01 de abril de 2015

Como instalar o conversor de vídeo HandBrake com correções para o Unity

Se você instalou o Handbrak e ele está meio estranho, veja como instalar o conversor de vídeo HandBrake com correções para o ambiente Unity.
HandBrake com correções
HandBrake é um popular decodificador de vídeo de código aberto para Linux, Windows e Mac OS X. O programa é também uma ferramenta para ripar DVDs. Ele converte os filmes em MPEG-4 e, além de oferecer diversas opções de configuração, insere a legenda desejada diretamente no resultado final. O aplicativo vem com presets embutidos (perfis) e, além de formatos multimídia comuns, ele suporta DVD ou Bluray desprotegidos, legendas e muito mais.

A ferramenta funciona muito bem, no entanto, quando está sendo executada no ambiente no Unity algumas áreas aplicativo ficam pretas. O problema é causado pela sobreposição de barras de rolagem do Ubuntu.

Uma solução para quem estiver usando usando o programa no ambiente Unity, é adicionar o repositório PPA do +Marc Deslauriers. Com ele você terá uma correção para esse bug . Os pacotes HandBrake contido neste PPA também trazem uma integração que adiciona uma barra de progresso no Lançador Unity, para que você possa ver rapidamente o progresso da transcodificação sem precisar colocar a janela do Handbrake na frente dos outros programas.
handbrake-fixed

Conheça melhor o conversor de vídeo HandBrake

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para mais detalhes sobre essa versão, acesse esse link.

Como instalar o conversor de vídeo HandBrake 0.10.0 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o conversor de vídeo HandBrake 0.10.0 no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:mdeslaur/handbrake

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install handbrake

Agora, quando quiser iniciar o programa, digite handbrake no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Antes de começar a converter os vídeos, lembre-se que mesmo sendo um programa fácil de utilizar, é sempre bom dar uma olhada no manual dele. Por isso, visite o HandBrake Guide, se quiser aprender um pouco mais sobre como usá-lo.

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Pushbullet Indicator já permite responder WhatsApp, SMS e Telegram no desktop

Pushbullet Indicator foi atualizado e agora permite responder WhatsApp, SMS e Telegram no desktop. Conheça um pouco mais sobre as novidades e veja como instalar esse aplicativo em seu sistema.
responder WhatsApp
Pushbullet é um serviço que permite enviar facilmente arquivos, links, notas, listas e muito mais para o seu dispositivo Android ou iOS a partir de sua área de trabalho ou o contrário. A ferramenta também pode ser utilizada para compartilhar a área de transferência entre seu desktop e dispositivos móveis (recurso chamado “copiar e colar universal”), fazer espelho de notificações do Android no seu ambiente de trabalho e muito mais.

Ele pode ser usado através de extensões para Chrome ou Firefox e no Windows, há também um aplicativo desktop. Agora existe o Pushbullet indicador para Ubuntu, que deve funcionar corretamente não só no ambiente Unity, como também com o KDE, LXDE, Xfce e consequentemente nas versões do Ubuntu para esses ambientes gráficos (Kubuntu, Lubuntu, Xubuntu e outras variantes).

O aplicativo foi atualizado recentemente e agora é possível responder a SMS, WhatsApp e Telegram a partir do desktop. Infelizmente, o recurso ainda não é suportado no iOS.

Conheça melhor o Pushbullet

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais sobre essa atualização do Pushbullet Indicator, clique nesse link.

Como instalar o Pushbullet Indicator no Ubuntu, para responder WhatsApp, SMS e Telegram no desktop

Antes de prosseguir, instale o Pushbullet no seu dispositivo Android ou iOS, clicando nesse link.
Para instalar o Pushbullet Indicator no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install pushbullet-indicator

Passo 5. Se quiser usar a integração do Pushbullet Indicator com o gerenciador de arquivos Nautilus, use o comando abaixo para instalar;

sudo apt-get install nautilus-pushbullet
nautilus -q

Passo 5. Se quiser usar a integração do Pushbullet Indicator com o gerenciador de arquivos Nemo, use o comando abaixo para instalar;

sudo apt-get install nemo-pushbullet
nemo -q

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pushbullet no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Uma vez instalado, uma janela de autenticação deverá aparecer automaticamente. Faça o login na sua conta PushBullet e autorize o Pushbullet Indicator para acessar seu perfil e dados na conta Pushbullet.

Se esta janela não abrir automaticamente, vá nas configurações Pushbullet IndicaTor e defina o slider da opção “Allow access to PushBullet” (Permitir acesso a PushBullet) para ON e autentique com sua conta Pushbullet.

Desinstalando o Pushbullet Indicator no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o Pushbullet Indicator no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get pushbullet-indicator

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o Adobe Shockwave Player no Linux

Precisando do plugin do Adobe Shockwave Player no Linux? Então veja como instalar esse recurso no seu sistema, usando a ferramenta Pipelight.
Adobe Shockwave Player no Linux
Existem muitos portais web que estão lentamente trocando o Flash pelo HTML5, uma tecnologia mais aberta que nos permite acessar diversos conteúdos multimídia sem precisar de plugins de terceiros.

Contudo, no caso de sites da web que usam o Adobe Flash, existem alternativas e o plugin proprietário ainda está ainda disponível para ser instalado diretamente a partir dos repositórios oficiais das principais distribuições, ou simplesmente usando o Google Chrome.

Já no caso do Adobe Shockwave Player, no Linux não há um nenhum plugin que permita reproduzir conteúdo web desenvolvido com o Macromedia Director. Para resolver este problema, a única solução possível é a utilização da ferramenta Pipelight.

Pipelight é uma ferramenta open source (baseada no WineHQ) que permite ser capaz de usar o plugin nativo de terceiros para Microsoft Windows dentro do Linux em navegadores como Firefox, Chrome, Midori e etc.

Coom Pipelight é possível ter um plugin Microsoft Silverlight, Widevine, Unity3D, Adobe PDF Reader e o Foxit e muito mais. Entre os plugins suportados pelo Pipelight também está o Adobe Shockwave Player. Para ajudá-lo nessa terefa, nesse tutorial você verá como instalar esse plugin no Ubuntu, Arch Linux, Fedora e sistemas derivados deles.

Conheça melhor o Adobe Shockwave Player

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o Adobe Shockwave Player no Linux Ubuntu e seus derivados

Para instalar o programa no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:pipelight/stable

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o Pipelight;

sudo apt-get install --install-recommends pipelight-multi

Passo 5. Quando aparecer a tela de configuração de pacote, use a tecla TAB para ir até o botão “OK” e confirme pressionando enter;
Adobe Shockwave Player no Linux
Passo 6. Na próxima tela, novamente use a tecla TAB para ir até a opção “Sim”(ou Yes) e confirme pressionando a tecla enter;
Adobe Shockwave Player no Linux

Como instalar o Adobe Shockwave Player no Arch Linux e sistemas derivados

Para instalar o Adobe Shockwave Player no Arch Linux e sistemas derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com estes comandos:

sudo sh -c 'echo "[pipelight]" >> /etc/pacman.conf'
sudo sh -c 'echo "Server = http://repos.fds-team.de/stable/arch/$arch" >> /etc/pacman.conf'

Passo 3. Adicione a chave do repositório com os comandos abaixo;

sudo pacman-key -r E49CC0415DC2D5CA
sudo pacman-key --lsign-key E49CC0415DC2D5CA

Passo 4. Em seguida, use o comando abaixo para instalar o Pipelight;

sudo pacman -Sy pipelight

Como instalar o Adobe Shockwave Player no Linux Fedora e sistemas derivados

Para instalar o Adobe Shockwave Player no Linux Fedora e sistemas derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Instale as dependências do programa com esses comandos;

sudo yum install cabextract
sudo rpm -i http://sourceforge.net/projects/mscorefonts2/files/rpms/msttcore-fonts-installer-2.6-1.noarch.rpm

Passo 3. Adicione o repositório do programa com este comando (substitua o número 21 pelo número da sua versão):

sudo wget http://download.opensuse.org/repositories/home:/DarkPlayer:/Pipelight/Fedora_21/home:DarkPlayer:Pipelight.repo -O /etc/yum.repos.d/pipelight.repo

Passo 4. Use o comando abaixo para instalar o Pipelight;

sudo yum install pipelight

Ativando o Adobe Shockwave Player no Linux através da ferramenta Pipelight

Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Atualize o Pipelight com o comando a seguir:

sudo pipelight-plugin --update

Passo 3. Desbloqueie o Adobe Shockwave Player com esse comando;

sudo pipelight-plugin --unlock shockwave

Passo 4. Ative o plugin. Quando for questionado, digite “Y” (sem as aspas):

sudo pipelight-plugin --enable shockwave

Adobe Shockwave Player no Linux
Passo 5. Abra o navegador Firefox e aguarde enquanto o plugin é baixado e instalado. Quando terminar, feche o navegador;
Adobe Shockwave Player no Linux
Passo 6. De volta ao terminal, ative o plugin no navegador com este comando;

sudo pipelight-plugin --create-mozilla-plugins

Passo 7. Abra o navegador e acesse o endereço http://www.adobe.com/shockwave/welcome/. Aparecerá uma página com o logotipo do Adobe Shockwave Player logo abaixo de seu nome, confirmando que o plugin do navegador está ativo. Se quiser confirmar ainda mais, diglite about:plugins na caixa de endereço do navegador e tecle enter. Depois , procure pelo plugin do Shockwave Player.
Adobe Shockwave Player no Linux

Pronto! Agora você já pode navegar por sites que necessitam do plugin do Adobe Shockwave Player sem preocupações.

Mais sobre o pipelight e plugins

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar facilmente o compilador e vários outros itens relacionados a linguagem Go

Se você já é ou pretende ser usuário da linguagem Go, veja como instalar facilmente o compilador e vários outros itens relacionados a essa linguagem.
linguagem Go
Go (ou golang) é uma linguagem de programação inicialmente desenvolvido pelo Google. Ela é uma linguagem estaticamente tipada com sintaxe vagamente derivada de C. Até que o Ubuntu Developer Tools Center da Canonical receba suporte para a instalação da linguagem, você pode usar um script criado por um leitor do site WebUpd8. O script pode ser usado para configurar tudo relacionado a linguagem Go no Ubuntu. Ele faz o download e instala a versão mais recente do compilador Go e da IDE (LiteIDE) no Ubuntu e também configura automaticamente a maioria dos tings que você vai precisar:

Conheça melhor a linguagem Go

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar facilmente o compilador e vários outros itens relacionados a linguagem Go no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o compilador e vários outros itens relacionados a linguagem Go no Ubuntu e seus derivados, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Faça o download do script de instalação com este comando:

wget -O tools.tar.gz https://github.com/geosoft1/tools/archive/1.0.4.3.tar.gz

Passo 3. Descompacte o arquivo baixado usando o comando a seguir:

tar -xvzf tools.tar.gz

Passo 4. Vá para a pasta criada;

cd tools*/

Passo 5. Torne o script executável com o comando abaixo:

chmod +x Install.sh

Passo 6. Inicie o script e aguarde até ele terminar todo o trabalho.

sudo ./Install.sh

Passo 7. Se ocorrer um erro na criação do arquivo .desktop, crie um lançador para o LiteIDE, executando um editor de texto com o comando:

sudo gedit /usr/share/applications/liteide.desktop

Passo 8. Com o arquivo aberto, Cole o conteúdo abaixo dentro dele e depois salve e feche-o

[Desktop Entry]
Version=1.0
Encoding=UTF-8
Name=LiteIDE
Comment=LiteIDE is a simple, open source, cross-platform Go IDE. 
Exec=sh -c 'cp .config/liteide/liteide.ini.mini .config/liteide/liteide.ini; eval \`ssh-agent -s\`; $HOME/liteide/bin/liteide'
Icon=$HOME/go/doc/gopher/gophercolor.png
Type=Application
Categories=Network;

Pronto! Quando quiser, inicie o programa digitando no terminal liteide.

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

31 de março de 2015

Instale o conjunto de ícones Faenza no Ubuntu

Vamos experimentar novos ícones? Que tal instalar o conjunto de ícones Faenza no Ubuntu? Veja aqui como instalar e deixe seu desktop com um visual diferente.
faenza-1.31
Faenza é um lendário pacote de ícone para Gnome que fornece ícones monocromáticos para painéis, barras de ferramentas e botões e ícones quadrados coloridos para dispositivos, aplicativos, pastas, arquivos e itens do menu do Gnome.

Conheça melhor o conjunto de ícones Faenza

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones Faenza no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Faenza no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

wget http://ppa.launchpad.net/tiheum/equinox/ubuntu/pool/main/f/faenza-icon-theme/faenza-icon-theme_1.3.1_all.deb

Passo 3. Depois, instale o conjunto de ícones usando o seguinte comando:

sudo dpkg -i faenza-icon-theme_1.3.1_all.deb

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.
apply-faenza-icons

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como reduzir o volume do sistema de notificação no Ubuntu

Se as notificações estão atrapalhando seu lazer, aprenda a reduzir o volume do sistema de notificação no Ubuntu para resolver isso.
reduzir o volume do sistema de notificação
Você está assistindo a um filme ou ouvindo música com o som em um volume alto e de repente, o seu Ubuntu avisa que um download foi concluído. Embora o recurso de notificação seja importante, isso as vezes pode ser chato e se estiver lhe incomodando, a melhor coisa a fazer é diminuir o som do sistema de notificação no Ubuntu.

Diminuir o som do sistema de notificação no Ubuntu permite que você possa reproduzir um áudio ou vídeo específico em seu volume desejado, sem ser incomodado pelo som de notificação.

A dica a seguir mostra como diminuir o som do sistema de notificação no Ubuntu, e melhor ainda, não será preciso reiniciar nada ou algo assim, pois a alteração funciona imediatamente.

Como reduzir o volume do sistema de notificação no Ubuntu

Para reduzir o volume do sistema de notificação no Ubuntu, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Clique no ícone “alto-falante” no painel superior e quando aparecer o menu, clique em “Configurações de som…”;
reduzir o volume do sistema de notificação

Passo 2. Em “Configurações de som”, clique na aba “Efeitos de som”;reduzir o volume do sistema de notificação

Passo 3. Já em “Efeitos de som”, Mova o controle deslizante da opção “Volume do alerta” até o nível da sua escolha. Se quiser, você pode até mesmo silenciá-lo, clicando na opção “Mudo”;
reduzir o volume do sistema de notificação

Pronto! Agora o volume de notificação não irá incomodá-lo tanto. Lembre-se que você pode refazer o processo quantas vezes quiser, até deixar do jeito que você realmente quer.

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o SketchUp Make no Linux usando Wine

Se você precisa utilizar o SketchUp Make no seu sistema, veja aqui como instalar a versão para Windows no Linux, usando o Wine.
SketchUp Make
Quem diz que criar modelos tridimensionais é caro e difícil, provavelmente não conhece o SketchUp Make. O programa permite construir cidades completas de um jeito divertido, interativo e grátis. Mesmo sem atingir o nível de softwares profissionais como o Maya ou o 3D Studio Max, o aplicativo consegue criar elementos e cenários 3D muito dignos.

O funcionamento do SketchUp Make é simples e similar ao dos programas de desenho mais clássicos. A barra superior mostra a todo momento as ferramentas disponíveis para a criação de modelos tridimensionais. O SketchUp contém formas geométricas pré-definidas, borracha, zoom, bússola para rodar elementos, fita para medir, diversos modos de visualização…

Conheça melhor o SketchUp Make

Para saber mais sobre essa distro, clique nesse link.

Como instalar o SketchUp Make no Linux, usando o Wine

Para instalar o SketchUp Make no Linux, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Em primeiro lugar, você deve instalar a versão mais recente do Wine, seguindo os passo desse tutorial, que mostra a instalação em sistemas baseados no Ubuntu, openSUSE, Red Hat, Fedora e CentOS:
Passo 2. Abra um terminal;
Passo 3. Com o Wine já instalado, execute o configurador dele com o comando:

winecfg

Passo 4. Quando aparecer a janela do configurador do Wine, altere a versão do Windows para “Windows 7″, na parte inferior da aba “Aplicativos”;
configurar-wine-1
Passo 5. Na aba “Bibliotecas”, selecione a opção “Riched20″ na lista drop-down de bibliotecas e em seguida, clique no botão “Adicionar”. Finalmente, clique em “OK”, para confirmar as alterações;
adicionar-biblioteca-wine
Passo 6. Baixe o instalador do SketchUp acessando esse link e preenchendo os dados necessários para o download;
baixando-instalador
Passo 7. Abra o navegador de arquivos do Ubuntu e vá para a pasta onde foi baixado o instalador;
pasta-instalador
Passo 8. Clique com o botão direito do mouse sobre o instalador. No menu que aparece, clique em “Abrir com” e depois na opção “Carregador de aplicativos Windows Wine”;
executando-instalador
Passo 9. Siga as instruções do instalador e em poucos minutos o programa estará instalado (inclusive com ícones na sua área de trabalho);
instalador
Passo 10. Se ao executar o SketchUp 2014 ele travar depois de escolher um modelo, experimente executá-lo via terminal usando o comando

wine "C:\Program Files (x86)\SketchUp\SketchUp 2014\SketchUp.exe" "/DisableRubyAPI"

Passo 11. Ou clique com o botão direito sobre o ícone do programa e escolha a opção “Propriedades”. Na janela de propriedades do atalho do programa, adicione o parâmetro /DisableRubyAPI no final do comando de execução:
adicionando-parametro
Passo 12. Se o programa não funcionar devido a um problema com uma placa gráfica, execute o comando abaixo para abrir o Editor de registro:

wine regedit

Passo 13. Navegue até HKEY_CURRENT_USER -> Software -> SketchUp --> SketchUp 2014 -> GLConfig_Display;
mudando-registro
Passo 14. Altere o valor de HW_OK para 1 (de modo que ele aparece como 0 × 00000001 (1);
menu-registro
alterando-valor

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Use o SearchMonkey para pesquisar texto em todos os arquivos dentro de um diretório no Ubuntu

Está precisando encontrar um arquivo com um conteúdo específico? Então instale e use o SearchMonkey para pesquisar texto em todos os arquivos dentro de um diretório no Ubuntu.
pesquisar texto em todos os arquivos
As vezes temos de procurar arquivos que contenham algum texto em particular ou palavras em si. Isso geralmente acontece se você for um desenvolvedor ou programador. Embora seja possível usar comandos Linux para encontrar todos os arquivos que contenham um texto específico, a verdade é que nem todo mundo é fã de linha de comando e até mesmo alguns usuários “avançados” podem preferir usar uma ferramenta gráfica de linha de comando. Para esses e todos os outros, SearchMonkey pode ser a melhor solução.

SearchMonkey é um software livre que pesquisa as pastas de forma recursiva para que você possa sentar e relaxar, enquanto ele faz o seu trabalho. Os usuários podem pesquisar nomes de arquivos e conteúdo usando poderosas expressões regulares. Isso permite que o programa seja muito mais preciso. Além disso, SearchMonkey não apenas lhe mostrar uma lista de arquivos que possam conter o que você está procurando, com também exibe o conteúdo com os termos pesquisados em destaque.

O programa permite pesquisar texto em arquivos que você precisa de forma rápida e sem perder tempo montando um mapa da unidade primeiro. Cada pesquisa tem um local em tempo real, e os resultados são apresentados no contexto, logo que eles são encontrados! E, acima de tudo, é um software livre e de código aberto.

Conheça melhor o SearchMonkey

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o SearchMonkey no Ubuntu para pesquisar texto em arquivos

SearchMonkey está disponível no repositório oficial do Ubuntu 14.04 (em versões anteriores também), por isso, para instalar ele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra a Central de programas do Ubuntu e procure pelo SearchMonkey. Clique nele e instale-o, clicando no botão “Instalar”;
Passo 2. Se preferir, abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 3. Em seguida, use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install searchmonkey

Passo 4. Uma vez instalado, inicie o programa digitando searchmonkey no Dash e você já pode começar a explorá-lo, pois a interface dele é muito fácil de entender e e usar.

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o MKVToolnix 7.7 no Ubuntu, Debian, Fedora e derivados

Quer criar ou manipular arquivos no formato Matroska (.mkv), então veja como instalar o MKVToolnix 7.7 no Ubuntu, Debian, Fedora e derivados.
MKVToolnix 7.7
mkvtoolnix é um pacote com ferramenta de manipulação multimídia de arquivos Matroska (MKV). Muito mais que um aplicativo, MKVToolnix é um conjunto de ferramentas que permite criar, alterar e inspecionar arquivos Matroska no Linux, Unix e Windows. A ferramenta pode ser usada para obter informações sobre arquivos Matroska (mkvinfo), extrair faixas/dados de arquivos de Matroska (mkvextract) e criar (mkvmerge) arquivos Matroska a partir de outros arquivos de mídia.

Apesar do MKVToolnix fornecer apenas as ferramentas de linha de comando, para trabalhar com ferramentas gráficas, você deve instalar o MKVToolnix-gui, que é uma interface simples e fácil de usar. Com ele, você pode adicionar o arquivo MKV (s) usando o navegador de arquivos ou simplesmente arrastando e soltando os arquivos na MKVToolnix. Ele também permite que você edite as tags e nomes das faixas, também é usado para alterar a relação de aspecto de arquivos de vídeo, exibir a largura e altura, etc.

Foi lançado recentemente a versão 7.7 do programa, com diversas correções correções, que podem ser vistas nesse link.

Conheça melhor o MKVToolnix

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o MKVToolnix 7.7 No Ubuntu, Debian e sistemas derivados

Para instalar o MKVToolnix 7.7 no Ubuntu e sistemas derivados, e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Baixe a chave do repositório do programa com este comando:

wget -q -O - https://www.bunkus.org/gpg-pub-moritzbunkus.txt | sudo apt-key add -

Passo 3. Se seu sistema é um Ubuntu 14.10, ou um derivado dele, use o comando abaixo para adicionar o repositório do programa:

sudo sh -c 'echo "deb http://www.bunkus.org/ubuntu/utopic/ ./" >> /etc/apt/sources.list'

Passo 4. Se seu sistema é um Ubuntu 14.04, ou um derivado dele, use o comando abaixo para adicionar o repositório do programa:

sudo sh -c 'echo "deb http://www.bunkus.org/ubuntu/trusty/ ./" >> /etc/apt/sources.list'

Passo 5. Se seu sistema é um Debian 8 Jessie, ou um derivado dele, use o comando abaixo para adicionar o repositório do programa:

sudo sh -c 'echo " deb http://www.bunkus.org/debian/jessie/ ./" >> /etc/apt/sources.list'

Passo 6. Se seu sistema é um Debian 7 Wheezy, ou um derivado dele, use o comando abaixo para adicionar o repositório do programa:

sudo sh -c 'echo " deb http://www.bunkus.org/debian/wheezy/ ./" >> /etc/apt/sources.list'

Passo 7. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 8. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install mkvtoolnix mkvtoolnix-gui

Passo 9. Depois, se precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove mkvtoolnix mkvtoolnix-gui

Como instalar o MKVToolnix 7.7 no Fedora 21, 20 e sistemas derivados

Para instalar o MKVToolnix 7.7 no Fedora 21, 20 e sistemas derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Adicione o repositório RPMFusion com o comando ou seguindo a dica desse tutorial. Esse repositórios também podem ser instalado usando a ferramenta PostInstallerF, que já foi apresentada em outro tutorial;

su -c 'yum localinstall --nogpgcheck http://download1.rpmfusion.org/free/fedora/rpmfusion-free-release-$(rpm -E %fedora).noarch.rpm http://download1.rpmfusion.org/nonfree/fedora/rpmfusion-nonfree-release-$(rpm -E %fedora).noarch.rpm'

Passo 3. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

su -c 'yum install mkvtoolnix mkvtoolnix-gui'

Passo 4. Caso precise desinstalar, use o comando abaixo;

su -c 'yum remove mkvtoolnix mkvtoolnix-gui'

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite mkv no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Via LinuxGeek e LinuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

30 de março de 2015

Editor de Quicklist: Arronax 0.66 traz interface melhorada e otimizações

Já falei de um editor de Quicklist (alguém ainda lembra do QLE?) aqui no Blog, mas como é sempre bom ter opções, hoje mostrarei como instalar um outro editor dessa mesma categoria: o Arronax.
Editor de Quicklist arronax
Entre os muitos recursos incluídos no ambiente Unity (padrão no Ubuntu) estão as Quicklist, ou seja, um menu de um aplicativo no lançador/barra lateral que contém links ou comandos, e que dá acesso rápido a algumas características de um software. O programa Arronax fornece uma interface gráfica simples e intuitiva em que o usuário pode rapidamente e facilmente criar novos links no menu de um aplicativo. Com ele você pode trabalhar em vários arquivos .desktop (que guardam o conteúdo da Quicklist eoutras informações), adicionando links e ícones personalizados nas Quicklist e neste último caso, você pode até arrastar o ícone novo diretamente na janela do Arronax.

A nova versão de 0.06 do Arronax traz alguns ajustes para a interface gráfica e novas otimizações para a criação de novos Quicklist para o Unity/Gnome Shell. Além disso, agora existe um novo plugin para o Nautilus que permite modificar rapidamente um arquivo .desktop ou criar um novo lançador diretamente a partir da opção “modificar este inicializador” no menu de contexto desse gerenciador de arquivos. Esse plugin é instalado automaticamente junto com o programa.
arronar-nautilus

Conheça melhor o editor de Quicklist Arronax

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o editor de Quicklist Arronax 0.06 no Ubuntu e seus derivados

Para instalar o editor de Quicklist Arronax 0.06 no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:diesch/testing

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install arronax

Uma vez instalado, inicie o programa digitando no Dash:arronax

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Instalando o conjunto de ícones Square no Ubuntu, Debian e derivados

Quer dar uma renovada no visual de sua área de trabalho? Então experimente instalar o conjunto de ícones Square e veja como ele pode deixar seu sistema ainda mais bonito.
ícones Square
O conjunto de ícones Square foi lançado no ano passado e é um grande concorrente para outros ícones agradáveis. Ele é elegante, bem polido e fica ótimo com todos os tipos de temas, mas com Unity você deve usar um tema que deixa o painel escuro porque os seus ícones de status usam uma espécie de branco acinzentado.

Este conjunto de ícones contém mais de 15.000 ícones e é compatível com o os ambientes Unity, Gnome, Xfce, LXDE, Mate, Cinnamon, bem como KDE. Além disso, ele está possui duas variações: Light, para temas com cores claras, e Dark, para temas mais escuros.
square-icons-3

square-icons-2

Conheça melhor o conjunto de ícones Square

Para saber mais sobre o tema, clique nesse link.

Instalando o conjunto de ícones Square no Ubuntu e derivados

Para instalar o conjunto de ícones Square no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository ppa:noobslab/icons2

Passo 3. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Finalmente, instale o conjunto de ícones Square usando o seguinte comando:

sudo apt-get install square-icons

Instalando o conjunto de ícones Square no Debian e sistemas derivados

Para instalar o conjunto de ícones Square no Debian e sistemas derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se você ainda não tem, adicione o repositório do tema com o comando:

sudo add-apt-repository "deb http://ppa.launchpad.net/noobslab/icons2/ubuntu precise main"

Passo 3. Baixe e instale a chave do repositório com este comando:

sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys F59EAE4D

Passo 4. Depois, atualize o APT com este comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Finalmente, instale o conjunto de ícones Square usando o seguinte comando:

sudo apt-get install square-icons

Depois de instalar, você pode usar o Unity Tweak Tool, Gnome-tweak-tool ou Ubuntu-Tweak para mudar o tema.

Via NoobsLab

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar a última versão do Netbeans no Linux manualmente

Se você precisa ter a última versão do Netbeans no Linux, veja aqui como fazer a instalação dessa IDE manualmente.
Netbeans no linux
O NetBeans IDE é um ambiente de desenvolvimento integrado, gratuito e de código aberto, para desenvolvedores de software nas linguagens Java, C, C++, PHP, Groovy, Ruby, entre outras e que oferece aos desenvolvedores ferramentas necessárias para criar aplicativos profissionais de desktop, empresariais, Web e móveis multiplataformas. O software pode ser executado em muitas plataformas, como Windows, Linux, Solaris e MacOS.

NetBeans 8.0 fornece analisadores de código e editores para trabalhar com as últimas tecnologias Java 8. Além do suporte a Java 8, a IDE também tem uma gama de novos aprimoramentos que melhoram ainda mais o seu suporte para Maven e Java EE com PrimeFaces; novas ferramentas para HTML5, em particular para AngularJS e melhorias para o suporte a PHP e C/C++.

Conheça melhor a IDE Netbeans

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar a IDE Netbeans no Linux manualmente

Para instalar a IDE Netbeans no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/netbeans*
sudo rm -Rf /usr/bin/netbeans
sudo rm -Rf /usr/share/applications/netbeans.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 5. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome netbeans.zip:

wget -O netbeans.zip http://download.netbeans.org/netbeans/8.0.2/final/zip/netbeans-8.0.2-201411181905-javase.zip

Passo 6. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo unzip netbeans.zip -d /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada (se ocorrer um erro na execução do comando abaixo, pule este passo);

sudo mv /opt/netbeans*/ /opt/netbeans/

Passo 8. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/netbeans/bin/netbeans /usr/bin/netbeans

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando (se for preciso, use outro editor de textos e substitua “gedit” por ele):

sudo gedit /usr/share/applications/netbeans.desktop

Passo 10. Copie o conteúdo abaixo e cole ele no arquivo aberto. Em seguida, salve e feche o arquivo;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=netbeans
Exec=/opt/netbeans/bin/netbeans
Icon=/opt/netbeans/nb/netbeans.png
Categories=Application;

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite netbeans em um terminal, seguido da tecla TAB. Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho e use-o para iniciar o programa.

Como remover a IDE Netbeans no Linux

Para remover a IDE Netbeans no Linux, basta fazer o segundo passo do procedimento anterior.

Instalando a IDE Netbeans via instalador

Se quiser instalar o Netbeans através do instalador, veja esse tutorial.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o navegador Pale Moon no Linux manualmente

Já conhece o Pale Moon, um navegador que é o Firefox mais rápido que o Firefox? Pois se você quiser experimentar esse programa, veja a seguir como instalar o Pale Moon no Linux manualmente.
pale moon no linux
Pale Moon é um navegador multiplataforma e open source, baseado no Mozilla Firefox, sendo que ele é até 25% mais rápido do que o original.Também vale a pena mencionar, que devido ao fato do Pale Moon não ser afiliado a Mozilla, ele não adotou a interface Australis e manteve uma aparência inspirada na interface do Firefox clássico. Além disso, o suporte para DRM não serão adicionados por padrão, mas os usuários têm a possibilidade de fazer isso, através de plugins de terceiros.

Caso não aconteça problemas com dependências, com o procedimento abaixo você poderá instalar o Pale Moon em praticamente qualquer distribuição Linux.

Se você quiser instalar o Pale Mon usando o instalador oficial do projeto, veja esse outro tutorial:
Firefox otimizado: Instale o navegador Pale Moon no Linux

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Conheça melhor o Pale Moon

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.
Para saber mais sobre essa versão, acesse a nota de lançamento.

Como instalar o Pale Moon no Linux manualmente

Para instalar o Pale Moon no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual (e queira uma instalação limpa), apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/palemoon*
sudo rm -Rf /usr/bin/palemoon
sudo rm -Rf /usr/share/applications/palemoon.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome palemoon.tar.bz2:

wget -O palemoon.tar.bz2 sourceforge.net/projects/pm4linux/files/25.3.1/palemoon-25.3.1.en-US.linux-i686.tar.bz2

Passo 5. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome palemoon.tar.bz2:

wget -O palemoon.tar.bz2 sourceforge.net/projects/pm4linux/files/25.3.1/palemoon-25.3.1.en-US.linux-x86_64.tar.bz2

Passo 6. Depois de baixar, execute o comando abaixo para descomprimir o pacote baixado, para a pasta /opt/;

sudo tar -xjvf palemoon.tar.bz2 -C /opt/

Passo 7. Renomeie a pasta criada (se ocorrer um erro na execução do comando abaixo, pule este passo);

sudo mv /opt/palemoon*/ /opt/palemoon

Passo 8. Para ficar mais fácil de executar o programa, crie um link para ele como o comando abaixo:

sudo ln -sf /opt/palemoon/palemoon /usr/bin/palemoon

Passo 9. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando (se for preciso, use outro editor de textos e substitua “gedit” por ele):

sudo gedit /usr/share/applications/palemoon.desktop

Passo 10. Copie o conteúdo abaixo e cole ele no arquivo aberto. Em seguida, salve e feche o arquivo;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=palemoon
Exec=/opt/palemoon/palemoon
Icon=/opt/palemoon/browser/icons/mozicon128.png
Categories=Application;

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite pale em um terminal, seguido da tecla TAB.

Como deixar o Pale Moon em português do Brasil

Por padrão, esse navegador vem com a interface toda em inglês do Estados Unidos, por isso, para deixar o Pale Moon em português do Brasil, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Execute o Pale Moon e acesse esse link. Quando aparecer uma tela solicitando a instalação do pacote de linguagem, clique no botão “Install Now”e aguarde finalizar a instalação;
pale moon no linux
Passo 2. Depois que terminar a instalação, clique dentro da caixa de endereço do Pale Moon, digite o comando “about:config” (sem as aspas) e pressione a tecla enter;
pale moon no linux
Passo 3. Na tela que será exibida, clique dentro da caixa do campo “Search” e digite “general.useragent.locale” (também sem as aspas);
pale moon no linux
Passo 4. A seguir, dê um clique duplo sobre o valor “en-US”. Na tela janela que aparece, substitua “en-US” por “pt-BR” (sem as aspas) e clique no botão “OK”;
pale moon no linux
Passo 5. Feche o navegador e quando você iniciar ele novamente, sua interface já estará em português do Brasil.

Via linuxGeek e Pale Moon language packs

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

29 de março de 2015

Resumo semanal – 23/03/2015 a 29/03/2015

Você sabia que o Ubuntu 15.04 Beta final já está disponível para download? Ou que o IRPF e o Receitanet foram atualizados e é possível instalar eles no Linux usando diferentes métodos? Pois é, se você ainda não sabia disso é porque perdeu essas postagens, mas não se preocupe, leia o resumo semanal do blog e se atualize.
resumo semanal
Mas você já deve saber como recuperar o boot do Linux depois de instalar o Windows ou outro sistema que toma o gerenciamento de boot? Ou como consertar um sistema Ubuntu que não inicializa por causa de atualizações quebradas? Se ainda não sabe nada disso, confira a seguir tudo que foi postado no Blog durante essa semana e se informe sobre isso e muito mais.

Resumo semanal do Blog do período de 23/03/2015 a 29/03/2015

23/03/2015

24/03/2015

25/03/2015

26/03/2015

27/03/2015

28/03/2015

Ubuntu 14.10

Se você quer usar Ubuntu 14.10 pode baixá-lo, acessando os links nessa postagem.

Como gravar a imagem ISO do Ubuntu 14.10

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:
Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal

Como atualizar do 14.04 para o 14.10

Quem precisar atualizar do 14.04 para o 14.10, basta seguir esses tutoriais:
Desktop
Como atualizar o Ubuntu Desktop da versão 14.04 para a 14.10
Como atualizar o Ubuntu Server para uma nova versão

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Para quem acabou de mudar para o Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas na últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.10

Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04

Para quem ainda está no Ubuntu 14.04, uma boa ideia é dar uma olhadas nas últimas dicas de coisas para fazer depois de instalar o sistema:
Dicas de coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 14.04


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.



Descricao
Leia nosso resumo semanal do período de 29/12/2014 a 04/01/2015 e fique por dentro de tudo que foi postado no blog durante essa semana.

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

28 de março de 2015

Como agendar o desligamento do Linux

Se você precisa que agendar o desligamento do Linux, para que seu PC seja desligado em uma determinada hora, conheça a seguir duas formas bem práticas e simples de fazer isso.
agendar o desligamento do Linux
As vezes você pode precisar “programar” o Linux para ser desligado depois de algum tempo e nessa hora, você pode fazer isso usando a linha de comando ou uma ferramenta gráfica. Abaixo será mostrado como fazer isso das duas maneiras.

Como agendar o desligamento do Linux pela linha de comando (terminal)

Agendar o desligamento do Linux pela linha de comando é muito fácil. Tudo que você tem a fazer é abrir um terminal e usar o comando “shutdown”. Por exemplo, para marcar uma paralisação às 03:30 AM, você pode usar o comando na seguinte forma:

sudo shutdown -h 03:30

Note que para funcionar, você terá que manter a execução desse comando será preciso manter o terminal aberto.

Como agendar o desligamento do Linux com EasyShutdown

EasyShutdown é um aplicativo que fornece uma pequena interface gráfica onde você pode facilmente agendar um desligamento no Linux.
Para ter o programa no Debian, Ubuntu ou derivado, você pode baixar o arquivo DEB a partir da página dele no Launchpad. Depois de baixar, basta clicar duas vezes sobre ele para instalar. Depois de instalado, execute o programa.

A interface dele é muito simples. Você apenas tem que fornecer o momento em que você quer desligar o sistema. Por exemplo, se você quiser desligar o sistema às 03:30 AM, preenchê-lo da seguinte forma:
agendando-desligamento-easyshutdown

Como o EasyShutdown não tem daemon ou trabalha em segundo plano, você tem que mantê-lo aberto para que o agendamento funcione. Um minuto antes da parada programada, o aplicativo avisa, dando a você a opção e a chance de cancelar o desligamento, se for necessário.

Via It’s F.O.S.S.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

OCR no Linux: Instale o Lios (Linux-Intelligent-Ocr-Solution)

Se você está a procura de um software de reconhecimento ótico de caracteres (OCR) , experimente instalar o Lios (Linux-Intelligent-Ocr-Solution) no Linux.
ocr no linux Linux-Intelligent-Ocr-Solution in Ubuntu
Softwares de reconhecimento ótico de caracteres (OCR) podem extrair o texto de imagens, documentos e etc com facilidade. Para Linux existe Lios (Linux-inteligente-OCR-Solution), um programa de código aberto muito interessante. .

Escrito em Python 3, o programa consegue “puxar” imagens de um scanner ou webcam (ainda em fase de desenvolvimento) ou a partir de um documento PDF e processá-los por meio de Tesseract ou cuneiforme.

Graças a uma interface gráfica simples, é possível digitalizar a imagem/documento inteira ou apenas uma parte dela. Para completar, ele também tem verificação ortográfica (através aspell), para corrigir o texto digitalizado.

O Lion tem uma série de opções relativas à aquisição através do scanner e permite imprimir diretamente no texto extraído ou exportar tudo em um documento PDF. Também está disponível a partir das preferências um suporte para exibição otimizada para usuários com deficiência visual.

Conheça melhor o Lios

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instalando o Lios no Linux

Para instalar o Lios no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do programa para Debian, Ubuntu e seus derivados, use o comando abaixo:

wget -O lios.deb http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/lios/Lios_1.9.3_all.deb

Passo 3. Para baixar o instalador do programa para Fedora, RedHat, CentOS, openSUSE e outras distros derivadas delas, use o comando abaixo:

wget -O lios.rpm http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/lios/lios-1.9.3-1.noarch.rpm

Passo 4. Para instalar em um Debian, Ubuntu e seus derivados, use os comandos abaixo:

sudo dpkg -i lios.deb
sudo apt-get install -f -y

Passo 5. Para instalar em um Fedora, RedHat, CentOS e outras distros derivadas delas, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall lios.rpm

Passo 6. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install lios.rpm

Passo 7. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi lios.rpm

Para baixar outros pacotes de instalação de versões anteriores dessas distros, acesse esse link.

Se tiver problemas com dependências, procure os pacotes nos gerenciadores da distribuição e instale elas. Depois, volte ao procedimento e instale o programa.

Depois de instalado, execute o programa digitando lion em um terminal, seguido da tecla TAB. Ao abrir o programa, vá nas nas preferências dele e selecione se irá usar Tesseract ou cuneiforme. Se optar pelo Tesseract, não esqueça de instalar ele.
Linux-Intelligent-Ocr-Solution preferenze

Via lffl linux freedom

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

27 de março de 2015

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para o kernel 3.19.3

Greg Kroah-Hartman lançou oficialmente o Kernel 3.19.3 nesse quinta-feira (26), como sempre, trazendo várias correções e melhorias. Se você quiser atualizar seu sistema para essa nova versão, veja abaixo como fazer isso.
kernel 3.19.3
O kernel 3.19.3 vem com muitas correções e melhorias para arquiteturas ARM, ARM64, PowerPC, s390, SPARC e x86, correções para o FUSE e sistemas de arquivos NILFS2, drivers atualizados para placas de vídeo Radeon e Intel, além de melhorias de som e rede.

Para ver todas as mudanças presentes nesse kernel, acesse o ChangeLog.

Antes de iniciar começar a atualizar o kernel do Ubuntu, saiba que este é um procedimento que apesar de simples, exige conhecimentos avançados do sistema e deve ser feito por sua própria conta e risco.

Como atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 3.19.3

Para atualizar o núcleo do Ubuntu para a versão final do kernel 3.19.3, faça o seguinte
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema acessando as Configurações do Sistema e a opção “Detalhes” ou usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se estiver usando um sistema de 32 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-headers-3.19.3-031903_3.19.3-031903.201503261036_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-headers-3.19.3-031903-generic_3.19.3-031903.201503261036_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-image-3.19.3-031903-generic_3.19.3-031903.201503261036_i386.deb

Passo 4. Se estiver usando um sistema de 32 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-headers-3.19.3-031903_3.19.3-031903.201503261036_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-headers-3.19.3-031903-lowlatency_3.19.3-031903.201503261036_i386.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-image-3.19.3-031903-lowlatency_3.19.3-031903.201503261036_i386.deb

Passo 5. Se estiver usando um sistema de 64 bits, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-headers-3.19.3-031903_3.19.3-031903.201503261036_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-headers-3.19.3-031903-generic_3.19.3-031903.201503261036_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-image-3.19.3-031903-generic_3.19.3-031903.201503261036_amd64.deb

Passo 6. Se estiver usando um sistema de 64 bits e quiser usar o kernel de baixa latência, baixe os arquivos DEB com os comandos:

wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-headers-3.19.3-031903_3.19.3-031903.201503261036_all.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-headers-3.19.3-031903-lowlatency_3.19.3-031903.201503261036_amd64.deb
wget http://kernel.ubuntu.com/~kernel-ppa/mainline/v3.19.3-vivid/linux-image-3.19.3-031903-lowlatency_3.19.3-031903.201503261036_amd64.deb

Passo 7. Instale o kernel 3.19.3 com o comando:

sudo dpkg -i linux-headers-3.19*.deb linux-image-3.19*.deb

Passo 8. Reinicie o sistema com o comando abaixo:

sudo reboot

Passo 9. Se você tiver algum problema e quiser desinstalar o kernel 3.19, reinicie o computador com um kernel anterior (usando Grub -> Advanced -> select previous kernel) e quando iniciar o sistema, faça login, abra um terminal e execute o comando abaixo para remover o Linux Kernel 3.19.3:

sudo apt-get remove linux-headers-3.19.3 linux-image-3.19.3

Passo 10. Finalmente atualize o menu do GRUB, com o comando:

sudo update-grub

Nota: Todos os drivers que não fazem parte da principal árvore do kernel (o que obviamente inclui drivers proprietários) devem ser recompilados para novas versões do kernel.

Via UbuntuHandbook

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Ubuntu 15.04 Beta final já está disponível para download

Foi divulgado nessa sexta-feira (27), o Ubuntu 15.04 beta final, a próxima versão do sistema da Canonical. Conheça mais um pouco sobre ele e descubra onde baixar.
Ubuntu 15.04 beta final
Faltando pouco para o tão esperado lançamento da próxima versão estável do Ubuntu, saiu o Ubuntu 15.04 Beta final. Esse beta traz diversas novidades que vamos encontrar na versão estável, a ser lançada em abril.

O beta final traz pela primeira vez uma imagem da versão principal com Unity e algumas mudanças, como menus integrados localmente (LIM) por padrão, systemd no lugar do upstart, bem como várias outras melhorias e correções.
ubuntu1504vividvervet
Menus localmente integrados são exibidos na barra de título da janela para janelas que não estão maximizadas, em vez da abordagem Unity padrão anterior, que sempre exibia o menu no painel superior. LIM foi introduzido com o Ubuntu 14.04 como uma alternativa para Appmenu de Unity (menu global), mas ele não é usado por padrão no Ubuntu 14.04 e 14.10.
ubuntu1504lim

LIM usa autohide (auto ocultar) por padrão, no entanto, existem algumas novas opções que permitem que você mude seu comportamento. Mais importante ainda, agora via dconf editor você pode desativar o recurso autohide tanto para LIM, quanto para o menu global do Unity, que era o padrão utilizado anteriormente.

No entanto, outra melhoria de menu no Ubuntu 15.04 Vervet Vivid é a adição do JAyatana por padrão, o que fornece um suporte a AppMenu para aplicações Java Swing:
ubuntu1504jayatana

Aplicativos Gnome

Esse beta vem com GTK 3.14.9 e não o mais recente 3.16 (e principalmente aplicativos GNOME 3.14) porque GNOME 3.16 acaba de ser lançado e Ubuntu 15.04 teve seu congelamento de recursos no dia 19 de fevereiro. No entanto, pelo menos algumas aplicações importantes foram atualizado para a versão 3.14, como Nautilus, GNOME Terminal e Totem.
ubuntu1504nautilus
Além disso, o GNOME Shell 3.14.4 está disponível nos repositórios (e disponível por padrão no Ubuntu GNOME 15.04 Vivid Vervet beta final, obviamente), juntamente com a versão 3.14 do GNOME Control Center, GNOME Settings Daemon, GDM e a maioria dos aplicativos do GNOME, como Maps, Weather, Clocks, Bijiben, Music, Photos, Boxes bem como jogos do GNOME, como Mines e Sudoku.

Aplicativos padrão

Ubuntu 15.04 beta final vem com os seguintes aplicativos padrão: Nautilus 1:3.14.2, Firefox 36.0.1, Thunderbird 31.5.0, LibreOffice 4.4.1, Ubuntu Software Center 13.10, Gedit 3.10.4, Totem 3.14.2, Rhythmbox 3.1, Empathy 3.12.8, Transmission 2.84, Deja Dup 32, Shotwell 0.20.2, Brasero 3.12, Evince 3.14.2, GNOME Terminal 3.14.2, GNOME System Monitor 3.15.91 e Eye of GNOME 3.14.3, on top of 7.3.1 (+dailybuild) e GTK3+ 3.14.9.

Sob o capô, Ubuntu 15.04 beta final traz o Mesa 10.5.0, Xorg server 1.17.1 e o Linux Kernel 3.19.0, com base nos updates da versão 3.19.2.

Mais sobre o Ubuntu 15.04 beta final

Para saber mais sobre o Ubuntu 15.04 beta final, acesse as notas de lançamento abaixo:

Ubuntu
Kubuntu
Lubuntu
Ubuntu GNOME
Ubuntu MATE
Ubuntu Kylin

Baixando o Ubuntu 15.04 beta final

Antes de qualquer coisa, é importante esclarecer que versões beta não são adequadas para quem necessita de um sistema estável ou não se sente confortável com os ocasionais e até mesmo frequentes bugs e quebras de sistema. No entanto, elas são recomendadas para desenvolvedores de variantes do Ubuntu e para aqueles que querem ajudar nos testes, elaboração de relatórios e correção de bugs, que serão usados para preparar a versão final para as próximas etapas do desenvolvimento do Ubuntu 15.04

Se quiser experimentar o Ubuntu 15.04 beta final, faça o Download acessando os links abaixo

Ubuntu Desktop e Server
Kubuntu
Lubuntu
Xubuntu
Ubuntu GNOME
Ubuntu MATE
Ubuntu Kylin
UbuntuStudio

Como gravar a imagem ISO do Ubuntu 15.04 beta final

Para gravar a imagem ISO do beta final do Ubuntu 15.04 após o download, você pode usar esses tutoriais:
Como gravar uma imagem ISO no Nautikus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal

Cronograma de lançamento do Ubuntu 15.04

O Ubuntu 15.04 será lançado em Abril. Para mais detalhes, consulte o cronograma de lançamento abaixo:

18 de dezembro de 2014 – Alpha 1
22 de janeiro de 2015 – Alpha 2
26 de fevereiro de 2015 – Beta 1
26 de março de 2015 – Beta Final
09 de abril de 2015 – Kernel Freeze
16 de abril de 2015 – Release Candidate
23 de abril de 2015 – Versão Final

Via WebUpd8

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar ou atualizar para o driver Nvidia 349.12 Beta no Linux

Foi lançada mais uma atualização do Driver Nvidia para Linux, nesse caso da versão de desenvolvimento. Se você utiliza um hardware suportado por esse pacote, veja aqui como instalar o driver Nvidia 349.12 Beta no Linux.
driver Nvidia 349.12
No driver Nvidia 349.12 Beta foi adicionado o suporte para monitores G-Sync (quando utilizado em conjunto com monitores não-G-SYNC) e o suporte para stream de vídeo H.264/AVC, também foi consertado um vazamento de memória do kernel para VDPAU em GPU Maxwell e implementadas importantes correções de bugs.

Conheça melhor o Driver Nvidia Nvidia 349.12 Beta

Para saber mais sobre o Driver Nvidia Nvidia 349.12 Beta, a lista de dispositivos suportados e outras informações, clique nesse link
Para saber mais sobre o NVIDIA Linux Graphics Driver, clique nesse link

Antes de instalar o driver, é importante estar ciente de que essa ainda é uma versão em desenvolvimento e portanto, ainda pode conter alguns bugs.

Instalando o Driver Nvidia 349.12 Beta no Linux

Depois, para instalar o Driver Nvidia 349.12 Beta no linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Verifique qual a arquitetura de seu sistema, usando o comando abaixo:

uname -m

Passo 3. Se você estiver usando um sistema de 32 bits, baixe o instalador com o comando:

wget -O nvidia-linux.run us.download.nvidia.com/XFree86/Linux-x86/349.12/NVIDIA-Linux-x86-349.12.run

Passo 4. Se você estiver usando um sistema de 64 bits, baixe o instalador com o comando:

wget -O nvidia-linux.run us.download.nvidia.com/XFree86/Linux-x86_64/349.12/NVIDIA-Linux-x86_64-349.12.run

Passo 5. Se você estiver usando um sistema ARM de 32 bits, baixe o instalador com o comando:

wget -O nvidia-linux.run http://us.download.nvidia.com/XFree86/Linux-x86-ARM/349.12/NVIDIA-Linux-armv7l-gnueabihf-349.12.run

Passo 6. Se houver um driver proprietário já instalado, remova ele com usando o gerenciador de pacotes de sua distro e se necessário, reinicie o computador:
Passo 7. Pressione as teclas Ctrl + Alt + F1 (ou F2,F3,F4,F5,F6) para mudar para o console de comando;
Passo 8. Em seguida, entre com seu nome de usuário e senha;
Passo 9. Pare a sessão gráfica atual com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando:
LightDM

sudo service lightdm stop

ou

sudo /etc/init.d/lightdm stop

GDM

sudo service gdm stop

ou

sudo /etc/init.d/gdm stop

MDM

sudo service mdm stop

ou

sudo /etc/init.d/kdm stop

KDM

sudo service kdm stop

ou

sudo /etc/init.d/mdm stop

Passo 10. Torne o instalador executável com o comando:

sudo chmod +x nvidia-linux.run

Passo 11. Finalmente, inicie o instalador e siga as instruções dele:

sudo sh nvidia-linux.run

Passo 12. Depois de instalar, inicie a sessão gráfica com um dos comandos abaixo, de acordo com o gerenciador de login que estiver usando ou simplesmente reinicie o computador:
LightDM

sudo service lightdm start

ou

sudo /etc/init.d/lightdm start

GDM

sudo service gdm start

ou

sudo /etc/init.d/gdm start

MDM

sudo service mdm start

ou

sudo /etc/init.d/kdm start

KDM

sudo service kdm start

ou

sudo /etc/init.d/mdm start

Passo 13. Você deve guardar o arquivo do instalador, pois se por algum motivo esse driver não funcionar corretamente, refaça o sétimo passo e remova esse driver usando os comandos abaixo:

sudo sh nvidia-linux.run  --uninstall
sudo apt-get autoremove

Instalando o Driver Nvidia Nvidia 349.12 Beta no Ubuntu 14.04/14.10 e derivados

A seguir, será mostrado como instalar esse driver a partir do repositório Xorg-Edgers PPA, que fornece os pacotes binários do driver para o Ubuntu 14.10 e Ubuntu 14.04.
Para instalar o Driver Nvidia Nvidia 349.12 Beta no Ubuntu 14.04/14.10 e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository ppa:xorg-edgers/ppa -y

Passo 3. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install nvidia-349 nvidia-settings

Passo 5. Depois disso, reinicie o computador com o comando.

sudo reboot

Removendo o Driver Nvidia Nvidia 349.12 Beta no Ubuntu 14.04/14.10/15.04 e derivados

Se por algum motivo, o novo driver não funcionar corretamente ou você simplesmente quiser removê-lo, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T) ou faça login no console de comando usando Ctrl + Alt + F2 (funciona em qualquer independente de onde você estiver no sistema);
Passo 2. Instale o pacote ppa-purge;

sudo apt-get install ppa-purge

Passo 3. Purgue o PPA:

sudo ppa-purge ppa:xorg-edgers/ppa

Passo 4. Atualize o APT com o comando:

sudo apt-get update

Passo 5. Execute a auto remoção de pacotes;

sudo apt-get autoremove

Via LinuxGeek

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Vídeos H.265 (HEVC) – instale o IFME e converta para esse formato de um jeito fácil

Quer ver vídeos High Efficiency Video Coding (HEVC)? Então instale o IFME e converta para Vídeos H.265 (e vice-versa), de um jeito fácil no Ubuntu e sistemas derivados.
Vídeos H.265 IFME
IFME ou Internet Friendly Media Encoder Installation, é um poderoso codificador de vídeo que permite aos usuários converter seus clips favoritos para vídeos H.265, utilizando X265. Mas o programa não se limita a apenas converter para H.265, ele também faz o caminho inverso.

Com esta ferramenta você será capaz de comprimir arquivos de vídeo para até 50%, o que irá reduzir o tamanho de seus arquivos pela metade, sem que estes percam a qualidade original.

Conheça melhor o conversor de arquivos IFME

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Instale o IFME e converta para Vídeos H.265 formato de um jeito fácil

IFME não está disponível no repositório oficial do Ubuntu, por isso, para instalar o conversor de arquivos ele no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo add-apt-repository -y ppa:upubuntu-com/multimedia

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Agora use o comando abaixo para instalar o programa;

sudo apt-get install ifme

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite ifme no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Desinstalando o conversor de arquivos IFME no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o conversor de arquivos IFME no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o programa, usando o comando abaixo;

sudo apt-get remove ifme

Via UpUbuntu

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

26 de março de 2015

FLISOL 2015 com Ubuntu

Para quem ainda não conhece, o FLISOL é o Festival Latino-Americano de Instalação de Software Livre, e sempre acontece no último sábado do mês de abril. Este ano ele acontece no dia 25 de abril de 2015.

Como o próprio nome já diz, ele engloba toda a América Latina, e acontece simultaneamente em diversas cidades do continente.

flisol-2015

Quem já esteve presente em um FLISOL, certamente já sabe que ele é uma excelente forma de conhecer outras pessoas entusiastas de software livre na sua região.

Além disso, como o próprio nome diz, ele é um festival de instalação de software livre. Assim, não é difícil encontrar pessoas que nunca tiveram contato com o software livre mas que gostariam de experimentar, que estão curiosas para instalar e testar uma distribuição Linux e outros softwares livres em seu dispositivo.

FLISOL sem Ubuntu? Não, obrigado.

Recentemente, um grupo de apóstolos do Richard Stallman deu início a uma campanha para que os coordenadores regionais do FLISOL adotassem uma postura contra a instalação do Ubuntu.

Com isso, resolvi filtrar os principais motivos alegados por eles e esclarecer alguns pontos.

  • Ubuntu vem recheado de drivers e softwares privativos em sua instalação padrão

Para quem não acompanha o desenvolvimento do projeto, é possível encontrar o código-fonte dos aplicativos nativos do Ubuntu no Launchpad, a ferramenta de gestão de projetos usada pela distribuição. Dito isso, os drivers proprietários usados como argumento estão inclusos no kernel Linux e acompanham não só o Ubuntu, mas diversas outras distribuições que adotam o mesmo kernel. Ou seja, a menos que você esteja utilizando uma distro com o kernel Linux-libre – que é livre de quaisquer códigos proprietários -, muito provavelmente seu Linux conta com os mesmos drivers distribuídos pelo kernel utilizado no Ubuntu.

  • Ubuntu coletava e vendia dados de seus usuários para empresas como a Amazon

O Ubuntu oferece nativamente uma função que ao pesquisar algo por meio do Unity – a interface gráfica que acompanha a distribuição -, ele lhe trará os resultados locais, da sua própria máquina, mas ao mesmo tempo fará uma pesquisa do termo na Amazon e trará produtos relacionados ao termo que buscou.

No entanto, dados dos usuários jamais foram vendidos para empresas. Além disso é possível desabilitar facilmente essa pesquisa por meio do menu Segurança e privacidade > Pesquisa nas Configurações do sistema.

Por fim, deixo o meu apelo: o que consigo enxergar é um grupo de pessoas que está preocupado em atingir uma distribuição específica, deixando de lado outras distribuições que trazem exatamente os mesmos drivers proprietários. Dito isso, não deixe o Ubuntu de lado no FLISOL da sua cidade. Ele tem sido a porta de entrada para muitos usuários no mundo do desktop Linux.

FLISOL com Ubuntu!

Se você está disposto a participar do FLISOL 2015 instalando e configurando o Ubuntu, bem como palestrando ou auxiliando outras pessoas no uso da distribuição, a Comunidade Ubuntu Brasil está disponibilizando o envio gratuito de uma mídia oficial do Ubuntu 14.04.

FLISOL 2015 com Ubuntu

Para receber, basta preencher este formulário até o dia 06 de abril de 2015: http://goo.gl/forms/YI410SlSlr

E lembre-se: o FLISOL é um evento para promover o uso do software livre. Não deixe a opinião de algumas pessoas ferir a liberdade que tanto se prega no mundo livre. Seja Ubuntu, seja Fedora, seja o que for, respeite.

Um abraço, e até breve!

Como instalar a versão multiplataforma do IRPF no Linux

Se você teve dificuldade para instalar o IRPF usando arquivos .bin, veja como instalar o IRPF no Linux usando a versão multiplataforma.
versão multiplataforma do IRPF no Linux
Fazer a declaração de imposto de renda no Linux não é mais algo complicado. Para conseguir isso, só é preciso instalar o programa gerador da declaração (IRRF), que está disponível na página da Receita Federal em Versões para vários sistemas. Nesse tutorial, você verá como fazer isso usando a versão multiplataforma, que permite instalar o o IRPF em qualquer distribuição Linux.

Conheça melhor o IRPF

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2015

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Preparando o sistema para instalar o IRPF no Linux

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente (em 2015, o requisito mínimo é a 1.8, também chamada de Java 8), para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Como instalar o IRPF no Linux

Para instalar o IRPF no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Se for necessário, caso já tenha feito alguma instalação manual e ainda não tenha cadastrado nada no programa, apague a pasta e o atalho anterior com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/irpf*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/irpf.desktop

Passo 3. Use o comando abaixo para baixar o programa. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão (selecionando a opção multiplataforma) e salve-o com o nome irpf.zip:

wget -O irpf.zip http://www28.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/IRPF/2015/PGDIRPF2015/Java/zip/IRPF2015-1.1.zip

Passo 4. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo unzip irpf.zip -d /opt/

Passo 5. Renomeie a pasta criada;

sudo mv /opt/IRPF*/ /opt/irpf

Passo 6. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando um editor de texto com o comando (se for preciso, use outro editor de textos e substitua “gedit” por ele):

sudo gedit /usr/share/applications/irpf.desktop

Passo 7. Copie o conteúdo abaixo e cole ele no arquivo aberto. Em seguida, salve e feche o arquivo;

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Terminal=false
Name=irpf
Exec=java -jar /opt/irpf/irpf.jar 
Icon=/
Categories=Application;

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite java -jar /opt/irpf/irpf.jar em um terminal, seguido da tecla TAB. Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho e use-o para iniciar o programa.

Como remover o IRPF no Linux

Para remover o IRPF no Linux, basta fazer o seguinte.
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Apague a pasta e o atalho do programa com esses comandos;

sudo rm -Rf /opt/irpf*
sudo rm -Rf /usr/share/applications/irpf.desktop

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o programa IRPF no Linux

Chegou a hora de acertar as contas com o leão, por isso, se você quer fazer sua declaração do imposto de renda pessoa física no Linux, veja aqui como instalar o programa IRPF no Linux.
programa IRPF no Linux
Para fazer sua declaração no Linux é preciso instalar o programa gerador da declaração (IRRF), que está disponível na página da Receita Federal em Versões para vários sistemas.

Apesar da Receita disponibilizar pacotes específicos para algumas distribuições, para instalar o IRPF no Linux, a versão do instalador que será usada nesse tutorial será a binária (.bin), pois com ela é possível instalar em qualquer distribuição Linux.

Conheça melhor o IRPF

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2015

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Preparando o sistema para instalar o programa IRPF no Linux

Um dos pré requisitos para instalar o programa IRPF no Linux é a instalação do Java mais recente (em 2015, o requisito mínimo é a 1.8, também chamada de Java 8), para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Instalando o programa IRPF no Linux

Para instalar o programa IRPF no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Confira se o seu sistema é de 32 bits ou 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 3. Se seu sistema é de 32 bits, use o comando abaixo para baixar baixar o instalador do programa do IRPF 2015. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome irpf2015.bin:

wget -O irpf2015.bin http://www28.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/IRPF/2015/PGDIRPF2015/Java/Linux/IRPF2015Linuxv1.1.bin

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, use o comando abaixo para baixar baixar o instalador do programa do IRPF 2015. Se o link estiver desatualizado, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome irpf2015.bin:

wget -O irpf2015.bin http://www28.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/IRPF/2015/PGDIRPF2015/Java/Linux/irpf2015Linux64v1.1.bin

Passo 5. Depois de baixado, dê permissão de execução ao programa, com o comando abaixo;

chmod +x irpf2015.bin

Passo 6. Execute o instalador do IRPF dando um duplo clique nele ou usando o comando abaixo;

./irpf2015.bin

Passo 7. Na primeira tela, clique no botão “Sim”;
irpf no linux
Passo 8. Na próxima telas, clique no botão “Avançar”;
irpf no linux
Passo 9. Agora, clique no botão “Procurar…” para selecionar a pasta onde deseja instalar o programa e depois clique no botão “Avançar”, ou apenas clique no botão “Avançar” (que é o mais recomendado);
irpf no linux
Passo 8. Confirme a instalação, clicando no botão “Avançar”;
irpf no linux
Passo 9. Na última tela, clique no botão “Concluir”. ;
irpf no linux

Depois de instalado, você já pode executá-lo (usando o atalho criado ou indo na pasta criada) e começar a fazer a sua declaração.


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Como instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

Se você quer instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados ou sistema que suportem pacotes deb e rpm, veja como fazer isso.
Receitanet no Debian, Fedora e derivados
Além da versão binária (bin) e multiplataforma (jar), a receita também disponibiliza versões do instalador do Receitanet em formato deb e rpm, para que os usuários Linux instalem o programa em sistemas que suportem esses formatos.

A seguir, você verá como fazer a instalação do Receitanet no Debian, Fedora e derivados, usando esses tipos de pacotes. Mas antes, dê uma boa olhada nos pré requisitos do programa.

Conheça melhor o Receitanet

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Mais sobre o IRPF 2015

O aplicativo foi atualizado recentemente e por isso, esse tutorial está sendo republicado com os links atualizados.

Preparando o sistema para instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

Um dos pré requisitos para o programa é a instalação do Java mais recente (em 2015, o requisito mínimo é a 1.8, também chamada de Java 8), para isso, veja os tutoriais abaixou ou acesse esse link e siga as instruções dele:
Java no Ubuntu: veja como instalar o OpenJDK 8 nas versões LTS 12.04 e 14.04
Como instalar as versões 6, 7 ou 8 do Oracle Java no Ubuntu
Como instalar o Oracle Java 8 no Debian via repositório
Como instalar Java no Linux manualmente

Como instalar o Receitanet no Debian, Fedora e derivados

Instalando o Receitanet no Debian e derivados

Para instalar o Receitanet no Debian e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do no Debian e derivados, use o comando abaixo:

wget -O receitanet.deb http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/receitanet-1.05.deb

Passo 3. Agora instale o programa com o comando:

sudo dpkg -i receitanet.deb

Passo 4. Caso seja necessário, instale as dependências do programa com o comando:

sudo apt-get install -f

Passo 5. Se depois você precisar desinstalar o programa, use o comando abaixo;

sudo apt-get remove receitanet*

Instalando o Receitanet no Fedora e sistemas derivados

Para instalar o Receitanet no Fedora e sistemas derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Para baixar o instalador do Receitanet no Fedora e sistemas derivados, use o comando abaixo:

wget -O receitanet.rpm http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/programas/receitanet/receitanet-1.05-1.noarch.rpm

Passo 3. Para instalar em um Fedora, RedHat e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo yum localinstall receitanet.rpm

Passo 4. Para instalar em um openSUSE ou um de seus derivados, use o comando abaixo:

sudo zypper install receitanet.rpm

Passo 5. Para instalar em um OpenMandriva, Mageia e seus derivados, use o comando abaixo:

sudo urpmi receitanet.rpm

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite receitanet em um terminal, seguido da tecla TAB.

Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.


O que está sendo falado no blog hoje


Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br

Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

blog comments powered by

This entry passed through the Full-Text RSS service - if this is your content and you're reading it on someone else's site, please read the FAQ at fivefilters.org/content-only/faq.php#publishers.

Planeta Ubuntu Brasil

O Planeta Ubuntu Brasil é um agregador de blog's dos usuários da distribuição Ubuntu Linux no Brasil. Para ter seu blog agregado, leia as nossas regras.


Última atualização:
01 de abril de 2015, 21:05
Horário UTC

Planet ATOM
RSS10 RSS20
OPML FOAF

Blogs inscritos


© 2011 Ubuntu Brasil. Ubuntu, o logotipo Ubuntu e Canonical são marcas registradas de Canonical Ltd.
Os comentários dos blogs agregados nesta página representam a opinião de seu autor.