25 de julho de 2014

Ubuntu 14.04.1 LTS já está disponível para download

Foi lançado nessa sexta-feira (25) o mais recente update da atual versão do Ubuntu, 14.04.1. Saiba mais um pouco sobre essa atualização e baixe-a.
.Ubuntu 14.04.1
O primeiro grande update do Ubuntu 14.04 LTS traz diversas atualizações para o sistema e suas diferentes variantes. Como de costume, esta versão inclui muitas atualizações, que incluem updates de segurança e correções de outros bugs de alto impacto, com foco na manutenção da estabilidade e compatibilidade com Ubuntu LTS 14.04.

Usuários do Ubuntu 12.04 em breve terão acesso a um upgrade automático para a 14.04.1 via Update Manager. Se você está rodando no Ubuntu 14.04, a atualização regular via Atualizador de programas o levará para este update.

Conheça melhor o Ubuntu 14.04.1 LTS

Para saber mais sobre esse versão, clique nesse link.

Baixe a imagem ISO do Ubuntu 14.04.1 e de seus derivados

Ubuntu 14.04.1: http://releases.ubuntu.com/trusty/

Edubuntu 14.04.1: http://cdimage.ubuntu.com/edubuntu/releases/trusty/release/

Kubuntu 14.04.1: http://cdimage.ubuntu.com/kubuntu/releases/trusty/release/

Lubuntu 14.04.1: http://cdimage.ubuntu.com/lubuntu/releases/trusty/release/

Mythbuntu 14.04.1: http://cdimage.ubuntu.com/mythbuntu/releases/trusty/release/

Ubuntu Gnome 14.04.1: cdimage.ubuntu.com/ubuntu-gnome/releases/trusty/release/

Ubuntu Kylin 14.04.1: cdimage.ubuntu.com/ubuntukylin/releases/trusty/release/

UbuntuStudio 14.04.01: cdimage.ubuntu.com/ubuntustudio/releases/trusty/release/

Xubuntu 14.04.1: cdimage.ubuntu.com/xubuntu/releases/trusty/release/

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

Se você baixou uma imagem ISO do Ubuntu e quer colocar o conteúdo dela em um pendrive, veja aqui como criar um pendrive de instalação.
criar um pendrive de instalação
Além da praticidade da mídia, está cada vez mais fácil usar pendrive para iniciar um sistema. Por causa disso, nada melhor do que criar um disco de instalação do Ubuntu e depois usá-lo para instalar, consertar sistemas danificados ou infectados, ou simplesmente testar o sistema e suas futuras versões.

Como criar um pendrive de instalação do Ubuntu

Para criar um pendrive de instalação do Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Clique no Dash e digite criador. Quando aparecer o ícone do “Criador de discos de inicialização”, clique nele para executá-lo:
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-1
Passo 2. Dentro do programa, clique no botão “Outro…”. Na tela que aparece, vá para a pasta onde está a imagem ISO e clique nela. Depois, clique no botão “Abrir”;
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-2
Passo 3. Se o pendrive ainda não estiver formatado ou quiser “limpar” ele, clique no botão “Apagar disco”. Quando solicitado, confirme e informe a autorização necessária para fazer a formatação;
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-3
Passo 4. Para iniciar a criação do disco, clique no botão “Criar disco de inicialização”;
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-4
Passo 5. Aguarde. Quando finalizar, você já pode ejetar o pendrive e então usá-lo a vontade.
criar-pendrive-instalacao-ubuntu-5

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

24 de julho de 2014

Como instalar o Unity Web Player no Ubuntu

Se você gosta de jogos online feitos com a tecnologia Unity, veja aqui como instalar o Unity Web Player no Ubuntu
instalar o Unity Web Player
O Unity Web Player é um plugin que permite visualizar conteúdo em 3D criado com a tecnologia Unity, diretamente no seu navegador. Para quem ainda não conhece, o Unity é uma tecnologia que permite construir jogos 3D cheios de personagens animados, gráficos surpreendentes e elementos físicos imersivos, que podem ser colocado na Internet ou como independentes.

Como não existe uma versão oficial do Unity Web Player, o plugin open source chamado Pipelight pode ajudar a reproduzir os jogos feitos com com Unity. Entretanto, esse recurso não funciona com todos os jogos que existem na Internet, por isso, não fique triste se um jogo que você gosta tanto não funcionar.

Conheça melhor o Unity Web Player

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Unity Web Player no Ubuntu e derivados

Antes de instalar o Unity Web Player, é altamente necessário fechar o navegador web. Sem isso, o plugin pode não conseguir instalar ou travar o navegador. Observe também que alguns passos não se aplicam caso você já tenha o Wine instalado no seu sistema. Depois, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas Ctrl+Alt+T;
Passo 2. Se você tiver instalado a versão antiga do Pipelight, remova-o antes de prosseguir:

sudo apt-get remove pipeligh

Passo 3. Se ainda não tiver, adicione esse repositório com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:pipelight/stable

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install --install-recommends pipelight-multi

Passo 6. Quando aparecer a tela de configuração de pacote, use a tecla “tab” para ir até o botão “OK” e confirme pressionando “enter”;
instalar o Unity Web Player
Passo 7. Na próxima tela, use a tecla “tab” para ir até a opção “Sim” e confirme pressionando “enter”;
instalar o Unity Web Player
Passo 6. Atualize o suporte a Unity3D, usando o seguinte comando:

sudo pipelight-plugin --update

Passo 7. Em seguida, ative o suporte a Unity3D. Qando for questionado, digite “Y” (sem as aspas):

sudo pipelight-plugin --enable unity3d

instalar o Unity Web Player
Passo 8. Abra o navegador Firefox e aguarde enquanto o Wine é configurado pela primeira vez;
instalar o Unity Web Player
Passo 9. Agora aguarde até que o plugin do Unity seja baixado;
instalar o Unity Web Player
Passo 10. Digite o endereço “http://chromianwars.com/demo/” no navegador e tecle “enter”. Aparecerá uma mensagem na logo abaixo do endereço, clique no botão “Permitir…) para confirmar a execução do Unity 3d;
instalar o Unity Web Player
Passo 11. Na pequena janela que aparece, clique no botão “Permitir e memorizar”. Aguarde um pouco e o jogo começará a ser executado;
instalar o Unity Web Player

Pronto! Agora você já tem o Unity Web Player no seu sistema e pode jogar a vontade (quando for possível, claro).

Via Diolinux

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançador de aplicativos: instale e experimente o Launchy

Se você gosta do Dash e gostaria de ter o recurso em outro ambiente, instale e experimente o lançador de aplicativos Launchy.
lançador de aplicativos
Uma das principais características do Unity e Gnome Shell é definitivamente a oportunidade de poder realizar pesquisas direcionadas a aplicações web, arquivos e etc, através de sua ferramenta de lançamento/pesquisa. A boa noticia é que essa é uma funcionalidade que pode ser colocada em outros ambientes gráficos para Linux, graças a lançadores como o Launchy.

Launchy é um lançador leve e multiplataforma (disponível para Linux, Microsoft Windows e Mac), que permite iniciar rapidamente aplicativos, pesquisar na web, fazer cálculos e assim por diante. Ele é um software de código aberto que permite rápida e facilmente lançar aplicações apenas digitando parte do nome, além de ter outros recursos e personalizações diversas.

Entre as principais características do Launchy é a sua capacidade de realizar pesquisas direcionadas não apenas as aplicações, mas também os arquivos em nosso computador, também é possível realizar cálculos e pesquisas nos vários motores de busca como Google, Bing ou Yahoo, pesquisa na Wikipédia ou em nossos sites favoritos e também dá para obter informações sobre o tempo da sua localidade favorita.

Também é possível expandir a funcionalidade do Launchy através de plugins de terceiros. Por exemplo, o plugin Killy permite encerrar um aplicativo, pastas especiais, e pesquisar alguns diretórios no sistema. O Launchy também tem vários skins (peles) que permitem melhor integração com nosso sistema operacional. As preferências do programa também possibilitam personalizar o atalho de teclado para lançar o Launchy ou para não ativar o link no painel, colocar a barra de pesquisa em primeiro plano e assim por diante.

lançador de aplicativos

Conheça melhor o lançador de aplicativo Launchy

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o lançador de aplicativo Launchy no linux

Launchy está nos repositórios oficiais das principais distribuições Linux, por isso, para instalar ele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se quiser instalar o Launchy no Debian, Ubuntu e seus derivados basta usar este comando:

sudo apt-get install launchy

Passo 3. Se você for usuário do Fedora ou algum derivado dessa distro, use este comando abaixo instalar o Launchy no sistema:

sudo yum install launchy

Passo 3. Mas o que você quiser instalar o Launchy no Arch Linux e seus derivados, use este comando:

sudo pacman -S launchy

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no próprio terminal:launchy

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como colocar o título e os botões da janela maximizada no painel do Xfce

Já pensou em colocar o título e os botões da janela maximizada no painel do Xfce? Pois bem, isso já é possível graças ao Windowck.
título e os botões da janela maximizada no painel
Windowck é um conjunto de plugins Xfce que permite que você coloque o título e os botões da janela maximizada no painel, ficando um pouco semelhante ao que ocorre no Unity. Isso é útil para aumentar o espaço vertical da tela: a barra de título da janela e os botões são removidos para janelas maximizadas e eles são exibidos no painel do Xfce.

Windowck permite:

  • Mostrar o título e os botões da janela maximizada no painel (há uma opção para controlar janelas ativas, mesmo que não sejam maximizados);
  • Ações de janelas nas teclas e cliques do título (ativar, (des) maximizar, fechar);
  • Menu de ação janela à esquerda clique de botão;
  • Opções de formatação título;
  • Suporte xfwm4/unity theming para botões;
  • Título/botões da janela pode ser colocado em qualquer lugar no painel (ao contrário em Unity, por exemplo) e a ordem dos botões pode ser alterada.

Abaixo estão alguns screenshots com as opções do plugin:
título e os botões da janela maximizada no painel

título e os botões da janela maximizada no painel

Conheça melhor o Windowck

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Windowck e colocar o título e os botões da janela maximizada no painel do Xfce

Para instalar o Windowck no Xubuntu 14.04 e 14.10 basta baixar o arquivo DEB dele a partir desse link, dê um clique duplo no arquivo baixado e instale ele usando a Central de programas.

Para instalar o Windowck e colocar o título e os botões da janela maximizada no painel do Xfce 13.10 e 12.04, você vai ter que compilar o programa a partir do código fonte. Importante: você precisa do Xfce 4.10 ou mais recente, ou então o processo não irá funcionar.

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale os programas necessários para a instalação do plugin;

sudo apt-get install autotools-dev pkg-config intltool dh-autoreconf libgtk2.0-dev xfce4-dev-tools xfce4-panel-dev libxfce4util-dev libxfconf-0-dev libxfce4ui-1-dev libwnck-dev wget

Passo 3. Baixe o pacote do plugin com o comando:

wget https://github.com/cedl38/xfce4-windowck-plugin/archive/v0.3.0.tar.gz

Passo 4. Descompacte o arquivo baixado;

tar -xvf v0.3.0.tar.gz

Passo 5. Vá para a pasta criada;

cd ~/xfce4-windowck-plugin-0.3.0

Passo 6. Inicie a configuração da compilação com o comando abaixo;

./autogen.sh --prefix=/usr

Passo 7. Inicie a compilação;

make

Passo 8. Finalmente, inicie a instalação do plugin com o seguinte comando;

sudo make install

Depois de instalar Windowck Plugins, clique direito no painel Xfce, selecione “Panel” (Painel), “Add New Items” (Adicionar novos itens) e adicione:

  • “Window Header – Buttons” ou “Janela de cabeçalho – Botões” para colocar os botões de janela maximizada no painel;
  • “Window Header – Title” ou “Janela Cabeçalho – Título” para colocar o título da janela maximizada no painel

Como remover bordas das janelas maximizadas

Uma vez que a barra de título e os botões de janela agora são exibidos no painel superior do Xfce, você provavelmente vai querer remover a barra de título da janela para janelas maximizadas. Para conseguir isso, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale o programa Maximus com o seguinte comando;

sudo apt-get install maximus

Passo 3. Por padrão, o Maximus maximiza todas as novas janelas, mas você pode desativar esse comportamento, executando o seguinte comando: :

gconftool-2 --set /apps/maximus/no_maximize --type=bool true

E, finalmente, saia da sessão atual e entre novamente.

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

23 de julho de 2014

Visualização e edição de dados EXIF: Instale e experimente o pyExifToolGUI

Quem trabalha com imagens, principalmente fotos de câmeras, sempre precisa fazer visualização e edição de dados EXIF. Se este é o seu caso, instale e experimente o pyExifToolGUI.
pyexiftoolgui-ubuntu-unity-quantal
pyExifToolGUI é uma ferramenta de visualização e edição de dados EXIF, aquelas informações presente em nossas imagens digitais. Com esse software você pode visualizar e editar os dados EXIF e ainda usar uma série de características extras, como a ferramenta para renomear várias imagens de uma vez.
pyExifToolGUI Rename Photo

Escrito em Python com Qt, pyExifToolGUI é uma interface gráfica para para o utilitário ExifTool e inclui também alguns recursos úteis, como ferramentas para renomear rapidamente imagens. O programa suporta todos os formatos (incluindo imagens RAW também) e é capaz de salvar as várias tags de EXIF e XMP, também permite que você processe os dados de uma ou mais imagens, incluindo também dados de GPS e suporte para geotagging.

pyExifToolGUI tem suporte para o Google Photosphere (gpano) e inclui ferramentas para alterar as datas das imagens com base na tag de data e hora. Um ponto forte deste software é a capacidade de gravar os dados, copiados ou não de uma imagem de origem (imagem de referência), para várias imagens de uma só vez.

Conheça melhor a ferramenta de visualização e edição de dados EXIF pyExifToolGUI

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a ferramenta de visualização e edição de dados EXIF pyExifToolGUI no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o pyExifToolGUI no Ubuntu, basta baixar o pacote DEB, disponível nessa página, e dar um duplo clique sobre ele. Depois, confirme a instalação e aguarde terminar o processo.

Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash: pyexiftool

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançada versão 1.10.10 do leitor de feeds Liferea: Instale no Ubuntu e seus derivados

O leitor de feeds Liferea foi atualizado para a versão 1.10.10. Se você já usa esse aplicativo ou quer experimentar ele, veja aqui como instalar ele no Ubuntu.
liferea
Liferea, ou Linux Feed Reader, é um agregador de notícias para feeds de notícias on-line. Ele suporta um número de diferentes formatos de feeds RSS, incluindo RDF, CDF e Atom. Há muitos outros leitores de notícias disponíveis, mas esses outros não estão disponíveis para Linux ou exigem muitas bibliotecas extras para serem instalados. Liferea tenta preencher essa lacuna através da criação de um agregador rápido, fácil de usar e fácil de instalar.

Características do leitor de feeds Liferea

  • Permite ler artigos quando offline;
  • Sincroniza com InoReader;
  • Sincroniza com Reedah;
  • Sincroniza com TheOldReader;
  • Sincroniza com TinyTinyRSS;
  • Permanentemente salvar manchetes em notícias caixas;
  • Encontra Itens pesquisa de pastas;
  • Reproduz Podcasts.

A versão 1.10.10 vem com várias correções de bugs e algumas melhorias.

Conheça melhor o leitor de feeds Liferea

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o leitor de feeds Liferea no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o leitor de feeds Liferea no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install liferea -y

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:liferea

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Criando musica no computador: Instale o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados

Quer criar música no computador? Veja aqui como instalar o fantástico Linux MultiMedia Studio no Ubuntu e comece a produzir.
música no computador
LMMS, ou Linux Multimedia Studio é um software livre multiplataforma que lhe permite produzir música com o seu computador. Isto abrange desde a criação de melodias e batidas, sintetizar e misturar sons e organizar amostras.

Ele permite que você possa compor, editar ou misturar áudio com o computador. LMMS inclui todas as ferramentas que você precisa para criar música a partir do zero (ambas as melodias, sintetizando, misturando sons, organizando amostras e batidas de fundo), misturar e arranjar amostras e sons pré-fabricados e, finalmente, produzir e exportar os resultados. Você pode se divertir com o seu teclado MIDI e muito mais – tudo em uma interface amigável e moderna. Além disso LMMS vem com muitos plugins, presets e amostras de instrumentos e efeitos prontos para uso.

Principais funcionalidades do LMMS

  • Editor de sons
  • Editor Beat+Bassline
  • Disponibilização de muitos efeitos e sons de instrumentos
  • FX Mixer
  • Piano-Roll para edição de padrões e melodias
  • Possibilidade de importar arquivos no formato MIDI e FLP
  • Compatível com muitos padrões: SoundFont2, VST(i), LADSPA, GUS Patches, e MIDI

Vídeo do Linux Multimedia Studio em ação

[embedded content]

Conheça melhor o Linux Multimedia Studio

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Instale o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados e faça música no computador

Para instalar o Linux Multimedia Studio no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa usando o comando abaixo:

sudo add-apt-repository ppa:irie/lmms

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o programa, use o comando abaixo:

sudo apt-get install lmms

Depois de instalado, o programa pode se executando a partir do Dash, digitando: lmms
música no computador
Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Assistente virtual Betty já está disponível para Ubuntu: instale e experimente

Que tal “conversar” com o sistema e interagir usando a linha de comando? Isso já é possível com a assistente pessoal Betty.
assistente virtual
Hoje em dia os dispositivos portáteis oferecem assistente para o seu dispositivo móvel, que ajudam os usuários a fazer coisas de forma fácil e rápida. Como você já deve saber, o iOS tem a Siri (da Apple) e o Android usa o Google Now (do Google) para facilitar a vida de seus usuários.

O Linux também já dispõe de um recurso parecido: a assistente pessoal Betty, que usa a linguagem natural para responder perguntas, fazer recomendações e executar ações. O recurso é semelhante a Siri e o Google Now, mas por enquanto é muito limitado. Na prática, Betty é uma assistente virtual com uma interface de linguagem natural controlada via linha de comando, que ajuda a executar tarefas pessoais.

Coisas que podem ser feitas com a assistente virtual Betty

Você pode fazer praticamente todo o tipo de coisas, alterar configurações, encontrar arquivos, download de arquivos a partir da Internet ou fazer operações de consultas na Internet, arquivos e diretórios, como compactar/descompactar e outros, controlar aplicações de áudio, contar palavras em um arquivo, e muitos mais …

Conheça melhor a assistente virtual Betty

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link. Nessa mesma página, existe uma documentação dos comando que podem ser usados.

Como instalar a assistente virtual Betty no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a assistente virtual Betty no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Instale as dependências do programa com este comando:

sudo apt-get install ruby curl git

Passo 3. Em seguida, baixe o programa usando o comando abaixo:

cd && git clone https://github.com/pickhardt/betty

Passo 4. Agora use o comando abaixo para criar um “alias” do programa;

echo "alias betty=\"~/betty/main.rb\"" >> ~/.bashrc && source ~/.bashrc

Passo 4. Agora use o comando abaixo para ativar o modo web do programa para que a Betty possa fazer consultas na Internet:

betty turn web mode on

Uma vez instalado, você já pode começar a usar a assistente virtual no terminal.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

22 de julho de 2014

Organize melhor a sua biblioteca com Bibfilex

Se você possui um acervo de livros ou documentos, instale o Bibfilex e organize melhor a sua biblioteca.
Organize melhor a sua biblioteca
Bibfilex é um software de código aberto que permite aos usuários catalogar e gerenciar melhor a sua biblioteca, seja de uma coleção de histórias em quadrinhos, livros e etc. A idéia do projeto é criar uma alternativa viável para programas que normalmente necessitam de Java Virtual Machine ou do Net framework para funcionar, mas oferecendo uma melhor integração com qualquer ambiente de desktop Linux. Disponível para as bibliotecas gráfica GTK+ ou Qt, Bibfilex é baseado em arquivos biblatex que podem ser incluídos em documentos Latex e que pode importar/exportar para muitos outros softwares de gestão de biblioteca.

Entre os muitos recursos incluídos no Bibfilex estão a capacidade de importar e exportar dados no formato biblatex, realizar pesquisas direcionadas em um único campo, ou entre todos os elementos, permitir associar a cada item vários anexos que serão salvos em um arquivo compactado dentro de um diretório e manipulados automaticamente pelo software.

Bibfilex também possui auto dados completos para cada campo, basta digitar Ctrl + Espaço para ativar/desativar este recurso, também podemos marcar a citação de um ou mais elementos em um formato definido pelo usuário, e copiá-los para a área de transferência em HTML ou Latex. Nele é possível personalizar os vários campos, incluir marcadores para acesso rápido a um elemento específico, inserir módulos facilmente e adicionar características especiais ou palavras-chave, e muito mais.

Biblatex Preferenze

Conheça melhor o Bibflex

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Bibflex no Ubuntu, Debian, Fedora e seus derivados

Para instalar o Bibflex no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Para o Linux, basta baixar o pacote RPM ou DEB, disponível nessa página, e dar um duplo clique sobre ele. Depois, confirme a instalação e aguarde terminar o processo.

Depois de instalado, execute o programa e comece a organizar sua biblioteca.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Gerenciador de download Flareget chega a versão 3.2: Instale e experimente

Foi lançado recentemente a versão 3.2 do gerenciador de download FlareGet. Se você utiliza esse tipo de aplicativo, veja aqui como instalar ele no Ubuntu e seus derivados.
gerenciador de download
FlareGet é um gerenciador de download completo, multi thread e múltiplos segmentos e acelerador para Linux e Windows. Ele é cheio de recursos e se integra com todos os navegadores para substituir o seu gerenciador de download padrão destes e iniciar a transferência por si só. Ele suporta quase todos os navegadores – Firefox, Chrome, Chromium, Opera etc. Essa versão traz um monte de melhorias na integração do navegador e no núcleo do mecanismo de download, além da correção de pequenos bugs.

Resumo das mudanças desta versão:

  • Corrigida a falha em downloads ftp;
  • Ligeira melhoria na velocidade de junção de arquivos;
  • Corrigido bug que causava falha na junção de arquivos maiores que 4 GB em 32 bit Linux;
  • Corrigido problema na codificação de nomes de arquivo que causava falha de download;
  • Corrigido um erro grave de exibição;
  • Muitas melhorias no núcleo do mecanismo de vários segmentos;
  • Adicionado suporte para solicitações após o download;
  • Adicionado suporte para o Google Drive, Dropbox e outros sites semelhantes;
  • Muitas melhorias na integração com os navegadores;
  • Adicionado suporte a Filetype;
  • Plug-in YouTube agora é embutido e recebeu muitas melhorias;
  • Pcap Caiu, é o fim da dependência da biblioteca winpcap;
  • várias outras correções de bugs e melhorias.

Conheça melhor o gerenciador de download Flareget

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o gerenciador de download Flareget no Ubuntu e derivados

Para instalar o gerenciador de download Flareget no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget http://drive.noobslab.com/data/apps/flareget/flareget_3.2-42_i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget http://drive.noobslab.com/data/apps/flareget/flareget_3.2-42_amd64.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i flareget_3.2-42_*.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Para completar baixe o addon FlareGet para Firefox , para integração com o navegador.
Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash:flare

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como executar um programa em uma data e hora específica com qprogram-starter

Se você precisa executar um programa em uma data e hora específica, mas não quer lidar com o Cron (ou nem sabe o que é isso), instale o qprogram-starter e resolva seu problema.
executar um programa
qprogram-starter é um software simples, com código-fonte aberto e interface feita em Qt. Diferente de ferramentas nativas do sistema, além de permitir iniciar facilmente programas ou comandos em um determinado momento, ele inclui alguns recursos extras e úteis, como a opção de registrar a saída e os erros e a de desligar o sistema.

Conheça melhor o qprogram-starter

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o qprogram-starter para executar um programa em uma data e hora específica

Para instalar o qprogram-starter para executar um programa em uma data e hora específica, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Qprogram-starter está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu, por isso se quiser ter a última versão (do repositório Ubuntu) dele, atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. E em seguida, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install qprogram-starter 

Passo 4. Caso você queira a última versão mesmo, confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 5. Com a informação em mãos, se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget http://ppa.launchpad.net/ferramroberto/lffl/ubuntu/pool/main/q/qprogram-starter/qprogram-starter_1.6.8.0-1~lffl~trusty_i386.deb

Passo 6. Ou se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget http://ppa.launchpad.net/ferramroberto/lffl/ubuntu/pool/main/q/qprogram-starter/qprogram-starter_1.6.8.0-1~lffl~trusty_amd64.deb

Passo 7. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i qprogram-starter_1.6.8.0-1~lffl~trusty_*.deb

Passo 8. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 9. Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash:

qprogram

Passo 10. Marque o campo “At date and time” e especifique a data e a hora da execução. Digite o endereço do programa que será executado ou informe isso clicando no botão “Browse…”. Se quiser ver o registro do que ocorreu durante a execução, marque a opção “Logging”. Para sair do programa após a execução dos comandos, marque “Last with last command” e para desligar o computador, marque o item “Shutdown”. Finalmente, clique no botão “Start” para o programa começar a trabalhar na programação.

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

21 de julho de 2014

Não quero usar Unity, prefiro o Fluxbox

Opções não faltam. Quem não gosta de usar o Unity, pode simplesmente instalar um ambiente alternativo. As vezes ele pode ser até muito mais leve que o padrão usado pela Canonical. Um bom exemplo disso é o Fluxbox.
fluxbox
O Fluxbox é um ambiente gráfico baseado no código do BlackBox 0.61.1 e um ambiente extremamente leve. Por conta disso, ele consome pouquíssimos recursos e consequentemente, é muito rápido. Ele também pode executar ações (como minimizar uma janela ou executar um comando pré-determinado) em resposta a sequências de teclas. O Fluxbox ainda provê ferramentas interessantes para gerenciamento de janelas como abas e agrupamentos. Seus arquivos de configuração são fáceis de entender e editar e existem centenas de temas para personalizar o Fluxbox e fazer a aparência do seu desktop ficar do jeito que você quer.

Não se deixe enganar por essa imagem da introdução, isso é apenas o ambiente básico que aparece depois da instalação. O FluxBox pode ser personalizado e ficar até mesmo como mostra essa outra imagem:
fluxbox

Para mais imagens, clique nesse link.

Conheça melhor o ambiente Fluxbox

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o ambiente Fluxbox no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o ambiente Fluxbox no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install fluxbox

Uma vez instalado, saia da sessão atual e quando aparecer a tela de login, clique no circulo ao lado do nome de usuário e escolha o Fluxbox na lista que será exibida. Depois, entre com seu usuário e senha e ao terminar login, comece a experimentar o ambiente.

Claro, no próximo capitulo tem mais um ambiente. Até lá.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Captura de tela: instale Hotshots, uma ferramenta com alguns recursos de edição

A ferramenta de captura de tela Hotshots chegou a versão 2.1. Se você quiser experimentar essa versão, veja aqui como instalar ela no Ubuntu.
captura de tela
HotShots é uma ferramenta de captura de tela com alguns recursos de edição. Ele é particularmente adequado para escrever documentação, mas você pode usá-lo para destacar alguns detalhes de uma imagem, de mapa ou o que você quiser. Como o programa é escrito com Qt, ele tem poucas dependências e usa poucos recursos do computador.

Características do HotShots

  • Escrito com Qt, ele roda em Windows,Mac e Linux.
  • Captura a tela atual, todos os monitores (no caso de configuração de multi-monitores), a janela atual ou uma parte da área de trabalho;
  • Salva a imagem em vários formatos (PNG, JPG, BMP, …);
  • Salva automaticamente a imagem para o clipboard, disco ou abre um editor de imagens;
  • Dimensiona automaticamente a imagem para um determinado tamanho;
    Use atalhos do sistema para tirar uma screenshot;
  • Adiciona automaticamente alguns pós-efeitos para a imagem (sombra, rotação, borda, …);
  • Pode ser minimizado para a bandeja do sistema e trabalho em segundo plano;
  • Permite exportar imagem editada em vários formatos (PNG, JPG, BMP …);
  • Permite salvar / restaurar imagem editada em formato proprietário.

Conheça melhor a ferramenta de captura de tela Hotshots

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a ferramenta de captura de tela Hotshots no Ubuntu e seus derivados

Para instalar a ferramenta de captura de tela Hotshots no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install hotshots

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:hotshots

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Interface do Dropbox está sendo reescrita em Qt: Instale e experimente

O Dropbox está reescrevendo seu cliente para Windows e Linux. Se você quiser saber das novidades e experimentar essa versão de testes, veja aqui como instalar o novo Dropbox no Ubuntu.
novo dropbox
A interface de usuário do Dropbox para Windows e Linux está atualmente em processo de reescrito com base na biblioteca Qt. Já existe até mesmo uma compilação experimental (2.11.0) com esta e outras mudanças, disponível para testes.

Segundo o Fórum notes, a razão por trás da reescrita da interface do usuário é para “corrigir um grande número de questões/falhas que tem sido relatadas ao longo dos anos, melhorar o desempenho, suporte de high DP no Windows, criar um novo assistente de configuração no Linux, e muito mais”.

Além da interface, o novo e experimental cliente Dropbox também traz:

  • Identificadores de arquivos, que permitem que o Dropbox para detecte quando os arquivos foram movidos e renomeados;
  • O suporte a caminho longos no Windows: Dropbox no Windows agora suporta caminhos com mais de 260 caracteres no entanto, muitas aplicações, tais como o Windows Explorer e Microsoft Word, não;
  • Envios mais rápidos para pequenos arquivos;
  • Atualização das telas de apresentação.

Instalando o novo Dropbox no Ubuntu e derivados

Para instalar o novo e experimental cliente Dropbox no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget https://d1ilhw0800yew8.cloudfront.net/client/dropbox-lnx.x86-2.11.0.tar.gz

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget https://d1ilhw0800yew8.cloudfront.net/client/dropbox-lnx.x86_64-2.11.0.tar.gz

Passo 5. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar -xvf dropbox-lnx.*-2.11.0.tar.gz -C /opt/

Passo 6. Se outra versão do programa já estiver instalada e sendo usada, pare a sincronização com o comando;

dropbox stop

Passo 7. Execute a nova versão do Dropbox com o comando:

/opt/.dropbox-dist/dropbox-lnx.*-2.11.0/dropbox start

Passo 8. Nessa primeira execução, digite seu e-mail e senha para iniciar a sincronização do Dropbox;
novo dropbox
Passo 9. Se quiser, crie um lançador para o Dropbox, executando um editor de texto com o comando:

sudo gedit /usr/share/applications/dropbox.desktop

Passo 7. Copie o conteúdo abaixo, cole no arquivo e salve-o;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=Dropbox
Exec=/opt/.dropbox-dist/dropbox-lnx.*-2.11.0/dropbox start
Icon=""
Comment=Sincronizador de arquivos
Categories=Application;Network

Pronto! Quando precisar, inicie o programa digitando no Dash:dropbox

Removendo o novo e experimental cliente Dropbox no Ubuntu e derivados

Se mais tarde você quiser reverter essas alterações e até voltar para a versão estável do Dropbox, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Pare a sincronização do Dropbox com o comando:

/opt/.dropbox-dist/dropbox-lnx.*-2.11.0/dropbox stop

Passo 3. Apague a pasta onde está o aplicativo;

sudo rm -r /opt/.dropbox-dist/

Passo 6. Se outra versão do programa já estiver instalada, inicie ela com o comando:

dropbox start

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como exibir letras de músicas no desktop do Ubuntu

Se você curte uma disputa de karaokê ou apenas gosta de ver as letras da música enquanto ela é reproduzida, conheça e instale o OSD Lyrics para exibir letras de músicas no desktop no Ubuntu 14.04.
exibir letras de músicas
Além do streaming de música grátis, outra coisa bem legal no Spotify é o seu plugin de letras de músicas, o TuneWiki, mesmo que as vezes você não consiga entender todas as palavras da canção. Mas enquanto esse plugin não é multiplataforma e só possui versões para o Windows Media Player e iTunes, que opções temos no desktop Linux? o aplicativo OSD Lyrics seria a melhor resposta para essa pergunta.

Se você estiver usando um desktop Linux por algum tempo, já deve ter ouvido do OSD Lyrics. Ele é um pequeno aplicativo que exibe letras de música no ambiente de trabalho e que você pode usar em conjunto com vários reprodutores de áudio como o Rythmbox, Banshee, Clementine, entre outros.

É importante notar que, diferentemente de aplicativos como Shazam e outros da mesma categoria, o OSD Lyrics não irá descobrir sozinho as letras do áudio, ao contrário, ele utiliza as informações ligadas aos arquivos de música tais como nome, álbum, artista e etc. Por isso, certifique-se de que você tem arquivos de música de “fontes respeitáveis” ou mantenha as informações de arquivo corretas e atualizadas, para que o programa consiga fazer seu trabalho.

Conheça melhor o OSD Lyrics

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o OSD Lyrics no Ubuntu e derivados

OSD Lyrics foi mantido ativamente por meio de seu repositório oficial cerca de 2 anos atrás. Infelizmente, não houve mais desenvolvimento depois disso. Enquanto o repositório não é mais utilizável, os pacotes ​​(DEB) podem ser baixados a partir do site e instalados manualmente. Embora estes executáveis ​​tenham sido feitos originalmente para o Ubuntu 12.04 Precise Pangolin, esses arquivos funcionam muito bem no Ubuntu 14.04 também. Por isso, para instalar o OSD Lyrics no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget https://osd-lyrics.googlecode.com/files/osdlyrics_0.4.3-1~precise1_i386.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget https://osd-lyrics.googlecode.com/files/osdlyrics_0.4.3-1~precise1_amd64.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i osdlyrics_0.4.3-1~precise1_*.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Depois de instalado, execute o programa digitando no Dash:osd

Na primeira execução, ele irá detectar os players já existentes que são compatíveis com o programa e exibirá eles, para que você possa definir qual deles será aberto automaticamente sempre que iniciar o OSD Lyrics.
exibir letras de músicas
Depois disso, se ele reconhecer os arquivos de música, ele irá exibir as letras na área de trabalho em formato de Karaoke:

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

20 de julho de 2014

Resumo semanal – 14/07/2014 a 20/07/2014

Se você perdeu alguma postagem ou simplesmente ainda não viu tudo o que foi postado? Não se preocupe, leia o resumo semanal e se atualize.
resumo semanal

Resumo semanal do Blog do Edivaldo de 14/07/2014 a 20/07/2014

14/07/2014

15/07/2014

16/07/2014

17/07/2014

18/07/2014

19/07/2014

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

19 de julho de 2014

Leia feeds, compartilhe notícias no LinkedIn, Blogger e imprima com o QuiteRSS

O leitor de feeds QuiteRSS recebeu uma atualização recentemente, trazendo algumas melhorias e correções de bugs.
quiterss
QuiteRSS é um leitor de notícias de feeds RSS/Atom open source e multi plataforma, que pretende ser bastante rápido e confortável para o usuário. Possui navegador embutido (Baseado no Webkit), filtros de feeds e de notícias, adblock, click to flash, importação e exportação de feeds usando arquivos OPML, e muito mais.

Parta completar, nessa versão o leitor permite compartilhar notícias no Evernote, Google, Facebook, Twitter, LiveJournal, Pocket, VK, LinkedIn, Blogger, via e-mail ou em formato de impressão.

Conheça melhor o leitor de RSS QuiteRSS

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o leitor de RSS QuiteRSS no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o leitor de RSS QuiteRSS no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:quiterss/quiterss

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install quiterss -y

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:quiterss

Como usar o leitor de RSS QuiteRSS

Para adicionar um RSS basta clicar no botão “Adicionar” (ou “+”) e digitar ou colar o endereço respectivo e confirmar. Feito isso, o programa irá localizar e adicionar as notícias. O endereço mostrado na imagem a seguir é o feed do blog, não esqueça de adicionar ele, ou se preferir, se inscreva e receba as noticias por e-mail acessando esse link.

adicionar-feed

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

18 de julho de 2014

Reprodutor de música: Instale Pragha Music Player no Ubuntu

Se você procura um reprodutor de música leve e bem integrado, o Pragha pode ser a resposta. Conheça um pouco mais sobre ele e veja como instalar no Ubuntu.
reprodutor de música
Pragha é um leitor de música leve para GNU/Linux, baseado em Gtk, SQLite, e completamente escrito em C, construído para ser rápido, leve, e ao mesmo tempo tentar ser completo, sem obstruir o trabalho diário.

Características do Pragha:

  • Tem integração completa com GTK+ 3, mas é completamente independente do Gnome e Xfce;
  • Dois painéis com design inspirado no Amarok 1.4: Biblioteca e a lista de reprodução;
  • Biblioteca com vários modos de exibição, de acordo com tags ou estrutura de pastas;
  • Busca, filtragem e fila de músicas na playlist atual;
  • Reproduz e edita tag de mp3, m4a, ogg, flac, asf, wma e arquivos ape. Limitada apenas pelos codecs instalados e pela versão da taglib usada;
  • Gerenciamento de lista de reprodução. Exporta M3U e lê listas de reprodução M3U, PLS, XSPF e WAX;
  • Reproduz CDs de áudio e identifica usando CDDB;
  • Controle de reprodução com linha de comando e MPRIS2;
  • Notificações desktop nativas com libnotify.

Conheça melhor o reprodutor de música Pragha

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o reprodutor de música Pragha no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o reprodutor de música Pragha no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/apps

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install pragha

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:pragha

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como remover o KDE Plasma 5 no Ubuntu 14.04 ou 14.10

Se você instalou o novo KDE Plasma 5, seguindo as instruções dessa outra postagem, e por algum motivo precisa desinstalar ele, veja aqui como fazer isso.
remover o KDE Plasma 5
Se você não gostou do ambiente ou simplesmente precisa liberar mais espaço no disco do PC, a boa noticia é que remover o KDE Plasma 5 é muito simples.Mas para fazer isso, é preciso estar em outro ambiente gráfico, por isso, antes de começar, faça login usando um ambiente diferente do que será removido.

Como remover o KDE Plasma 5 no Ubuntu 14.04 e seus derivados

Para remover o KDE Plasma 5 no Ubuntu 14.04 e seus derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Remova o repositório e KDE Plasma 5 com este comando:

sudo apt-get purge project-neon5-* -y

Passo 3. Para completar o processo, remova os pacotes que ficaram sem uso, usando o comando:

sudo apt-get autoremove -y

Como remover o KDE Plasma 5 no Ubuntu 14.10 e seus derivados

Para remover o KDE Plasma 5 no Ubuntu 14.10 e seus derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, instale o ppa-purge com este comando:

sudo apt-get install ppa-purge -y

Passo 3. Remova KDE Plasma 5 com o comando abaixo:

sudo apt-get remove kubuntu-plasma5-desktop -y

Passo 4. Remova o repositório do programa com este comando:

sudo ppa-purge ppa:kubuntu-ppa/next -y

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Não perca nenhuma mensagem: Instale o notificador de e-mail Mailnag

Se você precisa estar sempre de olho na sua caixa de e-mail, instale o notificador de e-mail Mailnag e não perca nenhuma mensagem
notification
Mailnag é um daemon de notificação por correio eletrônico para o Gnome 3 e Unity que verifica novas mensagens em servidores POP3 e IMAP (o que inclui o Gmail).

Além de notificações de novos emails, Mailnag também pode executar um comando ou um script ao checar e-mail ou na chegada de um novo e-mail. Com isso, ele pode abrir novos e-mails em seu cliente de e-mail preferido e muito mais. Mailnag vem com um conjunto de plugins independente de área de trabalho padrão para visual, som notificações, execução de scripts, etc. e pode ser facilmente estendido com plugins adicionais.

Conheça melhor o notificador de e-mail Mailnag

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o notificador de e-mail Mailnag no Ubuntu 14.10/14.04 e seus derivados

Para instalar o notificador de e-mail Mailnag no Ubuntu 14.10/14.04 e seus derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:pulb/mailnag

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install mailnag

Passo 5. Para usá-lo no Unity, você também precisa do plugin. Instale-o com este comando:

sudo apt-get install mailnag-unity-plugin

Passo 6. Se você usa o Gnome Shell, use o comando abaixo para instalar o plugin:

sudo apt-get install gnome-shell-mailnag

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash mailnap. Na janela de configuração do programa, adicione sua conta de e-mail e ative o plugin para o seu ambiente de trabalho.
mailnag-plugins_1

Como instalar o notificador de e-mail Mailnag em outras distribuições

Para instalar o notificador de e-mail Mailnag em outras distribuições, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal como root;
Passo 2. Se você estiver usando o Debian instável, use esse comando para instalar o programa:

apt-get install mailnag

Passo 3. Se você estiver usando o Fedora, use esse comando para instalar o programa:

yum install mailnag

Passo 4. Se você estiver usando o Arch Linux, use esse comando para instalar o programa a partir do repositório AUR:

yaourt -S mailnag

ou

packer -S mailnag

Passo 5. Usuários de outras distribuições devem baixar o pacote do programa nesse link. Depois de baixado, use o seguinte comando para executar o instalador:

./setup.py install

Como usa Python, esse último processo depende dos seguintes pacotes:

  • python2 (python3 won’t work!)
  • pygobject
  • gir-notify (>= 0.7.6)
  • gir-gtk-3.0
  • gir-gdkpixbuf-2.0
  • gir-glib-2.0
  • gir-gst-plugins-base-1.0
  • gir-gnomekeyring-1.0
  • python-httplib2
  • python-dbus
  • pyxdg
  • gettext

Depois de instalado, execute o Mailnag. Ele agora deverá iniciar automaticamente cada vez que você entrar no sistema (isso pode ser desativado a partir da configuração do programa).

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Música online grátis : Instale Atraci um leitor de música que usa o YouTube como fonte

Se você gosta de ouvir música online grátis, experimente instalar o Atraci em seu sistema.
música online grátis
Atraci é um novo leitor de música de código aberto que usa o YouTube como fonte e que possui versões para Linux, Windows e Mac. O aplicativo suporta a criação de listas de reprodução e vem com algumas características básicas, como repetição, shuffle e assim por diante. Ele usa uma interface um pouco semelhante ao Popcorn Time, de acordo com a sua página inicial, ele permite que você escute mais de 60 milhões de músicas, “100% Grátis. Sem anúncios. Sem ter que criar contas de login. E legal”.

Veja como ele funciona: ao pesquisar, Atraci usa iTunes, Last.fm e SoundCloud para exibir os resultados de canções que incluem a capa do álbum, o título da canção e artista. Para a reprodução, o aplicativo usa o YouTube para “transmitir os vídeos de alta qualidade”, pelo menos é o que a página do programa no GitHub, mas na prática, ele não parece ser capaz de reproduzir vídeos em 1080p, a maioria provavelmente porque o YouTube usa DASH para todos os vídeos de 1080p.

Atraci suporta a reprodução de vídeos no entanto, como foi criado para ser usado como um leitor de música, ele não tem alguns recursos quando se trata de vídeos: você não pode selecionar a qualidade do vídeo e você não pode reproduzir vídeos em tela cheia (mas você pode maximizar a janela do player). atraci-video

A aplicação tem cerca de um mês de idade, por isso há muitas coisas que podem ser melhoradas ou adicionadas. Seu roadmap inclui alguns pedidos de funcionalidades interessantes, como um sistema de recomendação, suporte a letras, uma opção para obter a url da música que estiver tocando, suporte a proxy, suporte a last.fm/libre.fm scrobbling e muito mais.

Conheça melhor o Atraci

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Atraci no Ubuntu e seus derivados usando um repositório e obter música online grátis

Para instalar o Atraci no Ubuntu usando um repositório e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/atraci

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install atraci

Instalando o Atraci manualmente no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Atraci manualmente no Ubuntu e seus derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Instale as dependências do programa com este comando:

sudo apt-get install libudev*

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, abras as “Configurações do Sistema” e clique em “Detalhes”. Ou se preferir, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Depois, se seu sistema for um Ubuntu de 32-bits, use o seguinte comando:

sudo ln -s /lib/i386-linux-gnu/libudev.so.1 /lib/i386-linux-gnu/libudev.so.0

Passo 5. Mas se seu sistema for um Ubuntu de 64-bits, use o seguinte comando:

sudo ln -s /lib/x86_64-linux-gnu/libudev.so.1 /lib/x86_64-linux-gnu/libudev.so.0

Passo 6. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo:

wget https://s3.amazonaws.com/Atraci/linux32/Atraci.tgz

Passo 7. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo:

wget https://s3.amazonaws.com/Atraci/linux64/Atraci.tgz

Passo 8. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar -zxvf Atraci.tgz -C /opt/

Passo 9. Faça a “Atraci” arquivo executável

sudo chmod +x /opt/Atraci/Atraci

Passo 10. Crie um lançador para o Atraci, executando um editor de texto com o comando:

sudo gedit /usr/share/applications/atraci.desktop

Passo 11. Copie o conteúdo abaixo, cole no arquivo e salve-o;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=Atraci
Exec=/opt/Atraci/Atraci
Icon=""
Comment=leitor de música
Categories=Application;Network

Independente do método usado, depois de instalado, inicie o programa digitando no Dash:atraci

Se quiser executar o programa a partir de um terminal, utilize o seguinte comando:

/opt/Atraci/Atraci

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

17 de julho de 2014

Como mostrar o percentual de uso e o tempo restante da bateria no painel do Ubuntu

Nem sempre é possível ver as informações da bateria no painel do Unity, se este é o seu caso, veja aqui como configurar o sistema para mostrar o percentual de uso e o tempo restante da carga da bateria no painel do Ubuntu.
mostrar o percentual de uso e o tempo restante da bateria
Esta dica é bem rápida e simples. Caso você queira voltar ao estado anterior, basta desfazer o último passo.

Como mostrar o percentual de uso e o tempo restante da bateria no painel do Ubuntu

Para mostrar o percentual de uso e o tempo restante da bateria no painel do Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver instale o dconf Editor pela Central de programas ou usando este comando:

sudo apt-get install dconf-editor

Passo 3. Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:

dconf

mostrar o percentual de uso e o tempo restante da bateria
Passo 4. No lado esquerdo, navegue até com -> canonical -> indicator -> power;
Passo 5. Marque as opções “show-percentage” e “show-time”. Em seguida, feche o programa;
mostrar o percentual de uso e o tempo restante da bateria

Pronto! Agora o painel irá sempre mostrar o percentual de uso e o tempo restante da carga da bateria, exatamente como você queria.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Cliente para Twitter: Instale Corebird no Ubuntu 14.10/14.04

Está precisando de um cliente para Twitter no seu sistema? Então instale o Corebird no Ubuntu 14.10/14.04.
cliente para Twitter
Corebird é um cliente Twitter GTK+ nativo para Linux, que tem um design moderno e ágil que lhe dá um um visual muito parecido com o aplicativo oficial do Twitter para Mac. Ele é um projeto de código livre e aberto que possui toda as características essenciais do twitter, tais como streaming de tweets, menções/Notificações, Favoritos, Mensagens Diretas, Listas, Filtros e uma pesquisa integrada.

A aplicação é bem integrada com a área de trabalho GNOME. Ele suporta GNOME Shell Application Menu, exibe o número de notificações do Twitter na lockscreen e com o gstreamer e plugins gstreamer, Corebird permite visualizar quaisquer vídeos.

Atenção!!

Corebird depende de gtk+3 (>= 3.12), de modo que no Ubuntu 14.04 será preciso adicionar os repositórios GNOME3 e GNOME3 Staging. Como o repositório Staging é para uso de teste, ele pode quebrar seu sistema. Por isso, use-o por sua conta e risco!

Conheça melhor o cliente para Twitter Corebird

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o cliente para Twitter Corebird no Ubuntu 14.10/14.04 e seus derivados

Para instalar o cliente para Twitter Corebird no Ubuntu 14.10/14.04 e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório GNOME3 e GNOME3 Staging com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:gnome3-team/gnome3
sudo add-apt-repository ppa:gnome3-team/gnome3-staging

Passo 3. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ubuntuhandbook1/corebird

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install corebird

Passo 6. Depois de instalar, remova o repositório Gnome 3 Staging com esse comando:

sudo add-apt-repository -r ppa:gnome3-team/gnome3-staging

Se você tiver problema com o repositório do programa ou não quiser adicioná-lo, você pode baixar o pacote DEB a partir desse link. Depois de baixar, basta dar um duplo clique sobre o arquivo, para iniciar a instalação.

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:corebird

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como remover a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Se você quer remover a caixa de diálogo de confirmação de desligamento do Ubuntu, veja aqui como fazer isso e até voltar ao estado original.
confirmação de desligamento no Ubuntu
Quando você está usando o Ubuntu padrão com o ambiente Unity é sempre do mesmo jeito: toda vez que você quiser desligar o Ubuntu, precisará clicar no símbolo da engrenagem que fica no canto superior direito do painel e no menu que aparece, selecionar a opção de desligar. O problema é que ele não desliga diretamente, você ainda terá de clicar novamente para escolher se quer reiniciar ou desligar o computador.

Tudo isso é muito bonito e limpo, mas pode ser um pouco irritante depois de algumas vezes. Afinal, você já decidiu que quer desligar, então por que uma caixa de diálogo apenas para confirmar isso? Diante desse questionamento, por que não nos livramos dessa caixa de diálogo de desligamento por completo? É isso que veremos a seguir.

Como se livrar da caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Para conseguir se livrar da caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Desabilite a caixa de diálogo de desligamento usando o seguinte comando:

gsettings set com.canonical.indicator.session suppress-logout-restart-shutdown true

O melhor de tudo é que nessa mudança, não será necessário reiniciar. Da próxima vez que você clicar em desligar, o sistema será imediatamente desligado, sem qualquer questionamento.

Onde foi parar a opção “Reiniciar”?

Agora você pode perguntar o que aconteceu com a opção “Reiniciar”? Originalmente elas só aparecia depois de clicar em “Desligar…”, mas agora com essa mudança ela irá aparecer no menu, bem próxima a opção “Desligar”.
confirmação de desligamento no Ubuntu

Como devolver a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu

Tudo bem, talvez você não goste quando o sistema é imediatamente desligado e queira o comportamento padrão de volta. Não se preocupe, para devolver a caixa de diálogo de confirmação de desligamento no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Habilite a caixa de diálogo de desligamento usando o seguinte comando:

gsettings set com.canonical.indicator.session suppress-logout-restart-shutdown false

confirmação de desligamento no Ubuntu
Pronto! Independente de qual modo você prefira usar, o importante é que o sistema fique como você quer. E isso, é algo que o Ubuntu permite.

Via It’s F.O.S.S

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançado Pushbullet Indicator 0.4.0: Instale e troque arquivos, links e notas entre seu desktop e um dispositivo Android ou iOS

Pushbullet Indicator foi atualizado recentemente para a versão 0.4.0, Se você já usa ou quer experimentar esse aplicativo, veja aqui como instalar ele.
Pushbullet Indicator
Essa versão do Pushbullet Indicator traz suporte para as mais recentes mudanças na API Pushbullet, que incluem suporte OAuth e notificação de espelhamento do Android para o seu computador.
pushbullet-oauth
Para aqueles não familiarizados com Pushbullet, este é um serviço que permite enviar facilmente arquivos, links, notas, listas e etc, de seus dispositivo com iOS ou Android para o seu desktop ou o contrário. Ele pode ser usado através de extensões do hrome/Firefox para Windows e também usando um aplicativo de desktop. Como não havia nenhum aplicativo nativo do Linux, Lorenzo de Atareao.es criou uma AppIndicator Ubuntu (e uma extensão Nautilus como um companheiro para o AppIndicator), para usar facilmente Pushbullet no Ubuntu.
pushbullet-action

pushbullet-nautilus

pushbullet-indicator-notification

pushbullet-indicator

De acordo com Lorenzo, o desenvolvedor do aplicativo, o Pushbullet Indicator deve funcionar corretamente, não só com o Unity, mas também com as variantes KDE, LXDE e Xfce do Ubuntu. Além disso, o responsável pelo site WebUpd8 testou com o Linux Mint 17 MATE e Cinnamon e afirmou que o programa funciona com o Cinnamon, mas infelizmente, não funciona com o MATE.

Observações importantes sobre o Pushbullet Indicator 0.4.0

  • O Pushbullet Indicator e a extensão Pushbullet Nautilus devem ser autenticados em separado;
  • Após a adição de um novo dispositivo, você pode precisar reiniciar o indicador (selecione “Quit” e depois inicie ele novamente a partir do Dash) e o Nautilus (para reiniciar o Nautilus, digite “nautilus -q” em um terminal).

Conheça melhor o Pushbullet Indicator

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.
Para saber mais detalhes dessa atualização, acesse esse link.

Para mais informações sobre Indicador Pushbullet, inclusive seu funcionamento, consulte artigo do link abaixo:

Envie arquivos, links e notas do seu desktop Ubuntu para um dispositivo Android ou iOS usando o Pushbullet Indicator

Como instalar o Pushbullet Indicator no Ubuntu e derivados

Para instalar o Pushbullet Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas Ctrl+Alt+T;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione esse repositório com o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install pushbullet-indicator

Passo 5. Para instalar também a extensão Pushbullet Nautilus, que você pode usar para enviar arquivos diretamente do Nautilus para o seu dispositivo móvel, use o comando a seguir:

sudo apt-get install nautilus-pushbullet

Passo 6. Para aplicar a instalação da extensão, reinicie o Nautilus com o comando a seguir:

nautilus -q

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:pushbullet

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

16 de julho de 2014

Lançado KDE Plasma 5: instale no Ubuntu 14.04 ou 14.10

KDE Plasma 5 foi lançado nessa terça-feira (15) e já está disponível para download. Se você quiser experimentar essa versão, veja aqui como instalar.
KDE Plasma 5
Construído usando Qt 5 e Frameworks 5, o KDE Plasma 5 introduz um conceito de arte atualizado com visuais mais limpos e melhor legibilidade, chamada Breeze, juntamente com suporte melhorado a high DPI e um shel convergente, capaz de alternar entre experiências de usuário para diferentes dispositivos de destino.

KDE é uma equipe de tecnologia internacional que cria software livre e de código aberto para computação de desktop e portáteis. Entre os produtos do KDE estão um sistema de ambiente de trabalho moderno para plataformas Linux e UNIX, abrangentes de produtividade de escritório e groupware suites e centenas de títulos de software em muitas categorias incluindo aplicações de Internet e web, multimídia, entretenimento, educacional, gráficos e desenvolvimento de software. Software KDE é traduzido para mais de 60 idiomas e é construído com facilidade de uso e os princípios de acessibilidade modernas em mente. Aplicativos completos do KDE rodam nativamente em Linux, BSD, Solaris, Windows e Mac OS X.

Conheça melhor o KDE Plasma 5

Para saber mais sobre o KDE Plasma 5, clique nesse link.

Caso queira ver como ficou o ambiente, você pode assistir ao video abaixo:
[embedded content]

Antes de prosseguir, por favor, note que os repositórios usados no processo são muito instáveis e provavelmente você irá encontrar bugs.

Como instalar o KDE Plasma 5 no Ubuntu 14.04 e seus derivados

Instalar o KDE Plasma 5 no Ubuntu 14.04 exige o uso do repositório do Projeto Neon KDE Frameworks 5. O Projeto Neon oferece instantâneos de desenvolvimento frequentemente atualizados do KDE Frameworks. Para isso, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:neon/kf5

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install project-neon5-session project-neon5-utils project-neon5-konsole project-neon5-breeze project-neon5-plasma-workspace-wallpapers

Como instalar o KDE Plasma 5 no Ubuntu 14.10 e seus derivados

Para instalar o KDE Plasma 5 no Ubuntu 14.10 e seus derivados e ainda receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:kubuntu-ppa/next

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Atualize o sistema com o comando:

sudo apt-get dist-upgrade

Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install kubuntu-plasma5-desktop plasma-workspace-wallpapers

Uma vez instalado, reinicie o sistema, para evitar quaisquer problemas. Na hora de fazer login, clique no circulo próximo ao nome do usuário e na lista que aparece, clique na opção correspondente ao Plasma recém-instalado. Depois, entre com sua senha e comece a experimentar o novo ambiente.

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Lançado a versão 0.4.19 do trocador de papel de parede Variety com suporte para o serviço Panoramio

Foi lançada a versão 0.4.19 do trocador de papel de parede Variety, com um novo suporte para o serviço Panoramio. Se você quiser instalar ou atualizar esse programa, veja aqui como fazer isso.
trocador de papel de parede
Variety é um trocador de wallpaper que funciona com a maioria dos ambientes de desktop (KDE, LXDE, Xfce, Unity, GNOME Shell, Cinnamon ou Pantheon). O aplicativo chegou a versão 0.4.19, trazendo suporte para Panoramio como fonte de imagem, suporte para o ambiente de desktop Enlightenment, correções para o Flickr e Wallpapers.net, suporte a Unicode, uma reorganização no menu do indicadores, diversas correções de bugs e muito mais. trocador de papel de parede

Para aqueles não familiarizados com a Variety, ele é um trocador de wallpaper que transfere automaticamente papéis de parede de fontes como Wallbase, Flickr, Wallpapers.net, Desktoppr, custom RSS feeds, NASA Astronomy Picture of the Day, bem como World Sunlight Map: um live Earth wallpaper que muda ao longo do dia. Usando ele, você pode obter um novo e belo papel de parede automaticamente, no intervalo definido nas preferências do aplicativo. O aplicativo pode até mesmo aplicar filtros para as imagens.
trocador de papel de parede

Conheça melhor o trocador de papel de parede Variety

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o trocador de papel de parede Variety no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o trocador de papel de parede Variety no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:peterlevi/ppa

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install variety

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:variety

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como resolver o problema da falta de áudio no Ubuntu quando a saída HDMI está como padrão

Se seu sistema ficou totalmente sem áudio porque a saída HDMI está configurada como padrão, veja aqui como resolver isso.
falta de áudio
A solução proposta aqui foi testada pelo pessoal do site “It’s F.O.S.S.” e somente deve ser usada se seu sistema estiver com a saída HDMI configurada como padrão. Ela pode inclusive funcionar em outras distribuições Linux como o Linux Mint, Elementary OS, Fedora, Arch Linux e etc. Mas como foi dito anteriormente, essa solução só funciona em sistemas em que a saída HDMI está definido como padrão.

Como resolver o problema da falta de áudio depois de uma atualização do Ubuntu

Para resolver o problema da falta de áudio depois de uma atualização do Ubuntu, será preciso forçar o Ubuntu usar a saída analógica em vez da HDMI por padrão. Para isso, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Verifique se seu sistema está com a saída HDMI configurada como padrão, usando o comando:

alsamixer

falta de audio
Passo 3. Descubra os dados do dispositivo de saída analógica com o comando a seguir:

aplay -l

Passo 4. Isso irá listar os dispositivos. Anote o número do cartão (card) e do dispositivo (device). A informação será mais ou menos assim:
falta de audio
Passo 5. Com a informação, faça um novo arquivo de configuração digitando o seguinte comando:

sudo gedit /etc/asound.conf

Passo 6. Com o arquivo aberto, adicione as seguintes linhas nele, substituindo com a informação da saída analógica e o número do dispositivo, descobertos no quarto passo:

defaults.pcm.card 1
defaults.pcm.device 0

Passo 7. Salve o arquivo e reinicie o computador.

Pronto! Depois disso, seu sistema já estará com o som funcionando novamente.
Como não pude testar essa solução, fique a vontade para usar os comentários para informar se funcionou ou não, ou se você tem algum truque melhor para lidar com isso.

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

15 de julho de 2014

Instale os ícones Ardis e Ursa no Ubuntu

Quer “renovar” o visual dos ícones do seu desktop? Então experimente instalar os ícones Ardis e Ursa no Ubuntu.
ícones Ardis e Ursa
Ardis é um conjunto de ícones com um design elegante e simples. O projeto dos ícones Ardis é inspirado nos ícones Numix uTouch, mas é completamente diferente e bonito. Este tema de ícones tem variedade de cores agradáveis e é compatível com a maioria dos desktops Linux, como o Unity, Gnome, KDE, Cinnamon, entre outros. Este pacote de ícones contem mais de 900 ícones exclusivos. Ele ainda está em fase beta e está em desenvolvimento ativo.

ardis-2

Já o pacote de ícones Ursa é uma versão otimizada conjunto de ícones do Ardis, o que proporciona uma melhor experiência do usuário em telas menores, mas também funciona muito bem em telas grandes.

ursa-2

Ambos os temas de ícones são a escolha perfeita para todos que gostam de simplicidade. Se quiser, você pode apoiar o criador desses ícones, através da compra de seus temas de ícones Ardis e Ursa. Aproveite e também visite o site dele.

Conheça melhor os ícones Ardis e Ursa

Para saber mais sobre o tema de ícones Ardis, clique nesse link.
Para saber mais sobre o tema de ícones Ursa, clique nesse link.

Instalando os ícones Ardis e Ursa no Ubuntu e derivados

Para instalar os ícones Ardis e Ursa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Se quiser instalar os ícones Ardis, use o seguinte comando:

sudo apt-get install ardis-icons

Passo 5. Se quiser instalar os ícones Ursa, use o seguinte comando:

sudo apt-get install ursa-icons

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Ferramenta de backup: Instale Systemback 1.0 no Ubuntu 14.04

Se você precisa de uma ferramenta de backup e restauração para seus sistema, experimente instalar o Systemback no Ubuntu 14.04 ou um de seus derivados.
ferramenta de backup
Systemback é um aplicativo simples de backup e restauração para Ubuntu Linux que torna fácil criar backups de arquivos de configuração de sistema e usuários. Com ele, em caso de problemas, você pode facilmente restaurar o estado anterior do sistema.

Além disso, existem recursos extras, como a cópia do sistema de uma partição para outra, instalação do sistema, criação de sistema Live em CD/DVD/USB do sistema atual com ou sem os dados do usuário, criação de novo usuário, definição da senha de root, mudança do hostname, conserto do sistema de arquivos e até a reparação do Grub2.

Conheça melhor a ferramenta de backup Systemback

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a ferramenta de backup Systemback no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Systemback no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:nemh/systemback

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install systemback

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:systemback

Com systemback, você pode criar um sistema de ponto de restauração como no Windows, apenas clicando no novo botão “Create new”.
systemback-main
Irá demorar alguns minutos para o programa fazer backup de arquivos do sistema e dados de configuração do usuário. Arquivos do usuário, como documentos, imagens e música não serão colocados no backup. Durante este tempo, você pode clicar no botão “Interrupt” para cancelar o processo.
systemback-restore-point
Uma vez que você criou um ponto de restauração, ele estará na lista da janela principal com um nome parecido com “2014/07/11, 20.50.47″ (veja a primeira foto). Escolha-o e você será capaz de clicar no botão “System restore”. Então você poderá facilmente restaurar o estado do sistema para o tempo que você criou o ponto.
systemback-restore

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Stop Motion: instale o Linux Stopmotion e facilmente crie videos com essa tecnica

Conheça Linux Stopmotion, um software de código aberto que permite facilmente criar vídeo com a técnica de Stop Motion no Ubuntu e derivados.
stop motion
Linux Stopmotion é um software de código aberto que nos permite criar facilmente animações de vídeo stop motion usando as imagens “tiradas” com a nossa webcam ou câmera de vídeo conectada ao PC, ou simplesmente importando imagens capturadas com nossos smartphones. Para quem ainda não conhece, stop motion é uma técnica usada em muitos filmes e vários clips de vídeo que permite exibir uma sequência rápida de imagens de forma a dar o efeito óptico do movimento.

Entre os principais recursos incluídos no Linux Stopmotion está a sua capacidade de gerenciar múltiplas cenas e o processo de cada frame, o software permite adicionar uma ou mais faixas de áudio e gerenciar/processar imagens usando Gimp. Uma vez criado o vídeo com a técnica de stop motion é possível salvar todos os formatos mais populares e o aplicativo também tem suporte para criação de vídeos em DVD.

Conheça melhor o Linux Stopmotion

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Linux Stopmotion no Ubuntu e seus derivados

Linux Stopmotion está presente nos repositórios oficiais do Debian e Ubuntu, por isso, para instalar ele nesses sistema e seus derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install stopmotion

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:stopmotion

Via lffl

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

14 de julho de 2014

Instale os ícones Elemint no Ubuntu 14.04

Precisando de ícones para um tema escuro? Então instale os ícones Elemint no Ubuntu.
ícones Elemint
Elemint é um conjunto de ícones escuro projetado para ser usado com temas leves, distribuído sob a licença Creative Commons by-sa. O objetivo do EleMint é ampliar a variedade de ícones disponíveis, injetando um pouco mais de cor e energia, enquanto permanece fiel ao estilo gráfico e a uma paleta restrita. Atualmente este pacote ícone oferece mais de 1000 ícones e ainda está em desenvolvimento ativo.

Conheça melhor os ícones Elemint

Para saber mais sobre os ícones Elemint, clique nesse link.

Instalando os ícones Elemint no Ubuntu e derivados

Para instalar os ícones Elemint no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o programa usando o seguinte comando:

sudo apt-get install elemint-icons

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Firefox otimizado: Instale o navegador Pale Moon no Linux

Se você quer usar um Firefox otimizado, instale o navegador Pale Moon no seu sistema Linux.
Firefox otimizado
Pale Moon é um navegador open source baseado no Firefox que é otimizado para o desempenho. Ele é focado na eficiência e facilidade de uso, deixando de fora os recursos desnecessários e fazendo otimizações,  enquanto mantém a compatibilidade com as extensões e temas do Firefox.

Características do navegador Pale Moon

  • É otimizado para os processadores modernos;
  • Por ser derivado do Firefox, é seguro como o navegador da Mozilla;
  • É suportado por uma comunidade amigável e ativa de usuários;
  • Possui uma interface familiar, eficiente e totalmente personalizável (sem Australis);
  • Provê um suave e rápido desenho de página e processamento de script;
  • Tem muita estabilidade, pois tem poucas falhas;
  • Suporta extensões (add-ons) e temas do Firefox;
  • Usa bem menos memória porque os códigos opcionais do Firefox estão desativados;
  • Possui suporte para SVG, Canvas e fontes para download;
  • Amplo suporte para HTML5, CSS3 e WebGL;
  • Tem mais opções de personalização e configuração do que o Firefox;
  • Capaz de usar perfis do Firefox já existentes com a ajuda da ferramenta de migração.

Conheça melhor o Pale Moon

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instale o Pale Moon no linux e tenha um Firefox otimizado

Para instalar o Pale Moon no Linux e obter um Firefox otimizado, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Use o comando a seguir para baixar o pacote de instalação do programa;

wget http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/pm4linux/pminstaller/pminstaller-0.1.5.tar.bz2

Passo 3. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado;

tar -xvjf pminstaller-0.1.5.tar.bz2

Passo 4. Torne o arquivo de instalação executável com o comando:

sudo chmod +x pminstaller.sh

Passo 5. Execute o instalador do programa com este comando:

sudo ./pminstaller.sh

Passo 6. Na janela que aparece, clique na opção “Install Pale Moon” e depois no botão “OK”;Firefox otimizado
Passo 7. Ele irá perguntar qual versão você deseja instalar. Selecione “Latest version” e clique no botão “OK”;
Firefox otimizado
Passo 8. Aguarde o programa baixar e instalar o navegador em seu sistema;
Firefox otimizadoPasso 9. O instalador perguntará algo sobre a configuração do navegador pdrão do sistema, nesse caso, apenas clique no botão “OK” para continuar;Firefox otimizado
Passo 10. No final da instalação, você verá a janela abaixo;
Firefox otimizadoPasso 11. Para fechar o instalador, clique na opção “Exit Pale Moon Installer” e depois no botão “OK”.
Firefox otimizado

Quando você quiser desinstalar ou atualizar o aplicativo, repita o processo a partir do quinto passo e execute a opção correspondente.

Agora que o programa está instalado, quando quiser, inicie o programa digitando no Dash:pale

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Criação de objetos 3D no Linux: instale OpenSCAD

Se você precisa de um programa para a criação de objetos 3D no Linux, instale o OpenSCAD em seu sistema.
3D no Linux
OpenSCAD é um software livre CAD de código aberto (usa a GPL versão 2), específico para a criação de modelos 3D sólidos utilizados principalmente para a criação de peças mecânicas e não para a criação de animações etc, como acontece por exemplo no Blender. Assim, ele pode ser o aplicativo que você está procurando quando você está planejando criar modelos 3D de peças de máquinas, mas com certeza não é o que você está procurando, se você está mais interessado em criar filmes animados por computador.

OpenSCAD não é um modelador interativo. Em vez disso, é algo como um compilador 3D que lê em um arquivo script que descreve o objeto e renderiza o modelo 3D a partir deste arquivo de script. Isto dá ao designer, o controle total sobre o processo de modelagem e permite que ele altere facilmente qualquer etapa do processo de modelagem ou faça desenhos que são definidos por parâmetros configuráveis.

O programa é multiplataforma e por conta disso, está disponível para Linux, Windows e Mac. Baseado em bibliotecas Qt4, OpenCSG e OpenGL (para renderização usando CGAL), ele permite fazer a extrusão de formas de arquivos 2D AutoCAD DXF e exportar tudo em vários formatos, como STL e Open Font Format (OFF).

Conheça melhor o OpenSCAD

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o OpenSCAD a partir dos repositórios oficiais das principais distribuições Linux

Também é possível instalar o OpenSCAD em sua distribuição Linux favorita usando apenas os repositórios oficiais. Para isso, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se estiver usando o Debian, Ubuntu e seus derivados, use este comando:

sudo apt-get install openscad

Passo 3. Se estiver usando o Fedora ou uma distro derivada dele, instale o programa usando este comando:

sudo yum install openscad

Passo 4. Agora se você estiver usando o Arch Linux e seus derivados, use este comando:;

sudo pacman -S openscad

Como instalar a versão mais recente do OpenSCAD no Ubuntu e seus derivados

Nem sempre o repositório ofical do Ubuntu traz a versão mais recente, por isso, para instalar o OpenSCAD no Ubuntu e seus derivados, e receber automaticamente sempre as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:chrysn/openscad

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install openscad

Como instalar o OpenSCAD em qualquer distribuição Linux

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Verifique se seu sistema é de 32-bit ou 64 bits, usando o comando a seguir:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema for de 32-bits, faça o download da versão Linux com esse comando:

wget http://files.openscad.org/openscad-2014.03.x86-32.tar.gz

Passo 4. Se seu sistema for de 64-bits, faça o download da versão Linux usando esse comando:

wget http://files.openscad.org/openscad-2014.03.x86-64.tar.gz

Passo 5. Extraia o arquivo baixado com este comando:

tar -xvzf openscad-*.tar.gz

Passo 6. Vá para a pasta criada:

cd openscad-*/

Passo 7. Inicia o instalador com o comando a seguir e responda as perguntas feitas por ele:

sudo ./install.sh

Uma vez instalado, em qualquer um dos sistemas, inicie o programa digitando no próprio terminal:openscad

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

13 de julho de 2014

Resumo semanal – 07/07/2014 a 13/07/2014

Depois de uma semana difícil, nada melhor do se atualizar. Por isso, veja ou reveja tudo que foi postado durante essa semana, lendo abaixo o resumo semanal.
resumo semanal

Resumo semanal do Blog do Edivaldo de 07/07/2014 a 13/07/2014

07/07/2014

08/07/2014

09/07/2014

10/07/2014

11/07/2014

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


This entry passed through the Full-Text RSS service — if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
26 de julho de 2014, 00:55
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.