18 de novembro de 2017

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

Se você passa horas na frente do PC, precisa de algo para relaxar, e para ajudá-lo nisso, confira uma lista de aplicativos para ouvir rádios online no Linux. Depois é só curtir.
[postlist tags=”jogos” requesttype=”1″ number=”5″]
Existem milhares de rádios online. E o problema está exatamente em encontrar uma nesse grande variedade. Felizmente, existem programas que ajudam nisso e deixam muito mais fácil escolher e ouvir essas rádios, diretamente no PC.

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no LinuxConheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

Mas ao contrário do que muitos vendem por por aí, o Linux possui boas opções de programas para ouvir rádios online. Por isso, criei essa lista para os usuários interessado em ouvir rádios online no Linux.

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

A lista abaixo inclui leitores de rádio de Internet leves, uma aplicação de desktopcompleto, um navegador de rádio de linha de comando e um player, bem como uma extensão para GNOME Shell com essa função. Confira os detalhes de cada programa e escolha aquele que serve para você.

Goodvibes

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

Goodvibes é um leitor de rádios online (via Internet) para Linux, que oferece uma maneira simples de acessar e ouvir suas estações de rádio favoritas. Por baixo do capô, Goodvibes conta com bibliotecas abertas comprovadas e aprovadas: GLib no núcleo, GStreamer para lidar com o áudio e GTK+ para a interface gráfica do usuário.

O player fornece tudo o que você pode esperar de um player de mídia moderno: suporte a teclas multimídia, a mpris2, notificações e inibição de ociosidade do PC. Ele pode ser iniciado com ou sem interface gráfica, pois vem com um cliente de linha de comando.

Por baixo do capô, Goodvibes conta com bibliotecas abertas comprovadas e aprovadas: GLib no núcleo, GStreamer para lidar com o áudio, e GTK+ para a interface gráfica do usuário.

Como instalar o Goodvibes

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o app de rádios Goodvibes no Ubuntu, Mint, Debian e derivados


Gradio

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

Gradio não é “apenas mais um app de rádios”, é algo novo. O programa permite que os usuários possam encontrar estações de rádio, apenas digitando em sua caixa de pesquisa. Em seguida, já é possível ouvir uma rádio de internet, apenas clicando sobre ela.

O Gradio permite que você encontre e reproduza estações de rádio online de um jeito simples, pois você não precisa lutar com arquivos .pls ou .m3u, você não precisa configurar o equipamento de varredura ou anexar uma antena DAB e, ao contrário de alguns aplicativos similares, você não precisará copiar e colar uma URL em uma caixa.

Como instalar o Gradio

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
Quer ouvir rádios online no Linux? Use o Gradio


Radio Tray

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

Radio Tray é um player de rádio de Internet minimalista, que fica na bandeja do sistema (suporta o AppIndicator do Ubuntu). O aplicativo não é novo, mas é leve e um também excelente player de rádio .

Ele vem com uma lista de estações de rádio incorporadas e permite que você adicione novas de um jeito fácil. Uma particularidade dele é que não há uma interface para o player atual: o aplicativo é controlado a partir da bandeja/AppIndicator ou usando as teclas de mídia do sistema.

Como instalar o Radio Tray

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
Ouça rádios online no Linux com Radio Tray e Radio Tray Lite


Curseradio

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

Curseradio é diferente de todas as outras opções desta lista: ele é um navegador de rádios online e reprodutor de linha de comando, que usa uma interface curses, e mpv para reprodução de áudio. A ferramenta faz uso do diretório TuneIn para obter sua lista de emissoras de rádio.

Infelizmente, o Curseradio não suporta a adição de suas próprias estações de rádio. No entanto, a lista embutida é bastante extensa e fornece estações de rádio para qualquer gosto. Além disso, o diretório TuneIn que ele usa tem uma seção de rádio local, que tenta listar as estações de rádio com base em sua localização.

Como instalar o Curseradio

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o Curseradio no Ubuntu e derivados


Radio Tray Lite

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

Radio Tray Lite é um app que vem com uma lista de rádios e para adicionar novas estações de rádio, você deve editar um arquivo. Assim como a Rádio Tray, esta aplicação usa o GStreamer, por isso deve desempenhar a maioria dos formatos de mídia, no entanto, ele não possui alguns recursos disponíveis no Rádio Tray, como o suporte a plugins (portanto, nenhum suporte de mídia, etc.) ou uma interface para para adicionar novas estações de rádio.

Como instalar o Radio Tray Lite

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
Ouça rádios online no Linux com Radio Tray e Radio Tray Lite


GNOME Shell Internet Radio

Conheça alguns aplicativos para ouvir rádios online no Linux

O GNOME Shell Internet Radio (ou GNOME Shell Extension Radio) é uma extensão simples para ouvir transmissões de rádio da Internet, que suporta o GNOME Shell 3.18, 3.20 e 3.22. Ele não é um aplicativo autônomo de rádios, mas sim uma extensão, que basicamente fornece para o GNOME Shell o equivalente a essa função.

A extensão é fornecida apenas com 4 estações de rádio da Internet por padrão, mas fornece uma pesquisa embutida para o diretório de rádio “radio-browser.info”, para que você possa facilmente adicionar novas estações de rádio a partir da interface de usuário da extensão. Você também pode adicionar suas próprias estações de rádio:

Como instalar o GNOME Shell Internet Radio

Para instalar esse aplicativo no Linux, basta estar no Gnome Shell e acessar a página da extensão a partir do diretório Extensões do GNOME.


Não encontrou seu aplicativo para ouvir rádios online no Linux na lista? Coloque o nome dele nos comentários e ele aparecerá. Essa lista será atualizada e republicada, sempre que houver uma novidade. Fique de olho!

O que está sendo falado no blog nos últimos dias

[postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
[postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

Como instalar o Musique Player no Ubuntu, Debian, Mint e derivados

Como instalar o Musique Player no Ubuntu, Debian, Mint e derivados

Se você está procurando uma nova opção para ouvir suas músicas, conheça e veja como instalar o Musique Player no Ubuntu, Debian, Mint e derivados.
[postlist tags=”audio” requesttype=”1″ number=”5″]
Musique é um reprodutor de música de código aberto (GPL) disponível para Linux, Mac e Windows. Ele descompacta sua experiência musical com uma interface limpa e inovadora.

Como instalar o Musique Player no Ubuntu, Debian, Mint e derivadosComo instalar o Musique Player no Ubuntu, Debian, Mint e derivados

Ele oferece uma lista de reprodução pura e simples, mas também com exibição gráfica de seus álbuns e artistas usando imagens baixadas do last.fm.

Ao mesmo tempo, você também pode navegar pelos seus diretórios e arquivos de música. O uso de uma base de dados interna torna a música bastante rápida.

Características do Musique Player:

        
  • Last.fm scrobbling (enviar títulos de faixas tocados para ol Last.fm);
  •     

  • Rápido e leve e pode facilmente lidar com grandes coleções;
  •     

  • Immersive Info View você pode alternar para enquanto escuta. Ele mostra informações sobre a faixa atual, álbum e artista;
  •     

  • Suporta a maioria dos formatos de áudio, incluindo: FLAC, OGG Vorbis, Monkey’s Audio (APE), Musepack (MPC), WavPack (WV), True Audio (TTA);
  •    

  • Automaticamente corrige erros ortográficos e casos em títulos de faixa, títulos de álbuns e nomes de artistas, liberando-o do aborrecimento de marcar manualmente seus arquivos;
  •     

  • Nunca modifica seus arquivos, armazena todos os seus dados em seu próprio banco de dados.
  • Conheça melhor o Musique Player

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Musique Player no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Musique Player no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome musique.deb:

    wget http://flavio.tordini.org/files/musique/musique.deb -O musique.deb

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome musique.deb:

    wget http://flavio.tordini.org/files/musique/musique64.deb -O musique.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i musique.deb

    Passo 6. Instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f -y

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite musique no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Musique Player no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Musique Player no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove musique --purge
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Como instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu

    Como instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu

    Se você estava a procura de um editor de tags para por ordem em seus áudios, veja como instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu e resolva seu problema.
    [postlist tags=”stream” requesttype=”1″ number=”5″]
    EasyTag é uma ferramenta para visualização e edição de tags para os seguintes formatos: MP3, MP2, MP4/AAC, FLAC, Ogg Opus, Ogg Speex, Ogg Vorbis, MusePack, Monkey’s Audio e arquivos WavPack. Ele funciona tanto em Linux e Windows, e tem uma interface simples e intuitiva, escrita em GTK2.

    Como instalar o editor de tags EasyTAG no UbuntuComo instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu

    O programa suporta CDDB usando Freedb.org e servidores Gnudb.org (busca manual e automática).

    Nele você pode editar os campos tag de título, artista, álbum, número do disco, ano, número da faixa, comentário, compositor, artista original, copyright, a URL, nome do encoder e imagem anexada.

    Conheça melhor o editor de tags EasyTAG

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu e seus derivados

    EasyTAG está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install easytag. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o programa no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:amigadave/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install easytag

    Como instalar o editor de tags EasyTAG manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite easytag no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o editor de tags EasyTAG no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o editor de tags EasyTAG no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:amigadave/ppa --remove
    sudo apt-get remove easytag
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

    Instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

    Quer uma dock simples e com temas variados? Então instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu.
    [postlist tags=”temas” requesttype=”1″ number=”5″]
    Plank pretende ser a dock mais simples do planeta. O objetivo dela é fornecer exatamente o que o usuário precisa de uma dock e absolutamente nada mais.

    Instale a dock Plank e o Plank-Themer no UbuntuInstale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

    Instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

    Já o Plank-Themer é um pequeno programa que permite que você altere temas da dock Plank sem qualquer consumo adicional de recursos. Ele permite que você escolha os temas de forma rápida e fácil.

    Para ficar ainda mais simples, este pequeno programa escrito em bash script, agora está disponível via repositório PPA, para que o usuário faça uma instalação fácil e depois ainda possa receber as atualizações posteriores.

    Instale a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu

    Conheça melhor a dock e o tema Plank

    Para saber mais sobre o Plank-Themer, clique nesse link e sobre a dock, clique nesse outro link.

    Instalando a dock Plank no Ubuntu e derivados

    Para instalar a dock Plank no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:docky-core/stable

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale a dock usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install plank

    Como instalar a dock Plank manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Instalando o Plank-Themer no Ubuntu e derivados

    Para instalar o Plank-Themer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o tema usando os seguintes comandos:

    sudo apt-get install plank-themer
    cd /tmp/ && ./Replace.sh;cd

    Como instalar o Plank-Themer manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar a dock, digite plank no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB). Ou simplesmente feche a sessão atual e entre novamente.

    Desinstalando a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar a dock Plank e o Plank-Themer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove plank plank-themer
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Conheça batocera.linux e divirta-se com jogos antigos

    Conheça batocera.linux e divirta-se com jogos antigos

    Se você curte games retrô, conheça a distribuição batocera.linux, descubra onde baixá-la e divirta-se com jogos antigos, e ainda assista filmes e séries.
    [postlist tags=”jogos” requesttype=”1″ number=”5″]
    batocera.linux é um sistema operacional especializado em retrogaming e que está disponível para PC (32 e 64 bits) e diferentes computadores pequenos como o Raspberry e os Odroid.

    Conheça batocera.linux e divirta-se com jogos antigosConheça batocera.linux e divirta-se com jogos antigos

    batocera.linux é plug and play. Comece, conecte seus Pads, jogue. Ele pode ser instalado em uma pendrive padrão, para que você possa jogar em qualquer computador sem alterá-lo.

    Em Raspberry e Odroid, você deve usar um sdcard padrão para instalá-lo. Note que você deve ser o proprietário dos jogos que você joga para respeitar os direitos autorais deles.

    batocera.linux inclui compilações exclusivas para dispositivos Odroid C2 e Odroid XU4.

    Além dos jogos, o famoso e adorável Kodi Media Center também faz parte do batocera.linux. Então, quando você estiver entediado com os jogos, é hora de assistir suas séries e filmes favoritos usando o Kodi.

    Conheça batocera.linux e divirta-se com jogos antigos

    Conheça melhor a distribuição batocera.linux

    Para saber mais sobre a distribuição batocera.linux, clique nesse link.

    .smarty-2488163_1511027794274 { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; height: auto; } .smarty-2488163_1511027794274 iframe, .smarty-2488163_1511027794274 object, .smarty-2488163_1511027794274 embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

    Baixe e experimente o batocera.linux

    A imagem ISO do batocera.linux já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

    Para instalar, confira esse procedimento.

    Verifique se a imagem ISO está corrompida

    Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
    Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

    Como gravar uma imagem ISO no Linux

    Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
    Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
    Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
    Como criar um pendrive de instalação
    Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
    Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

    Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

    Se você procura um app cliente Google Hangouts Google Hangouts no Linux, para bater papo com seus contatos sem usar o navegador, veja como instalar o yakyak, e resolva seu problema.
    [postlist tags=”mensageiro” requesttype=”1″ number=”5″]
    Já mostrei como instalar um Facebook Messenger Ubuntu, em várias distribuições Linux e um cliente de desktop WhatsApp no Linux. Ambos eram aplicativos não oficiais. Agora, conheçam mais um app não oficial:yakyak um cliente Google Hangouts.

    Como instalar um cliente Google Hangouts no LinuxComo instalar um cliente Google Hangouts no Linux

    Claro, você poderia usar o Google Hangouts no navegador web, mas pode ser bem mais divertido usar o cliente desktop, do que o do navegador.

    Ficou curioso? Então veja como instalar o yakyak para ter um cliente Google Hangouts no Linux e como usá-lo.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o yakyak

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a versão mais recente do yakyak Ubuntu e outras distros que suportam Snap

    Para instalar a versão mais recente do yakyak no Ubuntu e seus derivados via Snap, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se essa for a primeira vez que instala um aplicativo usando o pacote SNAP, antes você pode precisa instalar o snapd com esse comando (caso ainda não esteja instalado). Em versões recentes do Ubuntu (como 16.04 e 16.10 ou 17.04), este ele já deve estar instalado por padrão. Para o Ubuntu 14.04, você precisa instalar o snapd com esse comando;

    sudo apt-get install snapd snapd-xdg-open

    Passo 3. Instale a versão mais recente do yakyak via SNAP, usando esse comando:

    sudo snap install yakyak

    Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap do yakyak, use:

    sudo snap refresh yakyak

    Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove yakyak

    Como instalar o yakyak e ter um cliente Google Hangouts no Linux

    Para instalar o yakyak e ter um cliente Google Hangouts no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/yakyak*
    sudo rm -Rf /usr/bin/yakyak
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/yakyak.desktop

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome yakyak.tar.gz:

    wget https://github.com/yakyak/yakyak/releases/download/v1.4.4/yakyak-1.4.4-linux-ia32.tar.gz -O yakyak.tar.gz

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome yakyak.tar.gz:

    wget https://github.com/yakyak/yakyak/releases/download/v1.4.4/yakyak-1.4.4-linux-x64.tar.gz -O yakyak.tar.gz

    Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo tar -vzxf yakyak.tar.gz -C /opt/

    Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

    sudo mv /opt/yakyak*/ /opt/yakyak

    Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -sf /opt/yakyak/yakyak /usr/bin/yakyak

    Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=yakyak\n Exec=/opt/yakyak/yakyak\n Icon=/\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/yakyak.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite yakyak em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/yakyak.desktop
    cp /usr/share/applications/yakyak.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/yakyak.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Configurando o yakyak

    Depois de executar, você terá que inserir as credenciais de sua conta Google, é claro.

    Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

    Após a autenticação, você verá uma tela como a mostrada abaixo, onde você pode conversar com seus contatos do Google.

    Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

    Se você quiser mostrar as imagens de perfil dos contatos, basta clicar no menu “View” (Ver) e depois em “Show conversation thumbnails” (Mostrar miniaturas de conversação).

    Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

    Você também terá notificação de desktop para novas mensagens.

    Como instalar um cliente Google Hangouts no Linux

    Como remover o yakyak no Linux

    Para remover o yakyak no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento anterior.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Como corrigir erros na atualização de repositório do Ubuntu

    Como corrigir erros na atualização de repositório do Ubuntu

    Alguns usuários estão experimentando alguns erros durante a atualização dos repositórios do Ubuntu, por causa disso, mostrarei aqui como resolvê-los.
    [postlist tags=”jogo” requesttype=”1″ number=”5″]
    A Canonical libera atualizações regulares de manutenção e segurança, o que nos permite manter nosso sistema operacional estável e seguro.

    Como corrigir erros na atualização de repositório do UbuntuComo corrigir erros na atualização de repositório do Ubuntu

    Para atualizar, basta abrir o gerenciador de atualizações do Ubuntu ou iniciar o terminal para atualizar o repositório digitando sudo apt-get update. Entretanto, as vezes alguns usuários encontram erros ao atualizar o repositório do Ubuntu ou de um derivado.

    As informações a seguir foram tiradas do site lffl linux freedom, no caso do autor ele recebeu um erro “Hash Sum mismatch” e “impossível recuperar bzip2” e ele alerta que em outros os erros podem ser diferentes.

    Como essa é uma informação de terceiro a qual não pude testar (por ser uma ocorrência incomum), só a utilize se estiver em uma situação parecida e faça isso por sua própria conta e risco.

    Como corrigir erros na atualização de repositório do Ubuntu e derivados

    Para corrigir erros na atualização de repositório do Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Apague a lista de pacotes e reconstrua ela (isso normalmente é realizado automaticamente em uma atualização regular do repositório), para fazer isso, basta digitar no terminal:

    sudo rm -r /var/lib/apt/lists/* -vf

    Passo 3. Atualize o repositório com o comando “clássico”:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Pode acontecer que, após a atualização de repositório aparecer algum erro de autenticação de chave. Por exemplo, se for detectado um erro na chave-xxxxx basta digitar em um terminal (substitua xxxxx pelo código da chave):

    sudo apt-key adv --recv-keys --keyserver keyserver.ubuntu.com key-xxxxx

    Passo 5. Por exemplo, no caso chave ser b725097b3acc3965 digite apenas:

    sudo apt-key adv --recv-keys --keyserver keyserver.ubuntu.com b725097b3acc3965

    Passo 6. Depois, atualize o repositório com o comando:

    sudo apt-get update

    Espero que isso ajude a resolver seu problema. Se não resolver explique sua situação nos comentários e quem sabe encontramos uma solução para isso.

    E se o seu problema for outro, consulte esses tutoriais:
    Pacotes quebrados: veja como corrigir isso em sistemas baseados no Debian
    Como remover pacotes quebrados com o Synaptic
    Como consertar um sistema Ubuntu que não inicializa por causa de atualizações quebradas

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados

    Como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados

    Se você não quer perder nenhuma de suas ideias ou insights, conheça e veja como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados.
    [postlist tags=”stream” requesttype=”1″ number=”5″]
    Wanna é uma aplicação de lista de tarefas (To-Do list) multiplataforma, open-source e baseada no framework Electron, com foco no gerenciamento de tempo.

    Como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados

    Wanna é uma implementação de um aplicativo de lista de tarefas do século XXI. Ele introduz um novo fluxo de trabalho e tem sua própria filosofia, o que o torna diferente de outros aplicativos de listas de tarefas.

    O programa possui uma interface de usuário que adere às diretrizes de Material Design do Google para oferecer uma janela de aplicativos colorida e intuitiva.

    Wanna é um aplicativo de lista de tarefas bem recente, mas já conquistou os corações de muitos usuários de teste. E se você quiser experimentá-lo, siga o procedimento abaixo.

    Conheça melhor o app de lista de tarefas Wanna

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o app de lista de tarefas Wanna no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o app de lista de tarefas Wanna no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wanna.deb:

    wget https://github.com/mkermani144/wanna/releases/download/Flex-alpha/Wanna-setup-x64.deb -O wanna.deb

    Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

    sudo dpkg -i wanna.deb
    sudo apt-get install -f

    Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install ./wanna.deb

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wanna em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

    Desinstalando o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados

    Para desinstalar o app de lista de tarefas Wanna no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove wanna
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

    Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

    Você costuma baixar arquivo torrents e usa ou quer experimentar o qBittorrent no Ubuntu? Então veja aqui como instalar a última versão do dele.
    [postlist tags=”flash” requesttype=”1″ number=”5″]
    O qBittorrent é um cliente BitTorrent multiplataforma e de código aberto. Ele foi escrito em C++/Qt4, usando a biblioteca LibTorrent-rasterbar, e foi criado para ser uma alternativa ao popular cliente μtorrent.

    Como instalar a última versão do qBittorrent no UbuntuComo instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

    QBittorrent é rápido, estável, leve, suporta unicode e fornece um bom motor de busca integrado. Ele também vem com o encaminhamento de porta UPnP/NAT-PMP, criptografia (compatível com Vuze), FAST extension (mainline) e suporta PeX (compatível com utorrent).

    A aplicação vem com um motor de busca integrado, possui interface web, suporte para download sequencial, scheduler banda larga, suporte a RSS avançado com filtros de download, ferramenta de criação de torrent, filtragem IP e outras características úteis.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o qBittorrent

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

    Enquanto os repositórios oficiais do Ubuntu fornecem uma versão antiga, com esse tutorial você aprenderá a instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install qbittorrent

    Como instalar o qBittorrent manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite qbittorrent no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB)

    Instalando o qBittorrent no Ubuntu server

    Você pode instalar o daemon qBittorrent Ubuntu server e gerenciá-lo através da interface Web do qBittorrent. Para isso, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando;

    sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install qbittorrent-nox

    Passo 5. Uma vez instalado, crie um usuário para o qBittorrent;

    sudo adduser qbtuser

    Passo 6. Você será solicitado para definir a senha para este usuário. Em seguida, adicione este usuário ao grupo sudo.

    sudo gpasswd -a qbtuser sudo

    Passo 7. Em seguida, crie um arquivo de serviço systemd qbittorrent-nox, usando este comando;

    echo -e '[Unit]\n Description=qBittorrent Daemon Service\n After=network.target\n \n [Service]\n Type=forking\n User=qbtuser\n ExecStart=/usr/bin/qbittorrent-nox -d\n \n [Install]\n WantedBy=multi-user.target'| sudo tee /etc/systemd/system/qbittorrent-nox.service

    Passo 8. Agora, inicie o qBittorrent-nox:

    sudo systemctl start qbittorrent-nox

    Passo 9. Você também pode querer ativar a inicialização automática do serviço quando o Ubuntu iniciar;

    sudo systemctl enable qbittorrent-nox

    Passo 10. Se quiser verificar o status do serviço, use este comando:

    systemctl status qbittorrent-nox

    Passo 11. Com o serviço ativo, você já pode acessar a interface Web, digitando na barra de endereços do navegador, o endereço ip do servidor seguido de :8080, como no exemplo abaixo;

    ip-do-servidor:8080

    Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu

    Desinstalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o qBittorrent no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove qbittorrent
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Cliente Slack – conheça e instale o ScudCloud

    Cliente Slack - conheça e instale o ScudCloud

    Se você utiliza a plataforma de comunicação Slack e quer usar um cliente Slack nativo, conheça, instale o ScudCloud e resolva o seu problema.
    [postlist tags=”mensageiro” requesttype=”1″ number=”5″]
    Para aqueles que ainda não conhecem, Slack é uma plataforma de comunicação para equipes, que fornece salas de chat persistentes organizadas por tema, grupos privados e mensagens diretas, tudo pesquisável através de uma caixa de busca. Além disso, o aplicativo se integra com o Google Docs e Dropbox, GitHub e muitos outros.

    Cliente Slack - conheça e instale o ScudCloudCliente Slack – conheça e instale o ScudCloud

    Mas apesar do Slack fornecer aplicativos para Windows, Mac, iOS e Android, infelizmente, não até pouco tempo não havia nenhum cliente oficial para Linux.

    Até existe um beta e uma versão web, que pode ser usada em qualquer sistema operacional, mas ela não possui todos os recursos disponíveis nos clientes de desktop oficiais, como notificações nativas e assim por diante.

    Para conseguir uma integração com o desktop Linux adequada para Slack, o Rael Gugelmin Cunha criou o ScudCloud, um cliente Slack não oficial para Linux. O programa é de código aberto e fornece notificações nativas, contagem de mensagens não lidas no lançador Unity ou bandeja e muito mais.

    Como a dock Plank suporta emblemas e quicklists assim como o lançador Unity, o ScudCloud também se integra perfeitamente com o elementary OS e ambientes que usem a Plank.

    Cliente Slack - conheça e instale o ScudCloud

    Para ambientes onde os recursos como os quicklists e emblemas do lançador Unity não são suportados por padrão, você pode definir ScudCloud para ficar na bandeja (isto funciona em qualquer área de trabalho) e seu ícone irá exibir a contagem de mensagens não lidas:

    Cliente Slack - conheça e instale o ScudCloud

    Conheça melhor o cliente Slack ScudCloud

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o cliente Slack ScudCloud no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o cliente Slack ScudCloud no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo apt-add-repository ppa:rael-gc/scudcloud

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install scudcloud

    Como instalar o cliente Slack ScudCloud manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite scudcloud no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o cliente Slack ScudCloud no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o cliente Slack ScudCloud no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixos;

    sudo apt-get remove scudcloud
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Instalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu e derivados

    Instalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu

    Gosta dos ícones do Android, OS X e Flyme OS? Deixe a sua área de trabalho mais elegante instalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu e derivados.
    [postlist tags=”temas” requesttype=”1″ number=”5″]
    Antu é um conjunto de ícones que tem alguns elementos inspirados nos sistemas operacionais OS X, Android e Flyme OS. A ideia por trás deste tema de ícones é fazer um conjunto limpo e agradável que pode ser usado como uma alternativa para o Breeze no KDE.

    Instalando o conjunto de ícones Antu no UbuntuInstalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu e derivados

    Até então, este conjunto de ícones só estava disponível para o ambiente KDE, mas ZMA do Gnome-look conseguiu porta-lo para outros ambientes, tais como Unity, Gnome, Xfce, Lxde, Mate, Cinnamon e outros.

    Instalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu

    A versão original do Antu para desktop KDE contém aproximadamente 1500 ícones e oferece duas variantes: uma para painel claro e outra para painel escuro. A versão portada (Antu-Universal) possui quatro versões e ZMA adicionou mais ícones, aproximadamente cerca de 3000 ícones.

    Instalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu

    Instalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu

    Instalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu

    Conheça melhor o conjunto de ícones Antu

    Para saber mais sobre o conjunto de ícones Antu, clique nesse link.

    Instalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conjunto de ícones Antu no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons2

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Antu usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install antu-universal-icons

    Passo 5. Se você estiver usando o KDE, instale o conjunto de ícones Antu usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install sudo apt-get install antu-kde-icons

    Como instalar o conjunto de ícones Antu manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o conjunto de ícones Antu no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conjunto de ícones Antu no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Antu, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove antu-universal-icons

    ou

    sudo apt-get remove sudo apt-get install antu-kde-icons

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Como instalar Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no Pidgin

    Como instalar Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no Pidgin

    Quer usar o comunicador do Google no Ubuntu com alguns recursos extras? Então veja nesse tutorial como instalar Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no Pidgin.
    [postlist tags=”stream” requesttype=”1″ number=”7″]
    Purple Hangouts é um plugin libpurple que adiciona suporte para o protocolo proprietário que o Google usa para o seu serviço Hangouts.

    Como instalar Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no PidginComo instalar Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no Pidgin

    Com ele, você pode obter recursos extras do Hangouts do Google que não estão disponíveis por meio da interface XMPP padrão do Pidgin e em outros aplicativos que usam libpurple.

    Entre os recursos extras fornecidos pelo Purple Hangouts estão conversas em grupo, auto mensagens, sincronização de histórico entre dispositivos e suporte a SMS através do Google Voice.

    Conheça melhor o plugin Purple Hangouts

    Para saber mais sobre esse plugin, clique nesse link.

    Como instalar o plugin Purple Hangouts no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o plugin Purple Hangouts no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install pidgin purple-hangouts pidgin-hangouts

    Como instalar o plugin Purple Hangouts manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do plugin nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Purple Hangouts também está disponível no repositório Fedora Copr.

    Usuários do Arch Linux podem instalar o Purple Hangouts via AUR.

    Para obter o código fonte e instruções de instalação do plugin em outras distribuições Linux, acesse a página do Purple Hangouts no BitBucket.

    Como instalar o plugin Purple Hangouts manualmente ou em outras distros

    Depois de instalar o plugin, para ter Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no Pidgin, faça o seguinte:
    Passo 1. Execute o Pidgin através do menu, atalho, ou digite pidgin em um terminal, seguido da tecla TAB;
    Passo 2. Na tela inicial do programa, clique no botão “Adicionar…”;

    Como instalar Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no Pidgin

    Passo 3. Em “Adicionar conta”, Selecione a opção “Hangouts” no campo “protocolo”. Depois, coloque o seu e-mail do Google em “Nome de Usuário” e um apelido no campo “Apelido local”. Finalmente, clique no botão “Adicionar”;

    Como instalar Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no Pidgin

    Passo 4. Imediatamente será exibida uma janela pedindo um código de autorização para o plugin poder se conectar ao Hangouts com suas credenciais;

    Como instalar Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no Pidgin

    Passo 5. Também será aberta uma tela do navegador com o código do Google. Copie esse código e em seguida cole ele na janela de autorização do Pidgin. Para completar, clique no botão “OK”;

    Como instalar Hangouts no Ubuntu com Purple Hangouts no Pidgin

    Pronto! Você já pode usar o Hangouts no Pidgin e conversar a vontade.

    Desinstalando o plugin Purple Hangouts no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o plugin Purple Hangouts no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove purple-hangouts pidgin-hangouts
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    Vantagens que o Wine proporciona no Ubuntu Linux e outras distros

    Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

    Já pensou em ter programas do Windows no Ubuntu? Se sim, você precisa usar o Wine. Melhor ainda, conheça as vantagens que o Wine proporciona no Ubuntu Linux e outras distros.
    [postlist tags=”stream” requesttype=”1″ number=”5″]
    O Wine é uma excelente pedida para solucionar alguns problemas de incompatibilidade envolvendo Linux e seus derivados, dado que ele possibilita um mundo de opções para quem está acostumado com o sistema operacional da Microsoft.

    Vantagens que o Wine proporciona no Ubuntu Linux e outras distros

    Para quem não conhece, um pouco da história do Wine; A sigla dele não é aleatória, (mesmo que o logo seja uma taça de vinho, e que em inglês, wine significa vinho), ela tem um propósito: “Wine Is Not an Emulator”, o que em português significa “Wine não é um emulador”.

    Esse software livre está na ativa há muito tempo, mais precisamente desde 1993, quando a ideia original era executar programas do Windows no Linux. Desde então, muito progresso foi feito, obviamente, e o Wine tem versão estável desde 2008.

    Vantagens que o Wine proporciona no Ubuntu Linux e outras distros

    Para saber quais as vantagens que o Wine proporciona no Ubuntu Linux e outras distros, é preciso entender que não é só no Linux (em que o Ubuntu se encaixa, claro) que o Wine traz as suas funções. Ele também funciona em outros sistemas operacionais, como Mac OSX, BSD ou qualquer outro que siga o padrão POSIX. Isto é: um usuário de Mac pode rodar softwares nativos do Windows em computadores Apple com o mesmo programa que o usuário de Linux o faz.

    Para instalar o Wine no Ubuntu é fácil, você pode ver neste tutorial do blog. A versão mais recente oferece várias vantagens após um ano de desenvolvimento, como suporte para Microsoft Office 2013, suporte de 64 bits no macOS, melhor escalonamento HiDPI, motor Gecko atualizado e outras implementações.

    Jogos e aplicativos

    Wine permite rodar jogos do Windows, e o exemplo disso é o World of Warcraft, um game online que existe há mais de uma década e tem cerca de 100 milhões de jogadores — considerado um dos mais populares em MMORPGs (Massive Multiplayer Online Role-Playing Game).

    É bem fácil instalar o jogo, e aqui no blog, já mostrei como isso é feito em todas as etapas, confira aqui. Vale lembrar, que o processo, infelizmente, nem sempre acontece sem percalços.

    Além do World of Warcraft, é possível ter o Netflix no Ubuntu. Apesar do serviço de streaming rodar sem problemas no navegador, o aplicativo Desktop tem algumas falhas e não é muito útil fora do Google Chrome.

    Portanto, para usar sem complicações a versão Desktop do Netflix no Ubuntu, é necessário ter o Wine para aproveitar as vantagens dessa versão. Com os dois aplicativos atualizados (Wine e Netflix Desktop), não tem segredo para completar a instalação e utilizar o aplicativo. E se esse tutorial não funcionar para você, baixa a versão mais recente do aplicativo e experimente instalar usando o Wine.

    Um dos benefícios do Wine é justamente poder explorar aplicativos que apresentam muita segurança e são renomados pelo público em geral. Além de séries e filmes em streaming no Netflix, que vem atingindo grande audiência no mundo, ele também abre a possibilidade de utilizar, por exemplo, o software da PokerStars, que tem aplicativo que se destaca pela segurança e transparência. Ainda na lista de jogos mais compatíveis, encontra-se também o The Sims 3 e StarCraft – só para citar alguns exemplos.

    Outros também podem ser utilizados via Wine, embora não tenham a mesma funcionalidade compatível que os dois exemplos citados acima. É sempre bom checar a lista que o próprio site do Wine e a comunidade oferece.

    São centenas de jogos e aplicativos que podem ser utilizados através do Playonlinux, e a lista inclui games renomados como Call of Duty, Battlefield, League of Legends, Star Wars, Fifa, entre outros — você pode conferir a lista completa neste link da página oficial do site.

    Além de entretenimento, há também aplicativos que podem ajudar na parte profissional, como é o caso do Sketchup Make, bastante utilizado para montagem tridimensional de modelos arquitetônicos de diversas interfaces. Aliás, também já mostrei um tutorial de como instalar o Sketchup Make no Linux.

    Versão mais simplificada

    Se você quiser utilizar as funções do Wine em uma maneira mais simplificada e com interface limpa, há uma alternativa interessante no Playnolinux, que pode ser instalado no Ubuntu e outros derivados do Linux ou o pra configurar, o Vineyard.

    Ele funciona com a mesma proposta de executar jogos e aplicativos do Windows, apesar de não ter tanta capacidade de fazer isso como o Wine. A vantagem é que o Playonlinux oferece uma alternativa gratuita e acessível para utilizar funções que não são adeptas ao Linux.

    O programa é dependente do Wine, portanto, é preciso ter este instalado. No entanto, para tê-lo instalado, não é necessário obter uma licença do Windows.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”18/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]

    17 de novembro de 2017

    Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8

    Instalando o Java e modem 3G no Linux

    Se você está precisando colocar o Java no Ubuntu, mais precisamente a versão open source, veja como instalar o OpenJDK Java no Ubuntu.
    [postlist tags=”java” requesttype=”1″ number=”5″]
    OpenJDK é uma uma implementação open source do Java que provê um Java Development Kit totalmente baseado em software livre e de código aberto.

    Instalando o Java e modem 3G no LinuxJava no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8

    Assim como a versão oficial da Oracle, o software está na versão 8. Lançado em março de 2014, o OpenJDK 8 já está disponível na Central de programas a partir do Ubuntu 14.10 e futuras versões.

    Entretanto, até então ele ainda não podia ser instalado nas versões LTS do Ubuntu (12.04 e 14.04). Felizmente, agora você já pode instalar o OpenJDK 8 a partir de um repositório PPA, conforme será mostrado nesse tutorial.

    Vale lembrar que o repositório não serve apenas para instalar o OpenJDK 8 em versões antigas do Ubuntu. Na verdade, ele pode ser útil para quem precisa instalar a versão mais recente desse software, em momentos que a distribuição ainda não está disponibilizando ele através das atualizações do sistema.

    Conheça melhor o OpenJDK

    Para saber mais sobre o OpenJDK, clique nesse link.

    Como instalar o OpenJDK Java no Ubuntu e seus derivados via PPA

    OpenJDK está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install openjdk-8-jdk.

    Mas se a sua versão não disponibiliza ele ou você quer a versão mais recente, para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com o comando abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:openjdk-r/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install openjdk-8-jdk

    Passo 5. Se você tiver mais de uma versão do Java instalado em seu sistema, execute o comando abaixo para definir o interpretador Java padrão:

    sudo update-alternatives --config java

    Passo 6. Na tela que aparece, escolha e digite um número para selecionar uma versão do Java e depois tecle enter;

    OpenJDK Java no Ubuntu

    Passo 7. Para definir o compilador Java padrão, executando o comando a seguir:

    sudo update-alternatives --config javac

    Passo 8. Finalmente confira qual é a versão Java atual, executando:

    java -version

    Pronto! Agora você já está com a última versão do Java no Ubuntu.

    Desinstalando o OpenJDK Java no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o OpenJDK Java no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o OpenJDK Java, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove openjdk-8-jdk -y
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”16/11/2017″ requesttype=”1″]

    Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl

    Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl

    Se você gostou do youtube-dl, mas não quer trabalhar com a linha de comando, experimente instalar o Youtube-DLG e use essa ferramenta em uma interface gráfica multiplataforma.
    [postlist tags=”stream” requesttype=”1″ number=”5″]
    Para que não conhece, o youtube-dl é um utilitário para download de vídeo que funciona na linha de comando e que, apesar do que o nome sugere, suporta download de vídeos a partir de centenas de sites além do YouTube. Ele pode extrair o áudio automaticamente, suporta download de playlists, fazer o download e incorporação de legendas em vídeos e muito mais.

    Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dlInstale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl

    Já o Youtube-DLG é uma interface gráfica multiplataforma para o youtube-dl. Essa interface permite baixar vários vídeos de uma só vez, converter automaticamente os vídeos baixados para áudio, também permite que você selecione a qualidade de vídeo e muito mais.

    Infelizmente, o Youtube-DLG (ou youtube-dl-gui) não oferece acesso a todos os recursos do youtube-dl (há tantos, que é quase impossível encaixá-los todos em uma única interface de usuário). Mas o programa dá acesso à maioria dos recursos básicos que devem ser suficientes para a maioria dos usuários.

    Conheça melhor o Youtube-DLG

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

    Veja como instalar a interface gráfica Youtube-DLG para a ferramenta youtube-dl no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Youtube-DLG no Ubuntu e seus derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install youtube-dlg

    Como instalar o Youtube-DLG manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite youtube no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Youtube-DLG no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Youtube-DLG no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove youtube-dlg
    sudo apt-get autoremove

    Gostou do programa? Então veja também esses outros tutoriais:
    Instale Youtube-dl no Ubuntu e baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido
    Conheça várias maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube no Ubuntu e derivados

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”16/11/2017″ requesttype=”1″]

    Bomba! um ‘Ubuntu Unity Remix’ pode estar chegando

    Bomba! um 'Ubuntu Unity Remix' pode estar chegando

    Se você ainda não foi conquistado pela mudança do Ubuntu para o desktop GNOME, anime-se, um ‘Ubuntu Unity Remix’ pode estar chegando.
    [postlist tags=”unity” requesttype=”1″ number=”5″]
    É isso mesmo! Uma proposta para criar uma variante do Ubuntu que usará o ambiente Unity 7 por padrão, está ganhando força na comunidade Ubuntu.

    Bomba! um 'Ubuntu Unity Remix' pode estar chegandoBomba! um ‘Ubuntu Unity Remix’ pode estar chegando

    A ideia já ganhou o apoio de um antigo desenvolvedor de desktop Compiz/Unity e foi aprovada por vários funcionários da Canonical, incluindo Martin Wimpress, o principal desenvolvedor do sabor Ubuntu MATE.

    As discussões ainda estão (compreensivelmente) nos estágios iniciais. E a Canonical deu aos envolvidos, a sua benção para usar a marca comercial “Ubuntu”.

    O debate a seguir será em torno da dúvida que fica: se o projeto deve apenas manter a base de código Unity existente (e garantir que ele continue funcionando no Ubuntu 18.04 LTS), ou mergulhar e desenvolver novos recursos e projetos em cima dele.

    Essa é uma proposta bem diferente da dos forks do desktop Unity que surgiram assim que a Canonical anunciou que abandonaria o projeto, pois quer manter uma versão real, regular e o repositório do Unity.

    A popularidade dos projetos ‘pós Ubuntu Unity’ pode parecer estranha, já que o Unity, até recentemente, era rotineiramente criticado como um exemplo de um trabalho da Canonical contrário aos interesses da comunidade aberta, do tipo “não foi inventada aqui”.

    Mas desde que a Canonical descartou descaradamente todo o projeto Unity (versões atuais e próximas) surgiu uma crescente onda de fãs e admiradores desse ambiente.

    Ao invés de ser deixado para acumular poeira nas prateleiras externas dos repositórios Ubuntu (o plano era mover o Unity para o repositório universe no 18.04 LTS) ou arrastando-se silenciosamente para o além, o projeto está, sem dúvida, mais saudável do que nunca.

    Vale lembrar que, apesar de alguns mapeamentos e correções, o desktop Unity 7 entrou no modo de manutenção apenas nos últimos dois anos. E graças aos mantenedores do projeto do Unity 7, desktop pode viver ainda mais.

    Embora o objetivo a longo prazo desse projeto possa ser o decreto abençoado do oficialismo da infraestrutura Ubuntu, existem, por enquanto, assuntos aspectos práticos mais urgentes para atender, como o recurtamento desenvolvedores reais para trabalhar com o código.

    Já existe uma lista de discussão criada para ampliar a ideia. E há uma imagem ISO baseada no 18.04, que já está disponível para testes.

    Bomba! um ‘Ubuntu Unity Remix’ pode estar chegando… Poderia ser chamado “Ubuntu Unity Remix”?

    Todos os sabores do Ubuntu têm que começar em algum lugar e, tradicionalmente, eles começam a vida como um “remix” do Ubuntu, Ubuntu GNOME Remix, Ubuntu Budgie Remix, Ubuntu Netbook Remix.

    Portanto, é perfeitamente possível que este projeto possa ser chamado de Ubuntu Unity Remix. Independentemente da eventual marca, a ideia de uma variante do Ubuntu usando a Unity é ótima.

    E se você gostava de tudo que o Unity oferecia, então este é um projeto que vale a pena ficar deolho.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”16/11/2017″ requesttype=”1″]

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    Como instalar o editor de vídeos VidCutter no Ubuntu e outras distros

    Como instalar o editor de vídeos VidCutter no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Precisa de um editor simples para cortar ou juntar vídeos? Conheça e veja como instalar o editor de vídeos VidCutter no Ubuntu e outras distros.
    [postlist tags=”stream” requesttype=”1″ number=”5″]
    VidCutter é um aplicativo de corte de vídeo. Ele é escrito em Python3 e PyQt5 Gui framework, e por isso, é multi-plataforma, estando disponível para Linux e Windows. Baseado em Qt5, ele usa FFmpeg no backend para executar recorte, clipping, mesclagem ou junção de vídeo de forma rápida e fácil.

    Como instalar o editor de vídeos VidCutter no Ubuntu, Linux Mint e derivadosComo instalar o editor de vídeos VidCutter no Ubuntu e outras distros

    VidCutter é um pequeno programa que faz exatamente o que é dito, sem frescuras ou extras. Ele suporta a maioria dos formatos de vídeo comuns, tais como: AVI, MP4, MPEG 1/2, WMV, MP3, MOV, 3GP, FLV e assim por diante, ele exporta no mesmo formato como arquivo de origem.

    Basta abrir um arquivo de vídeo, aguardar que ele seja carregado e, em seguida, escolha a parte do vídeo que deseja usar os marcadores de início e de parada. A única desvantagem atualmente é que não há configurações de exportação disponíveis e outros formatos.

    No geral, VidCutter é uma aplicação relativamente leve que tem algumas boas opções para escolher. É rápido em conversões padrão e a interface do usuário é organizada e padronizada. Se você quiser uma aplicação básica de edição de vídeo, então VidCutter é uma boa escolha.

    Novidades da versão mais recente do editor de vídeos VidCutter

    VidCutter 5.0 traz inúmeras mais melhorias e correções, dentre as quais se destacam os seguintes itens:

    • Novo recurso ‘SmartCut’ para quadros precisos;
    • Novas barras de progresso em clipes na linha do tempo;
    • Nova opção de “Exibir quadro-chave” disponível em Informações de vídeo;
    • Novo ícone do aplicativo;
    • Melhorias no mapeamento de fluxo e corte rápido padrão;

    Para saber mais sobre essa versão do programa, acesse a nota de lançamento.

    Conheça melhor o editor de vídeos VidCutter

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o editor de vídeos VidCutter no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o editor de vídeos VidCutter no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ozmartian/apps

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install vidcutter

    Como instalar o editor de vídeos VidCutter manualmente ou em outras distros que suportam arquivos DEB

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Como instalar o editor de vídeos VidCutter no Linux via arquivo AppImage

    Para instalar instalar o editor de vídeos VidCutter no Linux, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se o seu sistema for de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o instalador do programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vidcutter.AppImage:

    wget https://github.com/ozmartian/vidcutter/releases/download/5.0.0/VidCutter-5.0.0-linux-x64.AppImage -O vidcutter.appimage

    Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

    chmod a+x vidcutter.appimage

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

    ./vidcutter.appimage

    Passo 6. Na janela que será exibida, clique no botão “Yes” e aguarde o final da instalação.

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vidcutter em um terminal, seguido da tecla TAB, ou clicando no ícone dele na área de trabalho ou menu de sistema.

    Desinstalando o editor de vídeos VidCutter no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o editor de vídeos VidCutter no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:ozmartian/apps --remove
    sudo apt-get remove vidcutter
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”16/11/2017″ requesttype=”1″]

    Vídeos do YouTube: como instalar o Minitube no Linux

    Vídeos do YouTube: como instalar o Minitube no Linux

    Foi lançada mais uma versão do cliente YouTube Minitube. Se você quiser experimentar essa versão e assistir vídeos do YouTube, veja abaixo como instalar ela no Ubuntu, OpenSUSE, Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados.
    [postlist tags=”youtube” requesttype=”1″ number=”5″]
    Minitube é um cliente YouTube leve, que permite que os usuários assistam vídeos no YouTube de uma nova maneira: você digita uma palavra-chave em uma caixa de pesquisa e o MiniTube imediatamente carrega os resultados.

    Vídeos do YouTube: como instalar o Minitube no LinuxVídeos do YouTube: como instalar o Minitube no Linux

    O programa é um cliente nativo do YouTube que tenta proporcionar uma experiência semelhante a uma TV para o usuário, em vez de clonar a interface original web YouTube.

    O melhor de tudo é que ele não requer o Flash Player para poder funcionar, ou seja, ele consome menos CPU e preserva a bateria do seu laptop.

    Vídeos do YouTube: como instalar o Minitube no Linux

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o Minitube e assista vídeos do YouTube

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instalando o Minitube para assistir Vídeos do YouTube no Ubuntu, Debian e derivados

    Para instalar o Minitube para assistir Vídeos do YouTube no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome minitube.deb:

    wget http://flavio.tordini.org/files/minitube/minitube.deb -O minitube.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome minitube.deb:

    wget http://flavio.tordini.org/files/minitube/minitube64.deb -O minitube.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i minitube.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 7. Se depois você precisar desinstalar o programa, use este comando:

    sudo apt-get remove minitube

    Como instalar o Minitube para assistir vídeos do YouTube no OpenSUSE e seus derivados

    Atenção! Essa versão já não está disponível para o OpenSUSE 13.1, por isso, mantive o link da última versão disponibilizada.
    Para instalar o Mitube para assistir vídeos do YouTube no OpenSUSE, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se você estiver usando o openSUSE Factory PowerPC, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/multimedia:/apps/openSUSE_Factory_PowerPC/multimedia:apps.repo -O /etc/zypp/repos.d/multimedia:apps.repo

    Passo 3. Se você estiver usando o openSUSE Leap 42.2, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/multimedia:/apps/openSUSE_Leap_42.2/multimedia:apps.repo -O /etc/zypp/repos.d/multimedia:apps.repo

    Passo 4. Se você estiver usando o openSUSE Leap 42.3, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/multimedia:/apps/openSUSE_Leap_42.3/multimedia:apps.repo -O /etc/zypp/repos.d/multimedia:apps.repo

    Passo 5. Se você estiver usando o openSUSE Tumbleweed, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/multimedia:/apps/openSUSE_Tumbleweed/multimedia:apps.repo -O /etc/zypp/repos.d/multimedia:apps.repo

    Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo zypper update

    Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

    sudo zypper install minitube

    Passo 8. Se depois você precisar desinstalar o programa, use este comando:

    sudo zypper remove minitube

    Como instalar o Minitube para assistir vídeos do YouTube no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados

    Para instalar o Minitube para assistir vídeos do YouTube no Arch Linux, Manjaro e sistemas derivados, você precisa ter o Yaourt instalado. Se tiver, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Agora instale o programa com o comando:

    sudo yaourt minitube

    Passo 3. Se depois você precisar desinstalar o programa, use este comando:

    sudo pacman -Rsn minitube

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite minitube em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”16/11/2017″ requesttype=”1″]

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

    Quer acessar o Internet Banking do Banco do Brasil no sistema do pinguim? Então veja neste tutorial como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux.
    [postlist tags=”jogos” requesttype=”1″ number=”5″]
    Assim como a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil utiliza uma solução de segurança desenvolvida pela GAS Software, o Warsaw.

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no LinuxComo instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

    O software é usado para dar mais segurança ao acesso dos clientes, mas as vezes, também pode dar muita dor de cabeça para aqueles que usam Linux. A boa noticia é que esse módulo de segurança do BB possui uma versão para Linux.

    Conheça melhor o módulo de segurança do Banco do Brasil (Warsaw)

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

    É possível instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux de duas formas: executando um instalador (serve para a maioria das distribuições) ou utilizando pacotes DEB/RPM (somente para distribuições que suportam esses formatos). Escolha o método mais conveniente para você e siga um dos procedimentos abaixo.

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux usando um instalador

    Para instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux usando um instalador, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa:

    wget https://www14.bancobrasil.com.br/downloads/ws/linux/diagbb-1.0.32.run -O diagbb.run

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa:

    wget https://www14.bancobrasil.com.br/downloads/ws/linux/diagbb-1.0.64.run -O diagbb.run

    Passo 6. Torne o arquivo executável com o comando abaixo;

    chmod +x diagbb.run

    Passo 7. Inicie a instalação do programa, com o seguinte comando;

    sudo ./diagbb.run

    Passo 8. Será exibida a tela de boas vindas de instalação do Módulo de Segurança Banco do Brasil. Para continuar, use as setas do teclado para ir até a opção “Sim” e tecle enter;

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

    Passo 9. Na próxima tela, selecione a opção “Instalar” para prosseguir com a instalação;

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

    Passo 10. Aguarde até que o Módulo de Segurança seja instalado;

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

    Passo 11. Depois que o Módulo de Segurança for instalado, será iniciada a geração e instalação do certificado, além de configurações em seus navegadores. Ao final do processo, você receberá a mensagem indicando o fim da instalação, e finalmente, o serviço do Módulo de Segurança será iniciado em seu computador.

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux

    Passo 12. Reinicie seu computador e acesse o Autoatendimento BB na Internet.

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Para instalar o módulo de segurança Banco do Brasil no Ubuntu, Debian, e outros sistemas que suportam arquivos .deb, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Atualize o repositório de pacotes com o comando;

    sudo apt-get update

    Passo 3. Instale os pacotes libnss3-tools e libcurl3;

    sudo apt-get install libnss3-tools libcurl3

    Passo 4. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 5. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

    wget https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup.deb -O warsaw.deb

    ou

    wget --no-check-certificate https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup.deb -O warsaw.deb

    Passo 6. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

    wget https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup64.deb -O warsaw.deb

    ou

    wget --no-check-certificate https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup.deb -O warsaw.deb

    Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i warsaw.deb

    Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando;

    sudo apt-get install -f

    Passo 9. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove warsaw*

    Como instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux Fedora, OpenSUSE, CentOS e derivados

    Quem quiser instalar o módulo de segurança do Banco do Brasil no Linux Fedora, OpenSUSE, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

    wget https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup.rpm -O warsaw.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

    wget https://cloud.gastecnologia.com.br/bb/downloads/ws/warsaw_setup64.rpm -O warsaw.rpm

    Passo 5. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install warsaw.rpm

    Passo 6. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall warsaw.rpm

    ou

    sudo dnf install warsaw.rpm

    Passo 7. Para instalar o programa na maioria das distros com suporte a arquivos RPM, use o comando:

    sudo rpm -i warsaw.rpm

    Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e warsaw*

    Depois de instalar, reinicie seu computador, e em seguida, acesse o Internet Banking do Banco na Internet.

    Nos meus testes, o acesso funcionou tranquilamente no Firefox. No Google Chrome, o site continuou insistindo na instalação do Guardião, mesmo depois de dele já estar instalado.

    Se você teve alguma dificuldade ou descobriu algo útil ao processo, por favor, compartilhe suas informações nos comentários.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”16/11/2017″ requesttype=”1″]

    Verificar o processador no Linux – instale o aplicativo i7z

    Verificar o processador no Linux - instale o monitor de informações de processadores Intel i7z

    Se você precisa de uma ferramenta para monitorar as frequências da CPU de seu PC e verificar o processador no Linux, instale o i7z e resolva seu problema.
    [postlist tags=”intel” requesttype=”1″ number=”9″]
    i7z é uma ferramenta que exibe dados de processadores Intel Core i7, i5 e i3. O programa mostra o estado do Turbo Boost, informações de frequências por do núcleo da CPU, multiplicadores, temperatura, bem como os tempos gastos nos estados C0/C1/C3/C6/C7, tudo em tempo real.

    Verificar o processador no Linux - instale o monitor de informações de processadores Intel i7zVerificar o processador no Linux – instale o monitor de informações de processadores Intel i7z

    Esse utilitário possui uma versão modo texto (ncurses) e gráfica. No entanto, a versão com interface gráfica não tem todos os recursos disponíveis na versão de modo texto.

    Mais ainda, a versão gráfica pode incorretamente acrescentar valores de estado de C7 ao estado C0 em CPUs SandyBridge e Ivybridge. Por isso, ele relata as coisas de forma incorreta. Portanto, a versão modo texto é a mais recomendada.

    Conheça melhor o i7z

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

    Instalando o i7z para verificar o processador no Linux Ubuntu

    Para instalar o i7z para verificar o processador no Linux Ubuntu, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Instale o aplicativo usando esse comando:

    sudo apt-get install i7z

    Passo 3. Instale a versão com interface gráfica com o comando a baixo:

    sudo apt-get install i7z-gui

    Passo 4. Agora execute o programa com o comando:

    sudo i7z

    Verificar o processador no Linux - instale o monitor de informações de processadores Intel i7z

    Passo 5. Se preferir (não recomendado pelas razões expostas acima), execute a versão com interface gráfica usando o comando:

    gksu i7z_GUI

    Verificar o processador no Linux - instale o monitor de informações de processadores Intel i7z

    Como instalar o i7z manualmente ou em outras distros

    Para versões mais antigas do Ubuntu, você pode tentar usar os arquivos DEB para Ubuntu 13.10, que você pode baixar aqui: 32-bit | 64-bit (os pacotes deb podem ser encontrados em “Built files” na parte inferior).

    Instalando o i7z em outras distros para verificar o processador no Linux

    O i7z está disponível nos repositórios padrão da maioria das distribuições Linux. Por isso, para instalar o program nelas basta abrir o gerenciador de pacotes e procurar por ele. Em seguida instale o aplicativo e pronto!

    Pronto! Agora sempre que precisar, você pode rapidamente verificar o processador no Linux e ficar pode dentro de como ele está.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    [postlist tags=”17/11/2017″ requesttype=”1″]
    [postlist tags=”16/11/2017″ requesttype=”1″]

    Franz – WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

    Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

    Que tal ter WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app? Pois é isso já é possível graças ao Franz. Conheça melhor e veja com instalar esse incrível aplicativo.


    Franz é um aplicativo de mensagens que combina serviços de chat e mensagens em uma única aplicação. Ele atualmente suporta Slack, WhatsApp, WeChat, HipChat, Facebook Messenger, Telegram, o Google Hangouts, GroupMe, Skype e muito mais. Resumindo, com ele você pode ter vários mensageiros no mesmo app e fugir da dor de cabeça que é utilizar muitos aplicativos de bate papo.

    Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo appFranz – WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

    O programa é multiplataforma e possui versões para Mac, Windows e Linux. Nesse tutorial, você verá como instalar ele no Linux de uma forma que funciona em praticamente qualquer distribuição.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o Franz

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Franz no Linux e ter vários mensageiros no mesmo app

    Para instalar o Franz no Linux e ter vários mensageiros no mesmo app, você só precisa fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/franz*
    sudo rm -Rf /usr/bin/franz
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/franz.desktop

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.tgz:

    wget https://github.com/meetfranz/franz-app/releases/download/4.0.4/Franz-linux-ia32-4.0.4.tgz -O franz.tgz

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome franz.tgz:

    wget https://github.com/meetfranz/franz-app/releases/download/4.0.4/Franz-linux-x64-4.0.4.tgz -O franz.tgz

    Passo 6. Crie uma pasta para o programa com este comando;

    sudo mkdir /opt/franz

    Passo 7. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo tar -vzxf franz.tgz -C /opt/franz/

    Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -sf /opt/franz/Franz /usr/bin/franz

    Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=franz\n Exec=/opt/franz/Franz\n Icon=/opt/franz/resources/app.asar.unpacked/assets/franz.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/franz.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite franz em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou os comandos abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/franz.desktop

    cp /usr/share/applications/franz.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/franz.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como usar o Franz

    Depois de instalado e executado, para usar o Franz, faça o seguinte:
    Passo 1. Na tela inicial do programa, clique no serviço que você quer usar;

    Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

    Passo 2. Na janela que será exibida, marque as opções que quer usar e clique no botão de adicionar (no exemplo, "Add Messenger");

    Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

    Passo 3. Depois disso, o serviço será exibido na listagem "Enabled services" e a tela terá uma nova aba com o nome do serviço adicionado. Para configurar o serviço, clique na aba dele;

    Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

    Passo 4. Imediatamente será exibida a tela de configuração do serviços. Entre com as informações necessárias e confirme, clicando em "Continuar". Siga as instruções do programa e em pouco tempo você já poderá usar o serviço.

    Franz - WhatsApp, Skype, Hangouts e outros mensageiros no mesmo app

    Como remover o programa no Linux

    Para remover o programa no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/franz*
    sudo rm -Rf /usr/bin/franz
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/franz.desktop

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    No Post found.

    Gigolo – Interface para gerenciar conexões com sistemas de arquivos remotos usando GIO/gvfs

    Gigolo - Interface para gerenciar conexões com sistemas de arquivos remotos usando GIO/gvfs

    Quer acessar conexões de um jeito simples e rápido, usando uma interface para gerenciar conexões com sistemas de arquivos remotos através de GIO/gvfs? Para conseguir isso, instale o Gigolo no Ubuntu.


    Gigolo é uma interface para gerenciar facilmente as conexões com sistemas de arquivos locais e remotos usando GIO/gvfs. Ele permite que você rapidamente se conecte/monte um sistema de arquivos remoto e e até gerencie marcadores.

    Gigolo - Interface para gerenciar conexões com sistemas de arquivos remotos usando GIO/gvfsGigolo – Interface para gerenciar conexões com sistemas de arquivos remotos usando GIO/gvfs

    O programa é parte do projeto Xfce extras e o repositório Subversion dele está hospedado nos servidores do Xfce. Ele não tem nenhuma dependência Xfce rigida e pode ser usado em outros ambientes de trabalho também.

    Para que não conhece, Gvfs é um sistema de arquivos virtual em espaço de usuário e o sucessor do GnomeVFS, mas o Gvfs não depende do Gnome. Ele exige apenas uma recente versão da GLib e um sistema de DBus configurado corretamente.

    Em seguida, ele fornece acesso quase transparente aos recursos remotos como FTP ou SFTP conexões (SSH), SMB (compartilhamento do Windows) ou recursos especiais, como o Trash (trash://), Burn (burn://) ou até mesmo acessar a sua câmara fotográfica digital (gphoto2://).

    Veja abaixo, mais algumas imagens do programa:

    Gigolo - Interface para gerenciar conexões com sistemas de arquivos remotos usando GIO/gvfs

    Gigolo - Interface para gerenciar conexões com sistemas de arquivos remotos usando GIO/gvfs

    Gigolo - Interface para gerenciar conexões com sistemas de arquivos remotos usando GIO/gvfs

    Conheça melhor o Gigolo

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Gigolo para gerenciar conexões com sistemas de arquivos remotos

    Gigolo está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou, se preferir, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra a Central de programas do Ubuntu, pesquise e instale o Gigolo;
    Passo 2. abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install gigolo

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite gigolo no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Gigolo no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Gigolo no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove gigolo
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    No Post found.

    Como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados

    Como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados

    Quer programar em .Net no Linux e ainda não sabe por onde começar? Então veja como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados, e comece a produzir.


    Embora seja alardeada como uma plataforma de software projetada para permitir que os desenvolvedores criem facilmente aplicações multiplataforma, oficialmente o Framework .Net da Microsoft suporta apenas o sistema operacional Windows.

    Como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados

    Infelizmente, para que possamos portar aplicativos escritos em .Net Framework para outras plataformas além do Windows, como Linux, Mac OS X, iPhone OS, Oracle Solaris, FreeBSD e outros, precisamos utilizar a plataforma chamada Mono que é patrocinada pela empresa Xamarin.

    Resumindo, Mono é uma implementação de código aberto do .NET Framework da Microsoft com base nos padrões ECMA para C# e Common Language Runtime.

    A seguir você verá como instalar essa tecnologia no Ubuntu, Debian e derivados destes.

    Conheça melhor o Mono

    Para saber mais sobre essa tecnologia, clique nesse link.

    Como instalar o Mono no Ubuntu, Debian e derivados

    Mono está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu, Debian e derivados, e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install mono-devel. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o Mono no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    echo "deb http://download.mono-project.com/repo/debian wheezy main" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/mono-xamarin.list

    Passo 3. Baixe e instale a chave do repositáorio com este comando;

    sudo apt-key adv --keyserver hkp://keyserver.ubuntu.com:80 --recv-keys 3FA7E0328081BFF6A14DA29AA6A19B38D3D831EF

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Para instalar apenas o necessário para compilar o código, use o comando abaixo;

    sudo apt-get install mono-devel

    Passo 6. Para instalar tudo do Mono, use o comando abaixo;

    sudo apt-get install mono-complete

    Passo 7. Para instalar o suporte de compilação PCL, use o comando abaixo;

    sudo apt-get install eferenceassemblies-pcl

    Passo 8. Para obter certificados SSL para conexões HTTPS no Mono, use o comando abaixo;

    sudo apt-get install ca-certificates-mono

    Como instalar o Mono manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite mono no terminal e veja as opções do comando.
    Em outra oportunidade, mostrarei como instalar a IDE MonoDevelop. Fiquem de olho!

    Desinstalando o Mono no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Mono no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove mono-*
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    No Post found.

    Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente

    Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente

    Foi lançada recentemente mais uma versão de um dos melhores editores de vídeo para Linux. Se você quiser experimentar, veja a seguir como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente.


    Shotcut é um editor de vídeos multiplataforma e de código aberto. Ele suporta uma grande quantidade de formatos de áudio e vídeo e codecs, além de suportar muitos formatos de imagem como BMP, GIF, JPEG, PNG, SVG, TGA, TIFF, bem como sequências de imagens.

    Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmenteComo instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente

    Atenção! As versões mais recentes já não possuem uma edição para sistemas de 32 bits, por isso, mantive o link da última versão disponibilizada.

    Conheça melhor o editor de vídeo Shotcut

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Se você usa o Ubuntu e não quiser usar o procedimento abaixo, veja este tutorial (via repositório e Snap):
    Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Ubuntu

    A seguir, você verá com instalar esse editor de vídeo no Linux, de um modo que funciona na maioria das distribuições atuais.

    Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux

    Para instalar o cliente programa no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/shotcut*
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/shotcut.desktop

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome shotcut.tar.bz2:

    wget https://github.com/mltframework/shotcut/releases/download/v15.08/shotcut-debian7-x86-150810.tar.bz2 -O shotcut.tar.bz2

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome shotcut.tar.bz2:

    wget https://github.com/mltframework/shotcut/releases/download/v17.11/shotcut-linux-x86_64-171107.tar.bz2 -O shotcut.tar.bz2

    Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo tar -xjvf shotcut.tar.bz2 -C /opt/

    Passo 7. Renomeie a pasta criada (se ocorrer um erro na execução do comando abaixo, pule este passo);

    sudo mv /opt/Shotcut*/ /opt/shotcut

    Passo 8. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=shotcut\n Exec=/opt/shotcut/Shotcut.app/./shotcut\n Icon=applications-multimedia\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/shotcut.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite /opt/shotcut/Shotcut.app/./shotcut em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/shotcut.desktop
    cp /usr/share/applications/shotcut.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/shotcut.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Problemas ao executar o editor de vídeo Shotcut no Linux?

    Se na hora de executar o programa ele pedir a instalação da biblioteca libSDL, abra um terminal e execute o comando de instalação dela.
    Em derivados do Debian e Ubuntu, o comando é:

    sudo apt-get install libsdl1.2-dev

    Já em derivados do Red Hat, Fedora e Centos, é esse:

    yum install SDL-devel

    Como remover o editor de vídeo Shotcut no Linux

    Para remover o editor de vídeo Shotcut no Linux, basta apagar a pasta e o atalho anterior com esses comandos;

    sudo rm -Rf /opt/shotcut*
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/shotcut.desktop

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    No Post found.

    Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

    Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

    Gosta de ouvir uma boa música e não está contente com o som do Ubuntu? Então veja como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer.


    Áudio em Linux é algo bastante complexo que pode melhorar. Tudo interage com o servidor de som Pulse Audio. Muitos dispositivos de áudio diferentes e todos os programas comunicam com o sistema de alto-falantes do PC, a partir desse servidor. Por conta disso, tudo funciona e geralmente soa bem, pelo menos para a maioria das pessoas.

    Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio EqualizerComo melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

    Contudo, se você além de um usuário Linux for também um amante de música, terá um grande problema com o Pulse. Você poderá ficar desapontado ao descobrir que não pode ajustar toda a configuração de som do seu Linux (pelo menos facilmente) usando um equalizador.

    Chato, não é mesmo? Felizmente, alguém criou um software que torna bastante fácil de ter um equalizador de todo o sistema instalado e funcionando. O programa chama-se Pulse Audio Equalizer e certamente pode ajudar a melhorar o áudio do PC.

    Nota: O Pulse Audio Equalizer é um projeto que está sem atualizações há um bom tempo. Por isso, se você encontrar quaisquer erros ou problemas, infelizmente, você está sem sorte.

    Conheça melhor o Pulse Audio Equalizer

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Pulse Audio Equalizer e melhorar o áudio do P

    Para instalar o Pulse Audio Equalizer no Ubuntu para melhorar o áudio do pc e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Verifique qual a versão do seu sistema usando este comando:

    lsb_release -rcs

    Passo 3. Se você estiver usando Ubuntu 14.04, 14.10, 15.04, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:alex-wv/pulseaudio-equalizer-ppa

    Passo 4. Se você estiver usando Ubuntu 12.04, 14.04, 15.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

    Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install pulseaudio-equalizer

    Como instalar o Pulse Audio Equalizer manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link, e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Usando o Pulse Audio Equalizer para melhorar o áudio do pc

    Este equalizador é simples e fácil de usar. Uma vez instalado, tudo que você precisa fazer é executá-lo (digitando equalizer no Dash ou em um terminal, seguido da tecla TAB), para abrir a janela de configuração principal.

    A partir daqui, clique na seta abaixo de “Preset”. Percorra a lista e selecione a configuração que você acha que ficará melhor com o sistema de som do seu computador.

    Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

    Depois disso, apenas marque a caixa “EQ Enabled” (EQ habilitado), a caixa “Keep Settings” (Manter configurações) e clique no botão “Apply” (Aplicar).

    Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

    Isto se aplicará as configurações do equalizador diretamente para o sistema de som do Pulse (que também vai assumir como o principal saída de áudio no Pulse).

    Suas configurações recém aplicadas devem entrar em vigor quase que imediatamente.

    Desinstalando o Pulse Audio Equalizer no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Pulse Audio Equalizer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove pulseaudio-equalizer
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    No Post found.

    Como instalar o cliente de e-mail Mailspring no Linux

    Como instalar o cliente de e-mail Mailspring no Linux

    Se você sempre gostou da aparência de Nylas N1, mas achava ele lento, conheça e veja omo instalar o cliente de e-mail Mailspring no Linux.


    Mailspring é um novo cliente de e-mail gratuito para Windows, MacOS e Linux. O programa é um fork do cliente de correio de fonte aberta Nylas, mas que usa um mecanismo de sincronização C++ nativo, poucas dependências e um desempenho bem melhorado.

    Como instalar o cliente de e-mail Mailspring no LinuxComo instalar o cliente de e-mail Mailspring no Linux

    Nylas era uma chance de novidades no meio dos estranhos um tanto obsoletos clientes de correio abertos. E, enquanto o aplicativo baseado na tecnologia Electron não era o mais eficiente em recursos de aplicativos, ele trouxe alguns recursos novos e um design marcante para a mesa.

    Infelizmente, a empresa por trás do Nylas informou que está “atrasando o desenvolvimento do produto”. Mas você no mundo do software livre e de código aberto sempre existem opções, e neste caso, Mailspring é a alternativa perfeita para os usuários do Nylas.

    Na verdade, Mailspring é um fork do Nylas que foi criado por um dos desenvolvedores originais do aplicativo, que afirma que ele é “mais rápido” e “mais enxuto” do que a versão em que é baseado.

    Mailspring mantém muitos dos recursos úteis que fizeram o Nylas Mail popular, mas melhora a base deles.

    Mailspring é melhor do que Nylas?

    Embora Mailspring seja um fork do Nylas Mail (conhecido como Nylas N1), os desenvolvedores por trás do programa reescreveram as principais partes do aplicativo para serem mais enxutas e mais eficientes.

    O mecanismo de sincronização de JavaScript, que era pesado e que reduzia a velocidade do Nylas, foi substituído pelo novo core nativo C++ (como os usados ​​nas aplicações de email do MacOS, Sparrow e Airmail).

    O novo núcleo nativo faz com que o Mailspring usa cerca de 50% menos RAM do que o Nylas e seja capaz de sincronizar seu e-mail muito mais rápido.

    Com Mailspring você pode configurar várias contas, incluindo contas IMAP (Gmail, Yahoo! Mail, etc.) e Office 365/Outlook.

    Você pode controlar o correio de todas as suas contas usando uma caixa de entrada unificada e encontrar rapidamente qualquer e-mail usando a pesquisa interna .

    Outros recursos de correio também estão incluídos, tais como recibos eletrônicos, rastreamento de links, “contatos enriquecidos” e ” modelos de resposta”.

    Conheça melhor o cliente de e-mail Mailspring

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o cliente de e-mail Mailspring no Linux

    O cliente de e-mail Mailspring está disponível no formato de pacotes DEB, RPM e Snap. Para instalar ele, use um dos procedimentos abaixo, de acordo com a sua distribuição.

    Como instalar o cliente de e-mail Mailspring no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o cliente de e-mail Mailspring no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mailspring.deb:

    wget "https://updates.getmailspring.com/download?platform=linuxDeb" -O mailspring.deb

    Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

    sudo dpkg -i mailspring.deb
    sudo apt-get install -f

    Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install ./mailspring.deb

    Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove mailspring*

    Como instalar o cliente de e-mail Mailspring no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

    Quem quiser instalar o cliente de e-mail Mailspring no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mailspring.rpm:

    wget "https://updates.getmailspring.com/download?platform=linuxRpm" -O mailspring.rpm

    Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install mailspring.rpm

    Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall mailspring.rpm

    ou

    sudo dnf install mailspring.rpm

    Passo 6. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:
    Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

    sudo rpm -i mailspring.rpm

    Passo 8. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e mailspring*

    Como instalar a versão mais recente do cliente de e-mail Mailspring em distros que suportam Snap

    Para instalar a versão mais recente do cliente de e-mail Mailspring via Snap, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se essa for a primeira vez que instala um aplicativo usando o pacote SNAP, antes você pode precisa instalar o snapd com esse comando (caso ainda não esteja instalado). Em versões recentes do Ubuntu (como 16.04 e 16.10 ou 17.04), este ele já deve estar instalado por padrão. Para o Ubuntu 14.04, você precisa instalar o snapd com esse comando;

    sudo apt-get install snapd snapd-xdg-open

    Passo 3. Instale a versão mais recente do Mailspring via SNAP, usando esse comando:

    sudo snap install mailspring

    Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap, use:

    sudo snap refresh mailspring

    Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove mailspring

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite mailspring em um terminal, seguido da tecla TAB, ou clicando no ícone dele na área de trabalho ou menu de sistema.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    No Post found.

    Combinando o tema Royal-Gtk com os ícones Numix

    Combinando o tema Royal-Gtk com os ícones Numix

    Que tal combinar o tema Royal-Gtk com os ícones Numix, para dar uma repaginada no visual do seu desktop Unity? Veja a seguir como fazer isso.


    As versões mais recentes do Ubuntu não possuem qualquer coisa nova no visual do sistema, pois o tema e o conjunto de ícones continua praticamente das versões anteriores.

    Combinando o tema Royal-Gtk com os ícones NumixCombinando o tema Royal-Gtk com os ícones Numix

    Felizmente, existem muitas opções de terceiros, como o tema Royal-Gtk e o conjunto de ícones Numix. O melhor de tudo, é possível combiná-los e obter um visual bem bacana.

    Conheça melhor o Royal-Gtk e os ícones Numix

    Royal-Gtk é um tema flat moderno com uma combinação de elementos claros e escuros com base no Numix.
    Para saber mais sobre o tema Royal-Gtk, clique nesse link.

    O projeto Numix é conhecido criar temas e ícones de alta qualidade para desktop Linux GTK.

    Para saber mais sobre os ícones Numix, clique nesse link.

    Instalando o tema Royal-Gtk com os ícones Numix no Ubuntu e derivados

    Para instalar o tema Royal-Gtk com os ícones Numix no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes
    sudo add-apt-repository ppa:numix/ppa

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o tema o tema Royal-Gtk com os ícones Lumix, usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install numix-icon-theme numix-icon-theme-circle royal-gtk-theme

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Combinando o tema Royal-Gtk com os ícones Numix

    Desinstalando o tema Royal-Gtk e os ícones Numix no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o tema Royal-Gtk e os ícones Numix no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o tema Royal-Gtk e os ícones Numix, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove numix-icon-theme numix-icon-theme-circle
    sudo apt-get remove royal-gtk-theme
    sudo apt-get autoremove

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    No Post found.

    Problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04 ou superior? Veja como resolver

    Problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04 ou superior? Veja como resolver

    Se você instalou o Ubuntu 15.04 ou superior e na hora de instalar ou executar alguns programas apareceram alguns erros e nada aconteceu, veja a seguir como resolver problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04 ou superior.


    No Ubuntu 15.04 ou superior (qualquer sabor, seja Xubuntu, Ubuntu MATE, Kubuntu, etc.), a biblioteca libgcrypt11 já não está disponível nos repositórios (ele usa apenas a libgcrypt20) e algumas aplicações como o Spotify, Brackets e outros, não podem ser instalados ou executados, a menos que a libgcrypt11 esteja instalada.

    Problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04 ou superior? Veja como resolverProblemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04 ou superior? Veja como resolver

    Por exemplo, ao tentar executar o Spotify ocorre o seguinte erro:

    spotify: error while loading shared libraries: libgcrypt.so.11: cannot open shared object file: No such file or directory

    Já no caso do Brackets, o erro acontece durante a instalação do software:

    sudo dpkg -i Brackets.1.2.Extract.64-bit.deb
    ..............................
    dpkg: dependency problems prevent configuration of brackets:
     brackets depends on libgcrypt11 (>= 1.4.5); however:
      Package libgcrypt11 is not installed.
    
    dpkg: error processing package brackets (--install):
     dependency problems - leaving unconfigured
    Processing triggers for hicolor-icon-theme (0.14-0ubuntu1) ...
    Errors were encountered while processing:
     brackets

    Até que esses aplicativos de terceiros sejam ajustados e reempacotados com a libgcrypt20 em vez de libgcrypt11 como dependência, para que eles funcionem adequadamente no Ubuntu 15.04 ou superior, será preciso fazer um pequeno ajuste.

    Sendo mais claro, para conseguir usar Spotify, Brackets e outros aplicativos que exigem a libgcrypt11 no Ubuntu 15.04 ou uma versão posterior, tudo que você tem a fazer é instalar a biblioteca a partir de uma versão mais antiga do Ubuntu, como o Ubuntu 14.04 LTS:

    Instalando a libgcrypt11 para resolver problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04 ou superior

    Para instalar a libgcrypt11 para resolver problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu ou superior, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira a versão do seu sistema, usando o comando abaixo no terminal:

    lsb_release -rs

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

    wget http://archive.ubuntu.com/ubuntu/pool/main/libg/libgcrypt11/libgcrypt11_1.5.3-2ubuntu4_i386.deb -O libgcrypt11.deb

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa;

    wget http://archive.ubuntu.com/ubuntu/pool/main/libg/libgcrypt11/libgcrypt11_1.5.3-2ubuntu4_amd64.deb -O libgcrypt11.deb

    Passo 6. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i libgcrypt11.deb

    Passo 7. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Se preferir, você pode baixar manualmente os arquivos deb da libgcrypt11 para qualquer arquitetura nesse link.

    Importante: em sistemas de 64 bits, você também pode precisar instalar o pacote de 32 bits se o aplicativo que requer libgcrypt11 usa um pacote multiarch.

    Uma vez instalado, você já pode instalar e executar os programas problemáticos no Ubuntu 15.04 e começar a usá-los.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    No Post found.

    Como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu

    Como instalar o ambiente LXQt no Debian

    LXQt é baseado na biblioteca QT e é praticamente o ambiente gráfico da distribuição LXDE. Se você quiser experimentar esse desktop, veja aqui como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu e derivados.


    LXQt é resultado da fusão entre os projetos LXDE-Qt e Razor-qt: um ambiente de desktop leve, modular, super rápido e fácil de usar. O ambiente é uma boa opção para quem não quer ficar no Unity ou quer experimentar novos ares.

    Como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no UbuntuComo instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu

    Ele usa o gerenciador de janelas Openbox, gerenciador de arquivos PCManFM-Qt (que é um port em qt do PCManFM), o painel de desktop razor-panel, bem como outros itens Qt, como seus Core Components.

    Como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu

    Conheça melhor o ambiente gráfico LXQt

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o ambiente LXQt no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o ambiente LXQt no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository -y ppa:lubuntu-dev/lubuntu-daily

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Atualize o sistema com o comando:

    sudo apt-get upgrade

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install lxqt-metapackage lxqt-panel openbox

    Uma vez que a instalação estiver concluída, saia da sua sessão atual do Ubuntu. Na tela de login, clique no ícone usado para escolher o ambiente gráfico (o circulo branco).

    Você será apresentado a uma tela com todas as opções de ambientes de desktop atualmente instalados. A mais recente adição a esta lista será o LXQt. Clique nesta opção e faça login novamente.

    Como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu

    Como instalar o ambiente gráfico LXQt em outras distribuições

    Para instalar o ambiente gráfico LXQt em outras distribuições, acesse a página do projeto e clique no ícone da distro.

    Como instalar ou atualizar para o ambiente LXQt no Ubuntu

    Desinstalando o ambiente LXQt no Ubuntu e derivados

    Se você não gostar ou se arrepender, para desinstalar o ambiente LXQt no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository -y ppa:lubuntu-dev/lubuntu-daily --remove
    sudo apt-get remove lxqt-metapackage lxqt-session lxsession
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    No Post found.

    16 de novembro de 2017

    Instalando a ferramenta de comparação de imagens DiffImg no Ubuntu

    Instalando a ferramenta de comparação de imagens DiffImg no Ubuntu

    Quer descobrir a diferença entre algumas imagens? Então experimente instalar a ferramenta de comparação de imagens DiffImg no Ubuntu.


    DiffImg é uma ferramenta de comparação de imagens escrito em Qt, que pode ser utilizado para comparar duas imagens e exibir as posições onde estão os pixels diferentes.

    Instalando a ferramenta de comparação de imagens DiffImg no Ubuntu

    Entre outros, ele tem uma interface intuitiva, usando OpenCV como backend pode ler e comparar as imagens de 8/16/24/32 bits sem problema, mas não tem suporte a canal alfa.

    Uma das principais utilidades dessa ferramenta é verificação de modificações em imagens, onde várias métricas podem ser utilizadas para o cálculo de diferenças entre elas.

    Como o DiffImg é escrito com Qt, funciona em Windows e Linux (talvez MacOSX) e OS/2. Além disso, ele pode ler os formatos básicos como BMP, PNG, JPG, mas também Tiff e OpenExR.

    Conheça melhor a ferramenta de comparação de imagens DiffImg

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a ferramenta de comparação de imagens DiffImg no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar a ferramenta de comparação de imagens DiffImg no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:dhor/myway

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install diffimg

    Como instalar a ferramenta de comparação de imagens DiffImg manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite diffimg no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando a ferramenta de comparação de imagens DiffImg no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar a ferramenta de comparação de imagens DiffImg no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:dhor/myway --remove
    sudo apt-get remove diffimg
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados

    Como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados

    Se vocẽ quer visualizar e até gerenciar seus livros eletrônicos, veja como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados.


    O Bookworm é um simples leitor de livros eletrônicos criado com ênfase em um modo livre de distração. Foi desenvolvido por Siddhartha Das para poder abrir uma variedade de formatos de arquivo, incluindo epub, pdf, Mobi e CBR, entre outros.

    Como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivadosComo instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados

    O programa também funciona como um gerenciador de livros eletrônicos, pois permite organizar, classificar e editar suas coleções .epub, PDF, .cbr/CBS e .mobi, tudo dentro do mesmo aplicativo.

    Esta versão suporta os formatos EPUB, PDF e Comics (CBR e CBZ) com suporte para mais formatos a serem suportados em breve.

    Principais características do leitor de ebook Bookworm:

    • Exibe sua biblioteca com uma exibição de grade ou uma exibição de lista;
    • Editar metadados do livro é possível tanto na visualização de grade, quanto na exibição de lista;
    • Classifique metadados de e-book enquanto usa a visualização de lista;
    • Pesquise e filtre resultados usando a barra de pesquisa na visualização da biblioteca;
    • Suporte à tradução do Weblate;
    • Personalize família de fontes, tema de cores (modo escuro);
    • Use uma lista de linhas clicáveis ​​contendo frases de pesquisa, como elas são encontradas nos livros;
    • Suporte para favoritos e preferências de favoritos;
    • Índice de conteúdo que permite ignorar os capítulos;
    • Suporte para atalhos de teclado.

    O Bookworm é atualmente construído para o sistema operacional Elementary OS, mas há planos para torná-lo distro agnóstico com a ajuda de Snaps ou Flatpacks no futuro. Se você já estiver usando o sistema operacional Elementary OS, o Bookworm está disponível para instalar no Appcenter.

    Nesse tutorial, será mostrado como fazer para instalar ele no Ubuntu e derivados, usando o repositório do programa e do Elementary OS.

    Conheça melhor o leitor de ebook Bookworm

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione os repositórios do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:bookworm-team/bookworm -y
    sudo add-apt-repository ppa:elementary-os/stable -y

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install libgranite3 bookworm

    Como instalar o leitor de ebook Bookworm manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite bookworm no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o leitor de ebook Bookworm no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:bookworm-team/bookworm -r -y
    sudo add-apt-repository ppa:elementary-os/stable -r -y
    sudo apt-get remove bookworm
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

    Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

    Se você quer gerenciar arquivos usando uma interface simples e com painel duplo, veja como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux.


    JumpFM é descrito como um “gerenciador de arquivos de painel duplo minimalista para Linux”. O desenvolvedor do aplicativo cita como principais influências o fman (um gerenciador de arquivos Qt multiplataforma) e Exa (uma ferramenta de terminal que permite adicionar bling ao comando ls).

    Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no LinuxComo instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

    Altamente configurável e extensível, o JumpFM possui uma série de características e integrações básicas, a maioria das quais você pode ativar/desativar e configurar, para atender às suas próprias necessidades.

    Conheça melhor o gerenciador de arquivos JumpFM

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux via arquivo AppImage

    Para instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome jumpfm.appimage:

    wget https://github.com/Gilad-Kutiel-App/jumpfm/releases/download/v0.16.1/jumpfm-0.16.1-x86_64.AppImage -O jumpfm.appimage

    Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

    chmod a+x jumpfm.appimage

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

    sudo ./jumpfm.appimage

    Passo 6. Na janela que será exibida, clique no botão “Yes” e aguarde o final da instalação;

    Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

    Como usar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

    Quando quiser iniciar o programa, digite jumpfm em um terminal, seguido da tecla TAB ou use um menu/atalho do seu sistema.

    O JumpFM é um aplicativo orientado por teclado . Para obter a melhor experiência, é recomendável para familiarizar-se com seus atalhos de teclado agradável e cedo. A maioria é óbvia: você pode ativar/desativar arquivos ocultos pressionando ‘h’, alternar entre os painéis usando ‘tab’ e navegar dentro e fora das pastas usando as teclas de seta do teclado, backspace e ‘enter’ .

    Como instalar o gerenciador de arquivos JumpFM no Linux

    Além disso:

    Jumping (‘j’) permite-lhe rapidamente “pular” para as suas pastas favoritas sem precisar clicar na pasta na qual você está. Os diretórios não precisam ser marcados como favoritos, pois o aplicativo ‘aprende’ qual pasta você freqüentemente visita.

    Filtragem (‘f’) é um recurso de pesquisa simples que ajuda a encontrar os arquivos que você procura digitando parte do seu nome de arquivo.

    O modo plano (‘r’) alterna a visualização baseada em diretório hierárquico padrão e um plano, nenhuma exibição de pasta que lista todos os arquivos dentro do diretório e seus subdiretórios.

    Instant Gist ( ctrl + g ) permite que você crie rapidamente uma nova essência de um arquivo selecionado no gerenciador de arquivos.

    O gerenciador de arquivos pode ser estendido ao instalar plugins extras. Esses plugins variam de mostrar o tempo e as condições climáticas atuais na barra de status do JumpFM, para adicionar recursos de gerenciador de arquivos integrados, como o descompactação de arquivo.

    Por padrão, o JumpFM apenas listará os primeiros 100 arquivos e/ou pastas em um diretório. Isso não seria muito difícil se houvesse uma maneira de “fazer uma página” para o resto dos resultados. Mas não existe. Isso pode ser muito frustrante quando lidar com pastas com muitos arquivos, especialmente aqueles que você deseja filtrar.

    Você pode aumentar o limite de arquivos no arquivo de configurações, embora, como isso poderia afetar o desempenho, eu aconselharia não configurá-lo em um número ridiculamente alto.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar o SMPlayer com suporte a MPV

    como-instalar-o-smplayer-com-suporte-mpv

    SMPlayer pode ser usado em conjunto com outro reprodutor além do mplayer. Se você quer experimentar, veja aqui como instalar o SMPlayer com suporte a MPV.


    O SMPlayer é um reprodutor multimídia que já vem com codificadores nativos e que consegue reproduzir a maioria dos formatos vídeo e áudio sem a necessidade de codificadores extra. Basta instalar o SMPlayer e ele já será capaz de reproduzir boa parte dos formatos de vídeo e áudio disponíveis.

    como-instalar-o-smplayer-com-suporte-mpvcomo-instalar-o-smplayer-com-suporte-mpv

    Na verdade, o SMPlayer é um front-end gráfico baseado em Qt para mplayer. Mas agora, o programa também pode utilizar o player MPV para a reprodução, graças ao suporte a ele que foi adicionado recentemente. Entretanto, esse suporte irá demorar um pouco até aparecer na versão estável.

    A boa notícia é que você já pode instalar o SMPlayer com o suporte a MPV no Ubuntu e algumas de suas variantes, usando o repositório PPA oficial SMPlayer Testing.

    Para aqueles que ainda não conhecem o MPV, ele é um player de mídia baseado no mplayer2 (e mplayer), que vem com vários recursos extras e melhorias em relação ao mplayer2, tais como suporte nativo para VAAPI e VDA e melhorias na saída de vídeo VDPAU, opção para exibir duas legendas de uma só vez, suporte a Wayland, seeking preciso, função de codificação embutida (substituto para mencoder).

    Além disso, ele possui suporte melhorado para PulseAudio, melhor suporte a MKV (por exemplo, ordenação de capítulos, metadados 3D), além de várias outras características que pode ser vistas nessa página.
    muito mais.

    Para completar, SMPlayer já suporta a reprodução de vídeos YouTube. No entanto, com MPV, ele pode reproduzir vídeos a partir de qualquer website suportado pelo youtube-dl (apesar do nome, youtube-dl suporta inúmeros sites de vídeo).

    O suporte a vídeos online inclui Youtube (obviamente), DailyMotion, Vimeo, BlipTV, CBS, CollegeHumor, ComedyCentral, NBC, Vevo e muitos mais (são cerca de 500 sites são suportados e você pode ver uma lista completa nesse link).

    Nota: para ser capaz de usar SMPlayer com MPV, você vai precisar de mpv versão 0.6.2 ou mais recente e para ter o suporte ao youtube-dl, você precisará instalar o mpv 0.7.0 ou mais recente.

    Conheça melhor o SMPlayer

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o SMPlayer com suporte a MPV no Ubuntu 14.04 ou superior e Linux Mint 17.x/13

    Para instalar o SMPlayer com suporte a MPV no Ubuntu 14.04 ou superior e Linux Mint 17.x/13 e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu 14.04/Linux Mint 17.x, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:mc3man/mpv-tests

    Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu 15.10 ou 15.04, o MPV já está disponível nos repositórios oficiais, por isso, apenas adicione o repositório do SMPlayer com o comando abaixo ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:rvm/smplayer

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, use o comando abaixo para instalar todos os programas;

    sudo apt-get install mpv smplayer smtube smplayer-themes smplayer-skins youtube-dl

    Como instalar o SMPlayer com suporte a MPV no Ubuntu 12.04 / Linux Mint 13

    Infelizmente não há nenhuma MPV 0.7.0+ PPA para o Ubuntu 12.04. O PPA oficial estável do SMPlayer fornece SMPlayer com suporte a MPV, na versão 0.6.2 e enquanto esta versão funciona, ele não vem com a integração youtube-dl, por causa disso, você não poderá usar o SMPlayer para reproduzir vídeos a partir do site suportados pelo youtube -dl.

    Para instalar o SMPlayer com suporte a MPV no Ubuntu 12.04/Linux Mint 13 e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:rvm/testing

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install mpv smplayer smtube smplayer-themes smplayer-skins

    Configurando o SMPlayer para usar o MPV

    Para configurar o SMPlayer para usar MPV em vez de mplayer, faça o seguinte:
    Passo 1. Inicie o programa, digitando smplayer no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).
    Passo 2. Clique no menu  “Opções” e depois no item “Preferencias”. Na tela, clique em “Geral” e na aba “Geral”, preencha o campo  “Executável MPlayer” com o valor “mpv” (sem as aspas), como na imagem abaixo e clique em “Aplicar”:

    Como instalar o SMPlayer com suporte a MPV

    Passo 3. Para ser capaz de reproduzir vídeos de todos os sites suportados pelo youtube-dl (requer mpv 0.7.0 ou mais recente, por isso não vai funcionar no Ubuntu 12.04), na mesma tela, clique em “Rede” à esquerda e marque a opção “Reproduzir vídeos de sites de streaming”.

    Como instalar o SMPlayer com suporte a MPV

    Pronto! Agora você já pode aproveitar os recursos desse incrível player.

    Desinstalando o SMPlayer no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o SMPlayer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove mpv smplayer smtube smplayer-themes smplayer-skins
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Áudio do Android no PC – veja como transmitir via rede Wi-Fi

    Áudio do Android no PC - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    Quer reproduzir o áudio do Android no PC via rede Wi-Fi e usando DLNA/UPnP, para conseguir um áudio de qualidade daquelas músicas que estão em seu dispositivo móvel? Então veja como fazer isso usando o programa Rygel.


    Por causa das diversas aplicações de músicas como Spotify, Deezer e etc, muitos usuários utilizam o seu dispositivo móvel como um leitor de áudio portátil. Infelizmente, muitas vezes esse aparelhos não possuem uma saída de som boa o suficiente para oferecer um áudio de qualidade.

    Áudio do Android no PC - veja como transmitir via rede Wi-FiÁudio do Android no PC – veja como transmitir via rede Wi-Fi
    Por conta disso, a melhor alternativa é simplesmente conectar o dispositivo mobile com sistemas de áudio ou até mesmo com o PC, usando as tecnologias DLNA/UPnP em redes Wi-Fi.

    Para conseguir reproduzir o áudio do Android no PC através de DLNA/UPnP será preciso usar o programa Rygel no Linux. Rygel é uma solução de mídia doméstica (UPnP AV MediaServer) que permite que você facilmente compartilhe áudio, vídeo e imagens para outros dispositivos.

    Rygel alcança a interoperabilidade com outros dispositivos, tentando manter-se em conformidade com os rigorosos requisitos do padrão DLNA e através da conversão de mídia on-the-fly, para formatos que os dispositivos cliente podem manipular.

    Além disso, qualquer reprodutor de mídia pode usar o Rygel como um MediaRenderer, que pode ser controlado remotamente por um controlador UPnP ou DLNA em redes Wi-Fi.

    Conheça melhor o Rygel

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como como reproduzir áudio do Android no PC através de DLNA/UPnP

    Para reproduzir áudio do Android no PC através de DLNA/UPnP, ambos os dispositivos precisam estar na mesma rede WiFi. Depois de conectá-los na rede, faça o seguinte:
    Passo 1. No PC com Ubuntu, abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Instale o programa Rygel com este comando:

    sudo apt-get install rygel rygel-gst-launch rygel-tracker rygel-playbin rygel-preferences wavpack paprefs pavucontrol

    Passo 3. Acesse as “Preferências do PulseAudio” clicando no Dash e digitando pulse no Dash. Quando aparecer a opção, clique nela;

    áudio do android no pc - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    Passo 4. Em “Preferências do PulseAudio”, clique na aba “Servidor de rede”. Em seguida, marque todas as opções dessa aba e clique no botão “Fechar”;

    áudio do android no pc - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    Passo 5. Depois disso, clique no Dash e digite aplicativos. Quando aparecer a opção “Aplicativos de sessão”, clique nele para abrir;

    áudio do android no pc - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    Passo 6. Para incluir um aplicativo usando o “Aplicativos de sessão”, clique no botão “Adicionar”. Na tela que aparece, coloque o nome, comando e descrição do programa, conforme a imagem abaixo. Quando finalizar, clique no botão “Adicionar”. De volta a janela “Aplicativos de sessão”, clique no botão “Fechar”;

    áudio do android no pc - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    Passo 7. Reinicie o sistema, para ativar a nova configuração;
    Passo 8. No dispositivo com Android, instale um leitor de música com suporte UPnP/DLNA. Nesse exemplo, será usado o BubbleUPnP. Abra o programa e toque na opção referente a escolha do “Renderer”;

    áudio do android no pc - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    Passo 9. Na tela que aparece, toque na opção que representa o seu PC;

    áudio do android no pc - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    Pronto! Agora você já pode tocar as suas músicas favoritas usando esse aplicativo e o o som será reproduzido no seu PC com Linux. Se o som não tocar no alto-falante da máquina com Ubuntu, verifique se que você selecionou a saída certa na opção de “Som”, dentro das “Configurações do sistema” do Ubuntu.

    áudio do android no pc - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    áudio do android no pc - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    áudio do android no pc - veja como transmitir via rede Wi-Fi

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo

    Como fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo

    Se você procura um aplicativo que permita fazer gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo, experimente instalar o Silentcast no Ubuntu e sistemas derivados dele.


    Silentcast é uma ferramenta de gravação de tela e criação de GIF animado ou vídeo. O programa é simples, direto e prático. Assim, em poucos clique você grava o que precisa e obtém o arquivo de saída dessa gravação.

    Como fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeoComo fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo

    Se quiser conhecer outras opções, veja esse outro artigo:
    Conheça alguns programas de gravação de tela para Linux

    Conheça melhor o Silentcast

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo

    Para fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo, primeiramente, veja como instalar o Silentcast e depois como usá-lo para gerar GIF animado ou vídeo.

    Como instalar o Silentcast no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Silentcast no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:sethj/silentcast

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install silentcast

    Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Como fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo usando o Silentcast

    Para realizar uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo usando o Silentcast, você precisa fazer o seguinte:
    Passo 1. Inicie o programa, digitando silentcast no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB);
    Passo 2. Na tela do programa, informe a pasta onde o arquivo será salvo digitando dentro do campo “Working Directory”. Selecione a área da tela que será gravada, clicando na seta ao lado do campo “Area to be recorded”. Para definir o número s de quadros, preencha o campo “Frames per second”. A seguir marque a opção “anim.gif” (se quiser vídeos, marque as opções referente webm ou mp4). Finalmente, clique no botão “OK”;

    Como fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo

    Passo 3. Depois disso, será exibida a tela abaixo. Quando você estiver pronto para começar a fazer as ações que serão gravadas, clique no botão “OK”;

    Como fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo

    Passo 4. Faça o que você precisa gravar e quando terminar, clique no ícone do programa no painel e depois na opção “Done”;

    Como fazer uma gravação de tela e gerar GIF animado ou vídeo

    Desinstalando o Silentcast no Ubuntu e sistema derivados

    Para desinstalar o Silentcast no Ubuntu e sistema derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Para desinstalar o Silentcast, use o comando:

    sudo add-apt-repository ppa:sethj/silentcast --remove
    sudo apt-get remove silentcast
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar a versão mais recente do Media Center Kodi no Ubuntu

    Como instalar o Media Center Kodi no Ubuntu

    Já conhece o Kodi? Um multimídia player e central de mídia que anteriormente era conhecido como o XBMC. Se você quiser experimentar a versão, veja aqui como instalar a versão mais recente do Kodi Media Center no Ubuntu.


    Kodi é um novo nome para o projeto XBMC. Atualmente Kodi pode ser usado para reproduzir quase todos os formatos populares de áudio e vídeo.

    Como instalar a versão mais recente do Media Center Kodi no UbuntuComo instalar a versão mais recente do Media Center Kodi no Ubuntu

    Ele foi projetado para a reprodução de rede, para que você possa transmitir o seu conteúdo multimídia a partir de qualquer lugar da casa ou diretamente da internet, usando praticamente qualquer protocolo disponível.

    Com o Media Center Kodi você utiliza a mídia como ela está, pois ele pode reproduzir CDs e DVDs diretamente do arquivo de disco ou de uma imagem, e suporta quase todos os formatos populares de arquivo do seu disco rígido, ele pode até mesmo reproduzir arquivos dentro de arquivos ZIP e RAR.

    O programa pode digitalizar todas as suas mídias e criar automaticamente uma biblioteca personalizada completa com tampas de caixas (box covers), descrições e fanart.

    Há funções de lista de reprodução e apresentação de slides, um recurso de previsão de tempo e muitas visualizações de áudio. Uma vez instalado, o computador se tornará um jukebox multimídia totalmente funcional.

    Sua interface gráfica com o usuário (GUI) permite que o usuário navegue facilmente e veja vídeos, fotos, podcasts e música de um disco rígido, disco óptico, rede local e internet usando apenas alguns botões.

    Kodi também está disponível para Android.

    Como instalar o Media Center Kodi no Ubuntu

    Como instalar o Media Center Kodi no Ubuntu

    Conheça melhor o Media Center Kodi

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Media Center Kodi no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Media Center Kodi no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:team-xbmc/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install kodi 

    Passo 5. Se quiser, você também pode instalar o encoder e addons através do comando;

    sudo apt-get install --install-suggests kodi

    Para instalar complementos (tais como PVR) disponíveis para Kodi, use o comando de instalação sudo apt-get, seguido do nome do pacote (que estão listados abaixo):

    Nome do Pacote PVR Descrição
    kodi-pvr-dev kodi Media Center (pacote de desenvolvedores adicionais PVR)
    kodi-pvr-argustv kodi PVR Addon Argustv
    kodi-pvr-demo kodi PVR Demo Addon
    kodi-pvr-dvbviewer kodi PVR Addon Dvbviewer
    kodi-pvr-iptvsimple kodi PVR Iptv Addon
    kodi-pvr-mediaportal-tvserver kodi PVR Addon Mediaportal Tvserver
    kodi-pvr-mythtv kodi PVR Adicionar MythTv – Cmyth
    kodi-pvr-nextpvr kodi PVR Addon NextPvr
    kodi-pvr-njoy kodi PVR Addon Njoy
    kodi-pvr-tvheadend-hts kodi PVR Addon TvHeadend Hts
    kodi-pvr-vdr-vnsi kodi PVR Addon VDR Vnsi
    kodi-pvr-vuplus kodi PVR Addon Vuplus
    kodi-pvr-dvblink DVBLink PVR
    kodi-pvr-filmon FilmOn PVR
    kodi-pvr-hts TVHeadEnd PVR
    kodi-pvr-pctv PCTV PVR
    kodi-pvr-stalker Stalker PVR
    kodi-pvr-vbox VBox Home TV Gateway PVR cliente
    kodi-pvr-wmc WMC PVR
    Shairplay Implementação gratuita do servidor portátil AirPlay

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o Kodi no Ubuntu, digite kodi no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Media Center Kodi no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Media Center Kodi no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o Kodi no Ubuntu, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove kodi
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Leitor de impressão digital: Como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu

    Leitor de impressão digital: Como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu

    Se seu aparelho possui um leitor de impressão digital e você quer usá-lo no Linux, veja aqui como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu.


    Infelizmente, alguns fornecedores de hardware leitor de impressão digital só disponibilizam seus drivers em formato proprietário, o que dificulta o seu uso no Linux. A boa notícia é que o Fingerprint GUI é uma solução gráfica e fácil, para utilizar leitores biométricos nesse sistema.

    Leitor de impressão digital: Como instalar o Fingerprint GUI no UbuntuLeitor de impressão digital: Como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu

    Fingerprint GUI é uma aplicação open source para utilizar o leitor de impressão digital do laptop, um recurso que pode ser usado para reforçar a segurança de alguns modelos vendidos atualmente. Se seu aparelho não possui isso, já é possível adquirir um leitor biométrico USB externo por um preço bem acessível.

    Conheça melhor o Fingerprint GUI

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Antes de instalar o programa, verifique se seu hardware é suportado por ele.

    Como identificar seu leitor de impressão digital e verificar se ele é suportado

    Para identificar seu leitor de impressão digital e verificar se ele é suportado pelo Fingerprint GUI, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Para descobrir o ID de seu leitor, execute o comando abaixo:

    lsusb

    Leitor de impressão digital: Como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu

    Passo 3. Depois, verifique se a identificação está na lista de leitores suportados:

    045e:00bb    08ff:1683    08ff:2580    08ff:268d
    045e:00bb    08ff:1683    08ff:2580    08ff:268d    147e:1001
    045e:00bc    08ff:1684    08ff:2660    08ff:268e    147e:2016
    045e:00bd    08ff:1685    08ff:2680    08ff:268f    147e:2020
    045e:00ca    08ff:1686    08ff:2681    08ff:2691    147e:3001
    0483:2015    08ff:1687    08ff:2682    08ff:2810    1c7a:0603
    0483:2016    08ff:1688    08ff:2683    08ff:5501
    05ba:0007    08ff:1689    08ff:2684    08ff:5731
    05ba:0008    08ff:168a    08ff:2685    138a:0001
    05ba:000a    08ff:168b    08ff:2686    138a:0005
    061a:0110    08ff:168c    08ff:2687    138a:0008
    08ff:1600    08ff:168d    08ff:2688    138a:0010
    08ff:1660    08ff:168e    08ff:2689    138a:0011
    08ff:1680    08ff:168f    08ff:268a    138a:0017
    08ff:1681    08ff:2500    08ff:268b    138a:0018
    08ff:1682    08ff:2550    08ff:268c    147e:1000
    0483:2015    147e:1003    147e:3000
    0483:2016    147e:2015    147e:3001
    147e:1000    147e:2016    147e:5002
    147e:1001    147e:2020    147e:5003
    147e:1002

    Está é apenas uma cópia da lista de leitores suportados, por isso, lembre-se de sempre consultar a tabela original nesse link, para ter certeza que está visualizando a informação atualizada.

    Como instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu e seus derivados

    Se seu leitor estiver na lista, basta seguir o tutorial abaixo para instalar o Fingerprint GUI no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository ppa:fingerprint/fingerprint-gui

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install libbsapi policykit-1-fingerprint-gui fingerprint-gui

    Passo 5. Saia da sessão atual e faça login novamente;
    Passo 6. Execute o programa, digitando fingerpring no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB);
    Passo 7. Depois disso, Apenas cadastre suas digitais e estará pronto.

    Como instalar o FPrintDemo no Ubuntu e seus derivados

    Se seu leitor não estiver na lista, experimente instalar o FPrintDemo, outra opção que faz o mesmo que o Fingerprint GUI (sugestão do Morvan). Para isso, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository ppa:fingerprint/fprint

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install fprint-demo libfprint0 libpam-fprintd

    Pronto! Para testar, tente bloquear sua tela, fazer login, sudo no terminal e execução de aplicações gráficas que necessitam de privilégios de root.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Monitoramento de sistema: Instale Monitorix no Ubuntu

    Monitoramento de sistema: Instale Monitorix no Ubuntu

    Quer fazer o monitoramento de sistema de um servidor Ubuntu remotamente com uma interface gráfica, diretamente no seu navegador? Então conheça Monitorix.


    Monitorix é um utilitário de código aberto e leve, que permite fazer o monitoramento de sistema, ou seja, monitorar as informações do servidor através do seu navegador web.

    Monitoramento de sistema: Instale Monitorix no UbuntuMonitoramento de sistema: Instale Monitorix no Ubuntu

    O programa foi criado para ser usado em servidores Linux/UNIX de produção, mas devido à sua simplicidade e pequeno tamanho, também pode ser usado em dispositivos embarcados.

    Para fazer o monitoramento de sistema, o Monitorix possui um servidor HTTP embutido. Ele também funciona com Apache, Nginx, lighttpd, e etc.

    Ele exibe gráficos com:

    • Média de carga do sistema e uso
    • Uso global do kernel
    • Uso do Kernel por processador
    • Uso do sistema de arquivos e atividade de Entrada/Saída
    • Tráfego de rede e uso
    • Demanda de serviços do sistema
    • Tráfego da porta de rede
    • Os usuários que utilizam o sistema

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o Monitorix

    Para mais detalhes sobre o programa, acesse esse link.
    Para ver imagens dos painéis de informações do programa, acesse esse link.

    A instalação desse aplicativo não é garantida em todas as versões dos sistemas Debian, Ubuntu e derivados. De qualquer forma, vale a pena testar se ele é compatível com o sistema que você usa, e se for, comente para que os outros leitores saibam.

    Instalando o Monitorix fazer o monitoramento de sistema de no Ubuntu

    Para instalar o Monitorix em um servidor Ubuntu ou derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 3. Se ainda não tiver, instale as dependências usando o comando abaixo:

    sudo apt-get install rrdtool perl libwww-perl libmailtools-perl libmime-lite-perl librrds-perl libdbi-perl libxml-simple-perl libhttp-server-simple-perl libconfig-general-perl

    Passo 4. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome monitorix.deb;

    wget http://www.monitorix.org/monitorix_3.9.0-izzy1_all.deb -O monitorix.deb

    Passo 5. Instale o programa com os comandos abaixo:

    sudo dpkg -i monitorix.deb
    
    

    Passo 6. Caso seja necessário, inicie o serviço com o comando:

    sudo service monitorix start

    Finalmente, acesse remotamente ou localmente digitando http://ipdoservidor:8080/monitorix no seu navegador web.

    O arquivo de configuração do programa é /etc/monitorix.conf. Lá você pode alterar a porta, negar ou permitir o host remoto, e fazer outros ajustes.

    Desinstalando o Monitorix no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Monitorix no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove monitorix
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Intel Graphics Update – veja como instalar os drivers da Intel no Ubuntu e Fedora

    Lançado Intel Graphics Update - veja como instalar no Ubuntu

    Intel Graphics Update Tool, a ferramenta que anteriormente era conhecida como Intel Graphics Installer, recebeu mais uma atualização. veja como instalar esse utilitário.


    A ferramenta Intel Graphics Update para Linux ganhou esse nome a partir da versão 2.0.5 do Intel Graphics Installer, a fim de refletir com mais precisão a finalidade da ferramenta.

    Lançado Intel Graphics Update - veja como instalar no Ubuntu

    Por padrão, as distribuições Linux já incluem um driver de gráficos Intel, sem precisar de nenhuma instalação extra. Esta ferramenta destina-se a disponibilizar a versão mais recente do Intel Graphics Stack, antes dele ser lançado oficialmente pelos fornecedores de Linux.

    Especificamente, isso beneficia os usuários de Linux das distribuições Ubuntu e Fedora, que desejam atualizar seus subsistemas gráficos para plataformas Intel.

    Isso permite que você mantenha-se atualizado com os mais recentes aprimoramentos, melhorias, otimizações e correções para o Intel Graphics Stack, e assim garantir a melhor experiência do usuário com o seu hardware de gráficos Intel.

    Novidades do Intel Graphics Update

    A versão 2.0.5 da ferramenta de atualização é direcionada especificamente para Ubuntu 17.04 e Fedora 25.

    As revisões anteriores para essas distribuições do Linux agora estão desativadas e não são mais suportadas pela ferramenta de atualização.

    Portanto, atualize para uma versão mais recente de sua distribuição, se quiser aproveitar esta versão.

    Para mais detalhes sobre essa atualização, acesse a nota de lançamento oficial.

    Antes de instalar o programa, dê uma boa olhada na lista de compatibilidade de hardware dele.

    Conheça melhor o Intel Graphics Update

    Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

    Como instalar a versão mais recente do Intel Graphics Update no Linxux

    Como instalar a versão mais recente do Intel Graphics Update no Linxu

    Para instalar a versão mais recente do Intel Graphics Update no Linux Fedora e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Baixe e importe as chaves do programa com os seguintes comandos:

    wget --no-check-certificate https://download.01.org/gfx/RPM-GPG-KEY-ilg-4 ; sudo rpm --import RPM-GPG-KEY-ilg

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo dnf update

    Passo 4. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 5. Se seu sistema é um Fedora 25 de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o arquivo .RPM do programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome intel-graphics-update-tool.rpm:

    wget https://download.01.org/gfx/fedora/25/i686/intel-graphics-update-tool-2.0.5-25.intel20171.i686.rpm -O intel-graphics-update-tool.rpm

    Passo 6. Se seu sistema é um Fedora 25 de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o arquivo .RPM do programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome intel-graphics-update-tool.rpm:

    wget https://download.01.org/gfx/fedora/25/x86_64/intel-graphics-update-tool-2.0.5-25.intel20171.x86_64.rpm -O intel-graphics-update-tool.rpm

    Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

    sudo yum localinstall intel-graphics-update-tool.rpm

    ou

    sudo dnf install intel-graphics-update-tool.rpm

    Instalando a versão mais recente do Intel Graphics Update no Ubuntu e derivados

    Para instalar a versão mais recente do Intel Graphics Update no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Baixe e importe as chaves do programa com o seguinte comando:

    wget --no-check-certificate https://download.01.org/gfx/RPM-GPG-GROUP-KEY-ilg -O - | sudo apt-key add -

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update
    sudo apt-get upgrade

    Passo 4. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 5. Se seu sistema é um Ubuntu 17.04 de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome intel-graphics-update-tool.deb:

    wget https://download.01.org/gfx/ubuntu/17.04/main/pool/main/i/intel-graphics-update-tool/intel-graphics-update-tool_2.0.5_i386.deb -O intel-graphics-update-tool.deb

    Passo 6. Se seu sistema é um Ubuntu 17.04 de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome intel-graphics-update-tool.deb:

    wget https://download.01.org/gfx/ubuntu/17.04/main/pool/main/i/intel-graphics-update-tool/intel-graphics-update-tool_2.0.5_amd64.deb -O intel-graphics-update-tool.deb

    Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i intel-graphics-update-tool.deb

    Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Como instalar os drivers Intel no Linux

    Depois, para instalar os drivers Intel no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Inicie o aplicativo digitando: intel no terminal seguido da tecla tab;
    Passo 2. Se for solicitado, digite a senha para autorizar a execução do programa;

    Lançado Intel Graphics Update - veja como instalar no Ubuntu

    Passo 3. Depois, é só clicar no botão “Begin” e seguir as instruções do programa, que em pouco tempo estará tudo pronto.

    Lançado Intel Graphics Update - veja como instalar no Ubuntu

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como remover o indicador de teclado no Ubuntu com Unity

    Como remover o indicador de teclado no Ubuntu

    Essa é uma dica bem simples para quem está querendo ganhar um pouco mais de espaço no painel superior do Ubuntu com Unity. para conseguir isso, basta fazer remover o indicador de teclado no Ubuntu.


    O painel do Ubuntu é ótimo para acessar diferentes recursos e informações, principalmente através de indicadores. O problema é que a medida que você adiciona indicadores, o espaço nele vai diminuindo. Por isso, é preciso bom senso na hora de incluir indicadores.

    Como remover o indicador de teclado no UbuntuComo remover o indicador de teclado no Ubuntu

    Mas se você já encheu o painel do Ubuntu de indicadores, é hora de começar escolher e remover alguns. Um dos principais candidatos é um indicador que permite alternar rapidamente entre os layouts de teclado para vários idiomas.

    Apesar de ser informativo e útil para que tem mais de um teclado conectado, ele é descartável em alguns casos. Por isso, se você achar que o indicador de teclado é inútil, você pode facilmente remover o applet do painel superior.

    Como remover o indicador de teclado no Ubuntu

    Para remover o indicador de teclado no Ubuntu, faça o seguinte:
    Passo 1. Acesse as “Configurações do sistema” a partir do lançador do Ubuntu ou no menu de desligamento, disponível no canto superior direito do painel do Ubuntu;

    Como remover o indicador de teclado no Ubuntu

    Passo 2. Em seguida, clique em “Entrada de texto”;

    Como remover o indicador de teclado no Ubuntu

    Passo 3. Na parte inferior da janela você verá a opção “Mostrar a fonte de entrada atual na barra de menu”, que é ativado por padrão. Desmarque a caixa e o applet indicador desaparecerá instantaneamente.

    Como remover o indicador de teclado no Ubuntu

    Pronto! Agora seu painel ganhou um “pouquinho” mais de espaço.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Conheça os principais comandos e o uso básico do terminal

    Conheça os principais comandos e o uso básico do terminal

    Se você é novo no Linux e o terminal ainda parece assustador, conheça os principais comandos e o uso básico do terminal.


    Para muitos, a linha de comando (ou terminal) é um território complexo e assustador. Mas apesar dessa fama, ele não deve ser visto dessa forma.

    Conheça os principais comandos e o uso básico do terminalConheça os principais comandos e o uso básico do terminal

    Na verdade, o terminal é sem dúvida umas das ferramentas mais poderosas do mundo Linux. A linha de comando é o local onde se pode fazer quase qualquer coisa (com a combinação certa de comandos) em sistema Unix, como o Linux, Mac e BSD’s.

    E se você ainda acha que usar a linha de comando é algo complicado, veja nesse vídeo tutorial, como usá-la.

    Conheça os principais comandos e o uso básico do terminal

    No vídeo abaixo, você irá conhecer comandos e aplicativos que tornam mais fácil o dia a dia de quem passa boa parte do tempo usando a linha de comando.

    .smarty-2484219_1510786489092 { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; height: auto; } .smarty-2484219_1510786489092 iframe, .smarty-2484219_1510786489092 object, .smarty-2484219_1510786489092 embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar os emoticons do Facebook no Pidgin

    Como instalar os emoticons do Facebook no Pidgin

    Já está usando o plugin que permite utilizar o chat do Facebook no Pidgin? Então veja como instalar os emoticons do Facebook no Pidgin e deixá-lo ainda mais completo.


    Para adicionar emoticons do Facebook no Pidgin (incluindo os secretos), você precisa usar o pidgin-EAP, um projeto que fornece temas emoticon para a maioria dos protocolos disponíveis, incluindo Facebook.

    Como instalar os emoticons do Facebook no PidginComo instalar os emoticons do Facebook no Pidgin

    Vale lembrar que o pidgin-EAP não é apenas um tema que permite instalar os emoticons do Facebook no Pidgin. O pacote traz outros emoticons, além dos do Facebook e a ainda contém alguns sons e temas de lista de amigos.

    Conheça melhor o pidgin-EAP

    Para saber mais sobre o pidgin-EAP, clique nesse link.

    Como instalar o pidgin-EAP

    Para instalar o pidgin-EAP, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Baixe o programa com o comando abaixo;

    wget https://github.com/Hernou/pidgin-EAP/archive/master.tar.gz

    Passo 3. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    tar -xvf master.tar.gz

    Passo 4. Agora copie os arquivos para os seus devidos lugares;

    cp -rf pidgin-EAP-master/{.fonts,.purple} ~

    Como ativar os emoticons do Facebook no Pidgin

    Com o pidgin-EAP instalado, para ativar os emoticons do Facebook no Pidgin, faça o seguinte:
    Passo 1. Execute o Pidgin, digite pidgin no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB);

    Como instalar os emoticons do Facebook no Pidgin

    Passo 2. No Pidgin, acesse o menu “Ferramentas” e clique na opção “Preferências”;

    Como instalar os emoticons do Facebook no Pidgin

    Passo 3. Em “Preferências”, clique na aba “Temas”;

    Como instalar os emoticons do Facebook no Pidgin

    Passo 4. Na aba “Temas”, clique na seta ao lado de “Temas de emoticons” e na listagem que aparece, selecione a opção “EAP”.

    Como instalar os emoticons do Facebook no Pidgin

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Usando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do Ubuntu

    Usando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do Ubuntu

    Se você procura manter o núcleo do Ubuntu sempre atualizado, conheça e experimente Ubuntu Kernel Update Utility e faça isso de um jeito simples e fácil.


    Ubuntu Kernel Update Utility é uma ferramenta que permite instalar o mais novo kernel Linux mainline (o mesmo utilizado na série “Atualizando o Kernel do Ubuntu“) em distribuições baseadas no Ubuntu.

    Usando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do UbuntuUsando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do Ubuntu

    O programa possui a mesma facilidade do Kernel Update, porém, é graficamente mais bonito e simples. Ele obtém uma lista dos kernels a partir do site kernel.ubuntu.com, exibe notificações quando uma nova atualização do kernel está disponível, e caso você permita, baixa e instala automaticamente os pacotes.

    Mexendo um pouco nas configurações do programa, é possível configurá-lo para avisar sobre novas versões via notificações de sistema (opção “Show notification bubble on desktop” e “Show notification dialog”) e até ignorar versões RC (Release Candidate) (marcando a opção “Hide unstable and RC releses”), caso você não queira ver prévias da versão final.

    Usando o Ubuntu Kernel Update Utility para atualizar o kernel do Ubuntu

    Conheça melhor o Ubuntu Kernel Update Utility

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Ubuntu Kernel Update Utility no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Ubuntu Kernel Update Utility no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo apt-add-repository ppa:teejee2008/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install ukuu

    Como instalar o Ubuntu Kernel Update Utility manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite ukuu no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB). Escolha o Kernel que você quer instalar e clique no botão “Install”.

    Desinstalando o Ubuntu Kernel Update Utility no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Ubuntu Kernel Update Utility no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-add-repository ppa:teejee2008/ppa --remove
    sudo apt-get remove ukuu
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Firefox Quantum no Linux – veja como instalar manualmente

    Firefox Quantum no Linux - veja como instalar manualmente

    Se você quer experimentar a nova versão do navegador da Mozilla, veja como instalar o Firefox Quantum no Linux manualmente.


    Com lançamento feito no dia 14 de novembro de 2017 e com sérias mudanças de design/velocidade, o Firefox Quantum (ou Firefox 57) marca o inicio da próxima geração do navegador da Mozilla.

    Firefox Quantum no Linux - veja como instalar manualmenteFirefox Quantum no Linux – veja como instalar manualmente

    O Quantum é duas vezes mais rápido que as compilações anteriores e também traz um consumo de memória reduzido (até 30%), além de um novo e bonito visual.

    Na prática, o Quantum é a reação da Mozilla diante do crescimento do Chrome, um esforço da Fundação para recuperar sua participação de mercado.

    Até o dia do lançamento oficial, a nova versão está disponível como um beta. E no procedimento abaixo, você verá como instalar ela no Linux.

    Conheça melhor o Firefox Quantum

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a última versão do Firefox Quantum no Linux

    Para instalar a última versão do Firefox Quantum no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/firefox-quantum*
    sudo rm -Rf /usr/bin/firefox-quantum
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/firefox-quantum.desktop

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema for de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome firefox.tar.bz2:

    wget "https://download.mozilla.org/?product=firefox-latest-ssl&os=linux&lang=pt-BR" -O firefox.tar.bz2

    Passo 5. Se seu sistema for de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome firefox.tar.bz2:

    wget "https://download.mozilla.org/?product=firefox-latest-ssl&os=linux64&lang=pt-PT" -O firefox.tar.bz2

    Passo 6. Execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

    sudo tar -jxvf  firefox.tar.bz2 -C /opt/

    Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

    sudo mv /opt/firefox*/ /opt/firefox-quantum

    Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -sf /opt/firefox-quantum/firefox /usr/bin/firefox-quantum

    Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o Firefox, usando comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=46.0.1\n Encoding=UTF-8\n Name=Mozilla Firefox\n Comment=Navegador Web\n Exec=/opt/firefox-quantum/firefox\n Icon=/opt/firefox-quantum/browser/icons/mozicon128.png\n Type=Application\n Categories=Network' | sudo tee /usr/share/applications/firefox-quantum.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite /opt/firefox-quantum/firefox em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/firefox-quantum.desktop
    cp /usr/share/applications/firefox-quantum.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/firefox-quantum.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como remover o Firefox Quantum no Linux

    Para remover o Firefox Quantum no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/firefox-quantum*
    sudo rm -Rf /usr/bin/firefox-quantum
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/firefox-quantum.desktop

    Como instalar outras versões do Firefox no Linux

    Se você usa Ubuntu e quer apenas atualizar o Firefox, veja esse outro tutorial:
    Firefox:veja como atualizar para a última versão no Ubuntu

    Se você quiser instalar a versão estável do Firefox, veja esse outro tutorial:
    Firefox no Linux – veja como instalar manualmente

    Se você quiser instalar a versão ESR do Firefox, veja esse outro tutorial:
    Firefox ESR no Linux – veja como instalar manualmente

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Combinando o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados

    Combinando o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados

    Se você gosta do projeto Numix, que tal mudar o visual do seu desktop combinando o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados.


    O projeto Numix oferece tema gtk e ícones de alta qualidade para desktop Linux. Por isso, nada melhor do que combiná-los para obter um sistema ainda mais bonito.

    Combinando o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivadosCombinando o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados

    O tema Numix gtk é um tema moderno e plano com uma combinação de elementos claros e escuros. Ele é compatível com a maioria dos ambientes de desktop, como Gnome, Unity, Cinnamon, Xfce, Mate e outros.

    Combinando o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados

    Os ícones Numix possuem três variantes, que incluem a versão original, a versão em círculo é ícones de aplicações em forma de círculo e a variante quadrada tem ícones de aplicação em forma quadrada. Para ambas as versões as pastas são as mesmas que a versão original, os ícones utilizam o uso de insetos e sombras e sutis. Gradientes.

    Combinando o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados

    Conheça melhor o tema e ícones Numix

    Para saber mais sobre o tema e ícones Numix, clique nesse link.

    Instalando o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados

    Para instalar o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:numix/ppa

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o tema Numix usando o seguinte comando:

    sudo add-apt-repository ppa:numix/ppa -r -y
    sudo apt-get remove numix-gtk-theme
    sudo apt-get remove numix-icon-theme numix-folders
    sudo apt-get remove numix-icon-theme-circle
    sudo apt-get remove numix-icon-theme-square

    Como instalar o tema e ícones Numix manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o tema e ícones Numix no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o tema e ícones Numix, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get install numix-gtk-theme

    Passo 5. Para instalar os ícones Numix, use um dos comandos abaixo (ou todos):

    sudo apt-get install numix-icon-theme numix-folders
    sudo apt-get install numix-icon-theme-circle
    sudo apt-get install numix-icon-theme-square

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar o conversor multimídia Transmageddon no Linux

    Como instalar o conversor multimídia Transmageddon no Linux

    Se você precisa transformar determinados tipos de arquivos em outros formatos, veja aqui como instalar o conversor multimídia Transmageddon no Linux.


    Transmageddon é uma ferramenta de código aberto baseada no GStreamer, que permite converter arquivos de áudio e vídeo. É uma aplicação muito avançada e ao mesmo tempo muito fácil de usar, pois possui uma interface bastante intuitiva.

    Como instalar o conversor multimídia Transmageddon no LinuxComo instalar o conversor multimídia Transmageddon no Linux

    Atenção! Como esse é um procedimento baseado em binários pré-compilados, dependendo do seu sistema, podem aparecer erros informando a falta de um componente. Nestes casos, pegue o nome dele na mensagem de erro e tente instalar o mesmo via gerenciador de pacotes. Depois tente executar o programa novamente

    Instalando o ripador de DVD Transmageddon no Ubuntu e derivados

    Conheça melhor o conversor multimídia Transmageddon no Linux

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instalando o conversor multimídia Transmageddon no Linux

    Para instalar o conversor multimídia Transmageddon no Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/transmageddon*
    sudo rm -Rf /usr/bin/transmageddon
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/transmageddon.desktop

    Passo 3. Em sistemas baseados no Debian, instale os requisitos para a compilação do programa com o comando abaixo;

    sudo apt-get build-dep transmageddon

    Passo 4. Baixe o pacote com o código fonte do programa;

    wget http://www.linuxrising.org/files/transmageddon-1.5.tar.xz -O transmageddon.tar.xz

    Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    tar -xJvf transmageddon.tar.xz

    Passo 6. Vá para a pasta criada;

    cd transmageddon*/

    Passo 7. Inicie o processo de preparação para a compilação;

    ./configure --prefix=/opt/transmageddon

    Passo 8. Inicie a compilação e aguarde;

    make

    Passo 9. Inicie a instalação dos arquivos compilados;

    sudo make install

    Passo 10. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=transmageddon\n Exec=/opt/transmageddon/bin/transmageddon\n Icon=/opt/transmageddon/share/icons/hicolor/256x256/apps/transmageddon.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/transmageddon.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digitando /usr/bin/transmageddon no terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/transmageddon.desktop
    cp /usr/share/applications/transmageddon.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/transmageddon.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como remover o conversor multimídia Transmageddon no Linux

    Para remover o conversor multimídia Transmageddon no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/transmageddon*
    sudo rm -Rf /usr/bin/transmageddon
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/transmageddon.desktop

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    15 de novembro de 2017

    Como instalar o Google Web Designer no Linux

    Como instalar o Google Web Designer no Linux

    Se você desenvolve sites, instale e experimente o Google Web Designer, uma poderosa ferramenta gratuita para criar páginas usando o padrão HTML5.


    Google Web Designer é um programa para a criação de sites e anúncios interativos HTML5 para qualquer dispositivo. Usando ele, você pode criar conteúdo usando as ferramentas de desenho, texto, objetos 3D, adicionar animações e Google Fontes diretamente na interface Web Designer Google e muito mais.

    Como instalar o Google Web Designer no LinuxComo instalar o Google Web Designer no Linux

    Como o próprio nome diz, o programa é desenvolvido pela Google. Ele está atualmente em beta e possui uma versão para Linux. De acordo com o site do aplicativo, as seguintes distribuições Linux são suportadas atualmente: Ubuntu, Debian, OpenSUSE e Fedora.

    Dentro da interface do programa você tem acesso a ferramentas de design como ferramenta de texto, ferramentas de caneta, e formas, bem como a integração de Web Fonts do Google.

    Com ele você pode adicionar funcionalidades ao projeto usando Web Components pré-programados. Os Componentes padrão incluem iFrame, mapas, área de tap, galeria de imagens, e YouTube. Além disso, cada componente informa automaticamente as métricas, sem a necessidade de codificação.

    Conheça melhor o Google Web Designer

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instalando o Google Web Designer no Linux

    Para instalar o Google Web Designer no Linux, basta acessar essa página e baixar o pacote de instalação para posteriormente executá-lo, ou siga um dos procedimentos abaixo:

    Como instalar o programa no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o programa no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome google-webdesigner.deb:

    wget https://dl.google.com/linux/direct/google-webdesigner_current_i386.deb -O google-webdesigner.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome google-webdesigner.deb:

    wget https://dl.google.com/linux/direct/google-webdesigner_current_amd64.deb -O google-webdesigner.deb

    Passo 5. Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i google-webdesigner.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove programa*

    Como instalar o programa no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

    Quem quiser instalar o programa no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome google-webdesigner.rpm:

    wget https://dl.google.com/linux/direct/google-webdesigner_current_i386.rpm -O google-webdesigner.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome google-webdesigner.rpm:

    wget https://dl.google.com/linux/direct/google-webdesigner_current_x86_64.rpm -O google-webdesigner.rpm

    Passo 5. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install google-webdesigner.rpm

    Passo 6. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall google-webdesigner.rpm

    ou

    sudo dnf install google-webdesigner.rpm

    Passo 7. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

    sudo rpm -i google-webdesigner.rpm

    Passo 8. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e google-webdesigner*

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o atalho dele ou digite google em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Digitação com foco? Conheça e instale o FocusWriter no Ubuntu

    Digitação com foco? Conheça e instale o FocusWriter no Ubuntu

    Se você está precisando fugir das distrações, para ter digitação com foco? Conheça e instale o FocusWriter no Ubuntu.


    FocusWriter é um ambiente de escrita simples, sem distrações e que está disponível para Linux, Windows e Mac OS X. Ele trabalha em modo de tela cheia, exibindo apenas a área de digitação de texto, para que você possa mergulhar em seu trabalho e esquecer todo o resto.

    Digitação com foco? Conheça e instale o FocusWriter no UbuntuDigitação com foco? Conheça e instale o FocusWriter no Ubuntu

    Apesar desse foco na ausência de distrações, quando necessário, é possível acessar os menus do programa movendo o mouse para as bordas da tela. Com o FocusWriter é possível ter Digitação com foco, mesmo estando rodeado de opções instaladas no PC.

    Conheça melhor o FocusWriter

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Digitação com foco? Instale o FocusWriter no Ubuntu

    FocusWriter está disponível nos repositórios oficiais de algumas versões do Ubuntu, no entanto, não é a versão mais recente. Por isso, para ter a última versão desse programa no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:gottcode/gcppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install focuswriter

    Como instalar o FocusWriter manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite focuswriter no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o FocusWriter no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o FocusWriter no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:gottcode/gcppa --remove
    sudo apt-get remove focuswriter
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu

    Como instalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu

    Se você gosta de ícones quadrados e quer dar aquele “up” no seu sistema, conheça e veja como instalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu.


    O conjunto de ícones do Numix Square pode dar um makeover completamente moderno à sua área de trabalho. O tema evita linhas rígidas, bordas pesadas e sombras severas, para dar uma aparência mais suave, colorida e mais brincalhão à sua área de trabalho.

    Como instalar o conjunto de ícones Numix Square no UbuntuComo instalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu

    Em forma quadrada, ele reproduz a tela para logotipos e emblemas de aplicativos, que vão desde ícones simbólicos simples, até desenhos mais intrincados e em camadas.

    A cobertura de ícones é exaustiva também. Ele cobre praticamente todos os aplicativos. As pastas das aplicações e os ícones do painel herdam o tema do ícone da base do Numix (se instalado) ou os ícones do GNOME/Adwaita (se não estiverem instalados).

    Os ícones do Numix Square eram um dos vários pacotes anteriormente disponíveis como um produto pago no Linux. Foi vendido por uma pequena taxa para ajudar a financiar o desenvolvimento do outro (código aberto) conjuntos de ícones Numix.

    Mas não mais: Os designers do conjunto de ícones Numix Square anunciaram que agora ELE é de código aberto e de download gratuito.

    Conheça melhor o conjunto de ícones Numix Square

    Para saber mais sobre esse conjunto de ícones, clique nesse link.

    Instalando o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu e derivados

    Para instalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:numix/ppa

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Numix Square usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install numix-icon-theme-square

    Como instalar o conjunto de ícones Numix Square manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o conjunto de ícones Numix Square no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o conjunto de ícones Numix Square, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove numix-icon-theme-square

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick no terminal

    redimensionar e converter imagens

    Quer utilizar o terminal para tarefas rápidas com imagens? Então, veja como redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick.


    Apesar do preconceito que muitos usuários tem com o Terminal, ele pode ser bastante produtivo em algumas situações, até mesmo por exemplo, para redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick.

    redimensionar e converter imagensComo redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick no terminal

    ImageMagick é uma suíte de software livre para a criação, modificação e exibição de imagens de bitmap. Ele tem um monte de utilitários adicionais, mas um em especial, o convert, é o que será usado para redimensionar e converter via terminal.

    Claro, existem outros aplicativos (como o GIMP) que podem ser usados para converter e redimensionar imagens, mas para fazer isso no terminal, usaremos o ImageMagick.

    ImageMagick é um pacote de programas extremamente bem construído e pode ler ou escrever mais de 200 formatos diferentes. Não acredite em mim? Experimente executar este comando em um terminal:

    convert -list format | more

    O ImageMagick também conhece outros formatos, incluindo todos os principais formatos de vídeo (MKV, MP4, AVI, MOV). Também pode converter coisas como EPSF (Encapsulated Postscript) e até PDF (Portable Document Format), o que pode ser útil em situações específicas.

    Conheça melhor o ImageMagick

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick no terminal

    Para redimensione imagens rapidamente usando o ImageMagick no terminal, abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T) e faça o seguinte:

    Se o ImageMagick não estiver instalado em seu sistema, você pode instalar ele executando o comando abaixo:

    sudo apt-get install imagemagick

    Para redimensionar uma imagem, use a seguinte sintaxe (substitua imagem-original pelo nome da imagem a ser redimensionada e nova-imagem pelo nome que achar mais adequado):

    convert imagem-original -resize % nova-imagem

    Ou seja, se você for redimensionar uma imagem em 60%, use o comando:

    convert imagem-original -resize 60% nova-imagem

    Se você quiser converter imagens de um formato para outro, o ImageMagick também pode ajudá-lo a fazer isso muito facilmente com a ajuda de um único comando usando a seguinte sintaxe:

    convert nome-imagem.jpg nome-imagem.png

    Como exemplo, você pode converter usando o comando:

    convert exemplo.jpg exemplo.png

    Uma vez que os utilitários ImageMagick são glob-aware (ou seja, você pode usar caracteres curingas e especificar vários nomes de arquivos), você também pode converter um grupo de imagens GIF para JPG com o comando convert ou, com mais facilidade, com seu primo mogrify :

    mogrify -format jpg *.gif

    Isso foi apenas o básico do que é possível fazer. Para ver uma lista dos parâmetros e mais algumas possibilidades de uso, acesse a página desse utilitário ou nessa outra página.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar a IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu, Debian e derivados

    Como instalar a IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu, Debian e derivados

    Se você quer desenvolver em Java e precisa de uma boa ferramenta para isso, veja como instalar a IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu, Debian e derivados.


    IntelliJ IDEA é um ambiente de desenvolvimento integrado Java (IDE) para o desenvolvimento de software. Ele é desenvolvido pela JetBrains, que anteriormente, era conhecida como IntelliJ e também desenvolveu a IDE PyCharm.

    Como instalar a IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu, Debian e derivadosComo instalar a IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu, Debian e derivados

    O software está disponível como uma edição Community (que é de código aberto e licenciada Apache 2), e em uma edição comercial e proprietária chamada de Ultimate. Apesar dessa diferenciação, as duas edições podem ser usadas para o desenvolvimento comercial.

    De acordo com a produtora do software, todos os aspectos do IntelliJ IDEA são especificamente projetados para maximizar a produtividade do desenvolvedor. Juntos, a análise poderosa do código estático e o design ergonômico tornam o desenvolvimento não apenas produtivo, mas também uma experiência agradável.

    Como instalar a IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu, Debian e derivados

    Novidades da versão mais recente da IDE IntelliJ IDEA

    IntelliJ IDEA 2017.2.6 traz os seguintes destaques:

    • Permite “gerar classes a partir do schema do de banco de dados” para desenvolvedores JDBC;
    • Permite “Return of ‘null'” para ser ignorado quando o tipo de retorno é java.lang.Void;
    • Corrigido o travamento na inspeção de código na última versão 2017.2.5;
    • Corrigido o travamento do sistema ao gerar um diagrama de banco de dados;
    • Corrigido o erro no Refresh Gradle Project usando o Java 9;
    • Corrigido as propriedades de aplicativos não definidas ao iniciar o serviço Spring Boot em IDEA;
    • Corrigido o erro que fazia com que a IDE inteiro travasse ao selecionar uma tarefa muito rapidamente.

    Para saber mais sobre essa versão do programa, clique nesse link.

    Conheça melhor a IDE IntelliJ IDEA

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar a IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install intellij-idea-community

    Como instalar a IDE IntelliJ IDEA no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar a IDE IntelliJ IDEA no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se você quiser instalar a versão Community da IDE IntelliJ IDEA, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome intellij.deb:

    wget http://ppa.launchpad.net/ubuntuhandbook1/apps/ubuntu/pool/main/i/intellij-idea-community/intellij-idea-community_2017.2.2-1_all.deb -O intellij.deb

    Passo 3. Se você quiser instalar a versão Ultimate da IDE IntelliJ IDEA, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome intellij.deb:

    wget http://ppa.launchpad.net/ubuntuhandbook1/apps/ubuntu/pool/main/i/intellij-idea-ultimate/intellij-idea-ultimate_2017.2.2-1_all.deb -O intellij.deb

    Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

    sudo dpkg -i intellij.deb
    sudo apt-get install -f

    Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install ./intellij.deb

    Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove intellij*

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite intellij no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o IDE IntelliJ IDEA no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps -r -y
    sudo apt-get remove intellij-idea-community
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Linux Mint 18.3 Beta lançado – Confira as novidades e baixe

    Linux Mint 18.3 Beta lançado - Confira as novidades e baixe

    A equipe Linux Mint anunciou a disponibilidade de um novo snapshot de desenvolvimento, o Linux Mint 18.3 Beta “Sylvia”. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.


    Linux Mint é uma distribuição baseada no Ubuntu cujo objetivo é fornecer uma experiência mais completa, incluindo plugins de navegador, codecs de mídia, suporte para reprodução de DVD, Java e outros componentes. Linux Mint é compatível com os repositórios de software Ubuntu.

    Linux Mint 18.3 Beta lançado - Confira as novidades e baixeLinux Mint 18.3 Beta lançado – Confira as novidades e baixe

    Essa distribuição também adiciona um desktop e menus personalizados, várias ferramentas de configuração exclusivas e uma interface de instalação de pacotes baseada na web.

    Linux Mint 18.3 Beta lançado - Confira as novidades e baixeLinux Mint 18.3 Beta lançado – Confira as novidades e baixe

    Novidades do Linux Mint 18.3 Beta

    Linux Mint 18.3 Beta, é fornecido nas edições de Cinnamon e MATE e possui várias aplicações remodeladas, o gerenciador de software e os utilitários de backup em particular receberam um novo visual.

    O Linux Mint agora facilita a instalação de software de terceiros, como o Google Earth e o Steam, e os pacotes Flatpak, que podem ser instalados através do gerenciador de software.

    O novo beta também possui instantâneos do sistema operacional usando o Timeshift. O Timeshift é uma ferramenta dedicada aos snapshots do sistema. O Timeshift é o companheiro perfeito para o Linux Mint Backup Tool.

    O programa não guarda seus dados pessoais, ele salva o resto. Graças ao Timeshift, você pode criar backups do próprio sistema operacional. Você excluiu arquivos do sistema por engano? Você pode recuperá-los. Você atualizou para uma versão mais recente e alguma coisa já não está funcionando bem? Você pode voltar no tempo.

    Mais informações podem ser encontradas nos anúncios de lançamento do projeto para as edições Cinnamon e MATE

    Conheça melhor a distribuição Linux Mint

    Para saber mais sobre a distribuição Linux Mint, clique nesse link.

    Baixe e experimente o Linux Mint 18.3 Beta

    A imagem ISO do Linux Mint 18.3 Beta já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

    Verifique se a imagem ISO está corrompida

    Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
    Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

    Como gravar uma imagem ISO no Linux

    Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
    Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
    Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
    Como criar um pendrive de instalação
    Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
    Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Instale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux

    Instale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux

    Se você busca uma forma de automatizar e agendar tarefas com opções além do fornecido nativamente pelo sistema, instale o ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux.


    ComplexShutdown é uma pequena interface para desligar o PC com muitas opções. Ele na verdade é um script mais ou menos simples, escrito em FPC, e em seguida, reescrito em python.

    Instale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no LinuxInstale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux

    O objetivo principal deste programa é ser um recurso para desligar o computador depois de um tempo específico, mas ele é mais complexo e vai além disso: Você pode especificar quando fazer e o que fazer, com um monte de opções extras. Tudo, claro, embalado em uma interface gráfica simples e intuitiva.

    Instale ComplexShutdown para agendar tarefas e desligamento no Linux

    Às vezes, você se esqueceu de desligar o computador porque estava com sono ou com pressa, ComplexShutdown pode desligar o computador automaticamente quando você programá-lo.

    Não apenas o desligamento, mas ele pode executar toneladas de outras ações como logoff, reiniciar, hibernar, colocar em espera ou você pode agendar um comando personalizado com ele.

    Uma vez que uma tarefa está agendada, uma contagem regressiva informa sobre o tempo restante antes que a tarefa comece.

    Usando este programa você poderá escolher dia e hora específicos para desligar sua máquina ou agendar um comando/script personalizado.

    Vale lembrar que o ComplexShutdown agenda apenas uma tarefa de cada vez, ou seja, você não pode agendar muitos casos com ações diferentes. Infelizmente, esse é o ponto fraco do programa.

    Conheça melhor o ComplexShutdown

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o ComplexShutdown e usá-lo para agendar tarefas

    Para instalar o ComplexShutdown no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o pacote de instalação do programa:

    wget https://launchpad.net/complexshutdown/trunk/0.5/+download/complexshutdown_0.5_all.deb -O complexshutdown.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i complexshutdown.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:complex ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Desinstalando o ComplexShutdown no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o ComplexShutdown no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove complexshutdown*
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Descubra como aplicar o efeito perspectiva no Inkscape

    Descubra como aplicar o efeito perspectiva no Inkscape

    Se você quer dar mais realismo a seus desenhos, veja nesse tutorial como fazer para aplicar o efeito perspectiva no Inkscape.


    O Inkscape é um software livre coberto pela licença GPL 2 de qualidade profissional, que lida com gráficos vectoriais e que pode ser executado no Windows, Mac OS X e Linux.

    Descubra como aplicar o efeito perspectiva no InkscapeDescubra como aplicar o efeito perspectiva no Inkscape

    O aplicativo têm ferramentas de desenho sofisticadas, com capacidades comparáveis com as do Adobe Illustrator, CorelDRAW e Xara Xtreme.

    Por causa disso, esse programa é usado por profissionais de design e entusiastas em todo o mundo, para a criação de uma ampla variedade de gráficos, como ilustrações, ícones, logos, diagramas, mapas e gráficos web.

    Inkscape usa o padrão aberto W3C SVG (Scalable Vector Graphics) como seu formato nativo, mas também consegue importar diversos formatos incluindo SVG, AI, EPS, PDF, PS CDR e PNG.

    Para completar, ele possui um abrangente conjunto de funcionalidades, uma interface simples, com suporte para múltiplos idiomas e desenhado para ser expandido. Com isso os usuários podem personalizar as funcionalidades do Inkscape recorrendo a extensões.

    Como aplicar o efeito perspectiva no Inkscape

    Uma prova de poder de fogo do Inkscape está no vídeo abaixo. Nele, você verá como fazer para aplicar o efeito perspectiva no Inkscape. O uso do efeito de perspectiva é bem comum em programas de desenho vetorial. Neste vídeo veja como aplicar esse efeito no Inkscape.

    O procedimento é muito claro e didático. Confira!

    .smarty-2483613_1510760334951 { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; height: auto; } .smarty-2483613_1510760334951 iframe, .smarty-2483613_1510760334951 object, .smarty-2483613_1510760334951 embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

    Para fazer tudo isso aí, você nem precisa instalar nada, pois o Inkscape está disponível nos repositórios oficiais das principais distribuições Linux.

    Mas, se você usa o Ubuntu/Mint/Debian (ou um derivado deles) e quer usar a versão mais recente do Inkscape, use esse tutorial:
    Inkscape no Ubuntu – Como atualizar para a versão mais recente

    Conheça melhor o Inkscape

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Papel de parede conforme as condições meteorológicas? Instale o WeatherDesk!

    Papel de parede conforme as condições meteorológicas? Instale o WeatherDesk!

    Se vocẽ quer te um papel de parede conforme as condições meteorológicas, veja como instalar e usar o WeatherDesk no Linux.


    O WeatherDesk é um aplicativo que altera automaticamente a imagem de fundo da área de trabalho com base no clima e, mesmo, opcionalmente, com base na hora do dia. Ele funciona de forma excelente na maioria dos ambientes de desktop e também está disponível para Windows e Mac.

    Papel de parede conforme as condições meteorológicas? Instale o WeatherDesk!Papel de parede conforme as condições meteorológicas? Instale o WeatherDesk!

    No entanto, é necessário uma boa quantidade de ajustes manuais para que a ferramenta funcione. Por exemplo, você precisará nomear os papéis de parede que você deseja usar de uma maneira específica de acordo com a convenção de nomeação do WeatherDesk.

    A boa notícia é que você não precisa se incomodar com isso porque alguem já criou uma pasta zip de papéis de parede, já nomeados de acordo com a convenção do WeatherDesk.

    Características do WeatherDesk:

    • Permite alterar automaticamente o fundo da área de trabalho com base no clima atual.
    • Permite alterar automaticamente o fundo da área de trabalho com base em 4 horários opcionais do dia: dia/noite, dia/noite/noite e manhã /dia/noite/noite.
    • Possui suporte para uma variedade de ambientes de desktop Linux, incluindo Cinnamon, GNOME, Unity, Xfce, LXDE, LXQt, Pantheon e MATE.
    • Permite Especificar manualmente o formato da imagem, o intervalo de atualização e etc.

    Conheça melhor o WeatherDesk

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o WeatherDesk no Linux para ter papel de parede conforme as condições meteorológicas

    Para instalar o cliente programa no Linux e ter um papel de parede conforme as condições meteorológica, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/weatherdesk*
    sudo rm -Rf /usr/local/bin/weatherdesk
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/weatherdesk.desktop
    rm ~/.weatherdesk_walls/

    Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa e salve-o com o nome weatherdesk.tar.gz:

    sudo wget https://github.com/bharadwaj-raju/WeatherDesk/archive/master.tar.gz -O /tmp/weatherdesk.tar.gz

    Passo 4. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo tar -xvf /tmp/weatherdesk.tar.gz -C /tmp/

    Passo 5. Use os comandos abaixo para cria a pasta do programa, copiar os arquivos para ela e autorizar a execução do arquivo principal;

    sudo mkdir /opt/weatherdesk
    sudo cp /tmp/WeatherDesk-master/*.py /opt/weatherdesk//
    sudo chmod +x /opt/weatherdesk/WeatherDesk.py

    Passo 6. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -s /opt/weatherdesk/WeatherDesk.py /usr/local/bin/weatherdesk

    Passo 7. Baixe o pacote de temas e descompacte-o com estes comandos;

    wget https://github.com/bharadwaj-raju/FireWatch-WeatherDesk-Pack/archive/master.zip
    mkdir ~/.weatherdesk_walls/
    unzip master.zip -d ~/.weatherdesk_walls/

    Como usar o WeatherDesk no Linux

    Para iniciar o programa, digite weatherdesk em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Para ver todas as opções WeatherDesk disponíveis, execute o seguinte comando:

    weatherdesk --help

    Por exemplo, para forçar o WeatherDesk a usar as informações meteorológicas para Londres em vez da cidade detectada automaticamente, use:

    weatherdesk -c london

    Para que o WeatherDesk também altere o papel de parede com base na hora atual do dia e não apenas com base no clima atual, execute-o com a opção ” -t “, assim:

    weatherdesk -c london

    Por padrão, isso usará a variação “dia/noite/noite”. Para usar a variação “manhã/dia/noite/noite” (para mais informações sobre isso, execute ” weatherdesk -info “), execute-o assim:

    weatherdesk -t 4

    Se você quiser que o WeatherDesk altere o papel de parede com base nas condições climáticas atuais sempre que você fizer login, certifique-se de adicioná-lo às suas aplicações de inicialização (no Ubuntu with Unity, inicie aplicativos de sessão, clique em ” Adicionar ” e use ” weatherdesk ” como o comando ). Para mais detalhes, consulte esse tutorial:

    Como gerenciar a inicialização de aplicativos no Ubuntu

    Como remover o programa no Linux

    Para remover o programa no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/weatherdesk*
    sudo rm -Rf /usr/local/bin/weatherdesk
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/weatherdesk.desktop
    rm ~/.weatherdesk_walls/

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar um app Instagram no Ubuntu, Debian, Fedora e derivados

    Como instalar um app Instagram no Linux manualmente

    Se você quer usar o Instagram no Linux, veja como instalar o Ramme para ter um app Instagram no Ubuntu, Debian, Fedora e derivados.


    Ramme é um aplicativo multiplataforma baseada em Electron, que permite navegar no Instagram, pesquisar, comentar e comentar as fotos dos outros usuários, gerenciar o seu próprio perfil e ver as notificações, e agora, fazer o upload para o Instagram a partir do desktop.

    Como instalar um app Instagram no Ubuntu, Debian, Fedora e derivadosComo instalar um app Instagram no Ubuntu, Debian, Fedora e derivados

    Ramme é um wrapper em torno do site oficial Instagram, que leva as características específicas para dispositivos mobile, para plataformas não-móveis, no caso, o desktop dos PC’s. Mas ele também oferece uma série recursos próprios, como uma barra lateral personalizada e suporte opcional a um tema escuro, para ajudar o site móvel trabalhar melhor no desktop.

    Isso significa que Ramme só é capaz de fazer o que o Instagram suporta. Não é possível fazer upload de vídeos, nem aplicar ou editar fotos carregadas. Mas uma vez que você está em um desktop você pode editar e aplicar filtros usando aplicativos como GNOME Photos, Shotwell ou GIMP e, em seguida, carregá-los usando Ramme.

    Conheça melhor o Ramme

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Para mais informações, assista o vídeo abaixo:

    Como instalar o Ramme para ter Instagram no Ubuntu Linux, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o Ramme para ter Instagram no Ubuntu Linux, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema for de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome ramme.deb:

    wget https://github.com/terkelg/ramme/releases/download/v3.2.3/Ramme_3.2.3_i386.deb -O ramme.deb

    Passo 4. Se seu sistema for de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome ramme.deb:

    wget https://github.com/terkelg/ramme/releases/download/v3.2.3/Ramme_3.2.3_amd64.deb -O ramme.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i ramme.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove ramme

    Como instalar o Ramme para ter Instagram no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

    Quem quiser instalar o Ramme para ter Instagram no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome ramme.rpm:

    wget https://github.com/terkelg/ramme/releases/download/v3.2.3/Ramme-3.2.3-ia32.rpm -O ramme.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome ramme.rpm:

    wget https://github.com/terkelg/ramme/releases/download/v3.2.3/Ramme-3.2.3.rpm -O ramme.rpm

    Passo 5. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install ramme.rpm

    Passo 6. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall ramme.rpm

    ou

    sudo dnf install ramme.rpm

    Passo 7. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

    sudo rpm -i ramme.rpm

    Passo 8. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e ramme

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o atalho dele ou digite ramme em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Como instalar o tema Plano no Ubuntu e derivados

    Como instalar o tema Plano no Ubuntu e derivados

    Se você gosta de temas planos e usa Gnome ou Xfce, veja como instalar o tema Plano no Ubuntu e derivados, e deixe seu sistema ainda mais bonito.


    Existem muitos temas planos disponíveis para desktops Linux, mas este é especial, principalmente por causa de seu nome: Plano. E também porque ele é um tema flat especialmente projetado para os ambientes Gnome e Xfce.

    Como instalar o tema Plano no Ubuntu e derivadosComo instalar o tema Plano no Ubuntu e derivados

    Esse tema é compatível com as versões 3.24, 3.22, 3.20 do Gtk. Há também um tema para o Gnome Shell que pode acompanhar a versão Gtk.

    Conheça melhor o tema Plano

    Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

    Instalando o tema Plano no Ubuntu e derivados

    Para instalar o tema Plano no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o tema Plano usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install plano-theme

    Como instalar o tema Plano manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o tema Plano no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o tema Plano no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o tema Plano, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove plano-theme

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

    Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

    Quer instalar a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no seu sistema? Então veja como fazer para ter o Kdenlive no Ubuntu e derivados.


    Kdenlive é um editor de vídeo gratuito aberto para GNU/Linux e FreeBSD, que suporta AVCHD, DV e HDV. O programa depende de vários outros projetos open source, como o FFmpeg, o MLT video framework e Frei0r effects.

    Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no UbuntuInstalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

    Como cineastas modernos precisam misturar diferentes tipos de mídia, incluindo vídeo, áudio e imagens, Kdenlive é construído em cima do MLT video framework e ffmpeg, que proporcionam recursos exclusivos para misturar praticamente qualquer tipo de mídia.

    Conheça melhor o editor de vídeos Kdenlive

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a mais recente versão estável do editor de vídeos Kdenlive

    Para instalar a mais recente versão estável do editor de vídeos Kdenlive e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    add-apt-repository ppa:kdenlive/kdenlive-stable

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install kdenlive

    Como instalar a mais recente versão estável do editor de vídeos Kdenlive manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Como instalar a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive

    Para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:sunab/kdenlive-release

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install kdenlive

    Como instalar o editor de vídeos Kdenlive manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite kdenlive no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:sunab/kdenlive-release --remove

    ou

    sudo add-apt-repository ppa:kdenlive/kdenlive-stable --remove
    sudo apt-get remove kdenlive
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Descubra como instalar o WhatsApp Desktop no Linux

    Descubra como instalar o WhatsApp Desktop no Linux

    Se você quer usar o WhatsApp no seu sistema, sem ficar preso a um navegador, conheça e veja como instalar o WhatsApp Desktop no Linux.


    O WhatsApp Desktop é um cliente de desktop WhatsApp não oficial de código aberto para Linux construído com o Framawork Electron, que é um conteiner de serviços web. Ou seja, ele é uma janela de navegador autônoma que usa o WhatsApp Web.

    Descubra como instalar o WhatsApp Desktop no LinuxDescubra como instalar o WhatsApp Desktop no Linux

    O programa oferece todas as características que seus clientes contemporâneos fazem, incluindo notificações de desktop nativas e suporte para atalhos com teclado, bem como opções extras, por exemplo, suporte para a folha de estilo CSS personalizada.

    Como ele é construído com o Electron (que é famoso por usar muita memória), algumas pessoas simplesmente ficarão usando a WhatsApp Web. Mas mesmo que os aplicativos baseados no Electron não sejam de sua preferência, como você saberá se você gosta do aplicativo, se não o experimentar?

    Principais características do WhatsApp Desktop:

    • Suporte para notificações de desktop nativas;
    • Ícone do emblema com contagem de notificações na dock/barra de tarefas;
    • Animação: o ícone da dock salta na entrada de uma nova mensagem;
    • Ícone da bandeja do sistema;
    • Abre links no navegador;
    • Executa automáticamente no logon, juntamente com a opção para começar a minimizar o ícone da bandeja;
    • Suporte para folhas de estilo CSS personalizadas;
    • Acesso à informação do telefone, ou seja, estado da bateria, versão do software, etc;
    • Pesquise (com um contato em foco) através de CTRL+F ou CMD+F;
    • Personalização: inclui opções de alternância e configurações;
    • Possui opção para definir a visibilidade do avatar;
    • Possui opção para visualizar a visibilidade da mensagem;

    Conheça melhor o WhatsApp Desktop

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o WhatsApp Desktop no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    WhatsApp Desktop está disponível para Linux nos formatos DEB e tar.gz (multi distribuição), e para instalar ele nos sistemas que suportam esses formatos, use um dos procedimentos abaixo.

    Como instalar o WhatsApp Desktop no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o WhatsApp Desktop no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome whatsapp.deb:

    wget https://github.com/Enrico204/Whatsapp-Desktop/releases/download/v0.3.14/whatsapp-desktop_0.3.14-1_amd64.deb -O whatsapp.deb

    Passo 4. Agora instale o programa com os comandos abaixo:

    sudo dpkg -i whatsapp.deb
    sudo apt-get install -f

    Passo 5. Se preferir, use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install ./whatsapp.deb

    Passo 6. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove whatsapp-desktop*

    Como instalar o programa no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

    Quem quiser instalar o programa no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome whatsapp.rpm:

    wget https://github.com/Enrico204/Whatsapp-Desktop/releases/download/v0.3.14/WhatsApp-0.3.14-1.x86_64.rpm -O whatsapp.rpm

    Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install whatsapp.rpm

    Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall whatsapp.rpm

    ou

    sudo dnf install whatsapp.rpm

    Passo 6. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

    sudo rpm -i whatsapp.rpm

    Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e whatsapp*

    Como instalar o WhatsApp Desktop no Linux manualmente

    Para instalar o WhatsApp Desktop no Linux manualmente, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/whatsapp*
    sudo rm -Rf /usr/bin/whatsapp
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/whatsapp.desktop

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome whatsapp.tar.bz2:

    wget https://github.com/Enrico204/Whatsapp-Desktop/releases/download/v0.3.14/WhatsApp-linux-x64.tar.gz -O whatsapp.tar.gz

    Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo tar vzxf whatsapp.tar.gz -C /opt/

    Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

    sudo mv /opt/WhatsApp*/ /opt/whatsapp

    Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -sf /opt/whatsapp/ /usr/bin/whatsapp

    Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=whatsapp\n Exec=/opt/whatsapp/WhatsApp\n Icon=/opt/whatsapp/resources/app/assets/icon/icon.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/whatsapp.desktop

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/programa.desktop
    cp /usr/share/applications/programa.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/programa.desktop ~/Desktop

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o atalho dele ou digite whatsapp em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Como remover o WhatsApp Desktop no Linux

    Para remover o programa no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/whatsapp*
    sudo rm -Rf /usr/bin/whatsapp
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/whatsapp.desktop

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias

    No Post found.


    No Post found.

    Planeta Ubuntu Brasil

    O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


    Última atualização:
    19 de novembro de 2017, 10:03
    Horário UTC

    Planet ATOM
    RSS10 RSS20
    OPML FOAF

    Blogs inscritos


    © 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
    Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.