24 de setembro de 2016

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

Se você possui um scanner ou uma impressora multifuncional com essa funcionalidade, veja aqui como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu.


Apesar desse tutorial ser focado na impressora multifuncional HP Deskjet F2050, ele pode funcionar com boa parte dos scanners e multifuncionais que existem atualmente. Isso porque a maioria deles podem ser acessados usando o programa XSane.

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

Xsane

No ubuntu, por padrão você pode usar o aplicativo Digitalizador Simples para escanear documentos. Por baixo do capô desse programa está o Sane, XSane e diversas outras ferramentas que tornam possível digitalizar documentos sem complicações.

XSane é uma aplicação que serve para controlar um scanner e adquirir imagens através dele. Com ele você pode facilmente escanear e copiar documentos e de pois salvá-los, enviar por fax ou e-mail.

Ele também pode salvar seus scans como documentos de múltiplas páginas, em vez de documentos de páginas únicas. O XSane também pode ser usado diretamente no GIMP e outros programas que suportam o recurso.

Conheça melhor o Xsane

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber se seu scanner é compatível com o programa, acesse esse link:

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu.

Para usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu. e seus derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Atualize o APT para receber as informações sobre os últimos pacotes, usando esse comando (opcional, mas importante):

sudo apt-get update

Passo 3. Agora baixe as últimas atualizações com esse comando (opcional, mas importante):

sudo apt-get upgrade -y

Passo 4. Para um suporte completo, instale os pacotes HPlib, usando este comando (opcional):

sudo apt-get install hplib* -y

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install xsane -y

Passo 6. Uma vez instalado, inicie o programa digitando xsane no Dash ou em um terminal (seguido da tecla tab);
Passo 7. Na tela do Xsane, escolha os parâmetros que influenciam a captura (modo de digitalização, cor, resolução e outros) e no final, clique no botão “Digitalizar”;

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

Passo 8. Aguarde mas um pouco e a imagem será exibida em uma nova janela. Nessa janela, você pode usar os botões para mudar a posição, inverter e fazer várias outras tarefas na imagem. Cada botão é bem claro sobre sua função, o que torna muito fácil usar a janela. Quando terminar, clique no ícone do disquete para salvar a imagem.

Como usar scanner de multifuncional HP no Ubuntu

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o XiX Music Player no Ubuntu

Procurando um reprodutor de música que suporta controlar muitos arquivos de áudio? Então instale e experimente o XiX Music Player.


XiX Player é um reprodutor de música livre, fácil de usar, multi-leitor e multiplataforma. que funciona atualmente no Linux para as arquitetura x86, x64 e ARM (Raspberry Pi), Windows e MacOS.

Como instalar o XiX Music Player no Ubuntu

Este player de mídia pode controlar mais de 40 mil arquivos de áudio, por isso grandes bibliotecas de áudio não são um problema para ele.

No XiX Player, os tracks são mostrados em diferentes abas, como artista, álbuns, playlists ou gerenciador de arquivos, se a tampa do CD é encontrada aberta, o programa informa.

Além disso, o programa possui um visualizador lírico integrado, que procura a letra da música tocando no momento e nele é muito fácil de usar para criar e manter suas próprias playlists.

Veja algumas imagens do aplicativo

Como instalar o XiX Music Player no Ubuntu

Como instalar o XiX Music Player no Ubuntu

Conheça melhor o XiX Music Player

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o XiX Music Player no Ubuntu

Para instalar o XiX Music Player no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo:

sudo apt-get install xix-media-player

Passo 5. Para instalar a versão para QT do programa, use o comando abaixo:

sudo apt-get install xix-media-player-qt

Como instalar o XiX Music Player manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite xix no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o XiX Music Player no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o XiX Music Player no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove xix-media-player*
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o Gnome Classic no Ubuntu

Se você já está no Ubuntu com o ambiente Unity, mas não gostou, instale o Gnome Classic no Ubuntu e experimente esse tradicional ambiente.


Gnome Classic ou Flashback é uma sessão para o Gnome 3, que foi inicialmente chamado de “Gnome Fallback” (Gnome de contingência), e é instalado como uma sessão autônoma no Debian e Ubuntu. Ele fornece uma experiência de usuário similar às sessões da séries 2.x do GNOME.

Como instalar o Gnome Classic no Ubuntu

Gnome Classic usa Gtk+ 3 e tenta acompanhar o desenvolvimento do Gnome atual, integrando as alterações recentes das bibliotecas Gnome. O desenvolvimento fica atualmente um pouco atrás, mas muito progresso tem sido feito e o mais importante, muitos bugs abertos foram corrigidos.

O Gnome Classic é caracterizado por ter um visual simples e leve, que chega a lembrar muito o Ubuntu antigo com acesso rápido às aplicações.

Na prática, ele é o ambiente ideal para quem quer experimentar um desktop tradicional. Se este é o seu caso, veja abaixo como instalar esse ambiente.

Como instalar o Gnome Classic no Ubuntu

Conheça melhor o Gnome Classic

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o Gnome Classic no Ubuntu e derivados

Para instalar o Gnome Classic no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora instale o ambiente com o comando abaixo (se não funcionar, use o próximo):

sudo apt-get install gnome-session-fallback

Passo 4. Em sistemas mais recentes, instale o ambiente com o comando:

sudo apt-get install gnome-session-flashback

Passo 5. Uma vez instalado, encerre a sessão atual;
Passo 6. Quando você estiver na tela de login, clique no ícone do logotipo e no menu que aparece, selecione a opção Gnome Flashback (Compiz) ou Gnome Flashback (Metacity);

Como instalar o Gnome Classic no Ubuntu
Passo 7. Selecione seu usuário e faça login.

Desinstalando o Gnome Classic no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Gnome Classic no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o Gnome Classic, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove gnome-session-fallback
sudo apt-get remove gnome-session-flashback
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Navegação anônima e segura com I2P no Ubuntu e derivados

Procurando uma forma de navegar na web mais tranquilamente? Então veja como ter Navegação anônima e segura com I2P no Ubuntu e derivados.


I2P significa “Invisible Internet Project” (Projeto de Internet invisível). O recurso é uma camada de rede de computador que permite que aplicativos possam enviar mensagens a outros, sob pseudônimo e com segurança. Os usos incluem navegação web anônima, chat, transferências de arquivo e blogging.

Navegação anônima e segura com I2P no Ubuntu e derivados

Na prática, I2P é uma rede anônima, expondo uma camada simples que os aplicativos podem usar para anonimamente e de forma segura, enviar mensagens uns aos outros.

A rede em si é estritamente baseada em mensagem mas existe uma biblioteca disponível para permitir a permitir a comunicação confiável de streaming sobre ela. Com isso, o I2P protege a sua comunicação de vigilância arrastão e monitoramento por terceiros, tais como ISPs.

Embora possa ser semelhante a aplicativos de proxy como Tor, I2P não é um proxy, é um ecossistema. Toda a comunicação é criptografada de ponta a ponta (no total existem quatro camadas de criptografia sendo usadas ao enviar uma mensagem), e até mesmo os pontos de extremidade (“destinos”) são identificadores criptográficos (essencialmente um par de chaves públicas).

I2P é uma rede anonimizada separada, dentro da Internet, que dispõe de uma camada simples, que aplicativos sensíveis à identidade podem usar para comunicar-se com segurança. Todos os dados são empacotados com várias camadas de criptografia, e a rede é distribuída e dinâmica, com partes não confiáveis.

Para anonimizar as mensagens enviadas, cada aplicativo cliente tem seu I2P “roteador” para construir alguns “túneis” de entrada e saídas – uma sequência de pares que passam mensagens em uma direção (de e para o cliente, respectivamente).

Por sua vez, quando um cliente quer enviar uma mensagem para outro cliente, o cliente passa essa mensagem para fora (transmite) de um dos seus túneis de saída, tendo como alvo um dos túneis de entrada do outro cliente, eventualmente chegando ao destino.

Todos os participantes da rede escolhem o comprimento dos túneis e ao fazê-lo, faz uma compensação entre o anonimato, latência e taxa de transferência de acordo com suas próprias necessidades.

O resultado é que o número de pares de afinação de cada mensagem de ponta a ponta, é o mínimo necessário para atender ao modelo de ameaça tanto do remetente, como do receptor.

Conheça melhor o I2P

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Mais detalhes sobre como funciona o I2P podem ser encontrados aqui.

Como instalar o I2P para obter navegação anônima e segura no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o I2P e obter navegação anônima e segura no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:i2p-maintainers/i2p

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install i2p

Como instalar o I2P manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Executando o I2P

Após a instalação execute o I2P usando o seguinte comando em um terminal:

i2prouter start

Se o navegador não abrir depois de executar o comando acima, basta usar o endereço abaixo em seu navegador:

http://localhost:7657

Uma vez que a conexão for estabelecida com sucesso, você verá a mensagem “Network OK” (Rede OK) no painel esquerdo.

Navegação anônima e segura com I2P no Ubuntu e derivados

Navegação anônima e segura com I2P no Ubuntu e derivados

Navegação anônima e segura com I2P no Ubuntu e derivados

Navegação anônima e segura com I2P no Ubuntu e derivados

Parando o I2P

Quando quiser parar o serviço I2P use o seguinte comando em um terminal:

i2prouter stop

Desinstalando o programa no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:i2p-maintainers/i2p --remove
sudo apt-get remove i2p
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

Se você procura um modo de impedir bloqueio da tela, sem desativar o recurso, veja aqui como instalar o Caffeine no Ubuntu.


Caffeine é um applet simples, no formato de um indicador no painel Ubuntu, que permite impedir o bloqueio da tela temporariamente, a ativação do protetor de tela, o modo de economia de energia e outras funções que desativam a tela.

Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

O programa é particularmente útil quando se deseja impedir que o computador entre nesse modo e atrapalhe as atividades atuais, como por exemplo, quando estamos assistindo a filmes. Ele funciona em Ubuntu Unity, Ubuntu Gnome, Kubuntu, Xubuntu e Lubuntu.

Conheça melhor o Caffeine

Para saber mais sobre as características do programa e o que ele pode fazer, clique nesse link.

Instalando o Caffeine no Ubuntu para impedir o bloqueio da tela

Caffeine está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu, mas pode estar um pouco obsoleto. Por isso, para instalar a versão mais recente do Caffeine no Ubuntu e impedir o bloqueio da tela, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:caffeine-developers/ppa

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install caffeine

Como instalar o Caffeine manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite caffeine no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Para usá-lo, basta clicar na opção que ativa ou desativa ele no desktop.

Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

Desinstalando o Caffeine no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Caffeine no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:caffeine-developers/ppa --remove
sudo apt-get remove caffeine
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale o Classic Menu Indicator no Ubuntu

Se você usa o Ubuntu com Unity e sente falta de um menu de aplicativos, experimente instalar o Classic Menu Indicator e resolva seu problema.


Apesar do Dash encontrar aplicativos rapidamente, nem todo mundo se acostuma com ele. Classic Menu Indicator é uma boa solução para isso. Como o próprio nome dele diz, ele é um menu no estilo GNOME clássico, disponível como um AppIndicator, então ele pode ser usado no ambiente Unity, como uma alternativa para aqueles que não gostam Dash, mas também deve funcionar em outros ambientes de trabalho.

Instale o Classic Menu Indicator no Ubuntu

Conheça melhor o Classic Menu Indicator

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja como instalar o Classic Menu Indicator no Ubuntu

Para instalar o Classic Menu Indicator no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:diesch/testing

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o programa, use este comando:

sudo apt-get install classicmenu-indicator

Como instalar o Classic Menu Indicator manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, saia da sessão atual e quando fizer login, o indicador já estará no painel.

Desinstalando o Classic Menu Indicator no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Classic Menu Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove classicmenu-indicator
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

23 de setembro de 2016

Absolute 14.2.1 já está disponível para download! Baixe agora!

Foi lançado recentemente o Absolute 14.2.1, um Slackware mais fácil e cheio de aplicações. Conheça mais um pouco sobre ela e descubra onde baixar a distro.


Absolute Linux é uma distribuição leve baseada no Slackware Linux, que inclui diversas funcionalidades que tornam a configuração e manutenção mais fácil e tem muitas aplicações de desktop comum e da Internet instalado e configurado com forte integração de menus, aplicações e tipos MIME.

Absolute 14.2.1 já está disponível para download

Absolute Linux usa IceWM como gerenciador de janelas e o e ROX como gerenciador de arquivos.

Conheça melhor a distribuição Absolute

Para saber mais sobre a distribuição Absolute, clique nesse link.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o Absolute 14.2.1

A imagem ISO do Absolute 14.2.1 já pode ser baixada acessando o link abaixo:
Absolute 14.2.1

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Se você precisa formatar um pen drive no Ubuntu com segurança (excluindo de um modo que os arquivos não possam mais ser recuperados), veja aqui como fazer isso no Ubuntu.


No Ubuntu é possível formatar uma mídia de forma segura, impedindo que ninguém mais consiga recuperar os arquivos presentes nela. Mas antes de começar a fazer a formatação, tenha certeza que não precisará mais dos arquivos que estão nele, pois como já foi falado acima, a formatação será definitiva e depois de finalizar o processo, não terá mais como recuperá-los.

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Para formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura, faça o seguinte:
Passo 1. Clique no Dash e digite a palavra discos. Quando aparecer o item “Discos”, clique nele para executá-lo;

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Passo 2. Na tela do utilitário “Discos”, clique no ícone do pen drive que será formatado;

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Passo 3. Clique no ícone das engrenagens que fica no lado direito da janela do programa e no menu que aparece, clique na opção “Formatar”;

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Passo 4. Na janela de formatação, informe as opções a serem usadas no processo. Para formatar de forma segura (apagando definitivamente o conteúdo), selecione a opção “Sobrescrever dados existentes com zeros (Lento)” no campo “Apagar”. Em “Tipo”, selecione “Compatível com todos os sistemas e dispositivos (FAT)”, para evitar problemas ao usar o pen drive em diferentes equipamentos. Coloque um nome para o pen drive no campo “Nome” e em seguida, clique no botão “Formatar”;

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Passo 5. Será exibida uma tela de confirmação. Clique no botão “Formatar” para iniciar o processo;

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Passo 6. Aguarde até o processo finalizar.

Como formatar um pen drive no Ubuntu de forma segura

Agora seu pen drive está formatado e os antigos arquivos que estavam nele estão definitivamente apagados.

Via AskUbuntu

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Procurando uma opção para criar mídias de sua distribuição favorita no Windows? Pois então veja como criar um disco de instalação do Linux no Windows com o LinuxLive USB Creator.


LinuxLive USB Creator ou LiLi USB Creator é um software livre para Windows que permite criar um um disco de instalação do Linux no Windows a partir de uma imagem ISO ou de uma mídia de alguma distribuição Linux.

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Com esse programa você só precisa baixar a imagem instalação do sistema no formato ISO e depois usar o programa para transformar o pendrive em um dispositivo de instalação do seu sistema favorito, para usar ou dar para aquele seu amigo que ainda não conhece o Linux.

Conheça melhor o LinuxLive USB Creator

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar e usar o LinuxLive USB Creator para criar um disco de instalação do Linux no Windows

Para instalar e usar o LinuxLive USB Creator, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Baixe o programa acessando esse link e depois instale-o;

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Passo 2. Para executar o LinuxLive USB Creator, clique no menu Iniciar, depois em “Todos os programas”, e finalmente, em “LinuxLive USB Creator” ou se preferir, digite o nome dele no campo de busca;

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Passo 3. Para autorizar a execução do programa, digite a senha de administrador ou clique em “Sim”;

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Passo 4. No item “Passo 1” do programa, escolha o pendrive que irá receber os arquivos de instalação da distribuição Linux;

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Passo 5. Depois, no item “Passo 2” do programa, indique a fonte de onde ele pegará a distro ou o instalador dela. Nessa etapa você pode usar arquivos em formatos de imagem de mídia (opção “ISO / IMG / ZIP”), extrair tudo de um CD ou DVD (opção “CD”), ou baixar da web diretamente, escolhendo a distribuição em uma listagem do aplicativo (opção “Download”);

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Passo 6. No terceiro item ou “Passo 3” (Persistência), você pode reservar um espaço no pendrive para armazenamento de dados do sistema. Isso pode ser muito útil caso você precise utilizar a distribuição diretamente do dispositivo USB, ou seja, sem qualquer tipo de instalação no computador. Esse espaço pode variar entre 250 MB e 2 GB;

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Passo 7. O quarto item da tela do programa serve para definir o que será feito com os arquivos atualmente estão presentes no seu pendrive. Eles podem ser ocultados ou apagados. Nesse item você também pode habilitar ou não, a inicialização do LiveUSB dentro do Windows.

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Passo 8. Por fim, depois de configurar e conferir as opções, basta clicar no ícone do raio para iniciar o processo;

Como criar um disco de instalação do Linux no Windows

Pronto! Com esse programa, mesmo no Windows, você sempre poderá criar seus discos de distribuições Linux.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o Gnome Twitch no Ubuntu

Se você estava a procura de um cliente Twitch para o seu desktop, veja como instalar o Gnome Twitch no Ubuntu e resolva de vez esse problema.


Gnome Twitch é um app Twitch não oficial (e de código aberto), que permite assistir em um desktop Linux as transmissões desse serviço. Com ele você pode desfrutar de streams favoritos, sem o incômodo de ter de usar um navegador web, ou o Adobe Flash.

Como instalar o Gnome Twitch no Ubuntu

O projeto Gnome Twitch é novo e foi criado há apenas algumas semanas. O programa é baseado em GTK 3 e utiliza gstreamer 1.0, para lidar com a reprodução de áudio e vídeo.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Recentemente o GNOME Twitch foi atualizado para a versão 0.2.0. Esse update adiciona uma funcionalidade de bate-papo, juntamente com várias melhorias na interface e correções de bugs.

Como instalar o Gnome Twitch no Ubuntu

Por enquanto, fazer login no Twitch só permite usar o recurso de bate-papo (e não é possível ver o bate-papo sem fazer login, mas isso deve ser corrigido em uma futura atualização), enquanto que outras características, como receber notificações quando um stream está ao vivo, se inscrever ou seguir algum stream, e assim por diante, ainda não são suportados.

Conheça melhor o Gnome Twitch

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Alternativa ao Gnome Twitch

Mas se você procura por uma opção mais simples para ter Twitch no Ubuntu, veja esse outro tutorial:
Instale o Twitch Indicator e rastreie os canais que você segue no Twitch

A instalação desse aplicativo não é garantida em todas as versões dos sistemas Debian, Ubuntu e derivados. De qualquer forma, vale a pena testar se ele é compatível com o sistema que você usa, e se for, comente para que os outros leitores saibam.

Instalando o Gnome Twitch no Ubuntu 15.10 e versões anteriores

Para instalar o Gnome Twitch no Ubuntu 15.10 e versões anteriores, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gnome-twitch.deb:

wget http://archive.getdeb.net/getdeb/ubuntu/pool/apps/g/gnome-twitch/gnome-twitch_0.1.0-1~getdeb1_i386.deb -O gnome-twitch.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gnome-twitch.deb:

wget http://archive.getdeb.net/getdeb/ubuntu/pool/apps/g/gnome-twitch/gnome-twitch_0.1.0-1~getdeb1_amd64.deb -O gnome-twitch.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i gnome-twitch.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Se a reprodução de áudio ou vídeo não funcionar, instale os pacotes gstreamer1.0-plugins-base, gstreamer1.0-plugins-good, gstreamer1.0-plugins-bad, gstreamer1.0-plugins-ugly e gstreamer1.0-libav através da Central de programas, ou usando o seguinte comando;

sudo apt-get install gstreamer1.0-plugins-base gstreamer1.0-plugins-good gstreamer1.0-plugins-bad gstreamer1.0-plugins-ugly gstreamer1.0-libav

Como instalar o Gnome Twitch no Ubuntu 15.10 ou superior

Para instalar o Gnome Twitch no Ubuntu 15.10 ou superior e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install gnome-twitch

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite twitch no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Gnome Twitch no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Gnome Twitch no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove gnome-twitch
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o cliente Infinit no Linux

Quer transferir arquivos sem complicações ou limitações de tamanho? Experimente Infinit. Para isso, veja como instalar o cliente Infinit no Linux.


Existem muitos serviços web dedicados ao compartilhamento ou sincronização de arquivos e que também fornecem um cliente para Linux. Entre os mais conhecidos e utilizados estão, por exemplo, o Dropbox, o MEGA, o Google Drive (embora este último não tenha um cliente oficial para Linux), OneDrive e muitos mais.

Como instalar o cliente Infinit no Linux

Como alternativa, também podemos usar o Infinit, um serviço que procura facilitar ao máximo o compartilhamento de arquivos entre vários dispositivos, proporcionando excelente estabilidade e velocidade de uploads e downloads.

Infinit permite transferir arquivos de mídia entre vários PC’s, sem qualquer limite de tamanho. Ele também torna possível transferir arquivos para outras pessoas através do envio de um link, que eles podem usar quando quiser, para baixar arquivos (neste caso, pode enviar arquivos de até 1 GB).

Como instalar o cliente Infinit no Linux

Até então disponível apenas para dispositivos móveis (Android e iOS) e PCs com Microsoft Windows ou Apple Mac OS X, o programa agora também possui uma versão para Linux de seu cliente oficial.

Esse cliente Infinit para Linux ainda está em desenvolvimento, e atualmente está disponível apenas como um pacote para Debian de 64 bits. Futuramente ele suportará outras distribuições. Até lá, siga o procedimento abaixo para instalar o cliente Infinit no Linux.

Conheça melhor o cliente Infinit

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para ver o cliente Infinit em ação, assista o vídeo abaixo:

Como instalar o cliente Infinit no Linux

Para instalar o cliente Infinit no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/infinit*
sudo rm -Rf /usr/bin/infinit
sudo rm -Rf /usr/share/applications/infinit.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome infinit.deb;

wget https://infinit.io/downloads/infinit_0.9.39_amd64.deb -O infinit.deb

Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

ar vx infinit.deb
sudo tar -xzvf data.tar.gz -C /

Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/infinit*/ /opt/infinit

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/infinit/bin/Infinit /usr/bin/infinit

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=infinit\n Exec=/opt/infinit/bin/Infinit\n Icon=/ \n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/infinit.desktop

Se depois você precisar desinstalar o programa, basta fazer o segundo passo do procedimento acima.

Instalando o cliente Infinit no Debian e seus derivados

Como o pacote disponibilizado é voltado para o Debian e seus derivados, veja abaixo como instalar ele nesses sistemas:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome infinit.deb;

wget https://infinit.io/downloads/infinit_0.9.39_amd64.deb -O infinit.deb

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i infinit.deb

Passo 5. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 6. Se mais tarde você precisar desinstalar, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove infinit

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite infinit em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/infinit.desktop
cp /usr/share/applications/infinit.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/infinit.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Via lffl linux freedom

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como remover a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Se você quer remover a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu, veja aqui como fazer isso e até voltar ao estado original.


Quando você está usando o Ubuntu padrão com o ambiente Unity é sempre do mesmo jeito: toda vez que você quiser desligar o Ubuntu, precisará clicar no símbolo da engrenagem que fica no canto superior direito do painel e no menu que aparece, selecionar a opção de desligar. O problema é que ele não desliga diretamente, você ainda terá de clicar novamente para escolher se quer reiniciar ou desligar o computador.

Como remover a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Tudo isso é muito bonito e limpo, mas pode ser um pouco irritante depois de algumas vezes. Afinal, você já decidiu que quer desligar, então por que uma caixa de diálogo apenas para confirmar isso?

Diante desse questionamento, por que não nos livramos dessa caixa de diálogo de desligamento por completo? É isso que veremos a seguir.

Como se livrar da caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Para conseguir se livrar da caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Desabilite a caixa de diálogo de desligamento usando o seguinte comando:

gsettings set com.canonical.indicator.session suppress-logout-restart-shutdown true

O melhor de tudo é que nessa mudança, não será necessário reiniciar. Da próxima vez que você clicar em desligar, o sistema será imediatamente desligado, sem qualquer questionamento.

Onde foi parar a opção “Reiniciar”?

Agora você deve estar se perguntando o que aconteceu com a opção “Reiniciar”? Originalmente elas só aparecia depois de clicar em “Desligar…”, mas agora com essa mudança ela irá aparecer no menu, bem próxima a opção “Desligar”.

Como remover a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Como devolver a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Tudo bem, talvez você não goste quando o sistema é imediatamente desligado e queira o comportamento padrão de volta. Não se preocupe, para devolver a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Habilite a caixa de diálogo de desligamento usando o seguinte comando:

gsettings set com.canonical.indicator.session suppress-logout-restart-shutdown false

Como remover a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Pronto! Independente de qual modo você prefira usar, o importante é que o sistema fique como você quer. E isso, é algo que o Ubuntu permite.

Via It’s F.O.S.S

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Simplifique problemas matemáticos com o app NASC

Matemática nem sempre precisar ser complicada. Se você está precisando de uma ferramenta que simplifique problemas matemáticos, experimente instalar o NASC.


NASC (Not a Soulver Clone) é um software de código aberto projetado para o Elementary OS e serve para solucionar problemas matemáticos de uma forma simples, sem aquelas formulas grandes e complexas. O programa é um pouco parecido com o app Soulver, do OS X.

Simplifique problemas matemáticos com o NASC

Com ele você faz a matemática como uma pessoa normal, pois o mesmo permite que você escreva o que quiser e inteligentemente, descobre qual é a matemática e exibe uma resposta no painel da direita.

Então você pode conectar essas respostas para as equações futuras e se essa resposta muda, o mesmo acontece com as equações utilizadas.

Simplifique problemas matemáticos com o NASC

Simplifique problemas matemáticos com o NASC

Para deixar as coisas ainda mais simples, na primeira execução, NASC oferece um tutorial que detalha possíveis recursos. Posteriormente, você pode clicar no ícone de ajuda e conseguir mais informações.

Além disso, o software permite salvar o arquivo, a fim de continuar o trabalho. Ele também pode ser compartilhado no Pastebin com um tempo definido.

Conheça melhor o NASC

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Simplifique problemas matemáticos instalando o NASC no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o NASC no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo apt-add-repository ppa:nasc-team/daily

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install nasc

Como instalar o NASC manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite nasc no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o NASC no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o NASC no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-add-repository ppa:nasc-team/daily -remove
sudo apt-get remove nasc
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

22 de setembro de 2016

Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

Quer registrar o áudio do seu PC? Então veja aqui como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio-Recorder.


Audio Recorder é uma ferramenta útil que permite gravar sua música e outros tipos de áudio para arquivos.

Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

O programa tem suporte para gravação usando dispositivos como microfone, webcam, placa de áudio, reprodutores de música/filmes, chamadas do Skype, navegadores e etc. E com os plugins GStreamer, o programa passa a suportar os formatos de saída OGG, FLAC, MP3, AAC e WAV.

Conheça melhor o Audio Recorder

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz usando o Audio Recorder

Para gravar chamadas do Skype, músicas e voz usando o Audio Recorder, primeiramente você deve instalar o programa. Para isso, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu 14.10, 14.04 ou inferior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:osmoma/audio-recorder

Passo 3. Se você estiver usando o Ubuntu 15.04, 15.10, 16.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:audio-recorder/ppa

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install audio-recorder

Passo 6. Para suporte a mais formatos de áudio, instale os plugins GStreamer (Ubuntu 14.04 e superior);

sudo apt-get install gstreamer1.0-plugins-base gstreamer1.0-plugins-good gstreamer1.0-plugins-ugly gstreamer1.0-plugins-bad gstreamer0.10-fluendo-mp3

Como instalar o o Audio Recorder manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link ou nesse outro linke instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite audio no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz

Para gravar chamadas do Skype, basta abrir o Skype execute o Audio Recorder digitando audio no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

Depois, abra o Skype e faça sua chamada e clique em “Start recording” no Audio Recorder. Se quiser, ajuste o temo de inicio ou fim da gravação em “Timer” ou configure a entrada e o formato de saída em “Additional settings”.

Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

Você também pode gravar músicas, para isso, use seu reprodutor favorito. Para gravar sua voz, basta ter um microfone ativo.

Pronto! Sempre que precisar, basta repetir o processo de gravação e guardar seus áudios para ouvir depois.

Desinstalando o Audio Recorder no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Audio Recorder no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:osmoma/audio-recorder --remove
sudo add-apt-repository ppa:audio-recorder/ppa --remove
sudo apt-get remove audio-recorder
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook;

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu

Se você procura variedade e modernidade para mudar o visual do seu desktop, veja como instalar o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu.


Vivacious Colors é uma suíte de ícones moderna, que apresenta um novo conjunto de ícones de aplicativos baseados nos temas de ícones Plasma-Next, Flattr e Emerald (incluindo incríveis ícones de pasta e indicador). Todos os ícones desse conjunto são modernos e limpos, mas fazem uso de gradientes e sombreamento para obter mais detalhes e sofisticação.

Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu

O conjunto de ícones Vivacious Colors é baseado no conjunto de ícones Vibrancy Colors (pastas, indicadores, ações etc). No entanto, os ícones arredondados de ícones foram substituídos completamente por um recém reprojetado (com algumas peças construídas a partir do zero) jogo de ícones de aplicativos vivos e bonitos, que vêm em várias formas e são totalmente SVG.

Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu

Esse conjunto dispõe de quatro cores de pastas selecionáveis ​​por padrão: Stock Manila Folders, Blue, Purple, Mint Teal. Além disso, esta suíte tem mais dez cores para pastas, disponíveis através de pacote “Vivacious-Folder-Colors”: Aqua, Grafite, Blue Vivid (Dark), Brown, Green, Purple Vivid (Dark),Red, Pink, Orange, Teal, Yellow.

Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu

Para completar, esse pacote é compatível com a maioria dos ambientes de desktop Linux, como Unity, Gnome, Cinnamon, Mate, Lxde e outros.

O tema foi atualizado recentemente. Por isso, esse tutorial está sendo republicado.

Conheça melhor o conjunto de ícones Vivacious Colors

Para saber mais sobre o conjunto de ícones Vivacious Colors, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ravefinity-project/ppa

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Vivacious Colors usando o seguinte comando:

sudo apt-get install vivacious-colors
sudo apt-get install vivacious-folder-colors-addon
sudo apt-get install vivacious-colors-gtk-dark
sudo apt-get install vivacious-colors-gtk-light

Como instalar o conjunto de ícones Vivacious Colors manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o conjunto de ícones Vivacious Colors no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Vivacious Colors, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove vivacious-colors
sudo apt-get remove vivacious-folder-colors-addon
sudo apt-get remove vivacious-colors-gtk-dark
sudo apt-get remove vivacious-colors-gtk-light

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o desktop ZappWM no Ubuntu, Debian e derivados

Se você quer um ambiente gráfico simples, leve e fácil de usar, então experimente instalar o desktop ZappWM no Ubuntu, Debian e derivados.


O ambiente ZappWM é um desktop baseado no ROX e no Fluxbox e está totalmente customizado para Debian/Ubuntu e derivados.

Como instalar o desktop ZappWM no Ubuntu

Ele tem atalhos para as principais redes sociais, contas de e-mail, cloud computing, blogs etc, através da janela “Social Life”. Atalhos para os principais aplicativos utilizados em um desktop Linux no Link “QuickApps” e Links para todos os programas instalados em “All Apps”.

Os atalhos padrões estão focados para as aplicações mais comuns do Ubuntu/Debian/Mint. Mas você pode personalizá-los ao seu gosto.

Se um atalho não funcionar, basta remover o ícone ou instalar o aplicativo correspondente. Sem contar, que por ser baseado no ROX, o usuário tem total suporte a arrastar e soltar.

Esse ambiente está há um bom tempo sem receber atualizações, portanto, não há garantias que ele seja atualizado nos próximos dias.

Conheça melhor o desktop ZappWM

Para saber mais sobre as características do programa e o que ele pode fazer, clique nesse link.

Instalando o desktop ZappWM no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o desktop ZappWM no Ubuntu, Debian e derivados faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Baixe o pacote DEB do ambiente com o comando:

wget -c http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/zappwm/zappwm_4.2_all.deb -O zappwm.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i zappwm.deb

Passo 4. Aparecerá uma mensagem de erro parecida com essa:

A seleccionar pacote anteriormente não seleccionado zappwm.
(Lendo banco de dados ... 235227 ficheiros e directórios actualmente instalados.)
Desempacotando zappwm (de zappwm_4.2_all.deb) ...
dpkg: problemas com dependências impedem a configuração de zappwm:
 zappwm depende de rox-filer; porém:
  Pacote rox-filer não está instalado.
 zappwm depende de fluxbox; porém:
  Pacote fluxbox não está instalado.
 zappwm depende de menu; porém:
  Pacote menu não está instalado.
 zappwm depende de pcmanfm; porém:
  Pacote pcmanfm não está instalado.

dpkg: erro ao processar zappwm (--install):
 problemas de dependência - deixando desconfigurado
Erros foram encontrados durante o processamento de:
 zappwm

Passo 5. para corrigir e terminar a instalação, use o comando:

sudo apt-get -f install -y

Acessando o ambiente ZappWM

Uma vez que a instalação estiver concluída, saia da sua sessão atual do Ubuntu.

Na tela de login, clique no ícone que fica no canto superior direito da tela de login Ubuntu (o circulo branco, próximo ao nome de usuário) e será mostrado um menu com todas as opções de ambientes de desktop atualmente instalados. A mais recente adição a esta lista será o ZappWM. Clique nesta opção e em seguida, coloque suas credenciais de login e confirme para entrar no novo ambiente.

Como instalar o desktop ZappWM no Ubuntu

Desinstalando o programa no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o ambiente, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove zappwm
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM

Se você quiser desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM, veja aqui como fazer isso.


Nem sempre a configuração padrão do gerenciador de login LightDM é a ideal para todo mundo. Dependendo da situação, você pode querer usar o LightDM sem a lista de usuários e a sessão de convidado.

Como desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM

Você pode ocultar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM por questões de segurança, porque há muitos usuários ou qualquer outra razão, entretanto, no primeiro caso, que você terá que inserir manualmente o seu nome de usuário e depois a senha.

Ciente disso, basta seguir as instruções abaixo para deixar a tela de login do LightDM como você realmente quer.

Como desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM

Para desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Caso ainda não exista, crie a pasta /etc/lightdm/lightdm.conf.d, usando o seguinte comando:

sudo mkdir -p /etc/lightdm/lightdm.conf.d

Passo 3. Caso a pasta e o arquivo de configuração já exista, crie uma cópia do arquivo /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf, usando o seguinte comando:

sudo cp /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf.bak

Passo 4. Crie um arquivo chamado 50-my-custom-config.conf dentro da pasta criada anteriormente, usando o comando abaixo:

sudo gedit /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf

Passo 5. Se quiser “apenas” ocultar a lista de usuário da tela de login LightDM, cole o comando abaixo no arquivo criado:

[SeatDefaults]
greeter-hide-users=true
greeter-show-manual-login=true

Passo 6. Se quiser “apenas” desativar a sessão de convidado no LightDM, cole o seguinte comando no arquivo criado:

[SeatDefaults]
allow-guest=false

Passo 6. Se você quiser esconder a lista de usuário da tela de login LightDM e também desativar a sessão de convidado, então cole o comando a seguir no arquivo criado:

[SeatDefaults]
greeter-hide-users=true
greeter-show-manual-login=true
allow-guest=false

Passo 7. Em seguida, salve e feche o arquivo;
Passo 8. Por fim, reinicie o sistema.

Como reverter as alterações feitas

Caso seja necessário, para reverter as alterações feitas seguindo as instruções acima, tudo que você precisa fazer é apagar o arquivo de configuração criado, usando o comando a seguir em um terminal e novamente, reinicie o sistema:

sudo rm /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf

Se precisar, volte o arquivo original com o comando:

sudo /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf.bak  /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf

Via WebUpd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Visualização e edição de dados EXIF: Instale e experimente o pyExifToolGUI

Quem trabalha com imagens, principalmente fotos de câmeras, sempre precisa fazer visualização e edição de dados EXIF. Se este é o seu caso, instale e experimente o pyExifToolGUI.


pyExifToolGUI é uma ferramenta de visualização e edição de dados EXIF, aquelas informações presente em nossas imagens digitais.

Visualização e edição de dados EXIF: Instale e experimente o pyExifToolGUI

Com esse software você pode visualizar e editar os dados EXIF e ainda usar uma série de características extras, como a ferramenta para renomear várias imagens de uma vez.

Escrito em Python com Qt, pyExifToolGUI é uma interface gráfica para para o utilitário ExifTool e inclui também alguns recursos úteis, como ferramentas para renomear rapidamente imagens.

O programa suporta todos os formatos (incluindo imagens RAW também) e é capaz de salvar as várias tags de EXIF e XMP, também permite que você processe os dados de uma ou mais imagens, incluindo também dados de GPS e suporte para geotagging.

pyExifToolGUI tem suporte para o Google Photosphere (gpano) e inclui ferramentas para alterar as datas das imagens com base na tag de data e hora.

Um ponto forte deste software é a capacidade de gravar os dados, copiados ou não de uma imagem de origem (imagem de referência), para várias imagens de uma só vez.

Conheça melhor a ferramenta de visualização e edição de dados EXIF pyExifToolGUI

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a ferramenta de visualização e edição de dados EXIF pyExifToolGUI no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o pyExifToolGUI no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Para descobrir a versão de sua distro, use o seguinte comando;

lsb_release -rs

Passo 3. Se seu sistema é um Ubuntu 12.04 ou compatível com ele, use o comando abaixo para baixar o pacote DEB:

wget -O pyexiftoolgui.deb http://ppa.launchpad.net/ferramroberto/lffl/ubuntu/pool/main/p/pyexiftoolgui/pyexiftoolgui_0.6-1~lffl~precise_all.deb

Passo 4. Se seu sistema é um Ubuntu 14.04 ou superior e compatível com a versão, use o comando abaixo para baixar o pacote DEB:

wget -O pyexiftoolgui.deb http://ppa.launchpad.net/ferramroberto/lffl/ubuntu/pool/main/p/pyexiftoolgui/pyexiftoolgui_0.6-1~lffl~trusty_all.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i pyexiftoolgui.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo7. Para evitar um erro na inicialização, crie a pasta do programa com o comando.

cd && mkdir .pyexiftoolgui

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pyexiftool no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Via lffl linux freedom

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o levíssimo visualizador de PDF MuPDF

Procurando uma opção para visualizar arquivos PDF, XPS e OpenXPS? Experimente instalar e usar levíssimo visualizador de PDF MuPDF.


MuPDF é um visualizador de PDF leve e um toolkit escrito em C portátil, que também lê arquivos nos formtatos XPS, OpenXPS e documentos EPUB. Multiplataforma, ele possui versões para Windows, Android e Linux.

Como instalar o levíssimo visualizador de PDF MuPDF

O renderizador do MuPDF é adaptado para gráficos anti-aliasing (suavização de serrilhado) de alta qualidade. Ele processa o texto com espaçamento e métricas de precisão de frações de um pixel, para obter a mais alta fidelidade na reprodução da aparência de uma página impressa na tela.

O aplicativo foi atualizado recentemente. Por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o visualizador de PDF MuPDF

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais sobre a última versão do programa, clique nesse link.

Quem quiser instalar o programa no Android e outros sistema, deve acessa a página oficial de download.

Como instalar o visualizador de PDF MuPDF no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o visualizador de PDF MuPDF no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install mupdf mupdf-tools

Como instalar o visualizador de PDF MuPDF manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite mupdf no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o visualizador de PDF MuPDF no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o visualizador de PDF MuPDF no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove mupdf mupdf-tools
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

Se você vive alternando constantemente entre alto-falantes, fones de ouvido e som HDMI, experimente instalar o Sound Switcher Indicator no Ubuntu para simplificar sua vida.


Sound Switcher Indicator é um AppIndicator seletor de entrada/saída de som do Ubuntu. Ele permite mudar a entrada de som atual e de saída, bem como a porta de saída específica com apenas dois cliques.

Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

Com ele, você pode, por exemplo, alternar entre fones de ouvido, alto-falantes e saída de som HDMI, com apenas dois cliques. Ou simplesmente alternar entre vários dispositivos de som, sem ter que ir nas opções de som das “Configurações do Sistema”.

Os recursos fornecidos pelo Sound Switcher Indicator não são algo que esteja faltando no Ubuntu, mas esta ferramenta torna muito mais fácil para aqueles que mudam constantemente entre alto-falantes, fones de ouvido e som HDMI por exemplo, e por conta disso, deve ser muito útil para alguns usuários do Ubuntu.

Conheça melhor o Sound Switcher Indicator

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

Instalando o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

Para instalar o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo apt-add-repository ppa:yktooo/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install indicator-sound-switcher

Passo 5. Saia da sessão atual e quando fizer login, o indicador já estará no painel.

Como instalar o Sound Switcher Indicator manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Iniciando o Sound Switcher Indicator

Normalmente você só precisa encerrar a sessão atual e fazer login novamente, para que o programa seja iniciado. Caso o Sound Switcher Indicator não inicie automaticamente quando você fizer login, siga os passos desse tutorial e em “Nome”, digite “Sound Switcher Indicator” e em “Commando”, use: “indicator-sound-switcher”.

Desinstalando o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-add-repository ppa:yktooo/ppa -r
sudo apt-get remove indicator-sound-switcher
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

21 de setembro de 2016

Conversor de áudio: veja como instalar o fre:ac no Linux

Procurando um bom conversor de áudio para seu sistema? Então veja como instalar o fre:ac no Linux e resolva seu problema.


fre:ac é um conversor de áudio e também CD Ripper de código aberto. Além de ser gratuito, ele suporta vários formatos de áudio e codificadores, e também está disponível em vários idiomas. Com fre:ac você pode converter entre muitos formatos de som como MP3, MP4, M4A, WMA, Ogg Vorbis, FLAC e AAC.

Conversor de áudio: veja como instalar o fre:ac no Linux

O aplicativo é portátil e pode ser instalado em qualquer mídia de armazenamento externo (unidade flash USB). Neste tutorial você verá como instalar e executar o aplicativo em qualquer distribuição Linux.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o conversor de áudio fre:ac

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o conversor de áudio fre:ac no Linux

Para instalar o conversor de áudio fre:ac no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 5. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/freac*
sudo rm -Rf /usr/bin/freac
sudo rm -Rf /usr/share/applications/freac.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome freac.tar.gz:

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/bonkenc/snapshots/20151122/freac-20151122-linux.tar.gz -O freac.tar.gz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome freac.tar.gz:

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/bonkenc/snapshots/20151122/freac-20151122-linux-x64.tar.gz -O freac.tar.gz

Passo 6. Execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar -zxvf  freac.tar.gz -C /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/freac*/ /opt/freac

Passo 8. Adicione as bibliotecas do programa no sistema;

sudo ldconfig /opt/freac/

Passo 9. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/freac/freac /usr/bin/freac

Passo 10. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=freac\n Exec=/opt/freac/freac\n Icon=/opt/freac/icons/freac.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/freac.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite freac no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/freac.desktop
cp /usr/share/applications/freac.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/freac.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como remover o freac no Linux

Para remover o freac no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento anterior.

Via Up Ubuntu

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Tails 2.6 já está disponível para download! Baixe agora!

Saiu mais uma atualização da distribuição que te permite navegar anonimamente: Tails 2.6. Conheça mais um pouco sobre ela e descubra onde baixar a distro.


Tails ou The Amnesic Incognito Live System é uma distro que roda em modo live (através de um pendrive USB, cartão SD ou DVD) e não deixa rastros quando você se comunica pela internet, pois o sistema encripta tudo que for possível, usando ferramentas de criptografia para embaralhar as informações de seus arquivos, e-mails e mensagens instantâneas.

Tails 2.6 já está disponível para download

A distro é baseada no Debian 8, e usa o ambiente desktop GNOME Shell, em seu modo Classic. O modo Classic mantém as aplicações tradicionais, menu Locais e lista de janelas, com isso, ele fornece uma substituição moderna (e ativamente desenvolvida) para o envelhecido GNOME “Flashback”. GNOME Shell também abre o caminho para um melhor suporte a dispositivos touchscreen no futuro.

O objetivo principal dessa distribuição é preservar a sua privacidade e anonimato, para ajudá-lo a usar a Internet de forma anônima e se necessário, burlar a censura. Nelas, todas as conexões à Internet são forçados a passar pela rede Tor. Assim, não fica nenhum rastro no computador que você está usando, a menos claro, que você peça isso explicitamente.

Novidades da distribuição Tails 2.6

Tails 2.6, inclui recursos de segurança como randomização de endereço de memória e maior entropia para a geração de números aleatórios.

Nessa versão, foi habilitado o address space layout randomization no kernel do Linux (kASLR) para melhorar a proteção contra ataques de estouro de buffer e o rngd, para melhorar a entropia de números aleatórios gerados em computadores que têm um hardware gerador de números aleatórios.

Além disso, um problema com a criação de contas do Gmail foi corrigido, a opção “desativar todas as redes” foi melhorada, o software Tor foi atualizado para a versão 0.2.8.7 e o navegador Tor foi atualizado para a versão 6.0.5.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse o changelog.

Conheça melhor a distribuição Tails

Para saber mais sobre a distribuição Tails, clique nesse link.

A imagem ISO do Tails 2.6 já pode ser baixada acessando o link abaixo:
Tails 2.6

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu

Se você possui uma webcam e precisa de um programa para capturar ou simplesmente visualizar a imagem dela, experimente instalar o visualizador de webcam Guvcview para usar nessa tarefa.


Guvcview é uma ferramenta de captura de vídeo para câmeras suportados pelo UVC Linux Driver, embora também pode ser que funcione com qualquer dispositivo compatível com v4l2.

Como instalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu

O programa fornece imagens nos formatos jpg, png, bmp; vídeos nos formato MJPEG, FLV1, WMV1, mpg2, mpg4, VP8, Ogg Theora e sons nos formatos mp3, acc, avi e matroska.

Você também pode usar Guvcview como apenas uma janela de controle (no terminal, use: guvcview --control_only), o que permite o controle da imagem em outros aplicativos, como o Ekiga, Cheese, mplayer, Skype, etc.

Conheça melhor o visualizador de webcam Guvcview

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu e seus derivados via repositório

Para instalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:pj-assis/testing

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install guvcview

Instalando o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o Guvcview no Ubuntu, Debian e derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressione as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe as últimas versões do guvcview e libguvcview, e salve-os com o nome guvcview.deb e libguvcview.deb:

wget http://nbtelecom.dl.sourceforge.net/project/guvcview/debian-bin/guvcview_2.0.2%2Bubuntu1_ppa1_i386.deb -O guvcview.deb
wget http://nbtelecom.dl.sourceforge.net/project/guvcview/debian-bin/libguvcview-1.1-0_2.0.2%2Bubuntu1_ppa1_i386.deb -O libguvcview.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe as últimas versões do guvcview e libguvcview, e salve-os com o nome guvcview.deb e libguvcview.deb:

wget http://nbtelecom.dl.sourceforge.net/project/guvcview/debian-bin/guvcview_2.0.2%2Bubuntu1_ppa1_amd64.deb -O guvcview.deb
wget http://nbtelecom.dl.sourceforge.net/project/guvcview/debian-bin/libguvcview-1.1-0_2.0.2%2Bubuntu1_ppa1_amd64.deb -O libguvcview.deb

Passo 5. Agora instale o programa libguvcview com o comando:

sudo dpkg -i libguvcview.deb

Passo 6. Instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Agora instale o programa Guvcview com o comando:

sudo dpkg -i guvcview.deb

Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite guvcview no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o visualizador de webcam Guvcview no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove guvcview libguvcview
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale e experimente o jogo 0 A.D. no Ubuntu

O jogo 0 A.D., um dos melhores games de estratégia em tempo real de código aberto, está em constante atualização. Se você quiser testar a última versão do game, veja aqui como instalar ele no Ubuntu.


O jogo 0 A.D. é um game de estratégia em tempo real (RTS) de guerra antiga, baseado na história da humanidade, que apresenta várias civilizações antigas no seu auge e permite aos jogadores reviver ou reescrever a história dessas doze civilizações antigas.

Instale e experimente o jogo 0 A.D. no Ubuntu

Disponível para Linux, Windows e Mac OS X, o jogo é desenvolvido pela Wildfire Games, apresenta excelente som e gráficos e tem funcionalidade single-player e multi-player.

Instale e experimente o jogo 0 A.D. no Ubuntu

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Para as novidades da última versão, acessando a nota de lançamento.

Se quiser conhecer melhor essa versão, assista o vídeo abaixo:

Conheça melhor o jogo de estratégia jogo 0 A.D.

Para saber mais sobre o jogo 0 A.D., clique nesse link.

Como instalar o jogo 0 A.D. no Ubuntu e seus derivados

O jogo 0 A.D. está disponível no repositório oficial do Debian, Ubuntu e derivados, no entanto, se você quiser jogar a versão mais recente e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:wfg/0ad

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install 0ad

Para ver o procedimento de instalação, assista o vídeo abaixo:

Como instalar o jogo de estratégia 0 A.D. manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada, você pode pegar os arquivo de instalação programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite 0ad no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o jogo 0 A.D. no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o jogo 0 A.D. no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o jogo, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:wfg/0ad --remove
sudo apt-get remove 0ad
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

Se você pretende largar o Photoshop e começar a usar o GIMP, existe um novo projeto que pode lhe ajudar nisso. Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop.


Todos sabemos que o GIMP é um programa com recursos poderosos e que rivalizam com muitas ferramentas proprietárias. No entanto, como se trata de um programa diferente, é natural que a maneira de trabalhar com ele também seja diferente do popular Adobe Photoshop. Isso infelizmente, afasta alguns usuários que não podem “perder tempo aprendendo” uma nova ferramenta.

Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

Para ajudar a diminuir a curva de aprendizado do Gimp, o Dionatan do site Diolinux lançou o projeto PhotoGIMP, que é um patch que você pode aplicar no GIMP 2.8, tanto para Linux, quanto para Windows. O objetivo do projeto é deixar o GIMP o mais parecido possível com o Photoshop e torná-lo uma opção viável para iniciantes e para avançados.

Este Patch adiciona as seguintes características.
Visual semelhante ao do Photoshop;
Recursos adicionais como vários novos Brushes e filtros do Instagram;

Mais sobre o GIMP

Quer mais dicas sobre o Gimp? Assita esse vídeo:

Conheça melhor o PhotoGIMP

Se você quiser saber mais sobre esse importante recurso, acesse esse link. Na página você verá mais detalhes e até com instalar no GIMP.

Para ter um ideia de como fica o GIMP, dê uma olhada nessa imagens publicadas pelo Dionatan:

Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu

Emuladores de games existem aos montes, mas esse se destaca por rodar jogos comerciais de GameCube e Wii. Conheça e veja como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu.


Dolphin é um emulador open-source de Nintendo GameCube, Wii e Triforce que tem versões para Linux, Microsoft Windows e Mac OS X (Intel).
Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu
Ele é o primeiro emulador a executar com êxito jogos comerciais de GameCube e Wii, além de ser o único emulador capaz de rodar jogos comerciais do Wii. Seu nome é uma referência para o Nintendo Dolphin, que foi o codinome para o GameCube.

A maioria dos jogos funcionam perfeitamente ou com pequenos bugs. Além disso, os jogos são reproduzidos com qualidade HD, até 1080p. Inclusive, esta é uma característica marcante que o GameCube real e Wii não são capazes de fazer.
Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu
Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu
Acima de tudo, Dolphin é um projeto conduzido pela comunidade com os desenvolvedores de todo o mundo que trabalham em conjunto para trazer este incrível software de alta qualidade com características marcantes. Como resultado, o programa é desenvolvido ativamente e quase todos os dias novas funcionalidades são adicionadas e bugs corrigidos também.

Conheça melhor o emulador de jogos Dolphin

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para ver o emulador em ação, acesse essa página que contém diversas demos em vídeo.
Se quiser ver o emulador em ação, assista o vídeo abaixo:

Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Descubra qual a versão do Ubuntu que você está usando, executando este comando:

lsb_release -rs

Passo 3. Se seu Ubuntu for o 12.04 ou 14.04, use o comando abaixo para adicionar um repositório que instalará a versão atualizada da libstdc++6 (uma dependência do emulador) ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:dolphin-emu/gcc-for-dolphin

Passo 4. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:dolphin-emu/ppa

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa (disponível para Ubuntu 12.04,1.04,14.10,15.04 e 15.10);

sudo apt-get install dolphin-emu

Passo 7. Se preferir, use o comando abaixo para instalar a versão de desenvolvimento do programa (disponível para Ubuntu 12.04,1.04,14.10,15.04, 15.10, 16.04 e 16.10);

sudo apt-get install dolphin-emu-master

Como instalar o emulador de jogos Dolphin manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite dolphin no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove dolphin-emu
sudo apt-get autoremove

Passo 3. Desinstale a versão de desenvolvimento do programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get install dolphin-emu-master
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Instale traGtor: uma interface gráfica para o ffmpeg

Procurando uma interface gráfica para o ffmpeg no Linux? Então experimente instalar o traGtor no Debian, Ubuntu e derivados.


Embora seja muito poderoso, o ffmpeg tem muitas opções e parâmetros. Tanto é, que boa parte das ferramentas gráficas de conversão de arquivos multimídia existentes, usam ele na hora de trabalhar. O problema é que a maioria dessas ferramentas são para Windows. Por isso, se você procura uma ferramenta semelhante para Linux, talvez o traGtor seja a solução.

Instale traGtor: uma interface gráfica para o ffmpeg

traGtor é uma interface gráfica para o ffmpeg escrita em Python e que usa o GTK-Engine (padrão em desktops GNOME) para exibir sua interface.

O objetivo do traGtor não é trazer todos os recursos oferecidos pelo ffmpeg, mas ser uma ferramenta rápida e a melhor escolha quando o usuários precisar de um aplicativo amigável, para converter um único arquivo de mídia em qualquer outro formato.

O traGtor foi escrito para não lidar muito com linhas de comando, opções e parâmetros e assim por diante. Mas aqueles que querem poder controlar cada detalhe, o programa permite editar a linha de comando que será enviada ao ffmpeg e assim atender todas as suas necessidades.

Contudo, para esses casos, ferramentas orientadas a linha de comando poderiam ser uma escolha melhor.

Mas se você precisa de uma ferramenta que basta clicar para extrair um mp3 de um filme youtube, fazer redimensionamento e recodificar um clipe para a tela do seu celular ou apenas mudar o formato de um arquivo de filme para ser capaz de reproduzi-lo em um flash media player, traGor é a ferramenta certa para você.

Conheça melhor o traGtor

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a interface gráfica para o ffmpeg traGtor no Ubuntu, Debian e seus derivados

Para instalar a interface gráfica para o ffmpeg traGtor no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

wget -q -O - http://repository.mein-neues-blog.de:9000/PublicKey | sudo apt-key add -

Passo 3. Adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

echo "deb http://repository.mein-neues-blog.de:9000/ /" | sudo tee -a /etc/apt/sources.list

Passo 4. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

 sudo apt-get install tragtor

Como instalar a interface gráfica para o ffmpeg traGtor manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite tragtor no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Traduzindo a interface do traGtor para nossa língua

Se o programa ficar com a interface em Inglês, clique na aba “Configurações” e no campo “Escolha sua linguagem”, selecione “Brasil”.

Instale traGtor: uma interface gráfica para o ffmpeg

Desinstalando a interface gráfica para o ffmpeg traGtor no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a interface gráfica para o ffmpeg traGtor no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove tragtor
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Organizador de PDF – instale o Great Little Book Shelf para gerenciar seus PDF´s

Procurando um organizador de PDF, no mesmo estilo visual do iBooks da Apple? Então experimente instalar o Great Little Book Shelf para gerenciar seus PDF´s no Linux.


Great Little Book Shelf é uma ferramenta de código aberto para gerenciamento e organização de PDF que ainda está em desenvolvimento. Diferente do Calibre, ele é focado apenas em PDF, não em eBook. Ele tem inspiração de app iBooks da Apple e fornece uma interface simples e ao mesmo tempo elegante, para que você possa categorizar seus PDFs como quiser e ler eles dentro da própria aplicação.
Organizador de PDF - instale o Great Little Book Shelf para gerenciar seus PDF´s
Organizador de PDF - instale o Great Little Book Shelf para gerenciar seus PDF´s
Organizador de PDF - instale o Great Little Book Shelf para gerenciar seus PDF´s

Conheça melhor o organizador de pdf Great Little Book Shelf

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Antes de instalar o programa, é importante estar ciente de que essa ainda é uma versão em desenvolvimento e portanto, com alguns bugs.

Instalando o organizador de PDF Great Little Book Shelf em sistemas que suportem o formato DEB

Para instalar o organizador de PDF Great Little Book Shelf no Debian, Ubuntu e sistemas que suportem o formato DEB, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão (DEB) e salve-o com o nome glbs.deb:

wget -O glbs.deb http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/greatlittlebookshelf/1.5.0%20BETA/glbs-beta-1.5-trusty-i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão (DEB) e salve-o com o nome glbs.deb:

wget -O glbs.deb http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/greatlittlebookshelf/1.5.0%20BETA/glbs-beta-1.5-trusty-amd64.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i glbs.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove glbs*

Instalando o organizador de PDF Great Little Book Shelf em sistemas que suportem o formato RPM

Para instalar o organizador de PDF Great Little Book Shelf no Fedora, OpenSUSE, CentOS e sistemas que suportem o formato RPM, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão (RPM) e salve-o com o nome glbs.rpm:

wget -O glbs.rpm http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/greatlittlebookshelf/1.5.0%20BETA/greatlittlebookshelf-1.5.0-2.i386.rpm

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão (RPM) e salve-o com o nome glbs.rpm:

wget -O glbs.rpm http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/greatlittlebookshelf/1.5.0%20BETA/greatlittlebookshelf-1.5.0-2.x86_64.rpm

Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall glbs.rpm

Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install glbs.rpm

Passo 7. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi glbs.rpm

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite glbs em um terminal, seguido da tecla TAB.
Depois de instalar o Great Little Book Shelf quando você executá-lo pela primeira vez, irá encontrar um livro Tutorial nele que o orienta sobre como usar este aplicativo.
Organizador de PDF - instale o Great Little Book Shelf para gerenciar seus PDF´s
Via It’s F.O.S.S.

O que está sendo falado no blog hoje

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.

[bjd-responsive-iframe src=”http://www.edivaldobrito.com.br/quer-mais-informacoes-e-dicas.html” scrolling=”yes”]


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Já mostrei como instalar esse aplicativo no Ubuntu e Fedora e hoje como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente.


Se você está a procura de uma alternativa ao WhatsApp e outros comunicadores, experimente usar o Telegram no Linux.

Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Telegram é um serviço de mensagens criptografadas baseado em nuvem, rápido e que permite que você compartilhe dados ilimitados. Ao contrário do WhatsApp, Telegram é focado na segurança, velocidade e no respeito a privacidade do usuário.

Com ele você pode enviar mensagens, fotos, vídeos e arquivos de qualquer tipo (doc, zip, mp3, etc) para pessoas que estão em seus contatos de telefone e têm Telegram. Você também pode criar grupos de até 200 pessoas.

O melhor é que você pode fazer tudo isso em qualquer número dos seus dispositivos, seja ele um dispositivo móvel ou um desktop.

Para aqueles usuários interessados em obter o máximo de privacidade, Telegram oferece Secret Chats, com criptografia end-to-end para garantir que a mensagem só possa ser lida pelo seu destinatário.

Quando se trata de desse recurso, nada é registrado nos servidores do serviço e você pode programar automaticamente as mensagens para a autodestruição em ambos os dispositivos, dessa forma, nunca haverá qualquer registro delas.

O serviço possui um cliente para todos os principais sistemas operacionais móveis (iOS, Android e Windows Phone). Ele também tem uma versão desktop para Windows e Mac, além de um cliente oficial Telegram no Linux. Neste artigo, veremos como instalar Telegram oficial em qualquer distribuição Linux.

Esse tutorial utiliza um procedimento de instalação manual que funciona na maioria das distribuições Linux. Se você prefere instalar usando pacotes e repositórios, veja esse outro tutorial:
Telegram no Ubuntu e Fedora: como instalar a versão oficial via repositório

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o cliente Telegram

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Para instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/telegram*
sudo rm -Rf /usr/bin/telegram
sudo rm -Rf /usr/share/applications/telegram.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome telegram.tar.xz:

wget "https://telegram.org/dl/desktop/linux32" -O telegram.tar.xz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome telegram.tar.xz:

wget "https://telegram.org/dl/desktop/linux" -O telegram.tar.xz

Passo 6. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar Jxf telegram.tar.xz -C /opt/

Passo 7. Se for necessário, renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/Telegram*/ /opt/telegram

Passo 8. Caso queira, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando:

sudo ln -sf /opt/telegram/Telegram /usr/bin/telegram

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=Telegram\n Exec=/opt/telegram/Telegram\n Icon=Telegram\n Type=Application\n Categories=Application;Network;' | sudo tee /usr/share/applications/telegram.desktop

Pronto! Agora você já tem o cliente oficial do Telegram no linux, quando quiser iniciar o programa, digite telegram no Dash do Ubuntu ou em um terminal (seguido da tecla TAB), em todas as distribuições.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/telegram.desktop
cp /usr/share/applications/telegram.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/telegram.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como deixar a interface do Telegram em Português do Brasil

Caso o programa inicie com em inglês, para deixar a interface do Telegram em Português do Brasil, faça o seguinte;
Passo 1. Na tela do programa, clique na opção “Settings”;
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Passo 2. Em “Settings”, clique em “Change language”;
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Passo 3. No menu que aparece, marque a opção “Português (Brasil)”;
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Passo 4. feito isso, aparecerá uma pequena tela pedindo para reiniciar o programa e aplicar a mudança. Confirme clicando no botão “OK”.
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Como remover o programa no Linux

Para remover o programa no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento anterior.

Via It’s F.O.S.S.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

20 de setembro de 2016

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Quer passar o dia relaxando? Então que tal um bom e nostálgico jogo? Melhor que tal jogar 2048 no terminal do Linux? Ficou curioso? Veja a seguir, como fazer isso.


2048 é um jogo nostálgico. Mesmo que na era dos smartphones, os jogos de terminais tenham perdido sua glória (se é que já tiveram isso), ainda existem muitas pessoas que gostam desse tipo de jogo.

Ok! Eu sei que é um tipo de jogo que está meio fora de moda, mas isso não é desculpa para não tentar jogar.

Além disso, esta versão do 2048 para o terminal do Linux é tão boa, que você certamente ficará disposto a lhe dar uma chance, mesmo que você ache que terminal é sinônimo de trabalho sem diversão.

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Caso você não goste tanto de jogos, mas curta programação, dê uma olhada no script, pois ele é um bom exemplo dessa arte.

Conheça melhor o jogo 2048

A ideia do jogo 2048 é muito simples: juntar os blocos para formar um no valor de 2048. Entretanto, não é tão fácil fazer isso.

É necessário usar o raciocínio para movimentar os blocos da melhor maneira possível e atingir o objetivo antes que você fique sem movimentos. Use as setas do teclado para movimentar os blocos.
Para saber mais sobre esse aplicativo, clique nesse link.

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Para instalar e jogar 2048 no terminal do Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Baixe o programa com o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o no seu PC:

wget https://raw.githubusercontent.com/mydzor/bash2048/master/bash2048.sh

Passo 3. Depois de baixar, torne o script executável com o comando abaixo;

chmod +x bash2048.sh 

Passo 4. Agora, execute o jogo com, chamando o script;

./bash2048.sh

Pronto! Divirta-se e relaxe com esse simples jogo, mas cuidado para não ficar viciado. 🙂

Via It’s F.O.S.S.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como atualizar o Firefox para a última versão no Ubuntu e derivados

Se você ainda não está usando última versão do navegador da Mozilla, veja aqui com fazer para atualizar o Firefox no Ubuntu e derivados.


A última versão do Firefox geralmente fica disponível como uma atualização de segurança em todas as versões suportadas do Ubuntu, depois de algumas horas do anúncio da Mozilla.

Como atualizar o Firefox para a última versão no Ubuntu e derivados

Se você usa outra distribuição e quer simplesmente usar a versão mais recente do Firefox, basta dar uma olhada nesse tutorial:
Firefox no Linux: veja como instalar manualmente
Já se você usa o Ubuntu ou um derivado dele e atualizou o sistema, e a nova versão não apareceu, siga os passos deste tutorial e resolva seu problema.

Conheça melhor o Firefox

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais sobre as novidades dessa versão, clique nesse link.

Como atualizar o Firefox no Ubuntu e derivados

Para atualizar o Firefox e instalar a versão mais recente do navegador no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Certifique-se de que o repositório de atualizações recomendadas está habilitado. Para fazer isso, abra as “Configurações do sistema” e depois clique no item a opção “Programas e atualizações”. Quando aparecer a tela, vá para a aba “Atualizações” e veja se o item repositório de atualizações recomendadas está habilitado. Se não estiver, marque o item;
Como atualizar o Firefox para a última versão no Ubuntu e derivados
Passo 2. Para executar o atualizador do sistema, clique no Dash e digite: update
Passo 3. Clique no ícone do atualizador e espere ele receber as informações de atualização;
Passo 4. Confirme a atualização clicando em “Instalar agora” e espere até finalizar.
Como atualizar o Firefox para a última versão no Ubuntu e derivados

Se tudo correu bem, no final do processo, seu Firefox estará com a última versão instalada.

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.7.4

Greg Kroah-Hartman anunciou o lançamento e disponibilidade da quarta atualização da série 4.7, o kernel 4.7.4. Se você quiser atualizar seu sistema para essa nova versão, veja abaixo como fazer isso.


O Linux Kernel 4.7.4 traz uma correção de erro para arquiteturas de hardware x86, drivers atualizados para GPU VC4 e Radeon, uma pilha de som melhorada com melhorias para FireWire e várias melhorias para os sistemas de arquivos OverlayFS, EXT4, UBIFS e XFS. A pilha de rede foi atualizada, mas apenas para corrigir alguns problemas com o protocolo SunRPC.

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.7.4

Para ver todas as mudanças presentes nesse kernel, acesse a nota de lançamento.

Atualizar ou não atualizar! Eis a questão

Essa série é voltada principalmente para os usuários que querem ter no seu sistema, a última versão do kernel Linux. Ela também serve para as pessoas que estão tendo problemas em algum hardware ou no reconhecimento deste e estão na expectativa de alguma correção.

Independente disso, o procedimento a seguir é muito simples e pode ser desfeito com poucos comandos, conforme mostrado no final. Na verdade, se o usuário quiser continuar dando boot pelo kernel anterior, basta apenas escolher a opção no menu do Grub e o novo kernel nem afetará seu sistema.

É 100% seguro? Nada é, mas é exatamente por isso que você deve escolher se irá ou não atualizar (e por isso coloco sempre a mensagem de alerta no texto), pois assim como no uso do software livre/open source, a liberdade de escolha é sua.

Antes de iniciar começar a atualizar o kernel do Ubuntu, saiba que este é um procedimento, que apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

Se preferir, é possível fazer a atualização para esse kernel usando a ferramenta Kernel Update, que automatiza todo o processo, conforme mostrado nesse tutorial:
Como atualizar o kernel do Ubuntu com o Kernel Update

Mas quem quiser executar e ver cada etapa da atualização, basta seguir o procedimento abaixo:

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.7.4

Para atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.7.4, faça o seguinte
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema acessando as Configurações do Sistema e a opção “Detalhes” ou usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se estiver usando um sistema de 32 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-headers-4.7.4-040704_4.7.4-040704.201609150330_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-headers-4.7.4-040704-generic_4.7.4-040704.201609150330_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-image-4.7.4-040704-generic_4.7.4-040704.201609150330_i386.deb

Passo 4. Se estiver usando um sistema de 32 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-headers-4.7.4-040704_4.7.4-040704.201609150330_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-headers-4.7.4-040704-lowlatency_4.7.4-040704.201609150330_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-image-4.7.4-040704-lowlatency_4.7.4-040704.201609150330_i386.deb

Passo 5. Se estiver usando um sistema de 64 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-headers-4.7.4-040704_4.7.4-040704.201609150330_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-headers-4.7.4-040704-generic_4.7.4-040704.201609150330_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-image-4.7.4-040704-generic_4.7.4-040704.201609150330_amd64.deb

Passo 6. Se estiver usando um sistema de 64 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-headers-4.7.4-040704_4.7.4-040704.201609150330_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-headers-4.7.4-040704-lowlatency_4.7.4-040704.201609150330_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.4/linux-image-4.7.4-040704-lowlatency_4.7.4-040704.201609150330_amd64.deb

Passo 7. Instale o kernel com o comando:

sudo dpkg -i linux-headers-4.7.4*.deb linux-image-4.7.4*.deb

Passo 8. Reinicie o sistema com o comando abaixo:

sudo reboot

Passo 9. Se você tiver algum problema e quiser desinstalar o kernel 4.7.4, reinicie o computador com um kernel anterior (usando Grub -> Advanced -> select previous kernel) e quando iniciar o sistema, faça login, abra um terminal e execute o comando abaixo para remover o Linux Kernel 4.7.4:

sudo apt-get remove linux-headers-4.7.4 linux-image-4.7.4

Passo 10. Finalmente atualize o menu do GRUB, com o comando:

sudo update-grub

Nota: Todos os drivers que não fazem parte da principal árvore do kernel (o que obviamente inclui drivers proprietários) devem ser recompilados para novas versões do kernel.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Exportar para PDF: como instalar o GScan2PDF no Ubuntu

Está precisando digitalizar documentos e quer exportar para PDF? Use um scanner e o gscan2pdf e transforme todos eles em arquivos nesse formato, de um jeito simples e rápido.
exportar para pdf com gscan2pdf
GScan2PDF é uma interface gráfica para facilitar o processo de produção de PDFs a partir de documentos digitalizados. Com o programa você pode digitalizar páginas e exportar para PDFs. O usuário pode exportar scans um por um, em arquivos PDF separados, ou cria um PDF das páginas selecionadas.

No programa, a digitalização é feita com SANE através do scanimage, a conversão de PDF é feito por PDF::API2, e a exportação para TIFF é tratada pela libtiff (Para ter rapidez e menor uso de memória para arquivos com várias páginas).
exportar para pdf GSCAN2PDF

Suporte a scanner no Linux

Muitos scanners já são suportados pelo Linux, mas se você precisar de tutoriais sobre o suporte a esse tipo de dispositivo no sistema, consulte a lista abaixo:

Conheça melhor o GScan2PDF

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais sobre a última versão do programa, clique nesse link.

Instalando o GScan2PDF no Ubuntu e derivados para digitalizar documentos e exportar para PDF

Para instalar o GScan2PDF no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:jeffreyratcliffe/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo:

sudo apt-get install gscan2pdf

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite gscan2pdf no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB). Depois, você já pode começar a digitalizar documentos e exportar para PDF, sempre que precisar.

Como instalar o GScan2PDF manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Desinstalando o GScan2PDF no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o GScan2PDF no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove gscan2pdf
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog hoje

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o Player Quod Libet no Linux

Se o que faltava no seu sistema era um reprodutor de áudio robusto e com bons recursos de pesquisa, sua busca acabou. Veja a seguir como instalar o Player Quod Libet no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e sistemas derivados deles.


Quod Libet é um áudio player GTK+ de código aberto escrito em Python, que usa a biblioteca de marcação Mutagen, sendo capaz de lidar com grandes bibliotecas.

Como instalar o Player Quod Libet no Linux

Esse reprodutor foi projetado em torno da ideia de que você sabe como organizar a sua música melhor do que os produtores do software.

Com ele você cria playlists baseadas em expressões regulares (não se preocupe, pesquisas regulares também funcionam). Para completar, ele permite que você exiba e edite todas as tags que você quer no arquivo, para todos os formatos de arquivo que ele suporta.

Ele também suporta a maioria das características que você esperaria de um moderno media player: suporte a Unicode, edição de tag avançado, Replay Gain, podcasts e rádio pela internet, suporte a arte do álbum e a todos os principais formatos de áudio.

Conheça melhor o Player Quod Libet

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais sobre a versão mais recente, acesse o changelog oficial.

Como instalar o Player Quod Libet no Linux Ubuntu e seus derivados

Quod Libet está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install quodlibet exfalso. No entanto, para instalar a última versão do programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:lazka/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install quodlibet exfalso

Passo 5. Se for preciso desinstalar o programa depois de um tempo, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove quodlibet exfalso

Como instalar o Player Quod Libet no Linux Debian e seus derivados

Para instalar o Player Quod Libet no Linux Debian e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Torne-se superusuário com o comando:

su -

Passo 3. Adicione o repositório do programa usando este comando;

echo "deb http://lazka.github.io/ql-debian/stable/ quodlibet-stable/" | tee /etc/apt/sources.list

Passo 4. Adicione a chave do repositório;

sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 5A62D0CAB6264964

Passo 5. Atualize o Apt;

apt-get update

Passo 6. Agora instale o programa com o seguinte comando:

sudo apt-get install quodlibet

Passo 7. Se for preciso desinstalar o programa depois de um tempo, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove quodlibet

Como instalar o Player Quod Libet manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Como instalar o Player Quod Libet no Linux Fedora 20, 21, 22 e sistemas derivados

Para instalar o Player Quod Libet no Linux Fedora 20, 21, 22 e sistemas derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se estiver usando o Fedora 20 ou um derivado dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:lazka0:ql-stable/Fedora_20/home:lazka0:ql-stable.repo -O /etc/yum.repos.d/home:lazka0:ql-stable.repo

Passo 3. Se estiver usando o Fedora 21 ou um derivado dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:lazka0:ql-stable/Fedora_21/home:lazka0:ql-stable.repo -O /etc/yum.repos.d/home:lazka0:ql-stable.repo

Passo 4. Se estiver usando o Fedora 22 ou um derivado dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:lazka0:ql-stable/Fedora_22/home:lazka0:ql-stable.repo -O /etc/yum.repos.d/home:lazka0:ql-stable.repo

Passo 5. Se estiver usando o Fedora 23 ou um derivado dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:lazka0:ql-stable/Fedora_23/home:lazka0:ql-stable.repo -O /etc/yum.repos.d/home:lazka0:ql-stable.repo

Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo yum update

Passo 7. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo yum install quodlibet

ou

sudo dnf install quodlibet

Passo 8. Se precisar desinstalar o programa depois de um tempo, use o comando abaixo;

sudo yum remove quodlibet

ou

sudo dnf remove quodlibet

ou

sudo rpm -e quodlibet

Como instalar o Player Quod Libet no Linux OpenSUSE e sistemas derivados

Para instalar o Player Quod Libet no Linux OpenSUSE e sistemas derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se você estiver usando o openSUSE 13.1, adicione o repositório do programa com este comando:

wget http://download.opensuse.org/repositories/home:/lazka0:/ql-stable/openSUSE_13.1/home:lazka0:ql-stable.repo -O /etc/zypp/repos.d/home:lazka0:ql-stable.repo

Passo 3. Se você estiver usando o openSUSE 13.2, adicione o repositório do programa com este comando:

wget http://download.opensuse.org/repositories/home:/lazka0:/ql-stable/openSUSE_13.2/home:lazka0:ql-stable.repo -O /etc/zypp/repos.d/home:lazka0:ql-stable.repo

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo zypper refresh

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo zypper install quodlibet

Passo 6. Caso precise desinstalar o programa depois de um tempo, use o comando abaixo;

sudo zypper remove quodlibet

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite quodlibet em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

Que dar uma mudada no visual do seu desktop e deixá-lo bem mais bonito? Experimente instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados.


O iLinux é um conjunto de ícones que traz ícones bem desenhados e elegantes. Ele tem mais de 18 mil ícones diferentes e pode ser instalado no Ubuntu e seus derivados, bem como no Debian.

Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

Ficou curioso? Então veja algumas imagens para ver como fica

Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

Conheça melhor os ícones iLinux

Para saber mais sobre os ícones iLinux, clique nesse link.

Instalando os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

Para instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons2

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o conjunto de ícones com o comando abaixo:

sudo apt-get install ilinux-icons

Como instalar os ícones iLinux manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

Para desinstalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove ilinux-icons

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale e use o Flacon para extrair faixas de áudio

Se você está precisando extrair faixas de áudio, experimente instalar o Flacon e usá-lo para resolver o seu problema.
extrair faixas de áudio
Flacon é um aplicativo de código aberto, escrito em C++ e construído usando as bibliotecas Qt, que permite aos usuários extrair faixas individuais de grandes arquivos de áudio. (Como arquivos de entrada) tem suporte para os seguintes formatos: WAV, FLAC, APE, WavPack, True Audio (TTA) e as seguintes saídas: FLAC, WAV, WavPack, AAC, OGG ou MP3.

O programa extrai faixas individuais de um grande arquivo de áudio, contendo um álbum inteiro de música e os salva como arquivos de áudio separados. Para fazer isso, ele usa informações do arquivo CUE apropriado. Além disso, Flacon torna possível rever ou especificar as tags, tanto para todas as faixas de uma vez ou para cada tag separadamente.

Outros assuntos

Conheça melhor o Flacon

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Flacon no Ubuntu para extrair faixas de áudio

Para instalar o Flacon no Ubuntu para extrair faixas de áudio, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:flacon/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install flacon

Como instalar o Flacon manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.
Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite programa no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Flacon no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Flacon no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove flacon
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog hoje

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

19 de setembro de 2016

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu

Que tal dar um um novo visual ao seu já cansado desktop? Experimente fazer isso instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu.


Clarity é um belo conjunto de ícones, pois seus ícones são leves e modernos. Este tema de ícones possui oito variantes nas cores violeta, brilhante, gradiente cinza, gradiente cinza escuro, inclinação azul, violeta brilhante, gradiente verde e gradiente de laranja. Além disso, ele é compatível com Unity, Gnome, Xfce, Mate, etc.

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu

A seguir, você pode ver algumas imagens mostrando as variantes do tema. Nesses screenshots foram utilizados os temas Ambiance Blackout e Flat.

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu

Conheça melhor o conjunto de ícones Clarity

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install clarity-icon-theme

Como instalar o conjunto de ícones Clarity manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o conjunto de ícones Clarity no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove clarity-icon-theme

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Velocidade da internet: instale Linspeed e teste sua conexão

Já mostrei aqui uma opção (de linha de comando) para medir a velocidade da internet, mas é sempre bom ter mais de uma alternativa. Por conta disso, veja como instalar Linspeed e teste sua conexão de Internet.


Linspeed é uma aplicação pequena e leve que permite medir a largura de banda da Internet no Ubuntu. Ele usa a API SpeedOf.Me para encontrar a velocidade exata em segundos. Ele também permite que você copie e compartilhe os dados da sua conexão de Internet para seus amigos e provedores de serviços de Internet.
Velocidade da internet: instale Linspeed e teste sua conexão
Mas se você prefere verificar a velocidade da internet usando um terminal, veja esse outro tutorial:
Como verificar a velocidade da internet via Terminal no Linux

Conheça melhor o Linspeed

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Velocidade da internet: instalando o Linspeed no Ubuntu e derivados

Para instalar o Linspeed no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome linspeed.deb:

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/linspeed/32Bit/linspeed_1.0_i386.deb -O linspeed.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome linspeed.deb:

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/linspeed/64Bit/linspeed_1.0_amd64.deb -O linspeed.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i linspeed.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Como instalar o Linspeed manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, basta fazer o download do instalador .deb diretamente nesse link, e depois clicar nele para instalar manualmente.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite linspeed no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).
Com o programa aberto, basta clicar no botão “Begin Test” e aguardar, para ele medir e exibir a velocidade da sua conexão de Internet.

Desinstalando o Linspeed no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Linspeed no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove linspeed
sudo apt-get autoremove

Via Unixmen

O que está sendo falado no blog hoje

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

3D/CAD no Linux – conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Se você usa o sistema do pinguim e trabalha com a criação e edição de objetos em computador, conheça algumas boas opções de aplicativos 3D/CAD no Linux.


Embora muitos preguem o contrário, o Linux possui muitas aplicações para todo tipo de atividade, e o melhor, sempre com boas alternativas. E isso, não é diferente quando se trata de 3D/CAD.

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Para mostrar o quanto isso é verdadeiro, nesta lista mostrarei algumas aplicações dessa área que estão disponíveis para o Linux. A lista é pequena, mas irá crescer a media que novos programas forem aparecendo. Por isso, fiquem de olho!

CAD/3D no Linux – conheça algumas opções disponíveis no Linux

Abaixo, você conhecerá algumas boas opções de aplicativos CAD/3D no Linux que podem servir para as suas necessidades.

1) LibreCad

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

LibreCAD é software livre (GPL) de CAD gratuito e maduro, totalmente abrangente e repleto de funcionalidades. O programa está disponível em mais de 20 línguas e para todos os principais sistemas operacionais, incluindo Microsoft Windows, Mac OS X e Linux (Debian, Ubuntu, Fedora, Mandriva, Suse…).

Dirigido por uma comunidade e com um desenvolvimento aberto a novos talentos e novas ideias, LibreCAD é testado e utilizado diariamente por uma comunidade de usuários, grande e dedicada; Com isso, você também pode se envolver e influenciar o seu desenvolvimento futuro.

Como instalar o LibreCad

Para instalar o LibreCad no Linux, acesse esse tutorial:
CAD gratuito: veja como instalar o LibreCad no Ubuntu e derivados

Mais sobre o LibreCad


2) FreeCAD

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

FreeCAD é um modelador 3D paramétrico de propósito geral baseada em recursos para CAD, MCAD, CAx, CAE e PLM, o que permite que você modifique facilmente seu projeto, voltando atrás no histórico do seu modelo e mudando seus parâmetros.

Voltado diretamente para engenharia mecânica e design de produto, ele também se encaixa em uma ampla gama de usos em engenharia. FreeCAD é baseado no OpenCasCade, um kernel de geometria poderoso.

Ele lê e produz muitos formatos abertos de arquivos como STEP, IGES, STL e outros. Além disso, ele é extremamente modular, permitindo inúmeras possibilidades de personalização e de programação de extensões.

Como instalar o FreeCAD

Para instalar o FreeCAD no Linux, acesse esse tutorial:
Instalando o FreeCAD no Ubuntu

Mais sobre o FreeCAD


3) DraftSight

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Desenvolvido pela Dassault Systemes (que também é desenvolvedora dos softwares Catia e Solidworks), DraftSight é um software gratuito para desenho técnico disponível para Linux, Microsoft Windows e OS X. Ele é atualmente um dos melhores softwares para o design técnico de CAD 2D (e 3D parcialmente), disponível para Linux.

Mais o grande destaque desse aplicativo é o seu suporte para leitura e gravação de arquivos em formato DWG e DXF (do AutoCad), ou seja, com ele você pode lidar com arquivos do AutoCAD no Linux, sem precisar instalar o AutoCAD.

DraftSight permite anexar modelos de referência externos e tem a capacidade de gerar arquivos no formato PDF com múltiplas páginas, tem um sistema de coordenadas cartesianas, além de desenho em camadas, máscaras de fundo para anotações, suporte para tabelas de estilo de plotagem CTB e STB e muito mais.

Como instalar o DraftSight

Para instalar o DraftSight no Linux, acesse esse tutorial:
AutoCAD no Linux – Instale o DraftSight no Ubuntu, Debian, Fedora e derivados

Mais sobre o DraftSight


4) BricsCAD

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

BricsCAD é um software comercial de CAD (computer aided design) com versões para Windows e Linux. O programa é uma solução profissional que se destaca como uma alternativa ao AutoCAD, pois possui alta compatibilidade e comandos semelhantes aos do aplicativo da Autodesk. Para completar, com o programa você pode usar AutoLISP, ADS e VB.

O formato padrão dos arquivos de desenho do BricsCAD é o DWG (o mesmo do AutoCAD), isso permite que desenhos do AutoCAD sejam visualizados e editados sem necessidade de conversão.

Como instalar o BricsCAD

Para instalar o BricsCAD no Linux, acesse esse tutorial:
BricsCAD no Linux – Conheça e instale essa alternativa ao AutoCAD

Mais sobre o BricsCAD

No Post found.


5) QCAD

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

QCAD é um software livre (GPL versão 3) para desenho assistido por computador (CAD), em duas dimensões (2D). Com QCAD você pode criar desenhos técnicos, tais como planos para edifícios, interiores, peças mecânicas ou esquemas e diagramas. QCAD funciona em Windows, Mac OS X e Linux.

O programa foi projetado com modularidade, extensibilidade e portabilidade em mente, além de uma interface de usuário intuitiva. Ele é muito fácil de usar, por causa disso, você não precisa ter nenhuma experiência CAD para começar a usar o QCAD.

Como instalar o QCAD

Para instalar o QCAD no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o QCAD no Linux manualmente

Mais sobre o QCAD


6) OpenSCAD

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

OpenSCAD é um software livre CAD de código (GPL), específico para a criação de modelos 3D sólidos utilizados principalmente para a criação de peças mecânicas. O programa é multiplataforma e por conta disso, está disponível para Linux, Windows e Mac

Baseado em bibliotecas Qt4, OpenCSG e OpenGL (para renderização usando CGAL), ele permite fazer a extrusão de formas de arquivos 2D AutoCAD DXF e exportar tudo em vários formatos, como STL e Open Font Format (OFF).

Como instalar o OpenSCAD

Para instalar o OpenSCAD no Linux, acesse esse tutorial:
Criação de objetos 3D no Linux: instale OpenSCAD

Mais sobre o OpenSCAD


7) Blender

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Blender, ou blender3d, é um programa de código aberto para modelagem, animação, texturização, composição, renderização, edição de vídeo e criação de aplicações interativas em 3D, tais como jogos, apresentações e outros, através de seu motor de jogo integrado, o Blender Game Engine.

Como instalar o Blender

Para instalar o Blender no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar a última versão do Blender no Linux

Mais sobre o Blender


8) Sweet Home 3D

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Diferente das opções anteriores, Sweet Home 3D é uma aplicação de design interior que ajuda você colocar suas mobílias em sua casa em um plano 2D, com uma visualização em 3D. Ele está disponível em Português, Inglês, Francês, Italiano e Alemão, e pode ser executado em Windows, OS X, Linux e Solaris.

Como instalar o Sweet Home 3D

Para instalar o Sweet Home 3D no Linux, acesse esse tutorial:
Instalando a versão mais recente do Sweet Home 3D no Linux

Mais sobre o Sweet Home 3D

No Post found.

Então gostou da Lista? Se souber de mais algum aplicativo que possa compor a lista, escreva nos comentários

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o Rambox no Ubuntu, Debian e derivados

Precisando diminuir as abas do navegador, mas usa muitos mensageiros e apps de e-mail? Instale o Rambox no Ubuntu, Debian e derivados, resolva seu problema.


Vários aplicativos estão se tornando serviços web: WhatsApp, Skype, Telegram e muito mais. E isso é ótimo para algumas pessoas. Infelizmente, isso também obriga os usuários a ficarem com diversas abas abertas ao mesmo tempo. Uma boa saída para isso é o programa Rambox.

Como instalar o Rambox no Ubuntu, Debian e derivados

Rambox consegue colocar em um mesmo local todos os mensageiros e programas de e-mail que você costuma utilizar. Isso porque ele suporta várias aplicações. Para conseguir isso, ele simplesmente combina aplicações web comuns em uma mesma interface.

Como instalar o Rambox no Ubuntu, Debian e derivados

Conheça melhor o Rambox

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Rambox no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o Rambox no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome rambox.deb:

wget https://github.com/saenzramiro/rambox/releases/download/0.4.2/Rambox-0.4.2-ia32.deb -O rambox.deb

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome rambox.deb:

wget https://github.com/saenzramiro/rambox/releases/download/0.4.2/Rambox-0.4.2-x64.deb -O rambox.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i rambox.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite rambox no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Rambox no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Rambox no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove rambox
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux

Se você busca uma forma de automatizar e agendar tarefas com opções além do fornecido nativamente pelo sistema, instale o ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux.
agendar tarefas no linux
ComplexShutdown é uma pequena interface para desligar o PC com muitas opções. Ele na verdade é um script mais ou menos simples, escrito em FPC, e em seguida, reescrito em python.

O objetivo principal deste programa é ser um recurso para desligar o computador depois de um tempo específico, mas ele é mais complexo e vai além disso: Você pode especificar quando fazer e o que fazer, com um monte de opções extras. Tudo, claro, embalado em uma interface gráfica simples e intuitiva.
agendar tarefas no linux
Às vezes, você se esqueceu de desligar o computador porque estava com sono ou com pressa, ComplexShutdown pode desligar o computador automaticamente quando você programá-lo. Não apenas o desligamento, mas ele pode executar toneladas de outras ações como logoff, reiniciar, hibernar, colocar em espera ou você pode agendar um comando personalizado com ele.

Uma vez que uma tarefa está agendada, uma contagem regressiva informa sobre o tempo restante antes que a tarefa comece. Usando este programa você poderá escolher dia e hora específicos para desligar sua máquina ou agendar um comando/script personalizado.

Vale lembrar que o ComplexShutdown agenda apenas uma tarefa de cada vez, ou seja, você não pode agendar muitos casos com ações diferentes. Infelizmente, esse é o ponto fraco do programa.

Outros assuntos

Conheça melhor o ComplexShutdown

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o ComplexShutdown e usá-lo para agendar tarefas

Para instalar o ComplexShutdown no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o pacote de instalação do programa:

wget https://launchpad.net/complexshutdown/trunk/0.5/+download/complexshutdown_0.5_all.deb -O complexshutdown.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i complexshutdown.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:complex ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o ComplexShutdown no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o ComplexShutdown no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove complexshutdown*
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog hoje

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

Precisando executar aplicativos do Windows no Ubuntu? Então veja aqui como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu e sistemas derivados.


O Wine é um software livre e de código aberto, que tem como objetivo permitir que os aplicativos desenvolvidos para Microsoft Windows possam ser executados no Linux, Mac, FreeBSD e Solaris.

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

O programa é muito importante para ex-usuários do sistema operacional Windows ou para qualquer pessoa que ainda precisa usar os aplicativos desse sistema no Linux.

Para aqueles que não sabem nada sobre o projeto, o Wine (originalmente um acrônimo para “Wine Is Not an Emulator” ou “Wine não é um emulador”) é uma camada de compatibilidade capaz de executar aplicativos Windows em vários sistemas operacionais compatíveis com POSIX, como Linux, Mac OSX, e BSD.

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

Em vez de simular a lógica interna do Windows como faz uma máquina virtual ou emulador, o Wine traduz on-the-fly as chamadas de API do Windows em chamadas POSIX. Isso elimina a perda do o desempenho e da memória que ocorrem em outros métodos, e permite integrar de forma limpa aplicações Windows em seu ambiente de trabalho.

Wine começou em 1993 sob a coordenação inicial de Bob Amstadt como uma forma de suportar a execução de programas do Windows 3.1 no Linux. Muito cedo, a liderança sobre o desenvolvimento do Wine foi passada para Alexandre Julliard, que mantém o projeto desde então.

Ao longo dos anos, como a API e as aplicações do Windows têm evoluído para tirar proveito de novos hardwares e softwares, Wine foi adaptado para suportar novos recursos, o tempo todo sendo portado para outros sistemas operacionais, tornando-se mais estável, e proporcionando uma melhor experiência do usuário.

Um projeto ambicioso por definição, os trabalhos no Wine continuariam constantemente por 15 anos até o programa finalmente alcançar versão 1.0, a primeira versão estável, em 2008.

Vários lançamentos mais tarde, o Wine ainda está sob desenvolvimento ativo até hoje, e embora não haja mais trabalho a ser feito, estima-se que milhões de pessoas usam o Wine para executar programas Windows sobre o sistema operacional de sua escolha.

Basicamente, ao instalar o Wine no Ubuntu, por exemplo, você pode executar softwares feitos para o sistema operacional Windows em outros sistemas operacionais, sem a necessidade de instalar o sistema operacional físico.

Ele também fornece implementações alternativas das bibliotecas DLL, que são chamados pelos programas do sistema operacional da Microsoft. Dessa forma, você pode rodar aplicativos para Windows no Linux, sem complicações.

Conheça melhor o Wine

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link ou veja essa série de artigos:
Instalando e manipulando aplicativos para Windows no Linux e outros assuntos relacionados

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

Para instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório da equipe Wine com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntu-wine/ppa

Passo 3. (opcional) O repositório da equipe Wine não foi atualizado por quase 6 meses. Para aqueles que querem as últimas atualizações e correções para a série estável do Wine 1.8, você pode utilizar temporariamente através do repositório de Rico Tzschichholz;

sudo add-apt-repository ppa:ricotz/unstable

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install wine1.8 winetricks

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu manualmente

Para instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu manualmente, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Instale os pacotes necessário para compilar o código fonte do Wine:

sudo apt-get install flex bison qt4-qmake gcc-multilib g++-multilib lib32z1-dev lib32bz2-dev libx11-dev libfreetype6-dev:i386

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o código fonte do Wine. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wine.tar.bz2:

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/wine/Source/wine-1.8.4.tar.bz2 -O wine.tar.bz2

Passo 4. Descompacte o arquivo baixado com o comando:

tar -xjvf wine.tar.bz2

Passo 5. Vá para a pasta criada pelo descompactador:

cd wine-*

Passo 6. Faça a verificação inicial da compilação com o comando:

./configure

Passo 7. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 8. Se for um sistema de 64 bits,use o comando:

./configure --enable-win64

Passo 9. Vá para a pasta tools com o comando:

cd tools

Passo 10. Agora instale o programa com o comando abaixo e aguarde o processo finalizar:

./wineinstall

Como instalar a versão de desenvolvimento do Wine no Ubuntu

A versão de desenvolvimento do Wine dá acesso às últimas funcionalidades do programa bem antes do lançamento da versão estável.
Para instalar a versão de desenvolvimento do Wine no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, acesse o tutorial abaixo para ativar o suporte a 32-bits no Ubuntu de 64-bits;
Como ativar o suporte a 32-bits no Ubuntu de 64-bits
Passo 4. Depois, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:wine/wine-builds

Passo 5. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install --install-recommends winehq-devel

Experimentando os novos recursos do Wine bem antes da versão padrão

Além da versão de desenvolvimento, se você usa o aplicativos Windows no Linux e quer experimentar os novos recursos do Wine bem antes da versão padrão, veja como fazer isso usando o Wine Staging, acessando o tutorial abaixo:
Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging

Instalar e executando aplicativos para Windows no Linux com Wine

Uma vez instalado o Wine no Ubuntu, você já pode testar o programa. Para instalar e rodar aplicativos para Windows no Linux, abra o Nautilus (ou outro gerenciador de arquivo que suporte o programa) e vá para uma pasta onde está um programa Windows e clique com o botão direito do mouse. No menu que aparece, clique na opção “Open With Wine” (Abrir com o Wine).
Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu
Ou abra um terminal e vá para uma pasta onde está um programa Windows e digite (substitua programa pelo nome do executável Windows):

wine programa

Se for tiver compilado para 64 bits, use o comando abaixo:

wine64 programa

Só não esqueça de substituir “programa” pelo nome do executável Windows.

Desinstalando o Wine no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Wine no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o Wine, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove wine1.8 winetricks
sudo apt-get autoremove

Passo 2. Desinstale a versão de desenvolvimento do Wine, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove winehq-devel
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Gerencie tarefas com o Google Task Indicator no Ubuntu e derivados

Que tal usar o serviço gerenciamento de tarefas de sua conta Google diretamente no desktop? Com o Google Task Indicator isso é possível. Veja aqui como instalar ele.


Oficialmente, não há nenhum aplicativo disponível para gerenciar suas tarefas do Google, mas o Google Task Indicator pode ajudá-lo a fazer isso de um jeito bem simples: usando um menu na barra superior do ambiente Unity.

Gerencie tarefas com o Google Task Indicator no Ubuntu e derivados

Ele possui recursos para gerenciar tarefas localmente ou externamente, o que significa que você pode definir as opções para apagar ou manter as tarefas. Você também pode gerenciar tarefas offline e sincronizar mais tarde. Além disso, você pode marcar a tarefa como concluída ou excluir localmente/externamente a partir deste utilitário.

Conheça melhor o Google Task Indicator

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja como instalar o Google Task Indicator no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Google Task Indicator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

apt-get update

Passo 4. Para instalar o programa, use este comando:

sudo apt-get install google-tasks-indicator

Como instalar o Google Task Indicator manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite google no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Google Task Indicator no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Google Task Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao repositório --remove
sudo apt-get remove google-tasks-indicator
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

18 de setembro de 2016

Resumo semanal de 12/09/2016 a 18/09/2016

Você já sabe como verificar a velocidade da internet usando apenas o Terminal no Linux? Ou já conhece os 11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essas postagens. Mas não se preocupe, leia o resumo semanal de 12/09/2016 a 18/09/2016 e se atualize.


Mas você já deve saber que o Synfig Studio permite criar animações no Linux? Ou já sabe que o Deepin 15.3 já está disponível para download? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal de 12/09/2016 a 18/09/2016

Resumo semanal de 12/09/2016 a 18/09/2016

12/09/2016

13/09/2016

14/09/2016

15/09/2016

16/09/2016

17/09/2016

Conheça melhor e experimente o Deepin 15.3

Já conhece o Deepin 15.3? Não? Veja mais detalhes sobre essa distribuição no artigo abaixo:
Deepin 15.3 já está disponível para download
E para completar, assista esse review do sistema:

Veja também

Linux Mint 18 Sarah já está disponível para download

Ubuntu 16.04

Quem quiser experimentar o Ubuntu 16.04 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como atualizar para o Ubuntu 16.04

Quem precisar atualizar para o Ubuntu 16.04, basta seguir esses tutoriais:
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 na versão desktop
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 via terminal (server e desktop)
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 usando o disco de instalação

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

Quem acabou de mudar para o Ubuntu 16.04, pode dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

Veja também

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Mais artigos


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

17 de setembro de 2016

Como instalar o eliminador de arquivos e informações BleachBit no Linux

Se você está a procura de um software de limpeza para eliminar informações e até ganhar um pouco mais de espaço no disco, experimente instalar o eliminador de arquivos e informações BleachBit no Linux.


BleachBit é um aplicativo open source escrito em Python e que usa PyGTK. Ele serve para liberar rapidamente o espaço em disco e proteger a sua privacidade. Ele libera cache, exclui cookies, limpa o histórico de Internet, apaga arquivos temporários, apaga registros e descarta lixo que você nem sabia que estava lá. Basicamente, o programa coloca no Linux uma função equivalente a que o CCleaner faz no Windows (talvez até melhor).

Como instalar o eliminador de arquivos e informações BleachBit no Linux

Projetado para sistemas Linux e Windows, o programa limpa mil aplicações, incluindo Firefox, Internet Explorer, Adobe Flash, Google Chrome, Opera, Safari e muito mais.

Além de simplesmente apagar arquivos, o programa inclui características avançadas, tais como destruir arquivos para impedir a recuperação do mesmo, limpeza de espaço livre em disco para esconder vestígios de arquivos apagados por outros aplicativos, e vacuuming no Firefox para torná-lo mais rápido.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o BleachBit

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais detalhes sobre a última versão desse programa, clique nesse link.
Para ver o programa sendo usado, assista o vídeo abaixo:

Instalando o BleachBit no Linux

Instalando o BleachBit no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o BleachBit no Linux Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do programa para Ubuntu 12.04, Linux Mint 13 e seus derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit_1.12_all_ubuntu1204.deb -O bleachbit.deb

Passo 3. Para baixar o instalador do programa para Ubuntu 14.04, Linux Mint 17.x e seus derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit_1.12_all_ubuntu1404.deb -O bleachbit.deb

Passo 4. Para baixar o instalador do programa para Ubuntu 14.10 e seus derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit_1.12_all_ubuntu1410.deb -O bleachbit.deb

Passo 5. Para baixar o instalador do programa para Ubuntu 15.04 e seus derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit_1.12_all_ubuntu1504.deb -O bleachbit.deb

Passo 6. Para baixar o instalador do programa para Ubuntu 15.10 e seus derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit_1.12_all_ubuntu1510.deb -O bleachbit.deb

Passo 7. Para baixar o instalador do programa para Ubuntu 16.04 e seus derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit_1.12_all_ubuntu1604.deb -O bleachbit.deb

Passo 8. Para baixar o instalador do programa para Debian 6 e seus derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit_1.12_all_debian6.deb -O bleachbit.deb

Passo 9. Para baixar o instalador do programa para Debian 7 e seus derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit_1.12_all_debian7.deb -O bleachbit.deb

Passo 10. Para baixar o instalador do programa para Debian 8 e seus derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit_1.12_all_debian8.deb -O bleachbit.deb

Passo 11. Para instalar o programa em um sistema Debian, Ubuntu e derivados, use os comandos abaixo:

sudo dpkg -i bleachbit.deb
sudo apt-get install -f

Passo 12. Se for necessário, use o comando abaixo para desinstalar o programa:

sudo apt-get remove bleachbit*

Instalando o BleachBit no Linux Fedora, RedHat, CentOS e derivados

Para instalar o BleachBit no Linux Fedora, RedHat, CentOS, OpenMandriva, Mageia e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do programa para Fedora 20 e derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.fc20.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 3. Para baixar o instalador do programa para Fedora 21 e derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.fc21.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 4. Para baixar o instalador do programa para Fedora 22 e derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.fc22.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 5. Para baixar o instalador do programa para Fedora 23 e derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.fc23.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 6. Para baixar o instalador do programa para Fedora 24 e derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.fc24.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 7. Para baixar o instalador do programa para Red Hat (RHEL 6) e derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.el6.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 8. Para baixar o instalador do programa para Red Hat (RHEL 7) e derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.el7.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 9. Para baixar o instalador do programa para CentOS 6 e derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.centosCentOS-6.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 10. Para baixar o instalador do programa para CentOS 7 e derivados, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.centos7.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 11. Para instalar o programa, use um dos comandos abaixo:

sudo urpmi bleachbit.rpm

ou

sudo yum localinstall bleachbit.rpm

Passo 12. Se for necessário, use um dos comandos abaixo para desinstalar o programa:

sudo urpme bleachbit*

ou

sudo yum remove bleachbit*

Instalando o BleachBit no Linux openSUSE e derivados

Para instalar o BleachBit no Linux openSUSE e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do programa para SUSE Linux Enterprise 11, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.sle11.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 2. Para baixar o instalador do programa para openSUSE 13.1, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.opensuse131.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 2. Para baixar o instalador do programa para openSUSE 13.2, use o comando abaixo:

wget https://download.bleachbit.org/bleachbit-1.12-1.1.opensuse132.noarch.rpm -O bleachbit.rpm

Passo 3. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install bleachbit.rpm

Passo 10. Se for necessário, use o comando abaixo para desinstalar o programa:

sudo zypper remove bleachbit*

Instalando versões antigas do BleachBit no Linux

Os links de download acima são apenas das versões mais recentes e todos estão disponíveis nesse link. Para baixar os pacotes de instalação de versões anteriores do programa para essas distros, acesse esse link.

Executando o BleachBit no Linux

Depois de instalado, execute o programa digitando bleachbit em um terminal, seguido da tecla TAB. Todo o processo de limpeza é bem simples e intuitivo.

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Hardware open source: instale o editor Fritzing no Ubuntu

Se você gosta de criar circuitos (preferencialmente com hardware open source), experimente instalar o editor Fritzing no Ubuntu e exercitar seus conhecimentos em eletrônica.


Fritzing é uma iniciativa de hardware open source que torna a eletrônica acessível e atende a usuários que desejam produzir ou documentar circuitos e experiências.

Hardware open source: instale o editor Fritzing no Ubuntu

A empresa Fritzing oferece uma ferramenta de software (o editor Fritzing), um site da comunidade e os serviços necessários para fomentar um ecossistema criativo que permite aos usuários documentar seus protótipos, compartilhá-los com os outros, ensinar eletrônica em sala de aula e muito mais.

Hardware open source: instale o editor Fritzing no Ubuntu

Com Fritzing você pode facilmente (e com baixo custo, transformar o seu circuito em uma realidade. Pois ele serve para montar protótipos de circuitos elétricos e oferece várias maneiras de criar facilmente a parte que você precisa.

Além disso, o programa é instalado com uma biblioteca de peças e cada nova versão traz novas peças. Essas peças são organizadas em “caixas” que podem ser acessados a partir da paleta de peças à direita. Basta arrastar uma parte na área de desenho para usá-lo, e, em seguida, adaptar as suas propriedades na paleta info.

Contudo, é importante deixar claro que embora o programa seja de fácil utilização (apenas clicar e arrastar), ele exige certo grau de conhecimento técnico para a composição dos itens de maneira apropriada.

Conheça melhor a iniciativa Fritzing

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link ou assista o vídeo abaixo (em inglês).

Como instalar o editor Fritzing (hardware open source) no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o editor Fritzing no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ehbello/fritzing

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install fritzing

Como instalar o editor Fritzing manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, sempre que quiser iniciar o programa, digite fritzing no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o editor Fritzing no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o editor Fritzing no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:ehbello/fritzing --remove
sudo apt-get remove fritzing
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

CPU-Z para Linux – instale CPU-G no Ubuntu e saiba mais sobre seu PC

Procurando um CPU-Z para Linux para saber mais sobre seu PC? Infelizmente ele não existe. Mas instale CPU-G no Ubuntu e resolva o seu problema.


O CPU-Z é um software gratuito que mostra informações sobre o hardware analisado. Embora seja muito popular, não existe um CPU-Z para Linux. Felizmente, existem uma alternativa: o CPU-G.

CPU-Z para Linux - instale CPU-G no Ubuntu e saiba mais sobre seu PC

CPU-G é uma excelente opção à esperada versão do CPU-Z para Linux. Ele é um aplicativo que mostra informações úteis sobre o seu hardware.

Basicamente, ele coleta e exibe dados sobre a CPU, RAM, Placa-mãe, algumas informações gerais sobre o seu sistema e muito mais.

CPU-Z para Linux - instale CPU-G no Ubuntu e saiba mais sobre seu PC

CPU-Z para Linux - instale CPU-G no Ubuntu e saiba mais sobre seu PC

CPU-Z para Linux - instale CPU-G no Ubuntu e saiba mais sobre seu PC

CPU-Z para Linux - instale CPU-G no Ubuntu e saiba mais sobre seu PC

Conheça melhor o CPU-G, o CPU-Z para Linux

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o CPU-G no Ubuntu e seus derivados

Para ter um verdadeiro o CPU-Z para Linux, instale o CPU-G no Ubuntu. Para isso, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install cpu-g

Como instalar o CPU-G manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite cpu-g no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o CPU-G no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o CPU-G no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove cpu-g
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar a dock DockbarX no Ubuntu

Quer experimentar uma dock completa e altamente personalizável? Então veja como instalar a dock DockbarX no Ubuntu e transforme sua área de trabalho.


DockbarX é um software livre licenciado sob GPL3 que pode ser usado como um substituto leve para as funções de dock, barra de tarefas e painel em desktops Linux.

Como instalar a dock DockbarX no Ubuntu

O DockbarX pode funcionar como uma dock autônoma (chamada Dockx), como um applet Avant Window Navigator, como um applet de painel do Xfce4, como um applet matepanel ou como um applet de painel legado do Gnome2. DockbarX é um fork do dockbar feita por Aleksey Shaferov e o ramo DockbarX é desenvolvido por Matias SARS.

Como instalar a dock DockbarX no Ubuntu

Como instalar a dock DockbarX no Ubuntu

Como instalar a dock DockbarX no Ubuntu

Como instalar a dock DockbarX no Ubuntu

Como instalar a dock DockbarX no Ubuntu

Conheça melhor o DockBarX

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o DockBarX no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o DockBarX no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:dockbar-main/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install dockbarx dockbarx-themes-extra

Passo 5. Se você estiver usando Xfce, você precisa instalar o Xfce Plugin para Painel Xfce:

sudo apt-get install xfce4-dockbarx-plugin

Passo 6. Se você quiser usar DockbarX como um applet AWN, execute o seguinte comando:

sudo apt-get install awn-applet-dockbarx

Como instalar o DockBarX manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite dockbarx no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o DockBarX no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o DockBarX no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:dockbar-main/ppa --remove
sudo apt-get remove dockbarx dockbarx-themes-extra
sudo apt-get remove xfce4-dockbarx-plugin
sudo apt-get remove awn-applet-dockbarx
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como verificar a velocidade da internet via Terminal no Linux

Speedtest.net é um bom lugar para verificar a velocidade da Internet, aliás da sua conexão de Internet. Mas há uma maneira ainda mais simples. Usando o aplicativo de linha de comando speedtest-cli, você pode realmente verificar a velocidade atual de sua conexão de banda larga via Terminal. Então, veja aqui como fazer isso.


Speedtest-cli é um pequeno aplicativo de linha de comando destinado a testar e com isso, verificar a velocidade da internet via Terminal em várias distribuições Linux, incluindo o Ubuntu.

Como verificar a velocidade da internet via Terminal no Linux

O programa é uma boa ferramenta porque interage com o popular site Speedtest.net e é especialmente útil para quem não tem acesso a um navegador no sistema operacional (servidores, por exemplo), além de permitir uma medição mais precisa.

A vantagem dessa abordagem em relação ao método tradicional, é que você não precisará abrir um navegador (nem mesmo precisará ter uma interface gráfica) e nem será necessário ter o plugin do flash instalado.

Mas se você prefere verificar a velocidade da internet usando um programa gráfico, veja esse outro tutorial:
Velocidade da internet: instale Linspeed e teste sua conexão

Conheça melhor o Speedtest-cli, o aplicativo que serve para verificar a velocidade da internet

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Instalando o Speedtest-cli no Linux, para verificar a velocidade da internet

Para instalar o Speedtest-cli no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Baixe o arquivo speedtest-li.py para o seu computador com o comando:

wget -O speedtest-cli https://raw.github.com/sivel/speedtest-cli/master/speedtest_cli.py

Passo 3. Torne o arquivo baixado um executável com o comando abaixo:

chmod +x speedtest-cli

Passo 4. Mova o arquivo para a pasta de binários do sistema:

sudo mv speedtest-cli /usr/bin/speedtest-cli

Passo 5. Agora, sempre que você quiser verificar a velocidade da internet, basta executar esse arquivo com o seguinte comando no Terminal:

speedtest-cli

Passo 6. Por padrão, o programa irá selecionar o “melhor” servidor de testes para sua localidade. Mas se você quiser determinar essa localidade manualmente, execute o comando abaixo para listar os servidores disponíveis:

speedtest-cli --list 

Passo 7. Será mostrada uma lista com um código e o nome da localidade. Para pesquisar por uma localidade em específica, executando o comando:

speedtest-cli --list | grep -i "nome-localidade"

Passo 8. Depois de escolher a melhor localidade (lembre-se que quanto mais distante for do local do seu provedor de internet, mais lenta será sua resposta), execute o comando abaixo, substituindo numero-ID pelo código da localidade escolhida:

speedtest-cli --server numero-ID

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o Krita Animation no Ubuntu

Já imaginou poder criar suas animações e histórias em quadrinhos no Linux? Pois então veja como instalar o Krita Animation no Ubuntu.


Krita Animation é uma aplicação de pintura robusta, rápida e flexível que torna a criação de arte a partir do zero ou de recursos existente, uma experiência produtiva e divertida.

Como instalar o Krita Animation no Ubuntu

Com muitos poderosos motores de pincel e características únicas, como a pintura multihand, espelhada e envolvente, Krita suporta explicitamente a criação de ilustrações, arte conceitual, storyboards, texturas, pinturas foscas e histórias em quadrinhos.

Conheça melhor o Krita Animation

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para ver o programa em ação, assista esse vídeo:

Como instalar o Krita Animation no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Krita Animation no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:dimula73/krita

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install krita-animation-testing

Como instalar o Krita Animation manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite krita no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Krita Animation no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Krita Animation no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove krita-animation-testing
sudo apt-get autoremove

Via Sys Ads

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Material Design – Instale o tema e os ícones Paper no Ubuntu

Quer experimentar o estilo Material Design no seu desktop? Então instale o tema e os ícones Paper no Ubuntu e sistemas derivados.


Projetado e desenvolvido por Sam Hewitt, o tema e os ícones Paper levam o visual Material Design do Android para o desktop Linux. Distribuído sob os termos da GNU General Public License GPL v3, eles oferecem um tema moderno e ícones com mais design plano e uso mínimo de sombras para a profundidade.

Material Design - Instale o tema e os ícones Paper no Ubuntu

Ambos os pacotes funcionam em todas as versões atuais do Ubuntu, o que significa que esta suíte também pode funcionar em outros derivados do Ubuntu como o Linux Mint.

Entretanto, como o Paper foi desenvolvido principalmente para ambientes de desktop com GTK3 moderno (GNOME-base) em mente, toolkits legados e ambientes GTK2 não terão uma experiência ideal.

Material Design - Instale o tema e os ícones Paper no Ubuntu

Para completar, o tema é compatível com a maioria dos ambientes de desktop como o Unity, Gnome, Cinnamon, Xfce, e assim por diante.

Material Design - Instale o tema e os ícones Paper no Ubuntu

Material Design - Instale o tema e os ícones Paper no Ubuntu

Material Design - Instale o tema e os ícones Paper no Ubuntu

O tema foi atualizado recentemente e já é compatível com o Ubuntu 16.04. Por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o tema e os ícones Paper

Para saber mais sobre o tema Paper, clique nesse link.
Para saber mais sobre os ícones Paper, clique nesse link.

Instalando o tema e os ícones Paper no Ubuntu e derivados e experimente o estilo Material Design

Para instalar o tema e os ícones Paper no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:snwh/pulp

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema Paper e o o conjunto de ícones Paper, usando o seguinte comando:

sudo apt-get install paper-gtk-theme paper-icon-theme

Como instalar o tema manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, basta fazer o download do instalador .deb diretamente nesse link, e depois clicar nele para instalar manualmente.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando o tema e os ícones Paper no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema e os ícones Paper no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema e os ícones Paper, usando os comandos abaixos;

sudo apt-get remove paper-gtk-theme
sudo apt-get remove paper-icon-theme

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

16 de setembro de 2016

MP4 para Avi – como converter usando o WinFF

Se você vive baixando vídeos online (legalmente, claro) ou trabalha com diferentes tipos de mídia, experimente instalar e usar o WinFF para converter seus vídeos e facilitar a sua vida. Nesse tutorial, você verá como converter um arquivo MP4 para Avi usando o programa.


WinFF é um aplicativo versátil, que pode converter arquivos individuais ou múltiplos arquivos em vários formatos, tudo ao mesmo tempo. Ele é um conversor de vídeo gratuito de código aberto licenciado sob a GNU Public License v3 e escrito em Free Pascal e Lazarus. O programa é multi plataforma, por isso pode ser usado tanto em Linux e Windows. além de suportar várias línguas.

MP4 para Avi - como converter usando o WinFF

A seguir será mostrado como instalar esse programa e como exemplo, você verá como converter um MP4 para Avi usando o WinFF, mas o mesmo processo pode ser feito de e para os outros formatos que o programa suporta.

Conheça melhor o WinFF

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o WinFF no Ubuntu

WinFF está disponível na Central de programas do Ubuntu, basta iniciá-la e digitar “WinFF” na barra de pesquisa ou usando o comando sudo apt-get install winff em um terminal.

Observe que o aplicativo tem algumas dependências que devem ser instalados para que ele funcione. Um dessas dependências é o pacote libavcodec, que pode ser obtida instalando-se a versão de unstripped libavcodec-extra.

Mas se você estiver executando uma versão antiga do Ubuntu (como o 12.04) ou recente (como o 16.10), você terá que instalar o WinFF através de um PPA fornecido pelo Launchpad. Para isso, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:paul-climbing/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install winff

Passo 5. Por fim, se for necessário, instale a libav-tools;

sudo apt-get install  libav-tools

Como instalar o WinFF manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link (baixe os pacotes winff, winff-qt e winffgtk2) e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Como converter um arquivo MP4 para Avi usando o WinFF

Para converter um arquivo MP4 para Avi usando o WinFF, faça o seguinte:
Passo 1. Inicie o programa, digitando winff no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB);
Passo 2. Clique no menu drop-down ao lado do campo “Converter para” e selecione a opção “AVI”;
MP4 para Avi - como converter usando o WinFF
Passo 3. Clique no menu drop-down ao lado do campo “Pré-ajuste” e e selecione a opção “XviD Widescreen Anarmorphic”. Sua escolha irá depender de relação de aspecto de seu vídeo original;
MP4 para Avi - como converter usando o WinFF
Passo 4. Em seguida, clique em “Adicionar” e na tela que aparece, vá até a pasta onde está o vídeo que você deseja converter. Depois disso, selecione o vídeo e clique no botão “Abrir”;
MP4 para Avi - como converter usando o WinFF
Passo 5. Se quiser mudar o padrão, clique no botão “…” e selecione a pasta de saída, onde você deseja que o vídeo convertido seja salvo. Se quiser salvar o novo vídeo na mesma pasta do vídeo original , apenas marque a opção “Utilizar a pasta de origem”;
MP4 para Avi - como converter usando o WinFF
Passo 6. Por fim, clique em “Converter”, e uma janela de terminal irá aparecer, mostrando todo o processo.
MP4 para Avi - como converter usando o WinFF
Pronto! Tudo que você tem a fazer agora é sentar e esperar o vídeo terminar de ser convertido. O tempo necessário para isso, irá depender do tamanho do seu vídeo e do poder de processamento do seu computador.

Quando terminar, é só levar o vídeo para onde você quiser e assistir tranquilamente. Boa diversão!

Via Make Tech Easier

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Leitor de impressão digital: Como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu

Se seu aparelho possui um leitor de impressão digital e você quer usá-lo no Linux, veja aqui como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu.

Infelizmente, alguns fornecedores de hardware leitor de impressão digital só disponibilizam seus drivers em formato proprietário, o que dificulta o seu uso no Linux. A boa notícia é que o Fingerprint GUI é uma solução gráfica e fácil, para utilizar leitores biométricos nesse sistema.

Leitor de impressão digital: Como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu

Fingerprint GUI é uma aplicação open source para utilizar o leitor de impressão digital do laptop, um recurso que pode ser usado para reforçar a segurança de alguns modelos vendidos atualmente. Se seu aparelho não possui isso, já é possível adquirir um leitor biométrico USB externo por um preço bem acessível.

Conheça melhor o Fingerprint GUI

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Antes de instalar o programa, verifique se seu hardware é suportado por ele.

Como identificar seu leitor de impressão digital e verificar se ele é suportado

Para identificar seu leitor de impressão digital e verificar se ele é suportado pelo Fingerprint GUI, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para descobrir o ID de seu leitor, execute o comando abaixo:

lsusb

Leitor de impressão digital: Como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu
Passo 3. Depois, verifique se a identificação está na lista de leitores suportados:

045e:00bb    08ff:1683    08ff:2580    08ff:268d
045e:00bb    08ff:1683    08ff:2580    08ff:268d    147e:1001
045e:00bc    08ff:1684    08ff:2660    08ff:268e    147e:2016
045e:00bd    08ff:1685    08ff:2680    08ff:268f    147e:2020
045e:00ca    08ff:1686    08ff:2681    08ff:2691    147e:3001
0483:2015    08ff:1687    08ff:2682    08ff:2810    1c7a:0603
0483:2016    08ff:1688    08ff:2683    08ff:5501
05ba:0007    08ff:1689    08ff:2684    08ff:5731
05ba:0008    08ff:168a    08ff:2685    138a:0001
05ba:000a    08ff:168b    08ff:2686    138a:0005
061a:0110    08ff:168c    08ff:2687    138a:0008
08ff:1600    08ff:168d    08ff:2688    138a:0010
08ff:1660    08ff:168e    08ff:2689    138a:0011
08ff:1680    08ff:168f    08ff:268a    138a:0017
08ff:1681    08ff:2500    08ff:268b    138a:0018
08ff:1682    08ff:2550    08ff:268c    147e:1000
0483:2015    147e:1003    147e:3000
0483:2016    147e:2015    147e:3001
147e:1000    147e:2016    147e:5002
147e:1001    147e:2020    147e:5003
147e:1002

Está é apenas uma cópia da lista de leitores suportados, por isso, lembre-se de sempre consultar a tabela original nesse link, para ter certeza que está visualizando a informação atualizada.

Como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu e seus derivados

Se seu leitor estiver na lista, basta seguir o tutorial abaixo para instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:fingerprint/fingerprint-gui

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install libbsapi policykit-1-fingerprint-gui fingerprint-gui

Passo 5. Saia da sessão atual e faça login novamente;
Passo 6. Execute o programa, digitando fingerpring no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB);
Passo 7. Depois disso, Apenas cadastre suas digitais e estará pronto.

Como instalar o FPrintDemo no Ubuntu e seus derivados

Se seu leitor não estiver na lista, experimente instalar o FPrintDemo, outra opção que faz o mesmo que o Fingerprint GUI (sugestão do Morvan). Para isso, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:fingerprint/fprint

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install fprint-demo libfprint0 libpam-fprintd

Pronto! Para testar, tente bloquear sua tela, fazer login, sudo no terminal e execução de aplicações gráficas que necessitam de privilégios de root.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar player de áudio Sayonara no Ubuntu

Procurando um player de áudio pequeno e rápido? Pois então instale o Sayonara e tenha vários recursos, com pouco consumo de CPU e memória.


Sayonara é um player de áudio pequeno, limpo e rápido para Linux. Ele usa Gstreamer como backend de áudio e é considerado como um reprodutor leve, que tem um monte de recursos para organizar coleções grandes da música mesmo.

Como instalar player de áudio Sayonara no Ubuntu

O foco principal do desenvolvimento desse programa (em contraste com muitos outros reprodutores) tem sido o desempenho, a baixa utilização da CPU e o baixo consumo de memória.

Um dos objetivos do Sayonara são usabilidade intuitiva e fácil, para nunca dar ao usuário a impressão que ele está usando um programa desnecessário e inchado.

Principais características

  • Muitos formatos de  música e playlist suportados
  • Biblioteca de mídia com a função de pesquisa
  • Listas de reprodução (playlists dinâmicos)
  • Equalizador
  • Editor de metadados
  • Last.FM rádio e scrobbling
  • Streams de Internet
  • Gravador de stream
  • Podcasts
  • Letras de músicas
  • 2 skins (peles)

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o Sayonara

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Sayonara no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Sayonara no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo apt-add-repository ppa:lucioc/sayonara

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install sayonara

Como instalar o Sayonara manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite sayonara no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Sayonara no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Sayonara no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove sayonara
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o ambiente Pantheon no Debian 8 Jessie

Se você usa Debian e gostou do ambiente gráfico do elementary OS, veja como instalar o ambiente Pantheon no Debian 8 Jessie.


A chegada do elementary OS 0.3 Freya trouxe inúmeras inovações nesse popular derivado do Ubuntu Linux. Entre essas inovações, um dos maiores destaques é o ambiente de desktop Pantheon, completamente redesenhado com vários aprimoramentos, incluindo aplicações dedicadas.

Como instalar o ambiente Pantheon no Debian 8 Jessie

A boa noticia é que como o Pantheon é um ambiente desktop de código aberto, você pode instalar o Pantheon em outras distribuições, como por exemplo o Debian 8 Jessie, graças a um repositório dedicado dele.

Conheça melhor o ambiente Pantheon

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o ambiente Pantheon no Debian 8 Jessie

Para instalar o ambiente Pantheon no Debian 8 Jessie e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Atualize o gerenciador de pacotes e o sistema com os comandos:

sudo apt-get update
sudo apt-get upgrade

Passo 3. Adicione o repositório do programa com este comando;

echo "deb http://dl.bintray.com/mithrandirn/pantheon-debian/ jessie main" | tee /etc/apt/sources.list.d/pantheon-debian.list

Passo 4. Adicione a chave do repositório;

sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys CBF6E0B8483170E9

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install pantheon desktop-base

Pronto! Saia da sessão atual e quando estiver na tela de login, selecione o ambiente Pantheon. Faça login e depois de entrar, comece a explorar o novo ambiente.

Desinstalando o ambiente Pantheon no Debian e derivados

Para desinstalar o ambiente Pantheon no Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove pantheon desktop-base
sudo apt-get autoremove

Via lffl

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo

Criar vídeos em câmera lenta é o que você gosta de fazer? Pois então veja como instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo no UBuntu e derivados.


SlowmoVideo é um software de código aberto que permite criar vídeos em câmera lenta. Você pode facilmente desacelerar e acelerar a sua filmagem, opcionalmente com borrão de movimento.

Como instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo

Para conseguir isso, o programa usa ffmpeg para ler e escrever arquivos de vídeo e GPU-KLT + stream e OpenCV para o cálculo do fluxo óptico. Ou seja, ele realmente cria vídeos em câmera lenta e não apenas reproduz seus vídeos em uma velocidade reduzida.

Então como a câmera lenta funciona? SlowmoVideo tenta tenta descobrir para onde mover os pixels
no vídeo (esta informação é chamado de fluxo óptico), e então usa esta informação para calcular os quadros adicionais entre os que foram registrados por sua câmera.

Conheça melhor o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo no Ubuntu e seus derivados

SlowmoVideo está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install slowmovideo. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/slowmovideo

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install slowmovideo

Como instalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo de instalação do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite slowmovideo no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o criador de vídeos slow-motion SlowmoVideo no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/slowmovideo --remove
sudo apt-get remove slowmovideo
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale os conjuntos de ícones Ardis e Ursa no Ubuntu

Quer “renovar” o visual dos ícones do seu desktop? Então experimente instalar os ícones Ardis e Ursa no Ubuntu.


Ardis é um conjunto de ícones com um design elegante e simples. O projeto dos ícones Ardis é inspirado nos ícones Numix uTouch, mas é completamente diferente e bonito.

Instale os conjuntos de ícones Ardis e Ursa no Ubuntu

Este tema de ícones tem variedade de cores agradáveis e é compatível com a maioria dos desktops Linux, como o Unity, Gnome, KDE, Cinnamon, entre outros. Este pacote de ícones contem mais de 900 ícones exclusivos. Ele ainda está em fase beta e está em desenvolvimento ativo.

Instale os conjuntos de ícones Ardis e Ursa no Ubuntu

Já o pacote de ícones Ursa é uma versão otimizada conjunto de ícones do Ardis, o que proporciona uma melhor experiência do usuário em telas menores, mas também funciona muito bem em telas grandes.

Instale os conjuntos de ícones Ardis e Ursa no Ubuntu

Ambos os temas de ícones são a escolha perfeita para todos que gostam de simplicidade. Se quiser, você pode apoiar o criador desses ícones, através da compra de seus temas de ícones Ardis e Ursa. Aproveite e também visite o site dele.

Instalando os ícones Ardis e Ursa no Ubuntu e derivados

Para instalar os ícones Ardis e Ursa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Se quiser instalar os ícones Ardis, use o seguinte comando:

sudo apt-get install ardis-icons

Passo 5. Se quiser instalar os ícones Ursa, use o seguinte comando:

sudo apt-get install ursa-icons

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando os ícones Ardis e Ursa no Ubuntu e derivados

Para desinstalar os ícones Ardis e Ursa Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se quiser desinstalar os ícones Ardis, use o seguinte comando:

sudo apt-get remove ardis-icons

Passo 3. Se quiser desinstalar os ícones Ursa, use o seguinte comando:

sudo apt-get remove ursa-icons

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

14 de setembro de 2016

Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

Você costuma baixar arquivo torrents e usa ou quer experimentar o qBittorrent no Ubuntu? Então veja aqui como instalar a última versão do dele.


O qBittorrent é um cliente BitTorrent multiplataforma e de código aberto. Ele foi escrito em C++/Qt4, usando a biblioteca LibTorrent-rasterbar, e foi criado para ser uma alternativa ao popular cliente μtorrent.

Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

QBittorrent é rápido, estável, leve, suporta unicode e fornece um bom motor de busca integrado. Ele também vem com o encaminhamento de porta UPnP/NAT-PMP, criptografia (compatível com Vuze), FAST extension (mainline) e suporta PeX (compatível com utorrent).

A aplicação vem com um motor de busca integrado, possui interface web, suporte para download sequencial, scheduler banda larga, suporte a RSS avançado com filtros de download, ferramenta de criação de torrent, filtragem IP e outras características úteis.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

qBittorrent 3.3.7 traz o novo atalho de teclado Shift + Delete, que serve para apagar torrent e seus arquivos. nessa versão foi removido o motor de busca KickassTorrents e BTDigg e atualizações Torrentz motor de busca.

Conheça melhor o qBittorrent

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

Enquanto os repositórios oficiais do Ubuntu fornecem uma versão antiga, com esse tutorial você aprenderá a instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install qbittorrent

Como instalar o qBittorrent manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite qbittorrent no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB)

Instalando o qBittorrent no Ubuntu server

Você pode instalar o daemon qBittorrent Ubuntu server e gerenciá-lo através da interface Web do qBittorrent. Para isso, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando;

sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install qbittorrent-nox

Passo 5. Uma vez instalado, crie um usuário para o qBittorrent;

sudo adduser qbtuser

Passo 6. Você será solicitado para definir a senha para este usuário. Em seguida, adicione este usuário ao grupo sudo.

sudo gpasswd -a qbtuser sudo

Passo 7. Em seguida, crie um arquivo de serviço systemd qbittorrent-nox, usando este comando;

echo -e '[Unit]\n Description=qBittorrent Daemon Service\n After=network.target\n \n [Service]\n Type=forking\n User=qbtuser\n ExecStart=/usr/bin/qbittorrent-nox -d\n \n [Install]\n WantedBy=multi-user.target'| sudo tee /etc/systemd/system/qbittorrent-nox.service

Passo 8. Agora, inicie o qBittorrent-nox:

sudo systemctl start qbittorrent-nox

Passo 9. Você também pode querer ativar a inicialização automática do serviço quando o Ubuntu iniciar;

sudo systemctl enable qbittorrent-nox

Passo 10. Se quiser verificar o status do serviço, use este comando:

systemctl status qbittorrent-nox

Passo 11. Com o serviço ativo, você já pode acessar a interface Web, digitando na barra de endereços do navegador, o endereço ip do servidor seguido de :8080, como no exemplo abaixo;

ip-do-servidor:8080

Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

Desinstalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o qBittorrent no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove qbittorrent
sudo apt-get autoremove

Via ubuntuhandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale o Pipelight e tenha os plugins do Windows no Linux

Se você quer usar aqueles plugins de navegador que funcionam no Windows, veja como instalar o Pipelight e tenha os plugins do Windows no Linux.


Pipelight é um aplicativo que permite usar no Linux, plugins feitos para funcionar no Windows. Entre esses plugins, os mais conhecidos são o Flash, Silverlight e Widevine, além de vários outros.

Instale o Pipelight e tenha os plugins do Windows no Linux

Para conseguir essa façanha ele utiliza o Wine e já inclui os pacotes do Wine necessários ao seu correto funcionamento. Basicamente ele é composto de duas partes: uma biblioteca Linux que é carregada no navegador e um programa para Windows, que é iniciado no Wine.

Conheça melhor o Pipelight

Para saber um pouco mais sobre o programa, acesse a página do Pipelight.

Atenção! Antes de iniciar o processo de instalação, feche todos os navegadores que estiverem sendo executados, pois alguns navegadores tentam carregar o plugin imediatamente, o que pode causar falhas ou travar o navegador durante a instalação.

Instalando o Pipelight para ter os plugins do Windows no Linux

Para instalar o Pipelight e ter os plugins do Windows no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você já tem a versão anterior do Pipelight, é recomendado remover os PPAs anteriores com o comando:

sudo add-apt-repository -r ppa:mqchael/pipelight
sudo add-apt-repository -r ppa:ehoover/compholio

Passo 3. Se você já tiver o Flash instalado, desinstale-o com o comando;

sudo apt-get remove adobe-flashplugin

Passo 4. Adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:pipelight/stable

Passo 5. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora instale o ambiente com o comando:

sudo apt-get install --install-recommends pipelight-multi

Passo 7. Depois de instalar, execute o comando abaixo para atualizar o programa;

sudo pipelight-plugin --update

Ativando plugins no Pipelight

Se você quiser ativar o plugin Flash, execute o comando abaixo em um terminal (claro, com todos os navegadores fechados) e confirme digitando “Y” (sem as aspas) :

sudo pipelight-plugin --enable flash

Instale o Pipelight e tenha os plugins do Windows no Linux
Para ativar o Widevine, use o comando abaixo em um terminal (claro, com todos os navegadores fechados) e confirme digitando “Y” (sem as aspas):

sudo pipelight-plugin --enable widevine

E para Silverlight, use o comando abaixo em um terminal (claro, com todos os navegadores fechados) e confirme digitando “Y” (sem as aspas):

sudo pipelight-plugin --enable silverlight

Sempre você ativar um plugin, execute o comando abaixo para atualizar o Pipelight:

sudo pipelight-plugin --update

Agora que o Pipelight está totalmente configurado, a única coisa que resta a fazer é atualizar o Firefox usando o comando abaixo. Isso também pode ser feito para o Chrome, Midori e outros navegadores, mas para isso consulte a documentação do programa.

sudo pipelight-plugin --create-mozilla-plugins

Depois disso, abra o navegador. Será exibida uma pequena janela mostrando o download e a instalação dos plugins. Aguarde até que a instalação dos plugins seja concluída, pois esse procedimento pode demorar e não deve ser interrompido.
Instale o Pipelight e tenha os plugins do Windows no Linux

Checando os plugins no Firefox

Para confirmar, abra o Firefox, vá na menu “Ferramentas” e clique na opção “Complementos”, ou simplesmente digite o comando about:addons na barra de endereço do navegador e tecle enter:
Instale o Pipelight e tenha os plugins do Windows no Linux

Desativando os plugin

Se quiser desativar um plugin basta substituir o parâmetro --enable por --disable, como no exemplo abaixo:

sudo pipelight-plugin --disable silverlight

Plugins suportados

Para saber quais pluguins estão disponíveis, use esse comando:

pipelight-plugin --help

Instale o Pipelight e tenha os plugins do Windows no Linux

Pronto! Agora que você já instalou o suporte aos plugins do Windows no Linux, é hora de verificar se tudo está certo, antes de começar a usar o recurso.

Testando o plugin

Para testar o plugin, experimente acessar uma página que utiliza a tecnologia dele. Geralmente, existe uma página de teste no site da produtora do plugin.

Forçando a reinstalação dos plugin

Se algo parou de funcionar, você também pode querer redefinir o wineprefix para forçar uma reinstalação de todos os plugins executando esse comando:

rm -rf ~/.wine-pipelight/

Desinstalando o Pipelight no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Pipelight no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove pipelight-multi
sudo apt-get autoremove

Via Make Tech Easier

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager

Procurando um virtualizador ou emulador de máquinas poderoso com bom desempenho? Então veja aqui como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager.


QEMU é um programa de de código aberto que pode ser usado como emulador de máquina e virtualizador genérico.

Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager

Quando usado como um emulador de máquina, QEMU pode executar sistemas operacionais e programas feitos para uma máquina (por exemplo, uma placa ARM) em uma máquina diferente (por exemplo, o seu próprio PC).

Usando tradução dinâmica, ele consegue um desempenho muito bom.

Quando usado como um virtualizador, QEMU alcança perto de performances nativas, executando o código convidado diretamente na CPU hospedeira.

QEMU suporta a virtualização ao executar sob o hypervisor Xen ou usando o módulo do kernel KVM no Linux. Ao usar o KVM, QEMU pode virtualizar x86, servidor e embedded PowerPC, e S390 como convidado.

Já a aplicação virt-manager é uma interface de usuário de desktop para o gerenciamento de máquinas virtuais através da libvirt.

Ele destina-se principalmente KVM VMs, mas também gerencia Xen e LXC (recipientes Linux). Ele apresenta uma visão resumida de domínios em execução, o seu desempenho e utilização de recursos estatísticas ao vivo.

No virt-manager, assistentes permitem a criação de novos domínios, configuração e ajuste da alocação de recursos de um domínio e hardware virtual.

Para completar, um visualizador cliente de VNC e SPICE incorporado apresentam um console gráfico completo para o domínio convidado.

Conheça melhor o QEMU e o Virt Manager

Para saber mais sobre o EQMU, clique nesse link.
Para saber mais sobre o Virt Manager, clique nesse link.

Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager

Para instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager<, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install qemu-kvm qemu virt-manager virt-viewer libvirt-bin

Passo 4. Inicie o programa, digitando virt no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)
Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager
Passo 5. Se depois da instalação, ao tentar abrir o Virt Manager ocorrer o erro “Unable to connect to libvert” (Não é possível se conectar a libvert), uma solução simples para resolver este problema é reiniciar o PC e novamente tentar abrir o programa usando o Dash ou o terminal;
Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager
Passo 3. Com o programa aberto, clique no primeiro ícone a esquerda;
Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager
Passo 4. Será aberto o assistente de criação de maquina virtual. Digite um nome para a máquina, selecione a opção de instalação e em seguida, clique no botão avançar;
Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager
Passo 5. Na tela seguinte, selecione a mídia a ser usada e escolha o tipo de sistema operacional e versão. Depois, clique no botão “Avançar”;
Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager
Passo 6. Informe a quantidade de memória RAM e de CPU´s a serem usadas pela máquina virtual. Novamente, clique no botão “Avançar”;
Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager
Passo 7. Se quiser usar um disco nessa máquina, marque a opção e informe o tamanho dele. Você pode optar por alocar todo o disco no momento ou somente depois. Se quiser pode usar um disco criado anteriormente. Depois de escolher as opções que forem mais convenientes, clique no botão “Avançar”;

Passo 8. Na última tela, será mostrada todas as configurações da máquina a ser criada. Se quiser mudar algo, clique no botão “Voltar. Para iniciar a criação da máquina, clique no botão “Concluir”;
Como instalar o QEMU no Ubuntu e gerenciar ele com o Virt Manager
Pronto! Com tudo isso você já pode começar a instalar o sistema na nova máquina. Quando quiser você poderá criar outras máquinas e gerenciar as existentes, usando o Virt Manager. Aproveite e teste diferentes sistemas para ver como eles se comportam e qual deles tem o melhor desempenho no QEMU.

Via Ubuntu Geek

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
25 de setembro de 2016, 10:01
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.