23 de maio de 2015

Como gravar uma imagem ISO no Nautilus

Se você baixou uma imagem ISO e quer colocar o conteúdo dela em uma mídia, veja aqui como gravar imagem ISO no Nautilus.
Gravar imagem iso no nautilus
Uma boa estratégia para guardar discos é transformá-los em imagens ISO. Com isso, além de guardar, você consegue organizar e ainda economiza suas mídias. Mas chega uma hora que é preciso gravar as imagens em uma mídia, o que é muito simples, principalmente, se você estiver usando o Ubuntu com Unity. Se você ainda não conhece o processo, acompanhe os passos abaixo e descubra como gravar uma imagem ISO no Ubuntu.

Veja como gravar imagem ISO no Nautilus

Para gravar uma imagem ISO no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Insira um CD ou DVD virgem no seu gravador. Se aparecer uma janela, feche-a clicando em “Cancelar”;
gravar imagem iso no nautilus
Passo 2. Abra o gerenciador de arquivos, clicando no seu ícone no lançador do Ubuntu;
gravar imagem iso no nautilus
Passo 3. No gerenciador de arquivos, vá para a pasta onde está a imagem ISO e clique nela com o botão direito do mouse. No menu que aparece, escolha a opção “Escrever no disco…”;
gravar imagem iso no nautilus
Passo 4. Na janela “Escrever no disco…”, escolha a sua unidade de CD e depois clique no botão “Gravar”.
gravar imagem iso no nautilus
Passo 5. Aguarde até o final do processo;
gravar imagem iso no nautilus

Via Ubuntu


O que está sendo falado no blog hoje

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

WLCreator ajuda a criar um lançador para programas do Windows no desktop Linux

Se você usa o Wine para executar programas Windows no Linux e quer criar lançadores no padrão do sistema para iniciá-los mais rapidamente, experimente instalar o WL-creator.
lançador para programas do windows
Wine Launcher Creator é um programa Python (script) que cria lançadores (usando Wine) para programas do Windows no formato do Linux. O programa faz as seguintes tarefas:

  • Localiza e extrai arquivos de ícone (ICO) usando icoutils;
  • Converte arquivos no formato ICO para PNG também usando icoutils;
  • Apresenta ao usuário uma interface gráfica, onde ele pode escolher o ícone para o lançador, e finalmente, criar um lançador;

WLCreator tentará extrair ícones do arquivo executável Windows, e procurará todos os arquivos ICO no diretório e subdiretórios dele, e irá convertê-los em arquivos PNG. Adicionalmente, ele irá procurar por arquivos PNG no diretório principal do aplicativo. Depois disso, o usuário é apresentado a uma interface gráfica, onde poderá escolher o ícone e o nome do lançador.

O programa usa wrestool (icoutils) para extrair ícones de arquivos EXE, e icotool (icoutils) para converter arquivos de ICO para PNG. Ele usa Qt framework e bindings PyQt para Python, e também alguns comandos do bash. Às vezes, icotool não pode extrair um arquivo PNG a partir de um ICO, e nesta situação, a solução mais fácil é abrir o arquivo ICO com o GIMP e salvar como ICO. Quando o arquivo ICO/PNG for obtido, basta colocá-lo ao lado do executável diretório dele e iniciar o WLCreator.

Conheça melhor o WLCreator

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja como instalar o WLCreator no Ubuntu e derivados

Para instalar o WLCreator no Ubuntu e derivados, basta baixar o pacote DEB a partir desse link e depois, dar um clique duplo sobre o arquivo baixado, para iniciar a instalação.

Para mais informações sobre a instalação de aplicativos Windows no Linux, dê uma olhada nessa série:
Instalando e manipulando aplicativos Windows no Linux e outros assuntos relacionados

Via Ubuntu Geek


O que está sendo falado no blog hoje


Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

22 de maio de 2015

Deixe seu desktop Ubuntu com um visual parecido com o Mac usando o tema Zukimac e a barra Docky

Que tal deixar seu desktop Ubuntu com um visual parecido com o Mac? Isso é fácil, basta instalar o tema Zukimac e a barra Docky.
Ubuntu com um visual parecido com o Mac
Zukimac é um tema GTK 3 inspirado no tema Zukiwi. Juntando ele com a barra Docky, você pode fazer com que seu Desktop Ubuntu fique parecido com Mac, se ter que fazer alterações profundas no sistema.

Com essa combinação, você obtém o melhor dos dois mundos, o que pode ser muito útil par quem gosta do estilo OS X, está vindo desse sistema para o Linux ou utiliza os dois sistemas habitualmente.

Conheça melhor o tema Zukimac

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja deixar seu desktop Ubuntu com um visual parecido com o Mac

Para deixar seu desktop Ubuntu com um visual parecido com o Mac, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Baixe o tema com o seguinte comando:

wget http://gnome-look.org/CONTENT/content-files/165450-Zukimac-themes.tar.bz2

Passo 3. Descompacte o arquivo baixado usando o comando abaixo:

tar -xvjf 165450-Zukimac-themes.tar.bz2

Passo 4. Use o comando abaixo para copiar a pasta criada, para a pasta de temas do sistema:

sudo cp -a Zukimac* /usr/share/themes/

Passo 5. Instale o Docky com o comando abaixo. Se quiser uma versão mais recente, use o tutorial desse link:

sudo apt-get install docky

Passo 6. Se ainda não tiver, instale o Unity Tweak Tool seguindo os passos desse tutorial:
Passo 7. Para executar o Unity Tweak Tool, clique no Dash e digite: unity
Ubuntu com um visual parecido com o Mac
Passo 8. Dentro da ferramenta, clique na opção “Tema”;
Ubuntu com um visual parecido com o Mac
Passo 9. Em “Temas”, clique em um dos itens que leva o nome “Zukimac”;
Ubuntu com um visual parecido com o Mac
Passo 10. De volta a tela principal do Unity Tweak Tool, clique na opção “Rolagem”;
Ubuntu com um visual parecido com o Mac
Passo 11. Na aba “Rolagem”, Marque a opção “Antigo”, para usar uma barra de rolagem mais parecida com o estilo do Mac;
Ubuntu com um visual parecido com o Mac
Passo 12. Abra as “Configurações do sistema” e clique na opção “Aparência”;Ubuntu com um visual parecido com o Mac
Passo 13. Em “Aparência” ative a opção “Ocultar automaticamente o lançador”;
ocultando-lancador
Passo 13. Agora clique no Dash e digite dock, para executar a barra Docky;
Ubuntu com um visual parecido com o Mac

Pronto! Agora seu sistema está bem mais parecido com o ambiente gráfico do Mac, mas mantendo boa parte do padrão do Unity.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

kernel melhorado – instale o pf-kernel 4.0 no Ubuntu, Debian e derivados

Os desenvolvedores do projeto pf-kernel (um kernel melhorado) lançaram os pacotes da nova versão 4.0 para Ubuntu. Se você quiser experimentar, veja como instalar.
kernel melhorado pf-kernel 4.0
pf-kernel é um kernel alternativo mais popular (sempre com base na versão oficial divulgada por Linus Torvalds), que inclui várias correções e várias otimizações para acelerar o sistema operacional Linux. Na prática, o pf-kernel é mais um fork do kernel Linux que fornece uma série de características impressionantes que não são incorporadas na linha principal. Vale lembra que o pf do nome não é uma referência ao filtro de pacotes BSD. na verdade o prefixo é formado pelas iniciais do nickname do autor (post-factum).

PF-kernel 4.0 inclui todas as alterações introduzidas na nova versão estável do Linux, nomeadamente otimizações para drivers de código aberto, melhor suporte a hardware e live patching, além de diversas melhorias relativas a vários sistema de arquivos.

Além disso PF-Kernel 4.0 inclui vários patches que ajudam a acelerar o sistema operacional como ck, BFQ I/O scheduler, TuxOnIce e UKSM.

Observe que o PF-Kernel 4.0 lançado possui apenas uma versão de 64-Bit, portanto, não tente instalar ele em distribuições de 32 bits.

Conheça melhor o pf-kernel

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Antes de iniciar começar a atualizar o kernel do Ubuntu, saiba que este é um procedimento que apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

Como instalar o kernel melhorado pf-kernel 4.0 no Ubuntu, Debian e derivados

Para instalar o kernel melhorado pf-kernel 4.0 no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema acessando as Configurações do Sistema e a opção “Detalhes” ou usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se estiver usando um sistema de 64 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://77.244.44.75/debian/dists/testing/main/binary-amd64/linux-headers-4.0.0-pf2_0_amd64.deb
wget http://77.244.44.75/debian/dists/testing/main/binary-amd64/linux-image-4.0.0-pf2_0_amd64.deb

Passo 4. Instale o kernel com o comando:

sudo dpkg -i linux-image-4.0.0*.deb linux-headers-4.0.0*.deb

Passo 5. Reinicie o sistema com o comando abaixo:

sudo reboot

Passo 6. Se você tiver algum problema e quiser desinstalar o atual kernel, reinicie o computador com um kernel anterior (usando Grub -> Advanced -> select previous kernel) e quando iniciar o sistema, faça login, abra um terminal e execute o comando abaixo para remover o pf-kernel 4.0:

sudo apt-get purge linux.image-4.0.0-pf2_*
sudo update-grub

Passo 7. Reinicie o sistema com o comando abaixo:

sudo reboot

Nota: Todos os drivers que não fazem parte da principal árvore do kernel (o que obviamente inclui drivers proprietários) devem ser recompilados para novas versões do kernel.

Via site

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalando o tema Ambiance e Radiance Flat Colors no Ubuntu

O pacote de temas Ambiance e Radiance Flat Colors foi atualizado. Se você gosta desse pacote, veja aqui como instalar ele no Ubuntu.
Ambiance e Radiance Flat Colors
Ambiance e Radiance Flat Colors pretende ser um tema moderno e exclusivo, trazendo personalidade e classe para seu ambiente desktop favorito. Ele dispõe de um visual plano moderno e limpo com 13 cores vibrantes a sua escolha: azul, primavera azul, marrom, grafite, verde, laranja, roxo, rosa, vermelho, verde azulado e amarelo. Cada cor vem em 2 versões Original e profissional, há botões de cor nos botões Original e incolores/Mono no Pro.

Com suporte totalmente integrado e testado para os desktops mais populares, incluindo: Unity, Cinnamon, MATE, XFCE, LXDE, OpenBox, Gnome Classic e Fallback. Para melhorar a integração como os diferentes ambientes, existem as variantes Ambiance(Dark), Radiance (Light), bem como o Ambiance Fusion (Ambiance com uma barra de luz para temas de ícones escuro).

Conheça melhor o tema Ambiance e Radiance Flat Colors

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o tema Ambiance e Radiance Flat Colors no Ubuntu e derivados

Para instalar o tema Ambiance e Radiance Flat Colors no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:ravefinity-project/ppa

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema Ambiance e Radiance Flat Colors usando o seguinte comando:

sudo apt-get install ambiance-flat-colors
sudo apt-get install radiance-flat-colors

Passo 5. Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Desinstalando o tema Ambiance e Radiance Flat Colors no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema Ambiance e Radiance Flat Colors no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove ambiance-flat-colors radiance-flat-colors

Passo 3. Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar para o tema padrão.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Bandeja do sistema no Ubuntu sob demanda com o Indicator Systemtray Unity

Se você precisa de uma bandeja do sistema no Ubuntu com Unity e não que fazer gambiarra, experimente instalar o Indicator Systemtray Unity.
Bandeja do sistema no Ubuntu
O Indicator Systemtray Unity é um novo AppIndicator que adiciona uma bandeja do sistema no Ubuntu, mas especificamente no painel do Unity. Diferente do padrão, ele não aparece no painel até que você inicie um aplicativo que vem com um ícone da bandeja. Mesmo assim, a bandeja do sistema é exibida sob demanda e existem dois modos disponíveis:

  1. Clique com o botão esquerdo no ícone Indicador e neste caso, os ícones da bandeja serão exibidos sob ele. Quando este modo é utilizado, a bandeja do sistema no Ubuntu é exibida somente quando o mouse está perto do ícone Indicator Systemtray Unity.

    trayindicator_1

    Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO
  2. Ao clicar no ícone Indicador Systemtray com o botão do meio, você fará com que os ícones da bandeja do sistema no Ubuntu sejam exibidos em uma sobreposição, flutuando em cima do painel, o que pode ser útil tanto para exibir os ícones ao lado dos indicadores (como na imagem abaixo) ou para usar no topo de uma dock. Quando este modo é utilizado, os ícones da bandeja do sistema não ficam ocultos
    trayindicator_2

Conheça melhor o Indicator Systemtray Unity

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Indicator Systemtray Unity e colocar uma bandeja do sistema no Ubuntu

Para instalar o Indicator Systemtray Unity e colocar uma bandeja do sistema no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:fixnix/indicator-systemtray-unity

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install indicator-systemtray-unity

Se você não quiser adicionar o PPA, você pode pegar o deb a partir desse link e instalar manualmente, mas nesse caso, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Uma vez instalado, faça saia da sessão atual e entre novamente. Assim que entrar na nova sessão, o Indicator Systemtray Unity deve iniciar automaticamente. Contudo, ele não irá aparecer no painel até que você execute um aplicativo que usa um ícone da bandeja.

Desinstalando o Indicator Systemtray Unity no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Indicator Systemtray Unity no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get purge indicator-systemtray-unity
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

21 de maio de 2015

Visualizador de imagens Nomacs – Instale no Ubuntu

Se você procurava um bom visualizador de imagens para seu sistema, experimente instalar o aplicativo Nomacs.
Visualizador de imagens Nomacs
Nomacs é um visualizador de imagens livre sob a licença GPLv3, multiplataforma e com uma grande quantidade de recursos. O programa tem versões para Linux, Windows e Mac.

O programa é leve, prático, rápido e tem habilidade para lidar com a maioria dos formatos comuns, inclusive imagens RAW. Ele oferece sincronização com vários usuários no mesmo computador ou em diferentes computadores através de LAN, o que o torna um aplicativo único.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Os formatos suportados são: PNG, JPG, JPEG, TIF, BMP, PPM, ARW, PSD, DNG, TGA, ICO, CRW, MPO, GIF, XPM, XBM, PBM, PGM, NEF, CRW, ARW, CR2 e nomacs Também pode exibir as informações EXIF ​​para cada imagem, onde existe a metadados.

Conheça melhor o visualizador de imagens Nomacs

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Instalando o visualizador de imagens Nomacs no Ubuntu e derivados

Para instalar o visualizador de imagens Nomacs no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione esses repositórios com os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:nomacs/stable

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install nomacs

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite nomacs no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o visualizador de imagens Nomacs no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o visualizador de imagens Nomacs no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove nomacs
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale o tema E17 GTK no Ubuntu e derivados

Quer dar um tom mais sombrio para o seu desktop? Gostou da ideia? Então experimente instalar o tema E17 GTK e veja como fica.
tema E17 GTK
E17 é um tema projetado especificamente para o ambiente de grafico E17. É um tema escuro com cantos afiados e parece muito bem. Ele é compatível com GTK 3.12 e 3.10, e por isso, pode trabalhar em qualquer ambiente que usa GTK, como o Gnome, Unity, Xfce, Cinnamon e etc.

Conheça melhor o tema E17 GTK

Para saber mais sobre esse tema, clique nesse link.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Instalando o tema E17 GTK no Ubuntu e derivados

Para instalar o tema E17 GTK no Ubuntu e derivados a partir de um repositório, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione esses repositórios com os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install e17gtk-theme

Depois de instalado, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-Tweak-Tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Desinstalando o tema E17 GTK no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema E17 GTK no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove e17gtk-theme

Passo 3. Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar para o tema padrão.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar Cinnamon 2.6 no Ubuntu 14.04 e 15.04

A versão 2.6 do ambiente de trabalho Cinnamon entrou em fase de congelamento para o lançamento da versão estável. Se você quiser experimentar essa versão, veja como instalar o Cinnamon 2.6 no Ubuntu 14.04 e 15.04.
Cinnamon 2.6 no Ubuntu
A versão estável do Cinnamon 2.6 está prevista para ser lançada no final deste mês. Enquanto ela não chega, use esse tutorial para saber como ficará o ambiente. Depois, você só precisará atualizar para receber a versão final.

Cinnamon 2.6 traz alguns novos recursos, como por exemplo:

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO
  • Suporte para systemd;
  • Suporte para vários monitores em painel;
  • Suporte para novo headerbar GTK (decorações do lado do cliente).

Conheça melhor o Cinnamon

Para saber mais sobre esse ambiente gráfico, clique nesse link.

Como instalar o Cinnamon 2.6 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Cinnamon 2.6 no Ubuntu 14.04 e 15.04, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository -y ppa:gwendal-lebihan-dev/cinnamon-nightly

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install cinnamon

Pronto! Saia da sessão atual e quando aparecer a tela de login, escolha o Cinnamon. Entre com seu usuário e senha e depois comece a experimentar o ambiente.

Desinstalando o Cinnamon 2.6 no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Cinnamon 2.6 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove sudo apt-get purge cinnamon* nemo-* cjs muffin* python-nemo
sudo add-apt-repository -r ppa:gwendal-lebihan-dev/cinnamon-nightly
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale o Profile Cleaner e reduza o tamanho dos perfis de navegadores

Se você precisa diminuir o tamanho dos perfis de navegadores, experimente instalar e usar o Profile Cleaner.
perfis de navegadores
Profile Cleaner é um aplicativo que permite reduzir o tamanho dos perfis do navegador, organizando suas bases de dados SQLite usando as funções vacuum e reindex do sqlite3. Apesar de voltado para navegadores, o programa funciona em alguns clientes de e-mail e leitores de notícias também.

O programa suporta os seguintes navegadores: Chromium, Conkeror, Firefox (estável, beta e aurora), Google Chrome (estável, beta e dev), Heftig’s Aurora, Midori, Newsbeuter, Seamonkey, Thunderbird, Tor-browser e claro, alguns outros que não são listados, mas que funcionam com o programa.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Conheça melhor o Profile Cleaner

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Profile Cleaner e diminuir o tamanho dos perfis de navegadores

Para instalar o Profile Cleaner e diminuir o tamanho dos perfis de navegadores , você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:graysky/utils

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install profile-cleaner

Passo 5. Execute o seguinte comando para fazer a limpeza no Firefox;

profile-cleaner f

Se quiser fazer em outro navegador, use uma dessas opções:
profile-opcoes

Desinstalando o Profile Cleaner no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Profile Cleaner no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove profile-cleaner
sudo apt-get autoremove

Via Ubuntu Geek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o Kingsoft WPS Office no Ubuntu

A Kingsoft anunciou o lançamento do Alpha 18 de sua suíte de escritório Kingsoft WPS Office. Se você quiser atualizar ou experimentar essa versão, veja aqui como fazer isso.
kingsoft wps office
O Kingsoft WPS Office é uma suíte de escritório proprietário que está tendo um sucesso notável, especialmente entre os usuários orientais. Além disso, graças à colaboração entre o Kingsoft Office International Community e a Canonical, a suíte de escritório tornou-se parte dos repositórios oficiais da distro Ubuntu Kylin, uma especificação oficial derivada do Ubuntu, voltada para os usuários chineses.

Apesar de ainda ser um Alpha, o continuo desenvolvimento do Kingsoft WPS Office lhe dá cada dia mais funcionalidades e estabilidade, tornado-a uma suíte de escritório multiplataforma com características muito interessantes. A ideia do projeto WPS Office é fornecer aos usuários uma alternativa gratuita ao Microsoft Office, incluindo um excelente suporte para formatos proprietários e uma interface gráfica moderna e intuitiva.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Conheça melhor o Kingsoft WPS Office

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para obter mais informações sobre o Alpha 18 do Kingsoft WPS Office, acesse esse link.

Instalando o Alpha 18 do Kingsoft WPS Office para Linux no Ubuntu e derivados

Para instalar o Alpha 18 do Kingsoft WPS Office para Linux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.deb:

wget -O wps-office.deb http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/a18/wps-office_9.1.0.4953~a18_i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome wps-office.deb:

wget -O wps-office.deb http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/a18/wps-office_9.1.0.4953~a18_amd64.deb

Passo 5. Baixe o pacote de fontes da suíte:

wget -O web-office-fonts.deb http://kdl.cc.ksosoft.com/wps-community/download/a15/wps-office-fonts_1.0_all.deb

Passo 6. Agora instale os pacotes baixados com os comandos:

sudo dpkg -i wps-office.deb
sudo dpkg -i web-office-fonts.deb

Passo 7. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Como instalar a tradução para português do Kingsoft WPS Office no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a tradução para português do Kingsoft WPS Office, para deixá-lo mais completo e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Adicione o repositório do pacote com este comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://repo.uniaolivre.com/packages trusty main" >> /etc/apt/sources.list.d/uniaolivre.list'

Passo 3. Baixe e instale a chave do repositório do pacote com o comando:

wget http://repo.uniaolivre.com/uniaolivre.key -O- | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o pacote;

sudo apt-get install wps-office-mui-pt-br

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite wps no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB) e escolha uma das opções.

Instalando o Alpha 18 do WPS Office em outras distribuições Linux

Para instalar o Alpha 18 do WPS Office em outras distribuições Linux como Debian, Fedora, openSUSE e etc, basta baixar o pacote deb ou rpm a partir dos links abaixo, dar um duplo clique sobre ele e confirmar a instalação.
wps-office_9.1.0.4953~a18_i386.deb
wps-office_9.1.0.4953~a18_amd64.deb
wps-office-9.1.0.4953-1.a18.i686.rpm
wps-office-9.1.0.4953-1.a18.x86_64.rpm

O Alpha 18 do WPS Office para Linux também está disponível para Arch Linux via AUR.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

20 de maio de 2015

Crie seu próprio servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync no Ubuntu

Que tal criar seu próprio servidor caseiro de arquivos usando apenas o programa BitTorrent Sync no Ubuntu? Ficou interessado? Então veja aqui como fazer.
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
O BitTorrent Sync é um aplicativo totalmente gratuito e desenvolvido pela equipe BitTorrent. Disponível para Linux/Windows/Mac/Android/iOS/Windows Phone, o programa utiliza o protocolo p2p para fazer a sincronização de pastas diretamente, com a máxima segurança, capacidade de armazenamento e velocidade.

Ele funciona como um servidor de arquivos, onde você pode sincronizar e compartilhar arquivos ou pastas ilimitadas em todos os seus dispositivos. Além disso, BTSync nunca armazena seus arquivos em qualquer lugar, mas em seu computador, para que seus dados fiquem a salvo de violações e olhos curiosos.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Porém, ao contrário do BitTorrent tradicional, arquivos compartilhados usando BitTorrent Sync são criptografados e o acesso é restrito com base em um segredo compartilhado que é gerado automaticamente. Assim, enquanto BitTorrent é muitas vezes usado para distribuir arquivos de forma pública, BitTorrent Sync é frequentemente utilizado como um método privado para sincronizar e compartilhar arquivos entre dispositivos, devido às suas medidas de segurança.

Com BitTorrent Sync você cria uma pasta de sincronização para o seu material e depois pode abrir ela em qualquer computador, telefone ou tablet, para acessar documentos, compartilhar fotos e consequentemente, trabalhar a partir de qualquer lugar.

O programa permite sincronizar e compartilhar qualquer arquivo grande ou pequeno, sejam eles fotos, vídeos, documentos de texto, PDFs e etc. E quando você estiver em movimento, as versões para dispositivos móveis darão acesso a todas as suas pastas sincronizadas. Claro, é importante lembrar que para obter o melhor desempenho e evitar gastar muito com planos de dados, é recomendável usar uma rede Wi-Fi, enquanto for feita a sincronização do seu dispositivo móvel.

Conheça melhor o BitTorrent Sync

Para saber mais sobre o BitTorrent Sync, clique nesse link.

Criando seu próprio servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync no Ubuntu

Para criar seu próprio servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa usando o comando abaixo:

sudo add-apt-repository ppa:tuxpoldo/btsync

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o BitTorrent Sync com indicador, use o comando abaixo:

sudo apt-get install btsync btsync-gui

Passo 5. Responda as perguntas do instalador. A maioria você pode simplesmente deixar como está e confirmar ou algumas como o usuário e senha, preencha como quiser;
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
servidor caseiro de arquivos com BitTorrent Sync
Passo 6. Crie uma pasta de compartilhamento em seu diretório home usando o comando abaixo:

cd ~/ && mkdir btsync-folder

Passo 7. Você pode criar uma pasta de compartilhamento em qualquer lugar com qualquer nome que quiser, mas nesse caso, para evitar problema com permissões, use esse comando (mude “btsync-folder” para o endereço da pasta que você estiver usando):

chmod 777 btsync-folder

Passo 8. Depois disso, você pode gerenciar o servidor a partir do BitTorrent Sync Indicator do Ubuntu ou de um navegador digitando o endereço. Quando for solicitado, digite o usuário e a senha fornecidos durante a instalação:

http://127.0.0.1:8888/gui/

bt
bt00
Passo 9. Ou executando no Dash, o BitTorrent Sync Gui;
btsync-gui

Para ficar completo, instale outros clientes BitTorrent Sync em seus dispositivos móveis ou computadores e comece a explorar esse importante recurso.

Via NoobsLab
Veja mais:
Instale BitTorrent Sync GUI no Ubuntu
BitTorrent Sync vira beta, recebe controle de versões e um app para Android


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Cliente Linux Campfire: instale Snakefire no Ubuntu e derivados

Se você precisa de um aplicativo Linux para utilizar a ferramenta Campfire, experimente instalar o Snakefire no Ubuntu ou em um de seus derivados.
Campfire
Snakefire é um cliente Qt Linux para Campfire, uma ferramenta de colaboração de equipe com bate-papo em tempo real, bastante popular entre os desenvolvedores. Voltado para grupos, com ele você pode compartilhar textos, arquivos e código em tempo real e ainda salvar transcrições para que você não se esqueça.

Snakefire apresenta alertas de bate-papo e relatórios do que foi discutido, enquanto você estava fora, bem como um ícone na bandeja/Ubuntu appindicator (através do sni-qt) para que o aplicativo não fique em seu caminho. Você pode também rapidamente e facilmente carregar qualquer coisa para o Snakefire, via arrastar e soltar.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Conheça melhor o cliente Linux Campfire

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Instalando o cliente Linux Campfire no Ubuntu e derivados

Para instalar o cliente Linux Campfire no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver adicione este repositório com o comando abaixo:

sudo apt-add-repository ppa:rael-gc/snakefire

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo:

sudo apt-get install snakefire

Passo 5. Se você estiver usando o KDE, também instale o kde-snakefire:

sudo apt-get install snakefire-kde

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite snakefire no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o cliente Linux Campfire no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o cliente Linux Campfire no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove snakefire*
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar a versão mais recente do FFmpeg no Debian, Ubuntu e Fedora

Se você está precisando usar o ffmpeg em seu sistema e precisa dele bem atualizado, veja como instalar a versão mais recente do FFmpeg no Debian, Ubuntu, Fedora e sistemas derivados.
FFmpeg no Debian
FFmpeg é um projeto de software livre que produz bibliotecas e programas que são utilizados para a manipulação de dados multimídia. Ele é um framework multimídia popular, que permite aos usuários para decodificar, codificar, transcodificar, mux, demux, stream, filtro e reproduzir praticamente qualquer coisa que os seres humanos e máquinas criaram. Ele suporta desde os formatos antigos mais obscuros, até os mais atuais.

Também vale a pena mencionar que o pacote contém libavcodec, libavutil, libavformat, libavfilter, libavdevice, libswscale e libswresample que podem ser usados por aplicativos. Assim como ffmpeg, ffserver, ffplay e ffprobe que pode ser usado por usuários finais para transcodificação, streaming e reprodução. Em suma, ele é uma solução multiplataforma e completa para gravar, converter e transmitir áudio e vídeo.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

A versão mais recente disponível é o FFmpeg 2.6.3 “Grothendieck”, que atualiza todas as bibliotecas que contém, incluindo as seguintes versões: libavutil 54,20.100, libavcodec 56.26.100, libavformat 56.25.101, libavdevice 56.4.100, libavfilter 5.11.102, libavresample 2.1.0, libswscale 3.1.101, libswresample 1.1.100 e libpostproc 53.3.100.

Conheça melhor o FFmpeg

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

A seguir você verá como instalar a última versão disponível do FFmpeg no Debian, Ubuntu, Fedora e seus sistemas derivados, utilizando um repositório ou um PPA, dependendo do sistema.

Como instalar a versão mais recente do FFmpeg no Debian e sistemas derivados

Para instalar o FFmpeg no Debian 8 Jessie e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://www.deb-multimedia.org jessie main" >> /etc/apt/sources.list'

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Use o comando abaixo para instalar os pacotes necessários ao funcionamento do ffmpeg;

sudo apt-get install deb-multimedia-keyring

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install ffmpeg

Passo 6. Se for necessário desinstalar o programa, use os comandos abaixo;

sudo apt-get remove ffmpeg
sudo apt-get autoremove

Como instalar a versão mais recente do FFmpeg no Ubuntu e derivados

Para instalar o programa no Ubuntu 15.04, 14.10, 14.04 e derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:samrog131/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install ffmpeg-real

Passo 5. Use o comando abaixo para criar um link para o programa e facilitar a execução;

sudo ln -sf /opt/ffmpeg/bin/ffmpeg /usr/bin/ffmpeg

Passo 6. Se precisar desinstalar o programa, use os comandos abaixo;

sudo apt-get remove ffmpeg
sudo apt-get autoremove
sudo rm /opt/ffmpeg/bin/ffmpeg /usr/bin/ffmpeg

Como instalar o FFmpeg no Fedora e seus derivados

Para instalar o FFmpeg no Fedora 21 e 22 e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se seu sistema é um Fedora 21 ou derivados dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo yum install http://download1.rpmfusion.org/free/fedora/rpmfusion-free-release-21.noarch.rpm

Passo 2. Se seu sistema é um Fedora 22 ou derivados dele, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo yum install http://download1.rpmfusion.org/free/fedora/rpmfusion-free-release-22.noarch.rpm

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo yum update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo yum install ffmpeg

Passo 6. Se for preciso desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo yum remove ffmpeg

Pronto! Agora, que você instalou o Debian, Ubuntu e Fedora, já pode voltar a usar aqueles utilitários que dependem do programa ou até mesmo usá-lo diretamente em um terminal. Para completar, dê uma olhada nesses outros tutoriais relacionado ao assunto:

Via LinuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.0.4

Greg Kroah-Hartman anunciou a quarta atualização da série 4.0, o kernel 4.0.4. Se você quiser atualizar seu sistema para essa nova versão, veja abaixo como fazer isso.
kernel 4.0.4
O kernel 4.0.4 não traz muitas novidades, na verdade, ele é mais uma pequena atualização atualizações com correções de bugs.

A série 4.0 do kernel Linux traz consigo mudanças importantes (além de várias correções de bugs), entre elas, destaque para o live patching, que permitirá atualizar o Kernel, inserir módulos e patches de segurança e etc, sem precisar reiniciar o sistema. Essa é uma característica importantíssima e que é especialmente útil para servidores, uma vez que será possível incluir atualizações segurança e fazer manutenção do Kernel sem ter de reiniciar o sistema, o que aumenta o uptime (tempo sem desligar ou reiniciar o equipamento) desse tipo de computador.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Para ver todas as mudanças presentes nesse kernel, acesse o ChangeLog.

Antes de iniciar começar a atualizar o kernel do Ubuntu, saiba que este é um procedimento que apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.0.4

Para atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.0.4, faça o seguinte
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema acessando as Configurações do Sistema e a opção “Detalhes” ou usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se estiver usando um sistema de 32 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-headers-4.0.4-040004_4.0.4-040004.201505171336_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-headers-4.0.4-040004-generic_4.0.4-040004.201505171336_i386.deb

Passo 4. Se estiver usando um sistema de 32 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-headers-4.0.4-040004_4.0.4-040004.201505171336_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-headers-4.0.4-040004-lowlatency_4.0.4-040004.201505171336_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-image-4.0.4-040004-lowlatency_4.0.4-040004.201505171336_i386.deb

Passo 5. Se estiver usando um sistema de 64 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-headers-4.0.4-040004_4.0.4-040004.201505171336_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-headers-4.0.4-040004-generic_4.0.4-040004.201505171336_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-image-4.0.4-040004-generic_4.0.4-040004.201505171336_amd64.deb

Passo 6. Se estiver usando um sistema de 64 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-headers-4.0.4-040004_4.0.4-040004.201505171336_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-headers-4.0.4-040004-lowlatency_4.0.4-040004.201505171336_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.4-wily/linux-image-4.0.4-040004-lowlatency_4.0.4-040004.201505171336_amd64.deb

Passo 7. Instale o kernel com o comando:

sudo dpkg -i linux-headers-4.0.4*.deb linux-image-4.0.4*.deb

Passo 8. Reinicie o sistema com o comando abaixo:

sudo reboot

Passo 9. Se você tiver algum problema e quiser desinstalar o kernel 4.0.4, reinicie o computador com um kernel anterior (usando Grub -> Advanced -> select previous kernel) e quando iniciar o sistema, faça login, abra um terminal e execute o comando abaixo para remover o Linux Kernel 4.0.4:

sudo apt-get remove linux-headers-4.0.4 linux-image-4.0.4

Passo 10. Finalmente atualize o menu do GRUB, com o comando:

sudo update-grub

Nota: Todos os drivers que não fazem parte da principal árvore do kernel (o que obviamente inclui drivers proprietários) devem ser recompilados para novas versões do kernel.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

19 de maio de 2015

Instale Youtube-DLG: uma interface gráfica para o youtube-dl

Se você gostou do youtube-dl, mas não quer trabalhar com a linha de comando, experimente instalar o Youtube-DLG e use essa ferramenta em uma interface gráfica multiplataforma.
youtube-dlg
Para que não conhece, o youtube-dl é um utilitário para download de vídeo que funciona na linha de comando e que, apesar do que o nome sugere, suporta download de vídeos a partir de centenas de sites além do YouTube. Ele pode extrair o áudio automaticamente, suporta download de playlists, fazer o download e incorporação de legendas em vídeos e muito mais.

Já o Youtube-DLG é uma interface gráfica multiplataforma para o youtube-dl. Essa interface permite baixar vários vídeos de uma só vez, converter automaticamente os vídeos baixados para áudio, também permite que você selecione a qualidade de vídeo e muito mais. O Youtube-DLG (ou youtube-dl-gui) não oferece acesso a todos os recursos do youtube-dl (há tantos, que é quase impossível encaixá-los todos em uma única interface de usuário), mas oferece acesso à maioria dos recursos básicos que devem ser suficientes para a maioria dos usuários.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Conheça melhor o Youtube-DLG

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja como instalar a interface gráfica Youtube-DLG para a ferramenta youtube-dl no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Youtube-DLG no Ubuntu e seus derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa usando o comando abaixo:

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install youtube-dlg

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite youtube no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Youtube-DLG no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Youtube-DLG no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove youtube-dlg
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8
Veja também
Instale Youtube-dl no Ubuntu e baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido
Cinco maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube no Ubuntu e derivados


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como alterar o ícone do aplicativo no ambiente Unity

Se você não gosta de um determinado ícone de aplicativo, saiba que é possível mudá-lo. Para fazer isso, veja como alterar o ícone do aplicativo no ambiente Unity.
alterar o ícone do aplicativo
Essa é uma dica rápida voltada principalmente para iniciantes, que irá mostrar como mudar o ícone do aplicativo no ambiente Unity (pode funcionar também em outros ambientes). Como lida diretamente com arquivos, esse truque irá funcionar no Ubuntu 14.04, Ubuntu 13.10, Ubuntu 12.04 e futuras versões do Ubuntu que usam o ambiente Unity.

No ambiente Unity, lançadores de aplicações são arquivos com uma extensão “.Desktop”. Assim, para mudar o ícone de uma determinada aplicação, você pode editar o arquivo “.Desktop” do mesmo. Normalmente, esses arquivos são armazenadas em “/usr/share/applications/”. Entretanto, alguns aplicativos que estão instalados no diretório do usuário, podem ser encontrados no diretório “~/.local/share/applications/”.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Como alterar o ícone do aplicativo no ambiente Unity

Para alterar o ícone do aplicativo no ambiente Unity, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Vá para a pasta “/usr/share/applications”com o seguinte comando:

cd /usr/share/applications

Passo 3. Para listar todos os arquivos disponíveis nesse diretório, use esse comando.

ls |more

Passo 4. Abra o arquivo “.desktop” que deseja mudar, usando o comando a seguir. Mude o firefox.desktop para o nome do arquivo que quer mudar e se for preciso usar outro editor de textos, substitua “gedit” pelo nome dele;

sudo gedit firefox.desktop

Passo 5. Na janela do gedit, procure pela linha que começa com “Icon =” e mude seu valor para o caminho exato para seu novo arquivo de ícone. A imagem a ser usada deve ser preferencialmente um arquivo no formato PNG com tamanho em 64×64 ou 128×128;
firefox-desktop-file
Passo 6. Depois de modificar e salvar as alterações, feche o gedit, abra o painel do Unity e procure o lançador para ver o resultado:
firefox-custom-icon1

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Bate papo no terminal – instale o WeeChat no Ubuntu

Procurando um cliqente de chat leve e que suporte plugins? Então instale o WeeChat no Ubuntu e tenha bate papo no terminal com esse incrível programa.
WeeChat no Ubuntu
WeeChat é um cliente de chat de código aberto (GPL v3), multiplataforma, rápido, leve e extensível, e que possui interface de usuário apenas em modo texto. Apesar disso, ele tem suporte para scripts e plugins que podem ser carregados na inicialização ou dinamicamente, além de suporte para IRC.

O WeeChat também permite várias conexões de vários servidores, tem suporte para UTF-8 e pode usar múltiplos conjuntos de caracteres de codificação e decodificação de mensagens. Ele foi projetado para ser leve e extensível, possuindo um núcleo leve com plugins opcionais. Nele, plugins e scripts podem ser carregados e descarregados dinamicamente a qualquer momento.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Conheça melhor o WeeChat

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
A versão mais recente traz algumas novidades e correções, que podem ser visualizadas acessando o changelog

Como instalar o WeeChat no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o WeeChat no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:nesthib/weechat-stable

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install weechat

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite weechat no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o WeeChat no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o WeeChat no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove weechat
sudo apt-get autoremove

Via LinuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o Syncthing no Debian, Ubuntu e derivados

Boa noticia para os usuários do Syncthing, recentemente foi lançado um repositório oficial do programa para Ubuntu/Debian. Saiba um pouco mais sobre ele e veja como instalar o Syncthing no Debian, Ubuntu e derivados.
Syncthing
Além de ser um repositório oficial que fornece pacotes para Debian, Ubuntu e derivados, nele é possível encontrar compilações para as arquiteturas amd64, i386 e arm.

Os pacotes do novo repositório oficial para Ubuntu e Debian são um pouco experimental, pois ele acaba de ser lançado, mas deve funcionar em qualquer versão recente do Ubuntu e Debian. Por enquanto, os pacotes só fornecem o binário principal e alguns arquivos LEIA-ME, sem quaisquer scripts de inicialização e etc., mas isso pode mudar em breve.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Para quem ainda não conhece, Syncthing é uma aplicação multiplataforma peer-to-peer que faz sincronização de arquivos cliente/servidor entre computadores e que é semelhante ao BitTorrent Sync, no entanto, ao contrário deste último, este é um programa de código aberto.

Por padrão, o aplicativo vem apenas com uma interface web. Se você quiser usar uma interface para o programa baseada em GTK3 e Python, veja esse outro tutorial:
Sincronizar arquivos: Syncthing GTK agora tem integração com Nautilus, Nemo e Caja

Conheça melhor o Syncthing

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Syncthing no Debian, Ubuntu e derivados

Para instalar o Syncthing no Debian, Ubuntu e derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://apt.syncthing.net/ syncthing release" >> /etc/apt/sources.list.d/syncthing.list'

Passo 3. Baixe e adicione a chave do repositório com o comando:

wget -q -O- https://syncthing.net/release-key.txt | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install syncthing

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite syncthing no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Syncthing no Debian, Ubuntu e derivados

Para desinstalar o programa no Debian, Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove syncthing
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar a versão mais recente do Avidemux no Ubuntu

Se você quer manter um bom editor de vídeo em seus sistema sempre atualizado, veja aqui como instalar a versão mais recente do Avidemux no Ubuntu.
Avidemux no ubuntu
Avidemux é um editor de vídeo gratuito projetado para corte simples, filtragem e codificação de tarefas. O programa está disponível para Linux, BSD, Mac OS X e Microsoft Windows sob a licença GNU GPL.

Como o programa as tarefas podem ser automatizadas usando projetos, fila de tarefas e recursos de script poderosos. Apesar do nome dele começar com “Avi”, o aplicativo suporta muitos tipos de arquivos (incluindo AVI), arquivos MPEG compatível com DVD, MP4 e ASF, usando uma variedade de codecs.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Conheça melhor o editor de vídeo Avidemux

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.
Para saber mais detalhes dessa versão, veja o anuncio oficial dela.

Como instalar a versão mais recente do Avidemux no Ubuntu e derivados

Para instalar a versão mais recente do Avidemux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se estiver usando o Ubuntu 14.04, adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://archive.getdeb.net/ubuntu trusty-getdeb apps" >> /etc/apt/sources.list'

Passo 3. Se estiver usando o Ubuntu 15.04, adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://archive.getdeb.net/ubuntu vivid-getdeb apps" >> /etc/apt/sources.list'

Passo 4. Baixe e adicione a chave do repositório GetDeb com o comando:

wget -q -O- http://archive.getdeb.net/getdeb-archive.key | sudo apt-key add -

Passo 5. Atualize o Apt com o comando abaixo:

sudo apt-get update

Passo 6. Para instalar a versão do programa baseada na biblioteca GTK, use este comando:

sudo apt-get install avidemux2.6

Passo 7. Para instalar a versão do programa baseada na biblioteca QT, use este comando:

sudo apt-get install avidemux2.6-qt

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite avidemux no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Avidemux no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Avidemux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove avidemux2*
sudo apt-get autoremove

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

18 de maio de 2015

Instalando o ripador de DVD Transmageddon no Ubuntu e derivados

Precisando de uma ferramenta simples para ripar DVD? Então conheça e instale o Transmageddon em seu Ubuntu.
ripador de dvd
Transmageddon é um transcodificador de vídeo para sistemas Linux e Unix que utiliza GStreamer. Ele suporta quase todos os formatos como entrada e pode gerar uma grande variedade de arquivos de saída.

O objetivo inicial do projeto era o de ajudar as pessoas a criarem os arquivos necessários para poder reproduzir arquivos multimídia em seus dispositivos móveis e auxiliar pessoas sem experiência com multimídia, para gerar um arquivo multimídia, sem ter que recorrer a ferramentas de linha de comando com sintaxes deselegantes.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Conheça melhor o ripador de DVD Transmageddon

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Instale o ripador de DVD Transmageddon no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o ripador de DVD Transmageddon no Ubuntu e seus derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa usando o comando abaixo:

sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o programa, use o comando abaixo:

sudo apt-get install transmageddon

Passo 5. Para ser capaz de ripar DVDs usando Transmageddon, você precisa ter certeza de que lsdvd, libdvdread4 e gstreamer1.0-plugins-ugly estão instalados. Para fazer isso, use este comando

sudo apt-get install lsdvd libdvdread4 gstreamer1.0-plugins-ugly

Passo 5. E para instalar a libdvdcss2 via libdvdread4, execute o script de instalação da livdvdcss com o seguinte comando:

sudo /usr/share/doc/libdvdread4/install-css.sh

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite transmageddon no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o ripador de DVD Transmageddon no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o ripador de DVD Transmageddon no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove transmageddon
sudo apt-get autoremove

Mais sobre o Ubuntu 15.04

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalando o pacote de ícones Vibrancy Colors no Debian, Ubuntu e derivados

Nada melhor do que ícones para mudar o visual de um desktop, não é mesmo? Mas se você quiser um bem variado, instale o pacote de ícones Vibrancy Colors no Debian, Ubuntu e derivados.
Vibrancy colors
Vibrancy Color é um corajoso, moderno, bonito e “vibrante” pacote de ícones. Vibrancy é uma mistura de muitos projetos incríveis de temas de ícones livres, resultando em um novo ícone belo tema. Ele foi criado para ser moderno limpo e personalizável. Foi construído com o tema RAVEfinity Color GTK em mente ou qualquer tema que ajustável. Ele está preparado para trabalhar muito bem com temas GTK planos. Há 13 cores de pastas que podem ser selecionados: Stock Manila Folders, Azul, Aqua, Grafite, Azul Vivo (escuro), marrom, verde, roxo, vermelho, rosa, laranja, verde azulado e amarelo. Este tema de ícones é compatível com Unity, Gnome, KDE, Xfce e etc.

Vibrancy Colors

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Conheça melhor o pacote de ícones Vibrancy Colors

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o pacote de ícones Vibrancy Colors no Ubuntu 14.10, 14.04, 12.04 e seus derivados

Para instalar o pacote de ícones Vibrancy Colors no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:ravefinity-project/ppa -y

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o programa usando o seguinte comando:

sudo apt-get install vibrancy-colors -y

Instalando o pacote de ícones Vibrancy Colors em qualquer Debian, Ubuntu e seus derivados

Para instalar o pacote de ícones Vibrancy Colors em qualquer Debian, Ubuntu e seus derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

wget -O vibrancy-colors.deb https://launchpadlibrarian.net/203141619/vibrancy-colors_2.2%7Etrusty%7ENoobslab.com_all.deb

Passo 3. Finalmente, instale o programa usando o seguinte comando:

sudo dpkg -i vibrancy-colors.deb 

Passo 4. Se necessário, instale as dependências com este comando (opcional):

sudo apt-get install -f -y

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Desinstalando o pacote de ícones Vibrancy Colors em qualquer Debian, Ubuntu e seus derivados

Para desinstalar o pacote de ícones Vibrancy Colors em qualquer Debian, Ubuntu e seus derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove vibrancy-colors.deb
sudo apt-get autoremove

Mais sobre o Ubuntu 15.04

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Divulgado o cronograma de lançamento do Ubuntu 15.10

Pouco tempo depois do anuncio do nome da próxima versão do Ubuntu (Wily Werewolf), agora foi divulgado o cronograma de lançamento do Ubuntu 15.10. Veja mais detalhes sobre ele.
cronograma de lançamento do Ubuntu 15.10 Wily Werewolf
O desenvolvimento do próximo Ubuntu começou oficialmente há algumas semanas atrás e com a divulgação do cronograma de lançamento do Ubuntu 15.10, inicia-se um novo ciclo.

Esse será um ciclo emocionante para novos desenvolvimentos, com um grande foco na convergência e Unity 8 com Mir, uma melhor integração com o Systemd, e muitas outras mudanças planejadas para o desenvolvimento ao longo dos próximos seis meses.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Nesse período, os desenvolvedores do Ubuntu e derivados irão integrar vários novos recursos e melhorias do novo Unity 8 e o servidor gráfico MIR (que em breve deverá também ser suportado pelos drivers proprietários da AMD e Nvidia).

De acordo com o cronograma de lançamento, a versão estável do Ubuntu 15.10 Wily Werewolf, que estará disponível em uma quinta-feira, no dia 22 de outubro de 2015.

Como em versões anteriores, os dois primeiros Alpha e Beta 1 serão lançadas imagens ISO apenas dos derivados oficiais do Ubuntu e somente o Beta Final e o Release Candidate terão uma imagem ISO com o Unity, disponível para download.

O cronograma de lançamento do Ubuntu 15.10 Wily Werewolf ficou assim:

Ubuntu 15.10 Alpha 1 – 25 junho
Ubuntu 15.10 Alpha 2 – 30 julho
Ubuntu 15.10 Beta 1 – 27 agosto
Ubuntu 15.10 Beta 2 – 24 setembro
Ubuntu 15.10 versão final – 22 de outubro

Os mais apressados já podem baixar as compilações diárias do Ubuntu 15.10 Wily Werewolf, a partir desse link.
Mas lembre-se! Como se trata de um software em inicio de desenvolvimento, faça isso por sua própria conta e risco.

Fique de olho no Blog que será postado algo sempre que surgir alguma novidade ou for lançada uma das versões do cronograma acima.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o digital audio workstation Ardour no Ubuntu

Procurando um software profissional para gravação e edição de áudio? Então veja como instalar o digital audio workstation Ardour no Ubuntu.
digital audio workstation Ardour
Ardour é uma aplicação de digital audio workstation, voltado para utilização profissional. O aplicativo é um projeto de código aberto, o resultado de um esforço de colaborativo de uma equipe mundial, que inclui músicos, programadores e engenheiros de gravação profissional.

O programa chegou a versão 4.0, trazendo muitas melhorias técnicas, bem como novos recursos e mais de mil correções de bugs. Além disso, ele reduziu drasticamente o consumo de memória, trouxe um melhor um suporte melhorado para o OS X e uma interface de usuário atualizada.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Conheça melhor o digital audio workstation Ardour

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais sobre versão mais recente do programa, a nota de lançamento.

Como instalar o digital audio workstation Ardour no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o digital audio workstation Ardour no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:dobey/audiotools

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install ardour

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite ardour no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o digital audio workstation Ardour no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o digital audio workstation Ardour no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove ardour
sudo apt-get autoremove

Mais sobre o Ubuntu 15.04


Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

17 de maio de 2015

Resumo semanal de 11/05/2015 a 17/05/2015

Você sabia que já foi lançado o Firefox 38 e que é bem fácil instalar ou atualizar ele no Linux? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essa postagem, mas não se preocupe, leia o resumo semanal do blog e se atualize.
resumo semanal de 11/05/2015 a 17/05/2015
Mas você já deve saber como instalar o cliente Desura, o Desurium, no Ubuntu? Ou já sabe como instalar o gestor de computadores em sala de aula ITALC2? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal do Blog no período de 11/05/2015 a 17/05/2015

11/05/2015

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

12/05/2015

13/05/2015

14/05/2015

15/05/2015

16/05/2015

Ubuntu 15.04

O Ubuntu Ubuntu 15.04 chegou! Quem quiser experimentar, pode baixá-lo acessando os links nessa postagem.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

Como atualizar para o Ubuntu 15.04

Quem precisar atualizar para o Ubuntu 15.04, basta seguir esses tutoriais:
Como atualizar para o Ubuntu 15.04 na versão desktop
Como atualizar para o Ubuntu 15.04 server
Como atualizar para o Ubuntu 15.04 usando disco de instalação

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 15.04

Quem acabou de mudar para o Ubuntu 15.04, pode dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 15.04

Ubuntu 14.10

Já se você quiser usar o Ubuntu 14.10 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como atualizar do 14.04 para o 14.10

Quem precisar atualizar do 14.04 para o 14.10, basta seguir esses tutoriais:
Desktop
Como atualizar o Ubuntu Desktop da versão 14.04 para a 14.10
Como atualizar o Ubuntu Server para uma nova versão

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem ainda está no Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas nas últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

16 de maio de 2015

Ferramenta de transferência de arquivos: Instale Dukto R6 no Ubuntu

Se você quer transferir arquivos entre diferentes sistemas operacionais em uma rede local de um jeito fácil, experimente instalar a ferramenta de transferência de arquivos Dukto R6 no Ubuntu e derivados.
ferramenta de transferência de arquivos Dukto
Dukto R6 é uma ferramenta de transferência de arquivos multiplataforma e de código aberto. Ele é útil para transferir arquivos entre computadores de uma rede local sem ter que se preocupar com configurações, sistemas operacionais, clientes, servidores e assim por diante. Oficialmente, Dukto está disponível para Linux, Windows e Mac OS X, mas também há alguns ports não oficiais para iOS, Blackberry, Android ou Maemo.

Dukto não requer qualquer configuração: você simplesmente instala ele nas máquinas que deseja transferir arquivos, executa o aplicativo nelas e pronto. O aplicativo irá exibir automaticamente todos os computadores em sua rede local que estejam executando Dukto e você já pode começar a transferir arquivos. Por padrão, os arquivos que você recebe são salvos na sua pasta pessoal, mas você pode mudar isso a partir das definições do programa. Além de ser capaz de transferir arquivos e pastas em sua rede local, Dukto também suporta o envio de trechos de texto para que, por exemplo, você possa facilmente enviar um link de um computador para outro em sua rede LAN.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

No entanto, a ferramenta não é focada em segurança. Na verdade, o aplicativo não usa qualquer senha ou criptografia, de modo que seu desenvolvedor recomenda o uso somente em redes locais confiáveis.

Conheça melhor a ferramenta de transferência de arquivos Dukto R6

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Instalando a ferramenta de transferência de arquivos Dukto R6 no Ubuntu e derivados

Para instalar a ferramenta de transferência de arquivos Dukto R6 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema acessando as Configurações do Sistema e a opção “Detalhes” ou usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se você estiver usando um sistema Ubuntu 12.04 de 32 bits, baixe o arquivo DEB do programa com o comando:

wget -O dukto.deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/colomboem/xUbuntu_12.04/i386/dukto_6.0-1_i386.deb

Passo 4. Se você estiver usando um sistema Ubuntu 12.04 de 64 bits, baixe o arquivo DEB do programa com o comando:

wget -O dukto.deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/colomboem/xUbuntu_12.04/amd64/dukto_6.0-1_amd64.deb

Passo 5. Se você estiver usando um sistema Ubuntu 14.04 de 32 bits, baixe o arquivo DEB do programa com o comando:

wget -O dukto.deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/colomboem/xUbuntu_14.04/i386/dukto_6.0-1_i386.deb

Passo 6. Se você estiver usando um sistema Ubuntu 14.04 de 64 bits, baixe o arquivo DEB do programa com o comando:

wget -O dukto.deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/colomboem/xUbuntu_14.04/amd64/dukto_6.0-1_amd64.deb

Passo 7. Se você estiver usando um sistema Ubuntu 14.10 de 32 bits, baixe o arquivo DEB do programa com o comando:

wget -O dukto.deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/colomboem/xUbuntu_14.10/i386/dukto_6.0-1_i386.deb

Passo 8. Se você estiver usando um sistema Ubuntu 14.10 de 64 bits, baixe o arquivo DEB do programa com o comando:

wget -O dukto.deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/colomboem/xUbuntu_14.10/amd64/dukto_6.0-1_amd64.deb

Passo 7. Se você estiver usando um sistema Ubuntu 15.04 de 32 bits, baixe o arquivo DEB do programa com o comando:

wget -O dukto.deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/colomboem/xUbuntu_15.04/i386/dukto_6.0-1_i386.deb

Passo 8. Se você estiver usando um sistema Ubuntu 15.04 de 64 bits, baixe o arquivo DEB do programa com o comando:

wget -O dukto.deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/colomboem/xUbuntu_15.04/amd64/dukto_6.0-1_amd64.deb

Passo 5. Agora instale o programa digitando o comando abaixo:

sudo dpkg -i dukto.deb

Passo 5. Se tiver algum problema com dependências, execute o comando abaixo e se necessário, repita o passo anterior:

sudo apt-get install -f

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite dukto no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando a ferramenta de transferência de arquivos Dukto R6 no Ubuntu e derivados

Para desinstalar a ferramenta de transferência de arquivos Dukto R6 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove dukto
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o Chromium no Ubuntu pelo canal Beta ou Dev

Se você é um usuário do navegador do Google e gosta de emoções fortes, experimente instalar o Chromium no Ubuntu a partir dos canais Beta ou Dev.
Chromium no Ubuntu
Para quem não sabe, Saikrishna Arcot mantém dois repositórios PPA do Chromium: um para o canal Beta e outro para o canal Dev do Chromium, e ambos são atualizados regularmente para todas as versões do Ubuntu que são suportadas pelo projeto.

No entanto, há uma desvantagem de usar essas PPA´s: as versões do Chromium disponibilizadas neles não incluem as APIs do Google, o que significa que algumas características como a sincronização do navegador (Sync), não funcionarão por padrão.

Compre na DioStore e ganhe 10% de desconto com o cupom BLOGEDIVALDO

Para obter esses recursos de volta, você precisa obter uma chave de API do Google e as instruções para fazer isso estão incluídas na descrição do PPA. Você pode até usar essas versões do Chromium fornecidas pelos repositórios sem a API do Google, mas lembre-se que o Sync, entre outros, não irão funcionar.

Outra coisa que você deve notar é que ao usar esses PPA´s, a instalação atual do Chromium será substituída por uma do PPA, ou seja, você não pode instalar o Chromium Estável, Beta ou Dev ao mesmo tempo.

Essa instalação é para quem quer se aventurar nas novidades desse navegador. Se o que você quer é apenas instalar o navegador do Google, siga o tutorial abaixo e instale o Chrome:
Como instalar o Google Chrome no Linux

Conheça melhor o Chromium

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Como instalar o Chromium no Ubuntu a partir do canal Beta

Para instalar o Chromium no Ubuntu a partir do canal Beta, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:saiarcot895/chromium-beta

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando a seguir:

sudo apt-get install chromium-browser

Como instalar o Chromium no Ubuntu a partir do canal Dev

Para instalar o Chromium no Ubuntu a partir do canal Dev, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:saiarcot895/chromium-dev

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando a seguir:

sudo apt-get install chromium-browser

Uma vez instalado, para abrir o programa clique no Dash e digite: chromium

Como reverter as alterações e retornar ao Chromium estável

Se você se arrepender, pode usar o PPA Purge para limpar os dois PPAs acima e voltar para a versão estável do Chromium disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu. Para isso, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, instale o ppa-purge::

sudo apt-get install ppa-purge

Passo 3. Se você adicionou o repositório PPA do Chromium Canal Beta, remova e limpe ele com o seguinte comando:

sudo ppa-purge ppa:saiarcot895/chromium-beta

Passo 4. Mas, se você adicionou o repositório PPA do Chromium Canal Dev, remova e limpe ele com o comando:

sudo ppa-purge ppa:saiarcot895/chromium-dev

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalando os temas Zukitwo, Zukiwi e Zukitre no Ubuntu

Procurando um tema para dar uma repaginada no seu desktop? Então experimente três, Instalando os temas Zukitwo, Zukiwi e Zukitre no Ubuntu.
temas Zukitwo, Zukiwi e Zukitre
Os temas Zukitwo, Zukiwi e Zukitre são grandes temas leves e bem desenhados. Assim como muitos outros grandes temas Gtk, o principal objetivo destes temas é melhorar a aparência do GTK e Gnome-Shell.

zukitwo-1

Zukitwo

Os temas funciona perfeitamente em todas as telas de resoluções maiores e com telas menores. Eles suportam o mais recente GTK 3.14/3.12/3.10/3.8/3.6 and Gnome Shell 3.14/3.12/3.10/3.8/3.6/3.4. Zukiwi é quase o mesmo tema como tema Zukitwo mas com poucas mudanças menores.

zukiwi-1

Zukiwi

Zukitre, Zukitwo e Zukiwi suporta ambientes de desktop baseados em GTK 3 e GTK 2 como o Unity, Gnome Shell, Gnome Classic, Gnome Fallback, Cinnamon, Mate, XFCE, Budgie, Pantheon e etc.

zukitre-1

Zukitre

Conheça melhor os temas Zukitwo, Zukiwi e Zukitre

Para saber mais sobre o tema, clique nesses links: Zukitwo, Zukiwi, Zukitre

Instalando os temas Zukitwo, Zukiwi e Zukitre no Ubuntu e derivados

Para instalar os temas Zukitwo, Zukiwi e Zukitre no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema Zukitwo, Zukiwi e Zukitre usando o seguinte comando:

sudo apt-get install zukitwo zukiwi zukitre

Passo 5. Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Desinstalando os temas Zukitwo, Zukiwi e Zukitre no Ubuntu e derivados

Para desinstalar os temas Zukitwo, Zukiwi e Zukitre no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove zukitwo zukiwi zukitre

Passo 3. Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar para o tema padrão.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

15 de maio de 2015

Gravação e edição de áudio – Instale Audacity no Ubuntu e derivados

Se você precisa de uma ferramenta para gravar e editar áudio, aprenda a instalar a versão mais recente do Audacity no Ubuntu e seus derivados.
audacity no ubuntu
Audacity é um gravador de som e editor de áudio multi-track de código aberto. Fácil de usar e multi-plataforma, ele tem versões para Linux, Windows e OS X. Com ele é possível fazer gravações de áudio ao vivo através do microfone ou mixer, converter fitas e discos em gravações digitais ou CDs, suporte à edição de som (WAV, AIFF, FLAC, MP2, MP3 ou Ogg Vorbis), alterar a velocidade ou o timbre de uma gravação, cortar, copiar, colar ou misturar sons.

Importe arquivos de som, para editá-los e combiná-los com outros arquivos ou novas gravações. Exporte suas gravações em diversos formatos de arquivo, incluindo vários arquivos de uma só vez. O programa também tem a capacidade de capturar streaming de áudio, gerenciar múltiplos dispositivos de entrada e saída. Medidores de nível podem monitorar níveis de volume antes, durante e depois da gravação.

Conheça melhor o editor de áudio Audacity

Para saber mais sobre as novidades desse lançamento, clique nesse link.

Instalando o editor de áudio Audacity no Ubuntu e derivados

Para instalar o editor de áudio Audacity no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione esses repositórios com os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:audacity-team/daily

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install audacity

Depois de instalado, o programa pode se executando a partir do Dash, digitando: audacity

Desinstalando o editor de áudio Audacity no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o editor de áudio Audacity no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove audacity
sudo apt-get autoremove

Mais sobre o Ubuntu 15.04

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Darkroom digital: Como instalar o LightZone no Ubuntu e derivados

Precisando de um darkroom digital? Experimente instalar o LightZone no Ubuntu e derivados. Com ele e seu talento, suas imagens ficarão ainda melhores.
darkroom digital lightzone
LightZone é uma aplicação que faz a função de darkroom digital ou laboratório digital de manipulação de imagem. Ele está disponível para a plataforma Linux, Windows e Mac e inclui o processamento e edição RAW. Ele é diferente de outros aplicativos de fotografia e é um editor completamente não destrutivo. O programa permite ao usuário construir um stack de ferramentas que podem ser rearranjadas, reajustadas, desligadas, ligadas e removidas.
darkroom-digital-lightzone-1

Conheça melhor o LightZone, o darkroom digital de código aberto

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.  para ver mais imagens do programa, clique aqui.

Instalando o darkroom digital LightZone

Para instalar o LightZone no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver o repositório do Oracle Java, adicione ele o comando:

sudo add-apt-repository ppa:otto-kesselgulasch/lightzone

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora, para instalar o aplicativo, use o comando:

sudo apt-get install lightzone

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite lightzone no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando LightZone no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o LightZone no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove lightzone
sudo apt-get autoremove

Mais sobre o Ubuntu 15.04

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalando o tema Gnome Cupertino no Ubuntu

Que tal experimentar um tema estilo OS X mas mantendo o padrão visual do ambiente gráfico do Linux? Para conseguir isso, instale o tema Gnome Cupertino no Ubuntu e veja com fica.
gnome-cupertino-2
O tema GNOME Cupertino originalmente criado por Rafa Cobreros e, recentemente, ele foi portado para o Gtk 3.10 por bluedxca93 e agora ele funciona corretamente com Ubuntu 14.04. Ele também tem o tema do Gnome Shell que é compatível com a versão 3.12/3.10/3.8 mas não é muito atraente. O tema também funciona no Xfce.

Conheça melhor o tema Gnome Cupertino

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o tema Gnome Cupertino no Ubuntu e derivados

Para instalar o Gnome Cupertino no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema usando o seguinte comando:

sudo apt-get install gnome-cupertino

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Desinstalando o tema Gnome Cupertino no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema Gnome Cupertino no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove gnome-cupertino
sudo apt-get autoremove

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Conheça alguns programas que permitem acessar partições Linux no Windows

Se você está usando o Windows e precisa ver arquivos que estão no Linux, conheça alguns programas que permitem acessar partições Linux no Windows.
acessar partições Linux
Essa dica é para usuário do Linux que por algum motivo também usam Windows e precisam acessar seus arquivos, que estão na partição do Linux que fica no mesmo disco, enquanto estão usando o Windows. Para resolver isso, vou listar alguns programas que permitem acessar partições Linux (e de outros sistema) no Windows.

Se você tiver o Windows e Linux na mesma máquina e quiser acessar os arquivos de sua partição Linux a partir do Windows, você certamente precisará usar algum tipo de software para ler o sistema de arquivos Ext (ou outro formato), isso porque o Windows não pode acessar nativamente sistema de arquivos nos formatos usados pelo Linux. Mas com estes três utilitários, você poderá acessar partições no formato Ext2, Ext3, Ext4 e outros formatos. Conheça mais um pouco sobre cada um deles.

Conhecendo alguns programas que permitem acessar partições Linux no Windows

Ext2Fsd

acessar partições Linux

Ext2Fsd é um software livre licenciado sob a licença GPL2, o que significa que qualquer um pode modificar ou distribuí-lo sob esta licença. Ele foi desenvolvido para funcionar como um driver de sistema de arquivos Ext para Windows e pode lidar com partições Ext2, Ext3 e Ext4 com capacidade de gravação. Entretanto, você não deve alterar nada em sistemas de arquivos da partição Ext, caso contrário, poderá quebrar alguma coisa. Você usa o programa basicamente para atribuir e montar a partição Linux e depois acessa ela pelo Windows Explorer.

Conheça melhor o Ext2Fsd

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link e para baixar o programa, clique nesse link.

Linux Reader

acessar partições Linux

DiskInternals Linux Reader é um utilitário muito seguro para ler partições de sistema de arquivos nos formatos Ext2, Ext3, Ext4, HFS e ReiserFS, pois ele só permite ler o sistema de arquivos a partir do Windows, isso serve para garantir que a interferência dele no sistema de arquivos alternativo não afetará o trabalho no Linux mais tarde. Ele usa uma interface no mesmo estilo do Windows Explorer, o que torna seu uso bem simples e intuitivo. O programa também pode criar e abrir imagens de disco como VHD, VDI e assim por diante.

Conheça melhor o Linux Reader

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link e para baixar o programa, clique nesse link.

Ext2Read

acessar partições Linux
Ext2Read é como um utilitário de explorador de arquivos que permite ao usuário explorar partições ext2/ext3/ext4 e também suporta LVM2. Ele pode ser usado para ver e copiar discos, arquivos e pastas, podendo copiar recursivamente pastas inteiras.

Conheça melhor o Ext2Read

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link e para baixar o programa, clique nesse link.

Cuidados ao usar programas que permitem acessar partições Linux no Windows

É importante observar que os aplicativos acima devem ser executados como administrador e devem ser usados com muita cautela, pois sempre existe o risco de danificar a partição que está sendo acessada, por isso, use-as por sua própria conta e risco.
Via NoobsLab


O que está sendo falado no blog hoje

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançado Virtualbox 4.3.28: veja como instalar no Ubuntu

A Oracle anunciou recentemente o VirtualBox 4.3.28 para Linux. Se você usa esse virtualizador, veja aqui como instalar ele no Ubuntu e seus derivados.
virtualbox 4.3.28
VirtualBox é um software de virtualização x86 e AMD64/Intel64 que pode ser usado por usuários empresariais e domésticos. Ele roda como hospedeiro em Windows, Linux, Macintosh e Solaris e suporta um grande número de sistemas operacionais convidados, incluindo mas não limitado ao Windows (NT 4.0, 2000, XP, Server 2003, Vista, Windows 7, Windows 8), DOS/Windows 3.x, Linux (séries 2.4, 2.6 e 3.x), Solaris e OpenSolaris, OS/2 e OpenBSD. O programa também é a única solução profissional de alto desempenho que está disponível gratuitamente como software de código aberto sob os termos da GNU General Public License (GPL) versão 2.

Essa é uma versão de manutenção do VirtualBox 4.3, que traz melhorias de estabilidade e algumas correções de problemas.

Conheça melhor o VirtualBox

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.
Para mais detalhes, veja o ChangeLog.

Instalando o VirtualBox 4.3.28 no Ubuntu e derivados

Para instalar o VirtualBox 4.3.28 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do aplicativo, usando o seguinte comando (para Linux Mint, substitua o “$(lsb_release -cs)” no código pelo codinome do lançamento do Ubuntu que ele se baseia, como trusty, precise, raring e etc):

sudo sh -c 'echo "deb http://download.virtualbox.org/virtualbox/debian $(lsb_release -cs) contrib" >> /etc/apt/sources.list.d/virtualbox.list'

Passo 3. Agora instale a chave do repositório usando o seguinte comando:

wget -q https://www.virtualbox.org/download/oracle_vbox.asc -O- | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install virtualbox-4.3

Se você tiver problema com o repositório acima, você pode baixar o pacote deb. a partir desse link. Depois de baixar o pacote DEB, basta dar um duplo clique sobre nele para iniciar a instalação.

Depois de instalado, o programa pode se executando a partir do Dash, digitando: virtualbox (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o VirtualBox 4.3.28 no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o VirtualBox 4.3.28 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixos;

sudo apt-get remove virtualbox-4.3
sudo apt-get autoremove

Mais sobre o Ubuntu 15.04

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

14 de maio de 2015

Cliente Slack – conheça e instale o ScudCloud

Se você utiliza a plataforma de comunicação Slack e quer usar um cliente Slack nativo, conheça, instale o ScudCloud e resolva o seu problema.
cliente Slack ScudCloud
Para aqueles que ainda não conhecem, Slack é uma plataforma de comunicação para equipes, que fornece salas de chat persistentes organizadas por tema, grupos privados e mensagens diretas, tudo pesquisável através de uma caixa de pesquisa. Além disso, o aplicativo se integra com o Google Docs e Dropbox, GitHub e muitos outros.

Mas apesar do Slack fornecer aplicativos para Windows, Mac, iOS e Android, infelizmente, não há nenhum cliente oficial para Linux. Até existe uma versão web, que pode ser usada em qualquer sistema operacional, mas ela não possui todos os recursos disponíveis nos clientes de desktop oficiais, como notificações nativas e assim por diante.

Para conseguir uma integração com o desktop Linux adequada para Slack, o Rael Gugelmin Cunha criou o ScudCloud, um cliente Slack não oficial para Linux. O programa é de código aberto e fornece notificações nativas, contagem de mensagens não lidas no lançador Unity ou bandeja e muito mais.

Como a dock Plank suporta emblemas e quicklists assim como o lançador Unity, o ScudCloud também se integra perfeitamente com o elementary OS e ambientes que usem a Plank.
cliente Slack ScudCloud
Para ambientes onde os recursos como os quicklists e emblemas do lançador Unity não são suportados por padrão, você pode definir ScudCloud para ficar na bandeja (isto funciona em qualquer área de trabalho) e seu ícone irá exibir a contagem de mensagens não lidas:
cliente Slack ScudCloud

Conheça melhor o cliente Slack ScudCloud

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o cliente Slack ScudCloud no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o cliente Slack ScudCloud no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:rael-gc/scudcloud

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install scudcloud

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite scudcloud no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o cliente Slack ScudCloud no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o cliente Slack ScudCloud no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixos;

sudo apt-get remove scudcloud
sudo apt-get autoremove

Via webupd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Gestor de computadores em sala de aula: Instale iTALC 2 no Ubuntu e derivados

Se você trabalha com educação e procura uma ferramenta para administrar os computadores de sua escola, o iTALC pode ajudá-lo. Veja aqui como instalar esse importante gestor de computadores em sala de aula no Ubuntu e derivados.
gestor de computadores em sala de aula italc
iTALC é uma ferramenta de gestão de sala de aula livre e de código aberto para os professores, que permite visualizar e controlar outros computadores em sua rede de várias maneiras. Ele suporta Linux e Windows e ainda pode ser usado de forma transparente em ambientes mistos.

Para ser um gestor de computadores em sala de aula, iTALC foi projetado tendo em mente o uso na escola. Por isso, oferece uma série de possibilidades para os professores, como ver o que está acontecendo nos computadores de laboratórios usando o modo de visão geral e fazer snapshots das telas, controlar remotamente para dar suporte e ajudar outras pessoas, exibir uma demo (em tela cheia ou em uma janela) mostrando a tela do professor em todos os computadores dos alunos em tempo real, bloquear as estações de trabalho para que os alunos possam dar atenção ao professor, enviar mensagens de texto para os alunos, ligar/desligar e reiniciar computadores remotamente, fazer logon e logoff remoto e a execução remota de comandos/scripts arbitrários, e fazer educação em casa, pois a rede de tecnologia da iTALC não está restrita a uma sub-rede e, portanto, os alunos em casa pode juntar aulas via conexões VPN, apenas fazendo a instalação de cliente iTALC

Conheça melhor o gestor de computadores em sala de aula iTALC

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link

Instalando o gestor de computadores em sala de aula iTALC no Ubuntu e derivados

Para instalar o gestor de computadores em sala de aula iTALC no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver o repositório, adicione ele com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando abaixo e siga as instruções do instalador:

sudo apt-get install italc-master italc-client

gestor-de-computadores-em-sala-1
gestor-de-computadores-em-sala-2
gestor-de-computadores-em-sala-3
gestor-de-computadores-em-sala-4
gestor-de-computadores-em-sala-5
gestor-de-computadores-em-sala6
gestor-de-computadores-em-sala-7
Passo 5. Para o estudante, basta instalar iTALC-cliente. No Ubuntu, você pode instalar diretamente os últimos pacotes da Central de programas. Uma vez instalado, você tem que disponibilizar publicamente as chaves privadas na máquina do professor. Para fazer com que as chaves privadas sejam legíveis apenas para o grupo de professores, faça o seguinte (lembre-se de substitui “grupo” pelo nome do grupo que você usa):

sudo chgrp -R grupo /etc/italc/keys/private/
sudo chmod -R 640 /etc/italc/keys/private/
sudo chmod -R ug+X /etc/italc/keys/private/

Passo 6. Certifique-se que a chave pública pode ser lida por todos, ou você pode querer criar um grupo de “estudantes”, e fazer o mesmo que que o passo anterior.


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar programas no Linux manualmente

Depois de publicar alguns tutoriais sobre como instalar programas no Linux manualmente, é hora colocar todos no mesmo local e facilitar o acesso dos leitores a eles.
instalar programas no linux
Apesar das principais distribuições Linux disponibilizarem um gerenciador de pacotes que faz todo o trabalho pesado de organizar, exibir, baixar e instalar os arquivos necessários a uma instalação, as vezes é necessário sair um pouco dessa zona de conforto e instalar programas no Linux manualmente.

O fato de algumas distribuições só fornecerem atualizações de segurança de alguns aplicativos também é um bom motivo para instalar um programa manualmente. Por causa disso, comecei a fazer alguns tutoriais em que mostro como fazer esse procedimento em softwares que permitem a façanha, pois fornecem arquivos compactados dos binários e tem pouca, ou quase nenhuma dependência.

A partir de hoje, todos esses tutoriais estarão juntos nessa artigo e colocarei um link na área “Conheça essas séries”, que fica no lado esquerdo do site. Desse modo, ficará bem mais fácil para qualquer um achá-lo no site e usar suas instruções.

Os tutoriais a seguir foram feitos com muito cuidado e testados para que funcionassem na maioria das distribuições Linux, entretanto, nada impede que algum deles não funcione. Se você tiver alguma dificuldade ou facilidade, use os comentários.

Como instalar programas no Linux manualmente

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

13 de maio de 2015

DontWaitUp: Faça o sistema executar uma tarefa quando uma janela mudar ou fechar

Já imaginou poder executar uma tarefa quando o título de uma janela mudar, quando ela for fechada ou redimensionada? Isso agora é possível graças ao DontWaitUp, conheça um pouco mais sobre ele e instale-o em seu sistema.
sistema executar uma tarefa
DontWaitUp é um novo aplicativo que permite que você atribua uma ação quando a janela de um aplicativo é fechada, seu título mudar ou quando é redimensionada. Você pode usá-lo, por exemplo, para encerrar ou suspender o computador quando um vídeo terminar de tocar, quando algum gerenciador de download ( que não tem esse recurso embutido) termina o download de um arquivo grande e assim por diante.

Eis como funciona: quando você iniciar DontWaitUp, uma lista de janelas abertas é exibida na guia Eventos e você pode atribuir uma ação para cada uma destas janelas. Asssim, quando ocorrer mudanças no título da janela, quando a janela é redimensionada (por exemplo, quando um jogador sai de vídeo em tela cheia depois de terminar a reprodução de um vídeo), ou quando a janela é fechada, DontWaitUp desencadeia a sua ação que foi atribuída.

Por padrão, DontWaitUp vem com as seguintes ações: desligar, reiniciar, suspender, hibernar ou reproduzir um som, mas você pode adicionar suas próprias ações personalizadas (comandos). Para cada ação, você pode selecionar para exibir uma janela de confirmação opcional ou para executar diretamente a ação.
sistema executar uma tarefa

Para completar, o programa vem com um Ubuntu AppIndicator opcional que pode ser desativado a partir de suas preferências. Em suas preferências, você também pode configurar por quanto tempo a caixa de diálogo/confirmação abortar é exibido (se habilitado) e se as janelas do sistema devem ser exibidas ou não.

sistema executar uma tarefa

O aplicativo é bem básico e não permite que você insira manualmente o título da janela em que uma ação deve ser acionado (para que você não possa executar ações para aplicações com títulos dinâmicos, quando um título específico vem à tona – como um exemplo, o aplicativo não será capaz de executar uma ação quando um leitor de música pára de tocar, se o seu título da janela muda para cada nova canção, ou se o título da janela exibe o tempo restante). Mas, mesmo sendo ainda muito simples e não oferecendo muitas ações por padrão, o DontWaitUp ainda pode vir a ser muito útil em várias situações e é praticamente certo que alguns de vocês vão precisar dele em algum momento.

Conheça melhor o DontWaitUp

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o DontWaitUp para sistema executar uma tarefa no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o DontWaitUp no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:alessandro-blarco/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install dontwaitup consolekit

Se você não quiser adicionar o repositório (e deixar de receber atualizações automáticas), pegue o arquivo DEB nesse link e depois de baixar dê um clique duplo nele para instalar.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite dontwaitup no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o DontWaitUp no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o DontWaitUp no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixos;

sudo apt-get remove dontwaitup consolekit
sudo apt-get autoremove

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu e derivados

Você costuma baixar arquivo torrents e usa ou quer experimentar o qBittorrent? Então veja aqui como instalar a última versão do dele no Ubuntu e derivados.
qBittorrent
qBittorrent é um cliente BitTorrent multiplataforma e de código aberto. Ele foi escrito em C + + / Qt4, usando a biblioteca LibTorrent-rasterbar, tendo sido criado para ser uma alternativa ao popular cliente μtorrent. QBittorrent é rápido, estável, leve, suporta unicode e fornece um bom motor de busca integrado. Ele também vem com o encaminhamento de porta UPnP/NAT-PMP, criptografia (Vuze compatível), FAST extension (mainline) e suporta PeX (compatível com utorrent).

A aplicação vem com um motor de busca integrado, possui interface web, suporte para download sequencial, scheduler banda larga, suporte a RSS avançado com filtros de download, ferramenta de criação de torrent, filtragem IP e outras características úteis.

Conheça melhor o qBittorrent

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais as novidades sobre esse programa, clique na sua página de notícias.

Enquanto os repositórios oficiais do Ubuntu fornecem uma versão antiga, com esse tutorial você aprenderá a instalar a última versão do qBittorrent no Ubuntu e sistemas derivados.
O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.
qBittorrent 3.2.0 foi lançado recentemente e inclui numerosas alterações, tais como suporte para Qt5, código do WebUI reescrito, filtragem de episódio para RSS, re-anuncio por tracker e muito mais. Para ver mais detalhes dessa versão, acesse essa página.

Instalando o qBittorrent no Ubuntu e derivados

Para instalar o qBittorrent no Ubuntu e sistemas derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione esse repositório com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:qbittorrent-team/qbittorrent-stable

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install qbittorrent

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite qbittorrent no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB)

Mais sobre o Ubuntu 15.04


Via ubuntuhandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instale Winswitch para exibir a execução de aplicativos em outros computadores

Já imaginou poder rodar suas aplicações em diferentes computadores de sua rede? Pois isso é possível com o Winswitch. Instale ele no seu Ubuntu e livre-se das amarras.
Winswitch
Winswitch é uma ferramenta que permite exibir os aplicativos em execução no seu PC em outros computadores. Para poder fazer essa “mágica”, o programa tem versões para Windows, Linux, OS X, FreeBSD, Solaris e Android.

Uma vez que determinado aplicativo tenha sido iniciado através de um servidor WinSwitch, ele pode ser exibido em outras máquinas que executam o cliente WinSwitch, conforme necessário. Você já não precisa salvar e enviar documentos para movê-los, simplesmente mova a visualização do aplicativo para a máquina onde você precisa acessá-lo e pronto.

Característica do Winswitch

  • Portátil: o código do programa permite que ele seja portável para qualquer plataforma. Ele inclusive conta com uma versão Java que funciona na maioria das plataformas que suportam a tecnologia;
  • Seguro: Ele usa criptografia forte para autenticar o servidor e os clientes;
  • ZeroConf: usando mDNS, servidores locais são detectados automaticamente;
  • Protocolo Simples de linha: o protocolo usado para a comunicação entre o cliente e o servidor é um protocolo de texto simples;
  • Performance: o sistema pode pré-carregar sessões e túneis, o que torna a inicialização de novas sessões muito rápida;
  • Flexível: As sessões são acessíveis a partir do Winswitch, mas também pode ser usado XPRA diretamente, com qualquer cliente NX ou qualquer cliente VNC padrão. Permite integração com gerenciadores de arquivos: Windows Explorer (no Windows) e Nautilus (no Linux).

Recursos legais

  • Usando blueproximity ou ferramentas similares, você pode pegar as janelas para segui-lo sem ter que tocar no computador. O Winswitch irá simplesmente re-conectar as janelas para o computador que estiver mais próximo de você;
  • Redirecionamento de som: Comece a tocar uma música em um único computador, mova a janela para o outro, e o som irá com ele.

Conheça melhor o Winswitch

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Veja como instalar o Winswitch no Ubuntu e derivados

Para instalar o Winswitch no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 3. Se ainda não tiver, adicione o repositório do aplicativo com o seguinte comando:

sudo sh -c 'echo "deb http://winswitch.org/ $(lsb_release -cs) main" > /etc/apt/sources.list.d/winswitch.list'

Passo 2. Baixe a chave do repositório com o comando abaixo:

wget -qO - http://winswitch.org/gpg.asc | sudo apt-key add -

Passo 4. Atualize o Apt digitando o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Para instalar o programa, use este comando:

sudo apt-get install winswitch

Via Ubuntu Geek


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 4.0.2

Saiu a segunda atualização dessa série 4.0, o kernel 4.0.2. Se você quiser atualizar seu sistema para essa nova versão, veja abaixo como fazer isso.
kernel 4.0.2
Sem muitas novidades, o kernel 4.0.2 é uma pequena atualização atualizações e correções de bugs.

A série 4.0 do kernel Linux traz consigo mudanças importantes (além de várias correções de bugs), entre elas, destaque para o live patching, que permitirá atualizar o Kernel, inserir módulos e patches de segurança e etc, sem precisar reiniciar o sistema. Essa é uma característica importantíssima e que é especialmente útil para servidores, uma vez que será possível incluir atualizações segurança e fazer manutenção do Kernel sem ter de reiniciar o sistema, o que aumenta o uptime (tempo sem desligar ou reiniciar o equipamento) desse tipo de computador.

Para ver todas as mudanças presentes nesse kernel, acesse o ChangeLog.

Antes de iniciar começar a atualizar o kernel do Ubuntu, saiba que este é um procedimento que apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.0.2

Para atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 4.0.2, faça o seguinte
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema acessando as Configurações do Sistema e a opção “Detalhes” ou usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se estiver usando um sistema de 32 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-headers-4.0.2-040002_4.0.2-040002.201505081529_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-headers-4.0.2-040002-generic_4.0.2-040002.201505081529_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-image-4.0.2-040002-generic_4.0.2-040002.201505081529_i386.deb

Passo 4. Se estiver usando um sistema de 32 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-headers-4.0.2-040002_4.0.2-040002.201505081529_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-headers-4.0.2-040002-lowlatency_4.0.2-040002.201505081529_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-image-4.0.2-040002-lowlatency_4.0.2-040002.201505081529_i386.deb

Passo 5. Se estiver usando um sistema de 64 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-headers-4.0.2-040002_4.0.2-040002.201505081529_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-headers-4.0.2-040002-generic_4.0.2-040002.201505081529_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-image-4.0.2-040002-generic_4.0.2-040002.201505081529_amd64.deb

Passo 6. Se estiver usando um sistema de 64 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-headers-4.0.2-040002_4.0.2-040002.201505081529_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-headers-4.0.2-040002-lowlatency_4.0.2-040002.201505081529_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v4.0.2-wily/linux-image-4.0.2-040002-lowlatency_4.0.2-040002.201505081529_amd64.deb

Passo 7. Instale o kernel com o comando:

sudo dpkg -i linux-headers-4.0.2*.deb linux-image-4.0.2*.deb

Passo 8. Reinicie o sistema com o comando abaixo:

sudo reboot

Passo 9. Se você tiver algum problema e quiser desinstalar o kernel 4.0.2, reinicie o computador com um kernel anterior (usando Grub -> Advanced -> select previous kernel) e quando iniciar o sistema, faça login, abra um terminal e execute o comando abaixo para remover o Linux Kernel 4.0.2:

sudo apt-get remove linux-headers-4.0.2 linux-image-4.0.2

Passo 10. Finalmente atualize o menu do GRUB, com o comando:

sudo update-grub

Nota: Todos os drivers que não fazem parte da principal árvore do kernel (o que obviamente inclui drivers proprietários) devem ser recompilados para novas versões do kernel.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançado Firefox 38 – conheça as novidades e instale

Mozilla anunciou o lançamento do Firefox 38, a versão mais recente do seu popular navegador web de código aberto. Conheça as novidades e instale em seu sistema.
firefox 38
Dentre as novidades do novo Firefox 38, a mudança mais notável é uma nova maneira de lidar com as preferências do Firefox. Seguindo os mesmos passos do Google Chrome e Opera, o Firefox 38 agora exibe as janelas de preferências/configurações em uma nova aba. Ou seja, nada de ficar se perdendo entre outras janelas!

Suporte a imagem responsiva

O Firefox 38 é a primeira versão estável do navegador com suporte para as tags <picture> e <img srcset>, responsáveis pelo carregamento de mídia responsiva. Essa alteração permite que os desenvolvedores web e fabricantes de conteúdo possam fornecer várias versões de uma imagem, cada uma projetada para atender o tamanho e o tipo de dispositivo em que será exibido, seja ele um smartphone, laptop ou gadget com tela retina.

DRM CDM para usuários do Windows

O Firefox 38 agora suporta o Adobe Content Decryption Module (CDM) para reproduzir vídeo HTML5 envolto em DRM, mas por enquanto, apenas para usuários de Windows. Sim, o DRM é uma droga e certamente a Mozilla não está entusiasmada com isso. Porém com tantos, usuários do Firefox querendo usar o Netflix nativamente, a empresa tem pouca escolha além de fornecer os recursos de que estes necessitam. No mais, o CDM (que é baixado da Adobe automaticamente na atualização) está envolvido cuidadosamente em uma área restrita (sandbox), para proteção adicional.

Mas porque citar um recurso para usuários Windows em um site focado em Linux? Bem, é possível que, em algum momento, o CDM venha a ser adicionado na versão Linux do navegador. Vale a pena ficar de olho nisso agora.

Outras mudanças no Firefox 38

Algumas outras mudanças notáveis surgindo nesta versão:

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

12 de maio de 2015

Cliente Pandora: instale Pithos no Ubuntu

Pithos é um aplicativo cliente do serviço Pandora.com para Linux. Se você usa esse serviço, veja aqui como instalar o programa no Ubuntu e sistemas derivados.
pithos
Pandora é um serviço de streaming e recomendação de música que normalmente só está disponível nos Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia, mas que você pode usá-lo em qualquer outro país com um proxy americano, VPN, um serviço de DNS ou com Tor e SelekTOR, seguindo as dicas desse tutorial:

Como acessar sites que estão bloqueados em seu país usando o SelekTOR

Já o Pithos é um simples cliente do serviço Pandora.com, que inclui características como:

  • Arte da capa;
  • Permite alternar entre as estações do Pandora;
  • Permite editar QuickMix e criar estações;
  • Possui integração com o desktop: Ubuntu AppIndicator, notificações, suporta MPRIS v2 e assim Pithos se integra com o menu de som do Ubuntu/extensão GNOME Shell Mediaplayer;
  • Tem suporte a teclas de mídia;
  • Possui suporte a proxy;
  • Tem scrobbling last.fm.

O programa foi atualizado recentemente para a versão 1.1.0, que requer GTK 3.14 ou mais recente (padrão no Ubuntu 15.04, Fedora 21 e mais recente). Essa versão teve as preferências de plugin redesenhada, recebeu melhorias de desempenho, e agora os plugins MPRIS e Last.fm são opcionais.

No entanto, a mais importante mudança nesta versão é uma correção de um bug importante que parava a reprodução aleatoriamente. Como o Pithos 1.1.0 requer GTK 3.14, essa correção foi preparada também para a série 1.0.x do programa, que precisa de GTK+ 3.10. Por conta disso, ele deve funcionar no Ubuntu 14.04 e 14.10, Fedora 20 e derivados destes.

Conheça melhor o Pithos

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.
Para mais detalhes sobre esta versão, clique nesse link.

Como instalar o Pithos no Ubuntu e derivados

Para instalar o pithos no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas Ctrl+Alt+T;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione esse repositório com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:pithos/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install pithos

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pithos no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Pithos no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Pithos no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove pithos

Como instalar o cliente Pandora Pithos em outras distribuições

Usuários do Arch Linux pode instalar Pithos via AUR.

Para outras distribuições Linux, consulte a seção que fala de instalação na homepage do Pithos.

Mais sobre o Ubuntu 15.04

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Converta arquivos multimídia com Selene Media Encoder

Se você precisa converter arquivos multimídia de diferentes formatos, experimente instalar e usar o Selene Media Encoder.
converta arquivos multimídia
Converta arquivos multimídia de um, jeito fácil e rápido com Selene Media Encoder. Selene é uma ferramenta de conversão de mídia, desenvolvido por Tony George (que também está por trás Conky Manager) usando GTK3/Vala. O programa tem como objetivo fornecer uma interface gráfica simples para converter arquivos para os formatos populares, juntamente com opções de linha de comando poderosa para/codificação autônoma/automatizada.

O aplicativo está em constante desenvolvimento e tem o suporte a SOX Audio Processing, uma opção para verificar se há encoders desaparecidos (ver imagem abaixo).
converta arquivos multimídia

converta arquivos multimídia

Além de suportar os formatos de áudio e vídeo mais populares, Selene suporta 2 tipos de presets: presets JSON (que determinam o formato de áudio/vídeo, codecs, bitrate, qualidade e assim por diante), bem como Bash presets de script que pode ser usado para converter arquivos usando qualquer utilitário de linha de comando, úteis para a integração de ferramentas que não são suportadas diretamente pelo Selene, bem como para a codificação automática/automática.

Também é importante notar que Selene pode ser usado para cortar, redimensionar e fazer resample de vídeos ou incorporar legendas.

Conheça melhor o Selene Media Encoder

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instale o Selene Media Encoder e converta arquivos multimídia de diferentes formatos no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Selene Media Encoder no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:teejee2008/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install selene

Se você não deseja adicionar o repositório ou se você estiver usando o Debian, baixe o arquivo DEB do Selene Media Encoder clicando nesse link. Depois de baixar, basta dar um clique duplo no arquivo e instalar.

Como instalar o encoder NeroAAC, para poder encodar no formato AAC/MP4

Para encodar no formato AAC/MP4, o programa precisa do encoder NeroAAC, que você pode instalar, fazendo o seguinte:
Passo 1. Se não estiver sendo executado, abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Vá para a pasta tmp;

cd /tmp

Passo 3. Baixe o arquivo de instalação do encoder com o comando:

wget http://ftp6.nero.com/tools/NeroAACCodec-1.5.1.zip

Passo 4. Descompacte o arquivo baixado usando o comando a seguir:

unzip -j NeroAACCodec-1.5.1.zip linux/neroAacEnc

Passo 5. Execute o instalador, com este comando:

sudo install -m 0755 neroAacEnc /usr/bin

Passo 6. Para finalizar, execute o comando abaixo:

sudo apt-get install gpac

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite selene no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB)

Mais sobre o Ubuntu 15.04

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalando o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu

Se você gosta de ícones circulares e quer dar uma repaginada no visual do seu desktop, experimente instalar o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu.
ícones Dalisha
O conjunto de ícones Dalisha é uma bela peça de arte criada por Eep Setiawan e que oferece ícones circulares para serem usados em desktops Linux. O melhor de tudo é que ele contém ícones para todos os ambientes de desktop Linux como Unity, Gnome, Cinnamon, KDE, Mate e outros. Este conjunto de ícones oferece mais de 30.000 ícones que estão disponíveis como a maioria dos tamanhos, incluindo uma versão escalável. Ele também traz ícones simbólicos utilizados a partir de ícones moka, a fim de melhorar e completar o conjunto.
dalisha-2

Conheça melhor o conjunto de ícones Dalisha

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Dalisha no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Dalisha usando o seguinte comando:

sudo apt-get install dalisha-icons

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
24 de maio de 2015, 06:06
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.