10 de dezembro de 2018

Como instalar o azulíssimo tema Blue Face no Linux

Se você está sempre no Facebook e quer levar ele para todo o sistema do pinguim, conheça e veja como instalar o azulado tema no Linux.


Blue Face é um tema que usa as mesmas cores do Facebook. Ele é voltado para os viciados no Facebook e aqueles que gostam de curtir o Facebook.Como instalar o azulado tema Blue Face no LinuxComo instalar o azulado tema Blue Face no Linux

Então, se você não é fã e não gosta de curtir a rede social do tio Zuck, esse tema pode não ser para você. Mas claro, nada impede que você experimente ele.

Além disso, este tema é compatível com ambientes que usam GTK 2.x/3.20/3.22/3.24/3.25.x, Metacity, Openbox, Unity e Xfwm4.

Instalando o tema Blue Face no Linux

Para instalar o tema Blue Face no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Baixe o tema com o seguinte comando:

wget https://github.com/Vistaus/Blue-Face/archive/master.zip

Passo 3. Se você quiser instalar o tema apenas para o seu usuário, use o comando abaixo para o arquivo baixado na sua pasta de temas:

unzip master.zip -d .themes/

Passo 4. Se você quiser instalar o tema para todos os usuários, use o comando abaixo para descompactar o arquivo baixado na pasta de temas do sistema:

sudo unzip master.zip -d /usr/share/themes/

Depois de instalar, você pode usar o comando gsettings set org.gnome.desktop.interface gtk-theme "Blue-Face-master" no Unity, gsettings set org.gnome.desktop.interface gtk-theme "Blue-Face-master" e gsettings set org.gnome.desktop.wm.preferences theme "Blue-Face-master" no Gnome, xfconf-query -c xsettings -p /Net/ThemeName -s "Blue-Face-master" no XFCE, ou use os utilitários Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Ou, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Desinstalando o tema Blue Face no Linux

Para desinstalar o tema Blue Face no Linux, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 3. Se você instalou o tema apenas para o seu usuário, use o comando abaixo para apagar a pasta dele dentro da sua pasta de temas:

rm -Rf .themes/Blue-Face-master/

Passo 3. Se você instalou o tema para todos os usuários, use o comando abaixo para apagar a pasta dele dentro da pasta de temas do sistema:

sudo rm -Rf /usr/share/themes/Blue-Face-master/

Para voltar ao estado anterior, você pode usar o comando gsettings set org.gnome.desktop.interface gtk-theme "Radiance" ou os utilitários Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema.

Ou, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o CopyQ no Ubuntu e sistemas derivados

Se você quiser experimentar a versão mais recente do mais completo gerenciador de área de transferência para Linux, veja como instalar o CopyQ no Ubuntu e derivados, e aproveite esse incrível recurso.


CopyQ é um gerenciador de área de transferência avançado com histórico pesquisável e , e com suporte para texto, HTML, imagens e qualquer outro formato personalizado.Como instalar o CopyQ no Ubuntu e derivadosComo instalar o CopyQ no Ubuntu e derivados

CopyQ oferece recursos de edição e script. Ele monitora a área de transferência do sistema e salva seu conteúdo em guias personalizadas. A área de transferência guardada pode ser posteriormente copiada e colada diretamente em qualquer aplicativo.

Ele possui uma aparência totalmente personalizável (cores, fontes, transparência), interface avançada de linha de comando e scripting e uma variedade de atalhos de todo o sistema.

Com o programa você pode personalizar o menu da bandeja, salvar itens em abas ou árvore, navegar rapidamente através de itens, classificar itens, criar novo, editar, remover, copiar/colar para uma aba diferente, colar imediatamente para a janela focada a partir da bandeja ou da janela principal e ignorar o conteúdo copiado de algumas janelas ou contendo algum texto.

Ficou curioso? Então veja algumas imagens do programa:

Como instalar o CopyQ no Ubuntu e derivados

Como instalar o CopyQ no Ubuntu e derivados

Como instalar o CopyQ no Ubuntu e derivados

Como instalar o CopyQ no Ubuntu e derivados

Como instalar o CopyQ no Ubuntu e derivados

Como instalar o CopyQ no Ubuntu e derivados

Como instalar o CopyQ no Ubuntu e derivados

Para instalar o CopyQ no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:hluk/copyq

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install copyq

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite copyq ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o CopyQ no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o CopyQ no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:hluk/copyq -r -y
sudo apt-get remove copyq --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o gerenciador de área de transferência CopyQ no Linux

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o reprodutor Lplayer no Ubuntu e derivados

Se você quer apenas reproduzir seus arquivos de áudio sem precisar passar pela indexação de toda a biblioteca de arquivos desse tipo, conheça e veja instalar o reprodutor Lplayer no Ubuntu e derivados.


Lplayer é um player minimalista que possui uma interface despojada e fácil de usar, que coloca apenas os essenciais na tela, nomeadamente os controles do reprodutor e a lista de faixas.Como instalar o reprodutor Lplayer no Ubuntu e derivadosComo instalar o reprodutor Lplayer no Ubuntu e derivados

No entanto, mesmo usando um design mínimo, ele entrega um par de recursos realmente interessantes (o que iremos chegar em um segundo), para não mencionar o suporte para praticamente qualquer formato de áudio que você possa disputar.

Ele evita recomendações inteligentes e características organizacionais em favor da simplicidade. Isso torna o ajuste perfeito como um aplicativo rápido para ouvir áudio de um arquivo de áudio, sem precisar transportar sua biblioteca de música inteira no processo.

LPlayer pode reproduzir formatos de áudio mais comuns, incluindo mp3, ogg, flac e m4a. E para reproduzir um arquivo, clique no ícone ‘+’ e selecione o(s) arquivo(s) ou simplesmente arraste e solte arquivos do seu gerenciador de arquivos para o aplicativo.

Se você baixa pequenos clipes de áudio e arquivos de som para usar em vídeos, como alertas de notificação, e assim por diante, e não quer adicionar esses clipes de áudio para o Rhythmbox, nem quero aguardar uma vida inteira enquanto o Rhythmbox examina asnovas músicas, o Lplayer pode ser a solução para isso.

Como instalar o reprodutor Lplayer no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o reprodutor Lplayer no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:atareao/lplayer

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install lplayer

Como instalar o reprodutor Lplayer manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite lplayer em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

Se não conseguir localizar o comando de execução, execute o comando abaixo:

which lplayer

Desinstalando o reprodutor Lplayer no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o reprodutor Lplayer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:atareao/lplayer -r -y
sudo apt-get remove lplayer --auto-remove

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerenciador de lista de tarefas QOwnNotes no Linux

Se você está a procura de uma solução para controlar suas tarefas, conheça e veja como instalar o gerenciador de de tarefas QOwnNotes no Linux.


O QOwnNotes é um gerenciador de lista de tarefas e todo list de código fonte aberto, com suporte markdown e integração ownCloud/Nextcloud, e que está disponível para Linux, Mac OS X e Windows.Como instalar o gerenciador de lista de tarefas QOwnNotes no LinuxComo instalar o gerenciador de lista de tarefas QOwnNotes no Linux

Com QOwnNotes, você pode:

  • Escrever seus pensamentos e eles serão armazenados armazenados como arquivos de texto simples no seu computador;
  • Sincronizar notas sobre dispositivos (desktop e celular) com o cliente de sincronização ownCloud ou Nextcloud;
  • Usar o ownCloud Notes para editar suas anotações na web;

Ou seja, você será capaz de anotar seus pensamentos com QOwnNotes e editá-los ou buscá-los mais tarde, a partir do seu dispositivo móvel (como no CloudNotes) ou os serviços web ownCloud/Nextcloud.

Suas notas serão armazenadas como arquivos de texto simples e você pode sincronizá-los com seu próprio cliente de sincronização nextcloud ou NextCloud.

Obviamente, outros softwares, como Dropbox, Syncthing, Seafile ou BitTorrent Sync, também podem ser usados.

Como instalar o gerenciador de lista de tarefas QOwnNotes no Linux via Flatpak

Para instalar o gerenciador de lista de tarefas QOwnNotes no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de lista de tarefas QOwnNotes no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um ;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.qownnotes.QOwnNotes.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.qownnotes.QOwnNotes

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak uninstall org.qownnotes.QOwnNotes

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.qownnotes.QOwnNotes em um terminal.

Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite qownnotes ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o gerenciador de lista de tarefas QOwnNotes no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Leia feeds, compartilhe notícias no LinkedIn, Blogger e imprima com o QuiteRSS

Se você lê vários feeds e quer compartilhar notícias no LinkedIn, Blogger e imprimir, conheça e veja como instalar o leitor de Feeds QuiteRSS no Ubuntu e seus derivados.
QuiteRSS é um leitor de notícias de feeds RSS/Atom aberto e multi plataforma, que pretende ser bastante rápido e confortável para o usuário.

Leia feeds, compartilhe notícias no LinkedIn, Blogger e imprima com o QuiteRSSLeia feeds, compartilhe notícias no LinkedIn, Blogger e imprima com o QuiteRSS

O programa possui navegador embutido (Baseado no Webkit), filtros de feeds e de notícias, adblock, click to flash, importação e exportação de feeds usando arquivos OPML, e muito mais.

Parta completar, nessa versão o leitor permite compartilhar notícias no Evernote, Google, Facebook, Twitter, LiveJournal, Pocket, VK, LinkedIn, Blogger, via e-mail ou em formato de impressão.

Como instalar o leitor de Feeds QuiteRSS no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o leitor de Feeds QuiteRSS no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:quiterss/quiterss

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install quiterss -y

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite quiterss ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como usar o leitor de Feeds QuiteRSS

Para adicionar um Feeds RSS basta clicar no botão “Adicionar” (ou “+”) e digitar ou colar o endereço respectivo e confirmar. Feito isso, o programa irá localizar e adicionar as notícias.

Leia feeds, compartilhe notícias no LinkedIn, Blogger e imprima com o QuiteRSS

O endereço mostrado na imagem a seguir é o feed do blog, não esqueça de adicionar ele, ou se preferir, se inscreva e receba as noticias por e-mail acessando esse link.

E claro, coloque nos comentários a sua experiência com esse aplicativo.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Mantenha apenas pacotes essenciais com Debfoster no Ubuntu/Debian

Se você se preocupa com espaço em disco, excesso de pacotes, e quer ter um sistema mais limpo, mantenha apenas pacotes essenciais com Debfoster no Ubuntu/Debian.


Debfoster é um utilitário de linha de comando que permite manter apenas os pacotes essenciais e excluir os outros pacotes que não são mais necessários.Mantenha apenas pacotes essenciais com Debfoster no Ubuntu/Debian Mantenha apenas pacotes essenciais com Debfoster no Ubuntu/Debian

Com ele, você pode manter o sistema limpo e mínimo o tempo todo. O debnoster é um programa “wrapper” para os gerenciadores de pacotes apt e dpkg.

Ele mantém uma lista de pacotes instalados que foram solicitados explicitamente, em vez de serem instalados como uma dependência.

Quando você executá-lo pela primeira vez, ele irá criar uma lista de pacotes instalados e salvá-lo em um arquivo chamado keepers no diretório /var/lib/debfoster/.

O Debfoster usará esta lista para detectar pacotes que foram instalados somente porque outros pacotes dependiam deles.

Se uma dessas dependências mudar, o debnoster tomará conhecimento e perguntará se você deseja remover o pacote antigo.

Desta forma, ele o ajuda a manter um sistema limpo com os pacotes essenciais da sua escolha.

Mantenha apenas pacotes essenciais com Debfoster no Ubuntu/Debian

Para manter apenas pacotes essenciais com Debfoster no Ubuntu/Debian, primeiramente, você precisa o Debfoster. para isso, use os procedimentos abaixo.

Como instalar e usar o Debfoster no Ubuntu, Debian e seus derivados

Debfoster está disponível nos repositórios padrão. Então, a instalação não será um grande problema. Execute o seguinte comando para instalar o Debfoster em qualquer sistema baseado em Debian:

sudo apt install debfoster

Uma vez instalado, você precisa criar uma lista de pacotes instalados executando o seguinte comando:

sudo debfoster -q

O comando acima irá adicionar os pacotes atualmente instalados no arquivo keepers no diretório /var/lib/debfoster/. Você pode editar este arquivo para remover os pacotes que não deseja mais instalar no seu sistema.

Você não deve remover os pacotes importantes e relacionados ao sistema deste arquivo, como o kernel do Linux, grub, base do Ubuntu, desktop do Ubuntu, etc.

Além disso, faça backup de arquivos importantes de configuração que foram editados manualmente.

Agora, force o utilitário debnoster para remover os pacotes que não estão listados no arquivo keepers. Para fazer isso, execute esse comando:

sudo debfoster -f

Debfoster irá remover todos os pacotes que não estão disponíveis no arquivo keepers, junto com suas dependências.

Ele também instala todos os pacotes ausentes que parecem estar faltando, forçando assim o seu sistema a cumprir com o banco de dados debnoster.

E, em seguida, você pode executar o seguinte comando de vez em quando após cada vez que você adicionou/removeu pacotes, para verificar se há algum pacote órfão ou dependências indesejadas, e que precisam ser removidas.

sudo debfoster

Se você instalou/removeu algum pacote, verá uma saída como abaixo. Como você vê na saída, o pacote screen não está listado na minha lista de keepers. Porque, eu instalei depois de criar a lista de keepers.

Então, debuffer me pergunta se eu quero manter isso ou não. Se você não tiver certeza do que fazer, digite “H” para exibir a seção de ajuda.

Keep screen? [Ynpsiuqx?], [H]elp: H

Yes Keep screen. [default]
No Delete screen.
Prune Delete screen and the packages it is keeping installed.
Skip Skip this question.
Help Print this message.
Info or ? Show information about screen.
Undo Undo last response.
Quit Exit without removing packages.
Exit Remove unwanted packages and exit.

Keep screen? [Ynpsiuqx?], [H]elp:

Debfoster irá exibir todas as opções possíveis. Digite Y se você não quiser remover os pacotes.

O pacote screen agora será adicionado ao arquivo keepers e o Debfoster não o removerá nas transações futuras, a menos que você o tenha removido manualmente usando o comando “apt-get remove screen”.

Digite “N” para excluir o pacote screen. Digite “P” para excluir o screen e os pacotes que ele está mantendo instalados.

Digite “info” ou “?” para exibir os detalhes do pacote. “Q’ para sair sem remover o pacote. E digite “E” para remover os pacotes e sair.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como compactar e descompactar arquivos no Linux via Terminal

Se você precisa lidar com arquivos compactados e não quer depender demais das ferramentas gráficas ou possui acesso à linha de comando, veja como compactar e descompactar arquivos no Linux via Terminal.


Compactar e descompactar arquivos no Linux não é mais um bicho de sete cabeças. Já existem diversas opções de aplicativos gráficos para essa tarefa e os principais ambientes desktop, já oferecem opções nativas de compactação/descompactação.Como compactar e descompactar arquivos no Linux via TerminalComo compactar e descompactar arquivos no Linux via Terminal

Apesar disso, é importante conhecer o processo a fundo para não depender demais das ferramentas gráficas, e quando for necessário, usar o terminal para compactar e descompactar arquivos no Linux.

Embora a compactação e a descompactação sejam uma coisa relativamente simples, neste artigo, você verá como compactar e descompactar arquivos da sua distribuição Linux favorita, usando comandos no terminal.

Esse é um artigo destinado a iniciantes, e por isso, mostrará apenas como a compressão e a descompressão são feitas, sem empacotá-las com a maravilhosa ferramenta tar.

Como compactar e descompactar arquivos no Linux via Terminal

Para compressão e descompressão, vamos usar dois pacotes fundamentais, já que eles são provavelmente os formatos mais exigidos e com os quais nos deparamos mais frequentemente quando estamos trabalhando em sistemas semelhantes ao Unix. Estou me referindo ao gzip e bzip2.

Como compactar e descompactar arquivos no Linux via Terminal usando o Gzip

Como compactar e descompactar arquivos no Linux via TerminalComo compactar e descompactar arquivos no Linux via Terminal usando Gzip

Para compactar com gzip, o formato que vamos usar é o Lempel-Zi (LZ77), e não o ZIP como tal, porque o nome pode causar confusão. O nome gzip vem do GNU ZIP, e foi criado para ser um substituto para o formato ZIP, mas não é o mesmo. É preciso deixar isso bem claro.

Ciente disso, para compactar um arquivo, use o gzip assim:

gzip document.txt

Isso gera um arquivo com o mesmo nome do original, só que com a extensão .gz.

O resultado do exemplo anterior seria um arquivo com o nome document.txt.gz.

Caso você queira modificar o nome de saída para um nome específico, use assim:

gzip -c document.txt> new_name.gz

Para descomprimir um arquivo que já está comprimido, é igualmente simples, embora possamos usar dois comandos diferentes com o mesmo efeito:

gzip -d document.gz
gunzip documento.gz

E coo resultado de qualquer um dos dois comandos, você irá obter o arquivo descompactado sem extensão .gz.

Como compactar e descompactar arquivos no Linux via Terminal usando o bzip2

Como compactar e descompactar arquivos no Linux via TerminalComo compactar e descompactar arquivos no Linux via Terminal usando o Bzip2

Quanto ao bzip2, ele é semelhante ao programa anterior, mas com um algoritmo de compressão diferente chamado codificação Burrows-Wheeler and Huffman. A extensão que temos neste caso é .bz2.

Para poder compactar um arquivo nesse formato, basta usar:

bzip2 document.txt

Com isso você obtém um document.txt.bz2 compactado. Também é possível mudar o nome da saída com a opção -c:

bzip2 -c document.txt> name.bz2

Para descompressão, use a opção -d:

bzip2 -d documento.bz2

Ou a ferramenta bunzip2:

bunzip2 documento.bz2

Complementando

Como os comandos citados acima não cobrem todas as tarefas de descompactação, confira abaixo os comandos mais comuns:

Para descompactar um arquivo zip na pasta atual, use:

unzip arquivo.zip

Para descompactar um arquivo zip em outra pasta, use:

unzip arquivo.zip -d /pasta/

Para descompactar uma pasta que está dentro do arquivo zip na pasta atual, use:

unzip arquivo.zip linux64/*

Para descompactar uma pasta que está dentro do arquivo zip em outra pasta, use:

unzip arquivo.zip linux64/* -d /pasta/

Para descompactar um arquivo tar.bz2 na pasta atual, use:

tar -xjvf arquivo.tar.bz2

Para descompactar um arquivo tar.bz2 em outra pasta, use:

tar -xjvf arquivo.tar.bz2 -C /pasta/

Para descompactar um arquivo tar.xz na pasta atual, use:

tar xvf arquivo.tar.xz

Para descompactar um arquivo tar.xz em outra pasta, use:

tar xvf arquivo.tar.xz -C /pasta/

Para descompactar um arquivo tar.gz na pasta atual, use:

tar -vzxf arquivo.tar.gz

Para descompactar um arquivo tar.gz em outra pasta, use:

tar -vzxf arquivo.tar.gz -C /pasta/

Conheça melhor os programas usados nesse artigo

Para saber mais sobre o Gzip, use o comando man gzip no terminal.
Para saber mais sobre o Bzip2, use o comando man bzip2 no terminal.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o conversor FFaudioConverter no Linux via Flatpak

Se você precisa encodar diferentes tipos de arquivos de áudio, conheça e veja instalar o conversor FFaudioConverter no Linux via Flatpak.


FFaudioConverter uma aplicação gráfica de conversão de áudio que pode converter arquivos ou pastas inteiras contendo arquivos de música e vídeo para outros formatos de áudio.Como instalar o conversor FFaudioConverter no Linux via FlatpakComo instalar o conversor FFaudioConverter no Linux via Flatpak

Na prática, ele é uma interface para converter músicas ou em arquivos de áudio com o FFmpeg sob o capô.

Ele possui suporte DnD, torna fácil converter muitos arquivos ou diretórios inteiros e os formatos de saída atualmente suportados são mp3, ogg, opus, flac e wav.

Como instalar o conversor FFaudioConverter no Linux via Flatpak

Para instalar o conversor FFaudioConverter no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o conversor FFaudioConverter no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um ;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.Bleuzen.FFaudioConverter.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.github.Bleuzen.FFaudioConverter

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.Bleuzen.FFaudioConverter em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite xxx ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o conversor FFaudioConverter no Linux via Flatpak

Para desinstalar o conversor FFaudioConverter no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.github.Bleuzen.FFaudioConverter

Ou

flatpak uninstall com.github.Bleuzen.FFaudioConverter

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo Star Ruler 2 no Linux via Snap

Se você ansiava por uma versão Linux de um dos mais famosos jogos da Blind Mind Studios, veja como instalar o jogo no Linux via Snap.


Star Ruler 2, é um híbrido espacial 4X/RTS desenvolvido pela Blind Mind Studios. Explore dúzias, centenas ou até milhares de sistemas em uma galáxia de sua escolha, expanda seus planetas, explore os recursos que encontrar e acabe exterminando qualquer um que esteja em seu caminho.Como instalar o jogo Star Ruler 2 no Linux via SnapComo instalar o jogo Star Ruler 2 no Linux via Snap

O destino do seu império depende da sua capacidade de dominar a economia, de dominar um exército, influenciar a política galáctica e aprender o que puder sobre o universo.

Star Ruler 2 agora pode ser facilmente instalado no Linux via pacote Snap.

O Snap do Star Ruler 2 é um pacote de software conteinerizado que pode ser executado na maioria dos desktops Linux.

Ele agrupa a maioria das bibliotecas de dependência e atualiza automaticamente quando um novo pacote de lançamento é publicado.

Como instalar o jogo Star Ruler 2 no Linux via Snap

Para instalar o jogo Star Ruler 2 no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Star Ruler 2 no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install starruler2

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install starruler2 --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh starruler2

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite starruler2 ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo Star Ruler 2 no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o jogo Star Ruler 2 no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove starruler2

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

SuperTuxKart receberá algumas melhorias visuais em sua interface

A equipe por trás do mais famoso jogo de corrida de kart livre informou que o SuperTuxKart receberá algumas melhorias visuais em sua interface. Confira!


Os fãs de jogos estão preparados para o lançamento do DiRT 4 para Linux no próximo ano, mas há outro jogo de corrida popular que também irá levar muitos jogadores para o Linux.SuperTuxKart receberá algumas melhorias visuais em sua interfaceSuperTuxKart receberá algumas melhorias visuais em sua interface

Em breve, SuperTuxKart, o famoso software livre de corridas de kart receberá algumas melhorias visuais na interface de usuário do jogo e nas telas de corrida.

SuperTuxKart receberá algumas melhorias visuais em sua interface

Explanando seus planos no blog oficial de desenvolvimento do jogo, a equipe por trás desse icônico de corrida compartilhou mais detalhes sobre o ataque gráfico que deram ao jogo, antes de seu próximo grande lançamento.

Por exemplo, a tela de corrida principal dá a todo o texto uma borda preta, melhorando a legibilidade e a leitura das etiquetas na tela.

Agora, a mensagem ‘Final Lap’ (e outras informações de texto) fica mais altas na tela do que anteriormente, mas com um tamanho de fonte maior, para um maior destaque.

Outras mudanças incluem:

  • Velocímetro remodelado;
  • Calibrador de nitro mais preciso;
  • Mapa de pistas maior (com opção para definir a posição da tela);
  • Ícone de bandeira ao lado do contador de voltas.

Você pode ver todas essas mudanças em ação no vídeo abaixo:

[embedded content]

Outras alterações dizem respeito ao resto da interface do usuário no jogo, menus e telas de seleção.

Por exemplo, cada tela de informações de pista tem mais espaço para exibir fotos de pré-visualização da trilha e um espaço para listar as 5 melhores pontuações mais altas.

Muitas telas de configuração agora usam guias verticais, oferecendo mais espaço na tela para exibir ajuda, configurações e outras opções.

Finalmente, juntamente com a opção de controlar o modo como funciona a tela dividido multijogador local e algumas sugestões multijogador online (sim, isso está chegando), há um tema escuro opcional.

Ainda não se sabe quando os jogadores podem esperar avançar com essas (e outras) melhorias no jogo, mas com redes multi-player no SuperTuxKart agora passando por testes mais amplos, podemos supor que não vai demorar muito…

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Leitor de PDF leve: instale Zathura no Ubuntu e Arch Linux

Procurando um visualizador de documentos PDF, PostScript, DjVu e (), que seja leve e minimalista? Então experimente instalar o Zathura.


Normalmente nas principais distribuições Linux o software padrão dedicado à exibição de documentos em PDF é o Okular, Evince e etc. Mas existem opções mais simples e que fazem basicamente a mesma coisa, um software de código aberto com características muito interessantes chamado Zathura.Leitor de PDF leve: instale Zathura no Ubuntu e Arch Linux de PDF leve: instale Zathura no Ubuntu e Arch Linux

Zathura é um projeto que tem como objetivo fornecer um visualizador de PDF leve, com uma experiência de usuário no mesmo estilo do Vim com vários atalhos de teclado dedicados, tudo em uma interface gráfica simples e minimalista.

Entre as principais características de Zathura está o suporte a plugins de terceiros, o que permite ver arquivos PostScript, DjVu e de quadrinhos em formato CBR.

O programa inclui suporte para bookmarks, a capacidade de imprimir um documento inteiro ou páginas específicas, pesquisa dentro do documento, navegação do índice e sincronização SyncTeX frente e para trás.

Com Zathura você tem diversos atalhos de teclado. Você pode, por exemplo, alterar a exibição pressionando a tecla “D”, encontrar e lançar um documento com a tecla O, virar uma página pressionando R etc.

Leitor de pdf leve – Como instalar o Zathura no Ubuntu e Arch Linux e seus derivados

Zathura está disponível nos repositórios oficiais do Debian, Ubuntu e Arch Linux, por isso, para instalar ele nesses sistemas, você pode usar o gerenciador de pacotes, ou fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. No Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install zathura zathura-cb zathura-ps zathura-djvu

Passo 3. Já no Arch Linux e seus derivados, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo pacman -S zathura 

Como instalar Zathura em outras distribuições Linux

Para instalar Zathura em outras distribuições Linux, visite esta página e siga as instruções em inglês ou utilize uma versão traduzida através desse link.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite zathura em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Kingsoft WPS Office no Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

Procurando uma suíte de escritório compatível com o MS office e multiplataforma? Conheça o Office. Se você quiser atualizar ou experimentar essa versão, veja aqui fazer isso.


O Kingsoft WPS Office é uma suíte de escritório proprietária que está tendo um sucesso notável, especialmente entre os usuários orientais.Como instalar o Kingsoft WPS Office no Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivadosComo instalar o Kingsoft WPS Office no Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

A ideia do projeto WPS Office é fornecer aos usuários uma gratuita ao Microsoft Office, incluindo um excelente suporte para formatos proprietários e uma interface gráfica moderna e intuitiva.

Graças à colaboração entre o Kingsoft Office International Community e a Canonical, a suíte de escritório tornou-se parte dos repositórios oficiais da distro Ubuntu Kylin, uma especificação oficial derivada do Ubuntu, voltada para os usuários chineses.

Apesar de ainda ser um Alpha, o continuo desenvolvimento do Kingsoft WPS Office lhe dá cada dia mais funcionalidades e estabilidade, tornado-a uma suíte de escritório multiplataforma com características muito interessantes.

Como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e sistemas derivados

A seguir, você verá como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux, mais especificamente em distribuições baseadas em pacotes RPM (como Fedora, CentOS, OpenSUSE, Mageia, OpenMandriva e seus derivados) e DEB (como Debian, Ubuntu e sistemas derivados destes).

Como instalar o WPS Office no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o WPS Office no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits e você quer usar versão mais recente do WPS Office, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.deb:

wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/6757/wps-office_10.1.0.6757_i386.deb -O wps-office.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits e você quer usar versão mais recente do WPS Office, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.deb:

wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/6757/wps-office_10.1.0.6757_amd64.deb -O wps-office.deb

Passo 5. Baixe o pacote de fontes da suíte:

wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/fonts/wps-office-fonts_1.0_all.deb -O web-office-fonts.deb

Passo 6. Agora, instale os pacotes baixados clicando neles ou usando o comando abaixo (claro, dentro da pasta onde foram baixados os arquivos):

sudo dpkg -i wps-office*.deb

Passo 7. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 8. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove wps-office

Como instalar o Kingsoft WPS Office no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Quem quiser instalar o Kingsoft WPS Office no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.rpm:

wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/6757/wps-office-10.1.0.6757-1.i686.rpm -O wps-office.rpm

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.rpm:

wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/6757/wps-office-10.1.0.6757-1.x86_64.rpm -O wps-office.rpm

Passo 5. Baixe o pacote de fontes da suíte:

wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/fonts/wps-office-fonts-1.0-1.noarch.rpm -O web-office-fonts.rpm

Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install wps-office*.rpm

Passo 7. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall wps-office*.rpm

ou

sudo dnf install wps-office*.rpm

Passo 8. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

sudo rpm -i wps-office*.rpm

Passo 9. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e wps-office

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite wps ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Problemas ao executar o Kingsoft WPS Office no Linux?

Se você tiver problemas ao executar o Kingsoft WPS Office no Linux, use o gerenciador de pacotes de sua distro e instale a última versão da biblioteca libpng12.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

As automáticas do sistema da Canonical não servem para você? Então veja desativar as automáticas no Ubuntu.


Para alguns, pode ser irritante todos os dias ficar vendo notificações do sistema informando que existem atualizações automáticas. Felizmente, é possível desativar as atualizações automáticas no Ubuntu. E este tutorial irá lhe mostrar como fazer isso.Como desativar as atualizações automáticas no UbuntuComo desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

Mas antes de tomar uma atitude tão radical, saiba que não é recomendável desativar as atualizações automáticas no Ubuntu, pois se trata de algo muito importante para o bom funcionamento do sistema.

Entretanto, podem haver diversas razões pelas quais você queira ou precise controlar o processo manualmente: Você pode estar intencionalmente evitando uma nova versão de um pacote ou aplicativo de missão crítica; você pode estar ignorando a mais versão do kernel ou uma atualização de driver.

Você também pode estar tentando poupar largura de banda, já que utiliza uma conexão de internet móvel ou limitada.

Nesse caso, por exemplo, só a verificação de atualização pode baixar algo em torno de 300MB ao longo de um único mês (dependendo de quais fontes, arquivos e PPA´s você tiver habilitado).

Seja qual for a sua razão, você não tem que ser incomodado se não quiser. Por isso, veja a seguir como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu e deixe o sistema como você quer.

Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

Para configurar o Ubuntu para desativar as atualizações automáticas, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Programas e atualizações”;

Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

Passo 2. Dentro de “Programas e atualizações”, clique na aba “Atualizações”;

Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

Passo 3. Nessa aba, clique na seta ao lado do campo “Procurar por atualizações automaticamente” e selecione a opção “Nunca”. Finalmente, clique no botão “Fechar” e estará pronto;

Como desativar as atualizações automáticas no Ubuntu

Agora que a busca automática por atualizações está desativada, lembre-se: você deve fazer essa verificação manualmente para não correr o risco de perder algo importante para o seu sistema.

Ou seja, esta configuração não desativa a capacidade de atualizar o sistema. Você pode continuar a verificar e instalar atualizações manualmente, através da linha de comando, ou utilizando o aplicativo Atualizador de programas.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via Flatpak

Se você trabalha com cálculos complexos e funções próprias, conheça e veja como instalar a calculadora cientifica no Linux via Flatpak.


O SpeedCrunch é uma calculadora científica rápida e de alta precisão. Ela possui um visor rolável realçado com sintaxe e foi projetada para ser totalmente usado via teclado.Como instalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via FlatpakComo instalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via Flatpak

Ele inclui muitas funções matemáticas internas e suporta recursos avançados, como funções definidas pelo usuário, números complexos e conversões de unidades.

Isso é combinado com uma interface de usuário simples, mas poderosa, com visualização de resultados rápida, realce de sintaxe e preenchimento automático.

Como instalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via FlatpakComo instalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via Flatpak

Como instalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via Flatpak

Para instalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema.

Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.speedcrunch.SpeedCrunch.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.speedcrunch.SpeedCrunch

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.speedcrunch.SpeedCrunch em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite speedcrunch ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via Flatpak

Para desinstalar a calculadora cientifica SpeedCrunch no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.speedcrunch.SpeedCrunch

Ou

flatpak uninstall org.speedcrunch.SpeedCrunch

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior

Se você quer ter mais controle sobre as animações do Shell do Ubuntu, veja como alterar a velocidade das animações no Ubuntu e superior.


Animações são necessárias para dar o devido feedback visual para que os usuários saibam o que está acontecendo. No entanto, em alguns PC’s isso pode deixar o sistema mais lento.Como alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superiorComo alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior

E em alguns casos, você pode querer aumentar a velocidade dessas animações para aproveitar melhor todo o poder do seu computador.

Para atender a essas duas situações, este tutorial rápido mostrará como aumentar ou diminuir a velocidade de animação padrão do Gnome Shell no Ubuntu 18.04 e superior.

Para conseguir isso, existe uma extensão do Gnome Shell chamada impatience, que pode fazer o trabalho.

A boa notícia? Essa extensão pode ser facilmente instalado no Ubuntu através do Ubuntu Software.

Como alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior

Para alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra a loja do Ubuntu, clicando no item Software Ubuntu que tem o ícone de uma sacola;

Como alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior

Passo 2. Dentro do Software Ubuntu, clique no ícone da lupa e digite ‘impatience’ para localizar a extensão. Quando ele aparecer na listage,, clique no nome dele;

Como alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior

Passo 3. Em seguida, clique no botão “”. Se for solicitado, autorize a instalação;

Como alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superiorComo alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior

Passo 4. Aguarde até que a instalação termine;

Como alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior

Passo 5. Quando terminal a instalação, clique no botão ‘Configurações de extensão’;

Como alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior

Passo 6. Na tela que será exibida, coloque o ajuste no número que for mais adequando para você. O valor de escala de velocidade 1, para desacelerar a animação da área de trabalho.

Como alterar a velocidade das animações no Ubuntu 18.04 e superior

Se você quiser instalar essa extensão de outra forma, consulte o tutorial abaixo:

Descubra como instalar extensões do Gnome Shell

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o navegador Brave no Ubuntu e derivados

Se você procura um navegador rápido para melhorar a sua experiência de navegação, conheça e veja o navegador Brave no Ubuntu e derivados.


O navegador Brave é um browser de internet veloz, gratuito e , com monitoramento e proteção de segurança e experiência otimizada, e que possui versões para macOS, Windows, Linux, Android e iOS.Como instalar o navegador Brave no Ubuntu e derivadosComo instalar o navegador Brave no Ubuntu e derivados

Essa navegador não usa plugins externos, nem pop-ups, malware, configurações para definir ou outros aborrecimentos.

Resumindo: o Brave se foca simplesmente em proporcionar a experiência de navegação mais rápida e segura.

Brave é um navegador Web livre e de código aberto desenvolvido pela Brave Software Inc., baseado no navegador da Web Chromium e em seu mecanismo Blink, que bloqueia e rastreadores de sites.

Como instalar o navegador Brave no Ubuntu e derivados

Para instalar o navegador Brave no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando;

sudo sh -c 'echo "deb [arch=amd64] https://brave-browser-apt-release.s3.brave.com `lsb_release -sc` main" >> /etc/apt/sources.list.d/brave.list'

Passo 3. Baixe a chave do repositório do programa com o comando:

wget -q -O - https://brave-browser-apt-release.s3.brave.com/brave-core.asc | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install install brave-browser brave-keyring

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite brave ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o navegador Brave no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o navegador Brave no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove brave-browser brave-keyring --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o navegador Brave no Linux via Snap

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Conheça algumas boas opções de editores de código para Linux

Se você programa usando o sistema do pinguim e quer um fazer a edição de código da melhor forma possível, conheça algumas boas de editores de código para Linux.


Existem algumas distribuições Linux dedicadas apenas aos desenvolvedores. Felizmente, você não precisa ser forçado a mudar para essas distribuições. É possível complementar a sua distribuição Linux para suas necessidades de codificação, com a instalação de alguns dos editores de código que estão disponíveis para o Linux.Conheça algumas boas opções de editores de código para LinuxConheça algumas boas opções de editores de código para Linux

Esses editores de código podem melhorar sua produtividade com algumas funções inteligentes. Embora existam editores nativos no Linux como o Vi, o Vim, o Emacs, o Nano, existem muitos outros que têm uma grande quantidade de recursos.

Conheça boas opções de editores de código para Linux

Para ajudá-lo na ingrata tarefa de escolher um bom editor, você verá uma lista de boas opções de editores de código para Linux.

Escolha aquele que for mais conveniente ao seu trabalho e seja mais produtivo.

Conheça algumas boas opções de editores de código para LinuxComo instalar o editor de código Atom no Linux via snap

O Atom foi criado em Electron utilizando tecnologias web como HTML, JavaScript e CSS. Ela dispõe de suporte para plug-ins escritos em Node.js e comandos gerenciados por GitControl.

Esse editor é moderno, acessível, hackeavel, também é um software open source, desenvolvido, em sua maioria, pela comunidade no GitHub, sob a licença MIT.

Além disso, o Atom apresenta um gerenciador de pacote integrado que permite procurar e instalar pacotes novos (e temas) a partir de dentro Atom, o preenchimento automático inteligente, o navegador do sistema de arquivos, vários painéis, e muito mais.

Como instalar o Atom

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esses tutoriais:
Como instalar o editor de código Atom no Linux via snap
Como instalar o editor Atom no Linux via Flatpak
Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Geany

Conheça algumas boas opções de editores de código para LinuxEditor de textos/ Geany

Com funções básicas para um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE), Geany é um editor de texto multiplataforma desenvolvido em GTK+ e um software livre licenciado sob a GNU GPL versão 2.

O Geany é um editor básico que suporta todas as linguagens de programação populares e é uma ótima opção para quem procura um editor de texto básico com recursos poderosos.

O programa está disponível para diversos sistemas operacionais, como o BSD, o Linux, o MacOS X, o Solaris e até o Windows.

Na verdade, você pode executar o Geany em qualquer plataforma que tenha suporte às bibliotecas GTK, uma vez que requer apenas as bibliotecas de tempo de execução (runtime) GTK2.

Como instalar o Geany

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o editor de textos/IDE Geany no Linux via Flatpak

Bluefish

Conheça algumas boas opções de editores de código para LinuxEditor de código Bluefish

O Bluefish é um editor de código poderoso voltado para programadores e desenvolvedores Web, com muitas opções para escrever sites, scripts e código de programação.

Ele suporta muitas linguagens de programação e marcação. Ele também oferece todos os tipos de recursos avançados de edição, como recuo automático e preenchimento automático, para muitas funções e bibliotecas em muitas linguagens de programação.

Para completar, Bluefish pode usar plugins para automatizar códigos usados ​​com frequência, e possui verificação ortográfica em linha com reconhecimento de código, além de suporte a Zencoding ou Emmet e painel de marcadores (favoritos).

Como instalar o editor de código Bluefish

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o editor de código Bluefish no Linux via Flatpak


Light Table

Conheça algumas boas opções de editores de código para LinuxIDE Light Table

Light Table é uma IDE multi-plataforma e de código aberto que dispõe de feedback em tempo real, permitindo execução instantânea, depuração e acesso à documentação.

O Light Table é apresentado como o editor de texto da próxima geração para o Linux e há uma razão para isso. Ele é desenvolvido com foco nas necessidades futuras. Os desenvolvedores do Light Table integraram vários novos recursos que são únicos à sua maneira.

O Light Table possui um poderoso sistema de complementos que permite estender e personalizar praticamente qualquer aspecto do editor. Tem mais de 100 complementos para tornar este editor uma ferramenta muito poderosa.

Como instalar o Light Table

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar a IDE Light Table no Linux manualmente
Como instalar a IDE Light Table no Ubuntu e derivados


Conheça algumas boas opções de editores de código para LinuxEditor de código Sublime Text

Sublime Text é um editor de código fonte com uma interface de programação de aplicativo (API). Ele é escrito usando a linguagem de programação C++ e , e é multiplataforma, sendo disponibilizado para Linux, Windows e Mac.

A partir de um conjunto poderoso e personalizado de ferramentas de interface do usuário multiplataforma, com um mecanismo de sintaxe de destaque inigualável, o Sublime Text é um editor perfeito para uso e desempenho ideais.

Pode ser usado como um editor de texto simples com realce de sintaxe. Ao adicionar complementos de suporte adicionais, você pode expandir sua funcionalidade e fazer quase tudo que um IDE completo pode fazer.

Além disso, oferece opções de personalização abundantes. Keyings, menus, fragmentos, macros, finais e muito mais: quase tudo no Sublime Text pode ser personalizado com arquivos JSON simples. Este sistema oferece flexibilidade, pois a configuração pode ser especificada por tipo de arquivo e por projeto.

Como instalar o Sublime Text

Para instalar esse aplicativo no Linux, acesse esses tutoriais:
Como instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Flatpak
Como instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Snap
Como instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivados

Gostou da lista? Fique de olho nela, pois será atualizada a medida que mais opções forem sendo descobertas. E se você quiser, deixe uma sugestão nos comentários.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o incrível jogo XMoto no Linux via Flatpak

Se você gosta de e dos desafios da prática de motocross, conheça e veja como instalar o incrível XMoto no Linux via .


O X-Moto é um desafiante jogo focado no tema motocross em gráficos de duas dimensões, onde a física desempenha um papel importante na jogabilidade. O jogo é um software livre que é distribuído gratuitamente.Como instalar o jogo XMoto no Linux via FlatpakComo instalar o jogo XMoto no Linux via Flatpak

Nesse jogo, você precisa controlar sua moto até seus limites, se você quiser ter uma chance de terminar os desafios mais difíceis.

A ideia básica do jogo veio do Elasto Mania, mas a física do X-Moto é ligeiramente diferente.

Basicamente, objetivo do jogo é controlar uma motocicleta pegando um certo número de maçãs em um cenário. Quando o número de maçãs estabelecido é adquirido, o jogador deve se dirigir até a imagem de uma flor que representa o fim da fase.

Como instalar o incrível jogo XMoto no Linux via Flatpak

Caso o corpo ou a cabeça do motociclista bata no chão, no teto ou em uma parede, o jogador perde e deve tentar novamente.

Apesar disso, o que dificulta esta missão é a física bastante realista do jogo. Se o jogador acelerar muito bruscamente, a moto irá empinar para a frente e o risco de capotar é grande.

Se ocorrer uma freada busca ou colisão, o motociclista é arremessado para a frente. E em caso de colisão, a moto sofre deformações.

Como instalar o incrível jogo XMoto no Linux via Flatpak

Por onta disso, é necessário praticar para dominar o equilíbrio do jogo sabendo o momento certo de acelerar, freiar e empinar a moto.

Em fases mais avançadas existe obstáculos como espinhos e fogo. Se você encostar nestes elementos com a moto ou com o corpo do motociclista, o jogador também perde. Quanto mais rápido um jogador finalizar um percurso, melhor.

Esse jogo estimula os jogadores a completar todas as provas o mais rápido possível, pois os melhores tempos de cada jogador são gravados e podem ser enviados para um ranking oficial.

Como instalar o jogo XMoto no Linux via Flatpak

Para instalar o jogo XMoto no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o jogo XMoto no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um ;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.tuxfamily.XMoto.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.tuxfamily.XMoto

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.tuxfamily.XMoto

Ou

flatpak uninstall org.tuxfamily.XMoto

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.tuxfamily.XMoto em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite xmoto ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Controles do Jogo

Direcional para Cima: Acelerador
Direcional para Baixo: Freio
Direcional para Frente: Empina a moto para trás
Direcional para Trás: Empina a moto para a frente
Espaço: Muda a direção da moto
Enter: Reinicia a jogo na mesma fase
Esc: Pausa o jogo e abre o menu.

Divirta-se!

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Bitcoin Core Wallet no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Se você quer trabalhar com no Linux, veja como instalar o Wallet no Ubuntu, Linux Mint e derivados.


Bitcoin Core é um software livre, um Bitcoin wallet desenvolvido pela Fundação Bitcoin.Como instalar o Bitcoin Core Wallet no Ubuntu, Linux Mint e derivadosComo instalar o Bitcoin Core Wallet no Ubuntu, Linux Mint e derivados

Neste tutorial, você verá como instalar a do Bitcoin Core no Ubuntu. Uma vez feito, você terá seu próprio endereço de bitcoin que você pode usar para enviar, receber e armazenar bitcoins.

Como instalar o Bitcoin Core Wallet no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Bitcoin Core Wallet no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:bitcoin/bitcoin

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install bitcoin-qt bitcoind

Como instalar o Bitcoin Core Wallet ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Usando o Bitcoin Core Wallet no Ubuntu e derivados

Quando quiser iniciar o programa, digite bitcoin-qt no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Bitcoin-qt fornece uma interface gráfica, enquanto bitcoind é o daemon Bitcoin. Se você apenas quer uma interface gráfica e não tem nenhum plano para usar o daemon, então não digite bitcoind na linha de comando.

Na primeira execução, ele pedirá que você defina seu diretório de dados bitcoin que será usado para armazenar a cadeia de blocos Bitcoin e sua carteira. O padrão é .bitcoin/ em seu diretório pessoal.

Verifique se o diretório de dados tem mais de 80 GB de espaço livre em disco.

Como instalar o Bitcoin Core Wallet no Ubuntu, Linux Mint e derivados

A cadeia de bloco é de cerca de 80 GB de tamanho. Então você pode precisar esperar por alguns dias para que ele seja baixado em seu computador e, em seguida, você pode começar a usar Bitcoin.

Desinstalando o Bitcoin Core Wallet no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Bitcoin Core Wallet no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:bitcoin/bitcoin -r -y
sudo apt-get remove bitcoin-qt bitcoind --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o editor de vídeos LosslessCut no Linux

Se ao modificar tudo que você faz é apenas cortar uma parte deles, conheça e veja como instalar o editor de LosslessCut no Linux.


LosslessCut é um programa para cortar vídeo que foi especialmente criado para facilitar a extração rápida de partes de arquivos de vídeo de uma câmera de vídeo, GoPro, drone, e assim por diante, sem perder qualidade de vídeo.Como instalar o editor de vídeos LosslessCut no LinuxComo instalar o editor de vídeos LosslessCut no Linux

O aplicativo é baseado no Chromium, usando um player de vídeo HTML5, e usa FFmpeg para cortar os vídeos.

De acordo com a sua página GitHub, LosslessCut não re-codificar ou decodificar os vídeos, o que o torna muito rápido e especialmente útil para grandes vídeos.

Características do LosslessCut:

  • Corte de vídeo sem perdas;
  • Permite capturar imagens dos vídeos;
  • Suporta os formatos/codecs: MP4, MOV, WebM, MKV, OGG, WAV, MP3, AAC, H264, Theora, VP8, VP9;
  • Permite usar atalhos de teclado (pressione “h” para ver uma de atalhos de teclado).
  • Como instalar o editor de vídeos LosslessCut no Linux

    Como instalar o LosslessCut no Linux

    Para instalar o LosslessCut no Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/losslesscut*
    sudo rm -Rf /usr/bin/losslesscut
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/losslesscut.desktop

    Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome losslesscut.zip:

    wget https://github.com/mifi/lossless-cut/releases/download/v1.14.0/LosslessCut-linux-ia32.zip -O losslesscut.zip

    Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome losslesscut.zip:

    wget https://github.com/mifi/lossless-cut/releases/download/v1.14.0/LosslessCut-linux-x64.zip -O losslesscut.zip

    Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo unzip losslesscut.zip -d /opt/

    Passo 7. Renomeie a pasta criada. Se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo;

    sudo mv /opt/Loss*/ /opt/losslesscut

    Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

    sudo ln -sf /opt/losslesscut/LosslessCut /usr/bin/losslesscut

    Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=LossLesscut\n Exec=/opt/LossLesscut/LosslessCut\n Icon=editcut\n Type=Application\n Categories=AudioVideo;AudioVideoEditing;' | sudo tee /usr/share/applications/losslesscut.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite lossless em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/losslesscut.desktop
    cp /usr/share/applications/losslesscut.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/losslesscut.desktop ~/Desktop

    Para detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como usar o LosslessCut no Linux

    Para usar o LosslessCut, adicione o vídeo por arrastando e soltando ele na janela do programa. Em seguida, basta selecionar o início (representado pelo ícone “” )(2) do vídeo que você deseja cortar, então clique no ícone de tesoura (3) para exportá-lo:

    A menos que você escolha uma pasta de saída diferente, o vídeo deve ser exportado no mesmo diretório que o original.

    Como instalar o editor de vídeos LosslessCut no Linux

    Como remover o LosslessCut no Linux

    Para remover o programa no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

    sudo rm -Rf /opt/programa*
    sudo rm -Rf /usr/bin/programa
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/programa.desktop

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

    Quer instalar a versão recente do de no seu sistema? Então veja como fazer para ter o no Ubuntu e derivados.


    Kdenlive é um editor de vídeo gratuito aberto para GNU/Linux e FreeBSD, que suporta AVCHD, DV e HDV. O programa depende de vários outros projetos open source, como o FFmpeg, o MLT framework e Frei0r effects.Instalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no UbuntuInstalando a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu

    Como cineastas modernos precisam misturar diferentes tipos de mídia, incluindo vídeo, e imagens, Kdenlive é construído em cima do MLT video framework e ffmpeg, que proporcionam recursos exclusivos para misturar praticamente qualquer tipo de mídia.

    Como instalar a mais recente versão estável do editor de vídeos Kdenlive

    Para instalar a mais recente versão estável do editor de vídeos Kdenlive e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    add-apt-repository ppa:kdenlive/kdenlive-stable

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install kdenlive

    Como instalar a mais recente versão estável do editor de vídeos Kdenlive manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Como instalar a versão mais recente do editor de vídeos Kdenlive

    Para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:sunab/kdenlive-release

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install kdenlive

    Como instalar o editor de vídeos Kdenlive manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite kdenlive ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Desinstalando o editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o editor de vídeos Kdenlive no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:sunab/kdenlive-release -r -y

    ou

    sudo add-apt-repository ppa:kdenlive/kdenlive-stable -r -y
    sudo apt-get remove kdenlive --auto-remove

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esses outros tutoriais:
    Como instalar o editor de vídeos Kdenlive no Linux via Flatpak
    Como instalar o editor de vídeos Kdenlive no Linux via appimage
    Como instalar o editor de vídeos Kdenlive Beta no linux

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    09 de dezembro de 2018

    Como instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak

    Se você trabalha com desenvolvimento ou quer apenas diferenças entre , conheça e veja como instalar o de Meld no Linux via Flatpak.


    Meld é uma ferramenta visual de comparação e mesclagem destinada aos desenvolvedores. O programa ajuda você a comparar arquivos, diretórios e projetos controlados por versão.Como instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via FlatpakComo instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak

    Ele fornece comparação de dois e três caminhos de arquivos e diretórios e tem suporte para muitos sistemas de controle de versão populares, como Git, Bazar, Mercurial, Subversion, etc.

    O Meld ajuda você a revisar as alterações no código e entender, pois as comparações de arquivos são atualizadas enquanto você digita.

    O modo de mesclagem automática e as ações nos blocos de mudança ajudam a facilitar as mesclagens e as as visualizações facilitam a comparação dos seus arquivos

    Como instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak

    Para instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o comparador de arquivos Meld no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.meld.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update org.gnome.meld

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall org.gnome.meld

    Ou

    flatpak uninstall org.gnome.meld

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.meld em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite meld ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivados

    Se você está a procura de um reprodutor moderno e leve para o seu sistema, conheça e veja como instalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivados.


    Parole Media Player é um reprodutor de mídia simples e moderno baseado no framework GStreamer e escrito para se encaixar bem na área de trabalho Xfce.Como instalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivadosComo instalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivados

    Ele é projetado com simplicidade, velocidade e uso de recursos em mente. E apesar ter sido projetado para o desktop Xfce, ele pode ser executado praticamente em qualquer ambiente.

    Parole possui reprodução de arquivos de mídia locais, incluindo vídeo com suporte de legendas, CDs de , DVDs e transmissões ao vivo. Assim como muitos players modernos, Parole também é extensível através de plugins.

    Como instalar o Parole Media Player no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Parole Media Player no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install parole

    Como instalar o Parole Media Player manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite parole em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

    Se não conseguir localizar o comando de execução, execute o comando abaixo:

    which parole

    Desinstalando o Parole Media Player no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Parole Media Player no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps -r -y
    sudo apt-get remove parole --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o gerenciador de senhas Bitwarden no Linux

    Se você está a procura de uma ferramenta para armazenar suas com segurança, conheça e veja como instalar o gerenciador de Bitwarden no Linux.


    Bitwarden é um gerenciador de senha que oferece a maneira mais fácil e segura de armazenar todos os seus logins e senhas, mantendo-os convenientemente sincronizados entre todos os seus dispositivos.Como instalar o gerenciador de senhas Bitwarden no LinuxComo instalar o gerenciador de senhas Bitwarden no Linux

    O Bitwarden armazena todos os seus logins em um cofre criptografado que sincroniza em todos os seus dispositivos.

    Como é totalmente criptografado antes de deixar o dispositivo, somente você tem acesso aos seus dados.

    Nem mesmo a equipe do Bitwarden pode ler seus dados. Seus dados são selados com criptografia AES de 256 bits, salted hashing e PBKDF2 SHA-256.

    O Bitwarden é um software 100% de código aberto. O código fonte do Bitwarden está hospedado no GitHub e todos estão livres para revisar, auditar e contribuir com a base de código do programa.

    Como instalar a versão mais recente do gerenciador de senhas Bitwarden no Linux via em distros que suportam a tecnologia

    Para instalar o gerenciador de senhas Bitwarden no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o gerenciador de senhas Bitwarden no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

    sudo snap install bitwarden

    Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:
    Passo 4. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

    sudo snap install bitwarden --candidate

    Passo 5. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

    sudo snap install bitwarden --beta

    Passo 6. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

    sudo snap install bitwarden --edge

    Passo 7. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

    sudo snap refresh bitwarden

    Passo 8. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove bitwarden

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite bitwarden ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o app de mensagens Fractal no Linux

    Se você trabalha com projetos e grupos, especialmente projetos de software livre e quer ter uma boa comunicação, conheça e veja como instalar o app de mensagens Fractal no Linux.


    Fractal é um aplicativo de mensagens Matrix para o GNOME escrito em Rust. Sua interface é otimizada para colaboração em grandes grupos, como projetos de software livre.Como instalar o app de mensagens Fractal no LinuxComo instalar o app de mensagens Fractal no Linux

    Fractal é um aplicação GNOME e, consequentemente, adota o GNOME diretrizes e paradigmas.

    Ele usa o Secret Service para armazenar a senha, caso que você tenha executando algum daemon que forneça esse serviço. Se você estiver usando o GNOME ou o KDE isso deve funcionar para você gnome-keyring ou ksecretservice.

    Como instalar o app de mensagens Fractal no Linux via Flatpak

    Para instalar o app de mensagens Fractal no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o app de mensagens Fractal no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.Fractal.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update org.gnome.Fractal

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak uninstall org.gnome.Fractal

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.Fractal em um terminal.

    Ou apenas digite fractal no Dash/atividade ou qualquer outro lançador de aplicativos.

    E se você gostou do aplicativo, deixe suas impressões nos comentários!

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o tema Matcha no Ubuntu e derivados

    Se você gosta de temas planos e elegantes, como o Arc, veja como instalar o tema Matcha no Ubuntu e derivados.


    Existem muitos temas de design planos disponíveis para desktop Linux, como por exemplo, o Matcha, que é um tema plano com elementos transparentes, baseado no tema Arc.Como instalar o tema Matcha no Ubuntu e derivadosComo instalar o tema Matcha no Ubuntu e derivados

    Matcha foi projetado para funcionar com a maioria dos ambientes de desktop, incluindo Gnome, Unity, Xfce, Mate, Cinnamon e assim por diante.

    Além do essencial, há também um tema para o Gnome Shell que pode acompanhar a versão Gtk.

    Instalando o tema Matcha no Ubuntu e derivados

    Para instalar o tema Matcha no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o tema Matcha usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install matcha-theme

    Como instalar o tema Matcha manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o tema Matcha no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o tema Matcha no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o tema Matcha, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove matcha-theme

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivados

    Se você é um desenvolvedor e quer testar uma nova opção para editar seus códigos, conheça e veja como instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivados.


    Sublime Text Editor é uma aplicação proprietária que existe desde 2008. Esse editor é escrito usando a linguagem de programação C++ e , e é multiplataforma, sendo disponibilizado para Linux, Windows e Mac.Como instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivadosComo instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Mint, Debian e derivados

    Sublime é um editor de código-fonte com uma interface de programação de aplicativo Python (API). Ele suporta nativamente muitas linguagens de programação e linguagens de marcação (como o HTML), e as funções podem ser adicionadas pelos usuários através de plugins, tipicamente construídos em comunidade e mantidos sob licenças de software livre.

    Principais recursos do editor Sublime Text:
    Goto Anything: Use Goto Anything para abrir arquivos com apenas algumas teclas, e instantaneamente salte para símbolos, linhas ou palavras.
    Seleções múltiplas: faça dez mudanças ao mesmo tempo, nenhuma alteração dez vezes.
    Paleta de comando: a paleta de comando possui funcionalidades raramente usadas, como classificação, alteração da sintaxe e alteração das configurações de indentação.
    Modo livre de distração: quando você precisa se concentrar, o Modo Livre de Distração está lá para ajudá-lo. Edição dividida: aproveite ao máximo seu monitor de tela larga com suporte de edição dividido
    Interruptor de projeto instantâneo: projetos no texto Sublime capturam o conteúdo completo do espaço de trabalho, incluindo arquivos modificados e não guardados.
    Plugin API: Sublime Text possui uma poderosa API de plug-in baseada em Python. Junto com a API, vem com um console incorporado em Python para experimentar de forma interativa em tempo real.
    Personalize Qualquer coisa: Ligações de teclas, Menus, Snippets, Macros, Complementos e mais – quase tudo em Sublime Text é personalizável com arquivos JSON simples. Este sistema oferece flexibilidade, pois as configurações podem ser especificadas por tipo de arquivo por projeto e por projeto

    Como instalar a versão mais recente do editor Sublime Text Ubuntu e derivados

    Para instalar a versão mais recente do editor Sublime Text Ubuntu e derivados, use um dos procedimentos abaixo.

    Como instalar a versão mais recente do editor Sublime Text no Linux em distros que suportam Snap

    Para instalar o editor Sublime Text no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o editor Sublime Text no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. o programa, usando esse comando:

    sudo snap install sublime-text-3 --classic --candidate

    Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap do programa, use o comando abaixo:

    sudo snap refresh sublime-text-3

    Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove sublime-text-3

    Como instalar o editor Sublime Text no Ubuntu, Debian, Mint e derivados

    Para instalar o editor Sublime Text no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Para instalar a versão estável do editor Sublime Text, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    echo "deb https://download.sublimetext.com/ apt/stable/" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/sublime-text.list

    Passo 2. Para instalar a versão de desenvolvimento do editor Sublime Text, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    echo "deb https://download.sublimetext.com/ apt/dev/" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/sublime-text.list

    Passo 3. Baixe a chave do repositório do programa com o comando:

    wget -qO - https://download.sublimetext.com/sublimehq-pub.gpg | sudo apt-key add -

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install sublime-text

    Como instalar o editor Sublime Text manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite sublime no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o editor Sublime Text no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o editor Sublime Text no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove sublime-text --auto-remove

    Veja também

    Como instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Flatpak
    Como instalar o editor de código Sublime Text no Linux via Snap
    Conheça algumas boas opções de editores de código para Linux

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Temas e ícones para Linux – Conheça alguns lugares para encontrá-los

    Se você vive mudando o visual do seu sistema e quer opções de e ícones para Linux, conheça alguns lugares para encontrá-los.


    O Linux é fácil de personalizar, e isso é verdadeiro desde o gerenciador de desktop, gerenciador de arquivos, até o kernel.Temas e ícones para Linux - Conheça alguns lugares para encontrá-losTemas e ícones para Linux – Conheça alguns lugares para encontrá-los

    Se você gosta de “liberdade”, definitivamente amará o Linux, porque você nunca ficará sem opções, na hora de personalizar seu sistema operacional.

    Com ele você poderá querer toda a aparência da sua área de trabalho, simplesmente usando diferentes temas e pacotes de ícones.

    Mas o melhor é que existem diversos lugares em que é possível obter alguns temas e pacotes de ícones, dos mais variados tipos. E abaixo, estão alguns dos lugares para encontrá-los:

    Temas e ícones para Linux – Conheça alguns lugares para encontrá-los

    Confira a seguir, alguns locais onde você pode encontrar temas e ícones para o seu sistema.

    Opendesktop.org

    Temas e ícones para Linux - Conheça alguns lugares para encontrá-losTemas e ícones para Linux – Conheça alguns lugares para encontrá-los

    Opendesktop.org é um site com centenas, senão milhares, de temas, pacotes de ícones e outros conteúdos. Muitos temas e pacotes de ícones para Cinnamon, Compiz, Gnome, Mate, XFCE e Trinity estão disponíveis no site.

    E esse número continua a crescer: novos temas e pacotes de ícones são adicionados e atualizados diariamente. Esse deve ser um dos primeiros lugares a ser pesquisado, se você estiver procurando por um pacote de ou ícone.

    Vale lembrar que os de temas populares, como Gnome-look , KDE-look , xfce-look e etc., estão sob o guarda-chuva do Opendesktop.org.

    Além disso, o site oferece acesso a uma série de outras coisas, como cursores, papéis de parede e fontes para ajustes adicionais. Se você está procurando por um determinado tema ou pacote de ícones no site, você sempre pode usar a barra de pesquisa para encontrá-lo mais rapidamente.

    Launchpad.net

    Temas e ícones para Linux - Conheça alguns lugares para encontrá-losTemas e ícones para Linux – Conheça alguns lugares para encontrá-los

    Launchpad é outro outro bom lugar para encontrar temas e pacotes de ícones. Esse serviço oferece aos usuários a liberdade de desenvolver e manter o software, oferecendo repositórios PPA. Lá existem PPAs de vários pacotes de ícones e temas.

    Para procurar por temas e pacotes de ícones, basta inserir os termos de pesquisa na caixa de pesquisa e ver os resultados. As instruções de instalação geralmente são fornecidas. Cuidado, às vezes, os desenvolvedores abandonam os pacotes no site.

    GitHub

    Temas e ícones para Linux - Conheça alguns lugares para encontrá-losTemas e ícones para Linux – Conheça alguns lugares para encontrá-los

    O GitHub é um dos melhores, se não o melhor, repositórios de controle de versão na web. É anfitrião de milhões de projetos públicos e privados, incluindo projetos de pacotes de temas e ícones.

    Como resultado disso, você encontrará a maioria dos pacotes de ícones e íons de código aberto no site pesquisando com os seguintes termos: “Temas Linux” ou “Pacotes de ícones Linux”.

    Uma vez que o GitHub é onde a maioria desses projetos estão hospedados, é mais provável que você obtenha a versão mais recente de um tema ou pacote de ícones aqui, do que em qualquer outro lugar.

    Deviantart

    Temas e ícones para Linux - Conheça alguns lugares para encontrá-losTemas e ícones para Linux – Conheça alguns lugares para encontrá-los

    Deviantart é outro site popular para tirar seus temas. Você encontrará todos os tipos de temas e pacotes de ícones para quase qualquer distro que você possa pensar.

    Esse site é o lar de várias obras de arte. Portanto, para obter pacotes de temas e ícones do Linux, você deve inserir os termos de pesquisa apropriados. Além disso, certifique-se de verificar as instruções de instalação no site.

    Blog do Edivaldo

    Aqui no blog, sempre que possível, publico tutoriais mostrando como instalar alguns temas e pacotes de ícones. Confira abaixo, alguns deles:

    Mais artigos sobre temas e ícones…
    Conheça os melhores pacotes de ícones para o desktop Linux
    Todos os artigos sobre temas
    Todos os artigos sobre ícones

    Outras fontes

    Além dos sites citados acima, existem muitas outras fontes onde você pode obter seus temas e pacotes de ícones. Uma busca geral na internet certamente irá levar a elas.

    Em alguns blogs Linux populares também poderá encontrar alguns dos belos temas que abordamos aqui no Blog ou algo novo.

    Se achar, não esqueça de comentar, para que possamos falar sobre ele.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o LibreOffice beta no Linux via Snap

    Se você quer experimentar a mais recente versão de testes do popular pacote de escritório de código aberto, instalar o LibreOffice no Linux via Snap.


    O LibreOffice é uma suíte de escritório livre compatível com os principais pacotes de escritório do mercado, e que oferece todas as funções esperadas de uma suíte profissional: editor de textos, planilha, apresentação, editor de desenhos e banco de dados.Como instalar o LibreOffice beta no Linux via SnapLibreOffice beta – Nova versão já está disponível para testes via Snap

    A versão do LibreOffice vem instalada na maioria das distribuições Linux, e quem precisa instalar a versão mais recente, pode usar o tutorial abaixo para fazer isso.

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice no Linux

    E agora, quem precisa “experimentar” a versão de testes (beta), é possível fazer isso usando o Snap. Isso torna possível instalar a suíte de escritório no Ubuntu e em qualquer outra distro que suporte esse tipo de pacote.

    No Ubuntu, o beta atual “distingue a versão Snap” no Unity Dash, o que é perfeito se você quiser instalá-lo ao lado da versão regular do apt.

    Como instalar a versão mais recente do LibreOffice beta no Linux em distros que suportam Snap

    Para instalar o LibreOffice beta no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o LibreOffice beta no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale o programa, usando esse comando:
    Passo 3. Instale a versão mais recente do LibreOffice beta no Ubuntu via SNAP, usando esse comando:

    sudo snap install --beta libreoffice

    Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap LibreOffice beta, use:

    sudo snap refresh --beta libreoffice

    Passo 5. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove --beta libreoffice

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite libreoffice ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o FreeFileSync no Linux via Flatpak

    Se você está precisando de uma ferramenta para comparar e sincronizar pastas, conheça e veja como instalar o FreeFileSync no Linux via .


    FreeFileSync é uma ferramenta de código aberto multiplataforma para comparar e sincronizar pastas no Linux, Windows e Mac OS X.Como instalar o FreeFileSync no Linux via FlatpakComo instalar o FreeFileSync no Linux via Flatpak

    Com esse programa, é possível detectar arquivos e pastas movidos e renomeados, manter versões de arquivos apagados/atualizados, incluindo cópia de arquivos bloqueados (Volume Shadow Copy Service).

    FreeFileSync tem suporte para a realização de comparação de arquivo binário, identificador de links simbólicos, copiar atributos estendidos de NTFS e permissões de segurança, cópia de arquivo à prova de falhas, inclui/excluir arquivos via filtro, tem desempenho em tempo de execução otimizada, relatório de erros detalhado e pode automatizar trabalho em lotes.

    Como instalar o FreeFileSync no Linux via Flatpak

    Para instalar o FreeFileSync no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o FreeFileSync no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.freefilesync.FreeFileSync.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update org.freefilesync.FreeFileSync

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall org.freefilesync.FreeFileSync

    Ou

    flatpak uninstall org.freefilesync.FreeFileSync

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.freefilesync.FreeFileSync em um terminal.

    Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite freefilesync ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Veja também

    Se você estiver usando o Ubuntu (ou um derivado dele), também pode instalar usando esse outro tutorial:
    Comparar e sincronizar pastas: Como instalar o FreeFileSync no Ubuntu

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o game clone do PacMan MyMan no Linux

    Se você curte o bom e velho PacMan (também conhecido como come-come), conheça e veja como instalar o game clone do PacMan MyMan no Linux.


    MyMan é um game de modo texto inspirado no Pac-Man da Namco.Como instalar o game clone do PacMan MyMan no LinuxComo instalar o game clone do PacMan MyMan no Linux

    Claramente, ele é um clone do jogo original, que usa uma interface baseada em texto, e pode ser instalado em várias distribuições Linux.

    MyMan foi portado para uma variedade de sistemas operacionais usando o seguinte para interação do usuário: ncurses, PDcurses, XCurses, sysV-curses, old BSD curses, old VMS curses, S/Lang slcurses, Win32 console, VMS console, raw stdio e termios, GGI, Allegro, aalib, libcaca, TWin e Carbon.

    Como instalar o game clone do PacMan MyMan no Linux

    Antes de começar a instalação do jogo, use o gerenciador de pacotes do seu sistema para instalar as dependências ncurses e groff. Depois, para instalar o game clone do PacMan MyMan no Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Baixe o código fonte do jogo com este comando;

    wget http://downloads.sourceforge.net/project/myman/myman-cvs/myman-cvs-2009-10-30/myman-wip-2009-10-30.tar.gz

    Passo 3. Depois de baixar, use o seguinte comando para descompactar o arquivo;

    tar xvfvz myman-wip-2009-10-30.tar.gz

    Passo 4. Acesse a pasta criada com o comando abaixo;

    cd myman-wip-2009-10-30

    Passo 5. Use o comando abaixo para gerar o arquivo de configuração da compilação do jogo;

    ./configure

    Passo 6. Compile o jogo;

    make

    Passo 7. Use o comando abaixo para executar a instalação do jogo;

    sudo make install

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite myman em um terminal, seguido da tecla TAB. E comece a se divertir!

    Para usar o programa, pressione a tecla de espaço para começar e as setas de teclado para se movimentar.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como ativar a aceleração por hardware no Chrome/Chromium

    Que tal dar uma melhorada nas reproduções de vídeos e em visualizações no Chrome. Para fazer isso, veja aqui como ativar a aceleração por hardware no Chrome/Chromium.


    Se você usa o navegador Chrome ou Chromium e a aceleração por hardware está desativada para sua placa de vídeo, você pode ativá-la para tentar forçá-lo a obter um melhor desempenho na reprodução de vídeo (por exemplo, no YouTube), bem como suporte para recursos como a visualização em 3D da Terra no Maps.Como ativar a aceleração por hardware no Chrome/ChromiumComo ativar a aceleração por hardware no Chrome/Chromium

    Para fazer o procedimento a seguir seu PC precisa ter uma placa gráfica que suporte esse recurso e ele precisa estar ativado nela. Para verificar isso, use este tutorial;
    Como testar a aceleração 3D no Ubuntu e derivados

    Como ativar a aceleração por hardware no Chrome/Chromium

    Antes de ativar a aceleração por hardware no Chrome/Chromium, é preciso verificar se seu navegador já está ou não com esse recurso ativo, para isso, faça o seguinte:

    Verificando a aceleração por hardware no Chrome/Chromium

    Para verificar se o seu navegador Chrome ou Chromium usa aceleração de hardware, abra uma nova aba e digite: “chrome://gpu” (sem as aspas).

    Em “Graphics Feature status”, todos (ou pelo menos a maior parte) dos recursos deve ter “Hardware accelerated” (aceleração de hardware). Na imagem abaixo, por exemplo, o recurso não está ativo.

    Como ativar a aceleração por hardware no Chrome/Chromium

    Ativando a aceleração por hardware no Chrome/Chromium

    Para forçar o navegador para usar a aceleração de hardware, abra uma nova guia e no endereço dela digite “chrome://flags” (sem aspas).

    Em seguida, procure pelo item “Substituir a lista de renderização do software” (na versão em inglês, “Override software rendering list”) e clique em “Ativar. Depois, reinicie o Chrome/Chromium e confira novamente.

    Como ativar a aceleração por hardware no Chrome/Chromium

    Experimentando a aceleração por hardware no Chrome/Chromium

    Agora você deve ser capaz de acessar o recurso 3D Earth no Google Maps (procure um ícone “Terra” no Google Maps visualização canto inferior direito).

    Para testar mais um pouco, experimente alguns vídeos do YouTube em HTML5 ou Flash com resolução 1080p em full-screen;

    Desativando a aceleração por hardware no Chrome/Chromium

    Se você tiver problemas após essa mudança, simplesmente reverta isso, abra uma nova guia e no endereço dela digite “chrome://flags” (sem aspas).

    Em seguida, procure pelo item “Substituir a lista de renderização do software” (na versão em inglês, “Override software rendering list”) e clique em “Desativar”.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Conheça algumas boas opções para gravar áudio no Ubuntu

    Se você quer algo no seu PC mas ainda não sabe por onde começar, conheça algumas boas opções para áudio no Ubuntu.


    Gravar áudio pode parecer complicado, mas não é tanto assim. Basta ter um microfone interno ou conectado no PC e escolher um bom programa de gravação.

    Conheça quatro opções para gravar áudio no Ubuntu

    Para ajudá-lo, a seguir mostrarei algumas boas opções para usar nessa tarefa.

    Mas antes de fazer qualquer coisa, verifique se o microfone está ligado ao computador e bem configurado. Além disso, certifique-se de que o microfone não está mudo, executando este comando em um terminal:

    Agora, verifique o nível de seu microfone, e se estiver silenciado, utilize o teclado para cima tecla de seta para ativá-lo:

    Como gravar áudio a partir do microfone no Ubuntu

    Conheça algumas boas opções para gravar áudio no Ubuntu

    Com tudo pronto, é hora de conhecer algumas boas opções de programas para gravar áudio no Ubuntu.

    VLC

    Conheça quatro opções para gravar áudio no Ubuntu

    VLC media player é um multimídia, framework, streamer e encoder. Ele pode reproduzir arquivos, streams de rede, DVDs, CDs de áudio, Blu-Rays, dispositivos de captura, e telas.

    Na verdade, ele pode reproduzir a maioria dos codecs e formatos de áudio e vídeo (MPEG 1/2/4, h364, VC-1, DivX, WMV, Vorbis, AC3, AAC, MKV, etc.) e também pode ser usado para converter formatos diferentes, enviar stream através da rede e gravar áudio.

    Para instalar o VLC, acesse o seguinte tutorial:
    Como instalar a última versão do VLC no Ubuntu

    Para fazer uma gravação de voz usando o VLC é super simples, basta abrir um arquivo de áudio e clicar no botão de gravação do programa (se a opção de gravação não estiver visível, clique no menu “Exibir” e depois na opção “Controles Avançados”.

    Sox

    Conheça quatro opções para gravar áudio no Ubuntu

    SoX é um utilitário de linha de comando multiplataforma (Windows, Linux, MacOS X e etc.) que pode converter vários formatos de arquivos de áudio no computador para outros formatos.

    Ele também pode aplicar vários efeitos a esses arquivos de som, e, como um bônus adicional, o SoX pode reproduzir e gravar arquivos de áudio na maioria das plataformas.

    Você pode usar Sox para gravar a sua voz, ele pode ser instalado a partir do terminal com o seguinte comando:

    sudo apt-get install sox

    Para iniciar a gravação de voz, digite o seguinte comando em um terminal:

    sox -t alsa default output.wav

    Lembrando que “output.wav” é o nome do arquivo de áudio que será gerado, você pode renomeá-lo para o nome que quiser.

    arecord

    Conheça quatro opções para gravar áudio no Ubuntu

    arecord é um gravador de arquivo de som de linha de comando e player que faz parte do projeto ALSA (Advanced Linux Sound Architecture), que produz o pacote alsa-utils.

    Ele suporta vários formatos de arquivo e várias placas de som, com vários dispositivos.

    Como ele é um gravador, você também pode usar o arecord para gravar áudio do microfone. Se ainda não tiver o programa no seu sistema, instale-o usando a Central de programas ou a partir do terminal usando este comando:

    sudo apt-get install alsa-utils

    Para iniciar a gravação de voz usando o arecord, execute o seguinte comando:

    arecord output.wav

    Para interromper a gravação, pressione CTRL + C.

    Audio Recorder

    Conheça quatro opções para gravar áudio no Ubuntu

    Audio Recorder é um aplicativo gravador de áudio para o GNOME 3 e Unity. Ele permite que você grave o áudio de qualquer parte de seu PC para um arquivo.

    Ele pode gravar áudio da placa de som do seu sistema, microfones, dos navegadores, webcams e muito mais. Simplificando, se o áudio sair dos alto-falantes do seu PC, você pode gravá-lo.

    Como saída, ele tem suporte para os formatos mais populares de áudio, como: OGG, FLAC, MP3 ou WAV.

    Para instalar o Audio Recorder, acesse o seguinte tutorial:
    Instale Audio Recorder: um gravador de áudio para Linux

    Para fazer uma gravação de voz usando o Audio Recorder, siga os passos desse tutorial:
    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    Audacity

    Conheça quatro opções para gravar áudio no Ubuntu

    Audacity é um gravador de som e editor de áudio multi-track de código aberto. Fácil de usar e multi-plataforma, ele tem versões para Linux, Windows e OS X.

    Com ele é possível fazer gravações de áudio ao vivo através do microfone ou mixer, converter fitas e discos em gravações digitais ou CDs, suporte à edição de som (WAV, AIFF, FLAC, MP2, MP3 ou Ogg Vorbis), alterar a velocidade ou o timbre de uma gravação, cortar, copiar, colar ou misturar sons.

    Para instalar o Audacity, acesse o seguinte tutorial:
    Gravação e edição de áudio – Instale Audacity no Ubuntu e derivados

    Para fazer uma gravação de voz usando o Audacity, basta clicar no botão de gravação do programa.

    Concluindo

    Apesar deste texto ser voltado para o Ubuntu, todos estes programas podem ser instalados na sua distribuição favorita, para isso, basta usar o de pacotes dela.

    Além disso, os programas citados acima não são aos únicos, mas talvez sejam as opções mais simples.

    E claro, quando se trata de Linux, opções é o que não faltam. Por isso, fique de olho que essa lista pode crescer e reaparecer aqui no blog.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o Scans to PDF no Linux via Flatpak

    Se você quer levar seus documentos para o PC para organizá-los e deixá-los mais acessíveis, conheça e veja como o Scans to PDF no Linux via Flatpak.


    Scans to PDF é um programa que cria PDFs pequenos e pesquisáveis a partir de documentos digitalizados.Como instalar o Scans to PDF no Linux via FlatpakComo instalar o Scans to PDF no Linux via Flatpak

    Ele divide imagens em imagens de primeiro plano bitonais (texto) e uma imagem de plano de fundo colorida, depois as compacta separadamente.

    Depois disso, uma camada de texto OCR invisível é adicionada, tornando o PDF pesquisável. Para agradar a todos, uma interface gráfica e de linha de comando estão incluídas.

    Como instalar o Scans to PDF no Linux via FlatpakComo instalar o Scans to PDF no Linux via Flatpak

    As digitalizações de cores e tons de cinza precisam de alguma preparação para obter bons resultados. Para isso, as ferramentas recomendadas são o ScanTailor ou o GIMP.

    Como instalar o Scans to PDF no Linux via Flatpak

    Para instalar o Scans to PDF no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o Scans to PDF no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.github.unrud.djpdf.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update com.github.unrud.djpdf

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall com.github.unrud.djpdf

    Ou

    flatpak uninstall com.github.unrud.djpdf

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.github.unrud.djpdf em um terminal.

    Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite djpdf ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como ativar o suporte a CSD no Firefox para Linux

    Se você quer melhorar o aspecto do Firefox no seu sistema e aproveitar melhor o espaço da tela, veja como ativar o suporte a CSD no Firefox para Linux.


    Durante anos, usuários de Linux reclamaram que aplicativos como o Firefox não se encaixam perfeitamente em seus ambientes de desktop. Embora pareça um detalhe menor, é irritante, especialmente quando outros sistemas operacionais não têm esse problema com a integração do desktop.Como ativar o suporte a CSD no Firefox para LinuxComo ativar o suporte a CSD no Firefox para Linux

    Recentemente, com o do Firefox 60, a Mozilla finalmente adicionou suporte para Client Side Decoration (CSD) para a versão Linux do Firefox.

    Com isso, pela primeira vez, o Firefox integra-se totalmente a ambientes de desktop Linux baseados em GTK, como o GNOME e o XFCE. Melhor ainda, é muito fácil ativar esse recurso tão esperado.

    Como ativar o suporte a CSD no Firefox para Linux

    Para que esse procedimento funcione, você precisa ter o Firefox 60 ou posterior instalado.

    Muitas distribuições já mudaram para o Firefox 60. Ubuntu, Fedora e Arch estão entre eles, então, apenas atualize seu sistema antes de começar se você estiver executando um desses sistemas.

    Caso sua distribuição ainda não possua essa versão, experimente usar um dos tutoriais abaixo:

    Como instalar o navegador Firefox no Linux via Snap
    Firefox no Linux – veja como instalar manualmente
    Firefox ESR no Linux – veja como instalar manualmente

    Depois, para ativar o suporte a CSD no Firefox para Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Execute o Firefox. Em seguida, clique no ícone de três traços que fica no lado superir direito. No menu que será exibido, clique na opção “Personalizar…”;

    Como ativar o suporte a CSD no Firefox para LinuxComo ativar o suporte a CSD no Firefox para Linux

    Passo 2. O Firefox irá abrir a aba de personalização. Há muitas opções, e se você não estiver familiarizado, dê uma olhada. O Firefox Quantum adicionou muitos recursos excelentes. O que você precisa agora, porém, fica bem no canto inferior esquerdo da tela, e é uma caixa de seleção chamada “Barra de título”. Por padrão, ela é marcada. Desmarque-a para ativar o CSD. Assim que você fizer isso, a alteração terá efeito.

    Como ativar o suporte a CSD no Firefox para LinuxComo ativar o suporte a CSD no Firefox para Linux

    Pronto! O CSD está ativado na sua instalação do Firefox.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o leitor de Feeds RSS Alduin no Linux

    Se você precisa ficar de olho em diferentes sites, então você precisa conhecer e instalar leitor de feeds Alduin no Linux via arquivo appimage.


    Os leitores de RSS são úteis se você deseja obter as últimas atualizações de sites. Alduin é um leitor de feeds RSS gratuito e de código aberto disponível para Linux e Windows.Como instalar o leitor de Feeds RSS Alduin no LinuxComo instalar o leitor de Feeds RSS Alduin no Linux

    Construído usando tecnologias modernas como: Electron, React, TypeScript e Less, possui interface de usuário fácil de usar e adequada para todos os tipos de usuários.

    Ele oferece suporte nativo de notificação do sistema e, além disso, suporta feeds de podcast também.

    Usar a interface RSS da Alduin é bastante simples, basta clicar no botão de adição, informar os dados, e o programa puxará novos artigos da URL de feed fornecida.

    Se precisar, você pode excluir fontes de alimentação já adicionadas.

    Como instalar o leitor de Feeds RSS Alduin no LinuxComo instalar o leitor de Feeds RSS Alduin no Linux

    Atualmente, o Alduin está em estado de desenvolvimento estável, o que significa que você não obtém produtos completos agora como qualquer outro leitor de RSS famoso, mas o desenvolvedor mencionou que ele continuará a evoluir e novos recursos serão adicionados a ele.

    Você não pode agrupar ou organizar fontes e não pode escolher como a informação será apresentada a você. O programa também ainda não sincroniza nenhum serviço Web.

    Como instalar o leitor de Feeds RSS Alduin no Linux via arquivo AppImage

    Para instalar o leitor de Feeds RSS Alduin no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome alduin.appimage:

    wget https://github.com/AlduinApp/alduin/releases/download/2.0.1/alduin-2.0.1-x86_64.AppImage -O alduin.appimage

    Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

    chmod a+x alduin.appimage

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

    sudo ./alduin.appimage

    Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador Caprine será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

    Integrando os aplicativos AppImage no sistema

    Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
    Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o Battery Monitor no Linux e ficar de olho na carga da bateria

    Se você quer mesmo ficar de olho na carga da bateria do seu notebook, veja como instalar o Battery Monitor no Linux e comece a monitorar isso.


    O monitor de bateria padrão do Linux só notifica quando o nível já está baixo, ou seja, ele não informa qual é a condição atual do consumo da bateria. Ainda bem que existem alternativas que resolvem essa limitação.Como instalar o Battery Monitor no Linux e ficar de olho na carga da bateriaComo instalar o Battery Monitor no Linux e ficar de olho na carga da bateria

    Battery Monitor é bem mais útil, pois mantém você atualizado sobre o carregamento, o descarregamento, o não carregamento, e até quando a carga da bateria está extremamente baixa.

    Você pode definir avisos adicionais após as notificações, pode avisá-lo primeiro, segundo e terceiro após a notificação real e permitir que você defina o tempo de estabilidade da notificação.

    Tudo isso pode ser alterado de suas preferências, bem como definir porcentagem para Avisos de Bateria Baixa e Bateria Baixa.

    Como instalar o Battery Monitor no Linux

    Este utilitário está disponível para o Ubuntu e seus derivativos via PPA, mas também pode ser instalado facilmente em qualquer outra distribuição, baixando seu código fonte e compilando-o. Para instalar ele, use um dos procedimento a seguir.

    Como instalar o Battery Monitor no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Battery Monitor no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:maateen/battery-monitor

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install battery-monitor

    Passo 5. Se depois você precisar desinstalar, use o comando abaixo;

    sudo apt-get remove battery-monitor

    Como instalar o Battery Monitor ou em outras distros

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Baixe o código fonte do programa com o comando abaixo;

    wget https://github.com/maateen/battery-monitor/archive/master.zip

    Passo 3. Depois, use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    unzip master.zip

    Passo 4. Acesse a pasta que foi criada;

    cd battery-monitor-master

    Passo 5. Finalmente, compile e instale o programa com o comando abaixo;

    sudo make install

    Executando o Battery Monitor no linux

    Toda vez que você iniciar/reiniciar o seu PC, o Battery Monitor será executado automaticamente em segundo plano. Caso execute o app manualmente, você receberá a notificação de que o Battery Monitor iniciou.

    Como instalar o Battery Monitor no Linux e ficar de olho na carga da bateria

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o gerenciador de tarefas GTD Everdo no Linux

    Se você precisa por suas pendencias em ordem, veja o gerenciador de tarefas GTD Everdo no Linux e seja mais produtivo.


    Everdo é um aplicativo de gerenciamento de tarefas moderno e belamente projetado (baseado no framework Electron), com o qual você pode acompanhar seu trabalho usando tags, pastas de projetos, filtros inteligentes e horários. Ele não precisa de uma conta em nuvem para funcionar porque que seus dados permaneçam salvos no seu PC.Como instalar o gerenciador de tarefas GTD Everdo no LinuxComo instalar o gerenciador de tarefas GTD Everdo no Linux

    O Everdo apresenta uma interface de usuário moderna e minimalista com um design extremamente limpo e uniforme, para melhorar a , ser rápido e livre de distração.

    Seu objetivo é aliviá-lo de ter que lembrar todas as tarefas que você precisa fazer organizando-as intuitivamente.

    O programa é construído com o GTD em mente para ajudar os usuários a completar suas tarefas importantes, sem ignorar, pois os usuários podem aclarar sua mente e organizar coisas em uma caixa de entrada, organizar tarefas de trabalho com tags, projetos e tarefas baseadas em contexto.

    Se você não está familiarizado com o GTD, essa abreviação significa Getting Things Done – um método de gerenciamento de tempo criado por David Allen, um consultor de produtividade, conforme descrito em seu livro, Getting Things Done.

    Everdo está atualmente no estágio beta, mas, mais cedo ou mais tarde, a versão de lançamento estará disponível para que todos possam baixar e usar.

    Se ao experimentar a versão gratuita do programa, você sentir que prefere ter um modelo mais completo do Everdo, você pode optar por pagar € 69,99 para o Everdo Pro. Esta versão lhe dará projetos ilimitados, áreas ilimitadas e notebooks ilimitados.

    Não há taxas de assinatura e, portanto, essa é uma taxa única para desbloquear (para sempre) o Everdo Pro no Windows, Linux e Mac.

    Como instalar o gerenciador de tarefas GTD Everdo no Linux via arquivo AppImage

    Para instalar o gerenciador de tarefas GTD Everdo no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome everdo.appimage:

    wget https://d11l8siwmn8w36.cloudfront.net/1.1.26/everdo-1.1.26-x86_64.AppImage -O everdo.appimage

    Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

    chmod +x everdo.appimage

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

    sudo ./everdo.appimage

    Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite everdo em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clique no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Telegram no Ubuntu e Fedora: como instalar a versão oficial via repositório e Snap

    Se você está a procura de uma alternativa ao WhatsApp e outros comunicadores, experimente usar o Telegram. E se você usa Linux, veja aqui como o cliente oficial Telegram no Ubuntu e Fedora, via repositório.


    Telegram é um aplicativo de mensagens baseado em nuvem com foco em segurança e velocidade, e que funciona como se fosse uma combinação de e e-mail, só que mais rápido, versátil e poderoso.Telegram no Ubuntu e Fedora: como instalar a versão oficial via repositório e SnapTelegram no Ubuntu e Fedora: como instalar a versão oficial via repositório e

    O programa é multiplataforma e está disponível para Linux, Windows, Mac, iOS, Android e Windows Phone.

    Com ele você pode enviar mensagens, fotos, vídeos e arquivos de qualquer tipo (doc, zip, mp3, etc) para pessoas que estão em seus contatos de telefone e têm Telegram.

    Você também pode criar grupos de até 200 pessoas. O melhor é que você pode fazer tudo isso em qualquer número dos seus dispositivos, seja ele um dispositivo móvel ou um desktop.

    Telegram no Ubuntu e Fedora: como instalar a versão oficial via repositório e Snap

    Para aqueles usuários interessados em obter o máximo de privacidade, Telegram oferece Secret Chats, com criptografia end-to-end para garantir que a mensagem só possa ser lida pelo seu destinatário.

    Quando se trata de desse recurso, nada é registrado nos servidores do serviço e você pode programar automaticamente as mensagens para a autodestruição em ambos os dispositivos, dessa forma, nunca haverá qualquer registro delas.

    O programa possui suporte para temas personalizados, permite sincronizar automaticamente mensagens do telefone com o computador (usando a nuvem criptografada do Telegram) e também permite começar a digitar no telefone e, em seguida, continuar no computador.

    Esse tutorial utiliza um procedimento de instalação usando pacotes e repositórios que funciona na maioria das distribuições Linux. Se você prefere instalar , veja esse outro tutorial:
    Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Mais sobre o Telegram

    Como instalar o cliente Telegram no Ubuntu e seus derivados

    Abaixo você verá como instalar o cliente oficial Telegram no Ubuntu e Fedora. Em teoria, o procedimento também vale para as distribuições que usam o mesmo formato de pacotes do Ubuntu e Fedora.

    Como instalar o cliente Telegram no Ubuntu e seus derivados

    O Telegram está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu e da maioria das dissubstituições Linux, só que nem sempre a versão disponibilizada é a mais atual, por isso, para instalar a versão mais recente do programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:atareao/telegram

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o Telegram no Ubuntu;

    sudo apt-get install telegram

    Passo 5. Depois, se precisar desinstalar o Telegram no Ubuntu, use o comando abaixo;

    sudo apt-get remove telegram && sudo apt-get autoremove

    Como instalar a versão mais recente do Telegram no Linux em distros que suportam Snap

    Para instalar o Telegram no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o Telegram no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale o programa, usando esse comando:

    sudo snap install telegram-sergiusens

    Telegram no Ubuntu e Fedora: como instalar a versão oficial via repositório e Snap

    Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

    sudo snap refresh telegram-sergiusens

    Passo 4. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove telegram-sergiusens

    Como instalar o cliente Telegram manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Como instalar o cliente Telegram no Fedora e seus derivados

    Para instalar o cliente Telegram no Fedora e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório COPR com estes comandos;

    sudo dnf install dnf-plugins-core
    sudo dnf copr enable rommon/telegram

    Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o Telegram no Fedora;

    sudo dnf install telegram-desktop

    Passo 4. Depois, se precisar desinstalar o Telegram no Fedora, use o comando abaixo;

    sudo dnf remove telegram

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite telegram em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o Telegram Desktop no Linux via Flatpak
    Como instalar o cliente oficial Telegram no Linux manualmente

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    08 de dezembro de 2018

    Como instalar o guia de estudos bíblicos Xiphos no Linux via Flatpak

    Se você precisa se aprofundar no conhecimento bíblico ou apenas ler o livro sagrado, conheça e veja como o guia de estudos bíblicos Xiphos no Linux via Flatpak.


    Xiphos é uma ferramenta de estudo da Bíblia para Linux, UNIX e Windows, usando GTK, ou seja, ele foi feito para o GNOME, um ambiente de desktop gráfico que está disponível para esses sistemas.Como instalar o guia de estudos bíblicos Xiphos no Linux via FlatpakComo instalar o guia de estudos bíblicos Xiphos no Linux via Flatpak

    Esse programa é um software de código aberto e está disponível gratuitamente para todos.

    O guia de estudos bíblicos Xiphos oferece um ambiente rico e funcional para leitura, estudo e pesquisa, usando módulos do Projeto SWORD e em outros lugares.

    Xiphos é baseado no Projeto SWORD da CrossWire Bible Society, uma estrutura para fornecer ferramentas úteis para estudar a Bíblia e informações adicionais como comentários, dicionários e outros textos, usando o computador.

    Xiphos é a transliteração do grego “ξίφος”, uma das várias palavras gregas para “Espada”, e, assim, isso revela a conexão do programa com outros elementos da família The Sword Project.

    Como instalar o guia de estudos bíblicos Xiphos no Linux via Flatpak

    Para instalar o guia de estudos bíblicos Xiphos no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o guia de estudos bíblicos Xiphos no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/org.xiphos.Xiphos.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update org.xiphos.Xiphos

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall org.xiphos.Xiphos

    Ou

    flatpak uninstall org.xiphos.Xiphos

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.xiphos.Xiphos em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite xiphos ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Depois de executar o programa, siga as instruções dele e instale os módulos necesários ao uso completo do guia de estudos bíblicos Xiphos.

    Como instalar o guia de estudos bíblicos Xiphos no Linux via Flatpak

    Finalmente, comece a fazer os seus estudos e tenha uma boa leitura.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como converter pacotes DEB em pacotes Arch Linux

    Se você usa Arch e por algum motivo precisa de um programa que só existe em formato DEB, veja como fazer para converter pacotes DEB em pacotes Arch Linux.


    O Arch Linux tem pacotes para quase todo tipo de software, o AUR é um repositório de software enorme e quase todos os softwares estão disponíveis nele. Então, porque alguem precisaria converter um pacote DEB em pacote Arch Linux?Como converter pacotes DEB em pacotes Arch Linux Como converter pacotes DEB em pacotes Arch Linux

    O problema está nesse quase. Acontece que alguns pacotes não podem ser compilados (pacotes de código fechado) ou não podem ser criados a partir do AUR por várias razões, como erro durante a compilação ou arquivos indisponíveis.

    Ou, porque o desenvolvedor é muito preguiçoso para construir um pacote no AUR ou não gosta de um pacote AUR.

    Nesses casos, a melhor saída é realmente converter pacotes DEB em pacotes Arch Linux, conforme será mostrado no procedimento abaixo.

    Como converter pacotes DEB em pacotes Arch Linux

    Para converter pacotes DEB em pacotes Arch Linux, você precisa usar um utilitário chamado Debtap, ou DEB To Arch Package.

    Então, para converter pacotes DEB em pacotes Arch Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um ;
    Passo 2. Debtap está disponível via AUR, para que você possa instalá-lo usando as ferramentas auxiliares do AUR, como Pacaur, Packer ou Yaourt, usando um dos comandos abaixo. Além disso, seu sistema Arch deve ter pacotes bash, binutils, pkgfile e fakeroot instalados;

    pacaur -S debtap
    packer -S debtap
    yaourt -S debtap

    Passo 3. Depois de instalar o Debtap e todas as dependências acima mencionadas, execute o seguinte comando para criar/atualizar o banco de dados pkgfile e debtap;

    sudo debtap -u

    Passo 4. Para converter qualquer pacote DEB, use o comando a seguir (substituindo pacote pelo nome do pacote). O comando irá converter o arquivo .deb em um pacote Arch Linux. Você será solicitado a inserir o nome do mantenedor e da licença do pacote. Basta inseri-los e teclar ENTER, para iniciar o processo de conversão. A conversão do pacote poderá demorar de alguns segundos a vários minutos, dependendo da velocidade da CPU;

    debtap pacote.deb

    Passo 5. Se você não quiser responder a nenhuma pergunta durante a conversão do pacote, use o sinalizador -q para ignorar todas as perguntas, exceto para editar arquivos de metadados.

    debtap -q pacote.deb

    Passo 6. Para ignorar todas as questões (não recomendado), use o sinalizador -Q.

    debtap -Q pacote.deb

    Uma vez que a conversão tiver terminado, você pode instalar o pacote recém-convertido usando “pacman” no seu sistema Arch, conforme mostrado abaixo.

    sudo pacman -U nome-do-pacote

    Se quiser conhecer melhor o Debtap e suas opções, use o sinalizador -h:

    debtap -h

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o jogo Red Eclipse no Linux via Flatpak

    Se você estava procurando uma boa opção de de tiro em primeira pessoa, conheça e veja como instalar o Red Eclipse no Linux via Flatpak.


    Red Eclipse é um FPS (First Person Shooter) divertido, com parkour, impulsos e muito mais. Ele apresenta uma infinidade de possibilidades, sendo possível jogar offline ou multiplayer online com muitos servidores.Como instalar o jogo Red Eclipse no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Red Eclipse no Linux via Flatpak

    O projeto é um jogo gratuito e de código aberto, construído com Cube Engine 2 usando SDL e OpenGL, o que permite que ele seja portado para várias plataformas, ou seja, você pode instalar e usar o jogo no Windows, Linux, BSD e MacOS.

    O desenvolvimento dele é voltado para uma jogabilidade equilibrada, com um tema geral de agilidade em uma variedade de ambientes.

    Como instalar o jogo Red Eclipse no Linux via Flatpak

    Red Eclipse possui várias possibilidades de jogo: Death Match com configurações adicionais como Death Match com times, ou cada um por si, no melhor estilo Quake Arena e até um modo de combate medieval.

    [embedded content]

    Como instalar o jogo Red Eclipse no Linux via Flatpak

    Para instalar o jogo Red Eclipse no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o jogo Red Eclipse no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/net.redeclipse.RedEclipse.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update net.redeclipse.RedEclipse

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall net.redeclipse.RedEclipse

    Ou

    flatpak uninstall net.redeclipse.RedEclipse

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run net.redeclipse.RedEclipse em um terminal.

    Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite redeclipse ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como visualizar o seu feed do Instagram no terminal

    Se você quer dar uma “espiada” no seu feed do Instagram, mas só tem a linha de comando a disposição, ou curte a visualização baseada em caracteres, descubra como visualizar o seu feed do Instagram no terminal.


    Instagram não precisa de apresentação: É uma plataforma de rede social popular, como o Facebook e o Twitter, para compartilhar fotos e vídeos, seja pública ou privadamente, para seguidores pré-aprovados.Como visualizar o seu feed do Instagram no terminalComo visualizar o seu feed do Instagram no terminal

    O Instagram foi lançado em 2010 por dois empresários, nomeadamente Kevin Systrom e Mike Krieger. E em 2012, o gigante da rede social Facebook adquiriu o Instagram.

    Instagram está disponível gratuitamente em dispositivos Android e iOS. Também podemos usá-lo em sistemas de desktop por meio de um navegador da web e alguns aplicativos não oficiais como o Ramme.

    E o legal é que agora você pode visualizar o seu feed do Instagram no terminal, em qualquer sistema operacional Unix-like, graças ao Instagram Terminal Feed.

    Por favor, note que você só pode ver o seu feed. Você não pode acompanhar ninguém, curtir ou comentar postagens. Este programa é apenas um leitor de feed do instagram.

    Além disso, este projeto está disponível gratuitamente no GitHub, para que você possa visualizar o código fonte, melhorá-lo, adicionar mais recursos, corrigir quaisquer erros, se houver algum.

    Como visualizar o seu feed do Instagram no terminal

    Para visualizar o seu feed do Instagram no terminal, primeiro, instale o pip3 caso não tenha no seu sistema. Para isso, use o gerenciador de pacotes do seu sistema.

    ou use um desses tutoriais:

    Como instalar o gerenciamento de pacotes Pip no CentOS
    Como instalar o gestor de pacotes Pip no Ubuntu, Debian e derivados

    Depois, para instalar o Instagram Terminal Feed e visualizar o seu feed do Instagram no terminal, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o código do Instagram Terminal Feed. Você precisará ter o pacote git, caso não tenha instalado em sua distribuição, use o gerenciador de pacotes dela;

    git clone https://github.com/billcccheng/instagram-terminal-news-feed.git

    Passo 3. Depois, acesse a pasta que foi criada pelo Git;

    cd instagram-terminal-news-feed/

    Passo 4. Agora, instale o programa com o comando abaixo;

    pip3 install -r requirements.txt

    Passo 5. Execute o seguinte comando para iniciar o Instagram Terminal Feed no Linux.

    python3 start.py

    Passo 6. Digite seu nome de usuário e senha do Instagram e navegue no seu feed do Instagram diretamente do Terminal.

    Como visualizar o seu feed do Instagram no terminal

    Seu nome de usuário e senha do Instragram só serão armazenados localmente no arquivo chamado credential.json.

    Então, você não precisa se preocupar com isso. Você também pode simplesmente não salvar suas credenciais, que é a opção padrão.

    Gostou do programa? Deixe sua opinião nos comentários.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Precisando gravar uma imagem ISO e a mídia está pequena? Pra resolver isso, veja como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster. Conheça o programa e veja como usá-lo.


    ISOMaster é um gráfico de imagens ISO para Linux e BSD, que é muito fácil de usar. Ele também pode abrir os arquivos ISO e NRG, mas só pode salvar como ISO.Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMasterComo reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Basicamente, você pode usar este programa para extrair arquivos de uma ISO, adicionar arquivos de uma ISO, e criar ISOs de boot – tudo usando uma interface gráfica.

    Por exemplo, imagine que você tem uma uma imagem ISO de um sistema Linux que tem tamanho de 4.1 GB e quer instalar em seu PC, mas você tem apenas um pendrive USB de 4GB (Atenção! é só um exemplo, ok?).

    O que você faz agora?. Você pode reduzir o tamanho da imagem ISO para caber em seu drive USB, para depois gravá-la normalmente.

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Para reduzir o tamanho de arquivos ISO, você precisará do ISOMaste. A boa notícia é que o ISOMaster está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu.

    Por isso, Para instalar ele, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install isomaster

    Passo 3. Execute o ISOMaster a partir do seu Dash ou de um menu. Se ele não estiver presente em nenhuma dessas opções, inicie o programa a partir de um terminal usando o comando:

    isomaster

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Passo 4. Selecione e abra o arquivo ISO que você deseja personalizar e remova pacotes indesejáveis até que você tenha o tamanho necessário.

    Por exemplo, se você estiver mexendo numa imagem de instalação de uma distribuição Linux e não for usar o ambiente desktop KDE, exclua todos os pacotes relacionados a ele (que geralmente têm o kde no nome).

    Exclua os pacotes indesejados para reduzir o tamanho da ISO e certifique-se de que você não excluiu quaisquer pacotes importantes, tais como pacotes relacionados ao kernel;

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Passo 5. Quando o arquivo estiver no tamanho que deseja , vá no menu “Arquivo” e clique e “Salvar como”. Depois, digite o nome para sua imagem ISO e estará pronto.

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Como gravar uma imagem ISO no Linux

    Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

    Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
    Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
    Como criar um pendrive de instalação
    Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
    Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

    Pronto! Com esse aplicativo e um pouco de informação, você não passará mais nenhum “aperto” na hora de encaixar imagens ISO em mídias pequenas.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o jogo Tux Football no Linux via Flatpak

    Se você gosta de futebol e da jogabilidade do games antigos, conheça e veja como instalar o jogo no Linux via Flatpak.


    Tux Football é um ótimo jogo de futebol para Windows e Linux. Esse game traz o antigo estilo de jogabilidade dos tempos do DOS de volta ao desktop, só que com gráficos atualizados.Como instalar o jogo Tux Football no Linux via FlatpakComo instalar o jogo Tux Football no Linux via Flatpak

    A jogabilidade é semelhante aos clássicos antigos, como o Ambo’s Kick Off e Sensible Soccer’s Sensible Soccer, e ela foi projetada para ser rápida, receptiva e divertida.

    Você está sempre no controle do jogador mais próximo da bola. A bola é controlada através de dois botões de kicks diferentes – um para passar e um para atirar.

    Como instalar o jogo Tux Football no Linux via Flatpak

    O Aftertouch pode ser aplicado em disparos pressionando e segurando rapidamente a direção na qual deseja que a bola se incline.

    Empurrar na direção oposta ao que você chutou a bola faz subir no ar, e empurrando na mesma direção que a bola faz mergulhar em direção ao chão.

    Como instalar o jogo Tux Football no Linux via Flatpak

    Para instalar o jogo Tux Football no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instaalr:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

    Depois, você pode instalar o jogo Tux Football no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/net.sourceforge.TuxFootball.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user net.sourceforge.TuxFootball

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user net.sourceforge.TuxFootball

    Ou

    flatpak net.sourceforge.TuxFootball

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run net.sourceforge.TuxFootball em um terminal.

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite tuxfootball ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    /sbin/vboxconfig não está funcionando? Veja como resolver

    Se você atualizou o VirtualBox ou o Kernel do seu sistema, está tendo problemas com dos módulos de kernel desse virtualizador, e o comando /sbin/vboxconfig não está , veja resolver isso manualmente.


    Depois de uma atualização do Oracle VirtualBox ou do Kernel, muitas vezes os pacotes oficiais não conseguem recompilar os módulos de host (anfitrião) do kernel do VirtualBox, de modo que o usuário é obrigado a fazer essa tarefa manualmente./sbin/vboxconfig não está funcionando? Veja como resolver/sbin/vboxconfig não está funcionando? Veja como resolver

    Ainda não está muito claro o porque dessa falha acontecer. Porém, isso só ocorre com pacotes baixados a partir do site ou repositório do VirtualBox.

    Outro problema é que até o VirtualBox 5.0.8, para recompilar os módulos manualmente era preciso usar o comando sudo /etc/init.d/vboxdrv setup.

    Mas com a versão mais recente, este comando foi substituído, e agora, a tela de erro do afirma que é preciso executar o sudo /sbin/vboxconfig, ao invés do antigo comando.

    /sbin/vboxconfig não está funcionando? Veja como resolver

    No entanto, de acordo com relatos de alguns usuários, este comando parece não estar funcionando atualmente, ou pelo menos não em alguns casos (como em um Ubuntu 15.10).

    Felizmente, se o /sbin/vboxconfig não está funcionando em seu sistema, a solução solução para isso é muito simples e consiste basicamente em abrir um terminal e executar o comando:

    sudo /sbin/rcvboxdrv setup

    Ao executar o comando acima, ele deverá recompilar o módulos de host (anfitrião) do kernel do VirtualBox e fazer com que o aplicativo volte a funcionar novamente.

    Caso apareça alguma mensagem de erro relacionada a outro programa, anote o nome e tente , pois pode ser que seja alguma dependência que ainda não está no sistema.

    Por ser um problema um tanto quanto “obscuro”, deixe sua experiência nos comentários para que todos possam compartilhar das dificuldades e das soluções.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o editor de código Atom no Linux via snap

    Se o que você precisa é de um editor para usar em diferentes necessidades, conheça e veja como instalar o editor de código Atom no Linux via snap.


    Atom é um editor de texto multiplataforma, e portanto, disponível para Linux, Windows e OS X.Como instalar o editor de código Atom no Linux via snapComo instalar o editor de código Atom no Linux via snap

    Esse editor é moderno, acessível, hackeavel, também é um software open source, desenvolvido, em sua maioria, pela comunidade no GitHub, sob a licença MIT.

    O Atom foi criado em Electron utilizando tecnologias web como HTML, JavaScript e CSS. Ela dispõe de suporte para plug-ins escritos em Node.js e comandos gerenciados por GitControl.

    Além disso, o Atom apresenta um gerenciador de pacote integrado que permite procurar e instalar pacotes novos (e ) a partir de dentro Atom, o preenchimento automático inteligente, o navegador do sistema de arquivos, vários painéis, e muito mais.

    Como instalar a versão mais recente do editor de código Atom no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para instalar o editor de código Atom no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o editor de código Atom no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

    sudo snap install atom

    Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

    sudo snap install atom --candidate

    Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

    sudo snap install atom --beta

    Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

    sudo snap install atom --edge

    Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

    sudo snap refresh atom

    Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove atom

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite atom ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Veja também

    Como instalar o editor Atom no Linux via Flatpak
    Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados
    Conheça algumas boas opções de editores de código para Linux

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Ubuntu Touch OTA-6 lançada – Confira as novidades e atualize

    A comunidade UBports divulgou o lançamento da sexta OTA (Over-the-Air) do sistema operacional móvel Ubuntu Touch, ou Ubuntu Touch OTA-6. Confira as novidades.


    O Ubuntu Touch OTA-6 está agora sendo lançado para os dispositivos Fairphone 2, Nexus 5, OnePlus One, BQ Aquaris M10 FHD, Nexus 4, Meizu PRO 5, Meizu MX 4, BQ Aquaris E4.5 e BQ Aquaris E5 HD atualização para a versão OTA-5, que foi lançada há dois meses, e que rebaseou o Ubuntu Touch na série do sistema operacional Ubuntu 16.04 LTS (Xenial Xerus).Ubuntu Touch OTA-6 lançada - Confira as novidades e atualizeUbuntu Touch OTA-6 lançada – Confira as novidades e atualize

    No anúncio, a comunidade UBports disse o seguinte:

    “O Ubuntu Touch é o sistema operacional móvel da UBports que respeita a privacidade e a liberdade. Nossa atualização mais recente, a OTA-6, está sendo lançada nos próximos cinco dias (completando na quarta-feira, 12 de dezembro).”

    Novidades do Ubuntu Touch OTA-6

    Como já falei em um artigo anterior, a atualização do Ubuntu Touch OTA-6 chegou para trazer inúmeras melhorias e correções de erros para o sistema operacional principal e vários aplicativos.

    É um lançamento focado em adicionar uma camada extra de estabilidade e confiabilidade ao Ubuntu Touch, por isso é uma atualização recomendada para todos os usuários.

    Na Ubuntu Touch OTA-6, o aplicativo de navegador Morph recebeu suporte para restaurar a sessão de navegação anterior na inicialização, suporte para Web Apps para acessar conteúdo armazenado localmente, suporte a ReCaptcha, barras de rolagem temáticas, uma experiência aprimorada de navegação com guias, bem como a capacidade para parar a mídia ao fechar uma aba.

    O Morph também aceitará certificados auto assinados.

    Essa atualização também adiciona uma nova caixa de diálogo Evento no aplicativo Calendário para sugerir aos usuários um calendário padrão quando pressionam por muito tempo para abrir e atualiza o assistente Bem-vindo com suporte para avançar automaticamente quando você toca no botão Enter.

    Além disso, os proprietários do OnePlus One terão a capacidade de alterar o volume do fone de ouvido durante uma chamada telefônica, melhores chamadas telefônicas e melhorias na rede.

    O Ubuntu Touch OTA-6 estará disponível nos próximos dias como uma atualização de lançamento, completando na quarta-feira, 12 de dezembro de 2018.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o divertido jogo StepMania no Linux via Flatpak

    Se você gosta daqueles máquinas de dança que tem em casas de jogos, conheça e veja como instalar o jogo no Linux via Flatpak.


    StepMania é um jogo do estilo Dance Dance Revolution para Windows, Mac e Linux.Como instalar o divertido jogo StepMania no Linux via FlatpakComo instalar o divertido jogo StepMania no Linux via Flatpak

    Ele é um software open source, coberto pela licença MIT, que possui gráficos , suporte para e , além de um para seus próprios passos.

    Com o StepMania é possível simular a dinâmica desse brinquedo. Acrescente um tapete de dança, e seu PC ficará igual a uma delas.

    O game torna possível possível jogar algumas músicas da mesma forma como você dançaria numa máquina de verdade, mas nesse caso, você tem uma ótima vantagem: é possível criar as próprias músicas e coreografias para jogar.

    Apesar de ser bastante gráfico, o game não aceita comandos com o mouse. Por causa disso você deve usar apenas o teclado para jogar e selecionar as músicas que deseja dançar.

    Use as setas direcionais para navegar pelos menus da interface, e a tecla Enter para confirmar as operações.

    Como instalar o divertido jogo StepMania no Linux via Flatpak

    Como instalar o jogo StepMania no Linux via Flatpak

    Para instalar o jogo StepMania no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o jogo StepMania no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.stepmania.StepMania.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update com.stepmania.StepMania

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall com.stepmania.StepMania

    Ou

    flatpak uninstall com.stepmania.StepMania

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.stepmania.StepMania em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite stepmania ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o jogo StepMania no Ubuntu

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como criar um vídeo a partir de arquivos PDF no Linux

    Se você possui vários PDF’s e quer visualizá-los de uma única vez com comodidade, veja como fazer para um vídeo a partir de arquivos PDF no Linux.


    Muitas pessoas possuem uma enorme coleção de arquivos PDF, espalhados entre o PC, tablet e mídias removíveis. E as vezes, até mesmo dá preguiça ficar lendo esses arquivos a partir do tablet.Como criar um vídeo a partir de arquivos PDF no LinuxComo criar um vídeo a partir de arquivos PDF no Linux

    Uma boa saída para isso seria criar um vídeo a partir de arquivos PDF e assistir em dispositivos de tela grande como uma TV ou um computador, em uma tela maior e mais confortável para os olhos.

    Felizmente, essa solução existe. Então se você queria fazer um arquivo de vídeo a partir de um conjunto de arquivos PDF, veja o procedimento abaixo.

    Para criar um vídeo a partir de arquivos PDF no Linux, você precisa instalar o software FFMpeg e ImageMagick em seu sistema.

    Como criar um vídeo a partir de arquivos PDF no Linux

    O Imagemagick e o
    FFMpeg estão disponível nos repositórios oficiais da maioria das distribuições Linux. Para instalar, use o gerenciador de pacotes de sua distribuição ou abra um terminal e faça o seguinte:

    No Arch Linux e derivados, como Antergos, Manjaro Linux, execute o seguinte comando:

    sudo pacman -S imagemagick ffmpeg

    No Debian, Ubuntu, Linux Mint, use este comando:

    sudo apt-get install imagemagick ffmpeg

    Para instalar no Fedora, use este comando:

    sudo dnf install imagemagick ffmpeg

    Já no RHEL, CentOS, Scientific Linux use este comando:

    sudo yum install imagemagick ffmpeg

    No SUSE, openSUSE,use este comando:

    sudo zypper install imagemagick ffmpeg

    Depois de instalar ffmpeg e imagemagick, converta seu formato de imagem de arquivo PDF, como PNG ou JPG, como abaixo. Nele, o parâmetro -density 400 especifica a resolução horizontal do (s) arquivo (s) de imagem de saída.

    convert -density 400 input.pdf picture.png

    O comando acima irá converter todas as páginas no arquivo PDF fornecido para o formato PNG. Cada página no arquivo PDF será convertida em um arquivo PNG e salva no diretório atual com o nome do arquivo picture-1.png, picture-2.png … e assim por diante.

    Vai demorar um pouco, dependendo do número de páginas no arquivo PDF de entrada.

    Uma vez que todas as páginas no PDF convertidas em formato PNG, execute o seguinte comando para criar um arquivo de vídeo a partir dos arquivos PNG.

    ffmpeg -r 1/10 -i picture-%01d.png -c:v libx264 -r 30 -pix_fmt yuv420p .mp4

    No comando acima:

    -r 1/10 : exibe cada imagem por 10 segundos.
    -i picture-% 01d.png : lê todas as imagens que começam com o nome “imagem-” , seguindo com 1 dígito (% 01d) e terminando com .png . Se o nome da imagem for fornecido com 2 dígitos (Ie picture-10.png, picture11.png etc), use (% 02d) no comando acima.
    -c: v libx264 : codec de saída de vídeo (ou seja, h264).
    -r 30 : framerate do vídeo de saída
    -pix_fmt yuv420p : resolução de vídeo de saída
    video.mp4 : arquivo de saída de vídeo com formato .mp4.

    Pronto! O arquivo de vídeo está pronto! Você pode reproduzi-lo em qualquer dispositivo que suporte o formato .mp4.

    Se você quiser o vídeo com uma resolução de pixels maior, não precisa começar tudo de novo. Basta converter o arquivo de vídeo de saída para qualquer outra resolução maior ou menor de sua escolha, diga 720p, conforme mostrado abaixo.

    ffmpeg -i video.mp4 -vf scale=-1:720 video_720p.mp4

    Observe que criar um vídeo usando ffmpeg requer um PC de configuração adequado, pois ao converter vídeos, o ffmpeg consumirá a maioria dos recursos do seu sistema.

    Depois, é só assistir. Divirta-se!

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o aplicativo Photo Editor no Linux via Flatpak

    Se você quer modificar imagens sem as complicações de muitos programas e com vários recursos, conheça e veja instalar o aplicativo Photo Editor no Linux via Flatpak.


    Photo Editor é um aplicativo que permite editar e compartilhar facilmente todas as suas fotos favoritas.Como instalar o aplicativo Photo Editor no Linux via FlatpakComo instalar o aplicativo Photo Editor no Linux via Flatpak

    Você já quis editar suas próprias fotos como os profissionais e criar belas imagens que você pode compartilhar com quem você ama? Bem, agora você pode fazer isso em apenas alguns passos com o Photo Editor.

    O aplicativo possui uma variedade de filtros atrativos e artísticos para que você possa personalizar suas fotos e criar obras de arte únicas de sua vida cotidiana.

    Com este prático aplicativo, você pode postar suas criações diretamente no Facebook, para que todos possam ver suas fotos incríveis!

    Como instalar o Photo Editor no Linux via Flatpak

    Para instalar o Photo Editor no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o Photo Editor no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.endlessm.photos.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update com.endlessm.photos

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall com.endlessm.photos

    Ou

    flatpak uninstall com.endlessm.photos

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.endlessm.photos em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite photos ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    Quer registrar o áudio do seu PC? Então veja aqui como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio-Recorder.


    Audio Recorder é uma ferramenta útil que permite gravar sua música e outros tipos de áudio para arquivos.Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio RecorderComo gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    O programa tem suporte para gravação usando dispositivos como microfone, webcam, placa de áudio, reprodutores de música/filmes, chamadas do Skype, navegadores e etc.

    E com os plugins GStreamer, o Audio Recorder passa a suportar os formatos de saída OGG, FLAC, MP3, AAC e WAV.

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz usando o Audio Recorder

    Para gravar chamadas do Skype, músicas e voz usando o Audio Recorder, primeiramente você deve o programa. Para isso, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se você estiver usando o Ubuntu 14.10, 14.04 ou inferior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:osmoma/audio-recorder

    Passo 3. Se você estiver usando o Ubuntu 15.04, 15.10, 16.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:audio-recorder/ppa

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install audio-recorder

    Passo 6. Para suporte a mais formatos de áudio, os plugins GStreamer (Ubuntu 14.04 ou superior);

    sudo apt-get install gstreamer1.0-plugins-base gstreamer1.0-plugins-good gstreamer1.0-plugins-ugly gstreamer1.0-plugins-bad gstreamer*-fluendo-mp3

    Como instalar o Audio Recorder manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link ou nesse outro linke instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite audio no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz

    Para gravar chamadas do Skype, basta abrir o Skype execute o Audio Recorder digitando audio no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Depois, abra o Skype e faça sua chamada (ou qualquer outro programa que você queira gravar o áudio) e clique em “Start recording” no Audio Recorder. Se quiser, ajuste o temo de inicio ou fim da gravação em “Timer” ou configure a entrada e o formato de saída em “Additional settings”.

    Como gravar chamadas do Skype, músicas e voz no Ubuntu via Audio Recorder

    Você também pode gravar músicas, para isso, use seu reprodutor favorito. Para gravar sua voz, basta ter um microfone ativo.

    Pronto! Sempre que precisar, basta repetir o processo de gravação e guardar áudios para ouvir depois.

    Desinstalando o Audio Recorder no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Audio Recorder no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:osmoma/audio-recorder -r -y
    sudo add-apt-repository ppa:audio-recorder/ppa -r -y
    sudo apt-get remove audio-recorder --auto-remove

    Fonte;

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Temas no GIMP: veja como mudar a aparência do programa

    Se você não gosta do visual do GNU Image Manipulation Program, veja aqui como usar no GIMP e mudar a aparência do programa, para deixá-lo do jeito que você quer.


    Se você gosta de de fotos ou já precisou fazer algo em imagens, são grandes as chances de que você provavelmente já ouviu falar do programa conhecido como GIMP.

    Temas no GIMP: veja como mudar a aparência do programa

    Ele é bem conhecido, principalmente por ser uma alternativa livre e de código aberto para o extremamente popular Adobe Photoshop.

    O GIMP é um aplicativo impressionante com um monte de recursos interessantes para você escolher. Ainda assim, o seu visual precisa mudar para melhor.

    Ele é um bom programa, mas não é exatamente o mais moderno visualmente.

    Vamos apenas dizer que a interface de usuário do programa precisa de alguma modernização. Uma das coisas que provavelmente mais precisa ser atualizada é o tema de ícones.

    Não parece muito bom, e por vezes, os ícones podem ser difícil de ler. Felizmente, com temas no GIMP, é possível personalizar o programa.

    No procedimento a seguir será mostrado como baixar, e usar um determinado tema. Isso servirá de base para que você possa mudar a interface do programa, para que ele fique próximo do que você quer.

    Com poucas mudanças, o processo pode funcionar para outros temas e em qualquer distribuição Linux, e até em outros sistemas operacionais :).

    Para encontrar mais temas para esse programa, acesse a página de temas para Gimp do DevianArt.

    Como usar temas no GIMP para mudar a aparência do programa

    Para baixar, instalar e usar temas no GIMP para mudar a aparência do programa, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Se você for usar comandos, abra um terminal;
    Passo 2. Baixe o Flat GIMP icon Theme usando o comando abaixo ou acesse o link e clique na opção “Download” que fica no lado direito da página. Para ficar de acordo com os comandos usados nesse tutorial, salve o arquivo como flat-gimp-icon.zip;

    wget https://orig00.deviantart.net/0ee4/f/2015/118/5/7/flat_gimp_icon_theme_v_2_1_by_android272-d679s6z.zip -O flat-gimp-icon.zip

    Temas no GIMP: veja como mudar a aparência do programa

    Temas no GIMP: veja como mudar a aparência do programa

    Passo 3. Descompacte o arquivo baixado com o comando a seguir ou abra o gerenciador de arquivo e clique nele com o botão direito do mouse. No menu que aparece, clique na opção “Extrair aqui”;

    unzip flat-gimp-icon.zip

    Temas no GIMP: veja como mudar a aparência do programa

    Passo 4. Copie a pasta Decor e as pastas dentro de GIMP_Orange para a pasta ~/.gimp-2.8/themes/, usando o comando abaixo. Se quiser usar o mouse, clique com o botão direito na pasta e escolha a opção “Copiar” no menu (lembre-se copiar as pastas dentro de GIMP_Orange). Depois vá para a pasta ~/.gimp-2.8/themes/, clique com o botão direito e escolha a opção “Colar” no menu;
    Ou use os comandos abaixo, ajustando x.x para o numero da versão do GIMP:

    mv Flat\ GIMP\ icon\ Theme\ V2/Decor/ ~/.gimp-x.x/themes/
    mv Flat\ GIMP\ icon\ Theme\ V2/GIMP_Orange/* ~/.gimp-x.x/themes/

    Temas no GIMP: veja como mudar a aparência do programa

    Temas no GIMP: veja como mudar a aparência do programa

    Passo 5. Inicie o programa, digitando gimp em um terminal, seguido da tecla TAB ou clicando no atalho do programa;

    Passo 6. Com o Gimp aberto, vá para o menu “Editar” e clique na opção “Preferências”;

    Temas no GIMP: veja como mudar a aparência do programa

    Passo 7. Na janela “Preferências”, clique no item “Tema” e depois no tema que você quer utilizar.

    Temas no GIMP: veja como mudar a aparência do programa

    Pronto! Agora que você já sabe como usar temas no GIMP, pode mudar a aparência do programa e personalizá-lo para deixar do jeito que quiser. Divirta-se!

    Mais informações sobre temas no GIMP

    Com temas é possível até mesmo deixar o GIMP parecido com o Photoshop. Duvida? Então confira esses tutoriais:
    Como deixar o GIMP parecido com o Photoshop
    Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

    E se você quiser encontrar mais temas para esse programa, clique nesse link.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar a carteira ARK Desktop Wallet no Linux via Flatpak

    Se você já usa a infraestrutura da carteira ARK em outros dispositivos e quer usá-la no PC, veja como instalar a carteira ARK no Linux via Flatpak.


    ARK Desktop Wallet é a versão para PC da carteira ARK. Essa carteira Full HD atende aos principais padrões de segurança da indústria e suporta a carteira de hardware seguro Ledger Nano S.Como instalar a carteira ARK Desktop Wallet no Linux via FlatpakComo instalar a carteira ARK Desktop Wallet no Linux via Flatpak

    As carteiras da ARK se conectam a pares de rede totalmente sincronizados, removendo a necessidade de baixar o ARK blockchain. Basta sincronizar com a rede, iniciar e usar em segundos. E, com 8 segundos de bloco, você já pode realmente ver suas transações ocorrerem em tempo real.

    Como instalar o carteira ARK Desktop Wallet no Linux via Flatpak

    Para instalar o carteira ARK Desktop Wallet no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o carteira ARK Desktop Wallet no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/io.ark.Desktop.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update io.ark.Desktop

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall io.ark.Desktop

    OU

    flatpak uninstall io.ark.Desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run io.ark.Desktop em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite ark ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como inserir Emoji no Ubuntu sem complicações

    Se tudo que você queria era poder adicionar as famosas “carinhas” aos seus textos ao usar o sistema da Canonical, descubra como inserir Emoji no Ubuntu sem complicações.


    Agora, a do lançamento do Ubuntu 18.04 LTS, você já pode usar emoji nesse sistema. Não, você não precisará aplicativos de terceiros ou teclados de emoji, usar fontes estranhas ou adicionar extensões de sistema.Como inserir Emoji no Ubuntu 18.04 sem complicaçõesComo inserir Emoji no Ubuntu 18.04 sem complicações

    Apesar desse ser um recurso nativo, não há muita informação sobre ele, por conta disso, os usuários ficam sem saber como usá-lo ou até mesmo achando que não existe.

    O Ubuntu (como muitas distribuições Linux modernas) inclui a fonte de emojis Noto Color do Google como parte da instalação padrão.

    É essa fonte que permite ver emoticons no Linux em cores, em aplicativos nativos do Linux, como Corebird, Rhythmbox, Geary e, sim, até mesmo no modesto Terminal.

    Mas ver os emoticons é apenas metade do trabalho. Para facilitar a entrada de emojis no Linux, os desenvolvedores do GNOME criaram um selecionador de emojis interativo e pesquisável.

    Este selecionador foi incluído como parte do lançamento do GNOME 3.28 no início de 2018.

    Abaixo, você verá como fazer para acessá-lo e usá-lo para inserir Emoji no Ubuntu 18.04. Confira!

    Como inserir Emoji no Ubuntu sem complicações

    Para inserir Emoji no Ubuntu 18.04 ou superior, tudo o que você precisa fazer é acessar o seletor de emojis em um aplicativo nativo do Linux.

    Por exemplo, se você estiver usando o Gedit (ou qualquer outro editor de texto ou programa com o um campo de texto), basta clicar com o botão direito do mouse em uma área de texto. No menu de contexto que será exibido, clique na opção “Inserir Emoji”.

    Como inserir Emoji no Ubuntu 18.04 sem complicaçõesComo inserir Emoji no Ubuntu 18.04 sem complicações

    Feito isso, será exibido um selecionador pop-over, onde você pode escolher o Emoji a ser inserido:

    Como inserir Emoji no Ubuntu 18.04 sem complicaçõesInserindo um Emoji no Ubuntu 18.04 sem complicações

    Este seletor pop-over permite procurar emoji por categoria, escolher um emoji usado recentemente, pesquisar um emoji por nome, clicar em um emoji para inseri-lo.

    O selecionador de emoticons funciona até mesmo em outras distribuições e desktops do Linux, além do Ubuntu, incluindo o Ubuntu MATE e o Ubuntu Budgie.

    Infelizmente, o seletor de emoticons não funciona em todos os lugares.

    Você não verá a opção oferecida em aplicativos que não são baseados em GTK, como o Firefox, o Google Chrome ou o LibreOffice.

    Pronto! Agora que você já sabe como usar, sempre que precisar, poderá colocar um Emoji no Ubuntu!

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Gestor de computadores em sala de aula: Instale iTALC 2 no Ubuntu e derivados

    Se você trabalha com educação e procura uma ferramenta para administrar os de sua escola, o iTALC pode ajudá-lo. Veja aqui como instalar esse importante gestor de em sala de aula no Ubuntu e derivados.


    iTALC é uma ferramenta de gestão de sala de aula livre e de código aberto para os professores, que permite visualizar e controlar outros computadores em sua rede de várias maneiras.Gestor de computadores em sala de aula: Instale iTALC 2 no Ubuntu e derivadosGestor de computadores em sala de aula: Instale iTALC 2 no Ubuntu e derivados

    Esse software suporta Linux e Windows e ainda pode ser usado de forma transparente em ambientes mistos.

    Para ser um gestor de computadores em sala de aula, iTALC foi projetado tendo em mente o uso na escola. Por isso, oferece uma série de possibilidades para os professores.

    Com ele é possível ver o que está acontecendo nos computadores de laboratórios usando o modo de visão geral e fazer snapshots das telas, controlar remotamente para dar suporte e ajudar outras pessoas, exibir uma demo (em tela cheia ou em uma janela) mostrando a tela do professor em todos os computadores dos alunos em tempo real.

    Mas não se trata apenas de controlar ou exibir tela. Também dá para bloquear as estações de trabalho para que os alunos possam dar atenção ao professor, enviar mensagens de texto para os alunos, ligar/desligar e reiniciar computadores remotamente, fazer logon e logoff remoto e a execução remota de comandos/scripts arbitrários

    Para completar, é possível fazer educação em casa, pois a rede de tecnologia da iTALC não está restrita a uma sub-rede e, portanto, os alunos em casa podem juntar-se as aulas via conexões VPN, apenas fazendo a instalação de cliente iTALC

    Instalando o gestor de computadores em sala de aula iTALC no Ubuntu e derivados

    iTALC está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install italc-master italc-client.

    Mas se a sua versão não disponibiliza ele ou você quer a versão mais recente, para instalar o gestor de computadores em sala de aula iTALC no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo e siga as instruções do instalador:

    sudo apt-get install italc-master italc-client

    gestor de computadores em sala de aula italc

    gestor de computadores em sala de aula italc

    gestor de computadores em sala de aula italc

    gestor de computadores em sala de aula italc

    gestor de computadores em sala de aula italc

    gestor de computadores em sala de aula italc

    gestor de computadores em sala de aula italc

    Passo 5. Para o estudante, basta instalar iTALC-cliente. No Ubuntu, você pode instalar diretamente os últimos pacotes da Central de programas. Uma vez instalado, você tem que disponibilizar publicamente as chaves privadas na máquina do professor. Para fazer com que as chaves privadas sejam legíveis apenas para o grupo de professores, faça o seguinte (lembre-se de substitui “grupo” pelo nome do grupo que você usa):

    sudo chgrp -R grupo /etc/italc/keys/private/
    sudo chmod -R 640 /etc/italc/keys/private/
    sudo chmod -R ug+X /etc/italc/keys/private/

    Passo 6. Certifique-se que a chave pública pode ser lida por todos, ou você pode querer criar um grupo de “estudantes”, e fazer o mesmo que que o passo anterior.

    Como instalar o gestor de computadores em sala de aula iTALC manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Desinstalando o gestor de computadores em sala de aula iTALC no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o gestor de computadores em sala de aula iTALC no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove italc-master italc-client --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no Ubuntu

    Se você procura um player bom e personalizável para usar em seu sistema, veja como instalar o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no Ubuntu.


    DeaDBeeF é um reprodutor de músicas cheio de recursos e que utiliza pouquíssima memória RAM.Como instalar o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no UbuntuComo instalar o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no Ubuntu

    Além disso, ele tem um modo de design que permite que você personalize a interface do usuário do jeito que gosta.

    Como instalar o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no Ubuntu

    Como instalar o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no Ubuntu

    Como instalar o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no Ubuntu e derivados

    Para instalar o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:starws-box/deadbeef-player

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install deadbeef

    Como instalar o reprodutor de músicas DeaDBeeF manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro de aplicativos da sua distro, ou digite deadbeef ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Desinstalando o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o reprodutor de músicas leve DeaDBeeF no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:starws-box/deadbeef-player -r -y
    sudo apt-get remove deadbeef --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Criação de objetos 3D no Linux – instale OpenSCAD

    Se você precisa de um programa para a de no Linux, instale o OpenSCAD em seu sistema.


    OpenSCAD é um software livre de CAD (usa a GPL versão 2), específico para a criação de modelos 3D sólidos utilizados principalmente para a criação de peças mecânicas e não para a criação de animações etc, como o Blender, por exemplo.Criação de objetos 3D no Linux - instale OpenSCADCriação de objetos 3D no Linux – instale OpenSCAD

    Por conta dessas características, ele pode ser o aplicativo que você está procurando quando você está planejando criar modelos 3D de peças de máquinas, mas com certeza não é o que você está procurando, se você está mais interessado em criar filmes animados por computador.

    OpenSCAD não é um modelador interativo. Em vez disso, é algo como um compilador 3D que lê em um arquivo script que o objeto e renderiza o modelo 3D a partir deste arquivo de script.

    Isto dá ao designer, o controle total sobre o processo de modelagem e permite que ele altere facilmente qualquer etapa do processo de modelagem ou faça desenhos que são definidos por parâmetros configuráveis.

    O programa é multiplataforma e por conta disso, está disponível para Linux, Windows e Mac. Baseado em bibliotecas Qt4, OpenCSG e OpenGL (para renderização usando CGAL), ele permite fazer a extrusão de formas de arquivos 2D AutoCAD DXF e exportar tudo em vários formatos, como STL e Open Font Format (OFF).

    Quem quiser ter uma ideia do funcionamento do programa, veja essa animação abaixo (Obrigado ao Patola pela dica e pela imagem). Se quiser, clique na imagem para visualizar em tamanho maior:

    Criação de objetos 3D no Linux - instale OpenSCAD

    Como o OpenSCAD a partir dos repositórios oficiais das principais distribuições Linux

    Também é possível instalar o OpenSCAD em sua distribuição Linux favorita usando apenas os repositórios oficiais. Para isso, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se estiver usando o Debian, Ubuntu e seus derivados, use este comando:

    sudo apt-get install openscad

    Passo 3. Se estiver usando o Fedora ou uma distro derivada dele, instale o programa usando este comando:

    sudo dnf -install openscad openscad-MCAD

    Passo 4. Agora se você estiver usando o Arch Linux e seus derivados, use este comando:;

    sudo pacman -S openscad

    Como instalar a versão mais recente do OpenSCAD no Ubuntu e seus derivados

    Nem sempre o repositório ofical do Ubuntu traz a versão mais recente, por isso, para instalar o OpenSCAD no Ubuntu e seus derivados, e receber automaticamente sempre as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:chrysn/openscad

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install openscad

    Desinstalando o OpenSCAD no Linux

    Para desinstalar o OpenSCAD no Linux, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. No Debian, Ubuntu e derivados, desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove openscad*
    sudo apt-get autoremove

    Passo 3. No Fedora, RedHat, CentOS e outras distros derivadas delas, desinstale o programa usando o comando abaixo;

    sudo dnf remove openscad*

    Passo 4. No openSUSE ou um de seus derivados, desinstale o programa usando o comando abaixo;

    sudo zypper remove openscad*

    Passo 5. No OpenMandriva, Mageia e seus derivados, desinstale o programa usando o comando abaixo;

    sudo urpme openscad*

    Passo 6. No Arch Linux e seus derivados, desinstale o programa usando o comando abaixo;

    sudo pacman -R openscad

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite openscad ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o gerador de objetos 3D OpenSCAD no Linux via Flatpak

    3D/CAD no Linux – conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Processamento de fotos em formato RAW: Instale Darktable no Ubuntu

    Foi lançada recentemente mais uma versão do Darktable, um programa de de fotos em formato RAW. Veja como instalar ele no Ubuntu.


    Se você trabalha com imagens (principalmente no formato RAW), irá gostar do aplicativo Darktable. De código aberto, ele está disponível gratuitamente em versões para as principais distribuições Linux, Mac OS X e Solaris sob a GPL versão 3 ou superior.Processamento de fotos em formato RAW: Instale Darktable no UbuntuProcessamento de fotos em formato RAW: Darktable no Ubuntu

    Em vez de ser um editor de gráficos raster como o Adobe Photoshop ou o GIMP, Darktable trabalha com um conjunto de ferramentas voltados especificamente para processamento de fotos em formato RAW.

    Utilizando edição não destrutiva, ele é focado principalmente na melhoria do processo de trabalho do fotógrafo facilitando o gerenciamento de grandes quantidades de imagens.

    Abaixo, veja algumas características do programa:

    • Edição totalmente não-destrutiva;
    • Todas as funções do núcleo do Darktable operam em buffers de ponto flutuante de pixel de 4 x 32 bits, permitindo instruções SSE para aumentos de velocidade. Oferece aceleração de GPU via OpenCL (deteção de tempo de execução e habilitação) e tem suporte de perfil ICC embutido: sRGB, Adobe RGB, XYZ e RGB linear;
    • Um plugin coletor permite executar consultas de banco de dados flexíveis, procurar suas imagens por tags, classificação de imagens (estrelas), etiquetas de cores e muito mais. Filtrando e classificando suas coleções dentro da consulta base ou simples de marcação por tags relacionadas. Essas ão ferramentas úteis no seu fluxo de trabalho fotográfico diário.
    • Importa uma variedade de formatos de imagem;
    • Darktable atualmente vem com 15 traduções: Albanês, catalão, checo, holandês, finlandês, francês, gaélico, alemão, italiano, japonês, polonês, russo, espanhol, Sueco e tailandês;
    • Suporta webalbum do picasa, flickr upload, armazenamento em disco, 1:1 cópia de exportação, anexos de email e pode gerar uma galeria de web baseadas em html simples;
    • Permite que você exporte imagens para low dynamic range (jpg, png, tiff), 16-bit (ppm, tiff), ou linear high dynamic range (pfm, exr);
    • Ele usa dois arquivos XMP secundários, bem como o seu banco de dados rápido para salvar configurações de metadados e processamento. Todos os dados Exif é lido e escrito usando libexiv2.

    Instalando o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu

    Para instalar o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:pmjdebruijn/darktable-release

    Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Para instalar a atualização, use este comando:

    sudo apt-get install darktable

    Como instalar o Darktable manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Instalando o aplicativo de processamento de fotos Darktable em outras distribuições

    Quem estiver usando outra distribuição, pode dar uma olhada no site do desenvolvedor do aplicativo acessando esse link.

    Lá tem as instruções, e se for o caso, o pacote para instalar ele em outras distribuições Linux. Apesar de estar em inglês, as instruções são bem simples.

    Se quiser pode tentar uma versão traduzida pelo Google Translator clicando aqui. Caso existam comando a serem executados nas instruções, lembre-se que eles não devem ser traduzidos.

    Se você quiser instalar em outra distribuição que suporte o formato de arquivos Snap, use esse tutorial:
    Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Snap

    Se você quiser instalar em outra distribuição que suporte o formato de arquivos Flatpak, use esse tutorial:
    Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Flatpak

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite darktable no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o aplicativo de processamento de fotos Darktable no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove darktable --auto-remove

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Snap
    Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Flatpak

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Dash to Dock no GNOME Shell – Conheça uma dock avançada para esse ambiente

    Se você está procurando uma boa alternativa ao Dash de atividades do Gnome, conheça e veja como o Dash to Dock no GNOME Shell.


    Alguns usuários do GNOME Shell que se incomodam com o fato de ter que entrar no modo de visão geral (Dash) para fazer qualquer coisa, certamente vão gostar do Dash to Dock.Dash to Dock no GNOME Shell - Conheça uma dock avançada para esse ambienteDash to Dock no GNOME Shell – Conheça uma dock avançada para esse ambiente

    Essa extensão transforma o Dash de atividades em uma Dock altamente configurável, que você pode colocar em qualquer lugar na sua área de trabalho.

    Ela permite que os usuários iniciem e alternem entre janelas de aplicativos e desktops de um jeito muito mais rápido. Esta extensão é particularmente útil para usuários de Linux que gostam de personalizar praticamente todos os aspectos da área de trabalho.

    Com ela você pode decidir mostrar os badges do aplicativo, a transição através de janelas de aplicativos abertas usando a barra de rolagem do mouse, espiar visualizações de janelas usando atalhos de teclado personalizados, esconder os favoritos do painel e mostrar o menu do dock em tantos monitores conectados, entre outras opções de personalização.

    Quer conhecer outras extensões para Gnome Shell? Confira o vídeo abaixo:

    Requisitos de instalação e execução

    Para executar a extensão Dash to Dock, você precisa estar executando pelo menos o GNOME 3.2 . No entanto, para desfrutar de todas as suas últimas atualizações, correções e recursos, certifique-se de que está executando a versão mais recente do ambiente GNOME shell.

    Como instalar o Dash to Dock no Ubuntu e seus derivados

    Você pode instalar o Dash to Dock diretamente a do site GNOME Extensions, clicando no link abaixo (basta estar usando o GNOME Shell):

    Dash to Dock no GNOME Extensions

    Para instalar o Dash to Dock no Gnome Shell, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (no use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o código fonte da extensão (se você não tiver o git instalado, instale-o usando o de pacotes de sua distro);

    git clone https://github.com/micheleg/dash-to-dock.git

    Passo 3. Em seguida, acesse a pasta criada;

    cd dash-to-dock/

    Passo 4. Compile o programa com o comando abaixo;

    make

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    make install

    Pronto! Feche a sessão atual e inicie novamente ou reinicie!

    O que está sendo falado no blog

    Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

    Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

    Doação usando Paypal

    Doação usando PagSeguro
    Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo

    Let's block ads! (Why?)

    Planeta Ubuntu Brasil

    O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


    Última atualização:
    11 de dezembro de 2018, 05:05
    Horário UTC

    Planet ATOM
    RSS10 RSS20
    OPML FOAF

    Blogs inscritos


    © 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
    Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.