem perdas e com perdas com a opção de manter ou não os metadados das imagens.

Como instalar o compressor de imagem Curtail no Linux via FlatpakComo instalar o compressor de imagem Curtail no Linux via FlatpakComo instalar o compressor de imagem Curtail no Linux via Flatpak

Ele é inspirado em Trimage e Image-Optimizer, dois compactadores de imagens bastante populares e que possivelmente jáforam citados aqui no Blog.

Como instalar o compressor de imagem Curtail no Linux via Flatpak

Para instalar o compressor de imagem Curtail no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o compressor de imagem Curtail no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.huluti.Curtail.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.huluti.Curtail

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.huluti.Curtail em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite curtail ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o compressor de imagem Curtail via Flatpak

Para desinstalar o compressor de imagem Curtail via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.huluti.Curtail

Ou

flatpak uninstall com.github.huluti.Curtail

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o AdoptOpenJDK no Ubuntu e derivados

Se você sempre quis ter uma opção aberta do Java em seu PC, conheça e veja como instalar o AdoptOpenJDK no Ubuntu e derivados.

AdoptOpenJDK é uma iniciativa que visa facilitar a difusão e instalação de OpenJDK especialmente entre usuários e do Windows Mac, já que aparentemente a maioria deles não conhecia este último projeto, apesar dele ser a base tecnológica de Java como a conhecemos hoje.

Como instalar o AdoptOpenJDK no Ubuntu e derivadosComo instalar o AdoptOpenJDK no Ubuntu e derivadosComo instalar o AdoptOpenJDK no Ubuntu e derivados

O java é está entre as principais linguagens e plataformas de programação do mundo.

O AdoptOpenJDK usa scripts de infraestrutura, construção e teste para produzir binários pré-compilados a partir de bibliotecas de classes OpenJDK e uma opção entre o OpenJDK HotSpot ou o Eclipse OpenJ9 VM.

Todos os binários e scripts do AdoptOpenJDK são de código aberto e estão disponíveis gratuitamente.

Embora AdoptOpenJDK seja destinado principalmente a usuários de Windows e Mac, nos nos últimos tempos aumentou a procura pro ele pelos usuários de Linux para obter melhor suporte a automatização de manutenção através de repositórios oficiais, em vez de ter que usar a instalação manual, já que isso tinha que ser feito a partir do arquivo tar.gz.

Como instalar o AdoptOpenJDK no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o AdoptOpenJDK no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

wget -qO - https://adoptopenjdk.jfrog.io/adoptopenjdk/api/gpg/key/public | sudo apt-key add -
sudo add-apt-repository --yes https://adoptopenjdk.jfrog.io/adoptopenjdk/deb/

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o JRE (Java Runtime Environment, ou Ambiente de Tempo de Execução Java), conforme a versão que você quer usar;

sudo apt install adoptopenjdk-8-hotspot-jre

Ou

sudo apt install adoptopenjdk-11-hotspot-jre

Ou

sudo apt install adoptopenjdk-12-hotspot-jre

Passo 5. Se quiser instalar o JDK (Java Development Kit, item necessário para desenvolver aplicativos java), utilize o comando abaixo conforme a versão que você quer usar. Lembre-se de que tem instalar o JRE como uma dependência;

sudo apt install adoptopenjdk-8-hotspot

Ou

sudo apt install adoptopenjdk-11-hotspot

Ou

sudo apt install adoptopenjdk-12-hotspot

Ou

sudo apt install adoptopenjdk-13-hotspot

Ou

sudo apt install adoptopenjdk-14-hotspot

Desinstalando o AdoptOpenJDK no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o AdoptOpenJDK no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove adoptopenjdk --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock

Se você não quer que alguém mexa com o teclado e o mouse enquanto observa algo importante na tela, descubra como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock.

Crianças são essencialmente curiosas. Elas adoram assistir desenhos e animações, ficando tão concentradas que seus olhos parece que estão colados na tela.

Como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlockComo bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlockComo bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock

Mas o problema é que elas costumam tocar uma tecla no teclado ou mover o mouse ou clicar no botão do mouse enquanto veem o filme.

Às vezes, essa mexida acidentalmente fecha ou pausa o filme. Então, é preciso ter uma maneira de bloquear o teclado e o mouse, mas não a tela. Por sorte, existe uma solução perfeita para isso, o xtrlock.

xtrlock é um aplicativo simples e útil para bloquear a exibição X até o usuário inserir sua senha no teclado.

Neste breve tutorial, você verá como bloquear o teclado e o mouse, mas não a tela. Este truque funcionará em todos os sistemas operacionais Linux.

Como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock

Para bloquear o teclado e o mouse no Linux, primeiramente, você precisa instalar o xtrlock, seguindo as instruções abaixo.

Como instalar o xtrlock para bloquear o teclado e o mouse no Linux

O xtrlock está disponível nos repositórios padrão da maioria dos sistemas operacionais Linux. Então, você pode instalá-lo usando o gerenciador de pacotes da sua distribuição.

No Arch Linux e derivados, execute o seguinte comando para instalá-lo.

sudo pacman -S xtrlock

Para instalar no Fedora e derivados, use:

sudo dnf install xtrlock

Em sistemas RHEL, CentOS ou derivados:

sudo yum install xtrlock

No SUSE/openSUSE:

sudo zypper install xtrlock

Em sistemas Debian, Ubuntu, Linux Mint e derivados:

sudo apt-get install xtrlock

Como configurar o xtrlock para bloquear o teclado e o mouse no Linux

Uma vez instalado o xtrlock, crie um atalho de teclado. Você precisa disso para bloquear o teclado e o mouse, usando a combinação de teclas de sua escolha.

Use o comando abaixo para usar um novo arquivo chamado lockkbmouse em /usr/local/bin.

echo -e '#!/bin/bash\n sleep 1 && xtrlock' | sudo tee /usr/local/bin/lockkbmouse

Torne o script executável usando o seguinte comando:

sudo chmod a+x /usr/local/bin/lockkbmouse

Abra a opção de criação de atalhos de teclado do seu sistema. Se for o MATE, isso estará disponível em Sistema -> Preferências -> Hardware -> Configurações do teclado. No Ubuntu com Unity, vá para Configurações do sistema -> Teclado -> Atalhos. Clique na opção de adição de atalhos para criar um novo.

Como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock

Como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock

Digite o nome do atalho e adicione a seguinte linha na caixa de comando e clique no botão Aplicar .

bash -c "sleep 1 && xtrlock"

Como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock

Como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock

Para atribuir a tecla de atalho, basta selecionar ou clicar duas vezes no local dela e digitar a combinação de teclas de sua escolha, como por exemplo, Alt + k.

Como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock

Como bloquear o teclado e o mouse no Linux com o xtrlock

Depois, se quiser limpar a combinação de teclas, clique ela e pressione a tecla BACKSPACE. Quando terminar, feche a janela Configurações do teclado.

Como usar o xtrlock para bloquear o teclado e o mouse no Linux

Depois de pressionar o atalho de teclado, o ponteiro do mouse se torna um cadeado. Agora, o teclado e o mouse foram bloqueados, para que você possa assistir livremente os filmes. Até mesmo se o seu filho ou animal de estimação tocar em algumas teclas no teclado ou clicar no botão do mouse, eles não funcionarão.

Para desbloquear o teclado e o mouse, digite sua senha e pressione “Enter”. Você não verá a senha à medida que a digitar. Basta digitar a senha de qualquer maneira e pressione a tecla ENTER.

O mouse e o teclado começarão a funcionar depois de você inserir a senha correta.

Se você inseriu uma senha incorreta, você ouvirá um som de campainha. Pressione ESC para limpar a senha incorreta e volte a inserir a senha correta. Para remover um caractere de uma senha parcialmente digitada, pressione as teclas BACKSPACE ou DELETE.

Para mais detalhes sobre o programa, consulte as páginas man dele, usando esse comando:

man xtrlock

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo de simulação Unknown Horizons no Linux

Se você quer se divertir com um game de estratégia, conheça e veja como instalar o jogo de simulação Unknown Horizons no Linux.

Unknown Horizons é um jogo de simulação de economia em tempo real de código aberto

Como instalar o jogo de simulação Unknown Horizons no Linux

Como instalar o jogo de simulação Unknown Horizons no Linux

Unknown Horizons é uma simulação de estratégia 2D em tempo real com ênfase na economia e na construção da cidade. Expanda seu pequeno povoado a uma colônia forte e rica, colete impostos e forneça bens valiosos aos seus habitantes.

Aumente seu poder com uma economia bem equilibrada e com comércio estratégico e diplomacia.

O código está disponível sob a GPL v2 e o conteúdo é licenciado principalmente como CC-BY-SA. Escrito em Python usando FIFE. E eles estão trabalhando em um porte do game para o motor Godot.

Como instalar o jogo de simulação Unknown Horizons no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo de simulação Unknown Horizons no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo de simulação Unknown Horizons no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.unknown_horizons.UnknownHorizons.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.unknown_horizons.UnknownHorizons

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.unknown_horizons.UnknownHorizons em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite unknown_horizons ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo de simulação Unknown Horizons via Flatpak

Para desinstalar o jogo de simulação Unknown Horizons no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.unknown_horizons.UnknownHorizons

Ou

flatpak uninstall org.unknown_horizons.UnknownHorizons

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a ferramenta Easywifi no Linux para escanear/conectar redes Wi-Fi

Se você quer gerenciar o acesso a redes Wi-Fi sempre no terminal, conheça e veja como instalar a ferramenta Easywifi no Linux para escanear/conectar redes Wi-Fi.

Easywifi e uma ferramenta de linha de comando que serve para escanear/conectar redes Wi-Fi.

Como instalar a ferramenta Easywifi no Linux para escanear/conectar redes Wi-FiComo instalar a ferramenta Easywifi no Linux para escanear/conectar redes Wi-FiComo instalar a ferramenta Easywifi no Linux para escanear/conectar redes Wi-Fi

Ou seja, Easywifi é uma nova ferramenta de linha de comando que facilita a verificação, a conexão e o gerenciamento de redes WIFI no Ubuntu.

na verdade, ela é simplesmente um script escrito em Python e baseado na ferramenta nmcli. Oferece um menu na saída do terminal. Tudo o que você precisa fazer é digitar número ou nome para fazer o que deseja fazer.

A ferramenta até agora suporta a procura por redes wifi, a listagens de dispositivos de rede, a listagem de perfis de rede salvos, a conexão em redes salvas, a configuração de novas redes e a criação de pontos de acesso.

Esse utilitário é importante para quem não tem acesso ao modo gráfico do sistema ou prefere sempre trabalhar usando a linha de comando.

Como instalar a ferramenta Easywifi no Linux para escanear/conectar redes Wi-Fi

Para instalar a ferramenta Easywifi no Linux para escanear/conectar redes Wi-Fi, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Você pode fazer o download do script, acessando o link anterior e clicando no botão “Clonar ou baixar”. Ou no console da linha de comandos, pegue o fonte via comando git, como mostrado abaixo;

git clone https://github.com/NoahCristino/easywifi.git

Passo 3. Em seguida, navegue até a pasta de origem. Basta executar o comando abaixo no terminal se você fez o download através do comando git anterior;

cd easywifi

Passo 4. Por fim, execute o Easywifi via comando;

python3 easywifi.py

E como dito antes, o programa exibe um menu com as opções. Tudo o que você precisa fazer é digitar número ou nome para fazer o que deseja fazer.

Let's block ads! (Why?)

Terminology 1.9 lançado com várias melhorias e novos esquemas de cores

E foi lançado o Terminology 1.9 com várias melhorias e novos esquemas de cores. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

Terminology é um emulador de terminal para sistemas Linux/BSD/UNIX que usa EFL. Tem um monte de sinos e apitos. Use-o como seu emulador de terminal vt100 normal com todos os recursos usuais, como suporte a 256 cores.

O Terminology foi projetado para emular o Xterm o mais próximo possível na maioria dos aspectos. Se você é fã de emuladores de terminal, Terminology é uma das opções mais atraentes e funcionais que existem.

Por usar EFL, Terminology funciona no X11, sob um compositor Wayland e até diretamente no framebuffer do Linux. Isso permite que você substitua seu VT em modo de texto chato por um gráfico que não requer nenhum sistema de exibição.

Terminology também possui painéis de configuração. Basta clicar com o botão direito do mouse ou manter o botão esquerdo pressionado por cerca de um segundo para abrir o menu de configuração.

Você pode até personalizar as cores ao seu gosto ou apenas usar aquelas que vêm com o seu tema padrão.

Agora, o emulador de terminal Terminology do Enlightenment para sistemas Linux foi atualizado para a versão 1.9, um lançamento que chega cerca de seis meses após a versão 1.8.

Novidades do Terminology 1.9

Terminology 1.9 lançado com várias melhorias e novos esquemas de coresTerminology 1.9 lançado com várias melhorias e novos esquemas de coresTerminology 1.9 lançado com várias melhorias e novos esquemas de cores
Com a versão 1.9, o aplicativo recebeu várias melhorias subjacentes para funcionar melhor com o sistema operacional Debian GNU/Linux e qualquer distribuição baseada nele.

Terminology 1.9 também introduz a capacidade de pesquisar fontes no painel de fontes caso você não esteja satisfeito com o padrão, bem como um monte de novos esquemas de cores, incluindo Belafonte Day, Belafonte Night, Cobalt2, Dracula, Fahrenheit, Material, One Dark, PaleNight, Soft Era, Tango Dark, Tango Light e Tomorrow Night Burns.

Além disso, Terminology 1.9 torna mais fácil para os usuários alterar as cores do terminal, adiciona suporte para OSC 12 para alterar a cor do cursor, define o parâmetro TERM para xterm_256color por padrão e melhora o suporte para miniaturas JPG e PNG com tyls.

Se o inglês não for seu idioma nativo, agora você poderá usar a terminologia em chinês (simplificado), japonês, bokmål norueguês, russo e ucraniano.

Além disso, as traduções para os idiomas catalão, croata, dinamarquês, holandês, francês, alemão, italiano e espanhol foram atualizadas nesta nova versão.

Para saber mais sobre essa versão do Terminology, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Terminology

Você pode baixar Terminology 1.9 agora mesmo do site oficial como um tarball de origem ou dos repositórios de software de sua distribuição GNU/Linux favorita (se ela oferecer Terminology em seus arquivos principais).

Terminology é mais bem usado com o gerenciador de janelas Enlightenment, mas funciona com qualquer outro ambiente de área de trabalho.

Como dito antes, além de rodar em Linux, Terminology funciona em BSD e outros sistemas UNIX onde a biblioteca EFL do Enlightenment está disponível.

Ele pode ser usado como um emulador de terminal VT100 regular e é projetado para emular o emulador de terminal XTerm.

Let's block ads! (Why?)

MuseScore 3.6 lançado com novas fontes, melhorias e correções de bugs

E foi lançado o MuseScore 3.6 com novas fontes, melhorias e correções de bugs. Confira as novidades dessa versão e veja com instalar no Linux.

MuseScore é um software gratuito de edição de partituras. Ele permite criar, reproduzir e imprimir suas partituras, diretamente no PC.

O programa é distribuído sob a licença GNU/GPL e possui versões para Windows, Mac OS X e Linux, além de tradução para 43 idiomas, incluindo o português.

Musescore é bastante intuitivo e ótimo para aqueles que estão iniciando no universo das partituras, pois todos os seus recursos são de fácil acesso e assimilação.

Trata-se de um editor WYSIWYG completo com suporte a reprodução de partitura e importação/exportação de arquivos MusicXML e MIDI. E como já foi citado, notação para percussão e tablatura para instrumentos de cordas são suportadas, assim como impressão direta.

MuseScore suporta um número ilimitado de pautas, até quatro vozes por pauta, importa e exporta arquivos em MusicXML e MIDI e possui o sintetizador FluidSynth e sequenciador integrados.

Agora, o foi lançada a nova versão principal 3.6 com muitos novos recursos, melhorias e correções de bugs.

Novidades do MuseScore 3.6

MuseScore 3.6 lançado com novas fontes, melhorias e correções de bugsMuseScore 3.6 lançado com novas fontes, melhorias e correções de bugsMuseScore 3.6 lançado com novas fontes, melhorias e correções de bugs

Dentre as correções do MuseScore 3.6, destacam-se:

  • Novas fontes de notação padrão “Leland”
  • Nova fonte de texto padrão “Edwin”
  • Novo diálogo sugere experimentar os novos padrões de gravura
  • Ordenação e classificação automática de pontuação
  • Justificativa vertical automática de aduelas
  • Adicionado instrumento Mountain Dulcimer e predefinições de guia de 3 cordas
  • Adicionado portamento para sintetizador FLUID
  • Adicionada fonte de notação Petaluma
  • Adicionados mnemônicos para “Salvar”, “Salvar como” e “Gerenciador de recursos”

A nova versão também apresenta muitas melhorias de interface do usuário e desempenho, incluindo:

  • Melhorou o algoritmo de justificação vertical da equipe
  • Funcionalidade e aparência aprimoradas do botão “Adicionar paletas”
  • Implementado um novo diálogo “Exportar”
  • Adicionados símbolos fermata estendidos ao MusicXML I/O
  • Adicionadas linhas de compasso pesadas, reversas e duplas
  • Adicionada uma interpretação de duração de harmonia
  • Adicionado suporte para triplo afiado e triplo plano

E muitas outras melhorias, toneladas de correções de bugs. Para detalhes, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o MuseScore

Para instalar a versão mais recente do MuseScore nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar o editor de partituras MuseScore no Linux
Como instalar o editor de partituras MuseScore no Linux via Flatpak
Como instalar o editor de partituras MuseScore no Linux via Snap

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e derivados

Se você quer baixar vídeos do YouTube, sem usar a linha de comando, conheça e veja como instalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e derivados.

Youtubedl-gui é uma nova interface gráfica simples para o popular downloader de linha de comando do YouTube, o youtube-dl.

Como instalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e derivadosComo instalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e derivadosComo instalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e derivados

A ferramenta é bastante simples de usar, basta colar a URL do vídeo, selecionar a qualidade e o formato do áudio, a resolução e o formato do vídeo e clicar em download! E, claro, há uma opção para alterar a pasta de destino de seus downloads.

Depois de clicar em download, uma pequena caixa de diálogo aparecerá com a barra de processo.
Como instalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e derivados

Como instalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e derivados
Observe que, por motivos legais, você precisa de permissão para baixar vídeos do youtube.

Como instalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Primeiramente, execute os comandos abaixo, um por um, para instalar o youtube-dl mais recente, se você não o tiver:

sudo wget https://yt-dl.org/downloads/latest/youtube-dl -O /usr/local/bin/youtube-dl
sudo chmod a+rx /usr/local/bin/youtube-dl

Passo 3. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:mordec13/youtubedl-gui

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install youtubedl-gui

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite youtubedl-gui ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o utilitário Youtubedl-gui no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt remove youtubedl-gui --auto-remove
sudo add-apt-repository --remove ppa:mordec13/youtubedl-gui -r -y

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o IPFS Desktop no Linux via AppImage

Se você usa o protocolo IPFS e não quer lidar com a linha de comando, conheça e veja Como instalar o IPFS Desktop no Linux via AppImage.

InterPlanetary File System (IPFS) é um protocolo e uma rede ponto a ponto para armazenar e compartilhar dados em um sistema de arquivos distribuído. O IPFS usa o endereçamento de conteúdo para identificar exclusivamente cada arquivo em um espaço para nome global que conecta todos os dispositivos de computação.

Como instalar o IPFS Desktop no Linux via AppImageComo instalar o IPFS Desktop no Linux via AppImageComo instalar o IPFS Desktop no Linux via AppImage

O IPFS permite que os usuários não apenas recebam, mas também hospedem conteúdo, de maneira semelhante ao BitTorrent.

E, ao contrário de um servidor localizado centralmente, o IPFS é construído em torno de um sistema descentralizado de operadores de usuários que mantém uma parte dos dados gerais, criando um sistema resiliente de armazenamento e compartilhamento de arquivos.

Qualquer usuário da rede pode servir um arquivo por seu endereço de conteúdo, e outros colegas da rede podem encontrar e solicitar esse conteúdo de qualquer nó que o possua usando uma tabela de hash distribuída (DHT).

E o IPFS Desktop é um cliente de desktop para IPFS. Com ele, você não precisa da linha de comando para executar um nó IPFS. Basta instalar o IPFS Desktop e ter todo o poder do IPFS em suas mãos.

Como instalar o IPFS Desktop no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o IPFS Desktop no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome ipfs.appimage:

wget https://github.com/ipfs-shipyard/ipfs-desktop/releases/download/v0.13.2/ipfs-desktop-0.13.2-linux-x86_64.AppImage -O ipfs.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x ipfs.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./ipfs.appimage --install

Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite ipfs ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu

Se você tem um gamepad do Xbox e quer usá-lo de forma completa no PC, veja aqui como instalar o driver para controle do Xbox no Ubuntu e derivados.

Já existem muitos jogos portados e muitos outros vindo para a plataforma Linux, e claro, você também já deve ter ouvido falar do Steam da Valve.

Como instalar o driver para o controle do Xbox no UbuntuComo instalar o driver para o controle do Xbox no UbuntuComo instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu

Para ficar melhor ainda, embora a maioria das pessoas usem o teclado para jogar, se você possui um Xbox, nada mais impede você de pegar o controle dele e usá-lo no Ubuntu para jogar seus games favoritos no PC.

Usando o software que será mostrado nesse tutorial você poderá usar o controle do Xbox no Ubuntu, com configurações adicionais.

Ele é um controlador de gamepad do Xbox/Xbox 360 para Linux que funciona em espaço de usuário e é uma alternativa para o xpad, o driver padrão do kernel.

Ele possui suporte para os controles do Xbox One e Xbox 360, tanto USB como sem fio, original ou de terceiros. A guitarra para Xbox 360 e alguns dancemats para Xbox One pode funcionar também.

O volante para Xbox 360 não é suportado, mas não deve ser difícil de adicionar se alguém estiver interessado.

Além de suportar quase tudo que está relacionado com o Xbox, o driver também tem suporte nativo para o gamepad Thrustmaster Dual Power 3, incluindo vibração e pode ser usado sobre o driver regular de joystick do Linux.

Ao contrário de do suporte do driver do kernel xpad, xboxdrv fornece uma ampla variedade de opções de configuração: permite simular eventos de teclado e mouse, remapear os botões e eixos, aplicar autofire, eixo invertido, ajustar eixo de sensibilidade, emular controles de aceleração e leme e enviar macros.

Como instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:rael-gc/ubuntu-xboxdrv

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o driver;

sudo apt-get install ubuntu-xboxdrv

Passo 5. Inicie o serviço do driver com o comando a seguir:

sudo service xboxdrv restart

Como instalar o driver para o controle do Xbox manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalado, ligue o controle do Xbox, vá nas configurações do sistema e entre na opção “Joysticks”:

Como instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu

Como instalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu

Desinstalando o driver para o controle do Xbox no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o driver para o controle do Xbox no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get purge ubuntu-xboxdrv --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a implementação Python PyPy no Linux via Snap

Se você precisa rodar aplicativos Python com rapidez, conheça e veja como instalar a implementação Python PyPy no Linux via Snap.

PyPyé uma implementação alternativa rápida e compatível da linguagem Python. PyPy é um substituto para o CPython.

Como instalar a implementação Python PyPy no Linux via Snap

Ele é construído usando a linguagem RPython que foi co-desenvolvida com o mesmo. O principal motivo para usá-lo em vez do CPython é a velocidade; geralmente roda mais rápido.

Com frequência PyPy roda mais rápido que que CPython, por usar uma JIT, enquanto CPython é interpretada.

A maior parte do código Python roda bem na PyPy, com exceção de código que depende de extensões da CPython, que ou não funcionam ou causam algum overhead quando rodam em PyPy.

Como instalar a implementação Python PyPy no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar a implementação Python PyPy via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar a implementação Python PyPy no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install pypy --classic

Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install pypy --beta

Passo 4. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install pypy --edge

Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh pypy

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite pypy ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar a implementação Python PyPy no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar a implementação Python PyPy no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove pypy

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerenciador de papel de parede Korembi no Ubuntu

Se você quer colocar incríveis papéis de parede em seu desktop, conheça e veja como instalar o gerenciador de papel de parede Korembi no Ubuntu, Debian e derivados.

Komorebi é um gerenciador de papel de parede bonito e personalizável que vem com seu próprio conjunto de imagens, que vão desde fundos com efeito paralaxe até papéis de parede com gradient, que podem ser personalizados a qualquer momento.

Como instalar o gerenciador de papel de parede Korembi no UbuntuComo instalar o gerenciador de papel de parede Korembi no UbuntuComo instalar o gerenciador de papel de parede Korembi no Ubuntu

Uma das mudanças mais notáveis ​​na última versão é o criador de papel de parede incorporado, que você pode acessar a qualquer momento, através do seu iniciador de aplicativos preferido.

Principais características do gerenciador de papel de parede Korembi:

  • Permite Animar papéis de parede em intervalos de tempo;
  • Possui um criador de papel de parede incorporado;
  • Permite exibir informações básicas do sistema (por exemplo, RAM e estatísticas da CPU) e hora e data;
  • Possui um menu universal acessível por duplo toque em qualquer lugar no papel de parede;
  • Suporte para wallpapers de vídeo;
  • Opção para ajustar o tamanho da fonte, espaçamento e etc.

Como instalar o gerenciador de papel de parede Korembi no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o programa no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome komorebi.deb:

wget https://github.com/iabem97/komorebi/releases/download/0.9.2/Komorebi.for.32-bit.deb -O komorebi.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome komorebi.deb:

wget https://github.com/cheesecakeufo/komorebi/releases/download/v2.1/komorebi-2.1-64-bit.deb -O komorebi.deb

Passo 5. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i komorebi.deb
sudo apt-get install -f

Passo 6. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./komorebi.deb

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite komorebi em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

Desinstalando o gerenciador de papel de parede Korembi no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o gerenciador de papel de parede Korembi no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove komorebi* --auto-remove

Let's block ads! (Why?)

Scribus 1.5.6.1 lançado com uma nova visualização de saída baseada em PDF

E foi lançado o Scribus 1.5.6.1 com uma nova visualização de saída baseada em PDF. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

O Scribus é um programa de código aberto e multiplataforma focado em Desktop Publishing e que possui versões para sistemas Linux, BSD, Solaris, Mac OS X, Windows e outros.

Na verdade, Scribus é é um programa de layout de página de código aberto que produz saída de classe comercial em PDF e Postscript, principalmente, embora não exclusivamente, para Linux.

E esse incrível aplicativo fornece uma interface de usuário intuitiva e amigável, possuindo recursos avançados de layout, similares aos encontrados no Adobe PageMaker, QuarkXPress e no Adobe InDesign.

Embora os objetivos do programa sejam facilidade de uso e ferramentas simples e fáceis de entender, o Scribus suporta recursos de publicação profissional, como CMYK e cores exatas, fácil criação de PDF, importação e exportação de Encapsulated Postscript e criação de separações de cores.

E há alguns meses, o Scribus 1.5.6 foi lançado como o release de desenvolvimento mais recente para a próxima versão principal 1.6.0.

Novidades do Scribus 1.5.6.1

Scribus 1.5.6.1 lançado com uma nova visualização de saída baseada em PDFScribus 1.5.6.1 lançado com uma nova visualização de saída baseada em PDFScribus 1.5.6.1 lançado com uma nova visualização de saída baseada em PDF
E como dito acima, o Scribus 1.5.6.1 é um lançamento de desenvolvimento mais recente para a próxima versão principal 1.6.0.

Ele traz o seguintes destaques:

  • Uma nova visualização de saída baseada em PDF
  • Melhor suporte para temas escuros de IU.
  • Suporte para exportação de PDF 1.6, incluindo fontes OpenType incorporadas.

Para saber mais sobre essa versão do Scribus, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Scribus

Scribus está disponível nos repositórios oficiais de algumas versões do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando os comandos de instalação delas.

No entanto, nem sempre essa é a versão mais recente. Por isso, para instalar a versão mais recente do Scribus nas principais distribuições Linux, use um desses tutoriais:
Como instalar a última versão do Scribus no Linux via Flatpak
Com o instalar a última versão do Scribus no Ubuntu e derivados

Let's block ads! (Why?)

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Se você precisa formatar um pen drive no Ubuntu com segurança (excluindo de um modo que os arquivos não possam mais ser recuperados), veja aqui como fazer isso no Ubuntu.

No Ubuntu é possível formatar uma mídia de forma segura, impedindo que ninguém mais consiga recuperar os arquivos presentes nela.

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma seguraComo formatar um pen drive no Ubuntu de forma seguraComo formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Mas antes de começar a fazer a formatação, tenha certeza que não precisará mais dos arquivos que estão nele, pois como já foi falado acima, a formatação será definitiva e depois de finalizar o processo, não terá mais como recuperá-los.

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Para formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura, faça o seguinte:

Passo 1. Clique no Dash/Atividades e digite a palavra discos. Quando aparecer o item “Discos”, clique nele para executá-lo;

Acessando discos

Acessando discos

Passo 2. Na tela do utilitário “Discos”, clique no ícone do pen drive que será formatado;

clique no ícone do pendrive

clique no ícone do pendrive

Passo 3. Clique no ícone das engrenagens que fica no lado direito da janela do programa e no menu que aparece, clique na opção “Formatar”;

clique na opção formatar

clique na opção formatar

Passo 4. Na janela de formatação, informe as opções a serem usadas no processo. Para formatar de forma segura (apagando definitivamente o conteúdo), selecione a opção “Sobrescrever dados existentes com zeros (Lento)” no campo “Apagar”. Em “Tipo”, selecione “Compatível com todos os sistemas e dispositivos (FAT)”, para evitar problemas ao usar o pen drive em diferentes equipamentos. Coloque um nome para o pen drive no campo “Nome” e em seguida, clique no botão “Formatar”;

formatando

formatando

Passo 5. Será exibida uma tela de confirmação. Clique no botão “Formatar” para iniciar o processo;

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Passo 6. Aguarde até o processo finalizar.

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Agora seu pen drive está formatado e os antigos arquivos que estavam nele foram definitivamente apagados.

Se tiver alguma dificuldade e quiser remover essa formatação posteriormente, utilize esse outro tutorial:
Como reparar um pendrive corrompido ou defeituoso no Linux

Aproveite, e comente como foi sua experiência. Todos podem aprender com ela.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo Neverball no Linux via Flatpak

Se você quer se divertir no PC guiando bolas em diferentes níveis, conheça e veja como instalar o jogo Neverball no Linux via Flatpak.

Neverball é um jogo onde você habilmente guia uma bola rolando através de muitos níveis 3D Slick.

Como instalar o jogo Neverball no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Neverball no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Neverball no Linux via Flatpak

Guie uma bola que rola por um território perigoso que você controla inclinando o chão. Equilibre-se em pontes estreitas, navegue em labirintos, ande em plataformas móveis e evite empurradores e shovers para chegar ao gol.

Corra contra o relógio para coletar moedas e ganhar bolas extras. Com uma boa física e gráficos 3D muito limpos e atraentes, este é definitivamente um jogo obrigatório.

Junto com o Neverball está também o Neverputt, um jogo de golfe em miniatura multijogador local, construído com base na física e no motor gráfico de Neverball.

Como instalar o jogo Neverball no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo Neverball no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Neverball no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.neverball.Neverball.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.neverball.Neverball

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.neverball.Neverball em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite neverball ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo Neverball via Flatpak

Para desinstalar o jogo Neverball no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.neverball.Neverball

Ou

flatpak uninstall org.neverball.Neverball

Let's block ads! (Why?)

Inkscape 1.0.2 lançado com melhorias de estabilidade, correções e muito mais

E foi lançado o Inkscape 1.0.2 com melhorias de estabilidade, correções e muito mais. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

O Inkscape é um editor SVG de qualidade que é executado em sistemas Linux, Mac e Windows e pode ser usado para criar ou editar gráficos vetoriais como logotipos, diagramas, ilustrações, gráficos e qualquer outra coisa entre eles.

Inkscape possui ferramentas de desenho sofisticadas com recursos comparáveis ​​ao Adobe Illustrator, CorelDRAW e Xara Xtreme. Você pode importar e exportar vários formatos de arquivo, incluindo SVG, AI, EPS, PDF, PS e PNG.

Ele tem um conjunto completo de recursos, uma interface simples, suporte multilíngue e é projetado para ser extensível, os usuários podem personalizar a funcionalidade do Inkscape com plug-ins.

O editor fornece ferramentas de desenho flexíveis e oferece suporte para ler e salvar imagens nos formatos SVG, OpenDocument Drawing, DXF, WMF, EMF, sk1, PDF, EPS, PostScript e PNG.

Agora, está disponível a nova atualização do Inkscape 1.0.2 e nesta nova edição os desenvolvedores mencionam que se concentraram na melhoria da estabilidade, bem como na correção de bugs, além de que para a versão MacOS trabalharam para melhorar o desempenho.

Novidades do Inkscape 1.0.2

Inkscape 1.0.2 lançado com melhorias de estabilidade, correções e muito maisInkscape 1.0.2 lançado com melhorias de estabilidade, correções e muito maisInkscape 1.0.2 lançado com melhorias de estabilidade, correções e muito mais
Durante a preparação da nova versão, atenção especial foi dada para melhorar a estabilidade e eliminar bugs, incluindo a resolução de problemas com a saída de texto e a melhoria do funcionamento normal da ferramenta borracha.

Além disso, o anúncio menciona que o desempenho foi aprimorado na versão macOS.

Dentre as inovações implementadas, destaca-se o aparecimento nas configurações de opções para cancelar a escala clicando com o botão do meio do mouse e proibir a rotação da tela para um documento separado ou todas as janelas.

Ao mesmo tempo, os testes alfa começaram para uma nova versão significativa do Inkscape 1.1, que introduziu uma tela inicial do aplicativo e oferece configurações básicas como tipo de tela, tema e conjunto de teclas de atalho, bem como um lista de arquivos abertos recentemente e modelos para criar documentos de um determinado tamanho.

Outras inovações incluem:

  • Interface para pesquisar configurações por máscara.
  • Janela pop-up ao clicar em “?” uma caixa de diálogo para inserir comandos que permite chamar várias funções sem acessar o menu ou pressionar teclas de atalho.
  • Uma visualização Sketch Overlay que exibe o contorno e o desenho ao mesmo tempo

Finalmente, se você estiver interessado em aprender mais sobre a nova versão do Inkscape 1.0.2, você pode verificar os detalhes nesse endereço.

Para mais detalhes sobre os novos recursos implementados no Inkscape 1.x, você pode conferir o vídeo da versão abaixo: https://youtu.be/f6UHXkND4Sc
E para saber mais sobre essa versão do Inkscape, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Inkscape

Para instalar a versão mais recente do Inkscape nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar a versão mais recente do Inkscape no Linux via Flatpak
Inkscape no Ubuntu – Como atualizar para a versão mais recente

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a incrível IDE Python Spyder no Linux

Se você está procurando por uma IDE para ciência de dados, veja como instalar a incrível IDE Python Spyder no Linux usando o Pip.

Spyder é uma IDE multiplataforma de software livre baseada em Python. Seu foco principal é a análise de dados, pesquisa e criação de pacotes científicos, juntamente com o desenvolvimento em Python.

Como instalar a incrível IDE Python Spyder no LinuxComo instalar a incrível IDE Python Spyder no LinuxComo instalar a incrível IDE Python Spyder no Linux

Você pode encontrar muitas IDEs, mas se sua principal função for a ciência de dados, o Spyder será perfeito para você de todas as formas.

IPython, Matplotlib, SciPy, NumPy- all são algumas bibliotecas fundamentais para a ciência de dados, e a Sypder integra todas elas.

É tão fácil de usar e confortável que levará um tempo mínimo para ser um usuário profissional.

Além disso, com o Spyder, você pode alternar entre a linguagem de programação R ou Matlab e Python, sempre que quiser. Isso porque sua interface é quase como o RStudio.

O Spyder fornece a seus usuários seções com capacidade de ativação, layouts personalizáveis ​​e opções interativas.

Como instalar a IDE Python Spyder no Linux

Em algumas distribuições, a IDE Python Spyder está disponível nos repositórios oficiais e pode ser instalada usando apenas o gerenciador de pacotes.

Mas a maneira mais simples de instalar a IDE Python Spyder no Linux é usando gerenciador de pacotes ‘pip’ para python.

Se você não tem ele instalado, use o gerenciador de pacote do seu sistema ou um dos tutoriais abaixo.

Como instalar o gestor de pacotes Pip no Ubuntu, Debian e derivados
Como instalar o gerenciamento de pacotes Pip no CentOS

Depois, para instalar a IDE Python Spyder no Linux, abra um terminal e execute este comando:

pip install spyder

Quando precisar pode atualizar o Spyder, use este comando:

pip install --upgrade spyder

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite spyder ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo Frets On Fire no Linux via Flatpak

Se você quer mostrar suas habilidades musicais com a guitarra no PC, conheça e veja como instalar o jogo Frets On Fire no Linux via Flatpak.

Frets on Fire é um jogo de habilidade musical e dedos rápidos. O objetivo do jogo é tocar guitarra com o teclado com a maior precisão possível.

Como instalar o jogo Frets On Fire no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Frets On Fire no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Frets On Fire no Linux via Flatpak

O jogo possui um estilo único de jogo de teclado invertido, suporte para controladores de guitarra e joysticks genéricos, um editor de músicas para fazer suas próprias músicas, permite competir com os outros nas paradas do mundo, tem centenas de músicas compostas pela comunidade e suporta a importação de músicas do Guitar Hero e do Guitar Hero II.

Multi plataforma, o jogo roda no Windows, Linux, Mac OS X e FreeBSD. Ele é de código-fonte aberto, sendo que o código-fonte completo em Python está disponível.

Como instalar o jogo Frets On Fire no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo Frets On Fire via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Frets On Fire via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/net.sourceforge.fretsonfire.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update net.sourceforge.fretsonfire

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run net.sourceforge.fretsonfire em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite fretsonfire ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo Frets On Fire no Linux via Flatpak

Para desinstalar o jogo Frets On Fire via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall net.sourceforge.fretsonfire

Ou

flatpak uninstall net.sourceforge.fretsonfire

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o suporte ao Wine no Linux via Snap

Se você usa Linux e precisa executar programas do Windows (mas não quer usar esse sistema) instalados via snap, veja como instalar o Wine no Linux via Snap.

Wine (Wine Is Not an Emulator) é um software livre e de código aberto, que tem como objetivo permitir que os aplicativos desenvolvidos para Microsoft Windows possam ser executados no Linux, Mac, FreeBSD e Solaris.

Como instalar o suporte ao Wine no Linux via SnapComo instalar o suporte ao Wine no Linux via SnapComo instalar o suporte ao Wine no Linux via Snap

Esse snap fornece a base WINE via interface de conteúdo para ser usada por outros snaps que dependem do WINE, de modo que os desenvolvedores que criam snaps do WINE podem alavancar esse snap base para conectar seus snaps ao WINE.

Esse pacote fornece wine-stable, wine-devel e wine-staging que podem ser usados por outros aplicativos instalados via snap.

Atualmente os seguintes aplicativos snaps estão usando este pacote: anifx, anituner, cncra, cnctsun, fooba2000, leagueoflegends, notepad-plus-plus, notepad3, resourcehacker e utorrent

Como instalar o Wine no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Wine no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Wine no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install wine-platform-i386

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install wine-platform-i386 --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh wine-platform-i386

Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove wine-platform-i386

Pronto! Agora, para usar o Wine, consulte esse outro tutorial:

Como instalar e usar programas do Windows no Linux com o Wine

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar a versão mais recente do Wine no Linux
Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu, Debian e derivados
Veja como instalar o Wine no Ubuntu 18.04 LTS e derivados
Como instalar o Wine no Fedora, CentOS, RHEL e derivados
Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging no Ubuntu, Debian,…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo OpenTTD no Linux via Flatpak

Se você gosta de jogos de simulação como o Transport Tycoon Deluxe e quer usá-lo no sistema do Pinguim, conheça e veja como instalar o jogo OpenTTD no Linux via Flatpak.

OpenTTD é um jogo de simulação, baseado no popular game “Transport Tycoon Deluxe” da Microprose, escrito por Chris Sawyer. Ele tenta imitar o jogo original o mais próximo possível, estendendo-o com novos recursos.

Como instalar o jogo OpenTTD no Linux via FlatpakComo instalar o jogo OpenTTD no Linux via FlatpakComo instalar o jogo OpenTTD no Linux via Flatpak

Esse jogo foi modelado após o jogo original Transport Tycoon, de Chris Sawyer, e aprimora a experiência do jogo dramaticamente. Muitos recursos foram inspirados pelo TTDPatch, enquanto outros são originais.

O OpenTTD é um software livre, licenciado sob a licença GNU General Public License versão 2.0. Ele também é multiplataforma e pode ser instalado em sistemas BSD (especialmente no FreeBSD, NetBSD e OpenBSD), além de sistemas Windows (Windows 95/98/ME/2000/XP/Vista/7), Solaris e no Linux.

Como instalar o jogo OpenTTD no Linux via Flatpak

Como instalar o jogo OpenTTD no Linux via Flatpak

Como instalar o jogo OpenTTD no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo OpenTTD no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo OpenTTD no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.openttd.OpenTTD.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.openttd.OpenTTD

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.openttd.OpenTTD

Ou

flatpak uninstall org.openttd.OpenTTD

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.openttd.OpenTTD em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite openttd ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

E se você gostou do aplicativo, deixe suas impressões nos comentários!

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a ferramenta Qt Design Studio no Linux

Se você quer criar aplicativos baseados em QT sem complicações, conheça e veja como instalar a ferramenta Qt Design Studio no Linux.

O Qt Design Studio é uma ferramenta de design e desenvolvimento de interface do usuário que permite que designers e desenvolvedores criem rapidamente protótipos e desenvolvam interfaces complexas.

O Qt Design Studio oferece um fluxo de trabalho ideal para prototipagem e desenvolvimento de interfaces complexas com o Qt.

Como instalar a ferramenta Qt Design Studio no LinuxComo instalar a ferramenta Qt Design Studio no LinuxComo instalar a ferramenta Qt Design Studio no Linux

Tanto designers como desenvolvedores usam o Qt Design Studio e isso torna a colaboração entre os dois muito mais simples e mais simplificada. Para ter uma impressão, você deve assistir a este vídeo.

alt
[embedded content]

Como instalar a ferramenta Qt Design Studio no Linux

Para instalar a ferramenta Qt Design Studio no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome qtdesignstudio.run:

wget https://download.qt.io/official_releases/qtdesignstudio/2.0.0/qt-designstudio-linux-x86_64-2.0.0-community.run -O qtdesignstudio.run

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x qtdesignstudio.run

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./qtdesignstudio.run

Passo 6. Na tela que será exibida, siga as instruções e em pouco tempo o programa estará instalado.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite qt ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

18 de janeiro de 2021

Como instalar o gerenciador de vídeos Filmographer no Linux via Snap

Se você quer colocar seus filmes em ordem e saber mais sobre eles, conheça e veja como instalar o gerenciador de vídeos Filmographer no Linux via Snap.

Filmographer é uma gerenciador de vídeos que permite organizar e reproduzir a partir de uma biblioteca.

Como instalar o gerenciador de vídeos Filmographer no Linux via SnapComo instalar o gerenciador de vídeos Filmographer no Linux via SnapComo instalar o gerenciador de vídeos Filmographer no Linux via Snap

Com ele você mantém sua coleção de filmes sob controle e obtém informações sobre atores, diretores, slogans, plotagens, classificações e muito mais.

Filmographer permite pesquisar e importar novos filmes em um clique, além de filtrar filmes facilmente por gêneros, classificações, títulos ou anos.

Como instalar o gerenciador de vídeos Filmographer no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o gerenciador de vídeos Filmographer via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de vídeos Filmographer no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install filmographer

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install filmographer --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install filmographer --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install filmographer --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh filmographer

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite filmographer ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gerenciador de vídeos Filmographer no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o gerenciador de vídeos Filmographer via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove filmographer

Let's block ads! (Why?)

Ubuntu Retro Remix, uma nova distro para Raspberry Pi para gamers retrô

Martin Wimpress, líder de desktop do Ubuntu e pelo co-fundador do Ubuntu MATE, criou o Ubuntu Retro Remix, uma nova distro para Raspberry Pi para gamers retrô.

Se você é um amante incondicional de jogos retrô, a nova distribuição do Ubuntu Retro Remix, a ser lançada, pode ser de grande interesse.

Conheça o Ubuntu Retro Remix

Ubuntu Retro Remix, uma nova distro para Raspberry Pi para gamers retrôUbuntu Retro Remix, uma nova distro para Raspberry Pi para gamers retrôUbuntu Retro Remix, uma nova distro para Raspberry Pi para gamers retrô
O projeto Ubuntu Retro Remix foi iniciado pelo líder de desktop do Ubuntu e pelo co-fundador do Ubuntu MATE, Martin Wimpress.

Esse é um sistema operacional não-oficial baseado no Ubuntu Linux para jogos retrô no Single Board Computer Raspberry Pi. Você pode usá-lo para transformar seu Raspberry Pi em uma máquina de jogos retro.

O projeto é totalmente novo e ainda está em andamento. Portanto, não é possível baixar nenhuma imagem pré-criada para o Raspberry Pi. Mas você pode clonar o repositório GitHub e usar seu script para criar imagens do Raspberry Pi do Ubuntu para jogos retro.

Para o mesmo, você também precisará fazer o download da imagem armhf Ubuntu Server 20.04 para Raspberry Pi. De acordo com a descrição do projeto, o Ubuntu Retro Remix suporta consoles de jogos retro baseados em Raspberry Pi que incluem MegaPi, NesPi e SuperPi.

Para mais informações, você pode assistir abaixo o vídeo de Martin Wimpress, onde ele demonstra como construir máquinas de jogos retrô usando o novo Ubuntu Remix.

alt
[embedded content]

Ubuntu Retro Remix? Por que outra nova distribuição Linux?

Agora, a frase “Pare de fazer nova distribuição Linux” deve ter aparecido em algumas de suas mentes. Como nos últimos tempos, já vimos várias novas distribuições Linux, especialmente baseadas no Ubuntu, como o Ubuntu Unity Remix, UbuntuEd e UbuntuDDE.

Além disso, outros também estão alinhados para lançamento, como Serpent OS e Ubuntu Web. Então, você deve estar pensando: realmente precisamos de mais novas distribuições Linux. Certo?

Para saber o motivo por trás do início de um novo projeto, precisamos entender o objetivo do fundador. E para dizer a você, Martin Wimpress é um jogador retro, um consertador de Raspberry Pi e usuário/desenvolvedor do Ubuntu, que também criou o Rolling Rhino recentemente para transformar o Ubuntu comum em um lançamento contínuo.

Mesmo que ele já tenha construído alguns consoles de jogos retro Raspberry Pi usando o RetroPie, ele diz que não conseguiu aprender nada de novo fazendo isso.

Por isso, Martin iniciou esse novo projeto de remix do Ubuntu, não apenas para aprender, mas também para todos os gamers que desejam rodar jogos retrô no Pi imediatamente.

Assim, em vez de instalar o Ubuntu para Raspberry Pi e, em seguida, RetroPi, basta instalar o Ubuntu Retro Remix no seu Raspberry Pi e se divertir com os jogos retrô.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerenciador de senhas Password Safe no Linux via Flatpak

Se você quer guardar e administrar suas senhas, conheça e veja como instalar o gerenciador de senhas Password Safe no Linux via Flatpak.

O Password Safe é um gerenciador de senhas que faz uso do formato Keepass v.4.

Como instalar o gerenciador de senhas Password Safe no Linux via FlatpakComo instalar o gerenciador de senhas Password Safe no Linux via FlatpakComo instalar o gerenciador de senhas Password Safe no Linux via Flatpak

Esse aplicativo integra-se perfeitamente à área de trabalho do GNOME e fornece uma interface fácil e organizada para o gerenciamento de bancos de dados de senhas.

Com esse programa você pode criar ou importar um cofre KeePass v.4, criar e editar grupos e entradas, atribuir uma cor e atributos adicionais às entradas e mover e excluir grupos e entradas.

Ele faz bloqueio automático de banco de dados durante inatividade e bloqueio de sessão, possui uma ferramenta de pesquisa com filtro local, global e de texto completo, suporta Senha, keyfile e autenticação de chave composta e muito mais.

Como instalar o gerenciador de senhas Password Safe no Linux via Flatpak

Para instalar o gerenciador de senhas Password Safe via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de senhas Password Safe via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.PasswordSafe.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.PasswordSafe

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.PasswordSafe

Ou

flatpak uninstall org.gnome.PasswordSafe

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.PasswordSafe em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite passwordsafe ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o aplicativo Udemy no Linux via Snap

Se você quer usar a Udemy no sistema do pinguim sem usar um navegador especifico, veja como instalar o aplicativo Udemy no Linux via Snap.

Udemy é uma maneira rápida de abrir a Udemy e aprender com seus cursos gratuitos e pagos.

Como instalar o aplicativo Udemy no Linux via SnapComo instalar o aplicativo Udemy no Linux via SnapComo instalar o aplicativo Udemy no Linux via Snap

Com esse wrapper, você pode acessar o portfólio da Udemy sem precisar ficar abrindo abas em um navegador especifico.

E se você tiver dificuldade ou precisar de um recurso para download dos vídeos dos cursos, utilize esse outro aplicativo.
Instale o Udeler para baixar os vídeos de cursos da Udemy

Como instalar o aplicativo Udemy no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o aplicativo Udemy via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o aplicativo Udemy via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install udemy

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install udemy --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh udemy

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite udemy ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o aplicativo Udemy no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o aplicativo Udemy via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove udemy

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o editor VSCodium no Linux via Snap

Se você quer usar o Visual Studio Code sem ficar a mercê de rastreadores, conheça e veja como instalar o editor VSCodium no Linux via Snap.

Você já deve saber o quanto o o Visual Studio é um editor de código impressionante. Mas embora o código VS seja freeware de código aberto, seu código-fonte está disponível apenas no repositório GitHub oficial da Microsoft e seus downloads são licenciados sob uma licença de código fechado que contém telemetria (rastreamento), portanto você ficará feliz em conhecer o VSCodium.

Como instalar o editor VS Codium no Linux via SnapComo instalar o editor VS Codium no Linux via SnapComo instalar o editor VS Codium no Linux via Snap

VSCodium é uma réplica do Visual Studio Code e, portanto, funciona da mesma maneira com todos os recursos e suporte presentes em seu projeto pai. Exceto pelo ícone do aplicativo, que obviamente é diferente.

Ele é uma versão tracking-free de código aberto do Microsoft Visual Studio Code, criada para que os desenvolvedores não precisem criar o código VS a partir do código-fonte que contém telemetria/rastreadores.

Esse ajuste é realizado usando scripts especiais para clonar o repositório vscode, compilá-lo a partir dos fontes e, em seguida, carregar os binários resultantes para liberações do GitHub do VSCodium, livres de telemetria.

Como instalar o editor VSCodium no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o editor VSCodium via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o editor VSCodium via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install codium

Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install codium --beta

Passo 4. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install codium --edge

Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh codium

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite codium ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o editor VSCodium no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o editor VSCodium no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove codium

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o editor VSCodium no Ubuntu, Debian e derivados

Let's block ads! (Why?)

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
21 de janeiro de 2021, 08:06
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.