09 de maio de 2021

Como visualizar informações de hardware do PC no Ubuntu

Se você quer saber tudo sobre o seu computador, conheça o inxi e veja como visualizar informações de hardware do PC no Ubuntu.

No Linux existem vários comandos que mostram detalhes sobre o sistema e informações de hardwares, como por exemplo: cat /proc/meminfo.

Como visualizar informações de hardware do PC no UbuntuComo visualizar informações de hardware do PC no UbuntuComo visualizar informações de hardware do PC no Ubuntu

No entanto, são tantos comandos e opções, que fica difícil lembrar de todos e usá-los.

Para verificar as informações do sistema e os detalhes do hardware no console de comando, sem se confundir com vários comandos do Linux, há uma ferramenta de informação do sistema com todos os recursos disponíveis.

Sim. Já existe uma ótima ferramenta de linha de comando de linha de comando para essa tarefa e ela se chama inxi.

O Inxi é uma ferramenta de linha de comando de informações com todos os recursos e que está disponível na maioria dos repositórios de distribuição Linux e faz o possível para suportar os BSDs.

Inxi permite obter informações sobre:

  • Placa de áudio/som, driver, servidor de som;
  • Informação da bateria do sistema;
  • Saída da CPU;
  • Informação do Disco Rígido;
  • Placa gráfica, driver, servidor de exibição, resolução, renderizador, versão OpenGL;
  • Informações gerais, incluindo processos, tempo de atividade, memória, cliente de IRC ou tipo de shell, versãodo inxi;
  • Dados de memória (RAM) (Requer root);
  • Placa de rede, driver;
  • Informações do sistema, informações de partição, saída de sensores, dados USB e muito mais.

Inxi se esforça para oferecer suporte à mais ampla gama de sistemas operacionais e hardware, desde os desktops de consumo mais simples até os profissionais mais avançados hardware e servidores.

Abaixo, você verá como instalar e usar essa ferramenta. Vale lembrar que, apesar do tutorial ser focado no Ubuntu, com os devidos ajustes, ele pode ser aplicado a qualquer distribuição Linux.

Como visualizar informações de hardware do PC no Ubuntu

Para visualizar informações de hardware do PC e outras informações do sistema no terminal do Ubuntu, você precisa instalar o programa inxi, usando o gerenciador de pacotes, ou abrindo um terminal e executando o seguinte comando:

sudo apt-get install inxi

Em seguida, execute o comando abaixo para obter uma lista de opções de comando:

man inxi

Ou execute o comando abaixo para obter uma saída rápida:

inxi -F

Para mais informações sobre a ferramenta, acesse a página Web do inxi.

Adblock test (Why?)

Como descobrir qual a BIOS do PC no terminal com Dmidecode

Se você quer saber detalhes sobre a BIOS do seu PC sem ter que reiniciá-lo, veja como descobrir qual a BIOS do PC no terminal com Dmidecode.

Muitas vezes podemos precisar de informações sobre a BIOS. Mas por uma razão ou outra, não queremos ou podemos reiniciar nosso sistema operacional. Felizmente, podemos resolver esse inconveniente de maneira simples usando o terminal.

Como descobrir qual a BIOS do PC no terminal com DmidecodeComo descobrir qual a BIOS do PC no terminal com DmidecodeComo descobrir qual a BIOS do PC no terminal com Dmidecode

Esse processo não é um problema quando você tem uma interface gráfica disponível no Linux, mas os usuários da linha de comando podem sentir falta de recursos, quando se trata de obter esse tipo de detalhes de seus equipamentos.

Dmidecode é uma ferramenta que lê o DMI de um computador (Desktop Management Interface). Ele mostra as informações de hardware do sistema em um formato legível por humanos.

Dados DMI podem ser usados ​​para ativar ou desativar partes específicas do código do kernel, dependendo do hardware específico.

Tenha em mente que os dados da DMI não são totalmente confiáveis ​​para confiar cegamente neles. Dmidecode não verifica o hardware, apenas informa o que a BIOS responde.

Dmidecode foi escrito pela primeira vez por Alan Cox. Foi então desenvolvido e mantido novamente por Jean Delvare. Anton Arapov assumiu após um período de 5 anos. Ele é publicado sob a Licença Pública Geral (GPL).

Dmidecode informará sobre o hardware do sistema conforme descrito no BIOS, de acordo com o padrão SMBIOS/DMI.

Esta informação geralmente inclui o fabricante, o nome do modelo, o número de série, a versão do BIOS. Também veremos o rótulo do ativo, bem como muitos outros detalhes de diferentes níveis de interesse e confiabilidade, de acordo com o fabricante.

Isso geralmente inclui o status de uso de soquetes de CPU, slots de expansão (por exemplo, AGP, PCI, ISA) e slots de módulos de memória, bem como a lista de portas de E/S.

Se interessou? Confira abaixo como usar essa incrível ferramenta.

Como descobrir qual a BIOS do PC no terminal com Dmidecode

Para descobrir qual a BIOS do PC no terminal com Dmidecode, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se você tiver efetuado login com um usuário root, digite o seguinte comando;

sudo dmidecode | less

Passo 3. Se você não tem acesso como root, você também pode usá-lo com o sudo;

sudo dmidecode | less

Passo 4. A saída dos comandos anteriores mostram somente uma parte de todos os dados (Você precisa ficar teclando enter para ver mais informações). Para ver apenas os principais detalhes da BIOS, use a opção -s como nos exemplos abaixo;

sudo dmidecode -s bios-version
sudo dmidecode -s bios-release-date
sudo dmidecode -s system-manufacturer

Passo 5. Se você quer ver dados diferentes e que sejam mostrados de forma resumida, podemos tentar um loop no bash. Com ele será mostrado no terminal algo semelhante a esta captura;

for d in system-manufacturer system-product-name bios-release-date bios-version
do
echo "${d^} : " $(sudo dmidecode -s $d)
done

Passo 6. Por fim, a maneira mais simples de imprimir as informações do BIOS de maneira resumida é usando o comando dmidecode da seguinte maneira;

sudo dmidecode --type bios

Resumindo, o comando dmidecode compila as informações sobre o hardware do sistema (laptop/desktop/servidor) conforme descrito na BIOS.

Para mais informações sobre essa ferramenta, você pode verificar a página oficial do projeto.

Adblock test (Why?)

Como instalar o utilitário Font Manager no Linux via Flatpak

Se você quer gerenciar as fontes do seu sistema, conheça e veja como instalar o utilitário Font Manager no Linux via Flatpak.

O Font Manager se destina a fornecer uma maneira para que os usuários comuns gerenciem facilmente as fontes da área de trabalho, sem ter que recorrer a ferramentas de linha de comando ou editar arquivos de configuração manualmente.

Como instalar o utilitário Font Manager no Linux via Flatpak Como instalar o utilitário Font Manager no Linux via Flatpak Como instalar o utilitário Font Manager no Linux via Flatpak

Embora projetado principalmente com o Ambiente de Trabalho Gnome em mente, ele deve funcionar bem com outros ambientes de área de trabalho Gtk+.

Paesar dos seus recursos, vale lembrar que o Font Manager NÃO é uma solução de gerenciamento de fontes de nível profissional.

Como instalar o utilitário Font Manager no Linux via Flatpak

Para instalar o utilitário Font Manager via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o utilitário Font Manager via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.FontManager.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.FontManager

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.FontManager em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite fontmanager ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, para desinstalar o utilitário Font Manager no Linux via Flatpak, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.FontManager

Ou

flatpak uninstall org.gnome.FontManager

Adblock test (Why?)

Como instalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder no Linux via Snap

Se você precisa capturar o que acontece no desktop, conheça e veja como instalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder no Linux via Snap.

O SimpleScreenRecorder é um gravador de tela rico em recursos que suporta X11 e OpenGL, e que possui uma interface gráfica de usuário baseada em Qt.

Como instalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder no Linux via Snap Como instalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder no Linux via Snap Como instalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder no Linux via Snap

Ele pode gravar a tela inteira ou parte dela, ou gravar aplicativos OpenGL diretamente (atualmente não é suportado na distribuição de snap).

A gravação pode ser pausada e retomada a qualquer momento. Muitos formatos de arquivo e codecs diferentes são suportados.

Além disso, o SimpleScreenRecorder sincroniza áudio e vídeo corretamente, reduz a taxa de quadros de vídeo se o computador estiver muito lento, é totalmente multithread (ou seja, pequenos atrasos em qualquer um dos componentes nunca bloquearão os outros componentes, resultando em vídeo mais suave e melhor desempenho em computadores com vários processadores), também pode fazer streaming ao vivo.(experimental).

Entretanto, Atualmente, a gravação do OpenGL não é suportada por essa compilação devido à natureza de confinamento e separação da biblioteca dos aplicativos de snap.

Como instalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install simplescreenrecorder-brlin

Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install simplescreenrecorder-brlin --beta

Passo 4. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install simplescreenrecorder-brlin --edge

Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh simplescreenrecorder-brlin

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite simplescreenrecorder ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o gravador de tela SimpleScreenRecorder via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove simplescreenrecorder-brlin

Adblock test (Why?)

Como instalar o gerenciador de senhas AuthPass no Linux via Snap

Se você quer controlar e ter suas senhas sempre a mão, conheça e veja como instalar o gerenciador de senhas AuthPass no Linux via Snap.

AuthPass é um gerenciador de senhas de código aberto com suporte a arquivos Keepass, que permite que você acompanhe com facilidade e segurança todas as suas senhas!

Como instalar o gerenciador de senhas AuthPass no Linux via Snap Como instalar o gerenciador de senhas AuthPass no Linux via Snap Como instalar o gerenciador de senhas AuthPass no Linux via Snap

Ele é um gerenciador de senhas independente, com suporte para o popular formato Keepass (kdbx 3.xe AND kdbx 4.x). Assim, você armazena suas senhas, compartilhe em todos os seus dispositivos e encontre-as facilmente sempre que precisar fazer login e use um tema escuro.

O AuthPass permite ter todas as suas senhas em um só lugar, gerar senhas aleatórias seguras para cada uma das suas contas, acompanhar suas contas na Web.

Ele permite que você abra vários arquivos de senha ao mesmo tempo (por exemplo, um para o trabalho, outro para o pessoal – ou compartilhe seus arquivos de senha com colegas de trabalho).

Para completar, esse aplicativo está disponível para Mac, iOS, Android, Linux e em breve no Windows.

Como instalar o gerenciador de senhas AuthPass no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o gerenciador de senhas AuthPass via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de senhas AuthPass via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install authpass

Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install authpass --beta

Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh authpass

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite authpass ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gerenciador de senhas AuthPass no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o gerenciador de senhas AuthPass via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove authpass

Adblock test (Why?)

Como instalar o reprodutor de mídia Clapper no Linux via Flatpak

Se você quer apenas ver ou ouvir seus vídeos e áudios, conheça e veja como instalar o reprodutor de mídia Clapper no Linux via Flatpak.

Clapper é um reprodutor de mídia GNOME simples e moderno. Ele é um reprodutor de mídia GNOME construído usando GJS com kit de ferramentas GTK4.

Como instalar o reprodutor de mídia Clapper no Linux via Flatpak Como instalar o reprodutor de mídia Clapper no Linux via Flatpak Como instalar o reprodutor de mídia Clapper no Linux via Flatpak

Esse media player está usando o GStreamer como back-end de mídia e renderiza tudo via OpenGL. Player funciona nativamente no Xorg e no Wayland. Ele também suporta VA-API em GPUs AMD/Intel.

O reprodutor de mídia possui uma GUI adaptável. Ao visualizar vídeos no “Modo Windowed”, o Clapper usará principalmente widgets GTK não modificados para combinar com a aparência do seu sistema operacional.

Quando o jogador entra no “Modo de tela inteira”, todos os elementos da GUI se tornam mais escuros, maiores e semitransparentes para o seu conforto de visualização.

Ele também possui um “Modo Flutuante”, que exibe o vídeo apenas na parte superior de todas as outras janelas para uma experiência de visualização semelhante a PiP. Transições amigáveis para dispositivos móveis também são suportadas.

Para melhor estabilidade, uma sessão de Wayland é recomendada. Os usuários do Wayland com GPUs AMD / Intel podem tentar habilitar o plugin ALTAMENTE EXPERIMENTAL “vah264dec” nas preferências do jogador para reduzir o uso de CPU e GPU em vídeos H.264 padrão (8 bits).

Como instalar o reprodutor de mídia Clapper no Linux via Flatpak

Para instalar o reprodutor de mídia Clapper no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o reprodutor de mídia Clapper no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.rafostar.Clapper.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.rafostar.Clapper

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.rafostar.Clapper em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite clapper ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, se for necessário, para desinstalar o reprodutor de mídia Clapper no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.rafostar.Clapper

Ou

flatpak uninstall com.github.rafostar.Clapper

Adblock test (Why?)

08 de maio de 2021

Como instalar o cliente Microsoft Teams Insiders no Linux via Snap

Se você precisa usar as novidades do Teams no sistema do pinguim, conheça e veja como instalar o Microsoft Teams Insiders no Linux via Snap.

O Microsoft Teams Insiders for Linux é o seu espaço de trabalho centrado no chat no Office 365. Acesse instantaneamente todo o conteúdo da sua equipe em um único lugar onde mensagens, arquivos, pessoas e ferramentas vivem juntos. Esta é uma versão preliminar, então tenha paciência conosco enquanto fazemos alguns ajustes.

Como instalar o cliente Microsoft Teams Insiders no Linux via Snap Como instalar o cliente Microsoft Teams Insiders no Linux via Snap Como instalar o cliente Microsoft Teams Insiders no Linux via Snap

Trabalhe com os documentos da sua equipe em qualquer lugar, mova-se perfeitamente entre diferentes projetos e tópicos de equipe, mencione membros individuais da equipe ou toda a sua equipe para chamar a atenção.

Vale lembrar que por ser um Insiders, esta é uma versão preliminar, então tenha paciência pois estão sendo feitos alguns ajustes no app.

Além disso, este aplicativo requer uma assinatura comercial adequada do Office 365. Se você não tem certeza sobre a assinatura de sua empresa ou os serviços aos quais tem acesso, entre em contato com seu departamento de TI.

Como instalar o cliente Microsoft Teams Insiders no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o cliente Microsoft Teams Insiders via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o cliente Microsoft Teams Insiders via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install teams-insiders

Passo 3. Você precisa permitir que o programa tenha acesso à câmera no Teams For Linux, par que ele seja capaz de fazer videochamadas, para isso você pode usar esse comando;

snap connect teams-insiders:camera:camera

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh teams-insiders

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite teams ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o cliente Microsoft Teams Insiders via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o cliente Microsoft Teams Insiders via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove teams-insiders

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o cliente Microsoft Teams no Linux via Flatpak
Como instalar o cliente Microsoft Teams no Linux via Snap
Como instalar o Microsoft Teams no Linux Ubuntu, Fedora, openSUSE e derivados

Adblock test (Why?)

Como instalar o gerenciador de senhas PassVault no Linux via Flatpak

Se você quer simplificar o uso de senhas e descomplicar sua vida, conheça e veja como instalar o gerenciador de senhas PassVault no Linux via Flatpak.

PassVault é um aplicativo que permite que você gerencie suas senhas de forma segura e fácil, pois é um gerenciador de senhas construído com Java Swing.

Como a maioria dos gerenciadores de senhas, ele usa uma senha mestra para criptografar todas as senhas armazenadas, e dessa foram você não precisa ficar batendo cabeça com várias senhas.

Como instalar o gerenciador de senhas PassVault no Linux via Flatpak

Como instalar o gerenciador de senhas PassVault no Linux via Flatpak Como instalar o gerenciador de senhas PassVault no Linux via Flatpak Como instalar o gerenciador de senhas PassVault no Linux via Flatpak
Para instalar o gerenciador de senhas PassVault via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de senhas PassVault via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/de.finnik.PassVault.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update de.finnik.PassVault

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run de.finnik.PassVault em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite passvault ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, para desinstalar o gerenciador de senhas PassVault no Linux via Flatpak, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall de.finnik.PassVault

Ou

flatpak uninstall de.finnik.PassVault

Adblock test (Why?)

Como instalar o cliente de e-mail Newton Mail no Linux via Snap

Se você procura um aplicativo para seus e-mails, conheça e veja como instalar o cliente de e-mail Newton Mail no Linux via Snap.

Newton Mail é um aplicativo de e-mail com recursos da era espacial para comunicação empresarial moderna.

Como instalar o cliente de e-mail Newton Mail no Linux via SnapComo instalar o cliente de e-mail Newton Mail no Linux via SnapComo instalar o cliente de e-mail Newton Mail no Linux via Snap

Ele foi projetado para encantar, para todas as suas contas de e-mail, em todos os seus dispositivos: iPhone, iPad, Android, Mac e PC.

Recibos de leitura vêm integrados com Newton, com todos os seus e-mails enviados rastreados sem que você precise fazer nada. Além de dar a você uma gratificação instantânea, também torna seus acompanhamentos oportunos e eficazes.

Além disso, o Reacp automaticamente traz de volta conversas que estão aguardando sua resposta ou que precisam de acompanhamento. Ele também cobre outros e-mails com datas de vencimento, lembretes, etc., para que nada passe despercebido.

E o Tidy Inbox ajuda você a evitar e-mails indesejados removendo automaticamente boletins informativos e outras distrações da caixa de entrada. Concentre-se nos e-mails que realmente importam e torne sua caixa de entrada livre de distrações.

A maioria de nós recebe tarefas por e-mail. Mas alguns de nós gostam de gerenciá-los fora de nossa caixa de entrada. Newton permite que você salve e-mails em Todoist, Evernote, OneNote, Trello ou Asana com um único clique. Ou apenas ‘Compartilhe’ com seu aplicativo favorito.

Como instalar o cliente de e-mail Newton Mail no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o cliente de e-mail Newton Mail no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o cliente de e-mail Newton Mail no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install newton

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh newton

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite newton ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, para desinstalar o cliente de e-mail Newton Mail no Linux via Snap, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove newton

Adblock test (Why?)

Como instalar o navegador Firefox no Linux via Snap

A versão mais recente do Mozilla Firefox já está disponível como um pacote Snap para qualquer distribuição Linux que suporte essa tecnologia, então, confira os detalhes dessa novidade e veja como instalar o navegador Firefox no Linux via Snap.

Ter a opção de instalar um programa no formato Snap é muito importante, mesmo que ele já esteja disponível nos principais sistemas Linux, como o é o caso do Firefox. Mas esse não é apenas um pacote Snap qualquer, e sim um pacote oficial, feito pela própria Mozilla.

Como instalar o navegador Firefox no Linux via SnapComo instalar o navegador Firefox no Linux via SnapComo instalar o navegador Firefox no Linux via Snap

A promessa era antiga: a Mozilla disse que eles fariam um caminho Snap em 2016. Só levaram dois anos para realmente conseguir o que queriam fazer.

Então, você provavelmente está se perguntando se há algum benefício para usar o pacote Snap do Firefox, em vez da versão com a qual o Ubuntu e outras distros entregam pré-instalado. A resposta é: ainda não.

Por um lado, o pacote Firefox Snap é um download de 193 MB, ou seja, é 120 MB maior do que a versão regular disponível para download no site da Mozilla.

O pacote Snap do Firefox ainda possui alguns problemas importantes: Ele funciona bem com o tema Ambiance, mas se você tenta usar um tema GTK menos comum, como o novo CommuniTheme, Arc ou Canta.

Enquanto o pacote snap do Firefox manipulava a reprodução de vídeo 1080p no YouTube como um campeão, atualmente ele não funciona com sites que exigem um plugin DRM, como o Netflix.

Você até consegue fazer login no Netflix sem problemas, selecionar a conta e exibir o catálogo completo de conteúdo.

O Firefox até solicita “habilitar DRM” para ativar a reprodução (como é esperado), mas depois de concordar, todo o sistema congela, exigindo uma reinicialização difícil.

Portanto, esse pacote ainda não está maduro suficiente para uso. Entretanto, se você quiser experimentá-lo, veja abaixo como instalar.

Como instalar a versão mais recente do navegador Firefox no Linux via Snap

Para instalar o navegador Firefox no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o navegador Firefox no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install firefox

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install firefox --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install firefox --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install firefox --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh firefox

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove firefox

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite firefox ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Firefox no Linux – veja como instalar manualmente
Firefox ESR no Linux – veja como instalar manualmente
Como instalar o Firefox Nightly no Ubuntu e derivados
Como atualizar o Firefox para a última versão no Ubuntu e derivados
Mais artigos sobre o Firefox

Adblock test (Why?)

07 de maio de 2021

Como instalar o baixador de vídeos Utube no Linux via Snap

Se você quer baixar vídeos do YouTube sem complicações, conheça e veja como instalar o baixador de vídeos Utube no Linux via Snap.

O Utube é uma ferramenta muito poderosa para baixar arquivos de mídia de vários sites, o Utube fornece uma interface exclusiva que permite gerenciar seus vídeos e músicas favoritos do YouTube.

Como instalar o baixador de vídeos Utube no Linux via Snap Como instalar o baixador de vídeos Utube no Linux via Snap Como instalar o baixador de vídeos Utube no Linux via Snap

Ele permite reproduzir YouTube, baixar vídeos do YouTube, baixar mídia em diferentes formatos, resoluções e qualidades, pesquisar no YouTube, filtrar sua pesquisa.

O programa mostra a velocidade, tempo restante, tamanho, progresso, tempo adicionado etc. no item de download e também o salva.

Ele possui um player de vídeo embutido (sem Flash, incluindo o Native Player), permite baixar vídeos com um clique, suporta vários downloads, tem suporte completo ao histórico, além de ser muito rápido.

Como instalar o baixador de vídeos Utube no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o baixador de vídeos Utube via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o baixador de vídeos Utube via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install utube

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh utube

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite utube ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, para desinstalar o baixador de vídeos Utube via Snap, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove utube

Adblock test (Why?)

Como capturar imagens de vídeos com o Videocut

Se você precisa capturar imagens de vídeos de um jeito simples e fácil, então conheça e experimente o programa Videocut.

Existem diferentes softwares e ferramentas para Linux que permitem capturar imagens de vídeos. Por exemplo, é possível usar a função “Thumbnail Generator” no SMPlayer para criar uma imagem com alguns previews do filme e outras informações.

Como capturar imagens de vídeos com o Videocut Como capturar imagens de vídeos com o Videocut Como capturar imagens de vídeos com o Videocut

Outro software útil para capturar screenshot de um vídeo ou criar imagens com miniaturas e detalhes é o Videocut, um utilitário que está disponível por padrão, nos repositórios oficiais do Debian, Ubuntu e derivados.

Videocut é um software de código aberto, com interface gráfica em Qt4, que permite processar imagens de vídeo extrair/criar composições de quadros de screenshots.

Através de uma interface gráfica simples e intuitiva, é possível criar imagens personalizadas com vários quadros e detalhes de um vídeo, como título, duração, formato, tamanho e etc.

O programa suporta os formatos de vídeo mais comuns e com ele você pode salvar as imagens no formato png e jpeg.

Também dá para salvar um único frame de um vídeo (sem a necessidade de criar para forçar uma composição) e as preferências do software permite definir o tamanho de vários quadros, cor de fundo e cor da fonte do texto e muito mais.

Como capturar imagens de vídeos com o Videocut

Como capturar imagens de vídeos com o Videocut

Como capturar imagens de vídeos com o Videocut

Como capturar imagens de vídeos com o Videocut

Como instalar o Videocut no Linux

Para instalar a versão mais recente do Shotcut nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente
Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via Flatpak
Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via AppImage
Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Ubuntu

Para instalar o Videocut no Ubuntu e derivados, você pode usar a Central de programas do sistema ou usar o comando abaixo em um terminal:

sudo apt-get install videocut -y

Para instalar o Videocut no Arch Linux e derivados, basta instalar o software via AUR.

O Videocut também está disponível para PCLinuxOS e Mageia/OpenMandriva graças aos pacotes RPM disponíveis nesta página.

Como usar o Videocut para capturar imagens de vídeos

Para usar o Videocut para capturar imagens de vídeos, execute o programa e faça o seguinte:

Passo 1. Abra o arquivo de vídeo;

Videocut

Videocut

Passo 2. Com o arquivo aberto, clique no Frame e em seguida, no botão “Save Frame”. Na janela que aparece, digite o nome do arquivo e clique no botão “Salvar”;

Videocut

Videocut

Pronto! Agora, sempre que precisar, basta repetir o processo e capturar a imagem que você precisa!

Adblock test (Why?)

Manjaro 21.0.4 lançado com pacotes atualizados e LXQt 0.17.0

E foi lançado o Manjaro 21.0.4 lançado com pacotes atualizados e LXQt 0.17.0. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.

O Manjaro Linux é um sistema operacional rápido, fácil de usar e orientado para desktop, baseado no Arch Linux. Os principais recursos incluem processo de instalação intuitivo, detecção automática de hardware, modelo estável de lançamento contínuo, capacidade de instalar vários kernels, scripts Bash especiais para gerenciamento de drivers gráficos e ampla capacidade de configuração da área de trabalho.

O Manjaro Linux oferece o Xfce como as principais opções da área de trabalho, além do KDE, GNOME e uma edição minimalista da Net para usuários mais avançados. Também estão disponíveis tipos de desktops suportados pela comunidade.

Esse sistema usa o modelo de desenvolvimento conhecido como Rolling Release, para que os usuários existentes possam atualizar para a nova versão a partir do mesmo sistema operacional.

Agora, uma nova versão estável agora está disponível, o Manjaro 21.0.4.

Novidades do Manjaro 21.0.4

Manjaro 21.0.4 lançado com pacotes atualizados e LXQt 0.17.0Manjaro 21.0.4 lançado com pacotes atualizados e LXQt 0.17.0Manjaro 21.0.4 lançado com pacotes atualizados e LXQt 0.17.0
Pela lista de novos recursos, este não ficará para a história como um dos lançamentos mais interessantes, uma vez que a edição GNOME continua com Shell 3.38 e eles não atualizaram a edição KDE com Plasma 5.21.5. Será mais interessante para quem instalar um desktop leve, já que adicionou o LXQt 0.17.0 aos seus repositórios.

Abaixo você tem o resto das novidades que chegaram com Manjaro 21.0.4:

  • Eles atualizaram a maioria dos kernels, mas a série 5.9 foi removida.
  • LXQt 0.17.0.
  • Muitos pacotes GNOME foram atualizados para 40.1. Mas, como mencionado antes, ninguém está muito feliz, porque isso afeta apenas os aplicativos. O Shell foi mantido na versão 3.38.
  • VirtualBox foi atualizado para 6.1.22.
  • Mais atualizações de Deepin.
  • Atualizações comuns, como Python e Haskell.

Quanto a quando darão o salto para o GNOME 40 também no Shell, a única coisa que se sabe é que já estão testando nas versões instáveis, portanto os usuários da versão estável ainda terão que ter um pouco mais de paciência.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o Manjaro 21.0.4

Você pode baixar o Manjaro 21.0.4 agora mesmo do site oficial se planeja instalar a distro baseada no Arch Linux em novos computadores.

Para hardware mais antigo, Manjaro Linux também está disponível como ISOs alternativos com a série de kernel Linux 5.4 LTS.

Caso contrário, se você já estiver usando o Manjaro Linux em seu computador pessoal, tudo o que você precisa fazer para obter essas melhorias e componentes atualizados é certificar-se de que suas instalações estejam atualizadas executando o comando sudo pacman -Syu em um emulador de terminal.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

Adblock test (Why?)

Como instalar o Deepin Desktop no Ubuntu 20.04 LTS e derivados

Se você gosta da área de trabalho do Deepin e quer usá-lo no sistema da Canonical, veja como instalar o ambiente gráfico do Deepin Deepin Desktop no Ubuntu 20.04 LTS no Ubuntu 20.04 LTS e derivados.

Deepin é uma distro baseada no Ubuntu para o público chinês, mas que tem ganhado a preferência dos ocidentais também.

Como instalar o Deepin Desktop no Ubuntu 20.04 LTS e derivados Como instalar o Deepin Desktop no Ubuntu 20.04 LTS e derivados Como instalar o Deepin Desktop no Ubuntu 20.04 LTS e derivados

A primeira impressão que se tem do Deepin depois de iniciá-lo, é que seu ambiente gráfico é muito bonito, pois o tema personalizado e todos os ajustes usados nele são muito elegantes.

Toda essa beleza é principalmente por causa do ambiente gráfico desse sistema. Esse ambiente é o DDE (Deepin Desktop Environment), que oferece uma ótima experiência de uso, acompanhado de um bonito visual.

Uma prova disso é que muitos usuários experimentam a distribuição depois de verem o desktop dela sendo usado.

O Deepin Desktop também é o ambiente de desktop padrão para o UbuntuDDE Remix, um sabor Remix do sistema Ubuntu.

Mas a verdade é que para usar esse ambiente, você não precisa mudar de distribuição. Para ajudá-lo nessa tarefa, nesse tutorial, você verá como instalar o DDE no Ubuntu. Confira abaixo!

Como instalar o Deepin Desktop no Ubuntu 20.04 LTS e derivados

Para instalar o ambiente gráfico Deepin Desktop no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntudde-dev/stable -y

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ubuntudde-dde

Durante o processo de instalação, é importante prestar atenção no terminal porque, em um determinado momento, você será solicitado a escolher qual gerenciador de exibição (também conhecido como tela de login) deseja usar.

A instalação não continuará até você responder a esta etapa.

O Deepin depende do LightDM para alimentar suas telas de login e bloqueio/desbloqueio (“Deepin Greeter”), mas você pode (e de fato deve) optar por manter o GDM como padrão.

Se você deseja instalar a tela de login no estilo Deepin, selecione lightdm como o gerenciador de exibição padrão durante o processo de instalação.

No final, basta fechar a sessão atual, escolher o ambiente Deepin na tela de login e entrar com seu usuário e senha para iniciar uma nova sessão.

A partir daqui, você pode navegar pelas várias configurações do sistema, alterar o tema, experimentar um tema de ícones diferente e assim por diante.

Clique no botão “Launcher” (o mais à esquerda) para abrir o iniciador de aplicativos. O lançador Deepin é full-screen por padrão e seus ícones são pequenos. Você pode segurar Ctrl e tocar no botão + para aumentar o tamanho ou diminuir.

Desinstalando o ambiente gráfico do Deepin Desktop no Ubuntu 20.04 LTS e derivados

Para desinstalar o ambiente gráfico do Deepin Desktop no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Antes de remover a área de trabalho, é necessário mudar o gerenciador de exibição padrão de volta para o gdm3! E você faz isso executando o comando abaixo:

sudo dpkg-reconfigure lightdm

Passo 3. epois, desinstale o ambiente, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntudde-dev/stable -r -y
sudo apt remove '~ndde-.*' '~ndeepin-.*' startdde ubuntudde-dde '~nxscreensaver-.*'

Veja também

Como instalar o ambiente gráfico do Deepin no Ubuntu e derivados

Adblock test (Why?)

Como instalar o utilitário f.lux no Ubuntu para cuidar dos olhos

Você passa algumas horas da noite usando o PC? Pois então precisa de uma ajuda para “dormir melhor”, para isso, veja como instalar f.lux no Ubuntu e seus derivados.

f.lux é um aplicativo que muda a temperatura da cor de seu monitor de computador de acordo com a localização e hora do dia, para reduzir a tensão ocular durante o uso noturno e evitar atrapalhar seu sono.

Como instalar f.lux no Ubuntu para cuidar dos olhos Como instalar f.lux no Ubuntu para cuidar dos olhos Como instalar f.lux no Ubuntu para cuidar dos olhos

As tonalidades de azul e verde dos monitores durante a noite forçam a vista, e consequentemente, atrapalham o relaxamento dos olhos.

Por isso, este aplicativo foi desenvolvido para diminuir estes tons de luz de acordo com a iluminação do dia.

O f.lux para Linux é composto de um daemon de linha de comando e um applet indicador, que monitoram o horário do PC e ajustam o temperatura da cor de seu monitor de computador, conforme for necessário.

Como instalar o f.lux no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o f.lux no Ubuntu (15.04 ou superior), e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nathan-renniewaldock/flux

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install fluxgui

Como instalar o f.lux manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite fluxgui ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois que o usuário registrar a sua localidade, a aplicação passará a regular a luz do monitor alternando duas modalidades.

A primeira é para funcionar enquanto houver a luz do sol, e a outra para os períodos noturnos.

Desinstalando o f.lux no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o f.lux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:nathan-renniewaldock/flux -r -y
sudo apt-get remove fluxgui --auto-remove

Gostou do programa? Deixe sua opinião nos comentários!

Adblock test (Why?)

06 de maio de 2021

Como instalar o QTCreator no Ubuntu 20.04, 18.04 e derivados

Se você quer desenvolver aplicativos usando a biblioteca QT, veja como instalar o QTCreator no Ubuntu 20.04, 18.04 e derivados.

O Linux talvez seja o melhor sistema operacional para o desenvolvimento de aplicativos por sua estabilidade e preço. Digamos que muitos desenvolvedores que começam sua aventura na programação, exigem aplicativos de qualidade, mas também livres/gratuitos.

Como instalar o QTCreator no Ubuntu 20.04, 18.04 e derivados Como instalar o QTCreator no Ubuntu 20.04, 18.04 e derivados Como instalar o QTCreator no Ubuntu 20.04, 18.04 e derivados

Com isso em mente, o Ubuntu em seus repositórios possui diversas aplicações para desenvolver em diferentes plataformas e com inúmeros idiomas de suporte.

Alguns deles já veteranos como Fortran, Java, C++; ou mais novos, como V, Python, PHP, Go ou Rust.

Porém, muitos desses aplicativos requerem componentes gráficos e, no Linux, o QT é um dos mais respeitados. Na verdade, o Plasma e seus aplicativos são desenvolvidos com o Qt.

QT é um framework de bibliotecas para fazer interfaces gráficas com o usuário. É pensado na beleza e uniformidade dos elementos, bem como na correta execução dos mesmos.

Muitos aplicativos grandes usam QT, como o ambiente de desktop Plasma e seus aplicativos. Mas também, aplicativos conhecidos como VLC o usam. Não há melhor maneira de aproveitar as vantagens do QT do que usando o QTCreator.

QTCreator é uma estrutura leve e de código aberto que se integra perfeitamente a muitas necessidades do desenvolvedor QT. Ele também foi projetado para tornar o desenvolvimento em C++ do aplicativo Qt mais rápido e fácil. Tem muitos recursos que você precisa procurar.

Desde a sua concepção, QTCreator não pretende rivalizar com outros IDEs como Eclipse ou Netbeans, mas ao contrário, servir como uma porta de entrada para o desenvolvimento do QT.

QTCreator está relacionado ao desenvolvimento C++, mas suporta outras linguagens de programação, como Python e C#.

E com o objetivo de ajudá-lo a criar aplicativos fabulosos com QT, neste post, vou te ensinar como instalar o QTCreator no Ubuntu 20.04/18.04.

Como instalar o QTCreator no Ubuntu 20.04, 18.04 e derivados

Basicamente, é possível instalar o QTCreator no Ubuntu 20.04/18.04 e derivados por meio dos principais repositórios de distribuição. Se quisermos desenvolver com calma sacrificando um pouco as novidades de cada versão, o ideal é escolher este método.

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Instale o QTCreator usano o comando abaixo;

sudo apt install qtcreator

Passo 3. Claro, também é necessário instalarmos as bibliotecas e compiladores necessários. Portanto, instale-os;

sudo apt install build-essential

Passo 4. Se você tiver várias versões do Qt, provavelmente deseja que a versão 5 seja a versão padrão do QTCreator a ser usada. Para fazer isso, instale o seguinte pacote;

sudo apt install qt5-default

Passo 5. Então podemos começar a nos desenvolver. Porém, é conveniente instalar a documentação do QT e seus exemplos para auxiliar no desenvolvimento;

sudo apt install qt5-doc qt5-doc-html qtbase5-doc-html qtbase5-examples

Pronto! Agora você pode iniciar o QTCreator e começar a trabalhar. Você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite qtcreator ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

QT é uma ótima biblioteca gráfica para seus aplicativos modernos. Mas por trás de uma ótima biblioteca, existe um ótimo IDE. Neste caso, QTCreator é muito bom e ideal para desenvolver aplicações que usem QT. E neste post, você aprendeu como instalá-lo.

Adblock test (Why?)

Como instalar o Firefox Nightly no Linux manualmente

Se você quer usar o Firefox no seu PC com todos os seus recursos novos (mesmos os perigosos), veja como instalar o Firefox Nightly no Linux manualmente.

O Firefox oferece uma plataforma poderosa para a web. Desenvolvido e mantido pela Mozilla, o Firefox é um dos melhores navegadores de código aberto que vem com uma interface simples e suporte para várias extensões.

Como instalar o Firefox Nightly no Linux manualmente Como instalar o Firefox Nightly no Linux manualmente Como instalar o Firefox Nightly no Linux manualmente

Quase todas as distribuições do Linux vêm com o Firefox padrão como navegador padrão. Também é muito fácil instalar o Firefox padrão em qualquer distribuição Linux.

E para os usuários avançados que se sentem confortáveis em instalar software pré-alfa, a Mozilla oferece uma excelente opção: o Firefox Nightly.

Como o Nightly você pode experimentr as novidades e ajudar a melhorar a qualidade do Firefox, caçar falhas e regressões e testar novos recursos enquanto eles ainda estão sendo programados.

Tendo isso em mente, vamos ver o tutorial sobre a instalação do Firefox Nightly em qualquer distribuição do Linux.

Como o Firefox Firefox Nightly é basicamente o Firefox em seu núcleo. Portanto, há uma chance bastante alta de conflitos entre as duas versões (mesmo instalando em diferentes pastas).

Por isso, é importante fazer um backup do seu perfil do Firefox de antemão. Aprenda como fazer backup do perfil do Firefox no Linux, usando esse tutorial:
Como fazer backup do seu perfil do Firefox no Linux e restaurá-lo

Como instalar o Firefox Nightly no Linux

Para instalar o Firefox Nightly no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/firefox-nightly*
sudo rm -Rf /usr/bin/firefox-nightly
sudo rm -Rf /usr/share/applications/firefox-nightly.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema for de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome firefox.tar.bz2:

wget "https://download.mozilla.org/?product=firefox-nightly-latest-l10n-ssl&os=linux&lang=pt-BR" -O firefox.tar.bz2

Passo 5. Se seu sistema for de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome firefox.tar.bz2:

wget "https://download.mozilla.org/?product=firefox-nightly-latest-l10n-ssl&os=linux64&lang=pt-BR" -O firefox.tar.bz2

Passo 6. Execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar -jxvf  firefox.tar.bz2 -C /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

sudo mv /opt/firefox*/ /opt/firefox-nightly

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/firefox-nightly/firefox /usr/bin/firefox-nightly

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o Firefox, usando comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=yy.y.y\n Encoding=UTF-8\n Name=Mozilla Firefox\n Comment=Navegador Web\n Exec=/opt/firefox-nightly/firefox\n Icon=/opt/firefox-nightly/browser/chrome/icons/default/default128.png\n Type=Application\n Categories=Network' | sudo tee /usr/share/applications/firefox-nightly.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite firefox em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/firefox-nightly.desktop
cp /usr/share/applications/firefox-nightly.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/firefox-nightly.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Se você usa Ubuntu e quer apenas atualizar o Firefox, veja esse outro tutorial:
Firefox:veja como atualizar para a última versão no Ubuntu

Como remover o Firefox Nightly no Linux

Para remover o Firefox Nightly no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/firefox-nightly*
sudo rm -Rf /usr/bin/firefox-nightly
sudo rm -Rf /usr/share/applications/firefox-nightly.desktop

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o Firefox Nightly no Ubuntu e derivados

Adblock test (Why?)

Como instalar a linguagem Python no Linux via AppImage

Se você precisa executar programas em Python com todos os recursos, veja como instalar a linguagem Python no Linux via AppImage.

Python é uma linguagem de programação interpretada de alto nível e que possui um modelo de desenvolvimento comunitário, aberto e gerenciado pela organização sem fins lucrativos Python Software Foundation. A primeira versão do Python foi lançada em 1991.

Como instalar a linguagem Python no Linux via AppImageComo instalar a linguagem Python no Linux via AppImageComo instalar a linguagem Python no Linux via AppImage

Essa linguagem possui um modelo de desenvolvimento comunitário, aberto e gerenciado pela organização sem fins lucrativos Python Software Foundation.

E se você é um programador Python ou quer rodar algum programa que requer a versão mais recente do Python, então você está no lugar certo.

Como instalar a linguagem Python no Linux via arquivo AppImage

Para instalar a linguagem Python no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se você quiser instalar o Python 2 e seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome python.appimage:

wget https://github.com/niess/linuxdeploy-plugin-python/releases/download/continuous/python2.7.17-x86_64.AppImage -O python.appimage

Passo 4. Se você quiser instalar o Python 3.7 e seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome python.appimage:

wget https://github.com/niess/linuxdeploy-plugin-python/releases/download/continuous/python3.7.6-x86_64.AppImage -O python.appimage

Passo 5. Se você quiser instalar o Python 3.8 e seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome python.appimage:

wget https://github.com/niess/linuxdeploy-plugin-python/releases/download/continuous/python3.8.2-x86_64.AppImage -O python.appimage

Passo 6. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x python.appimage

Passo 7. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./python.appimage --install

Passo 8. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite python ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Adblock test (Why?)

Como instalar o cliente SSH gráfico Snowflake no Ubuntu, Debian e derivados

Se você quer se conetar via SSH sem complicações, conheça e veja como instalar o cliente SSH gráfico Snowflake no Ubuntu, Debian e derivados.

Snowflake é um cliente SSH gráfico que possui um navegador de arquivos, emulador de terminal, gerenciador de recursos/processos, analisador de espaço em disco, editor de texto, visualizador de logs e muitas outras ferramentas úteis, o que facilita o trabalho com servidores remotos.

Como instalar o cliente SSH gráfico Snowflake no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o cliente SSH gráfico Snowflake no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o cliente SSH gráfico Snowflake no Ubuntu, Debian e derivados

O aplicativo é direcionado principalmente para desenvolvedores da Web/back-end que geralmente implantam/depuram seu código em servidores remotos e não gostam muito de comandos complexos baseados em terminal.

Mas ele também pode ser útil para administradores de sistemas, que gerenciam muitos servidores remotos manualmente.

Com o Snowflake, você pode conectar-se a vários servidores e selecionar com quem deseja trabalhar no menu suspenso superior central.

Para completar, o Snowflake pode ser executado em muitas distribuições Linux, Windows e facilita o gerenciamento de muitas conexões SSH.

Como instalar o cliente SSH gráfico Snowflake no Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o cliente SSH gráfico Snowflake no Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome snowflake.deb:

wget https://github.com/subhra74/snowflake/releases/download/v1.0.4/snowflake-1.0.4-setup-amd64.deb -O snowflake.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i snowflake.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./snowflake.deb

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar cliente SSH gráfico Snowflake no Ubuntu, use esse comando:

sudo apt-get remove snowflake*

Adblock test (Why?)

Como instalar o gerenciador de wallpaper Wonderwall no Linux via Snap

Se você quer ter acesso a vários papeis de parede e usá-lo no seu PC, conheça e veja como instalar o gerenciador de wallpaper Wonderwall no Linux via Snap.

O Wonderwall é um aplicativo legal para wallpaper da Unity e do GNOME Desktop Environment.

Como instalar o gerenciador de wallpaper Wonderwall no Linux via SnapComo instalar o gerenciador de wallpaper Wonderwall no Linux via SnapComo instalar o gerenciador de wallpaper Wonderwall no Linux via Snap

Wonderwall é um gerenciador de papel de parede. Isso permite que você navegue pelo download e aplique o Wallpaper da nossa enorme coleção de papéis de parede.

A interface do usuário é tão elegante e poderosa que faz gerenciar sua coleção de imagens muito simples e direta.

Sua interface de usuário simplista permite ao usuário navegar, baixar e instalar facilmente papéis de parede em seu desktop Ubuntu.

O programa fornece imagens de alta resolução que são adequadas para monitores widescreen modernos.

No entanto, ele ainda está em sua infância, de modo que certos recursos ainda apresentam bugs, mas não são críticos o suficiente para impactar negativamente a funcionalidade do programa.

Como instalar o gerenciador de wallpaper Wonderwall no Linux via Snap

Como instalar o gerenciador de wallpaper Wonderwall no Linux via Snap

Como instalar o gerenciador de papéis de parede Wonderwall no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o gerenciador de papéis de parede Wonderwall no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de papéis de parede Wonderwall no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install wonderwall

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh wonderwall

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove wonderwall

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite wonderwall ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Adblock test (Why?)

Como instalar o app de treino de digitação Tipp10 no Linux via Flatpak

Se você quer aprender ou melhorar a sua digitação, conheça e veja como instalar o app de treino de digitação Tipp10 no Linux via Flatpak.

Tipp10 é um tutor gratuito de digitação. A digitação por toque nunca foi tão fácil de aprender.

Como instalar o app de treino de digitação Tipp10 no Linux via Flatpak Como instalar o app de treino de digitação Tipp10 no Linux via Flatpak Como instalar o app de treino de digitação Tipp10 no Linux via Flatpak

A coisa engenhosa sobre o software é seu recurso de inteligência. Os caracteres digitados incorretamente são repetidos com mais frequência.

TIPP10 é um tutor gratuito de digitação com 10 dedos. Você pode usar o TIPP10 diretamente em seu navegador ou pode baixar a versão do software para Windows, Mac OS e Linux.

O TIPP10 é fácil de usar e possui uma interface de usuário clara. Iniciantes e até crianças encontrarão seu caminho imediatamente para que possam começar a praticar sem problemas.

Você será capaz de aprender a digitação rápida e eficiente com as aulas práticas inteligentes do programa, funções de suporte úteis e um extenso rastreador de progresso.

Você também pode jogar um jogo de digitação e expandir o programa com aulas abertas ou fazer o seu próprio para atender às suas necessidades específicas.

Como instalar o app de treino de digitação Tipp10 no Linux via Flatpak

Para instalar o app de treino de digitação Tipp10 via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o app de treino de digitação Tipp10 via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.gitlab.tipp10.tipp10.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.gitlab.tipp10.tipp10

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.gitlab.tipp10.tipp10 em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite tipp10 ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Para desinstalar o app de treino de digitação Tipp10 via Flatpak, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.gitlab.tipp10.tipp10

Ou

flatpak uninstall com.gitlab.tipp10.tipp10

Adblock test (Why?)

05 de maio de 2021

Como instalar o cliente WhatsApp Wrapup no Linux via Snap

Se você quer usar o WhatsApp Web no sistema do pinguim, sem depender de um navegador, conheça e veja como instalar o cliente Whatsapp Wrapup no Linux via Snap.

Wrapup é um cliente Whatsapp para Linux. Um simples invólucro do Whatsapp Web construído em Electron.

Como instalar o cliente WhatsApp Wrapup no Linux via Snap Como instalar o cliente WhatsApp Wrapup no Linux via Snap Como instalar o cliente WhatsApp Wrapup no Linux via Snap

Esse simples aplicativo coloca o WhatsApp Web em uma janela separada, que independe do navegador que você usa. Com isso, você não precisa se preocupar com as abas do navegador e pode usar o WhatsApp tranquilamente.

Como instalar o cliente Whatsapp Wrapup no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o cliente Whatsapp Wrapup via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o cliente Whatsapp Wrapup via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install wrapup

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh wrapup

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite wrapup ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Quando você executar o programa pela primeira vez, será necessário usar o smartphone para ler o QRcode exibido pelo app para autorizar o uso do WhatsApp.

Para desinstalar o cliente Whatsapp Wrapup via Snap, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove wrapup

Adblock test (Why?)

Como instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak

Se você trabalha com desenvolvimento ou quer apenas descobrir diferenças entre arquivos, conheça e veja como instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak.

Meld é uma ferramenta visual de comparação e mesclagem destinada aos desenvolvedores. O programa ajuda você a comparar arquivos, diretórios e projetos controlados por versão.

Como instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via FlatpakComo instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via FlatpakComo instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak

Ele fornece comparação de dois e três caminhos de arquivos e diretórios e tem suporte para muitos sistemas de controle de versão populares, como Git, Bazar, Mercurial, Subversion, etc.

O Meld ajuda você a revisar as alterações no código e entender, pois as comparações de arquivos são atualizadas enquanto você digita.

O modo de mesclagem automática e as ações nos blocos de mudança ajudam a facilitar as mesclagens e as as visualizações facilitam a comparação dos seus arquivos

Como instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak

Para instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.meld.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.meld

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.meld

Ou

flatpak uninstall org.gnome.meld

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.meld em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite meld ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Adblock test (Why?)

Mesa 21.1 lançado com RADV Variable Rate Shading, mais melhorias no Intel Vulkan

O projeto Mesa informou que lançou a mais recente versão de seu pacote de drivers gráficos, o Mesa 21.1. Confira os detalhes desse release.

MESA são os drivers de software Linux de código aberto disponíveis para hardware AMD, NVIDIA e Intel. Eles servem como uma alternativa de fonte aberta para drivers proprietários de código fechado fornecidos por fornecedores de GPU.

Mesa se relaciona com vários outros projetos de código aberto: o Direct Rendering Infrastructure e X.org, para fornecer suporte OpenGL em Linux, FreeBSD e outros sistemas operacionais.

Agora, o Mesa 21.1 foi lançado, uma atualização principal que inclui vários novos recursos e melhorias para uma melhor experiência de jogo no Linux.

Novidades do Mesa 21.1

Mesa 21.1 lançado com RADV Variable Rate Shading, mais melhorias no Intel VulkanMesa 21.1 lançado com RADV Variable Rate Shading, mais melhorias no Intel VulkanMesa 21.1 lançado com RADV Variable Rate Shading, mais melhorias no Intel Vulkan
O Mesa 21.1 agora está disponível como o mais recente lançamento de recurso trimestral para esta coleção de drivers OpenGL e Vulkan de código aberto. Existem muitos recursos para mostrar com este novo lançamento e até conseguiu lançar dentro do prazo.

Mesa 21.1 traz uma grande variedade de melhorias para os muitos drivers de espaço do usuário de código aberto contidos, mas como de costume, são dominados por melhorias nos componentes de driver Intel e Radeon, especialmente os drivers Vulkan devido ao estado maduro dos drivers OpenGL atualmente.

Algumas das melhorias do Mesa 21.1 incluem:

  • RADV Variable Rate Shading para troca de qualidade inferior para desempenho mais rápido.
  • RADV também viu uma variedade de outras otimizações, incluindo para seu back-end do compilador ACO também.
  • O suporte Radeon Aldebaran foi fundido.
  • Muitas melhorias com relação aos recursos e desempenho do OpenGL para o código OpenGL-on-Vulkan Zink – mais notavelmente é o suporte ao OpenGL 4.6. OpenGL ES 3.1 agora também é compatível com Zink.
  • O código AMD continuou a ver o funcionamento da Smart Access Memory.
  • O driver Vulkan baseado em CPU Lavapipe pegou muitos outros recursos, incluindo suporte provisório ao Vulkan 1.1.
  • Rasterização conservadora para o driver Intel ANV.
  • Otimizações de gráficos Intel Gen12 contínuas.
  • Gálio nove atualizações.
  • Um cache de shader básico para Virgl para ajudar no desempenho.
  • Lima também adquiriu um cache de shaders.
  • O R600g possui OpenGL 4.5 com back-end NIR.
  • Suporte para cache de sombreador Mesa de arquivo único.
  • Otimizações Broadcom V3D também.
  • Suporte a modificadores de formato DRM para AMD.
  • Outras novas extensões Vulkan como VK_KHR_zero_initialize_workgroup_memory em Intel e AMD.

Para saber mais sobre essa versão do Mesa, acesse a nota de lançamento do Mesa 21.1.

Como instalar ou atualizar

Aqueles que compilam o Mesa a partir da fonte podem obtê-lo no Git ou Mesa3D.org.

Para instalar a versão mais recente do Mesa no Ubuntu, use esse tutorial:
Como instalar a versão mais recente do driver Mesa no Ubuntu

Adblock test (Why?)

Cawbird 1.4 lançado com muitos novos recursos e melhorias

E foi lançada mais uma atualização do mais importante cliente de twitter para Linux, o Cawbird 1.4. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

Cawbird é um fork do Corebird. Ele é um cliente de twitter GTK+ nativo que fornece recursos vitais, como mensagens diretas (DMs), notificações de tweets, visualizações de conversas.

O Corebird ficou sem suporte depois que o Twitter desativou a API de streaming. Por isso, o Cawbird assumiu o compromisso de trabalhar com as novas APIs e inclui algumas correções e modificações.

Ou seja, o Cawbird é um fork do cliente de twitter Corebird GTK, que continua a trabalhar com o Twitter no Linux.

Cawbird é um cliente Twitter moderno e leve para o desktop GNOME 3. Possui imagens embutidas e visualização de vídeo, criação de listas e favoritos, filtragem de tweets e pesquisa de texto completo. E o Cawbird é capaz de gerenciar várias contas do Twitter.

Cawbird trabalha com as novas APIs e inclui algumas correções e modificações que foram historicamente corrigidas no Corebird personalizado do IBBoard em sua conta pessoal Open Build Service.

Devido às mudanças na API do Twitter, Cawbird tem as seguintes limitações: O Cawbird será atualizado a cada dois minutos, Cawbird não é notificado sobre o seguinte, que será atualizado na reinicialização: Unfavourite, Follow/Unfollow, Block/Unblock, Mute/Unmute, Deleção DM e algumas mudanças na lista.

Agora, foi lançada a versão mais recente desse importante aplicativo, o Cawbird 1.4, com muitos novos recursos, melhorias, correções de bugs.

Novidades do Cawbird 1.4

Cawbird 1.4 lançado com muitos novos recursos e melhoriasCawbird 1.4 lançado com muitos novos recursos e melhoriasCawbird 1.4 lançado com muitos novos recursos e melhorias
Cawbird 1.4 adiciona muitos recursos, como suporte para vários tamanhos de texto como Normal, Grande, X-Large, XX-Large, melhor contagem de emoji de caracteres Unicode ZWJ (Zero Width Joiner), também como suporte para deletar rascunhos de tweets ao pressionar o botão Cancelar por meio de uma nova caixa de diálogo de confirmação.

Para completar, esta versão também apresenta uma nova opção de “Traduzir conteúdo” para tweets para permitir que você traduza tweets com Google, Bing, DeepL ou um provedor personalizado, melhora o espaçamento e o alinhamento das imagens exibidas nos tweets e adiciona uma borda para definir suas bordas e adiciona uma tradução do gaélico escocês.

Além disso, o Cawbird 1.4 torna os tweets encadeados mais óbvios ao introduzir uma nova linha “Responder para” para encadeamentos de auto-resposta na linha do tempo, exibe tweets em sua linha do tempo quando você segue alguém e os oculta quando você deixa de segui-los e adiciona a capacidade de mostrar uma conta do Twitter bloqueada ou silenciada.

Ademais, vários bugs também foram eliminados nesta versão, tornando o Cawbird capaz de lidar com links e URLs de vídeo do Twitter que contêm e comercial neles, suportar melhor o formato binário universal Flatpak, repetir notificações devido à sobreposição de mensagens para que você não perca nada e melhor recortar tweets em linhas do tempo ao usar janelas estreitas.

Por fim, entre algumas das melhorias que surgiram no Cawbird 1.4, há um atraso de renderização aprimorado ao focar e desfocar a janela principal, o que geralmente ocorre quando sua CPU fica sobrecarregada, tamanho reduzido do ícone de informações para a notificação de descrição da imagem para que não obscureça a imagem muito, bem como a substituição do emoji de pinguim por um ícone de rosto sorridente sorrindo para o botão de emoji na caixa de diálogo de composição.

Para saber mais sobre essa versão do Cawbird, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Cawbird

Para instalar a versão mais recente do Cawbird nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar o cliente Twitter Cawbird no Linux via Flatpak
Como instalar o cliente Twitter Cawbird no Linux via Snap
Como instalar o cliente Twitter Cawbird no Ubuntu e derivados

Adblock test (Why?)

StarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou mais

Conheça o StarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou mais. Confira as especificações desse hardware movido a Linux.

O mais recente laptop Linux da Star Labs do Reino Unido é um notebook de 1,41 KG com tela full HD de 14 polegadas (35,56 cm), suporte para armazenamento supervelocidade e um processador Intel Tiger Lake-U de 11ª geração.

StarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou mais

StarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou maisStarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou maisStarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou mais
Disponível com uma escolha de distribuições Linux (incluindo Ubuntu, Linux Mint, Manjaro, MX Linux, Elementary OS e Zorin OS), o StarBook Mk V está agora disponível para pré-venda por US$ 929 ou mais.

O preço inicial dá a você um notebook com especificações bastante modestas, incluindo um processador Intel Core i3-1110G4, 8 GB de RAM DDR4-3200 e um SSD SATA de 240 GB.

Mas você pode configurar o sistema com até um processador Core i7-1165G7, 64 GB de memória e até 1 TB de armazenamento NVMe PCIe Gen 4 (que é superprovisionado para suportar velocidades de leitura/gravação sequencial de até 6.850 MB/s e 6.500 MB/s, respectivamente).

Outros recursos de hardware incluem alto-falantes quádruplos, uma webcam 720p, WiFi 6, Bluetooth 5.1, um teclado retroiluminado (disponível com opções de layouts nos EUA ou Reino Unido), trackpad coberto de vidro, bateria de 50,9 Wh e adaptador de alimentação USB-C de 60W .

As portas incluem:

  • 1 porta USB-C/Thunderbolt 4
  • 2 x USB 3.0
  • 1 x USB 2.0
  • 1 x HDMI
  • 1 conector combinado de microfone/fone de ouvido de 3,5 mm
  • 1 x leitor de cartão micrSD
  • 1 x dock de carregamento DC
StarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou maisStarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou maisStarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou mais

Além de ser fornecido com um sistema operacional de código aberto baseado em Linux, o StarBook Mk V está disponível com duas opções de firmware: American Megatrends Aptio V ou o coreboot de código aberto.

Você também pode alternar de um firmware para outro a qualquer momento – a Star Labs observa que o firmware do Aptio V é mais completo, mas o coreboot é mais aberto.

StarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou maisStarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou maisStarBook Mk V, um laptop Linux com Intel Tiger Lake por US$ 929 ou mais
Ao contrário de alguns fabricantes de PC, a Star Labs também oferece uma garantia de 1 ano que permite explicitamente aos usuários abrir o laptop, substituir ou atualizar peças, ou alterar o sistema operacional sem anular a garantia.

Adblock test (Why?)

Como instalar o Warsaw para usar Internet Banking no Linux

Se você quer acessar sua conta bancaria via Internet no sistema do pinguim, veja como instalar o Warsaw para usar Internet Banking no Linux.

Warsaw é uma solução de segurança desenvolvida pela GAS Software que é utilizada pela maioria dos banco que não usam a tecnologia Java na autenticação de usuários de Internet Banking.

Como instalar o Warsaw para usar Internet Banking no LinuxComo instalar o Warsaw para usar Internet Banking no LinuxComo instalar o Warsaw para usar Internet Banking no Linux

Esse software é usado para dar mais segurança ao acesso dos clientes, mas as vezes, também pode dar muita dor de cabeça para aqueles que usam Linux.

Anteriormente, mostrei como instalar esse software para cliente do Banco do Brasil, Banco Itaú e Caixa Econômica Federal.

Neste tutorial, será mostrado como fazer a instalação do Warsaw a partir do site da produtora do software, nas distribuições e para os bancos suportados.

Como instalar o Warsaw para usar Internet Banking no Linux

Para instalar o Warsaw para usar Internet Banking no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Acesse a página https://diagnostico.gasantifraud.com/;

Passo 2. Na página que será exibida, marque o banco que deseja acessar e depois clique no botão “Continuar”.

Internet Banking no Linux - Como instalar o Warsaw no LinuxInternet Banking no Linux - Como instalar o Warsaw no LinuxSelecionando o banco

Passo 3. Em seguida, clique em “Selecionar”. Na listagem que será exibida, clique na distribuição que você está usando”. Ao fazer isso, será iniciado o pacote do Warsaw para a sua distro.;

Como instalar o Warsaw no LinuxComo instalar o Warsaw no LinuxSelecionando a distribuição

Passo 4. Quando terminar o download, feche todos os navegadores que estiverem abertos;

Passo 5. Depois, abra o gerenciador de arquivos do seu sistema e vá até a pasta onde foi salvo o arquivo do Warsaw (geralmente é a pasta “Downloads”). Dentro dá pasta, dê um clique duplo no arquivo baixado para abri-lo no gerenciador de pacotes de sua distribuição;

Como instalar o Warsaw no LinuxComo instalar o Warsaw no LinuxAbrindo o pacote de instalação do Warsaw

Passo 6. Com o gerenciador de pacotes na tela, clique na opção de instalação (geralmente, um botão “Instalar”) e forneça as credenciais para autorizar o processo.

Como instalar o Warsaw no LinuxComo instalar o Warsaw no LinuxIniciando a instalação do Warsaw

Passo 7. Reinicie o seu PC;

Passo 8. Abra um navegador e acesse a página https://diagnostico.gasantifraud.com/. Selecione o banco que deseja efetuar o acesso e você receberá uma mensagem como essa abaixo:

Verificando o módulo de segurança Warsaw. 

Warsaw instalado, sem configurações da CAIXA 

"Clique aqui" para concluir as configurações da sua instituição.

Passo 9. Ao clicar, ele irá criar o certificado para aquela sessão, e ao final, estará tudo certo, com a mensagem “Configurações realizadas com sucesso.” Basta fechar o navegador.

Pronto! A partir de agora você já pode abrir o navegador a qualquer hora, acessar o seu banco e fazer transações em sua conta.

Nos meus testes, o acesso funcionou tranquilamente no Firefox. No Google Chrome, o site continuou insistindo na instalação do Guardião, mesmo depois de dele já estar instalado.

Então, experimente primeiro como o Firefox e tenha certeza de que ele esteja fechado na hora de instalar o aplicativo

Verificando o Warsaw no Linux para usar Internet Banking no Linux

Se quiser, confirme se o Warsaw está funcional, executando o comando abaixo em um terminal;

ps -ef | grep warsaw

Como instalar o módulo de segurança da Caixa no Ubuntu, Debian e derivados

Como instalar o módulo de segurança da Caixa no Ubuntu, Debian e derivados

Veja também

Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil
Como instalar o módulo de segurança do Banco Itaú
Como instalar o módulo de segurança da Caixa Econômica Federal

Adblock test (Why?)

GNOME 3.38.6 lançado com várias correções de bugs

E foi lançado o GNOME 3.38.6 com várias correções de bugs e melhorias. Confira as novidades dessa importante atualização.

O GNOME é um projeto de software livre responsável pelo Ambiente de Trabalho GNOME, para os usuários, e pela Plataforma de Desenvolvimento GNOME, para os desenvolvedores.

Agora, o projeto GNOME anunciou a disponibilidade geral do GNOME 3.38.6 como o sexto lançamento pontual da última série estável de ambientes de desktop GNOME 3.38, abordando vários bugs e atualizando as traduções, um mês e meio após o GNOME 3.38.5.

Novidades do GNOME 3.38.6

GNOME 3.38.6 lançado com várias correções de bugsGNOME 3.38.6 lançado com várias correções de bugsGNOME 3.38.6 lançado com várias correções de bugs
O GNOME 3.38.6 chegou para atualizar o navegador Epiphany com a capacidade de permitir a inicialização de URLs externos quando acionados por ação do usuário, bem como para atualizar o File Roller gerenciador de arquivos para pular arquivos com links simbólicos nos pais.

O aplicativo GNOME Music também recebeu várias correções de bugs, corrigindo a cor do rótulo do disco, travamentos ocorridos ao adicionar músicas aos favoritos ou ao criar uma lista de reprodução que continha aspas, a capacidade de excluir uma lista de reprodução com uma tecla, a reprodução com erros barra após o final de uma lista de reprodução, a remoção de uma música de uma lista de reprodução, atualização da lista de lista de reprodução do usuário após adicionar novas músicas, bem como a seleção da visualização do álbum pelo switcher de pilha ao iniciar.

Essa versão também corrige um grande bug de consumo de CPU no editor de texto Gedit, que ocorria quando uma pasta com conteúdo era excluída no plugin filebrower.

E agora, o Gedit agora usa o caminho do documento atual ao abrir um novo arquivo para resolver uma regressão introduzida em uma versão anterior.

Entre outras mudanças dignas de nota, o lançamento pontual do GNOME 3.38.6 melhora o suporte para /dev/rfkill com kernels mais novos, corrige uma falha ocorrida quando o atime não estava presente, evita o logout automático quando não é apropriado e exibe apenas notificações sobre bateria fraca para dispositivos externos uma vez.

Como instalar ou atualizar o GNOME

A maioria dos pacotes do lançamento pontual do GNOME 3.38.6 já chegaram aos repositórios de software estáveis ​​de muitas distribuições Linux populares, incluindo Arch Linux, Fedora Linux, Ubuntu, openSUSE e outros, então atualize suas instalações o mais rápido possível receber as melhorias mencionadas.

Os mantenedores do sistema operacional Linux e usuários avançados do Linux que desejam compilar a versão GNOME 3.38.6 por conta própria, podem usar o instantâneo oficial do projeto BuildStream ou os pacotes individuais dos fontes.

Também será possível instalar vários aplicativos e componentes do GNOME 3.38.6 no Flathub, mas eu recomendo que você atualize a partir dos repositórios estáveis ​​da sua distribuição.

Geralmente, o Arch Linux é um dos primeiros a enviar o GNOME mais recente em seus repositórios, e muitas outras distribuições farão o mesmo nas próximas semanas.

Adblock test (Why?)

KDE Plasma 5.21.5 lançado com mais correções de bugs e melhorias

E foi lançado o KDE Plasma 5.21.5 com mais correções de bugs e melhorias. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

O KDE Plasma Desktop é um incrível ambiente que oferece uma área de trabalho de aparência bonita que tira total vantagem da tecnologia de computação moderna.

A equipe por trás projeto diz que se você está procurando um ambiente de trabalho familiar, Plasma Desktop oferece todas as ferramentas necessárias para uma experiência de computação de desktop moderna para que você possa ser produtivo desde o início.

Aliás, através do uso de efeitos visuais e gráficos escaláveis, a experiência de desktop não é apenas suave, mas também agradável aos olhos.

Agora, o projeto KDE lançou o KDE Plasma 5.21.5 como o quinto e último lançamento na série de ambientes de desktop KDE Plasma 5.21, para corrigir mais bugs e melhorar os recursos existentes.

KDE Plasma 5.21.5 lançado – Confira as novidades

KDE Plasma 5.21.5 lançado com mais correções de bugs e melhoriasKDE Plasma 5.21.5 lançado com mais correções de bugs e melhoriasKDE Plasma 5.21.5 lançado com mais correções de bugs e melhorias
Nessa atualização, o novo aplicativo Plasma System Monitor foi aprimorado novamente neste lançamento pontual para não travar mais ao selecionar um novo estilo de exibição para qualquer um dos sensores, bem como para não mais perder os nomes dos processos após modificar as colunas.

O KDE Plasma 5.21.5 foi lançado para melhorar o suporte ao Wayland corrigindo uma falha ocorrida na sessão do Plasma Wayland ao arrastar um arquivo sobre o painel e para posicionar as janelas do aplicativo GTK maximizadas para que não fiquem mais muito altas.

Não relacionadas ao Wayland, as caixas de combinação em aplicativos GTK agora usam o ícone de seta suspenso correto.

Para completar, o gerenciador de pacotes do Plasma Discover recebeu suporte para exibir atualizações de firmware para dispositivos elegíveis e a capacidade de exibir dependências para um aplicativo.

Além disso, o KDE Plasma 5.21.5 melhora o gerenciador de arquivos Dolphin corrigindo o envio de arquivos para dispositivos Bluetooth.

Esta versão também melhora o suporte para certas GPUs embutidas de baixo consumo de energia para que a janela KWin e o gerenciador de composição não travem mais, faça com que os alternadores de tarefas Cover Switch e Flip Switch funcionem novamente e adiciona a capacidade de especificar um grupo de usuários para OpenConnect VPNs.

O KDE Plasma 5.21.5 também melhora o widget Folder View que controla os ícones da área de trabalho para calcular corretamente as posições dos ícones a partir do canto superior esquerdo da tela superior esquerda, corrigindo um bug irritante com o percentual de volume sendo ajustado por muito ou pouco e melhora a renomeação de itens da área de trabalho com a tecla F2 ao selecionar o ícone usando seu botão de sinal de mais.

Por fim, a página Usuários das configurações do sistema foi atualizada para não transbordar de nomes longos, o miniaplicativo Redes foi aprimorado para não fazer mais com que a lista de redes se reorganize enquanto digita e envia a senha Wi-Fi para a rede errada, e o menu de configuração do miniaplicativo foi corrigido para não desaparecer mais ao mover o mouse sobre ele no modo de edição do painel.

Para saber mais sobre essa versão do KDE Plasma, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar

O Plasma 5.21.5 já é oficial, mas, como sempre, isso não significa que possamos instalá-lo facilmente em nossa distribuição Linux.

O primeiro sistema a tê-lo disponível será o KDE neon, onde provavelmente chegará nas próximas horas.

Posteriormente, eles adicionarão outras distribuições, entre as quais os Rolling Releases surgirão mais cedo, embora isso não signifique que o farão em breve; pode demorar alguns dias ou mesmo algumas semanas.

Se você é um usuário do Kubuntu + Backports PPA e ainda não sabia, lamento informar que você não conseguirá instalá-lo, na verdade nunca, pois o projeto não pode fazer o backport devido à dependência do Qt. Em abril, o Kubuntu 20.10 chegará com o Plasma 5.21.x.

Adblock test (Why?)

Como instalar o analisador de uso de disco GDU no Linux

Se você quer liberar mais espaço nos discos do seu computador, conheça e veja como instalar o analisador de uso de disco GDU no Linux.

gdu (Go Disk Usage) é um novo analisador de uso de disco de console desenvolvido com velocidade em mente. Ele foi escrito em Go e está disponível para Linux, macOS e Microsoft Windows.

Como instalar o analisador de uso de disco GDU no Linux Como instalar o analisador de uso de disco GDU no Linux Como instalar o analisador de uso de disco GDU no Linux

Ele é muito semelhante ao ncdu, um analisador de uso de disco de console popular, com uma grande diferença: velocidade.

gdu faz uso de processamento paralelo, sendo especialmente criado para unidades de estado sólido (SSD). Também funciona com unidades de disco rígido (HDD), mas seu ganho de desempenho em comparação com outras ferramentas não é tão grande neste caso.

O desenvolvedor gdu tem uma seção de benchmark na página de projeto da ferramenta que observa que gdu foi capaz de escanear 80G de dados em um SSD de 500 GB (sem cache) em 6,5 segundos, enquanto o ncdu foi capaz de fazer o mesmo em 54 segundos.

Aqui está uma captura de tela de mais benchmarks, comparando gdu com du, nnn e mais: Como instalar o analisador de uso de disco GDU no Linux

Como instalar o analisador de uso de disco GDU no Linux

Como instalar o analisador de uso de disco GDU no Linux

Para instalar o instalar o analisador de uso de disco GDU no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Baixe e descompacte o o arquivo baixado com o seguinte comando;

curl -L https://github.com/dundee/gdu/releases/latest/download/gdu-linux-amd64.tgz | tar xz

Passo 3. Em seguida, adicione a permissão de execução no arquivo do GDU;

chmod +x gdu-linux-amd64

Passo 4. Finalmente, instale o programa movendo seu executávél para a pasta de binários do sistema;

mv gdu-linux-amd64 /usr/bin/gdu

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite gdu ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

uso de gdu:

Seta para cima ou k para mover o cursor para cima
Seta para baixo ou j para mover o cursor para baixo
Seta direita ou l para selecionar o diretório/dispositivo
Seta esquerda ou h para ir para o diretório pai
d para excluir o arquivo ou diretório selecionado
n para classificar por nome (asc/desc)
s para classificar por tamanho (asc/desc)
c para classificar por itens (asc/desc)

Quanto às opções, o gdu não tem muitos. Ele pode mostrar todos os discos montados (executando gdu sem argumentos), analisar um diretório (gdu /caminho/para/diretório), gravar erros em um arquivo de log (-log-file=/path/to/log/file), ignorar diretórios (-ignore-dir =/sys,/proc por exemplo) e use apenas as cores branco/cinza/preto(-no-color).

Adblock test (Why?)

04 de maio de 2021

Como instalar os ícones e o tema MacBuntu no Ubuntu e derivados

Se você gosta do visual do macos da Apple, conheça e veja como instalar os ícones e o tema MacBuntu no Ubuntu e derivados.

Parte do pacote de transformação MacBuntu, os ícones e o tema MacBuntu permitem deixar o Linux com o visual do macos Sierra/El Capitan/Yosemite. Ele foi feito basicamente para o ambiente Gnome e outros desktops, além de possuir uma versão voltada para o Unity.

Como instalar os ícones e o tema MacBuntu no Ubuntu e derivadosComo instalar os ícones e o tema MacBuntu no Ubuntu e derivadosComo instalar os ícones e o tema MacBuntu no Ubuntu e derivados

Existem agora versões escuras de temas do Mac neste pacote, para aqueles que não gostam de usar cores Mac tradicionais. Dois temas de cursores estão incluídos no pacote, e para completar, existem dois temas para o Gnome Shell, dois para Cinnamon e dois pacotes de ícones.

Instalando o tema os ícones e o tema MacBuntu no Ubuntu e derivados

Para instalar o tema os ícones e o tema MacBuntu no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/macbuntu

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema os ícones e o tema MacBuntu usando o seguinte comando:

sudo apt-get install macbuntu-os-icons-v10 macbuntu-os-ithemes-v10

Como instalar o tema os ícones e o tema manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Para desinstalar o tema os ícones e o tema MacBuntu no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema os ícones e o tema MacBuntu, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove macbuntu-os-icons-v10 macbuntu-os-ithemes-v10

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Adblock test (Why?)

Use o PyAudioSelector para alternar entre dispositivos de áudio

Quem não gosta de ter que ficar abrindo as configurações de som apenas para mudar a fonte de áudio, precisa instalar e experimentar o PyAudioSelector, um recurso que permite alternar entre dispositivos de áudio.

PyAudioSelector é um applet indicador GTK3 para os usuários do Ubuntu que permite que estes possam alternar facilmente entre dispositivos de áudio, para todas ou algumas das fontes de áudio.

Use o PyAudioSelector para alternar entre dispositivos de áudio Use o PyAudioSelector para alternar entre dispositivos de áudio Use o PyAudioSelector para alternar entre dispositivos de áudio

Com o applet indicador, você pode até mesmo definir as diferentes fontes de áudio para diferentes dispositivos de saída.

Normalmente, para alternar entre dispositivos de áudio no Ubuntu, basta clicar no indicador de som que fica no painel do Ubuntu e clicar na opção “Configurações de som…”.

Use o PyAudioSelector para alternar entre dispositivos de áudio

Use o PyAudioSelector para alternar entre dispositivos de áudio

Contudo, esse é um longo caminho a ser percorrido para simplesmente alternar entre dispositivos de áudio.
Com o PyAudioSelector isso pode ser resolvido com apenas poucos cliques, e sem precisar abrir uma nova janela.

Instale e use o PyAudioSelector para alternar entre dispositivos de áudio

PyAudioSelector é um projeto de código aberto escrito em Python. Como ele agora está em estágio inicial de desenvolvimento, ainda não possui pacotes de instalação prontos.

Em breve, um repositório para será criado para tornar sua instalação mais fácil. Até lá, siga os passos abaixo para instalar o indicador PyAudioSelector usando o git:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Atualize o sistema com o comando;

sudo apt-get update

Passo 3. Se não tiver o Git no sistema, instale-o com este comando;

sudo apt-get install git

Passo 4. Use o comando abaixo para baixar o código fonte do programa;

cd /tmp/ && git clone https://github.com/agustinmista/PyAudioSelector.git

Passo 5. Navegue até a pasta de origem e executar o script de instalação;

cd /tmp/PyAudioSelector && sudo sh install.sh

Pronto! Uma vez instalado, basta fechar a sessão atual e ele iniciará automaticamente no próximo login.

Não quer trocar entre dispositivos de áudio? Desinstale o PyAudioSelector

Se você não gostar de ter um recurso para alternar entre dispositivos de áudio, basta desinstalar o PyAudioSelector.

Infelizmente ainda não existe um script de desinstalação no momento, mas você pode facilmente remover o applet.

Para isso, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Remova o script python com este comando;

sudo rm /usr/local/bin/PyAudioSelector/PyAudioSelector.py

Passo 3. Remova o arquivo de configuração do programa;

sudo rm /usr/share/PyAudioSelector/config.ini

Passo 4. Finalmente remova o arquivo de auto inicialização do indicador:

rm ~/.config/autostart/PyAudioSelector.desktop

Veja também

Você também pode experimentar usar esse outro aplicativo:
Instale o Sound Switcher Indicator no Ubuntu e derivados

Adblock test (Why?)

Como usar a cabeça para controlar o mouse

Quer controlar o ponteiro do mouse do seu PC sem usar o mouse ou o teclado e nem mesmo a mão? Não, não é telepatia, você só precisa instalar o eViacam e depois, começar a usar a cabeça para controlar o mouse.

Enable Viacam (eViacam) é um software de código aberto que permite controlar o ponteiro do mouse usando apenas movimentos da cabeça, que são capturados através de uma simples WebCam. Para usá-la, só é necessário uma webcam padrão (você pode usar webcam com ou sem fio) e nenhum hardware adicional.

Como usar a cabeça para controlar o mouse Como usar a cabeça para controlar o mouse Como usar a cabeça para controlar o mouse

O desempenho do eViacam é bem impressionante, com pouca prática, já é possível começar a usar o programa. Ele é gratuito e está disponível para Windows e Linux.

Esta aplicação é extremamente útil como uma ferramenta de acessibilidade para pessoas que têm dificuldade de usar teclado e mouse.

eViacam também pode ser usado por pessoas que simplesmente querem controlar o seu computador com o movimento da cabeça, já que nenhum sistema operacional oferece essa funcionalidade nativamente.

Principais características do eViacam:

  • O programa permite que você defina a área de detecção ou você pode selecionar localizar automaticamente;
  • Se a sua cabeça ficar parada, eViacam vai fazer um clique (você pode configurar estes clique facilmente);
  • Você também pode usar o teclado virtual e usar o ponteiro do mouse para digitar usando eViacam;
  • Este programa tem uma barra superior para ativar outras ações tais como arrastar, clique duplo ou clique direito;
  • Você também pode desativar o clique ou modificar o atraso nas opções, e acessar outras opções;
  • Ao usar vários monitores você não pode mover a barra superior para qualquer outro monitor, ou seja, funcionará apenas no seu display primário.

Para mais detalhes, assista esse review:

YouTube video
[embedded content]

Como instalar o eViacam e usar a cabeça para controlar o mouse

O software eViacam está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install eviacam.

Mas se a sua versão não disponibiliza ele ou você quer a versão mais recente, para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial.

sudo add-apt-repository ppa:cesar-crea-si/eviacam

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install eviacam

Como instalar o eViacam manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite eviacam ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como configurar o eViacam e usar a cabeça para controlar o mouse

Na primeira vez que você executar o programa, ele irá ajudá-lo a configurar sua webcam.

Você poderá definir a aceleração do movimento, personalizar a velocidade do ponteiro do mouse, a suavidade de movimento do ponteiro, dwelling time (o período de tempo que um elemento permanece em um determinado estado), diferentes opções de clique, e outros recursos.

Abaixo, você vê a sequencia de passos necessário para fazer essa configuração;

eViacam

eViacam

eViacam

eViacam

Como usar a cabeça para controlar o mouse

Como usar a cabeça para controlar o mouse

eViacam

eViacam

Como usar a cabeça para controlar o mouse

Como usar a cabeça para controlar o mouse

Como usar a cabeça para controlar o mouse

Como usar a cabeça para controlar o mouse

Fonte

Adblock test (Why?)

Como instalar o Money Manager Ex no Linux via Snap

Se você quer ter mais controle sobre seus gastos usando o PC, conheça e veja como instalar o Money Manager Ex no Linux via Snap.

O Money Manager Ex (MMEX) é um software de finanças pessoais gratuito, de código aberto, multiplataforma e fácil de usar.

Como instalar o Money Manager Ex no Linux via SnapComo instalar o Money Manager Ex no Linux via SnapComo instalar o Money Manager Ex no Linux via Snap

Ela ajuda principalmente a organizar as finanças e a saber onde, quando e como vai o dinheiro. O MMEX inclui todos os recursos básicos que 90% dos usuários gostariam de ver em um aplicativo de finanças pessoais.

Os objetivos do projeto são concentrar-se na simplicidade e facilidade de uso – algo que se pode usar todos os dias.

YouTube video
[embedded content]

Como instalar o Money Manager Ex no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Money Manager Ex via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Money Manager Ex via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install mmex

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install mmex --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh mmex

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mmex ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois, caso seja necessário, desinstale o Money Manager Ex via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove mmex

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o monitor de recursos Bpytop no Linux via Snap

Se você quer ficar de olho no uso do seu computador, conheça e veja como instalar o monitor de recursos Bpytop no Linux via Snap.

BpyTOP é um monitor de recursos que mostra o uso e as estatísticas do processador, memória, discos, rede e processos. Como o nome sugere, ele é escrito em Python.

Como instalar o monitor de recursos Bpytop no Linux via SnapComo instalar o monitor de recursos Bpytop no Linux via SnapComo instalar o monitor de recursos Bpytop no Linux via Snap

Atualmente, ter a capacidade de monitorar o uso dos recursos do sistema é algo importante para muitos usuários. Saber o uso dos recursos é muito útil na hora de tomar decisões sobre a manutenção geral do sistema.

Existem algumas opções, como top e htop, mas mostram apenas algumas métricas do sistema, como uso de CPU e memória.

Já o Bpytop é um monitor de recursos baseado em terminal que funciona de forma eficiente e muito visual.

O autor desta ferramenta é o mesmo que desenvolveu o Bashtop. Eles não têm muitas diferenças entre si. Ambos os utilitários têm a mesma finalidade e têm o mesmo conjunto de recursos.

A única diferença é que ambos são escritos em linguagens de programação diferentes. Bashtop é escrito em Bash e Bpytop é escrito em Python. Ambos os programas são compatíveis com Linux, Mac OS e FreeBSD.

O desenvolvedor afirma que o Bpytop é mais rápido que o Bashtop. Por esta razão, sugere que os usuários usem o Bpytop em vez do Bashtop. No entanto, isso é com o usuário.

Alguns dos recursos que esta ferramenta oferece para a linha de comando são os seguintes:

  • Este programa nos oferece uma interface de usuário muito visual e responsiva com navegação com as teclas de seta PARA CIMA e PARA BAIXO.
  • Quando iniciamos o programa, se pressionarmos F2, podemos alterar as opções do programa.
  • Possui suporte para mouse embutido com botões selecionáveis ​​e menus roláveis.
  • Esta ferramenta tem a capacidade de filtrar processos em execução.
  • Podemos verificar as velocidades atuais de leitura e gravação das unidades de disco.
  • Teremos a possibilidade de enviar SIGKILL, SIGTERM e SIGINT para processos em execução.
  • Possui um gráfico de escala automática intuitivo para exibir estatísticas de uso da rede.
  • Veremos uma mensagem pop-up no menu quando uma nova versão estiver disponível.

Como instalar o monitor de recursos Bpytop no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o monitor de recursos Bpytop via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o monitor de recursos Bpytop via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install bpytop

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install bpytop --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh bpytop

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite bpytop ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Este comando deve nos mostrar a interface do usuário com as estatísticas dos recursos do nosso sistema.

Para obter ajuda sobre o uso de comandos e atalhos de teclado, basta pressionar a tecla ESC e rolar para baixo para selecionar a opção HELP.

Aqui, obteremos uma lista de atalhos de teclado, como você pode ver na imagem anterior.

Para sair do monitor de recursos do bpytop, tudo que você precisa fazer é pressionar ‘q’ no teclado.

As opções de configuração que também podem ser alteradas na interface do usuário estão no diretório $HOME/.config/bpytop.

Para desinstalar o monitor de recursos Bpytop no Linux via Snap, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove bpytop

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente Spotify no Linux via Snap

Se você está procurando uma forma de instalar o cliente Spotify no Linux, veja nesse tutorial como fazer isso via Snap.

Spotify é uma das melhores opções para ouvir música por meio de streaming em computadores com diferentes sistemas operacionais, seja um Microsoft Windows, Mac OS X e Linux ou Symbian, iPhone, iPad, Android e BlackBerry em dispositivos móveis.

Como instalar o cliente Spotify no Linux via Snap Como instalar o cliente Spotify no Linux via Snap Como instalar o cliente Spotify no Linux via Snap

Com esse aplicativo você pode transmitir tudo, atualizar e sincronizar faixas e listas offline ou comprar faixas individuais, para guardar para sempre.

A boa noticia é que é possível instalar o Spotify no Linux, nas distros que suportam Snap.

Um snap é uma aplicação Linux universal com todas as suas dependências empacotadas. Ele é executado em sandbox e é isolado de outro software do sistema.

Como instalar a versão mais recente do cliente Spotify no Linux via snap distros que suportam a tecnologia

Para instalar o cliente Spotify no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o cliente Spotify no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install spotify

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install spotify --candidate

Passo 4. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install spotify --edge

Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh spotify

Passo 6. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove spotify

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite /snap/bin/spotify no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite spotify ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Se você quiser instalar o cliente Spotify no Linux em distros que suportam Flatpak, use esse tutorial:
Como instalar o Spotify no Linux via Flatpak

Se você estiver usando o Fedora, CentOS ou um derivado deles, use esse outro tutorial para instalar o Spotify no Linux:
Como instalar o Spotify no Fedora Linux e derivados

E se você estiver usando o Ubuntu, Debian ou um derivado deles, use esse outro tutorial para instalar o Spotify no Linux:
Spotify no Ubuntu Linux, Debian e derivados – veja como instalar

Let's block ads! (Why?)

03 de maio de 2021

Como instalar o Arcade Manager no Linux via AppImage

Se você quer ter controle sobre seus jogos no PC, e se divertir, veja como instalar o Arcade Manager no Linux via AppImage.

Arcade Manager é uma ferramenta de gerenciamento de rom, projetada especificamente para uso com o Retropie e o Recalbox.

Ele ajuda você a gerenciar e filtrar sua coleção de rom removendo jogos indesejados, ruins e não jogáveis.

Também é útil se você se sentir um pouco perdido entre os milhares de jogos que o Moms completo oferece, e só quer o melhor.

Como instalar o Arcade Manager no Linux via AppImageComo instalar o Arcade Manager no Linux via AppImageComo instalar o Arcade Manager no Linux via AppImage

Arcade Manager permite copiar arquivos e supõe que você tenha um romset funcional, não mesclado, correspondente à versão MAME/FBA que você está usando.

Multi-plataforma, ele funciona em Windows, MacOS e Linux, possui interface amigável e fácil de usar, permite baixar e instalar um pacote de sobreposições para Retropie ou Recalbox.

Com esse programa você pode gerenciar arquivos rom e copiar do romset, remover arquivos indesejados e manter apenas arquivos desejados.

Você também pode gerenciar listas de jogos, podendo baixar arquivos pré-definidos, mesclar e dividir arquivos, converter arquivos DAT ou INI, criar lista de jogos da pasta. Obviamente, esta ferramenta não faz download de roms.

Como instalar o Arcade Manager no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o Arcade Manager no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome arcade-manager.appimage:

wget https://github.com/cosmo0/arcade-manager/releases/download/v5.1/ArcadeManager-5.1.0-linux.AppImage -O arcade-manager.appimage

Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x arcade-manager.appimage

Passo 6. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./arcade-manager.appimage

Passo 7. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

Pronto! Agora, após instalar o Arcade Manager no Linux, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite arcade ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o leitor de feed e posdcasts Winds no Linux via Snap

Se você lida com feeds e podcasts e não quer usar mais de um programa, conheça e veja como instalar o leitor de feed e posdcasts Winds no Linux via Snap.

O Winds é um belo aplicativo de código aberto de RSS e Podcast criado usando React/Redux/Node.

Como instalar o leitor de feed e posdcasts Winds no Linux via SnapComo instalar o leitor de feed e posdcasts Winds no Linux via SnapComo instalar o leitor de feed e posdcasts Winds no Linux via Snap

Com Winds você não precisará mais de vários aplicativos, pois poderá ouvir os podcasts enquanto se mantém atualizado com suas assinaturas de RSS.

Stream é uma API para criar feeds de atividade. Algolia permite busca rápida e relevante. E o O MongoDB Atlas fornece um banco de dados como um serviço e serve como o armazenamento de dados.

Os Feeds e Descobertas de Atividades no Winds são fornecidos pelo Stream, o aplicativo aproveita o Algolia para pesquisa, a AWS para hospedagem, o MongoDB Atlas para um banco de dados hospedado (DBaaS) e o SendGrid para email.

O aprendizado de máquinas do Stream se adapta magicamente a seus gostos. Ele não faz o reranking dos seus feeds, apenas recomendações de conteúdo e descoberta impressionantes.

Como instalar a versão mais recente do leitor de feed e posdcasts Winds no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o leitor de feed e posdcasts Winds no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o leitor de feed e posdcasts Winds no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install winds

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install winds --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install winds --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install winds --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh winds

Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove winds

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite winds ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o leitor de feed e posdcasts Winds no Linux via AppImage

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no Linux

Se você quer saber tudo sobre o que tem nas pastas do seu sistema, conheça e veja como instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no Linux.

DirSize é uma ferramenta de relatório de diretório simples. Ele verifica recursivamente o diretório fornecido (ou atual) e relata o número de arquivos e tamanhos de direcionador de cada subdiretório, bem como os arquivos no diretório. Você pode classificar por nome de diretório, arquivos e tamanho, embora o tamanho seja o padrão.

Como instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no LinuxComo instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no LinuxComo instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no Linux

Uma das coisas interessantes sobre DirSize é que ele mostra uma representação visual dos tamanhos de arquivo das contagens. Eu chamo isso de SizeMap ou FilesMap e é a área à direita da saída.

Se você classificar por tamanho (padrão ou -ss) ou diretórios (-sd), será mostrado o SizeMap. Se classificado por contagens de arquivos (-sf), o mapa mudará para mostrar uma representação visual do número de arquivos por subdiretório.

Como instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no LinuxComo instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no LinuxComo instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no Linux

Como instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install dirsize

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install dirsize --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh dirsize

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite dirsize ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Os aplicativos snap são executados em um contêiner e, por padrão, não têm direitos para ver os arquivos. Para usar o DirSize, ele precisa ser capaz de ver os nomes e tamanhos dos arquivos.

A interface de backup do sistema dá esse direito. Portanto, para usar o sistema, você precisa permiti-lo executando:
sudo snap connect dirsize:system-backup

Se mudar de ideia, você pode remover essa permissão executando:
sudo snap disconnect dirsize:system-backup

Opções de linha de comando:

Uso:
java -jar dirsize.jar [-D] [-x ] [-ss|-sf|-sd] [-r] [-c width] [-v] [-h|?] [Directory]

-D Executa o programa no modo de depuração. Isso exibirá um pouco de informação sobre o programa enquanto ele está sendo executado. Eu geralmente uso isso para depurar o programa, mas se você deseja obter mais informações sobre o que está acontecendo, vá em frente.

-e Suprime a exibição de erro. Não mostrará diretórios. O tamanho do diretório não pôde ser lido

-ss Classifica a saída pelos tamanhos de diretório. Este é o padrão

-sf Classifica a saída pelo número de arquivos

-sd Classifica a saída por nome de diretório

-r Inverte a exibição de classificação

-x FileName Exporta os resultados como um CSV para o arquivo fornecido

-c largura No Windows, a largura do terminal atual é definida por padrão. No Linux, é definido como 100 enquanto procuro uma maneira de determinar isso automaticamente. Você pode, no entanto, alterar isso para o que quiser. Útil se você tiver uma tela de console muito ampla. A largura mínima da tela do terminal é 60, mas parece muito melhor no intervalo de 100 caracteres.

-v Basta exibir a versão do programa e sair

-h | -? Mostra a ajuda do programa

Exemplos:

java -jar dirsize.jar

Exibir um relatório classificado por tamanho do diretório atual

java -jar dirsize.jar -sd C:\Apps

Exibir um relatório classificado de nome de diretório do diretório C:\Apps

java -jar dirsize.jar -c 80 -sf /home/jimbob

Exibe um relatório de classificação de número de arquivo do diretório inicial do jimbob usando 100 colunas

java -jar dirsize.jar -x $ HOME /usr-output.csv /usr

Produz o relatório de diretório de /usr em um arquivo CSV em meu diretório inicial.

Como desinstalar

Para desinstalar a ferramenta de relatório de diretório DirSize no Linux via Snap, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove dirsize

Let's block ads! (Why?)

elementary OS 6 beta lançado com instalador atualizado, tema escuro e mais

Os desenvolvedores do elementary OS publicaram uma prévia do próximo sistema, elementary OS 6 beta. Confira as novidades e veja onde baixar.

O elementary OS é uma distribuição baseada no Ubuntu que apresenta o ambiente de desktop Pantheon e um conjunto de aplicativos customizado.

Esse sistema vem com um ambiente de área de trabalho chamado Pantheon e muitos aplicativos personalizados, incluindo fotos, músicas, vídeos, calendário, terminal, arquivos e muito mais.

Agora, os desenvolvedores publicaram uma nova versão beta que mostra os recursos do elementary OS 6.0.

Novidades do elementary OS 6 Beta

elementary OS 6 beta lançado com instalador atualizado, tema escuro e maiselementary OS 6 beta lançado com instalador atualizado, tema escuro e maiselementary OS 6 beta lançado com instalador atualizado, tema escuro e mais
Há muitas mudanças em andamento, incluindo um instalador atualizado, tema escuro, ferramentas de desenvolvimento e suporte adicional para Flatpak.

Uma grande mudança para elementary OS 6 é a inclusão de aplicativos Flatpak prontos para uso, bem como um ecossistema AppCenter inteiramente baseado em Flatpak.

Eles criaram e estão enviando uma plataforma Flatpak e SDK que inclui todo o FreeDesktop, GNOME e bibliotecas e tecnologias elementary que seus aplicativos precisarão ser construídos como um Flatpak – pense na plataforma como a base do sistema operacional elementar na forma Flatpak.

Também estão atualizando os documentos relevantes do desenvolvedor para incluir informações sobre como empacotar seu aplicativo como Flatpak.

Se você já tem um aplicativo no AppCenter ou está desenvolvendo um para o OS 6 elementar, é altamente recomendável que você se familiarize com a escrita de um manifesto Flatpak e teste seu aplicativo como Flatpak, pois todos os aplicativos AppCenter no elementary OS 6 e posteriores serão construídos como Flatpaks.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o elementary OS 6 Beta

A imagem ISO do elementary OS 6 Beta já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a linguagem de programação Apache Groovy no Linux

Se você quer usar Groovy no sistema do pinguim, sem complicações, veja como instalar a linguagem de programação Apache Groovy no Linux via Snap.

Apache Groovy é uma linguagem de programação poderosa e de múltiplos paradigmas para a plataforma Java, destinada a melhorar a produtividade do desenvolvedor, graças a uma sintaxe concisa, familiar e fácil de aprender.

Como instalar a linguagem de programação Apache Groovy no Linux Como instalar a linguagem de programação Apache Groovy no Linux Como instalar a linguagem de programação Apache Groovy no Linux

Ela se integra perfeitamente a qualquer biblioteca Java e oferece aprimoramentos poderosos e recursos de produtividade, incluindo recursos de script, criação de linguagem específica de domínio, meta-programação em tempo de execução e tempo de compilação e programação funcional.

Como instalar a linguagem de programação Apache Groovy no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar a linguagem de programação Apache Groovy no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar a linguagem de programação Apache Groovy no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install groovy --classic

Passo 3. Instale a versão 2.5 do programa, usando esse comando:

sudo snap install groovy --channel=2.5/stable --classic

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh groovy

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite groovy ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar

Para desinstalar o a linguagem de programação Apache Groovy no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove groovy

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Sysmonitor Indicator

Está precisando ficar de olho nos recursos do seu PC? Então veja como instalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e sistemas derivados, para não ultrapassar os limites do seu computador.

Sysmonitor Indicator é um utilitário que permite ficar de olho na carga da CPU, uso de memória RAM e capacidade da bateria, sem precisar abrir nenhum programa.

Como instalar o Sysmonitor Indicator Como instalar o Sysmonitor Indicator Como instalar o Sysmonitor Indicator

Embora seja semelhante ao indicador Multiload (que também é uma excelente ferramenta), Sysmonitor evita recursos gráficos mais sofisticados, como gráficos de uso e opções de tema.

Em vez disso, o aplicativo oferece uma abordagem mais extensível, permitindo que os usuários adicionem e personalizem os comandos de sensores de exibição.

Como instalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal ( use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:fossfreedom/indicator-sysmonitor

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install indicator-sysmonitor

Como instalar o Sysmonitor Indicator manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite indicator-sysmonitor no Dash/Atividades (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Ao executar o programa, aparecerá um applet indicador no canto superior direito (1). Use-o para acessar as preferências do programa (2).

Marque a opção “Run on Startup” (3) para o aplicativo iniciar automaticamente junto com o sistema. Finalmente, clique no botão “Salvar”(4).

Como instalar o Sysmonitor Indicator

Como instalar o Sysmonitor Indicator

Quando quiser, volte nas preferencias do app e entre na aba “Advanced”. Nela você pode escolher as informações do sensor que o applet deverá exibir, como ele exibirá e quantas vezes ele deverá atualizar.

Como instalar o Sysmonitor Indicator

Como instalar o Sysmonitor Indicator

Desinstalando

Para desinstalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:fossfreedom/indicator-sysmonitor -r -y
sudo apt-get remove indicator-sysmonitor --autoremove

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente AnyDesk no Ubuntu, Debian e derivados

Se você precisa usar diferentes equipamentos, em diferentes locais e quer, acessá-los a qualquer hora, veja como instalar o cliente AnyDesk no Ubuntu, Debian e derivados.

O AnyDesk é um aplicativo que permite acessar seu computador a partir da sua secretária, do seu escritório em casa ou da sala de reuniões mais próxima.

Como instalar o cliente AnyDesk no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o cliente AnyDesk no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o cliente AnyDesk no Ubuntu, Debian e derivados

Esse recurso é multiplataforma, ou seja, você pode executar o AnyDesk na sua plataforma preferida, Linux, Windows, Mac OS, FreeBSD, iOS ou Android.

Para completar, o AnyDesk não funciona apenas com a última versão do seu sistema operacional. Na verdade, ele tanto funciona com versões mais antigas, como o Windows XP, bem como com sistema atuais e de última geração.

Como instalar o cliente AnyDesk no Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o cliente AnyDesk no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome anydesk.deb:

wget https://download.anydesk.com/linux/anydesk_6.0.1-1_i386.deb -O anydesk.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome anydesk.deb:

wget https://download.anydesk.com/linux/anydesk_6.1.0-1_amd64.deb -O anydesk.deb

Passo 5. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i anydesk.deb
sudo apt-get install -f

Passo 6. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./anydesk.deb

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite anydesk em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

Se não conseguir localizar o comando de execução, execute o comando abaixo:

which anydesk

Desinstalando o cliente AnyDesk no Ubuntu, Debian e derivados

Para desinstalar o cliente AnyDesk no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove anydesk --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o cliente AnyDesk no Linux via Flatpak

Let's block ads! (Why?)

Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu e derivados

Se você procura um modo de impedir bloqueio da tela, sem desativar o recurso, veja aqui como instalar o Caffeine no Ubuntu.

Caffeine é um applet simples, no formato de um indicador no painel Ubuntu, que permite impedir o bloqueio da tela temporariamente, a ativação do protetor de tela, o modo de economia de energia e outras funções que desativam a tela.

Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no UbuntuImpedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no UbuntuImpedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

Quase sempre deixamos o computador ligado por grandes períodos de tempo, mas isso não significa que estamos utilizando ele, ou seja, a máquina pode estar ligada e ninguém estará utilizando.

Nesse momento que entra em ação algumas funções que tem como objetivo diminuir o gasto de energia, como proteção de tela, hibernação e desligar o monitor.

Esse programa é particularmente útil quando se deseja impedir que o computador entre nesse modo e atrapalhe as atividades atuais, como por exemplo, quando estamos assistindo a filmes.

Caffeine funciona em sistemas com o ambiente Unity, Ubuntu Gnome, Kubuntu, Xubuntu e Lubuntu.

Instalando o Caffeine no Ubuntu para impedir o bloqueio da tela

Para usuários que não sejam do Gnome no Ubuntu 16.04, Ubuntu 17.10 e superior, basta pesquisar e instalar “caffeine” no Ubuntu Software.

Mas embora o Caffeine esteja disponível nos repositórios padrão do Ubuntu, ele pode estar um pouco obsoleto.

Por isso, para instalar a versão mais recente do Caffeine no Ubuntu e impedir o bloqueio da tela, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash/Atividades ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:caffeine-developers/ppa

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install caffeine

Como instalar a extensão do Caffeine no Gnome Shell

Para o ambiente Gnome, há uma extensão do Caffeine disponível para instalação. Para instalar a extensão, você pode seguir o tutorial abaixo.

Como instalar extensões do Gnome no Ubuntu 17.10

Lembrando que desde o Ubuntu 17.10, você também pode procurar e instalar qualquer extensão via Ubuntu Software:

E você pode gerenciar as extensões do Gnome através do utilitário Gnome Tweak Tool:
Como instalar o Gnome Tweak Tool no Ubuntu e derivados

Uma vez instalado, você deverá ver o applet na bandeja do sistema.

Como instalar o Caffeine manualmente ou em outras distros e Impedir o bloqueio da tela

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome caffeine.deb:

wget http://ppa.launchpad.net/caffeine-developers/ppa/ubuntu/pool/main/c/caffeine/caffeine_2.9.7+675~ubuntu16.04.1_all.deb -O caffeine.deb

ou

wget http://ppa.launchpad.net/caffeine-developers/ppa/ubuntu/pool/main/c/caffeine/caffeine_2.9.7+675~ubuntu18.04.1_all.deb -O caffeine.deb

ou

wget http://ppa.launchpad.net/caffeine-developers/ppa/ubuntu/pool/main/c/caffeine/caffeine_2.9.7+675~ubuntu20.04.1_all.deb -O caffeine.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i caffeine.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite caffeine ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Para usá-lo, basta clicar na opção que ativa ou desativa ele no desktop.

Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

Impedir o bloqueio da tela: instale Caffeine no Ubuntu

Desinstalando o Caffeine no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Caffeine no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:caffeine-developers/ppa --remove
sudo apt-get remove caffeine --auto-remove

Fonte

Let's block ads! (Why?)

Wine Launcher – uma nova ferramenta para rodar jogos através do Wine

Conheça e veja como instalar o Wine Launcher, uma nova ferramenta para rodar jogos através do Wine e que promete tornar essa tarefa ainda mais fácil.

O Wine é, sem dúvida, um projeto que desde a sua criação serviu de base para a criação de outros projetos bastante bons e que, para mencionar um bastante popular, o “PlayOnLinux”, mesmo que seu desenvolvimento esteja praticamente paralisado, o projeto não está morto.

Outro projeto bastante conhecido que é recente (comparado a outros) é o Proton, que tem sido usado para o steam e que muitos usam para desfrutar de seus títulos favoritos em sua distribuição Linux favorita.

Poderíamos mencionar alguns outros, mas no final a base de todos eles é o Wine.

Acontece que, embora os desenvolvedores do Wine tenham trabalhado duro nos últimos anos, há algo que muitas pessoas ignoraram e que é fazer com que eles sejam um pouco mais amigáveis ​​e instintivos.

E este quesito tem sido a razão pela qual outros projetos ganharam maior preferência.

Falo sobre isso porque, navegando na rede, encontrei um projeto bastante peculiar e que me pareceu excelente, porque a ideia e o trabalho por trás dela têm um grande potencial.

Wine Launcher, é o projeto do qual estou falando e este, como o próprio nome indica, é um lançador do Wine voltado para jogos.

Wine Launcher – uma nova ferramenta para rodar jogos através do Wine

Wine Launcher - uma nova ferramenta para rodar jogos através do Wine Wine Launcher - uma nova ferramenta para rodar jogos através do Wine Wine Launcher – uma nova ferramenta para rodar jogos através do Wine
O Wine Launcher é um projeto que, se você experimentou o PlayOnLinux, Lutris e/ou Crossover imediatamente, terá a sensação de estar em um aplicativo que tira algo de cada um.

Este projeto caracteriza-se por ser desenvolvido como um contêiner para jogos do Windows baseados no Wine.

Entre os recursos do projeto, destacam-se o estilo moderno do lançador, o isolamento e a independência do sistema, além de fornecer a cada jogo o Wine e o Prefix separadamente, o que garante que o jogo não se interrompa ao atualizar o Wine no sistema e que ele sempre funcione.

  • Separa o Wine e o Prefix para cada conjunto.
  • Tem a capacidade de compactar transparentemente o Wine e Games em imagens de squash para economizar espaço.
  • Tem capacidade de atualizar facilmente o Wine e reconstruir o Prefix sem interromper o jogo.
  • Integração com DXVK, MangoHud, VkBasalt, Winetricks, tudo isso é instalado automaticamente dentro da sandbox e não requer uma instalação separada.
  • Suporte para vários aplicativos em um contêiner.
  • Existem 6 repositórios do Wine integrados.
  • Sistema de diagnóstico, verificando a configuração correta do sistema e das bibliotecas instaladas.
  • Cria automaticamente patches ao instalar o jogo, para a possibilidade de se livrar do Prefix.
  • Cria atalhos com vários modos de lançamento de jogos.
  • A capacidade de projetar lindamente um cartão de lançamento de jogos no Wine Launcher.
  • Conta o tempo gasto no jogo.
  • Restaura a resolução do monitor.
  • Desativa automaticamente os efeitos desnecessários antes de iniciar o jogo.
  • Há suporte para otimizações CSMT, ESYNC, FSYNC, ACO, GameMode.
  • O aplicativo é traduzido para os idiomas: russo e inglês.
  • Atualização automática do DXVK e do iniciador.
  • Efeitos sonoros ao navegar no iniciador.
  • Mapeamento FPS.
  • Permite instalar um jogo a partir de uma imagem de disco.

Atualmente, o projeto tem muita atividade porque praticamente em um dia recebe duas atualizações (não é uma regra), mas mostra que ainda está melhorando muito do que já oferece.

Como instalar

O Wine Launcher aplicativo não possui pacotes compilados para cada distribuição, mas geralmente é distribuído um único pacote, para o qual somente precisamos dar permissões de execução para poder iniciá-lo, com o qual basicamente em quase todas as distribuições Linux o pacote é funcional.

A única dependência necessária é ter o Wine instalado. O que pode ser resolvido com os tutorial abaixo:
Como instalar a versão mais recente do Wine no Linux
Como instalar a versão mais recente do Wine no CentOS, RHEL e derivados
Como instalar Wine no Debian e derivados
Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu, Debian e derivados
Como instalar o Wine no Fedora, CentOS, RHEL e derivados
https://www.edivaldobrito.com.br/programas-do-windows-no-linux-com-o-wine/

Depois, para obter o pacote, basta baixar o pacote mais recente.

Ou no terminal digitando:

wget https://github.com/hitman249/wine-launcher/releases/download/v1.4.46/start

Em seguida, dê permissão de execução e execute o instalador com o comando:

chmod +x ./start && ./start

Para adicionar um jogo, basta clicar em “adicionar novo jogo” e a seguinte janela será aberta onde colocaremos informações sobre o jogo (Nome, Versão, Descrição (opcional), Caminho do jogo, nome do lançador, argumentos para o iniciador (opcional), Adicione um ícone (tamanho) e algumas opções adicionais): Wine Launcher - uma nova ferramenta para rodar jogos através do Wine

Wine Launcher - uma nova ferramenta para rodar jogos através do Wine

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Tor Browser Launcher no Linux via Flatpak

Se você quer facilitar ainda mais o uso do TOR no PC, conheça e veja como instalar o Tor Browser Launcher no Linux via Flatpak.

O Tor Browser Launcher é um aplicativo que tem como objetivo facilitar a manutenção e o uso do Tor Browser Bundle (TBB) para usuários do Linux.

Como instalar o Tor Browser Launcher no Linux via Flatpak Como instalar o Tor Browser Launcher no Linux via Flatpak Como instalar o Tor Browser Launcher no Linux via Flatpak

Ele baixa o mesmo TBB do torproject.org que todos os outros usam e não o altera de forma alguma. Mas o torna muito mais utilizável e torna a tarefa de mantê-lo atualizado mais seguro.

Você instala o torbrowser-launcher a partir do gerenciador de pacotes da sua distribuição e ele lida com todo o resto, incluindo:

  • Baixando a versão mais recente do TBB para você, no seu idioma e na sua arquitetura;
  • Atualização automática (preservando seus favoritos e preferências);
  • Verificando a assinatura GnuPG do TBB;
  • Inclui perfis do AppArmor para fazer com que um navegador Tor comprometa não tão ruim (em algumas distros);
  • Adicionando um iniciador de aplicativos do Navegador Tor ao menu do seu ambiente de área de trabalho;
  • Permite definir o Navegador Tor como seu navegador padrão;
  • Opcionalmente, reproduzindo um som do modem quando você abre o Navegador Tor (porque o Tor é muito lento).

Como instalar o Tor Browser Launcher no Linux via Flatpak

Para instalar o Tor Browser Launcher via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o Tor Browser Launcher via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.micahflee.torbrowser-launcher.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.micahflee.torbrowser-launcher

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.micahflee.torbrowser-launcher em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite torbrowser ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Para desinstalar o Tor Browser Launcher no Linux via Flatpak, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.micahflee.torbrowser-launcher

Ou

flatpak uninstall com.github.micahflee.torbrowser-launcher

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

Se você procura um suíte office que funcione via navegador e integre diferentes usuários, experimente Instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu.

ONLYOFFICE é um projeto que tem como objetivo fornecer aos usuários e empresas uma suíte de escritório e outras várias ferramentas integradas dentro de um servidor Linux.

Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivadosComo instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivadosComo instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

ONLYOFFICE também inclui suporte para mais formatos como PDF, TXT, DOCX, DOC, ODT, RTF, HTML, EPUB, XLS, XLSX, ODS, CSV, HTML e PPTX, também tem um CRM capaz de gerir melhor nossos clientes/contatos, um sistema de faturamento e de gerenciamento de projeto.

suíte office

suíte office

A ferramenta também permite interagir com serviços populares de armazenamento em nuvem, como o Google Drive, OneDrive, Dropbox, Box, OneDrive e SharePoint com a possibilidade de editar ou comentar os vários documentos entre vários usuários.

Com ONLYOFFICE é possível acessar e operar documentos, planilhas, apresentações e etc remotamente, diretamente de nosso pc ou navegador móvel.

Você pode gerenciar projetos, faturamento e outros itens, tudo através de uma simples e intuitiva interface gráfica HTML5.

suíte office

suíte office

Já a versão desktop dos editores on-line ONLYOFFICE não exigem conexão constante com a Internet e pode trabalhar com arquivos off-line em seu computador.

No procedimento abaixo você verá como instalar essa suíte, para usá-los e atualizar depois, como qualquer outro aplicativo Linux.

Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo sh -c "echo  'deb http://download.onlyoffice.com/repo/debian squeeze main' >> /etc/apt/sources.list"

Passo 3. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

sudo apt-key adv --keyserver hkp://keyserver.ubuntu.com:80 --recv-keys CB2DE8E5

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa. atente para o fato de que durante a instalação, você será solicitado a digitar a senha para o banco de dados MySQL;

sudo apt-get install onlyoffice-desktopeditors

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite desktopeditors no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

Desinstalando a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a suíte office ONLYOFFICE no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove onlyoffice-desktopeditors --auto-remove

Fonte

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar a suíte office ONLYOFFICE no Linux via Snap

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o nostálgico jogo CorsixTH no Linux via Snap

Se você curtia o antigo game de estratégia Theme Hospital, conheça e veja como instalar o jogo CorsixTH no Linux via Snap.

CorsixTH é um clone de código aberto do Theme Hospital, um jogo de estratégia e de simulação econômica criado pela Bullfrog Productions em 1997, cujo objetivo é construir e administrar um hospital.

Como instalar o nostálgico jogo CorsixTH no Linux via SnapComo instalar o nostálgico jogo CorsixTH no Linux via SnapComo instalar o nostálgico jogo CorsixTH no Linux via Snap

O CorsixTH visa reimplementar o mecanismo de jogo do Theme Hospital e ser capaz de carregar os arquivos de dados originais do jogo.

Isso significa que você precisará de uma cópia comprada do Theme Hospital, ou uma cópia da demo, para usar o CorsixTH.

Depois que a maior parte do mecanismo original tiver sido reimplementada no código-fonte aberto, o projeto servirá como base a partir da qual extensões e melhorias no jogo original podem ser feitas.

Usamos gráficos, som e outros dados do jogo original, portanto, é necessário um dos seguintes CD do jogo original do eBay etc. ou sua estante empoeirada Um download do GOG.com ou do Origin https://github.com/CorsixTH/CorsixTH/wiki/Getting-Started

Como instalar o jogo CorsixTH no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o jogo CorsixTH no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo CorsixTH no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install corsixth

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install corsixth --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh corsixth

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite corsixth ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Para desinstalar o jogo CorsixTH no Linux via Snap, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove corsixth

Let's block ads! (Why?)

02 de maio de 2021

Google Chrome no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, Arch e derivados – veja como instalar

Se você gosta do Chrome e quer ter ele sempre atualizado no seu sistema, veja como instalar a última versão estável do Google Chrome no Linux Ubuntu, Fedora e derivados.

O Chrome é o navegador de internet do Google. Inicialmente o software foi desenvolvido com visual minimalista e compilado com base em componentes de código aberto, como o motor de renderização o WebKit, da Apple Inc.

Google Chrome no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, Arch e derivados - veja como instalar Google Chrome no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, Arch e derivados - veja como instalar Google Chrome no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, Arch e derivados – veja como instalar

A partir da versão 28, o Chrome parou de usar o WebKit como motor de renderização de layout, e passou a usar o Blink, desenvolvido pelo Google.

Contrate a NET Virtua e tenha muita velocidade para navegar na internet, assistir filmes e séries e jogar online.

Nos procedimentos abaixo, você verá como instalar a última versão do Google Chrome no Ubuntu, Fedora e seus derivados, mais especificamente Linux Mint, Pinguy OS, Elementary OS, LXLE, Linux Lite, Peppermint, Deepin, Debian, Crunchbang, SparkyLinux, CentOS, OpenSUSE, Mageia e OpenMandriva e também os sistemas derivados destes. Siga as instruções para o seu sistema e arquitetura corretamente e você terá uma instalação bem-sucedida.

Se por algum motivo, você prefere o Chromium, use esse outro tutorial:
Como instalar o Chromium no Ubuntu pelo canal Beta ou Dev

Como instalar o Google Chrome no Linux

Basicamente, instalar o Google Chrome no Linux consiste em acessar a página de download do programa e clicar no botão “Fazer o download do Google Chrome”;

Clicando no botão 'Fazer o download do Google Chrome'

Clicando no botão 'Fazer o download do Google Chrome'

Escolher o formato da sua distribuição Linux e clicar no botão “Aceitar e instalar”;

Escolhendo o formato da sua distribuição Linux

Escolhendo o formato da sua distribuição Linux

Depois do download, abra o arquivo baixado com o gerenciador de pacotes de sua distribuição. Para isso, basta dar um clique duplo nesse arquivo e depois clicar no botão “Instalar”.

Iniciando a instalação do Google Chrome

Iniciando a instalação do Google Chrome

Mas se você prefere fazer isso usando o terminal, siga um dos procedimentos baixo, conforme seja a sua distribuição.

Como instalar a última versão estável do Chrome no Ubuntu, Debian e sistemas derivados

Para instalar o Google Chrome no Ubuntu, Debian e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo "deb [arch=amd64] http://dl.google.com/linux/chrome/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list.d/google.list'

Passo 4. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

wget -q -O - https://dl.google.com/linux/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add -

<!–
Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Se aparecer um erro com a mensagem abaixo…;

"Failed to fetch http://dl.google.com/linux/chrome/deb/dists/stable/Release\n Unable to find
expected entry 'main/binary-i386/Packages' in Release file (Wrong sources.list entry or malformed file)\n
Some index files failed to download. They have been ignored, or old ones used instead."

Passo 6. …execute o seguinte comando:

sudo sed -i -e 's/deb http/deb [arch=amd64] http/' "/etc/apt/sources.list.d/google.list" && sudo sed -i -e 's/deb http/deb [arch=amd64] http/' "/opt/google/chrome/cron/google-chrome"

–!>
Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install google-chrome-stable

Passo 7. Se por algum motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

sudo apt-get remove google-chrome-stable

Como instalar o Chrome no Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o Chrome no Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome chrome.deb:

wget https://dl.google.com/linux/direct/google-chrome-stable_current_amd64.deb -O chrome.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i chrome.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Fim do Google Chrome de 32 bits

Atenção! Se seu sistema é de 32 bits, infelizmente o Google Chrome para essa arquitetura foi descontinuado e você deve remover o repositório e parar de usar o Google Chrome, uma vez que não receberá atualizações de segurança.

Para isso, no Ubuntu e Debian, use os comandos abaixo:

sudo rm /etc/apt/sources.list.d/google-chrome.list
sudo apt-get update

Como instalar a última versão estável do Google Chrome no Fedora, CentOS e derivados

Para instalar o Google Chrome nos sistemas Fedora e CentOS, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se ainda não tiver e seu sistema for de 32 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo -e "[google-chrome]\nname=google-chrome - 32-bit\nbaseurl=http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/i386\nenabled=1\ngpgcheck=1\ngpgkey=https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub" >> /etc/yum.repos.d/google-chrome.repo'

Passo 4. Se ainda não tiver e seu sistema for de 64 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo -e "[google-chrome]\nname=google-chrome - 64-bit\nbaseurl=http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64\nenabled=1\ngpgcheck=1\ngpgkey=https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub" >> /etc/yum.repos.d/google-chrome.repo'

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo yum update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

yum install google-chrome-stable

Passo 7. Se por qualquer motivo você precisar remover o programa, use o comando abaixo:

sudo yum remove google-chrome-stable

Como instalar a última versão estável do Chrome no OpenSUSE e derivados

Para instalar nos sistemas OpenSUSE, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se ainda não tiver e seu sistema for de 32 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper ar http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/i386 Google-Chrome

Passo 4. Se ainda não tiver e seu sistema for de 64 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper ar http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64 Google-Chrome

Passo 5. Baixe e importe a chave do repositório com os comandos:

wget https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub
sudo rpm --import linux_signing_key.pub

Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo zypper refresh

Passo 7. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo zypper install google-chrome-stable

Passo 8. Depois, se for necessário remover o programa, use o comando abaixo:

sudo zypper remove google-chrome-stable

Como instalar a última versão estável do Google Chrome no Mageia, OpenMandriva e derivados

Para instalar em sistemas Mageia e OpenMandriva, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

sudo rpm --import https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se ainda não tiver e seu sistema for de 32 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo urpmi.addmedia --update chrome_i386 http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/i386

Passo 5. Se ainda não tiver e seu sistema for de 64 bits, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo urpmi.addmedia --update chrome_x86_64 http://dl.google.com/linux/chrome/rpm/stable/x86_64

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo urpmi google-chrome-stable

Passo 7. Depois, caso seja necessário remover o programa, use o comando abaixo:

sudo urmpe google-chrome-stable

Pronto! Agora que você já está com a última versão estável do Google Chrome no seu sistema Linux, quando quiser iniciar o programa, digite chrome em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

/sbin/vboxconfig não está funcionando? Veja como resolver

Se você atualizou o VirtualBox ou o Kernel do seu sistema, está tendo problemas com dos módulos de kernel desse virtualizador, e o comando /sbin/vboxconfig não está funcionando, veja como resolver isso manualmente.

Depois de uma atualização do Oracle VirtualBox ou do Kernel, muitas vezes os pacotes oficiais não conseguem recompilar os módulos de host (anfitrião) do kernel do VirtualBox, de modo que o usuário é obrigado a fazer essa tarefa manualmente.

/sbin/vboxconfig não está funcionando? Veja como resolver /sbin/vboxconfig não está funcionando? Veja como resolver /sbin/vboxconfig não está funcionando? Veja como resolver

Ainda não está muito claro o porque dessa falha acontecer. Porém, isso só ocorre com pacotes baixados a partir do site ou repositório do VirtualBox.

Outro problema é que até o VirtualBox 5.0.8, para recompilar os módulos manualmente era preciso usar o comando sudo /etc/init.d/vboxdrv setup.

Mas com a versão mais recente, este comando foi substituído, e agora, a tela de erro do aplicativo afirma que é preciso executar o sudo /sbin/vboxconfig, ao invés do antigo comando.

/sbin/vboxconfig não está funcionando? Veja como resolver

No entanto, de acordo com relatos de alguns usuários, este comando parece não estar funcionando atualmente, ou pelo menos não em alguns casos (como em um Ubuntu 15.10).

Felizmente, se o /sbin/vboxconfig não está funcionando em seu sistema, a solução solução para isso é muito simples e consiste basicamente em abrir um terminal e executar o comando:

sudo /sbin/rcvboxdrv setup

Ao executar o comando acima, ele deverá recompilar o módulos de host (anfitrião) do kernel do VirtualBox e fazer com que o aplicativo volte a funcionar novamente.

Caso apareça alguma mensagem de erro relacionada a outro programa, anote o nome e tente instalar, pois pode ser que seja alguma dependência que ainda não está no sistema.

Por ser um problema um tanto quanto “obscuro”, deixe sua experiência nos comentários para que todos possam compartilhar das dificuldades e das soluções.

Let's block ads! (Why?)

Xfce apps update de abril de 2021 melhora o Mousepad, o Xfdashboard e muito mais

E o Xfce apps update de abril de 2021 melhora o Mousepad, o Xfdashboard e muito mais. Confira as novidades e veja como atualizar no seu sistema.

XFCE é um ambiente de trabalho gráfico livre que pretende ser rápido e leve, enquanto ainda é visualmente atraente e fácil de usar e incorpora a filosofia UNIX tradicional de modularidade e reutilização.

A edição de abril de 2021 do meu resumo de atualização de aplicativos exclusivos do Xfce continua com novos lançamentos de Mousepad, Xfdashboard, Configurações do Xfce e muito mais.

Xfce apps update de abril de 2021 melhora o Mousepad, o Xfdashboard e muito mais

Xfce apps update de abril de 2021 melhora o Mousepad, o Xfdashboard e muito maisXfce apps update de abril de 2021 melhora o Mousepad, o Xfdashboard e muito maisXfce apps update de abril de 2021 melhora o Mousepad, o Xfdashboard e muito mais
Abril tem sido um mês bastante lento para o desenvolvimento de aplicativos Xfce, com novos lançamentos apenas para o editor de texto Mousepad, alternador e iniciador de aplicativos Xfdashboard, bem como o Gerenciador de configurações Xfce e a biblioteca Exo.

Mas, por outro lado, temos novos lançamentos de distribuição Linux com o ambiente de desktop Xfce 4.16 mais recente pré-instalado, incluindo Xubuntu 21.04, Fedora Linux 34 e Calculate Linux 21, então você tem uma seleção maior de distros oferecendo Xfce .

Mousepad foi portado para GtkSourceView 4 e recebeu novas opções de linha de comando para posicionar o cursor (por exemplo, –line/-l and –column/-c). Um monte de correções de bugs e várias atualizações de tradução também estão presentes na versão Mousepad 0.5.4.

O Xfdashboard recebeu dois lançamentos de desenvolvimento na série 0.9.x, que trouxe muitas mudanças interessantes, como uma nova classe de cor aprimorada para suportar gradientes lineares e a capacidade de especificar cores em CSS, detecção aprimorada de aplicativos e determinar seu arquivo de desktop para X11, um novo Plug-in de provedor de pesquisa “usado recentemente” para permitir que você pesquise uma lista de arquivos usados ​​recentemente, bem como posicionamentos de janela aprimorados.

Enquanto isso, os desenvolvedores estão trabalhando duro na próxima versão principal, o Xfce 4.18, que promete muitos novos recursos para o gerenciador de arquivos Thunar, como a capacidade de criar um favorito no menu ‘Go’, a capacidade de pesquisar sem diferenciar maiúsculas de minúsculas quando selecionar arquivos e pastas por padrão e a capacidade de mostrar o caminho completo na barra de título.

Além disso, o Thunar no Xfce 4.18 não mostrará mais os tamanhos de 4Kb ou 12Kb para pastas na visualização de lista, permite que você classifique o Lixo pela data de exclusão do arquivo, lembrará a posição da barra de rolagem, adicionará um botão de atualização à barra de ferramentas e melhorará a usabilidade do painel de arquivos ‘Computador’.

Entre outras melhorias, o Xfce 4.18 também promete oferecer uma nova opção nas preferências da área de trabalho para permitir que você oculte a opção ‘Excluir’ do menu de contexto de arquivos e pastas da área de trabalho. A maioria dessas melhorias foram contribuídas para o Xfce por alunos em potencial durante o GSoC (Google Summer of Code) 2021.

Este é o resumo de atualização de aplicativos do Xfce para abril de 2021. Você deve atualizar suas instalações regularmente para receber essas novas versões assim que forem lançadas e aproveitar os novos recursos e melhorias.

Se você deseja receber a atualização dos aplicativos do Xfce para abril em sua distribuição GNU/Linux, certifique-se de atualizar suas instalações o mais rápido possível.

Os pacotes já devem estar disponíveis nos repositórios de software estáveis ​​de várias distros populares usando a série de ambiente de desktop Xfce 4.16 mais recente.

Então, se você estiver usando o ambiente de desktop Xfce em sua distribuição Linux, atualize sua instalação para receber os novos aplicativos e plug-ins para uma melhor experiência.

Let's block ads! (Why?)

Como ativar e desativar a conta root no Linux sem complicações

Se você precisa de segurança máxima em seus sistema e pode viver sem o root, descubra como ativar e desativar a conta root no Linux.

Root é a conta de usuário mais poderosa no sistema Linux. Ele é um usuário que possui total controle de todo o Linux e é o administrador do sistema.

Como ativar e desativar a conta root no LinuxComo ativar e desativar a conta root no LinuxComo ativar e desativar a conta root no Linux

Na verdade, é a parte mais importante de todo o sistema e que pode realizar qualquer operação nele.

Como a conta root é muito poderosa, é sempre necessário protegê-la com medidas adequadas. Usar uma senha poderosa é definitivamente uma dessas medidas.

Existem algumas conspirações por aí que dizem que desabilitar a conta root é provavelmente uma má ideia, porque há uma série de ações que devem ser executadas com privilégios de root.

Para esses, desativar root é uma loucura, certo?

É aí que a ideia está errada. A verdade é que desabilitar root é definitivamente uma das melhores medidas de segurança que você pode usar. Esse truque é super fácil, e reativar a conta não é tão difícil assim.

Como desativar a conta root no Linux

Para desativar a conta root no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para desabilitar a conta root, você precisa fazer algo de antemão. Primeiramente, certifique-se de que todos os usuários do sistema que têm a capacidade de executar comandos como root tenham uma senha segura, pois uma senha fraca reduzirá a segurança drasticamente. A melhor maneira de fazer isso é executar o comando abaixo. Este comando forçará a redefinição da senha do usuário e solicitará a criação de uma nova senha. Essa etapa não é necessária, mas é melhor prevenir do que remediar, certo?

sudo passwd username

Passo 3. É hora de desativar a conta root. Execute o seguinte comando para iniciar o shell no nível do sistema;

sudo -s

Passo 4. Agora, simplesmente execute o comando abaixo e desabilite o root;

passwd -l root

Ou

passwd --lock root

Passo 5. (opcional) O comando acima irá bloquear a conta. No entanto, se o seu instinto estiver dizendo que você precisa protegê-lo ainda mais, execute o próximo comando.

usermod -p '!' root

Este comando embaralha a senha de root em um instante. Assim, a conta root está inacessível para todos.

Como ativar a conta root no Linux

Desativar root é uma boa ideia, mas se você não conseguir recuperá-lo no tempo, não é tão seguro, certo?

Para desativar a conta root no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Execute o seguinte comando;

passwd root

Observe que, depois de executar esse comando, você precisará inserir uma nova senha para a conta, pois esse comando redefine o root para o padrão.

Está feito! Sua conta root está de volta!

Concluindo

Pronto! Agora sempre que for necessário, você pode utilizar essas dicas e deixar seu sistema Linux bem menos vulnerável.

Fonte

Let's block ads! (Why?)

4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu

Conheça 4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu e experimente novos horizontes, sem deixar de usar o Linux.

Quando falamos sobre Linux, a primeira coisa que vem à nossa mente é o Ubuntu – provavelmente porque a grande maioria das pessoas que o usam também sugere o mesmo a outras pessoas.

A principal razão por trás de mais pessoas usando o Ubuntu é a facilidade de uso.

O problema com todos sugerindo Ubuntu é que ele ofusca muitas distros não baseadas no Ubuntu e não baseadas no Ubuntu que são comparativamente melhores.

Isso também levou ao mito de que usar qualquer distro diferente do Ubuntu é difícil, o que não é verdade.

Conheça 4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu

4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu 4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu 4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu
E é por conta desse cenário citado mais acima que neste artigo, vamos dar uma olhada em quatro distros Linux amigáveis ​​para iniciante,s que não são baseadas no Ubuntu.

Solus

4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu 4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu Solus
A primeira coisa que você notará logo após inicializar no Solus é a ênfase que os desenvolvedores colocaram no design do sistema operacional. Tudo, desde o design dos ícones até a aparência do sistema operacional, é incrível.

Solus é uma distribuição rolling (atualização contínua) e vem com quatro ambientes de área de trabalho para escolher – Budgie (ambiente de área de trabalho desenvolvido internamente da Solu), MATE, GNOME e Plasma.

O sistema operacional vem com seu próprio gerenciador de pacotes chamado “eopkg”. Depois de se acostumar com isso, o céu é o limite.

Dito isso, Solus não é uma distro leve, mas algumas de suas outras vantagens, como uma boa loja de software e suporte para todos os programas de código aberto e de terceiros comumente usados, a tornam uma das melhores distros Linux não baseadas no Ubuntu.

Manjaro Linux

4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu 4 distros amigáveis ​​para iniciantes que não são baseadas no Ubuntu Manjaro Linux
Agora, o Arch geralmente não é considerado amigável para iniciantes, mas o Manjaro Linux baseado no Arch é uma história diferente. Ele vem com três ambientes de desktop – XFCE, Plasma e GNOME. Tudo, desde a instalação do próprio SO até a instalação do SO, é muito simples.

Dito isso, você precisará de algum tempo para se acostumar com o gerenciador de pacotes “Pacman”. Mas, acredite em mim, depois disso, você vai gostar de usar o Manjaro Linux.

Não sabe como instalar aplicativos usando a linha de comando? É aqui que o “Pamac” vem ao resgate. Pamac é a loja de software que você obtém no Manjaro, tornando o processo de instalação do aplicativo muito mais fácil para iniciantes.

openSUSE

openSUSE openSUSE openSUSE
Usuários de Linux com pouca experiência sempre tiveram muitas coisas importantes a dizer sobre o openSUSE. Esta distro é voltada para a comunidade e se concentra exclusivamente em adicionar novos recursos a cada atualização.

Dito isso, eu não recomendo isso para alguém que é totalmente iniciante em Linux. Claro, isso não impede ninguém de usar o sistema.

O sistema operacional openSUSE tem duas variantes – Tumbleweed e Leap. Tumbleweed é um lançamento contínuo, enquanto o salto tem um ciclo de lançamento de 8 meses.

Se você é fã de novos recursos, provavelmente o Tumbleweed é o que você deve instalar. Quanto às pessoas que não desejam novos recursos e precisam de um sistema operacional de desktop limpo e sólido, o Leap é para você.

Fedora

Fedora Fedora Fedora
O Fedora, com suporte da Red Hat, é uma das distros Linux mais populares que existe. Muito de sua popularidade se deve à sua confiabilidade e natureza extremamente amigável para iniciantes.

Ele é fácil de instalar, vem com aplicativos pré-instalados o suficiente para começar e é bastante estável.

O sistema operacional Fedora vem com um ambiente de área de trabalho GNOME. Além disso, o Fedora também tem uma edição Server para Servidores e Fedora IoT, que pode ser usada no Raspberry Pi’s (consulte este para mais detalhes).

4 distros amigáveis ​​para iniciantes – Concluindo

E se você sentiu falta de alguma distro Linux não baseada no Ubuntu para iniciantes que merece estar nesta lista, deixe sua dica nos comentários abaixo.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar e usar o app de clonagem de partições Partclone

Se você procura uma forma de salvar e restaurar partições, conheça, veja como instalar e usar o aplicativo de clonagem de partições Partclone.

Partclone é uma ferramenta livre que permite fazer clonagem de partições e criar arquivos de imagens de partição.

Como instalar e usar o app de clonagem de partições PartcloneComo instalar e usar o app de clonagem de partições PartcloneComo instalar e usar o app de clonagem de partições Partclone

O aplicativo é produzido pelos desenvolvedores do Clonezilla. Na verdade, o Partclone é uma das ferramentas em que a distro Clonezilla se baseia.

Esse utilitário fornece aos usuários as ferramentas necessárias para fazer backup e restaurar os blocos de partição usados, juntamente com alta compatibilidade com vários sistemas de arquivos, graças à sua capacidade de usar bibliotecas existentes, como e2fslibs, para ler e escrever partições, por exemplo, ext2.

Seu ponto mais forte é a variedade de formatos que ele suporta, incluindo ext2, ext3, ext4, hfs+, reiserfs, reiser4, btrfs, vmfs3, vmfs5, xfs, jfs, ufs, ntfs, fat (12/16/32), exfat, f2fs e nilfs.

Ele também possui uma infinidade de programas disponíveis, incluindo partclone.ext2 (ext3 e ext4), partclone.ntfs, partclone.exfat, partclone.hfsp e partclone.vmfs (v3 e v5), entre outros.

Principais recursos do Partclone:

  • Permite clonar partições para arquivos de imagem;
  • Permite restaurar arquivos de imagem para partições;
  • Permite duplicar partições rapidamente;
  • Suporte para cloneagem bruta;
  • Mostra a taxa de transferência e o tempo decorrido;
  • Suporta piping
  • ;

  • Suporte para crc32;
  • Suporta vmfs para o servidor ESX vmware e ufs para o sistema de arquivos FreeBSD.

Há muito mais recursos incluídos no Partclone e você pode ver o resto deles aqui.

Como instalar e usar o app de clonagem de partições Partclone

Para instalar e usar o app o programa de clonagem de partições Partclone no Debian, Ubuntu e derivados, use o seguinte comando:

sudo apt install partclone

Para instalar o Partclone no CentOS/RHEL/Fedora, use o seguinte comando:

sudo yum install partclone

Você também pode instalar o Partclone no Arch Linux via AUR.

Como usar o aplicativo

Para usar o app de clonagem de partições Partclone, siga essas instruções abaixo (lembre-se de substituir /dev/sdx pelo endereço da partição que você quer fazer a tarefa):

Para clonar uma partição e criar um arquivo de imagem, use esse comando:

epartclone.ext4 -d -c -s /dev/sdax -o sdax.img

Para restaurar um arquivo de imagem para uma partição, use:

epartclone.ext4 -d -r -s sdax.img -o /dev/sdax

Para clonar uma partição em outra, use:

partclone.ext4 -d -b -s /dev/sdax -o /dev/sdbx

Para exibir as informações do arquivo de imagem, use:

partclone.info -s sdax.img

Para verificar um arquivo de imagem, use:

partclone.chkimg -s sdax.img

Para ver mais opções, use o seguinte comando:

partclone.ext4 -h

Experimente a ferramenta, e não esqueça de comentar sobre ela.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Rolisteam RPG Client no Linux via Flatpak

Se você quer gerenciar jogos de RPG de desktop com jogadores remotos, conheça e veja como instalar o Rolisteam RPG Client no Linux via Flatpak.

Rolisteam é um software de mesa virtual. Ele ajuda você a gerenciar jogos de RPG de desktop com amigos/jogadores remotos. Ele fornece muitos recursos para compartilhar mapas, fotos e também inclui ferramentas para se comunicar com seus amigos/jogadores.

O objetivo é tornar os jogos de RPG gerenciados pela Rolisteam tão bons quanto os jogos de RPG em seu desktop. Para conseguir isso, estamos trabalhando muito para fornecer a você cada vez mais recursos.

Como instalar o Rolisteam RPG Client no Linux via Flatpak Como instalar o Rolisteam RPG Client no Linux via Flatpak Como instalar o Rolisteam RPG Client no Linux via Flatpak

E este é o Rolisteam Client Binary, que pode ser usado independentemente como um servidor/cliente ou se conectar a uma instância Roliserver (atualmente uma imagem docker)

Como instalar o Rolisteam RPG Client no Linux via Flatpak

Para instalar o Rolisteam RPG Client no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o Rolisteam RPG Client via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.rolisteam.rolisteam.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.rolisteam.rolisteam

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.rolisteam.rolisteam em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite rolisteam ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Para desinstalar o Rolisteam RPG Client no Linux via Flatpak, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.rolisteam.rolisteam

Ou

flatpak uninstall org.rolisteam.rolisteam

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Uber Cli no Linux e obter taxas e informações

Se você quer consultar o preço e tempo gasto para chegar a um local usando o Uber no PC, conheça e veja como instalar o Uber Cli no Linux, e obtenha taxas e informações no terminal.

UBER é um serviço que oferece aos seus clientes veículos de transporte com motorista, através do seu software de aplicação móvel, que conecta passageiros com condutores de veículos registrados em seus serviços.

Como instalar o Uber Cli no Linux e obter taxas e informaçõesComo instalar o Uber Cli no Linux e obter taxas e informaçõesComo instalar o Uber Cli no Linux e obter taxas e informações

Por conta disso, o serviço se tornou popular em todo o mundo e gerou muitos debates com os serviços de ‘táxis’ locais de muitas grandes cidades.

Uma das grandes vantagens que o UBER impôs inicialmente foram, em primeiro lugar, suas taxas acessíveis, o poder de aceitar pagamentos por cartão ou paypal e depois em dinheiro. Além do tratamento e bom atendimento (ao menos no inicio).

Para aqueles de vocês que usam regularmente o aplicativo Uber para reservar um táxi, o Uber CLI pode ser um excelente aplicativo que pode ganhar um espaço no seu computador.

O Uber CLI pode ser uma ótima ferramenta que pode ser funcional. Este aplicativo exclusivo de linha de comando permite que você consulte as estimativas de tempo e preço do Uber, sem ter que tirar os olhos da tela do computador.

O Uber CLI é baseado na API do Uber e usa a API de codificação do Google GE para determinar o tempo e o preço.

Esta ferramenta atualmente possui duas funcionalidades: Calcule a taxa que o Uber cobra de um local para outro e verificar o tempo que pode levar um Uber para chegar ao local indicado.

É importante mencionar que o aplicativo não pode ser usado para solicitar o serviço, é apenas para consultar informações.

Dito isso, dá para dizer que é bastante útil, porque você economiza muito tempo em ser consultado a todo momento em seu telefone, quando no computador você pode ter o terminal de um lado e verificar as informações.

Desta forma, quanto você acha que o preço ou a hora de chegada é suficiente para fazer o processo no seu Smartphone e pedir o seu serviço ao preço ou tempo ideal.

Para aqueles que têm interesse em instalar ou testar o aplicativo, basta seguir as instruções do procedimento abaixo.

Como instalar o Uber Cli no Linux

Para instalar o Uber CLI em seu sistema, você deve ter instalado primeiro o npm, que é um gerenciador de pacotes para a linguagem de programação JavaScript.

Ele é o gerenciador de pacotes padrão para o ambiente de execução do JavaScript Node.js. O npm tem um cliente baseado na linha de comando e em seu próprio repositório de pacotes.

Ou seja, o Uber Cli precisa do Nodejs para ser instalado em seu sistema. Se você não tem esse recurso em seu sistema, use um dos tutoriais abaixo:

Descubra como instalar o Node.js no Linux
Veja como instalar o interpretador Node.js no Linux via Snap

Para instalar o Uber Cli no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Execute o seguinte comando para instalar o Uber Cli em seu sistema usando o comando npm. Ele instalará todos os outros módulos de nó necessários em seu sistema;

sudo npm install -g uber-cli

Usando o UberCli

Como mencionamos no início, o Uber CLI é um aplicativo que é usado a partir da linha de comando, portanto, para o seu uso, vamos abrir um terminal.

Agora, se você quiser saber o tempo estimado que o motorista levará para chegar aonde você está, basta usar o seguinte comando (Onde você vai substituir ‘endereço’ com o seu endereço e você deve respeitar o ”):

uber time 'endereço'

Agora, caso você queira saber o custo do serviço de uma viagem que deseja fazer, faça isso executando o seguinte comando (Onde obter o preço estimado entre o pickup onde você indica com -s e o endereço de destino indicado com -e. E da mesma forma você deve respeitar o ”):

uber price -s 'endereço onde você está' -e 'endereço onde você quer ir'

Em muitos casos, é importante colocar a cidade, pois há momentos em que há muitas ruas com o mesmo nome.

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux

Se você precisa levar arquivos de um lado para o outro via rede, conheça e veja como instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux.

Atualmente, os usuários podem encontrar muitas maneiras diferentes de transferir arquivos entre dois ou mais computadores.

O Croc nos fornecerá uma dessas formas, projetada para ser usada a partir da linha de comando e que nos permitirá transferir arquivos e pastas entre computadores de forma fácil, rápida e segura.

Como instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux Como instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux Como instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux
croc é uma ferramenta que permite que dois computadores transfiram arquivos e pastas de forma simples e segura. Use croc para enviar e receber arquivos da linha de comando.
Usando esta ferramenta, a transferência de dados é feita rapidamente, pois atua como um servidor de retransmissão entre os sistemas.

Ele cria uma camada de comunicação full-duplex em tempo real entre os dois computadores, de forma que as tarefas de ‘upload’ e ‘download’ sejam realizadas simultaneamente entre os computadores.

Croc oferece criptografia ponta a ponta usando a biblioteca de troca de chave autenticada por senha (PAKE).

A biblioteca PAKE permite que dois usuários gerem uma chave secreta forte usando uma chave fraca que ambos conheçam de antemão. Esta chave secreta é usada após criptografia adicional.

Como instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux

Para instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Como instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o app de transferência de arquivos Croc via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o app de transferência de arquivos Croc via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install croc

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh croc

Passo 4. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove croc

Como instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o app de transferência de arquivos Croc no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome croc.deb:

wget https://github.com/schollz/croc/releases/download/v9.1.1/croc_9.1.1_Linux-64bit.deb -O croc.deb

Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i croc.deb
sudo apt-get install -f

Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install ./croc.deb

Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove croc*

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite croc ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Let's block ads! (Why?)

01 de maio de 2021

Como testar a velocidade da Internet no Linux com o Fast

Se você está a procura de uma opção para medir a capacidade de sua conexão no terminal, veja como testar a velocidade da Internet no Linux com o Fast.

Se a sua velocidade de download na internet parece ruim, você provavelmente irá ao site Speedtest.net e verificará, certo?

Como esta é a maneira mais fácil de testar as velocidades que estamos recebendo de nosso provedor de serviços de Internet, e essa é a opção mais desejada há anos.

Mas também tem o serviço de testes de velocidade da própria Netflix – Fast.com, uma ferramenta gratuita, rápida e simples que permite aos usuários verificar a velocidade atual de download e upload com latência em sua excelente interface limpa e livre de anúncios.

Como testar a velocidade da Internet no Linux com o FastComo testar a velocidade da Internet no Linux com o FastComo testar a velocidade da Internet no Linux com o Fast

Como ele usa os próprios servidores da Netflix para testar, você pode acompanhar facilmente se o seu ISP está acelerando sua velocidade.

Basta ir ao Fast.com para fazer um teste de velocidade da sua velocidade atual de download da internet.

Mas, se você quiser verificar a velocidade atual da Internet do seu servidor Linux a partir da linha de comando, você pode usar um utilitário chamado fast – um script de dependência zero, escrito na linguagem Go para testar sua velocidade de download do terminal, que é powered by Fast.com – Netflix, e roda em Linux, Windows e Mac.
 
Esta ferramenta de teste de velocidade é muito simples e não tem nenhuma opção.

Simplesmente, faça o download do arquivo binário para sua arquitetura (fast_linux_amd64 para sistemas de 64 bits) em seu diretório pessoal, defina a permissão de execução e execute-o diretamente do terminal para testar a velocidade da Internet do seu servidor.

Como testar a velocidade da Internet no Linux com o Fast

Para testar a velocidade da Internet no Linux com o Fast, siga os procedimentos abaixo.

Como instalar o fast no Linux

Para instalar o fast no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão;

wget https://github.com/ddo/fast/releases/download/v0.0.4/fast_linux_amd64

Passo 3. Em seguida, dê ao arquivo a permissão de execução;

sudo install fast_linux_amd64 /usr/local/bin/fast

Passo 4. Você também pode instalar o Fast em qualquer distribuição Linux usando o snap (requer que o snapd esteja instalado no sistema);

sudo snap install fast

Executando o fast para testar a velocidade da Internet no Linux

Depois de instalar, basta usar um terminal para executar o comando abaixo

fast

Aguarde um pouco, e em poucos segundos, o resultado estará na sua tela.

Let's block ads! (Why?)

Como detectar o ambiente gráfico do Linux usando o terminal

Se você está usando o sistema do pinguim e não sabe qual ambiente está rodando, veja como detectar o ambiente gráfico do Linux usando o terminal.

O Linux é basicamente um kernel e ferramentas. A maiorias das distribuições antigamente iniciavam exibindo apenas o prompt do terminal.

Como detectar o ambiente gráfico do Linux usando o terminalComo detectar o ambiente gráfico do Linux usando o terminalComo detectar o ambiente gráfico do Linux usando o terminal

Depois de um tempo, surgiram vários ambientes gráficos que passaram a ser iniciados logo que o sistema for carregado.

Atualmente, o Linux oferece um infinidade ambientes gráficos que podem ser utilizados pelos usuários como a área de trabalho.

Sim. O Linux não se resume apenas a KDE, GNOME, MATE, Cinnamon ou qualquer um dos ambientes gráficos mais populares. Existem tantos ambientes, que as vezes fica difícil escolher.

Apesar dessa variedade, nem sempre é fácil descobrir qual ambiente está sendo executado. A menos que você seja um veterano em sistemas Linux e que tenha testado a maioria dos ambientes gráficos.

Muito embora alguns ambientes ofereçam uma forma de identificá-los, isso nem sempre é verdadeiro com outros. Nessa horas, o terminal continuam sendo a melhor opção para usar.

Como detectar o ambiente de área de trabalho do Linux usando o terminal

Existem várias opções disponíveis para identificar o ambiente de área de trabalho em execução em uma área de trabalho do Linux. Aqui mostrarei duas opções.

Primeiro, execute o seguinte comando para verificar o nome do Desktop Environment.

echo $XDG_CURRENT_DESKTOP

Além disso, você também pode identificar a área de trabalho, verificando os processos atualmente em execução.

no exemplo abaixo, o comando mostrará os processos em execução para desktops XFCE ou KDE ou GNOME.

ps -e | grep -E -i "xfce|kde|gnome"

Você verá os resultados abaixo. De acordo com o resultado abaixo, a área de trabalho do GNOME está sendo usada neste sistema.

Como detectar o ambiente gráfico do Linux usando o terminal

Como detectar o ambiente gráfico do Linux usando o terminal

Por fim, você também pode tentar usando o programa wmctrl. Para isso, primeiro instale ele com o gerenciador de pacotes da su distribuição Linux. No caso do Ubuntu, Debian e derivados, usa-se o seguinte comando:

sudo apt-get install wmctrl 

Depois, basta executar o comando abaixo:

wmctrl -m

O resultado será algo como isso aqui;

Name: GNOME Shell
Class: N/A
PID: N/A
Window manager's "showing the desktop" mode: OFF

E então? Gostou da dica? Deixe sua opinião nos comentários.

Let's block ads! (Why?)

Smartphone Librem 5 teve aumento de preço e atraso no envio devido à escassez global de componentes

E o pior aconteceu: o Smartphone Librem 5 teve aumento de preço e atraso no envio devido à escassez global de componentes. Entenda!

Há uma escassez global de chips afetando uma ampla gama de indústrias, incluindo computadores pessoais, automóveis e dispositivos de nicho como o Precursor e Pocket P.C. dispositivos de computação portáteis e o sistema de jogo portátil Analogue Pocket.

As últimas consequências? A Purism está suspendendo as remessas de seu smartphone Librem 5 Linux até o outono, e os clientes que fizerem novos pedidos neste verão terão que pagar mais pelo telefone.

Smartphone Librem 5 teve aumento de preço e atraso no envio devido à escassez global de componentes

Smartphone Librem 5 teve aumento de preço e atraso no envio devido à escassez global de componentesSmartphone Librem 5 teve aumento de preço e atraso no envio devido à escassez global de componentesSmartphone Librem 5 teve aumento de preço e atraso no envio devido à escassez global de componentes
Purism diz que o atraso e o aumento do preço são todos devido à escassez global de componentes, que estão afetando a capacidade da empresa de fornecer as peças de que precisa pelos preços que vinha pagando anteriormente.

Uma vez que se espera que a indústria global de chips esteja em evolução até o próximo ano, o Purism diz que as coisas podem permanecer imprevisíveis no futuro previsível.

Com isso em mente, se você solicitar um Librem 5 hoje, pagará US$ 799. A partir de 30 de junho de 2021, esse preço aumentará para US$ 899. E a Purism diz que é possível que haja outro aumento de preços ainda este ano.

E se você pedir um telefone hoje, isso não significa que o receberá em outubro, quando a empresa estiver pronta para retomar as remessas do telefone. Em vez disso, ele pode não ser enviado até o final de 2021 ou possivelmente até mesmo no início de 2022.

Isso porque o Librem 5 ainda não havia atingido a paridade de envio, ou o ponto em que a Purism seria capaz de enviar telefones dentro de duas semanas da data de compra. Agora parece que é improvável que isso aconteça até o próximo ano.

Não são apenas os telefones Purism afetados pela falta de chips. A empresa diz também esperar atrasos e/ou aumentos de preços para outros produtos, incluindo servidores, laptops e o computador desktop Librem Mini e a chave de segurança Librem Key da empresa.

Para mais detalhes, você pode encontrar uma análise detalhada em um gráfico no site da Purism.
Especificações do Librem 5

Librem 5
Tela LCD IPS de 5,7 polegadas de
1440 x 720 pixels
Processador NXP i.MX8M Quad
4 x ARM Cortex-A53 núcleos de CPU @ 1,5 GHz
Vivante GC7000Lite GPU
RAM 3GB
Armazenamento 32GB eMMC
microSD
Wireless WiFi 4 (banda dupla)
Bluetooth 4.0
GPS (Teseo LIV3F GNSS)
4G LTE (Broadmobi BM818 ou Gemalto PLS8)
Portas Smartcard de
áudio USB-C 3.0 3,5 mm
Cãmeras 13 MP traseira
8 MP frontal
Bateria 4.500 mAh (removível)
Sensores  Acelerômetro
Giroscópio Bússola de
Proximidade/magnetômetro
Luz ambiente
Botões Volume de potência
Teclas de ligar/desligar hardware WiFi/Bluetooth
Cellular Baseband
Câmeras/microfone
 

(Desliga todos os três para também desativar IMU + bússola, GNSS, luz ambiente e sensores de proximidade)

Dimensões 153 x 75 x 15,5 mm
Peso 263 gramas
Preço $ 799

Let's block ads! (Why?)

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
10 de maio de 2021, 01:07
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.