30 de julho de 2016

Instale o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados

Que tal ter controle total sobre o papel de parede de seu desktop? Se você se interessou, então instale e experimente o Wallpaper Manager.


O Wallpaper Manager é um trocador de papel de parede para o Ubuntu que tem muitos recursos, ele é muito rápido, simples, muito fácil de usar e funciona perfeitamente no Gnome Shell, Gnome Classic, Unity e Cinnamon. Para usar este utilitário você precisa para colocar imagens na sua pasta /home/usuario/Imagens.

Instale o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados

Com o programa você pode alterar o papel de parede com apenas um clique, aplicar efeitos como inversão visual, preto e branco, colocar um texto no papel de parede, colocar o papel de parede atual no Grub, alterar o modo de exibição facilmente e usar papeis de parede da Nasa.

Ficou curioso? Então veja o pode ser feito como o programa

Instale o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados
Instale o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados
Instale o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados
Instale o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados
Instale o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados
Instale o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados

Conheça melhor o Wallpaper Manager

Para mais detalhes sobre o programa, acesse esse link.

Instalando o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados

Para instalar o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:baitsart/wallpaper-manager

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo:

sudo apt-get install wallpaper-manager

Como instalar o Wallpaper Manager manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wallpaper no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Depois, é só começar a mexer no menu do programa, para deixar o papel de parede de seu desktop como você quer.
Instale o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados

Desinstalando o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Wallpaper Manager no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:baitsart/wallpaper-manager --remove
sudo apt-get remove wallpaper-manager
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como colocar um papel de parede diferente em cada área de trabalho do Ubuntu

Que tal sair da rotina e ter diferentes áreas de trabalho e papéis de parede? Gostou da ideia? Então veja como fazer para colocar um papel de parede diferente em cada área de trabalho do Ubuntu.


Para conseguir colocar um papel de parede diferente em cada área de trabalho será preciso ativar o suporte a múltiplas áreas de trabalho e instalar alguns pacotes que permitirão que você atribua vários papéis de parede para seus espaços de trabalho, com os bônus adicionais manuseio adequado de transparências e ícones do desktop.

Como colocar um papel de parede diferente em cada área de trabalho do Ubuntu

Colocando mais de uma área de trabalho

Para habilitar mais de uma área de trabalho, faça o seguinte:
Passo 1. Abra as “Configurações do Sistema” e clique na opção “Aparência”;
papel de parede diferente
Passo 2. Em “Aparência”, clique na aba “Comportamento”;
papel de parede diferente
Passo 3. Dentro da aba “Comportamento”, marque a opção “Habilitar espaços de trabalho” (ou “Enable workspaces”).
papel de parede diferente

Como colocar um papel de parede diferente em cada área de trabalho do Ubuntu

Para colocar um papel de parede diferente em cada área de trabalho do Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Se ainda não estiver instalado, procure e instale o Compizconfig Settings Manager e compiz-plugins-extra na Central de programas do Ubuntu (ou Ubuntu Software Center). Ou abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install compizconfig-settings-manager compiz-plugins-extra

Passo 4. Uma vez instalado, execute o programa clicando no Dash e digitando;

ccsm

Passo 5. No campo “Filtro”, digite “Wallpaper. Ative o plugin e em seguida, clique no nome dele para entrar em sua página de configurações;
papel de parede diferente
Passo 6. Clique no botão “New” (Novo) e adicione alguns papéis de parede;
Passo 7. Marque a opção “Cycle Wallpapers”.

papel de parede diferente

Para voltar, basta desabilitar o plugin ou seguir esse procedimento para resetar as configurações do Compiz.

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados

Se você procura uma forma de personalizar Quicklist no Unity, experimente instalar o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados.


QLE Unity Quicklist Editor é um aplicativo para edição de quicklists, composto de uma interface gráfica, para adicionar ou remover entradas, divisórias, grupos de ações, url e etc.

Instale o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados

Para quem ainda não conhece o recurso, no lançador do Unity alguns aplicativos usam “quicklists”, na verdade, não é apenas o Unity, porque DockBarX, Plank e Cairo Dock também suportam Unity quicklists. O recurso permite a você acessar tarefas comuns para esses aplicativos.

Aqui tem dois bons exemplos de uso de quicklists:
Como acessar seus sites favoritos a partir de uma Quicklist no Unity
Como criar uma Unity Quicklist para controlar o Spotify no Linux

Mas nem todos os aplicativos têm quicklists e se você quiser adicionar o seu próprio ou criar alguns lançadores personalizados com quicklists, isso é possível com o QLE Unity Quicklist Editor, melhor ainda, de um jeito muito fácil.

Conheça melhor o QLE Unity Quicklist Editor

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

Instalando o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados

Para instalar o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:vlijm/qle

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install qle

Como instalar o QLE Unity Quicklist Editor manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite qle no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o QLE Unity Quicklist Editor no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove qle
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Processamento de fotos em formato RAW: Instale Darktable no Ubuntu

Foi lançada recentemente mais uma versão do Darktable, um programa de processamento de fotos em formato RAW. Veja como instalar ele no Ubuntu.


Se você trabalha com imagens (principalmente no formato RAW), irá gostar do aplicativo Darktable. Em vez de ser um editor de gráficos raster como o Adobe Photoshop ou GIMP, Darktable trabalha com um conjunto de ferramentas voltados especificamente para processamento de fotos em formato RAW.

darktable-1Processamento de fotos em formato RAW: Instale Darktable no Ubuntu

Utilizando edição não destrutiva, ele é focado principalmente na melhoria do processo de trabalho do fotógrafo facilitando o gerenciamento de grandes quantidades de imagens. De código aberto, ele está disponível gratuitamente em versões para as principais distribuições Linux, Mac OS X e Solaris sob a GPL versão 3 ou superior

Para saber mais detalhes sobre a última versão do programa, acesse esse link.

Conheça melhor o aplicativo de processamento de fotos Darktable

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Abaixo, veja algumas características do programa:

  • Edição totalmente não-destrutiva;
  • Todas as funções do núcleo do Darktable operam em buffers de ponto flutuante de pixel de 4 x 32 bits, permitindo instruções SSE para aumentos de velocidade. Oferece aceleração de GPU via OpenCL (deteção de tempo de execução e habilitação) e tem suporte de perfil ICC embutido: sRGB, Adobe RGB, XYZ e RGB linear;
  • Um plugin coletor permite executar consultas de banco de dados flexíveis, procurar suas imagens por tags, classificação de imagens (estrelas), etiquetas de cores e muito mais. Filtrando e classificando suas coleções dentro da consulta base ou simples de marcação por tags relacionadas. Essas ão ferramentas úteis no seu fluxo de trabalho fotográfico diário.
  • Importa uma variedade de formatos de imagem;
  • Darktable atualmente vem com 15 traduções: Albanês, catalão, checo, holandês, finlandês, francês, gaélico, alemão, italiano, japonês, polonês, russo, espanhol, Sueco e tailandês;
  • Suporta webalbum do picasa, flickr upload, armazenamento em disco, 1:1 cópia de exportação, anexos de email e pode gerar uma galeria de web baseadas em html simples;
  • Permite que você exporte imagens para low dynamic range (jpg, png, tiff), 16-bit (ppm, tiff), ou linear high dynamic range (pfm, exr);
  • Ele usa dois arquivos XMP secundários, bem como o seu banco de dados rápido para salvar configurações de metadados e processamento. Todos os dados Exif é lido e escrito usando libexiv2.

Instalando o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu

Para instalar o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:pmjdebruijn/darktable-release

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar a atualização, use este comando:

sudo apt-get install darktable

Como instalar o Darktable manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Instalando o aplicativo de processamento de fotos Darktable em outras distribuições

Quem estiver usando outra distribuição, pode dar uma olhada no site do desenvolvedor do aplicativo acessando esse link. Lá tem as instruções, e se for o caso, o pacote para instalar ele em outras distribuições Linux. Apesar de estar em inglês, as instruções são bem simples. Se quiser pode tentar uma versão traduzida pelo Google Translator clicando aqui. Caso existam comando a serem executados nas instruções, lembre-se que eles não devem ser traduzidos.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite darktable no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Desinstalando o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove darktable
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

Quer instalar a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no seu sistema? Então veja como fazer para ter o Kdenlive no Ubuntu e derivados.


Kdenlive é um editor de vídeo gratuito aberto para GNU/Linux e FreeBSD, que suporta AVCHD, DV e HDV. O programa depende de vários outros projetos open source, como o FFmpeg, o MLT video framework e Frei0r effects.

Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

Como cineastas modernos precisam misturar diferentes tipos de mídia, incluindo vídeo, áudio e imagens. Kdenlive é construído em cima do MLT video framework e ffmpeg, que proporcionam recursos exclusivos para misturar praticamente qualquer tipo de mídia.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o editor de vídeos Kdenlive

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Já sabe usar o Kdenlive? Veja como colocar uma explosão em um vídeo:

Como instalar a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive

Para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:sunab/kdenlive-release

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install kdenlive

Como instalar o editor de vídeos Kdenlive manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite kdenlive no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove kdenlive
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando o conjunto de ícones Emerald no Ubuntu

Vamos mudar um pouco o visual do sistema? Então que tal instalar o conjunto de ícones Emerald no Ubuntu?


O conjunto de ícones Emerald é baseado nos temas Flattr e Breeze. Ele contém mais de 4000 ícones para aplicações, pastas, estados, tipos MIME e outros.

Instalando o conjunto de ícones Emerald no Ubuntu

Além disso, o conjunto oferece ícones para uso com painel claro ou escuro, o que significa que você pode usar estes ícones com qualquer tema claro ou escuro. Emerald é compatível com a maioria dos ambientes de desktop Linux, como Unity, Gnome, KDE, Cinnamon, Mate, Lxde e outros.

Conheça melhor o conjunto de ícones Emerald

Para saber mais sobre o conjunto de ícones Emerald, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones Emerald no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Emerald no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Emerald usando o seguinte comando:

sudo apt-get install emerald-icon-theme

Como instalar o conjunto de ícones Emerald manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando o conjunto de ícones Emerald no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o conjunto de ícones Emerald no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove emerald-icon-theme

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

28 de julho de 2016

Ubuntu Budgie Remix 16.04.1 já está disponível para download

Pouco depois do lançamento do Ubuntu 16.04.1, saiu uma atualização de sua mais nova variante: o Ubuntu Budgie Remix 16.04.1. Conheça mais um pouco sobre ela e descubra onde baixar a distro.


Budgie Remix é uma variante não oficial do Ubuntu que usa o ambiente Budgie desktop por padrão. A distribuição foi criada por David Mohammed, que está trabalhando duro para tornar o Ubuntu Budgie um sabor oficial e lançá-lo junto com os outros sistemas da família Ubuntu, o poderá acontece a partir do Ubuntu 16.10.

Ubuntu Budgie Remix 16.04.1 já está disponível para download

Ubuntu Budgie Remix 16.04.1 não é apenas uma atualização para acompanhar o Ubuntu 16.04.1. Esse update vem com muitas novidades: o sistema operacional agora oferece aos usuários criptografia completa de disco, bem como o suporte de encriptação pasta Home.

Além disso, agora é possível instalar o Budgie Remix com suporte para seu idioma favorito, graças à implementação de vários idiomas e locais, que estão acessíveis diretamente da tela de login.

Para completar, Ubuntu Budgie Remix 16.04.1 traz um aplicativo de boas-vindas, que foi projetado para aparecer depois do carregamento do sistema ao ser executado em modo Live, bem como após a instalação do sistema operacional. O recursos permite que os usuários a aprendam tudo sobre a distribuição, o ambiente de desktop Budgie, e os orienta através dos primeiros passos no uso da mesma.

O melhor de tudo, o Ubuntu Budgie Remix 16.04.1 introduz o suporte para os formatos de pacotes universais Snap e Flatpack, tornando a instalação de aplicativos algo muito menos estressante.

Conheça melhor a distribuição Ubuntu Budgie Remix

Para saber mais sobre a distribuição Ubuntu Budgie Remix, clique nesse link.
Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a link.

Review do Budgie Remix

Para entender melhor essa distribuição, assista esse review:

Baixe e experimente o Ubuntu Budgie Remix 16.04.1

A imagem ISO do Ubuntu Budgie Remix 16.04.1 já pode ser baixada acessando o link abaixo:
Ubuntu Budgie Remix 16.04.1

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como desativar o relatório de erros do Apport no Ubuntu

Se você está sendo incomodado constantemente por mensagens de erros no Ubuntu, veja aqui como desativar o relatório de erros do Apport no Ubuntu.


Apport é a ferramenta de relatório de error do Ubuntu. Ele é um sistema que reúne informações potencialmente úteis sobre o acidente e o ambiente do sistema operacional. Se qualquer houver qualquer falha em um processo do sistema, uma caixa de diálogo aparece e pergunta ao usuário se ele quer enviar um relatório de erro para ajudar a resolver o problema.

Como desativar o relatório de erros do Apport no Ubuntu

Erros com títulos parecido com “Ubuntu xx.xx sofreu um erro interno”, “Problema de programa de sistema detectado” etc. são comuns após a instalação do Ubuntu. Informar erros é importante, pois ajuda melhorar a estabilidade do sistema. Mas se você está constantemente recebendo popups de relatório do incidentes, você pode querer desativar essa funcionalidade para poder usar o sistema sem interrupções.

Conheça melhor o Apport

Para saber mais sobre esse recurso, clique nesse link.

Como desativar o relatório de erros do Apport no Ubuntu

Para desativar o relatório de erros do Apport no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Para parar o serviço Apport, execute o comando abaixo:

sudo service apport stop

Passo 3. Em seguida, use o comando abaixo para editar o arquivo de configuração:

sudo gedit /etc/default/apport

Passo 3. Com o arquivo aberto, altere o valor da opção “enabled” de “1” para “0”;
Como desativar o relatório de erros do Apport no Ubuntu
Passo 4. Em seguida, salve o arquivo e feche o editor de texto.

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Editor de legendas para Linux? Instale o Gaupol

Procurando um editor de legendas para Linux para criar ou consertar arquivos desse tipo? Então instale e experimente a ferramenta Gaupol.


Gaupol é um editor de legendas para Linux, sendo um software livre liberado sob a licença GNU General Public License (GPL). Ele é um editor para arquivos de legendas baseadas em texto.

Editor de legendas para Linux? Instale o Gaupol

O programa, tem todas as características necessárias: atalhos, extensões de terceiros, verificação ortográfica e reconhecimento de voz. Além disso, ele suporta vários formatos de arquivo de legendas e fornece meios de criar legendas, fazer edição de textos e cronometrar as legendas para coincidir com o vídeo.

A interface de usuário é projetada com atenção para o processamento em lote de vários documentos e a conveniência de traduzir. Gaupol contém aeidon, um pacote Python para uso geral de instalação própria para ler, escrever e manipular arquivos de legendas baseadas em texto.

Conheça melhor o Editor de legendas para Linux Gaupol

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o ditor de legendas para Linux Gaupol no Linux

Gaupol está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install gaupol. No entanto, em versões mais antigas, para instalar o Gaupol no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gaupol.tar.gz :

wget http://download.gna.org/gaupol/0.9/gaupol-0.9.tar.gz -O gaupol.tar.gz

Passo 3. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -vzxf gaupol.tar.gz

Passo 4. Vá para a pasta criada;

cd gaupol*

Passo 5. Execute a instalação do programa com este comando:

sudo python3 setup.py clean install

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite gaupol em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como tirar print da tela do PC? instale a ferramenta HotShots no Linux

Procurando uma boa ferramenta de ferramenta de captura de tela? Então veja aqui como instalar o HotShots no Linux para tirar print da tela do PC.


HotShots é uma ferramenta de captura de tela com alguns recursos de edição (redimensionar, cortar, etc). Ele é particularmente adequado para escrever documentação, mas você pode usá-lo para destacar alguns detalhes de uma imagem, de mapa ou o que você quiser. Como o programa é escrito com Qt, ele tem poucas dependências e usa poucos recursos do computador.

Como instalar a ferramenta de captura de tela HotShots no Linux

O programa tem as mesmas características que Shutter, apesar do fato de que ele é bem mais leve. Também vale a pena mencionar que além dos recursos de edição de imagem, ele também permite que os usuários facilmente façam upload de seus screenshots  para servidores FTP ou para os serviços imgur.com, imageshack.us e freeimagehosting.net.

Conheça melhor o HotShots

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

A seguir você verá como instalar esse aplicativo nas principais distribuições Linux. Acompanhe:

Como instalar o HotShots no Linux OpenSUSE e seus derivados

Para instalar o HotShots no Linux OpenSUSE e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se você estiver usando um sistema OpenSUSE 42.1 ou um sistema baseado nele, adicione o repositório do programa com este comando:

zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/Lazy_Kent/openSUSE_42.1/home:Lazy_Kent.repo

Passo 3. Se você estiver usando um sistema OpenSUSE Tumbleweed ou um sistema baseado nele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:/Lazy_Kent/openSUSE_Tumbleweed/home:Lazy_Kent.repo

Passo 4. Se você estiver usando um sistema OpenSUSE 13.1 ou um sistema baseado nele, adicione o repositório do programa com este comando:

zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:Lazy_Kent/openSUSE_13.1/home:Lazy_Kent.repo

Passo 5. Se você estiver usando um sistema OpenSUSE 13.2 ou um sistema baseado nele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/home:Lazy_Kent/openSUSE_13.2/home:Lazy_Kent.repo

Passo 6. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando;

zypper refresh

Passo 7. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

zypper install hotshots

Passo 8. Se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

zypper remove hotshots

Como instalar o HotShots no Linux Fedora e seus derivados

Para instalar o HotShots no Linux Fedora e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se você estiver usando um sistema Fedora 20 ou um derivado dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:/zhonghuaren/Fedora_20/home:zhonghuaren.repo -O /etc/yum.repos.d/zhonghuaren.repo

Passo 3. Se você estiver usando um sistema Fedora 21 ou um derivado dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:zhonghuaren/Fedora_21/home:zhonghuaren.repo -O /etc/yum.repos.d/zhonghuaren.repo

Passo 4. Se você estiver usando um sistema Fedora 22 ou um derivado dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:zhonghuaren/Fedora_22/home:zhonghuaren.repo -O /etc/yum.repos.d/zhonghuaren.repo

Passo 5. Se você estiver usando um sistema Fedora 23 ou um derivado dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:zhonghuaren/Fedora_23/home:zhonghuaren.repo -O /etc/yum.repos.d/zhonghuaren.repo

Passo 65. Se você estiver usando um sistema Fedora 23 ou um derivado dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:/zhonghuaren/Fedora_24/home:zhonghuaren.repo -O /etc/yum.repos.d/zhonghuaren.repo

Passo 7. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo yum install hotshots

ou

sudo dnf install hotshots

Passo 8. Quando for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo yum remove hotshots

ou

sudo dnf remove hotshots

Como instalar o HotShots no Arch Linux, Manjaro, Antergos e seus derivados

Para instalar o HotShots no Arch Linux, Manjaro, Antergos e seus derivados você precisa ter o yaourt instalado. Se este é o seu caso, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale o Yaourt com o comando abaixo;

sudo pacman -Sy yaourt

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo yaourt hotshots

Passo 5. Quando for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo yaourt -Rsn hotshots

Como instalar o HotShots no Linux Ubuntu e seus derivados

Para instalar o HotShots no Linux Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install hotshots

Passo 5. Quando for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove hotshots

Como instalar o HotShots manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite hotshots em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Usando WhatsApp no Linux com Whatsie

O Unofficial WhatsApp for Desktop não serviu para você? Pois então veja como Usando WhatsApp no Linux com Whatsie e resolva seu problema.


WhatsApp é um popular cliente de mensagens instantâneas proprietário para smartphones (com mais de um bilhão de usuários), que infelizmente não possui uma versão oficial para PC’s e muito menos para o Linux. Felizmente, há um tempo atrás, a empresa por traz do aplicativo lançou o WhatsApp Web, um cliente web que pode ser usado através de um navegador web, sincronizando a conexão do dispositivo móvel.

Usando WhatsApp no Linux com Whatsie

Whatsie (beta) é um cliente de desktop simples para WhatsApp Web, disponível para Linux, Windows e Mac OS X. O programa usa o WhatsApp Web, e por conta disso, você precisa ter o WhatsApp Messenger instalado e configurado em seu dispositivo móvel.

Whatsie oferece notificações de desktop nativas, temas (além do tema padrão, a versão atual vem com 7 temas extras), corretor ortográfico e atalhos de teclado. Para completar, existem algumas características opcionais, tais como, uma opção para iniciar oculto a partir do login (Start Hidden on Statup)…

Usando WhatsApp no Linux com Whatsie … e a capacidade de colocar o aplicativo na bandeja/AppIndicator ao clicar em fechar, ou até abrir links em seu navegador padrão.

Usando WhatsApp no Linux com Whatsie

Além de ser capaz de colocar o aplicativo na bandeja, o ícone da bandeja/AppIndicator também é usado para notificar o usuário sobre mensagens não lidas.
Usando WhatsApp no Linux com Whatsie

Conheça melhor o Whatsie

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Whatsie no Debian, Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Whatsie no Debian, Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Baixe e instale a chave do repositório do programa, usando este comando;

sudo apt-key adv --keyserver pool.sks-keyservers.net --recv-keys 1537994D

Passo 3. Adicione o repositório com o comando abaixo;

echo "deb http://dl.bintray.com/aluxian/deb stable main" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/whatsie.list

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install whatsie

Como instalar o Whatsie manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian/Red Hat, você pode pegar o arquivo de instalação do programa nesse link, e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Em Arch Linux, instale Whatsie via AUR.
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Ativando o WhatsApp no Linux com Whatsie

Para ativar o WhatsApp no Linux com Whatsie, faça o seguinte:
Passo 1. Inicie o programa, digitando programa no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).
Passo 2. Abra o WhatsApp no seu aparelho smartphone e vá para a aba “Ajustes” e depois “WhatsApp Web”;
Passo 3. Escaneie o código QR no seu computador usando seu celular;
whatsapp-no-linux-com-whatsie-1

Desinstalando o Whatsie no Debian, Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Whatsie no Debian, Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove whatsie
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instale os ícones Ravefinity-X no Ubuntu

Se você quer usar ícones bonitos e variar apenas as cores deles, experimente instalar os ícones Ravefinity-X no Ubuntu e depois veja como fica seu sistema.


Ravefinity-X é um conjunto de ícones que oferece diferentes variantes de cores. Ele é uma mistura dos temas Faenza, Humanity, Elementary e outros temas de ícones.

Instale os ícones Ravefinity-X no Ubuntu

Esta suíte de ícones oferece 12 variantes de cores e cada cor está disponível para painel claro e escuro, assim você pode usar qualquer cor com qualquer tema (não importando, se ele é claro ou escuro).

O pessoal do Ravefinity também forneceu conjunto de temas Ambiance & Radiance em cores diferentes que você pode conferir aqui.

Instale os ícones Ravefinity-X no Ubuntu

Outros assuntos

Conheça melhor os ícones Ravefinity-X

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando os ícones Ravefinity-X no Ubuntu e derivados

Para instalar os ícones Ravefinity-X no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ravefinity-project/ppa

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o programa usando o seguinte comando:

sudo apt-get install ravefinity-x-icons

Como instalar os ícones Ravefinity-X manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando os ícones Ravefinity-X no Ubuntu e derivados

Para desinstalar os ícones Ravefinity-X no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale os ícones Ravefinity-X, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove ravefinity-x-icons

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

26 de julho de 2016

Como instalar a versão mais recente do Lightworks no Linux

Precisando a instalar a versão mais recente do Lightworks no Linux? Siga os passos desse tutorial e veja como fazer isso.


Lightworks é um software de edição de vídeo popular, utilizado na indústria do cinema, como uma alternativa para o Apple Finalcut, Pinnacle Studio e Avid Media Composer, fornecendo ferramentas para o processamento de vídeos nos formatos livres e proprietários mais populares: H.264, XDCAM EX/HD 42, Avid DNxHD, AVC-Intra.

Como instalar a versão mais recente do Lightworks no Linux

O aplicativo já foi utilizado em alguns renomados filmes ganhadores do Oscar e do Emmy award, incluindo O Discurso do Rei, Hugo, Os Infiltrados de Martin Scorsese, Missão Impossível, Pulp Fiction, Coração Valente e Batman.

Lightworks está disponível como uma versão gratuita ou como uma versão paga com uma licença pro, que custa $ 7,99 por mês ou 79,99 dólares por ano ou uma taxa única de $ 279,99. A diferença entre a versão gratuita e a paga (pro), é que a versão gratuita é limitada a formatos de web, como MPEG4/H.264 em até 720p, enquanto a versão Pro tem uma gama muito maior de opções de saída, inclui o compartilhamento de projetos, 3D saída estereoscópica e o usuário pode definir locais de projeto.
O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o Lightworks

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Lightworks no Linux Ubuntu, Debian e seus derivados

Para instalar o Lightworks no Linux Ubuntu, Debian e seus derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Abra um navegador, acesse esse endereço, clique em “Downloads” (e se necessário, na aba “Linux”) e baixe o arquivo DEB, ou se preferir, baixe o arquivo diretamente com o comando:

wget http://downloads.lwks.com/lwks-12.6.0-amd64.deb -O lwks.deb

Passo 3. Instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i lwks.deb

Passo 4. Para completar, instale as dependências com o comando:

sudo apt-get -f install

Passo 5. Caso seja necessário, desinstale o programa usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove lwks

Como instalar o Lightworks no Linux Fedora, CentOS e seus derivados

Para instalar o Lightworks no Linux Fedora, CentOS e seus derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Abra um navegador, acesse esse endereço, clique em “Downloads” (e se necessário, na aba “Linux”) e baixe o arquivo RPM, ou se preferir, baixe o arquivo diretamente com o comando:

wget http://downloads.lwks.com/lwks-12.6.0-amd64.rpm -O lwks.rpm

Passo 4. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall lwks.rpm

ou

sudo dnf install lwks.rpm

Passo 5. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install lwks.rpm

Passo 6. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi lwks.rpm

Passo 7. Se depois você precisar desinstalar o programa no Fedora ou CentOS ou outro derivado deles, use o comando abaixo;

sudo yum remove lwks*

ou

sudo dnf remove lwks*

Passo 8. Se depois você precisar desinstalar o programa no OpenSUSE ou um derivado dele, use o comando abaixo;

sudo zypper remove lwks*

Passo 9. Se depois você precisar desinstalar o programa no Mageia ou OpenMandriva ou qualquer derivado deles, use o comando a seguir;

sudo urpme lwks*

Lembre-se! Depois da instalação, você precisa se registrar on-line para poder acessar o Lightworks. Depois de cadastrado, basta entrar com suas informações na inicialização do aplicativo.
Como instalar a versão mais recente do Lightworks no Linux
Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite lwks no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

Acha complicado instalar, configurar e usar programas do Windows no Linux? Então você precisar conhecer o Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu (e outras distros).


Vineyard é um pequeno utilitário que fornece aos usuários do Ubuntu (e outras distros), uma maneira fácil de configurar aplicativos baseados no Wine, antes e depois da instalação.

Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

De acordo com a descrição oficial do projeto Vineyard, o software é “… uma coleção de ferramentas e bibliotecas concebidas para tornar o gerenciamento de programas do Windows no Linux mais fácil”. “Mais especificamente, ele procura melhorar a integração do Wine e do desktop, para tornar mais fácil para criar programas e ferramentas que se integram com o Wine.”
Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

Pense no Vineyard como um PlayOnLinux, só voltado para muito mais do que apenas jogos e algumas aplicações especificas. A aplicação simplifica o processo de personalização, fine-tuning e otimização de software Wine no Ubuntu (por exemplo, a adição de prefixos de inicialização, estabelecendo o modo de compatibilidade, aplicando um tema do Windows e etc).
Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

O Vineyard possui um Indicador que apresenta os programas Windows atualmente em execução:
Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

Nova versão do Vineyard

Recentemente saiu uma nova versão do Vineyard, que corrige uma série de bugs e introduz suporte a manipulação de prefixos 32/64 bits, bem como bem com múltiplas versões instaladas do Wine.

Conheça melhor o Vineyard

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Vineyard para configurar Wine no Ubuntu

Antes de instalar o Vineyard, instale o Wine em seu sistema. Isso pode ser feito usando o gerenciador de pacotes ou seguindo esse tutorial:
Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu
Depois, para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:cybolic/vineyard-testing

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install vineyard

Como instalar o Vineyard manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vineyard no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Vineyard no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:cybolic/vineyard-testing --remove
sudo apt-get remove vineyard
sudo apt-get autoremove

Via OMG! Ubuntu!

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar f.lux no Ubuntu 15.10 e 16.04

Você passa algumas horas da noite usando o PC? Pois então precisa de uma ajuda para “dormir melhor”, para isso, veja como instalar f.lux no Ubuntu 15.10 e 16.04.


f.lux é um aplicativo que muda a temperatura da cor de seu monitor de computador de acordo com a localização e hora do dia, para reduzir a tensão ocular durante o uso noturno e evitar atrapalhar seu sono. O f.lux para Linux é composto de um daemon linha de comando e um applet indicador.

Como instalar f.lux no Ubuntu 15.10 e 16.04

Conheça melhor o f.lux

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o f.lux no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o f.lux no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nathan-renniewaldock/flux

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install fluxgui

Como instalar o f.lux manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite fluxgui no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o f.lux no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o f.lux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:nathan-renniewaldock/flux --remove
sudo apt-get remove fluxgui
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Gravação e edição de áudio – Instale Audacity no Ubuntu e derivados

Se você precisa de uma ferramenta para gravar e editar áudio, aprenda a instalar a versão mais recente do Audacity no Ubuntu e seus derivados.


Audacity é um gravador de som e editor de áudio multi-track de código aberto. Fácil de usar e multi-plataforma, ele tem versões para Linux, Windows e OS X. Com ele é possível fazer gravações de áudio ao vivo através do microfone ou mixer, converter fitas e discos em gravações digitais ou CDs, suporte à edição de som (WAV, AIFF, FLAC, MP2, MP3 ou Ogg Vorbis), alterar a velocidade ou o timbre de uma gravação, cortar, copiar, colar ou misturar sons.

Gravação e edição de áudio - Instale Audacity no Ubuntu e derivados

Importe arquivos de som, para editá-los e combiná-los com outros arquivos ou novas gravações. Exporte suas gravações em diversos formatos de arquivo, incluindo vários arquivos de uma só vez. O programa também tem a capacidade de capturar streaming de áudio, gerenciar múltiplos dispositivos de entrada e saída. Medidores de nível podem monitorar níveis de volume antes, durante e depois da gravação.

Conheça melhor o editor de áudio Audacity

Para saber mais sobre as novidades desse lançamento, clique nesse link.

Instalando a versão mais recente do editor de áudio Audacity no Ubuntu e derivados

O editor de áudio Audacity está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu, mas se você quiser instalar uma versão mais recente do programa ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:audacity-team/daily

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install audacity

Instalando o editor de áudio Audacity em versões mais antigas do Ubuntu e derivados

Para instalar o editor de áudio Audacity em versões mais antigas do Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/audacity

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install audacity

Como instalar o editor de áudio Audacity manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalado, o programa pode se executando a partir do Dash, digitando: audacity

Desinstalando o editor de áudio Audacity no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o editor de áudio Audacity no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/audacity --remove
sudo apt-get remove audacity
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

25 de julho de 2016

Como instalar o Carnê Leão no Linux manualmente

Se você está com dificuldade para instalar o Carnê Leão no Linux, veja como fazer isso de um jeito simples, prático e que funciona em qualquer distribuição Linux.


Quem recebe valores como pessoa física, sem ter qualquer vínculo empregatício, precisa recolher o imposto de renda mensalmente. Na verdade, tem mais detalhes além disso, então, consulte seu contador ou a Receita Federal, ok?.
Como instalar o Carnê Leão no Linux manualmente
Para fazer esse recolhimento mensal, é preciso usar o programa Carnê Leão. E se você usa Linux, o programa está disponível na página da Receita Federal em uma versão multiplataforma. Nesse tutorial, você verá como fazer para instalar o programa em qualquer distribuição Linux.

Conheça melhor o Carnê Leão

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre programas da Receita Federal para Linux

Preparando o sistema para instalar o Carnê Leão no Linux

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente, para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Como instalar o Carnê Leão no Linux

Para instalar o Carnê Leão no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se for necessário, caso já tenha feito alguma instalação manual e ainda não tenha cadastrado nada no programa, apague a pasta e o atalho anterior com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/leao/
sudo rm -Rf /usr/share/applications/leao.desktop

Passo 3. Para fatos ocorridos em 2015, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão (selecionando a opção multiplataforma) e salve-o com o nome leao.zip:

wget http://www.receita.fazenda.gov.br/Publico/programas/irpf/2015/CarneLeao/Java/LEAO2015v1.4.zip -O leao.zip

Passo 4. Para fatos ocorridos em 2016, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão (selecionando a opção multiplataforma) e salve-o com o nome leao.zip:

wget http://www.receita.fazenda.gov.br/Publico/programas/irpf/2016/CarneLeao/Java/LEAO2016v1.0.zip -O leao.zip

Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo unzip leao.zip -d /opt/

Passo 6. Renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/LEAO*/ /opt/leao/

Passo 7. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=leao\n Exec=java -server -Xms128M -Xmx512M -jar /opt/leao/PgdCarneLeao.jar\n Icon=/opt/leao/RFB.ico\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/leao.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite java -server -Xms128M -Xmx512M -jar /opt/leao/PgdCarneLeao.jar em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/leao.desktop
cp /usr/share/applications/leao.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/leao.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como remover o Carnê Leão no Linux

Para remover o Carnê Leão no Linux, basta fazer os dois primeiros passos do procedimento anterior.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente

Foi lançada recentemente mais uma versão de um dos melhores editores de vídeo para Linux. Se você quiser experimentar, veja a seguir como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente.


Shotcut é um editor de vídeos multiplataforma e de código aberto. Ele suporta uma grande quantidade de formatos de áudio e vídeo e codecs, além de suportar muitos formatos de imagem como BMP, GIF, JPEG, PNG, SVG, TGA, TIFF, bem como sequências de imagens.
Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente
O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Atenção! As versões mais recentes já não possuem uma edição para sistemas de 32 bits, por isso, mantive o link da última versão disponibilizada.

Conheça melhor o editor de vídeo Shotcut

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

A seguir, você verá com instalar esse editor de vídeo no Linux, de um modo que funciona na maioria das distribuições atuais.

Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux

Para instalar o cliente programa no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/shotcut*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/shotcut.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome shotcut.tar.bz2:

wget https://github.com/mltframework/shotcut/releases/download/v15.08/shotcut-debian7-x86-150810.tar.bz2 -O shotcut.tar.bz2

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome shotcut.tar.bz2:

wget https://github.com/mltframework/shotcut/releases/download/v16.07/shotcut-debian8-x86_64-160701.tar.bz2 -O shotcut.tar.bz2

Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -xjvf shotcut.tar.bz2 -C /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada (se ocorrer um erro na execução do comando abaixo, pule este passo);

sudo mv /opt/Shotcut*/ /opt/shotcut

Passo 8. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=shotcut\n Exec=/opt/shotcut/Shotcut.app/./shotcut\n Icon=applications-multimedia\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/shotcut.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite /opt/shotcut/Shotcut.app/./shotcut em um terminal, seguido da tecla TAB.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/shotcut.desktop
cp /usr/share/applications/shotcut.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/shotcut.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Problemas ao executar o editor de vídeo Shotcut no Linux?

Se na hora de executar o programa ele pedir a instalação da biblioteca libSDL, abra um terminal e execute o comando de instalação dela.
Em derivados do Debian e Ubuntu, o comando é:

sudo apt-get install libsdl1.2-dev

Já em derivados do Red Hat, Fedora e Centos, é esse:

yum install SDL-devel

Como remover o editor de vídeo Shotcut no Linux

Para remover o editor de vídeo Shotcut no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento anterior.

Via Sysads Gazette

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como compartilhar uma conexão de Internet com dispositivos Android no Ubuntu

Precisando conectar dispositivos Android na conexão de Internet do computador? Veja aqui como compartilhar uma conexão de Internet de um jeito bem fácil.


Esta dica rápida vai mostrar-lhe como criar Wi-Fi hotspot no Ubuntu, de modo que você pode compartilhar uma conexão de internet com fio com dispositivos Android através de sua placa wireless.

Como compartilhar uma conexão de Internet com dispositivos Android no Ubuntu

Em outro post escrevi como fazer isso usando um aplicativo de terceiros chamado ap-hotspot, mas alguns leitores disseram que esse método não funciona.

Como o Network Manager que vem instalado que vem instalado em algumas versões do Ubuntu Unity aparentemente não suporta o modo Access Point (AP), que é necessário para dispositivos Android, será preciso usar o editor de conexão do KDE, pois ele suporta este modo.

NOTA: Para fazer os passos abaixo, a placa sem fio de seu computador deve suportar o modo Access Point (AP).

Esse procedimento é especifico para versões do Ubuntu em que o Network Manager não suporta o modo Access Point (AP). Por isso, antes de tentar essa dica, veja se um dos tutoriais abaixo resolve o seu problema
Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu
Como criar um Hotspot Wi-Fi para celulares Android e Windows no Ubuntu

Como compartilhar uma conexão de Internet com dispositivos Android no Ubuntu

Para compartilhar uma conexão de Internet com dispositivos Android no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Para abrir a Central de programas e instalar o kde-nm-connection-editor, clique nesse link ou abra um terminal (teclando pressione CTRL + ALT + T) e digite o comando;

sudo apt-get install plasma-nm

Passo 2. Uma vez instalado, execute ele clicando no dash (ou pressione Alt + F2) e digitando: kde-nm-connection-editor
Como compartilhar uma conexão de Internet com dispositivos Android no Ubuntu
Passo 3. Clique no botão “Add” (Adicionar) e no menu que aparece, clique na opção “Wireless (shared)” (Sem fio (compartilhado)).
Como compartilhar uma conexão de Internet com dispositivos Android no Ubuntu
Passo 4. Digite um nome, SSID, e selecione o modo “Access Point” (Ponto de acesso). Se quiser, defina uma senha na guia “Wireless Security” (Segurança Wireless). Finalmente, clique em OK.
Como compartilhar uma conexão de Internet com dispositivos Android no Ubuntu
Passo 5. Já conectado à Internet com fio? OK, clique em gerenciador de rede no painel do Unity e, em seguida, escolha a opção “Connect to Hidden Wi-Fi network” (Conectar com uma rede Wi-Fi oculta), escolha a conexão que você criou no passo anterior e clique no botão “Connect” (Conectar);
Como compartilhar uma conexão de Internet com dispositivos Android no Ubuntu
Passo 6. Finalmente, o menu do gerenciador de rede mostrará a Rede;
Como compartilhar uma conexão de Internet com dispositivos Android no Ubuntu

Depois ative a conexão Wi-Fi do seu aparelho com Android e você verá o ponto de acesso na lista. Conecte-se nele e divirta-se.

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

OCR no Linux – Instale o Lios (Linux-Intelligent-Ocr-Solution)

Instalando o Lios para ter um OCR no Linux

Para instalar o Lios e ter um OCR no Linux no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas com suporte a pacotes DEB, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o pacote DEB. Se o link estiver desatualizado, acesse

essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome lios.deb:
wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/lios/lios_2.0_all.deb -O lios.deb 

Passo 3. Agora, use os comandos abaixo para instalar o programa:

sudo dpkg -i lios.deb
sudo apt-get install -f -y

Instalando o Lios para ter um OCR no Linux no Linux

Para instalar o Lios e ter um OCR no Linux no Linux Fedora, RedHat, CentOS, openSUSE e outros sistemas com suporte a pacotes RPM, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o pacote RPM. Se o link estiver desatualizado, acesse

essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome lios.rpm::
wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/lios/lios-2.0-0.noarch.rpm -O lios.rpm

Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat, CentOS e outras distros derivadas delas, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall lios.rpm

ou

sudo dnf install lios.rpm

Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install lios.rpm

Passo 7. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi lios.rpm

Para baixar outros pacotes de instalação de versões anteriores dessas distros, acesse esse

link.

Se tiver problemas com dependências, procure os pacotes nos gerenciadores da distribuição e instale elas. Depois, volte ao procedimento e instale o programa.

Depois de instalado, execute o programa digitando lios em um terminal, seguido da tecla TAB. Ao abrir o programa, vá nas nas preferências dele e selecione se irá usar Tesseract ou cuneiforme. Se optar pelo Tesseract, não esqueça de instalar ele.
OCR no Linux - Instale o Lios (Linux-Intelligent-Ocr-Solution)

Desinstalando o Lios no Linux

Para desinstalar o Lios no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. No Debian, Ubuntu e derivados, desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove lios*
sudo apt-get autoremove

Passo 3. No Fedora, RedHat, CentOS e outras distros derivadas delas, desinstale o programa usando o comando abaixo;

sudo yum remove lios*

ou

sudo dnf remove lios*

Passo 4. No openSUSE ou um de seus derivados, desinstale o programa usando o comando abaixo;

sudo zypper remove lios*

Passo 5. No OpenMandriva, Mageia e seus derivados, desinstale o programa usando o comando abaixo;

sudo urpme lios*

Via

lffl linux freedom

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Já mostrei como instalar esse aplicativo no Ubuntu e Fedora e hoje como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente.


Se você está a procura de uma alternativa ao WhatsApp e outros comunicadores, experimente usar o Telegram no Linux.
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Telegram é um serviço de mensagens criptografadas baseado em nuvem, rápido e que permite que você compartilhe dados ilimitados. Ao contrário do WhatsApp, Telegram é focado na segurança, velocidade e no respeito a privacidade do usuário.

Com ele você pode enviar mensagens, fotos, vídeos e arquivos de qualquer tipo (doc, zip, mp3, etc) para pessoas que estão em seus contatos de telefone e têm Telegram. Você também pode criar grupos de até 200 pessoas. O melhor é que você pode fazer tudo isso em qualquer número dos seus dispositivos, seja ele um dispositivo móvel ou um desktop.

Para aqueles usuários interessados em obter o máximo de privacidade, Telegram oferece Secret Chats, com criptografia end-to-end para garantir que a mensagem só possa ser lida pelo seu destinatário. Quando se trata de desse recurso, nada é registrado nos servidores do serviço e você pode programar automaticamente as mensagens para a autodestruição em ambos os dispositivos, dessa forma, nunca haverá qualquer registro delas.

O serviço possui um cliente para todos os principais sistemas operacionais móveis (iOS, Android e Windows Phone). Ele também tem uma versão desktop para Windows e Mac, além de um cliente oficial Telegram no Linux. Neste artigo, veremos como instalar Telegram oficial em qualquer distribuição Linux.

Esse tutorial utiliza um procedimento de instalação manual que funciona na maioria das distribuições Linux. Se você prefere instalar usando pacotes e repositórios, veja esse outro tutorial:
Telegram no Ubuntu e Fedora: como instalar a versão oficial via repositório

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o cliente Telegram

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Para instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/telegram*
sudo rm -Rf /usr/bin/telegram
sudo rm -Rf /usr/share/applications/telegram.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome tsetup.tar.xz:

wget https://updates.tdesktop.com/tlinux32/tsetup32.0.9.56.tar.xz -O tsetup.tar.xz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página e baixe a última versão e salve-o com o nome tsetup.tar.xz:

wget https://updates.tdesktop.com/tlinux/tsetup.0.9.56.tar.xz -O tsetup.tar.xz

Passo 6. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar Jxf tsetup.tar.xz -C /opt/

Passo 7. Se for necessário, renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/Telegram*/ /opt/telegram

Passo 8. Caso queira, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando:

sudo ln -sf /opt/telegram/Telegram /usr/bin/telegram

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=Telegram\n Exec=/opt/telegram/Telegram\n Icon=Telegram\n Type=Application\n Categories=Application;Network;' | sudo tee /usr/share/applications/telegram.desktop

Pronto! Agora você já tem o cliente oficial do Telegram no linux, quando quiser iniciar o programa, digite telegram no Dash do Ubuntu ou em um terminal (seguido da tecla TAB), em todas as distribuições.

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/telegram.desktop
cp /usr/share/applications/telegram.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/telegram.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity
Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como deixar a interface do Telegram em Português do Brasil

Caso o programa inicie com em inglês, para deixar a interface do Telegram em Português do Brasil, faça o seguinte;
Passo 1. Na tela do programa, clique na opção “Settings”;
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Passo 2. Em “Settings”, clique em “Change language”;
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Passo 3. No menu que aparece, marque a opção “Português (Brasil)”;
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente
Passo 4. feito isso, aparecerá uma pequena tela pedindo para reiniciar o programa e aplicar a mudança. Confirme clicando no botão “OK”.
Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

Como remover o programa no Linux

Para remover o programa no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento anterior.

Via It’s F.O.S.S.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu

Se você gostou do visual do novo Windows, mas claro, não quer usar o sistema, veja como instalar o tema Windows 10 no Ubuntu e deixar seu desktop com a cara dele.


Muitas pessoas gostaram da interface do Windows 10, principalmente porque agora ela vem com boa parte das características que o Linux já têm há anos.

Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu

Para estes e para os usuários recém-chegados ao Linux, é possível deixar o desktop Linux com um visual vem parecido, usando o tema Windows 10.Instalando o tema Windows 10 no Ubuntutema Windows 10

Este tema oferece duas versões: uma clara e a outra escura, o que permite que você possa usar no ambiente que quiser. Mas lembre-se, se você não gostar dele, então não é preciso usá-lo.
Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu
Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu

Este tema funciona bem sob Cinnamon e Xfce, mas também pode funcionar sob outros ambientes de trabalho como o Unity, (Gnome tem alguns problemas com ele, mas não custar nada tentar usá-lo nele).

Conheça melhor o tema Windows 10

Para saber mais sobre o tema, clique nesse NoobsLab.

Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu e derivados

Para instalar o tema Windows 10 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema Windows 10 usando o seguinte comando:

sudo apt-get install windos-10-themes

Como instalar o tema Windows 10 manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do tema nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Desinstalando o tema Windows 10 no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema Windows 10 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema Windows 10, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove windos-10-themes

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

24 de julho de 2016

Resumo semanal de 18/07/2016 a 24/07/2016

Você já sabe como se conectar e controlar remotamente o Ubuntu usando um dispositivo com Android? Ou sabe que a primeira atualização do Ubuntu 16.04 já está disponível para download? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essas postagens. Mas não se preocupe, leia o resumo semanal de 18/07/2016 a 24/07/2016 e se atualize.


Mas você já deve ter experimentado o Ubuntu DesktopPack? Ou já sabe como instalar o cliente overGrive e usar o Google Drive no Linux sem complicação? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal de 18/07/2016 a 24/07/2016

Resumo semanal de 18/07/2016 a 24/07/2016

18/07/2016

19/07/2016

20/07/2016

21/07/2016

22/07/2016

23/07/2016

Veja também

Linux Mint 18 Sarah já está disponível para download

Ubuntu 16.04

Quem quiser experimentar o Ubuntu 16.04 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como atualizar para o Ubuntu 16.04

Quem precisar atualizar para o Ubuntu 16.04, basta seguir esses tutoriais:
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 na versão desktop
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 via terminal (server e desktop)
Como atualizar para o Ubuntu 16.04 usando o disco de instalação

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

Quem acabou de mudar para o Ubuntu 16.04, pode dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04

Veja também

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

23 de julho de 2016

Anotações na nuvem: instale WizNote no Ubuntu

Quer fazer anotações sem preocupações? Experimente instalar o WizNote no Ubuntu e deixe suas anotações na nuvem, para acessar sempre que precisar.


WizNote é uma solução livre e multiplataforma de notas baseadas em nuvem e que serve para uso pessoal e profissional. O serviço é especialmente projetado para usuários de Internet e de dispositivos mobile conectados.

Anotações na nuvem: instale WizNote no Ubuntu

O programa permite que os usuários possam editar, visualizar, modificar e criar notas de forma interativa em Linux, Mac, MS Windows, Android, iOS e dispositivos Windows Phone, a qualquer hora e em qualquer lugar. Todas as notas privadas ou notas de grupo são sincronizadas automaticamente em todos os dispositivos conectados.

Há também o WizNote Business Service, onde equipes/grupos podem se comunicar e colaborar uns com os outros usando esse aplicativo com mensagens e comentários. Todos os servidores WizNote são baseados em nuvem com várias cópias sincronizadas, ou seja, você não precisa se preocupar com perda de dados.

Outra grande característica deste serviço, que permite anexar arquivos/imagens/links (anexos) com notas e também você pode classificá-los em grupos, notas de tags, suporte a pastas multinível, para mais tarde você pode encontrar qualquer nota específica ou facilmente compartilhe a nota.

Conheça melhor o WizNote

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o WizNote no Ubuntu e tenha acesso as suas anotações na nuvem

Para instalar o WizNote no Ubuntu e ter acesso as suas anotações na nuvem, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:wiznote-team

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install wiznote

Como instalar o WizNote manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wiznote no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o WizNote no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o WizNote no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove wiznote
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Conectar dispositivos Android ao PC: veja como fazer usando KDE Connect

Se você precisa conectar dispositivos Android ao PC de um jeito fácil, veja como fazer isso no Ubuntu usando KDE Connect.


KDE Connect permite que você possa conectar dispositivos Android ao PC com Linux. Com o aplicativo você pode receber notificações do seu telefone/tablet diretamente no seu desktop Linux, ou usar o dispositivo móvel como controle remoto para seu desktop Linux.

Conectar dispositivos Android ao PC: veja como fazer usando KDE Connect

KDE Connect usa o protocolo de comunicação seguro, a fim de fornecer esses serviços através da rede, e também permite que os desenvolvedores criem plugins para KDE Connect em cima dela. Agora existem clientes KDE Connect disponíveis para dispositivos Android e Blackberry, e em breve também será lançada uma versão para o iPhone.

Complementando o conjunto, tem o Indicator para KDE Connect, que é uma ferramenta para integrar a área de trabalho com seu smartphone. Este indicador permite fazer a integração em qualquer sistema usando o libappindicator.

Conheça melhor o KDE Connect

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como conectar dispositivos Android ao PC usando KDE Connect no Ubuntu

Para conectar dispositivos Android ao PC usando KDE Connect no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Instale o programa no dispositivo com Android, acessando esse link;
Conectar dispositivos Android ao PC: veja como fazer usando KDE Connect
Passo 2. Execute o programa. Depois, conecte o dispositivo com Android na mesma rede Wi-Fi que está o PC;
Passo 3. No PC com Ubuntu, abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 4. Para começar a instalar o programa no PC, adicione o repositório dele com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:vikoadi/ppa -y

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

 sudo apt-get install indicator-kdeconnect kdeconnect -y

Passo 7. Se você quiser que o programa inicie automático junto com o sistema, use o comando abaixo:

cp /usr/share/applications/indicator-kdeconnect.desktop ~/.config/autostart/

Passo 8. Inicie o programa digitando indicator-kdeconnect no Dash ou em um terminal, seguido da tecla TAB; Depois disso, clique no ícone dele no painel do Ubuntu. Quando aparecer o menu, clique na opção “Request pairing”;
Conectar dispositivos Android ao PC: veja como fazer usando KDE Connect
Passo 9. No dispositivo com Android, será exibido o pedido de emparelhamento. Para confirmar, toque no botão “Aceitar”. Quando for confirmado, será exibida uma mensagem da tela do PC;
Conectar dispositivos Android ao PC: veja como fazer usando KDE Connect

Usando KDE Connect no Ubuntu

  • Se você quiser enviar arquivos para o dispositivo com Android, clique no ícone do programa no painel do Ubuntu e quando aparecer o menu, clique na opção “Send file”;

Conectar dispositivos Android ao PC: veja como fazer usando KDE Connect

  • Se você quiser acessar os arquivos do dispositivo com Android, clique no ícone do programa no painel do Ubuntu e quando aparecer o menu, clique na opção “Browse device”;

Conectar dispositivos Android ao PC: veja como fazer usando KDE Connect

Usando KDE Connect no dispositivo com Android

Pronto! Com os dois programas instalados e os aparelhos emparelhados, agora você pode usá-los a vontade. Divirta-se.

Via NoobsLab

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como criar um Hotspot Wi-Fi para celulares Android e Windows no Ubuntu

Se você está compartilhando uma conexão de Internet com fio, através de um computador com Ubuntu, e alguns aparelhos com Android e celulares com Windows, não estão conseguindo se conectar, veja aqui como criar um Hotspot Wi-Fi e resolver isso.



Quem tem uma única conexão de Internet com fio, pode facilmente configurar uma rede sem fio ad-hoc com o Ubuntu e compartilhar essa conexão entre vários dispositivos. Com isso, você pode criar um hotspot Wi-Fi, o que permite que um computador possa servir como um roteador Wi-Fi gratuito.

Como criar um Hotspot Wi-Fi para celulares Android e Windows no Ubuntu

Infelizmente, ao criar um Hotspot Wi-Fi a rede criada usa ad-hoc e alguns dispositivos, incluindo aparelhos com Android e celulares com Windows, podem não suportar redes sem fio ad-hoc.

Mas existe um programa que pode resolver isso: Ap-hotspot. Ele é um projeto de código aberto que automaticamente cria uma infra estrutura (modo de ponto de acesso) hotspot wireless no Ubuntu, que deve funcionar para aparelhos com Android e celulares com Windows.

Conheça melhor o Ap-hotspot

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

Como criar um Hotspot Wi-Fi portátil para celulares Android e Windows no Ubuntu, usando o Ap-hotspot

Para criar um Hotspot Wi-Fi portátil para celulares Android e Windows no Ubuntu, usando o Ap-hotspot, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome ap-hotspot.deb:

wget https://launchpadlibrarian.net/168519798/ap-hotspot_0.3.1-1%7Ewebupd8%7E0_all.deb -O ap-hotspot.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando (se ocorrer um erro, ignore e vá para o próximo passo);

sudo dpkg -i ap-hotspot.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 5. Depois de instalado, execute o comando abaixo para configurar seu ponto de acesso Wi-Fi:

sudo ap-hotspot configure

Passo 6. Ele irá detectar as interfaces com fio e sem fio e lhe pedirá para confirmar se as informações estão corretas. Em seguida, será solicitado que você digite um nome de ponto de acesso wi-fi e configure uma senha.Como criar um Hotspot Wi-Fi para celulares Android e Windows no Ubuntu
Passo 7. Finalmente, inicie o hotspot wireless com o comando:

sudo ap-hotspot start

Passo 8. Quando precisar parar o hotspot wireless, execute este comando no terminal do Ubuntu:

sudo ap-hotspot stop

Pronto! Desde que a placa de rede Wi-Fi de seu computador seja compatível com o software, o que você saberá na hora da configuração, em pouco tempo será possível se conectar ao hotspot Wi-Fi através de aparelhos com Android e celulares com Windows.

Desinstalando o Ap-hotspot no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Ap-hotspot no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove ap-hotspot
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o editor de tags Puddletag no Ubuntu

Se você procura um bom editor de tags de arquivos de áudio para Linux, experimente instalar o Puddletag.


Puddletag é um editor de tag de arquivos de áudio para Linux, semelhante ao programa Mp3tag para Windows. Ao contrário da maioria dos editores de tag para Linux, ele usa um layout de planilha para que todas as tags que você deseja editar manualmente fiquem visíveis e facilmente editáveis.

Como instalar o editor de tags Puddletag no Ubuntu

Todos os recursos comuns de outros editores de tag são suportados, como extrair informações da tag de nomes de arquivos, renomear arquivos baseados em suas tags, utilização de padrões e edição básica de tag. Puddletag suporta os formatos ID3v1, ID3v2 (mp3), MP4 (mp4, m4a, etc.), VorbisComments (ogg, flac), Musepack (mpc), Monkey’s Audio (.ape) e WavPack (wv).

Com o programa, você pode fazer coisas como substituir o texto, cortar, fazer conversões de maiúsculo/minúsculo e etc. As ações podem automatizar tarefas repetitivas. Fazer pesquisas de web usando o Amazon (incluindo arte da capa), Discogs (faz arte da capa também!), FreeDB e MusicBrainz também é suportado e muito mais.

Conheça melhor o editor de tags Puddletag

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o editor de tags Puddletag no Ubuntu e derivados

Puddletag está disponível nos repositórios oficiais de algumas versões mais recentes do Ubuntu, no entanto, não é a versão mais recente. Por isso, para ter a última versão desse programa no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/puddletag

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install puddletag -y

Como instalar o Puddletag manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digitando puddletag no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Puddletag no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Puddletag no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/puddletag --remove
sudo apt-get remove puddletag
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como instalar o emulador de terminal Terminator no Ubuntu

Se você procura um terminal mais completo, com diversas funcionalidades adicionais, experimente instalar o emulador de terminal Terminator no Ubuntu.


Terminator é emulador de terminal que inclui inúmeros recursos úteis, como vários terminais na mesma janela (visualização dividida), notificações, suporta salvar e restaurar layouts personalizados e muito mais.

Como instalar o emulador de terminal Terminator no Ubuntu

Segundo a página do projeto no Launchpad:

O objetivo deste projeto é produzir uma ferramenta útil para organizar os terminais.
O aplicativo é inspirado em que programas como o gnome-multi-term, quadkonsole e etc.
O foco principal é organizar terminais em grades (abas é o método padrão mais comum, que o Terminator também suporta).

Como instalar o emulador de terminal Terminator no Ubuntu

Como instalar o emulador de terminal Terminator no Ubuntu

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o emulador de terminal Terminator

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais sobre as versões do programa, acesse o ChangeLog.

Como instalar o emulador de terminal Terminator no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o emulador de terminal Terminator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:gnome-terminator/nightly

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install terminator

Como instalar o emulador de terminal Terminator manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite terminator no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o emulador de terminal Terminator no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o emulador de terminal Terminator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:gnome-terminator/nightly --remove
sudo apt-get remove terminator
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

22 de julho de 2016

Monitoramento de sistema: Instale Monitorix no Ubuntu

Quer fazer o monitoramento de sistema de um servidor Ubuntu remotamente com uma interface gráfica, diretamente no seu navegador? Então conheça Monitorix.


Monitorix é um utilitário de código aberto e leve, que permite fazer o monitoramento de sistema, ou seja, monitorar as informações do servidor através do seu navegador web.

Monitoramento de sistema: Instale Monitorix no Ubuntu

O programa foi criado para ser usado em servidores Linux/UNIX de produção, mas devido à sua simplicidade e pequeno tamanho, também pode ser usado em dispositivos embarcados.

Para fazer o monitoramento de sistema, o Monitorix possui um servidor HTTP embutido. Ele também funciona com Apache, Nginx, lighttpd, etc
Ele exibe gráficos com:

  • Média de carga do sistema e uso
  • Uso global do kernel
  • Uso do Kernel por processador
  • Uso do sistema de arquivos e atividade de Entrada/Saída
  • Tráfego de rede e uso
  • Demanda de serviços do sistema
  • Tráfego da porta de rede
  • Os usuários que utilizam o sistema

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o Monitorix

Para mais detalhes sobre o programa, acesse esse link.
Para ver imagens dos painéis de informações do programa, acesse esse link.
A instalação desse aplicativo não é garantida em todas as versões dos sistemas Debian, Ubuntu e derivados. De qualquer forma, vale a pena testar se ele é compatível com o sistema que você usa, e se for, comente para que os outros leitores saibam.

Instalando o Monitorix fazer o monitoramento de sistema de no Ubuntu

Para instalar o Monitorix em um servidor Ubuntu ou derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Se ainda não tiver, instale as dependências usando o comando abaixo:

sudo apt-get install rrdtool perl libwww-perl libmailtools-perl libmime-lite-perl librrds-perl libdbi-perl libxml-simple-perl libhttp-server-simple-perl libconfig-general-perl

Passo 4. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome monitorix.deb;

wget http://www.monitorix.org/monitorix_3.8.1-izzy1_all.deb -O monitorix.deb

Passo 5. Instale o programa com os comandos abaixo:

sudo dpkg -i monitorix.deb

Passo 6. Caso seja necessário, inicie o serviço com o comando:

sudo service monitorix start

Finalmente, acesse remotamente ou localmente digitando http://ipdoservidor:8080/monitorix no seu navegador web.

O arquivo de configuração do programa é /etc/monitorix.conf. Lá você pode alterar a porta, negar ou permitir o host remoto, e fazer outros ajustes.

Desinstalando o Monitorix no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Monitorix no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove monitorix
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Como se conectar e controlar remotamente o Ubuntu usando um dispositivo com Android [Atualizado]

Quer acessar e usar seu computador com Ubuntu usando apenas um smartphone ou tablet com Android? Então veja nesse tutorial, como se conectar e controlar remotamente o Ubuntu usando um dispositivo com Android.


Em alguns momentos, pode ser que você precise acessar seu PC com Ubuntu e ele esteja fisicamente fora de alcance, para ajudá-lo a resolver isso, mostrarei como configurá-lo para que ele possa ser controlado remotamente por um smartphone ou tablet com Android.

Como se conectar e controlar remotamente o Ubuntu usando um dispositivo com Android

Para fazer essa “mágica”, será o usado o VNC Viewer for Android (ou qualquer outro cliente VNC), um app que se conecta a maioria dos servidores VNC: TightVNC, RealVNC no Windows e Linux, x11vnc e Apple Remote Desktop no OS/X.

Alguns usuários me informaram que tiveram problemas com o VNC Viewer for Android e que usando o RemoteToGo RDP/VNC For Android a conexão funcionou bem. Portanto, se não conseguirem com primeiro app, tem tem com este.

Como se conectar e controlar remotamente o Ubuntu

Para poder se conectar e controlar remotamente o Ubuntu, primeiro é preciso ativar o acesso remoto nele. Para isso, faça o procedimento a seguir.

Configurando o compartilhamento da área de trabalho

Para configurar o Ubuntu para ser acessado remotamente você precisará fazer o seguinte:
Passo 1. No Ubuntu, clique no Dash e digite: “compartilhamento da area”. Quando aparecer, clique no item “Compartilhamento da área de trabalho”;
Como se conectar e controlar remotamente o Ubuntu usando um dispositivo com Android
Passo 2. Na tela que aparece, configure as opções para permitir o acesso remoto a sua área de trabalho, conforme for mais conveniente;
Como se conectar e controlar remotamente o Ubuntu usando um dispositivo com Android

Descobrindo o endereço do PC com Ubuntu

Descubra o endereço IP do PC com Ubuntu, clicando no ícone “Configurações do sistema” e depois abrindo a opção “Rede”
Como se conectar e controlar remotamente o Ubuntu usando um dispositivo com Android

Acessa o PC com Ubuntu

Passo 1. Conecte o aparelho com Android na mesma rede ativando o Wi-Fi;
Passo 2. Abra o aplicativo da loja Google Play no aparelho e instale gratuitamente o
VNC Viewer for Android ou o RemoteToGo RDP/VNC For Android;
Passo 3. Em seguida, abra o app instalado e digite um apelido, o endereço IP do Ubuntu e a senha. Finalmente, toque no botão “Connect”.
Como se conectar e controlar remotamente o Ubuntu usando um dispositivo com Android
É isso aí, agora sempre que quiser você pode usar seu dispositivo com Android para controlar o PC. Para completar, com poucos ajustes, isso também pode ser feito usando qualquer outro aparelho que possua um aplicativo cliente VNC ou desktop que suporte o compartilhamento de área de trabalho usando tecnologia VNC.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Backup e restauração de apps: Instale o Aptik

Se você precisa fazer backup e restauração de apps, experimente o Aptik. Conheça um pouco mais sobre ele e veja como instalar o programa no Ubuntu e sistemas derivados.


Aptik foi criado para ajudar a tornar a instalação de pacotes mais fácil, e por isso, é a ferramenta ideal para ser usada após uma nova instalação do Ubuntu. Com ele você pode fazer um backup de seus repositórios PPA, aplicativos baixados, temas e ícones, e depois recuperá-los na nova instalação.

Backup e restauração de apps: Instale o Aptik

Usando o Aptik você pode até mesmo ver o uso dos repositórios PPA, por exemplo, PPAs com um ícone verde são ativos e têm alguns pacotes instalados, já PPAs com um ícone amarelo são ativos, mas não utilizados (não tem nenhum pacote instalado).

Conheça melhor o Aptik

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a ferramenta de backup e restauração de apps Aptik no Ubuntu

Para instalar a ferramenta de backup e restauração de apps Aptik no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo apt-add-repository -y ppa:teejee2008/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install aptik

Como instalar o Aptik manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite aptik no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).
Backup e restauração de apps: Instale o Aptik

  • Para fazer backup de repositórios, use o botão “Cópia de segurança (Backup)”que fica depois de Repositórios (PPAs)”.
  • Para fazer backup de seus pacotes de instalação baixados, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)” de “Pacotes Baixados (APT Cache)”.
  • Para backup de seus programas favoritos, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)” que fica depois de “Seleção de Programas”. Uma lista de pacotes de nível superior instalados serão exibidos. Depois, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)”, para copiar os pacotes baixados.
  • Para fazer backup das configurações de seus aplicativos, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)” de “Configurações de Aplicativos”.
  • Para temas, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)” de “temas e ícones”. Uma lista de temas instalados serão exibidos, para que você possa selecionar e criar uma cópia.

Desinstalando a ferramenta de backup e restauração de apps Aptik no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Aptik no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove aptik
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Instalando o cliente BitTorrent Vuze no Ubuntu

Vuze é um cliente BitTorrent escrito em Java, que usa o Azureus Engine. Se você usa ou quer experimentar esse programa, veja como instalar ou atualizar ele no Ubuntu.


Vuze é um cliente BitTorrent que além de download de dados ligados a arquivos .torrent, também permite aos usuários visualizar, publicar e compartilhar DVD originais e conteúdo de vídeo com qualidade HD.

Instalando o cliente BitTorrent Vuze no Ubuntu

No programa, o conteúdo é apresentado por meio de canais e categorias que contêm programas de TV, vídeos de música, filmes, jogos de vídeo, séries e outros. Além disso, se os usuários preferem publicar o seu conteúdo original, eles podem ganhar dinheiro com isso.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o cliente BitTorrent Vuze

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o cliente BitTorrent Vuze no Ubuntu e derivados

Para instalar o cliente BitTorrent Vuze no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Antes de instalar o Vuze, instale o Java 6, 7 ou posterior acessando esse outro tutorial;
Passo 3. Baixe o Azureus Engine usando o comando a seguir. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome azureus.deb;

wget http://archive.getdeb.net/getdeb/ubuntu/pool/apps/a/azureus/azureus_5.7.2.0-1~getdeb1_all.deb -O azureus.deb

Passo 4. Em seguida baixe o Vuze com esse comando. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vuze.deb;

wget http://archive.getdeb.net/getdeb/ubuntu/pool/apps/a/azureus/vuze_5.7.2.0-1~getdeb1_all.deb -O vuze.deb

Passo 5. Agora instale o Azureus Engine com o comando (se aparecer algum erro, ignore-o, pois ele será corrigido no passo 7):

sudo dpkg -i azureus.deb

Passo 6. Instale o Vuze com o comando (se aparecer algum erro, ignore-o, pois ele será corrigido no passo 7):

sudo dpkg -i vuze.deb

Passo 7. Caso seja necessário, instale outras dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Pronto! Quando quiser iniciar o programa, digite vuze no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Ferramenta de backup: Instale Systemback no Ubuntu

Se você precisa de uma ferramenta de backup e restauração para seu sistema, experimente instalar o Systemback no Ubuntu ou um de seus derivados.


Systemback é um aplicativo simples de backup e restauração para Ubuntu Linux, que torna fácil criar backups de arquivos de configuração de sistema e usuários. Com ele, em caso de problemas, você pode facilmente restaurar o estado anterior do sistema.

Ferramenta de backup: Instale Systemback no Ubuntu

Além disso, existem recursos extras, como a cópia do sistema de uma partição para outra, instalação do sistema, criação de sistema Live em CD/DVD/USB do sistema atual com ou sem os dados do usuário, criação de novo usuário, definição da senha de root, mudança do nome do computador (hostname), conserto do sistema de arquivos e até a reparação do Grub.

Conheça melhor a ferramenta de backup Systemback

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a ferramenta de backup Systemback no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Systemback no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nemh/systemback

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install systemback

Como instalar a ferramenta de backup Systemback manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite systemback no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Com Systemback, você pode criar um sistema de ponto de restauração como no Windows, apenas clicando no novo botão “Create new”.
Ferramenta de backup: Instale Systemback no Ubuntu
Irá demorar alguns minutos para o programa fazer backup de arquivos do sistema e dados de configuração do usuário. Arquivos do usuário, como documentos, imagens e música não serão colocados no backup. Durante este tempo, você pode clicar no botão “Interrupt” para cancelar o processo.
Ferramenta de backup: Instale Systemback no Ubuntu
Uma vez que você criou um ponto de restauração, ele estará na lista da janela principal com um nome parecido com “2014/07/11, 20.50.47” (veja a primeira foto). Escolha-o e você será capaz de clicar no botão “System restore”. Então você poderá facilmente restaurar o estado do sistema para o tempo que você criou o ponto.
Ferramenta de backup: Instale Systemback no Ubuntu

Desinstalando o Systemback no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Systemback no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:nemh/systemback --remove
sudo apt-get remove systemback
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

21 de julho de 2016

Ubuntu 16.04.1 disponível para download – Atualize seu sistema

Saiu a primeira atualização da atual distribuição da Canonical: o Ubuntu 16.04.1. Conheça as novidades e descubra como atualizar ou onde baixar a distro.


Ubuntu 16.04.1 traz correções para alguns erros do apt, systemd, dpkg e xinit, que resolvem problemas de atualização. O update também entrega algumas correções de falhas do LibreOffice, muitas correções e melhorias para Software Gnome (Ubuntu Software), várias correções para o Unity, Unity Settings Daemon, compiz, lightdm, oxide-qt browser engine e etc.

Ubuntu 16.04.1 já está disponível para download - Baixe agora

Como atualizar para o Ubuntu 16.04.1

Quem já está usando o Ubuntu 16.04, basta fazer uma atualização regular do sistema usando Software Updater para ir para o Ubuntu 16.04.1. Quem ainda não usa essa série, pode baixar as imagens do sistema usando os link listados nesse texto.

Conheça melhor a distribuição Ubuntu

Para saber mais sobre a distribuição Ubuntu, clique nesse link.
Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o Ubuntu 16.04.1

A imagem ISO do Ubuntu 16.04.1 já pode ser baixada acessando o link abaixo (alguns desses links podem estar sendo atualizados):
Ubuntu Desktop 16.04.1 (Desktop/Server)
Ubuntu Gnome 16.04.1
Kubuntu 16.04.1
Xubuntu 16.04.1
Lubuntu 16.04.1
Ubuntu Mate 16.04.1
Ubuntu Kylin 16.04.1
Ubuntu Studio 16.04.1
Ubuntu 16.04.1 (NetBoot)
Ubuntu Cloud 16.04.1
Mythbuntu 16.04.1

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

O que está sendo falado no blog nos últimos dias



Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.


blog comments powered by

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
31 de julho de 2016, 09:01
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.