11 de agosto de 2020

KDE neon agora é baseado no Ubuntu 20.04 LTS! Confira!

Seguindo a atualização do sistema da Canonical, agora o KDE neon agora é baseado no Ubuntu 20.04 LTS. Confira os detalhes e descubra onde baixar a distro.

O KDE neon é uma distribuição Linux baseada no Ubuntu e um DVD ao vivo com o mais recente desktop KDE Plasma e outro software da comunidade KDE.

Além da imagem de DVD instalável, o projeto fornece um repositório de software em rápida evolução com o mais recente software do KDE.

Duas edições do produto estão disponíveis – uma edição ‘User’, projetada para aqueles interessados ​​em conferir o software mais recente do KDE quando ele for lançado, e uma edição ‘Developer’s’, criada como uma plataforma para testar aplicações de ponta do KDE.

Agora, a equipe de desenvolvimento por trás da distribuição do KDE neon anunciou que reformulou todo o sistema com base na última série do sistema operacional Ubuntu 20.04 LTS.

KDE neon agora é baseado no Ubuntu 20.04 LTS

KDE neon agora é baseado no Ubuntu 20.04 LTS! Confira!KDE neon agora é baseado no Ubuntu 20.04 LTS! Confira!
Com base no último lançamento do Ubuntu LTS e no ambiente e software do desktop KDE Plasma, a distribuição de neon do KDE usa um modelo de lançamento contínuo (rolling release) para enviar as atualizações mais recentes aos usuários, sem ter que baixar novas imagens ISO e reinstalar.

No entanto, parece que, até agora, o neon do KDE estava usando a base Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver). E muitos de nós não sabiam disso, mas a partir de hoje a distribuição será baseada na série Ubuntu 20.04 LTS (Focal Fossa).

Como esperado, a nova base de néon do KDE e a imagem ISO incluem algumas das tecnologias mais recentes do KDE, como o ambiente de desktop KDE Plasma 5.19.4, bem como os pacotes de software KDE Frameworks 5.72 e KDE Applications 20.04.3.

Os atuais usuários do sistema verão uma notificação pop-up em suas telas nos próximos dias para atualizar a base para o Ubuntu 20.04 LTS.

Mas, antes de atualizar, certifique-se de ter um backup recente de seus arquivos mais importantes.

As instruções de atualização são fornecidas pela equipe de desenvolvimento nesse endereço, mas é uma operação bastante direta, então não acho que haja ninguém que não possa fazer isso corretamente.

Para completar, a equipe lançou novas imagens ISO, baseadas no Ubuntu 20.04 LTS, é claro. Elas são direcionados para aqueles que desejam reinstalar ou implantar o sistema operacional em um novo computador sem ter que baixar centenas de atualizações dos repositórios após a instalação.

Outra boa notícia: as novas imagens ISO vêm com um modo de instalação OEM e criptografia de disco completa no instalador gráfico do Calamares.

O modo de instalação OEM pode aparentemente ser usado para instalar/reinstalar o neon do KDE no recém-lançado laptop KDE Slimbook III Linux.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o KDE neon baseado no Ubuntu 20.04 LTS

A imagem ISO do KDE neon baseado no Ubuntu 20.04 LTS já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Emulador SEGA Saturn Yaba Sanshiro no Linux via Snap

Se você quer rodar jogos SEGA Saturn no seu PC com Linux, conheça e veja como instalar o Emulador SEGA Saturn Yaba Sanshiro no Linux via Snap.

yyyYaba Sanshiro’ é implementado o hardware da Sega Saturn com software, e você pode jogar o jogo da SEGA Saturn em dispositivos Android.

Como instalar o Emulador SEGA Saturn Yaba Sanshiro no Linux via Snap

Como instalar o Emulador SEGA Saturn Yaba Sanshiro no Linux via Snap
‘Yaba Sanshiro’ é baseado na yabause e é fornecido sob a licença GPL. Para proteção de direitos autorais, ‘Yaba Sanshiro’ não inclui dados e jogos do BIOS.

Emular hardware é realmente difícil. ‘Yaba Sanshiro’ não é tão perfeito. Você pode verificar a compatibilidade atual nesse endereço.

[embedded content]

Como instalar o Emulador SEGA Saturn Yaba Sanshiro no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Emulador SEGA Saturn Yaba Sanshiro via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Emulador SEGA Saturn Yaba Sanshiro via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install yabasanshiro

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install yabasanshiro --candidate

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh yabasanshiro

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite v ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o Emulador SEGA Saturn Yaba Sanshiro no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o Emulador SEGA Saturn Yaba Sanshiro via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove yabasanshiro

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a suíte OCRFeeder no Linux via Flatpak

Se você trabalha com a digitalização de documentos e quer facilidade, veja como instalar a suíte OCRFeeder no Linux via Flatpak.

OCRFeeder é uma analisador de layout de documento e sistema de reconhecimento óptico de caracteres.

Como instalar a suíte OCRFeeder no Linux via FlatpakComo instalar a suíte OCRFeeder no Linux via Flatpak

Dadas as imagens, ele automaticamente delineará seu conteúdo, distinguirá entre o que é gráfico e texto e executará o OCR sobre o último. Ele gera vários formatos sendo seu principal o ODT.

Ele possui uma interface gráfica de usuário GTK completa que permite aos usuários corrigir qualquer caractere não reconhecido, definir ou corrigir caixas delimitadoras, definir estilos de parágrafo, limpar as imagens de entrada, importar PDFs, salvar e carregar o projeto, exportar tudo para vários formatos etc.

Como instalar a suíte OCRFeeder no Linux via Flatpak

Para instalar a suíte OCRFeeder no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar a suíte OCRFeeder no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.gnome.OCRFeeder.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.gnome.OCRFeeder

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.gnome.OCRFeeder em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite ocrefeed ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar a suíte OCRFeeder no Linux via Flatpak

Para desinstalar a suíte OCRFeeder no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.gnome.OCRFeeder

Ou

flatpak uninstall org.gnome.OCRFeeder

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o app de controle de brilho Gammy no Linux

Se você quer controlar melhor a luminosidade da tela do se PC, conheça e veja como instalar o app de controle de brilho Gammy no Linux.

Gammy uma ferramenta de GUI de brilho da tela adaptável que estava disponível apenas para o Microsoft Windows, foi portada para o Linux (somente X11) recentemente.

Como instalar o app de controle de brilho Gammy no LinuxComo instalar o app de controle de brilho Gammy no Linux

O aplicativo Qt5 faz uma captura de tela periodicamente e depois ajusta gradualmente o brilho do pixel com base no conteúdo da tela, escurecendo a tela se o conteúdo estiver muito claro ou iluminando a tela se o conteúdo estiver muito escuro.

Isso é especialmente útil para reduzir a fadiga ocular ao alternar entre janelas escuras e claras.

As configurações Gammy permitem definir um brilho mínimo e máximo e um deslocamento (o deslocamento aumenta o brilho da tela, com um valor mais alto que significa uma imagem mais brilhante).

Além disso, por entrar em conflito com o Redshift, o desenvolvedor da Gammy decidiu adicionar o controle básico de temperatura, que você também encontrará nas configurações do aplicativo.

Se você expandir a janela de configurações Gammy arrastando seu canto inferior direito, algumas configurações ocultas serão reveladas, o que permitirá definir a velocidade (a rapidez com que o brilho muda), o limiar (o quanto a tela precisa mudar para ativar um mudança de brilho) e taxa de votação em milissegundos (o tempo de espera antes de fazer uma captura de tela).

Gammy ajusta o brilho alterando as rampas gama, que o desenvolvedor considera o método mais simples, mas isso tem a desvantagem de perder o contraste em telas com pouco contraste.

Em um comentário no Reddit, Fushko, desenvolvedor de aplicativos, disse que está pensando em reduzir a luz de fundo em vez de ajustar a gama para dispositivos compatíveis.

Vale ressaltar que o Gammy foi portado para o Linux apenas 11 dias atrás, portanto, espere encontrar alguns bugs.

Além disso, fechar a janela de configurações também fecha o Gammy, então você precisará minimizar as configurações (com o botão minimizar trabalhando basicamente como um botão fechar), embora esse seja aparentemente o comportamento pretendido, e não um bug. [Atualização] Esses problemas foram corrigidos no ramo “desenvolver”.

O ajuste de brilho da tela real funciona sem problemas.

Como instalar o app de controle de brilho Gammy no Linux

Para instalar o app de controle de brilho Gammy no Linux, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale os pacotes necessários para construir o Gammy no Linux (Mesa-libgl e Qt5), bem como o Git, para obter o código mais recente do aplicativo. No Debian/Ubuntu e derivados, você pode instalar estes pacotes da seguinte maneira;

sudo apt install git build-essential libgl1-mesa-dev qt5-default

Passo 3. No Fedora (não testado; observe que o Fedora usa Wayland por padrão, que não é suportado pelo Gammy; você precisará fazer login em uma sessão do Xorg para usá-lo), use o seguinte comando;

sudo dnf install git mesa-libGL-devel qt5-devel

Passo 4. Agora, compile e instale o Gammy (do Git) com esses comandos;

git clone https://github.com/Fushko/gammy.git
cd gammy
qmake Gammy.pro
make
sudo make install

Gammy agora está disponível via AUR para facilitar a instalação do Arch Linux.

Em algumas distribuições Linux, se você receber uma mensagem de erro dizendo qmake: comando não encontrado, mesmo que o Qt5 (devel) esteja instalado, você precisará executar o qmake-qt5 Gammy.pro em vez de qmake Gammy.pro.

Além disso, em algumas distribuições Linux (por exemplo, Ubuntu 18.04, mas não no Ubuntu 19.04), você pode receber um erro ao executar o qmake Gammy.pro, com uma mensagem reclamando sobre um elemento chamado “PlaceholderText” – nesses casos, o leia-me Gammy menciona a abertura ui_mainwindow.h com um editor de texto e excluindo as linhas incorretas (os números das linhas devem ser mostrados quando você receber o erro).

O executável Gammy está instalado em /opt/gammy/bin, portanto, você precisará digitar /opt/gammy/bin/gammy para executá-lo. Você pode criar um link simbólico para /opt/gammy/bin/gammy para /usr/local/bin/ para poder iniciá-lo digitando apenas o nome do executável, usando:

sudo ln -s /opt/gammy/bin/gammy /usr/local/bin/

Depois disso, você poderá iniciar o Gammy digitando gammy em um terminal ou executando a caixa de diálogo (Alt + F2). Você não encontrará o Gammy no menu de aplicativos!

Na maioria dos casos, você deseja que o Gammy seja executado na inicialização, para que ele ajuste automaticamente o brilho da tela assim que você fizer o login.

Adicione-o à inicialização abrindo Aplicativos de Inicialização (ou equivalente) no menu de aplicativos, clique em Adicionar para adicionar um novo item de inicialização e use-o como o comando: /opt/gammy/bin/gammy (você também pode usar apenas “gammy” se você criou um link simbólico para ele em algum lugar no seu $ PATH).

Você também pode fazer isso manualmente, criando um arquivo chamado gammy.desktop em ~/.config/autostart/ com o seguinte conteúdo:

[Desktop Entry]
Type=Application
Exec=/opt/gammy/bin/gammy
Hidden=false
NoDisplay=false
X-GNOME-Autostart-enabled=true
Name=Gammy adaptive screen brightness

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o framework Volatility no Linux via Snap

Se você quer extrair informações da memória de um PC, conheça e veja como instalar o framework Volatility no Linux via Snap.

O Framework Volatility é uma coleção completamente aberta de ferramentas, implementadas em Python sob a GNU General Public License, para a extração de artefatos digitais de amostras de memória volátil (RAM).

Como instalar o framework Volatility no Linux via SnapComo instalar o framework Volatility no Linux via Snap

As técnicas de extração são executadas completamente independentes do sistema que está sendo investigado, mas oferecem visibilidade no estado de tempo de execução do sistema.

O framework tem o objetivo de introduzir as pessoas às técnicas e complexidades associadas à extração de artefatos digitais a partir de amostras de memória volátil e fornecer uma plataforma para trabalhos adicionais nessa excitante área de pesquisa.

Como instalar o framework Volatility no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o framework Volatility no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o framework Volatility no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install volatility-phocean

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh volatility-phocean

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite volatility-phocean ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o framework Volatility no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o framework Volatility via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove volatility-phocean

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o ambiente Manokwari no Ubuntu e derivados

Que tal experimentar um shell de desktop GNOME construído usando HTML5? Conheça e descubra como instalar o ambiente Manokwari no Ubuntu e derivados

Manokwari é um ambiente construído para o GNOME 3 usando o GTK+ e o HTML5. Ele é o desktop usado pela distribuição do BlankOn Linux e também uma evolução de um projeto anterior denominado blankon-panel.

Como instalar o ambiente Manokwari no Ubuntu e derivadosComo instalar o ambiente Manokwari no Ubuntu e derivados

Embora esteja longe de ser polido e atualmente faltam muitos dos recursos necessários para um uso diário sustentado, Manokwari é uma alternativa promissora para shells de desktop de corpo mais completo.

Como no Deepin, o uso do HTML5 para elaborar o shell soa estranho no início, mas permite integrações criativas e inovadoras.

O “shell” principal é composto por uma barra superior com dois painéis laterais ocultos. Estas barras laterais podem ser abertas a qualquer momento clicando em um ícone (para o lado esquerdo) ou passando o mouse perto do canto superior superior (para o lado direito).

O painel de aplicativos manipula o lançamento do aplicativo através de uma série de cabeçalhos de categoria dobráveis.

Embora exista uma barra de pesquisa presente no topo, ela não busca aplicativos. Em vez disso, você obtém atalhos detalhados que abrirão sua pesquisa no Google, Wikipedia, etc.

Como instalar o ambiente Manokwari no Ubuntu e derivados

Como instalar o ambiente Manokwari no Ubuntu e derivados

O painel direito serve como uma combinação de painel de configurações e área de status. Você obtém controles de som compatíveis com MPRIS e um applet de clima configurável, além de links rápidos para abrir painéis dentro das configurações do sistema GNOME.

A barra superior tem (LR) uma alternância para desdobrar o Painel de Aplicações, uma lista de tarefas, um applet de volume, suporte para exibição de applets de indicadores, um calendário básico e um alternador de espaço de trabalho.

barar

barar

O applet da lista de tarefas permite alternar entre aplicativos em execução. Ao colocar esses ícones, os títulos da janela completa serão exibidos em uma barra secundária.

Manokwari é construído para ficar no topo do GNOME 3. Reutiliza tecnologias existentes em vez de bifurcar suas próprias versões separadas.

Ele usa Mutter para gerenciamento de janelas e composição (como Budgie) e a tela de bloqueio do GNOME.

Embora alguns dos UI sejam GTK+ os desenvolvedores por trás do plano de desktop para substituí-lo todos com o HTML5 no futuro.

Curiosidade: Segundo a Wikipédia, Manokwari é uma cidade na Indonésia,que fica localizado na costa norte da Península Doberai na Nova Guiné Ocidental. É a capital da província de Papua Ocidental. Sua área da cidade é de 18,7 km ² e ela tem uma população estimada de cerca de 136.000 habitantes em 2010.

Como instalar o ambiente Manokwari no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o ambiente Manokwari no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:dotovr/manokwari

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install manokwari

Saia da sessão atual e quando aparecer a tela de login, escolha o Manokwari. Entre com seu usuário e senha e depois comece a experimentar o ambiente.

A área de trabalho pode levar um pouco de tempo para carregar completamente. Não há aplicativo do dock do desktop por padrão. O gerenciamento de tarefas e a troca de janela são feitos usando ícones na barra superior.

Recomendo usar a dock Plank com ele:
Plank no Ubuntu – instale uma Dock leve no Ubuntu e derivados

dock

dock

Desinstalando o ambiente Manokwari no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o ambiente Manokwari no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:dotovr/manokwari -r -y
sudo apt-get remove manokwari --auto-remove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

10 de agosto de 2020

Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via Flatpak

Se você precisa de uma boa ferramenta para modificar seus vídeos e outros formatos de mídia, conheça e veja como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via Flatpak.

Shotcut é um editor de vídeos multiplataforma e de código aberto para Windows, macOS e Linux, que suporta uma grande quantidade de formatos de áudio e vídeo e codecs

Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via FlatpakComo instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via Flatpak

Além de vídeos, ele também suporta muitos formatos de imagem como BMP, GIF, JPEG, PNG, SVG, TGA, TIFF, bem como sequências de imagens.

Ele suporta muitos formatos de vídeo, áudio e imagem via FFmpeg e tela, webcam e captura de áudio.

Shotcut usa uma linha de tempo (timeline) para edição de vídeo não linear de várias faixas que podem ser compostas de vários formatos de arquivo.

O controle de limpeza e transporte é auxiliado pelo processamento baseado em GPU OpenGL e vários filtros de vídeo e áudio estão disponíveis.

Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Linux via Flatpak

Para instalar o editor de vídeos Shotcut via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o editor de vídeos Shotcut via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.shotcut.Shotcut.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.shotcut.Shotcut

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.shotcut.Shotcut

Ou

flatpak uninstall org.shotcut.Shotcut

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.shotcut.Shotcut em um terminal.

Você também pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite shotcut ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

E se você gostou do aplicativo, deixe suas impressões nos comentários!

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o editor de vídeo Shotcut no Linux manualmente
Como instalar o editor de vídeos Shotcut no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como acelerar o menu Aplicativos desativando a animação dos ícones

Se você quer melhorar a resposta do seu PC na hora de executar aplicativos no Gnome, veja como acelerar o menu Aplicativos desativando a animação dos ícones.

Como todos os usuários do Ubuntu sabem, o menu de aplicativos GNOME do Ubuntu faz com que os ícones dos aplicativos sejam exibidos do canto inferior da tela para o centro da tela através de uma animação.

Como acelerar o menu Aplicativos desativando a animação dos íconesComo acelerar o menu Aplicativos desativando a animação dos ícones

Embora isso pareça bom e seja muito legal, pode ser um pouco lento e dá a impressão de que o desempenho do PC não é tão bom quanto deveria ser.

Por esse motivo, este tutorial mostrará como interromper essa animação. Com isso, os ícones serão exibidos imediatamente.

Desativando a animação dos ícones a resposta do PC será mais rápido para lançar os aplicativos do menu de aplicativos do Ubuntu.

Essa mudança pode ser útil, mesmo em PC’s modernos, e também em computadores que possuem um hardware antigo.

Como acelerar o menu Aplicativos desativando a animação dos ícones

Para Como acelerar o menu Aplicativos desativando a animação dos ícones, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Em seguida, execute o comando abaixo para desativar a animação dos ícones;

gsettings set org.gnome.desktop.interface enable-animations false

Agora você pode verificar se as animações estão desabilitadas quando você acessa o menu Aplicativos. Você não deverá mais ver a animação dos ícones.

Em vez disso, você verá todos os ícones de aplicativos exibidos ao mesmo tempo, sem efeitos.

Reativando a animação dos ícones

O procedimento acima desativou a animação dos ícones do nosso sistema operacional.

Se depois você quiser voltar o comportamento padrão do sistema, abra novamente um terminal e execute o comando abaixo;

gsettings set org.gnome.desktop.interface enable-animations true

Se você percebeu que a mudança foi útil (ou não), deixe a sua opinião/experiência nos comentários.

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o utilitário Ubuntu Make no Linux via Snap

Se você quer programar, mas acha que dá muito trabalho instalar a sua ferramenta de programação favorita, conheça e veja como instalar o utilitário Ubuntu Make no Linux via Snap.

O Ubuntu Make fornece um conjunto de funcionalidades para configurar, manter e personalizar seu ambiente de desenvolvedor facilmente.

Como instalar o utilitário Ubuntu Make no Linux via SnapComo instalar o utilitário Ubuntu Make no Linux via Snap

O Ubuntu Make é uma ferramenta de linha de comando que foi criada para facilitar o download e a instalação da versão mais recente de algumas ferramentas de desenvolvimento populares.

Ele irá lidar com todas as dependências, mesmo aquelas que não estão no próprio Ubuntu, e instalar as versões mais recentes das ferramentas desejadas e recomendadas. Este é o mais recente mestre do ubuntu make, recém compilado.

Isso pode ser feito nas distribuições Ubuntu e Linux baseadas nele, como o Linux Mint ou o sistema operacional elementary OS.

O Ubuntu Make pode configurar mais de 50 ambientes para desenvolvedores. Estes incluem o Android Studio, o Golang, o IDE ItelliJ, o Visual Studio Code, o Rust, etc.

Como instalar o Ubuntu Make no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o Ubuntu Make via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o Ubuntu Make via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install ubuntu-make

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install ubuntu-make --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh ubuntu-make

Instalando plataformas de desenvolvimento com o Ubuntu Make

Para obter informações sobre o ubuntu make, executar umake --help (existem dois sinais de menos antes do parâmetro help).

Para instalar Eclipse JEE, use o comando:

sudo umake ide eclipse-jee

Para instalar IntelliJ IDEA EAP, use o comando:

sudo umake ide idea --eap

Para instalar o compilador de linguagem Kotlin, use o comando:

sudo umake kotlin kotlin-lang

Para instalar Unity 3D, use o comando:

sudo umake games unity3d

Para instalar IDE Arduino, use o comando:

sudo umake ide arduino

Para instalar Webstorm, use o comando:

sudo umake ide webstorm

Para instalar GO, use o comando:

sudo umake go go-lang

Para instalar dartlang, use o comando:

sudo umake dart editor

Para instalar PyCharm, use o comando:

sudo umake ide pycharm

Para instalar PyCharm Professional, use o comando:

sudo umake ide pycharm-professional

Para instalar PyCharm Educational, use o comando:

sudo umake ide pycharm-educational

Para instalar o Phpstorm, use o comando:

sudo umake ide phpstorm

Para instalar o Rubymine, use o comando:

sudo umake ide rubymine

Para instalar o eclipse, use o comando:

sudo umake ide eclipse

Para instalar o IntelliJ IDEA, use o comando:

sudo umake ide idea-ultimate

Para instalar o IntelliJ IDEA Community Edition, use o comando:

sudo umake ide idea

Para instalar Stencyl, use o comando:

sudo umake games stencyl

Para instalar o Android NDK, use o comando:

sudo umake android android-ndk

Para instalar o Android Studio, use o comando:

sudo umake android android-studio

Para instalar o Firefox Dev use o comando:

sudo umake web firefox-dev

Instalando plataformas de desenvolvimento com o Ubuntu Make e aceitando a licença de uso

Para instalar qualquer destas ferramentas e aceitar a licença de uso automaticamente, basta escrever --accept-license no final do comando de instalação, como no exemplo abaixo:

umake android --accept-license

Desinstalando plataformas de desenvolvimento com o Ubuntu Make

Para remover qualquer destas ferramentas, basta escrever --remove no final do comando de instalação, como no exemplo abaixo:

sudo umake web firefox-dev --remove

Como desinstalar o Ubuntu Make no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o Ubuntu Make via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove utorrent

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar a última versão do Ubuntu Make Developer Tools

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cubo mágico PyBik no Ubuntu e derivados

Se você curte jogos de quebra-cabeças e quer mostrar suas habilidades sem sair do PC, conheça e veja como instalar o cubo mágico PyBik no Ubuntu e derivados.

PyBik é um grande clone do famoso cubo de Rubik (chamado no Brasil de cubo mágico), um dos mais famosos jogos de quebra-cabeças que menos pessoas conseguiram resolver.

O Pybik é um clone criado em python que nos oferece a interface de um cubo de rubik e a possibilidade de alterá-lo como se fosse um cubo de rubik original e real.

O problema com esta opção é que o cubo de rubik é virtual e não podemos usar nossas mãos para tocá-lo, mas o bom é que não podemos tirar os adesivos coloridos para enganar com este jogo ou será que podemos?

Como instalar o cubo mágico PyBik no Ubuntu e derivadosComo instalar o cubo mágico PyBik no Ubuntu e derivados

Pybik é um jogo com diferentes quebra-cabeças 3D (até 10x10x10), cubos, torres, tijolos, tetraedros e prismas, solvers para alguns quebra-cabeças, padrões bonitos, editor para sequências de movimento, cores e imagens mutáveis.

O PyBik, como o resto, está nos repositórios oficiais do Ubuntu e podemos instalá-lo através do terminal ou do gerenciador de software.

Como instalar o cubo mágico PyBik no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o cubo mágico PyBik no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:barcc/pybik -y

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install pybik

Como instalar o cubo mágico PyBik manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pybik em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

Se não conseguir localizar o comando de execução, execute o comando abaixo:

which pybik

Desinstalando o cubo mágico PyBik no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o cubo mágico PyBik no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:barcc/pybik -r -y
sudo apt-get remove pybik --auto-remove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente de backup Vorta no Linux via Flatpak

Se você precisa de fazer cópias de segurança de forma simples no PC, conheça e veja como instalar o cliente de backup Vorta no Linux via Flatpak.

Vorta é um cliente de backup para desktops macOS e Linux. Ele integra o poderoso BorgBackup ao seu ambiente de desktop para proteger seus dados contra falhas de disco, ransomware e roubo.

Como instalar o cliente de backup Vorta no Linux via FlatpakComo instalar o cliente de backup Vorta no Linux via Flatpak

Vorta oferece:

  • Backups criptografados, desduplicados e compactados usando o Borg como backend;
  • Nenhum bloqueio de fornecedor – faça backup em unidades locais, em seu próprio servidor ou no BorgBase, um serviço de hospedagem para backups Borg;
  • Código aberto – livre para usar, modificar, melhorar e auditar;
  • Perfis flexíveis para agrupar pastas de origem, destinos de backup e agendamentos;
  • Um local para visualizar todos os arquivos point-in-time e restaurar arquivos individuais.

O Vorta deve funcionar em todas as plataformas que suportam o Qt e o Borg. Isso inclui macOS, Ubuntu, Debian, Fedora, Arch Linux e muitos outros.

Por que o nome? Vorta é uma raca referenciada em Star Trek. Depois de morrer, eles são substituídos pelo backup clonado.

Como instalar o cliente de backup Vorta no Linux via Flatpak

Para instalar o cliente de backup Vorta no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o cliente de backup Vorta via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.borgbase.Vorta.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update com.borgbase.Vorta

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.borgbase.Vorta em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite vorta ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o cliente de backup Vorta no Linux via Flatpak

Para desinstalar o cliente de backup Vorta via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall com.borgbase.Vorta

Ou

flatpak uninstall com.borgbase.Vorta

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerador de diagramas do D-Bus Bustle no Linux

Se você que ficar de olho nas atividades do D-BUS, conheça e veja como instalar o gerador de diagramas do D-Bus Bustle no Linux via Flatpak.

Bustle é um aplicativo que desenha diagramas de sequência da atividade do D-Bus

Como instalar o gerador de diagramas do D-Bus Bustle no Linux via FlatpakComo instalar o gerador de diagramas do D-Bus Bustle no Linux via Flatpak

Ao desenhar diagramas de sequência da atividade do D-Bus, Bustle mostra as emissões de sinal, chamadas de método e seus retornos correspondentes, com registros de data e hora para cada evento individual e a duração de cada chamada de método.

Isso pode ajudá-lo a verificar o tráfego indesejado de D-Bus e apontar por que seu aplicativo baseado em D-Bus não está funcionando tão bem quanto você gostaria. Ele também fornece estatísticas como frequências de sinal e tempos médios de chamada de método.

Como instalar o gerador de diagramas do D-Bus Bustle no Linux via Flatpak

Para instalar o gerador de diagramas do D-Bus Bustle via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o gerador de diagramas do D-Bus Bustle via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.freedesktop.Bustle.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.freedesktop.Bustle

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.freedesktop.Bustle em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite bustle ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gerador de diagramas do D-Bus Bustle no Linux via Flatpak

Para desinstalar o gerador de diagramas do D-Bus Bustle via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.freedesktop.Bustle

Ou

flatpak uninstall org.freedesktop.Bustle

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o navegador Opera no Ubuntu, Debian, Linux Mint e derivados

Se você está a procura de uma boa opção para navegar na web, conheça e veja como instalar o navegador Opera no Ubuntu, Debian, Linux Mint e derivados.

O Linux é um ótimo sistema operacional que está ganhando cada vez mais relevância hoje. É por isso que muitos aplicativos anteriormente disponíveis apenas para Windows ou MacOS fazem uma presença em nosso sistema favorito.

Como instalar o navegador Opera no Ubuntu, Debian, Linux Mint e derivadosComo instalar o navegador Opera no Ubuntu, Debian, Linux Mint e derivados

Alguns deles, há algum tempo ou desde o início de seu desenvolvimento, e outros que são recém-chegados.

Esses aplicativos abrangem um grande número de categorias, desde ferramentas para desenvolver ferramentas profissionais para servidores ou simplesmente navegadores da web.

Os navegadores Web são uma parte vital do uso de nosso computador pessoal e, no Linux, existem muitas alternativas.

Bastante popular, o Opera é um navegador web, disponível para Linux, Mac OS X e Windows. No passado, ele adotou um fork do WebKit engine do Google, e por conta disso, suas novas versões agora são baseadas no Chromium.

A versão desenvolvida para Linux vem com todos os mesmos recursos do Opera para Windows e Mac, incluindo Speed Dial, o recurso Discover, Opera Turbo, bookmarks (favoritos) e compartilhamento de favoritos, temas, extensões e muito mais.

Esse navegador também oferece o modo de economia de energia, que oferece duração da bateria até 50% maior e evita o superaquecimento.

Para conseguir isso, o Opera reduz a atividade das abas em segundo plano e a taxa de quadros, usando aceleração por hardware em codecs de vídeo na reprodução de vídeoss, parando animações de temas e até pausando automaticamente plugins não utilizades (incluindo bloqueador de anúncios).

Como instalar o navegador Opera no Ubuntu, Debian, Linux Mint e derivados

Para instalar o navegador Opera no Ubuntu, Debian, Linux Mint e derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

wget -qO- https://deb.opera.com/archive.key | sudo apt-key add -
echo deb https://deb.opera.com/opera-stable/ stable non-free | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/opera.list

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install opera-stable

Como instalar o Opera manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa acessando a página de download do software e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite opera ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Desinstalando o navegador Opera no Ubuntu, Debian, Linux Mint e derivados

Para desinstalar o navegador Opera no Ubuntu, Debian, Linux Mint e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove opera-stable --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar a versão mais recente do Opera no Linux

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Darktable 3.2.1 lançado com novos recursos importantes

Foi lançado o Darktable 3.2.1 com novos recursos importantes. Confira os detalhes dessa atualização e veja como instalar ou atualizar no Linux.

O Darktable é um excelente processador de imagens que trabalha com o formato RAW e que está disponível gratuitamente em versões para as principais distribuições Linux, Mac OS X e Solaris, sob a GPL versão 3 ou superior.

Uma alternativa de código aberto ao Adobe Lightroom, o Darktable permite que os fotógrafos façam edições não destrutivas em suas imagens, além de gerenciar, classificar e organizar fotos.

Mas, diferentemente de outros apps da categoria, em vez de ser um editor de gráficos raster como o Adobe Photoshop ou o GIMP, Darktable trabalha com um conjunto de ferramentas voltados especificamente para processamento de fotos em formato RAW.

E como utiliza edição não destrutiva, ele é focado principalmente na melhoria do processo de trabalho do fotógrafo, facilitando o gerenciamento de grandes quantidades de imagens.

Agora, foi lançado o Darktable 3.2.1 como uma atualização massiva que traz muitos novos recursos e melhorias, junto com melhor suporte para câmeras.

Sim. O Darktable 3.2.1 já está disponível e é a primeira grande atualização do aplicativo desde a introdução da série 3.0.

Se você está perguntando, não houve uma versão 3.2.0, nem uma versão 3.1. A equipe de desenvolvimento saltou direto para o número da versão 3.2.1 da versão 3.0.2, que provavelmente você está usando agora em sua distribuição Linux, por causa de um bug de última hora na versão 3.2.0.

Mas não se deixe enganar pelo número da versão, porque Darktable 3.2.1 é uma atualização massiva com muitas novidades para fotógrafos amadores e profissionais.

Novidades do Darktable 3.2

Darktable 3.2.1 lançado com novos recursos importantesDarktable 3.2.1 lançado com novos recursos importantes
Os destaques do Darktable 3.2.1 incluem suporte para resoluções de tela de até 8K graças à reescrita completa do Lighttable View e da Filmstrip renovada.

Os Lighttable thumbs agora permitem vários tipos de sobreposição e os módulos Lighttable agora apresentam botões que só são destacados quando o contexto torna a ação possível.

A aparência do Darktable também foi alterada e agora é mais profissional graças a uma revisão completa dos estilos CSS da interface do usuário. E como a IU foi reformulada, os módulos Seletor de cores e Localização precisaram ser atualizados para se integrarem melhor.

Também reformulado está a caixa de diálogo Preferências, que agora requer menos rolagem e parece muito melhor, e o módulo Remoção de manchas, que agora oferece suporte à criação de forma contínua e apresenta um novo botão que permite ocultar ou mostrar as formas.

Outras mudanças dignas de nota incluem módulo de perfil denoise muito melhorado, suporte para desfazer e refazer para mudanças de orientação na visualização Lighttable, exportação em escala de cinza de TIFF para imagens monocromáticas, exportação de máscaras no formato de imagem TIFF e suporte para mais de 500 imagens em tethered controle para lapso de tempo.

Darktable 3.2 também apresenta um novo módulo de negadoctor para inverter filmes negativos, uma nova exibição de histograma chamada RGB Parade, uma nova preferência de down-sampling para resposta mais rápida em câmara escura, suporte para gradientes curvos, suporte para formato de arquivo AVIF, bem como dois novos filtros para o módulo Collect, ou seja, módulo e pedido de módulo.

A detecção de alteração de imagem agora é mais confiável, o recurso Filmic RGB agora inclui recuperação de realce integrada, os usuários podem finalmente escolher quais informações serão exibidas no editor de metadados e Darktable agora exibirá uma caixa de diálogo de confirmação ao excluir ou atualizar predefinições.

Darktable 3.2 também adiciona suporte para novas câmeras, incluindo Fujifilm FinePix S1, GFX 100 (compactado), X-Pro3 (compactado), X-T200, X-T4 (compactado) e X100V (compactado), Hasselblad H4D-50, X1D II 50C e X1DM2-50c, bem como Nikon COOLPIX P950 (12 bits não comprimido), D780 (12 bits comprimido, 14 bits comprimido) e Z 50 (12 bits comprimido, 14 bits comprimido).

Olympus E-M1MarkIII e E-PL10, Panasonic DC-FZ10002 (3: 2), DC-GX880 (4: 3), DC-S1 (3: 2), DC-S1H (3: 2), DC-S1R (3: 2), DC-TZ91 (4: 3), DC-TZ95 (4: 3), DC-TZ96 (4: 3), DC-ZS80 (4: 3), DMC-FZ40 (1: 1, 3: 2, 16: 9) e DMC-FZ45 (1: 1, 3: 2, 16: 9), bem como câmeras Sony ILCE-6100 e ILCE-9M2 também são suportadas na nova versão.

Novas predefinições de equilíbrio de branco estão disponíveis para Canon EOS 77D e EOS 9000D, Fujifilm X-E3, X-T30 e X-T4, Nikon COOLPIX P1000, Olympus E-M1MarkIII, E-PL6 e TG-5, Panasonic DC-GH5, DC Câmeras -TZ95, DC-TZ96 e DC-ZS80, Samsung NX1 e Sony ILCE-7RM4.

Por último, novos perfis de ruído estão disponíveis para Canon EOS-1Ds, Fujifilm X-H1, X-T100, X-T30 e X-T4, Nikon COOLPIX P1000 e Z 50, Olympus E-510, E-M1MarkIII, E-M5 Mark III e TG-6, Panasonic DC-GF9, DC-GX800, DC-GX850, DC-GH5, DC-TZ95, DC-TZ96 e DC-ZS80, bem como Sony DSC-RX100M6, DSC-RX100M7, ILCE-6600 , Câmeras ILCE-7RM4, ILCE-9 e ILCE-9M2.

Existem também novos atalhos de teclado para o módulo de retoque, caixas de combinação, para habilitar e desabilitar as dicas de ferramentas, para alternar o último instantâneo ligado e desligado, bem como para mostrar ou ocultar os módulos lib e as máscaras desenhadas para o módulo ativo no momento.

Agora também é mais fácil encontrar atalhos de teclado com o novo campo de pesquisa na guia de atalhos.

Para mais detalhes, leia a nota de lançamento.

Como instalar o Darktable 3.2

Você pode atualizar para o Darktable 3 ou instalar essa versão, usando um dos tutoriais abaixo.

Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Flatpak
Como instalar o processador de fotos Darktable no Linux via Snap
Processamento de fotos em formato RAW: Instale Darktable no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal

Se você precisa gravar uma imagem ISO usando o Terminal, veja nesse tutorial como fazer isso e entenda um pouco mais sobre o processo.

Atualmente gravar uma imagem ISO no Linux é muito fácil e existem várias ferramentas que podem fazer isso para você.

Como gravar uma imagem ISO usando o TerminalComo gravar uma imagem ISO usando o Terminal

Contudo, nem sempre é possível ter acesso a ferramentas gráficas e nessa situação, “o Terminal é seu melhor amigo”. Para ajudá-lo, veja a seguir, como gravar uma imagem ISO usando o Terminal.

Antes de gravar, se você quiser verificar a integridade da imagem ISO, consulte esse tutorial:

Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Depois, siga as instruções do procedimento abaixo.

Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal

Antes de começar, certifique-se de que o seu pendrive está formatado e todos os arquivos dele foram removidos.

Ciente disso, para gravar uma imagem ISO usando o Terminal, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Plugue o pendrive no computador;
Passo 3. Provavelmente ele será montado automaticamente. Independente disso, se você quiser saber o endereço do pendrive, digite o comando abaixo;

lsblk

Passo 4. Como é possível ver na imagem da saída do comando anterior, o pendrive é o sdb (o sda é o disco onde o sistema está instalado e o sr0 é a unidade de CD/DVD);

Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal

Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal

Passo 5. Para gravar a imagem ISO nele, use o comando abaixo (lembre-se de ajustar o caminho e o nome da imagem ISO para o seu caso, bem como o caminho do pendrive);

sudo dd if=/home/edivaldo/Downloads/arquivoiso.iso of=/dev/sdb bs=4M

Passo 6. O processo começará e normalmente demora um pouco, por isso tenha paciência. Depois de um tempo, você verá no prompt do terminal exatamente a quantidade de dados copiados e a velocidade em que isso ocorreu, o que significa que processo deu certo;

Passo 7. Depois de usar o novo pendrive, se você quiser limpar ele, basta digitar o comando a seguir. Este comando irá zerar seu pendrive. Depois disso, você vai precisar usar uma ferramenta de particionamento como o Gparted para criar uma nova partição nele;

sudo dd if=/dev/zero of=/dev/sdb bs=1M status=progress

Pronto! Agora sempre que precisar, você pode gravar seu pendrive, mesmo quando não tiver uma interface gráfica com aplicativos para essa tarefa.

Com poucos ajustes é possível usar o processo para gravar em um CD ou DVD. Mas se é isso o que você quer, pode usar esse tutorial:
Como gravar uma imagem ISO no Ubuntu

E se você quiser usar uma ferramenta grafica do DD, consulte esse tutorial:
Faça backup e gravação de IMG ou ISO com dd Utility

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

ISO do Ubuntu 18.04.5 e 16.04.7 LTS RC estão prontas para testes

A canonical anunciou que as imagens ISO do Ubuntu 18.04.5 e 16.04.7 LTS RC estão prontas para testes. Confira os detalhes e descubra onde baixar.

Após o lançamento do Ubuntu 20.04.1 LTS na semana passada como o primeiro lançamento pontual da série Focal Fossa, a Canonical está agora trabalhando em novos lançamentos pontuais para seu Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver) e Ubuntu 16.04 LTS (Xenial Xerus) com suporte de longo prazo série do sistema operacional.

Agora, a Canonical está procurando ajuda da comunidade para testar os próximos point releases do Ubuntu 18.04.5 LTS (Bionic Beaver) e do Ubuntu 16.04.7 LTS (Xenial Xerus).

ISO do Ubuntu 18.04.5 e 16.04.7 LTS RC estão prontas para testes

ISO do Ubuntu 18.04.5 e 16.04.7 LTS RC estão prontas para testesISO do Ubuntu 18.04.5 e 16.04.7 LTS RC estão prontas para testes
Se sua reação agora for algo como … espere, Ubuntu 16.04.7? Por quê? Não existem apenas cinco versões pontuais durante o ciclo de vida de uma série Ubuntu LTS?

Sim, você está certo, a Canonical normalmente prepara apenas cinco lançamentos de pontos ISO para cada série LTS, mas às vezes eles têm que lançar ISOs de emergência por causa de alguns bugs desagradáveis.

Aconteceu no ano passado com o Ubuntu 16.04.6 LTS e o Ubuntu 14.04.6 LTS (agora ESM) para corrigir uma vulnerabilidade crítica de segurança no gerenciador de pacotes APT, que permitia que atacantes executassem código como root ou possivelmente instalassem aplicativos maliciosos e travassem o sistema. Justificável, né?

E está acontecendo novamente, devido à vulnerabilidade BootHole divulgada recentemente, que afeta o bootloader GRUB2.

Portanto, se você planeja instalar o Ubuntu 16.04 LTS (Xenial Xerus), que terá suporte até abril de 2021, em breve você terá novas imagens de instalação em suas mãos, corrigidas contra essa falha desagradável.

As ISOs do Ubuntu 16.04.7 LTS (Xenial Xerus) serão lançadas apenas para os sabores Ubuntu Desktop, Ubuntu Server e Ubuntu Kylin na arquitetura de 64 bits, e você pode ajudar a Canonical a testar as imagens ISO Release Candidate agora mesmo baixando ela nesse endereço e testando.

Por outro lado, as ISOs Release Candidate das próximas versões pontuais do Ubuntu 18.04.5 LTS (Bionic Beaver) também estão disponíveis para teste público nesse endereço. Eles estão disponíveis para os sabores Ubuntu Desktop, Ubuntu Server, Kubuntu, Xubuntu, Lubuntu, Ubuntu MATE, Ubuntu Budgie e Ubuntu Kylin em todas as arquiteturas suportadas.

Ubuntu 18.04.5 LTS é o quinto e último lançamento pontual planejado da série Bionic Beaver. É uma atualização importante que vem com kernel HWE (Hardware Enablement) e pilhas de gráficos do Ubuntu 20.04 LTS (Focal Fossa), como kernel Linux 5.4 LTS e pilha de gráficos Mesa 20.0.8.

Os point releases do Ubuntu 18.04.5 LTS e do Ubuntu 16.04.7 LTS devem ser lançados no final desta semana em 13 de agosto! Então, se você tiver algum tempo livre, experimente.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Elementary OS 6 Early Access Builds já estão disponíveis para download

Cassidy James Blaede anunciou que os Elementary OS 6 Early Access Builds já estão disponíveis para download. Confira os detalhes e descubra onde baixar a distro.

Bastante popular, o elementary OS é uma distribuição baseada no Ubuntu que apresenta o ambiente de desktop Pantheon e um conjunto de aplicativos customizado.

Esse bonito sistema vem com um ambiente de área de trabalho chamado Pantheon e muitos aplicativos personalizados, incluindo fotos, músicas, vídeos, calendário, terminal, arquivos e muito mais.

Agora, os Elementary OS 6 Early Access Builds (compilações elementares de acesso antecipado)já estão disponíveis para permitir que você experimente o que está por vir nesta grande atualização, antes que o lançamento oficial finalmente aconteça.

Elementary OS 6 Early Access Builds já estão disponíveis para download

Elementary OS 6 Early Access Builds já estão disponíveis para downloadElementary OS 6 Early Access Builds já estão disponíveis para download
A equipe de desenvolvimento anunciou o lançamento no início desta semana, junto com um novo site onde as compilações de acesso antecipado estão hospedadas.

Cassidy James Blaede, cofundador e CXO, disse que:

“Na semana passada, lançamos discretamente o builds.elementary.io. Este novo site hospeda compilações de acesso antecipado do sistema operacional elementary como uma forma de garantir que OEMs, desenvolvedores, testadores, apoiadores e fãs entusiasmados possam obter compilações de pré-lançamento atualizadas. Agora que o OS 6 elementary está em um estado instalável e inicializável, começamos a adicionar $ 25 + AppCenter para todos os apoiantes à lista de permissões, e quaisquer $ 10/mês ou mais patrocinadores do GitHub têm acesso automaticamente.”,

Elementary OS 6 traz muitas coisas, e uma das primeiras coisas que você notará é a aparência renovada.

Além de um modo escuro para componentes do sistema como o dock e as caixas de diálogo do sistema, também há cores de destaque definidas pelo usuário em aplicativos, além de refinamentos para a tipografia e a folha de estilo do sistema, com contraste aprimorado e cantos inferiores arredondados em uma série de aplicativos.

Em seguida, a equipe promete uma atualização massiva para os aplicativos de comunicação e organização que acompanham o sistema operacional.

Todos eles são movidos pelas atualizações de back-end do servidor de dados Evolution e incluem uma grande reescrita do Mail e um novo aplicativo de tarefas.

O suporte multi-touch também está chegando a mais aplicativos, e o Elementary OS 6 contará com um novo instalador e uma experiência de configuração inicial.

Sobre isso, Cassidy James Blaede Observa que:

“A instalação deve ser muito mais rápida e simplificada, solicitando apenas o essencial para ter o sistema operacional em seu dispositivo. Isso também é ótimo para OEMs, pois eles podem usar o próprio novo instalador para criar imagens de dispositivos ou – como algumas imagens experimentais do Pinebook Pro com as quais estivemos testando – apenas atualizar uma imagem sem um usuário para executar a configuração inicial na primeira inicialização.”

Mais informações sobre as mudanças que ocorrerão no OS 6 elementar estão disponíveis na página do projeto no GitHub.

Baixe e experimente o Elementary OS 6 Early Access Builds

O Elementary OS 6 Early Access Builds já pode ser baixado acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Boot Repair no Ubuntu

Se você está tendo problemas com a inicialização do Grub, veja como instalar o Boot Repair no Ubuntu e comece a usá-lo para resolver dificuldades de boot.

O gerenciador de boot ou bootloader é uma ferramenta indispensável para o nosso sistema operacional, pois nos permite iniciar nossa distribuição corretamente. Mas as vezes, pode ocorrer do bootloader Grub não funcionar corretamente.

Como instalar o Boot Repair no UbuntuComo instalar o Boot Repair no Ubuntu

Isso pode acontecer por várias razões, seja por causa de erros na inicialização ou uma distribuição que não é exibida corretamente em PC com dual boot ou mais.

Para resolver os problemas com o bootloader GRUB você pode usar o Boot Repair, um programa de código aberto com o qual é possível restaurar ou reinstalar o GRUB facilmente através de uma interface gráfica simples e intuitiva.

Boot-Repair é um utilitário simples para reparar problemas frequentes de inicialização que poderá encontrar no Ubuntu, como quando você não consegue iniciar o Ubuntu depois de instalar o Windows ou outra distribuição Linux, ou até mesmo quando você não consegue iniciar o Windows após a instalação do Ubuntu, ou quando o GRUB não é mais exibido, pois infelizmente, algumas atualizações quebram o GRUB, etc.

Boot-Repair também possui opções avançadas para backup de tabelas de partições, bootsectors de backup, crie um “boot-info” (para obter ajuda por e-mail ou fórum), ou alterar os parâmetros de reparo padrão: configurar o GRUB, adicionar opções de kernel (acpi = off… ), GRUB expurgo, mudar o sistema operacional padrão, restaurar a MBR compatível com o Windows, reparar um sistema de arquivos quebrado, especificar o disco onde o GRUB deve ser instalado, etc.”

É possível usar Boot Repair em um Live CD/DVD ou USB flash drive, com a possibilidade de atualizar o bootloader, apagar um kernel específico e muitas outras operações avançadas.

Como instalar o Boot Repair no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Boot Repair no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:yannubuntu/boot-repair

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install boot-repair

Como instalar o Boot Repair manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite repair no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Boot-Repair permite corrigir os problemas com um simples clique, que geralmente reinstala o GRUB e restaura acesso aos sistemas operacionais que você tinha instalado antes do problema.

Quer conhecer os melhores pacotes de TV por assinatura com a operadora que tem a maior cobertura? Fale com um especialista no telefone Vivo e veja os descontos disponíveis para você nos planos Vivo.

Desinstalando o Boot Repair no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Boot Repair no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:yannubuntu/boot-repair -r -y
sudo apt-get remove boot-repair --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o gerenciador de senhas passwordlocker no Linux via Snap

Se você quer guardar senhas, sem depender da nuvem, conheça e veja como instalar o gerenciador de senhas passwordlocker no Linux via Snap.

Lembrar senha sempre foi e serrá um desafio para a maioria das pessoas. E mesmo com os atuais gerenciadores de senhas, ainda continua sendo.

Como instalar o gerenciador de senhas passwordlocker no Linux via SnapComo instalar o gerenciador de senhas passwordlocker no Linux via Snap

O maior problemas dos gerenciadores de senhas, é que eles são muito focados na nuvem, e nem sempre temos acesso a Internet. Felizmente, existe uma opção que resolve isso: o passwordlocker.

passwordlocker é um gerenciador de senha que permite salvar suas senhas localmente, sem precisar confiar em um serviço que as carrega na nuvem.

Como instalar o gerenciador de senhas passwordlocker no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o gerenciador de senhas passwordlocker via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o gerenciador de senhas passwordlocker via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install passwordlocker

Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install passwordlocker --beta

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh passwordlocker

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite passwordlocker ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o gerenciador de senhas passwordlocker no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o gerenciador de senhas passwordlocker via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove passwordlocker

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o Grub Customizer no Ubuntu e derivados

Se você procura um programa para poder acertar alguns detalhes do GRUB, sem correr o risco de errar, experimente instalar o Grub Customizer no Ubuntu.

Para a maioria das pessoas mudar as configurações do Grub é algo um pouco assustador. Para esses, ainda bem que existe o Grub Customizer.

Como instalar o Grub Customizer no Debian, Ubuntu e derivadosComo instalar o Grub Customizer no Debian, Ubuntu e derivados

O programa é uma interface gráfica para alteração das configurações do grub2 (o gerenciador de boot padrão do Ubuntu).

Ele é um aplicativo amigável, que permite ao usuário editar as entradas do menu a partir da tela de inicialização do GRUB, definir o sistema operacional padrão, alterar o OS instalado através de um LiveCD.

Como instalar o Grub Customizer no Ubuntu

Como instalar o Grub Customizer no Ubuntu

Como instalar o Grub Customizer no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Grub Customizer e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:danielrichter2007/grub-customizer

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install grub-customizer

Como instalar o Grub Customizer manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite grub no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Nos Planos Claro você tem uma das internet mais rápidas do Brasil com muitos minutos para falar com qualquer celular. Acesse e confira!

Desinstalando o Grub Customizer no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Grub Customizer, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:danielrichter2007/grub-customizer -r -y
sudo apt-get remove grub-customizer --auto-remove

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o utilitário bashtop no Linux via Snap

Se você quer ficar de olho no consumo de recursos de seu PC, conheça e veja como instalar o utilitário bashtop no Linux via Snap.

bashtop é um monitor de recursos que mostra o uso e estatísticas para processador, memória, discos, rede e processos.

Como instalar o utilitário bashtop no Linux via SnapComo instalar o utilitário bashtop no Linux via Snap

Fácil de usar, com um sistema de menu inspirado em jogos, ele possui uma interface de usuário rápida e “principalmente” responsiva com as teclas UP e DOWN para selecionar o processo.

Com uma função para mostrar estatísticas detalhadas para o processo selecionado e a capacidade de filtrar processos, bashtop permite a alternância fácil entre as opções de classificação.

Com ele você envia SIGTERM, SIGKILL, SIGINT para o processo selecionado. Além disso, ele tem um menu da IU para alterar todas as opções do arquivo de configuração e gráfico de escala automática para uso da rede.

O bashtop mostra a mensagem no menu se uma nova versão estiver disponível e mostra as velocidades atuais de leitura e gravação para discos, além de possuir vários métodos de coleta de dados que podem ser alternados se executados no Linux.

Como instalar o utilitário bashtop no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o utilitário bashtop via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o utilitário bashtop via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install bashtop

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install bashtop --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh bashtop

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite bashtop ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Depois de instalado, execute os seguintes comandos para melhorar a funcionalidade:
sudo snap connect bashtop:mount-observe
sudo snap connect bashtop:network-control
sudo snap connect bashtop:hardware-observe
sudo snap connect bashtop:system-observe
sudo snap connect bashtop:process-control

Depois, se precisar, faça alterações na configuração e adicione temas:
~/snap/bashtop/current/.config/bashtop

Como desinstalar o utilitário bashtop no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o utilitário bashtop via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove bashtop

xxx

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Mozilla Thunderbird 78.1.1 lançado com várias melhorias importantes

Foi lançado o cliente de e-mail Mozilla Thunderbird 78.1.1 com várias melhorias importantes e mais. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

O Thunderbird é um cliente de correio eletrônico gratuito da Fundação Mozilla, que é de fácil configuração e personalizável, e que possui muitas funcionalidades.

Esse cliente também acessa arquivos XML, Feeds (Atom e RSS), bloqueia imagens, tem filtro anti-spam embutido e um mecanismo que previne golpes por meio das mensagens.

O melhor de tudo, com os temas, você pode modificar a aparência da interface do Thunderbird. Os temas pode tanto alterar os ícones da barra de ferramentas como modificar todos os elementos da interface do programas.

O Mozilla Thunderbird continua a ser um dos aplicativos de e-mail mais populares do mundo no desktop e, tudo acontece por um bom motivo.

O Thunderbird agora oferece um pacote de recursos superavançados, tudo misturado com um desempenho muito bom, e como é uma oferta multiplataforma, é fácil ver por que tantas pessoas decidem experimentar o aplicativo e eventualmente ficar com ele.

Agora, a Mozilla continua lançando novas atualizações para o Thunderbird regularmente e, mais recentemente, a empresa distribuiu a versão 78.1.1 em todas as plataformas de desktop suportadas.

E, naturalmente, esta atualização vem com várias melhorias importantes, que vamos conferir mais abaixo.

Novidades do Thunderbird 78.1.1

Mozilla Thunderbird 78.1.1 lançado com várias melhorias importantesMozilla Thunderbird 78.1.1 lançado com várias melhorias importantes
Em primeiro lugar, é importante saber que esta atualização é oferecida apenas como um download manual e não automaticamente por meio do mecanismo de atualização integrado para Thunderbird 68 e anteriores.

A Mozilla diz que a atualização automática só é oferecida como parte do Thunderbird 78, então se antes deste lançamento você já estava atualizado, então a nova versão deve realmente aparecer em seu dispositivo.

Há também uma menção importante para OpenPGP. A partir do Firefox 78.1.0 (a versão anterior a este lançamento), o OpenPGP é considerado completo em recursos, o que significa que atingiu um estágio em que nenhum novo recurso está sendo adicionado.

No entanto, a equipe da Mozilla decidiu ainda mantê-lo desabilitado por padrão para ter certeza de que tudo está funcionando como planejado, então o tempo extra seria usado para testes e correção de bugs antes que todos entendam.

A Mozilla explica que:

“Se você usa o OpenPGP para fins não críticos, é bem-vindo para ativá-lo manualmente e ajudar nos testes. Para habilitá-lo no Thunderbird 78.0, use o editor de configuração e altere o valor da preferência mail.openpgp.enable para true e reinicie o Thunderbird.”

E esta nova versão do Thunderbird também introduz mudanças em relação à implementação do OpenPGP, já que a construção de uma biblioteca compartilhada vinculada às bibliotecas do sistema agora é finalmente suportada.

Também há melhorias no MailExtension, com erros agora mostrados no console de Ferramentas do Desenvolvedor e o registro dinâmico de provedores de calendário finalmente suportados.

A partir do Thunderbird 78, o cliente de e-mail só oferece suporte a MailExtensions, portanto, add-ons mais antigos que não foram atualizados para se alinhar com os requisitos, podem não funcionar mais.

Quanto às correções de bugs que fazem parte da nova atualização, existem várias delas, incluindo melhorias no OpenPGP.

A Mozilla diz que resolveu uma visualização da mensagem que às vezes ficava em branco após a atualização do Thunderbird 68, bem como a importação de dados do Seamonkey.

A partir desta atualização, renomear uma lista de e-mail também deve funcionar conforme o esperado, com a atualização agora exibida na barra lateral.

Existem dois problemas conhecidos nesta atualização, com a barra de ferramentas do cabeçalho de e-mail do Thunderbird, que inclui opções para responder, encaminhar, arquivar e marcar como lixo, não sendo mais configurável.

Isso é algo que a Mozilla já conhece e que deve ser resolvido com uma atualização futura do Thunderbird.

E em segundo lugar, a equipe de desenvolvimento diz que as fontes de largura fixa não estão funcionando na janela de composição, novamente algo que deve ser corrigido o mais cedo ou mais tarde.

Não é preciso dizer que, se você estiver usando o Thunderbird em seu PC, deve atualizar para a versão mais recente para obter todas as novas melhorias.

No Windows, você precisa executar pelo menos o Windows 7 para obter suporte para o Thunderbird (o Windows 7 não recebe mais atualizações de segurança da Microsoft desde janeiro deste ano), enquanto para o macOS, apenas as versões 10.9 e posteriores são compatíveis. Para Linux, o Mozilla Thunderbird requer pelo menos GTK 3.14 para ser executado.

Para saber mais sobre essa versão do Thunderbird, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Thunderbird 78.1.1

Para instalar a versão mais recente do Thunderbird nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Thunderbird no Linux: veja como instalar manualmente
Como instalar o cliente de e-mail Thunderbird no Linux via Flatpak
Como instalar a última versão do Thunderbird no Ubuntu e derivados

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Ubuntu Kylin 20.04.1 LTS lançado com desktop 46% mais rápido

Seguindo o Ubuntu upstream, foi lançado o Ubuntu Kylin 20.04.1 LTS com desktop 46% mais rápido. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.

O Ubuntu Kylin é um subprojeto oficial do Ubuntu, cujo objetivo é criar uma variante do Ubuntu mais adequada para usuários chineses que usam o sistema de escrita em chinês simplificado.

O projeto fornece uma experiência de usuário chinesa delicada, atenciosa e totalmente personalizada, fornecendo uma interface de usuário de desktop localizada em chinês simplificado e com software geralmente preferido por muitos usuários chineses.

O Ubuntu Kylin era originalmente enviado com a área de trabalho do Ubuntu Unity, mas a partir da versão 17.04, foi substituído por uma área de trabalho personalizada chamada UKUI (com base no MATE).

Embora o Ubuntu Kylin seja voltado para usuários que falam chinês (e que usam muitos serviços da web específicos do chinês), ele pode ser usado em inglês (e em outros idiomas também).

O desktop UKUI também é um software de código aberto totalmente gratuito e está disponível para instalação direto dos repositórios do Ubuntu sobre outros sabores.

Agora, Ubuntu Kylin 20.04.1 LTS foi lançado com desktop UKUI 3.0 renovado e vários novos recursos.

Novidades do Ubuntu Kylin 20.04.1 LTS

Ubuntu Kylin 20.04.1 LTS lançado com desktop 46% mais rapidoUbuntu Kylin 20.04.1 LTS lançado com desktop 46% mais rapido
No Ubuntu Kylin 20.04.1 LTS, o desktop UKUI 3.0 renovado agora está ainda melhor. Mais de 418 atualizações, ajustes e outras melhorias foram feitas no ambiente de desktop com estilo exclusivo e na distro desde o lançamento do Ubuntu Kylin 20.04 em abril.

E, como acontece com o point release do Ubuntu 20.04, a imagem do instalador atualizado do Ubuntu Kylin vem com todas essas melhorias embrulhadas, prontas para usar, fora da caixa – sem a necessidade de longas atualizações e pós-instalação.

A equipe do sistema afirma que:

“… realizou uma atualização abrangente de segurança, reparo de bugs e melhoria de estabilidade, incluindo a otimização do suporte a 4K, melhorando o desempenho da tela 3D em 46%, corrigindo usn-4432-1 (bug grub 2) e continuando a atualizar a app store.”

As alterações destacadas incluem a introdução de transparência adaptável no Menu Iniciar; animações de progresso de tarefas de arquivo e atalhos de teclado comuns no gerenciador de arquivos Peony; refinamentos da barra de tarefas (ou seja, menos falhas); além de suporte 4K em todo o desktop e seus aplicativos associados.

Uma safra de software atualizado está disponível, incluindo uma nova versão do WPS Office e VSCode, e o navegador Qi’anxin foi adicionado à Kylin App Store.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o Ubuntu Kylin 20.04.1 LTS

A imagem ISO do Ubuntu Kylin 20.04.1 LTS já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Você pode baixar o Ubuntu Kylin 20.04.1 LTS para PCs de 64 bits, bem como para Raspberry Pi.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

RetroArch 1.9 lançado com boas novidades para jogadores Retro

E foi lançado o RetroArch 1.9 com boas novidades para jogadores Retro e outros recursos. Confira as novidades e veja como instalar no Linux.

O RetroArch é um software de código aberto, modular, sistema multi frontend para a API libretro, que é projetado para ser rápido, leve e portátil. Ou seja, ele permite a emulação de diferentes consoles de jogos clássicos em sua máquina.

Resumindo tudo, o RetroArch permite que você execute jogos clássicos em uma ampla gama de computadores e consoles através de sua interface gráfica.

RetroArch é o que você deseja instalar em sua distribuição Linux para desfrutar daqueles jogos retro incríveis que você provavelmente jogou o dia todo quando era jovem.

O RetroArch é compatível não apenas com sistemas Linux, mas também com dispositivos Raspberry Pi, Android, Apple TV, iOS e Xbox One.

Agora, Daniel De Matteis lançou o RetroArch 1.9, uma nova versão principal desse front-end popular e de código aberto para emuladores, videogames, motores de jogos e players de mídia.

Novidades do RetroArch 1.9

RetroArch 1.9 lançado com muitos benefícios para jogadores Retro LinuxRetroArch 1.9 lançado com muitos benefícios para jogadores Retro Linux
RetroArch 1.9, é enorme, e traz muitas coisas boas para jogadores retrô.

Os destaques incluem uma nova visualização de exploração para todas as listas de reprodução, que permite pesquisar conteúdo com base em vários critérios, como gênero, origem, editor, sistema, ano de lançamento, desenvolvedor e quantidade de jogadores.

Os desenvolvedores observam o fato de que a nova visualização Explorar exibirá apenas os resultados da pesquisa com base no conteúdo que já está incluído em suas listas de reprodução.

Além disso, os metadados ainda não estão completos.

RetroArch 1.9 também aprimora a funcionalidade de pesquisa da lista de reprodução, permitindo finalmente aos jogadores realizar pesquisas múltiplas e contínuas para refinar ainda mais os resultados da pesquisa, bem como limpar o último filtro de pesquisa inserido pressionando o botão Cancelar.

Uma nova opção de notificação de inicialização “Carregar Conteúdo”, que, quando ativada, exibirá uma curta animação ao lançar um novo conteúdo a partir do menu ou da linha de comando.

Este recurso pode ser habilitado em Configurações> Exibição na tela> Notificações na tela.

O RetroArch 1.9 torna o remapeamento de entrada mais fácil, especialmente para dispositivos de tela sensível ao toque, graças às listas suspensas que suportam controladores e teclados. Além disso, os usuários agora poderão usar o botão Iniciar do RetroPad para redefinir os remapeamentos do teclado do controlador.

Muitas melhorias nesta versão estão em torno do menu principal, que agora permite aos usuários desabilitar ou habilitar seletivamente as notificações de widget, retorna corretamente o cursor para a posição anterior no menu em vez da primeira entrada, exibe ícones do sistema associado na lista de reprodução e apresenta um novo submenu Importar conteúdo que consiste nas entradas de digitalização de diretório, digitalização de arquivo e digitalização manual.

Por último, mas não menos importante, RetroArch 1.9 traz várias melhorias para o player de vídeo embutido, baseado em FFmpeg, incluindo uma nova barra de sobreposição de progresso que aparecerá ao navegar para frente ou para trás no clipe.

Sob o capô, há várias melhorias para reduzir o consumo de memória e a sobrecarga de E/S de disco, o que se traduz em melhor desempenho com menos recursos.

Para saber mais sobre essa versão do RetroArch, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o RetroArch 1.9

Para instalar a versão mais recente do RetroArch nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar o emulador RetroArch no Linux via Flatpak
Como instalar o emulador arcade RetroArch no Linux via Snap
Como instalar o emulador arcade RetroArch no Ubuntu

O que está sendo falado no blog

No Post found.

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

KDE Frameworks 5.73 lançado com muitas mudanças nos ícones do Breeze, Kirigami e KNewStuff

E foi lançado o KDE Frameworks 5.73 com muitas mudanças nos ícones do Breeze, Kirigami e KNewStuff. Confira as novidades dessa atualização.

Sempre que se fala sobre o software KDE, a primeira coisa que vem à mente das pessoas (obviamente) é o Plasma, seu ambiente gráfico para desktop.

Mas ainda existem pelo menos mais dois componentes que tornam a experiência em sistemas operacionais como o Kubuntu especial: o primeiro desses componentes são os aplicativos KDE (KDE Applications), entre os quais encontramos softwares como o Kdenlive ou o Spectacle.

O segundo é o que nos interessa neste artigo, já que o Framework 5.64 já está disponível. Por alguma razão, a Comunidade KDE não fala sobre Frameworks, Plasma ou seus aplicativos (pacote Applications).

Provavelmente porque o Frameworks é algo que achamos mais “oculto”, ou seja, são coisas menos visíveis, mas necessárias para que tudo funcione conforme o esperado.

Os lançamentos de plasma são muito mais impressionantes. É no ambiente gráfico em que o KDE apresenta muitas de suas novidades mais interessantes, mas outras que valem a pena adicionar são adicionadas a seus aplicativos (KDE Applications).

Agora, o Projeto KDE lançou o KDE Frameworks 5.73, uma nova versão principal de seu pacote de software de código aberto para o ambiente de desktop KDE Plasma que adiciona vários novos recursos e melhorias.

Novidades do KDE Frameworks 5.73

KDE Frameworks 5.73 lançado com muitas mudanças nos ícones do Breeze, Kirigami e KNewStuffKDE Frameworks 5.73 lançado com muitas mudanças nos ícones do Breeze, Kirigami e KNewStuff
O KDE Frameworks 5.73 é uma atualização mensal do pacote de software de código aberto, mas traz muitas mudanças interessantes.

Por exemplo, o construtor Kirigami UI recebeu um novo componente FlexColumn e agora oferece suporte à visibilidade de ação no GlobalDrawer, junto com otimizações para o layout móvel e para a acessibilidade dos campos de entrada Kirigami.

KNewStuff, a ferramenta usada para baixar e compartilhar dados adicionais do aplicativo, também recebeu muitas melhorias, começando com um layout ligeiramente renovado para parecer mais equilibrado, vários ajustes na tela de boas-vindas, correções para algumas falhas visuais ao baixar itens, a capacidade para excluir entradas atualizáveis ​​e dicas de ferramentas para diferentes modos de visualização na caixa de diálogo QML.

O tema do ícone do Breeze também sofreu muitas mudanças durante o ciclo de desenvolvimento do KDE Frameworks 5.73, e agora vem com um monte de novos ícones para Kontrast, kirigami-gallery, ângulo de ajuste, substituição de documento, status SMART, tarefa recorrente, compromisso recorrente, ação/botão de substituição e tipo mime de aplicativos/pkcs12.

Além disso, o KRunner foi aprimorado para não travar mais quando o usuário digita qualquer coisa enquanto o plugin PIM Contact Search está ativo, o navegador de URL no gerenciador de arquivos Dolphin, as caixas de diálogo de arquivo e vários outros aplicativos KDE agora apresentam um comportamento de auto-completar aprimorado, e os pop-ups do widget do Plasma não aparecem mais no Alternador de Tarefas.

Entre outras melhorias notáveis ​​no KDE Frameworks 5.73, há suporte para a caixa de diálogo de substituição de arquivo para informar aos usuários se os dois arquivos são idênticos, a capacidade do gerenciador de arquivos Dolphin localizar ações extras para abrir outros aplicativos no nível básico de seu menu de contexto em vez de um submenu, bem como suporte para a caixa de diálogo Propriedades para exibir somas de verificação SHA512 para arquivos.

Também vale a pena mencionar o fato de que as extensões de nome de arquivo agora são anexadas à lista de tipos de arquivo em caixas de diálogo de abrir/salvar quando há várias entradas com o mesmo nome. Vários travamentos de plasma também foram corrigidos no KDE Frameworks 5.73, especialmente para o widget Monitor térmico, e você pode estudar todas as alterações incluídas nesta versão visitando o changelog completo.

O changelog completo está disponível nesse endereço para aqueles leitores com conhecimento de tecnologia que desejam saber exatamente o que foi alterado nesta versão mensal do KDE Frameworks.

Como instalar o KDE Frameworks 5.73

O KDE Frameworks não é algo que você pode baixar e instalar no seu computador. É um enorme pacote de software que normalmente é distribuído por meio dos repositórios de software de sua distribuição, então procure os novos pacotes nos próximos dias e atualize o mais rápido possível, especialmente se você estiver usando o ambiente de desktop KDE Plasma mais recente.

Resumindo, em breve esse pacote estará disponível para instalação nos repositórios de software estáveis ​​do seu sistema Linux, portanto, atualize o mais rápido possível para aproveitar uma melhor experiência do KDE Plasma. Para isso, basta manter seu sistema atualizado.

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar a biblioteca de jogos GameHub no Ubuntu e derivados

Se você estiver procurando por um bom aplicativo com o qual possa gerenciar e lançar seus jogos, veja como instalar o GameHub no Ubuntu e derivados.

GameHub é uma biblioteca de jogos unificada que permite visualizar, instalar, executar e eliminar jogos no Linux. GameHub é uma plataforma de jogos gratuita e de código aberto escrita em Vala com o GTK+ 3.

Como instalar o GameHub no Ubuntu e derivadosComo instalar o GameHub no Ubuntu e derivados

Esse software suporta jogos nativos e não nativos de várias fontes, incluindo Steam, GOG, Humble Bundle e Humble Trove, etc. Os jogos não-nativos são compatíveis com Wine, Proton, DOSBox, ScummVM e RetroArch.

Ele também permite adicionar emuladores personalizados e baixar conteúdo extra e DLC para jogos GOG. Em resumo, o GameHub é uma interface para Steam, GoG, Humblebundle e Retroarch.

O GameHub pode usar tecnologias do Steam, como o Proton, para executar jogos do Windows.

A partir da seção de configuração, podemos ativar, desativar e estabelecer várias configurações, como:

  • Alternar entre os temas;
  • Mudar para a lista compacta;
  • Ativar/desativar a fusão de jogos de diferentes origens;
  • Ativar/desativar camadas de compatibilidade;
  • Definir diretório de coleção de jogos;
  • Configurar os diretórios do jogo para cada fonte;
  • Adicionar/remover emuladores;
  • E mais.

Como instalar a biblioteca de jogos GameHub no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a biblioteca de jogos GameHub no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo apt install --no-install-recommends software-properties-common
sudo add-apt-repository ppa:tkashkin/gamehub

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt install com.github.tkashkin.gamehub

Como instalar a biblioteca de jogos GameHub manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa acessando a página de download no GitHub e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite gamehub ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como instalar jogos com o GameHub?

O aplicativo é muito simples de usar, a primeira coisa que você precisa fazer é abri-lo no seu sistema, feito isso na primeira tela, você será solicitado a fazer login com qualquer um dos serviços que o aplicativo suporta.

Uma vez feito isso, aparecerá como um tipo de catálogo todos os jogos que têm em suas contas para poder instalar.

Agora, basta clicar com o botão direito do mouse no jogo de sua escolha na lista e clicar no botão Instalar.

Se o jogo não for nativo, o GameHub escolherá automaticamente a camada de compatibilidade (por exemplo, Wine) que se adequa à execução do jogo e instala o jogo selecionado.

Desinstalando a biblioteca de jogos GameHub no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a biblioteca de jogos GameHub no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:tkashkin/gamehub -r -y
sudo apt-get remove com.github.tkashkin.gamehub --auto-remove

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o gerenciador de jogos GameHub no Linux via AppImage

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o conjunto de ferramentas MKVToolNix no Linux via Flatpak

Se você precisa manipular ou reproduzir arquivos no formato Matroska (.mkv), veja como instalar a última versão do MKVToolNix no Linux via Flatpak.

MKVToolnix é um conjunto de ferramentas que permite criar, alterar e reproduzir arquivos Matroska no Linux, Unix e Windows.

Como instalar o conjunto de ferramentas MKVToolNix no Linux via FlatpakComo instalar o conjunto de ferramentas MKVToolNix no Linux via Flatpak

Com esse aplicativo é possível obter informações sobre arquivos Matroska (mkvinfo), extrair faixas/dados de arquivos de Matroska (mkvextract) e criar (mkvmerge) arquivos Matroska, a partir de outros arquivos de mídia.

O MKVToolnix também permite que você edite as tags e nomes das faixas, também é usado para alterar a relação de aspecto de arquivos de vídeo, exibir a largura e altura e etc.

Como instalar o MKVToolNix no Linux via Flatpak

Para instalar o MKVToolNix no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o MKVToolNix no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/org.bunkus.mkvtoolnix-gui.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update org.bunkus.mkvtoolnix-gui

Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall org.bunkus.mkvtoolnix-gui

Ou

flatpak uninstall org.bunkus.mkvtoolnix-gui

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run org.bunkus.mkvtoolnix-gui em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mkvtoolnix ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Veja também

Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
Como instalar o MKVToolNix no Linux via Snap
Instale a última versão do MKVToolNix no Linux Ubuntu, Debian, Fedora e openSUSE

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Ferramenta para backups simples e fácil: instale Duplicati no Linux

Muitas pessoas deixam de fazer backups regulares, porque várias ferramentas para essa tarefa são complicadas ou porque elas simplesmente não têm tempo suficiente. Se esse é o seu caso, o que você precisa é de uma ferramenta para backups simples e fácil como o aplicativo Duplicati.

Duplicati é uma ferramenta muito simples e ao mesmo tempo avançada, que pode resolver seus problemas de backup.

Ferramenta para backups simples e fácil: instale Duplicati no LinuxFerramenta para backups simples e fácil: instale Duplicati no Linux

Ele é um software livre (LGPL), escrito em C# e que está disponível para Windows, Linux e Mac OS X, com traduções para o inglês, espanhol, francês, alemão, dinamarquês, português, italiano e chinês.

Inicialmente, o projeto Duplicati foi inspirado no “duplicity for Windows”, mas depois de um tempo, ganhou seu próprio rumo.

Hoje ele é basicamente um cliente de backup gratuito que armazena de forma segura usando criptografia, backups incrementais, compactados em serviços de armazenamento em nuvem e servidores de arquivos remotos.

Ele funciona com o Amazon S3, Windows Live SkyDrive (OneDrive), Google Drive (Google Docs), Rackspace Cloud File ou WebDAV, SSH, FTP (e muitos mais). Duplicati tem um sistema de agendamento interno, de modo que é fácil ter um backup regular up-to-date.

Além disso, o programa usa compressão de arquivos e é capaz de armazenar backups incrementais para economizar espaço de armazenamento e largura de banda.

Duplicati foi construído com criptografia AES-256 e backups podem ser assinados usando o GNU Privacy Guard.

Por último, mas não menos importante, Duplicati oferece várias opções e ajustes, como filtros, regras de exclusão, transferência e opções de largura de banda para executar backups para fins específicos.

Instalando a ferramenta para backups Duplicati no Linux

Para instalar a ferramenta para backups Duplicati no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

Instalando a ferramenta para backups Duplicati no Linux Debian, Ubuntu, LinuxMint e derivados

Para instalar a ferramenta para backups Duplicati no Linux no Linux Debian, Ubuntu, LinuxMint e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome duplicati.deb:

wget https://github.com/duplicati/duplicati/releases/download/v2.0.5.109-2.0.5.109_canary_2020-08-07/duplicati_2.0.5.109-1_all.deb -O duplicati.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i duplicati.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 5. Se depois precisar, desinstale o programa com o comando abaixo:

sudo apt-get install duplicati*

Instalando a ferramenta para backups Duplicati no Linux Fedora, RedHat, CentOS e derivados

Para instalar a ferramenta para backups Duplicati no Linux Fedora, RedHat, CentOS ou qualquer outra distro derivada desses, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome duplicati.rpm:

wget https://github.com/duplicati/duplicati/releases/download/v2.0.5.109-2.0.5.109_canary_2020-08-07/duplicati-2.0.5.109-2.0.5.109_canary_20200807.noarch.rpm -O duplicati.rpm

Passo 3. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall duplicati.rpm

Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install duplicati.rpm

Passo 5. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi duplicati.rpm

Passo 6. Se depois precisar, desinstale o programa com o comando abaixo:

sudo rpm -e duplicati.rpm

Pronto! Agora, quando quiser você pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite duplicati ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o divertido jogo Deer Portal no Linux via Snap

Se você curte jogo de tabuleiro multiplayer, conheça e veja como instalar o divertido jogo Deer Portal no Linux via Snap.

Deer Portal é um jogo de tabuleiro multiplayer dirigido pelos quatro elementos clássicos e pelo todo-poderoso Deer God.

Como instalar o divertido jogo Deer Portal no Linux via SnapComo instalar o divertido jogo Deer Portal no Linux via Snap

Esse é um jogo de tabuleiro em que você precisa se transferir para o Deus dos Cervos (Deer God). Para ter permissão para passar na transformação, você precisa presentear o Almighty Deer.

O Almighty Deer gosta de coisas brilhantes, então coletar diamantes é uma maneira de agradá-lo. Um jogador que possui a maioria dos diamantes no dia do julgamento – é um vencedor.

O resto está sendo jogado nas chamas do infinitivo, cheio de realidades em colapso, dobradas no tempo vazio.

Os diamantes estão sendo coletados movendo o personagem para o campo que contém um diamante, mas também agarrando uma runa que contém ação de diamante.
Como instalar o divertido jogo Deer Portal no Linux via Snap

Como instalar o divertido jogo Deer Portal no Linux via Snap

Como instalar o jogo Deer Portal no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o jogo Deer Portal via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo Deer Portal via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install deerportal

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install deerportal --candidate

Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

sudo snap install deerportal --beta

Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install deerportal --edge

Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh deerportal

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite deerportal ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo Deer Portal no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o jogo Deer Portal via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove deerportal

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Gosta de ouvir uma boa música e não está contente com o som do Ubuntu? Então veja como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer.

Áudio em Linux é algo bastante complexo que pode melhorar. Tudo interage com o servidor de som Pulse Audio.

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio EqualizerComo melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Muitos dispositivos de áudio diferentes e todos os programas comunicam com o sistema de alto-falantes do PC, a partir desse servidor. Por conta disso, tudo funciona e geralmente soa bem, pelo menos para a maioria das pessoas.

Contudo, se você além de um usuário Linux for também um amante de música, terá um grande problema com o Pulse.

Você poderá ficar desapontado ao descobrir que não pode ajustar toda a configuração de som do seu Linux (pelo menos facilmente) usando um equalizador.

Chato, não é mesmo? Felizmente, alguém criou um software que torna bastante fácil de ter um equalizador de todo o sistema instalado e funcionando.

O programa chama-se Pulse Audio Equalizer e certamente pode ajudar a melhorar o áudio do PC.

Nota: O Pulse Audio Equalizer é um projeto que está sem atualizações há um bom tempo. Por isso, se você encontrar quaisquer erros ou problemas, infelizmente, você está sem sorte.

Como instalar o Pulse Audio Equalizer e melhorar o áudio do PC

Para instalar o Pulse Audio Equalizer no Ubuntu para melhorar o áudio do pc e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Verifique qual a versão do seu sistema usando este comando:

lsb_release -rcs

Passo 3. Se você estiver usando Ubuntu 14.04, 14.10, 15.04, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:alex-wv/pulseaudio-equalizer-ppa

Passo 4. Se você estiver usando Ubuntu 12.04, 14.04, 15.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install pulseaudio-equalizer

Como instalar o Pulse Audio Equalizer manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório, e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Usando o Pulse Audio Equalizer para melhorar o áudio do pc

Este equalizador é simples e fácil de usar. Uma vez instalado, tudo que você precisa fazer é executá-lo (digitando equalizer no Dash ou em um terminal, seguido da tecla TAB), para abrir a janela de configuração principal.

A partir daqui, clique na seta abaixo de “Preset”. Percorra a lista e selecione a configuração que você acha que ficará melhor com o sistema de som do seu computador.

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Depois disso, apenas marque a caixa “EQ Enabled” (EQ habilitado), a caixa “Keep Settings” (Manter configurações) e clique no botão “Apply” (Aplicar).

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Como melhorar o áudio do PC com o Pulse Audio Equalizer

Isto se aplicará as configurações do equalizador diretamente para o sistema de som do Pulse (que também vai assumir como o principal saída de áudio no Pulse).

Suas configurações recém aplicadas devem entrar em vigor quase que imediatamente.

Desinstalando o Pulse Audio Equalizer no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Pulse Audio Equalizer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove pulseaudio-equalizer --auto-remove

Fonte

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

09 de agosto de 2020

Como instalar o jogo clone de Tétris ctris no Linux via Snap

Se você gosta de Tétris e quer se diverti no PC, conheça e veja como instalar o jogo clone de Tétris ctris no Linux via Snap.

CTris é um programa Tetris de linha de comando escrito em C++. Os desenvolvedores do jogo implementaram renderização personalizada, detecção de colisão e algoritmos de rotação.

Como instalar o jogo clone de Tétris ctris no Linux via SnapComo instalar o jogo clone de Tétris ctris no Linux via Snap

Feito para funcionar no terminal 80×24 padrão da maioria dos sistemas Linux, ele também funciona muito bem no subsistema Linux do Windows.

Como instalar o jogo clone de Tétris ctris no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o jogo clone de Tétris ctris via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo clone de Tétris ctris via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install ctris

Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

sudo snap install ctris --candidate

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh ctris

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite ctris ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo clone de Tétris ctris no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o jogo clone de Tétris ctris via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove ctris

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente SSH Termius no Linux via Snap

Se você procura uma opção para acessar servidores via ssh em diferentes sistemas, conheça e veja como instalar o cliente SSH Termius no Linux via Snap.

Termius é um terminal cliente que possui Telnet e SSH embutido.

Como instalar o cliente SSH Termius no LInux via SnapComo instalar o cliente SSH Termius no LInux via Snap

Anteriormente conhecido como Serverauditor, o programa é multiplataforma e está disponível para Linux, Windows, Mac, iOS e Android, ou seja, oferece emulação de terminal completa em todos os seus dispositivos.

Com o Termius você pode executar várias sessões de terminal concorrentes com SSH, Telnet e Mosh. Ele possui um ambiente de emulação robusto com suporte completo para Emacs, Vim e MC.

Caracteres especiais, cores e ferramentas de linha de comando funcionam exatamente como você esperaria.

E você não precisa se preocupar com infraestrutura e credenciais, pois estão organizadas muito bem e logicamente. O programa vem com recursos de organização poderosos.

Combine uma coleção de hosts em um grupo com configurações compartilhadas, facilmente configuradas no nível superior. Encontre sem esforço o que você procura com marcação, pesquisa e prévias ricas.

Secure Sync AES-256: Hosts, Port Forwarding rules, Snippets e Keys (opcional) podem ser sincronizados em todos os seus dispositivos.

Todos os dados são criptografados no lado do cliente, com conhecimento zero de armazenamento em nuvem e 2FA.

Para completar, alguns recursos pequenos que podem ajudar muito e economizadores de tempo, como preenchimento automático, conexão rápida, fragmentos e histórico, economizam segundos a cada sessão, minutos todos os dias e horas por semana.

Como instalar a versão mais recente do cliente SSH Termius no Linux em distros que suportam Snap

Para instalar o cliente SSH Termius no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o cliente SSH Termius no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale o programa, usando esse comando:

sudo snap install termius-app

Passo 3. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap, use:

sudo snap refresh termius-app

Passo 4. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove termius-app

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite termius no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Fonte

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o cliente Google Inbox Inboxer no Linux

Se você quer acessar o Gmail no seu desktop linux fora do navegador, conheça e veja como instalar o cliente Google Inbox Inboxer no Linux.

Não há dúvida de que o Gmail do Google é o serviço de e-mail gratuito mais popular e amplamente utilizado.

Como instalar o cliente Google Inbox Inboxer no LinuxComo instalar o cliente Google Inbox Inboxer no Linux

Os usuários podem acessar o Gmail na web e através de aplicativos móveis para Android e iOS, bem como através de programas de terceiros, como o Inboxer.

Inboxer é um cliente de desktop inbox livre, aberto e não oficial para Google Inbox criado com Electron.

Usando este aplicativo, você pode acessar seu Gmail como você faz na web ou através de qualquer aplicativo móvel.

O Inboxer parece quase o mesmo que a versão da Web da Caixa de Entrada do Gmail, e você não encontrará nenhuma diferença importante ao usá-lo. Porém, no Inboxer, é possível integrar várias contas do Gmail.

O aplicativo suporta todos os atalhos do teclado da caixa de entrada do Google e teclas configuráveis. Além disso, ele vem com alguns atalhos de teclado mais úteis por conta própria.

Como instalar o cliente Google Inbox Inboxer no Linux via arquivo AppImage

Para instalar o cliente Google Inbox Inboxer no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome inboxer.appimage:

wget https://github.com/denysdovhan/inboxer/releases/download/v1.3.2/inboxer-1.3.2-x86_64.AppImage -O inboxer.appimage

Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

chmod +x inboxer.appimage

Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

sudo ./inboxer.appimage

Integrando os aplicativos AppImage no sistema

Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite inboxer ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como usar o cliente Google Inbox Inboxer no Linux

Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja adicionar o ícone do programa no menu do seu aplicativo. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo no Terminal.

Em seguida, insira sua ID e senha do Gmail. Você verá um guia turístico rápido. Clique na seta para ver o que está no aplicativo Inboxer. Finalmente, você verá a sua caixa de entrada do Gmail.

A partir desse ponto, você pode ler, compor, excluir e-mails. Você também pode usar a caixa redonda de cores vermelhas no canto inferior direito para compor o correio ou ver os bate-papos recentes.

Clique nas três linhas horizontais no canto superior esquerdo, para ocultar/mostrar os painéis laterais.

Como você verá, a interface é quase igual à versão da web do Gmail, então não terá nenhum aborrecimento para usá-la, mesmo pela primeira vez.

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo TrackMania United Forever no Linux via Snap

Se você curte corridas e é fã da franquia TrackMania, conheça e veja com instalar o jogo TrackMania United Forever no Linux via Snap

TrackMania United Forever é o mais popular jogo de corrida para PC online. Ele oferece 7 ambientes de corrida diferentes; centenas de milhares de faixas e milhões de jogadores para competir.

Como instalar o jogo TrackMania United Forever no Linux via Snap

Como instalar o jogo TrackMania United Forever no Linux via Snap

Você pode fazer o download do carro com o qual está sonhando, pintá-lo, conduzi-lo por trilhas insanas feitas de loops, rampas e estradas. É tudo sobre você, suas habilidades de condução e a pista à sua frente.

Como instalar o jogo TrackMania United Forever no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o jogo TrackMania United Forever via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo TrackMania United Forever via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install tmunitedforever

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install tmunitedforever --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh tmunitedforever

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite tmunitedforever ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo TrackMania United Forever no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o jogo TrackMania United Forever no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove tmunitedforever

Veja também

Você também pode instalar uma outra versão desse jogo usando esse outro tutorial:
Como instalar o jogo TrackMania Nations Forever no Linux via Snap

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o utilitário RetroShare no Linux via Flatpak

Se você quer se conectar a seus amigos e familiares com segurança, conheça e veja como instalar o utilitário RetroShare no Linux via Flatpak.

RetroShare é um utilitários que estabelece conexões criptografadas entre você e seus amigos para criar uma rede de computadores e fornece vários serviços distribuídos: fóruns, canais, bate-papo, correio e etc.

Como instalar o utilitário RetroShare no Linux via FlatpakComo instalar o utilitário RetroShare no Linux via Flatpak

Ele é totalmente descentralizado e projetado para fornecer segurança e anonimato máximos aos seus usuários, além de amigos diretos.

O Retroshare é um software totalmente gratuito e de código aberto. Não há custos ocultos, anúncios ou termos de serviço. Além disso, ele está disponível no Android, Linux, MacOS e Windows.

O Retroshare pode opcionalmente ser usado nas redes Tor e I2P. Fazendo isso, até nós amigos não podem ver seu IP, o que permite conectar-se com segurança e anonimamente a pessoas desconhecidas.

Como instalar o RetroShare no Linux via Flatpak

Para instalar o RetroShare via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

Depois, você pode instalar o RetroShare via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/cc.retroshare.retroshare-gui.flatpakref

Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

flatpak --user update cc.retroshare.retroshare-gui

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run cc.retroshare.retroshare-gui em um terminal.

Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite retroshare ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o RetroShare no Linux via Flatpak

Para desinstalar o RetroShare via Flatpak, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

flatpak --user uninstall cc.retroshare.retroshare-gui

Ou

flatpak uninstall cc.retroshare.retroshare-gui

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Como instalar o jogo DevilutionX no Linux via Snap

Se você curte o game Diablo e quer jogá-lo no sistema do pinguim, conheça e veja como instalar o jogo DevilutionX no Linux via Snap.

DevilutionX é uma reimplementação do mecanismo que alimenta o Diablo 1 da Blizzard, desenvolvido por uma análise cuidadosa e profunda dos arquivos originais do jogo.

Como instalar o jogo DevilutionX no Linux via SnapComo instalar o jogo DevilutionX no Linux via Snap

Ele permite que você jogue o Diablo 1 em uma ampla variedade de sistemas operacionais, incluindo Linux.

Mas, mesmo que o DevilutionX seja um projeto de código aberto, os arquivos do jogo Diablo 1 não são gratuitos e protegidos pelos direitos autorais da Blizzard. Portanto, você precisa fornecer sua própria cópia legítima do jogo.
Como instalar o jogo DevilutionX no Linux via Snap

Como instalar o jogo DevilutionX no Linux via Snap
Como instalar o jogo DevilutionX no Linux via Snap

Como instalar o jogo DevilutionX no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para instalar o jogo DevilutionX via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

Depois, você pode instalar o jogo DevilutionX via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

sudo snap install devilutionx

Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

sudo snap install devilutionx --edge

Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

sudo snap refresh devilutionx

DevilutionX é lançado para o domínio público. A documentação e a funcionalidade fornecidas pela Devilution só podem ser utilizadas com ativos fornecidos pela propriedade da Diablo.

Para jogar, você precisa obter uma cópia legítima dos arquivos do jogo Diablo, copiando-os de um CD original do jogo ou extraindo-os da versão do GoG.com.

Após instalar o DevilutionX, copie o arquivo diabdat.mpq dos arquivos do jogo Diablo para o seguinte diretório:
~/snap/devilutionx/common

Por fim, verifique se o nome do arquivo está apenas em minúsculas.

Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite devilutionx ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como desinstalar o jogo DevilutionX no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

Para desinstalar o jogo DevilutionX via Snap, fazendo o seguinte:

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo snap remove devilutionx

O que está sendo falado no blog

<a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

Let's block ads! (Why?)

Streama no Linux – Crie seu próprio Netflix pessoal

Se você quer ter seu próprio Netflix pessoal no PC, conheça e veja como instalar o Streama no Linux. Depois, é só preparar a pipoca.

O Streama é um servidor de streaming de mídia hospedado de forma gratuita, rodando em Java, e que você pode instalar em sua distribuição Linux favorita.

Streama no Linux - Crie seu próprio Netflix pessoalStreama no Linux – Crie seu próprio Netflix pessoal

Suas características são semelhantes às da Kodi e do Plex, e é simplesmente uma questão de escolha pessoal qual delas você gostaria de usar.

Algumas das características mais interessantes incluem:

  • Gerenciamento fácil de mídia – usando arrastar e soltar;
  • Multi usuário;
  • Navegador de arquivos;
  • Belo vídeo player;
  • Sincronização ao vivo assistindo remotamente;
  • Filmes e programas relacionados;
  • Fácil configuração para local ou remoto.

O Streama pode ser instalado em diferentes distribuições, mas como os desenvolvedores dizem, ele não terá um bom desempenho em sistemas mais antigos, o suporte para Raspberry Pi também não está incluído no momento. Ele Também requer um mínimo de 2 GB de RAM.
 
Você pode experimentar a demonstração ao vivo do Streama e seus recursos, antes de instalá-lo em seu servidor, acessando o endereço

  • https://demo.streamaserver.org/
  • e usando o usuário e senha demoUser

    Como instalar o Streama no Linux

    Para instalar o Streama, primeiramente, você precisa instalar o Java 8, como recomendado, já que o Streama pode não funcionar com Java 7 ou 10.

    Java no Linux: veja como Instalar manualmente

    Em seguida, para instalar o Streama no Linux, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Crie uma pasta onde você irá armazenar os arquivos do Streama, no meu caso deve ser /home/user/streama (você pode escolher outro diretório, se quiser);

    mkdir ~/streama

    Passo 3. Em seguida, entre na pasta do streama;

    cd ~/streama

    Passo 4. Faça o download da última versão do Streama na página do software no GitHub ou use o comando wget a seguir para fazer o download salvá-lo como streama.war;

    wget https://github.com/streamaserver/streama/releases/download/v1.9.1/streama-1.9.1.jar -O streama.war

    Passo 5. Uma vez baixado, dê permissão de execução ao arquivo .war;

    chmod +x streama.war

    Passo 6. Agora, você já pode iniciar o servidor Streama usando o seguinte comando;

    java -jar streama.war

    Aguarde alguns segundos e espere até ver uma mensagem com esta:

    Grails application running at http://localhost:8080 in environment: production

    Agora abra seu navegador para acessar a URL fornecida: http://localhost:8080. Você deve ver a página de login do Streama. Pela primeira vez login você deve usar as seguintes credenciais (depois de logar, lembre-se de mudar essas credenciais):

    Usuário: admin
    Senha: admin

    Depois de fazer o login, você será solicitado a inserir algumas opções de configuração. Alguns dos mais importantes:

    • Upload Directory – diretório onde seus arquivos serão armazenados. Você deve usar o caminho completo;
    • Base URL – o URL que você usará para acessar seu Streama. Ele já está preenchido, mas você pode alterá-lo, caso deseje acessar o Stream com um URL diferente;
    • Streama Title – o título da sua instalação do Streama. O padrão é definido como Streama.

    Streama no Linux - Crie seu próprio Netflix pessoal

    Streama no Linux - Crie seu próprio Netflix pessoal

    As outras opções não são necessárias e você pode preenchê-las se quiser ou deixá-las com seus valores padrão.

    Em seguida, você pode ir para a seção ‘Manage content’ (Gerenciar conteúdo) e usar o gerenciador de arquivos para revisar seus arquivos de mídia.

    Streama no Linux - Crie seu próprio Netflix pessoal

    Streama no Linux - Crie seu próprio Netflix pessoal

    Você pode fazer upload dos arquivos diretamente no ‘Upload Directory’, que você definiu anteriormente.

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o compartilhador de tela de aplicativo ScreenCloud no Ubuntu

    Se você quer mostrar a tela de um programa, conheça e veja como instalar o compartilhador de tela de aplicativo ScreenCloud no Ubuntu e derivados.

    O ScreenCloud é um software livre de compartilhamento de captura, composto por um cliente multi-plataforma e um site de compartilhamento.

    Como instalar o compartilhador de tela de aplicativo ScreenCloud no UbuntuComo instalar o compartilhador de tela de aplicativo ScreenCloud no Ubuntu

    Com os plugins, o aplicativo também suporta o upload para outros serviços on-line, por exemplo, servidor FTP, Imgur e Dropbox.

    Como instalar o compartilhador de tela de aplicativo ScreenCloud no UbuntuComo instalar o compartilhador de tela de aplicativo ScreenCloud no Ubuntu

    Resumindo, as principais características do ScreenCloud são as seguintes:

    • Multiplataforma: funciona no Windows, Mac e Linux;
    • Rápido e fácil: encaixe uma foto, cole o link, pronto;
    • Suporta plugins: o que permite salvar em Dropbox, Imgur, etc;
    • Possui um editor de tela embutido.

    Como instalar o compartilhador de tela de aplicativo ScreenCloud no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o ScreenCloud no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo sh -c "echo 'deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/olav-st/xUbuntu_$(lsb_release -rs)/ /' >> /etc/apt/sources.list.d/screencloud.list"

    Passo 3. Baixe e instale a chave do repositório usando o comando abaixo;

    wget http://download.opensuse.org/repositories/home:olav-st/xUbuntu_$(lsb_release -cs)/Release.key && sudo apt-key add Release.key

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install screencloud

    Como instalar o compartilhador de tela de aplicativo ScreenCloud manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB/RPM do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite screencloud no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o ScreenCloud no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o ScreenCloud no Ubuntu, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove screencloud --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    elementary OS 6 promete nova aparência, novo instalador e muito mais

    O desenvolvedor Cassidy James Blaede revelou que o elementary OS 6 promete nova aparência, novo instalador e muitas outras novidades. Confira!

    O elementary OS é uma distribuição baseada no Ubuntu que apresenta o ambiente de desktop Pantheon e um conjunto de aplicativos customizado.

    Esse sistema vem com um ambiente de área de trabalho chamado Pantheon e muitos aplicativos personalizados, incluindo fotos, músicas, vídeos, calendário, terminal, arquivos e muito mais.

    Agora, os desenvolvedores por trás do sistema operacional elementary revelaram alguns dos próximos recursos a serem incluídos no próximo grande lançamento de seu sistema operacional baseado no Ubuntu, o OS 6 elementar.

    elementary OS 6 promete nova aparência, novo instalador e muito mais

    elementary OS 6 promete nova aparência, novo instalador e muito maiselementary OS 6 promete nova aparência, novo instalador e muito mais
    O elementary OS 6 está sob intenso desenvolvimento atualmente, e o desenvolvedor Cassidy James Blaede compartilhou hoje um pouco do trabalho que está acontecendo nos bastidores.

    Ele acaba de revelar em seu blog uma parte das principais mudanças que ocorrerão no elementary OS 6, com lançamento previsto para este ano.

    O elementary OS 6 também promete atualizações importantes em relação aos aplicativos de comunicação e organização, implementando suporte para mais provedores de serviços de Internet e permitindo o suporte para eventos de calendário ou sincronização de correio em vários aplicativos.

    O aplicativo Mail padrão será reescrito e um novo aplicativo Tasks também será incluído.

    O elementary OS 6 promete uma nova aparência. O que está mudando ao lado do papel de parede padrão? Bem, a tipografia e a folha de estilo do sistema, que aparentemente afeta quase tudo no sistema, desde o painel e aplicativos padrão a todos os aplicativos selecionados no AppCenter.

    Os desenvolvedores dizem que os usuários devem esperar um novo estilo escuro para o Dock, sobreposição de atalhos de teclado, indicadores de painel, caixas de diálogo do sistema e outros componentes, contraste aprimorado, design geral mais refinado, bem como suporte para cores de destaque selecionadas pelo usuário para aplicativos .

    Haverá também um novo instalador, que aparentemente beneficia os OEMs, mas também os recém-chegados, graças a uma experiência de primeira execução mais amigável, bem como uma instalação mais rápida e simplificada.

    O elementary OS 6 também promete suporte multi-touch aprimorado. Claro, haverá muito mais novidades no próximo lançamento, que será baseado na série do sistema operacional Ubuntu 20.04 LTS (Focal Fossa), e isso será revelado a tempo durante todo o ciclo de desenvolvimento.

    A maioria dos usuários provavelmente desejará esperar pelo lançamento final antes de atualizar, mas os primeiros a adotar e verdadeiros fãs de sistema operacional elementary que desejam ter um gostinho dos novos recursos e melhorias podem fazê-lo assinando elementary OS Early Access Builds.

    O que está sendo falado no blog

    Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    YouTube Viewer: um completo cliente YouTube para Linux

    Complementando a nossa lista de opções para baixar vídeos do YouTube no Linux, conheçam outro app cliente desse serviço de vídeos, o YouTube Viewer.

    YouTube Viewer é um aplicativo escrito em Perl que podem ser usados para pesquisar, reproduzir e baixar vídeos do YouTube.

    YouTube Viewer: um completo cliente YouTube para Linux

    O programa possui uma interface gráfica, baseada em GTK2 e outra de linha de comando (chamada “youtube-viewer”) e oferece uma ampla gama de recursos, como uma pesquisa avançada, navegação de categorias do YouTube, visualização de suas assinaturas, favoritos ou vídeos recomendados, visualização completa das informações de vídeo e muito mais.

    YouTube ViewerYouTube Viewer: um completo cliente YouTube para Linux

    Seu escopo é procurar e reproduzir vídeos do YouTube em um player nativo. Ele vem com várias opções de pesquisa; Pode procurar vídeos, listas de reprodução e/ou canais.

    Os vídeos são transmitidos diretamente em um player de vídeo selecionado com a melhor resolução (customizável) e com legendas fechadas (se disponível).

    YouTube Viewer: um completo cliente YouTube para Linux

    YouTube Viewer: um completo cliente YouTube para Linux

    Por padrão, o aplicativo vem com suporte para três players de vídeo: MPV (recomendado), MPlayer e VLC, e permite a adição de mais jogadores dentro do arquivo de configuração.

    Para uma melhor experiência, o aplicativo também vem com suporte de autenticação embutido, usando o mecanismo OAuth 2.0. Depois de inserir o token de autenticação, aparecerá uma nova guia, denominada “Meu painel” com botões que levam a opções de vídeo.

    YouTube Viewer

    YouTube Viewer

    Como instalar o YouTube Viewer no Ubuntu e seus derivados

    YouTube Viewer está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install youtube-viewer.

    No entanto, em versões mais antigas, para instalar o YouTube Viewer no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Embora o YouTube Viewer suporte vários players de vídeo, agora ele só funciona corretamente com MPV. Para instalar ele, use o comando abaixo;

    sudo apt-get install mpv

    Passo 3. Adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install youtube-viewer

    Como instalar o YouTube Viewer manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na página de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite youtube no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o programa no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove youtube-viewer --auto-remove

    Como instalar o YouTube Viewer em outras distribuições Linux

    Usuários do Arch Linux pode instalar YouTube Viewer (GIT) via AUR: cli | gtk
    Para fazer isso, use o Yaourt:
    Como instalar e usar o Yaourt no Arch Linux e derivados

    Para outras distribuições Linux, consulte as páginas do Google Code e GitHub YouTube Viewer.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o Docker no Ubuntu 20.04 e derivados

    Se você quer simplificar e gerenciar melhor contêineres nos seu sistema, Conheça e veja como instalar o suporte a Docker no Ubuntu 20.04 e derivados.

    É muito provável que você saiba ou tenha ouvido falar do Docker. Essa maravilha é uma ótima solução para problemas de implantação de software.

    Como instalar o Docker no Ubuntu 20.04 e derivadosComo instalar o Docker no Ubuntu 20.04 e derivados

    O Docker é um projeto de código aberto projetado para automatizar a implementação em larga escala de aplicativos em contêineres.

    A ideia de fazer isso é fornecer camadas de abstração que permitem que um programa seja executado, independentemente do sistema operacional que ele executa.

    Portanto, isso é muito útil para os administradores de sistemas que gerenciam muitos computadores diferentes.

    Combinar Docker com o Ubuntu 20.04 é praticamente uma aposta segura para a eficiência e facilidade de manuseio de contêineres.

    Mas mesmo com todo esse poder, Docker é fácil de instalar, e este artigo irá mostrar como instalar o Docker no Ubuntu 20.04.

    Como instalar o Docker no Ubuntu 20.04 e derivados

    Para instalar o Docker no Ubuntu 20.04 e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Use o comando abaixo para atualizar o sistema;

    sudo apt update && sudo apt upgrade

    Passo 3. Instale alguns pacotes necessários à instalação do Docker, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get install apt-transport-https ca-certificates curl gnupg software-properties-common

    Passo 4. Em seguida, adicione a chave GPG do repositório do Docker. Isso serve para adicionar ainda mais segurança aos pacotes que serão baixados;

    curl -fsSL https://download.docker.com/linux/ubuntu/gpg | sudo apt-key add -

    Passo 5. Use o comando abaixo para adicionar o repositório do Docker;

    sudo add-apt-repository "deb [arch=amd64] https://download.docker.com/linux/ubuntu $(lsb_release -cs) stable"

    Passo 6. É hora de instalar o Docker. Para isso, execute o seguinte comando;

    sudo apt install docker-ce

    Passo 7. No final da instalação, para ter o serviço endo executado na inicialização do sistema, use esses comndos;

    sudo systemctl enable docker
    sudo systemctl start docker

    Passo 8. Para garantir que o Docker esteja totalmente funcional, é uma boa ideia verificar o status do serviço;

    sudo systemctl status docker

    Passo 9. Finalmente, veja a versão do Docker.

    docker -v

    Agora que o Docker está instalado corretamente, vamos fazer os primeiros testes.

    O Docker tem muitas imagens para quase tudo. É necessário procurar o que queremos, baixá-lo e usá-lo.

    Por exemplo, para procurar uma imagem que contenha um servidor LAMP, use o seguinte comando:

    sudo docker search lamp

    Em seguida, use o comando abaixo para instalar a imagem escolhida:

    sudo docker pull nickistre/ubuntu-lamp-wordpress

    Se você quiser listar todas as imagens que você instalou. Você pode fazer isso com este comando:

    sudo docker images

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o suporte a Docker no Linux via Snap

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

    Se você trabalha com arquivos multimídia e quer gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux, conheça 11 comandos do Avconv para fazer isso.

    Gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux pode não ser uma tarefa muito trivial, mas o Avconv ajuda muito nisso.

    11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

    A ferramenta Avconv faz parte do pacote libav-tools e existem muitas formas de usá-la para lidar com stream de multimídia e arquivos.

    Se você quiser experimentar outras opções de edição de vídeos, consulte esses tutoriais:

    11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

    .

    Nesse tutorial, você conhecerá algumas dessas opções para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux, usando o Avconv.

    Só para ter certeza, para usar os comandos a seguir você precisa ter a função “avconv” instalado para usar. Se você usar Ubuntu, Debian ou qualquer distro derivada deles, faça o procedimento abaixo.

    Como instalar o pacote libav-tools no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o libav-tools no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install libav-tools

    Como instalar o pacote libav-tools em outras distribuições Linux

    Abra o gerenciador de pacotes de sua distribuição e procure pelo pacote libav-tools, depois instale-o.

    Usando os comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

    .

    Agora que você tem o pacote instalado, conheça agora os comandos.

    1. Obtendo informações sobre um arquivo multimídia

    Se você quiser obter alguma informação sobre qualquer arquivo multimídia, execute o seguinte comando usando a opção ‘- i’ (informação) com o comando avcon e seu arquivo de áudio ou vídeo.

    avconv -i arquivo.mp4 

    2. Extraindo o áudio de um arquivo multimídia

    Para extrair o somente áudio a partir de qualquer arquivo multimídia para outro arquivo, você pode executar o comando a seguir:

    avconv -i arquivo.mp4 -vn -f wav arquivo-som.wav

    Observações sobre o comando acima:

    • Não se esqueça de substituir o nome do arquivo de entrada (arquivo.mp4) pelo nome do arquivo de vídeo;
    • -vn é uma opção que usada para remover o vídeo do arquivo multimídia;
    • -f wav é o que define o formato que o arquivo de saída usará. Se quiser, você pode mudar para “mp3” ou “webm”;
    • arquivo-som.wav é o nome do arquivo de saída.

    3. Extraindo o vídeo a partir de arquivo e um arquivo multimídia

    Você também pode extrair só o vídeo a partir de um arquivo multimídia que contém vídeo e áudio, usando o seguinte comando:

    avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 -an -f mp4 arquivo-video.mp4

    Observações sobre o comando acima:

    • Não se esqueça de substituir o nome do arquivo de entrada (arquivo.avi) pelo nome do arquivo de vídeo;
    • -an é uma opção para deixar o áudio do arquivo;
    • -f mp4 é o formato que será usado para o novo arquivo, você pode mudar para “mkv”, “ogg” .. etc. Mas lembre-se, ao fazer isso, você terá que mudar o “video.mp4” para “vídeo.mkv” também.;

    4. Convertendo do formato .avi para .mkv

    Para converter um arquivo .avi para o formato .mkv, use o seguinte comando:

    avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 arquivo.mkv

    Observações sobre o comando acima:

    • -i arquivo.avi é o arquivo que deseja converter (-i = -input).;
    • -vcodec é uma opção usada para escolher um codec de vídeo para usar durante o processamento da conversão, no caso do exemplo, é “libx264”, esta opção é importante para manter a qualidade do vídeo como ele é.
    • arquivo.mkv é o nome do arquivo de saída;

    5. Convertendo do formato .mp4 para .avi

    Para converter um arquivo .mp4 para o formato .avi, execute o seguinte comando.

    avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 arquivo.avi

    6. Convertendo do formato .mp3 para .wav

    Nada de novo aqui, você entra com um arquivo em um formato e gera um novo em outro formato.

    Entretanto, nesse caso é necessário usar a opção -vcodec libx264, porque se trata da conversão de um arquivo de áudio para outro arquivo de áudio, ou seja, não há nenhum vídeo aqui.

    Assim, para converter um arquivo .mp3 para formato o formato .wav, execute o seguinte comando.

    avconv -i arquivo.mp3 arquivo.wav

    7. Convertendo do formato .yuv para .avi

    Para converter um arquivo .yuv para o formato .avi, execute o seguinte comando.

    avconv -i arquivo.yuv arquivo.avi

    8. Mesclar vídeo e áudio juntos

    Para mesclar um arquivo de vídeo com um arquivo de áudio em conjunto, execute o seguinte comando.

    avconv -i arquivo.wav -i arquivo.avi arquivo.mkv

    Você pode substituir “arquivo.mkv” com “arquivo.avi” ou qualquer outro formato suportado pelo Libav (não se preocupe com isso, experimente e veja como fica).

    9. Convertendo vídeo em imagens

    Para converter um arquivo de vídeo em várias imagens diferentes, você pode executar o comando a seguir:

    avconv -i arquivo.mp4 -r 1 -s 1366x768 -f image2 image-%03d.png

    Observações sobre o comando acima:

    • -r 1: é o número de quadros que será usado por imagem, quanto maior, mais imagens serão criadas;
    • 1366×768: é a largura e altura que será usada na geração das imagens, você pode substituí-la por qualquer outro tamanho que você quiser;
    • image-%03d.png: é o formato de nome de imagem, se você tentou o comando, ele vai criar muitas imagens como “image-001.png” , “image-002.png”.. etc. Se quiser, você pode substituir a extensão “png” por “jpg” ou “jpeg”;

    10. Mais opções para usar com Libav

    A Libav possui uma coisa incrível chamada “filtros”. Usando filtros, você pode fazer muitas coisas boas com os seus arquivos multimídia. Por exemplo, ter o seguinte comando.

    avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 -vf "drawbox=x=50:y=50:width=400:height=300:color=red@0.5" novo-arquivo.avi

    Observações sobre o comando acima:

    • -vf: é uma opção para aplicar um filtro de vídeo (se você quiser usar um filtro de áudio, substitua-o por -af);
    • drawbox=x=50:y=50:width=400:height=300:color=red@0.5: Aqui foi aplicado um filtro chamado “drawbox” que desenha uma caixa vermelha com 400 de largura e 300 de altura em x = 50 e y = 50;

    E aqui está o resultado do comando acima.

    11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

    11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

    Agora experimente o comando abaixo, que usa o filtro transpose=cclock para girar o vídeo em 90 graus no sentido horário.

    avconv -i arquivo.avi -vcodec libx264 -vf "transpose=cclock" novo-arquivo.avi

    E aqui está o resultado do uso do comando acima.

    11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

    11 comandos Avconv para gravar, converter e extrair vídeos e áudio no Linux

    11. Registro tty como um Vídeo

    Este comando deve ser utilizado pelo usuário root, ele não vai funcionar sem sudo, porque requer o acesso ao dispositivo framebuffer (fbdev). Fbdev é o dispositivo de entrada framebuffer Linux, este dispositivo é o responsável por mostrar os gráficos do console.

    sudo avconv -f fbdev -r 30 -i /dev/fb0 arquivo.avi

    Observações sobre o comando acima:

    • * -r 30: é o número de quadros por segundo.;
    • * -i /dev/fb0: é o que está nó executando o arquivo de dispositivo, usando essa opção, você será capazes de capturar o vídeo da tty;

    Incrível não é mesmo? Existem muitos outros bons filtros para serem usados com os seus arquivos multimídia, ao lado de muitos outros modos de uso para avconv, você pode vê-los todos a partir da documentação oficial.

    Se você já experimentou o Libav antes e sabe de outros comandos importantes para avconv, escreva nos comentários e compartilhe eles com pessoal que lê o blog. vamos lá, participe!

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Sysget – Conheça e instale este Frontend de gerenciamento de pacotes

    Se você quer gerenciar os pacotes de diferentes sistemas Linux, conheça o Sysget e instale este Frontend de gerenciamento de pacotes.

    No mundo Linux, há várias plataformas e variações disponíveis. É como um mundo misterioso de quebra-cabeças.

    Cada sabor apresenta diferentes conjuntos de ferramentas e gerenciador de pacotes. Não há um perfeito. Você tem que experimentar cada um deles e descobrir o que melhor se adapta a si mesmo.

    Você provavelmente conhece o problema quando está em uma nova distribuição e não sabe nada sobre o gerenciador de pacotes.

    Para manter seu sistema atualizado, o gerenciador de pacotes é o responsável.

    Sysget - Conheça e instale este Frontend de gerenciamento de pacotesSysget – Conheça e instale este Frontend de gerenciamento de pacotes

    Vários sistemas Linux usam gerenciadores de pacotes diferentes, por exemplo, apt (Ubuntu), zypper (openSUSE), yum (legado Fedora, Enterprise Linux), dnf (Fedora) pacman (Arch Linux) e snap etc.

    Lembrar todos os comandos para eles é realmente difícil e pode se tornar extremamente confuso. Para salvar você da situação, o Sysget é uma solução poderosa.

    O sysget é uma ponte que permite usar uma sintaxe para cada gerenciador de pacotes em cada sistema operacional baseado em unix.

    Pode se tornar um front-end para todos os gerenciadores de pacotes. Basicamente, é uma ponte entre você e o gerenciador de pacotes.

    Você envia um comando para ‘sysget’ e ‘sysget’ traduz de acordo com o gerenciador de pacotes do seu sistema.

    Com o sysget você só precisa lembrar de uma sintaxe para cada gerenciador de pacotes. A sintaxe é basicamente a mesma com o apt-get, então deve ser fácil de usar.

    O Sysget é uma ferramenta útil, especialmente para os novos usuários do Linux, pois apresenta todas as funcionalidades de um gerenciador de pacotes: busca por pacote, instalação e desinstalação de pacotes, atualização e upgrade do sistema, atualização de pacote único e limpeza do cache do gerenciador de pacotes.

    No entanto, o sysget não é um gerenciador de pacotes sozinho. Basicamente, ele oferece um front-end simples ao trabalhar com o gerenciador de pacotes do seu sistema em harmonia.

    Como instalar o Sysget no Linux

    Para instalar o instalar o Sysget no Linux, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Baixe o sysget com o seguinte comando;

    sudo wget https://github.com/emilengler/sysget/releases/download/v2.3/sysget -O /usr/local/bin/sysget

    Passo 3. Use o comando abaixo para criar uma pasta para o Sysget;

    sudo mkdir -p /usr/local/share/sysget

    Passo 4. Finalmente, ajuste as permissões do Sysget;

    sudo chmod a+x /usr/local/bin/sysget

    Como usar o Sysget no Linux

    Agora é hora de usar o “sysget”. Para isso, execute o seguinte comando:

    sudo sysget

    Na lista, você precisa escolher o gerenciador de pacotes do seu sistema. Se você não tem certeza, pode obter ajuda da Internet. Aqui está uma pequena lista:

    Ubuntu/Debian - apt-get
    OpenSUSE - zypper
    Fedora - dnf
    RHEL/CentOS - yum
    Arch Linux - pacman

    Para instalar um pacote, use:

    sudo sysget install nomedopacote

    Para remover um pacote, use:

    sudo sysget remove nomedopacote

    Para atualizar e fazer um upgrade do seu sistema, use:

    sudo sysget update && sudo sysget upgrade

    Para remover pacotes desnecessários, use:

    sudo sysget autoremove

    Para limpar o cache do gerenciador de pacotes, use:

    sudo sysget clean

    Não se esqueça de atualizar o cache do sistema posteriormente,usando:

    sudo sysget update

    E se precisar de ajuda com sysget, use:
     

    sudo sysget help

    E então? Gostou desse aplicativo?

    Sim ou não, deixe sua opinião nos comentários!

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o app WordPress Desktop no Linux via Snap

    Se você trabalha com sites usando o WordPress, conheça e veja como instalar o aplicativo WordPress Desktop no Linux via Snap e pacote DEB.

    O WordPress é um dos melhores gerenciadores de conteúdo da atualidade, que aliás, eu uso no Blog. Ele é simples, prático e suportado pela maioria dos provedores (inclusive, uma ótima opção de hospedagem WordPress é o Weblink).

    Como instalar o app WordPress Desktop no LinuxComo instalar o app WordPress Desktop no Linux

    Apesar de ser acessível via navegador, o WordPress também possui um app, chamado de WordPress Desktop. Ele foi criado para ser uma forma de colocar o WordPress permanentemente na área de trabalho do usuário.

    Para evitar qualquer confusão, saiba que este aplicativo não configura ou instala uma cópia local da pilha completa do CMS WordPress.

    Não, o aplicativo é um simples font-end: É um editor que permite que você leia, publique, edite e gerencie blogs ativados pelo WordPress, incluindo os auto-hospedados que têm o plug-in Jetpack ativado e os que executam no WordPress.com

    Frente a tradicional interface de administração do WordPress a nova (e de código aberto) interface “Calypso” do programa é mais rápida, mais enxuta e mais responsiva.

    O programa se conecta ao seu blog WordPress como se fosse um aplicativo de terceiros. Ele usa JavaScript e APIs REST para buscar e publicar posts, fazer upload de fotos e até mesmo executar atualizações de plugins, adicionar widgets e alternar temas.

    Contudo, o WordPress Desktop é muito mais do que um wrapper Web (um serviço web dentro de uma janela autônoma de navegador).

    Este aplicativo é um pouco mais do que apenas um invólucro em torno do site wordpress.com que você pode usar em qualquer navegador web, pois agrupa todo o site como uma cópia local.

    Isso proporciona tempos de carregamento de página mais rápidos e uma experiência de aplicativo de uma única página.

    Como instalar o WordPress Desktop no Linux

    Para instalar o WordPress Desktop no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

    Como instalar a versão mais recente do WordPress Desktop no Linux em distros que suportam Snap

    Para instalar o WordPress Desktop no Linux via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o WordPress Desktop no Linux via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

    sudo snap install wordpress-desktop

    Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

    sudo snap install wordpress-desktop --candidate

    Passo 4. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

    sudo snap install wordpress-desktop --beta

    Passo 5. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

    sudo snap install wordpress-desktop --edge

    Passo 6. Mais tarde, se você precisar atualizar o snap do programa, use:

    sudo snap refresh wordpress-desktop

    Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove wordpress-desktop

    Como instalar o WordPress Desktop no Linux Ubuntu, Debian e derivados

    Quem quiser instalar o WordPress Desktop no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wordpress.deb:

    wget "https://public-api.wordpress.com/rest/v1.1/desktop/linux/download?type=deb" -O wordpress.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i wordpress.deb

    Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 5. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo apt-get remove wordpress

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wordpress no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Conheça melhor o hardware do seu equipamento com o CPU-X no Linux

    Se você está na dúvida sobre o que realmente tem no seu computador, conheça melhor o hardware do seu equipamento com o CPU-X no Linux.

    CPU-X é um software gratuito que coleta informações sobre CPU, placa mãe e muito mais. Ele é semelhante ao CPU-Z (Windows), mas o CPU-X é um software livre e de código aberto desenvolvido para Linux e FreeBSD.

    Conheça melhor o hardware do seu equipamento com o CPU-X no LinuxConheça melhor o hardware do seu equipamento com o CPU-X no Linux

    Este software é escrito em C e construído com a ferramenta CMake. Pode ser usado no modo gráfico usando GTK ou no modo baseado em texto usando NCurses. Um modo de despejo está presente na linha de comando.

    Se podemos usar CPU-Z no Android e Windows, no Linux, podemos encontrar alternativas como este programa. Esta aplicação é muito útil para usuários que desejam ver as especificações detalhadas do hardware de seus computadores no Ubuntu ou em outras distribuições Linux.

    Que informações poderemos consultar com o CPU-X?

    A CPU-X versão 3.2.4 pode nos falar sobre:

    • A CPU é a guia com a qual o programa será aberto. Nele podemos ver as informações sobre o processador ou CPU.
    • Caches é a segunda guia. Ele nos mostrará informações sobre o cache L1, cache L2 e cache L3. Um cache é um componente que armazena dados para que solicitações futuras desses dados possam ser atendidas mais rapidamente.
    • Motherboard é a terceira guia. Nele você pode encontrar informações sobre a placa-mãe do computador, o BIOS ou o chipset.
    • Memory é a quarta guia e mostra informações em tempo real sobre a RAM.
    • Na quinta aba, encontraremos a aba System. Isso nos mostrará informações sobre o equipamento e a memória.
    • Em sexto lugar, encontraremos a guia Graphics. Isso exibirá informações sobre a placa gráfica.
    • Bench é a sétima guia e nesta seção podemos executar alguns testes de benchmark no sistema.
    • A última guia é a guia About. Aqui podemos encontrar informações sobre o programa, o autor e a licença do programa.

    Como instalar o CPU-X no Linux via arquivo AppImage

    Para instalar o CPU-X no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome cpux.appimage:

    wget https://github.com/X0rg/CPU-X/releases/download/v4.0.1/CPU-X-v4.0.1-x86_64.AppImage -O cpux.appimage

    Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

    chmod a+x cpux.appimage

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

    sudo ./cpux.appimage --install

    Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite cpu ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Com o CPU-X no Linux, para obter mais informações sobre este programa, os usuários podem consultar a página GitHub do projeto ou o Wiki do projeto.
    CPU-Z para Linux – instale CPU-G no Ubuntu e saiba mais sobre seu PC

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar a ferramenta para desempenho de jogos GameMode no Linux

    Se você curte jogos e quer se divertir no sistema do pinguim, veja como instalar a ferramenta para desempenho de jogos GameMode no Linux.

    Pergunte a alguns usuários do Linux por que eles ainda usam o boot duplo do Windows, provavelmente a resposta seria – “Games!”.

    Como instalar a ferramenta para desempenho de jogos GameMode no LinuxComo instalar a ferramenta para desempenho de jogos GameMode no Linux

    Felizmente, as plataformas de jogos de código aberto, como a plataforma de jogos proprietária da Lutris e a Steam, trouxeram muitos jogos para as plataformas Linux e melhoraram significativamente a experiência de jogos do Linux ao longo dos anos.

    Mas agora, já existe uma ferramenta de software livre relacionada a jogos Linux chamada GameMode, que permite aos usuários melhorar o desempenho dos jogos no Linux.

    O GameMode é uma ferramenta de sistema livre e de código aberto desenvolvida pela Feral Interactive, uma editora líder mundial de games.

    O GameMode é basicamente um combo daemon/lib que permite que os jogos otimizem o desempenho do sistema Linux sob demanda.

    Não pense que o GameMode é um tipo de ferramenta que mata algumas ferramentas famintas por recursos executadas em segundo plano. Ele é diferente.

    O que ele faz, na verdade, é instruir a CPU a executar automaticamente no modo Performance ao jogar e ajudar os usuários do Linux a obter o melhor desempenho possível de seus jogos.

    O GameMode melhora significativamente o desempenho dos jogos, solicitando que um conjunto de otimizações seja temporariamente aplicado ao sistema operacional host durante a execução dos jogos.

    Atualmente, ele possui suporte para otimizações, incluindo o seguinte:

    • Gerenciamento de CPU;
    • Prioridade I/O;
    • Process niceness;
    • Agendador de Kernel (SCHED_ISO);
    • Inibição de protetor de tela;
    • Modo de desempenho de GPU (NVIDIA e AMD), overclocking de GPU (NVIDIA);
    • Scripts personalizados.

    Como instalar a ferramenta para desempenho de jogos GameMode no Linux

    O GameMode está disponível para muitas distribuições do Linux.

    No Arch Linux e suas variantes, você pode instalá-lo a partir do AUR usando qualquer programa auxiliar do AUR, por exemplo, o Yay.

    yay -S gamemode

    No Debian, Ubuntu, Linux Mint e outros sistemas baseados em Deb:

    sudo apt install gamemode

    Se o GameMode não estiver disponível para o seu sistema, você poderá compilá-lo e instalá-lo manualmente a partir da fonte, conforme descrito em sua página do Github.

    Lembre-se que o GameMode depende do meson para compilação e systemd para comunicação interna.

    Tendo tudo isso, basta usar os comandos abaixo para instalar:

    git clone https://github.com/FeralInteractive/gamemode.git
    cd gamemode
    git checkout 1.4
    ./bootstrap.sh

    Como ativar o suporte do GameMode para melhorar o desempenho de jogos no Linux

    Aqui está a lista de jogos com a integração do GameMode, por isso não precisamos fazer nenhuma configuração adicional para ativar o suporte do GameMode.

    • Rise of the Tomb Raider;
    • Total War Saga: Thrones of Britannia;
    • Total War: WARHAMMER II;
    • DiRT 4;
    • Total War: Three Kingdoms;

    Com o GameMode Instalado, basta executar esses jogos e o suporte do GameMode será ativado automaticamente.

    Há também uma extensão disponível para integrar o suporte do GameMode com o shell do GNOME. Indica quando o GameMode está ativo no painel superior.

    Para outros jogos, você pode precisar solicitar manualmente o suporte do GameMode como abaixo.

    gamemoderun ./game

    Há um pequeno tutorial em vídeo no YouTube para ativar o suporte do GameMode para os jogos do Lutris. Esse é um bom ponto de partida para quem quer experimentar o GameMode pela primeira vez.

    [embedded content]

    Basta observar os comentários no vídeo para perceber que esse modo de jogo melhorou o desempenho dos jogos no Linux.

    Então, use o GameMode, comece a jogar e Divirta-se!

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como redefinir o ambiente Gnome Desktop no Ubuntu

    Se você mexeu demais no Gnome e não consegue mais usá-lo como deveria, veja nesse tutorial como fazer parar redefinir o ambiente Gnome Desktop no Ubuntu.

    O Gnome é um ambiente bastante prático e até minimalista (para alguns). Mas isso não impede que o usuário deixe-o bagunçado, depois de algum tempo de uso.

    Como redefinir o ambiente Gnome Desktop no Ubuntu 18.04Como redefinir o ambiente Gnome Desktop no Ubuntu 18.04

    Pra essa situação, um saída é abrir um terminal e usar o comando dconf reset -f /org/gnome/. Mas nem todo mundo confia nisso ou quer usar o terminal.

    Outra solução seria usar o Gnome Tweaks, um utilitário que oferece uma opção “Reiniciar para os valores padrão” (“Reset to Defaults”, na versão em inglês), que como o próprio nome diz, redefine o tema da área de trabalho, ícones, fontes, mostra ícones da área de trabalho e algumas configurações da janela do aplicativo.

    Como redefinir o ambiente Gnome Desktop no Ubuntu

    Para redefinir o ambiente Gnome Desktop no Ubuntu, faça o seguinte:

    Passo 1. Se seu sistema ainda não tem o Gnome Tweaks instalado, abra o Ubuntu Software e digite gnome tweaks para localizá-lo. Quando ele aparecer, clique da descrição do programa;

    Como redefinir o ambiente Gnome Desktop no UbuntuPesquisando o Gnome Tweaks para instalar

    Passo 2. Na tela que será exibida, clique no botão “Instalar” para começar o processo de instalação do aplicativo. Quando for solicitado, forneça a senha para autorizar a instalação;

    Como redefinir o ambiente Gnome Desktop no UbuntuInstalando o Gnome Tweaks

    Passo 3. Depois de terminar a instalação, clique em “Atividades” e digite gnome tweaks. Quando o ícone dele aparecer, clique nele;

    Como redefinir o ambiente Gnome Desktop no UbuntuExecutando o Gnome Tweaks

    Passo 4. Agora que o o Gnome Tweaks foi executado, clique no item “Ajustes” que está no painel do Gnome. No menu que será exibido, clique na opção “Reiniciar para os valores padrão”;

    Como redefinir o ambiente Gnome Desktop no UbuntuRedefinindo o ambiente Gnome Desktop no Ubuntu

    Pronto! Seu ambiente Gnome voltou ao estado inicial. Confira se está tudo certo, e evite novas bagunças nele. 🙂

    Veja também

    E se você ainda usa o ambiente Unity, esse outro tutorial permite fazer a mesma coisa:
    Como resetar o Unity e o Compiz para deixá-los com as configurações originais

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como adicionar a opção ‘Abrir Terminal aqui’ no menu do Nautilus

    Se você vive querendo iniciar o terminal a partir de uma pasta, veja como adicionar a opção ‘Abrir Terminal aqui’ no menu do Nautilus.

    O terminal é um recurso muito útil em qualquer Linux e se você puder acessá-lo mais rapidamente, melhor ainda. Uma boa saída para isso é colocar a opção ‘Abrir Terminal aqui’ no menu do Nautilus.

    Como adicionar a opção 'Abrir Terminal aqui' no menu do NautilusComo adicionar a opção “Abrir como Root/Administrador” no menu de contexto do Nautilus no Ubuntu

    Ao adicionar essa opção, além de poder abrir um terminal de um jeito rápido e fácil, ele iniciará exatamente na pasta em que você clicou antes de chamá-lo.

    Vale lembrar que o procedimento a seguir também serve para adicionar outras funcionalidades ao menu de contexto. Assim, tudo depende da configuração e de sua criatividade, ou seja, o céu é o limite.

    Como adicionar a opção ‘Abrir Terminal aqui’ no menu do Nautilus no Ubuntu e derivados

    Para adicionar a opção ‘Abrir Terminal aqui’ no menu do Nautilus no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se ainda não tiver, instale a Nautilus actions config tool (ferramenta de configuração de ações do Nautilus) com o seguinte comando:

    sudo apt-get install nautilus-actions -y

    Passo 3. Se você usa o Ubuntu 18.04, use esse tutorial para instalar o pacote;
    Como instalar o recurso Nautilus Actions no Ubuntu 18.04
    Passo 4. Depois de instalado, inicie a ferramenta com o comando:

    nautilus-actions-config-tool

    Passo 5. Para adicionar o item de menu, clique no botão adicionar (o primeiro da barra) e clique na aba “Ação”. Dentro dela, marque todas as opções e digite ‘Abrir Terminal aqui’ (sem as aspas) no campo “nome do contexto”;

    Como adicionar a opção 'Abrir Terminal aqui'no menu do Nautilus

    Como adicionar a opção 'Abrir Terminal aqui'no menu do Nautilus

    Passo 6. Em seguida, clique no botão “Navegar…”. Na janela que aparece, clique na categoria “Applications” e na janela ao lado, procure pela opção “terminal”. Quando encontrar o terminal, clique nele e no botão “Aplicar”. Para confirmar e voltar a tela do programa, clique no botão “OK”;

    menu do Nautilus

    menu do Nautilus

    Passo 7. Clique na aba “Comando”. No campo “Caminho”, coloque “gnome-terminal” (sem as aspas). Em Parâmetros, coloque “Parameters: –working-directory=%d/%w” (também sem as aspas). Finalmente, clique no ícone do disco rígido para salvar e depois feche o programa;

    menu do Nautilus

    menu do Nautilus

    Passo 8. Para poder testar o novo recurso, antes você deve finalizar o Nautilus com o comando abaixo e em seguida executá-lo novamente:

    nautilus -q

    Pronto! Agora sempre que você quiser abrir um terminal, basta clicar com o botão direito do mouse na área de trabalho ou em uma pasta aberta e no menu que aparecer, selecionar a opção ‘Abrir o Terminal aqui’ no sub menu “Nautilus-Actions actions”.

    Como adicionar a opção 'Abrir Terminal aqui' no menu do Nautilus

    Como adicionar a opção 'Abrir Terminal aqui' no menu do Nautilus

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Baixe vídeos do YouTube e de outros serviços com o YouTube-Indicator

    Se você quer baixar vídeos do YouTube e de outros serviços de um jeito fácil, usando um simples applet indicador, apenas instale o YouTube-Indicator e pronto.

    YouTube-indicador é um aplicativo que permite baixar vídeos do YouTube através de um applet indicador no painel do ambiente Unity no Ubuntu.

    Baixe vídeos do YouTube e de outros serviços com o YouTube-IndicatorBaixe vídeos do YouTube e de outros serviços com o YouTube-Indicator

    O programa foi desenvolvido em python COMOD 3 e GTK+ e fornece uma nova maneira de baixar vídeos do YouTube, apesar de já existirem alguns outras opções de programas para essa tarefa.

    O indicador funciona monitorando a área de transferência e quando ele detecta que você copiou um link no padrão do YouTube (por exemplo, https://www.youtube.com/watch?v=FoyWw0gICQ0), aparece uma caixa de diálogo pedindo para o usuário selecionar o formato ou formatos em que ele deseja fazer o download do vídeo.

    Depois de clicar em OK, o programa baixa o vídeo ou vídeos silenciosamente (usando o youtube-dl, sem feedback visual) na pasta padrão de salvamento ou na pasta pessoal do usuário.

    Como instalar o YouTube-Indicator no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o YouTube-Indicator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install youtube-indicator

    Como instalar o YouTube-Indicator manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa na ágina de download do repositório e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Execute o YouTube-Indicator

    Quando quiser iniciar o programa, digite youtube no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Se ao copiar um link a janela do programa demorar para aparecer, minimize a janela do navegador ou use as teclas ALT + TAB para poder visualizar a janela do YouTube-Indicator, pois as vezes ela não fica a frente dos outros programas.

    Quando você não quiser que o programa monitore a captura de links copiados para a área de transferência, clique no indicador dele e em seguida clique na opção “Not capture”.

    Desinstalando o YouTube-Indicator no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o YouTube-Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove youtube-indicator --auto-remove

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o gerenciador de lista de tarefas qt-todo no Linux via Snap

    Se você precisa de um app simples para colocar as tarefas em ordem, conheça e veja como instalar o gerenciador de lista de tarefas qt-todo no Linux via Snap.

    qt-todo é um programa gráfico simples e eficiente em termos de memória para criar listas TODO. Ele usa um formato no estilo TSV para armazenar as listas.

    Como instalar o gerenciador de lista de tarefas qt-todo no Linux via SnapComo instalar o gerenciador de lista de tarefas qt-todo no Linux via Snap

    Esse programa permite adicionar tarefas e marcá-las como concluídas e pode trabalhar com muitas listas diferentes de uma só vez através de guias.

    Atualmente, apenas a compilação amd64 dele funciona. Isso ocorre porque até agora, seu desenvolvedor tem que criar manualmente os snaps, mas ele está trabalhando na correção da configuração do meu prédio para poder usar o construtor Github fornecido pela Canonical

    Como instalar o gerenciador de lista de tarefas qt-todo no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para instalar o gerenciador de lista de tarefas qt-todo via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o gerenciador de lista de tarefas qt-todo via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

    sudo snap install qt-todo

    Passo 3. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

    sudo snap install qt-todo --edge

    Passo 4. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

    sudo snap refresh qt-todo

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite qt-todo ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Como desinstalar o gerenciador de lista de tarefas qt-todo no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para desinstalar o gerenciador de lista de tarefas qt-todo via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove qt-todo

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Soundcloud no Linux? Veja como instalar o Auryo via AppImage

    Se você estiver procurando por um aplicativo desktop Soundcloud no Linux, veja como instalar o Auryo via AppImage e resolva seu problema.

    Soundcloud é uma fantástica plataforma de descoberta de música, mas ela tem uma grande desvantagem no Linux: você só pode usá-la no navegador. Para resolver essa limitação, o desenvolvedor Jonas Snellinckx criou Auryo, um o aplicativo de desktop Soundcloud.

    Soundcloud no Linux? Veja como instalar o Auryo via AppImageSoundcloud no Linux? Veja como instalar o Auryo via AppImage

    Auyro leva a API oficial do Soundcloud e organiza uma interface personalizada à sua volta. O resultado é uma versão desktop impressionante (e fácil de usar) do SoundCloud, que se comporta como um aplicativo nativo apropriado.

    É o reprodutor perfeito se você gosta de ouvir mixagens e listas de reprodução enquanto trabalha, mas não quer lidar com as distrações da versão baseada no navegador.

    Como o aplicativo possui suporte a atalho de teclado (e integração MPRIS), você pode reproduzir, pausar e pular faixas usando seu teclado. Você pode deixar o aplicativo reproduzindo em segundo plano e manter sua atenção focada em outro lugar.

    Auryo permite:

    • Ouvir listas de reprodução, seu stream, seus likes, etc;
    • Descobrir novas músicas;
    • Adicionar música às listas de reprodução;
    • Ler comentários;
    • Procurar artistas, faixas, listas de reprodução;
    • Seguir/deixar de seguir artistas;
    • Compartilhar e dar like em trilhas;
    • Usar a integração de teclas de mídia e MPRIS.

    Apesar de tudo isso, o aplicativo não possui uma paridade de recurso absoluta com a versão da web. Então, por exemplo, você não pode usar o Auryo para carregar novas faixas, e você não pode deixar comentários em músicas através do aplicativo.

    Como instalar o Auryo via AppImage e usar Soundcloud no Linux

    Para instalar o Auryo no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome auryo.appimage:

    wget https://github.com/Superjo149/auryo/releases/download/v2.5.4/Auryo-2.5.4.AppImage -O auryo.appimage

    Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

    chmod +x auryo.appimage

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

    sudo ./auryo.appimage

    Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

    Depois, quando precisar iniciar o programa, digite auryo em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

    Integrando os aplicativos AppImage no sistema

    Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
    Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o cliente Soundcloud Auryo no Linux via Snap

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o modelador UML Umbrello no Linux via Snap

    Se você precisa criar diagramas UML e de outros formatos, conheça e veja como instalar o modelador UML Umbrello no Linux via Snap.

    O Umbrello UML Modeller é um editor de diagrama da Linguagem de Modelagem Unificada (UML), baseado na Tecnologia KDE.

    Como instalar o modelador UML Umbrello no Linux via SnapComo instalar o modelador UML Umbrello no Linux via Snap

    A UML permite criar diagramas de software e outros sistemas em um formato padrão para documentar ou projetar a estrutura de seus programas.

    Umbrello pode criar diagramas de software e outros sistemas no formato UML padrão do setor e também pode gerar código a partir de diagramas UML em uma variedade de linguagens de programação.

    O Umbrello vem com o KDE SC, incluído em todas as distribuições Linux e disponível através do seu gerenciador de pacotes e como instalador para Windows e Mac OS X.

    Como instalar o modelador UML Umbrello no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para instalar o modelador UML Umbrello via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o modelador UML Umbrello via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

    sudo snap install umbrello

    Passo 3. Instale a versão candidate do programa, usando esse comando:

    sudo snap install umbrello --candidate

    Passo 4. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

    sudo snap install umbrello --edge

    Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

    sudo snap refresh umbrello

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite umbrello ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Como desinstalar o modelador UML Umbrello no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para desinstalar o modelador UML Umbrello via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove umbrello

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o LeoCAD no Linux para fazer CAD com LEGO

    Se você gosta de construir com as famosas peças do jogo LEGO, conheça e veja como instalar o LeoCAD no Linux para fazer CAD com LEGO

    LeoCAD é um programa de design multiplataforma para criar suas figuras de uma maneira virtual antes de construí-las e saber antecipadamente como elas serão e criar uma lista automática das peças que você precisa para criá-las na realidade.

    Como instalar o LeoCAD no Linux para fazer CAD com LEGOComo instalar o LeoCAD no Linux para fazer CAD com LEGO

    O LeoCAD possui uma interface intuitiva projetada para permitir que novos usuários comecem a criar novos modelos sem precisar gastar muito tempo aprendendo o aplicativo.

    Ao mesmo tempo, possui um rico conjunto de recursos que permite que usuários experientes criem modelos usando técnicas mais avançadas.

    Sem dúvida, um software muito prático para quem usa LEGO, tanto para os mais pequenos como para os adultos que ainda se divertem :).

    Como instalar o LeoCAD no Linux para fazer CAD com LEGO

    Como instalar o LeoCAD no Linux para fazer CAD com LEGO

    Como dito antes, ele é multiplataforma, e é claro que você também pode instalá-lo em sua distribuição Linux.

    A verdade é que este programa não é para uso geral e pode parecer absurdo para quem não gosta ou interessado LEGO, mas eu achei interessante compartilhar isso com vocês.

    Além disso, se você é novo, não precisará de muito para se atualizar devido à facilidade de uso. E se isso parece pequeno, ele é open source. Então qualquer um pode analisar seu código ou contribuir para o desenvolvimento.

    Por outro lado, LeoCAD é totalmente compatível com o padrão LDraw e ferramentas relacionadas, o que significa empregando a biblioteca de peças que já tem cerca de 10.000 peças diferentes e continua a crescer e atualizado

    Ele tem suporte para LDR e MPD, para que você possa ler e escrever nesse tipo de arquivo e compartilhar seus próprios designs on-line.

    Como instalar o LeoCAD no Linux via arquivo AppImage para fazer CAD com LEGO

    Para instalar o LeoCAD no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome leocad.appimage:

    wget https://github.com/leozide/leocad/releases/download/continuous/LeoCAD-Linux-210a4dc-x86_64.AppImage -O leocad.appimage

    Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

    chmod +x leocad.appimage

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

    sudo ./leocad.appimage

    Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite leocad em um terminal (seguido da tecla TAB), ou clicando no ícone dele ou menu de aplicativos do sistema.

    Integrando os aplicativos AppImage no sistema

    Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
    Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o MystiQ Video Converter no Linux via arquivo AppImage

    Se você quer levar uma mídia para outro formato sem complicações, conheça e veja como instalar o MystiQ Video Converter no Linux via arquivo AppImage.

    O MystiQ Video Converter, ou simplesmente o MystiQ, é um aplicativo desenvolvido para funcionar como uma interface de usuário (GUI / Front-end) do FFmpeg baseada no Qt5.

    Como instalar o MystiQ Video Converter no Linux via arquivo AppImageComo instalar o MystiQ Video Converter no Linux via arquivo AppImage

    Além disso, o MystiQ é um poderoso conversor de mídia. E como ele usa o FFmpeg, você pode ler arquivos de áudio e vídeo em vários formatos e convertê-los em diferentes.

    Sua interface gráfica é muito intuitiva e possui um rico conjunto de predefinições que facilitam a conversão de arquivos multimídia em apenas alguns cliques. Com isso, usuários avançados também podem ajustar os parâmetros de conversão com um alto nível de detalhe.

    Segundo o site oficial, possui as seguintes características:

    • Uma interface gráfica limpa e intuitiva: Para uso sem grandes complicações desde o primeiro momento após a instalação. Sua interface evita distrações, facilitando o foco do usuário em sua tarefa principal, convertendo arquivos multimídia em outros formatos.
    • Uma sólida projeção de plataforma cruzada: por enquanto, só há suporte disponível para usuários do Microsoft Windows (versão 7 e posterior) e usuários de várias distribuições GNU / Linux, como Arch, DEBIAN, Fedora, Suse, Ubuntu e seus respectivos derivados. Embora seus desenvolvedores prometam incorporar suporte para usuários de MacOS muito em breve.
    • Um bom suporte multilíngue ou multilíngue: Atualmente, ele oferece suporte a mais de 15 idiomas, mas com sua comunidade crescente e sólida, eles esperam expandi-lo. Além disso, eles oferecem a possibilidade de que qualquer pessoa possa colaborar nos idiomas que precisam de suporte.
    • Uma excelente variedade de formatos de arquivo suportados: Em termos de áudio, incluem os arquivos de extensão mp3, ogg, wav, wma, ac3, ra, ape, flac e opus. E para os arquivos de vídeo incluem os arquivos de extensão avi, vfw, divx, mpg, mpeg, m1v, m2v, mpv, dv, 3gp, mov, mp4, m4v, mqv, dat, vcd, ogg, ogm, ogv, asf, wmv, bin, iso, vob, mkv, nsv, ram, flv, rm, swf, ts, rmvb, dvr-ms, m2t, m2ts, rec, mts e webm.

    Como instalar o MystiQ Video Converter no Linux via arquivo AppImage

    Para instalar o MystiQ Video Converter no Linux via arquivo AppImage, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome mystiq.appimage:

    wget https://github.com/swl-x/MystiQ/releases/download/continuous/MystiQ-develop--592-x86_64.AppImage -O mystiq.appimage

    Passo 4. Dê permissão de execução para o arquivo baixado;

    chmod a+x mystiq.appimage

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando;

    sudo ./mystiq.appimage --install

    Passo 6. Quando você inicia o arquivo pela primeira vez, será perguntado se deseja integrar o programa com o sistema. Clique em “Yes” (Sim) se quiser integrá-lo ou clique em “No” (Não), se não quiser. Se você escolher Sim, o iniciador do programa será adicionado ao menu de aplicativos e ícones de instalação. Se você escolher “No”, sempre terá que iniciá-lo clicando duas vezes no arquivo AppImage.

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mystiq ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Integrando os aplicativos AppImage no sistema

    Se você quiser integrar melhor esse programa no seu sistema, instale o AppImageLauncher, usando esse tutorial:
    Como instalar o integrador AppImageLauncher no Linux

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o cliente Mattermost no Linux via Snap

    Se você está a procura de uma alternativa ao Slack aberta, conheça e veja como instalar o cliente Mattermost no Linux via Snap.

    O Mattermost é um serviço de mensagens seguro no local de trabalho por trás do firewall.

    Como instalar o cliente Mattermost no Linux via SnapComo instalar o cliente Mattermost no Linux via Snap

    O Mattermost está posicionado como uma alternativa aberta ao sistema de comunicação Slack e permite receber e enviar mensagens, arquivos e imagens, acompanhar o histórico de conversas e receber notificações em smartphones, tablets ou PCs.

    Módulos de integração prontos para o Slack são suportados e uma grande coleção de módulos nativos é fornecida para integração com Jira, GitHub, IRC, XMPP, Hubot, Giphy, Jenkins, GitLab, Trac, BitBucket, Twitter, Redmine, SVN e RSS/Atom.

    O código do lado do servidor para o projeto está escrito em Go e é distribuído sob a licença MIT.

    A interface da Web e os aplicativos móveis são escritos em JavaScript usando o React, o cliente de desktop para Linux, Windows e macOS é construído na plataforma Electron. MySQL e Postgres podem ser usados ​​como DBMS.

    Como instalar o cliente Mattermost no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para instalar o cliente Mattermost via Snap você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a pacotes Snap no Linux

    Depois, você pode instalar o cliente Mattermost via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Instale a versão estável do programa, usando esse comando:

    sudo snap install mattermost-desktop

    Passo 3. Instale a versão beta do programa, usando esse comando:

    sudo snap install mattermost-desktop --beta

    Passo 4. Instale a versão edge do programa, usando esse comando:

    sudo snap install mattermost-desktop --edge

    Passo 5. Mais tarde, se você precisar atualizar o programa, use:

    sudo snap refresh mattermost-desktop

    Pronto! Agora, você pode iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite mattermost ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Como desinstalar o cliente Mattermost no Linux via Snap em distros que suportam a tecnologia

    Para desinstalar o cliente Mattermost via Snap, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Depois, se for necessário, desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo snap remove mattermost-desktop

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o editor de código Notepadqq no Linux via Flatpak

    Se você procura uma alternativa completamente idêntica ao Notepad++ para Linux, experimente instalar o editor de código Notepadqq no Linux via Flatpak.

    O Notepadqq é um editor de texto avançado projetado para facilitar a vida dos desenvolvedores.

    Como instalar o editor de código Notepadqq no Linux via FlatpakComo instalar o editor de código Notepadqq no Linux via Flatpak

    Mesmo existindo uma abundância de editores de texto que podem ser usados como alternativa ao Notepad++ no Linux…

    Conheça algumas boas opções de editores de código para Linux

    …Se você estiver acostumado com a versão Windows do aplicativo, você desejará ter o mesmo conjunto de recursos em todas as plataformas.

    E é aí que entra o Notepadqq, um programa que possui um visual igual ao do Notepad++ e quase as mesmas características.

    Ele é praticamente uma alternativa ao Notepad++ para Linux e um editor de texto para o desktop deste sistema.

    Notepadqq é um software livre escrito em C++, que utiliza Qt5, regido pela licença GPL e suporta várias linguagens de programação.

    Ele inclui realce de sintaxe em tempo real para mais de cem idiomas, pesquisas de expressões regulares e manipulação de texto com vários cursores.

    O programa ajuda os desenvolvedores, fornecendo tudo o que você pode esperar de um editor de texto de uso geral, como destaque de sintaxe para mais de 100 idiomas diferentes, dobramento de código, esquemas de cores, monitoramento de arquivos, seleção múltipla e muito mais.

    Como instalar o editor de código Notepadqq no Linux via Flatpak

    Para instalar o editor de código Notepadqq no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o editor de código Notepadqq no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --user https://flathub.org/repo/appstream/com.notepadqq.Notepadqq.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update com.notepadqq.Notepadqq

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run com.notepadqq.Notepadqq em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite notepadqq ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Como desinstalar o editor de código Notepadqq no Linux via Flatpak

    Para desinstalar o editor de código Notepadqq no Linux via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall com.notepadqq.Notepadqq

    Ou

    flatpak uninstall com.notepadqq.Notepadqq

    Veja também

    Você também pode instalar o programa usando esse outro tutorial:
    Como instalar o editor de código Notepad++ no Linux via Snap
    Alternativa ao Notepad++ para Linux? Instale e use o Notepadqq

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Se você possui algum periférico da Canon e quer fazê-lo funcionar, veja como instalar o suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados.

    A Canon fornece pacotes para o suporte de seus perifericos no Linux. Todos esses pacotes já estão disponíveis nos repositórios padrão do Ubuntu, por exemplo.

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivadosSuporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Inclusive, já até publiquei um tutorial mostrando como instalar esses pacotes. Confira no link abaixo:

    Drivers da Canon – veja como instalar o suporte a impressora ou scanner

    Contudo, isso nem sempre é suficiente para fazer os equipamentos da marca funcionar no Linux, pois os drivers podem estar desatualizados ou não haver opções para novas versões dos sistemas Linux.

    Para aqueles que procuram drivers Canon IJ ou ScanGear MP, existem agora pacotes .deb para o Ubuntu 18.04, Ubuntu 18.10 e também para o Ubuntu 16.04 via PPA. E claro, isso também vale para os sistemas derivados.

    Thierry Ordissimo fez dos drivers oficiais de impressoras e dispositivos multifuncionais da Canon, versões 2.20 e mais recentes, o PPA. Há também um backend seguro para alguns scanners.

    Dispositivos suportados no repositório:

    • bjf900, bjf9000
    • bjs300, bjs500
    • e400, e500, e510, e560, e600, e610
    • i250, i255
    • ip90, ip100, ip1800, ip1900, ip2200, ip2500, ip2600, ip2700, ip2800, ip3300, ip3500, ip3600, ip4200, ip4300, ip4500, ip4600, ip4700, ip4800, ip4900, ip6600d, ip7200, ip7500, ip8700
    • ix6500, ix6700, ix6800
    • mg2100, mg2200, mg2400, mg2500, mg3100, mg3200, mg3500, mg4100, mg4200, mg5100, mg5200, mg5300, mg5400, mg5500, mg6100, mg6200, mg6300, mg6400, mg6500, mg7100, mg8100, mg8200.
    • mp140, mp160, mp190, mp210, mp230, mp240, mp250, mp270, mp280, mp490, mp495, mp500, mp510, mp520, mp540, mp550, mp560, mp600, mp610, mp630, mp640
    • mx320, mx330, mx340, mx350, mx360, mx370, mx390, mx410, mx420, mx430, mx450, mx470, mx510, mx520, mx530, mx710, mx720, mx860, mx870, mx880, mx890, mx920.
    • p200
    • pixmaip1000, pixmaip1500
    • pixus550i, pixus560i, pixus850i, pixus860i, pixus950i, pixus990i
    • pixusip3100, pixusip4100, pixusip8600

    Como instalar o Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Para instalar o Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:thierry-f/fork-michael-gruz

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o suporte basico dos perifericos da Canon;

    sudo apt-get install cnijfilter2 scangearmp2 cndrvcups-utility

    Instalando os drivers da Canon de impressora ou scanner via Synaptic

    Se quiser instalar um driver mais especifico para o seu dispositivo, abra o Synaptic e faça um busca por ele e marque-o para instalar.

    Se o Gerenciador de pacotes Synaptic não estiver instalado no seu sistema, procure-o e instale-o a partir da Central de programas do Ubuntu ou use o comando abaixo no terminal;

    sudo apt-get install synaptic

    Se você quiser instalar a versão mais recente do programa, sem adicionar esse repositório, acesse esse link e baixe o arquivo .deb para instalar manualmente.

    Outra opção é seguir as instruções desse outro tutorial:
    Como instalar a versão mais recente do Synaptic no Ubuntu

    Com o Synaptic instalado, é hora de instalar os drivers da Canon. Para isso, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Inicie o Synaptic, digitando synaptic no Dash/Atividades ou em um terminal, seguido da tecla TAB;

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Passo 2. Para instalar um driver de impressora, na caixa de filtro rápido, digite “cnijfilter” (sem as aspas);

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Passo 3. Para instalar um scanner, na caixa de filtro rápido, digita “scangearmp” (sem as aspas);

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Passo 4. Clique com o botão direito do mouse sobre o pacote e selecione a opção “Marcar para instalação”;

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Passo 5. Se aparecer uma tela listando algumas dependências, confirme clicando no botão “Marcar”;

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Passo 6. Por fim, clique no botão “Aplicar” para instalar o driver.

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Testando o dispositivo

    Uma vez que os drivers de impressora ou scanner estão instalados, para testar, faça o seguinte:

    Passo 1. Conecte o dispositivo ao computador e ligue;
    Passo 2. Para impressoras, inicie o utilitário “Impressoras”, digitando impressoras no Dash/Atividades. Com o programa aberto, verifique se ela está funcionando corretamente;

    drivers da Canon de impressora ou scanner

    drivers da Canon de impressora ou scanner

    Passo 3. Para o scanner, execute o utilitário “Digitalizador simples” e digitando digitalizar no Dash. Com o programa aberto, clique no menu “Documento” e depois em “Preferências”. Na tela que aparece, clique na opção “Origem da digitalização”, selecione seu scanner e verifique se ele funciona;

    drivers da Canon de impressora ou scanner

    drivers da Canon de impressora ou scanner

    drivers da Canon de impressora ou scanner

    drivers da Canon de impressora ou scanner

    Desinstalando o Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Suporte a impressoras e multifuncionais da Canon no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:thierry-f/fork-michael-gruz -r -y
    sudo apt remove --autoremove cnijfilter2 scangearmp2 cndrvcups-utility cnijfilter-* scangearmp-*

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Como instalar o jogo Open Source Lugaru HD no Linux

    Se você gosta de jogos de ação em terceira pessoa (e de coelhos), conheça e veja como instalar o jogo Open Source Lugaru HD no Linux.

    OSS Lugaru, Source Lugaru HD, ou simplesmente Lugaru (pronuncia-se Loo-GAH-roo) é um jogo de ação multiplataforma em terceira pessoa.

    Como instalar o jogo Open Source Lugaru HD no LinuxComo instalar o jogo Open Source Lugaru HD no Linux

    O personagem principal, Turner, é um animal rebelde e antropomórfico (uma espécie de combinação entre coelho e homem), com impressionantes habilidades de combate.

    Em sua busca por encontrar os responsáveis por matar sua aldeia, ele descobre uma conspiração de longo alcance envolvendo os líderes corruptos da república do coelho e os lobos famintos que habitam as redondezas.

    No jogo, Turner combate lobos e coelhos hostis em pastagens, nevascas e paisagens desérticas, usando uma grande variedade de técnicas de combate.

    Como instalar o jogo Open Source Lugaru HD no Linux

    Como instalar o jogo Open Source Lugaru HD no Linux

    Curiosidade: o nome Lugaru é uma frase fonética de “loup-garou”, que é a palavra francesa para lobisomem.

    Como instalar o jogo Open Source Lugaru HD no Linux via Flatpak

    Para instalar o jogo Open Source Lugaru HD no Linux via Flatpak você precisa ter o suporte a essa tecnologia instalado em seu sistema. Se não tiver, use o tutorial abaixo para instalar:

    Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

    Depois, você pode instalar o jogo Open Source Lugaru HD via Flatpak, fazendo o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Use o comando abaixo para instalar o programa via Flatpak. Tenha paciência, pois muitas vezes pode demorar vários minutos para que o Flatpak faça o download de tudo o que precisa;

    flatpak install --from https://flathub.org/repo/appstream/io.gitlab.osslugaru.Lugaru.flatpakref

    Passo 3. Para atualizar o programa, quando uma nova versão estiver disponível, execute o comando:

    flatpak --user update io.gitlab.osslugaru.Lugaru

    Passo 4. E se precisar desinstalar o programa, execute o seguinte comando no terminal:

    flatpak --user uninstall io.gitlab.osslugaru.Lugaru

    Ou

    flatpak uninstall io.gitlab.osslugaru.Lugaru

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flatpak run io.gitlab.osslugaru.Lugaru em um terminal.

    Você também pode tentar iniciar o programa no menu Aplicativos/Dash/Atividades ou qualquer outro lançador de aplicativos da sua distro, ou digite lugaru ou em um terminal, seguido da tecla TAB.

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Descobrindo novos endereços de repositórios PPA

    Quer instalar novos programas no Ubuntu e não sabe por onde começar? Então conheça mais um pouco sobre o assunto e veja como descobrir novos endereços de repositórios PPA para poder instalar mais aplicativos no seu sistema.

    Os repositórios PPA (Personal Package Archives) são um recurso importante, que serve principalmente para acrescentar mais opções de programas ao Ubuntu.

    Descobrindo novos endereços de repositórios PPADescobrindo novos endereços de repositórios PPA

    Esse tipo de repositório são servidores disponíveis na internet onde se encontram programas que não estão nos repositórios oficiais da sua distro.

    A grande diferença entre instalar a versão de um programa através dos repositórios oficiais da Central de Programas e instalar via repositório PPA, é que no primeiro caso, os programas e suas possíveis atualizações já foram testadas e apresentam um nível bom de segurança e estabilidade.

    Porém, muitas vezes estes não trazem os mesmos recursos das versões mais recentes, disponíveis nos PPA´s.

    Descobrindo novos endereços de repositórios PPA

    Para descobrir novos endereços de repositórios PPA, basta dar uma olhada no site UbuntuUpdates.org.

    Melhor ainda, se quiser ver uma lista bem completa desses repositórios acessem diretamente esse endereço.

    Observe que nem todos os PPA´s listados estão ativos, e é bom verificar antes de começar a usá-los em seu sistema.

    Essa listagem pode ser útil para descobrir novos endereços de repositórios PPA ou se um repositório já é compatível com a última versão do Ubuntu.

    Descobrindo novos endereços de repositórios PPA

    Descobrindo novos endereços de repositórios PPA

    Segundo o site, toda sua estrutura foi implementada usando o framework Ruby on Rails.

    Eles afirmam que tentam dar uma visão diferente sobre as atualizações de pacotes do Ubuntu e as informações apresentadas no site são inteiramente baseadas em dados que estão disponíveis gratuitamente em archive.ubuntu.com, launchpad.net, seus sites espelhos e outros repositórios de software dedicados ao Ubuntu.

    A coleta e organização dos dados do pacote é totalmente automatizada e nenhuma modificação é feita para empacotar descrições ou changelogs.

    Mesmo com todas as informações do site UbuntuUpdates.org, se você sabe de algum endereço que não esteja na lista ou de alguma outra lista de repositórios PPA, coloque nos comentários para que os outros leitores também possam conhecer.

    Veja também

    Como instalar o Y PPA Manager no Ubuntu e derivados
    Instale o Indicator PPA Download Statistics no Ubuntu e derivados

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    08 de agosto de 2020

    Como instalar a linguagem de programação Racket no Linux

    Se você quer usar uma plataforma para a criação de linguagem, design e implementação, conheça e veja como instalar a linguagem de programação Racket no Linux.

    Racket é uma linguagem de programação de propósito geral e multi-paradigma, baseada em Lisp, é de código aberto, multiplataforma, e roda em Linux, Mac OS e Windows.

    Como instalar a linguagem de programação Racket no LinuxComo instalar a linguagem de programação Racket no Linux

    A linguagem Racket é especificamente baseado no Scheme, uma linguagem da família Lisp, que faz do Racket um dialeto do Scheme. Ela também é conhecida como linguagem de programação para criar novas linguagens de programação.

    Racket fornece um IDE gráfico chamado DrRacket para o desenvolvimento de programas usando as linguagens de programação do Racket.

    E neste tutorial, veremos como instalar a linguagem de programação Racket no Linux.

    Como instalar a linguagem de programação Racket no Linux

    Para instalar a linguagem de programação Racket no Linux, use um dos procedimentos abaixo.

    Como instalar a linguagem de programação Racket no Linux usando um instalador

    Para instalar a linguagem de programação Racket no Linux ao menos nas principais distribuições), faça o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Em seguida, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome racket.sh;

    wget https://mirror.racket-lang.org/installers/7.8/racket-7.8-x86_64-linux.sh -O racket.sh

    Passo 3. Vá para o local em que você baixou o script do instalador e torne-o executável. No caso deste tutorial, o script do instalador é salvo no diretório atual. Para tornar o script do instalador do Racket executável, basta executar:

    chmod +x racket.sh

    Passo 4. Por fim, execute o instalador do Racket, como mostrado abaixo.

    sudo ./racket.sh

    Passo 5. Você será solicitado a responder algumas perguntas. Por favor, leia-os atentamente e responda em conformidade. A primeira pergunta é – Você quer uma distribuição no estilo Unix? Você pode escolher SIM ou NÃO. Se você digitar YES, todos os arquivos entrarão em diretórios diferentes, de acordo com as convenções do Unix. Se você escolher NÃO, todos os arquivos serão mantidos em um único diretório, o que é muito fácil de apagar ou mover no futuro. O valor padrão é não. Eu recomendo que você escolha NÃO também. Eu vou com o valor padrão, ou seja, não.
    Passo 6. A segunda pergunta é – Onde você deseja instalar o Racket? Você terá cinco opções, conforme listado abaixo. Tudo que você precisa fazer é digitar o número e pressionar ENTER para continuar. Geralmente é bom instalar todo o sistema para permitir que todos os usuários executem o programa Racket. Eu vou com a opção padrão, ou seja, /usr/racket.

    • /usr/racket – Este é o local padrão. Instalação em todo o sistema. Isso é bom se você deseja permitir que todos os usuários do sistema usem o Racket.
    • /usr/local/racket – O mesmo que acima (instalação em todo o sistema).
    • ~/racket (/home/user/racket) – instalação por usuário. Se você não for um administrador, poderá escolher esta opção para instalar o Racket no próprio diretório $HOME.
    • ./racket (aqui no próprio diretório atual).
    • Qualquer local personalizado de sua escolha.

    Passo 7. A terceira e última opção é – Onde você deseja colocar os links do sistema, como racket, drracket, raco etc. Escolha um diretório comum (geralmente seu $PATH, por exemplo /usr/local/), para não precisa digitar o caminho completo do executável.

    Como instalar a linguagem de programação Racket no Linux Ubuntu e seus derivados

    Para instalar a linguagem de programação Racket e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:

    Passo 1. Abra um terminal (use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:plt/racket

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install racket

    Verificar instalação da Racket

    Se você instalou o Racket usando PPA, digite o seguinte comando para entrar no console do Racket:

    racket

    Se você usou o script do instalador do Racket e alterou o local de instalação diferente, digite qualquer um dos seguintes comandos, dependendo de onde o instalou, respondendo às 2ª e 3ª perguntas durante o processo de instalação.

    /usr/racket/bin/racket

    ou

    /usr/local/racket/bin/racket

    Ou

    ~/racket/bin/racket

    Para ler a documentação do Racket, digite help no console do Racket e pressione ENTER. Isso abrirá a página de documentação do Racket no seu navegador da web padrão.

    Para sair do console, pressione Ctrl + D.

    Se você não gosta da linha de comando ou é iniciante, use o IDE gráfico do DrRacket.

    Inicie o DrRacket no Menu ou Dash. Você também pode iniciar o DrRacket no Terminal usando o comando:

    drracket

    A interface padrão do DrRacket será semelhante a de um editor de textos. Digite seu programa na interface DrRacket e pressione o botão “Executar” no canto superior direito.

    Aqui está um programa simples para exibir o texto fornecido:

    #lang racket
    (displayln "Olá Mundo!")

    O que está sendo falado no blog

    <a href="https://www.edivaldobrito.com.br////” rel=”noopener noreferrer” target=”_blank”>Veja mais artigos publicados neste dia…

    Let's block ads! (Why?)

    Planeta Ubuntu Brasil

    O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


    Última atualização:
    11 de agosto de 2020, 13:06
    Horário UTC

    Planet ATOM
    RSS10 RSS20
    OPML FOAF

    Blogs inscritos


    © 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
    Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.