27 de abril de 2015

Como instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

Se você quer instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados ou sistema que suportem pacotes deb e rpm, veja como fazer isso.
Receitanet no Debian, Fedora e derivados
Além da versão binária (bin) e multiplataforma (jar), a receita também disponibiliza versões do instalador do Receitanet em formato deb e rpm, para que os usuários Linux instalem o programa em sistemas que suportem esses formatos.

A seguir, você verá como fazer a instalação do Receitanet no Debian, Fedora e derivados, usando esses tipos de pacotes. Mas antes, dê uma boa olhada nos pré requisitos do programa.

Conheça melhor o Receitanet

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2015

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Preparando o sistema para instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente (em 2015, o requisito mínimo é a 1.8, também chamada de Java 8), para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Como instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

Instalando o Receitanet no Debian e derivados

Para instalar o Receitanet no Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do no Debian e derivados, use o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome receitanet.deb;

wget -O receitanet.deb http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/receitanet-1.06.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i receitanet.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 5. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove receitanet*

Instalando o Receitanet no Fedora e sistemas derivados

Para instalar o Receitanet no Fedora e sistemas derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do Receitanet no Fedora e sistemas derivados, use o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome receitanet.rpm;

wget -O receitanet.rpm http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/receitanet-1.06-1.noarch.rpm

Passo 3. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall receitanet.rpm

Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install receitanet.rpm

Passo 5. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi receitanet.rpm

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite receitanet em um terminal, seguido da tecla TAB.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o Receitanet no Linux

Agora que você já instalou o programa gerador da declaração (IRRF) para começar acertas as contas com o leão, veja aqui como instalar o Receitanet no Linux para enviar a sua declaração.
Receitanet no Linux
O Receitanet é o programa responsável pela transmissão dos dados, na hora de enviar sua declaração criada no programa gerador da declaração (IRRF). Ele também está disponível na página da Receita Federal em versões para vários sistemas. E assim como o IRRF, a versão do instalador do Receitanet que será usada nesse tutorial será a binária (.bin), já que a mesma permite fazer a instalação em qualquer distribuição Linux.

Conheça melhor o Receitanet

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2015

Preparando o sistema para instalar o Receitanet no Linux

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente (em 2015, o requisito mínimo é a 1.6), para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Preparando o sistema para instalar o Receitanet no Ubuntu e deriados

Se você for instalar em um sistema baseado no Ubuntu de 64-bits, além de instalar o Java, faça esse procedimento antes de continuar a instalação:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Em seguida, atualize o APT com este comando :

sudo apt-get update

Passo 4. Para começar a baixar a atualização e executá-la, use esse comando;

sudo apt-get dist-upgrade

Passo 5. Instale algumas dependências com o seguinte comando:

sudo apt-get install libgtk2.0-0:i386 libpangox-1.0-0:i386 libpangoxft-1.0-0:i386 libidn11:i386 libglu1-mesa:i386

Instalando o Receitanet no Linux

Para instalar o Receitanet no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, baixe o instalador do programa Receitanet, usando o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome receitanet.bin;

wget -O receitanet.bin http://www.receita.fazenda.gov.br/Publico/programas/receitanet/Receitanet-1.06.bin

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, baixe o instalador do programa Receitanet, usando o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome receitanet.bin;

wget -O receitanet.bin http://www.receita.fazenda.gov.br/Publico/programas/receitanet/Receitanet-1.06-x64.bin

Passo 5. Depois de baixado, dê permissão de execução ao programa, com o comando abaixo;

chmod +x receitanet.bin

Passo 6. Execute o instalador do Receitanet, usando o comando abaixo;

sudo ./receitanet.bin

Passo 7. Na primeira tela, clique no botão “Avançar”;
Receitanet no Linux
Passo 8. Agora, clique no botão “Procurar…” para selecionar a pasta onde deseja instalar o programa e depois clique no botão “Avançar”, ou apenas clique no botão “Avançar” (que é o mais recomendado);
Receitanet no Linux
Passo 9. Na próxima tela, clique no botão “Avançar”;
Receitanet no Linux
Passo 10. Na última tela, clique no botão “Concluir”. ;
Receitanet no Linux

Depois de instalado, você já pode usá-lo (executando-o a partir do IRRF) e enviar a sua declaração.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar a versão multiplataforma do Receitanet no Linux

Se você teve dificuldade para instalar o Receitanet usando arquivos .bin, veja como instalar o Receitanet no Linux usando a versão multiplataforma, que pode ser instalada em qualquer distribuição Linux.
receitanetm-0
Apesar do esforço da Receita, nem sempre é possível instalar o Receitanet usando os arquivos .bin, felizmente, eles disponibilizam uma versão multiplataforma do programa. Nesse tutorial, você verá como fazer isso usando essa versão multiplataforma do Receitanet no Linux, que permite instalar o aplicativo em qualquer distribuição.

Conheça melhor o Receitanet

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2015

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Preparando o sistema para instalar o Receitanet no Linux

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente (em 2015, o requisito mínimo é a 1.8, também chamada de Java 8), para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Como instalar o Receitanet no Linux

Para instalar o Receitanet no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome receitanet.jar:

wget -O receitanet.jar http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/Receitanet-1.06.jar

Passo 3. Execute o instalador usando o comando a seguir. Se aparecer uma tela pedindo autorização a executar o instaaldor, forneça a senha de administrador;

java -jar receitanet.jar

receitanetm-1
Passo 4. Na primeira tela, clique no botão “Próximo”;
receitanetm-2
Passo 5. Agora, clique no botão “Procurar…” para selecionar a pasta onde deseja instalar o programa e depois clique no botão “Próximo”, ou apenas clique no botão “Próximo” (que é o mais recomendado);
receitanetm-3
Passo 6. Na próxima tela, aguarde o programa fazer a instalação e quando ele terminar, clique no botão “Próximo”;
receitanetm-4
Passo 7. Em “Configurar atalhos”, marque a opção mais adequada ao seu uso e clique no botão “Próximo”;
receitanetm-5
Passo 8. Na última tela, clique no botão “Pronto” ;
receitanetm-6

Pronto! Depois de instalado, você já pode usá-lo (executando-o a partir do IRRF) e enviar a sua declaração.

Para remover o Receitanet no Linux, basta fazer o seguinte.
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Execute o desinstalador do programa com esse comando. Se aparecer uma tela pedindo autorização a executar o instalador, forneça a senha de administrador;

java -jar /opt/Programas\ RFB/Receitanet/Desinstalador/Desinstalador.jar

Passo 3. Na tela do programa, clique no botão “Desinstalar”;
receitanetm-7
Passo 4. Quando terminar, clique no botão “Sair”;
receitanetm-8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar a versão multiplataforma do IRPF no Linux

Se você teve dificuldade para instalar o IRPF usando arquivos .bin, veja como instalar o IRPF no Linux usando a versão multiplataforma.
versão multiplataforma do IRPF no Linux
Fazer a declaração de imposto de renda no Linux não é mais algo complicado. Para conseguir isso, só é preciso instalar o programa gerador da declaração (IRRF), que está disponível na página da Receita Federal em Versões para vários sistemas. Nesse tutorial, você verá como fazer isso usando a versão multiplataforma, que permite instalar o o IRPF em qualquer distribuição Linux.

Conheça melhor o IRPF

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2015

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Preparando o sistema para instalar o IRPF no Linux

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente (em 2015, o requisito mínimo é a 1.8, também chamada de Java 8), para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Como instalar o IRPF no Linux

Para instalar o IRPF no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se for necessário, caso já tenha feito alguma instalação manual e ainda não tenha cadastrado nada no programa, apague a pasta e o atalho anterior com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/irpf*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/irpf.desktop

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão (selecionando a opção multiplataforma) e salve-o com o nome irpf.zip:

wget -O irpf.zip http://www28.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/IRPF/2015/PGDIRPF2015/Java/zip/IRPF2015-1.1.zip

Passo 4. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo unzip irpf.zip -d /opt/

Passo 5. Renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/IRPF*/ /opt/irpf

Passo 6. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando (se for preciso, use outro editor de textos e substitua “gedit” por ele):

sudo gedit /usr/share/applications/irpf.desktop

Passo 7. Copie o conteúdo abaixo e cole ele no arquivo aberto. Em seguida, salve e feche o arquivo;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=irpf
Exec=java -jar /opt/irpf/irpf.jar 
Icon=/
Categories=Application;

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite java -jar /opt/irpf/irpf.jar em um terminal, seguido da tecla TAB. Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho e use-o para iniciar o programa.

Como remover o IRPF no Linux

Para remover o IRPF no Linux, basta fazer o seguinte.
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Apague a pasta e o atalho do programa com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/irpf*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/irpf.desktop

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o programa IRPF no Linux

Chegou a hora de acertar as contas com o leão, por isso, se você quer fazer sua declaração do imposto de renda pessoa física no Linux, veja aqui como instalar o programa IRPF no Linux.
programa IRPF no Linux
Para fazer sua declaração no Linux é preciso instalar o programa gerador da declaração (IRRF), que está disponível na página da Receita Federal em Versões para vários sistemas.

Apesar da Receita disponibilizar pacotes específicos para algumas distribuições, para instalar o IRPF no Linux, a versão do instalador que será usada nesse tutorial será a binária (.bin), pois com ela é possível instalar em qualquer distribuição Linux.

Conheça melhor o IRPF

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2015

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Preparando o sistema para instalar o programa IRPF no Linux

Um dos pré requisitos para instalar o programa IRPF no Linux é a instalação do Java mais recente (em 2015, o requisito mínimo é a 1.8, também chamada de Java 8), para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Instalando o programa IRPF no Linux

Para instalar o programa IRPF no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar baixar o instalador do programa do IRPF 2015. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome irpf2015.bin:

wget -O irpf2015.bin http://www28.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/IRPF/2015/PGDIRPF2015/Java/Linux/IRPF2015Linuxv1.1.bin

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar baixar o instalador do programa do IRPF 2015. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome irpf2015.bin:

wget -O irpf2015.bin http://www28.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/IRPF/2015/PGDIRPF2015/Java/Linux/irpf2015Linux64v1.1.bin

Passo 5. Depois de baixado, dê permissão de execução ao programa, com o comando abaixo;

chmod +x irpf2015.bin

Passo 6. Execute o instalador do IRPF dando um duplo clique nele ou usando o comando abaixo;

./irpf2015.bin

Passo 7. Na primeira tela, clique no botão “Sim”;
irpf no linux
Passo 8. Na próxima telas, clique no botão “Avançar”;
irpf no linux
Passo 9. Agora, clique no botão “Procurar…” para selecionar a pasta onde deseja instalar o programa e depois clique no botão “Avançar”, ou apenas clique no botão “Avançar” (que é o mais recomendado);
irpf no linux
Passo 8. Confirme a instalação, clicando no botão “Avançar”;
irpf no linux
Passo 9. Na última tela, clique no botão “Concluir”. ;
irpf no linux

Depois de instalado, você já pode executá-lo (usando o atalho criado ou indo na pasta criada) e começar a fazer a sua declaração.


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o Sysmonitor Indicator

Foi lançada a mais nova versão do monitor de recursos do indicador SysMonitor. Se você quiser experimentar esse aplicativo, veja como instalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e sistemas derivados.
Sysmonitor Indicator
Sysmonitor Indicator é um utilitário que permite ficar de olho na carga da CPU, uso de memória RAM e capacidade da bateria de um piscar de olhos.

Embora seja semelhante ao indicador Multiload (que também é uma excelente ferramenta), Sysmonitor evita recursos gráficos mais sofisticados, como gráficos de uso e opções de tema. Em vez disso, o aplicativo oferece uma abordagem mais extensível, permitindo que os usuários adicionem e personalizem os comandos de sensores de exibição.

Sysmonitor Indicator 0.6.1 não traz grandes mudanças voltadas para o usuário. Em vez disso, o aplicativo foi completamente reestruturado para tornar a manutenção e o desenvolvimento do projeto mais fácil.

Agora o código para os vários sensores são mantidos em mesmo um local (sensors.py). Isso torna mais fácil para os desenvolvedores quando quiserem acrescentar funcionalidade adicionais aos sensores, sem ter que se preocupar em quebrar o resto do app. Como parte do código de refatoração as “Preferências” e seções do menu do applet também foram separados em seus próprios módulos.

Conheça melhor o Sysmonitor Indicator

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:fossfreedom/indicator-sysmonitor

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install indicator-sysmonitor

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite sysmonitor no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Ao executar o programa, aparecerá um applet indicador no canto superior direito (superior esquerda em localidades RTL). Use-o para acessar as preferências do programa. Nela você poderá escolher as informações do sensor que applet deverá exibir, como ele exibirá e quantas vezes ele deve atualizar.

Desinstalando o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Sysmonitor Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove indicator-sysmonitor

Mais sobre o Ubuntu 15.04


Via OMG! Ubuntu!

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

Se você baixou uma imagem ISO do Ubuntu e quer colocar o conteúdo dela em um pendrive, veja aqui como criar um pendrive de instalação.
criar um pendrive de instalação
Além da praticidade da mídia, está cada vez mais fácil usar pendrive para iniciar um sistema. Por causa disso, nada melhor do que criar um disco de instalação do Ubuntu e depois usá-lo para instalar, consertar sistemas danificados ou infectados, ou simplesmente testar o sistema e suas futuras versões.

Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

Para criar um pendrive de instalação do Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Clique no Dash e digite criador. Quando aparecer o ícone do “Criador de discos de inicialização”, clique nele para executá-lo:
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-1
Passo 2. Dentro do programa, clique no botão “Outro…”. Na tela que aparece, vá para a pasta onde está a imagem ISO e clique nela. Depois, clique no botão “Abrir”;
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-2
Passo 3. Se o pendrive ainda não estiver formatado ou quiser “limpar” ele, clique no botão “Apagar disco”. Quando solicitado, confirme e informe a autorização necessária para fazer a formatação;
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-3
Passo 4. Para iniciar a criação do disco, clique no botão “Criar disco de inicialização”;
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-4
Passo 5. Aguarde. Quando finalizar, você já pode ejetar o pendrive e então usá-lo a vontade.
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-5

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar ou atualizar para o KDE Plasma 5.3 no Ubuntu 15.04

Apesar da versão final do KDE Plasma 5.3 ainda ser um beta, ela já está bem usável. Conheça mais um pouco sobres nova versão, e veja como instalar ou atualizar para o KDE Plasma 5.3 no Ubuntu 15.04
KDE Plasma 5.3 no Ubuntu 15.04
De acordo com a versão beta, Plasma 5.3 vem com melhor gerenciamento de energia, novo applet Bluetooth, melhores widgets do Plasma, grandes passos em direção ao suporte a Wayland, e inúmeras correções de bugs.

kinfocenter-energy

touchpad

kwin-nested

kicker-docs

plasma-mediacenter

bluedevil-applet3

A boa noticia é que os usuários do Ubuntu 15.04 agora podem instalar ou atualizar para o KDE Plasma Desktop 5.3 através do repositório Kubuntu-backports PPA, como será mostrado abaixo.

Conheça melhor o KDE Plasma

Para saber mais sobre o KDE Plasma, clique nesse link.
Para saber mais sobre essa versão, acesse a nota de lançamento.

Como atualizar para o KDE Plasma 5.3 no Ubuntu 15.04

Para instalar ou atualizar para o KDE Plasma 5.3 no Ubuntu 15.04, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:kubuntu-ppa/backports

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Se você já tem o KDE instalado, use o comando abaixo para atualizar o ambiente;

sudo apt-get dist-upgrade

Passo 4. Quem ainda nãotem o KDE instalado, pode usar o comando abaixo fazer isso;

sudo apt-get install kubuntu-desktop

Uma vez instalado, reinicie o sistema, para evitar quaisquer problemas. Na hora de fazer login, clique no circulo próximo ao nome do usuário e na lista que aparece, clique na opção correspondente ao Plasma recém-instalado. Depois, entre com sua senha e comece a experimentar o novo ambiente.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

26 de abril de 2015

Resumo semanal – 20/04/2015 a 26/04/2015

Você sabia que já foi lançado o Ubuntu 15.04 e que já saiu a lista de dicas de coisas para fazer depois de instalar ele? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essas postagens, mas não se preocupe, leia o resumo semanal do blog e se atualize.
resumo semanal
Mas você já deve saber como instalar o Ubuntu After Install paqra deixar o Ubuntu mais completo? Ou já sabe como resolver os problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal do Blog no período de 20/04/2015 a 26/04/2015

20/04/2015

21/04/2015

22/04/2015

23/04/2015

24/04/2015

25/04/2015

Ubuntu 15.04

Quem quiser experimentar o Ubuntu 15.04 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como atualizar para o Ubuntu 15.04

Quem precisar atualizar para o Ubuntu 15.04, basta seguir esses tutoriais:
Como atualizar para o Ubuntu 15.04 na versão desktop
Como atualizar para o Ubuntu 15.04 server

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 15.04

Quem acabou de mudar para o Ubuntu 15.04, pode dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 15.04

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

Ubuntu 14.10

Já se você quiser usar o Ubuntu 14.10 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como atualizar do 14.04 para o 14.10

Quem precisar atualizar do 14.04 para o 14.10, basta seguir esses tutoriais:
Desktop
Como atualizar o Ubuntu Desktop da versão 14.04 para a 14.10
Como atualizar o Ubuntu Server para uma nova versão

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem ainda está no Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas nas últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

25 de abril de 2015

Editor de código para web: instale o Brackets no Ubuntu

Se você trabalha com criação de código para web, experimente instalar e usar o editor de código para web Brackets em seu Ubuntu.
editor de código para web
Brackets é editor de código da Adobe. Ele é mais um editor de código, em vez de um editor de texto e é focado em web designers e desenvolvedores front-end. Brackets é construído de e para HTML, CSS e Java Script. Neste tutorial, você verá como instalar ele no Ubuntu 14.04 e seus derivados.

Conheça melhor o editor de código para web Brackets

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o editor de código para web Brackets no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o editor de código para web Brackets no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/brackets

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install brackets

Se você não quiser adicionar o repositório, você pode baixar os arquivos DEB de instalação a partir desse link e depois instalar, clicando duas vezes sobre ele.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite brackets no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Brackets no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Brackets no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove Brackets

Se você tiver algum problema de instalação ou execução no Ubuntu 15.04, use esse tutorial para resolver.

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale o cliente Spotify no Ubuntu, Debian e derivados

Se você gosta de ouvir músicas enquanto usa seu desktop Linux, veja como instalar o cliente Spotify no Ubuntu, Debian e derivados
Spotify no Ubuntu
Spotify é uma ótima maneira de ouvir música por meio de streaming em computadores com sistemas operacionais Microsoft Windows, Mac OS X e Linux e em dispositivos móveis como Symbian, iPhone, iPad, Android e BlackBerry. Nele você pode transmitir tudo, atualizar e sincroniza faixas e listas offline ou comprar faixas individuais para guardar para sempre. Spotify possui um repositório de Linux para facilitar a instalação de seu aplicativo cliente no Debian ou Ubuntu e neste simples tutorial, será mostrado como fazer isso a partir desse repositório oficial.

Instalando o cliente Spotify no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o cliente Spotify no Ubuntu, Debian e derivados, você pode fazer o download e instalar o pacote DEB a partir do site, porém, usando esse método você não receberá as atualizações via atualizador do sistema. Por conta disso, a melhor maneira de fazer isso é a seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do aplicativo usando o seguinte comando:

sudo sh -c "echo 'deb http://repository.spotify.com stable non-free' >> /etc/apt/sources.list"

Passo 3. Instale a chave do repositório usando o seguinte comando:

sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 94558F59

Passo 4. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install spotify-client

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite spotify no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o cliente Spotify no Ubuntu, Debian e derivados

Para desinstalar o cliente Spotify no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove spotify-client

Se você tiver algum problema de instalação ou execução no Ubuntu 15.04, use esse tutorial para resolver.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04? Veja como resolver

Se você instalou o Ubuntu 15.04 e na hora de instalar ou executar alguns programas apareceram alguns erros e nada aconteceu, veja a seguir como resolver problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04.
Problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04
No Ubuntu 15.04 Vervet Vivid (qualquer sabor, seja Xubuntu, Ubuntu MATE, Kubuntu, etc.), a biblioteca libgcrypt11 já não está disponível nos repositórios (ele usa apenas a libgcrypt20) e algumas aplicações como o Spotify, Brackets e outros não podem ser instalados ou executados a menos que a libgcrypt11 esteja instalada.

Ao tentar executar o Spotify ocorre o seguinte erro:

spotify: error while loading shared libraries: libgcrypt.so.11: cannot open shared object file: No such file or directory

Já no caso do Brackets, o erro acontece durante a instalação do software:

sudo dpkg -i Brackets.1.2.Extract.64-bit.deb
..............................
dpkg: dependency problems prevent configuration of brackets:
 brackets depends on libgcrypt11 (>= 1.4.5); however:
  Package libgcrypt11 is not installed.

dpkg: error processing package brackets (--install):
 dependency problems - leaving unconfigured
Processing triggers for hicolor-icon-theme (0.14-0ubuntu1) ...
Errors were encountered while processing:
 brackets

Até que esses aplicativos de terceiros sejam ajustados e reempacotados com a libgcrypt20 em vez de libgcrypt11 como dependência, para que eles funcionem adequadamente no Ubuntu 15.04, será preciso fazer um pequeno ajuste. Sendo mais claro, para conseguir usar Spotify, Brackets e outros aplicativos que exigem a libgcrypt11 no Ubuntu 15.04, tudo que você tem a fazer é instalar a biblioteca a partir de uma versão mais antiga do Ubuntu, como o Ubuntu 14.04 LTS:

Instalando a libgcrypt11 para resolver problemas ao instalar ou executar programas no Ubuntu 15.04

Para instalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome libgcrypt11.deb:

wget -O libgcrypt11.deb https://launchpad.net/ubuntu/+archive/primary/+files/libgcrypt11_1.5.3-2ubuntu4.2_i386.deb

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome libgcrypt11.deb:

wget -O libgcrypt11.deb https://launchpad.net/ubuntu/+archive/primary/+files/libgcrypt11_1.5.3-2ubuntu4.2_amd64.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i libgcrypt11.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Se preferir, você pode baixar manualmente os arquivos deb da libgcrypt11 para qualquer arquitetura nesse link.

Importante: em sistemas de 64 bits, você também pode precisar instalar o pacote de 32 bits se o aplicativo que requer libgcrypt11 usa um pacote multiarch.

Uma vez instalado, você já pode executar ou instalar o programas problemáticos no Ubuntu 15.04 e começar a usá-los.

Mais sobre o Ubuntu 15.04

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale o Classic Menu Indicator no Ubuntu

Se você usa o Ubuntu com Unity e sente falta de um menu de aplicativos, experimente instalar o Classic Menu Indicator e resolva seu problema.
Classic Menu Indicator
Apesar do Dash encontrar aplicativos rapidamente, nem todo mundo se acostuma com ele. Classic Menu Indicator é uma boa solução para isso. Como o próprio nome dele diz, ele é um menu no estilo GNOME clássico, disponível como um AppIndicator, então ele pode ser usado no ambiente Unity, como uma alternativa para aqueles que não gostam Dash, mas também deve funcionar em outros ambientes de trabalho.

Conheça melhor o Classic Menu Indicator

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja como instalar o Classic Menu Indicator no Ubuntu

Para instalar o Classic Menu Indicator no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:diesch/testing

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o programa, use este comando:

sudo apt-get install classicmenu-indicator

Via WebUpd8


O que está sendo falado no blog hoje

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

24 de abril de 2015

Como atualizar para o Ubuntu 15.04 server

O Ubuntu 15.04 chegou e se você já usa uma versão do sistema, acompanhe e aprenda neste simples tutorial, como atualizar ele para o Ubuntu 15.04 na versão server.
atualizar para o Ubuntu 15.04 server
Depois de mostrar como atualizar a versão desktop para a próxima versão do Ubuntu, agora é hora de vermos como fazer o mesmo com o server. Por isso, se você ainda não sabe como atualizar para o Ubuntu 15.04, veja como fazer isso.

Atenção!

Antes de atualizar, saiba que o Ubuntu 15.04 não é uma versão LTS (Long Term Support ou Longo Tempo de Suporte) e portanto, terá suporte por nove meses para Ubuntu Desktop, Ubuntu Server, Ubuntu Core, Kubuntu, Edubuntu, Ubuntu Kylin, juntamente com todos os outros sabores.

Também é muito importante que você saiba que se seu sistema está em uma versão anterior ao Ubuntu 14.10, será preciso repetir o processo abaixo algumas vezes, até finalmente poder atualizar para o Ubuntu 15.04. Por exemplo, se você estiver no Ubuntu 14.04, terá que atualizar primeiro para o 14.10 e depois para o 15.04.

Importante: Antes de começar qualquer processo de atualização, você precisa fazer um backup dos arquivos importantes e de seus arquivos de configuração, se você estiver executando qualquer serviço no servidor Ubuntu.

Como atualizar para o Ubuntu 15.04 na versão server

Depois de tomadas as devidas precauções, atualizar para o Ubuntu 15.04 na versão server, faça o seguinte:
Passo 1. Faça login com sua conta em um terminal do Ubuntu server;
Passo 2. Instale o update-manager-core primeiro, executando o comando abaixo:

sudo apt-get install update-manager-core

Passo 3. Em seguida, abra o arquivo de configuração para edição. Se preferir, use o Nano ou qualquer outro editor disponível:

sudo vi /etc/update-manager/release-upgrades

Passo 4. Dentro do arquivo, modifique a linha Prompt para que fique como “Prompt=normal”. Salve e feche o arquivo;
Passo 5. Inicie o processo de atualização com o comando:

sudo do-release-upgrade -d

Passo 6. Agora siga as instruções na tela e logo estará pronto.

Pronto! Seu sistema está atualizado. Aproveite e experimente as novidades.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


<

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como atualizar para o Ubuntu 15.04 na versão desktop

Com o lançamento oficial da nova versão do Ubuntu é chegada a hora de mudar seu sistema para. Se você ainda não sabe como fazer isso, veja como atualizar para o Ubuntu 15.04.
atualizar para o Ubuntu 15.04
O Ubuntu 15.04 chegou e se você já usa uma versão do sistema, acompanhe e aprenda neste simples tutorial, como atualizar ele para o Ubuntu 15.04 a versão desktop.

Atenção!

Antes de atualizar, saiba que o Ubuntu 15.04 não é uma versão LTS (Long Term Support ou Longo Tempo de Suporte) e portanto, terá suporte por nove meses para Ubuntu Desktop, Ubuntu Server, Ubuntu Core, Kubuntu, Edubuntu, Ubuntu Kylin, juntamente com todos os outros sabores.

Também é muito importante que você que se seu sistema está em uma versão anterior ao Ubuntu 14.10, será preciso repetir o processo abaixo algumas vezes, até finalmente poder atualizar para o Ubuntu 15.04. Por exemplo, se você estiver no Ubuntu 14.04, terá que atualizar primeiro para o 14.10 e depois para o 15.04.

Como atualizar para o Ubuntu 15.04 a versão desktop

Antes de começar qualquer processo de atualização, você precisa fazer o seguinte:

  • Backup dos arquivos importantes, documentos, favoritos e outros dados;
  • Se você instalou drivers proprietários manualmente diretamente do site do fabricante, então, a recomendação é que você remova esses drivers antes de reverter para os drivers de código aberto, antes de atualizar;
  • Abra a opção “Programas e atualizações” de “Configurações do sistema” do Unity e desative todos os repositórios de terceiros, na guia “Outros programas”;
    atualizar-para-ubuntu-15.04-1
  • Confirme se na aba “Atualizações” a opção “Notificar-me de uma nova versão do Ubuntu:” está definida como “Para qualquer nova versão”, se não estiver, altere para ficar assim.
    atualizar-para-ubuntu-15.04-2
    atualizar-para-ubuntu-15.04-3
    atualizar-para-ubuntu-15.04-4

Depois de tomadas as devidas precauções, para atualizar o Ubuntu desktop da versão 14.04 para a 14.10, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Atualize o APT com os comandos (pode ser que seja necessário

sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade

Passo 3. Reinicie o sistema depois disso:

sudo reboot

Passo 4. Depois que o sistema reiniciar, quando você fizer login será informado que uma nova versão do Ubuntu está disponível. Clique no botão “Sim, Atualize agora” e depois fornece a senha para autorizar a atualização. Se a mensagem não aparecer, execute o comando sudo update-manager -d em um terminal, para iniciar a atualização;
atualize-agora
atualizar-1
Passo 6. Na próxima tela, confirme novamente, clicando no botão “Atualizar”.
atualizar-2
Passo 5. Depois disso, o atualizador irá buscar os arquivos a serem instalado e perguntará se você quer realmente iniciar a atualização. Confirme, clicando no botão “Iniciar atualização”;
Captura de Tela 2014-09-30 às 08.04.20
atualizar-3
Passo 7. Se houver pacotes que ficaram obsoletos com a atualização, você será informado e poderá optar entre “Manter” e “Remover”, sendo essa última opção a mais recomendável;
obsoletos
Passo 8. Finalmente, você será solicitado a reiniciar o computador para concluir a atualização. Confirme e estará pronto.
finalizando

Pronto! Seu sistema está atualizado.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 15.04

Instalou o Ubuntu 15.04 e quer deixar seu sistema mais completo? Pois aqui você encontrará o que precisa para fazer isso, basta seguir essas dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 15.04.
depois de instalar o ubuntu 15.04
Todos sabemos que nenhum sistema vem com tudo que precisamos, por isso, depois de atualizar ou instalar o Ubuntu 15.04, é preciso fazer aqueles “pequenos” ajustes no sistema.

Esse tutorial irá centralizar tudo que você precisa fazer para deixar o seu novo sistema do jeito que você quer. Ele descreve como é possível melhorar o Ubuntu 15.04 e outras versões mais antigas tais como Ubuntu 14.10/14.04/13.10/13.04/12.10/12.04, para você usá-lo nas atividades do seu dia a dia. Além disso, este artigo irá mostrar alguns insights interessantes e ideias sobre o que você pode e deve fazer após uma instalação bem-sucedida da mais recente versão desktop do Ubuntu.

1 – Atualize seu sistema

A primeira e mais importante coisa a fazer é atualizar os repositórios de software, para ter certeza de que seu sistema estará usando as versões mais recentes de todos os softwares. Para fazer isso, abra um terminal e execute o comando abaixo:

sudo apt-get update && sudo apt-get upgrade

2 – Se necessário, instale um Antivirus

Parece loucura. Mas como você já deve saber, o Linux não está completamente livre da distribuição de vírus, principalmente se ele tiver contato com equipamentos que rodam o Windows. Por isso, para não correr o risco de ter seu sistema afetado por algum tipo de vírus, utilize esses tutoriais.

3 – Ajuste o Unity

Se você se incomoda com a lentidão do Dash e outros detalhes do Unity, use esses tutoriais para melhorar o ambiente:

4 – Experimente outros ambientes

Você não precisa ficar apenas no Unity, o Ubuntu permite usar qualquer desktop Linux. Para fazer experimentar outras opções, tente usar esses artigos:

5 – Configure suas contas online

Quero configurar suas contas online (Facebook, twitter, Google+ e etc) em seu sistema Ubuntu? Veja como fazer isso nesse tutorial:

6 – Use ferramentas de monitoramento

Conky é um monitor de sistema leve e que exibe todas as informações em seu desktop. Há muitos temas agradáveis disponíveis para ele que podem exibir relógio, uso da CPU, uso de memória RAM, swap, disco, rede e muito mais. Confira algumas postagens sobre o uso e configuração do conky no Ubuntu.

7 – Mude a aparência do sistema

Ninguém gosta de ficar sempre na mesma, não é? Se você sentir vontade de mudar a cara do Ubuntu (sem mudar de ambiente), veja esses tutoriais:

  • Mudando os temas do Ubuntu
  • Mudando os ícones do Ubuntu
  • 8 – Instale players multimídia

    Para instalar alguns players multimídia, veja esses tutoriais:


    Aqui você vê mais algumas postagens sobre o assunto:
  • Como instalar o VLC no Ubuntu
  • Outros artigos sobre outros players
  • 9 – Instale Jogos

    Para instalar alguns jogos e se divertir no novo sistema, veja esses artigos sobre o assunto:

    10 – Instale mensageiros

    Para conversar online, veja esses artigos sobre o assunto:

    11 – Se precisar instale programas do Windows

    Isso não é nenhuma unanimidade, mas se você realmente precisa de um programa que só funciona no Windows, veja esses artigos sobre como executá-los no Linux:

    12 – Compartilhe arquivos

    Para conversar compartilhar arquivos no Ubuntu, veja esses artigos sobre o assunto:

    13 – Instale Java e Flash

    Para instalar Java e Flash no Ubuntu ou programas relacionados, veja esses artigos sobre o assunto:


    14 – Instale um cliente torrent

    Se você usa torrent, veja esses artigos sobre o assunto:

    15 – Faça uma limpeza no sistema

    Depois de instalar muita coisa no sistema, sempre pode ficar algum resíduo ocupando espaço. Para resolver isso, você usa o BleachBit. O programa exclui os arquivos desnecessários, libera cache, Exclui cookies, limpa o histórico de internet, apaga arquivos temporários, exclui registros e descarta o lixo que você nem mesmo sabia que estava lá. Para instalar ele, siga esse tutorial

    16 – Instale ferramentas de ajustes

    Para ajustar o sistema como você quer, instale algumas ferramentas de ajustes:

    17 – Melhore e mexa no Grub

    Quer mexer no Grub ou resolver alguns problemas, vejas esses artigos sobre isso:

    18 – Instale indicadores

    Com indicadores no painel tudo fica mais fácil. Para instalar alguns, vejas alguns artigos sobre o assunto, acessando esse link.

    19 – Instale editores de vídeo

    Trabalha com vídeos? Então vejas esses artigos sobre isso e instale alguns editores:

    20 – Instale Codecs e vários programas importantes

    Para conseguir instalar boa parte do que é importante para seu uso diário, além das dicas acima, você também pode usar o Ubuntu After Install ou o PostInstallerF:

    Este artigo estará sendo atualizado constantemente e poderá receber novos links e informações nos próximos dias. E não esqueça! Fique de olho no blog para acompanhar as outras dicas que serão publicadas.

    Por fim, se você não encontrar o que procura nesse texto, faça uma busca no site usando a caixa de pesquisa.

    Não está aparecendo algo?

    Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


    O que está sendo falado no blog hoje


    Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

    blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalei o Linux e agora? Instale PostInstallerF 1.5 no Fedora e Ubuntu

Instalei o Linux e agora? Está é a pergunta que muitos usuários novos fazem. Para ajudar a responder essa pergunta, está disponível para Fedora, Ubuntu e Manjaro, a nova versão 1.5 do PostInstallerF, uma ferramenta que permite instalar facilmente drivers, codecs e etc.
instalei o linux e agora
Devido a questões de licenciamento das principais distribuições Linux, como Ubuntu e Fedora, estas são liberadas apenas com drivers de código aberto e suporte para reprodução de arquivos multimídia livres.

Entretanto, depois de instaladas, o usuário pode instalar os softwares que precisa como drivers, plugins proprietários de terceiros e etc. Para tornar essa operação muito mais fácil e rápido, você pode usar ferramentas como o PostInstallerF.

PostInstallerF permite concluir a instalação do Ubuntu, Fedora e Manjaro com apenas alguns cliques. Com ele você pode, por exemplo, instalar o repositório rpmfusion no Fedora, instalar drivers da Nvidia, seus softwares preferidos que não são incluídos nos repositórios oficiais, tais como Skype, Steam e etc, tudo através de uma interface gráfica simples e intuitiva.
postinstallerf_fedora

Como você na foto acima, você pode fazer o seguinte a partir do menu Principal:

  • atualizar o seu sistema;
  • instalar utilitários de compressão;
  • instalar o plugin flash;
  • instalar repositórios adicionais como o RPMFusion;
  • Instalar extensões do Gnome Shell;
  • Instalar codecs de áudio/vídeo;
  • E muitas outras tarefas.

Conheça melhor o PostInstallerF e suas dependências

Para saber mais sobre esse PostInstallerF, clique nesse link.
Para saber mais sobre esse Y PPA Manager, clique nesse link.
Para saber mais sobre esse PackageKit, clique nesse link.

Como instalar o PostInstallerF 1.5 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o PostInstallerF no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do Y PPA Manager com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/y-ppa-manager

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o Y PPA Manager;

sudo apt-get install yad

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o Front-end de gerenciadores de pacotes PackageKit;

sudo apt-get install packagekit

Passo 6. use o comando abaixo:

wget -c http://sourceforge.net/projects/postinstaller/files/ubuntu/app-install-data-postinstallerf_1.0-6_all.deb
wget -c http://sourceforge.net/projects/postinstaller/files/ubuntu/postinstallerf_1.5-13_all.deb

Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i *postinstallerf*.deb

Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

No Ubuntu, caso você não goste desse programa, existe uma outra opção que já foi mostrada aqui no Blog:
Como Instalar o Ubuntu After Install no Ubuntu 14.04 e derivados

Como instalar o PostInstallerF 1.5 no Fedora e seus derivados

Para instalar o PostInstallerF no Fedora, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Mude para o usuário root com o comando;

su

Passo 3. Use o coamndo abaixo para instalar o aplicativo wget;

yum install wget

Passo 4. Baixe as informações do repositório com o comando;

wget -P/etc/yum.repos.d/ https://raw.github.com/kuboosoft/postinstallerf/master/postinstallerf.repo

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

yum update

Passo 6. Agora instale o programa com o comando:

yum install postinstallerf

Como instalar o PostInstallerF 1.5 no Manjaro

Para instalar o PostInstallerF no Manjaro, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Baixe o pacote de instalação com o comando;

wget -c http://sourceforge.net/projects/postinstaller/files/manjaro/postinstallerf-1.5-13-any.pkg.tar.xz

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

yaourt -U postinstallerf-1.5-13-any.pkg.tar.xz

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite postin em um terminal, seguido da tecla TAB.

Via lffl linux freedom e Unixman

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

23 de abril de 2015

Ubuntu completo – instale o Ubuntu After Install

Se depois de instalar ou atualizar seu sistema você achar que está faltando algo, experimente instalar o Ubuntu After Install para ter um Ubuntu completo.
ubuntu after install
O Ubuntu After Install instala uma grande coleção de programas no Ubuntu que ajudam a deixar seu Ubuntu completo, seja para usá-lo em casa, empresa ou organização.

Para ter uma ideia, ele pode instalar os seguintes programas/utilitários: Ubuntu Restricted Extras video codecs e Plugin Flash, Gnome Tweak Tool/MyUnity/Unity Tweak Tool (dependendo da versão do Ubuntu), Faenza Icon Theme, XScreenSaver, My Weather Indicator, Calendar Indicator, Google Chrome, LibreOffice, Skype, DropBox, VLC, XBMC, GIMP, Darktable, Inkscape, Scribus, Samba, PDF Mod, SSH Server, Vinagre, FileZilla, OpenShot, Kdenlive, Handbrake, Audacity, Steam, KeePassX, Shutter e muitos outros programas.

Mas o mais importante de tudo isso é que com o programa, é você quem escolhe o que deverá ser instalado.

Conheça melhor o Ubuntu After Install

Para saber mais sobre Ubuntu After Install, clique nesse link.

Instalando o Ubuntu After Install para obter um Ubuntu completo

Para instalar o Ubuntu After Install e conseguir um Ubuntu completo, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:thefanclub/ubuntu-after-install

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install ubuntu-after-install

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite after no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Depois que o programa carregar suas informações e exibir na tela, selecione os aplicativos que deseja instalar. Para confirmar, clique em “Install now”.Ubuntu completoUbuntu completo
Depois de ter iniciado o processo de instalação ser muito paciente, como a instalação irá demorar um pouco para ser concluída. Depois que um aplicativo for instalado com sucesso, ele será marcado com ponto verde como mostrado abaixo. Se houver um problema com a instalação de um aplicativo, ou se ele não está disponível para a sua versão do Ubuntu será marcado com um ponto vermelho.
Vale lembrar que não é uma boa ideia para parar ou interromper o processo de instalação, uma vez que já começou.
Ubuntu completo

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançado Ubuntu 15.04 – baixe agora

Depois de meses de trabalho duro está finalmente disponível na versão estável do Ubuntu 15.04 Vivid Vervet e derivados oficiais. Conheça mais um pouco sobre ela e descubra onde baixar a distro.
Ubuntu 15.04 Vivid
Surpreendendo a todos com a ausência de um release candidate e um lançamento antecipado (era para ser dia 25), finalmente saiu o Ubuntu 15.04 Vivid Vervet.

Entre as principais novidades introduzidas pela Canonical no Ubuntu 15.04 vívidas está o novo Gerenciador de inicialização padrão systemd, que toma o lugar do Upstart (migração que não traz grandes melhorias em tempos de inicialização). o sistema de inicialização, contudo, já está bem estável e integrado com toda a distribuição.

Outra inovação importante introduzida no Ubuntu 15.04 é o novo Linux Kernel 3.19 que melhora muito o suporte a hardware. Ainda no quesito hardware, a distribuição também atualiza os drivers de código aberto e proprietários para placas gráficas.

No que diz respeita ao Unity, o menu padrão dos aplicativos está integrado na barra de título. Porém, você ainda pode restaurar o menu no painel de configurações do sistema, acessa as configurações de aparência, na seção comportamento.

A nova versão também traz várias atualizações para GTK+3.14. Uma migração que traz consigo novas e atualizadas versões dos aplicativos padrão como o Nautilus 3.14.2, Totem/Gnome Video 3.14.2 e etc.

Quanto aos derivados oficiais do Ubuntu, destaque para estreia do Ubuntu Mate. Esse lançamento inclui várias novas melhorias e personalizações no ambiente de desktop MATE. Outra alteração diz respeito ao Kubuntu que estréia com 5 Plasma (5.2.2) e do KDE Frameworks 5.9.0, enquanto que para o Gnome Ubuntu, Xubuntu e Lubuntu são boas ou más só vários upgrades.

No que se refere aos derivados oficiais Ubuntu Mate Debuts, lançamento que inclui várias otimizações e personalizações de ambiente desktop novo colega. Outras notícias sobre o Kubuntu, que estreou a 5 Plasma (5.2.2) e KDE Frameworks 5.9.0 (para obter mais informações) enquanto o Ubuntu Gnome, Xubuntu e Lubuntu trazem apenas várias atualizações.
Kubuntu 15.04 Vivid

Conheça melhor a distribuição Ubuntu

Para saber mais sobre a distribuição Ubuntu, clique nesse link.

Para saber mais sobre essa versão, acesse as notas de lançamento a partir dos links abaixo:

Ubuntu 15.04.
Ubuntu Gnome 15.04.
Kubuntu 15.04.
Xubuntu 15.04.
Lubuntu 15.04.
Ubuntu Mate.

Baixe e experimente o Ubuntu 15.04

A imagem ISO do Ubuntu 15.04 já pode ser baixada acessando os links abaixo diretamente:

Ubuntu 15.04.
Ubuntu Gnome 15.04.
Kubuntu 15.04.
Xubuntu 15.04.
Lubuntu 15.04.
Ubuntu Mate.

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esses tutoriais:
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como gravar uma imagem ISO no Nautilus

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalando o conjunto de ícones Ardis, Ardis Basic, Ursa e Ursa Basic no Ubuntu

Procurando temas simples, mas completos e bonitos para o seu desktop? Então instale e experimente o conjunto de ícones Ardis, Ardis Basic, Ursa e Ursa Basic no Ubuntu
Ardis ursa
Os conjuntos de ícones Ardis, Ardis Basic são elegantes e simples por design. O projeto é inspirado nos ícones Numix utouch mas é completamente diferente e bonito. Este tema de ícone tem uma variedade de cores agradáveis, excelente visual de ícones em formato circular com longas sombras e contém mais de 25.000 ícones exclusivos.. É compatível com a maioria dos desktops Linux como Unity, Gnome, KDE, Cinnamon e outros.

Já o Ursa e Ursa-Basic são uma versão otimizada do conjunto de ícones de Ardis, que fornece a melhor experiência do usuário em telas menores, mas também funciona muito bem em monitores grandes.

Ambos os temas de ícones são a escolha perfeita para quem ama a simplicidade. Se este é o seu caso, veja a seguir como instalar eles:

Conheça melhor o conjunto de ícones Ardis, Ardis Basic, Ursa e Ursa Basic

Para saber mais sobre o conjunto de ícones Ardis, Ardis Basic, clique nesse link.
Para saber mais sobre Ursa e Ursa Basic, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones Ardis, Ardis Basic, Ursa e Ursa Basic no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Ardis, Ardis Basic, Ursa e Ursa Basic no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o conjunto de ícones Ardis, use o seguinte comando:

sudo apt-get install ardis-icons

Passo 5. Para instalar o conjunto de ícones Ardis Basic, use o seguinte comando:

sudo apt-get install ardis-basic-icons

Passo 6. Para instalar o conjunto de ícones Ursa, use o seguinte comando:

sudo apt-get install ursa-icons

Passo 7. Para instalar o conjunto de ícones Ursa Basic, use o seguinte comando:

sudo apt-get install ursa-basic-icons

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema, ou se quiser, para voltar ao estado anterior.

Desinstalando o conjunto de ícones Ardis, Ardis Basic, Ursa e Ursa Basic no Ubuntu

Para desinstalar o conjunto de ícones Ardis, Ardis Basic, Ursa e Ursa Basic no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para desinstalar o conjunto de ícones Ardis, use o seguinte comando:

sudo apt-get remove ardis-icons

Passo 3. Para desinstalar o conjunto de ícones Ardis Basic, use o seguinte comando:

sudo apt-get remove ardis-basic-icons

Passo 4. Para desinstalar o conjunto de ícones Ursa, use o seguinte comando:

sudo apt-get remove ursa-icons

Passo 5. Para desinstalar o conjunto de ícones Ursa Basic, use o seguinte comando:

sudo apt-get remove ursa-basic-icons

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o Webmin no Ubuntu, Debian e derivados

Se você precisa administrar um servidor Linux sem ter que ficar modificando arquivos de configuração e a partir de qualquer PC da rede, uma boa opção é usar o Webmin. Se esse é o seu caso, veja aqui como instalar o Webmin no Ubuntu, Debian e derivados.
webmin no ubuntu debian
Webmin é uma interface baseada na web para a administração do sistema para Unix. Usando qualquer navegador web moderno, você pode configurar contas de usuário, Apache, DNS, compartilhamento de arquivos e muito mais. Webmin remove a necessidade de editar manualmente os arquivos de configuração de Unix como /etc/passwd, e permite que você gerencie um sistema partir do console ou remotamente.

Conheça melhor o Webmin

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o Webmin no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o Webmin no Ubuntu Server, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do aplicativo com os seguintes comandos::

echo "deb http://download.webmin.com/download/repository sarge contrib" | sudo tee -a /etc/apt/sources.list
echo "deb http://webmin.mirror.somersettechsolutions.co.uk/repository sarge contrib" | sudo tee -a /etc/apt/sources.list

Passo 3. A seguir, baixe a chave GPG com o comando abaixo;

wget http://www.webmin.com/jcameron-key.asc

Passo 4. Agora instale a chave GPG com o comando abaixo;

sudo apt-key add jcameron-key.asc

Passo 5. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Com tudo pronto, instale o programa com o comando:

sudo apt-get install webmin

Acessando o Webmin

Para acessar o Webmin você precisa digitar no navegador o endereço: https://ip-do-servidor:10000 (lembre-se de alterar ip-do-servidor para o endereço IP do computador onde o Webmin foi instalado. Se voc~e estiver acessando o Webmin na mesma máquina ele está instalado, basta usar o endereço https://localhost:10000/.
Webmin no Ubuntu

Instalando o Webmin em outras distribuições

Quem estiver usando outra distribuição, pode dar uma olhada no site do desenvolvedor do aplicativo acessando esse link. Lá tem as instruções, e possivelmente, um pacote para instalar ele em outras distribuições Linux. Apesar de estar em inglês, as instruções são bem simples. Se quiser pode tentar uma versão traduzida pelo Google Translator clicando aqui. Caso existam comandos a serem executados nas instruções, lembre-se que eles não devem ser traduzidos.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como alterar os aplicativos padrão do Ubuntu

Não gosta dos aplicativos que são usados por padrão no Ubuntu? Não se preocupe, leia esse tutorial e descubra como alterar os aplicativos padrão do Ubuntu.
aplicativos padrão do Ubuntu
Ubuntu é fornecido com um conjunto de aplicativos padrão configurados para funções como navegador web, cliente de e-mail, calendário, reprodutor de músicas e vídeos, além de um visualizador de fotos. Mas apesar desse padrão, o usuário pode modificar essa configuração para utilizar o programa que quiser.

Essa mudança é necessária porque nem todo mundo gosta dos aplicativos padrão que vem com o sistema. Por exemplo, quando se trata de navegadores, muitos preferem usar o Google Chrome, Opera, Epiphany, Chromium ou IceWeasel. Em vídeos, muitos preferem o VLC. Independente da sua preferência, veja a seguir como alterar os aplicativos padrão do Ubuntu.

Mas lembre-se! Antes de fazer a modificação instale o aplicativo desejado, caso ele ainda não esteja no sistema. Se precisar de uma ajuda, faça uma busca no blog que possivelmente você achará um tutorial mostrando como fazer isso. Se não tiver, use os comentários para pedir um tutorial.

Como alterar os aplicativos padrão do Ubuntu

Para alterar os aplicativos padrão do Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra as “Configurações do sistema”, clicando em seu ícone no lançador do Unity;
aplicativos padrão do Ubuntu
Passo 2. Na janela “Configurações do sistema”, clique no item “Detalhes”;
aplicativos padrão do Ubuntu
Passo 3. Quando aparecer a janela “Detalhes”, clique na opção “Aplicativos padrão”;
aplicativos padrão do Ubuntu
Passo 4. Em “Aplicativos padrão”, clique na seta ao lado da função e selecione a opção que você deseja usar.
aplicativos padrão do Ubuntu

Pronto! Bem simples, não é mesmo? Sempre que você precisar, basta repetir o processo.
Mas se o que você quer é apenas definir o navegador padrão do sistema, pode usar esse outro tutorial:
Como definir o navegador padrão no Debian, Ubuntu e derivados

Via OMG! Ubuntu!

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

22 de abril de 2015

Como instalar o alternador de papel de parede SyncWall no Ubuntu

Quer fazer a troca do papel de parede em diferentes desktops da sua rede? Então instale o alternador de papel de parede SyncWall no seu Ubuntu.
syncwall-2.0
SyncWall é um alternador de papel de parede básico com suporte a múltiplos monitores e uma característica especial, que é a capacidade de sincronizar a mudança do papel de parede entre várias estações de trabalho com um protocolo cliente/servidor básico, e infelizmente inseguro. Como o SyncWall é escrito com Qt, ele também roda em Windows e Linux e de acordo com seu site oficial, ele suporta GNOME / GNOME 3 (Unity incluído), LXDE, XFCE, KDE3, KDE4 e outros.

Observe que para fazer a sincronização de papel de parede entre as estações de trabalho funcionar, você deve copiar manualmente os papéis de parede em cada máquina, sob a mesma pasta (e mesmo caminho). Em seguida, nas preferências do SyncWall, clique em “Network” (Rede), ative a opção “Synchronize with server” (sincronizar com o servidor), digite o IP do servidor e pronto. Normalmente o programa tenta detectar automaticamente o ambiente de trabalho, mas isso às vezes pode falhar. Se o papel de parede não mudar, selecione manualmente o ambiente de trabalho nas preferências do SyncWall, na aba “Startup” (inicializar). Para Unity, selecione GNOME 3.

Conheça melhor o alternador de papel de parede SyncWall

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja como instalar o alternador de papel de parede SyncWall no Ubuntu e derivados

Para instalar o alternador de papel de parede SyncWall no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o programa com AppIndicator, use este comando:

sudo apt-get install syncwall

Via UbuntuHandbook


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Mude o visual: Instale Numix Icon Packs no Ubuntu

Que dar aquela mudada no visual dos ícones de seu desktop? Então experimente instalar Numix Icon Packs no Ubuntu e derivados.
numix-circle-1
Projeto Numix é conhecido criar temas e ícones de alta qualidade para desktop Linux GTK. Este pacote Numix conter duas variantes ícone temáticos: Numix Main e Numix circle. Cada variante contém cerca de 700 + ícones, todos eles estão em desenvolvimento e criadores liberam uma versão de atualização semanal, com novos ícones, o que significa que você pode sugerir ícones para os criadores. Todos os ícones variantes contém pastas ícones, ícones de configurações do sistema, ícones do indicador, ícones simbólicos, e muito mais.

Conheça melhor o Numix Icon Packs

Para saber mais sobre o pacote, clique nesse link.

Instalando o Numix Icon Packs no Ubuntu e derivados

Para instalar o Numix Icon Packs no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione esses repositórios com os seguintes comandos:

 sudo apt-add-repository ppa:numix/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

 sudo apt-get install numix-icon-theme numix-icon-theme-circle

Depois de instalado, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-Tweak-Tool ou Ubuntu-Tweak para mudar ícones.
numix-circle-2
Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux

Conheça melhor o jogo de corrida SuperTuxKart

Para saber mais sobre o jogo de corrida SuperTuxKart, clique nesse link ou assits o vídeo abaixo:
[embedded content]

Preparando o sistema para instalar o jogo

Antes de iniciar o procedimento de instalação do jogo, instale a biblioteca libopenal1, usando o aplicativo gerenciador de pacotes de seus sistema.

Como instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux

Para instalar o jogo de corrida SuperTuxKart no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/supertuxkart*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/supertuxkart.desktop

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome supertuxkart.tar.xz:

wget -O supertuxkart.tar.xz http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/supertuxkart/SuperTuxKart/0.9/supertuxkart-0.9-linux.tar.xz

Passo 4. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -xJvf supertuxkart.tar.xz -C /opt/

Passo 5. Renomeie a pasta criada (se ocorrer um erro na execução do comando abaixo, pule este passo);

sudo mv /opt/supertuxkart*/ /opt/supertuxkart

Passo 6. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/supertuxkart/run_game.sh /usr/bin/supertuxkart

Passo 7. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando (se for preciso, use outro editor de textos e substitua “gedit” por ele):

sudo gedit /usr/share/applications/supertuxkart.desktop

Passo 8. Copie o conteúdo abaixo e cole ele no arquivo aberto. Em seguida, salve e feche o arquivo;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=supertuxkart
Exec=/opt/supertuxkart/run_game.sh
Icon=/opt/supertuxkart/data/supertuxkart_128.png
Categories=Application;

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite supertuxkart em um terminal, seguido da tecla TAB. Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho e use-o para iniciar o programa.

Como remover o cliente FileZilla no Linux

Para remover o cliente FileZilla no Linux, basta fazer o terceiro passo do procedimento anterior.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale LinSSID: um scanner de redes wireless para Linux com interface gráfica

Está procurando uma ferramenta para encontrar redes wireless e ver mais detalhes delas? Experimente o scanner de redes wireless LinSSID.
scanner de redes wireless linssid
No Linux, existem muitas ferramentas para escanear redes sem fio, mas a maioria dela exige conhecimento de linha de comando para serem usadas. Além disso, também existem algumas ferramentas com interface gráfica disponíveis para Linux que fazem varreduras de rede sem fio em torno de seu dispositivo sem fio como iwScanner e algumas outras. Nesse último grupo, merece destaque o LinSSID.

LinSSID é um scanner de redes wireless graficamente e funcionalmente semelhante ao iwscanner (Linux) e o Inssider (Windows). Ele é escrito em C++ utilizando ferramentas wireless para Linux e Qt4.

LinSSID exibe as informações disponíveis em formato gráfico, a partir de ferramenta iwlist. Ele exibe uma tabela de todas as redes locais sem fio que o dispositivo pode receber, e informações sobre elas. Ele também exibe gráficos da intensidade do sinal de cada rede pelo número do canal e ao longo do tempo. O aplicativo trabalhará com mais do que um dispositivo sem fios ligada a um sistema, mas apenas um de cada vez (selecionável).
linssid-2
Por debaixo do capô, o LinSSID é multi-threaded, usando o segmento principal para se comunicar com a janela principal e o usuário enquanto um segundo segmento de trabalho mantém um canal nomeado preenchido com dados do iwlist.

Para usar o LinSSID será preciso ter privilégios de superusuário (root), por causa da ferramenta iwlist. O programa pode ser executado em de duas maneiras: O método recomendável é executar o LinSSID como um usuário comum e deixá-lo pedir uma senha. Assim, a senha será usada somente para obter informações do iwlist, mas o LinSSID em si não será executado com privilégios de root. Como alternativa, LinSSID pode ser iniciado com privilégios de root. Este segundo método é menos seguro (e não recomendado), visto que qualquer código mal comportado no programa poderia ter efeitos prejudiciais sobre o sistema.

Veja abaixo mais detalhes do aplicativo.

Características do scanner de redes wireless LinSSID

  • Possui várias colunas de informações diferentes;
  • Possui colunas classificáveis e móveis;
  • Permite ajustar a velocidade;
  • Atualização em tempo real;
  • Mostra gráficos de intensidade de sinal por canal e ao longo do tempo;
  • Funciona em canais de 2,4 GHz e 5 GHz.

Conheça melhor o scanner de redes wireless LinSSID

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o scanner de redes wireless LinSSID no Ubuntu

Para instalar o LinSSID no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:wseverin/ppa

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install linssid

Instalando o scanner de redes wireless LinSSID em outras distribuições

Quem estiver usando outra distribuição, pode dar uma olhada no site do desenvolvedor do aplicativo acessando esse link. Lá tem as instruções, e possivelmente, um pacote para instalar ele em outras distribuições Linux. Apesar de estar em inglês, as instruções são bem simples. Se quiser pode tentar uma versão traduzida pelo Google Translator clicando aqui. Mas cuidado com os comandos, eles não devem ser traduzidos.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite linssid no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

21 de abril de 2015

Editor de legendas para Linux? Instale o Gaupol

Procurando um editor de legendas para Linux para criar ou consertar arquivos desse tipo? Então instale e experimente a ferramenta Gaupol.
Editor de legendas para Linux Gaupol
Gaupol é um editor de legendas para Linux, sendo um software livre liberado sob a licença GNU General Public License (GPL). Ele é um editor para arquivos de legendas baseadas em texto. O programa, tem todas as características necessárias: atalhos, extensões de terceiros, verificação ortográfica e reconhecimento de voz. Além disso, ele suporta vários formatos de arquivo de legendas e fornece meios de criar legendas, fazer edição de textos e cronometrar as legendas para coincidir com o vídeo.

A interface de usuário é projetado com atenção para o processamento em lote de vários documentos e a conveniência de traduzir. Gaupol contém aeidon, um pacote Python para uso geral de instalação própria para ler, escrever e manipular arquivos de legendas baseadas em texto.

Conheça melhor o Editor de legendas para Linux Gaupol

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o ditor de legendas para Linux Gaupol no Linux

Para instalar o ditor de legendas para Linux Gaupol, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome gaupol.tar.xz :

wget -O gaupol.tar.xz http://download.gna.org/gaupol/0.28/gaupol-0.28.tar.xz

Passo 3. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -xJvf gaupol.tar.xz

Passo 4. Vá para a pasta criada;

cd gaupol*

Passo 5. Execute a instalação do programa com este comando:

sudo python3 setup.py clean install

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite gaupol em um terminal, seguido da tecla TAB.

Via LinuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançador de aplicativos circular: Instale Gnome-Pie no seu desktop

Que tal dar uma incrementada no seu desktop e usar um lançador diferente? Conheça o Gnome-Pie, um lançador de aplicativos circular.
lançador de aplicativos circular
Gnome-Pie é um lançador de aplicativos circular para Linux. O circulo do programa é dividido em várias fatias (daí a analogia à torta, pois “Pie” significa torta). O usuário pressiona um conjunto de teclas de atalho, que abre a torta desejada (por exemplo, CTRL+ALT+A chama a torta aplicativos). Ativando uma de suas fatias, aplicações podem ser lançadas, pressionamentos de teclas podem ser simulados ou arquivos podem ser abertos.

Cada ambiente gráfico para Linux tem o seu próprio lançador, mas às vezes você quer um substituto para ele, ou até um complemento. Não há dúvida de que o lançador de aplicativos nativo pode ser perfeito, otimizado, liso, rápido e tem um bom funcionamento. Mas aí vem outro grande lançador, como o Gnome-Pie, que pode lançar qualquer coisa que você quiser e ainda é rápido, estável, suave e bem otimizado para desktop Linux. Embora ele não possa ser o melhor lançador ou nem mesmo o melhor substituto para o lançador do seu desktop, ele é simplesmente um ótimo lançador que pode ser usado para fazer as coisas mais rapidamente.

Existem muitos lançadores de aplicações disponíveis como o Slingscold, Launchy, Duck, Synapse, Albert, Xfdashboard, Unity Dash, Gnome Activities e vários outros. Entretanto, usando esses lançadores você deve digitar algo para procurar o seu aplicativo, arquivo ou pasta desejada, mas no Gnome-Pie, basta clicar sobre a sua fatia, você também pode criar sua torta personalizada e adicionar aplicativos, arquivos e pastas para a torta.

Conheça melhor o lançador de aplicativos circular Gnome-Pie

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para ver o o lançador de aplicativos circular Gnome-Pie em ação, assista o vídeo abaixo:
[embedded content]

Como instalar o lançador de aplicativos circular Gnome-Pie no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o lançador de aplicativos circular Gnome-Pie no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:simonschneegans/testing

Passo 3. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install gnome-pie

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite gnome-pie no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).
Quando abrir a janela do programa, clique no botão “Configurações Gerais” e marque a opção “Iniciar o Gnome-Pie ao logar”. Com isso, o programa irá iniciar no próximo login.
gnome-pie-2

Instalando o Gnome-Pie em outras distribuições

Quem estiver usando outra distribuição, pode dar uma olhada no site do desenvolvedor do aplicativo acessando esse link. Lá tem as instruções, e possivelmente, um pacote para instalar ele em outras distribuições Linux.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalando a versão mais recente do Midori Web Browser

Saiu a versão 0.5.10 do Midori, um navegador leve e rápido. Se você quer experimentar essa versão, veja aqui como instalar ela no Ubuntu e seus derivados.
Midori Web Browser
Midori é um navegador leve, com HTML5 completa e suporte CSS3, usado por padrão no ambiente de trabalho XFCE4 e em sistemas Elementary OS. Ele usa o motor de renderização WebKit (o mesmo utilizado pelos Google Chrome e o Safari) e a interface do GTK+ 2 ou GTK+ 3. Midori é um navegador pouco conhecido, porém é uma ótima opção para quem deseja um navegador leve e eficiente.

A versão 0.5.10 é apenas uma versão de correção de bugs, e portanto, traz somente melhorias relacionadas aos problemas pendentes. Para mais detalhes sobre essa versão, clique nesse link.

Conheça melhor o Midori Web Browser

Para saber mais sobre esse navegador, clique nesse link.

Instalando a versão mais recente do Midori Web Browser

Para instalar a versão mais recente do Midori Web Browser no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione esses repositórios com os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:midori/midori-dev

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o Midori Web Browser com o comando:

sudo apt-get install midori

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite midori no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Midori Web Browser no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Midori Web Browser no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove midori

Via LinuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

20 de abril de 2015

Conheça MOC: um reprodutor de música para Linux leve e fácil de instalar

Que tal experimentar um reprodutor de música extremamente leve, fácil de usar e instalar? Conheça MOC.
moc reprodutor linux
MOC ou Music On Console (Música no Console/Terminal) talvez seja o reprodutor de música mais leve e fácil de instalar música para Linux. Mesmo funcionando no terminal, ele é tão fácil de usar como qualquer outra alternativa de reprodutor de música para Linux. Além disso, o programa está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu.

MOC reproduz sem problemas, independentemente do sistema ou da carga de I/O, porque ele usa o buffer de saída em um segmento separado. Além disso, ele fornece reprodução contínua, porque o próximo arquivo a ser reproduzido é pré armazenado em cache enquanto o arquivo atual está sendo reproduzido. Os formatos de arquivos suportados pelo programa incluem MP3, Ogg Vorbis, FLAC, AAC, Musepack, Speex, MOD e WavPack.

Conheça melhor o MOC

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Instalando o MOC no Ubuntu e derivados

A maioria das distribuições Linux baseadas em Debian como o Ubuntu, Linux Mint, elementary OS, Pingus OS e etc, terá MOC como padrão em seus repositórios, por isso, para instalar MOC no Ubuntu e derivados, basta clicar nesse link ou faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install moc moc-ffmpeg-plugin

Pronto. O MOC está instalado e pronto para ser usado, para isso, digite no terminal: mocp
Se precisar de ajuda, tecle “h” e para sair, “q”.

Via Tech Drive-in


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Baixar vídeos da internet – instale e experimente StreamStudio

Já viu nossa lista de programas para baixar vídeos da internet? Pois acrescente mais um: StreamStudio. A seguir, veja como instalar ele no Ubuntu e sistemas derivados.
streamstudio-2
StreamStudio é um aplicativo de streaming de vídeo multiplataforma baseado no webkit e desenvolvido usando tecnologias web como o HTML5, JavaScipt e CSS. Ele permite assitir vídeos do YouTube, Dailymotion e plugins podem ser instalados para suportar stream de outros serviços. Com ele, você pode acessar a maioria boa parte dos famosos sites de vídeo como YouTube e DailyMotion, a partir do seu desktop.
streamstudio-1

Com este aplicativo, você será capaz de pesquisar (com filtros como HD ou 3D) e ver os vídeos ou listas de reprodução de vídeo, extrair o áudio do vídeo, salvar vídeos para o disco rígido local (disponível em qualidades diferentes), ou procurar vídeos sugeridos.

O player do StreamStudio oferece todas as funcionalidades como a reprodução em HD, suporte de tela cheia, suporte para vídeos mais populares ou com melhor avaliação, pesquisa de categoria e procurar algo, bem como a reprodução de vídeos de jogo salvos da sua unidade de disco rígido local, com suporte de banco de dados de navegação.

Conheça melhor o StreamStudio

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Baixar vídeos da internet – veja como instalar o StreamStudio no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o StreamStudio no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps -y

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install streamstudio

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite streamstudio no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o StreamStudio no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o StreamStudio no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove streamstudio

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Conecte e gerencie servidores SSH e MySQL com o Guake Indicator

Se você precisa conectar constantemente a servidores SSH e MySQL, instale e use o Guake Indicator em seu Ubuntu.
gerencie servidores SSH
Guake Indicator é um AppIndicator Ubuntu para usuários de terminais Guake, útil para aqueles que precisam para se conectar a vários hosts SSH com frequência: o indicador permite gerenciar facilmente seus anfitriões SSH favoritos e estabelecer novas conexões SSH via Guake.

Guake é um terminal drop-down de estilo Quake, que pode ser chamado com um simples toque de tecla e escondido, pressionando a mesma tecla novamente.

Os servidores SSH podem ser adicionados usando o Indicador GUI Guake ou editando o arquivo de configuração ~/.guake-indicator/guake-indicator.json
gerencie servidores SSH

Conheça melhor o Guake Indicator

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Guake Indicator e gerencie servidores SSH e MySQL no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Guake Indicator e gerencie servidores SSH e MySQL no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:gun101/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install guake-indicator

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:guake

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalando o tema Ambiance Dark Blue no Ubuntu

Procurando um tema escuro que deixe seu desktop mais completo? Então experimente instalar o tema Ambiance Dark Blue no Ubuntu.
ambiance dark blue
Existem diversos temas escuros disponíveis para Gtk, pacotes mais populares, como Ambiance-Blackout e assim por diante. Já o tema Ambiance Dark Blue é outra grande versão escura com combinação de cor azul/verde escura e que oferece uma ótima experiência. Se você é uma daquelas pessoas que não gostam de temas brilhantes porque a luz faz seus olhos doerem, então você deve dar uma chance a este tema.

O tema Ambiance Dark Blue é compatível com o Ubuntu 14.10 e 14.04 Trusty (não testado para GTK 3.16 mas espero que ele vai funcionar muito bem) e funciona sob Unity, Cinnamon, Mate, Gnome Fallback e Xfce.

Conheça melhor o tema Ambiance Dark Blue

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o tema Ambiance Dark Blue no Ubuntu e derivados

Para instalar o tema Ambiance Dark Blue no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes -y

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema Ambiance Dark Blue usando o seguinte comando:

sudo apt-get install ambiance-dark-blue

Passo 5. Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak.

Desinstalando o tema Ambiance Dark Blue no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema Ambiance Dark Blue no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove ambiance-dark-blue

Passo 3. Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar para o tema padrão.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

19 de abril de 2015

Resumo semanal de 13/04/2015 a 19/04/2015

Você sabe como instalar um Facebook Messenger no Linux ou como instalar o emulador de Super Nintendo Snes9x no Ubuntu? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essas postagens, mas não se preocupe, leia o resumo semanal do blog e se atualize.
Resumo semanal de 13/04/2015 a 19/04/2015
Mas você já deve saber que o Elementary OS Freya já está disponível para download e que já é possível instalar o Elementary Tweaks nele? Ou já sabe como atualizar a versão final do kernel 4.0? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal do Blog no período de 13/04/2015 a 19/04/2015

13/04/2015

14/04/2015

15/04/2015

16/04/2015

17/04/2015

18/04/2015

Ubuntu 15.04

Quem quiser experimentar o Ubuntu 15.04 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.
Falando em Ubuntu 15.04, fique de olho no blog que nessa semana começam a ser publicados os tutoriais de instalação e atualização dessa versão… com vídeos!

Ubuntu 14.10

Se você quiser usar o Ubuntu 14.10 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como atualizar do 14.04 para o 14.10

Quem precisar atualizar do 14.04 para o 14.10, basta seguir esses tutoriais:
Desktop

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal

Como atualizar o Ubuntu Desktop da versão 14.04 para a 14.10
Como atualizar o Ubuntu Server para uma nova versão

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem ainda está no Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas nas últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

18 de abril de 2015

Como Instalar a versão mais recente do Tomahawk Music Player no Ubuntu

Tomahawk, social media player foi atualizado recentemente. Se você usar ou quer experimentar esse reprodutor, veja como instalar o Tomahawk Music Player no Ubuntu 14.04/14.10/15.04 e seus derivados.
tomahawk music player
Tomahawk é um leitor de música que não só reproduz sua coleção local, mas também stream, utilizando plugins. Com isso, ele unifica fontes de música como o Spotify, SoundCloud, Rdio, Beats, Google Play Music, YouTube e muitos mais. Você pode até mesmo conectar Tomahawk com seus amigos via Jabber/GTalk e compartilhar suas listas de reprodução e coleções.

A última versão do programa disponível é a Tomahawk 0.8.4, que foi lançada recentemente e traz algumas mudanças :

  • Resolvidos alguns problemas relacionados ao arrastar e soltar na barra lateral.
  • Atualiza a exibição de coluna quando são feitas alterações da coleção.
  • O programa não falha mais em ambientes com locales inválidos.

GshhjXt

Conheça melhor o Tomahawk Music Player

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais detalhes sobre essa vers~]ao, acesse o CHangeLog.

Como instalar o Tomahawk Music Player no Ubuntu 14.04/14.10/15.04 e seus derivados

Para instalar o Tomahawk Music Player no Ubuntu 14.04/14.10/15.04 e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:tomahawk/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install tomahawk

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite tomahawk no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Tomahawk Music Player no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Tomahawk Music Player no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove tomahawk

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

17 de abril de 2015

Cliente não oficial do Google Drive no Linux: Instale o Grive Tools

Se você procura um bom cliente não oficial do Google Drive no Linux, experimente instalar o Grive Tools no Ubuntu.
Google Drive no Linux
Com a ausência do Syncdrive, faltava um grande cliente não oficial do Google Drive no Linux. O cliente de linha de comando Grive já estava disponível, mas ainda lhe faltava uma ferramenta de configuração gráfica fácil de usar. Até que o pessoal do thefanclub criar o Grive Tools.

Para que ainda não conhece, Grive é um cliente do Google Drive que substitui plenamente a falta de um aplicativo Google Drive oficial para Linux. O programa pode ser considerada ainda um beta, pois ele simplesmente faz o download de todos os arquivos em seu Google Drive para o diretório. Depois de fazer algumas alterações nos arquivos locais, ele irá sincronizar as alterações de volta para o seu Google Drive. Novos arquivos criados localmente ou no Google Drive serão sincronizados. Os arquivos excluídos também serão “removidos”. Vale observar que, o Grive não irá destruir qualquer um dos seus arquivos: ele só irá mover os arquivos para um diretório chamado .trash ou colocá-los no lixo do Google Drive, ou seja, você sempre poderá recuperá-los.

Já o Grive Tools é basicamente um front-end do Grive com alguns recursos avançados. O programa possui um indicador de painel que funciona nos ambientes Unity, Mate, Gnome Classic e LXDE, mas não acontece o mesmo no Gnome Shell, Cinnamon e Xfce.
Google-Drive-2

Conheça melhor o Grive Tools

Para saber mais sobre o Grive Tools , clique nesse link.

Como instalar o cliente não oficial do Google Drive no Linux, Grive Tools no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o cliente não oficial do Google Drive no Linux, Grive Tools no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:thefanclub/grive-tools

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install grive grive-tools

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite grive no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu e derivados

Precisando executar aplicativos do Windows no Ubuntu? Então veja aqui como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu e sistemas derivados.
versão mais recente do Wine
O Wine é um software livre e de código aberto, que tem como objetivo permitir que os aplicativos desenvolvidos para Microsoft Windows possam ser executados no Linux, Mac, FreeBSD e Solaris. O Wine é muito importante para ex-usuários do sistema operacional Windows ou para qualquer pessoa que ainda precisa usar os aplicativos desse sistema no Linux.

Para aqueles que não sabem nada sobre o projeto, o Wine (originalmente um acrônimo para “Wine Is Not an Emulator” ou “Wine não é um emulador”) é uma camada de compatibilidade capaz de executar aplicativos Windows em vários sistemas operacionais compatíveis com POSIX, como Linux, Mac OSX, e BSD. Em vez de simular a lógica interna do Windows como uma máquina virtual ou emulador, Wine traduz on-the-fly as chamadas de API do Windows em chamadas POSIX, eliminando a perda do o desempenho e da memória que ocoreem em outros métodos e que lhe permite integrar de forma limpa aplicações Windows em seu ambiente de trabalho.

Wine começou em 1993 sob a coordenação inicial de Bob Amstadt como uma forma de suportar a execução de programas do Windows 3.1 no Linux. Muito cedo, a liderança sobre o desenvolvimento do Wine foi passada para Alexandre Julliard, que mantém o projeto desde então. Ao longo dos anos, como a API e as aplicações do Windows têm evoluído para tirar proveito de novos hardwares e softwares, Wine foi adaptado para suportar novos recursos, o tempo todo sendo portado para outros sistemas operacionais, tornando-se mais estável, e proporcionando uma melhor experiência do usuário.

Um projeto ambicioso por definição, os trabalhos no Wine continuariam constantemente por 15 anos até o programa finalmente alcançar versão 1.0, a primeira versão estável, em 2008. Vários lançamentos mais tarde, o Wine ainda está sob desenvolvimento ativo até hoje, e embora não haja mais trabalho a ser feito, estima-se que milhões de pessoas usam o Wine para executar programas Windows sobre o sistema operacional de sua escolha.

Basicamente, o programa permite que você execute software feito para o sistema operacional Windows em outros sistemas operacionais, sem a necessidade de instalar o sistema operacional físico. Ele também fornece implementações alternativas das bibliotecas DLL, que são chamados pelos programas do sistema operacional da Microsoft. Dessa forma, você pode rodar aplicativos para Windows no Linux, sem complicações.

Conheça melhor o Wine

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link ou veja essa série de artigos:
Instalando e manipulando aplicativos para Windows no Linux e outros assuntos relacionados

Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu 14.10

Para instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu 14.10 e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ubuntu-wine/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install wine1.7 winetricks

Uma vez instalado, você já pode testar o programa. Para instalar e rodar aplicativos para Windows no Linux, abra o Nautilus e vá para uma pasta onde está um programa Windows e clieque com o botão direito do mouse. No menu que aparece, clique na opção “Open With Wine” (Abrir com o Wine).
open-with-wine
Ou abra um terminal e vá para uma pasta onde está um programa Windows e digite : wine programa
Só não esqueça de substituir “programa” pelo nome do executável Windows.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o Unity Web Player no Ubuntu

Se você gosta de jogos online feitos com a tecnologia Unity, veja aqui como instalar o Unity Web Player no Ubuntu.
unity web player no ubuntu
O Unity Web Player é um plugin que permite visualizar conteúdo em 3D criado com a tecnologia Unity, diretamente no seu navegador. Para quem ainda não conhece, o Unity é uma tecnologia que permite construir jogos 3D cheios de personagens animados, gráficos surpreendentes e elementos físicos imersivos, que podem ser colocado na Internet ou como independentes.

Como não existe uma versão oficial do Unity Web Player, o plugin open source chamado Pipelight pode ajudar a reproduzir os jogos feitos com com Unity. Entretanto, esse recurso não funciona com todos os jogos que existem na Internet, por isso, não fique triste se um jogo que você gosta tanto não funcionar.

Conheça melhor o Unity Web Player

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Unity Web Player no Ubuntu e derivados

Antes de instalar o Unity Web Player, é altamente necessário fechar o navegador web. Sem isso, o plugin pode não conseguir instalar ou travar o navegador. Observe também que alguns passos não se aplicam caso você já tenha o Wine instalado no seu sistema. Depois, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas Ctrl+Alt+T;
Passo 2. Se você tiver instalado a versão antiga do Pipelight, remova-o antes de prosseguir:

sudo apt-get remove pipeligh

Passo 3. Se ainda não tiver, adicione esse repositório com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:pipelight/stable

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install --install-recommends pipelight-multi

Passo 6. Quando aparecer a tela de configuração de pacote, use a tecla “tab” para ir até o botão “OK” e confirme pressionando “enter”;
unity web player no ubuntu
Passo 7. Na próxima tela, use a tecla “tab” para ir até a opção “Sim” e confirme pressionando “enter”;
unity web player no ubuntu
Passo 6. Atualize o suporte a Unity3D, usando o seguinte comando:

sudo pipelight-plugin --update

Passo 7. Em seguida, ative o suporte a Unity3D. Quando for questionado, digite “Y” (sem as aspas):

sudo pipelight-plugin --enable unity3d

unity web player no ubuntu
Passo 8. Abra o navegador Firefox e aguarde enquanto o Wine é configurado pela primeira vez;
unity web player no ubuntu
Passo 9. Agora aguarde até que o plugin do Unity seja baixado;
unity web player no ubuntu
Passo 10. Digite o endereço “http://chromianwars.com/demo/” no navegador e tecle “enter”. Aparecerá uma mensagem na logo abaixo do endereço, clique no botão “Permitir…) para confirmar a execução do Unity 3d;
unity web player no ubuntu
Passo 11. Na pequena janela que aparece, clique no botão “Permitir e memorizar”. Aguarde um pouco e o jogo começará a ser executado;
unity web player no ubuntu

Pronto! Agora você já tem o Unity Web Player no seu sistema e pode jogar a vontade (quando for possível, claro).

Via Diolinux

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

16 de abril de 2015

Como instalar o jogo The Battle for Wesnoth 1.12.0 no Ubuntu

Foi lançado o jogo de estratégia The Battle for Wesnoth 1.12.2. Se você se interessa por esse tipo de disputa, veja aqui com instalar ele no Ubuntu.
The Battle for Wesnoth
The Battle for Wesnoth (A batalha por Wesnoth), também chamado simplesmente de Wesnoth, é um game de estratégia baseado em turnos em um mapa hexagonal e que pode ser jogado em modo singleplayer e combate multiplayer on-line/hotseat. O jogo é programado em C++ e é um software livre, licenciado pela GPL.

Em Wesnoth, o jogador tenta construir um exército poderoso, controlando aldeias e derrotando inimigos. O jogo é vagamente baseado nos jogos para Sega Genesis, Master of Monsters e Warsong.

Essa versão traz muitas novidades para os jogadores e os criadores de conteúdo, bem como um vasto número de correções de bugs e pequenas melhorias. Uma nova facção multiplayer, uma interface renovada do jogo e um editor de mapas melhorado compreendem apenas uma pequena fração das mudanças que esta nova versão tem para oferecer aos veteranos de versões anteriores.

Para mais informações sobre essa versão, acesse a página oficial do jogo.

Conheça melhor o Battle for Wesnoth

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Battle for Wesnoth no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Battle for Wesnoth no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository -y ppa:vincent-c/wesnoth

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install wesnoth-1.12

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wesnoth no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Faça backup e gravação de IMG ou ISO com dd Utility

Procurando uma ferramenta para fazer backup e gravação de arquivos IMG ou ISO em disco ou cartão de memória, experimente instalar e usar dd Utility.
IMG ou ISO com dd Utility
Existem várias ferramentas disponíveis para copiar e instalar arquivos IMG e ISO para cartões de memória e outras mídias removíveis, mas somente o dd Utility permite fazer backup e restaurar arquivos de imagem de disco para Raspberry Pi, bem como criar drives USB de instalação Linux inicializáveis a partir da ISO com o OS X e Ubuntu.

O programa também permite escrever arquivos compactados IMG diretamente para o cartão de memória sem a necessidade de descomprimir os arquivos de imagem primeiro. O dd Utility faz tudo isso porque, na verdade, ele é uma interface gráfica para o utilitário de linha de comando dd.

ddUtility-0001

Conheça melhor o dd Utility

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o dd Utility no Ubuntu e derivados

Para instalar o dd Utility no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome programa.deb:

wget -O ddutility.deb https://github.com/thefanclub/dd-utility/blob/master/DEB/ddutility_1.4_all.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i ddutility.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite ddutility no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Via Ubuntu Geek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como remover a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Se você quer remover a caixa de diálogo de confirmação de desligamento do Ubuntu, veja aqui como fazer isso e até voltar ao estado original.
confirmação de desligamento no Ubuntu
Quando você está usando o Ubuntu padrão com o ambiente Unity é sempre do mesmo jeito: toda vez que você quiser desligar o Ubuntu, precisará clicar no símbolo da engrenagem que fica no canto superior direito do painel e no menu que aparece, selecionar a opção de desligar. O problema é que ele não desliga diretamente, você ainda terá de clicar novamente para escolher se quer reiniciar ou desligar o computador.

Tudo isso é muito bonito e limpo, mas pode ser um pouco irritante depois de algumas vezes. Afinal, você já decidiu que quer desligar, então por que uma caixa de diálogo apenas para confirmar isso? Diante desse questionamento, por que não nos livramos dessa caixa de diálogo de desligamento por completo? É isso que veremos a seguir.

Como se livrar da caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Para conseguir se livrar da caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Desabilite a caixa de diálogo de desligamento usando o seguinte comando:

gsettings set com.canonical.indicator.session suppress-logout-restart-shutdown true

O melhor de tudo é que nessa mudança, não será necessário reiniciar. Da próxima vez que você clicar em desligar, o sistema será imediatamente desligado, sem qualquer questionamento.

Onde foi parar a opção “Reiniciar”?

Agora você pode perguntar o que aconteceu com a opção “Reiniciar”? Originalmente elas só aparecia depois de clicar em “Desligar…”, mas agora com essa mudança ela irá aparecer no menu, bem próxima a opção “Desligar”.
confirmação de desligamento no Ubuntu

Como devolver a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Tudo bem, talvez você não goste quando o sistema é imediatamente desligado e queira o comportamento padrão de volta. Não se preocupe, para devolver a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Habilite a caixa de diálogo de desligamento usando o seguinte comando:

gsettings set com.canonical.indicator.session suppress-logout-restart-shutdown false

confirmação de desligamento no Ubuntu
Pronto! Independente de qual modo você prefira usar, o importante é que o sistema fique como você quer. E isso, é algo que o Ubuntu permite.

Via It’s F.O.S.S

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Liberada versão de 32 bits do Opera developer para Linux

Para alegria de alguns usuários, os desenvolvedores do Opera começaram a fornecer uma opção de 32 bits do Opera developer para Linux, a partir do lançamento da versão 30.
opera developer para linux 32 bits
Opera é o navegador da Opera Software que é baseado no Chromium 39. Ele vem com todos os mesmos recursos do Opera para Windows e Mac, incluindo Speed Dial, o recurso Discover, Opera Turbo, bookmarks (favoritos) e compartilhamento de favoritos, temas, extensões e muito mais.

A Opera parou de atualizar a versão de seu navegador para Linux há cerca de um ano, até junho de 2014. Nessa época, foi lançado o Opera 24 no Developer stream, seguido pela versão estável, o Opera 26. Mas todos as compilações eram para 64 bits. Eram, pois agora os desenvolvedores começaram a fornecer uma versão de 32 bits do Opera developer para Linux.

Se você estava na espera dessa versão, veja abaixo como instalar ela (e a de 64 bits) no Ubuntu e sistemas derivados.

Conheça melhor o Opera developer

Para saber mais sobre esse navegador, clique nesse link.
Para saber mais detalhes sobre essa versão, acesse o anúncio oficial.

Instalando o Opera developer no Ubuntu e derivados

Para instalar o Opera developer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome programa.deb:

wget -O opera-developer.deb http://get.geo.opera.com.global.prod.fastly.net/pub/opera-developer/30.0.1833.0/linux/opera-developer_30.0.1833.0_i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome programa.deb:

wget -O opera-developer.deb http://get.geo.opera.com.global.prod.fastly.net/pub/opera-developer/30.0.1820.0/linux/opera-developer_30.0.1820.0_amd64.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i opera-developer.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Durante o processo de instalação, você será perguntado se deseja para adicionar o repositório estável do Opera para receber atualizações. Use as setas do teclado para escolher a opção e tecle enter;
adicionar-repositorio
Passo 8. Para complementar, se quiser habilitar o flash, basta procurar por pepperflashplugin-nonfree na Central de programas do Ubuntu e depois instalar o pacote. Se preferir, use o seguinte comando no terminal;

sudo apt-get install pepperflashplugin-nonfree

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite opera no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

15 de abril de 2015

Plank, uma Dock leve – instale no Ubuntu e derivados

Se você está a procura de um launch (lançador) leve para o ambiente gráfico do seu Ubuntu, então a dock Plank pode ser uma ótima escolha.
Plank
Plank pretende ser a dock mais simples do planeta. O objetivo é fornecer apenas o que é necessário em uma dock e absolutamente nada mais. Ela, no entanto, é uma biblioteca que pode ser estendida para criar outros programas de dock com recursos mais avançados. Ela foi criada pela mesma equipe que produziu a Docky, assim, Plank é a tecnologia subjacente para Docky (a partir da versão 3.0.0) e tem como objetivo fornecer todas as características centrais, enquanto Docky permite adicionar coisas extravagantes como Docklets, painters, diálogos de configurações, etc.

O aplicativo, que está disponível por padrão no Elementary OS, tem vários modos de esconder, posição da tela personalizável, tema e tamanho do ícone, suporta fixação aplicativos para a dock, quicklists e muito mais.

O software chegou recentemente à versão 0.9.0, trazendo alguns novos recursos e correções de bugs, como:

  • Adição e remoção de itens animada;
  • Adicionado modo Window Dodge hide (a dock irá se esconder se ela obstruir qualquer janela);
  • Agora é possível definir um atraso no ocultamento;
  • Plank agora fornece uma interface dbus simples com alguns métodos para controladores remoto;
  • Adicionado o suporte para ícones de carga com “recurso: //” -uris;
  • Consertado o a reorganização de ícones com gtk > = 3.14;
  • e muito mais.
  • Também vale a pena mencionar que Plank foi adicionado aos repositórios oficiais do Ubuntu (e experimental do Debian) a partir da versão 15.04 (a ser lançada no final deste mês).

    Conheça melhor a dock Plank

    Para saber mais sobre o conjunto, clique nesse link

    Instalando a dock Plank no Ubuntu e derivados

    Para instalar a dock Plank no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver o repositório, adicione ele com o comando:

    sudo add-apt-repository -y ppa:ricotz/docky
    

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update
    

    Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install plank
    

    Pronto! Agora, para iniciar o programa, digite plank no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando a dock Plank no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar a dock Plank no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove plank
    

    Via UbuntuHandbook

    Não está aparecendo algo?

    Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


    O que está sendo falado no blog hoje


    Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

    blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como criptografar um pendrive para uso apenas no Linux

Se você precisar guardar informações importantes em um pendrive e quer deixá-lo mais seguro, veja nesse tutorial como criptografar um pendrive para ser usado apenas no Linux.
Como criptografar um pendrive
Quem possui uma unidade flash USB ou partições em dispositivos USB e que são usadas apenas em computadores Linux, pode facilmente adicionar uma senha para proteger a unidade ou partição via LUKS + EXT4 no Ubuntu Linux usando o utilitário de discos padrão do sistema.

A seguir, você verá como criptografar um pendrive para ser usado apenas no Linux. Antes de começar, é muito importante que você faça um backup da a unidade ou partição que será usada.

Como criptografar um pendrive para ser usado apenas no Linux.

Para criptografar um pendrive para ser usado apenas no Linux. e, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Para adicionar suporte a criptografia de disco utilitário padrão de Discos, procure e instale o pacote cryptsetup na Central de programas do Ubuntu, ou se preferir, abra um terminal e use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install cryptsetup

Como criptografar um pendrive
Passo 2. Abra o utilitário Discos, digitando disco no Dash ou em um terminal;
Como criptografar um pendrive
Passo 3. Conecte seu pendrive no PC;
Passo 4. Quando o pendrive aparecer no painel esquerdo do aplicativo, clique nele e depois no ícone à esquerda do sinal de menos, para desmontá-lo;
Como criptografar um pendrive
Passo 5. Agora clique no ícone da engrenagem. No menu que aparece, selecione a opção “Formatar…”;
Como criptografar um pendrive
Passo 6. Na janela que será exibida, clique na seta ao lado do campo “Tipo” e selecione a opção “Criptografado, compatível com sistemas Linux (LUKS + EXT4)”. Depois digite um nome para a unidade/partição e defina uma senha. Finalmente, clique no botão “Formatar…”;
Como criptografar um pendrive

Pronto! Da próxima vez que você plugar o pendrive, será solicitada a senha para acessar a partição.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu

O editor de EPUB Sigil finalmente chegou a liberação 0.8.x. Se você quiser instalar a última versão dele no Ubuntu, veja aqui como fazer isso no Ubuntu 14.04, 14.10 e seus derivados.
editor de epub sigil
Sigil é um editor de EPUB de código aberto para, que permite criar e modificar livros eletrônicos nesse formato. Ele funciona em Windows, Mac OS X e Linux, além de suportar edição baseada em código tanto modo visual (WYSIWYG) e de arquivos EPUB, bem como a importação de HTML e arquivos de texto simples.

A versão 0.8.foi lançada recentemente com o novo suporte recurso Plugin e várias correções de bugs.

Principais características do editor de EPUB Sigil

  • Suporte completo a especificação UTF-16 e EPUB 2;
  • Multiplas visualizações: livro (book), código (code) e pré-visualização (preview view);
  • Edição WYSIWYG na visualização livro (book);
  • Gerador de índice com suporte a cabeçalho/título multinível;
  • Editor de metadados com suporte completo para todas as entradas de metadados;
  • A verificação ortográfica com padrão e usuário dicionários configuráveis;
  • Expressão regular (PCRE): Suporte completo para localizar e substituir;
  • Suporta importação de arquivos EPUB e HTML, imagens e folhas de estilo;
  • API Integrada de editores HTML e gráficos externos.

Conheça melhor o editor de EPUB Sigil

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu e em sistemas derivados

Para instalar a última versão do editor de EPUB Sigil no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:i2p.packages/i2p

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install sigil

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite sigil no Dash (ou em terminal, seguido da tecla TAB)

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como personalizar o Ubuntu e o Elementary OS com o Oduso

Terminou de instalar o sistema e quer dar aquela finalização para deixá-lo como você quer? Então veja como personalizar o Ubuntu e o Elementary OS com o Oduso, um projeto que permite concluir a instalação e personalizar o sistema com um script simples.
personalizar o Ubuntu e o Elementary OS
Nos últimos anos, tem surgido vários projetos para facilitar a instalação de software e personalizar o Ubuntu e seus derivados. Entre esses novos projetos destaca-se o Oduso, um serviço web interessante que permite instalar facilmente as aplicações mais populares no Ubuntu e Elementary OS. Basta acessar o site, escolher quais as aplicações quer instalar, indicar quais temas e conjunto de ícones e algumas outras opções. Uma vez finalizada as escolhas, o Oduso irá criar um script para ser executado na sua distribuição, que irá instalar e fazer tudo que foi selecionado.

Entre as muitas aplicações disponíveis no Oduso estão, por exemplo, o navegador do Google Chrome (na versão estável ou beta), o reprodutor de áudio Clementine, o media center Kodi, Dukto, Grive Tools (o cliente do Google Drive), Spotify, VLC, Wine e vários outros.

Através de uma interface web simples, Oduso permite incluir o conjuntos de ícones Moka, Numix-Circle, Faenza, Tap, Nitrux e Pacifica e temas Numix, Vertex e Paper. Ele atualizar a distribuição, instalar o Ubuntu Restricted Extra e outras opções.

Conheça melhor o Oduso

Para saber mais sobre esse site, clique nesse link.

Como personalizar o Ubuntu e o Elementary OS com o Oduso

Para personalizar o Ubuntu e o Elementary OS com o Oduso, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Se você não souber qual é a distribuição Linux que está usada no seu PC ou a versão dela, digite lsb_release -d em um terminal, para descobrir;
personalizar o Ubuntu e o Elementary OS
Passo 2. Acesse o site clicando nesse link;
Passo 3. Em “Distro”, clique na seta e escolha a distribuição que vocês está usando;
personalizar o Ubuntu e o Elementary OS
Passo 2. Em “Apps”, clique na seta ou digite o nome do aplicativo que você quer instalar e quando aparecer na listagem, clique nele. Repita o processo para cada app que você quiser instalar;
personalizar o Ubuntu e o Elementary OS
Passo 3. Em “Icons”, marque os conjuntos de ícones que você deseja instalar;
personalizar o Ubuntu e o Elementary OS
Passo 4. Em “Themes”, marque os temas que você quer instalar;
personalizar o Ubuntu e o Elementary OS
Passo 5. Já em “Miscellaneous”, você deve escolher opções adicionais como atualizar pacotes (Upgrade Packajes), fazer a limpeza de pacotes (Clean up), instalar recursos de armazenamento de arquivos (Install file archiving resources) e instalar pacoctes restritos (Install Ubuntu Restricked Extra). Na última opção (after executing the script), você deve escolher uma ação para o script executar no final do processamento (Nada, Reiniciar, Desligar, Suspender ou Hibernar). Finalmente, clique no botão “Generate”, para o site criar o script e você fazer o download dele;
personalizar o Ubuntu e o Elementary OS
Passo 6. Ao pressionar o botão “Generate”, o site cria o script e fornece quatro opções de acesso a ele: Você pode copiar o comando abaixo de “Generate”, visualizar o script em uma página (ícone do olho), enviar o script por e-mail ou salvar (ícone do disquete). Nesse tutorial será usada a primeira opção;
personalizar o Ubuntu e o Elementary OS
Passo 7. Depois de copiar o comando, abra um terminal e cole ele e tecle enter. Forneça a senha de administrador quando for solicitado e aguarde o script finalizar;
personalizar o Ubuntu e o Elementary OS

Pronto! Agora sempre que você precisar, repita o processo e deixe o sistema como você quiser.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

14 de abril de 2015

Como instalar um Facebook Messenger no Linux com o Messenger for Desktop

Que usar o Facebook Messenger no desktop de seu sistema? Então veja como instalar o Messenger for Desktop, para ter um Facebook Messenger no Linux.
Facebook Messenger no Linux
Messenger for Desktop é um novo cliente, que permite que o usuário possa conversar com os seus amigos do Facebook diretamente de um desktop Linux, Windows ou Mac.

O Facebook lançou recentemente o novo portal do Messenger. O site oferece aos usuários um serviço de mensagens instantâneas como uma alternativa para o atual bate-papo integrado, dentro da famosa rede social. Messenger fornece recursos e uma interface gráfica muito semelhante ao aplicativo móvel, com suporte para chamadas de voz, envio de fotos, adesivos (etiquetas), mensagens de voz e etc.

Coincidindo com o lançamento do novo portal, surgiu também um novo cliente de código aberto dedicado chamado Messenger for Desktop, com versões para Linux, Microsoft Windows e Apple Mac. Messenger for Desktop é um projeto multiplataforma que visa levar as mensagens instantâneas do Facebook para nossa área de trabalho.

O projeto (ainda em desenvolvimento) baseia-se no novo Messenger, incluindo suporte para notificações de área de trabalho e, no futuro, uma melhor integração com os diversos sistemas operacionais e ambientes de desktop Linux (por exemplo, integrando com o MeMenu Ubuntu etc).

Conheça melhor o cliente Facebook Messenger, Messenger for Desktop

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

No procedimento a seguir você verá como instalar o Messenger for Desktop , para ter um Facebook Messenger no Linux.

Como instalar um Facebook Messenger no Linux

Para instalar o Facebook Messenger no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/messenger*
sudo rm -Rf /usr/bin/messenger
sudo rm -Rf /usr/share/applications/messenger.desktop

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome messenger.zip:

wget -O messenger.zip https://github.com/Aluxian/Facebook-Messenger-Desktop/releases/download/v1.1.0/messenger_linux32-64.zip

Passo 4. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 5. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo unzip messenger.zip linux32/* -d /opt/

Passo 6. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo unzip messenger.zip linux64/* -d /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada (se ocorrer um erro na execução do comando abaixo, pule este passo);

sudo mv /opt/linux*/ /opt/messenger

Passo 8. Para simplificar, renomeie o Facebook Messenger com o comando a seguir;

sudo mv /opt/messenger/Messenger /opt/messenger/messenger

passo 9. Torne o Facebook Messenger executável com o comando abaixo;

sudo chmod +x /opt/messenger/messenger

Passo 10. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/messenger/messenger /usr/bin/messenger

Passo 11. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando (se for preciso, use outro editor de textos e substitua “gedit” por ele):

sudo gedit /usr/share/applications/facebook-messenger.desktop

Passo 12. Copie o conteúdo abaixo e cole ele no arquivo aberto. Em seguida, salve e feche o arquivo;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=facebook-messenger
Exec=/opt/messenger/./messenger
Icon=/
Categories=Application;

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite messenger em um terminal, seguido da tecla TAB. Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho e use-o para iniciar o programa.

Como remover o Facebook Messenger no Linux

Para remover o Facebook Messenger no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento anterior.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Xubuntu 15.04 beta – Tour e visão geral em vídeo e screenshots

Se você ainda não experimentou e está curioso, conheça, faça um tour e tenha uma visão geral da distribuição Xubuntu 15.04 beta através de um vídeo e uma galeria de screenshots.
Xubuntu 15.04 Beta
Xubuntu é um sistema operacional elegante e fácil de usar. Ele é uma distribuição Linux baseada no Ubuntu que vem com o ambiente xfce, um ambiente de trabalho estável, leve e configurável. O sistema é perfeito para aqueles que querem tirar o máximo proveito de seus desktops, laptops e netbooks com um visual moderno e recursos suficientes para um uso diário eficiente. Além disso, ele funciona muito bem em hardware antigo.

O Xubuntu 15.04 beta já está disponível para baixar e instalar para um test drive. Esta versão é alimentada pelo kernel Linux 3.18.0 e vem com o xfce 4.10 como desktop padrão, mas também inclui aplicativos da versão 4.12 do Xfce.

Os aplicativos padrão incluídos no Xubuntu 15.04 beta são: Thunar 1.6.5, Catfish 1.2.2.1, Firefox 34.0, Thunderbird 31.4.0, LightDM GTK Greeter 2.0.0, Menulibre 2.0.6, Mugshot 0.2.5.1, xfce4-whiskermenu-plugin 1.4.3, xfce4-power-manager 1.4.2, gmusicbrowser, parole media player 0.7.0, bem como vários componentes da versão de desenvolvimento do ambiente de trabalho Xfce 4.12.

Conheça melhor a distro Xubuntu

Para saber mais sobre essa distribuição, clique nesse link.
Para conhecer melhor, assista o vídeo abaixo e faça um tour através de uma galeria de screenshots da distribuição Xubuntu, acessando essa página do site Linux Scoop.

[embedded content]

Baixe e experimente o Xubuntu 15.04 Beta

Se quiser experimentar, baixe a imagem ISO do Xubuntu 15.04 beta acessando o link abaixo:
Xubuntu 15.04 beta

Como gravar a imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esses tutoriais:
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como gravar uma imagem ISO no Nautilus

Via Linux Scoop

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o emulador de Super Nintendo Snes9x no Ubuntu

Se você está a procura de um emulador de Super Nintendo para jogar no Linux, veja como instalar o Snes9x no Ubuntu e divirta-se com os jogos dessa plataforma de games.
emulador de Super Nintendo Snes9x
Snes9x é um emulador de Super Nintendo Entertainment System (mais conhecido como Super NES ou SNES) gratuito escrito em C ++, que permite aos usuários jogar games Nintendo em seus sistemas Linux.

Por isso, se você sempre quis jogar os games do Super Nintendo, mas não podia, pois não tinha o console, chegou sua chance. Com o Snes9x, você pode curtir a maioria dos jogos do clássico dessa plataforma no seu computador.

Principais características do emulador de Super Nintendo Snes9x:

  • Boa compatibilidade com quase todos as ROMs SNES conhecidas;
  • Suporta Gamepad;
  • Suporta saving;
  • Permite atribuir teclas de atalho;
  • Permite capturar screenshots;
  • Gravação e reprodução de trechos do formato .SMV;
  • Possui filtro SuperEagle, Scanlines e etc.

Conheça melhor o emulador de Super Nintendo Snes9x

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o emulador de Super Nintendo Snes9x no Ubuntu e derivados

Para instalar o emulador de Super Nintendo Snes9x no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome programa.deb:

wget -O snes9x.deb https://launchpad.net/~bearoso/+archive/ubuntu/ppa/+files/snes9x-gtk_1.53.903.81%7Etrusty1_i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome programa.deb:

wget -O snes9x.deb https://launchpad.net/~bearoso/+archive/ubuntu/ppa/+files/snes9x-gtk_1.53.903.81%7Etrusty1_amd64.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i snes9x.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite snes9x no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o emulador de Super Nintendo Snes9x no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o emulador de Super Nintendo Snes9x no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove snes9x*

Via site

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
27 de abril de 2015, 18:08
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.