01 de setembro de 2014

Como ativar ou desativar o som da tela de login do Ubuntu

Se você precisa ativar ou desativar o som da tela de login do Ubuntu, veja a seguir como fazer
isso.
som-tela-login-1
O som da tela de login do Ubuntu é bastante chamativo (principalmente se o volume estiver alto) e pode ser até legal para saber que é hora de entrar com o usuário e senha. Mas depois de um tempo ele pode incomodar. Para resolver isso, a maneira mais fácil de se livrar desse som irritante é colocar o volume em mudo através do ícone indicador que fica no canto superior direito da tela de login (essa mudança, não afetará o volume do sistema depois de logado).

Entretanto, essa modificação só pode ser feita na tela de login. Se você já estiver logado e não quiser sair, você pode desativar ou ativar o som de login através de uma ferramenta gráfica chamada Ubuntu Tweak.

Conheça melhor o Ubuntu Tweak

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como ativar ou desativar o som da tela de login do Ubuntu usando o Ubuntu Tweak

Para ativar ou desativar o som da tela de login do Ubuntu usando o Ubuntu Tweak, você precisa fazer o seguinte:
Passo 1. Instale o programa, seguindo os passos desse tutorial, ou se preferir, faça o download pacote DEB do Ubuntu Tweak a partir desse link e clique duas vezes para abri-lo com a Central de programas e finalmente instalá-lo.
Passo 2. Uma vez instalado, inicie o programa digitando tweak no Dash, e quando ele abrir, vá para a opção “Tweaks” (Ajustes) e depois “Login Settings” (Configuração de login).
som-tela-login-2
Passo 3. Nessa tela, antes de fazer quaisquer alterações, lembre-se de tocar no ícone “Unlock” (desbloqueio), depois digitar a senha do administrador, para finalmente ter acesso aos campos;
som-tela-login-3
Passo 4. Depois disso, você verá a chave que permite ligar/desligar, no campo “Play login sound” (Tocar som de login) e poderá  modificá-la quando quiser.
som-tela-login-4

Pronto! Agora sempre que quiser, você pode ativar ou desativar o som da tela de login, do jeito que lhe for mais conveniente.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

ArgoUML: uma boa alternativa ao Microsoft Visio

Se você procura uma boa alternativa ao Microsoft Visio, o ArgoUML pode ser que que precisa. Conheça mais um pouco sobre ele e instale-o no seu sistema.
alternativa ao microsoft visio
ArgoUML é um software para criar diagramas UML e que também é um forte candidato como uma alternativa viável para Linux, para quem precisa substituir o Microsoft Visio.

Para que não conhece, UML (Unified Modeling Language) é uma linguagem de modelagem unificada projetada principalmente para ser usada em projetos de software orientados a objetos ou para outros paradigmas de programação, claro, com uma utilização um pouco limitada. Normalmente, é possível criar e editar diagramas UML, por exemplo, com o LibreOffice ou o Apache OpenOffice Draw ou para quem quer um uso mais completo, usar um software mais especifico como ArgoUML.

ArgoUML é um software multiplataforma de código aberto desenvolvido para fornecer um completo editor de diagrama UML com muitas características que o tornam uma sério candidato, como uma das melhores alternativas gratuitas ao Microsoft Visio.

Entre as principais características do ArgoUML está o suporte para XMI com a possibilidade de exportar os gráficos nos formatos mais populares, como SVG ou imagens vetoriais, como GIF, PNG, PS, EPS e PGML.

O kit de ferramentas Dresden OCL incluído no ArgoUML permite executar sintaxe, também permite programar projetos em Java, C ++, C #, PHP4 e PHP5, o software também pode suportar outras linguagens de programação e traz uma “To Do List”, que permite fazer uma lista de coisas a fazer para o projeto.

Instalando o ArgoUML no Ubuntu e derivados

ArgoUML é um software escrito em Java que pode ser usado em Linux, Windows e Mac sem qualquer instalação, mas antes é preciso ter o Java instalado. Por isso, para instalar o ArgoUML no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se não estiver instalado, instale o JRE ou Java Runtime Environment, com o comando a seguir ou siga os passo desse outro tutorial:

sudo apt-get install openjdk-7-jre

Passo 3. Baixe o arquivo de instalação do programa com o comando abaixo:

wget http://argouml-downloads.tigris.org/nonav/argouml-0.34/ArgoUML-0.34.tar.gz

Passo 4. Descompacte o arquivo baixado com o comando a seguir;

sudo tar -zxvf ArgoUML-0.34.tar.gz -C /opt/

Passo 5. Agora crie um lançador para o ArgoUMLD, executando um editor de texto com o comando:

sudo gedit /usr/share/applications/argouml.desktop

Passo 6. Copie o conteúdo abaixo, cole no arquivo e salve-o;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=ArgoUML
Exec=java -jar /opt/argouml-0.34/argouml.jar
Icon=
Categories=Application

Pronto! Quando quiser, inicie o programa digitando no Dash:argouml

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Editor de Quicklist: Arronax 0.66 traz interface melhorada e otimizações

Já falei de um editor de Quicklist (alguém ainda lembra do QLE?) aqui no Blog, mas como é sempre bom ter opções, hoje mostrarei como instalar um outro editor dessa mesma categoria: o Arronax.
arronax
Entre os muitos recursos incluídos no ambiente Unity (padrão no Ubuntu) estão as Quicklist, ou seja, um menu de um aplicativo no lançador/barra lateral que contém links ou comandos, e que dá acesso rápido a algumas características de um software. O programa Arronax fornece uma interface gráfica simples e intuitiva em que o usuário pode rapidamente e facilmente criar novos links no menu de um aplicativo. Com ele você pode trabalhar em vários arquivos .desktop (que guardam o conteúdo da Quicklist eoutras informações), adicionando links e ícones personalizados nas Quicklist e neste último caso, você pode até arrastar o ícone novo diretamente na janela do Arronax.

A nova versão de 0.06 do Arronax traz alguns ajustes para a interface gráfica e novas otimizações para a criação de novos Quicklist para o Unity/Gnome Shell. Além disso, agora existe um novo plugin para o Nautilus que permite modificar rapidamente um arquivo .desktop ou criar um novo lançador diretamente a partir da opção “modificar este inicializador” no menu de contexto desse gerenciador de arquivos. Esse plugin é instalado automaticamente junto com o programa.
arronar-nautilus

Conheça melhor o editor de Quicklist Arronax

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o editor de Quicklist Arronax 0.06 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o editor de Quicklist Arronax 0.06 no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:diesch/testing

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install arronax

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:arronax

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

31 de agosto de 2014

Resumo semanal – 25/08/2014 a 31/08/2014

Se por algum motivo você perdeu alguma postagem ou simplesmente ainda não viu tudo o que foi postado nessa semana que passou, não se preocupe, leia o resumo semanal e se atualize.
resumo semanal - 25/08/2014 a 31/08/2014

Resumo semanal do Blog do Edivaldo de 25/08/2014 a 31/08/2014

25/08/2014

26/08/2014

27/08/2014

28/08/2014

29/08/2014

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Ou se estiver usando uma versão anterior:

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 13.10

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 13.04


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

29 de agosto de 2014

Editor de código para web: instale o Brackets no Ubuntu

Se você trabalha com criação de código para web, experimente instalar e usar o editor de código para web Brackets em seu Ubuntu.
editor de código para web
Brackets é editor de código da Adobe. Ele é mais um editor de código, em vez de um editor de texto e é focado em web designers e desenvolvedores front-end. Brackets é construído de e para HTML, CSS e Java Script. Neste tutorial, você verá como instalar ele no Ubuntu 14.04 e seus derivados.

Conheça melhor o editor de código para web Brackets

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o editor de código para web Brackets no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o editor de código para web Brackets no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/brackets

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install brackets

Se você não quiser adicionar o repositório, você pode baixar os arquivos DEB de instalação a partir desse link e depois instalar, clicando duas vezes sobre ele.

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:brackets

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançado LibreOffice 4.3.1: instale ou atualize no Ubuntu e derivados

Poucos dias depois do lançamento da versão 4.3, a Document Foundation anunciou o lançamento do LibreOffice 4.3.1, uma atualização de manutenção. Quer instalar ou atualizar esse pacote office no Ubuntu e derivados? Veja a seguir como fazer isso.
LibreOffice 4.3.1
Essa primeira atualização corrige cerca de 100 bugs relatados por usuários e desenvolvedores nos últimos dias. LibreOffice 4.3.1, portanto, não inclui nada de novo, mas simplesmente corrige vários bug tornando a suíte de escritório mais estável.

Entre os vários bugs corrigidos no LibreOffice 4.3.1 são resolvidos alguns problemas com a atualização da versão 4.2, a nova versão pode atualizar LibreOffice no Linux e Mac sem nenhum problema, também foi resolvido alguns dos problemas relacionados com a importação e exportação de documentos em formatos DOCX, RTF, PPTX e etc.

Para ver o que há de novo no LibreOffice 4.3.1, clique nesse link.

Conheça melhor o pacote office LibreOffice

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

Instalando ou atualizando o pacote office LibreOffice 4.3.1 no Ubuntu e derivados

Se você já instalou a versão 4.3, basta atualizar o sistema. Senão, para instalar o LibreOffice 4.3.1 no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:libreoffice/libreoffice-4-3

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Se o LibreOffice já estiver instalado, apenas atualize com o comando:

sudo apt-get upgrade

Passo 5. Se por algum motivo você não tiver ele no sistema, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install libreoffice

Passo 6. Use o comando abaixo para instalar as traduções do programa;

sudo apt-get install libreoffice-l10n-pt-br libreoffice-help-pt-br

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançado primeiro beta do Ubuntu 14.10

Foi lançado o primeiro beta do Ubuntu 14.10 Utopic Unicorn, a próxima versão do sistema da Canonical. Se você quer experimentar esse release e instalar ou atualizar o Ubuntu, veja aqui como fazer isso.
primeiro beta do Ubuntu 14.10
Como sempre, a distribuição principal do Ubuntu não participa neste primeiro beta e por isso, só estão disponíveis imagens ISO do Kubuntu, Lubuntu, Ubuntu Kylin, Xubuntu e Ubuntu GNOME.

O que há de novo?

Ubuntu GNOME 14.10 Beta 1 inclui, como aconteceu com a versão alfa anterior, GNOME Shell 3.12 e a adição dos aplicativos tempo e Mapas, instalados por padrão.

Kubuntu 14.10 Beta 1 inclui a Plataforma KDE 4.14, lançada há pouco mais de uma semana atrás. Testes para a próxima geração Plasma 5 de desktop ainda está em curso em uma imagem separada.

Xubuntu ficou de fora os alfas, mas o Xubuntu 14.10 Beta 1 está disponível com suporte a theming para GTK 3.12, controles de teclado backlight através do gerenciador de energia do Xfce, e uma série de atualizações para o XFCE que você pode encontrar no anúncio oficial .

Para mais informações sobre o lançamento desse primeiro beta do Ubuntu 14.10, basta consultar as notas de versão disponíveis nesta página.

Se quiser experimentar o primeiro beta do Ubuntu 14.10, faça o Download acessando os links abaixo:

Kubuntu 14.10 Utopic Unicorn

Xubuntu 14.10 Utopic Unicorn

Lubuntu 14.10 Utopic Unicorn

Ubuntu GNOME 14.10 Utopic Unicorn

UbuntuKylin 14.10 Utopic Unicorn

Ubuntu Cloud 14.10 Utopic Unicorn

Atualizar o Ubuntu da versão 14.04 para a 14.10

Mas se você está no Ubuntu 14.04, você também pode atualizar para o primeiro beta do Ubuntu 14.10 para ajudar a testar esta versão de desenvolvimento, usando as informações (genéricas) dos posts abaixo. Observe que você não deve fazer isso em máquinas de produção.

Como atualizar o Ubuntu Desktop da versão 13.10 para a 14.04

Como atualizar o Ubuntu Server da versão 13.10 para a 14.04

Programação de lançamentos do Ubuntu 14.10

O Ubuntu 14.10 será lançado em outubro. Para mais detalhes, consulte o calendário de lançamentos abaixo:

  • 26 de Junho: Alpha 1
  • 24 de Julho: Alpha 2
  • 21 de Agosto: Inicio do ciclo de estabilização
  • 28 de Agosto: Beta 1
  • 25 de Setembro: Beta final
  • 16 de Outubro: Versão final

Via OMG! Ubuntu!

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

28 de agosto de 2014

Gravador de tela: Kazam screencaster ganha suporte a Webcam e YouTube Live

Se você procura um bom gravador de tela, o Kazam screencaster pode ser o que você precisa. Ainda mais agora que ele recebeu suporte a Webcam e YouTube Live, além de indicador de teclado e de clique do mouse na tela.
kazam-screencaster
Kazam é um gravador de tela e ferramenta de screenshot para Linux, baseada no GStreamer. O programa suporta a gravação de toda a tela (com suporte multi-monitor), uma janela ou uma área, vem com suporte aos formatos de vídeo MP4 (H264), WebM (VP8) e AVI (RAW, Huffyuv e sem perdas JPEG), além de permitir framerate customizáveis, mostrar/ocultar o mouse durante a gravação, gravar o som dos alto-falantes e/ou microfone, atalhos de teclado, atraso configurável antes de capturar e salvar arquivo automáticamente.

A versão 1.5.3 do Kazam inclui alguns novos recursos muito úteis como o suporte para webcams (pode gravar apenas a webcam ou ele pode exibir o webcam em uma janela no alto do screencast), suporte a YouTube Live, indicador de teclado e indicador de clique do mouse na tela e nova contagem regressiva.

Aqui estão os screenshots com algumas dessas mudanças:

kazam-click-indicator

Indicador de mouse na tela

kazam-keys

Indicador de teclado na tela

kazam-webcam

Suporte a webcam

kazam-youtube

Suporte a YouTube Live

Conheça melhor o Kazam screencaster

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Kazam screencaster no Ubuntu e seus derivados

Kazam está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu, mas é uma versão antiga que ele não tem os novos recursos mencionados neste artigo. Para instalar o Kazam screencaster no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:kazam-team/unstable-series

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install kazam python3-cairo python3-xlib

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:kazam

Via webupd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

DontWaitUp: Faça o sistema executar uma tarefa quando o título de uma janela mudar, quando ela for fechada ou redimensionada

Já imaginou poder executar uma tarefa quando o título de uma janela mudar, quando ela for fechada ou redimensionada? Isso agora é possível graças ao DontWaitUp, conheça um pouco mais sobre ele e instale-o em seus sistema.
dontwaitup
DontWaitUp é um novo aplicativo que permite que você atribua uma ação quando a janela de um aplicativo é fechada, seu título mudar ou quando é redimensionada. Você pode usá-lo, por exemplo, para encerrar ou suspender o computador quando um vídeo terminar de tocar, quando algum gerenciador de download ( que não tem esse recurso embutido) termina o download de um arquivo grande e assim por diante.

Eis como funciona: quando você iniciar DontWaitUp, uma lista de janelas abertas é exibida na guia Eventos e você pode atribuir uma ação para cada uma destas janelas. Asssim, quando ocorrer mudanças no título da janela, quando a janela é redimensionada (por exemplo, quando um jogador sai de vídeo em tela cheia depois de terminar a reprodução de um vídeo), ou quando a janela é fechada, DontWaitUp desencadeia a sua ação que foi atribuída.

Por padrão, DontWaitUp vem com as seguintes ações: desligar, reiniciar, suspender, hibernar ou reproduzir um som, mas você pode adicionar suas próprias ações personalizadas (comandos). Para cada ação, você pode selecionar para exibir uma janela de confirmação opcional ou para executar diretamente a ação.
dontwaitup-actions

Para completar, o programa vem com um Ubuntu AppIndicator opcional que pode ser desativado a partir de suas preferências. Em suas preferências, você também pode configurar por quanto tempo a caixa de diálogo/confirmação abortar é exibido (se habilitado) e se as janelas do sistema devem ser exibidas ou não.

dontwaitup-indicator-settings

O aplicativo é bem básico e não permite que você insira manualmente o título da janela em que uma ação deve ser acionado (para que você não possa executar ações para aplicações com títulos dinâmicos, quando um título específico vem à tona – como um exemplo, o aplicativo não será capaz de executar uma ação quando um leitor de música pára de tocar, se o seu título da janela muda para cada nova canção, ou se o título da janela exibe o tempo restante). Mas, mesmo sendo é muito simples e não oferecendo muitas ações por padrão, o DontWaitUp ainda pode vir a ser muito útil em várias situações e é praticamente certo que alguns de vocês vão precisar dele em algum momento.

Conheça melhor o DontWaitUp

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o DontWaitUp no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o DontWaitUp no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:alessandro-blarco/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install dontwaitup consolekit

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:dontwaitup

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como ocultar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM

Se você quiser desativar/ocultar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM, veja aqui como fazer isso.
ocultar a lista de usuários
Você pode ocultar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM por questões de segurança, porque há muitos usuários ou qualquer outra razão, entretanto, no primeiro caso, que você terá que inserir manualmente o seu nome de usuário e depois a senha. Ciente disso, basta seguir as instruções abaixo para deixar a tela de login do LightDM como você realmente quer.

Como ocultar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM

Para desativar a lista de usuários e a sessão de convidado no LightDM, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Caso ainda não exista, crie a pasta /etc/lightdm/lightdm.conf.d, usando o seguinte comando:

sudo mkdir -p /etc/lightdm/lightdm.conf.d

Passo 3. Crie um arquivo chamado 50-my-custom-config.conf dentro da pasta criada anteriormente, usando o comando abaixo:

gksu gedit /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf

Passo 4. Se quiser “apenas” ocultar a lista de usuário da tela de login LightDM, cole o comando abaixo no arquivo criado:

[SeatDefaults]
greeter-hide-users=true
greeter-show-manual-login=true

Passo 5. Se quiser “apenas” desativar a sessão de convidado no LightDM, cole o seguinte comando no arquivo criado:

[SeatDefaults]
allow-guest=false

Passo 6. Se você quiser esconder a lista de usuário da tela de login LightDM e também desativar a sessão de convidado, então cole o comando a seguir no arquivo criado:

[SeatDefaults]
greeter-hide-users=true
greeter-show-manual-login=true
allow-guest=false

Passo 7. Em seguida, salve e feche o arquivo;
Passo 8. Por fim, reinicie o sistema.

Como reverter as alterações feitas

Caso seja necessário, para reverter as alterações feitas seguindo as instruções acima, tudo que você precisa fazer é apagar o arquivo de configuração criado, usando o comando a seguir em um terminal e novamente, reinicie o sistema:

sudo rm /etc/lightdm/lightdm.conf.d/50-my-custom-config.conf

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

27 de agosto de 2014

Instale quatro extensões para Nemo e deixe ele mais completo para seu uso

Se você usa o gerenciador de arquivos Nemo, experimente instalar essas extensões a seguir e deixá-lo mais completo para seu uso.
linux-mint-14-nemo
O responsável pelo repositório WebUpd8 adicionou quatro novas extensões feitas para o gerenciador de arquivos Nemo, que podem ajudar bastante no dia a dia.
Agora, usando esse repositório você pode instalar a extensão Nemo Emblems para poder adicionar emblemas em arquivos ou pastas, a Nemo Folder Color para alterar a cor da pasta para algumas cores pré-definidas, como preto, azul, marrom, turquesa, verde, cinza, laranja, rosa, roxo, vermelho, branco ou amarelo, A Nemo Image Converter para redimensionar imagens rapidamente ou Girar e a Nemo Filename Repairer, para reparar nomes de arquivos que usam a codificação errada no Nemo.

Abaixo você pode ver screenshots com estas extensões Nemo em ação:

nemo-emblems

Nemo Emblems

nemo-folder-color

Nemo Folder Color

nemo-image-tools

Nemo Image Tools

nemo-filename-repairer

Nemo Filename Repairer

Como instalar as extensões para Nemo no Ubuntu e seus derivados

Para instalar as extensões para o Nemo no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/nemo

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install nemo-emblems nemo-filename-repairer nemo-folder-color nemo-image-converter

Passo 5. Uma vez instalado, reinicie o Nemo usando o seguinte comando:

nemo -q

Pronto! Inicie o Nemo digitando nemo no Dash e comece a usar essas novas extensões.

Para ver mais informações sobre o Nemo e até outras extensões publicadas no blog, clique nesse link.

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Conversor de arquivos multimídia: Instale o dmMediaConverter

Precisando de um bom conversor de arquivos multimídia? Então instale o dmMediaConverter e resolva o seu problema (e até os problemas com o pacote FFMpeg no Ubuntu).
dmMediaConverter in Ubuntu
dmMediaConverter é um software baseado no FFMpeg, que permite converter facilmente seus arquivos de áudio e vídeo em formatos populares. Entre as principais características do dmMediaConverter está a sua capacidade de combinar ou dividir um arquivo de vídeo, incluir legendas em srt , ass, ssa, mov_text, e dvdsub e muito mais.

Com a nova versão 1.0.0 do dmMediaConverter uma abundância de novos recursos, incluindo novas predefinições de áudio e vídeo e suporte para telas de alta densidade de pixels HiDPI. Essa versão introduziu o novo modo de converter com o qual é possível converter arquivos de mídia muito mais rápidos. Ela também adiciona uma nova opção que permite reproduzir um arquivo de áudio ou vídeo com um leitor externo. Além de tudo isso, tem também o novo filtro de DeShake e o novo editor de Tags para arquivos de áudio que permite corrigir o problema da falta do pacote ffmpeg no Ubuntu 14.04 e ou posterior.

Conheça melhor o conversor de arquivos multimídia dmMediaConverter

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o conversor de arquivos multimídia dmMediaConverter no Ubuntu e derivados

Para instalar o conversor de arquivos multimídia dmMediaConverter no Ubuntu e seus derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget -O dmmediaconverter_1.0.0_i386.deb https://drive.google.com/uc?id=0B1MiTYJef5a9Q1lBRzZlNll2RlE&export=download&revid=0B1MiTYJef5a9Q1lBRzZlNll2RlE

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget -O dmmediaconverter_1.0.0_amd64.deb https://drive.google.com/uc?id=0B1MiTYJef5a9d1dGSE5hZjFxdTQ&export=download&revid=0B1MiTYJef5a9d1dGSE5hZjFxdTQ

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i dmmediaconverter_1.0.0_*.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash:dmmedia

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como desativar as sugestões de compras da Amazon que aparecem no Dash

Se você quer desativar as sugestões de compras da Amazon que aparecem no Dash, veja aqui como fazer isso de um jeito bem simples e rápido.
ubuntu_shopping_lens_amazon_thumb.png
Quando você procura por um aplicativo ou um arquivo ou qualquer coisa no Dash do Unity, você deve ter notado algumas sugestões de compras da Amazon e de outras fontes. Na maior parte do tempo, estas sugestões de compras são completamente inúteis e muitas vezes irritante. Por isso, a melhor coisa a fazer é desativá-las.

Como desativar as sugestões de compras da Amazon que aparecem no Dash

Para instalar o nome-do-programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2.

gsettings set com.canonical.Unity.Lenses disabled-scopes "['more_suggestions-amazon.scope', 'more_suggestions-u1ms.scope', 'more_suggestions-populartracks.scope', 'music-musicstore.scope', 'more_suggestions-ebay.scope', 'more_suggestions-ubuntushop.scope', 'more_suggestions-skimlinks.scope']"

Passo 3. Reinicie o sistema, clicando no menu do painel ou digitando o comando abaixo o terminal;

sudo reboot

Pronto!Ao iniciar o sistema, você verá não há mais sugestões de compras no Dash.

Via t’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Google Chrome Aura Shell, a experiência de usuário do Chrome OS no Linux

Se você que ter a mesma a experiência de usuário do Chrome OS no Linux (sem precisar formatar nada), conheça, instale e experimente o Google Chrome Aura Shell.
google chrome aura
Google Chrome Aura Shell (Ash) traz consigo a mesma experiência do usuário do Chrome OS com um monte de painéis (que também podem ser movidos para os lados da área de trabalho), gerenciador de janelas, o menu de estilo App Launcher e etc.

Entre as inovações introduzidas pelo desenvolvedor nas últimas versões do Google Chrome está a nova interface gráfica Aura que toma o lugar do Gtk+2, além do novo suporte para App Launcher e central de notificação. Tudo isso resultou em uma melhor integração do Google Chrome no Linux, fornecendo as mesmas funcionalidades incluídas na versão nativa para Windows e Mac. Na versão do Google Chrome que está em fase de desenvolvimento também apareceu o novo Aura Shell, um gerenciador de janelas que permite ter a mesma experiência de usuário do Chrome OS, em qualquer distribuição Linux.

A ideia do projeto é muito semelhante ao “lançamento do Chrome como Windows 8 app”, funcionalidade presente no Windows versão 8/8.1 e que permite ao usuário fazer logon no Chrome como no Chrome OS, ou seja, tudo isso será possível de ser feito no Linux, graças a Aura Shell. Entretanto, o recurso atualmente só está disponível apenas nas versões de desenvolvimento do Chrome para Linux (canais Beta ou Dev), por isso, só é possível usá-lo instalando a partir dessas canais.

Conheça melhor o Google Chrome

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Google Chrome e usar o Google Chrome Aura Shell

Para instalar o Google Chrome e usar o Google Chrome Aura Shell, faça o seguinte:
Passo 1. Instale o Chromium a partir do canal Beta ou do canal Dev, seguindo os passos desse outro tutorial.
Passo 1. Se não tiver um sendo executado, abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Para executar o Google Chrome Aura Shell, use o seguinte comando:

chromium-browser --open-ash

Pronto! Será aberta uma nova janela com o gerenciador de janelas Aura Shell. Aproveite e explore o recurso a vontade.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

26 de agosto de 2014

Atualização: Como instalar o GIMP 2.8.14 no Ubuntu e seus derivados

Foi lançado nessa segunda-feira (25) o GIMP 2.8.12, trazendo várias correções de bugs e pequenas melhorias. Se você já usar ou quer experimentar essa versão, veja aqui como instalar ela no Ubuntu e derivados.
gimp-2812
GIMP significa GNU Image Manipulation Program. O programa é expansível através de plugins e distribuído gratuitamente para ser usado em tarefas como retoque de fotos, composição de imagem e criação de imagem. GIMP funciona em vários sistemas operacionais e é traduzido em muitas línguas. Mesmo tendo muitos recursos, ele pode ser usado como um simples programa de pintura, um programa de retoque de fotos especialista em qualidade, um sistema de processamento em lote on-line, um processador de imagem de produção em massa ou até como um conversor de formato de imagem, além de diversas outras tarefas.

A versão 2.8.12 faz parte do ramo estável do GIMP e por isso, não traz novos recursos, apenas correções de bugs. Novidades mesmo e grandes mudanças só estarão disponíveis no próximo grande lançamento do GIMP, a versão 2.10.

Conheça melhor o GIMP

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o GIMP 2.8.12 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o GIMP 2.8.12 no Ubuntu e seus derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:otto-kesselgulasch/gimp

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install gimp

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:gimp

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançado Gnome Sound Converter 2.1.4 com importantes correções

O Gnome Sound Converter foi atualizada para a versão 2.1.4 com 3 importantes correções de bugs. Se você já usa ou quer experimentar essa nova versão, veja a seguir como instalar ou a atualizar o programa.
gnome sound converter
SoundConverter é o principal conversor de arquivo de áudio para o Desktop GNOME. Ele consegue ler qualquer formato suportado pelo GStreamer (Ogg Vorbis, AAC, MP3, FLAC, WAV, AVI, MPEG, MOV, M4A, AC3, DTS, ALAC, MPC, Shorten, APE, SID, MOD, XM, S3M e etc…) e grava arquivos Opus, Ogg Vorbis, FLAC, WAV, AAC, e MP3, ou se quiser, use qualquer perfil de áudio do GNOME.

A versão 2.1.4 traz importantes correções, ente as quais se destacam: a correção de um erro que ocorria ao converter um vídeo para um arquivo de áudio, a resolução de um problema que acontecia ao tentar converter todas as músicas de um artista, ao mesmo tempo e também foi consertado o problema que impedia o programa de exportar para uma pasta em um dispositivo MTP.

Conheça melhor o Gnome Sound Converter

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o Gnome Sound Converter no Ubuntu e derivados

Para instalar o Gnome Sound Converter e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o pacote de instalação do Gnome Sound Converter 2.1.4:

wget http://archive.getdeb.net/getdeb/ubuntu/pool/apps/s/soundconverter/soundconverter_2.1.4-1~getdeb1_all.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i soundconverter_2.1.4-1~getdeb1_all.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash:sound

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Apache OpenOffice 4.1.1 já está disponível para download

Boa noticia para os usuários que preferem usar o pacote office da Fundação Apache em vez do LibrOffice: o Apache OpenOffice 4.1.1 já está disponível para download. Para ficar mais completo, nesse tutorial será mostrado como instalar essa versão no Ubuntu e seus derivados.
apache openoffice 4.1.1
Com o objetivo de apoiar o desenvolvimento open source do Openoffice, a Oracle doou o produto para a Fundação Apache e a partir disso, surgiu o Apache OpenOffice, uma suíte office que possui 6 aplicações: um processador de texto, um editor de planilhas, editor de apresentações, ferramenta de desenho, fórmula e banco de dados. O conjunto desses programas formam uma suíte de escritório livre e compatível com os principais pacotes de escritório do mercado, além de fornecer todas as funções que normalmente são encontradas em uma suíte profissional.

A versão 4.1.1 do OpenOffice é uma atualização que não inclui nada de novo, mas simplesmente corrige bugs encontrados nos últimos meses por desenvolvedores e usuários. Nela foram resolvidos diversos bugs relativos ao suporte a Java 7, o desenvolvedor também consertou vários problemas na pesquisa no vocabulário no Mac OSX.

Entre as correções estão vários bugs em relação ao suporte com Java 7 e vários problemas em pesquisa no vocabulário do Mac OS X. Também foi corrigido um bug no Draw que impedia a exportação de SVG e foram resolvidos os problemas com a importação de bookmarks em documentos docx.

Para uma lista completa de correções de bugs dessa versão, clique nesse link.

Conheça melhor o Apache OpenOffice

Para saber mais sobre as novidades desse lançamento, clique nesse link.

Instalando o Apache OpenOffice 4.1.1 no Ubuntu e derivados

Para instalar o Apache OpenOffice 4.1.1 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se o libreoffice já estiver instalado no seu sistema, execute o comando a seguir para remove-lo:

sudo apt-get remove --purge libreoffice*

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/openofficeorg.mirror/4.1.1/binaries/pt-BR/Apache_OpenOffice_4.1.1_Linux_x86_install-deb_pt-BR.tar.gz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/openofficeorg.mirror/4.1.1/binaries/pt-BR/Apache_OpenOffice_4.1.1_Linux_x86-64_install-deb_pt-BR.tar.gz

Passo 6. Descompacte o arquivo baixado usando esse comando:

tar -xvzf Apache_OpenOffice_4.1.1_Linux_*_install-deb_pt-BR.tar.gz

Passo 7. Vá para a pasta criada:

cd pt-BR/DEBS/

Passo 8. Agora instale o programa, usando esse comando:

sudo dpkg -i *.deb

Passo 9. Vá para a pasta desktop-integration:

cd desktop-integration/

Passo 10. Agora instale a integração, usando esse comando:

sudo dpkg -i *.deb

Depois de instalado, o programa pode se executando a partir do Dash, digitando: openoffice
openoffice-4.1.1-dash
Via
lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

25 de agosto de 2014

Lançada a versão 0.19.0 do gerenciador de fotos Shotwell com suporte a novos serviços de fotos: Gallery3 e Rajce.net

O famoso gerenciador de fotos Shotwell chegou a versão 0.19.0. Se você quiser instalar ou atualizar para essa versão, veja aqui como fazer isso.
shotwell-photo-services
Shotwell é um gerenciador de fotos popular para Gnome com grandes e importantes características. Ele permite importar imagens do disco ou câmera, organizar por eventos baseados em tempo, Tags (palavras-chave), pastas e muito mais. Com ele também é possível visualizar as fotos no modo janela ou tela cheia, apresentação de slides. Além de suporte o formato RAW para foto e vídeo, você pode cortar, girar, ajustar cores, esticar e melhorar fotos e ainda compartilha suas imagens nos principais serviços da Web, incluindo Facebook, Flickr e YouTube.

A versão 0.19.0, é um pré-lançamento instável da próxima versão 0.20. Entre as principais novidades dessa nova versão destaca-se uma melhora na detecção de imagens corrompidas durante a importação, uma funcionalidade que permite definir a imagem de fundo para a tela de bloqueio, o suporte para dois novos serviços de fotos: Gallery3 e Rajce.net, traduções atualizadas e como sempre, várias correções de bugs.

Conheça melhor o gerenciador de fotos Shotwell

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o gerenciador de fotos Shotwell no Ubuntu 14.04 e derivados

Para instalar o gerenciador de fotos Shotwell no Ubuntu 14.04 e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget http://ppa.launchpad.net/yorba/daily-builds/ubuntu/pool/main/s/shotwell/shotwell_0.19.0+2604~ubuntu14.04.1_i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget http://ppa.launchpad.net/yorba/daily-builds/ubuntu/pool/main/s/shotwell/shotwell_0.19.0+2604~ubuntu14.04.1_amd64.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i shotwell_0.19.0+2604~ubuntu14.04.1_*.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Se você estiver usando uma outra versão do Ubuntu anterior ou posterior ao 14.04, acesse esse link e baixe a versão para o seu sistema.

Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash:shotwell

Via UbuntuHandbookl

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale os ícones Dalisha no Ubuntu

Que tal experimentar alguns ícones circulares no visual do seu desktop? Veja aqui como instalar os ícones Dalisha no Ubuntu e deixe seu desktop com um visual bem diferente.
dalisha
O conjunto de ícones Dalisha é uma bela obra de arte criada por Eep Setiawan, que oferece vários ícones circulares para Linux. O bom desse conjunto é que ele contém ícones para todos os ambientes de desktop Linux, como Unity, Gnome, Cinnamon, KDE, Mate e outros. Ele oferece mais de 30.000 ícones que estão disponíveis como a maioria dos tamanhos, incluindo escalável e também contém ícones para a maioria das aplicações.
dalisha-2

Conheça melhor os ícones Dalisha

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando os ícones Dalisha no Ubuntu 14.04 e derivados

Para instalar os ícones Dalisha no Ubuntu 14.04 e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o programa usando o seguinte comando:

sudo apt-get install dalisha-icons

Instalando os ícones Dalisha em outras versões do Ubuntu e derivados

Para instalar os ícones Dalisha em outras versões do Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o pacote do :

wget -O dalisha.deb https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/icons/+files/dalisha-icons_2.0~trusty~Noobslab.com_all.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg-i dalisha.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançada a versão 2.0 do programa de gerenciamento de livros digitais Calibre

Os desenvolvedores do projeto Calibre lançaram a nova versão 2.0, que inclui uma migração para QT5 e outras melhorias. Se você precisa fazer o gerenciamento de livros digitais, instale esse programa e ponha ordem na sua biblioteca.
gerenciamento de livros digitais
Calibre é um projeto de código aberto e multiplataforma, que tem como objetivo fornecer uma plataforma completa para a gestão, edição, visualização e compartilhamento de livros digitais ou como alguns chamam, ebooks.

Com o Calibre é possível fazer o gerenciamento de livros digitais em formatos populares como ebup, CBZ, mobi, FB2 e etc, além de converter vários livros digitais e sincronizá-los no leitor de ebook e dispositivos móveis com facilidade, graças a uma interface simples e funcional.

Calibre 2.0 melhora o editor de ebook através de uma interface gráfica repaginada e além da correção de vários bugs, inclui também uma migração para QT5, o que torna o software mais estável e eficiente. Essa versão traz também um suporte para dispositivos MTP (Android phones/tablets) no Mac OS X e o suporte para novos sites: General Knowledge Today, BBC Arabic, TIME Magazine, The Atlantic, Down to Earth, Heraldo de Aragon, Radikal (portale turco), Wired Daily Edition e Orange County Register.

Para mais informações sobre o novo Calibre 2.0, basta consultar o changelog disponível nesta página.

calibre-preferencias

Conheça melhor o programa de gerenciamento de livros digitais Calibre

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando a versão 2.0 do programa de gerenciamento de livros digitais Calibre

Calibre 2.0 está disponível nos repositórios oficiais do Arch Linux, Manjaro, Debian SID e outras distribuições Rolling Release. Para instalar a versão 2.0 do programa de gerenciamento de livros digitais Calibre, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Agora instale o programa com o comando:

sudo python -c "import sys; py3 = sys.version_info[0] > 2; u = __import__('urllib.request' if py3 else 'urllib', fromlist=1); exec(u.urlopen('http://status.calibre-ebook.com/linux_installer').read()); main()"

Passo 3. Depois de instalado, execute o programa digitando calibre no Dash;
Passo 4. Na primeira inicialização, será exibida uma sequencia de telas do sssistente de inicialização do Calibre. Na primeira delas, selecione o fabricante do seu dispositivo de livros digitais, depois o dispositivo e em seguida, clique no botão “Seguinte”.
gerenciamento de livros digitais
Passo 5. Na próxima tela, se necessário, marque a marque a opção “Ligar servidor de conteúdo” para poder acessar sua coleção de livros do Calibre diretamente no dispositivo, via rede sem fio. Para continuar, clique no botão “Seguinte”;
gerenciamento de livros digitais
Passo 6. Na última tela, apenas clique no botão “Conlcuir”.
gerenciamento de livros digitais

Pronto! A partir de agora você já pode começar a fazer o gerenciamento de livros digitais com o Calibre e orcanizar a sua biblioteca.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o PPSSPP e jogar seus jogos de PSP no Ubuntu 14.04/14.10

Se você tem jogos do PSP e quer jogá-los no PC, este tutorial irá te ensinar a jogar seus jogos de PSP no Ubuntu 14.04/14.10 usando com o emulador do Sony PSP PPSSPP.
linux-ppsspp
PPSSPP é um emulador de PSP open source, licenciado sob a GPL e escrito em C++, que traduz as instruções da CPU PSP diretamente para o código de máquina otimizado das arquiteturas x86, x64 e ARM, usando recompiladores JIT (dynarecs), o que possibilita executar o programa (e os jogos) em hardware de baixa especificação. Ele é uma aplicação multiplataforma e que pode até mesmo executar seus jogos de PSP em seu PC em resolução full HD. Em alguns casos, o programa pode até mesmo fazer upscale das texturas para evitar que elas fiquem muito embaçadas, por terem sidos produzidas para a tela do PSP original.

PPSSPP pode executar o arquivo ISO do PSP do seu PC, e também do disco PSP, mas você precisa especificar o local de jogo dentro PPSSPP, o que será mostrado nesse tutorial. Ele pode até mesmo salvar e restaurar o estado do jogo em qualquer lugar, a qualquer hora; Continue de onde parou, transferindo “saves” do seu verdadeiro PSP.

Antes de instalar e usar o programa, esteja ciente de que todas as marcas registradas são propriedade de seus respectivos proprietários. O emulador é apenas para fins educacionais e de desenvolvimento e não pode ser usado para jogar jogos você não possui legalmente.

Conheça melhor o PPSSPP

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o PPSSPP e jogar seus jogos de PSP no Ubuntu 14.04/14.10

Para instalar o PPSSPP e jogar seus jogos de PSP no Ubuntu 14.04/14.10, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ppsspp/stable

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install ppsspp-qt

Passo 5. Se você quiser instalar a versão SDL, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install ppsspp-sdl

Passo 6. Uma vez instalado, inicie o programa digitando ppsspp no Dash;ppsspp-dash
Passo 7. Com o programa aberto, vá na aba “Games” e navegue até a pasta que você salva seus jogos de PSP (arquivos .iso);
psp-emulator1
Passo 8. Use as setas para escolher e pressione a tecla “Enter” para carregar o jogo.
psp-emulator

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

24 de agosto de 2014

Resumo semanal – 18/08/2014 a 24/08/2014

É hora de rever o que foi noticia nessa semana que passou, por isso, se você perdeu alguma postagem ou simplesmente ainda não viu tudo o que foi postado, leia o resumo semanal e se atualize.
resumo semanal

Resumo semanal do Blog do Edivaldo de 18/08/2014 a 24/08/2014

18/08/2014

19/08/2014

20/08/2014

21/08/2014

22/08/2014

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

22 de agosto de 2014

Filtros e efeitos para imagens: instale e experimente G’MIC

Se você trabalha com imagens e quer uma boa variedade de filtros e efeitos para usar nelas, experimente instalar o G’MIC.
filtros e efeitos
G’MIC (GREYC’s Magic for Image Computing) é um framework para processamento de imagem que vem com um grande número de filtros e efeitos pré-definidos de imagem (quase 400, com um extra de 300 filtros de teste). Há várias interfaces para G’MIC: uma ferramenta de linha de comando, um serviço web, uma interface baseada em Qt para manipulação de webcam em tempo real, uma biblioteca e um plugin GIMP. Nesse tutorial, será mostrado como instalar o G’MIC e o plugin G’MIC GIMP.

Se você estiver interessado na lista completa de filtros disponíveis com o plugin G’MIC para o GIMP, você pode encontrá-lo nesse link. Você também pode ver a maioria dos filtros G’MIC em ação, seguindo os links abaixo:

Conheça melhor o G’MIC

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
A lista completa de mudanças para a mais recente do G’MIC, a 1.6.0, pode ser encontrada nesse link.

Como instalar o G’MIC 1.6.0 no Ubuntu e seus derivados

G’MIC e o plugin G’MIC GIMP estão disponíveis nos repositórios oficiais do Ubuntu, no entanto, essa não é a versão mais recente. Se você não está preocupado em conseguir a última versão, pode instalar eles usando a Central de programas ou digitando sudo apt-get install gmic gimp-gmic em um terminal. Mas o que você quer mesmo é a ultima versão e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:otto-kesselgulasch/gimp

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install gmic gimp-gmic

Uma vez instalado, abra uma foto no GIMP, vá em “Filtros” e em seguida em “G’MIC”. Em uma caixa de diálogo pop-up a partir do qual você pode selecionar o efeito (s) que deseja aplicar. Cada efeito é, naturalmente, personalizável e você pode ver uma visualização ao vivo na janela do G’MIC

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançada a versão 0.10 Beta1 do video transcoder HandBrake

Depois de um bom tempo desde a última versão 0.9.9, finalmente foi lançado a versão 0.10 Beta1 do vídeo transcoder HandBrake. Se quiser atualizar ou instalar essa versão, veja qui como fazer isso.
handbrake-010
HandBrake é um decodificador de vídeo de código aberto para Linux, Windows e Mac OS X. O programa é também uma ferramenta para ripar DVDs. Ele converte os filmes em MPEG-4 e, além de oferecer diversas opções de configuração, insere a legenda desejada diretamente no resultado final. O aplicativo vem com built-in presets e, além de formatos multimídia comuns, ele suporta DVD ou Bluray desprotegidos, legendas e muito mais.

Nessa atualização, além das diversas correções e melhorias, o codificador LibAV AAC tornou-se o padrão e foi adicionado o VP8 Encoder (usando libvpx), disponível somente em arquivos MKV. Além disso, o encoder H.265 experimental agora está disponível quando o programa é compilado a partir do código fonte com a opção –enable-X265. Para mais detalhes sobre essa versão, acesse esse link.

Conheça melhor o HandBrake

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o HandBrake 0.10 beta no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o HandBrake 0.10 beta no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:stebbins/handbrake-snapshots

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install handbrake-gtk

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:nhandbrake
Pronto. Handbrake instalado, é hora de começar a converter os vídeos. Se tudo der certo (ou errado) comente como foi a sua experiência.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

IDE Arduino: Instale Gnoduino no Ubuntu

Se você precisa de uma IDE Arduino, veja nesse tutorial como instalar o Gnoduino no Ubuntu 14.04 e 12.04.
ide arduino
Gnoduino é uma IDE Arduino, na verdade ela é uma implementação da bem conhecida IDE Arduino para o GNOME e que pode muito bem ser usada no Ubuntu. A IDE Arduino original é escrita em Java, no entanto, isso resulta em uma integração pobre na plataforma Linux, especialmente com o Unity do Ubuntu. Por sorte alguém fez uma simples reescrita da IDE original, em Python e GTK, criando uma IDE totalmente nativa no Linux, chamada Gnoduino. Esta aplicação é destinada ao GNOME e sua finalidade é ser leve.

Conheça melhor a IDE Arduino Gnoduino

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a IDE Arduino Gnoduino no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a IDE Arduino Gnoduino no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:pmjdebruijn/gnoduino-release

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install gnoduino

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:gnoduino

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como tirar um screenshot da tela de login no Ubuntu

Embora seja raro, as vezes é preciso tirar um screenshot da tela de login. Se esse é o seu caso, veja como fazer isso.
Screenshot_Login_Screen_Ubuntu
Para conseguir capturar a tela de login no Ubuntu será preciso primeiro criar um script que poderá ser executado a partir da interface de linha de comando, sempre que for necessário fazer a captura. Mas não se preocupe, o “script” é realmente muito simples de utilizar.

Observe que embora o procedimento a seguir seja focado no Ubuntu e seus derivados, tirando a instalação do Imagemagick, todo o resto pode ser feito em qualquer outra distribuição Linux.

Como tirar um screenshot da tela de login no Ubuntu

Para tirar um screenshot da tela de login no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Caso ainda não esteja instalado, use o seguinte comando para instalar o ImageMagic:

sudo apt-get install imagemagick -y

Passo 3. Crie um novo arquivo, usando o comando a seguir;

sudo gedit screenshot.sh

Passo 4. Com o arquivo aberto, cole o conteúdo abaixo dentro dele. Em seguida, salve e feche o arquivo;

chvt 7; sleep 5s; DISPLAY=:0 XAUTHORITY=/var/run/lightdm/root/:0 xwd -root -out ~/screenshot.xwd; convert ~/screenshot.xwd ~/screenshot.png; rm ~/screenshot.xwd; chmod 777 ~/screenshot.png

screenshot-tela-login-1
Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo, usando o comando abaixo;

sudo chmod +x screenshot.sh

Passo 6. Feche a sessão atual e vá para a tela de login;
screenshot-tela-login-2
Passo 7. Quando estiver na tela de login, pressione simultaneamente as teclas CTRL + ALT + F1, para entrar no modo de console. Nessa tela, entre com seu usuário e senha e depois digite o comando abaixo:

sudo ./screenshot.sh

screenshot-tela-login-3
Passo 8. Uma vez que o script é executado, ele irá levá-lo de volta para a tela de login gráfico (chvt 7) e depois de cinco segundos, salvará uma imagem em seu diretório home com o nome do arquivo screenshot.png.
screenshot-tela-login-4

Pronto! Agora você pode capturar a tela de login do seu sistema sempre que precisar.

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

21 de agosto de 2014

Instale a versão mais recente do ambiente MATE usando os repositórios do novo Ubuntu MATE

Quer experimentar a versão mais recente do ambiente MATE? Então veja aqui como instalar no Ubuntu 14.04, a partir do repositório do novo Ubuntu MATE.
ubuntu_mate_desktop
E continua a pleno vapor o desenvolvimento do Ubuntu MATE, um novo derivado do sistema da Canonical que visa trazer a experiência do usuário do Gnome 2 na nova versão do Ubuntu, claro, com várias otimizações. Além de incluir o MATE Desktop Environment no Ubuntu, os desenvolvedores também estão engajados em algumas personalizações como o tema padrão, ícones, instalador e etc, a fim de integrar o novo ambiente de trabalho a distribuição suportada pela Canonical.

Para quem ainda não conhece, MATE é um fork do GNOME 2, ele fornece um ambiente de trabalho intuitivo e atraente, usando metáforas tradicionais para outros sistemas operacionais Unix e Linux. O ambiente permite que você use a antiga interface e aplicativos do GNOME 2, mas também possibilita usar as novas aplicações. Você pode, por exemplo, usar o Nautilus 3 com ele e assim por diante. Além disso, MATE pode ser instalado em paralelo com o GNOME 3, algo que não era possível com o GNOME 2.

Nos últimos dias os desenvolvedores do Ubuntu MATE apresentaram algumas novas funcionalidades planejadas para a futura versão estável e também anunciaram dois novos repositórios: Ubuntu MATE Developers, onde ficam as diversas personalizações tais como temas e etc. e MATE for Trusty, que serve instalar o MATE atualizado na versão 14.04 do Ubuntu. Como a primeira versão estável Ubuntu MATE será baseada no Ubuntu 10.14 Utopic, com esses repositórios será possível instalar o MATE atualizado e com as várias personalizações no Ubuntu 04.14.

Conheça melhor o ambiente MATE

Para saber mais sobre o ambiente MATE, clique nesse link.

Como instalar a versão mais recente do ambiente MATE no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a versão mais recente do ambiente MATE no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione os repositórios do MATE com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:ubuntu-mate-dev/ppa
sudo apt-add-repository ppa:ubuntu-mate-dev/trusty-mate

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o MATE;

sudo apt-get install --no-install-recommends ubuntu-mate-core ubuntu-mate-desktop

Uma vez que a instalação estiver concluída, saia da sua sessão atual do Ubuntu. A partir daqui, clique no ícone que no canto superior direito da tela de login Ubuntu. Você será apresentado a uma tela com todas as opções de ambientes de desktop atualmente instalados. A mais recente adição a esta lista será o MATE. Clicar nesta opção, e selecione “OK” para ser solicitado suas credenciais de login. Quando conectado, você estará de volta ao Ubuntu que estava acostumado.

Como remover o ambiente MATE no Ubuntu e seus derivados

Quando quiser remover completamente MATE e todos os pacotes instalados a partir de seu repositório, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Agora use o comando abaixo para remover o ambiente MATE;

sudo apt-get remove ubuntu-mate-core ubuntu-mate-desktop

Passo 3. Use o comando a seguir pra remover os pacotes que não estão mais sendo utilizados:

sudo apt-get autoremove

Passo 4. Remova os repositórios do programa com este comando:

sudo apt-add-repository -r ppa:ubuntu-mate-dev/ppa
sudo apt-add-repository -r ppa:ubuntu-mate-dev/trusty-mate

Passo 5. Finalmente, atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

KDE SC 4.14 já está disponível para download

A comunidade KDE anunciou recentemente nessa quarta -feira (20) o lançamento do KDE SC (Software Compilation) 4.14. Conheça as novidades dessa versão e veja aqui como instalar ela no Ubuntu e seus derivados.
plasma-4.11
Além de várias correções de bugs o KDE 4.14 traz algumas novidades sobre o gerenciador de arquivos Dolphin, que inclui uma série de melhorias na notificação do espaço livre na barra de status e algumas correções para o link “Locais” do painel. Também foi introduziu o suporte para miniaturas de arquivos gpx, kml e outros tipos de arquivos suportados.

O KDE SC 4.14 também inclui algumas melhorias em relação ao editor de texto Kate, que adiciona novas regras para o realce de várias línguas, também melhora o modo VI, os comentários podem ser ocultados automaticamente para aumentar o espaço disponível para o texto, também houve otimizações no suporte e geração automática de esquemas de cor escura.

O Kanagram 4.11 foi totalmente reescrito em QML e a migração trouxe uma interface gráfica completamente renovada, Kopete recebeu suporte para chamadas de áudio (através do protocolos libjingle e real jingle). Outra novidade é o suporte para proxy SOCKS5 no protocolo ICQ, além da atualização da biblioteca libiris para o protocolo Jabber/XMPP.

Para mais informações sobre o KDE SC 4,14 consulte as notas de lançamento disponíveis nesta página.

Conheça melhor o KDE SC

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o KDE SC 4.14 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o KDE SC 4.14 no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:kubuntu-ppa/backports

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Se você já tem o KDE, atualize ele e o sistema com o comando:

sudo apt-get dist-upgrade

Passo 5. Se você ainda não tem o KDE instalado, use o comando abaixo para instalar;

sudo apt-get install kde-standard kubuntu-desktop

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale Caffeine Plus e volte a usar o AppIndicator e suas funções

Se você não gostou das mudanças feitas na último versão do Caffeine, instale Caffeine Plus e volte a usar o AppIndicator e suas funções.
caffeine plus
Caffeine é uma ferramenta usada para impedir temporariamente a ativação do protetor de tela/tela de bloqueio/modo de suspensão quando se utiliza janelas em tela cheia. O aplicativo é útil ao usar players de vídeo que não fazem isso automaticamente ou quando você está ouvindo música enquanto não estiver usando o computador.

Para tristeza de muitos usuários, a versão mais recente do Caffeine (2.7.x), lançada em maio, já não vem com um AppIndicator Ubuntu, ou seja, você não pode mais ativar ou desativar manualmente o bloqueio do programa, porque o indicador usado para isso não é exibido mais. Essa característica era considerada muito importante por seus usuários. Se você é um deles, agora você pode usar Caffeine Plus, um fork do Caffeine 2.7 que restaura o ícone do Ubuntu AppIndicator, permitindo-lhe alternar manualmente entre ligar ou desligar o recurso.

Conheça melhor o Caffeine Plus

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Caffeine Plus no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Caffeine Plus no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install caffeine-plus

Se você não quiser adicionar o repositório acima, baixe o pacote DEB diretamente a partir desse link e depois instale dando clique duplo no arquivo.

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:caffeine

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

20 de agosto de 2014

Baixe vídeos do YouTube e de outros serviços com o YouTube-Indicator

Se você quer baixar vídeos do YouTube e de outros serviços de um jeito fácil, usando um simples applet indicador, apenas instale o YouTube-Indicator e pronto.
vídeos do YouTube e de outros serviços
YouTube-indicador é um novo aplicativo que permite baixar vídeos do YouTube através de um applet indicador no painel do ambiente Unity no Ubuntu. Ele foi desenvolvido em python COMOD 3 and GTK+ e fornece uma nova maneira de baixar vídeos do YouTube, apesar de já existirem alguns outras opções de programas para essa tarefa.

O indicador funciona monitorando a área de transferência e quando ele detecta que você copiou um link no padrão do YouTube (por exemplo, https://www.youtube.com/watch?v=FoyWw0gICQ0), aparece uma caixa de diálogo pedindo para o usuário selecionar o formato ou formatos em que ele deseja fazer o download do vídeo. Depois de clicar em OK, o programa baixa o vídeo ou vídeos silenciosamente (usando o youtube-dl, sem feedback visual) na pasta padrão de salvamento ou na pasta pessoal do usuário.

Conheça melhor o YouTube-Indicator

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o YouTube-Indicator no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o YouTube-Indicator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install youtube-indicator

Se você não quiser adicionar o repositório PPA, baixe o pacote DEB diretamente da página do programa no Launchpad e depois instale dando clique duplo no arquivo.

Depois de instalado, inicie o programa digitando no Dash:youtube

Se ao copiar um link a janela do programa demorar para aparecer, minimize a janela do navegador ou use as teclas ALT + TAB para poder visualizar a janela do YouTube-Indicator, pois as vezes ela não toma a frente dos outros programas.

Quando você não quiser que o programa monitore a captura de links copiados para a área de transferência, clique no indicador dele e em seguida clique na opção “Not capture”.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Viber 4.2 para Linux já está disponível para download

O Viber 4.2 para Linux já está disponível para download. Se você usa esse programa para se comunicar, veja como fazer para instalar ou atualizar para essa versão.
viber-for-linux-4.2
Viber é um aplicativo de comunicação que possui mais de 100 milhões de usuários mensais ativos(e 280 milhões de usuários registrados). O programa fica em algum lugar entre o Skype e WhatsApp, pois ele pode ser usado para fazer chamadas VoIP gratuitas, enviar mensagens de texto, fotos e mensagens de vídeo sem ter adicionar contatos manualmente (todos os contatos telefônicos que instalaram Viber são listados como contatos Viber). Viber está disponível para Android, iOS, Windows Phone, BlackBerry, Windows, Mac e Linux.

Com a chegada do Viber 4.2, a versão para Linux finalmente se aproxima da versão Windows, em termos de recursos. Infelizmente, o aplicativo continua sendo disponibilizado apenas para distros de 64 bits.

Conheça melhor o Viber

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o Viber 4.2 no Ubuntu e derivados

Para instalar o Viber 4.2 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é realmente de 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Depois de confirmar que seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o pacote de instalação do Viber:

wget http://download.cdn.viber.com/cdn/desktop/Linux/viber.deb

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i viber.deb

Passo 5. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash:viber

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como gerenciar a inicialização de aplicativos no Ubuntu

Se a inicialização do Ubuntu está se tornando cada vez mais lenta, os aplicativos executados durante essa etapa podem ser a causa disso. Para resolver, veja como gerenciar a inicialização de aplicativos no Ubuntu.
inicialização de aplicativos
Sempre que o Ubuntu inicia, alguns aplicativos e serviços de terceiros também iniciam automaticamente, junto com os serviços e aplicativos principais. Como alguns desses aplicativos são adicionados automaticamente à lista de inicialização depois de serem instalados, é importante verificar a lista de tempos em tempos e remover aqueles que você não precisa que sejam executados durante a inicialização.

Para fazer isso, é preciso usar o programa “Aplicativos de sessão”, que permite gerenciar facilmente esses programas que iniciam junto com o sistema.

Como gerenciar a inicialização de aplicativos no Ubuntu

Para gerenciar a inicialização de aplicativos no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Clique no Dash e digite aplicativos. Quando aparecer a opção “Aplicativos de sessão”, clique nele para acessar a configuração;
barra-2
Passo 2. Para incluir um aplicativo usando o “Aplicativos de sessão”, clique no botão “Adicionar”. Na tela que aparece, coloque o nome, comando e descrição do programa. Quando finalizar, clique no botão “Adicionar”;
inicialização de aplicativos
Passo 3. Para remover um aplicativo, clique no item correspondente a ele e em seguida, clique no botão “Remover”;
inicialização de aplicativos
Passo 4. Para Editar a configuração de um aplicativo em “Aplicativos de sessão”, clique no item correspondente a ele e em seguida, clique no botão “Editar”;
inicialização de aplicativos
Passo 5. Se você quiser que o aplicativo inicie automaticamente, mas não quer que isso atrase todo o processo de inicialização, é possível definir um intervalo de tempo que será contado e depois disso, o programa será executado. Para definir esse intervalo, na hora da inclusão ou edição, digite o comando abaixo dentro do campo “Comando”, antes do comando de execução do programa. Não se esqueça de substituir “XX” pelo número de segundos.
sleep xx;
inicialização de aplicativos
Passo 6. Quando finalizar as alterações, clique no botão “Fechar” da janela “Aplicativos de sessão”;

Via Make Tech Easier

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

19 de agosto de 2014

Instale a última versão do Rhythmbox e dos principais plugins de terceiros feitos para ele

Aprenda a instalar a última versão do Rhythmbox e os principais plugins de terceiros feitos para ele, para explorar esse player ao máximo.
rhythmbox
Rhythmbox é um software livre liberado sob a licença GNU General Public, projetado para funcionar bem sob o GNOME usando a estrutura de mídia GStreamer. Originalmente inspirado pelo iTunes da Apple, a versão atual suporta também Rádio Internet, integração com iPod, gravação de áudio CD, reprodução de áudio CD, compartilhamento de música e Podcasts. Ele é um muito fácil de usar para fazer a reprodução de músicas e suporta uma ampla gama de formatos de áudio (incluindo mp3 e ogg).

Rhythmbox usa a estrutura de mídia GStreamer para reprodução real e um monte de outras funcionalidades, de modo em geral Rhythmbox desempenha exatamente esses formatos que são suportados pelo GStreamer. GStreamer, por outro lado, utiliza um sistema de encaixe, em que cada formato é suportado por um encaixe. Assim, os formatos suportados pelo GStreamer (e Rhythmbox) depende de qual plugins que você instalou. Por causa disso, diferentes distribuições podem ser fornecidas com um conjunto diferente de plugins por padrão. Mas não se preocupe, no tutorial abaixo, você poderá instalar tantos plugins, quanto quiser.
rhythmbox-2

Conheça melhor o Rhythmbox

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a última versão do Rhythmbox no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a última versão do Rhythmbox e dos principais plugins de terceiros feitos para ele no Ubuntu e seus derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações deles, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:fossfreedom/rhythmbox

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install rhythmbox

Para completar, você pode estender a funcionalidade do player Rhythmbox com plugins de terceiros, esses plugins são liberados sob as licenças GPL2+ GPL3+ e estão disponíveis a partir do repositório fossfreedom.

Como instalar todos os principais plugins de terceiros feitos para Rhythmbox

Para instalar todos os principais plugins de terceiros feitos para Rhythmbox no Ubuntu e seus derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações deles, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:fossfreedom/rhythmbox-plugins

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o pacote completo com todos os plugins de terceiros do repositório, use o comando a abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-complete

Como instalar apenas alguns dos principais plugins de terceiros feitos para Rhythmbox

Se não quiser instalar todos os plugins, é possível instalar individualmente os plugins para Rhythmbox que você quiser, fazendo o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:fossfreedom/rhythmbox-plugins

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o plugin para Rhythmbox Equalizer, use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-equalizer

Passo 5. Para instalar o plugin para Rhythmbox CoverArt Search (Pesquisa para fornecer novos e atualizados provedores de pesquisa Coverart), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-coverartsearch

Passo 6. Para instalar o plugin para Rhythmbox RememberTheRhythm (faz o player para lembrar a última faixa e posição reproduzida), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-coverartsearch

Passo 7. Para instalar o plugin para Rhythmbox Tray-Icon (provê um ícone na bandeja para controlar funções básicas do Rhythmbox), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-tray-icon

Passo 8. Para instalar o plugin para Rhythmbox JumpToWindow (mostrar a janela “Ir para” quando uma tecla de atalho é pressionada ), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-jumptowindow

Passo 9. Para instalar o plugin para Rhythmbox lLyrics (mostrar as letras da música na barra lateral), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-llyrics

Passo 10. Para instalar o plugin para Rhythmbox Countdown-Playlist (cria listas de reprodução a partir de sua coleção de músicas usando palavras-chave por um período definido), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-countdown-playlist

Passo 11. Para instalar o plugin para Rhythmbox Random-Album-Player (Enfileira um álbum de forma aleatória a partir de sua visão biblioteca e reproduz), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-randomalbumplayer

Passo 12. Para instalar o plugin para Rhythmbox Cover-Art-Browser (permite encontrar coverart a partir de uma variedade de fontes), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-coverart-browser

Passo 13. Para instalar o plugin para Rhythmbox Open-Containing-Folder (adiciona uma opção para abrir a pasta que contém a faixa selecionada (s) para o menu de contexto do botão direito), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-opencontainingfolder

Passo 14. Para instalar o plugin para Rhythmbox Repeat-One-Track (adiciona a possibilidade de repetir apenas a música atual), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-repeat-one-song

Passo 15. Para instalar o plugin para Rhythmbox Small-Window (traz de volta o modo de janela pequena para o player), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-smallwindow

Passo 16. Para instalar o plugin para Rhythmbox Suspend (permite suspender o computador no final da fila ou lista de reprodução ), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-suspend

Passo 17. Para instalar o plugin para Rhythmbox Fullscreen (visualização e controle do Rhythmbox em tela cheia), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-fullscreen

Passo 18. Para instalar o plugin para Rhythmbox Filter (adiciona filtro de classificação para o navegador de biblioteca do Rhythmbox), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-rating-filter

Passo 19. Para instalar o plugin para Rhythmbox Art-Display (exibe a arte do álbum para a faixa atual), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-artdisplay

Passo 20. Para instalar o plugin para Rhythmbox Desktop-Art (mostra a capa do álbum da música que está sendo reproduzido no Rhythmbox no ambiente de trabalho), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-desktopart

Passo 21. Para instalar o plugin para Rhythmbox File-Organizer (serve para organizar sua biblioteca de música), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-fileorganizer

Passo 22. Para instalar o plugin para Rhythmbox Hide (permte que o Rhythmbox inicie oculto ou minimizado ), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-hide

Passo 23. Para instalar o plugin para Rhythmbox Looper (loop em apenas uma parte da música no Rhythmbox), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-looper

Passo 24. Para instalar o plugin para Rhythmbox Rhythm-Web (permite controlar o Rhythmbox via navegador Web, mesmo de outros dispositivos), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-rhythmweb

Passo 25. Para instalar o plugin para Rhythmbox Screensaver (pausa o Rhythmbox quando o protetor de tela do GNOME é ativado), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-screensaver

Passo 26. Para instalar o plugin para Rhythmbox Wikipedia-Search (adiciona no menu de contexto uma opção para pesquisar na Wikipedia), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-wikipedia

Passo 27. Para instalar o plugin para Rhythmbox Parametric Equalizer (equalizador paramétrico para Rhythmbox com suporte para até 64 Bandas configuráveis ​​livres), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-parametriceq

Passo 28. Para instalar o plugin para Rhythmbox Close-on-Hide (plugin para realmente fechar o aplicativo quando o botão fechar (x) é clicado), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-close-on-hide

Passo 29. Para instalar o plugin para Rhythmbox Spectrum (exibe um analisador de espectro visual), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-spectrum

Passo 30. Para instalar o plugin para Rhythmbox Playlist-Import-Export (executa lote de importação/exportação de listas de reprodução a partir de/para uma pasta selecionada), use o comando abaixo;

sudo apt-get install rhythmbox-plugin-playlist-import-export

Uma vez que tudo estiver instalado, inicie o programa digitando rhythmbox no Dash, e comece a usar o programa e seus plugins recém instalados.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançado Kernel 3.17 RC1: atualize seu sistema

Linus Torvalds anunciou a liberação da mais recente versão do Linux Kernel, a 3.17 RC1. Se você quiser atualizar seu sistema para essa nova versão, veja abaixo como fazer isso.
kernel-3-17
O novo kernel traz muitas melhorias para GPUs Radeon, inúmeras melhorias gráficas para os drivers da Intel, mais aprimoramentos do driver Nouveau, um novo driver DRM, driver de áudio Intel Braswell e diversas outras melhorias. Para ver as principais novidades desse kernel, acesse esse link.

Antes de iniciar começar a atualizar o kernel do Ubuntu, saiba que este é um procedimento que apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

Como atualizar o kernel do Ubuntu para a versão 3.17.0

Para atualizar seu kernel para a versão 3.17.0 do Ubuntu 14.04 e derivados, faça o seguinte
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema acessando as Configurações do Sistema e a opção “Detalhes” ou usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se estiver usando um sistema de 32 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-headers-3.17.0-031700rc1_3.17.0-031700rc1.201408161335_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-headers-3.17.0-031700rc1-generic_3.17.0-031700rc1.201408161335_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-image-3.17.0-031700rc1-generic_3.17.0-031700rc1.201408161335_i386.deb

Passo 4. Se estiver usando um sistema de 32 bits e quiser usar o kernel de baixa latência (para usar em PC´s mais modestos), baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-headers-3.17.0-031700rc1_3.17.0-031700rc1.201408161335_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-headers-3.17.0-031700rc1-lowlatency_3.17.0-031700rc1.201408161335_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-image-3.17.0-031700rc1-lowlatency_3.17.0-031700rc1.201408161335_i386.deb

Passo 5. Se estiver usando um sistema de 64 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-headers-3.17.0-031700rc1_3.17.0-031700rc1.201408161335_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-headers-3.17.0-031700rc1-generic_3.17.0-031700rc1.201408161335_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-image-3.17.0-031700rc1-generic_3.17.0-031700rc1.201408161335_amd64.deb

Passo 6. Se estiver usando um sistema de 64 bits e quiser usar o kernel de baixa latência (para usar em PC´s mais modestos), baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-headers-3.17.0-031700rc1_3.17.0-031700rc1.201408161335_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-headers-3.17.0-031700rc1-lowlatency_3.17.0-031700rc1.201408161335_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.17-rc1-utopic/linux-image-3.17.0-031700rc1-lowlatency_3.17.0-031700rc1.201408161335_amd64.deb

Passo 5. Instale o kernel com o comando:

sudo dpkg -i linux-headers-3.17.0*.deb linux-image-3.17.0*.deb

Passo 7. Reinicie o sistema com o comando abaixo:

sudo reboot

Passo 8. Se você tiver algum problema e quiser desinstalar o atual kernel, reinicie o computador com um kernel anterior (usando Grub -> Advanced -> select previous kernel) e quando iniciar o sistema, faça login, abra um terminal e execute o comando abaixo para remover o Linux Kernel 3.16.1.0:

sudo apt-get remove linux-headers-3.17.0* linux-image-3.17.0*

Passo 9. Finalmente atualize o menu do GRUB, com o comando:

sudo update-grub

Nota: Todos os drivers que não fazem parte da principal árvore do kernel (o que obviamente inclui drivers proprietários) devem ser recompilados para novas versões do kernel.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale o tema escuro Polar Night no Ubuntu

Gosta de temas escuros? Então experimente instalar o tema Polar Night no Ubuntu.
polar-night-1
O tema Polar Night é uma variante escura do tema flatts, e é especialmente adaptado para funcionar no Ubuntu 14.04 Trusty com Unity e Gnome Desktop. Ele inclui tema para Gtk2, Gtk3, Metacity e Unity. Este tema também possui uma solução para se livrar de um bug que se choca com a sobreposição barras de rolagem e desenha o fundo preto em guias do Nautilus e janelas do gedit, em alguns diálogos do Ubuntu.

Conheça melhor o tema escuro Polar Night

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o tema escuro Polar Night no Ubuntu e derivados

Para instalar o tema escuro Polar Night no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o programa usando o seguinte comando:

sudo apt-get install polar-night-gtk

Passo 5. Como o texto do tema escuro não é visível na central de programas, é preciso executar os comandos abaixo no terminal para corrigir esse problema:

cd /usr/share/software-center/ui/gtk3/css/ && sudo mv softwarecenter.css softwarecenter.css.backup
cd /usr/share/software-center/ui/gtk3/art/ && sudo mv stipple.png stipple.png.backup
cd && wget -O softwarecenter.css http://drive.noobslab.com/data/themes/dorian/softwarecenter.css
sudo mv softwarecenter.css /usr/share/software-center/ui/gtk3/css/
cd && wget -O stipple.png http://drive.noobslab.com/data/themes/dorian/stipple.png
sudo mv stipple.png /usr/share/software-center/ui/gtk3/art/

Passo 6. Para deixar a Central de programas como estava antes, basta digitar os seguintes comandos:

cd /usr/share/software-center/ui/gtk3/css/ && sudo mv softwarecenter.css.backup softwarecenter.css
cd /usr/share/software-center/ui/gtk3/art/ && sudo mv stipple.png.backup stipple.png

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale e experimente o novo Alpha15 do WPS Office para Linux

O projeto Kingsoft Office International Community lançou o novo Alpha15 do WPS Office para Linux. Instale e experimente essa suíte de escritório no Ubuntu.
wps-office-1
O WPS Office ou Kingsoft Office é uma suíte de escritório proprietário que está tendo um sucesso notável, especialmente entre os usuários orientais. Graças à colaboração entre o Kingsoft Office International Community e a Canonical, a suíte de escritório aterrou mesmo no oficial Ubuntu repositórios da distro Kylin, uma especificação oficial derivada do Ubuntu, voltada para os usuários chineses.

O desenvolvimento do WPS Office para Linux está trazendo maior estabilidade e novos recursos para tornar o conjunto ainda mais completo e funcional, também já estão disponíveis as primeiras traduções para o francês e alemão (quem sabe no futuro criem também uma versão em português).

WPS Office Alpha15 para Linux, inclui novos recursos bem como várias correções de bugs, especialmente em relação ao WPS Writer e WPS Spreadsheets. Também foram revistos pacotes para a instalação da suíte de escritório, o que levou a criação de pacotes separados para as linguagens e fontes.

O WPS Writer traz várias melhorias na interface gráfica com o novo modo de visualização para melhorar a leitura dos documentos. A nova versão inclui suporte para layout de texto complexo, margens de espelho para impressão, um recurso para voltar a última posição edição quando o documento for reaberto, gravação automática e também introduziu a possibilidade de restringir a edição de documentos.

Para a planilha WPS Spreadsheets, foi incluída uma nova opção de compartilhar a pasta de trabalho, sugestões ao digitar uma função, uma nova opção para localizar e substituir fórmulas e uma nova ferramenta para verificar em tempo real erros nas várias fórmulas.

Para conhecer em detalhes todas as novidades do novo Alpha15 do WPS Office para Linux é só consultar as notas de lançamento.

Conheça melhor o WPS Office

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o novo Alpha15 do WPS Office para Linux no Ubuntu e derivados

Para instalar o novo Alpha15 do WPS Office para Linux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Instale algumas dependêcias básicas do programa;

sudo apt-get install gtk2-engines-murrine:i386 gtk2-engines-pixbuf:i386

Passo 3. Baixe o pacote principal do aplicativo com esse comando:

wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/a15/wps-office_9.1.0.4751~a15_i386.deb

Passo 4. Baixe o pacote de fontes das suíte:

wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/a15/wps-office-fonts_1.0_all.deb

Passo 5. Baixe o pacote de tradução do programa:

wget http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/a15/wps-office-mui-de_9.1.0.4751~a15_all.deb

Passo 6. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i wps-office_*.deb

Passo 7. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash:wps
wps-office-2
Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Cinnamon 2.3 já está disponível para Ubuntu e seus derivados

Boa noticia para os fãs desse ambiente que veio do Linux Mint: Cinnamon 2.3 já está disponível para Ubuntu e seus derivados. Se você quiser experimentá-lo, veja aqui como instalar.
cinnamon 2.3
Antes de começar a instalar, saiba que o Cinnamon 2.3 ainda é uma versão em desenvolvimento (e portanto, não é aconselhável usá-la em ambiente de produção), que inclui apenas correções de bugs encontrados nos últimos meses por desenvolvedores e usuários.

Entre os problemas resolvidos estão alguns bugs nas configurações do sistema do ambiente de trabalho e também uma falha no Mini aplicativo Gerenciador de rede que impedia a exibição da conexão Wi-Fi ativa e de conexões disponíveis. Foram consertados alguns problemas em relação aos menu, janelas pop-up e exibição em HiDPI, além de outras correções que podem ser visualizadas na lista de submissões do Cinnamon, disponível nesta página.

Conheça melhor o ambiente Cinnamon

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Cinnamon 2.3 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Cinnamon 2.3 no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:gwendal-lebihan-dev/cinnamon-nightly

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install cinnamon

Depois que você instalar o Cinnamon, saia da sessão atual e quando aparecer a tela de login, clique no circulo que fica ao lado do nome de usuário. Na tela que aparece, selecione a opção “Cinnamon”. Depois, entre com seu usuário e senha e depois comece a experimentar o ambiente.

cinnamon 2.3

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje

No Post found.


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

18 de agosto de 2014

Lançada a versão 2.2.6 do editor de vídeo LiVEs: instale no Ubuntu

Foi lançada recentemente a versão 2.2.6 do editor de vídeo LiVEs com várias melhorias. Se você quiser instalar ou atualizar para essa versão, veja aqui como fazer isso.
editor de vídeo LiVEs
O editor de vídeo LiVEs é um software livre e também uma VJ tool escrita em C, Perl e Python. LiVES é projetado para ser simples de usar, mas poderoso. É pequeno no tamanho, mas tem muitas características avançadas. Ele permite ao usuário manipular vídeo em tempo real ou não. O aplicativo também tem características que vão além de aplicativos de edição de vídeo tradicionais, por exemplo, ele pode ser controlado e monitorado remotamente através de uma rede, e tem facilidades para streaming de e para uma outra cópia do LiVEs.

O programa utiliza um sistema de plugins para reprodução de vídeo, efeitos, codificadores e decodificadores. As APIs para estes agora estão bem definidas e por causa disso, o aplicativo pode ser facilmente estendido.

A versão 2.2.6 do editor de vídeo LiVEs foi atualizada para o GTK +> = 3.10.0 e traz correção para o erro de inicialização que criava um arquivo de configuração incorreto, correções para a incompatibilidade com a Libav, suporte para câmera freenect e outras mudanças menores.

Conheça melhor o editor de vídeo LiVEs

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/lives

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install lives

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:lives

Como desinstalar o editor de vídeo LiVEs no Ubuntu e seus derivados

Caso não tenha gostado ou não precise mais do programa, para desinstalar o utilitário de controle parental Gnome Nanny, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Use o comando abaixo para desinstalar o programa;

sudo apt-get remove lives

Passo 3. Remova o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository -r ppa:ubuntuhandbook1/lives

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje

This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
01 de setembro de 2014, 10:54
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.