22 de agosto de 2016

Modificador de estado de teclas: Instale o Xkbmod Indicator no Ubuntu

Procurando um modificador de estado de teclas simples? Então experimente instalar o Xkbmod Indicator no Ubuntu.


Por padrão, o Unity não vem com um indicador com a função de modificador de estado de teclas. Então, Abdellah Chelli criou um indicador, denominado Indicador Xkbmod, que é bastante útil para usuários com deficiência que necessitam de usar teclas de aderência.

modificador de estado de teclas

O modificador de estado de teclas Xkbmod Indicator indica o estado das seguintes teclas modificadoras: Shift, Caps Lock, Ctrl, Alt, Num Lock, Super e AltGr (e AltGr bloqueado, pois o símbolo da tecla com um ponto vermelho, significa bloqueado).

Em seu estado atual, o Indicador Xkbmod é considerado um protótipo, por isso ele pode não funcionar como esperado e por padrão, o Indicador Xkbmod só suporta temas com painéis escuros, como Ambiance.

No entanto, você pode fazer com que o Indicador Xkbmod trabalhe com qualquer tema, se configurá-lo para usar etiquetas (texto) em vez de uma imagem para o indicador.

Mas nesse caso, apenas os modificadores de teclado ativo serão exibidos, o que fará com que os indicadores mudem cada vez que você pressionar um modificador do teclado e isso pode ser bem irritante.

modificador de estado de teclas

Se você deseja que o indicador de use rótulos em vez de uma imagem, execute o Indicador Xkbmod com o parâmetro “-l” (por exemplo, se você já usou o pacote, copie o arquivo indicator-xkbmod.desktop de /etc/xdg/autostart/ para ~/.config/autostart/ e altere a linha “Exec” neste arquivo, para que o valor dela fique como “/usr/bin/indicator-xkbmod -l“).

Conheça melhor o modificador de estado de teclas Xkbmod Indicator

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o modificador de estado de teclas Xkbmod Indicator no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o modificador de estado de teclas Xkbmod Indicator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install indicator-xkbmod

Como instalar o modificador de estado de teclas Xkbmod Indicator manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Uma vez instalado, faça logout e login novamente, e o Xkbmod Indicator deve iniciar automaticamente. Ou se preferir, execute /usr/bin/indicator-xkbmod -l em um terminal.

Desinstalando o modificador de estado de teclas Xkbmod Indicator no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o modificador de estado de teclas Xkbmod Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove indicator-xkbmod
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar um Facebook Messenger no Ubuntu com o Messenger for Desktop

Que usar o Facebook Messenger no Ubuntu, mas achou essa instalação complicada? Então veja como instalar o aplicativo Messenger for Desktop, para ter o Messenger do Facebook no seu Ubuntu, sem complicações.


O Facebook oferece o portal do Messenger, um site que fornece aos usuários um serviço de mensagens instantâneas como uma alternativa para o atual bate-papo integrado, dentro da famosa rede social. Messenger fornece recursos e uma interface gráfica muito semelhante ao aplicativo móvel, com suporte para chamadas de voz, envio de fotos, adesivos (etiquetas), mensagens de voz e etc.

Como instalar um Facebook Messenger no Ubuntu com o Messenger for Desktop

Coincidindo com o lançamento do novo portal, surgiu também um novo cliente de código aberto dedicado chamado Messenger for Desktop, com versões para Linux, Microsoft Windows e Apple Mac. Messenger for Desktop é um projeto multiplataforma que visa levar as mensagens instantâneas do Facebook para nossa área de trabalho. Nas palavras do próprio site do aplicativo:

Um aplicativo simples e bonito para Facebook Messenger.
Bate-papo sem distrações em qualquer sistema operacional.

O projeto (ainda em desenvolvimento) baseia-se no novo Messenger, incluindo suporte para notificações de área de trabalho e, no futuro, uma melhor integração com os diversos sistemas operacionais e ambientes de desktop Linux (por exemplo, integrando com o MeMenu Ubuntu etc).

Conheça melhor o Messenger for Desktop

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

No procedimento a seguir você verá como instalar o Messenger for Desktop, para ter um Facebook Messenger no Ubuntu. Mas se você quiser instalar em outra distribuição, basta seguir esse outro tutorial.
Como instalar um Facebook Messenger no Linux com o Messenger for Desktop

Como instalar um Facebook Messenger no Ubuntu e derivados

Para ter um Facebook Messenger no Ubuntu e derivados, instale o Messenger for Desktop, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome facebook-messenger.deb:

wget https://github.com/Aluxian/Facebook-Messenger-Desktop/releases/download/v1.4.3/Messenger_linux32.deb -O facebook-messenger.deb

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome facebook-messenger.deb:

wget https://github.com/Aluxian/Facebook-Messenger-Desktop/releases/download/v1.4.3/Messenger_linux64.deb -O facebook-messenger.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i facebook-messenger.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

A versão mais recente do programa está em beta no momento. Se quiser experimentá-la, use o procedimento abaixo.

Como instalar um Facebook Messenger beta no Ubuntu e derivados

Para ter um Facebook Messenger beta no Ubuntu e derivados, instale o Messenger for Desktop, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome facebook-messenger.deb:

wget https://github.com/Aluxian/Facebook-Messenger-Desktop/releases/download/v1.5.0-beta.1/Messenger_linux64_V150_beta1.deb -O facebook-messenger.deb

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome facebook-messenger.deb:

wget https://github.com/Aluxian/Facebook-Messenger-Desktop/releases/download/v1.5.0-beta.1/Messenger_linux64_V150_beta1.deb -O facebook-messenger.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i facebook-messenger.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa e usar o Facebook Messenger no UBuntu, digite messenger no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Messenger for Desktop no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Messenger for Desktop no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove messengerfordesktop
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Jogue Super Mario Bros no Ubuntu com o SuperTux

Quer jogar Super Mario Bros no Ubuntu? Bom, não tem o mesmo personagem, mas experimente instalar o SuperTux e veja se gosta.


SuperTux é um jogo 2D semelhante ao jogo original Super Mario. Ele se baseia nos primeiros jogos da série Mario, da Nintendo, e traz o Tux, mascote do Linux, como atração principal.

Jogue Super Mario Bros no Ubuntu com o SuperTux

Conheça melhor o SuperTux

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Super Mario Bros no Ubuntu – veja como instalar o SuperTux

Para instalar o SuperTux pata ter um tipo de Super Mario Bros no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install supertux supertux-data

Como instalar o SuperTux manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite supertux no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o SuperTux no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o SuperTux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove supertux supertux-data
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando o conjunto de ícones planos Oranchelo no Ubuntu

Gosta de ícones planos e bonitos? Conheça e experimente o conjunto de ícones planos Oranchelo no Ubuntu e seus derivados.


O conjunto de ícones planos Oranchelo surgiu há pocuo tempo e tem recebido novos íconescontinuamente. Ele foi criado com as técnicas de design “flat” e “Flat Long Shadow”.

Instalando o conjunto de ícones planos Oranchelo no Ubuntu

Basicamente, ele é inspirado por dois temas de ícones: “super-flat-remix” e “Cornie icons“, alguns ícones também foram extraídos a partir do conjunto de ícones Plateau.

Instalando o conjunto de ícones planos Oranchelo no Ubuntu

Nas imagens acima, foi usado o tema Arc:

Conheça melhor o conjunto de ícones planos Oranchelo

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones planos Oranchelo no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones planos Oranchelo no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:oranchelo/oranchelo-icon-theme

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones planos Oranchelo usando o seguinte comando:

sudo apt-get install oranchelo-icon-theme

Como instalar o conjunto de ícones planos Oranchelo manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando o conjunto de ícones planos Oranchelo no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o conjunto de ícones planos Oranchelo no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema conjunto de ícones planos Oranchelo, usando o comando abaixo;

sudo apt-get install oranchelo-icon-theme

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via Noobs Lab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Não quero usar Unity, prefiro o WindowMaker no Ubuntu

Em vez do Unity, que tal experimentar um ambiente gráfico mais antigo, leve e bem diferente? Se você ainda não sabe qual é, estou falando do WindowMaker.


WindowMaker é um ambiente com um estilo bem diferente do que se está acostumado, com um toque de NEXTSTEP e influência de um brasileiro.

Não quero usar Unity, prefiro o WindowMaker no Ubuntu

O Window Maker é um ambiente gráfico criado pelo brasileiro Alfredo Kojima seguindo conceitos do projeto AfterStep. Ele tem uma interface estável e vem com um editor de configuração chamado WPrefs, o que elimina a necessidade de editar manualmente arquivos de configuração baseados em texto.

Window Maker tem a reputação de ser relativamente rápido e eficiente quando comparado com muitos outros gerenciadores de janelas e sistemas operacionais, e é bastante usado em máquinas mais antigas.

O ambiente também é conhecido por ser configurável e amigável, parcialmente dado seu pequeno tamanho e simplicidade que o tornam relativamente fácil de entender.

A aparência padrão pode ser confusa para quem espera uma barra de tarefas e um menu iniciar, mas todas as aplicações podem ser acessadas através de um clique com o botão direito do mouse na área no fundo de tela, o que retorna o menu principal.

Usuários de teclado também podem usar a tecla F12 para chamar o menu de aplicação e F11 para um menu de janelas.

Conheça melhor o ambiente WindowMaker

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Conheça melhor essa série

Veja como instalar o ambiente WindowMaker no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o ambiente WindowMaker no Ubuntu e seus derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Atualize o APT com o seguinte comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora instale o ambiente usando o comando abaixo:

sudo apt-get install wmaker

Saia da sessão atual, escolha a opção “Window maker” na tela de login, entre novamente e você já pode começar a experimentar o ambiente.

Desinstalando o ambiente WindowMaker no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o ambiente WindowMaker no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o ambiente WindowMaker, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove wmaker
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

21 de agosto de 2016

Resumo semanal de 15/08/2016 a 21/08/2016

Você já sabe como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.7.1? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essas postagens. Mas não se preocupe, leia o resumo semanal de 15/08/2016 a 21/08/2016 e se atualize.


Mas você já deve saber RancherOS 0.5.0 já está disponível para download? Ou já sabe como deixar seu desktop Ubuntu parecido com o Mac? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal de 15/08/2016 a 21/08/2016

Resumo semanal de 15/08/2016 a 21/08/2016

15/08/2016

16/08/2016

17/08/2016

18/08/2016

19/08/2016

20/08/2016

Conheça melhor e experimente o Endless OS

Já conhece o Endless OS? Não? Veja mais detalhes sobre essa distribuição no artigo abaixo:
Conheça Endless OS – O Linux que vem nos computadores Endless
E para completar, assista esse review do sistema:

E o unboxing de um computador Endless:

Veja também

Linux Mint 18 Sarah já está disponível para download

Ubuntu 16.04

Quem quiser experimentar o Ubuntu 16.04 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como atualizar para o Ubuntu 16.04

Quem precisar atualizar para o Ubuntu 16.04, basta seguir esses tutoriais:
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 na versão desktop
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 via terminal (server e desktop)
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 usando o disco de instalação

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

Quem acabou de mudar para o Ubuntu 16.04, pode dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

Veja também

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Mais artigos


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

20 de agosto de 2016

Conheça Black Lab Linux – uma distro focada na estabilidade e facilidade

Procurando estabilidade e facilidade de uso no mesmo sistema? Conheça um pouco mais sobre a distribuição Black Lab Linux e descubra onde baixá-la.


Black Lab Linux é uma distribuição Linux personalizada que se concentra em trazer estabilidade para o desktop Linux. Este sistema oferece alto desempenho e melhor performance de multimídia para o uso em casa, negócios e tudo mais. Curiosamente, a distro era anteriormente de OS4 OpenLinux.

Conheça Black Lab Linux - uma distribuição focada na estabilidade e facilidade

Algumas de suas características mais interessantes incluem suporte para plugins de navegadores populares, a adição de pacotes para produção multimédia, criação de conteúdo e desenvolvimento de software, e um layout de área de trabalho inovadora baseada em GNOME Shell.

Edições separadas com o KDE e Xfce também estão disponíveis. A empresa por trás da distribuição também vende um mini-sistema de desktop com Black Lab Linux pré-instalado.

Conheça melhor a distribuição Black Lab Linux

Para saber mais sobre a distribuição Black Lab Linux, clique nesse link.

Requerimentos de sistema da distribuição Black Lab Linux

512 MB de RAM (1 GB recomendado).
8 GB de espaço em disco necessário (15 GB recomendado).
placa gráfica capaz de resolução de 800 × 600.
unidade de DVD ou USB.
Teclado e mouse

Baixe e experimente o Black Lab Linux

A imagem ISO do Black Lab Linux já pode ser baixada acessando o link abaixo:
Black Lab Linux

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac

Quer deixar seu desktop Ubuntu parecido com o Mac? Isso é fácil, basta instalar o tema Zukimac, a barra Docky e mudar o visual do sistema.


Zukimac é um tema GTK 3 inspirado no tema Zukiwi. Juntando ele com a barra Docky, você pode deixar seu desktop Ubuntu parecido com o Mac, se ter que fazer alterações profundas no sistema.
Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac
Com essa combinação, você obtém o melhor dos dois mundos, o que pode ser muito útil para quem gosta do estilo OS X, está vindo desse sistema para o Linux, ou utiliza os dois sistemas habitualmente.

Conheça melhor o tema Zukimac

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Conheça melhor a barra Docky

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja como deixar seu desktop Ubuntu parecido com o Mac

Para deixar seu desktop Ubuntu parecido com o Mac, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Baixe o tema com o seguinte comando:

wget http://gnome-look.org/CONTENT/content-files/165450-Zukimac-themes.tar.bz2

Passo 3. Descompacte o arquivo baixado usando o comando abaixo:

tar -xvjf 165450-Zukimac-themes.tar.bz2

Passo 4. Use o comando abaixo para copiar a pasta criada, para a pasta de temas do sistema:

sudo cp -a Zukimac* /usr/share/themes/

Passo 5. Instale o Docky com o comando abaixo. Se quiser uma versão mais recente, use o tutorial desse link:

sudo apt-get install docky

Passo 6. Se ainda não tiver, instale o Unity Tweak Tool seguindo os passos desse tutorial:
Passo 7. Para executar o Unity Tweak Tool, clique no Dash e digite: unity
Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac
Passo 8. Dentro da ferramenta, clique na opção “Tema”;
Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac
Passo 9. Em “Temas”, clique em um dos itens que leva o nome “Zukimac”;
Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac
Passo 10. De volta a tela principal do Unity Tweak Tool, clique na opção “Rolagem”;
Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac
Passo 11. Na aba “Rolagem”, Marque a opção “Antigo”, para usar uma barra de rolagem mais parecida com o estilo do Mac;
Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac
Passo 12. Abra as “Configurações do sistema” e clique na opção “Aparência”;Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac
Passo 13. Em “Aparência” ative a opção “Ocultar automaticamente o lançador”;
Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac
Passo 13. Agora clique no Dash e digite dock, para executar a barra Docky;
Deixe seu desktop Ubuntu parecido com o Mac
Gostou? Agora seu sistema está bem mais parecido com o ambiente gráfico do Mac, mas mantendo boa parte do padrão do Unity.

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Conversor de arquivos multimídia: Instale o dmMediaConverter no Linux

Precisando de um bom conversor de arquivos multimídia? Então instale o dmMediaConverter e resolva o seu problema (e até os problemas com o pacote FFMpeg no Ubuntu).


dmMediaConverter é um software baseado no FFMpeg, que permite converter facilmente seus arquivos de áudio e vídeo em formatos populares. Entre as principais características do dmMediaConverter está a sua capacidade de combinar ou dividir um arquivo de vídeo, incluir legendas em srt, ass, ssa, mov_text, e dvdsub e muito mais.

Conversor de arquivos multimídia: Instale o dmMediaConverter no Linux

Conversor de arquivos multimídia: Instale o dmMediaConverter no Linux

Conversor de arquivos multimídia: Instale o dmMediaConverter no Linux

Conheça melhor o conversor de arquivos multimídia dmMediaConverter

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o conversor de arquivos multimídia dmMediaConverter no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o conversor de arquivos multimídia dmMediaConverter no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome dmmediaconverter.deb:

wget --no-check-certificate 'https://docs.google.com/uc?export=download&id=0B1MiTYJef5a9Xy1nV3FYNlFzME0' -O dmmediaconverter.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome dmmediaconverter.deb:

wget --no-check-certificate 'https://docs.google.com/uc?export=download&id=0B1MiTYJef5a9VzVrRjBqSnVTT2c' -O dmmediaconverter.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i dmmediaconverter.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove dmmediaconverter*

Como instalar o conversor de arquivos multimídia dmMediaConverter no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Quem quiser instalar o conversor de arquivos multimídia dmMediaConverter no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome dmmediaconverter.rpm:

wget --no-check-certificate 'https://docs.google.com/uc?export=download&id=0B1MiTYJef5a9dUdMZnUzWHBqUDQ' -O dmmediaconverter.rpm

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome dmmediaconverter.rpm:

wget --no-check-certificate 'https://docs.google.com/uc?export=download&id=0B1MiTYJef5a9RHMtSEhYQ0lob00' -O dmmediaconverter.rpm

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo rpm -i dmmediaconverter.rpm

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e dmmediaconverter*

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o atalho dele ou digite dmmedia em um terminal, seguido da tecla TAB.

Via lffl linux freedom

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como remover ícones de atalho da área de trabalho no XFCE4

Nem todo mundo gosta de atalhos no desktop, por isso, esse tutorial mostrará como remover ícones de atalho da área de trabalho no XFCE4.


O Xfce é uma ótima opção para quem gosta do Gnome mas quer um ambiente gráfico mais leve. Ele é baseado na bibilioteca GTK+ (a mesma do Gnome) e tem uma interface muito leve mesmo, podendo rodar com um bom desempenho em PCs com pouca memória.

Como remover ícones de atalho da área de trabalho no XFCE4

Por padrão o Xfce4 mostra os ícones da pasta pessoal, dispositivos e da lixeira na área de trabalho. Você não pode simplesmente removê-los a partir do menu de contexto do botão direito. Mas é fácil de esconder ou desativá-los usando as configurações do desktop XFCE, como será mostrado a seguir.

Conheça melhor o ambiente Xfce

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Como remover ícones de atalho da área de trabalho no XFCE4

Para remover ícones de atalho da área de trabalho em (X)Ubuntu/XFCE4, faça o seguinte:
Passo 1. Clique com o botão direito do mouse na área de trabalho e no menu que aparece, selecione a opção “Configurações da área de trabalho…”;
Passo 2. Em “Configurações da área de trabalho…”, clique na aba “Ícones”;
Como remover ícones de atalho da área de trabalho no XFCE4
Passo 3. Desmarque todas as caixas sob “Icones padrão”;
Passo 4. Se você quiser esconder todos os ícones da área de trabalho além de remover atalhos de aplicativos da pasta ~/Desktops, basta definir o campo “Tipo de ícone” para “Nenhum”. Observe que isso também muda o menu do botão direito do desktop.
Como remover ícones de atalho da área de trabalho no XFCE4

Pronto! Agora sua área de trabalho do Xfce está do jeito que você realmente quer.

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Instale os ícones High-Delight e Hi-Lights no Ubuntu

Precisando de ícones para dar aquela repaginada no seu desktop? Então instale os ícones High-Delight e Hi-Lights no Ubuntu e sistemas derivados.


Os ícones High-Delight foram projetados pelo mesmo criador do Hi-Light icon set. Ambos são uma espécie de similar em design, mas a arte é diferente para ambos os conjuntos. O desenvolvedor reconstruiu a maioria dos ícones nesta versão e também melhorou a outros ícones.

Instale os ícones High-Delight e Hi-Lights no Ubuntu

Este conjunto contém aproximadamente 10.000 ícones. Este jogo do ícone está em desenvolvimento ativo, por isso espero que fornecerá atualizações no futuro.

Instale os ícones High-Delight e Hi-Lights no Ubuntu

Conheça melhor os ícones High-Delight e Hi-Lights

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando os ícones High-Delight no Ubuntu e derivados

Para instalar os ícones High-Delight no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones High-Delight usando o seguinte comando:

sudo apt-get install high-delight-icons

Passo 5. Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Instalando os ícones Hi-Lights no Ubuntu e derivados

Para instalar os ícones Hi-Lights no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Hi-Lights usando o seguinte comando:

sudo apt-get install hi-lights-icons

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando o conjunto de ícones High-Delight e Hi-Lights no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o conjunto de ícones High-Delight e Hi-Lights no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones High-Delight, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove high-delight-icons

Passo 3. Desinstale o conjunto de ícones Hi-Lights, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove hi-lights-icons

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


19 de agosto de 2016

Como se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu

Se você está com dificuldade para acessar uma VPN Cisco, veja aqui como se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu.


Muitas empresas e universidades usam Cisco AnyConnect como sua solução de VPN. Embora exista um cliente Linux nativo oferecido pela Cisco, ele não é muito bem suportado, e, em alguns casos, o usuário não tem acesso ao cliente. Felizmente, há uma solução simples para esse problema chamada OpenConnect.

Como se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu

OpenConnect é um cliente para Cisco AnyConnect SSL VPN, que é suportado pela série de ASA5500, pelo sistema operacional IOS 12.4(9)T ou posterior no Cisco SR500, 870, 880, 1800, 2800, 3800, 7200 Series e Cisco 7301 roteadores e provavelmente outros.

O programa é um software livre e é distribuído sob a GNU LGPL v2.1. Com ele e o módulo do kernel TUN/TAP, você facilmente consegue se conectar a um AnyConnect VPN. Entretanto, como cliente, OpenConnect não é oficialmente suportado, ou de alguma forma associada, pela Cisco Systems.

Conheça melhor o OpenConnect

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o OpenConnect e se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu

Para instalar o OpenConnect e se conectar a Cisco AnyConnect VPN no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Instale o OpenConnect com o comando abaixo;

sudo apt-get install openconnect

Passo 3. Ative o módulo TUN com o comando:

sudo /sbin/modprobe tun

Passo 4. Conecte-se a VPN, executando o comando a seguir, substituindo “suavpn.exemplo.com” pelo endereço de sua VPN:

sudo openconnect suavpn.exemplo.com

Ele lhe pedirá para digitar o nome de usuário e senha. Uma vez que você faça a autenticação, a conexão VPN será estabelecida.

Agora, os recursos de rede, tais como pastas compartilhadas, unidades NAS, servidores e estações de trabalho devem estar disponíveis.

Mantenha a janela aberta do terminal enquanto a sessão VPN estiver ativa. Para fechar a sessão VPN, pressione Ctrl+Z na janela do terminal.

Lembre-se! Mata a janela do terminal sem fechar corretamente fora da sessão VPN pode levar a problemas ao tentar se reconectar no futuro. Felizmente, esses problemas geralmente podem ser resolvidos reiniciando a máquina.

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.7.1

Greg Kroah-Hartman anunciou o lançamento e disponibilidade da primeira atualização da série 4.7, o kernel 4.7.1. Se você quiser atualizar seu sistema para essa nova versão, veja abaixo como fazer isso.


O kernel 4.7.1 traz pequenas melhorias para as arquiteturas de hardware ARM, MIPS e x86, várias correções para o sistema de arquivos EXT4 e FUSE, atualizações relacionadas a rede, InfiniBand , TTY e drivers cPUFreq, várias correções de crypto e mm, bem como uma pilha de rede atualizada com melhorias em IPv6, IPv4, SCTP e IrDA.

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.7.1

Há também uma correção de segurança para um problema no AppArmor relacionado com um perfil hash SHA1. Portanto, se você estiver usando um sistema operacional GNU/Linux alimentado por um kernel da série Linux 4.7, você precisa atualizar para o kernel Linux 4.7.1, o mais rapidamente possível.

Para ver todas as mudanças presentes nesse kernel, acesse a nota de lançamento.

Atualizar ou não atualizar! Eis a questão

Essa série é voltada principalmente para os usuários que querem ter no seu sistema, a última versão do kernel Linux. Ela também serve para as pessoas que estão tendo problemas em algum hardware ou no reconhecimento deste e estão na expectativa de alguma correção.
Independente disso, o procedimento a seguir é muito simples e pode ser desfeito com poucos comandos, conforme mostrado no final. Na verdade, se o usuário quiser continuar dando boot pelo kernel anterior, basta apenas escolher a opção no menu do Grub e o novo kernel nem afetará seu sistema.

É 100% seguro? Nada é, mas é exatamente por isso que você deve escolher se irá ou não atualizar (e por isso coloco sempre a mensagem de alerta no texto), pois assim como no uso do software livre/open source, a liberdade de escolha é sua.

Antes de iniciar começar a atualizar o kernel do Ubuntu, saiba que este é um procedimento, que apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

Se preferir, é possível fazer a atualização para esse kernel usando a ferramenta Kernel Update, que automatiza todo o processo, conforme mostrado nesse tutorial:
Como atualizar o kernel do Ubuntu com o Kernel Update
Mas quem quiser executar e ver cada etapa da atualização, basta seguir o procedimento abaixo:

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.7.1

Para atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.7.1, faça o seguinte
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema acessando as Configurações do Sistema e a opção “Detalhes” ou usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se estiver usando um sistema de 32 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-headers-4.7.1-040701_4.7.1-040701.201608160432_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-headers-4.7.1-040701-generic_4.7.1-040701.201608160432_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-image-4.7.1-040701-generic_4.7.1-040701.201608160432_i386.deb

Passo 4. Se estiver usando um sistema de 32 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-headers-4.7.1-040701_4.7.1-040701.201608160432_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-headers-4.7.1-040701-lowlatency_4.7.1-040701.201608160432_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-image-4.7.1-040701-lowlatency_4.7.1-040701.201608160432_i386.deb

Passo 5. Se estiver usando um sistema de 64 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-headers-4.7.1-040701_4.7.1-040701.201608160432_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-headers-4.7.1-040701-generic_4.7.1-040701.201608160432_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-image-4.7.1-040701-generic_4.7.1-040701.201608160432_amd64.deb

Passo 6. Se estiver usando um sistema de 64 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-headers-4.7.1-040701_4.7.1-040701.201608160432_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-headers-4.7.1-040701-lowlatency_4.7.1-040701.201608160432_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.7.1/linux-image-4.7.1-040701-lowlatency_4.7.1-040701.201608160432_amd64.deb

Passo 7. Instale o kernel com o comando:

sudo dpkg -i linux-headers-4.7.1*.deb linux-image-4.7.1*.deb

Passo 8. Reinicie o sistema com o comando abaixo:

sudo reboot

Passo 9. Se você tiver algum problema e quiser desinstalar o kernel 4.7.1, reinicie o computador com um kernel anterior (usando Grub -> Advanced -> select previous kernel) e quando iniciar o sistema, faça login, abra um terminal e execute o comando abaixo para remover o Linux Kernel 4.7.1:

sudo apt-get remove linux-headers-4.7.1 linux-image-4.7.1

Passo 10. Finalmente atualize o menu do GRUB, com o comando:

sudo update-grub

Nota: Todos os drivers que não fazem parte da principal árvore do kernel (o que obviamente inclui drivers proprietários) devem ser recompilados para novas versões do kernel.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o Nuvola Player no Ubuntu e derivados

Saiu mais uma atualização de um dos mais completos reprodutores de musica online. se você quiser experimentar essa versão, veja como instalar o Nuvola Player no Ubuntu e derivados.


Nuvola é um reprodutor de musica online livre e de código aberto que suporta vários serviços, como o Google Play Music, 8tracks, Amazon Cloud Player, Bandcamp, Deezer, Jango, KEXP Live Stream, Logitech Media Server, Mixcloud, Plex Music, Spotify, TuneIn e Yandex Music.

Como instalar o Nuvola Player no Ubuntu e derivados

O programa possui uma interface web voltada para serviços de música em nuvem em sua própria janela e fornece integração com a área de trabalho do Linux através de teclas multimídia, media player applets, dock menu, notificações e muito mais.

Conheça melhor o Nuvola Player

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Nuvola Player no Ubuntu e derivados

Para instalar o Nuvola Player no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo sh -c 'echo "deb https://tiliado.eu/nuvolaplayer/repository/deb/ $(lsb_release -cs) stable" >> /etc/apt/sources.list.d/tiliado-nuvolaplayer.list'

Passo 3. Adicione a chave do repositório com o seguinte comando;

sudo apt-key adv --keyserver hkp://keyserver.ubuntu.com:80 --recv-keys 40554B8FA5FE6F6A

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install nuvolaplayer3

Como instalar o Nuvola Player manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite nuvolaplayer no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Nuvola Player no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Nuvola Player no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove nuvolaplayer3
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Já mostrei como instalar esse aplicativo no Ubuntu e Fedora e hoje como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente.


Se você está a procura de uma alternativa ao WhatsApp e outros comunicadores, experimente usar o Telegram no Linux.

Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Telegram é um serviço de mensagens criptografadas baseado em nuvem, rápido e que permite que você compartilhe dados ilimitados. Ao contrário do WhatsApp, Telegram é focado na segurança, velocidade e no respeito a privacidade do usuário.

Com ele você pode enviar mensagens, fotos, vídeos e arquivos de qualquer tipo (doc, zip, mp3, etc) para pessoas que estão em seus contatos de telefone e têm Telegram. Você também pode criar grupos de até 200 pessoas. O melhor é que você pode fazer tudo isso em qualquer número dos seus dispositivos, seja ele um dispositivo móvel ou um desktop.

Para aqueles usuários interessados em obter o máximo de privacidade, Telegram oferece Secret Chats, com criptografia end-to-end para garantir que a mensagem só possa ser lida pelo seu destinatário.

Quando se trata de desse recurso, nada é registrado nos servidores do serviço e você pode programar automaticamente as mensagens para a autodestruição em ambos os dispositivos, dessa forma, nunca haverá qualquer registro delas.

O serviço possui um cliente para todos os principais sistemas operacionais móveis (iOS, Android e Windows Phone). Ele também tem uma versão desktop para Windows e Mac, além de um cliente oficial Telegram no Linux. Neste artigo, veremos como instalar Telegram oficial em qualquer distribuição Linux.

Esse tutorial utiliza um procedimento de instalação manual que funciona na maioria das distribuições Linux. Se você prefere instalar usando pacotes e repositórios, veja esse outro tutorial:
Telegram no Ubuntu e Fedora: como instalar a versão oficial via repositório

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o cliente Telegram

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Para instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/telegram*
sudo rm -Rf /usr/bin/telegram
sudo rm -Rf /usr/share/applications/telegram.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome tsetup.tar.xz:

wget https://updates.tdesktop.com/tlinux32/tsetup32.0.10.1.tar.xz -O tsetup.tar.xz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome tsetup.tar.xz:

wget https://updates.tdesktop.com/tlinux/tsetup.0.10.1.tar.xz -O tsetup.tar.xz

Passo 6. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar Jxf tsetup.tar.xz -C /opt/

Passo 7. Se for necessário, renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/Telegram*/ /opt/telegram

Passo 8. Caso queira, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando:

sudo ln -sf /opt/telegram/Telegram /usr/bin/telegram

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=Telegram\n Exec=/opt/telegram/Telegram\n Icon=Telegram\n Type=Application\n Categories=Application;Network;' | sudo tee /usr/share/applications/telegram.desktop

Pronto! Agora você já tem o cliente oficial do Telegram no linux, quando quiser iniciar o programa, digite telegram no Dash do Ubuntu ou em um terminal (seguido da tecla TAB), em todas as distribuições.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/telegram.desktop
cp /usr/share/applications/telegram.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/telegram.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como deixar a interface do Telegram em Português do Brasil

Caso o programa inicie com em inglês, para deixar a interface do Telegram em Português do Brasil, faça o seguinte;
Passo 1. Na tela do programa, clique na opção “Settings”;
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Passo 2. Em “Settings”, clique em “Change language”;
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Passo 3. No menu que aparece, marque a opção “Português (Brasil)”;
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Passo 4. feito isso, aparecerá uma pequena tela pedindo para reiniciar o programa e aplicar a mudança. Confirme clicando no botão “OK”.
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Como remover o programa no Linux

Para remover o programa no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento anterior.

Via It’s F.O.S.S.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

Gosta do visual do Lubuntu? Então, que tal usar o ícones dele no seu sistema? Para isso, veja como instalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e seus derivados.


Lubuntu-Box icon set é um elegante e bem desenhado conjunto de ícones criado pela equipe do Lubuntu para seu sistema operacional.

Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

Para alcançar esse objetivo, eles fazem um trabalho árduo em cada pixel dos ícones. Nesse trabalho extremamente difícil, cada ícone está sendo retocada pixel por pixel, para obter uma interface agradável e o usuário possa se sentir confortável com o seu desktop.

Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu

Conheça melhor o conjunto de ícones Lubuntu-Box

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Lubuntu-Box usando o seguinte comando:

sudo apt-get install lubuntubox

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Como instalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, basta fazer o download do instalador .deb diretamente nesse link, e depois clicar nele para instalar manualmente.

Desinstalando o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o conjunto de ícones Lubuntu-Box no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Lubuntu-Box, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove lubuntubox

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

18 de agosto de 2016

Como instalar o driver Nvidia 370.23 no Linux

Foi lançada mais uma atualização do Nvidia Driver para Linux. Se você utiliza um hardware suportado por esse pacote, veja aqui como instalar o driver Nvidia 370.23 no Linux, ou melhor, em qualquer distribuição Linux suportada por ele.


O driver Nvidia para Linux atingiu a série 370, através do release 370.23 beta. Agora, TITAN X (Pascal) e GTX 1060 6GB são oficialmente suportadas.

Como instalar o driver Nvidia 370.23 no Linux

Para completar, o recurso de Over under-clock foi acrescentado para GTX série 1000 e posteriores. Nvidia 370,23 também traz a opção MetaMode “PixelShiftMode”, permitindo o suporte a 4K e 8K em monitores pixel shift.

Conheça melhor o driver NVIDIA

Para saber mais sobre o Driver Nvidia 370.23, clique nesse link
Para saber mais sobre o NVIDIA Linux Graphics Driver, clique nesse link

Antes de iniciar começar a instalar o driver NVIDIA 370.23 no Linux, saiba que este é um software beta e o procedimento de instalação apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

Como instalar o driver NVIDIA 370.23 no Linux

Depois, para instalar o Driver Nvidia 370.23 no linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema, usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se você estiver usando um sistema de 32 bits, baixe o instalador com o comando:

wget http://us.download.nvidia.com/XFree86/Linux-x86/370.23/NVIDIA-Linux-x86-370.23.run -O nvidia-linux.run

Passo 4. Se você estiver usando um sistema de 64 bits, baixe o instalador com o comando:

wget http://us.download.nvidia.com/XFree86/Linux-x86_64/370.23/NVIDIA-Linux-x86_64-370.23.run -O nvidia-linux.run

Passo 5. Se houver um driver proprietário já instalado, remova ele com usando o gerenciador de pacotes de sua distro e se necessário, reinicie o computador:
Passo 6. Pressione as teclas Ctrl + Alt + F1 (ou F2,F3,F4,F5,F6) para mudar para o console de comando;
Passo 7. Em seguida, entre com seu nome de usuário e senha;
Passo 8. Pare a sessão gráfica atual com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando. Se sua distribuição não suportar algum dos comandos, por favor, consulte a documentação dela:
LightDM

sudo service lightdm stop

ou

sudo /etc/init.d/lightdm stop

GDM

sudo service gdm stop

ou

sudo /etc/init.d/gdm stop

MDM

sudo service mdm stop

ou

sudo /etc/init.d/kdm stop

KDM

sudo service kdm stop

ou

sudo /etc/init.d/mdm stop

Passo 10. Torne o instalador executável com o comando:

sudo chmod +x nvidia-linux.run

Passo 11. Finalmente, inicie o instalador e siga as instruções dele:

sudo sh nvidia-linux.run

Passo 12. Depois de instalar, inicie a sessão gráfica com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando ou simplesmente reinicie o computador. Se sua distribuição não suportar algum dos comandos, por favor, consulte a documentação dela;
LightDM

sudo service lightdm start

ou

sudo /etc/init.d/lightdm start

GDM

sudo service gdm start

ou

sudo /etc/init.d/gdm start

MDM

sudo service mdm start

ou

sudo /etc/init.d/kdm start

KDM

sudo service kdm start

ou

sudo /etc/init.d/mdm start

Como desinstalar o driver NVIDIA 370.23 no Linux

Você deve guardar o arquivo do instalador, pois se por algum motivo esse driver não funcionar corretamente, desinstale-o fazendo o seguinte:
Passo 1. Pressione as teclas Ctrl + Alt + F1 (ou F2,F3,F4,F5,F6) para mudar para o console de comando;
Passo 2. Em seguida, entre com seu nome de usuário e senha;
Passo 3. Pare a sessão gráfica atual com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando. Se sua distribuição não suportar algum dos comandos, por favor, consulte a documentação dela:
LightDM

sudo service lightdm stop

ou

sudo /etc/init.d/lightdm stop

GDM

sudo service gdm stop

ou

sudo /etc/init.d/gdm stop

MDM

sudo service mdm stop

ou

sudo /etc/init.d/kdm stop

KDM

sudo service kdm stop

ou

sudo /etc/init.d/mdm stop

Passo 4. Finalmente, inicie o instalador e desinstale o driver com o comando abaixo:

sudo sh nvidia-linux.run  --uninstall

Passo 5. Depois de desinstalar, inicie a sessão gráfica com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando ou simplesmente reinicie o computador. Se sua distribuição não suportar algum dos comandos, por favor, consulte a documentação dela;
LightDM

sudo service lightdm start

ou

sudo /etc/init.d/lightdm start

GDM

sudo service gdm start

ou

sudo /etc/init.d/gdm start

MDM

sudo service mdm start

ou

sudo /etc/init.d/kdm start

KDM

sudo service kdm start

ou

sudo /etc/init.d/mdm start

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Não quero usar Unity, prefiro o BlackBox no Ubuntu

Não gosta de usar o Unity? Tudo bem, pois existe uma boa quantidade de opções para você usar. Dentre elas, destaque para o BlackBox. Se isso lhe interessa, conheça um pouco mais sobre ele e veja como instalar o ambiente BlackBox no Ubuntu.


O BlackBox é um gerenciador de janelas de código aberto. Ele se destaca pela sua leveza, sendo ideal para quem usa computadores com poucos recursos e não quer abrir mão de uma interface gráfica. Apesar disso, ele também pode ser usado em computadores potentes, tendo um desempenho melhor que a maioria dos outros ambientes gráficos.

Não quero usar Unity, prefiro o BlackBox no Ubuntu

Esse ambiente é muito minimalista em sua abordagem como um gerenciador de janelas, tanto é que ele não traz ícones e atalhos de teclado, manuseio, menus chamativos, ferramentas e gadgets. Todos estes estão disponíveis através de ferramentas ferramentas de terceiros e add-ons, que você pode adicionar ao seu ambiente como quiser.

Ele não tem barra de tarefas, assim, se você minimizar uma janela, ela fica completamente escondida fora do ambiente de trabalho e você pode recuperá-lo a partir de um menu de contexto do desktop. Entretanto, barras de tarefas também podem ser adicionadas, por meio de ferramentas de terceiros.

Não quero usar Unity, prefiro o BlackBox no Ubuntu

O BlackBox fez tanto sucesso gerou alguns projetos derivados que se propuseram a continuar sua linha inicial de desenvolvimento. Alguns desses projetos são o FluxBox e o OpenBox, ambientes que serão vistos mais adiante.

Conheça melhor o ambiente gráfico BlackBox

Para saber mais sobre esse ambiente, clique nesse link.

Conheça melhor essa série

Instalando o BlackBox no Ubuntu e derivados

Ainda que você não tenha um computador antigo ele também serve para seu PC moderno. Por isso, se quiser instalar o BlackBox no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Feche todos os seus aplicativos em execução;
Passo 2. Abra um terminal (pressionando as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o ambiente com o comando:

sudo apt-get install blackbox

Saia da sessão atual e quando aparecer a tela de login, escolha o BackBox. Entre com seu usuário e senha e depois comece a experimentar o ambiente.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu

Foi lançada mais uma versão do editor de vídeo LiVEs. Se você quiser experimentar essa versão, veja aqui como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu.


O editor de vídeo LiVEs é um software livre e também uma ferramenta para VJ escrita em C, Perl e Python. LiVES é projetado para ser simples de usar, mas poderoso, pois ele é pequeno no tamanho, mas tem muitas características avançadas.

Como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu

Ele permite ao usuário manipular vídeo em tempo real ou não. O programa também tem características que vão além de aplicativos de edição de vídeo tradicionais, por exemplo, ele pode ser controlado e monitorado remotamente através de uma rede, e tem facilidades para streaming de e para uma outra cópia do LiVEs.

O programa utiliza um sistema de plugins para reprodução de vídeo, efeitos, codificadores e decodificadores. As APIs para estes agora estão bem definidas e por causa disso, o aplicativo pode ser facilmente estendido.

Conheça melhor o editor de vídeo LiVEs

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install lives

Como instalar o editor de vídeo LiVEs manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, basta fazer o download do instalador .deb diretamente nesse link, e depois clicar nele para instalar manualmente.
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite lives no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Como desinstalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu e seus derivados

Caso não tenha gostado ou não precise mais do programa, para desinstalar o editor de vídeo LiVEs, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Use o comando abaixo para desinstalar o programa;

sudo apt-get remove lives
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Lembretes: Instale Reminder Indicator no Ubuntu e derivados

Se você procura uma maneira fácil de lembrar das coisas que precisa fazer, o Indicador Remindor pode ajudá-lo. Por isso, veja aqui como instalar esse importante indicador de lembretes no Ubuntu e derivados


Indicador Remindor é um aplicativo indicador que permite agendar lembretes. Um lembrete pode ser configurado para mostrar uma notificação, reproduzir um som, e/ou executar um comando. Indicador Remindor tem um recurso de programação poderoso que permite agendar lembretes para repetir todos os dias, todas as segundas, a cada 30 dias, etc. Eles também pode ser configurado para repetir de minuto em minuto ou de hora em hora.

Lembretes: Instale Reminder Indicator no Ubuntu e derivados

Conheça melhor o indicador de lembretes Indicador Remindor

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

Instalando o indicador de lembretes Indicador Remindor no Ubuntu e derivados

Indicador Remindor está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu (começando com o Ubuntu 16.04) e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install indicator-remindor. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:bhdouglass/indicator-remindor

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install indicator-remindor

Como instalar o Reminder Indicator manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite remindor no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o indicador de lembretes Reminder Indicator no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o indicador de lembretes Reminder Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:bhdouglass/indicator-remindor --remove
sudo apt-get remove indicator-remindor
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Assistir Netflix no Linux usando Firefox será possível em breve

Se você é usuário do Firefox e tem de usar o Chrome para assistir o Netflix no Linux, logo isso acabará. Acontece que a próxima versão do Firefox virá com a tecnologia que permite fazer isso.


Mesmo já sendo possível assistir Netflix no Linux, até o momento, isso só funciona no Chrome. Embora não seja um problema para muitos usuários, quem gosta do Firefox geralmente não gosta muito de ter que usar outro navegador penas para usar um serviço

Assistir Netflix no Linux usando Firefox será possível em breve

A boa noticia é que em breve esse problema estará resolvido na próxima versão do Firefox (49). Com lançamento previsto para o próximo mês de setembro, o Firefox 49 para Linux virá com suporte para vídeos em HTML5 protegidos por DRM. Com a novidade, Netflix e outros serviços de streaming passarão a funcionar no navegador da Mozilla, assim como já acontece no Google Chrome.

Para conseguir essa façanha, o navegador receberá o suporte para o recurso EME (encrypted media extensions), o que permitirá que serviços como Netflix e Amazon possam entregar vídeos em HTML5, com alguma proteção contra a captura e cópia dos vídeos (necessária para a manutenção de seus negócios).

Para implementar a tecnologia DRM, o navegador terá de usar um pequeno plugin de código fechado, que será baixado automaticamente quando o usuário abrir o browser.

O plugin é conhecido como o Widevine CDM (do Google), ou gerenciador de descriptografia de conteúdo, e é o mesmo plugin usado pelo Chrome. Por questões de segurança, esse plugin só será habilitado quando você visitar um site que exige DRM (como o Netflix).

O Firefox 49 tem lançamento agendado para o próximo dia 13 de setembro, e certamente as distribuições Linux irão disponibilizá-lo pouco depois disso, através de updates de sistema.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como ocultar a barra de ferramentas de controle do Rhythmbox

Se você não gosta dela ou precisa de mais espaço na tela do programa, veja aqui como ocultar ou exibir a barra de ferramentas de controle do Rhythmbox.


Uma das vantagens dos chamados software livres é que a própria comunidade atende as demandas dos usuários. No caso do Rhythmbox, isso não é diferente. Uma prova disso é que um desenvolvedor criou um plugin que permite ocultar ou exibir a barra de ferramentas de controle do programa, assim que o aplicativo é iniciado.

Como ocultar a barra de ferramentas de controle do Rhythmbox

Nesse tutorial rápido, será mostrado como instalar e ativar o plugin “Barra de Ferramentas Alternativa” e usá-lo para substituir a barra de ferramentas de controle do Rhythmbo, e enfim, deixar o programa como você realmente quer.

Como ocultar a barra de ferramentas de controle do Rhythmbox

O plugin “Barra de Ferramentas Alternativa” está disponível nos repositórios oficiais de algumas versões do Ubuntu, no entanto, não é a versão mais recente. Por isso, para ter a última versão desse programa no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:fossfreedom/rhythmbox-plugins

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-alternative-toolbar

Passo 5. Para aqueles que não querem adicionar o PPA, basta fazer o download do pacote .deb (“rhythmbox-plugin-alternative-toolbar_xxx_all.deb”) a partir desse link e instalar manualmente.
Passo 6. Depois de instalado, inicie o Rhythmbox digitando rhythmbox no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).
Passo 7. Para ativar o plugin, acesse o menu “Ferramentas” e clique no item “Plugins…”;
Como ocultar a barra de ferramentas de controle do Rhythmbox
Passo 8. Na tela que aparece, marque e ative o plugin “Barra de Ferramentas Alternativa” (AlternativeToolbar).
Como ocultar a barra de ferramentas de controle do Rhythmbox

Como ocultar a barra de ferramentas de controle do Rhythmbox
Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

17 de agosto de 2016

ReactOS 0.4.2 já está disponível para download! Baixe agora!

A equipe do projeto ReactOS anunciou o lançamento do ReactOS 0.4.2. Conheça mais um pouco sobre o sistema e descubra onde baixá-lo.


ReactOS é o sistema operacional resultante de um esforço de código aberto para desenvolver um sistema operacional de qualidade que seja compatível com aplicações e drivers escritos para a família Microsoft Windows NT de sistemas operacionais (NT4, 2000, XP, 2003).

ReactOS 0.4.2 já está disponível para download

O sistema é baseado nos melhores princípios de design encontrados na arquitetura do Windows NT. Escrito completamente do zero, ReactOS não é um sistema baseado em Linux e não compartilha nada da arquitetura UNIX.

O principal objetivo do projeto ReactOS é fornecer um sistema operacional que é bináriamente compatível com o Windows. Isso permite que os aplicativos e drivers do Windows possam ser executados como se estivessem em um sistema Windows.
ReactOS 0.4.1 já está disponível para download

ReactOS 0.4.1 já está disponível para download

Além disso, o sistema utiliza a mesma aparência do sistema operacional Windows, de modo que as pessoas acostumadas a interface familiar do Windows simplesmente usem o ReactOS sem nenhuma curva de aprendizado. O objetivo final do ReactOS é permitir que as pessoas possam usá-lo como uma alternativa ao Windows, sem a necessidade de alterar o software que eles estão acostumados.

Isso tudo torna o ReactOS uma excelente opção para ser usado em uma máquina virtual para executar softwares legados (sim, aqueles que você não consegue deixar de usar ou foram abandonados pela produtora).

Novidades do ReactOS 0.4.2

Nessa versão, além das alterações habituais para as dependências externas, como Wine e UniATA, muito trabalho tem foi feito para aperfeiçoar a experiência de usar o ReactOS, especialmente no que diz respeito ao shell gráfica e ao explorador de arquivos.

ReactOS 0.4.2. melhora a compatibilidade com aplicativos do Windows via WINE e inclui a capacidade de ler e escrever em vários sistemas de arquivo Unix/Linux/BSD, incluindo ext, ReiserFS e UFS.

O suporte nativo para estes sistemas de arquivos deve melhorar ainda mais a interoperabilidade, e tornar tudo consideravelmente mais fácil do que a que atual experiência oferecida pelo próprio Windows.

Conheça melhor o ReactOS

Para saber mais sobre o sistema ReactOS, clique nesse link.
Para saber mais sobre essa versão do sistema, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o ReactOS 0.4.2

A imagem ISO do ReactOS 0.4.2 já pode ser baixada acessando o link abaixo:
ReactOS 0.4.2

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Multiload-ng – um monitor de sistema alternativo para LXDE, XFCE e MATE

Procurando um monitor de sistema alternativo para LXDE, XFCE, MATE e outros ambientes? Pois então conheça e veja como instalar o Multiload-ng no Ubuntu e sistemas derivados.


Multiload-ng é um monitor de sistema gráfico GTK2 para o Xfce, LXDE e painéis do MATE, que é um fork do velho miniaplicativo GNOME Multiload. Ele também pode ser executado em uma janela independente.

Multiload-ng - um monitor de sistema alternativo para LXDE, XFCE e MATE

Multiload-ng oferece gráficos da CPU, memória, rede, troca, média de carga, disco e temperatura. Além disso ele é altamente personalizável e suporta esquemas de cores, podendo adapta-se automaticamente às mudanças de contêiner.

Em comparação com o antigo miniaplicativo Multiload, Multiload-ng vem com um gráfico adicional (temperatura), mais personalizações individuais de gráficos, como a cor da borda indivídual, suporte a esquemas de cores. Para completar, ele responde a eventos com ações personalizáveis do mouse, e a orientação pode ser definida independentemente da orientação do painel.

O melhor de tudo é que ele também pode ser executado em uma janela independente, sem um painel.
Multiload-ng - um monitor de sistema alternativo para LXDE, XFCE e MATE

Conheça melhor o Multiload-ng

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Multiload-ng no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Multiload-ng no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o Multiload-ng no LXDE (Lubuntu), use o comando abaixo ou procure pelo pacote na Central de programas do Ubuntu;

sudo apt install lxpanel-multiload-ng-plugin

Passo 5. Para instalar o Multiload-ng no Xfce (Xubuntu, Linux Mint Xfce), use o comando abaixo ou procure pelo pacote na Central de programas do Ubuntu;

sudo apt install xfce4-multiload-ng-plugin

Passo 6. Para instalar o Multiload-ng no MATE (Ubuntu MATE, Linux Mint MATE), use o comando abaixo ou procure pelo pacote na Central de programas do Ubuntu;

sudo apt install mate-multiload-ng-applet

Passo 7. Para instalar o Multiload-ng como standalone (não requer um painel), use o comando abaixo ou procure pelo pacote na Central de programas do Ubuntu;

sudo apt install multiload-ng-standalone

Como instalar o Multiload-ng manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite multiload no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Multiload-ng no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Multiload-ng no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8 --remove
sudo apt-get remove multiload*
sudo apt-get autoremove

Via Web Upd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

SSH gráfico no Linux – veja como instalar o SecPanel

Se você está a procura de um cliente SSH gráfico no Linux, que permita fazer praticamente tudo, veja como instalar o SecPanel e resolva seu problema de vez.


SecPanel é um software livre distribuído sob GPL e que fornece uma interface gráfica para gerenciamento e execução de SSH (Secure Shell) e conexões SCP (Secure Copy) via OpenSSH. Ele facilita a distribuição de chaves e outras tarefas relacionadas com a utilização desses programas. O programa é escrito inteiramente em Tcl/Tk puro e não necessita de quaisquer extensões, mas requer versão 8.x do Tcl e TK.

SSH gráfico no Linux - veja como instalar o SecPanel

Vale lembrar que o SecPanel não é uma nova implementação do protocolo SecureShell ou uma suíte de software SSH. Ele na verdade é um cliente SSH e suporta a versão do SSH.com e do OpenSSH.

Conheça melhor o cliente SSH SecPanel

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o SecPanel, um cliente SSH gráfico no Linux Ubuntu e seus derivados

SecPanel está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu. Por isso, para instalar esse cliente SSH gráfico no Linux Ubuntu, você pode usar a Central de programas do sistema, ou fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Para receber a versão mais recente, atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install secpanel

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite secpanel no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o cliente SSH SecPanel no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o cliente SSH SecPanel no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove secpanel

Via UbuntuGeek

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

SSH no Ubuntu : como ativar e acessar o sistema remotamente

Quer controlar seu PC a distância e sem complicações? Então veja aqui como ativar SSH no Ubuntu, Debian e derivados e acessá-lo remotamente, para usá-lo como se estivesse usando um terminal local.


Secure Shell (SSH) é um protocolo para acessar uma máquina remota em segurança, que permite a execução de linha de comando (e com alguns ajustes, programas gráficos), transferência de arquivos, e até mesmo criar redes privadas virtuais seguras através da Internet.

SSH no Ubuntu: como ativar e acessar o sistema remotamente

A grande vantagem de usar esse protocolo é a segurança e a simplicidade do acesso. Você trabalhará como se estivesse usando um terminal localmente e poderá fazer tudo que normalmente é possível, nesse tipo de interface.

Conheça melhor o SSH

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como ativar SSH no Ubuntu, Debian e derivados e acessá-lo remotamente

Por padrão, o Ubuntu não vem com esse recurso ativo, mas você pode facilmente ativá-lo através da instalação do pacote do servidor OpenSSH. Por isso, para ativar SSH no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Instale o pacote openssh-server a partir da Central de programas ou execute o comando abaixo:

sudo apt-get install openssh-server

Passo 3. Uma vez instalado, o serviço SSH deve ser iniciado automaticamente. Se necessário, você pode iniciar o serviço manualmente através do comando (para parar, substitua “start” por “stop”):

sudo service ssh start

Passo 4. Normalmente, é possível acessar a máquina remota via SSH através do comando (substitua “nomeusario” pelo nome do usuário e “ip-remoto” pelo endereço IP da máquina remota):

ssh nomeusuario@ip-remoto

Passo 5. A porta padrão do SSH é a 22, caso a máquina remota esteja usando outra, é possível informar isso no comando, usando o seguinte formato (substitua “nomeusario” pelo nome do usuário e “ip-remoto” pelo endereço IP da máquina remota e “numeroporta” pelo número da porta): :

ssh nomeusuario@ip-remoto -p numeroporta

Pronto! Agora sempre que quiser, você pode administrar seu sistema remotamente.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale o simulador de voo FlightGear no Ubuntu

Que tal ter um verdadeiro simulador de voo (que também é um jogo) no seu sistema? Parece impossível mas não é, basta instalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e sistemas derivados.


FlightGear é um simulador de vôo de código-fonte aberto. Ele suporta uma variedade de plataformas populares (Windows, Mac, Linux, etc.) e é desenvolvido por voluntários qualificados de todo o mundo. O código fonte de todo o projeto está disponível e licenciado sob a GNU General Public License.

Instale o simulador de voo FlightGear no Ubuntu

O objetivo do projeto FlightGear é criar um sofisticado e aberto simulador de voo para uso em ambientes de pesquisa ou acadêmico, formação de pilotos, como uma ferramenta de engenharia da indústria, e por último, mas certamente não menos importante, como um divertido, realista e desafiador simulador de voo para desktop.

É um jogo realista, sendo jogado por usuários normais e futuros pilotos de avião, por causa de seus detalhes precisos. Ele permite que o usuário possa voar em aeronaves, helicópteros, aviões ou modernos aviões de combate em muitas faixas.

Existe um site que possui diversas informações sobre esse simulador. O Flightgearlinux é um blog voltado para aficionados em simuladores de voo e sistema operacional Linux, que traz muita informação sobre o FlightGear. Lá você verá como instalar ou atualizar o programa, fazer download de cenários, resolver problemas e muito mais.

Conheça melhor o simulador de voo FlightGear

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Como instalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e derivados

Para instalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:saiarcot895/flightgear

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install flightgear

Como instalar o simulador de voo FlightGear manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele). Além disso, na página de download do programa, existem pacotes ou instruções para Gentoo, openSuse e Fedora/Redhat.
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flightgear no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o simulador de voo FlightGear no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:saiarcot895/flightgear --remove
sudo apt-get remove flightgear
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar a versão mais recente do VirtualBox no Linux

Se você usa o virtualizador desktop da Oracle e quer estar sempre com as últimas funcionalidades a sua disposição, veja nesse tutorial como instalar a versão mais recente do VirtualBox no Linux.


VirtualBox é o software de virtualização x86 e AMD64/Intel64 da Oracle. Ele pode ser usado por usuários empresariais e domésticos, e roda como hospedeiro em Windows, Linux, Macintosh e Solaris, suportando um grande número de sistemas operacionais convidados, incluindo mas não limitado ao Windows (NT 4.0, 2000, XP, Server 2003, Vista, Windows 7, Windows 8), DOS/Windows 3.x, Linux (séries 2.4, 2.6 e 3.x), Solaris e OpenSolaris, OS/2 e OpenBSD.

Como instalar a versão mais recente do VirtualBox no Linux

Além disso, o programa também é a única solução profissional de alto desempenho que está disponível gratuitamente como software de código aberto sob os termos da GNU General Public License (GPL) versão 2.
O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Nesse tutorial, você verá como instalar a versão mais recente do Virtualbox no Linux, pois embora não seja garantido, o procedimento abaixo deverá funcionar na maioria das distribuições Linux.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o VirtualBox

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais detalhes sobre a versão mais recente do VirtualBox, clique nesse link.

Deixando sua VM VirtualBox mais completa

Depois de fazer o procedimento de instalação do VritualbBox, se você quiser ver como instalar os Adicionais para Convidado no VirtualBox, assista esse vídeo:

Como instalar a versão mais recente do VirtualBox no Linux

Para instalar a versão mais recente do VirtualBox no Linux, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se você estiver usando um sistema de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página (opção “All distributions”) e baixe a última versão e salve-o com o nome virtualbox.run:

wget http://download.virtualbox.org/virtualbox/5.1.4/VirtualBox-5.1.4-110228-Linux_x86.run -O virtualbox.run

Passo 4. Se você estiver usando um sistema de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página (opção “All distributions”) e baixe a última versão e salve-o com o nome virtualbox.run:

wget http://download.virtualbox.org/virtualbox/5.1.4/VirtualBox-5.1.4-110228-Linux_amd64.run -O virtualbox.run

Passo 5. Torne o arquivo executável com o comando abaixo;

chmod +x virtualbox.run

Passo 6. Inicie a instalação do programa, com o seguinte comando;

sudo ./virtualbox.run

Passo 7. Siga os passos do instalador e se necessário, responda as questões feitas por ele, que em pouco tempo o programa estará instalado e pronto para ser usado.

Instalando a versão mais recente do VirtualBox no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar a versão mais recente do VirtualBox no Linux Ubuntu, Debian e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do aplicativo, usando o seguinte comando (para Linux Mint, substitua o “$(lsb_release -cs)” no código pelo codinome do lançamento do Ubuntu que ele se baseia, como trusty, precise, raring e etc):

sudo sh -c 'echo "deb http://download.virtualbox.org/virtualbox/debian $(lsb_release -cs) contrib" >> /etc/apt/sources.list.d/virtualbox.list'

Passo 3. Agora instale a chave do repositório usando o seguinte comando:

wget -q https://www.virtualbox.org/download/oracle_vbox.asc -O- | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. A versão 5.1 conflita com versões anteriores, por isso, se estiver usando uma delas, desinstale-as com esse comando;

sudo apt remove virtualbox virtualbox-5.0 virtualbox-4.*

Passo 6. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install virtualbox-5.1

Passo 7. Se depois você precisar desinstalar, use o comando abaixo:

sudo apt-get remove virtualbox-5.1

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite virtualbox em um terminal, seguido da tecla TAB. Já se a sua distribuição suportar, use um atalho para iniciar o programa. Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivo para executar o programa, apenas clicando em seu ícone, dentro da pasta dele.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

16 de agosto de 2016

Maui 1 já está disponível para download

Saiu Maui 1, mais uma distribuição com KDE Plasma desktop, só que com alguns programas que não são do KDE. Conheça mais um pouco sobre ela e descubra onde baixar a distro.


Maui Linux é uma distribuição desktop Linux baseada no KDE neon e com ambiente KDE Plasma desktop. Além de proporcionar uma distribuição centrada no KDE com muitos pacotes populares do KDE incluídos no Live DVD, o projeto também se concentra na integração de software não-KDE (como o Firefox, Thunderbird ou VLC), com a infra-estrutura subjacente do ambiente de trabalho Plasma.

Maui 1 já está disponível para download

Maui vem com o Linux Kernel 4.4.0~36, Plasma 5.7.3 on Qt5.7.0, Frameworks 5.24, KDE Applications 16.04.3, Firefox 48.0, Thunderbird 38.6.0, LibreOffice 5, Virtualbox 5, VLC 2.2.2, Gmusicbrowser 1.1.15, Kamoso 3.2 e muito mais.

Conheça melhor a distribuição Maui

Para saber mais sobre a distribuição Maui, clique nesse link.
Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o Maui 1

A imagem ISO do Maui 1 já pode ser baixada acessando o link abaixo:
Maui 1

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu

LXQt é baseado na biblioteca QT e é praticamente o ambiente gráfico da distribuição LXDE. Se você quiser experimentar esse desktop, veja aqui como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu e derivados.


LXQt é resultado da fusão entre os projetos LXDE-Qt e Razor-qt: um ambiente de desktop leve, modular, super rápido e fácil de usar. O ambiente é uma boa opção para quem não quer ficar no Unity ou quer experimentar novos ares.

Como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu

Ele usa o gerenciador de janelas Openbox, gerenciador de arquivos PCManFM-Qt (que é um port em qt do PCManFM), o painel de desktop razor-panel, bem como outros itens Qt, como seus Core Components.

Como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu

Conheça melhor o ambiente gráfico LXQt

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o ambiente LXQt no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o ambiente LXQt no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository -y ppa:lubuntu-dev/lubuntu-daily

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Atualize o sistema com o comando:

sudo apt-get upgrade

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install lxqt-metapackage lxqt-panel openbox

Uma vez que a instalação estiver concluída, saia da sua sessão atual do Ubuntu. Na tela de login, clique no ícone usado para escolher o ambiente gráfico (o circulo branco). Você será apresentado a uma tela com todas as opções de ambientes de desktop atualmente instalados. A mais recente adição a esta lista será o LXQt. Clique nesta opção e faça login novamente.

Como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu

Como instalar o ambiente gráfico LXQt em outras distribuições

Para instalar o ambiente gráfico LXQt em outras distribuições, acesse a página do projeto e clique no ícone da distro.

Desinstalando o ambiente LXQt no Ubuntu e derivados

Se você não gostar ou se arrepender, para desinstalar o ambiente LXQt no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository -y ppa:lubuntu-dev/lubuntu-daily --remove
sudo apt-get remove lxqt-metapackage lxqt-session lxsession
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

Precisando executar aplicativos do Windows no Ubuntu? Então veja aqui como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu e sistemas derivados.


O Wine é um software livre e de código aberto, que tem como objetivo permitir que os aplicativos desenvolvidos para Microsoft Windows possam ser executados no Linux, Mac, FreeBSD e Solaris. O programa é muito importante para ex-usuários do sistema operacional Windows ou para qualquer pessoa que ainda precisa usar os aplicativos desse sistema no Linux.

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

Para aqueles que não sabem nada sobre o projeto, o Wine (originalmente um acrônimo para “Wine Is Not an Emulator” ou “Wine não é um emulador”) é uma camada de compatibilidade capaz de executar aplicativos Windows em vários sistemas operacionais compatíveis com POSIX, como Linux, Mac OSX, e BSD.
Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

Em vez de simular a lógica interna do Windows como faz uma máquina virtual ou emulador, o Wine traduz on-the-fly as chamadas de API do Windows em chamadas POSIX. Isso elimina a perda do o desempenho e da memória que ocorrem em outros métodos, e permite integrar de forma limpa aplicações Windows em seu ambiente de trabalho.

Wine começou em 1993 sob a coordenação inicial de Bob Amstadt como uma forma de suportar a execução de programas do Windows 3.1 no Linux. Muito cedo, a liderança sobre o desenvolvimento do Wine foi passada para Alexandre Julliard, que mantém o projeto desde então.

Ao longo dos anos, como a API e as aplicações do Windows têm evoluído para tirar proveito de novos hardwares e softwares, Wine foi adaptado para suportar novos recursos, o tempo todo sendo portado para outros sistemas operacionais, tornando-se mais estável, e proporcionando uma melhor experiência do usuário.

Um projeto ambicioso por definição, os trabalhos no Wine continuariam constantemente por 15 anos até o programa finalmente alcançar versão 1.0, a primeira versão estável, em 2008.

Vários lançamentos mais tarde, o Wine ainda está sob desenvolvimento ativo até hoje, e embora não haja mais trabalho a ser feito, estima-se que milhões de pessoas usam o Wine para executar programas Windows sobre o sistema operacional de sua escolha.

Basicamente, ao instalar o Wine no Ubuntu, por exemplo, você pode executar softwares feitos para o sistema operacional Windows em outros sistemas operacionais, sem a necessidade de instalar o sistema operacional físico.

Ele também fornece implementações alternativas das bibliotecas DLL, que são chamados pelos programas do sistema operacional da Microsoft. Dessa forma, você pode rodar aplicativos para Windows no Linux, sem complicações.

Conheça melhor o Wine

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link ou veja essa série de artigos:
Instalando e manipulando aplicativos para Windows no Linux e outros assuntos relacionados
O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

Para instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório da equipe Wine com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntu-wine/ppa

Passo 3. (opcional) O repositório da equipe Wine não foi atualizado por quase 6 meses. Para aqueles que querem as últimas atualizações e correções para a série estável do Wine 1.8, você pode utilizar temporariamente através do repositório de Rico Tzschichholz;

sudo add-apt-repository ppa:ricotz/unstable

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install wine1.8 winetricks

Como instalar a versão de desenvolvimento do Wine no Ubuntu

A versão de desenvolvimento do Wine dá acesso às últimas funcionalidades do programa bem antes do lançamento da versão estável.
Para instalar a versão de desenvolvimento do Wine no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, acesse o tutorial abaixo para ativar o suporte a 32-bits no Ubuntu de 64-bits;
Como ativar o suporte a 32-bits no Ubuntu de 64-bits
Passo 4. Depois, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:wine/wine-builds

Passo 5. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install --install-recommends winehq-devel

Experimentando os novos recursos do Wine bem antes da versão padrão

Além da versão de desenvolvimento, se você usa o aplicativos Windows no Linux e quer experimentar os novos recursos do Wine bem antes da versão padrão, veja como fazer isso usando o Wine Staging, acessando o tutorial abaixo:
Experimente os novos recursos do Wine mais rápido com Wine Staging

Instalar e executando aplicativos para Windows no Linux com Wine

Uma vez instalado o Wine no Ubuntu, você já pode testar o programa. Para instalar e rodar aplicativos para Windows no Linux, abra o Nautilus (ou outro gerenciador de arquivo que suporte o programa) e vá para uma pasta onde está um programa Windows e clique com o botão direito do mouse. No menu que aparece, clique na opção “Open With Wine” (Abrir com o Wine).
Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu
Ou abra um terminal e vá para uma pasta onde está um programa Windows e digite:

wine programa

Só não esqueça de substituir “programa” pelo nome do executável Windows.

Desinstalando o Wine no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Wine no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o Wine, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove wine1.8 winetricks
sudo apt-get autoremove

Passo 2. Desinstale a versão de desenvolvimento do Wine, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove winehq-devel
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando a versão mais recente do TLP no Ubuntu

Se você procura uma forma de fazer o gerenciamento de energia de seu laptop ou dispositivo móvel com Linux, o TLP pode ser uma boa opção. O programa, foi atualizado recentemente e está cada vez mais completo e fácil de usar.


Para aqueles não familiarizados com o TLP, esta é uma ferramenta avançada de gerenciamento de energia que aplica várias configurações e ajustes para ajudar o seu laptop a economizar bateria.

Instalando a versão mais recente do TLP no Ubuntu

O aplicativo tenta fazer tudo automaticamente, dependendo da sua distribuição Linux e do hardware usado (ele é executado em segundo plano e não vem com uma interface gráfica). No entanto, você pode alterar manualmente as configurações editando o arquivo de configuração TLP /etc/default/tlp.

TLP foi atualizado recentemente, trazendo várias melhorias, junto com outras mudanças e correções de bugs.

A lista completa de recursos TLP pode ser encontrado nesse link.

Conheça melhor a ferramenta de gerenciamento de energia TLP

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a ferramenta de gerenciamento de energia TLP no Ubuntu e seus derivados

A partir do Ubuntu 15.10, o TLP já está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu e pode ser instalado pela Central de programas ou via comando: sudo apt-get install tlp
Mas se você estiver usando uma versão anterior, para instalar a ferramenta de gerenciamento de energia TLP no Ubuntu 12.04, 14.04 e 15.04, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Caso você esteja o utilitário laptop-mode-tools, é melhor remover ele antes de instalar o TLP, para evitar possíveis conflitos. Para fazer isso, use o seguinte comando:

sudo apt-get purge laptop-mode-tools

Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:linrunner/tlp

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install tlp

Passo 6. O TLP será iniciado automaticamente na inicialização, mas se você quer evitar ter de reiniciar o sistema depois da instalação, você pode iniciá-lo manualmente, usando o seguinte comando:

sudo tlp start

Como instalar a ferramenta de gerenciamento de energia TLP em outras distribuições

Para saber como instalar o TLP no Fedora, Debian, Arch Linux ou Gentoo, veja a página de instalação do programa.

Desinstalando a ferramenta de gerenciamento de energia TLP no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a ferramenta de gerenciamento de energia TLP no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove tlp
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Conectar a VPN Cisco: instale a ferramenta gráfica vpnc-gui

Quem utiliza e quer se conectar a VPN Cisco no Debian, Ubuntu e derivados, basta usar o vpnc-gui. Um programa simples mais completo para esse tipo de tarefa.


vpnc-gui é um simples aplicativo escrito em gambas3, que nos permite gerenciar conexões VPN Cisco com um front-end gráfico conveniente e prático.

Conectar a VPN Cisco: instale a ferramenta gráfica vpnc-gui

Com vpnc-gui, você pode:

  • Criar arquivo conf;
  • Excluir arquivo conf;
  • Ver arquivo conf;
  • Ligar/Desligar uma conexão a VPN Cisco.

vpnc-gui localiza o arquivo .conf existente no /etc/vpnc e configura uma lista de conexões. Com isso, se você precisar se conectar a uma VPN, você simplesmente escolhe a conexão no menu e clica no botão “Connect”.

Veja algumas imagens e conheça melhor o vpnc-gui, a ferramenta para se conectar a VPN Cisco

Conectar a VPN Cisco: instale a ferramenta gráfica vpnc-gui
Conectar a VPN Cisco: instale a ferramenta gráfica vpnc-gui
Conectar a VPN Cisco: instale a ferramenta gráfica vpnc-gui
Conectar a VPN Cisco: instale a ferramenta gráfica vpnc-gui

Conheça melhor o vpnc-gui

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

A instalação desse aplicativo não é garantida em todas as versões dos sistemas Debian, Ubuntu e derivados. De qualquer forma, vale a pena testar se ele é compatível com o sistema que você usa, e se for, comente para que os outros leitores saibam.

Instalando o vpnc-gui no Debian, Ubuntu e derivados

Para instalar o vpnc-gui no Debian, Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
Passo 2. Execute o comando abaixo para baixar o pacote DEB do programa;

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/vpnc-gui/vpnc-qt_2.1.3-0ubuntu2_all.deb -O vpnc.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando abaixo:

sudo dpkg -i vpnc.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências com o comando:

sudo apt-get -f install

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vpnc no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o vpnc-gui no Debian, Ubuntu e derivados

Para desinstalar o vpnc-gui no Debian, Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove vpnc*
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver

Ubuntu conecta mas não navega? Se você está tentando usar a Internet, mas o sistema não acessar nada, veja como resolver o problema com um pequeno ajuste.


Tudo parece normal até que você tenta acessar algum site e percebe que, apesar de estar conectado, não é possível navegar na Internet. Embora pareça um problema incomum, ele pode acontecer em algumas versões do Ubuntu, independente do tipo de conexão usada. A boa notícia é que a solução é bem simples e esse tutorial mostra como resolver.
Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver

Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver

Ubuntu conecta mas não navega? Para resolver o problema e voltar a navegar no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Clique no ícone de redes no painel do Ubuntu (esse ícone varia, dependendo da conexão). No menu que aparece, clique na opção “Editar conexões”;
Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver
Passo 2. Na janela “Conexões de rede”, clique na conexão que está conectando, mas não navega. Em seguida, clique no botão “Editar”;
Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver
Passo 3. Na janela de edição, clique na aba “Configurações IPv4”;
Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver
Passo 4. Em “Configurações IPv4”, clique na informação do campo “Método” e no menu que aparece, clique na opção “Somente endereços (DHCP) automáticos”;
Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver
Passo 5. Depois, preencha o campo “Servidores DNS” com o valor “8.8.8.8, 8.8.4.4” (sem as aspas) e clique no botão “Salvar”;
Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver
Passo 6. De volta a janela “Conexões de rede”, clique no botão “Fechar”;
Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver
Passo 7. Clique no ícone da engrenagem no painel do Ubuntu. No menu que aparece, clique em “Desligar…”;
Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver
Passo 8. Finalmente, clique na opção “Reiniciar”.
Ubuntu conecta mas não navega? veja como resolver

Pronto! Depois de reiniciar, seu sistema já estará navegando normalmente.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como exibir letras de músicas no desktop do Ubuntu

Se você curte uma disputa de karaokê ou apenas gosta de ver as letras da música enquanto ela é reproduzida, conheça e instale o OSD Lyrics para exibir letras de músicas no desktop no Ubuntu.


Além do streaming de música grátis, outra coisa bem legal no Spotify é o seu plugin de letras de músicas, o TuneWiki, mesmo que as vezes você não consiga entender todas as palavras da canção.

Mas enquanto esse plugin não é multiplataforma e só possui versões para o Windows Media Player e iTunes, que opções temos no desktop Linux? o aplicativo OSD Lyrics seria a melhor resposta para essa pergunta.

Se você estiver usando um desktop Linux por algum tempo, já deve ter ouvido do OSD Lyrics. Ele é um pequeno aplicativo que exibe letras de música no ambiente de trabalho e que você pode usar em conjunto com vários reprodutores de áudio como o Rythmbox, Banshee, Clementine, entre outros.

Como exibir letras de músicas no desktop do Ubuntu

É importante notar que, diferentemente de aplicativos como Shazam e outros da mesma categoria, o OSD Lyrics não irá descobrir sozinho as letras do áudio, ao contrário, ele utiliza as informações ligadas aos arquivos de música tais como nome, álbum, artista e etc.

Por isso, certifique-se de que você tem arquivos de música de “fontes respeitáveis” ou mantenha as informações de arquivo corretas e atualizadas, para que o programa consiga fazer seu trabalho.

Conheça melhor o OSD Lyrics

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como exibir letras de músicas no desktop do Ubuntu instalando o OSD Lyrics no Ubuntu e derivados

OSD Lyrics foi mantido ativamente por meio de seu repositório oficial cerca de 2 anos atrás. Infelizmente, não houve mais desenvolvimento depois disso. Enquanto o repositório não é mais utilizável, os pacotes (DEB) podem ser baixados a partir do site e instalados manualmente. Embora estes executáveis tenham sido feitos originalmente para o Ubuntu 12.04 Precise Pangolin, esses arquivos funcionam muito bem nas versões atuais do Ubuntu. Por isso, para instalar o OSD Lyrics no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget https://osd-lyrics.googlecode.com/files/osdlyrics_0.4.3-1~precise1_i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget https://osd-lyrics.googlecode.com/files/osdlyrics_0.4.3-1~precise1_amd64.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i osdlyrics_0.4.3-1~precise1_*.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash:osd

Na primeira execução, ele irá detectar os players já existentes que são compatíveis com o programa e exibirá eles, para que você possa definir qual deles será aberto automaticamente sempre que iniciar o OSD Lyrics.

Como exibir letras de músicas no desktop do Ubuntu

Depois disso, se ele reconhecer os arquivos de música, ele irá exibir as letras na área de trabalho em formato de Karaokê:

Via It’s F.O.S.S.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando o pacote de ícones Vibrancy Colors no Debian, Ubuntu e derivados

Nada melhor do que ícones para mudar o visual de um desktop, não é mesmo? Mas se você quiser um bem variado, instale o pacote de ícones Vibrancy Colors no Debian, Ubuntu e derivados.


Vibrancy Color é um corajoso, moderno, bonito e “vibrante” pacote de ícones. Vibrancy é uma mistura de muitos projetos incríveis de temas de ícones livres, resultando em um novo e belo tema de ícones.

Instalando o pacote de ícones Vibrancy Colors no Debian, Ubuntu e derivados

Este pacote de ícones foi criado para ser moderno limpo e personalizável. Ele está preparado para trabalhar muito bem com temas GTK planos. Há 13 cores de pastas que podem ser selecionados: Stock Manila Folders, Azul, Aqua, Grafite, Azul Vivo (escuro), marrom, verde, roxo, vermelho, rosa, laranja, verde azulado e amarelo. Este conjunto de ícones é compatível com Unity, Gnome, KDE, Xfce e etc.

Instalando o pacote de ícones Vibrancy Colors no Debian, Ubuntu e derivados

O aplicativo foi atualizado recentemente e já é compatível com o Ubuntu 16.04. Por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o pacote de ícones Vibrancy Colors

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o pacote de ícones Vibrancy Colors no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o pacote de ícones Vibrancy Colors no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ravefinity-project/ppa -y

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o pacote de ícones Vibrancy Colors usando o seguinte comando:

sudo apt-get install vibrancy-colors -y

Como instalar o pacote de ícones Vibrancy Colors manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando o pacote de ícones Vibrancy Colors em qualquer Debian, Ubuntu e seus derivados

Para desinstalar o pacote de ícones Vibrancy Colors em qualquer Debian, Ubuntu e seus derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o pacote de ícones Vibrancy Colors, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove vibrancy-colors
sudo apt-get autoremove

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

15 de agosto de 2016

Não quero usar Unity, prefiro o Awesome no Ubuntu

Quem não gosta de usar o Unity, conta com uma boa quantidade de opções alternativas, que estão sendo mostradas nessa série. E hoje você conhecerá e verá como instalar o levíssimo Awesome no Ubuntu.


Awesome é um gerenciador de janelas dinâmico para o X e desenvolvido em C e Lua. Ele tem como objetivo ser extremamente pequeno e rápido e ao mesmo tempo amplamente customizável para permitir que o usuário gerencie janelas de forma produtiva com o uso do teclado.

Não quero usar Unity, prefiro o Awesome no Ubuntu

Assim como a tradução do nome, impressionante é o termo que melhor define esse ambiente gráfico. Ele é muito rápido e extensível, sendo voltado para usuários avançados, desenvolvedores e quaisquer pessoas que lidem com tarefas de computação a cada dia e que querem ter um controle refinado sobre o ambiente gráfico deles.

Não quero usar Unity, prefiro o Awesome no Ubuntu

Awesome surgiu como um fork do dwm, com personalização através de arquivos de configuração externos. Embora altamente extensível, a configuração padrão do gerenciador de janelas é deliberadamente simplificada. Ao fazê-lo, o autor criou o que ele chama de framework window manager, para que os usuários pudessem expandir e adaptar o ambiente às suas próprias necessidades.

Conheça melhor essa série

Conheça melhor o ambiente gráfico Awesome

Para saber mais sobre esse ambiente, clique nesse link.

Instalando o ambiente gráfico Awesome no Ubuntu e derivados

Para instalar a versão mais recente desse ambiente, faça o seguinte:
Passo 1. Feche todos os seus aplicativos em execução;
Passo 2. Abra um terminal (pressionando as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 3. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:klaus-vormweg/awesome

Passo 4. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora instale o ambiente com o comando:

sudo apt-get install awesome

Como instalar o ambiente gráfico Awesome manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Saia da sessão atual e quando aparecer a tela de login, clique no circulo que fica ao lado do nome de usuário e escolha o Awesome. Depois, entre com seu usuário e senha e comece a experimentar o ambiente.

Desinstalando o Awesome no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Awesome no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o ambiente, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:klaus-vormweg/awesome --remove
sudo apt-get remove awesome
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu

Precisando de um visualizador de imagens e vídeos 3D? Pois então conheça e veja como instalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu.


sView é um visualizador estereoscópico universal de código aberto que suporta arquivos de vários tipos, incluindo imagens, vídeos, áudio, modelos CAD. Para cada tipo de mídia, sView oferece um aplicativo independente, com uma interface amigável e personalizada.

Como instalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu

Componentes do sView

3D Image Viewer

Este aplicativo exibe imagens e fotos nos formatos mais populares, incluindo JPEG, PNG, MPO, BMP, EXR, TGA, WebP e muitos outros. Decodificação real executada pelo sistema ffmpeg e, opcionalmente, bibliotecas DevIL e FreeImage. Ele suporta imagens estereoscópicas e planas.

3D Movie Player

Este aplicativo reproduz arquivos de vídeo e áudio. A lista de formatos suportados é muito grande, graças ao FFmpeg framework, incluindo MKV, WebM, OGM, AVI, FLAC e muitos outros. Ele suporta vídeos estereoscópicos e planos. Reprodução de áudio suportada através da biblioteca OpenAL.
Como instalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu

Outros assuntos

Conheça melhor o visualizador 3D universal sView

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu

Para instalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:sview/stable

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install sview

Como instalar o visualizador 3D universal sView manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outras distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar um dos programas, digite sview no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).
Como instalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu

Desinstalando o visualizador 3D universal sView no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:sview/stable --remove
sudo apt-get remove sview
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o jogo StepMania no Ubuntu

Quem disse que não é possível dançar usando Linux? Duvida? Então veja como instalar o jogo StepMania no Ubuntu e sistemas derivados.


StepMania é um jogo do estilo Dance Dance Revolution para Windows, Mac e Linux. Ele possui gráficos 3D, suporte para teclado e tapete de dança, além de um editor para criar seus próprios passos.

Como instalar o jogo StepMania no Ubuntu

Lembra daqueles máquinas de dança que tem em casas de jogos? Pois é, você não precisa mais sair de casa para se divertir. Com o StepMania é possível simular a dinâmica desse brinquedo. Acrescente um tapete de dança, e seu PC ficará igual a uma delas.

O game torna possível possível jogar algumas músicas da mesma forma como você dançaria numa máquina de verdade, mas nesse caso, você tem uma ótima vantagem: é possível criar as próprias músicas e coreografias para jogar.

Apesar de ser bastante gráfico, o game não aceita comandos com o mouse. Por causa disso você deve usar apenas o teclado para jogar e selecionar as músicas que deseja “dançar”. Use as setas direcionais para navegar pelos menus da interface, e a tecla Enter para confirmar as operações.

Conheça melhor o jogo StepMania

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais detalhes sobre a última versão do jogo, clique nesse link.

Como instalar o jogo StepMania no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o jogo StepMania no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/stepmania

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install stepmania

Como instalar o jogo StepMania manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite stepmania no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Além disso, após a primeira execução do jogo será criada uma pasta .stepmania-5.0 dentro do diretório raiz do usuário (/home/usuario). Para instalar temas, músicas e outros itens dentro dessa pasta, abra o gerenciador de arquivos, pressione Ctrl + H para exibi-la pasta oculta e coloque na pasta os arquivos que você baixar no site do Game.

Músicas, por exemplo, você pode pegar em stepmania.com/forums/songs/ e colocar dentro da pasta .stepmania-5.0/Songs.
Como instalar o jogo StepMania no Ubuntu

Desinstalando o jogo StepMania no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o jogo StepMania no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/stepmania --remove
sudo apt-get remove stepmania stepmania-data
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como adicionar o suporte a Silverlight no Ubuntu

Se você precisa realmente usar a tecnologia Silverlight, veja como instalar o Pipelight e com isso, adicionar o suporte a Silverlight no Ubuntu.


Microsoft Silverlight é um plugin para navegadores, similar ao Adobe Flash. Ele permite criar experiências de mídia interativas, aplicativos ricos, interativos e imersivos. É uma poderosa ferramenta para criar e entregar aplicações ricas para internet e experiências de mídia na web.

Como adicionar o suporte a Silverlight no Ubuntu

Um exemplo importante de uso dessa tecnologia está no Netflix. Esse famoso serviço de vídeos via internet, tem como principal diferencial, o fato de funcionar na maioria dos dispositivos e sistemas operacionais atuais, graças ao uso da tecnologia Silverlight.

Claro, nem todos os dispositivos ou sistemas suportados pelo Netflix usa Silverlight, devido as limitações da tecnologia da Microsoft. Um bom exemplo disso é o próprio Linux, que não possui um cliente Silverlight nativo. Atualmente, para conseguir usar essa tecnologia no Linux é preciso recorrer a uma software chamado Pipelight.

Basicamente, o Pipelight é um aplicativo que permite usar no Linux, plugins feitos para funcionar no Windows. Entre esses plugins, os mais conhecidos são o Flash, Silverlight e Widevine, além de vários outros. Para conseguir essa façanha ele utiliza o Wine e já inclui os pacotes do Wine necessários ao seu correto funcionamento. Basicamente ele é composto de duas partes: uma biblioteca Linux que é carregada no navegador e um programa para Windows, que é iniciado no Wine.

Conheça melhor o Silverlight

Para saber um pouco mais sobre essa tecnologia, acesse a página do Pipelight.

Conheça melhor o Pipelight

Para saber um pouco mais sobre o programa, acesse a página do Pipelight.

Atenção! Antes de iniciar o processo de instalação, feche todos os navegadores que estiverem sendo executados, pois alguns navegadores tentam carregar o plugin imediatamente, o que pode causar falhas ou travar o navegador durante a instalação.

Como adicionar o suporte a Silverlight no Ubuntu

Para adicionar o suporte a Silverlight no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Feche todos os navegadores;
Passo 2. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T).
Passo 3. Se não estiver instalado, siga os passos desse tutorial e instale o Pipelight;
Passo 4. Ative o suporte a Silverlight no Ubuntu, executando o comando abaixo (claro, com todos os navegadores fechados), e confirme digitando “Y” (sem as aspas):

sudo pipelight-plugin --enable silverlight

Passo 5. Atualize o Pipelight executando o comando abaixo:

sudo pipelight-plugin --update

Passo 6. Atualize o Firefox usando o comando abaixo;

sudo pipelight-plugin --create-mozilla-plugins

Passo 7. Abra o Firefox, será exibida uma pequena janela mostrando o download e a instalação dos plugins. Aguarde até que a instalação dos plugins seja concluída, pois esse procedimento pode demorar e não deve ser interrompido;
Como adicionar o suporte a Silverlight no Ubuntu
Passo 8. Confira se o plugin foi instalado, clicando no menu “Ferramentas” e na opção “Complementos”, ou simplesmente digite o comando about:addons na barra de endereço do navegador e teclando enter:
Como adicionar o suporte a Silverlight no Ubuntu
Pronto! Agora você já tem suporte a Silverlight no Ubuntu e já pode começar a usá-lo. Experimente acessar sites que usam a tecnologia e veja quais estão funcionando corretamente. Se precisar, consulte os outros tutoriais sobre o assunto:

Desativando os plugin

Se quiser desativar um plugin basta fechar todos os navegadores e no terminal usar o mesmo comando do Pipelight, substituindo o parâmetro --enable por --disable, como no exemplo abaixo:

sudo pipelight-plugin --disable silverlight

Testando o plugin

Para testar o plugin, experimente acessar uma página que utiliza a tecnologia dele. Geralmente, existe uma página de teste no site da produtora do plugin.

Forçando a reinstalação dos plugin

Se algo parou de funcionar, você também pode querer redefinir o wineprefix para forçar uma reinstalação de todos os plugins, fechando o vanegador, executando abaixo, e abrindo novamente o navegador:

rm -rf ~/.wine-pipelight/

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando o cliente BitTorrent Vuze no Ubuntu

Vuze é um cliente BitTorrent escrito em Java, que usa o Azureus Engine. Se você usa ou quer experimentar esse programa, veja como instalar ou atualizar ele no Ubuntu.


Vuze é um cliente BitTorrent que além de download de dados ligados a arquivos .torrent, também permite aos usuários visualizar, publicar e compartilhar DVD originais e conteúdo de vídeo com qualidade HD.

Instalando o cliente BitTorrent Vuze no Ubuntu

No programa, o conteúdo é apresentado por meio de canais e categorias que contêm programas de TV, vídeos de música, filmes, jogos de vídeo, séries e outros. Além disso, se os usuários preferem publicar o seu conteúdo original, eles podem ganhar dinheiro com isso.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o cliente BitTorrent Vuze

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o cliente BitTorrent Vuze no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Instale a chave do repositório com este comando:

wget -q -O- http://archive.getdeb.net/getdeb-archive.key | sudo apt-key add -

Passo 3. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo sh -c 'echo "deb http://archive.getdeb.net/ubuntu $(lsb_release -cs)-getdeb apps" >> /etc/apt/sources.list'

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install vuze

Como instalar o cliente BitTorrent Vuze manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Quando quiser iniciar o programa, digite vuze no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o cliente BitTorrent Vuze no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o cliente BitTorrent Vuze no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove vuze
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu e derivados

Procurando ícones bonitos e com alta qualidade para o seu desktop Linux? Pois então conheça e veja como instalar o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu e derivados.


Mesmo que já existam muitos conjuntos de ícone disponíveis para desktops Linux, é sempre bom quando um novo aparece. Os ícones Lila-HD forão projetados a partir do zero para os sistemas operacionais Linux e Unix-like e licenciado sob a CREATIVE COMMONS Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International (CC BY-NC-ND 4.0). Basicamente, existem duas variantes deste conjunto: tema uma que é laranja (que é a principal) e azul.

Instalando o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu

Instalando o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu

O conjunto de ícones Lila-HD é bem desenhado e seus ícones trabalhados para oferecer uma aparência brilhante e torna-los mais atraentes, mas nem todos os ícones parece brilhantes. Além disso, o pacote contém uma grande abundância de ícones disponíveis para aplicações e possui a maioria dos ícones necessários.
Instalando o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu
Instalando o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu
Para quem quiser experimentar, o conjunto de ícones Lila-HD funciona na maioria dos desktops Linux, como Unity, KDE, Gnome, Mate, Xfce, Lxde e alguns derivados destes.

Conheça melhor o conjunto de ícones Lila-HD

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Lila-HD usando o seguinte comando:

sudo apt-get install lila-hd-icons

Como instalar o conjunto de ícones Lila-HD manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o conjunto de ícones Lila-HD no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove lila-hd-icons

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via site

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

14 de agosto de 2016

Resumo semanal de 08/08/2016 a 14/08/2016

Você sabe como instalar o Google Web Designer no Linux? Ou sabe como baixar apps Android no PC com o Google Play Downloader? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essas postagens. Mas não se preocupe, leia o resumo semanal de 08/08/2016 a 14/08/2016 e se atualize.


Mas você já deve saber que a distro Univention 4.1-3 já está disponível para download? Ou já sabe como instalar o FreeFileSync no Ubuntu para comparar e sincronizar pastas? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal de 08/08/2016 a 14/08/2016

Resumo semanal de 08/08/2016 a 14/08/2016

08/08/2016

09/08/2016

10/08/2016

11/08/2016

12/08/2016

13/08/2016

Conheça melhor e experimente o Apricity OS

Já conhece o Apricity OS? Não? Veja mais detalhes sobre essa distribuição no artigo abaixo:
Conheça Apricity OS – um Arch Linux com Gnome Classic/Cinnamon
Para completar, assista esse review da distribuição:

Veja também

Linux Mint 18 Sarah já está disponível para download

Ubuntu 16.04

Quem quiser experimentar o Ubuntu 16.04 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como atualizar para o Ubuntu 16.04

Quem precisar atualizar para o Ubuntu 16.04, basta seguir esses tutoriais:
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 na versão desktop
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 via terminal (server e desktop)
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 usando o disco de instalação

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

Quem acabou de mudar para o Ubuntu 16.04, pode dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

Veja também

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Mais artigos


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

13 de agosto de 2016

Como redefinir senha de usuário no Ubuntu

Se você perdeu a sua senha de usuário, veja a seguir, como redefinir senha de usuário no Ubuntu usando o Grub.


Esquecer a senha é algo que pode acontecer com qualquer um, até mesmo com você. Felizmente, não é difícil redefinir sua senha, mesmo que você tenha esquecido o seu nome de usuário, veja como.

Como redefinir senha de usuário no Ubuntu

Como redefinir senha de usuário no Ubuntu

Para redefinir sua senha e conseguir acessar o sistema novamente, faça o seguinte:
Passo 1. Ligue o computador e aguarde;
Passo 2. Se você não visualizar o menu do Grub, pressione e segure a tecla Shift depois que você apertar o botão “Power” para inicializar o computador;
Passo 3. Quando aparecer o menu do GRUB, use as teclas de direção e vá para a opção “Advanced Options for Ubuntu” ou “Opções avançadas para Ubuntu”. Nela, tecle “Enter”;
Como redefinir senha de usuário no Ubuntu
Passo 4. Na tela que aparece, selecione a entrada de boot que possui “recovery mode” no final do nome. Novamente, tecle “Enter” e aguarde;

Como redefinir senha de usuário no Ubuntu Passo 5. No “Menu de recuperação”, selecione a opção “root Drop to root shell prompt” ou “root Desistir e ir para terminal em modo root” e pressione Enter. Depois disso, você deverá ver o prompt de comando no final da tela: Como redefinir senha de usuário no Ubuntu Passo 6. Remonte o sistema de arquivos com leitura e escrita permissão com o seguinte comando;

mount -o rw,remount /

Passo 7. Se você não se lembra do nome de usuário, use o comando abaixo para descobrir:

ls /home

Passo 8. Para alterar a senha do usuário, use o comando a seguir, substituindo NOME_USUARIO pelo seu nome de usuário;

passwd NOME_USUARIO

Passo 9. Quando for pedido, digite uma nova senha e depois confirme, digitando-a novamente. No final, será exibida a mensagem “passwd: password updated successfully” ou  “passwd: senha atualizada com sucesso”, confirmando que a senha de usuário foi redefinida com êxito.
Como redefinir senha de usuário no Ubuntu
Passo 10. Por fim executar o comando abaixo para voltar ao “Menu de recuperação” e nele, selecione a opção “resume Resume normal boot” ou “resume Continuar inicialização normal”, para sair do modo de recuperação.

exit

Pronto! Quando o sistema iniciar novamente, você já pode usar a nova senha. Fácil, não? Por isso, cuidado e não deixe ninguém acessar o menu do Grub do seu PC. Se quiser deixar ele mais seguro, acesse o seguinte tutorial:
Como fazer para o Grub exigir uma senha para iniciar o sistema

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o Stremio no Linux manualmente

Gostou da volta do Popcorn time? Para não ficar tão dependente desse programa, conheça e veja como instalar o Stremio no Linux manualmente.


No pouco tempo que o Popcorn time esteve indisponível, surgiu uma opção bastante interessante: o Stremio, um ótimo aplicativo que ajuda a organizar e instantaneamente assistir seus canais vídeos, filmes, séries de TV e de TV favoritos. Internamente, o programa usa o excelente VLC como reprodutor de mídia.
Como instalar o Stremio no Linux manualmente

Felizmente, o Popcorn time já pode ser baixado, instalado e usado novamente, como é possível ver nesse tutorial:
Como instalar o PopCorn Time no Linux

Com isso você passa a ter duas boas opções de programa para assistir filmes e séries, e pode escolher entre usar o Popcorn time ou o Stremio. Se optar pelo segundo, veja abaixo como instalar ele no Linux.

Aviso importante: Stremio faz stream de filmes de torrents. Por isso, antes de instalar, esteja ciente de que o aplicativo permite transmitir filmes e séries de TV, sem nenhum custo, o que pode ser ilegal em seu país, por isso, certifique-se de ler o aviso antes de usar o Stremio, e use-o por sua conta e risco!

Conheça melhor o Stremio

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Como instalar o Stremio no Linux

Para instalar o Stremio no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/stremio
sudo rm -Rf /usr/bin/stremio
sudo rm -Rf /usr/share/applications/stremio.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome stremio.tar.gz:

wget http://dl.strem.io/Stremio3.6.5.linux.tar.gz -O stremio.tar.gz

Passo 5. Crie uma pasta para o programa;

sudo mkdir /opt/stremio

Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -vzxf stremio.tar.gz -C /opt/stremio/

Passo 7. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/stremio/Stremio-runtime /usr/bin/stremio

Passo 8. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=stremio\n Exec=/opt/stremio/Stremio-runtime\n Icon=Totem\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/stremio.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite stremio em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/stremio.desktop
cp /usr/share/applications/stremio.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/stremio.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Ao executar o programa, será necessário fazer um login usando sua conta Facebook, uma conta criada anteriormente ou apenas como visitante (guest).
Como instalar o Stremio no Linux manualmente

Como remover o Stremio Time no Linux

Para remover o Stremio Time no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento anterior.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como configurar o Ubuntu para inicializar diretamente em modo texto

Embora não seja o ideal para a maioria dos usuários, pode ser que um dia você precise que o Ubuntu inicie em modo texto. Quando isso se tornar necessário, veja aqui como configurar o sistema para que ele faça isso.


Normalmente, quando você quer apenas usar temporariamente o modo texto, só é preciso pressionar as teclas Ctrl + Alt + F1 no teclado para conseguir isso.

Como configurar o Ubuntu para inicializar diretamente em modo texto

Mas se o que você precisa realmente é deixar o sistema iniciando em modo texto, este simples tutorial irá mostrar como configurar o Ubuntu para iniciar diretamente na linha de comando (modo texto ou console, como alguns chamam).

Como configurar o Ubuntu para inicializar diretamente em modo texto

Para configurar o Ubuntu para inicializar diretamente em modo texto, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Copie e cole o comando abaixo no terminal e aperte enter:

sudo gedit /etc/default/grub

Passo 3. Edite o arquivo de configuração /etc/default/grub, fazendo as seguintes mudanças:

  • Comente a linha GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT=”quiet splash”, adicionando # no início. Isso irá desativar a tela colorida do Ubuntu;
  • Mude GRUB_CMDLINE_LINUX=”” para GRUB_CMDLINE_LINUX=”text”. Isso fará com que o Ubuntu inicialize diretamente em modo de texto;
  • Descomente essa linha #GRUB_TERMINAL=console, removendo o # no início. Isso faz com que o menu do GRUB fique em modo de texto (tela preto e branco, sem imagem de fundo)

Como configurar o Ubuntu para inicializar diretamente em modo texto
Passo 4. Salve e feche o arquivo;
Passo 5. Atualize o Grub com o comando abaixo:

sudo update-grub

Passo 6. Para ver o resultado, reinicie o computador.

Vale lembrar que o procedimento acima pode ser usado em boa parte das distribuições Linux, claro, feitos os devidos ajustes.

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como baixar apps Android no PC com o Google Play Downloader

Que tal baixar apps Android no PC e guardar seu arquivos APKs da loja Google Play no seu computador? Para fazer isso, basta instalar o Google Play Downloader no Ubuntu, Debian, Fedora e derivados, e começar a usar.


Google Play Downloader é um simples aplicativo de código aberto que pode ser usado para baixar apps Android no PC e guardar APKs da loja Google Play para o seu computador.

Baixar apps Android no PC google play downloader

De acordo com o desenvolvedor, o aplicativo foi criado porque ele “não gostava que seu sistema Android AOSP fosse manchado por serviços de raiz do Google, nem que fosse arquivado no banco de dados da conta Google”.

O Google Play Downloader permite baixar apps Android no PC, mas não é uma ferramenta de pirataria e não permitirá que você baixe aplicativos e jogos pagos. A ferramenta só pode baixar jogos e aplicativos gratuitos.

O programa é útil se você quiser fazer backup de arquivos Android APK para o seu computador, se você não que instalar alguns aplicativos diretamente via Googe Play por questões de privacidade ou por outros motivos (por exemplo, você pode usá-lo com o Genymotion, que já não inclui mais a loja Google Play em suas imagens Android) e assim por diante.

A aplicação tem tudo que você precisa baixar apps no PC (os arquivos APK), como uma conta do Gmail e o Android ID, mas você pode mudar isso (por exemplo, você pode criar uma conta do Gmail especialmente para isso) a partir das configurações do Google Play Downloader. Contudo, se você alterar o endereço de e-mail nas configurações do programa, certifique-se de clicar no botão “Generate new Android ID” (Gerar novo Android ID) ou então o download de APKs não irá funcionar.

Conheça melhor o Google Play Downloader

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Nota importante para usuários do Ubuntu: o pacote deb do programa só funciona com o Ubuntu 14.04 e 14.10. Para o Ubuntu 14.04, você vai precisar baixar python-NDG-httpsclient a partir desse link e instalar ele antes de tentar instalar o Google Play Downloader (mas não se preocupe, isso está no tutorial abaixo).

Instalando o Google Play Downloader para baixar apps Android no PC com Ubuntu 14.04/14.10

Para instalar o Google Play Downloader para baixar apps Android no PC com sistema Ubuntu 14.04/14.10, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se estiver usando o Ubuntu 14.04, baixe o pacote python-ndg-httpsclient com esse comando;

wget http://mirrors.kernel.org/ubuntu/pool/universe/n/ndg-httpsclient/python-ndg-httpsclient_0.3.2-1_all.deb -O python-ndg-httpsclient.deb

Passo 3. Se estiver usando o Ubuntu 14.10 ou superior, use o comando abaixo para baixar o pacote python-ndg-httpsclient. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome python-ndg-httpsclient.deb:

wget http://mirrors.kernel.org/ubuntu/pool/main/n/ndg-httpsclient/python-ndg-httpsclient_0.3.2-1ubuntu4_all.deb -O python-ndg-httpsclient.deb

Passo 4. Agora instale o pacote com o comando:

sudo dpkg -i python-ndg-httpsclient.deb

Passo 5. A seguir, instale as dependências do pacote com o comando:

sudo apt-get install -f -y

Passo 6. Com as dependências instaladas, use o comando abaixo para baixar o pacote de instalação do programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome googleplaydownloader.deb:

wget http://codingteam.net/project/googleplaydownloader/download/file/googleplaydownloader_1.8-1_all.deb -O googleplaydownloader.deb

Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i googleplaydownloader.deb

Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f -y

Instalando o Google Play Downloader para baixar apps Android no PC com Ubuntu 15.04 ou superior, Debian e derivados

Para instalar o Google Play Downloader para baixar apps Android no PC com Ubuntu 15.04 ou superior, Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome googleplaydownloader.deb:

wget http://codingteam.net/project/googleplaydownloader/download/file/googleplaydownloader_1.8-1_all.deb -O googleplaydownloader.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando. Se der um erro, vá para o próximo passo que ele resolve isso:

sudo dpkg -i googleplaydownloader.deb

Passo 4. Instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f -y

Instalando o Google Play Downloader para baixar apps Android no PC com no Fedora e derivados

Como GooglePlayDownloader foi originalmente desenvolvido para distribuições baseadas no Debian, você precisa instalá-lo da fonte, se você quiser usá-lo no Fedora. Por isso, para instalar o Google Play Downloader para baixar apps Android no PC com Fedora e sistemas derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale as dependências necessárias, com este comando;

sudo yum install python-pyasn1 wxPython python-ndg_httpsclient protobuf-python python-requests

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o código fonte de programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome googleplaydownloader.tar.gz:

wget http://codingteam.net/project/googleplaydownloader/download/file/googleplaydownloader_1.8.orig.tar.gz -O googleplaydownloader.tar.gz

Passo 4. Descompacte o arquivo baixado;

tar -xvf googleplaydownloader.tar.gz

Passo 5. Vá para a pasta criada;

cd googleplaydownloader-*

Passo 6. Mude as permissões dos arquivos;

chmod o+r -R .

Passo 7. Use os comando abaixo para fazer a instalação;

sudo python setup.py install
sudo sh -c "echo 'python /usr/lib/python2.7/site-packages/googleplaydownloader-1.7-py2.7.egg/googleplaydownloader/googleplaydownloader.py' > /usr/bin/googleplaydownloader"

Instalando o Google Play Downloader no Arch Linux

Usuários do Arch Linux pode instalar o Google Play Downloader via AUR .

Usando o Google Play Downloader

Depois de instalado, execute o programa digitando googleplaydownloader no Dash ou em um terminal. Na tela do programa digite o nome do aplicativo no campo de busca e tecle “enter”. Depois, selecione os itens que quer baixar e clique no botão “Download selected APK(s)”.
Baixar apps Android no PC google play downloader
Via WebUpd8 e Xmodulo

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Sabia que é possível adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity? Não?, Pois veja aqui como fazer isso, de um jeito bem simples (ou dois).


Entre os muitos recursos incluídos no Unity, o ambiente gráfico padrão no Ubuntu, a barra lateral (ou lançador) é o recurso que permite iniciar rapidamente as aplicações favoritas dos usuários.

Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

No entanto, muitos usuários utilizam o lançador oculto, o que as vezes dificulta iniciar aplicações rapidamente. Nesse caso, a melhor solução é criar um atalho na área de trabalho no estilo dos outros ambientes ou do Windows e OS X.

Por padrão, o Ubuntu não inclui nenhuma opção para adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho. Mas é possível fazer isso usando o gerenciador de arquivos Nautilus para acessar a pasta /usr/share/applications/, onde estão os vários atalhos do menu/dash.

Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity usando o Nautilus

Para adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity, você pode fazer o seguinte:
Passo 1. Execute o gerenciador de arquivos Nautilus e use ele para acessar a pasta /usr/share/applications/;
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Passo 2. Se preferir, abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T) e digite este comando para abrir o Nautilus já na pasta /usr/share/applications/;

nautilus /usr/share/applications/

Passo 3. Clique como o botão direito sobre o atalho do programa. No menu que aparece, clique na opção “Copiar para…”;
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Passo 4. Será exibida a janela “Selecionar destino”, nela, clique na opção “Área de trabalho” (ou “Desktop”). Em seguida, clique no botão “Selecionar”;
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Passo 5. Você também pode fazer isso pressionando a tecla ALT, enquanto arrasta o atalho para a área de trabalho (note que o ponteiro do mouse fica com um símbolo de interrogação);
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Passo 6. Quando o atalho estiver sobre o Desktop, solte o botão do mouse e depois a tecla ALT. Será exibido um menu de contexto, perguntando o que você quer fazer. Como já se trata de um atalho, apenas clique na opção “Copiar aqui” e estará pronto;
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity usando o Dash

Para adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity usando o Dash, tudo que você precisa fazer é digitar nome do programa e quando ícone dele aparecer, arrastá-lo para a área de trabalho.
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Mas nem sempre esse truque funciona, por isso os métodos anteriores são mais eficiente.

Pronto! No final, o atalho já estará disponível em sua área de trabalho. Repita o processo para todos os programas que quiser, mas tome cuidado para não deixar o desktop superlotado e bagunçado.

Via lffl linux freedom

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

12 de agosto de 2016

Como instalar o navegador Pale Moon no Ubuntu e derivados

Não quer ficar instalando o Pale Moon manualmente? Então veja como instalar o navegador Pale Moon no Ubuntu e derivados.


Pale Moon é um navegador web gratuito e de código aberto, baseado no Mozilla Firefox, disponível para Linux, Windows e Android e foco na eficiência e facilidade de uso. Por causa disso, ele é até 25% mais rápido do que o original.

Como instalar o navegador Pale Moon no Ubuntu

Também vale a pena mencionar, que devido ao fato do Pale Moon não ser afiliado a Mozilla, ele não adotou a interface Australis e manteve uma aparência inspirada na interface do Firefox clássico.

Além disso, o suporte para DRM não foi adicionado por padrão, mas os usuários têm a possibilidade de fazer isso, através de plugins de terceiros.

Conheça melhor o Pale Moon

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais sobre essa versão, acesse a nota de lançamento.

Como instalar o navegador Pale Moon no Ubuntu e seus derivados

Não há atualmente nenhum repositório oficial do Pale Moon para o Ubuntu e seu PPA oficial não é mais mantido. No entanto, podemos instalá-lo a partir de um repositório de terceiros hospedado em download.opensuse.org.
Portanto, para instalar o navegador Pale Moon no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Baixe a chave do repositório com este comando;

wget -q http://download.opensuse.org/repositories/home:stevenpusser/xUbuntu_$(lsb_release -rs)/Release.key -O- | sudo apt-key add -

Passo 3. Adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo sh -c "echo 'deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/stevenpusser/xUbuntu_$(lsb_release -rs)/ /' >> /etc/apt/sources.list.d/palemoon.list"

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install palemoon

Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Para realmente instalar manualmente e em qualquer distribuição Linux, use este tutorial:
Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente
Se você quiser instalar o Pale Moon usando o instalador oficial do projeto, veja esse outro tutorial:
Firefox otimizado: Instale o navegador Pale Moon no Linux
Mas lembre-se! Ao optar por esses tipos de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pale no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Como deixar o Pale Moon em português do Brasil

Por padrão, esse navegador vem com a interface toda em inglês do Estados Unidos, por isso, para deixar o Pale Moon em português do Brasil, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Execute o Pale Moon e acesse esse link. Quando aparecer uma tela solicitando a instalação do pacote de linguagem, clique no botão “Install Now” e aguarde finalizar a instalação;
Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente
Passo 2. Depois que terminar a instalação, clique dentro da caixa de endereço do Pale Moon, digite o comando “about:config” (sem as aspas) e pressione a tecla enter;
Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente
Passo 3. Na tela que será exibida, clique dentro da caixa do campo “Search” e digite “general.useragent.locale” (também sem as aspas);
Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente
Passo 4. A seguir, dê um clique duplo sobre o valor “en-US”. Na tela janela que aparece, substitua “en-US” por “pt-BR” (sem as aspas) e clique no botão “OK”;
Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente
Passo 5. Feche o navegador e quando você iniciar ele novamente, sua interface já estará em português do Brasil.

Desinstalando o navegador Pale Moon no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o navegador Pale Moon no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove palemoon
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Comparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu

Precisando de uma ferramenta para comparar e sincronizar pastas? Então veja aqui como instalar o FreeFileSync no Ubuntu.


FreeFileSync é uma ferramenta de código aberto multiplataforma para comparar e sincronizar pastas no Linux, Windows e Mac OS X. Com o programa, você pode detectar arquivos e pastas movidos e renomeados, manter versões de arquivos apagados/atualizados, incluindo cópia de arquivos bloqueados (Volume Shadow Copy Service).

Comparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu

Entre outros recursos, ele tem suporte para a realização de comparação de arquivo binário, identificador de links simbólicos, copiar atributos estendidos de NTFS e permissões de segurança, cópia de arquivo à prova de falhas, inclui/excluir arquivos via filtro, tem desempenho em tempo de execução otimizada, relatório de erros detalhado e pode automatizar trabalho em lotes.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o FreeFileSync

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu comparar e sincronizar pastas

Para instalar o FreeFileSync no Ubuntu comparar e sincronizar pastas, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:eugenesan/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install freefilesync

Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite freefilesync no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o FreeFileSync no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o FreeFileSync no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:eugenesan/ppa --remove
sudo apt-get remove freefilesync
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

Se você quer instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados ou sistema que suportem pacotes deb e rpm, veja como fazer isso.


Além da versão binária (bin) e multiplataforma (jar), a receita também disponibiliza versões do instalador do Receitanet em formato deb e rpm, para que os usuários Linux instalem o programa em sistemas que suportem esses formatos.

Receitanet no Debian, Fedora e derivados,

A seguir, você verá como fazer a instalação do Receitanet no Debian, Fedora e derivados, usando esses tipos de pacotes. Mas antes, dê uma boa olhada nos pré requisitos do programa.

Conheça melhor o Receitanet

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2016

Mais sobre o IRPF 2015

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Preparando o sistema para instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente, para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Como instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

Instalando o Receitanet no Debian e derivados

Para instalar o Receitanet no Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do no Debian e derivados, use o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome receitanet.deb;

wget http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/receitanet-1.07.deb -O receitanet.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i receitanet.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 5. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove receitanet*

Instalando o Receitanet no Fedora e sistemas derivados

Para instalar o Receitanet no Fedora e sistemas derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do Receitanet no Fedora e sistemas derivados, use o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome receitanet.rpm;

wget http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/receitanet-1.07-1.noarch.rpm -O receitanet.rpm

Passo 3. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall receitanet.rpm

ou

sudo dnf install receitanet.rpm

Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install receitanet.rpm

Passo 5. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi receitanet.rpm

Passo 11. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando a seguir;

sudo rpm -e receitanet*

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite receitanet em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu

Foi lançada mais uma versão de um dos mais poderosos conversores de vídeo. Se você quiser experimentar ou atualizar o programa, veja como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu.


Bastante popular, o HandBrake é um decodificador de vídeo de código aberto para Linux, Windows e Mac OS X. O programa é também uma ferramenta para ripar DVDs. Ele converte os filmes em MPEG-4 e, além de oferecer diversas opções de configuração, insere a legenda desejada diretamente no resultado final.

Como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu

Além de tudo isso, o aplicativo vem com presets embutidos (perfis) e, além de formatos multimídia comuns, ele suporta DVD ou Bluray desprotegidos, legendas e muito mais.

Como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o HandBrake

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para ver as novidades da última versão, acesse esse link.

Como instalar a versão mais recente do HandBrake no Ubuntu e derivados

HandBrake está disponível nos repositórios oficiais de algumas versões do Ubuntu, no entanto, não é a versão mais recente. Por isso, para ter a última versão desse programa no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:stebbins/handbrake-releases

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar a versão GTK do HandBrake;

sudo apt-get install handbrake-gtk

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar a versão de linha de comando do HandBrake;

sudo apt-get install handbrake-cli

Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o instalador diretamente nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite handbrake no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Antes de começar a converter os vídeos, lembre-se que mesmo sendo um programa fácil de utilizar, é sempre bom dar uma olhada no manual dele. Por isso, visite o HandBrake Guide, se quiser aprender um pouco mais sobre como usá-lo.

Desinstalando o HandBrake no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o HandBrake no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:stebbins/handbrake-releases --remove
sudo apt-get remove handbrake-gtk handbrake-cli
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux

Se você teve dificuldade para instalar o Receitanet usando arquivos .bin, veja como instalar o Receitanet no Linux usando a versão multiplataforma, que pode ser instalada em qualquer distribuição Linux.


Apesar do esforço da Receita, nem sempre é possível instalar o Receitanet usando os arquivos .bin, felizmente, eles disponibilizam uma versão multiplataforma do programa. Nesse tutorial, você verá como fazer isso usando essa versão multiplataforma do Receitanet no Linux, que permite instalar o aplicativo em qualquer distribuição.

Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux

Conheça melhor o Receitanet

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2016

Mais sobre o IRPF 2015

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados e mais informações.

Preparando o sistema para instalar o Receitanet no Linux

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente, para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux

Para instalar o Receitanet no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome receitanet.jar:

wget http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/Receitanet-1.07.jar -O receitanet.jar

Passo 3. Execute o instalador usando o comando a seguir. Se aparecer uma tela pedindo autorização a executar o instaaldor, forneça a senha de administrador;

java -jar receitanet.jar

Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux
Passo 4. Na primeira tela, clique no botão “Próximo”;
Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux
Passo 5. Agora, clique no botão “Procurar…” para selecionar a pasta onde deseja instalar o programa e depois clique no botão “Próximo”, ou apenas clique no botão “Próximo” (que é o mais recomendado);
Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux
Passo 6. Na próxima tela, aguarde o programa fazer a instalação e quando ele terminar, clique no botão “Próximo”;
Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux
Passo 7. Em “Configurar atalhos”, marque a opção mais adequada ao seu uso e clique no botão “Próximo”;
Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux
Passo 8. Na última tela, clique no botão “Pronto” ;
Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux

Pronto! Depois de instalado, você já pode usá-lo (executando-o a partir do IRRF) e enviar a sua declaração.

Para remover o Receitanet no Linux, basta fazer o seguinte.
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Execute o desinstalador do programa com esse comando. Se aparecer uma tela pedindo autorização a executar o instalador, forneça a senha de administrador;

java -jar /opt/Programas\ RFB/Receitanet/Desinstalador/Desinstalador.jar

Passo 3. Na tela do programa, clique no botão “Desinstalar”;
Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux
Passo 4. Quando terminar, clique no botão “Sair”;
Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux

Pronto! Agora que o programa está instalado, você já pode usá-lo (executando-o a partir do IRRF) e enviar a sua declaração.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

11 de agosto de 2016

Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

Você costuma baixar arquivo torrents e usa ou quer experimentar o qBittorrent no Ubunto? Então veja aqui como instalar a última versão do dele.


O qBittorrent é um cliente BitTorrent multiplataforma e de código aberto. Ele foi escrito em C++/Qt4, usando a biblioteca LibTorrent-rasterbar, e foi criado para ser uma alternativa ao popular cliente μtorrent.

Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

QBittorrent é rápido, estável, leve, suporta unicode e fornece um bom motor de busca integrado. Ele também vem com o encaminhamento de porta UPnP/NAT-PMP, criptografia (compatível com Vuze), FAST extension (mainline) e suporta PeX (compatível com utorrent).

A aplicação vem com um motor de busca integrado, possui interface web, suporte para download sequencial, scheduler banda larga, suporte a RSS avançado com filtros de download, ferramenta de criação de torrent, filtragem IP e outras características úteis.

Conheça melhor o qBittorrent

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Instalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

Enquanto os repositórios oficiais do Ubuntu fornecem uma versão antiga, com esse tutorial você aprenderá a instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install qbittorrent

Como instalar o qBittorrent manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite qbittorrent no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB)

Instalando o qBittorrent no Ubuntu server

Você pode instalar o daemon qBittorrent Ubuntu server e gerenciá-lo através da interface Web do qBittorrent. Para isso, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando;

sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install qbittorrent-nox

Passo 5. Uma vez instalado, crie um usuário para o qBittorrent;

sudo adduser qbtuser

Passo 6. Você será solicitado para definir a senha para este usuário. Em seguida, adicione este usuário ao grupo sudo.

sudo gpasswd -a qbtuser sudo

Passo 7. Em seguida, crie um arquivo de serviço systemd qbittorrent-nox, usando este comando;

echo -e '[Unit]\n Description=qBittorrent Daemon Service\n After=network.target\n \n [Service]\n Type=forking\n User=qbtuser\n ExecStart=/usr/bin/qbittorrent-nox -d\n \n [Install]\n WantedBy=multi-user.target'| sudo tee /etc/systemd/system/qbittorrent-nox.service

Passo 8. Agora, inicie o qBittorrent-nox:

sudo systemctl start qbittorrent-nox

Passo 9. Você também pode querer ativar a inicialização automática do serviço quando o Ubuntu iniciar;

sudo systemctl enable qbittorrent-nox

Passo 10. Se quiser verificar o status do serviço, use este comando:

systemctl status qbittorrent-nox

Passo 11. Com o serviço ativo, você já pode acessar a interface Web, digitando na barra de endereços do navegador, o endereço ip do servidor seguido de :8080, como no exemplo abaixo;

ip-do-servidor:8080

Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

Desinstalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o qBittorrent no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove qbittorrent
sudo apt-get autoremove

Via ubuntuhandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Procurando um navegador multiplataforma e com boa parte dos recursos do Chromium e um belo visual? Então veja como instalar o navegador Vivaldi no Linux e experimente essa alternativa.


Vivaldi é um navegador de internet de código aberto baseado no Chromium, e criado pelo fundador do Opera. O programa possui suporte para extensões do Chrome, o que lhe torna uma opção a ser considerada na hora de escolher um navegador web.

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Recursos do Vivaldi

Conheça alguns dos recursos do Vivaldi oferece:

Silent Tabs For Users

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Netflix no Vivaldi

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Notificações HTML5

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Novidades do navegador Vivaldi

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

A última versão do Vivaldi traz suporte a temas personalizados, permitindo que você personalize cada elemento de interface do usuário, que é útil não só para deixar o Vivaldi exatamente da maneira que você deseja, mas também por razões de acessibilidade. Há também alguns temas embutidos que você pode escolher.

A hibernação de guias foi desativada há um tempo atrás, porque não funcionava adequadamente. Com este lançamento, o recurso finalmente foi reativado. Para hibernar uma guia, clique o botão direito e selecione “Hibernar guia”. Observe que você não pode hibernar que você está acessando. O menu de contexto guia também oferece uma opção para hibernar todas as outras guias.

Nesta versão também foi melhorado o suporte para mídias proprietárias em HTML5. H.264, AAC e MP3 agora funcionam de forma mais confiável no Ubuntu e derivados. Esse release também oferece suporte a H.264, AAC e MP3 no OpenSUSE e Slackware, se as bibliotecas adequadas estiverem disponíveis.

Além de tudo isso, mais gestos de mouse foram adicionados, e eles agora suportam mais de 90 diferentes ações de navegador. Para completar, foi adicionada uma opção para desativar manipulação WebRTC IP, para aumentar a privacidade.

Para ver mais detalhes sobre essa versão, acesse a nota de lançamento.

Conheça melhor o navegador Vivaldi

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para conhecer melhor o navegador, assista esse review:

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Para instalar o programa, o site do Vivaldi oferece pacotes RPM e DEB das últimas versões, e por isso, a instalação do navegador não deve ser difícil. Resumidamente, basta fazer o download do pacote rpm ou deb da arquitetura do seu sistema (i386/i686, para sistemas de 32 bits, e AMD64/x86_64, para sistemas de 64 bits) e instalar o pacote através do gerenciador de pacotes padrão (dpkg ou rpm). Você pode baixar diretamente e instalar manualmente ou seguir o procedimento abaixo.

Instalando o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas com suporte a pacotes DEB

Para instalar o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas com suporte a pacotes DEB, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.deb:

wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable_1.3.551.30-1_i386.deb -O vivaldi.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.deb:

wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable_1.3.551.30-1_amd64.deb -O vivaldi.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i vivaldi.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove vivaldi*

Instalando o navegador Vivaldi no Linux Fedora e sistemas com suporte a pacotes RPM

Para instalar o navegador Vivaldi no Linux Fedora e sistemas com suporte a pacotes RPM, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.rpm;

wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable-1.3.551.30-1.i386.rpm -O vivaldi.rpm

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.rpm;

wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable-1.3.551.30-1.x86_64.rpm -O vivaldi.rpm

Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall vivaldi.rpm

ou

sudo dnf install vivaldi.rpm

Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install vivaldi.rpm

Passo 7. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi vivaldi.rpm

Passo 8. Para instalar o programa em qualquer distro que suporte RPM, use o comando:

sudo rpm -i vivaldi.rpm

Passo 9. Se depois você precisar desinstalar o programa em uma distro que suporte RPM, use o comando a seguir;

sudo rpm -e vivaldi*

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vivaldi no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Instalou o navegador e o Flash e H.264 não estão funcionando? Veja a solução no tutorial abaixo:
Como adicionar suporte ao Flash e h.264 no Vivaldi

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como adicionar o suporte a Telegram no Pidgin com Telegram Purple

Se você usa o Pidgin e quer usar Telegram nele, veja aqui como adicionar o suporte a Telegram no Pidgin com Telegram Purple.


Telegram Purple é um plugin para Pidgin (e outros mensageiros baseados em libpurple), que adiciona suporte para Telegram. O plugin é baseado no Telegram-cli, um cliente cheio de recursos baseada em terminal para Telegram, e está nas etapas de desenvolvimento (pré-alfa).

Como adicionar o suporte a Telegram no Pidgin com Telegram Purple

Telegram Purple suporta os seguintes recursos:

  • Chats/grupo-chats;
  • Enviar/receber mensagens;
  • Descobrir camaradas/chats;
  • Descobrir estado de amigo e info;
  • Fotos do Perfil: download e uso de imagens de perfil;

Mesmo que atualmente ele não tenha alguns recursos importantes, o programa tem algumas vantagens sobre soluções autônomas, como o Sigram e o Telegram Unity WebApp: uma vez que você pode usá-lo com o Pidgin, você não tem que abrir vários clientes de bate-papo e ainda tem todo os seus contatos em uma única lista. E já que ele está sob forte desenvolvimento, certamente que em breve algumas das características ausentes serão implementadas.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o Telegram Purple

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como adicionar o suporte a Telegram no Pidgin com Telegram Purple

Nota: para ser capaz de usar qualquer cliente de desktop Telegram, você deve primeiramente instalar o aplicativo Telegram no seu dispositivo móvel.
Para adicionar o suporte a Telegram no Pidgin com Telegram Purple, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install telegram-purple

Como instalar o Telegram Purple manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Usuários do Arch Linux pode instalar a última Telegram Purple do Git via AUR .

Para outras distribuições Linux, confira as instruções de instalação disponíveis na página Telegram Purple no GitHub.

Usando Telegram Purple com Pidgin

Usar Telegram Purple com Pidgin é muito fácil. Depois de instalar o plug-in, inicie o Pidgin (ou reinicie se ele já estiver em execução) e do seu menu selecione Accounts > Manager Accounts. (Contas>Gerenciador de Contas Manager). Aqui, clique em “Add” (Adicionar) e na lista drop-down de protocolo, selecione “Telegram”.

Em seguida, digite seu número de telefone em “Username” (Nome de usuário) (incluindo o prefixo do país, o do Brasil é +55) e clique em “Add” (Adicionar):
telegram no pidgin

A primeira vez que você adicionar sua conta do telegrama, será exibido um pop-up, solicitando que você digite o código Telegram você recebeu via SMS. Digite o código e pronto, já está configurado o suporte a Telegram no Pidgin:
telegram no pidgin

Desinstalando o Telegram Purple no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Telegram Purple no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove telegram-purple
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Cliente BitTorrent WebTorrent Desktop suporta Chromecast, AirPlay e DLNA

A procura de um bom cliente torrent? Conheça e descubra como instalar o Cliente BitTorrent WebTorrent Desktop, que suporta Chromecast, AirPlay e DLNA.


WebTorrent desktop (beta) é um cliente de BitTorrent open source simples, que permite fazer stream de torrents. A aplicação vem com uma interface de usuário muito básica, que permite arrastar um arquivo torrent ou colar um link magnético para iniciar um stream.

Cliente BitTorrent WebTorrent Desktop suporta Chromecast, AirPlay e DLNA

Não há nenhuma base de dados torrent, pesquisa ou qualquer coisa assim em WebTorrent Desktop. Ele exibe apenas os quatro vídeos de open source mais populares (área que mais tarde é preenchida com as torrentes que você adicionar) e uma área onde você pode soltar arquivos torrent ou colar links magnet para iniciar a transmissão.

O torrent pode ser tanto de vídeo ou áudio, pois o WebTorrent pode lidar com ambos. Além disso, seja um vídeo retirado do Internet Archive, música da Creative Commons, ou audiobooks de Librivox, você pode reproduzi-lo imediatamente, pois não é necessário esperar o fim do download”.

Além de ser capaz de transmitir torrents para o seu desktop, WebTorrent Desktop também pode transmitir torrents para AirPlay, Chromecast e DLNA.

Quanto à parte BitTorrent do WebTorrent Desktop, o aplicativo pode descobrir pares através de servidores tracker, DHT (Distributed Hash Table), e peer exchange (troca de pares). Além disso, a aplicação suporta o protocolo WebTorrent, o que lhe permite conectar-se com seus pares WebRTC (para instância de navegadores web).

O aplicativo foi atualizado recentemente, e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o cliente BitTorrent WebTorrent Desktop

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o cliente BitTorrent WebTorrent Desktop no Linux

Para instalar o cliente BitTorrent WebTorrent Desktop no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/webtorrent*
sudo rm -Rf /usr/bin/webtorrent
sudo rm -Rf /usr/share/applications/webtorrent.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome programa.tar.bz2:

wget https://github.com/feross/webtorrent-desktop/releases/download/v0.10.0/WebTorrent-v0.10.0-linux-ia32.zip -O webtorrent-desktop.zip

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome programa.tar.bz2:

wget https://github.com/feross/webtorrent-desktop/releases/download/v0.10.0/WebTorrent-v0.10.0-linux-x64.zip -O webtorrent-desktop.zip

Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

unzip webtorrent-desktop.zip -d /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/WebTorrent*/ /opt/webtorrent

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/webtorrent/WebTorrent /usr/bin/webtorrent

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=webtorrent\n Exec=/opt/webtorrent/WebTorrent\n Icon=/opt/webtorrent/resources/app.asar.unpacked/static/WebTorrentSmall.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/webtorrent.desktop

Depois, se precisar remover o programa no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento.

Instalando o cliente BitTorrent WebTorrent Desktop no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o cliente BitTorrent WebTorrent Desktop no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome webtorrent-desktop.deb:

wget https://github.com/feross/webtorrent-desktop/releases/download/v0.10.0/webtorrent-desktop_0.10.0-1_i386.deb -O webtorrent-desktop.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome webtorrent-desktop.deb:

wget https://github.com/feross/webtorrent-desktop/releases/download/v0.10.0/webtorrent-desktop_0.10.0-1_amd64.deb -O webtorrent-desktop.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i webtorrent-desktop.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite webtorrent no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/webtorrent.desktop
cp /usr/share/applications/webtorrent.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/v.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Desinstalando o cliente BitTorrent WebTorrent Desktop no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o cliente BitTorrent WebTorrent Desktop no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove webtorrent-desktop
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o Open Broadcaster no Ubuntu e derivados

Se você precisa de um programa para gravar o que acontece na área de trabalho do seu sistema, veja nesse tutorial como instalar o Open Broadcaster no Ubuntu e derivados.


Open Broadcaster é um software de código aberto e multiplataforma (disponível para Linux, Microsoft Windows e Apple OS X), que permite gravar as atividades de nossa área de trabalho e compartilhá-los ao vivo na web.

Como instalar o Open Broadcaster no Ubuntu e derivados

O programa pode ser usado para fazer tutoriais em vídeo e compartilhá-los no YouTube Live, Twitch TV, DailyMotion e etc. Com ele é possível capturar o desktop inteiro ou apenas uma janela, importar vídeo de uma placa de captura e adicionar imagens ou texto. Uma vez incluída, você pode processar tudo em várias “cenas” e carregar a coisa toda ao vivo via streaming ou iniciar uma gravação.

Entre as várias opções disponíveis no Open Broadcaster está a possibilidade de ver uma prévia do stream, a definição da resolução do vídeo, operar no volume do microfone (com a capacidade de reduzir o ruído de fundo), personalizar atalhos de teclado e assim por diante.

Veja também:
Conheça quatro programas de gravação de tela para Linux
O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o Open Broadcaster

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para ver mais detalhes sobre essa versão, acesse o changelog do programa.

O Open Broadcaster está disponível para Ubuntu e derivados graças a um PPA, mas antes de instalar ele é preciso ter o FFMpeg no sistema. Infelizmente, ele não está incluído no Ubuntu 14.04 e 14.10, apenas no 15.04. Para resolver o problemas nessas versões, use este tutorial:

FFmpeg no Ubuntu: veja como instalar esse pacote no 14.04/14.10 via repositório

Como instalar o Open Broadcaster no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Open Broadcaster no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:obsproject/obs-studio

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install obs-studio

Como instalar o Open Broadcaster manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Instalando o Open Broadcaster em outras distribuições

Vocẽ pode instalar o Open Broadcaster no Arch Linux via AUR (versão git), no openSUSE e no Gentoo, usando pacotes não oficiais.
Para outras distribuições Linux, você precisa compilar o programa a partir do código fonte.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite obs no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Open Broadcaster no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Open Broadcaster no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove obs-studio
sudo apt-get autoremove

Via lffl linux freedom

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale a versão mais recente do trocador de papel de parede Variety no Ubuntu

Quer mudar o papel de parede de seu desktop automaticamente? Experimente instalar a versão mais recente do trocador de papel de parede Variety no Ubuntu.


Variety é um trocador de papel de parede que além de exibir imagens de pastas locais, transfere automaticamente e exibe wallpapers de fontes como Wallbase, Flickr, Wallpapers.net, Desktoppr, custom RSS feeds, NASA Astronomy Picture of the Day, bem como World Sunlight Map: um live Earth wallpaper que muda ao longo do dia.

Instale a versão mais recente do trocador de papel de parede Variety no Ubuntu

Usando esse trocador de papel de parede, você pode obter um novo e belo papel de parede automaticamente, no intervalo definido nas preferências do aplicativo.

Instale a versão mais recente do trocador de papel de parede Variety no Ubuntu

O programa pode até mesmo aplicar filtros nessas imagens. O melhor de tudo é que o Variety funciona com a maioria dos ambientes de desktop (KDE, LXDE, Xfce, Unity, GNOME Shell, Cinnamon ou Pantheon).

Variety é executado silenciosamente em segundo plano e fica convenientemente como um indicador no painel, onde pode ser facilmente ser interrompido e reiniciado. A roda do mouse pode ser usada para rolar wallpapers para frente e para trás até que você encontre o papel perfeito para o seu estado de espírito atual.

Instale a versão mais recente do trocador de papel de parede Variety no Ubuntu

O aplicativo também possui suporte a Wallhaven.cc, suporte ao Reddit, opção de exibir a próxima ou a imagem anterior no menu principal (apenas em ambientes não Unity, já que o Unity suporta indicador de rolagem, e portanto, não há necessidade para eles lá),

Quer ver o Variety em ação? Então assista o vídeo abaixo:

O aplicativo foi atualizado recentemente, e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o trocador de papel de parede Variety

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a versão mais recente do trocador de papel de parede Variety no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a versão mais recente do trocador de papel de parede Variety no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:peterlevi/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install variety

Como instalar o trocador de papel de parede Variety manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite variety no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o trocador de papel de parede Variety no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o trocador de papel de parede Variety no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:peterlevi/ppa --remove
sudo apt-get remove variety
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

10 de agosto de 2016

Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

Se seu sistema ficou totalmente sem áudio porque a saída HDMI está configurada como padrão, veja aqui como resolver isso.


A solução proposta aqui foi testada pelo pessoal do site “It’s F.O.S.S.” e somente deve ser usada se seu sistema estiver com a saída HDMI configurada como padrão. Ela pode inclusive funcionar em outras distribuições Linux como o Linux Mint, Elementary OS, Fedora, Arch Linux e etc. Mas como foi dito anteriormente, essa solução só funciona em sistemas em que a saída HDMI está definido como padrão.

Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

Como resolver o problema da falta de áudio depois de uma atualização do Ubuntu

Para resolver o problema da falta de áudio depois de uma atualização do Ubuntu, será preciso forçar o Ubuntu usar a saída analógica em vez da HDMI por padrão. Para isso, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Verifique se seu sistema está com a saída HDMI configurada como padrão, usando o comando:

alsamixer

Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão
Passo 3. Descubra os dados do dispositivo de saída analógica com o comando a seguir:

aplay -l

Passo 4. Isso irá listar os dispositivos. Anote o número do cartão (card) e do dispositivo (device). A informação será mais ou menos assim:
Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão
Passo 5. Com a informação, faça um novo arquivo de configuração digitando o seguinte comando:

sudo gedit /etc/asound.conf

Passo 6. Com o arquivo aberto, adicione as seguintes linhas nele, substituindo com a informação da saída analógica e o número do dispositivo, descobertos no quarto passo:

defaults.pcm.card 1
defaults.pcm.device 0

Passo 7. Salve o arquivo e reinicie o computador.

Pronto! Depois disso, seu sistema já estará com o som funcionando novamente.
Como não pude testar essa solução, fique a vontade para usar os comentários para informar se funcionou ou não, ou se você tem algum truque melhor para lidar com isso.

Via It’s F.O.S.S.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
24 de agosto de 2016, 01:01
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.