29 de abril de 2017

Conhecendo distribuições interessantes que podem ser úteis – Mythbuntu

Conhecendo distribuições interessantes que podem ser úteis - Mythbuntu

Gostou do MythTV, mas não quer ter o trabalho de instalar o programa no Ubuntu? Então a distribuição Mythbuntu é para você. Conheça mais um pouco sobre ela e descubra onde baixar a distro.


Mythbuntu é uma variante (ou sabor) oficial do Ubuntu, mas o foco dela não é um ambiente gráfico diferente do padrão do sistema e sim, multimídia. Ela é focada na criação de PVRs e PCs media center.

Conhecendo distribuições interessantes que podem ser úteis - Mythbuntu

Mythbuntu não é realmente uma distribuição de nicho, mas é projetada para uma tarefa específica, em vez de ser uma distro geral. Ela pode ser usada para preparar um sistema independente ou para a integração com uma rede MythTV existente.

Ao contrário de projetos similares, Mythbuntu mantém laços estreitos com o Ubuntu e todo o desenvolvimento é devolvido ao sistema de origem. Esta arquitetura permite conversões simples a partir de um desktop padrão para uma máquina Mythbuntu e vice-versa.

Como o próprio nome indica, é derivado do Ubuntu Linux. No entanto, ele abandonou o Gnome e, por padrão utiliza o ambiente desktop Xfce. Paar completar, o ciclo de desenvolvimento Mythbuntu espelha um pouco o do Ubuntu.

Conheça outras distribuições interessantes e úteis

Conheça melhor a distribuição Mythbuntu

Para saber mais sobre a distribuição Mythbuntu, clique nesse link.

Baixe e experimente o Mythbuntu

A imagem ISO do Mythbuntu já pode ser baixada acessando o link acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Instalando os conjuntos de ícones Moka e Faba no Ubuntu

Instalando os conjuntos de ícones Moka e Faba no Ubuntu

A equipe do Projeto Moka lançou mais uma versão dos conjuntos de ícones Moka e Faba. Se você quiser experimentar eles em seu desktop, veja aqui como instalar essas versões no Ubuntu.


Os conjuntos de ícones Moka e sua variante Faba são capazes de oferecer um excelente suporte para o ambiente de desktop Unity, Gnome Shell, Xfce etc. Eles são conjuntos de ícones de código aberto (desenvolvido no portal Github) concebidos para proporcionar um estilo plano mínimo, usando formas e cores simples.

Instalando os conjuntos de ícones Moka e Faba no Ubuntu

Ícones Moka

Instalando os conjuntos de ícones Moka e Faba no Ubuntu

Ícones Faba

Instalando os conjuntos de ícones Moka e Faba no Ubuntu

Instalando os conjuntos de ícones Moka e Faba no Ubuntu

Conheça melhor os conjuntos de ícones Moka e Faba

Para saber mais sobre o conjunto de ícones Moka e Faba, clique nesse link.

Instalando os conjuntos de ícones Moka e Faba no Ubuntu e derivados

Para instalar os conjuntos de ícones Moka e Faba no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:moka/daily

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o conjunto de ícones Moka, use o seguinte comando:

sudo apt-get install moka-icon-theme

Passo 5. Para instalar o conjunto de ícones Faba, use o comando:

sudo apt-get install faba-icon-theme faba-mono-icons

Como instalar o tema manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Desinstalando os conjuntos de ícones Moka e Faba no Ubuntu e derivados

Para desinstalar os conjuntos de ícones no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para desinstalar o conjunto de ícones Moka, use o seguinte comando:

sudo apt-get remove moka-icon-theme

Passo 3. Para desinstalar o conjunto de ícones Faba, use o comando:

sudo apt-get remove faba-icon-theme

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como colocar o Nemo como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

Como colocar o Nemo como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

Se você quer substituir o Nautilus pelo Nemo, veja aqui como colocar ele como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu.


Nemo é um fork completo do Nautilus e sua meta é estender a experiência de usuário em gerenciamento de arquivos do ambiente Cinnamon para outros ambientes.

Como colocar o Nemo como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

Como algumas pessoas não gostam das mudanças que tem sido feitas no Nautilus, o Nemo pode ser uma boa alternativa para substituir o gerenciador de arquivo padrão do Ubuntu, para esses, mostrarei como fazer isso.

Conheça melhor o Nemo

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Colocando o Nemo como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

Se você ainda não está com o Nemo instalado, você pode fazer isso usando a Central de programas ou o comando sudo apt-get install nemo. No entanto, em versões mais antigas, faça isso acessando esse link.

Depois, para tornar o Nemo o gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Execute os comandos abaixo para alterar o gerenciador de arquivos padrão do sistema:

xdg-mime default nemo.desktop inode/directory application/x-gnome-saved-search
gsettings set org.gnome.desktop.background show-desktop-icons false
gsettings set org.nemo.desktop show-desktop-icons true

Passo 3. Agora digite o comando abaixo para verificar se o Nemo é realmente o atual gerenciador de arquivos padrão.

xdg-mime query default inode/directory

Passo 4. Se você se arrepender da mudança, basta executar os comandos abaixo para que o Nautilus volte a ser o gerenciador de arquivos padrão do sistema:

xdg-mime default nautilus*.desktop inode/directory application/x-gnome-saved-search
gsettings set org.nemo.desktop show-desktop-icons false
gsettings set org.gnome.desktop.background show-desktop-icons true

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Conheça algumas maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Se você gosta de baixar vídeos de sites de stream para guardar em seu PC, conheça algumas maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux.


As pessoas gostam de baixar vídeos do YouTube e outros serviços de stream, principalmente para manter uma cópia local deles, não importando o quanto isso possa ser difícil as vezes.

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Felizmente, no Linux existem muitas ferramentas para fazer isso sem complicações e irei mostrar sete delas. A boa noticia é que quase todas as ferramentas citadas, além do YouTube, oferecem suporte a outros sites populares como o Dailymotion, Vimeo, Metacafe, Liveleak, Blip.tv, Break.com e vários outros.

Conheça algumas maneiras fáceis de baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Youtube-dl

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

YouTube-DL com sua interface gráfica

Ferramentas de linha de comando são consideradas por muitos usuários improdutivas e nada práticas, mas o Youtube-dl está aí para provar o contrário. O aplicativo é a maneira mais fácil e prática de baixar vídeos do YouTube no Ubuntu. É rápido e ágil, obviamente.

E não se engane, ele tem uma gama bastante ampla de funcionalidades. Mas se tudo que você precisa é baixar a versão de melhor qualidade de um determinado vídeo, abra o Terminal e digite:  “youtube-dl linkdovideo”.

O aplicativo vem com muitos recursos úteis, ele traz opções para especificar a qualidade/formato de vídeo, adicionar o título original para o nome do arquivo de vídeo baixado, suportar proxy, extrair automaticamente áudio de vídeos baixados e muito mais.

Além disso, ele suporta YouTube (além de vídeos individuais também suporta listas de reprodução, pesquisas e vídeos do usuário), metacafe.com, vídeo do Google (incluindo pesquisas), Pinsthotobucket, Dailymotion, DepositFiles, blip.tv, Vimeo, myvideo.de, The Daily Show / Colbert Nation, The Escapist, CollegeHumor, arte.tv, Soundcloud, xvideos, infoq, mixcloud, Stanford Open Content, Youku, MTV, Xnxx, Google Plus, hotnewhiphop.com, auengine.com, gamespot.com, RingTV, wat.tv, traileraddict.com, tu.tv, instagram.com, Statigr.am, break.com, tudou.com, Jukebox, Wimp.com, CSpan, 3sat, brightcove.com e archive.org e há também um downloader genérico que funciona com alguns outros sites.

Conheça melhor o Youtube-dl

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Youtube-dl

Para instalar o Youtube-dl, acesse esse tutorial:
Instale Youtube-dl no Ubuntu e baixe vídeos em vários sites de um jeito bem simples e rápido.

Mais sobre o Youtube-dl

YouTube-Indicator

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Youtube Indicator

YouTube-indicador é um aplicativo que permite baixar vídeos do YouTube através de um applet indicador no painel do ambiente Unity no Ubuntu. Ele fornece uma nova maneira de baixar vídeos do YouTube: monitorando a área de transferência.

Quando ele detecta que você copiou um link no padrão do YouTube (por exemplo, https://www.youtube.com/watch?v=FoyWw0gICQ0), aparece uma caixa de diálogo pedindo para o usuário selecionar o formato ou formatos em que ele deseja fazer o download do vídeo. Depois de clicar em OK, o programa baixa o vídeo ou vídeos silenciosamente (usando o youtube-dl, sem feedback visual) na pasta padrão de salvamento ou na pasta pessoal do usuário.

Conheça melhor o YouTube-Indicator

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o YouTube-Indicator

Para instalar o YouTube-Indicator, acesse esse tutorial:
Baixe vídeos do YouTube e de outros serviços com o YouTube-Indicator.

Mais sobre o YouTube-Indicator

ClipGrab

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Clipgrab

ClipGrab é uma ferramenta gráfica simples que permite que você faça busca e download de vídeos do YouTube, Vimeo, Metacafe, e outros sites de vídeo. Ele permite salvar formato de vídeo original ou converter para MPEG4, MP3, WMV, OGG. Ele também suporta vídeos HD 1080p, claro, se o ffmpeg ou avconv estiver instalado.

Conheça melhor o ClipGrab

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o ClipGrab

Para instalar o ClipGrab, acesse esse tutorial:
Como instalar o ClipGrab Youtube Downloader para baixar vídeos.

Mais sobre o ClipGrab

4K Video Downloader

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

4K Video Downloader

4K Video Downloader é um aplicativo que permite baixar conteúdo do YouTube e outras plataformas de vídeo, fazer backup de fotos Instagram, converter vídeo para mp3, e para criar e compartilhar apresentações. A ferramenta pode pegar vídeos do YouTube, Vimeo, Facebook e Dailymotion, além de possuir versões para Windows, Mac e Linux.

Conheça melhor o 4K Video Downloader

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o 4K Video Downloader

Para instalar o 4K Video Downloader no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o 4K Video Downloader no Linux

Mais sobre o 4K Video Downloader

No Post found.

StreamStudio

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

StreamStudio

StreamStudio é um aplicativo de streaming de vídeo multiplataforma baseado no webkit e desenvolvido usando tecnologias web como o HTML5, JavaScipt e CSS. Com ele, você pode acessar e baixar vídeos da internet de boa parte dos mais famosos sites de vídeo como YouTube e DailyMotion, tudo isso a partir do seu desktop.

Conheça melhor o StreamStudio

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o StreamStudio

Para instalar o StreamStudio, acesse esse tutorial:
Baixar vídeos da internet – instale e experimente StreamStudio.

Mais sobre o StreamStudio

YouTube Viewer

Baixar vídeos do YouTube (e outros) no Linux

Youtube Viewer

YouTube Viewer é um aplicativo escrito em Perl que podem ser usados para pesquisar, reproduzir e baixar vídeos do YouTube. O programa possui uma interface gráfica, baseada em GTK2 e outra de linha de comando e oferece uma ampla gama de recursos, como uma pesquisa avançada, navegação de categorias do YouTube, visualização de suas assinaturas, vídeos favoritos ou recomendados, visualização completa das informações de vídeo, download de vídeo (com opções de qualidade) e muito mais.

Conheça melhor o YouTube Viewer

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o YouTube Viewer

Para instalar o YouTube Viewer, acesse esse tutorial:
YouTube Viewer: um completo cliente YouTube para Linux.

Mais sobre o YouTube Viewer

Como baixar vídeos do youtube e outros serviços no navegador

Mas se você quiser baixar diretamente no seu navegador, utilize serviços online como o ClipConverter.cc, SaveFrom.net e diversas outras opções que existem na web.

Entretanto, na maioria dos casos, esses serviços utilizam plugins como o Flash Player, Java e outros recursos, que você pode instalar usando os tutoriais abaixo:

Instalando o Flash player no Linux
Oracle Java no Ubuntu: Como instalar as versões 6, 7 ou 8
Instalar Java no Linux: veja como fazer isso manualmente
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões

Se você tiver algum problema por falta do ffmpeg, dê uma olhada nesses tutoriais:

Finalmente, caso você conheça alguma outra opção que permita baixar vídeos do YouTube, coloque nos comentários que ela poderá ser colocada em uma nova atualização desse texto. Participe!

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar um driver Nvidia e outros assuntos relacionados

Como instalar a última versão do driver Nvidia no Linux

Depois de algumas postagens sobre a instalação de drivers da Nvidia e outros assuntos relacionados, resolvi juntá-los e transformar o assunto em mais uma série.


NVIDIA é uma multinacional americana com sede em Santa Clara, no estado da Califórnia, que fabrica peças de computador, e é mais popularmente conhecida por sua série de placas de vídeo GeForce.

driver Como instalar um driver Nvidia e outros assuntos relacionados

Mas apesar da fama, a empresa na verdade não desenvolve as placa de vídeo, ela produz apenas o “núcleo” das placas, deixando a montagem para outras companhias, dessa forma, ela pode se focar no cerne do seu negócio.

A empresa também é uma das poucas que produz drivers para Linux, mas apesar de todo o esforço dela, nem sempre é fácil instalar o driver de suas placas no sistema. Para ajudar os usuários desse sistema, sempre que posso publico algo relacionado a driver Nvidia.

Agora, todos os posts desse assunto ficarão listados nessa postagem. Dessa forma, toda vez que sair um novo post sobre o assunto, ele irá compor essa lista e ficará mais fácil de ser localizado pelos leitores.

Para facilitar o acesso, o link para acessar essa séria ficará na barra lateral do site (no item “Conheça essas séries”) e no final das próximas postagens.

Postagens sobre driver Nvidia e outros assuntos relacionados

Abaixo está a listagem, espero que gostem e que ela seja muito útil a todos.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o app de diário RedNotebook no Ubuntu

Como instalar o app de diário RedNotebook no Ubuntu

Procurando uma ferramenta que lhe permita armazenar informações diárias de sua rotina para consultar depois? Então instale e experimente o app de diário RedNotebook.


Para aqueles que nunca ouviram falar do RedNotebook, o programa é praticamente um diário multiplataforma e até uma revista, livre e moderna.

Como instalar o app de diário RedNotebook no Ubuntu

O programa possui uma navegação baseada em calendário, modelos personalizáveis, funcionalidade de exportação e nuvens de palavras. Com ele, você também pode formatar, colocar tag e procurar as suas entradas.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o app de diário RedNotebook

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Para entender melhor o funcionamento do aplicativo, dê uma olhada no vídeo abaixo:

Como instalar o app de diário RedNotebook no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o app de diário RedNotebook no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:rednotebook/stable

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install rednotebook -y

Como instalar o app de diário RedNotebook manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite rednotebook no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o app de diário RedNotebook no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o app de diário RedNotebook no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:rednotebook/stable --remove
sudo apt-get remove rednotebook
sudo apt-get autoremove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Hardware open source: instale o editor Fritzing no Ubuntu

Se você gosta de criar circuitos (preferencialmente com hardware open source), experimente instalar o editor Fritzing no Ubuntu e exercitar seus conhecimentos em eletrônica.


Fritzing é uma iniciativa de hardware open source que torna a eletrônica acessível e atende a usuários que desejam produzir ou documentar circuitos e experiências.

Hardware open source: instale o editor Fritzing no Ubuntu

A empresa Fritzing oferece uma ferramenta de software (o editor Fritzing), um site da comunidade e os serviços necessários para fomentar um ecossistema criativo que permite aos usuários documentar seus protótipos, compartilhá-los com os outros, ensinar eletrônica em sala de aula e muito mais.

Hardware open source: instale o editor Fritzing no Ubuntu

Com Fritzing você pode facilmente (e com baixo custo, transformar o seu circuito em uma realidade. Pois ele serve para montar protótipos de circuitos elétricos e oferece várias maneiras de criar facilmente a parte que você precisa.

Além disso, o programa é instalado com uma biblioteca de peças e cada nova versão traz novas peças. Essas peças são organizadas em “caixas” que podem ser acessados a partir da paleta de peças à direita.

Basta arrastar uma parte na área de desenho para usá-lo, e, em seguida, adaptar as suas propriedades na paleta info.

Contudo, é importante deixar claro que embora o programa seja de fácil utilização (apenas clicar e arrastar), ele exige certo grau de conhecimento técnico para a composição dos itens de maneira apropriada.

Conheça melhor a iniciativa Fritzing

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link ou assista o vídeo abaixo (em inglês).

Como instalar o editor Fritzing (hardware open source) no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o editor Fritzing no Ubuntu e poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:ehbello/fritzing

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install fritzing

Como instalar o editor Fritzing manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, sempre que quiser iniciar o programa, digite fritzing no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o editor Fritzing no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o editor Fritzing no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:ehbello/fritzing --remove
sudo apt-get remove fritzing
sudo apt-get autoremove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o SMPlayer no Ubuntu e derivados

Como instalar o SMPlayer no Ubuntu e derivados

SMPLayer, o popular reprodutor multimídia, recebeu mais uma atualização. Se você quer usar essa versão, veja como instalar o SMPLayer no Ubuntu e derivados.


SMPlayer é um reprodutor livre para Windows e Linux com codecs embutidos, que reproduz praticamente todos os formatos de áudio e vídeo conhecidos, sem precisar de nenhum codec externo.

Como instalar o SMPlayer no Ubuntu e derivados

Sim. Basta instalar o SMPlayer e você será capaz de reproduzir todos os formatos sem o aborrecimento de procurar e instalar pacotes de codecs.

O programa é baseado em Qt e vem com um monte de recursos, suporte para legendas e redimensionamento de vídeo.

O SMPlayer é uma interface gráfica (GUI) para o premiado MPlayer. Mas além de fornecer acesso às opções mais comuns e úteis do MPlayer, ele adiciona outras funcionalidades interessantes como a possibilidade de reproduzir vídeos do YouTube ou baixar legendas.

Uma das características mais interessantes do programa é que ele se lembra das configurações de todos os arquivos que você reproduz.

Assim, se você começa a ver um filme mas tem que sair, não se preocupe, quando você abrir aquele filme novamente ele continuará do mesmo ponto que você o deixou, e com as mesmas configurações: faixa de áudio, legendas, volume e etc.

Conheça melhor o SMPlayer

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.
Para saber mais detalhes sobre a última versão do SMPlayer, clique nesse link.

Como instalar o SMPlayer no Ubuntu e seus derivados

SMPlayer está disponível nos repositórios oficiais das versões mais recentes do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou através do comando sudo apt-get install smplayer smplayer-skins smplayer-themes. Mas nem sempre é a versão mais recente. Por isso, para ter a última versão desse programa no Ubuntu, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Se não estiver aberto, execute um terminal usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T;
Passo 2. Adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:rvm/smplayer

Passo 2. Se vocẽ preferir a versão com Qt4, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:rvm/smplayer-qt4

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para instalar o programa, use o comando abaixo:

sudo apt-get install smplayer smtube smplayer-themes smplayer-skins

Como instalar o SMPlayer manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite smplayer no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o SMPlayer no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o SMPlayer no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:rvm/smplayer --remove
sudo apt-get remove smplayer smplayer-skins smplayer-themes
sudo apt-get autoremove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Conheça MOC, um reprodutor de música para Linux leve e fácil de instalar

Conheça MOC: um reprodutor de música para Linux leve e fácil de instalar

Que tal experimentar um reprodutor de música extremamente leve, fácil de usar e instalar? Então, conheça MOC.


MOC ou Music On Console (Música no Console/Terminal) talvez seja o reprodutor de música mais leve e fácil de instalar para Linux. Mesmo funcionando no terminal, ele é tão fácil de usar como qualquer outra alternativa de reprodutor de música para Linux. Além disso, o programa está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu.

Conheça MOC: um reprodutor de música para Linux leve e fácil de instalar

MOC reproduz sem problemas, independentemente do sistema ou da carga de I/O, porque ele usa o buffer de saída em um segmento separado.

Para completar, ele fornece reprodução contínua, porque o próximo arquivo a ser reproduzido é pré armazenado em cache enquanto o arquivo atual está sendo reproduzido. Os formatos de arquivos suportados pelo programa incluem MP3, Ogg Vorbis, FLAC, AAC, Musepack, Speex, MOD e WavPack.

Conheça melhor o MOC

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Instalando o MOC no Ubuntu e derivados

A maioria das distribuições Linux baseadas em Debian como o Ubuntu, Linux Mint, elementary OS, Pingus OS e etc, terá MOC como padrão em seus repositórios, por isso, para instalar MOC no Ubuntu e derivados, basta usar a Central de programas ou fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Agora instale o programa com o comando:

sudo apt-get install moc moc-ffmpeg-plugin

Pronto! O MOC está instalado e pronto para ser usado, para isso, digite no terminal: mocp
Se precisar de ajuda, tecle “h” e para sair, “q”.

Desinstalando o MOC no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o MOC no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove moc
sudo apt-get autoremove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


28 de abril de 2017

Como instalar o SubDownloader no Ubuntu para baixar legendas

Como instalar o SubDownloader no Ubuntu para baixar legendas

Se você gosta de filmes e séries e precisa baixar legendas para eles, experimente instalar o SubDownloader para facilitar a sua vida.


SubDownloader é um programa de código aberto que automaticamente encontra e faz o download de legendas para seus filmes. Ele baixa pastas inteiras de filmes com apenas um clique em poucos segundos. Com ele, encontrar legendas para seus filmes ou séries fica muito fácil, pois você nem mesmo precisa pesquisar por título, basta apenas um clique sobre a pasta ou arquivo e ele irá encontrar as legendas automaticamente para você.

Como instalar o SubDownloader no Ubuntu para baixar legendas

Conheça melhor o SubDownloader

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o SubDownloader no Ubuntu e seus derivados para baixar legendas

Para instalar o SubDownloader no Ubuntu você pode usar a Central de programas, ou faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install subdownloader

Instalando manualmente o SubDownloader no Ubuntu e derivados para baixar legendas

Para instalar manualmente o SubDownloader no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Use o comando abaixo para baixar a arquivo de instalação do programa:

wget https://launchpad.net/subdownloader/trunk/2.0.18/+download/subdownloader_2.0.18_all.deb -O subdownloader.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i subdownloader.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f -y

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite subdownloader no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o SubDownloader no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o SubDownloader no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove subdownloader
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como ler ebooks no terminal usando a ferramenta ePub

Como ler ebooks no terminal usando a ferramenta ePub

Que ler seus livros digitais no PC em uma tela bem conveniente? Então veja como ler ebooks no terminal usando a ferramenta epub.


Existem muitas pessoas que, diariamente, leem livros digitais ou ebooks em seus pc´s ou em dispositivos móveis, como leitores de ebook, tablets e assim por diante.

Como ler ebooks no terminal usando a ferramenta ePub

Nos repositórios oficiais das principais distribuições Linux estão disponíveis diferentes softwares dedicados à leitura e à gestão de ebooks. Entre os mais populares está o Calibre, que permite até sincronizar os livros digitais com leitores de ebook.

Alternativamente, também é possível usar o terminal para ler os livros digitais com o aplicativo ePub, uma ferramenta de código aberto escrita em Python.

Ler um ebook no terminal pode vir a calhar, por exemplo, no caso de pessoas que possuem um computador ultrapassado ou apenas com poucos recursos ou até mesmo quando o usuário não quer mais instalar grandes pacotes somente para ler um livro.

Para fazer isso, a melhor opção é a ferramenta ePub, que nos permite visualizar e ler facilmente os livros diretamente em um terminal, aproveitando o velho padrão de telha de fundo preto com letras brancas (conveniente, não é mesmo?).

Como ler ebooks no terminal usando a ferramenta ePub

Conheça melhor o epub

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como ler ebooks no terminal usando a ferramenta epub

Para poder ler ebooks no terminal, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Para utilizar a ferramentas epub, primeiro é preciso instalar o pacote python-BeautifulSoup. Para fazer isso usando os repositórios oficiais das principais distribuições Linux, Ubuntu, Debian e derivados, basta digitar o comando:

sudo apt-get install python-beautifulsoup

Passo 3. Agora, basta baixar a ferramenta epub, usando o comando:

wget https://raw.githubusercontent.com/rupa/epub/master/epub.py

Passo 4. Para ler um ebook no termminal, basta usar o comando abaixo, substituindo nomedoebook.epub pelo nome completo do arquivo epub (com o caminho, se for necessário), como por exemplo, python epub.py linux.epub;

python epub.py nomedoebook.epub

Como usar a ferramenta epub para ler ebooks no terminal

Quando estiver com o programa na tela, os comandos de teclado dele são os seguintes:
Esc/q:Sair
Tab/Seta esquerda/direita:alternar entre as visualizações de TOC e dos capítulos
Visualização de TOC:
Up:uma linha
Down:para baixo uma linha
PgUp: uma página
PgDown: para baixo uma página
Visualização de capítulos:
Up: uma página
Down:para baixo uma página
PgUp: uma linha
PgDown: para baixo uma linha

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como mudar o ícone de um aplicativo no ambiente Unity

Como mudar o ícone de um aplicativo no ambiente Unity

Se você não gosta de um determinado ícone de aplicativo, saiba que é possível mudá-lo. Para fazer isso, veja como mudar o ícone de um aplicativo no ambiente Unity.


Essa é uma dica rápida voltada principalmente para iniciantes, que irá mostrar como mudar o ícone de um aplicativo no ambiente Unity (pode funcionar também em outros ambientes).

Como mudar o ícone de um aplicativo no ambiente Unity

No ambiente Unity, lançadores de aplicações são arquivos com uma extensão “.Desktop”. Assim, para mudar o ícone de uma determinada aplicação, você pode editar o arquivo “.Desktop” do mesmo.

Normalmente, esses arquivos são armazenadas em “/usr/share/applications/”. Entretanto, alguns aplicativos que estão instalados no diretório do usuário, podem ser encontrados no diretório “~/.local/share/applications/”.

Como lida diretamente com arquivos, esse truque irá funcionar no Ubuntu 16.10, 16.04, 15.10, 15.04, 14.10, 14.04, Ubuntu 13.10, Ubuntu 12.04 e futuras versões do Ubuntu que usam o ambiente Unity.

A dica abaixo também pode funcionar em outros ambientes além do Unity. Claro, tudo dependerá do suporte a arquivos “.Desktop” desse ambiente.

Como mudar o ícone de um aplicativo no ambiente Unity

Para mudar o ícone de um aplicativo no ambiente Unity, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Vá para a pasta “/usr/share/applications”com o seguinte comando:

cd /usr/share/applications

Passo 3. Para listar todos os arquivos disponíveis nesse diretório, use esse comando.

ls |more

Passo 4. Abra o arquivo “.desktop” que deseja mudar, usando o comando a seguir. Nesse exemplo, será o arquivo do Firefox. Por isso, mude o firefox.desktop para o nome do arquivo que quer mudar e se for preciso usar outro editor de textos, substitua “gedit” pelo nome dele;

sudo gedit firefox.desktop

Passo 5. Na janela do gedit, procure pela linha que começa com “Icon =” e mude seu valor para o caminho exato para seu novo arquivo de ícone. A imagem a ser usada deve ser preferencialmente um arquivo no formato PNG com tamanho em 64×64 ou 128×128;

Como mudar o ícone de um aplicativo no ambiente Unity

Passo 6. Depois de modificar e salvar as alterações, feche o gedit, abra o painel do Unity e procure o lançador para ver o resultado:

Como mudar o ícone de um aplicativo no ambiente Unity

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Se seu acesso a Internet é cabeado e você não tem um roteador Wi-Fi para distribuir o acesso da conexão, saiba que é possível usar um computador ou notebook para fazer isso. E se você usa Ubuntu, fica mais fácil ainda.


Nem todo mundo dispõe de um roteador para compartilhar uma conexão de Internet. Se esse é o seu caso, tudo que você precisa é de um PC rodando o Ubuntu e que tenha uma placa de rede Ethernet e outra Wi-Fi.

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

O procedimento a seguir serve para transformar um computador conectado a internet pela rede cabeada, em um roteador Wi-fi. Com isso, é possível compartilhar a conexão, sem precisar instalar um roteador dedicado, usando o PC para essa função.

Claro, essa opção não serve para todos, apenas para quem tem um necessidade especifica que se enquadre nesse cenário.

Para começar, conecte o cabo da conexão de Internet na entrada Ethernet do computador e depois, siga os passos deste tutorial para compartilhar a conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu.

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Passo 1. Abra as “Configurações do sistema”, clicando em seu ícone na barra lateral do Ubuntu;

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Passo 2. Em “Configurações do sistema”, clique na opção “Rede”;

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Passo 3. Na próxima tela, clique na opção “Sem fio” e depois no botão “Usar como ponto de acesso…”;

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Passo 4. Na tela que aparece, clique no botão “Ativar”;

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Passo 5. Serão exibidas as informações da nova rede. Use elas para se conectar na rede sem fio em outros computadores ou dispositivos móveis.

Como compartilhar uma conexão de Internet cabeada pela Wi-Fi no Ubuntu

Pronto. Qualquer outro aparelho já pode se conectar na sua rede sem fio e acessar a Internet.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Instale o HDRMerge e crie imagens HDR (Raw Exposure Merging) no Ubuntu

Instale o HDRMerge e crie imagens HDR (Raw Exposure Merging) no Ubuntu

Quer criar imagens HDR usando imagens raw? Então experimente instalar o HDRMerge em seu sistema.


Para quem não conhece, HDR (High Dynamic Range ou Grande Alcance Dinâmico) são métodos utilizados em fotografia, computação gráfica ou processamento de imagens em geral, para alargar o alcance dinâmico (o trecho entre o valor mais escuro e o mais claro de uma imagem).

Instale o HDRMerge e crie imagens HDR (Raw Exposure Merging) no Ubuntu

A intenção dessa técnica é representar precisamente nas imagens desde as áreas mais claras, possivelmente iluminadas diretamente por uma fonte de luz até áreas mais escuras, possivelmente em sombras. Para isso, utilizam-se diferentes tempos de exposição numa série de fotografias para atingir o grande alcance dinâmico.

Curiosamente, a técnica foi desenvolvida na década de 1940 por Charles Wyckoff, para fotografar detalhadamente explosões nucleares, e se popularizou com a ascensão da fotografia digital e softwares que facilitam a criação de imagens com grande alcance dinâmico.

HDRMerge é uma ferramenta open source que faz a fusão de imagens raw realmente simples. Ele funde duas ou mais imagens raw em um único arquivo raw com uma faixa dinâmica estendida.

Ele pode importar qualquer imagem raw suportada pelo LibRaw e produz uma imagem DNG 1.4 com dados de ponto flutuante. A saída bruta é construída a partir dos pixels da entrada com menos ruídos, para que as sombras mantenham o máximo de detalhes possível.

Para usar HDRMerge, as imagens de origem devem ser feitas com a mesma câmera. Uma vez que as imagens de entrada são carregadas, a interface apresenta uma visualização de 100% do resultado. Os pixels selecionados de cada imagem de entrada são pintados com uma cor diferente.

Esta ferramenta também oferece uma barra de ferramentas inferior que permite para remover ‘fantasmas’ da imagem resultante. Você pode então verificar os resultados, e uma vez que a visualização for satisfatória, a opção “Save HDR…” (Salvar HDR) do menu arquivo, irá gerar um arquivo DNG de saída.

Conheça melhor o HDRMerge e crie imagens HDR

Para saber mais sobre o programa, clique nesse link.

Como instalar o HDRMerge no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o HDRMerge no Ubuntu e seus derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:dhor/myway

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install hdrmerge

Como instalar o HDRMerge manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite hdrmerge no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o HDRMerge no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o HDRMerge no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:dhor/myway --remove
sudo apt-get remove hdrmerge
sudo apt-get autoremove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


De olho no tempo – instale o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados

De olho no tempo - instale o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados

Quer ficar de olho no tempo a partir do seu desktop? Então veja como instalar o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e sistemas derivados.


Stormcloud, era um elegante aplicativo de tempo para desktop que foi abandonado por seu criador, e que felizmente, agora está sendo ressuscitado. Seu novo nome é Cumulus.

De olho no tempo - instale o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados

Na prática, Cumulus é um fork do Typhoon que é uma versão comunitária bifurcada do Stormcloud 1.1. Como o Typhoon não está em desenvolvimento ativo, Daryl Bennett ressuscitou o aplicativo de tempo com a ajuda do desenvolvedor do Typhoon em seu tempo livre, e o chamou de Cumulus.

Cumulus já está disponível para download e, sem choque, ele funciona exatamente como os seus antecessores. É uma aplicação do tempo simples, com uma estética limpa. Previsões são alimentadas pela mais recente API Yahoo! Weather.

E se você nunca experimentou o Stormcloud ou Typhoon, você terá uma surpresa. Cumulus é tão fácil de usar quanto seus antecessores.

Ele tem um design arrojado, limpo, faz uso pesado de ícones simbólicos de tempo, exibe velocidade do vento e umidade, e coloca uma previsão de 5 dias com temperaturas máximas e mínimas.

Para configurar o aplicativo, basta executá-lo e abrir seu painel de configuração, e configurá-lo ao seu gosto. Lá você pode:

  • Definir um local;
  • Escolher a temperatura (Celsius, Fahrenheit, ou kelvin);
  • Escolher a unidade de velocidade do vento (milhas por hora, quilômetros por hora ou metros por segundo);Escolher o emblema de alternância do Lançador do Unity;
  • Definir uma cor de fundo personalizada;
  • Ajustar a opacidade.

    De olho no tempo - instale o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados

O aplicativo foi atualizado recentemente, e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o Cumulus Weather

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Cumulus Weather no Linux Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o Cumulus Weather no Linux Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome cumulus.deb:

wget https://github.com/kd8bny/cumulus/releases/download/v1.0.0/cumulus_1.0.0_amd64.deb -O cumulus.deb

Passo 4. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i cumulus.deb

Passo 5. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 6. Se você tiver problemas ao executivo o aplicativo, use o comando a seguir para instalar o gir1.2-webkit-3.0:

sudo apt install gir1.2-webkit-3.0

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite cumulus no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados

Para desinstalar o Cumulus Weather no Ubuntu, Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove cumulus*
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o Boot Repair no Ubuntu

Como instalar o Boot Repair no Ubuntu

Problemas com a inicialização do Grub? Veja aqui como instalar o Boot Repair no Ubuntu e comece a usá-lo para resolver dificuldades de boot no gerenciador de boot.


O gerenciador de boot ou bootloader é uma ferramenta indispensável para o nosso sistema operacional, pois nos permite iniciar nossa distribuição corretamente. Mas as vezes, pode ocorrer do bootloader Grub não funcionar corretamente.

Como instalar o Boot Repair no Ubuntu

Isso pode acontecer por várias razões, seja por causa de erros na inicialização ou uma distribuição que não é exibida corretamente em PC com dual boot ou mais.

Para resolver os problemas com o bootloader GRUB você pode usar o Boot Repair, um programa de código aberto com o qual é possível restaurar ou reinstalar o GRUB facilmente através de uma interface gráfica simples e intuitiva.

É possível usar Boot Repair em um Live CD/DVD ou USB flash drive, com a possibilidade de atualizar o bootloader, apagar um kernel específico e muitas outras operações avançadas.

Conheça melhor o Boot Repair

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Boot Repair no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o Boot Repair no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:yannubuntu/boot-repair

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install boot-repair

Como instalar o programa manualmente ou em outras distros

Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite repair no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Boot Repair no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Boot Repair no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove boot-repair
sudo apt-get autoremove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Instalando um aplicativo de restauração do sistema no Ubuntu e outras distros

Instalando um aplicativo de restauração do sistema no Ubuntu e outras distros

Se você está precisando de um aplicativo de restauração do sistema, experimente o TimeShift. Conheça algumas particularidades desse programa, e veja como instalar ele no Ubuntu e derivados.


TimeShift é um aplicativo Linux que fornece uma funcionalidade de restauração do sistema, algo semelhante ao recurso “Restauração do sistema” no Windows e a ferramenta “Time Machine” no Mac OS.

Instalando um aplicativo de restauração do sistema no Ubuntu e outras distros

O programa faz instantâneos (snapshots) incrementais do sistema de arquivos em intervalos regulares e esses instantâneos podem ser restaurados mais tarde para trazer o sistema para o estado exato em que se encontrava no momento em que o snapshot foi tirado.

Instalando um aplicativo de restauração do sistema no Ubuntu e outras distros

Os instantâneos são feitos usando rsync e hard-links, dessa forma, os arquivos comuns são compartilhados entre os snapshots, o que economiza espaço em disco.

Cada instantâneo é um backup completo do sistema, que pode ser visualizado com um gerenciador de arquivos.

Instalando um aplicativo de restauração do sistema no Ubuntu e outras distros

Mas o TimeShift é projetado para proteger apenas os arquivos e configurações do sistema. Arquivos do usuário, como documentos, imagens e música são excluídos do processo e isso garante que os arquivos permaneçam inalterados quando você restaurar o sistema para uma data anterior.

Instalando um aplicativo de restauração do sistema no Ubuntu e outras distros

Para completar, o aplicativo suporta o backup e restauração de partições criptografados com LUKS (Linux Unified Key Setup). Além desse importante recurso, ele pode ser usado em linha de comando para restaurar, listar e apagar snapshots (instantâneos). Como nos exemplos a seguir:

timeshift --restore #interativo
timeshift --restore --snapshot "2015-01-21_19-28-43" --backup-device /dev/sda2 --target-device /dev/sda1 --skip-grub
timeshift --delete #interativo
timeshift --delete --snapshot "2015-01-21_19-28-43"
timeshift --delete-all #completely remove all snapshots

Conheça melhor a ferramenta de restauração do sistema TimeShift

Para saber mais sobre o Timeshift, clique nesse link.

Instalando um aplicativo de restauração do sistema no Ubuntu e derivados

Para instalar o aplicativo de restauração do sistema TimShift no Ubuntu e derivados devem fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository -y ppa:teejee2008/ppa

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install timeshift

Passo 5. Para instalar o programa em sistemas de aquivos Btrfs, use o comando abaixo;

sudo apt-get install timeshift-btrfs

Passo 6. Caso precise desinstalar, use os comandos abaixo:

sudo apt-get remove timeshift timeshift-btrfs
sudo apt-get autoremove

Instalando o TimeShift em outras distribuições

Para Fedora, OpenSuse, ArchLinux e outros sistemas operacionais Linux, você pode baixar o arquivo .run, disponível no site do TimeShift. Dependendo da distribuição que você estiver usando, você pode precisar instalar pacotes para satisfazer as seguintes dependências:libgee json-glib rsync.

Independente disso, para instalar o aplicativo de restauração do sistema Timeshift em outras distribuições Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se for usar a versão normal do programa e seu sistema for de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o script de instalação do programa:

wget https://dl.dropboxusercontent.com/u/67740416/linux/timeshift-latest-i386.run?dl=1 -O timeshift-latest.run

Passo 4. Se for usar a versão normal do programa e seu sistema for de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o script de instalação do programa:

wget https://dl.dropboxusercontent.com/u/67740416/linux/timeshift-latest-amd64.run?dl=1 -O timeshift-latest.run

Passo 5. Se for usar a versão do programa com suporte a sistemas de arquivos BTRFS e seu sistema for de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o script de instalação do programa:

wget http://dl.dropbox.com/u/67740416/linux/timeshift-btrfs-latest-i386.run?dl=1 -O timeshift-latest.run

Passo 6. Se for usar a versão do programa com suporte a sistemas de arquivos BTRFS e seu sistema for de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o script de instalação do programa:

wget http://dl.dropbox.com/u/67740416/linux/timeshift-btrfs-latest-amd64.run?dl=1 -O timeshift-latest.run

Passo 7. Torne o script executável com o comando:

sudo chmod +x timeshift-latest.run

Passo 8. Para iniciar a instalação, use esse comando:

sudo ./timeshift-latest.run

Passo 9. Caso precise desinstalar, use os comandos abaixo:

sudo timeshift-uninstall

Pronto! Agora sempre que precisar, você pode fazer o backup ou restauração do sistema com essa ferramenta, digitando timeShift no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o XnConvert no Ubuntu, Debian, Fedora e derivados

Como instalar o XnConvert no Ubuntu, Debian e derivados

Precisando converter várias imagens ao mesmo tempo? Então veja com instalar o XnConvert no Ubuntu, Debian, Fedora, OpeSUSE e derivados, e use esse aplicativo.


XnConvert é um conversor de imagens em lote multiplataforma poderoso e livre, que permite a combinação de mais de 80 ações.

Como instalar o XnConvert no Ubuntu, Debian e derivados

O programa é compatível com 500 formatos, incluindo RAW, WebP, OpenEXR, e também para os formatos de imagem mais populares, incluindo: JPG, PNG, TIFF, GIF, BMP, RAW, PSD, JPEG e OpenEXR.

Na prática, XnConvert é uma ferramenta gratuita de conversão de imagem, desenvolvido pela equipe XnSoft (os criadores do app XnViewMP), que usa o módulo de processamento em lote do XnViewMP.

Essa aplicação é excelente em converter várias imagens simultaneamente. Principalmente, devido às suas funções básicas de manipulação de imagem, que permite ao usuário modificar facilmente a opacidade ou a cor das fotos, adicionar filtros ou efeitos diferentes para as fotos.

Conheça melhor o XnConvert

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o XnConvert no Ubuntu e seus derivados via repositório

Para instalar o XnConvert no Ubuntu e derivados (16.04 ou inferior), e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:dhor/myway

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install xnconvert

Como instalar o XnConvert no Ubuntu, Debian e derivados

Quem quiser instalar o programa no Ubuntu, Debian e outros sistemas que suportam arquivos .deb, deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome xnconvert.deb:

wget http://download.xnview.com/XnConvert-linux.deb -O xnconvert.deb

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome xnconvert.deb:

wget http://download.xnview.com/XnConvert-linux-x64.deb -O xnconvert.deb

Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i xnconvert.deb

Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 7. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo apt-get remove xnconvert

Como instalar o XnConvert no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e derivados

Quem quiser instalar o XnConvert no Linux Fedora, OpenSUse, CentOS e outros sistemas que suportam arquivos .rpm, tem de fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome xnconvert.rpm:

wget http://download.xnview.com/XnConvert-linux.i386.rpm -O xnconvert.rpm

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome xnconvert.rpm:

wget http://download.xnview.com/XnConvert-linux.x86_64.rpm -O xnconvert.rpm

Passo 5. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install xnconvert.rpm

Passo 6. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall xnconvert.rpm

ou

sudo dnf install xnconvert.rpm

Passo 7. Para instalar o programa na maioria das distro com suporte a arquivos RPM, use o comando:

sudo rpm -i xnconvert.rpm

Passo 8. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

sudo rpm -e xnconvert*

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, use o atalho dele ou digite xnconvert em um terminal, seguido da tecla TAB.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o Visual Studio Code no Ubuntu

Como instalar o Visual Studio Code no Linux usando pacotes DEB/RPM

Se você quer experimentar o editor de código multiplataforma da Microsoft, veja aqui como instalar o Visual Studio Code no Ubuntu.


Visual Studio Code foi criado usando uma mistura de tecnologias de código aberto e baseadas na web, como o Chromium, o Electron app framework do GitHub, e próprio editor Monaco, da Microsoft.

Como instalar o Visual Studio Code no Ubuntu

Mas é preciso deixar claro que a ferramenta é um editor de código, não uma IDE completa (Ambiente de Desenvolvimento Integrado), como seu homônimo Visual Studio.

Características do Visual Studio Code

O Visual Studio Code oferece suporte a coloração e realce de sintaxe completa e todas as características padrão de um bom editor de código, para trabalhar com C#, C++, PHP, Java, HTML, CSS, Markdown, SASS, JSON e Python.

Ele também fornece integração com o Github, semelhante ao encontrado no Google Chrome Dev Editor e suporte IntelliSense alimentado por projetos open source para trabalhar mais rápido (por exemplo, correção de erro de digitação, preenchimento automático, etc.) com suporte.

Conheça melhor o Visual Studio Code

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Visual Studio Code no Ubuntu e seus derivados

O aplicativo está disponível para instalação usando o Ubuntu Make, uma ferramenta de linha de comando que permite instalar uma série de IDEs facilmente.
Para instalar o Visual Studio Code no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda estiver usando o Ubuntu 14.04 e 14.10, adicione o repositório do programa com este comando. Em versões mais recentes, pule esse passo;

sudo add-apt-repository ppa:ubuntu-desktop/ubuntu-make

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install ubuntu-make

Passo 5. Para instalar o Visual Studio Code no Ubuntu, use esse comando;

umake web visual-studio-code

Como instalar o Visual Studio Code manualmente em outras distros

Para aqueles que querem instalar o Visual Studio Code manualmente em outras distros, basta dar uma olhada nesse tutorial:
Como instalar o Visual Studio Code no Linux

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vscode no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Visual Studio Code no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Visual Studio Code no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

umake web visual-studio-code --remove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o Adobe Flash Player no Linux manualmente

Como instalar o Adobe Flash Player no Linux manualmente

Se você instalou uma distribuição Linux e na hora de navegar, ficou faltando o Adobe Flash Player para poder acessar algumas páginas, veja aqui como instalar esse plugin, independente de qual seja o Linux usado.


Adobe Flash Player é um plugin para navegador e um aplicativo com tempo de execução e muitos recursos para a Internet que oferece uma experiência web mais rica.

Como instalar o Adobe Flash Player no Linux manualmente

Além de disponibilizar versões do Flash especificas para as principais distribuições da atualidade, a Adobe também fornece um pacote de instalação que pode ser usado nas outras distros.

Diferente dos outros tutoriais que já existem no Blog, onde normalmente é mostrada a instalação usando repositórios, nesse tutorial, será mostrado como instalar manualmente o Adobe Flash no Linux, usando exatamente esse pacote.

Se quiser ver outras informações sobre a instalação do Adobe Flash no Linux, veja esses mais tutoriais nesse artigo:
Instalando o Flash player no Linux: tudo que já foi publicado sobre o assunto

Atenção! a partir da versão 52, o Firefox não suporta mais plugins NPAPI, portanto, nessa versão você deve instalar o Flash PPAPI

Para mais detalhes sobre o assunto, leia esse artigo:
Firefox não suporta plugins NPAPI (Java, Flash e etc)? Veja como resolver

Conheça melhor o Adobe Flash Player

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar manualmente o Adobe Flash no Linux

Para instalar manualmente o Adobe Flash no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal como root ou com uma conta de administrador;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits e você utiliza o Google Chrome/Firefox 52 ou superior (ou um derivado deles), use o comando abaixo para baixar o Adobe Flash Player no padrão PPAPI (Pepper Plugin API). Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome flash.tar.gz:

wget https://fpdownload.adobe.com/pub/flashplayer/pdc/25.0.0.148/flash_player_ppapi_linux.i386.tar.gz -O flash.tar.gz

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits e você utiliza o Mozilla Firefox (ou um derivado dele), use o comando abaixo para baixar o Adobe Flash Player no padrão NPAPI (Netscape Plugin Application Programming Interface). Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome flash.tar.gz:

wget https://fpdownload.adobe.com/get/flashplayer/pdc/25.0.0.148/flash_player_npapi_linux.i386.tar.gz -O flash.tar.gz

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits e você utiliza o Google Chrome/Firefox 52 ou superior (ou um derivado deles), use o comando abaixo para baixar o Adobe Flash Player no padrão PPAPI (Pepper Plugin API). Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome flash.tar.gz:

wget https://fpdownload.adobe.com/pub/flashplayer/pdc/25.0.0.148/flash_player_ppapi_linux.x86_64.tar.gz -O flash.tar.gz

Passo 6. Se seu sistema é de 64 bits e você utiliza o Mozilla Firefox (ou um derivado dele), use o comando abaixo para baixar o Adobe Flash Player no padrão NPAPI (Netscape Plugin Application Programming Interface). Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome flash.tar.gz:

wget https://fpdownload.adobe.com/get/flashplayer/pdc/25.0.0.148/flash_player_npapi_linux.x86_64.tar.gz -O flash.tar.gz

Passo 7. Depois de baixar, execute o comando a seguir, para descomprimir o pacote baixado;

tar -zxvf flash.tar.gz

Passo 8. Identifique a pasta de plugins do navegador, olhando a listagem de plugin deles. No caso do Firefox, digite about:plugins na caixa de endereço e tecle “enter”:

Como instalar o Adobe Flash Player no Linux manualmente

Identificando a pasta dos plugins, para instalar o Flash Player

Passo 9. Feche o navegador e depois copie o arquivo libflashplayer.so para o diretório de plugins do navegador, identificado no passo anterior (no exemplo, /usr/lib/mozilla/plugins/);

sudo cp libflashplayer.so /usr/lib/mozilla/plugins/

Passo 10. Copie os arquivos de configurações do Flash Player para o diretório /usr;

sudo cp -r usr/* /usr

Passo 11. Abra o navegador novamente, digite about:plugins na caixa de endereço e tecle “enter”, para conferir se o plugin já está sendo reconhecido e consequentemente, aparecendo na listagem de plugins.

Pronto! Com o Adobe Flash instalado, você já pode navegar em sites que utilizam essa tecnologia, sem ficar com alguns conteúdos.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar f.lux no Ubuntu para cuidar dos olhos

Como instalar f.lux no Ubuntu 15.10 e 16.04

Você passa algumas horas da noite usando o PC? Pois então precisa de uma ajuda para “dormir melhor”, para isso, veja como instalar f.lux no Ubuntu e seus derivados.


f.lux é um aplicativo que muda a temperatura da cor de seu monitor de computador de acordo com a localização e hora do dia, para reduzir a tensão ocular durante o uso noturno e evitar atrapalhar seu sono.

Como instalar f.lux no Ubuntu e seus derivados

O f.lux para Linux é composto de um daemon de linha de comando e um applet indicador, que monitoram o horário do PC e ajustam o temperatura da cor de seu monitor de computador, conforme for necessário.

Conheça melhor o f.lux

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o f.lux no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o f.lux no Ubuntu (15.04 ou superior), e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:nathan-renniewaldock/flux

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install fluxgui

Como instalar o f.lux manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite fluxgui no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o f.lux no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o f.lux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo add-apt-repository ppa:nathan-renniewaldock/flux --remove
sudo apt-get remove fluxgui
sudo apt-get autoremove

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como jogar 2048 no terminal do Linux

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Quer passar o dia relaxando? Então que tal um bom e nostálgico jogo? Melhor que tal jogar 2048 no terminal do Linux? Ficou curioso? Veja a seguir, como fazer isso.


2048 é um jogo nostálgico. Mesmo que na era dos smartphones, os jogos de terminais tenham perdido sua glória (se é que já tiveram isso), ainda existem muitas pessoas que gostam desse tipo de jogo.

Ok! Eu sei que é um tipo de jogo que está meio fora de moda, mas isso não é desculpa para não tentar jogar.

Além disso, esta versão do 2048 para o terminal do Linux é tão boa, que você certamente ficará disposto a lhe dar uma chance, mesmo que você ache que terminal é sinônimo de trabalho sem diversão.

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Caso você não goste tanto de jogos, mas curta programação, dê uma olhada no script, pois ele é um bom exemplo dessa arte.

Conheça melhor o jogo 2048

2048 é um jogo de raciocínio criado em março de 2014 pelo desenvolvedor italiano Gabriele Cirulli. Nele, o objetivo é deslizar peças numeradas em uma grade, combiná-las e criar um azulejo com o número 2048.

Ou seja, a ideia do jogo 2048 é muito simples: juntar os blocos para formar um no valor de 2048. Entretanto, não é tão fácil fazer isso.

É necessário usar o raciocínio para movimentar os blocos da melhor maneira possível e atingir o objetivo antes que você fique sem movimentos. Use as setas do teclado para movimentar os blocos.

Para saber mais sobre esse aplicativo, clique nesse link.

Como jogar 2048 no terminal do Linux

Para instalar e jogar 2048 no terminal do Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Baixe o programa com o comando abaixo. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o no seu PC:

wget https://raw.githubusercontent.com/mydzor/bash2048/master/bash2048.sh

Passo 3. Depois de baixar, torne o script executável com o comando abaixo;

chmod +x bash2048.sh 

Passo 4. Agora, execute o jogo com, chamando o script;

./bash2048.sh

Pronto! Divirta-se e relaxe com esse simples jogo, mas cuidado para não ficar viciado. 🙂

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Instalando o tema BorderLine no Ubuntu e seus derivados

Instalando o tema BorderLine no Ubuntu

Quer um visual bem diferente para o seu desktop? Então experimente instalar o tema BorderLine no Ubuntu e derivados.


O tema Borderline baseia-se em dois temas greybird e pieces, que não estão mais em desenvolvimento. Como o próprio nome diz, este tema exibe linhas em torno das bordas do menus, caixas de diálogo, gerenciador de arquivos, aplicativos e outras janelas.

Instalando o tema BorderLine no Ubuntu

O tema pode ser usado em diferentes ambientes de desktop como o Unity, Cinnamon, Mate, Gnome Fallback/flashback e assim por diante.

Instalando o tema BorderLine no Ubuntu

Instalando o tema BorderLine no Ubuntu

Instalando o tema BorderLine no Ubuntu

Conheça melhor o tema BorderLine

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o tema BorderLine no Ubuntu e derivados

Para instalar o tema BorderLine no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o tema BorderLine usando o seguinte comando:

sudo apt-get install borderline

Como instalar o tema BorderLine manualmente ou em outras distros

Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente, clicando duas vezes nele ou usando esses comandos:

wget https://launchpadlibrarian.net/225807662/borderline_0.6.0.2~wily~NoobsLab.com_all.deb -O borderline.deb
sudo dpkg -i borderline.deb
sudo apt-get install -f

Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Desinstalando o tema BorderLine no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o tema BorderLine no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o tema BorderLine, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove borderline

Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


27 de abril de 2017

Como instalar o Unity Tweak Tool no Ubuntu

Como instalar o Unity Tweak Tool no Ubuntu

Usa o Ubuntu com Unity? Se você quiser fazer mais ajustes no seu sistema para deixá-lo ao seu gosto, veja como instalar o Unity Tweak Tool no Ubuntu.


Unity Tweak Tool é um gerenciador de configurações para o desktop Unity, e também umas das ferramentas de ajustes mas conhecidas.

Como instalar o Unity Tweak Tool no Ubuntu

Com esse utilitário você pode gerenciar seu ambiente Ubuntu mudando temas, ícones, fontes, cursor e assim por diante, e deixar o sistema com a aparência que você deseja.

Uma das grande vantagens de usar Linux é exatamente a flexibilidade que ele oferece na hora de ajustar o sistema para as necessidades do usuário. Nesse quesito, o Ubuntu dispõe de boas ferramentas, sendo o Unity Tweak Tool, uma das mais importantes.

Essa ferramenta de configuração é a mais especifica para o ambiente Unity, e proporciona aos usuários acesso a recursos e opções de configuração do ambiente de trabalho, que normalmente são complicados de achar e modificar, mostrando tudo junto em uma única interface elegante e fácil de usar.

Com Unity Tweak Tool você pode configurar a aparência do lançador do Unity (como por exemplo, mover ele para a parte inferior da tela), mudar os temas, temas de ícones, cursores e fontes.

Além disso, você pode configurar as múltiplas áreas de trabalho e o seu comportamento, escolher os efeitos das janelas e menus, a transparência da barra superior do Unity e muitas outras definições.

Conheça melhor o Unity Tweak Tool

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Unity Tweak Tool no Ubuntu e seus derivados

Unity Tweak Tool está disponível nos repositórios oficiais do Ubuntu e pode ser instalado usando a Central de programas ou usando o comando sudo apt-get install unity-tweak-tool em um terminal.

Quando quiser iniciar o programa, digite unity no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o Unity Tweak Tool no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Unity Tweak Tool no Ubuntu e derivados você também pode usar a Central de programas, ou fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove unity-tweak-tool
sudo apt-get autoremove

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


State of Mind – um fantástico jogo de suspense futurista que está vindo para o Linux

State of Mind - um futurista jogo de suspense que está vindo para o Linux

Conheça State of Mind, um fantástico jogo de suspense futurista construído com Unreal Engine, que está chegando ao Linux via Steam.


State of Mind é um thriller futurista de suspense que se aprofunda na questão do transumanismo. O jogo explora temas de separação, disjunção e da reunificação, em um mundo que está dividido entre uma realidade material distópica (totalitarista e opressiva) e um futuro virtual utópico.

State of Mind - um fantástico jogo de suspense futurista que está vindo para o Linux

Empregando vários personagens jogáveis e dois mundos separados, State of Mind explora o drama existencial que se desenvolve em uma sociedade à beira da existência pós-material.

Mais sobre o jogo State of Mind

No game, o jogador assume o lugar de Richard Nolan, um pai e jornalista de Berlim que descobre que sofreu um acidente. Como resultado disso, ele ainda está vivendo com memórias incompletas.

State of Mind - um fantástico jogo de suspense futurista que está vindo para o Linux

Ao perceber que ele é, literalmente, um homem rasgado, Richard sai em uma busca dramática e perigosa para a salvação.

State of Mind - um fantástico jogo de suspense futurista que está vindo para o Linux

A partir desse momento, Richard pretende se reunir com sua família, bem como com as suas próprias memórias perdidas. Em seu caminho, ele logo percebe que esta viagem não é só sobre ele, mas sobre o futuro da humanidade.

State of Mind - um fantástico jogo de suspense futurista que está vindo para o Linux

Conheça melhor o State of Mind

Para saber mais sobre o o State of Mind, acesse página dele no Steam.
Ou assista o trailer abaixo:

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


3D/CAD no Linux – conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Se você usa o sistema do pinguim e trabalha com a criação e edição de objetos em computador, conheça algumas boas opções de aplicativos 3D/CAD no Linux.


Embora muitos preguem o contrário, o Linux possui muitas aplicações para todo tipo de atividade, e o melhor, sempre com boas alternativas. E isso, não é diferente quando se trata de 3D/CAD.

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Para mostrar o quanto isso é verdadeiro, nesta lista mostrarei algumas aplicações dessa área que estão disponíveis para o Linux. A lista é pequena, mas irá crescer a media que novos programas forem aparecendo. Por isso, fiquem de olho!

CAD/3D no Linux – conheça algumas opções disponíveis no Linux

Abaixo, você conhecerá algumas boas opções de aplicativos CAD/3D no Linux que podem servir para as suas necessidades.

VariCAD

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

VariCAD é um software comercial de CAD 3D/2D, para engenharia mecânica que permite criar, avaliar e modificar arquivos com muita rapidez. Ele trabalha com os formatos de arquivo 2D DWG, DXF, 3D STEP e 2D/3D VariCAD.

O programa é multiplataforma (tem versões para Windows e Linux) compacto, rápido, muito fácil de utilizar e fornece tudo o que é necessário para lidar com projetos.

Como instalar o VariCAD

Para instalar o VariCAD no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o VariCAD no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, openSUSE e derivados

Mais sobre o VariCAD


LibreCad

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

LibreCAD é software livre (GPL) de CAD gratuito e maduro, totalmente abrangente e repleto de funcionalidades. O programa está disponível em mais de 20 línguas e para todos os principais sistemas operacionais, incluindo Microsoft Windows, Mac OS X e Linux (Debian, Ubuntu, Fedora, Mandriva, Suse…).

Dirigido por uma comunidade e com um desenvolvimento aberto a novos talentos e novas ideias, LibreCAD é testado e utilizado diariamente por uma comunidade de usuários, grande e dedicada; Com isso, você também pode se envolver e influenciar o seu desenvolvimento futuro.

Como instalar o LibreCad

Para instalar o LibreCad no Linux, acesse esse tutorial:
CAD gratuito: veja como instalar o LibreCad no Ubuntu e derivados

Mais sobre o LibreCad


FreeCAD

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

FreeCAD é um modelador 3D paramétrico de propósito geral baseada em recursos para CAD, MCAD, CAx, CAE e PLM, o que permite que você modifique facilmente seu projeto, voltando atrás no histórico do seu modelo e mudando seus parâmetros.

Voltado diretamente para engenharia mecânica e design de produto, ele também se encaixa em uma ampla gama de usos em engenharia. FreeCAD é baseado no OpenCasCade, um kernel de geometria poderoso.

Ele lê e produz muitos formatos abertos de arquivos como STEP, IGES, STL e outros. Além disso, ele é extremamente modular, permitindo inúmeras possibilidades de personalização e de programação de extensões.

Como instalar o FreeCAD

Para instalar o FreeCAD no Linux, acesse esse tutorial:
Instalando o FreeCAD no Ubuntu

Mais sobre o FreeCAD


DraftSight

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Desenvolvido pela Dassault Systemes (que também é desenvolvedora dos softwares Catia e Solidworks), DraftSight é um software gratuito para desenho técnico disponível para Linux, Microsoft Windows e OS X. Ele é atualmente um dos melhores softwares para o design técnico de CAD 2D (e 3D parcialmente), disponível para Linux.

Mais o grande destaque desse aplicativo é o seu suporte para leitura e gravação de arquivos em formato DWG e DXF (do AutoCad), ou seja, com ele você pode lidar com arquivos do AutoCAD no Linux, sem precisar instalar o AutoCAD.

DraftSight permite anexar modelos de referência externos e tem a capacidade de gerar arquivos no formato PDF com múltiplas páginas, tem um sistema de coordenadas cartesianas, além de desenho em camadas, máscaras de fundo para anotações, suporte para tabelas de estilo de plotagem CTB e STB e muito mais.

Como instalar o DraftSight

Para instalar o DraftSight no Linux, acesse esse tutorial:
AutoCAD no Linux – Instale o DraftSight no Ubuntu, Debian, Fedora e derivados

Mais sobre o DraftSight


BricsCAD

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

BricsCAD é um software comercial de CAD (computer aided design) com versões para Windows e Linux. O programa é uma solução profissional que se destaca como uma alternativa ao AutoCAD, pois possui alta compatibilidade e comandos semelhantes aos do aplicativo da Autodesk. Para completar, com o programa você pode usar AutoLISP, ADS e VB.

O formato padrão dos arquivos de desenho do BricsCAD é o DWG (o mesmo do AutoCAD), isso permite que desenhos do AutoCAD sejam visualizados e editados sem necessidade de conversão.

Como instalar o BricsCAD

Para instalar o BricsCAD no Linux, acesse esse tutorial:
BricsCAD no Linux – Conheça e instale essa alternativa ao AutoCAD

Mais sobre o BricsCAD

No Post found.


QCAD

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

QCAD é um software livre (GPL versão 3) para desenho assistido por computador (CAD), em duas dimensões (2D). Com QCAD você pode criar desenhos técnicos, tais como planos para edifícios, interiores, peças mecânicas ou esquemas e diagramas. QCAD funciona em Windows, Mac OS X e Linux.

O programa foi projetado com modularidade, extensibilidade e portabilidade em mente, além de uma interface de usuário intuitiva. Ele é muito fácil de usar, por causa disso, você não precisa ter nenhuma experiência CAD para começar a usar o QCAD.

Como instalar o QCAD

Para instalar o QCAD no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o QCAD no Linux manualmente

Mais sobre o QCAD


OpenSCAD

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

OpenSCAD é um software livre CAD de código (GPL), específico para a criação de modelos 3D sólidos utilizados principalmente para a criação de peças mecânicas. O programa é multiplataforma e por conta disso, está disponível para Linux, Windows e Mac

Baseado em bibliotecas Qt4, OpenCSG e OpenGL (para renderização usando CGAL), ele permite fazer a extrusão de formas de arquivos 2D AutoCAD DXF e exportar tudo em vários formatos, como STL e Open Font Format (OFF).

Como instalar o OpenSCAD

Para instalar o OpenSCAD no Linux, acesse esse tutorial:
Criação de objetos 3D no Linux: instale OpenSCAD

Mais sobre o OpenSCAD


Blender

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Blender, ou blender3d, é um programa de código aberto para modelagem, animação, texturização, composição, renderização, edição de vídeo e criação de aplicações interativas em 3D, tais como jogos, apresentações e outros, através de seu motor de jogo integrado, o Blender Game Engine.

Como instalar o Blender

Para instalar o Blender no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar a última versão do Blender no Linux

Mais sobre o Blender


Sweet Home 3D

3D/CAD no Linux - conheça algumas aplicações disponíveis para o sistema

Diferente das opções anteriores, Sweet Home 3D é uma aplicação de design interior que ajuda você colocar suas mobílias em sua casa em um plano 2D, com uma visualização em 3D. Ele está disponível em Português, Inglês, Francês, Italiano e Alemão, e pode ser executado em Windows, OS X, Linux e Solaris.

Como instalar o Sweet Home 3D

Para instalar o Sweet Home 3D no Linux, acesse esse tutorial:
Instalando a versão mais recente do Sweet Home 3D no Linux

Mais sobre o Sweet Home 3D

No Post found.


Visualizador 3D universal sView

Como instalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu

Esse não é um programa de CAD/3D, sView é um visualizador estereoscópico universal de código aberto que suporta arquivos de vários tipos, incluindo imagens, vídeos, áudio e modelos CAD. Para cada tipo de mídia, sView oferece um aplicativo independente, com uma interface amigável e personalizada.

Como instalar o visualizador 3D universal sView

Para instalar o visualizador 3D universal sView no Linux, acesse esse tutorial:
Como instalar o visualizador 3D universal sView no Ubuntu

Mais sobre o visualizador 3D universal sView

Concluindo

Então gostou da Lista? Se souber de mais algum aplicativo que possa compor a lista, escreva nos comentários.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar uma impressora no Ubuntu sem complicações

Como instalar uma impressora no Ubuntu

Comprou uma impressora e quer usá-la no seu PC com Linux? Então veja nesse tutorial como instalar uma impressora no Ubuntu.



Atualmente instalar uma impressora no Ubuntu é algo muito simples e rápido, até porque, já existe o recurso de detecção automática. Mas as vezes, pode ser que você tenha de fazer isso manualmente.

Como instalar uma impressora no Ubuntu

Para instalar uma impressora no Ubuntu, você deve primeiramente conectá-la ao computador. Ainda que sua impressora seja wireless, use um cabo específico para realizar essa configuração. E se ela for detectada automaticamente, nem será preciso fazer nada. Caso contrário, faça o procedimento a seguir.

É claro, a instalação só será possível se a impressora for compatível com o sistema. Como muitos fabricantes não informam que são compatíveis com o Linux, a melhor maneira de saber se ela funciona é tentando instalar, o que você verá logo abaixo.

Mais sobre como instalar uma impressora

Para complementar o tutorial abaixo, assista esse vídeo sobre o assunto:

Como instalar uma impressora no Ubuntu

Para instalar uma impressora no Ubuntu, faça o seguinte:
Passo 1. Abra as “Configurações do Sistema” clicando no ícone dele na barra lateral do Unity. Se preferir, clique no ícone da engrenagem no painel superior, e no menu que aparece, na opção “Configurações do Sistema”;

Como instalar uma impressora no Ubuntu

Passo 2. Em “Configurações do Sistema”, clique no item “Impressoras”;

Como instalar uma impressora no Ubuntu

Passo 3. Em seguida, clique em “Adicionar”;

Como instalar uma impressora no Ubuntu

Passo 4. Na próxima tela, clique no modelo e depois no botão “Forward”;

Como instalar uma impressora no Ubuntu

Passo 5. Na janela seguinte, digite o nome, descrição e localização da impressora (ou deixe como está (recomendável). Depois de fazer os ajustes, clique no botão “Apply”;

Como instalar uma impressora no Ubuntu

Passo 6. Por fim, será exibida uma janela questionando se você quer imprimir uma página de teste. Para fazer o teste, clique no botão “Imprimir página de teste”. Se não quiser, clique em “Cancelar”,

Como instalar uma impressora no Ubuntu

Pronto! Agora que a impressora já está instalada, você já pode usá-la para imprimir em qualquer aplicativo do sistema.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Procurando uma boa ferramenta para criar uma unidade USB inicializável? Então conheça e veja como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks.


Startup Disk Creator (Criador de disco de inicialização), é o criador padrão de midia USB de instalação, que vem na edição Desktop do Ubuntu. Infelizmente essa ferramenta é conhecida por as vezes apresentar bugs.

Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Bem, alguns usuários podem não estar cientes disso, mas há outra ferramenta já instalada por padrão no Ubuntu (a versão com o ambiente Unity) e Ubuntu GNOME, bem como em outras distribuições Linux baseada no GNOME, que permite a criação de uma unidade USB inicializável: GNOME Disks.

O programa é confiável, muito fácil de usar e como foi dito antes, já deve estar instalado no sistema, se você usa o Ubuntu com Unity ou GNOME. E mesmo que o aplicativo não esteja instalado em seu sistema, basta procurar por ele no gerenciador de programas da sua distribuição e instalar.

Conheça melhor o GNOME Disks

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

sudo apt-get update

Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Para criar um pendrive inicializável com GNOME Disks, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra o gerenciador de arquivos;

Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Passo 2. Vá para a pasta onde está a imagem ISO e dê um clique duplo nela para abri-la. Dependendo da versão do sistema que você estiver usando, pode ser necessário clicar com o botão direito do mouse e escolher no menu de contexto a opção “Abrir com”, seguido de “Gravador de imagem de disco” (ou Open With > Disk Image Writer);

Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Passo 3. Se tudo deu certo, será exibida a janela do aplicativo “Discos” e uma pequena janela chamada “Restaurar imagem de disco”. Nessa janela, clique na seta ao lado do campo “Destino” e escolha a unidade correspondente ao pendrive;

Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Passo 4. Depois de escolher, clique no botão “Iniciar restauração…” para começar a gravação no pendrive (verifique bem para ter certeza que a unidade selecionada é a correta, pois os dados dentro dela serão apagados no processo). Se for solicitado, informe a senha de administrador para autorizar a tarefa.

Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

Pronto! terminado o processo, você já pode usar sua nova mídia!

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como corrigir o erro ‘Adobe Flash está desatualizado’ no Chrome do Ubuntu 16.10

Como corrigir o erro 'Adobe Flash está desatualizado' no Chrome do Ubuntu 16.10

Tentou reproduzir um vídeo em Flash no navegador e esbarrou em um erro? Veja como corrigir o erro ‘Adobe Flash está desatualizado’ no Chrome do Ubuntu 16.10.


Alguns usuário do Ubuntu 16.10 que tentam instalar a nova versão do navegador Google Chrome, estão encontrando o erro “Adobe Flash Player está desatualizado” (ou “Adobe Flash Player is out of date”) ao tentar reproduzir vídeos em Flash no navegador.

Como corrigir o erro 'Adobe Flash está desatualizado' no Chrome do Ubuntu 16.10

Isso ocorre porque o Google Chrome já não vêm com o pacote Adobe Flash Player desde a versão 54. Para o Firefox, você pode obter a última versão do Flash 23 beta através deste tutorial. E para o navegador Chrome, você precisa atualizar manualmente o flash seguindo os passos abaixo:

Como corrigir o erro ‘Adobe Flash está desatualizado’ do Chrome no Ubuntu 16.10

Para corrigir o erro ‘Adobe Flash está desatualizado’ do Chrome no Ubuntu 16.10, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra o Google Chrome. Na barra de endereços do navegador, digite “chrome://components/” (sem as aspas) e tecle enter;

Como corrigir o erro 'Adobe Flash está desatualizado' no Chrome do Ubuntu 16.10

Passo 2. Localize o item “Adobe Flash Player”, clique no botão “Check for Update” (“Verificar atualizações”) e aguarde;

Como corrigir o erro 'Adobe Flash está desatualizado' no Chrome do Ubuntu 16.10

Passo 3. Depois disso, feche o Chrome e abra novamente.

Pronto! Com essa pequena dica, seu navegador não apresentará mais o erro e você poderá assistir seus vídeos tranquilamente. Divirta-se!

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Leitor de PDF leve: instale Zathura no Ubuntu e Arch Linux

Leitor de PDF leve: instale Zathura no Ubuntu e Arch Linux

Procurando um visualizador de documentos PDF, PostScript, DjVu e quadrinhos (CBR), que seja leve e minimalista? Então experimente instalar o Zathura.


Normalmente nas principais distribuições Linux o software padrão dedicado à exibição de documentos em PDF é o Okular, Evince e etc. Mas existem opções mais simples e que fazem basicamente a mesma coisa, como um software de código aberto com características muito interessantes chamado Zathura.

Leitor de PDF leve: instale Zathura no Ubuntu e Arch Linux

Zathura é um projeto que tem como objetivo fornecer um visualizador de PDF leve, com uma experiência de usuário no mesmo estilo do Vim com vários atalhos de teclado dedicados, tudo em uma interface gráfica simples e minimalista.

Entre as principais características de Zathura está o suporte a plugins de terceiros, o que permite ver arquivos PostScript, DjVu e de quadrinhos em formato CBR.

O programa inclui suporte para bookmarks, a capacidade de imprimir um documento inteiro ou páginas específicas, pesquisa dentro do documento, navegação do índice e sincronização SyncTeX frente e para trás.

Com Zathura você tem diversos atalhos de teclado. Você pode, por exemplo, alterar a exibição pressionando a tecla “D”, encontrar e lançar um documento com a tecla O, virar uma página pressionando R etc.

Conheça melhor o Zathura

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Leitor de pdf leve – Como instalar o Zathura no Ubuntu e Arch Linux e seus derivados

Zathura está disponível nos repositórios oficiais do Debian, Ubuntu e Arch Linux, por isso, para instalar ele nesses sistemas, você pode usar o gerenciador de pacotes, ou fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. No Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install zathura zathura-cb zathura-ps zathura-djvu

Passo 3. Já no Arch Linux e seus derivados, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo pacman -S zathura 

Como instalar Zathura em outras distribuições Linux

Para instalar Zathura em outras distribuições Linux, visite esta página e siga as instruções em inglês ou utilize uma versão traduzida através desse link.

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite zathura em um terminal, seguido da tecla TAB.

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como verificar se uma imagem ISO está corrompida ou adulterada

Como verificar se uma imagem ISO está corrompida ou adulterada

Baixou uma distribuição Linux e quer ter certeza que está tudo certo antes de gravá-la em uma mídia? Então veja nesse tutorial como verificar se uma imagem ISO está corrompida ou adulterada.


Nada pior do que baixar um arquivo enorme e no final, descobrir que ele está corrompido. Pior ainda se for a imagem ISO de sua distribuição favorita. Felizmente existe um recurso que serve para verificar a autenticidade de um arquivo de imagem ISO, e que pode ser usado no download do Ubuntu ou de qualquer outra distro.

Como verificar se uma imagem ISO está corrompida ou adulterada

Nesse tutorial, você verá como verificar se o arquivo baixado teve ou tem algum problema, antes que você grave a imagem e estrague o disco ou faça você usar um software modificado.

Na verdade, a verificação é bastante simples e usa a ferramenta chamada ‘md5sum’, que vem pré-instalada com a maioria das distribuições de Linux.

Como o aplicativo checa se houve alterações no arquivo (utilizando em numero gerado com base no arquivo original), isso também serve para saber se a imagem ISO está corrompida ou adulterada.

Embora baseado na imagem e informações do Ubuntu, o processo abaixo pode muito bem ser feito com imagens ISO de outras distribuições, apenas ajustando os dados específicos de cada uma.

Como verificar se uma imagem ISO está corrompida ou adulterada

Para verificar a integridade de uma imagem ISO, faça o seguinte:
Passo 1. Depois de baixar a imagem ISO, abra um terminal;
Passo 2. Se necessário, vá para a pasta onde está o arquivo (normalmente será a pasta “Downloads”):

cd Downloads

Passo 3. Execute o comando abaixo para descobrir o código do arquivo baixado. Lembre-se de mudar o nome do arquivo ISO, pois essa informação irá mudar dependendo da versão, arquitetura e da variante do Ubuntu que você baixou:

md5sum ubuntu-15.04-desktop-amd64.iso

Passo 4. O resultado será algo como o seguinte:

53c869eba8686007239a650d903847fd ubuntu-15.04-desktop-amd64.iso

Passo 5. Copie a parte alfanumérica do Terminal (atalho de teclado: CTRL + SHIFT + C. ou use o mouse);
Passo 6. Abra um navegador e vá para a página de Hashes do Ubuntu no endereço;

https://help.ubuntu.com/community/UbuntuHashes

Como verificar se uma imagem ISO está corrompida ou adulterada

Passo 7. Clique na versão baixada, acesse a página de download e clique no arquivo cujo nome é “MD5SUMS”;

Como verificar se uma imagem ISO está corrompida ou adulterada

Passo 8. Ao fazer isso, o navegador mostrará o conteúdo do arquivo, que é a listagem dos hashs das imagens ISO. Se o código da imagem ISO for o mesmo que você encontrou, então você já pode gravar a imagem ISO e instalar o sistema.

Como verificar se uma imagem ISO está corrompida ou adulterada

Pronto! Se estiver tudo certo, você pode usar a imagem ISO tranquilamente.

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


GNOME com visual do Unity, Mac ou Windows com o GNOME Layout Manager

GNOME com visual do Unity, Mac ou Windows com o GNOME Layout Manager

Quem não gosta ou simplesmente quer mudar o visual do Gnome Shell, agora pode deixar o GNOME com visual do Unity, Mac ou Windows usando o GNOME Layout Manager.


Já mostrei em outros tutoriais fazer o Linux ficar parecido com o Mac ou com a área de trabalho do Windows (usando o desktop UKUI ou temas). Mas o GNOME Layout Manager permite fazer essa mudança de uma forma bem mais simples.

GNOME com visual do Unity, Mac ou Windows com o GNOME Layout Manager

GNOME Layout Manager é um novo script em desenvolvimento que tira proveito da maleabilidade do ambiente GNOME. Com ele você pode deixar o GNOME com visual do Unity, Mac ou Windows rapidamente, e sem complicações.

Na verdade, o script não faz nada que você não possa fazer manualmente, por si mesmo. Pense nisso como um timesaver; Ele automatiza o processo de baixar extensões do GNOME, configurá-las e, pelo menos, para o Unity, instalar e configurar um tema do GNOME Shell.

Obviamente, você verá nas telas abaixo que o layout do Unity uma atenção maior, pois na configuração dele o script busca um tema GTK e GNOME Shell personalizado e um papel de parede para deixar o ambiente ainda mais parecido.

Nenhum tema ou estilo é oferecido na mudança do layouts do Windows e macOS. Mesmo assim, o script faz um trabalho decente de imitar seu layout geral e economiza o tempo do usuário, evitando que você tenha que instalar manualmente cada uma das extensões necessárias.

Atenção!
Este script é considerado ‘alfa’ e está em desenvolvimento. Portanto, use-o por sua conta e risco.

Conheça melhor o GNOME Layout Manager

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o GNOME Layout Manager no Linux para deixar o GNOME com visual do Unity, Mac ou Windows

Antes de instalar o programa, esteja ciente de que não há (atualmente) nenhuma maneira de “desfazer” as alterações feitas ou redefinir para o estado inicial.

Mas, usando o GNOME Tweak Tool, você pode facilmente ativar ou desativar extensões e, em versões mais recentes, desabilitar todas as extensões com um clique.

Ciente disso, para instalar o GNOME Layout Manager no linux para deixar o GNOME com visual de Unity, Mac ou Windows, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Baixe o GNOME Layout Manager com o seguinte comando;

wget https://raw.githubusercontent.com/bill-mavromatis/gnome-layout-manager/master/layoutmanager.sh -O /usr/local/bin/layoutmanager.sh

Passo 3. Em seguida, dê permissão de execução para o aplicativo com esse comando;

chmod +x /usr/local/bin/layoutmanager.sh

Passo 4. Se você quiser deixar o GNOME com visual do Mac, use o comando abaixo;

layoutmanager.sh --macosx

GNOME com visual do Unity, Mac ou Windows com o GNOME Layout Manager

Passo 5. Se você quiser deixar o GNOME com visual do Windows, use o comando abaixo;

layoutmanager.sh --windows

GNOME com visual do Unity, Mac ou Windows com o GNOME Layout Manager

Passo 6. Se você quiser deixar o GNOME com visual do Unity, use o comando abaixo;

layoutmanager.sh --unity

GNOME com visual do Unity, Mac ou Windows com o GNOME Layout Manager

Fonte

O que está sendo falado no blog nos últimos dias


Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Procurando um navegador multiplataforma e com boa parte dos recursos do Chromium e um belo visual? Então veja como instalar o navegador Vivaldi no Linux e experimente essa alternativa.


Vivaldi é um navegador de internet de código aberto baseado no Chromium, e criado pelo fundador do Opera. O programa possui suporte para extensões do Chrome, o que lhe torna uma opção a ser considerada na hora de escolher um navegador web.

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Recursos do Vivaldi

Conheça alguns dos recursos do Vivaldi oferece:

Histórico inteligente

O novo recurso Histórico é poderoso e permite aos usuários explorar os seus padrões de navegação, estatísticas e obter pistas visuais para ajudá-los a encontrar sites antigos.

Em vez de ter que percorrer centenas de linhas, Vivaldi oferece uma visão abrangente do histórico, apresentados de uma forma visual. Isso permite que nossos usuários analisar a sua atividade on-line e ajuda-los a encontrar o que estão procurando. ”

Além da lista de URLs oferecidos pela maioria dos navegadores, Vivaldi mostra a história em uma exibição de calendário com estatísticas detalhadas sobre sites visitados anteriormente. Gráficos e um mapa de calor com sobreposição com código de cores para acrescentar uma outra dimensão, que mostra picos de atividade on-line e as principais tendências de navegação.

Todos esses dados ajuda a encontrar páginas da web visitadas anteriormente, mesmo quando os usuários não podem lembrar o termo de pesquisa direita.

Notificações na guia

Vivaldi oferece funcionalidades de notificações de abas, que exibe ícones de sobreposição em fichas fixas e regulares que o notificam de novos e-mails ou mensagens provenientes de Web sites de redes sociais.

Renomear pilhas de guia

recurso Histórico poderosa que permite aos usuários explorar os seus padrões de navegação, estatísticas e obter pistas visuais para ajudá-los a encontrar sites antigos.

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Vivaldi permite renomear suas pilhas de guia. Isto pode ser útil especialmente quando você está consultando sites com conteúdo semelhante, seja viagens, mídia comercial ou social.

Silent Tabs For Users

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Notificações na guia

Depois de habilitar “Permitir a renomeação de Tab Stack” nas configurações, o Vivaldi também permite que você renomeie a pilha de tabulações clicando com o botão direito em uma guia e escolha a opção “Renomear Tabulação”.

Netflix no Vivaldi

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Notificações HTML5

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Captura de tela

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Vivaldi torna mais fácil para capturar o que está na tela. O novo recurso de captura de tela permite aos usuários salvar e compartilhar páginas inteiras, mesmo fora da área visível no momento, enquanto eles navegam. Ele também permite tirar uma screenshot de uma seleção, incluindo a interface do usuário do próprio navegador.

Outra adição à funcionalidade screenshots é no painel Notes. Notas, localizado no painel lateral, permitem que os usuários anotar páginas e salvar capturas de tela para seus registros. Agora também é possível capturar áreas selecionadas de sites e adicioná-los para o Notes.

Além de ser capaz de salvar a imagem em JPEG ou PNG formatos de arquivo, Vivaldi permite copiar a imagem capturada na área de transferência e depois levar para outros programas.

Atalhos de teclado

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Vivaldi inclui uma opção para mapear atalhos de teclado ou usar comandos rápidos. Os atalhos podem agora ser mapeada nas configurações do teclado, onde os usuários podem atribuir combinações de teclas de sua escolha.

Melhorias no controle de som das guias

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Vivaldi agora torna possível para silenciar todas as guias de uma vez – e sem a necessidade de olhar para o guia que está causando o ruído. Isso pode ser particularmente útil para pessoas que gostam de navegar com muitas abas abertas.

Mais recursos

Vivaldi vem com o Theme Scheduling, um novo recurso que permite configurar o navegador para alterar automaticamente o tema com base no horário do dia. Isso é útil se você quiser usar um tema escuro à noite, alterar o tema com base em sua programação, e assim por diante.

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Nele você pode ter diferentes larguras para painéis web, e escolher para mostrar todos os botões de navegação na sua barra de ferramentas (isso também pode ser completamente escondido).

Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

Painéis web permitem adicionar sites individuais na barra lateral do Vivladi, útil se você quer ter algo como o Twitter, ou alguns sites de notícias e assim por diante, sempre visível enquanto navega em outros sites.

Também é possível restaurar a última guia fechada clicando com o botão do meio no ícone da lixeira.

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Novidades do navegador Vivaldi

  • A Vivaldi agora se integra com as lampadas Hue color da Philips, o que permite que o navegador possa “sincronizar o ambiente físico com a cor da web”;
  • Agora você pode aplicar comandos em massa nas guias, incluindo arrastá-los para pilhas ou para uma nova janela (mantenha pressionada a tecla Ctrl para selecionar várias guias);
  • As notas de compilação agora podem anexar automaticamente uma captura de tela de uma página da web;
  • Um botão de modo leitor está agora disponível na barra de endereços, e um atalho de teclado configurável para ele foi adicionado;
  • Suporte embutido ao Chromecast;
  • Suporte para atualizações delta no Windows.
  • Novidades da última versão o navegador Vivaldi

    Vivaldi 1.9 adiciona uma série de recursos e correções para melhorar ainda mais a experiência de navegação para seus usuários, com seguintes destaques:

    • Permite alterar o posicionamento dos botões de extensão na barra de endereço;
    • Permite mudar o diretório de armazenamento das capturas de tela;
    • Classificação de notas;
    • Melhorias para o autocomplemento de endereços;
    • Além de melhorias de privacidade e segurança.

    Para completar, a parceria do projeto com o Ecosia search engine, e agora, os usuários podem transformar suas pesquisas na web para o plantio de árvores em áreas mais ameaçadas ambientalmente do mundo.

    Para ver mais detalhes sobre a versão mais recente desse navegador, acesse a nota de lançamento.

    Conheça melhor o navegador Vivaldi

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Para conhecer melhor o navegador, assista esses vídeos:

    Como instalar o navegador Vivaldi no Linux

    Para instalar o programa, o site do Vivaldi oferece pacotes RPM e DEB das últimas versões, e por isso, a instalação do navegador não deve ser difícil.

    Resumidamente, basta fazer o download do pacote rpm ou deb da arquitetura do seu sistema (i386/i686, para sistemas de 32 bits, e AMD64/x86_64, para sistemas de 64 bits) e instalar o pacote através do gerenciador de pacotes padrão (dpkg ou rpm).

    Você pode baixar diretamente e instalar manualmente, ou seguir os procedimentos abaixo.

    Instalando o navegador Vivaldi no Arch Linux

    Para instalar o navegador Vivaldi no Arch Linux, você pode usar o repositório AUR;

    Instalando o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas derivados via repositório

    Para instalar o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas derivados via repositório, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo sh -c 'echo "deb http://repo.vivaldi.com/stable/deb/ stable main" >> /etc/apt/sources.list'

    Passo 3. Baixe e importe a chave do repositório com o comando:

    wget -q -O - http://repo.vivaldi.com/stable/linux_signing_key.pub | sudo apt-key add -

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt install vivaldi-stable

    Passo 6. Você também pode instalar Vivaldi beta, Vivaldi preview ou Vivaldi snapshot, usando um dos seguintes comandos:

    sudo apt install vivaldi-beta
    sudo apt install vivaldi-preview
    sudo apt install vivaldi-snapshot

    Instalando o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas com suporte a pacotes DEB

    Para instalar o navegador Vivaldi no Linux Ubuntu, Debian ou sistemas com suporte a pacotes DEB, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.deb:

    wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable_1.9.818.44-1_i386.deb -O vivaldi.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.deb:

    wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable_1.9.818.44-1_amd64.deb -O vivaldi.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i vivaldi.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 7. Depois, se for necessário, desinstale o programa usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove vivaldi*

    Instalando o navegador Vivaldi no Linux Fedora e sistemas com suporte a pacotes RPM

    Para instalar o navegador Vivaldi no Linux Fedora e sistemas com suporte a pacotes RPM, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.rpm;

    wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable-1.9.818.44-1.i386.rpm -O vivaldi.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome vivaldi.rpm;

    wget https://downloads.vivaldi.com/stable/vivaldi-stable-1.9.818.44-1.x86_64.rpm -O vivaldi.rpm

    Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall vivaldi.rpm

    ou

    sudo dnf install vivaldi.rpm

    Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install vivaldi.rpm

    Passo 7. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo urpmi vivaldi.rpm

    Passo 8. Para instalar o programa em qualquer distro que suporte RPM, use o comando:

    sudo rpm -i vivaldi.rpm

    Passo 9. Se depois você precisar desinstalar o programa em uma distro que suporte RPM, use o comando a seguir;

    sudo rpm -e vivaldi*

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vivaldi no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

    Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

    Que dar uma mudada no visual do seu desktop e deixá-lo bem mais bonito? Experimente instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados.


    O iLinux é um conjunto de ícones que traz ícones bem desenhados e elegantes. Ele tem mais de 18 mil ícones diferentes e pode ser instalado no Ubuntu e seus derivados, bem como no Debian.

    Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

    Ficou curioso? Então veja algumas imagens para ver como fica

    Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

    Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

    Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

    Como instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

    Conheça melhor os ícones iLinux

    Para saber mais sobre os ícones iLinux, clique nesse link.

    Instalando os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

    Para instalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons2

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora instale o conjunto de ícones com o comando abaixo:

    sudo apt-get install ilinux-icons

    Como instalar os ícones iLinux manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando os ícones iLinux no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar os ícones iLinux no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove ilinux-icons

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    26 de abril de 2017

    Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

    Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

    Se você pretende largar o Photoshop e começar a usar o GIMP, existe um novo projeto que pode lhe ajudar nisso. Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop.


    Todos sabemos que o GIMP é um programa com recursos poderosos e que rivalizam com muitas ferramentas proprietárias. No entanto, como se trata de um programa diferente, é natural que a maneira de trabalhar com ele também seja diferente do popular Adobe Photoshop. Isso infelizmente, afasta alguns usuários que não podem “perder tempo aprendendo” uma nova ferramenta.

    Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

    Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

    Para ajudar a diminuir a curva de aprendizado do Gimp, o Dionatan do site Diolinux lançou o projeto PhotoGIMP, que é um patch que você pode aplicar no GIMP 2.8, tanto para Linux, quanto para Windows.

    O objetivo do projeto é deixar o GIMP o mais parecido possível com o Photoshop e torná-lo uma opção viável para iniciantes e para avançados.

    Este Patch adiciona um visual semelhante ao do Photoshop e recursos adicionais como vários novos Brushes e filtros do Instagram.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o PhotoGIMP

    Se você quiser saber mais sobre esse importante recurso, acesse esse link. E para ver a versão mais recente, acesse esse ou outro link.
    Nas páginas você verá mais detalhes e até com instalar no GIMP.

    Conheça melhor o PhotoGIMP

    Para ter um ideia de como fica o GIMP, dê uma olhada nessa imagens publicadas pelo Dionatan:

    Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

    Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

    Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

    Conheça PhotoGIMP, o GIMP com cara de Photoshop

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Alternativa ao Notepad++ para Linux? instale e use o Notepadqq

    Notepad++ para Linux? instale e use o Notepadqq

    Se você procura uma alternativa completamente idêntica ao Notepad++ para Linux, experimente instalar o Notepadqq.


    Infelizmente, ainda não existe uma versão nativa do Notepad++ para Linux. E mesmo existindo uma abundância de editores de texto que podem ser usados como alternativa ao Notepad++ no Linux (como o SciTE), se você estiver acostumado com a versão Windows do aplicativo, você desejará ter o mesmo conjunto de recursos em todas as plataformas.

    Notepad++ para Linux? instale e use o Notepadqq

    E é aí que entra o Notepadqq, um programa que possui um visual igual ao do Notepad++ e quase as mesmas características.

    Notepad++ é um editor de código fonte e também um ótimo substituto do tradicional bloco de notas do Windows. Já o Notepadqq é uma alternativa ao Notepad++ para Linux e um editor de texto para o desktop deste sistema.

    Ele é um software livre escrito em C ++, que utiliza Qt5, regido pela licença GPL e suporta várias linguagens de programação.

    O programa ajuda os desenvolvedores, fornecendo tudo o que você pode esperar de um editor de texto de uso geral, como destaque de sintaxe para mais de 100 idiomas diferentes, dobramento de código, esquemas de cores, monitoramento de arquivos, seleção múltipla e muito mais.

    Nele você pode pesquisar o texto usando o poder das expressões regulares. Você pode organizar documentos lado a lado. Você também pode usar destaque de sintaxe em tempo real para encontrar identificadores próximos.

    Conheça melhor o Notepadqq, o Notepad++ para Linux

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Notepadqq no Ubuntu e ter um Notepad++ para Linux

    Para instalar o Notepadqq no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:notepadqq-team/notepadqq

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install notepadqq

    Passo 5. Se quiser instalar a versão com suporte a GTK, use o comando abaixo;

    sudo apt-get install notepadqq-gtk

    Como instalar o Notepadqq manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Instalando o Notepadqq em outras distribuições Linux

    Além de pacotes do Notepadqq para Debian, Ubuntu e derivados, também existem pacotes para o Arch Linux e para outras distros, você pode obter o código-fonte do programa, acessando esse link.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite notepadqq no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Removendo o Notepadqq

    Se você não gostou do Notepadqq, você pode desinstalá-lo, fazendo o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Remova o programa com estes comandos:

    sudo add-apt-repository ppa:notepadqq-team/notepadqq --remove
    sudo apt-get remove notepadqq
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Procurando uma editor para usar em diferentes necessidades? Então conheça e veja como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados.


    Atom é um editor de texto multiplataforma, e portanto, disponível para Linux, Windows e OS X. Ele é moderno, acessível e hackeavel.

    Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Esse editor é uma ferramenta que você pode personalizar para fazer qualquer coisa, mas também usar produtivamente sem nunca tocar um arquivo de configuração.

    O programa apresenta um gerenciador de pacote integrado que permite procurar e instalar pacotes novos (e temas) a partir de dentro Atom, o preenchimento automático inteligente, o navegador do sistema de arquivos, vários painéis, e muito mais.

    Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Conheça melhor o editor Atom

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Para instalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/atom

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install atom

    Como instalar o editor Atom manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite atom no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Para desinstalar o editor Atom no Ubuntu, Linux Mint e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:webupd8team/atom --remove
    sudo apt-get remove atom
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como tirar um screenshot da tela de login no Linux

    Como tirar um screenshot da tela de login no Linux

    Embora seja raro, as vezes é preciso tirar um screenshot da tela de login. Se esse é o seu caso, veja como fazer isso.


    Para conseguir capturar a tela de login no Ubuntu será preciso primeiro criar um script que poderá ser executado a partir da interface de linha de comando, sempre que for necessário fazer a captura. Mas não se preocupe, o “script” é realmente muito simples de utilizar.

    Como tirar um screenshot da tela de login no Linux

    Observe que embora o procedimento a seguir seja focado no Ubuntu e seus derivados, tirando a instalação do Imagemagick, todo o resto pode ser feito em qualquer outra distribuição Linux.

    Conheça melhor o Imagemagick

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como tirar um screenshot da tela de login

    Para tirar um screenshot da tela de login, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Caso ainda não esteja instalado, use o seguinte comando para instalar o ImageMagic:

    sudo apt-get install imagemagick -y

    Passo 3. Crie o script usando o comando a seguir;

    echo -e 'chvt 7; sleep 5s; DISPLAY=:0 XAUTHORITY=/var/run/lightdm/root/:0 xwd -root -out ~/screenshot.xwd; convert ~/screenshot.xwd ~/screenshot.png; rm ~/screenshot.xwd; chmod 777 ~/screenshot.png' | sudo tee /usr/local/bin/screenshot.sh

    Passo 5. Dê permissão de execução para o arquivo, usando o comando abaixo;

    sudo chmod +x /usr/local/bin/screenshot.sh

    Passo 6. Feche a sessão atual e vá para a tela de login;

    Como tirar um screenshot da tela de login no Linux

    Passo 7. Quando estiver na tela de login, pressione simultaneamente as teclas CTRL + ALT + F1, para entrar no modo de console. Nessa tela, entre com seu usuário e senha e depois digite o comando abaixo:

    screenshot.sh

    Como tirar um screenshot da tela de login no Linux

    Passo 8. Uma vez que o script for executado, ele irá levá-lo de volta para a tela de login gráfico (chvt 7) e depois de cinco segundos, salvará uma imagem em seu diretório home com o nome do arquivo screenshot.png.

    Como tirar um screenshot da tela de login no Linux

    Pronto! Agora que você já conhece a dica, pode capturar a tela de login do seu sistema sempre que precisar.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Não quero usar Unity, prefiro o Awesome no Ubuntu

    Quem não gosta de usar o Unity, conta com uma boa quantidade de opções alternativas, que estão sendo mostradas nessa série. E hoje você conhecerá e verá como instalar o levíssimo Awesome no Ubuntu.


    Awesome é um gerenciador de janelas dinâmico para o X e desenvolvido em C e Lua. Ele tem como objetivo ser extremamente pequeno e rápido e ao mesmo tempo amplamente customizável para permitir que o usuário gerencie janelas de forma produtiva com o uso do teclado.

    Não quero usar Unity, prefiro o Awesome no Ubuntu

    Assim como a tradução do nome, impressionante é o termo que melhor define esse ambiente gráfico. Ele é muito rápido e extensível, sendo voltado para usuários avançados, desenvolvedores e quaisquer pessoas que lidem com tarefas de computação a cada dia e que querem ter um controle refinado sobre o ambiente gráfico deles.

    Não quero usar Unity, prefiro o Awesome no Ubuntu

    Awesome surgiu como um fork do dwm, com personalização através de arquivos de configuração externos. Embora altamente extensível, a configuração padrão do gerenciador de janelas é deliberadamente simplificada. Ao fazê-lo, o autor criou o que ele chama de framework window manager, para que os usuários pudessem expandir e adaptar o ambiente às suas próprias necessidades.

    Conheça melhor essa série

    Conheça melhor o ambiente gráfico Awesome

    Para saber mais sobre esse ambiente, clique nesse link.

    Instalando o ambiente gráfico Awesome no Ubuntu e derivados

    Para instalar a versão mais recente desse ambiente, faça o seguinte:
    Passo 1. Feche todos os seus aplicativos em execução;
    Passo 2. Abra um terminal (pressionando as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 3. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:klaus-vormweg/awesome

    Passo 4. Atualize o Apt digitando o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora instale o ambiente com o comando:

    sudo apt-get install awesome

    Como instalar o ambiente gráfico Awesome manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).
    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Saia da sessão atual e quando aparecer a tela de login, clique no circulo que fica ao lado do nome de usuário e escolha o Awesome. Depois, entre com seu usuário e senha e comece a experimentar o ambiente.

    Desinstalando o Awesome no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Awesome no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o ambiente, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:klaus-vormweg/awesome --remove
    sudo apt-get remove awesome
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como reproduzir sons relaxantes no Ubuntu

    Como reproduzir sons relaxantes no Ubuntu

    Quando você vai passar horas na frente do PC nada melhor que reproduzir sons relaxantes, não é mesmo? Mas se você ainda não usa esse recurso, veja como fazer isso usando o ANoise Player no Ubuntu.


    ANoise Player é uma aplicação prática que permite reproduzir sons relaxantes no Ubuntu, simplesmente escolhendo um som ambiente (por exemplo, chuva, noite, vento, mar, tempestade, fogo, floresta, e café) a partir do menu de som da bandeja do sistema.

    Como reproduzir sons relaxantes no Ubuntu

    O aplicativo é muito simples, leve e não fica em seu caminho. Na verdade, ele nem sequer vêm com uma interface gráfica, por padrão, e em vez disso, ele mostra apenas uma entrada no menu de som do Ubuntu, que lhe permite reproduzir vários sons relaxantes.

    No entanto, se o seu ambiente de trabalho não suporta algo semelhante ao menu de som do Ubuntu (extensão GNOME Shell Mediaplayer, etc.), você ainda pode usar o ANoise Player, graças a uma pequena interface que de foi desenvolvida para estes casos.

    Como reproduzir sons relaxantes no Ubuntu

    O Player é um projeto de código aberto criado por Marcos Alvarez Costales, um membro Ubuntu e o desenvolvedor de extensão Folder Color.

    Até agora, o programa pode ser instalado no Ubuntu 12.04, 14.04, 14.10 ,15.04 e 16.04. Se você quiser usar o player no GNOME Shell, será preciso instalar esta extensão.

    Apesar de ser tão leve, ANoise Player vem com algumas características menores, mas bastante úteis. Em primeiro lugar, o app se lembra de sua última seleção para que você possa facilmente começar reproduzindo a último som ambiente usado após uma reinicialização, etc.

    Por enquanto, o ANoise Player só suporta ogg, mas em uma versão futura (que provavelmente vai acontecer mais tarde hoje), ele deve receber apoio mp3.

    Conheça melhor o ANoise Player

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o ANoise Player reproduzir sons relaxantes no Ubuntu

    Para instalar o ANoise Player no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:costales/anoise

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install anoise anoise-community-extension1

    Instalando o ANoise Player no Ubuntu sem usar o repositório

    Se você não deseja adicionar o repositório, faça o seguinte:
    Passo 1. Baixe os pacotes .deb das pastas anoise e anoise-media acessando a página do download do programa;
    Como reproduzir sons relaxantes no Ubuntu
    Passo 2. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 3. Vá para a pasta de download;

    cd ~/Downloads

    Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i anoise*.deb

    Passo 4. Depois, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite anoise no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Colocando seu som personalizado no ANoise Player

    Além dos sons que veem com o programa, mais ruídos podem ser adicionados ao menu manualmente.

    Se você quiser que o aplicativo use sons personalizados, você pode simplesmente adicionar seus próprios arquivos .ogg na pasta do aplicativo, que ele irá buscá-los automaticamente.

    Você também pode adicionar um arquivo PNG com o mesmo nome do arquivo .ogg e a imagem será usada no menu de som do Ubuntu, juntamente com o seu arquivo de .ogg personalizado.

    Para fazer isso, basta copiar os arquivos (preferencialmente .ogg) e colar na pasta /usr/share/anoise/sounds, usando um terminal ou o Nautilus, com privilégios de administrador.

    Desinstalando o ANoise Player no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o ANoise Player no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove anoise anoise-community-extension1
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

    Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

    Acha complicado instalar, configurar e usar programas do Windows no Linux? Então você precisar conhecer o Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu (e outras distros).


    Vineyard é um pequeno utilitário que fornece aos usuários do Ubuntu (e outras distros), uma maneira fácil de configurar aplicativos baseados no Wine, antes e depois da instalação.

    Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

    De acordo com a descrição oficial do projeto Vineyard, o software é “… uma coleção de ferramentas e bibliotecas concebidas para tornar o gerenciamento de programas do Windows no Linux mais fácil”. “Mais especificamente, ele procura melhorar a integração do Wine e do desktop, para tornar mais fácil para criar programas e ferramentas que se integram com o Wine.”

    Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

    Pense no Vineyard como um PlayOnLinux, só que voltado para muito mais do que apenas jogos e algumas aplicações especificas.

    A aplicação simplifica o processo de personalização, fine-tuning e otimização de software Wine no Ubuntu (por exemplo, a adição de prefixos de inicialização, estabelecendo o modo de compatibilidade, aplicando um tema do Windows e etc).

    Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

    Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

    Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

    O Vineyard possui um Indicador que apresenta os programas Windows atualmente em execução:

    Vineyard, a maneira fácil de configurar Wine no Ubuntu

    Conheça melhor o Vineyard

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Vineyard para configurar Wine no Ubuntu

    Antes de instalar o Vineyard, instale o Wine em seu sistema. Isso pode ser feito usando o gerenciador de pacotes ou seguindo esse tutorial:
    Como instalar a versão mais recente do Wine no Ubuntu

    Depois, para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:cybolic/vineyard-testing

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install vineyard

    Como instalar o Vineyard manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite vineyard no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Vineyard no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:cybolic/vineyard-testing --remove
    sudo apt-get remove vineyard
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o Double Commander no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Como instalar o Double Commander no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Está precisando de um gerenciador de arquivos poderoso e cheio de recursos? Pois então experimente instalar o Double Commander no Ubuntu, Linux Mint e derivados.


    Double Commander é um ótimo gerenciador de arquivos de código aberto e multiplataforma, que tem como principal diferencial o fato de possuir dois painéis lado a lado.

    Como instalar o Double Commander no Ubuntu, Linux Mint e derivados

    Esse gerenciador é inspirado pelo Total Commander, mas apresenta algumas ideias novas. Além disso, ele suporta operações de rede, tem editor de texto, suporte arquivos empacotados, tem função de pesquisa, Tabs, e muitos mais.

    Com os dois painéis, o usuário tem em mãos um poderoso utilitário de gerenciamento de arquivos que pode ser usado para navegar por arquivos específicos em duas partições diferentes e facilmente comparar diretórios.

    Principais características do Double Commander

    • Possui um editor de texto interno (F4) com destaque de sintaxe;
    • Possui um visualizador de arquivos embutido (F3) para visualizar arquivos em formato de hex, binário ou texto;
    • Arquivos são tratados como subdiretórios. Com isso, você pode facilmente copiar arquivos entre arquivos arquivos compactados. Os tipos de arquivos suportados para esse tipo de tarefa são: ZIP, TAR GZ, TGZ, LZMA e também BZ2, RPM, CPIO, DEB, RAR;
    • Função de pesquisa avançada com pesquisa de texto completa em todos os arquivos;
    • Botão configurável pode ser usado para iniciar programas externos ou comandos de menu internos;
    • Suporta plug-ins do Total Commander WCX, WDX e WLX;
      Todas as operações de arquivos são registradas;
    • Suporte a Unicode;
    • Todas as operações de trabalho são feitas em segundo plano;
    • Ferramenta para renomear múltiplos arquivos;
    • Interface com abas;
    • Colunas personalizadas;
    • E muito mais.

    Conheça melhor o Double Commander no Ubuntu

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Double Commander no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Double Commander no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:alexx2000/doublecmd

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Use o comando abaixo para instalar a versão GTK do programa;

    sudo apt-get install doublecmd-gtk

    Passo 5. Use o comando abaixo para instalar a versão GTK do programa;

    sudo apt-get install doublecmd-qt

    Como instalar o Double Commander manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite double no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Double Commander no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Double Commander no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:alexx2000/doublecmd --remove
    sudo apt-get remove doublecmd*
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o mensageiro Jitsi no Linux

    Como instalar o mensageiro Jitsi no Linux

    Se você não está contente com seu atual mensageiro, experimente instalar o Jitsi no Linux, um comunicador que pode ser uma boa alternativa, até mesmo para o Skype.


    Jitsi é um mensageiro instantâneo open source e multiplataforma, para telefonia de áudio/vídeo via Internet. Ele oferece suporte a alguns dos mais populares protocolos de mensagens instantâneas e telefonia tais como SIP, Jabber/XMPP (e, portanto, Facebook e Google Talk), AIM, ICQ, MSN, Yahoo! Messenger.

    Como instalar o mensageiro Jitsi no Linux

    Como instalar o mensageiro Jitsi no Linux

    Conheça melhor o Jitsi Instant Messenger

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instalando o Jitsi no Linux

    Jitsi Instant Messenger está disponível em pacote DEb e RPM, e pode ser instalado seguindo os procedimentos aabaixo:

    Instalando o Jitsi no Linux Ubuntu e sistemas com suporte a pacotes DEB

    Para instalar o Jitsi Instant Messenger no Linux Ubuntu e sistemas com suporte a pacotes DEB, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-os com os nomes jitsi-keyring.deb e jitsi.deb:

    wget https://download.jitsi.org/unstable/jitsi-archive-keyring_1.0.1_all.deb -O jitsi-keyring.deb
    wget https://download.jitsi.org/unstable/jitsi_2.11.5568-1_i386.deb -O jitsi.deb

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-os com os nomes jitsi.deb:

    wget https://download.jitsi.org/unstable/jitsi-archive-keyring_1.0.1_all.deb -O jitsi-archive-keyring.deb
    wget https://download.jitsi.org/unstable/jitsi_2.11.5568-1_amd64.deb -O jitsi.deb

    Passo 5. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i jitsi.deb

    Passo 6. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

    sudo apt-get install -f

    Passo 7. Caso seja necessário, desinstale o programa usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove jitsi

    Como instalar o Jitsi no Ubuntu, Debian, Mint e derivados via repositório

    Para instalar o Jitsi no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo sh -c "echo 'deb https://download.jitsi.org stable/' > /etc/apt/sources.list.d/jitsi-stable.list"

    Passo 3. Baixe a chave do repositório do programa com o comando:

    wget -qO - https://download.jitsi.org/jitsi-key.gpg.key | sudo apt-key add -

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

     sudo apt-get -y install jitsi

    Instalando o Jitsi no Linux Fedora e sistemas com suporte a pacotes RPM

    Para instalar o Jitsi Instant Messenger no Linux Fedora e sistemas com suporte a pacotes RPM, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome jitsi.rpm;

    wget https://download.jitsi.org/jitsi/nightly/rpm/jitsi-2.11-5568.i686.rpm -O jitsi.rpm

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome jitsi.rpm;

    wget https://download.jitsi.org/jitsi/nightly/rpm/jitsi-2.11-5568.x86_64.rpm -O jitsi.rpm

    Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo yum localinstall jitsi.rpm

    ou

    sudo dnf install jitsi.rpm

    Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo zypper install jitsi.rpm

    Passo 7. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

    sudo rpm -i jitsi.rpm

    Passo 8. Depois, se precisar desinstalar o programa, use esse comando:

    sudo rpm -e jitsi*

    Instalando o Jitsi no Fedora e derivados

    Para instalar o Jitsi no Fedora e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo wget https://download.jitsi.org/jitsi/rpm/jitsi.repo -O /etc/yum.repos.d/

    Passo 3. Finalmente, instale o programa usando o seguinte comando:

    sudo yum install jitsi

    Ou

    sudo dnf install jitsi

    Passo 4. Caso seja necessário, desinstale o pacote de temas Arc, usando o comando abaixo;

    yum remove jitsi

    Ou

    sudo dnf remove jitsi

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite jitsi no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como monitorar o consumo de sua conexão de internet em um terminal Linux

    Como monitorar o consumo de sua conexão de internet a partir de um terminal Linux

    Precisando de uma ferramenta simples para monitorar a conexão de internet a partir de um terminal Linux? Então instale e experimente o Nbwmon.


    nbwmon (ncurses monitor de banda) é uma ferramenta simples que nos permite ter informações detalhadas em tempo real sobre a atual conexão de Internet, diretamente do terminal.

    Como monitorar o consumo de sua conexão de internet a partir de um terminal Linux

    O programa suporta qualquer tipo de conexão como wireless, Ethernet ou Mobile Internet e tem várias personalizações, bem como pode detectar automaticamente o tipo de conexão ativa.

    Graças a ncurses, nbwmon tem gráfico de largura de banda e também irá fornecer detalhes como a velocidade de upload e download atual, média e máxima durante o tráfego total. ncurses adapta-se automaticamente para a janela e ajusta a escala dos vários gráficos e redimensiona os vários detalhes da conexão.

    Conheça melhor o nbwmon

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Instale o nbwmon no Linux para monitorar o consumo de sua conexão de internet a partir de um terminal Linux

    Para instalar o nbwmon no Linux e monitorar o consumo de sua conexão de internet a partir de um terminal Linux, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (No Unity, use o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

    uname -m

    Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome nbwmon:

    wget https://ufpr.dl.sourceforge.net/project/linuxfreedomfor/Linux/nbwmon%20bin/32bit/nbwmon

    Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome nbwmon:

    wget https://ufpr.dl.sourceforge.net/project/linuxfreedomfor/Linux/nbwmon%20bin/64bit/nbwmon

    Passo 5. Coloque o arquivo na pasta de binários do Linux, com o comando;

    sudo mv nbwmon /usr/bin/nbwmon

    Passo 6. Torne o arquivo executável com este comando:

    sudo chmod +x /usr/bin/nbwmon

    Passo 7. Inicie o programa digitando o comando abaixo;

    nbwmon

    Para terminar o programa basta teclar q, digitar CTRL+C ou fechar o terminal. Nbwmon também tem algumas opções de personalização que podem ser inseridas após o comando:

    -n nenhuma cor
    -u graphmax unificado
    -i interface de rede
    -d segundos para atualizar
    -l altura do gráfico

    Se quiser, com essas opções, você pode por exemplo, monitorar a conexão wireless (wlan0) e atualizá-los a cada segundo. Para isso, apenas use esse comando:

    nbwmon-i wlan0 d 1

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o desktop ZappWM no Ubuntu, Debian e derivados

    Como instalar o desktop ZappWM no Ubuntu

    Se você quer um ambiente gráfico simples, leve e fácil de usar, então experimente instalar o desktop ZappWM no Ubuntu, Debian e derivados.


    O ambiente ZappWM é um desktop baseado no ROX e no Fluxbox e está totalmente customizado para Debian/Ubuntu e derivados.

    Como instalar o desktop ZappWM no Ubuntu

    Ele tem atalhos para as principais redes sociais, contas de e-mail, cloud computing, blogs etc, através da janela “Social Life”. Atalhos para os principais aplicativos utilizados em um desktop Linux no Link “QuickApps” e Links para todos os programas instalados em “All Apps”.

    Os atalhos padrões estão focados para as aplicações mais comuns do Ubuntu/Debian/Mint. Mas você pode personalizá-los ao seu gosto.

    Se um atalho não funcionar, basta remover o ícone ou instalar o aplicativo correspondente. Sem contar, que por ser baseado no ROX, o usuário tem total suporte a arrastar e soltar.

    Esse ambiente está há um bom tempo sem receber atualizações, portanto, não há garantias que ele seja atualizado nos próximos dias.

    Conheça melhor o desktop ZappWM

    Para saber mais sobre as características do programa e o que ele pode fazer, clique nesse link.

    Instalando o desktop ZappWM no Ubuntu, Debian e derivados

    Para instalar o desktop ZappWM no Ubuntu, Debian e derivados faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Baixe o pacote DEB do ambiente com o comando:

    wget -c http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/zappwm/zappwm_4.2_all.deb -O zappwm.deb

    Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

    sudo dpkg -i zappwm.deb

    Passo 4. Aparecerá uma mensagem de erro parecida com essa:

    A seleccionar pacote anteriormente não seleccionado zappwm.
    (Lendo banco de dados ... 235227 ficheiros e directórios actualmente instalados.)
    Desempacotando zappwm (de zappwm_4.2_all.deb) ...
    dpkg: problemas com dependências impedem a configuração de zappwm:
     zappwm depende de rox-filer; porém:
      Pacote rox-filer não está instalado.
     zappwm depende de fluxbox; porém:
      Pacote fluxbox não está instalado.
     zappwm depende de menu; porém:
      Pacote menu não está instalado.
     zappwm depende de pcmanfm; porém:
      Pacote pcmanfm não está instalado.
    
    dpkg: erro ao processar zappwm (--install):
     problemas de dependência - deixando desconfigurado
    Erros foram encontrados durante o processamento de:
     zappwm

    Passo 5. para corrigir e terminar a instalação, use o comando:

    sudo apt-get -f install -y

    Acessando o ambiente ZappWM

    Uma vez que a instalação estiver concluída, saia da sua sessão atual do Ubuntu.

    Na tela de login, clique no ícone que fica no canto superior direito da tela de login Ubuntu (o circulo branco, próximo ao nome de usuário) e será mostrado um menu com todas as opções de ambientes de desktop atualmente instalados.

    A mais recente adição a esta lista será o ZappWM. Clique nesta opção e em seguida, coloque suas credenciais de login e confirme para entrar no novo ambiente.

    Como instalar o desktop ZappWM no Ubuntu

    Desinstalando o programa no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o programa no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o ambiente, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove zappwm
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale e use o Flacon para extrair faixas de áudio

    Instale e use o Flacon para extrair faixas de áudio

    Se você está precisando extrair faixas de áudio, experimente instalar o Flacon e usá-lo para resolver o seu problema.


    Flacon é um aplicativo de código aberto, escrito em C++ e construído usando as bibliotecas Qt, que permite aos usuários extrair faixas individuais de grandes arquivos de áudio.

    Instale e use o Flacon para extrair faixas de áudio

    O programa tem suporte para os seguintes formatos (arquivos de entrada): WAV, FLAC, APE, WavPack, True Audio (TTA) e as seguintes saídas: FLAC, WAV, WavPack, AAC, OGG ou MP3.

    Flacon extrai faixas individuais de um grande arquivo de áudio, contendo um álbum inteiro de música e os salva como arquivos de áudio separados.

    Para fazer isso, ele usa informações do arquivo CUE apropriado. Além disso, Flacon torna possível rever ou especificar as tags, tanto para todas as faixas de uma vez ou para cada tag separadamente.

    Conheça melhor o Flacon

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Flacon no Ubuntu para extrair faixas de áudio

    Para instalar o Flacon no Ubuntu para extrair faixas de áudio, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:flacon/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install flacon

    Como instalar o Flacon manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite flacon no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Flacon no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Flacon no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:flacon/ppa --remove
    sudo apt-get remove flacon
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu

    Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu

    Essa dica é para os usuários que gostaram do visual do novo Windows, mas claro, não querem usar o sistema. Para esses, basta instalar o tema Windows 10 no Ubuntu e deixar o desktop com a cara dele.


    Muitas pessoas gostaram da interface do Windows 10, principalmente porque agora ela vem com boa parte das características que o Linux e o Mac, já têm há anos (a lista é bem grande).

    Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu

    Para estes e para os usuários recém-chegados ao Linux, é possível deixar o desktop Linux com um visual vem parecido, usando o tema Windows 10.

    Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu

    tema Windows 10

    O tema Windows 10 está disponível em duas versões: uma clara e a outra escura, o que permite que você possa usar no ambiente que quiser. Mas lembre-se, se você não gostar dele, então não é preciso usá-lo.

    Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu

    Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu

    Este tema funciona bem sob Cinnamon e Xfce, mas também pode funcionar sob outros ambientes de trabalho como o Unity, (Gnome tem alguns problemas com ele, mas não custar nada tentar usá-lo nele).

    Este pacote é compatível com os seguintes ambientes de desktop: Cinnamon, Unity, XFCE 4, OpenBox 3, Gnome Shell, Lxde, Mate, GTK, KDE Plasma 5.

    Conheça melhor o tema Windows 10

    Para saber mais sobre o tema, clique nesse NoobsLab.

    Instalando o tema Windows 10 no Ubuntu e derivados

    Para instalar o tema Windows 10 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:noobslab/themes

    Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Finalmente, instale o tema Windows 10 usando o seguinte comando:

    sudo apt-get install windos-10-themes

    Como instalar o tema Windows 10 manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do tema nesse link e instalar ele manualmente, clicando duas vezes nele ou executando os comandos abaixo:

    wget https://launchpad.net/~noobslab/+archive/ubuntu/themes/+files/windos-10-themes_1.0~yakkety~NoobsLab.com_all.deb -O windos-10-theme.deb
    sudo dpkg -i windos-10-theme.deb
    sudo apt-get install -f

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Desinstalando o tema Windows 10 no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o tema Windows 10 no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o tema Windows 10, usando o comando abaixo;

    sudo apt-get remove windos-10-themes

    Para voltar ao estado anterior, use novamente o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak, para mudar o tema, use este tutorial:

    Como mudar o tema e conjunto de ícones padrão do Ubuntu.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    25 de abril de 2017

    Como desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox

    Como desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox

    Embora não seja recomendado, em algum momento você pode precisar desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox. Por isso, veja aqui como fazer isso.


    Depois de ver o tutorial sobre como ativar a aceleração por hardware no Chrome/Chromium um leitor me perguntou sobre como fazer o mesmo no Firefox. Apesar da resposta ser simples (essa opção já vem ativada no Firefox), resolvi responder isso através desse tutorial para que todos possam conhecer esse aspecto do navegador da Mozilla.

    Como desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox

    Para fazer o procedimento a seguir seu PC precisa ter uma placa gráfica que suporte esse recurso e ele precisa estar ativado nela. Para verificar isso, use este tutorial;
    Como testar a aceleração 3D no Ubuntu e derivados

    A aceleração por hardware é um recurso que serve para otimizar o carregamento de páginas. Contudo, isso ainda não é suportada por todas as placas do mercado e até possui incompatibilidade com alguns drivers, o que pode resultar em lentidão e travamentos.

    Portanto, se você achar que o Firefox está se comportando mal em seu computador (demorando para inicializar, fontes borradas ou lentidão generalizada), desativar aceleração por hardware pode ser a solução. Para conseguir isso, basta seguir os passos desse tutorial.

    E quando quiser voltar ao estado anterior, basta refazer esses mesmos passos e pronto.

    Conheça melhor o Firefox

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox

    Para desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra o navegador;
    Passo 2. Clique no menu “Editar” e depois na opção “Preferências”;

    Como desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox

    Passo 3. Na tela que aparece, clique na aba “Avançado”;

    Como desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox

    Passo 4. Em “Avançado”, marque ou desmarque o item “Quando disponível, usar aceleração por hardware” (de acordo com a sua necessidade) e então, clique em “OK”;

    Como desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox

    Pronto! Agora você já sabe como desativar ou ativar a aceleração por hardware no Firefox e pode fazer isso sempre que precisar.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick no terminal

    redimensionar e converter imagens

    Quer utilizar o terminal para tarefas rápidas com imagens? Então, veja como redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick.


    Apesar do preconceito que muitos usuários tem com o Terminal, ele pode ser bastante produtivo em algumas situações, até mesmo por exemplo, para redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick.

    Como redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick no terminal

    ImageMagick é uma suíte de software livre para a criação, modificação e exibição de imagens de bitmap. Ele tem um monte de utilitários adicionais, mas um em especial, o convert, é o que será usado para redimensionar e converter via terminal.

    Claro, existem outros aplicativos (como o GIMP) que podem ser usados para converter e redimensionar imagens, mas para fazer isso no terminal, usaremos o ImageMagick.

    Conheça melhor o ImageMagick

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como redimensionar e converter imagens usando o ImageMagick no terminal

    Para redimensione imagens rapidamente usando o ImageMagick no terminal, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T).
    Passo 2. Se o ImageMagick não estiver instalado em seu sistema, você pode instalar ele executando o comando abaixo:

    sudo apt-get install imagemagick

    Passo 3. Depois, para redimensionar uma imagem, use a seguinte sintaxe (substitua imagem-original pelo nome da imagem a ser redimensionada e nova-imagem pelo nome que achar mais adequado):

    convert imagem-original -resize % nova-imagem

    Passo 4. Ou seja, se você for redimensionar uma imagem em 60%, use o comando:

    convert imagem-original -resize 60% nova-imagem

    Passo 5. Se você quiser converter imagens de um formato para outro, o ImageMagick também pode ajudá-lo a fazer isso muito facilmente com a ajuda de um único comando usando a seguinte sintaxe:

    convert nome-imagem.jpg nome-imagem.png

    Passo 6. Como exemplo, você pode converter usando o comando:

    convert exemplo.jpg exemplo.png

    Isso foi apenas o básico do que é possível fazer. Para ver uma lista dos parâmetros e mais algumas possibilidades de uso, acesse a página desse utilitário ou nessa outra página.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    OpenRA: instale o Command & Conquer de código aberto

    OpenRA: instale o Command & Conquer de código aberto

    Se você é fã de jogos de estratégia, principalmente dos antigos, conheça o OpenRA, o Command & Conquer de código aberto, e veja como instalar ele no Ubuntu.


    OpenRA é um projeto open source que recria os títulos clássicos de Command & Conquer: Tiberian Dawn, Red Alert e Dune 2000. Estes não se destinam a ser cópias perfeitas, mas em vez disso, combinam a jogabilidade clássica dos jogos originais com melhorias modernas.

    OpenRA: instale o Command & Conquer de código aberto

    OpenRA: instale o Command & Conquer de código aberto

    OpenRA: instale o Command & Conquer de código aberto

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o OpenRA, o Command & Conquer de código aberto

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Para obter informações sobre esta versão, consulte o anúncio oficial.

    Como instalar OpenRA, o Command & Conquer de código aberto, no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o OpenRA no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo sh -c 'echo "deb http://archive.getdeb.net/ubuntu $(lsb_release -rs)-getdeb games" >> /etc/apt/sources.list.d/getdeb.list'

    Passo 3. Baixe e instale a chave do repositório do programa com o comando:

    wget -q -O - http://archive.getdeb.net/getdeb-archive.key | sudo apt-key add -

    Passo 4. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 5. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install openra

    Como instalar o OpenRA manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite openra no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando OpenRA, o Command & Conquer de código aberto, no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o OpenRA no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove openra
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Conheça 3 maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Conheça 3 maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Quer mudar a posição do lançador do Unity? Então conheça três maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela.


    Finalmente o Ubuntu já permite colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela. A novidade, veio junto com o Ubuntu 16.04 há alguns meses e era aguardada por muitos usuários, principalmente por aqueles que eram forçados a usar aplicativos do tipo dock para conseguir o que queria.

    Conheça 3 maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Abaixo você encontrará mais imagens, do lançador do Unity na parte inferior da tela:

    Conheça 3 maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Conheça 3 maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Conheça 3 maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Para ver mais detalhes, assista ao vídeo abaixo:

    Como colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Se você já está usando o Ubuntu 16.04, veja a seguir como colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela, usando a ferramenta Unity Tweak Tool, Dconf-Editor e Gsettings.

    Como colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela usando o Unity Tweak Tool

    Para colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela no Ubuntu 16.04, você pode usar o Unity Tweak Tool. Para isso, faça o seguinte:
    Passo 1. Se você ainda não tem o programa no sistema, use a Central de programas do Ubuntu para instalar, ou abra um terminal e digite o seguinte comando;

    sudo apt-get install unity-tweak-tool

    Passo 2. Para iniciar o programa, digite unity tweak no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB);

    Conheça 3 maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Passo 3. Na tela do programa, clique no item “Lançador”;

    Conheça 3 maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Passo 4. Dentro de “Lancador”, marque a opção “Bottom”. Aproveite e experimente as outras opções para deixar o lançador do jeito que você quer.

    Conheça 3 maneiras de colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela

    Como colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela usando o Dconf-Editor

    Para colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela no Ubuntu 16.04, você pode usar o Dconf Editor. Para isso, faça o seguinte:
    Passo 1. Se ainda não tiver o programa, clique nesse link para abrir a central de programas do Ubuntu e instalar a ferramenta Dconf-Editor ou use o seguinte comando em um terminal:

    sudo apt-get install dconf-editor

    Passo 2. Uma vez instalado, inicie o programa, digitando dconf no Dash ou em um terminal, seguido da tecla TAB;
    Passo 3. Quando o programa estiver aberto, no painel esquerdo, clique no item “com”, depois em “canonical”, a seguir em “unity” e finalmente em “launcher”. Em seguida, vá até o item “launcher-position” e altere-o para “Bottom”.

    Ubuntu 16.04 já permite colocar o lançador do Unity na base da tela

    Como colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela usando o Gsettings

    Para colocar o lançador do Unity na parte inferior da tela no Ubuntu 16.04, você também pode usar o Gsettings. Para isso, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Execute o comando abaixo para ara colocar o lançador do Unity na base da tela:

    gsettings set com.canonical.Unity.Launcher launcher-position Bottom

    Pronto! Agora o lançado do Unity está do jeito que você quer.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como esconder arquivos e pastas sem renomeá-los

    Como esconder arquivos e pastas sem renomeá-los

    Quer ocultar alguns arquivos no Linux, mas não está conseguindo mudar o nome deles para fazer isso? Então veja como esconder arquivos e pastas sem renomeá-los.


    No Linux, se você deseja ocultar um arquivo ou pasta para que ele não apareça em seu gerenciador de arquivos ou na listagem padrão do terminal, basta renomeá-lo, adicionando um ponto (“.”) No início do nome do arquivo.

    Como esconder arquivos e pastas sem renomeá-los

    No entanto, existem situações em que você pode querer ocultar um arquivo ou pasta sem renomeá-lo. Por exemplo, quando alguns aplicativos insistem na criação de uma pasta no diretório home do usuário ou na pasta Documentos (e assim por diante), e por algum motivo eles não podem ser renomeados.

    Para essas situações ou qualquer outras razões, felizmente há outra maneira de esconder arquivos e pastas ou ao menos impedi-los de aparecer no gerenciador de arquivos. Veja abaixo como fazer isso.

    Como esconder arquivos e pastas sem renomeá-los

    Para esconder arquivos e pastas sem renomeá-los, basta criar um arquivo chamado “.hidden” (há um ponto na frente de “hidden” de modo que este é um arquivo oculto!) e neste arquivo, digite o nome dos arquivos e pastas que você deseja esconder, cada um em uma linha separada.

    Por exemplo: suponha que você tem uma pasta chamada “FOLDER1” e um arquivo chamado “FILE1” em seu diretório home e você quer esconder ambos, sem renomeá-los. Para fazer isso, crie um arquivo chamado “.hidden” em seu diretório home, e neste arquivo, adicione as duas linhas abaixo e salve o arquivo.

    FOLDER1
    FILE1

    Em seguida, atualize a pasta (F5 ou pressione Ctrl + R) e os arquivos ou pastas devem deixarão de ser visíveis em seu gerenciador de arquivos.

    Essa mudança deve funcionar com os gerenciadores de arquivos Nautilus, Nemo, Caja, Thunar (versão 1.6.3 e mais recentes) e Pantheon Files (apenas a partir do Freya), mas podem haver outros softwares que suportem essa modificação.

    Vale lembrar que no Thunar você precisará navegar para uma pasta separada para que as alterações sejam aplicadas, pois atualizar a visualização não é suficiente.

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Backup e restauração de apps: Instale o Aptik

    Backup e restauração de apps: Instale o Aptik

    Se você precisa fazer backup e restauração de apps, experimente o Aptik. Conheça um pouco mais sobre ele e veja como instalar o programa no Ubuntu e sistemas derivados.


    Aptik foi criado para ajudar a tornar a instalação de pacotes mais fácil, e por isso, é a ferramenta ideal para ser usada após uma nova instalação do Ubuntu. Com ele você pode fazer um backup de seus repositórios PPA, aplicativos baixados, temas e ícones, e depois recuperá-los na nova instalação.

    Backup e restauração de apps: Instale o Aptik

    Usando o Aptik você pode até mesmo ver o uso dos repositórios PPA, por exemplo, PPAs com um ícone verde são ativos e têm alguns pacotes instalados, já PPAs com um ícone amarelo são ativos, mas não utilizados (não tem nenhum pacote instalado).

    Conheça melhor o Aptik

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar a ferramenta de backup e restauração de apps Aptik no Ubuntu

    Para instalar a ferramenta de backup e restauração de apps Aptik no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

    sudo apt-add-repository -y ppa:teejee2008/ppa

    Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install aptik

    Como instalar o Aptik manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite aptik no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Backup e restauração de apps: Instale o Aptik

    • Para fazer backup de repositórios, use o botão “Cópia de segurança (Backup)”que fica depois de Repositórios (PPAs)”.
    • Para fazer backup de seus pacotes de instalação baixados, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)” de “Pacotes Baixados (APT Cache)”.
    • Para backup de seus programas favoritos, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)” que fica depois de “Seleção de Programas”. Uma lista de pacotes de nível superior instalados serão exibidos. Depois, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)”, para copiar os pacotes baixados.
    • Para fazer backup das configurações de seus aplicativos, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)” de “Configurações de Aplicativos”.
    • Para temas, clique no botão “Cópia de segurança (Backup)” de “temas e ícones”. Uma lista de temas instalados serão exibidos, para que você possa selecionar e criar uma cópia.

    Desinstalando a ferramenta de backup e restauração de apps Aptik no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Aptik no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove aptik
    sudo apt-get autoremove

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu

    Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu

    Emuladores de games existem aos montes, mas esse se destaca por rodar jogos comerciais de GameCube e Wii. Conheça e veja como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu.


    Dolphin é um emulador open-source de Nintendo GameCube, Wii e Triforce que tem versões para Linux, Microsoft Windows e Mac OS X (Intel).

    Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu

    Ele é o primeiro emulador a executar com êxito jogos comerciais de GameCube e Wii, além de ser o único emulador capaz de rodar jogos comerciais do Wii. Seu nome é uma referência para o Nintendo Dolphin, que foi o codinome para o GameCube.

    A maioria dos jogos funcionam perfeitamente ou com pequenos bugs. Além disso, os jogos são reproduzidos com qualidade HD, até 1080p. Inclusive, esta é uma característica marcante que o GameCube real e Wii não são capazes de fazer.

    Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu

    Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu

    Acima de tudo, Dolphin é um projeto conduzido pela comunidade com os desenvolvedores de todo o mundo que trabalham em conjunto para trazer este incrível software de alta qualidade com características marcantes.

    Como resultado, o programa é desenvolvido ativamente e quase todos os dias novas funcionalidades são adicionadas e bugs corrigidos também.

    Conheça melhor o emulador de jogos Dolphin

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Para ver o emulador em ação, acesse essa página que contém diversas demos em vídeo.
    Se quiser ver o emulador em ação, assista o vídeo abaixo:

    Como instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Descubra qual a versão do Ubuntu que você está usando, executando este comando:

    lsb_release -rs

    Passo 3. Se seu Ubuntu for o 12.04 ou 14.04, use o comando abaixo para adicionar um repositório que instalará a versão atualizada da libstdc++6 (uma dependência do emulador) ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:dolphin-emu/gcc-for-dolphin

    Passo 4. Se seu Ubuntu for o 14.04 ou superior, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:dolphin-emu/ppa

    Passo 5. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 6. Agora use o comando abaixo para instalar o programa (disponível para Ubuntu 12.04,1.04,14.10,15.04, 15.10, 16.10 e 17.04);

    sudo apt-get install dolphin-emu

    Passo 7. Se preferir, use o comando abaixo para instalar a versão de desenvolvimento do programa (disponível para Ubuntu 12.04,1.04,14.10,15.04, 15.10, 16.04, 16.10 e 17.04);

    sudo apt-get install dolphin-emu-master

    Como instalar o emulador de jogos Dolphin manualmente ou em outras distros

    Para aqueles que não conseguiram instalar com o procedimento acima, não querem adicionar o repositório ou querem tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite dolphin no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o emulador de jogos Dolphin no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove dolphin-emu
    sudo apt-get autoremove

    Passo 3. Desinstale a versão de desenvolvimento do programa, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get install dolphin-emu-master
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Instale o Profile Cleaner e reduza o tamanho dos perfis de navegadores

    Instale o Profile Cleaner e reduza o tamanho dos perfis de navegadores

    Se você precisa diminuir o tamanho dos perfis de navegadores, experimente instalar e usar o Profile Cleaner.


    Profile Cleaner é um aplicativo que permite reduzir o tamanho dos perfis do navegador, organizando suas bases de dados SQLite usando as funções vacuum e reindex desse banco. Apesar de voltado para navegadores, o programa também funciona em alguns clientes de e-mail e leitores de notícias.

    Instale o Profile Cleaner e reduza o tamanho dos perfis de navegadores

    O programa suporta os seguintes navegadores: Chromium, Conkeror, Firefox (estável, beta e aurora), Google Chrome (estável, beta e dev), Heftig’s Aurora, Midori, Newsbeuter, Seamonkey, Thunderbird, Tor-browser e claro, alguns outros que não são listados, mas que funcionam com o programa.

    Conheça melhor o Profile Cleaner

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como instalar o Profile Cleaner no Ubuntu para diminuir o tamanho dos perfis de navegadores

    Para instalar o Profile Cleaner no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações del, você deve fazer o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando ou use esse tutorial;

    sudo add-apt-repository ppa:graysky/utils

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

    sudo apt-get install profile-cleaner

    Como instalar o Profile Cleaner manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Como usar o Profile Cleaner para diminuir o tamanho dos perfis de navegadores

    Para usar o Profile Cleaner para diminuir o tamanho dos perfis de navegadores, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
    Passo 2. Execute o seguinte comando para fazer a limpeza no Firefox;

    profile-cleaner f

    Se quiser fazer em outro navegador, use uma dessas opções:

    Instale o Profile Cleaner e reduza o tamanho dos perfis de navegadores

    Desinstalando o Profile Cleaner no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Profile Cleaner no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o programa, usando os comandos abaixo;

    sudo add-apt-repository ppa:graysky/utils --remove
    sudo apt-get remove profile-cleaner
    sudo apt-get autoremove

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Compre 26 jogos do Steam por apenas um dólar! Aproveite!

    Compre 26 jogos do Steam por apenas um dólar

    Quer dar aquela “up” na sua biblioteca do Steam? Então aproveite e compre 26 jogos do Steam por apenas um dólar.


    Sim, é verdade. Você pode adicionar 26 novos jogos oficiais do Steam à sua biblioteca, pelo pequeno valor de um dólar (pouco mais de três reais). Os 26 Jogos (24 dos quais podem ser jogados no Linux) estão sendo oferecidos no Bundle Stars Dollar Forever Bundle.

    Compre 26 jogos do Steam por apenas um dólar

    Compre 26 jogos do Steam por apenas um dólar

    O anúncio da oferta diz que: “Se você se quer se tornar um monstro assustador com um apetite por arqueólogos, aproveitar a vida como um cara surfando nas ondas, ou viver como um gatinho, há diversão viciante para todos”.

    26 jogos do Steam por apenas um dólar?

    Tem muitas coisas que você pode comprar pelo valor de um dólar, mas todas são bem pequenas e pouco úteis. Alternativamente, você poderia desperdiçar esse valor em 26 jogos casuais, que podem (sem promessas) ajudar você passar um pouco de tempo enquanto espera um download terminar, uma pizza cozinhar, etc.

    Compre 26 jogos do Steam por apenas um dólar! Aproveite!

    Agora, não se empolgue. Nenhum dos jogos incluídos neste pacote são o que chamamos de grandes games, top, mega ou qualquer outra denominação de “Melhores”. Existem alguns títulos que você pode ter ouvido falar, como Timberman, e, e, e… O restante fica na linha entre a perda de tempo e desperdício de tempo.

    Conheça melhor o Bundle Stars: Dollar Forever Bundle

    Para saber mais sobre essa promoção do Steam, clique nesse link.

    Dê uma boa olhada, e se você gostar ou achar que vale a pena, compre e deixe sua opinião nos comentários dessa postagem.

    Antes que alguém pergunte nos comentários…
    Não, este não é um texto patrocinado. É apenas um sugestão de uma boa promoção que poderá dar aos compradores, algumas horas de diversão, por um preço bem em conta.
    Portanto, aproveite e divirta-se!!!

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Precisando gravar uma imagem ISO e a mídia está pequena? Pra resolver isso, veja como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster. Conheça o programa e veja como usá-lo.


    ISO Master é um editor gráfico de imagens ISO para Linux e BSD, que é muito fácil de usar. Basicamente, você pode usar este programa para extrair arquivos de uma ISO, adicionar arquivos de uma ISO, e criar ISOs de boot – tudo usando uma interface gráfica. Ele também pode abrir os arquivos ISO e NRG, mas só pode salvar como ISO.

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Por exemplo, imagine que você tem uma uma imagem ISO de um sistema Linux que tem tamanho de 4.1 GB e quer instalar em seu PC, mas você tem apenas um pendrive USB de 4GB (Atenção! é só um exemplo, ok?).

    O que você faz agora?. Você pode reduzir o tamanho da imagem ISO para caber em seu drive USB, para depois gravá-la normalmente.

    Conheça melhor o ISOMaster

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    A boa notícia é que o ISOMaster está disponível nos repositórios padrão do Ubuntu. Por isso, Para instalar ele, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Agora instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install isomaster

    Passo 3. Execute o ISOMaster a partir do seu Dash ou de um menu. Se ele não estiver presente em nenhuma dessas opções, inicie o programa a a partir de um terminal usando o comando:

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    isomaster

    Passo 4. Selecione e abra o arquivo ISO que você deseja personalizar e remova pacotes indesejáveis até que você tenha o tamanho necessário. Por exemplo, se você estiver mexendo numa imagem de instalação de uma distribuição Linux e não for usar o ambiente desktop KDE, exclua todos os pacotes relacionados a ele (que geralmente têm o kde no nome). Exclua os pacotes indesejados para reduzir o tamanho da ISO e certifique-se de que você não excluiu quaisquer pacotes importantes, tais como pacotes relacionados ao kernel;

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Passo 5. Quando o arquivo estiver no tamanho que deseja , vá no menu “Arquivo” e clique e “Salvar como”. Depois, digite o nome para sua imagem ISO e estará pronto.

    Como reduzir o tamanho de arquivos ISO com ISOMaster

    Como gravar uma imagem ISO no Linux

    Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
    Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
    Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
    Como criar um pendrive de instalação
    Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks

    Pronto! Com esse aplicativo e um pouco de informação, você não passará mais nenhum “aperto” na hora de encaixar imagens ISO em mídias pequenas.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Lançado Budgie 10.3 com melhorias de velocidade e interface

    Lançado Budgie 10.3 com melhorias de velocidade e interface

    Foi lançada uma nova versão do ambiente de trabalho de código aberto Budgie, o Budgie 10.3. Conheça as novidades e veja como instalar ou atualizar.


    Para quem ainda não conhece, Budgie é o ambiente desktop padrão da distribuição Linux Evolve OS, Solus e Ubuntu Budgie.

    Lançado Budgie 10.3 com melhorias de velocidade e interface

    Lançado Budgie 10.3 com melhorias de velocidade e interface

    Ele é um ambiente desktop relativamente novo baseado no Gnome 3. Ele possui um único painel que, quando iniciado, utiliza quantidades triviais da RAM (em torno de 7MB). O ambiente foi projetado para o usuário moderno e é focado no desktop mínimo, elegante e simples.

    Vale lembrar que o Budgie agora pode imitar a aparência do desktop GNOME 2, opcionalmente, através de um ajuste nas preferências do painel.

    Novidades da última versão do Budgie Desktop

    Budgie 10.3 apresenta uma nova e melhorada interface para o atalho de teclado Alt + Tab. Este alternador de aplicativos via teclado agora está mais rápido, mais limpo e mais confiável.

    Lançado Budgie 10.3 com melhorias de velocidade e interface

    O leitor de música na barra lateral do Raven está mais bonito, e graças a alguns ajustes Mpris, o applet já não sofre de um problema que baixa arte de capa duplicada, algo que afetou alguns reprodutores de música.

    O Applet Clock oferece algumas opções de personalização, como mostrar o relógio de 24 horas e exibir a data atual.

    Lançado Budgie 10.3 com melhorias de velocidade e interface

    Vários applets Budgie receberam correções de bugs, incluindo suporte para volumes criptografados e compartilhamentos remotos (S/FTP, SMB) no applet Locais.

    Finalmente, agora a opção de configurações do Budgie permite que você mova os controles de janela para a direita ou para a esquerda.

    Como instalar o Budgie 10.3 no Ubuntu e seus derivados

    Para instalar o Budgie 10.3 no Ubuntu e seus derivados, dê uma olhada nos seguintes tutoriais.
    Como instalar o ambiente Budgie Desktop no Linux
    Como instalar o ambiente Budgie Desktop no Ubuntu

    Conheça melhor o Budgie

    Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link

    Fonte

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Como instalar a versão multiplataforma do IRPF 2017 no Linux manualmente

    Como instalar a versão multiplataforma do IRPF 2017 no Linux manualmente

    Se você teve dificuldade para instalar o IRPF usando arquivos .bin, veja como instalar o IRPF 2017 no Linux manualmente, usando a versão multiplataforma.


    Chegou a hora de acertar as contas com a Receita. E para começar a fazer sua declaração no Linux é preciso apenas instalar o programa gerador da declaração (IRRF), que está disponível na página da Receita Federal em versões para vários sistemas.

    Como instalar o IRPF 2017 no Linux manualmente

    Nesse tutorial, você verá como fazer isso usando a versão multiplataforma (que é um arquivo .Jar), que permite instalar o IRPF em praticamente qualquer distribuição Linux.

    Preparando o sistema para instalar o programa IRPF 2017 no Linux

    Um dos pré requisitos para instalar o programa IRPF no Linux é a instalação do Java mais recente, para isso, veja os tutoriais abaixo (de acordo com o feedback dos leitores, é recomendável usar a versão 8 da Oracle):

    Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
    Como instalar Java no Linux manualmente
    Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
    Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8

    Conheça melhor o IRPF 2017

    Para saber mais sobre o IRPF 2017 e as informações necessárias ao preenchimento de sua declaração, clique nesse link.

    Mais sobre o IRPF 2017

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Como instalar a versão multiplataforma do IRPF 2017 no Linux manualmente

    Para instalar a versão multiplataforma do IRPF 2017 no Linux manualmente, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Se for necessário, caso já tenha feito alguma instalação manual e ainda não tenha cadastrado nada no programa, apague a pasta e o atalho anterior com esses comandos;

    sudo rm -Rf /opt/irpf*
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/irpf.desktop

    Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão (selecionando a opção multiplataforma) e salve-o com o nome irpf.zip:

    wget http://downloadirpf.receita.fazenda.gov.br/irpf/2017/irpf/arquivos/IRPF2017-1.1.zip -O irpf2017.zip

    Passo 4 (Opcional) Caso tenha um erro relacionado a certificados (ERRO: não foi possível verificar o certificado de downloadirpf.receita.fazenda.g…, emitido por “/C=BR/O=ICP-Brasil/OU=Secretaria da Receita Federal do Brasil – RFB/CN=Autoridade Certificadora SERPRORFBv4”:);

    wget --no-check-certificate http://downloadirpf.receita.fazenda.gov.br/irpf/2017/irpf/arquivos/IRPF2017-1.1.zip -O irpf2017.zip

    Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

    sudo unzip irpf2017.zip -d /opt/

    Passo 6. Renomeie a pasta criada;

    sudo mv /opt/IRPF*/ /opt/irpf2017

    Passo 7. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

    echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=irpf2017\n Exec=java -Xms128M -Xmx512M -jar /opt/irpf2017/irpf.jar\n Icon=/\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/irpf2017.desktop

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite java -Xms128M -Xmx512M -jar /opt/irpf2017/irpf.jar em um terminal, seguido da tecla TAB.

    Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o gerenciador de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

    sudo chmod +x /usr/share/applications/irpf2017.desktop
    cp /usr/share/applications/irpf2017.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

    Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

    cp /usr/share/applications/irpf2017.desktop ~/Desktop

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
    Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

    Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

    Como remover o IRPF no Linux

    Para remover o IRPF no Linux, basta fazer o seguinte.
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Apague a pasta e o atalho do programa com esses comandos;

    sudo rm -Rf /opt/irpf*
    sudo rm -Rf /usr/share/applications/irpf2017.desktop

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Smuxi no Ubuntu: instale um cliente de chat multi protocolo

    Smuxi no Ubuntu: instale um cliente de chat multi protocolo

    Saiu mais uma versão do Smuxi, um cliente de chat multi protocolo que suporta IRC, Twitter, XMPP, Campfire e JabbR. Se você quiser experimentar esse programa, veja como instalar o Smuxi no Ubuntu e sistemas derivados.


    Smuxi é um cliente IRC, Twitter, XMPP, Campfire e JabbR fácil de usar e disponível para Linux, Windows e Mac OS X.

    Smuxi no Ubuntu: instale um cliente de chat multi protocolo

    O programa tem uma interface de documento tabulada, interface do usuário com guias, suporte para vários servidores e suporta cores de nick, que são idênticas através de canais e redes.

    Ele tem um modo de cursor, que permite navegar através das mensagens usando o teclado, temas com cores e fontes, suporte a ícone na bandeja configurável, remoção opcional de cores e formatações, e recursos convenientes como suporte CTCP, pesquisa de canais e autocompletar de apelido.

    O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

    Conheça melhor o Smuxi

    Para saber mais sobre as características desse programa e o que pode ser feito nele, clique nesse link.

    Instalando o Smuxi no Ubuntu e derivados

    Para instalar o Smuxi no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
    Passo 2. Se ainda não tiver, adicione esses repositórios com os seguintes comandos:

    sudo add-apt-repository ppa:meebey/smuxi-stable

    Passo 3. Atualize o APT com o comando:

    sudo apt-get update

    Passo 4. Agoara instale o programa com o comando:

    sudo apt-get install smuxi

    Como instalar o Smuxi manualmente ou em outras distros

    Se não quiser adicionar o repositório ou quer tentar instalar em outra distribuição baseada em Debian, você pode pegar o arquivo DEB do programa nesse link e instalar ele manualmente (clicando duas vezes nele).

    Mas lembre-se! Ao optar por esse tipo de instalação, você não receberá nenhuma atualização do programa.

    Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite smuxi no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

    Desinstalando o Smuxi no Ubuntu e derivados

    Para desinstalar o Smuxi no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
    Passo 1. Abra um terminal;
    Passo 2. Desinstale o smuxi, usando os comandos abaixo;

    sudo apt-get remove programa
    sudo apt-get autoremove

    Fonte.

    O que está sendo falado no blog nos últimos dias


    Planeta Ubuntu Brasil

    O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


    Última atualização:
    30 de abril de 2017, 02:01
    Horário UTC

    Planet ATOM
    RSS10 RSS20
    OPML FOAF

    Blogs inscritos


    © 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
    Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.